O SISTEMA NERVOSO NA RELAÇÃO PERCEPÇÃO-AÇÃO NO CORPO QUE DANÇA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O SISTEMA NERVOSO NA RELAÇÃO PERCEPÇÃO-AÇÃO NO CORPO QUE DANÇA"

Transcrição

1 7º Seminário de Pesquisa em Artes da Faculdade de Artes do Paraná Anais Eletrônicos O SISTEMA NERVOSO NA RELAÇÃO PERCEPÇÃO-AÇÃO NO CORPO QUE DANÇA Carolina Madsen Beltrame 137 Faculdade De Artes Do Paraná RESUMO Este estudo visa relacionar aspectos internos do corpo com novas possiblidades criativas em dança. Abarca o estudo da relação da dança enquanto movimento do corpo no tempo e no espaço com estudos do sistema nervoso os quais incluem o ciclo percepção-ação. Foi realizado pelo levantamento de referências bibliográficas sobre noções de corpo, mente e consciência, resultando na análise dessas referências argumentando sua importância para a criação de movimento em dança. Concluiu-se que a análise do corpo pela importância do sistema nervoso e de possuir uma mente consciente podem potencializar a criação de movimento em dança. Palavras-chave: percepção-ação; mente; criação. 137 Graduanda do curso de Bacharelado e Licenciatura em Dança da FAP Faculdade de Artes do Paraná. Atualmente bolsista do PIC Projeto de Iniciação Científica da FAP e integrante do UM Núcleo de Pesquisa em Dança da FAP. Anais do 7º Seminário de Pesq. em Artes da Faculdade de Artes do Paraná, Curitiba, p , jun.,

2 A Dança como conhecimento é entendida como uma macro área de estudo e pode abranger a análise de outros campos do saber, como a Neurociência, a Inteligência Artificial, a Filosofia, a Linguística, a Psicologia, etc, gerando, quando estabelece relação com outras áreas, maior complexidade para o estudo de suas especificidades. A dança acontece porque existem trocas de informações entre corpo e ambiente, entre uma célula e outra e entre corpo propriamente dito 138 e cérebro o que gera movimento a todo instante, excitando o sistema nervoso fazendo-nos viver, mover, pensar, e, portanto, dançar. Por isso, entender ligações e conexões internas ao corpo pode auxiliar na compreensão do movimento externo, movimento esse que se dá a ver quando um corpo se move seja cotidianamente e (ou) dançando. O objetivo é mostrar que entender anatômica e fisiologicamente determinadas conexões que ocorrem no corpo pode aumentar a percepção acerca de ações cotidianas e de movimentos em dança, e com isso possibilitar novas capacidades criativas em dança. Nesse sentido, para a experiência da percepção dependemos do exercício de conhecer o sistema sensório-motor sob o ponto de vista da análise bibliográfica. Para tanto, a metodologia utilizada é levantar referências bibliográficas sobre as noções de corpo, mente e consciência que estão sendo produzidos em arte e em neurociência, a fim de relacioná-los à criação do movimento em dança. A análise de referências bibliográficas relacionadas à importância do estudo de aspectos do corpo para a criação de movimento em dança é o resultado deste resumo. Isso torna necessária a escrita sobre movimento, consciência, mente, sistema nervoso, criação e ciclo percepção-ação. A dança enquanto pensamento é também movimento, que acontece pelas vias neurais através da mente, e pode ser pensamento por possuirmos consciência. Para Damásio (2000, p. 38), consciência é conhecimento e o processo de construção do conhecimento requer um cérebro e suas propriedades eletroquímicas que produzem padrões e mapas neurais. A mente, através da atividade dos neurônios, é aquilo que define uma pessoa, é atividade cerebral da articulação de vários locais que ocorre num tempo e espaço relativos ao corpo. A mente existe pela interação do cérebro com o corpo propriamente dito e deste corpo com o meio em que vive. O pensamento é relacionado à consciência, que se refere ao cérebro, e que se constitui por um sistema nervoso, que percebe e age, gera movimento, ação e dança. Pode-se entender a consciência como uma unidade da mente e como uma qualidade humana que constrói conhecimento de nós mesmos e de nossas relações com o ambiente, o que sugere que possuir uma mente consciente pode dar subsídios para a criação: Perception is input 138 Corpo propriamente dito é denominado por António Damásio (2000) representando o que na linguagem comum seria o que chamamos de corpo quando nos referimos ao corpo separado do cérebro e do sistema nervoso. Para que não haja possibilidade de questionar que a escrita supõe separação entre cérebro e corpo, estudamos o corpo, um organismo integrado e constituído por corpo propriamente dito e sistema nervoso. 239

3 from world to mind, action is output from mind to world, thought is the mediating process. 139 A criação, segundo Cecília Salles, em entrevista a Luis Fernando Assunção (2011), acontece em redes. A criatividade é a capacidade de os indivíduos reagirem de maneira diferente da óbvia para determinado estímulo. Pelo objetivo deste estudo ser entender as conexões internas ao corpo, através de análise bibliográfica, a fim de possibilitar novas capacidades criativas, as redes internas conexões neurais podem trazer potência para a criação. Isso porque o corpo tem a capacidade de fazer novas conexões neurais ao longo de toda vida, podendo anatomicamente se recriar e possibilitar novos caminhos para a criação. O sentido do movimento denominado por Berthoz (org. 2005), é junto aos cinco sentidos mais conhecidos - visão, audição, paladar, tato e olfato - um sentido do nosso corpo, pois possuímos captadores sensoriais nos músculos, tendões e articulações que associados a informações provenientes dos outros sentidos coordenam os movimentos do nosso corpo. Concomitantemente ao toque, o movimento é o primeiro sentido a ser aguçado num indivíduo, iniciando sua percepção no útero. Os movimentos que o corpo faz participam ativamente na construção da cognição (Queiroz, 2009, p. 29), induzindo-nos a considerá-los um dos responsáveis pela complexidade evolutiva do cérebro. O sistema nervoso coordena a percepção e o movimento sendo o responsável pela evolução da complexidade dos corpos. Entende-se que as trocas entre sistema nervoso central (SNC) e sistema nervoso periférico (SNP) ocorrem pela mediação entre as informações pré-existentes e as novas (GREINER; KATZ in GREINER, 2008, p. 130). O SNC (cérebro e medula espinhal), é o responsável pelas ações do corpo, já o SNP se relaciona mais diretamente com a percepção, mas como tanto a ação quanto a percepção sempre ocorrem para realizar um movimento, essas são tratadas nesse resumo em correlação, pois são vinculadas e ocorrem quase que simultaneamente no corpo. A percepção se dá através dos sentidos, então ela já é a ação dos receptores. Segundo Berthoz (org. 2005), a percepção é guiada pela ação, ou seja, percebemos o que é conveniente para a ação que queremos realizar. Transformar e/ou combinar imagens de ações é a fonte da criatividade. Essas imagens são consideradas como padrões mentais que provém dos sentidos ou podem ser evocados pela memória (Damásio, 2000), e quando não são reconhecidos literalmente podem vir a ser ações criativas. Pela dança ser o corpo em ação, se justifica a necessidade do estudo da percepção a qual requer uma mente consciente para que possa vir a combinar de maneiras distintas os fluxos de imagens a fim de criar novas possibilidades criativas em dança. 139 Percepção é a entrada do mundo para a mente, ação é a saída da mente para o mundo, pensamento é a mediação. (Nöe, 2005, p.3, tradução nossa) 240

4 Portanto, tratamos da criação em dança através dos conhecimentos neurofisiológicos do corpo que é o lugar onde o movimento, a mente, a consciência, a percepção e o pensamento ocorrem, todos conectados no corpo que trabalha em redes de percepções-ações e relações internas e externas. Concluindo que a análise do sistema nervoso e seu ciclo percepção-ação, de um corpo que sabe que possui uma mente consciente, pode ser uma possibilidade para potencializar a criação de movimentos em dança. 241

5 REFERÊNCIAS ASSUNÇÃO, Luis Fernando. Nos meandros dos documentos do processo. Disponível em: BERTHOZ, Alain (org.). Lições sobre o corpo, o cérebro e a mente: as raízes das ciências do conhecimento no Collège de France. Tradução de Maria Angela Casselato. São Paulo: EDUSC, DAMÁSIO, António R.. O mistério da consciência: do corpo e das emoções ao conhecimento de si. Tradução de Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, GREINER; KATZ, Christine; Helena. Por uma teoria do corpomídia. In: GREINER, Christine. O corpo: pistas para estudos indisciplinares. 3ª ed, São Paulo: Annablume, p NÖE, Alva. Action in Perception. Massachusetts: The MIT Press, QUEIROZ, Clélia Ferraz Pereira de. Corpo, mente, percepção: movimento em BMC e dança. São Paulo: Fapesp, TAYLOR, Mark. O grande ciclo do ser. In: Anais Workshop corpo em movimento ISSN Curitiba, p Anais do 7º Seminário de Pesq. em Artes da Faculdade de Artes do Paraná, Curitiba, p , jun.,

Palavras-chaves: corpo propositor, processo criativo, percepção

Palavras-chaves: corpo propositor, processo criativo, percepção Uno: o corpo propositor em dança contemporânea Rosemeri Rocha Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas UFBA Doutoranda Or. Profa. Dr a Eliana Rodrigues Silva Bolsa CAPES Professora do colegiado de dança

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Unidade 4 Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? + Sistema nervoso Sistema hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo! corresponde

Leia mais

O BEBÊ E SEU CÉREBRO: UM ESTUDO SOBRE O DESENVOLVIMENTO CEREBRAL NA VIDA INTRA-UTERINA

O BEBÊ E SEU CÉREBRO: UM ESTUDO SOBRE O DESENVOLVIMENTO CEREBRAL NA VIDA INTRA-UTERINA O BEBÊ E SEU CÉREBRO: UM ESTUDO SOBRE O DESENVOLVIMENTO CEREBRAL NA VIDA INTRA-UTERINA Michele Terres Trindade 1 Kléria Isolde Hirschfeld² 2 RESUMO O presente artigo tem como proposta apresentar os resultados

Leia mais

Sistema Nervoso. Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico (SNP) Cérebro. Cerebelo. Encéfalo. Mesencéfalo Ponte Bulbo Medula

Sistema Nervoso. Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico (SNP) Cérebro. Cerebelo. Encéfalo. Mesencéfalo Ponte Bulbo Medula Introdução O corpo humano é coordenado por dois sistemas: o nervoso e o endócrino. O sistema nervoso é o que coordena, por meio da ação dos neurônios, as respostas fisiológicas, como a ação dos músculos

Leia mais

Sistema Nervoso. Aula Programada Biologia. Tema: Sistema Nervoso

Sistema Nervoso. Aula Programada Biologia. Tema: Sistema Nervoso Aula Programada Biologia Tema: Sistema Nervoso 1) Introdução O sistema nervoso é responsável pelo ajustamento do organismo ao ambiente. Sua função é perceber e identificar as condições ambientais externas,

Leia mais

SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES

SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES SISTEMA NERVOSO FUNÇÕES Deteta informação sensorial Processa e responde à informação sensorial (integração) Mantém a homeostasia Centro das atividades mentais Controla os movimentos do corpo através dos

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. Ao lançar

Leia mais

Resumo de fisiologia. Sistema Nervoso. Nome: Curso: Data: / /

Resumo de fisiologia. Sistema Nervoso. Nome: Curso: Data: / / Resumo de fisiologia Sistema Nervoso Nome: Curso: Data: / / 1 - Organização dos tecidos biológicos CÉLULA TECIDO ORGÃO SISTEMA - SER 2 - Estrutura Do Sistema Nervoso Características a. Apresenta-se com

Leia mais

IMAGEM CORPORAL DO DEFICIENTE VISUAL: UM ESTUDO DE REVISÃO

IMAGEM CORPORAL DO DEFICIENTE VISUAL: UM ESTUDO DE REVISÃO IMAGEM CORPORAL DO DEFICIENTE VISUAL: UM ESTUDO DE REVISÃO Fabiane Frota da Rocha Morgado; Jairo José Monteiro Morgado; Maria Elisa Caputo Ferreira; Maria da Consolação G. C. F. Tavares Universidade Estadual

Leia mais

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi Fisiologia Animal Sistema Nervoso Sistema Nervoso Exclusivo dos animais, vale-se de mensagens elétricas que caminham pelos nervos mais rapidamente que os hormônios pelo sangue. Mantido vivo pela eletricidade,

Leia mais

Introdução ao Sistema Nervoso - O Encéfalo

Introdução ao Sistema Nervoso - O Encéfalo Introdução ao Sistema Nervoso - O Encéfalo Profa Juliana Normando Pinheiro Morfofuncional V juliana.pinheiro@kroton.com.br O sistema nervoso é um sistema complexo de comunicação e controle no corpo animal.

Leia mais

BRASIL, Ana Clara Cabral Amaral. Propostas para o corpo imaginar. Campinas: Unicamp. Unicamp; doutorado; Renato Ferracini; Fapesp.

BRASIL, Ana Clara Cabral Amaral. Propostas para o corpo imaginar. Campinas: Unicamp. Unicamp; doutorado; Renato Ferracini; Fapesp. BRASIL, Ana Clara Cabral Amaral. Propostas para o corpo imaginar. Campinas: Unicamp. Unicamp; doutorado; Renato Ferracini; Fapesp. RESUMO: O presente artigo pretende refletir acerca do movimento no corpo

Leia mais

Prof. Laila Bekai 7ª série - Ciências

Prof. Laila Bekai 7ª série - Ciências Prof. Laila Bekai 7ª série - Ciências SISTEMA NERVOSO Sistema nervoso central (SNC) Sistema nervoso periférico (SNP) Encéfalo Medula espinhal SNP autônomo SNP somático Parassimpático Simpático Nervos motores

Leia mais

Elementos Estruturais e Funcionais do Sistema Nervoso

Elementos Estruturais e Funcionais do Sistema Nervoso CÉREBRO Cérebro O ser humano define-se por uma multiplicidade de caraterísticas que o distinguem dos outros animais. O seu organismo é constituído por um conjunto de orgãos e sistemas que se relacionam

Leia mais

POR UMA POÉTICA DE AUDIODESCRIÇÃO: (RE)CRIAR, MEDIAR E COMUNICAR IMAGENS DE DANÇA PARA ESPECTADORES CEGOS

POR UMA POÉTICA DE AUDIODESCRIÇÃO: (RE)CRIAR, MEDIAR E COMUNICAR IMAGENS DE DANÇA PARA ESPECTADORES CEGOS POR UMA POÉTICA DE AUDIODESCRIÇÃO: (RE)CRIAR, MEDIAR E COMUNICAR IMAGENS DE DANÇA PARA ESPECTADORES CEGOS Ana Clara Santos Oliveira (UFBA) Ana Clara Santos Oliveira, Possui Graduação em Licenciatura em

Leia mais

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi Fisiologia Animal Sistema Nervoso Sistema Nervoso Exclusivo dos animais, vale-se de mensagens elétricas que caminham pelos nervos mais rapidamente que os hormônios pelo sangue. Mantido vivo pela eletricidade,

Leia mais

OLFATO. Professor Alfred Sholl neurofisiologia@ufrj.br http://ltc.nutes.ufrj.br/constructore/ Programa de Neurobiologia IBCCF

OLFATO. Professor Alfred Sholl neurofisiologia@ufrj.br http://ltc.nutes.ufrj.br/constructore/ Programa de Neurobiologia IBCCF OLFATO Professor Alfred Sholl neurofisiologia@ufrj.br http://ltc.nutes.ufrj.br/constructore/ Programa de Neurobiologia IBCCF ORGANIZAÇÃO DO ÓRGÃO SENSORIAL RECEPTOR SENSORIAL E TRANSDUÇÃO ATIVIDADE ELÉTRICA

Leia mais

ANATOMIA HUMANA II. Roteiro SISTEMA NERVOSO. Enfermagem. Sistema Nervoso. Prof. Me. Fabio Milioni 17/09/2015

ANATOMIA HUMANA II. Roteiro SISTEMA NERVOSO. Enfermagem. Sistema Nervoso. Prof. Me. Fabio Milioni 17/09/2015 ANATOMIA HUMANA II Enfermagem Sistema Nervoso Prof. Me. Fabio Milioni Roteiro SISTEMA NERVOSO Conceito Função Divisão Sistema Nervoso Central Tecido Nervoso Cerebelo Diencéfalo Telencéfalo Meninges Líquor

Leia mais

Organização do sistema nervoso

Organização do sistema nervoso Sistema nervoso Organização do sistema nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) O encéfalo: O encéfalo dos mamíferos é dividido em: telencéfalo (cérebro), diencéfalo (tálamo, epitálamo e hipotálamo), mesencéfalo

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Tecido Nervoso Compreende basicamente dois tipos celulares Neurônios unidade estrutural e funcional

Leia mais

musicoterapia Formação do Musicoterapeuta Musicoterapia

musicoterapia Formação do Musicoterapeuta Musicoterapia Musicoterapia A Musicoterapia é a utilização da música e/ou dos elementos musicais (som, silêncio, ritmo, melodia, harmonia) pelo musicoterapeuta e pelo paciente ou grupo, em um processo estruturado para

Leia mais

FISIOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO HUMANO

FISIOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO HUMANO FISIOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO HUMANO Controle do funcionamento do ser humano através de impulsos elétricos Prof. César Lima 1 Sistema Nervoso Função: ajustar o organismo animal ao ambiente. Perceber e

Leia mais

Cognição e Fatores Humanos em IHC

Cognição e Fatores Humanos em IHC Cognição e Fatores Humanos em IHC Profa. Cristina Paludo Santos Slides baseados no livro: Design e Avaliação de Interfaces Humano Computador (Heloísa Vieira da Rocha/M.Cecília C. Baranauskas). Material

Leia mais

O sistema nervoso esta dividido em duas partes:

O sistema nervoso esta dividido em duas partes: 1 FISIOLOGIA HUMANA I Neuromuscular Prof. MsC. Fernando Policarpo 2 Conteúdo: Estrutura do Sistema Nervoso Central (SNC) e Periférico (SNP). Elementos do Tecido Nervoso. Mecanismos de Controle Muscular.

Leia mais

Referências para citação:

Referências para citação: Referências para citação: CUERVO, Luciane. Articulações entre Música, Educação e Neurociências: Ideias para o Ensino Superior. In: 7 SIMCAM Simpósio de Cognição e Artes Musicais, 2011, Brasília. Anais

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

ATENÇÃO Conceitos iniciais As funções principais da Atenção

ATENÇÃO Conceitos iniciais As funções principais da Atenção ATENÇÃO Conceitos iniciais Muito tem sido discutido e escrito acerca dos elementos necessários para um desenvolvimento harmonioso das potencialidades de consciência do ser humano. No entanto, muitos materiais

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE - 2016 ANEXO VI CURSO DE PSICOLOGIA 1º PERÍODO

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE - 2016 ANEXO VI CURSO DE PSICOLOGIA 1º PERÍODO 1 Conteúdos conceituais ANEXO VI CURSO DE PSICOLOGIA 1º PERÍODO CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO PSICOLÓGICO Definição dos conceitos de conhecimento científico e de senso comum; Estudo do processo de obtenção

Leia mais

Neurocomputação. Fabricio Breve - fbreve@gmail.com. 19/09/2007 Fabricio Breve

Neurocomputação. Fabricio Breve - fbreve@gmail.com. 19/09/2007 Fabricio Breve Neurocomputação Fabricio Breve - fbreve@gmail.com 19/09/2007 Fabricio Breve 1 Introdução Questões que desafiam a ciência: Como o cérebro processa informações? Como ele é organizado? Quais os mecanismos

Leia mais

Monografía Curso de Capacitación Docente en Neurociencias

Monografía Curso de Capacitación Docente en Neurociencias Monografía Curso de Capacitación Docente en Neurociencias Alumno: Luciano dos Santos Alves www.asociacioneducar.com Mail: informacion@asociacioneducar.com Facebook: www.facebook.com/neurocienciasasociacioneducar

Leia mais

SISTEMA NERVOSO. Juntamente com o sistema endócrino, capacitam o organismo a:

SISTEMA NERVOSO. Juntamente com o sistema endócrino, capacitam o organismo a: SISTEMA NERVOSO Juntamente com o sistema endócrino, capacitam o organismo a: perceber as variações do meio (interno e externo), a difundir as modificações que essas variações produzem executar as respostas

Leia mais

Sistema Nervoso. Função: ajustar o organismo animal ao ambiente.

Sistema Nervoso. Função: ajustar o organismo animal ao ambiente. Sistema Nervoso Função: ajustar o organismo animal ao ambiente. Perceber e identificar as condições ambientais externas e as condições internas do organismo 1 LOCALIZAÇÃO: SISTEMA NERVOSO - CORPOS CELULARES:

Leia mais

RECEPTORES SENSORIAIS

RECEPTORES SENSORIAIS RECEPTORES SENSORIAIS Elio Waichert Júnior Sistema Sensorial Um dos principais desafios do organismo é adaptar-se continuamente ao ambiente em que vive A organização de tais respostas exige um fluxo de

Leia mais

OS GÂNGLIOS DA BASE FUNÇÕES DOS GÂNGLIOS DA BASE

OS GÂNGLIOS DA BASE FUNÇÕES DOS GÂNGLIOS DA BASE OS GÂNGLIOS DA BASE Neurofisiologia Prof. Hélder Mauad FUNÇÕES DOS GÂNGLIOS DA BASE Ajudam a planejar e a controlar padrões complexos do movimento muscular, controlando a intensidade relativa dos movimentos

Leia mais

e sua colega filósofa e historiadora da ciência Isabelle Stengers, tal www.ivanisantana.net REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

e sua colega filósofa e historiadora da ciência Isabelle Stengers, tal www.ivanisantana.net REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA SANTANA, I. A consciência de cada dança: reverberações de =corpo-rel(ação)-objeto. Anais POÉTICAS TECNOLÓGICAS. SEMINARIO INTERNACIONAL SOBRE DANCA, TEATRO E PERFORMANCE, 3., Salvador,

Leia mais

CONFIGURANDO A TEXTURA POÉTICA DAS RELAÇÕES

CONFIGURANDO A TEXTURA POÉTICA DAS RELAÇÕES 7º Seminário de Pesquisa em Artes da Faculdade de Artes do Paraná CONFIGURANDO A TEXTURA POÉTICA DAS RELAÇÕES Anais Eletrônicos Noanna Bortoluzzi 140 Faculdade de Artes do Paraná RESUMO Essa comunicação

Leia mais

O CÉREBRO DA CRIANÇA

O CÉREBRO DA CRIANÇA O CÉREBRO DA CRIANÇA Documentário da série A vida secreta do cérebro SINOPSE Uma professora de psicologia discute e apresenta uma proposta de atividade sobre o documentário Com a sílaba do som o cérebro

Leia mais

Fisiologia do Sistema Nervoso

Fisiologia do Sistema Nervoso Fisiologia do Sistema Nervoso 1. Sistema Nervoso Sensorial 2. Sistema Nervoso Motor 3. Sistema Nervoso Autônomo 4. Ritmos Biológicos Visão Geral do Sistema Nervoso Central O Sistema Nervoso Central - SNC

Leia mais

Neurocomputação O Sistema Nervoso

Neurocomputação O Sistema Nervoso Neurocomputação O Sistema Nervoso Fabricio Breve fabricio@rc.unesp.br 22/04/2015 Fabricio Breve 1 Introdução Questões que desafiam a ciência: Como o cérebro processa informações? Como ele é organizado?

Leia mais

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Introdução -Apesar de IHC ser uma área bastante prática, muitos métodos, modelos

Leia mais

Neuroanatomia e Neurociência para o Coaching.

Neuroanatomia e Neurociência para o Coaching. A única formação no Brasil que direciona os conhecimentos de Neuroanatomia e Neurociência para o Coaching. A inovação é dos principais pilares de gestão do Instituto Brasileiro de Coaching IBC, por isso

Leia mais

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013 Expressão Musical II Docente: António Neves Discente: Ana Matos nº 53184 A música e o som, enquanto energia, estimulam

Leia mais

SISTEMA NERVOSO. Professora: Daniela Carrogi Vianna

SISTEMA NERVOSO. Professora: Daniela Carrogi Vianna SISTEMA NERVOSO Professora: Daniela Carrogi Vianna SISTEMA NERVOSO O sistema Nervoso é um todo. Sua divisão em partes tem um significado exclusivamente didático, pois as várias partes estão intimamente

Leia mais

Matéria: biologia Assunto: fisiologia humana Sistema NERVOSO Prof. Enrico blota

Matéria: biologia Assunto: fisiologia humana Sistema NERVOSO Prof. Enrico blota Matéria: biologia Assunto: fisiologia humana Sistema NERVOSO Prof. Enrico blota Biologia FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA NERVOSO Tem por função receber, associar, armazenar ou emitir informações garantindo assim

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS DA VIDA Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS DA VIDA Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS DA VIDA Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

PERCEBEMOS O MUNDO PARA AGIR SOBRE ELE

PERCEBEMOS O MUNDO PARA AGIR SOBRE ELE Universidade Federal do Espírito Santo Departamento de Ciências Fisiológicas FISIOLOGIA PSICOLOGIA NEROFISIOLOGIA Introdução ao sistema sensorial Receptores sensoriais Prof. Leonardo dos Santos PERCEBEMOS

Leia mais

Projeto Medicina. Dr. Onésimo Duarte Ribeiro Júnior Professor Assistente da Disciplina de Anestesiologia da Faculdade de Medicina do ABC

Projeto Medicina. Dr. Onésimo Duarte Ribeiro Júnior Professor Assistente da Disciplina de Anestesiologia da Faculdade de Medicina do ABC Projeto Medicina Dr. Onésimo Duarte Ribeiro Júnior Professor Assistente da Disciplina de Anestesiologia da Faculdade de Medicina do ABC Neurociência DIVISÃO DO SISTEMA NERVOSO Sistema Nervoso Central Sistema

Leia mais

EQUIPES DE SUCESSO E MOTIVADAS COM PNL (PROGRAMAÇÃO NEURO LINGUISTICA)

EQUIPES DE SUCESSO E MOTIVADAS COM PNL (PROGRAMAÇÃO NEURO LINGUISTICA) EQUIPES DE SUCESSO E MOTIVADAS COM PNL (PROGRAMAÇÃO NEURO LINGUISTICA) Alan Martins REDE DE COLABORAÇÃO VISÃO OPERACIONAL AREA A AGRADAR Proporcionar aos Clientes e parceiros as melhores experiências.

Leia mais

Regulação nervosa e hormonal Sistema nervoso Sistema hormonal Natureza das mensagens nervosas e hormonais Desequilíbrios e doenças

Regulação nervosa e hormonal Sistema nervoso Sistema hormonal Natureza das mensagens nervosas e hormonais Desequilíbrios e doenças Funcionamento e coordenação nervosa Regulação nervosa e hormonal Sistema nervoso Sistema hormonal Natureza das mensagens nervosas e hormonais Desequilíbrios e doenças No Sistema Nervoso as mensagens são

Leia mais

SISTEMA NERVOSO CENTRAL E SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

SISTEMA NERVOSO CENTRAL E SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA NERVOSO CENTRAL E SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição novembro/2006-1 - SISTEMA NERVOSO CENTRAL E SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO SUMÁRIO

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) ANÁLISE BIOMECÂNICA DO MOVIMENTO (1504) C/H 68 Análise anátomo-funcional do movimento humano com ênfase no

Leia mais

Construindo atividades com o software Kompozer

Construindo atividades com o software Kompozer Construindo atividades com o software Kompozer 1. Contextualização 1.1. Caracterização do O.A. Área de conhecimento: Ciências biológicas Disciplina ou curso: Fisiologia Ementa em que o O.A. se encaixa:

Leia mais

Qual é a função do Sistema Nervoso Central?

Qual é a função do Sistema Nervoso Central? Câncer de SNC Qual é a função do Sistema Nervoso Central? O Sistema Nervoso Central (SNC) é constituído pelo cérebro, cerebelo e tronco cerebral. O cérebro é dividido em quatro lobos que controlam funções

Leia mais

III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais

III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais O USO DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO ESPECIAL SILVA, Amós de S. 1 NOME DO GT 04: Contribuições da arte para a educação inclusiva RESUMO Neste trabalho,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE DANÇA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DANÇA EDITAL DE SELEÇÃO PARA O NÍVEL DE MESTRADO 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE DANÇA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DANÇA EDITAL DE SELEÇÃO PARA O NÍVEL DE MESTRADO 2015 Escola de UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE DANÇA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DANÇA EDITAL DE SELEÇÃO PARA O NÍVEL DE MESTRADO 2015 A Coordenadora do, no uso de suas atribuições legais, estabelece

Leia mais

SISTEMA NERVOSO A FUNÇÃO GERAL

SISTEMA NERVOSO A FUNÇÃO GERAL SISTEMA NERVOSO O Sistema Nervoso se divide em a) Sistema Nervoso Central e b) Sistema Nervoso Periférico. No sistema nervoso central existem dois tipos de células: a) os neurônios e b) as células da glia

Leia mais

Sistema Nervoso Organização Geral

Sistema Nervoso Organização Geral Sistema Nervoso Organização Geral O encéfalo é o centro da razão e da inteligência: cognição, percepção, atenção, memória e emoção, Também é responsável pelo controle da postura e movimentos, Permite o

Leia mais

A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão)

A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Área Temática: Educação Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) Pamela Paola Leonardo 2 Marnei Luis Mandler 3 Palavras-chave: Matemática,

Leia mais

SISTEMA NERVOSO. Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Sistema Nervoso

SISTEMA NERVOSO. Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Sistema Nervoso Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Sistema Nervoso SISTEMA NERVOSO Nos organismos menos complexos as funções de comunicação entre as várias

Leia mais

1 Introdução. EA072 Prof. Fernando J. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp. Tópico 1.1: Introdução às Redes Neurais Artificiais (Parte II) 1

1 Introdução. EA072 Prof. Fernando J. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp. Tópico 1.1: Introdução às Redes Neurais Artificiais (Parte II) 1 Introdução às Redes Neurais Artificiais (Parte II) Aspectos Funcionais e Organizacionais Baseado em Notas de Aula da disciplina de pós-graduação IA353 Redes Neurais (FEEC/Unicamp) 1 Introdução... 2 2 O

Leia mais

Fisiologia do Sistema Nervoso. 1. Sistema Nervoso Sensorial 2. Sistema Nervoso Motor 3. Sistema Nervoso Autônomo 4.

Fisiologia do Sistema Nervoso. 1. Sistema Nervoso Sensorial 2. Sistema Nervoso Motor 3. Sistema Nervoso Autônomo 4. Fisiologia do Sistema Nervoso 1. Sistema Nervoso Sensorial 2. Sistema Nervoso Motor 3. Sistema Nervoso Autônomo 4. Ritmos Biológicos Sistema Nervoso Motor a) Organização Hierárquica do Movimento Movimentos

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

Divisão anatômica 15/09/2014. Sistema Nervoso. Sistema Nervoso Função. Sistema Nervoso Estrutura. Cérebro Cerebelo Tronco encefálico ENCÉFALO

Divisão anatômica 15/09/2014. Sistema Nervoso. Sistema Nervoso Função. Sistema Nervoso Estrutura. Cérebro Cerebelo Tronco encefálico ENCÉFALO Função o sistema nervoso é responsável pelo controle do ambiente interno e seu relacionamento com o ambiente externo (função sensorial), pela programação dos reflexos na medula espinhal, pela assimilação

Leia mais

Será que a minha mente está dentro da minha cabeça? (questões de filosofia da mente e Inteligência Artificial)

Será que a minha mente está dentro da minha cabeça? (questões de filosofia da mente e Inteligência Artificial) FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DO PORTO Será que a minha mente está dentro da minha cabeça? (questões de filosofia da mente e Inteligência Artificial) Sofia Miguens Universidade do Porto - MLAG O que

Leia mais

As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de

As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de 1 As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de impulso nervoso. 2 As informações acerca do ambiente,

Leia mais

O CORPO DO MOVIMENTO NA COMUNICAÇÃO BODY S MOVEMENT IN COMMUNICATION

O CORPO DO MOVIMENTO NA COMUNICAÇÃO BODY S MOVEMENT IN COMMUNICATION O CORPO DO MOVIMENTO NA COMUNICAÇÃO ELIANE SAUD RESUMO Antigos entendimentos de comunicação tratam o corpo como instrumento e/ou objeto a ser manipulado por um sujeito e como carregador do discurso. Acredita-se

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Educação Física Disciplina: Fisiologia Humana Professor: Ricardo Marques Nogueira Filho e-mail: ricardonogfilho@ig.com.br Código: Carga Horária:

Leia mais

Arthur Araújo Universidade Federal de Goiás arthur@fchf.ufg.br

Arthur Araújo Universidade Federal de Goiás arthur@fchf.ufg.br O PROBLEMA DAS REPRESENTAÇÕES MENTAIS E ALGUMAS TENTATIVAS DE SOLUÇÃO 1 Arthur Araújo Universidade Federal de Goiás arthur@fchf.ufg.br RESUMO: O problema das representações mentais tem sido alvo de várias

Leia mais

TÍTULO: A MODA NO DIVÃ: OBSERVAÇÕES SOBRE INTERVENÇÃO DO INCONSCIENTE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE MODA

TÍTULO: A MODA NO DIVÃ: OBSERVAÇÕES SOBRE INTERVENÇÃO DO INCONSCIENTE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE MODA TÍTULO: A MODA NO DIVÃ: OBSERVAÇÕES SOBRE INTERVENÇÃO DO INCONSCIENTE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE MODA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DESIGN INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ESCOLA DA SAÚDE

CURSOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ESCOLA DA SAÚDE CURSOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ESCOLA DA SAÚDE CURSO DE EXTENSÃO EM TERAPIA COMUNITÁRIA Objetivos: o Capacitar profissionais/graduandos de diferentes áreas para realizarem análise dos processos constituintes

Leia mais

Meditação da Plena Atenção (Mindfulness) Neurociências e Saúde

Meditação da Plena Atenção (Mindfulness) Neurociências e Saúde Meditação da Plena Atenção (Mindfulness) Neurociências e Saúde 8 Cérebro e Mente Arthur Shaker Fauzi Eid Um rico campo da área científica contemporânea tem se aberto a partir das chamadas Neurociências,

Leia mais

Objetivos do Curso: Público alvo:

Objetivos do Curso: Público alvo: Formação em Coaching Com Abordagem Neurocientífica, Psicofisiológica, Filosófica e Comportamental. Destinado aos Profissionais das Áreas de Saúde, Educação e Gestão de Pessoas Coaching é a palavra inglesa

Leia mais

Módulo 6: Inteligência Artificial

Módulo 6: Inteligência Artificial Módulo 6: Inteligência Artificial Assuntos: 6.1. Aplicações da IA 6.2. Sistemas Especialistas 6.1. Aplicações da Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas

Leia mais

Biologia PLANO DE AULA SISTEMA NERVOSO. Anatomia e Fisiologia Humana

Biologia PLANO DE AULA SISTEMA NERVOSO. Anatomia e Fisiologia Humana PLANO DE AULA Biologia SISTEMA NERVOSO Anatomia e Fisiologia Humana Esta obra está sob a licença Creative Commons Atribuição 2.5 (CC-BY). Mais detalhes em http://creativecommon.org/licenses/by/2.5/br.

Leia mais

Neuropsicologia da aprendizagem PAULO NASCIMENTO NEUROPSICOLOGO NEUROTERAPEUTA PSICÓLOGO

Neuropsicologia da aprendizagem PAULO NASCIMENTO NEUROPSICOLOGO NEUROTERAPEUTA PSICÓLOGO Neuropsicologia da aprendizagem PAULO NASCIMENTO NEUROPSICOLOGO NEUROTERAPEUTA PSICÓLOGO Conceito de Neuropsicologia É o campo de conhecimento interessado em estudar as relações existente entre o sistema

Leia mais

Estrutura Funcional do Sistema Nervoso. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Estrutura Funcional do Sistema Nervoso. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Estrutura Funcional do Sistema Nervoso Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Estágios inicias da formação do SN O sistema nervoso humano começa a ser formado logo após a fecundação. À medida que se desenvolve

Leia mais

ALGUNS ASPECTOS QUE INTERFEREM NA PRÁXIS DOS PROFESSORES DO ENSINO DA ARTE

ALGUNS ASPECTOS QUE INTERFEREM NA PRÁXIS DOS PROFESSORES DO ENSINO DA ARTE 7º Seminário de Pesquisa em Artes da Faculdade de Artes do Paraná Anais Eletrônicos ALGUNS ASPECTOS QUE INTERFEREM NA PRÁXIS DOS PROFESSORES DO ENSINO DA ARTE Bruna de Souza Martins 96 Amanda Iark 97 Instituto

Leia mais

O LIVRO DIDÁTICO ENGLISH IN MIND II: IDEOLOGIA E IMAGENS DISCURSIVAS

O LIVRO DIDÁTICO ENGLISH IN MIND II: IDEOLOGIA E IMAGENS DISCURSIVAS 1 O LIVRO DIDÁTICO ENGLISH IN MIND II: IDEOLOGIA E IMAGENS DISCURSIVAS Marília Résio LEMES 1 mariliaresio@hotmail.com RESUMO: O livro didático é um objeto de múltiplas facetas e, às vezes, trazem temas

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

O CÉREBRO EM FUNCIONAMENTO: DESENVOLVIMENTO DA APRENDIZAGEM

O CÉREBRO EM FUNCIONAMENTO: DESENVOLVIMENTO DA APRENDIZAGEM O CÉREBRO EM FUNCIONAMENTO: DESENVOLVIMENTO DA APRENDIZAGEM Márcia Regina Silva Rodrigues 1 Camilla Pereira Novaes 2 RESUMO A necessidade de se estudar a aprendizagem nasce da importância que a mesma exerce

Leia mais

DO PENSAMENTO À SENSAÇÃO, DA SENSAÇÃO AO PENSAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DA PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA PARA A PSICOLOGIA CORPORAL Anabel de Sales Silva

DO PENSAMENTO À SENSAÇÃO, DA SENSAÇÃO AO PENSAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DA PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA PARA A PSICOLOGIA CORPORAL Anabel de Sales Silva DO PENSAMENTO À SENSAÇÃO, DA SENSAÇÃO AO PENSAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DA PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA PARA A PSICOLOGIA CORPORAL Anabel de Sales Silva RESUMO A Programação Neurolinguística (PNL) consiste

Leia mais

Pré-Vestibular Social PSICOLOGIA

Pré-Vestibular Social PSICOLOGIA PSICOLOGIA Quem nunca pensou em procurar ajuda de um psicólogo naqueles momentos mais difíceis? Ele com certeza é nossa principal referência nessas horas, pois é o profissional que cuida da nossa mente,

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas e técnicas

Leia mais

Sistema Nervoso. Divisão Anatômica e Funcional 10/08/2010. Sistema Nervoso. Divisão. Funções gerais. Sistema nervoso central (SNC)

Sistema Nervoso. Divisão Anatômica e Funcional 10/08/2010. Sistema Nervoso. Divisão. Funções gerais. Sistema nervoso central (SNC) Sistema Nervoso Divisão Anatômica e Funcional Sistema Nervoso Divisão Sistema nervoso central (SNC) Sistema nervoso periférico (SNP) Partes Encéfalo Medula espinhal Nervos Gânglios Funções gerais Processamento

Leia mais

Apontamentos e considerações acerca da improvisação em dança: um olhar sobre a cidade de Aracaju/SE 1.

Apontamentos e considerações acerca da improvisação em dança: um olhar sobre a cidade de Aracaju/SE 1. Apontamentos e considerações acerca da improvisação em dança: um olhar sobre a cidade de Aracaju/SE 1. Maria Carolina de Vasconcelos Leite 2 Escola de Dança, Universidade Federal da Bahia Programa de Pós

Leia mais

Sistema Nervoso. Corpo celular constituída pela membrana, organelas e núcleo celular.

Sistema Nervoso. Corpo celular constituída pela membrana, organelas e núcleo celular. Neurônio Sistema Nervoso Corpo celular constituída pela membrana, organelas e núcleo celular. Dendritos prolongamentos ramificados que captam os estímulos nervosos. Axônio prolongamento único e responsável

Leia mais

Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Universidade do Porto. Laboratório de Psicologia Experimental

Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Universidade do Porto. Laboratório de Psicologia Experimental Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Universidade do Porto Laboratório de Psicologia Experimental O primeiro Laboratório de Psicologia Experimental foi fundado por Wundt, em Leipzig, na Alemanha,

Leia mais

UMA ESTÉTICA PARA A ESTÉTICA

UMA ESTÉTICA PARA A ESTÉTICA UMA ESTÉTICA PARA A ESTÉTICA Por Homero Alves Schlichting Doutorando no PPGE UFSM homero.a.s@gmail.com Quando falares, procura que tuas palavras sejam melhores que teus silêncios. (Provérbio da cultura

Leia mais

Apresentadoras: Ana Paula Corrêa Julia Tognozzi Orientação: Profa. Dra. Mariza R. Feniman Co-orientação: Maria Renata José

Apresentadoras: Ana Paula Corrêa Julia Tognozzi Orientação: Profa. Dra. Mariza R. Feniman Co-orientação: Maria Renata José Apresentadoras: Ana Paula Corrêa Julia Tognozzi Orientação: Profa. Dra. Mariza R. Feniman Co-orientação: Maria Renata José "Você já pensou o porquê das crianças irem mal na escola, mesmo sendo inteligentes

Leia mais

DRAMATURGIA NA DANÇA: INVESTIGAÇAO NO CORPO E AMBIENTES DE EXISTENCIA

DRAMATURGIA NA DANÇA: INVESTIGAÇAO NO CORPO E AMBIENTES DE EXISTENCIA DRAMATURGIA NA DANÇA: INVESTIGAÇAO NO CORPO E AMBIENTES DE EXISTENCIA Marila Velloso 1 RESUMO O artigo estabelece uma relação entre dramaturgia em dança e pesquisa em dança contemporânea. Para tanto, articula

Leia mais

Sistema nervoso I- Introdução à Neuroanatomia

Sistema nervoso I- Introdução à Neuroanatomia ANATOMIA 2012.1 Sistema nervoso I- Introdução à Neuroanatomia Prof. Musse Jereissati, M.D. Aviso: O material disponível no site NÃO substitui o livro e o Atlas. Recomendamos a leitura da bibliografia indicada!

Leia mais

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição 01. GRANDE ÁREA: CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E NATURAIS 2. Área - Probabilidade Probabilidade Aplicada (aspectos 3. Área - Estatística Fundamentos da Estatística (aspectos Modelagem Estatística Teoria da Amostragem

Leia mais

Codificação neural. Natureza da Informação UFABC. Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI

Codificação neural. Natureza da Informação UFABC. Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI Codificação neural Natureza da Informação UFABC Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI 1 Princípios gerais do Sistema Nervoso Neurônio: unidade funcional do SNC Introdução

Leia mais

NEUROFISIOLOGIA ORGANIZAÇÃO GERAL:

NEUROFISIOLOGIA ORGANIZAÇÃO GERAL: NEUROFISIOLOGIA O Sistema Nervoso (SN) e o Sistema Endócrino (hormonal) desempenham a maioria das funções de controle do organismo - O SN controla atividades RÁPIDAS: contração muscular, eventos viscerais

Leia mais

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 3º TRIMESTRE OUTUBRO/2014 TURMA 311. Professora Simone

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 3º TRIMESTRE OUTUBRO/2014 TURMA 311. Professora Simone TURMA Professora Simone 2 3 4 5 6 7 8 9 0 2 3 Alimento, preposição (in,on,under), partes da casa. 4 5 6 7 8 9 20 2 22 23 Filme e interpretação. 24 Trabalho de Geografia: Pesquisa (pontos turísticos). 25

Leia mais

9/30/2014. Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução. Fisiologia. Anatomia

9/30/2014. Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução. Fisiologia. Anatomia Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução à Anatomia e Fisiologia EN2319-Bases Biológicas para Engenharia I Reginaldo K Fukuchi Universidade Federal do ABC Por que

Leia mais

FLUXO DE IMAGENS NA MEMÓRIA

FLUXO DE IMAGENS NA MEMÓRIA FLUXO DE IMAGENS NA MEMÓRIA Natália Augusto Silva (UNICAMP) Natália Augusto Silva, mestre em Artes Cênicas pelo Programa de Pós Graduação em Artes da Universidade Estadual de Campinas, obteve bolsa FAPESP

Leia mais

Sistema Muscular. Elementos de Anatomia e Fisiologia Humana

Sistema Muscular. Elementos de Anatomia e Fisiologia Humana Os ossos e as articulações fornecem a estrutura e o suporte do corpo humano mas, por si só, não conseguem mover o corpo. O movimento depende do sistema muscular e, é conseguido pela contracção e relaxamento

Leia mais

Como as emoções influenciam nossa vida: o cérebro emocional

Como as emoções influenciam nossa vida: o cérebro emocional Resenhas 391 Resenha de livro LeDoux, Joseph (2001). Cérebro Emocional: Os misteriosos alicerces da vida emocional. (trad. de Terezinha Batista dos Santo). Rio de Janeiro: Objetiva, 2001, 336 p. ISBN 85-7302-

Leia mais