MACRO Processo Sub Processo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MACRO Processo Sub Processo"

Transcrição

1 ANEXO VIII DESMEMBRAMENTO DOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS DA ANEEL

2 ANEXO VIII DESMEMBRAMENTO DOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS DA ANEEL MACRO Processo Sub Processo 1. Fiscalização Técnica 1.1 Fiscalização de programas e agentes especiais 1.2 Fiscalização dos geração 1.3 Fiscalização dos transmissão 1.4 Fiscalização dos CCC P&D Avaliação da descentralização ONS Monitoramento da geração à distância empreendimentos Verificação do cumprimento dos contratos de concessão e atos de autorização Fiscalização de adequação micros e pequenas modernização, regularização Acompanhamento das condições de conservação e segurança Diagnósticos dos procedimentos de operação e manutenção grandes empreendimentos Acompanhamento de obras Fiscalização de emergências Fiscalização de novos empreendimentos Fiscalização de instalações em operação das transmissoras Fiscalização de P&D Fiscalização do ONS Fiscalização de ocorrências Avaliação física dos ativos Monitoramento da qualidade do fornecimento DecFec e níveis de tensão Fiscalização técnica Fiscalização baixa renda Fiscalização da universalização Fiscalização comercial Fiscalização de P&D Fiscalização de eficiência energética 2

3 2.1.1 Monitoramento e diagnóstico dos agentes 2. Fiscalização Econômico- Financeira 3. Regulação Técnica 2.1 Fiscalização econômica dos agentes 2.2 Anuência prévia diversas 2.3 Validação dos elementos econômicos financeiros 2.4 Fiscalização econômica dos fundos 3.1 Regulação dos geração Fiscalização in loco Acompanhamento da implementação das determinações Processo administrativo punitivo Acompanhamento da CCEE monitoramento do mercado Acompanhamento do ONS Sistemas isolados Análise da CDE Encargos de sistema Energia assegurada Rateio das cotas de Itaipu Gestão de P&D ProInfa Regulamentação técnica diversas Regulamentação tarifária da geração 3

4 3.2.1 Regulação do acesso ao sistema de transmissão 3.2 Regulação dos transmissão Regulação da qualidade do serviço de transmissão Aprovação de procedimentos de rede 3. Regulação Técnica 4. Regulação Econômico- Financeira 3.3 Regulação dos 3.4 Regulação da comercialização de eletricidade 4.1 Regulação do mercado 4.2 Regulação tarifária Gestão de P&D Regulamentação do acesso ao sistema de Cálculo do custo marginal de expansão da Qualidade no serviço de fornecimento Gestão de P&D Regulação comercial Gestão de eficiência energética Elaboração de regras e procedimentos para comercialização de energia CCEE Elaboração de regras e procedimentos para leilão de energia Registro e homologação de contratos Monitoramento do mercado Suporte técnico à mediação Defesa da concorrência Definição de receita de transmissão (autorizações) Definição de tarifas de transmissão Revisão tarifária da transmissão Reajuste tarifário da transmissão Revisão tarifária Reajuste tarifário Normatização Coleta e análise de informações da regulação econômica Fixação de encargos 4

5 5.1.1 Registro, análise e aprovação de inventário Registro, análise e aprovação de estudos de viabilidade (UHE) Registro, análise e aprovação de projeto básico (PCH). 5.1 Concessão e autorização de geração de energia elétrica Determinação da compensação financeira pela utilização de recursos hídricos CGH - Registro e ampliação PCH Autorização, utilidade publica e regularização UHE Concessão, utilidade publica e regularização Leilão de energia Térmicas registro, autorização e regularização. 5. Outorga Eólicas- registro, autorização e regularização Fotovoltaicas registro 5.2 Concessão, autorização e permissão de de energia elétrica 5.3 Concessão e autorização de transmissão de energia elétrica 5.4 Autorização para importação e exportação de energia elétrica. 5.5 Autorização para atuar como agente comercializador de energia elétrica 5.6 Declaração de utilidade pública Concessão de Permissão Autorização Autorização de reforços de transmissão Concessão de transmissão 5

6 6.1.1 Descentralização agências estaduais 6. Relação com a Sociedade 6.1 Relações institucionais 6.2 Relações com consumidores e agentes Gestão de relacionamentos Interação com o processo legislativo Parcerias institucionais Ouvidoria Mediação 6.3 Audiência pública 6.4 Conselho de consumidores 6

7

REAJUSTE TARIFÁRIO 2014 CEMIG DISTRIBUIÇÃO SA

REAJUSTE TARIFÁRIO 2014 CEMIG DISTRIBUIÇÃO SA REAJUSTE TARIFÁRIO 2014 CEMIG DISTRIBUIÇÃO SA SUPERINTENDÊNCIA DE REGULAÇÃO ECONÔMICO FINANCEIRA RE GERÊNCIA DE TARIFAS RE/TF 07 DE ABRIL 2014 1 1/19 Esta apresentação foi elaborada pela CEMIG utilizando

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais)

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) ATIVO CONSOLIDADO 2008 2007 2008 2007 Numerário disponível 1.265 2.072 5.915 6.418 Aplicações no mercado aberto

Leia mais

Roteiro. I. Apresentação da ABRAGE. II. O Novo Modelo do Setor Elétrico. III. Leilões de Energia. IV. Expansão da Oferta

Roteiro. I. Apresentação da ABRAGE. II. O Novo Modelo do Setor Elétrico. III. Leilões de Energia. IV. Expansão da Oferta Seminário Cenários da Energia O Desafio para as Concessionárias Frente ao Atual Modelo do Setor Elétrico 01 de junho de 2005 Flávio Antônio Neiva Roteiro I. Apresentação da ABRAGE II. O Novo Modelo do

Leia mais

Regulação do Uso de Fontes Alternativas no Brasil

Regulação do Uso de Fontes Alternativas no Brasil Regulação do Uso de Fontes Alternativas no Brasil (Desenvolvimento e Incentivos) Rui Guilherme Altieri Silva Superintendente de Regulação dos Serviços de Geração SRG/ANEEL outubro/2011 Brasília -DF SITUAÇÃO

Leia mais

Plano da Apresentação. Formação de preços de energia. Tarifas de Energia. Encargos setoriais.

Plano da Apresentação. Formação de preços de energia. Tarifas de Energia. Encargos setoriais. Plano da Apresentação Formação de preços de energia. Tarifas de Energia. Encargos setoriais. Uma característica atualmente importante do setor elétrico brasileiro é a separação entre commodity e serviços.

Leia mais

Incentivos regulatórios para energias alternativas.

Incentivos regulatórios para energias alternativas. Incentivos regulatórios para energias alternativas. - Vilson D. Christofari 20 de setembro de 2011 1 INCENTIVOS Por que? 2 OS VÁRIOS INCENTIVOS Redução da TUST e da TUSD. Mercado Ampliado. Licenciamento

Leia mais

CONTEXTO REGULATÓRIO PARA O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

CONTEXTO REGULATÓRIO PARA O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO FERNANDO COLLI MUNHOZ Assessor do Diretor-Geral CONTEXTO REGULATÓRIO PARA O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO São Paulo, Cidade-UF, 13 de setembro Data de 2017. CONTEXTO REGULATÓRIO DE LONGO PRAZO CONTRIBUIÇÕES

Leia mais

Comercialização de Energia ACL e ACR

Comercialização de Energia ACL e ACR Comercialização de Energia ACL e ACR Capítulo 3 Mercado, Tarifas e Preços Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica alvaroaugusto@utfpr.edu.br

Leia mais

A Importância Relevância dos Encargos nas Tarifas

A Importância Relevância dos Encargos nas Tarifas A Importância Relevância dos Encargos nas Tarifas Marcos Vinícius Gusmão Conselheiro, ABRACE São Paulo, Brasil Energia Elétrica: Panorama mundial 160 140 US$/MWh 120 100 80 60 40 20 0 1995 2000 2005 2008

Leia mais

Comercialização de Energia ACL e ACR

Comercialização de Energia ACL e ACR Comercialização de Energia ACL e ACR Capítulo 3 Mercado, Tarifas e Preços Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica alvaroaugusto@utfpr.edu.br

Leia mais

» Presença em 14 países e quatro continentes. » 3ª maior empresa de produção de eletricidade no mundo e

» Presença em 14 países e quatro continentes. » 3ª maior empresa de produção de eletricidade no mundo e » Presença em 14 países e quatro continentes» 3ª maior empresa de produção de eletricidade no mundo e um dos maiores distribuidores de gás na Península Ibérica» 70% da energia com origem em recursos renováveis»

Leia mais

O COMERCIALIZADOR E A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO NOVO PANORAMA DO SETOR ELÉTRICO. Walfrido Avila - 06/2002

O COMERCIALIZADOR E A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO NOVO PANORAMA DO SETOR ELÉTRICO. Walfrido Avila - 06/2002 O COMERCIALIZADOR E A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO NOVO PANORAMA DO SETOR ELÉTRICO Walfrido Avila - 06/2002 1 1 - CENÁRIOS DE EVOLUÇÃO DO SISTEMA INTERLIGADO CENÁRIO DE REFERÊNCIA (1) Critérios com base na Resolução

Leia mais

Instituto Acende Brasil

Instituto Acende Brasil www.pwc.com Instituto Acende Brasil Estudo sobre a Carga Tributária & Encargos do setor elétrico brasileiro ano base 2014 Dezembro 2015 Sumário Item Descrição Página - Sumário Executivo 3 1. O setor 4

Leia mais

LIGHT S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº Companhia Aberta

LIGHT S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº Companhia Aberta LIGHT S.A. CNPJ/MF Nº 03.378.521/0001-75 NIRE Nº 33.300.263.16-1 Companhia Aberta PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Prezados Senhores, A administração da Light S.A. ( Companhia ) vem submeter à apreciação de seus

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - OUTUBRO/2018

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - OUTUBRO/2018 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - OUTUBRO/2018 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA: ASPECTOS FÍSICOS E REGULAMENTAÇÃO pág. 1 PROGRAMA DETALHADO DOS MÓDULOS

O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA: ASPECTOS FÍSICOS E REGULAMENTAÇÃO pág. 1 PROGRAMA DETALHADO DOS MÓDULOS pág. 1 PROGRAMA DETALHADO DOS MÓDULOS - 2012 Módulo 1 - INTRODUÇÃO AO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA. 1.1 Considerações iniciais sobre a indústria de energia elétrica. Características do produto. 1.2 Conceitos

Leia mais

Matriz elétrica brasileira e fontes de geração

Matriz elétrica brasileira e fontes de geração Matriz elétrica brasileira e fontes de geração Fernando Umbria LPS Consultoria Energética Agenda Características gerais e conceitos importantes Aspectos legais e regulatórios Os geradores e o mercado de

Leia mais

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000.

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Estabelece que as concessionárias de Serviços públicos de Distribuição, Transmissão ou Geração de energia elétrica, devem aplicar, anualmente, um percentual mínimo

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - MARÇO/2018

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - MARÇO/2018 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - MARÇO/2018 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO N 152, DE 3 DE ABRIL DE 2003 Altera a metodologia de cálculo das tarifas de uso dos sistemas de distribuição de energia elétrica, atendendo o disposto

Leia mais

Plano da Apresentação

Plano da Apresentação Plano da Apresentação 1. Algumas características do Setor Elétrico Brasileiro. 2. Algumas características de PCHs e CGHs. 3. Simulação de Fluxos de Caixa. 4. Modelos de desenvolvimento de PCHs. Monopólio

Leia mais

Hélvio Neves Guerra. Seminário Agro em Questão Energias Renováveis: tornando a agropecuária mais sustentável e econômica

Hélvio Neves Guerra. Seminário Agro em Questão Energias Renováveis: tornando a agropecuária mais sustentável e econômica Seminário Agro em Questão Energias Renováveis: tornando a agropecuária mais sustentável e econômica Hélvio Neves Guerra Ministério de Minas e Energia Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético

Leia mais

Incentivos para a Geração Distribuída no Brasil

Incentivos para a Geração Distribuída no Brasil Incentivos para a Geração Distribuída no Brasil : 1. Introdução O Brasil vem buscando nos últimos anos posicionamento cada vez maior como líder no desenvolvimento de projetos em energias renováveis. Podemos

Leia mais

MERCADO LIVRE DE ENERGIA

MERCADO LIVRE DE ENERGIA TUDO SOBRE MERCADO LIVRE DE ENERGIA NA BUSCA POR MELHORES PREÇOS E UM AUMENTO DA PREVISIBILIDADE NOS NEGÓCIOS, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS ESTÃO MIGRANDO PARA O CHAMADO MERCADO LIVRE. 1. INTRODUÇÃO Na busca

Leia mais

NOVOS CONTORNOS JURÍDICOS DA COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA: LEILÕES, ENERGIA RENOVÁVEL E CONSUMIDOR LIVRE. Fábio Sales Dias

NOVOS CONTORNOS JURÍDICOS DA COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA: LEILÕES, ENERGIA RENOVÁVEL E CONSUMIDOR LIVRE. Fábio Sales Dias NOVOS CONTORNOS JURÍDICOS DA COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA: LEILÕES, ENERGIA RENOVÁVEL E CONSUMIDOR LIVRE. Fábio Sales Dias São Paulo, 23 de setembro de 2004 2 SUMÁRIO O modelo do setor para as fontes

Leia mais

XX Simpósio Jurídico da ABCE. Os 10 anos da Lei /2004, reflexões e perspectivas.

XX Simpósio Jurídico da ABCE. Os 10 anos da Lei /2004, reflexões e perspectivas. XX Simpósio Jurídico da ABCE Os 10 anos da Lei 10.848/2004, reflexões e perspectivas. São Paulo Outubro de 2014 Ricardo Brandão Procurador-Geral da ANEEL Marcos normativos antecedentes à Lei 10.848/2004

Leia mais

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Palestra Apimec RJ 19/set/2011 Leonardo Lima Gomes Agenda 1. Visão Geral do Setor 2. Mercado de Energia Elétrica 3. Perspectivas Desenvolvimento Mercado 4. Perspectivas

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - JUNHO/2017

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - JUNHO/2017 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - JUNHO/2017 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2017 /ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL ABRIL/2019

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL ABRIL/2019 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL ABRIL/2019 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

O NOVO MARCO REGULATÓRIO DO SETOR ELÉTRICO

O NOVO MARCO REGULATÓRIO DO SETOR ELÉTRICO O NOVO MARCO REGULATÓRIO DO SETOR ELÉTRICO Marcos Juruena Villela Souto AS CARACTERÍSTICAS DO SETOR ELÉTRICO NO BRASIL ATÉ OS ANOS 90 Matriz hidrelétrica Forte presença do Estado no setor, como agente

Leia mais

O MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA

O MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA O MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA O MODELO SETORIAL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS AMBIENTES DE CONTRATAÇÃO: LIVRE (ACL) OU REGULADA (ACR) DESVERTICALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DO SETOR: GERADORES, TRANSMISSORES,

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais

Simpósio Brasileiro sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétrica. Comercialização 1/20. DCM Diretoria Comercial

Simpósio Brasileiro sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétrica. Comercialização 1/20. DCM Diretoria Comercial Legislação de Geração de Energia Elétrica Comercialização 1/20 AGENDA: 1. Geração de serviço público, produtores independentes e autoprodução de energia elétrica; 2. Incentivos para a autoprodução de energia

Leia mais

Fernando Cézar Maia. Conteúdo. Panorama do Setor de Distribuição de Energia Elétrica. Modelo até 1988/1995 Lei de Concessões

Fernando Cézar Maia. Conteúdo. Panorama do Setor de Distribuição de Energia Elétrica. Modelo até 1988/1995 Lei de Concessões Seminário COPEL Esclarece A Evolução dos modelos institucionais do Setor Elétrico Brasileiro Fernando Cézar Maia DIRETOR TÉCNICO-REGULATÓRIO DA ABRADEE Cascavel PR 21 de outubro de 2004 Conteúdo Panorama

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - DEZEMBRO/2017

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - DEZEMBRO/2017 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - DEZEMBRO/2017 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA: ASPECTOS FÍSICOS E REGULAMENTAÇÃO pág PROGRAMA DETALHADO DOS MÓDULOS

O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA: ASPECTOS FÍSICOS E REGULAMENTAÇÃO pág PROGRAMA DETALHADO DOS MÓDULOS pág. 1 PROGRAMA DETALHADO DOS MÓDULOS - 2017 Módulo 1 - INTRODUÇÃO AO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA. 1.1 Considerações iniciais sobre a indústria de energia elétrica. Características do produto. 1.2 Conceitos

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - FEVEREIRO/2018

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - FEVEREIRO/2018 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - FEVEREIRO/2018 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

Energia elétrica como elemento para o crescimento

Energia elétrica como elemento para o crescimento Energia elétrica como elemento para o crescimento Construindo uma agenda legislativa com foco em resultados Jorge Gerdau Johannpeter Presidente do Conselho de Administração Agenda Onde estamos? Conseqüências

Leia mais

Ricardo Lima 21 de Outubro de 2009

Ricardo Lima 21 de Outubro de 2009 Ricardo Lima 21 de Outubro de 2009 Agenda Quem somos Dificuldades Encargos Setoriais PDEE 2008-2017 Quem Somos Associação de grandes grupos industriais com objetivos comuns: Defesa da disponibilidade,

Leia mais

PARCERIA SEGURA E COM EXPERIÊNCIA

PARCERIA SEGURA E COM EXPERIÊNCIA PARCERIA SEGURA E COM EXPERIÊNCIA O GRUPO CPFL ENERGIA Grupo com mais de 100 anos de história Maior grupo privado do setor elétrico nacional Mais de 30 anos de relacionamento com o setor sucroenergético

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL FEVEREIRO/2019

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL FEVEREIRO/2019 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL FEVEREIRO/2019 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

MP735 Lei /2016. Reunião Plenária da ABRAGE

MP735 Lei /2016. Reunião Plenária da ABRAGE MP735 Lei 13.360/2016 Reunião Plenária da ABRAGE Brasília, 29 de novembro de 2016 Resumo da tramitação Pauta Síntese dos artigos Próximos passos Resumo da tramitação Pauta Síntese dos artigos Próximos

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº3.720, de 26 de dezembro de 2007.

Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº3.720, de 26 de dezembro de 2007. Procedimento de Comercialização DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE AUTOPRODUÇÃO E PRODUÇÃO INDEPENDENTE DE ENERGIA PARA APLICAÇÃO DAS TARIFAS DE USO DOS SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSMISSÃO Versão: 3 Início

Leia mais

Geração Distribuída 2004

Geração Distribuída 2004 Geração Distribuída 2004 International Worshop on Bioenergy Policies, Tecnologies and Financing AGENDA A - REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA B - NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL C - APRESENTAÇÃO DOS NOVOS DIRIGENTES

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - ABRIL/2018

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - ABRIL/2018 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - ABRIL/2018 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

Expectativas para as Tarifas de Energia no ACR 2018 e de outubro de 2018

Expectativas para as Tarifas de Energia no ACR 2018 e de outubro de 2018 Expectativas para as Tarifas de Energia no ACR 2018 e 2019 3 de outubro de 2018 Variação média das Tarifas em 2018 15,1% 9,5 pp 4,4 pp 2,7 pp Principais Efeitos Observações: Compra de Energia Mais do que

Leia mais

POSiCIONAMENTO DA COGERAÇÃO NO NOVO MARCO REGULATÓRIO

POSiCIONAMENTO DA COGERAÇÃO NO NOVO MARCO REGULATÓRIO POSiCIONAMENTO DA COGERAÇÃO NO NOVO MARCO REGULATÓRIO Professor Adilson de Oliveira ROTEIRO PRINCÍPIOS DO NOVO MODELO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS MERCADOS ELÉTRICOS PAPÉIS DESTINADOS AOS AGENTES NOVAS BARREIRAS

Leia mais

ANEXO I: EMENTA DA QUINTA PROVA DE CERTIFICAÇÃO ABRACEEL DE HABILITAÇÃO PARA EXERCÍCIO DE ATIVIDADE DE OPERADOR DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA (2016)

ANEXO I: EMENTA DA QUINTA PROVA DE CERTIFICAÇÃO ABRACEEL DE HABILITAÇÃO PARA EXERCÍCIO DE ATIVIDADE DE OPERADOR DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA (2016) ANEXO I: EMENTA DA QUINTA PROVA DE CERTIFICAÇÃO ABRACEEL DE HABILITAÇÃO PARA EXERCÍCIO DE ATIVIDADE DE OPERADOR DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA (2016) 1) Ambientes de Contratação de Energia (Peso 10) i.

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - JANEIRO/2018

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - JANEIRO/2018 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - JANEIRO/2018 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

Mercado cativo: vantagens e atratividade para venda de energia em leilões regulados Luiz Carlos Guimarães

Mercado cativo: vantagens e atratividade para venda de energia em leilões regulados Luiz Carlos Guimarães Mercado cativo: vantagens e atratividade para venda de energia em leilões regulados Luiz Carlos Guimarães PRESIDENTE DA ABRADEE Viabilidade de Investimentos em Fontes Alternativas Alternativas para a alocação

Leia mais

Papel da ITAIPU Binacional no Mercado Brasileiro

Papel da ITAIPU Binacional no Mercado Brasileiro Papel da ITAIPU Binacional no Mercado Brasileiro Joni Madruga Garcia Gerente da Divisão de Programação e Controle da Produção da Diretoria Técnica A ITAIPU Binacional MISSÃO gerar energia elétrica de qualidade,

Leia mais

Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil

Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil Não houve erro no repasse da Parcela A A portaria interministerial de 24/01/02 foi concebida para garantir, via tarifa, o repasse de encargos criados

Leia mais

Fontes Renováveis de Energia: viabilidade da criação de um fundo especial de fomento às energias eólica e solar

Fontes Renováveis de Energia: viabilidade da criação de um fundo especial de fomento às energias eólica e solar Comissão Especial Fontes Renováveis de Energia Fundo especial para financiar pesquisas e fomentar a produção de energia solar e eólica Fontes Renováveis de Energia: viabilidade da criação de um fundo especial

Leia mais

Resultados 1S13. Luiz Eduardo Sebastiani, CFO Vlademir Daleffe, CDO

Resultados 1S13. Luiz Eduardo Sebastiani, CFO Vlademir Daleffe, CDO Resultados 1S13 Luiz Eduardo Sebastiani, CFO Vlademir Daleffe, CDO 16 de agosto de 2013 Disclaimer Eventuais declarações que possam ser feitas durante essa teleconferência, relativas às perspectivas de

Leia mais

Legislação LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A INVESTIMENTOS EM PCH S. Leis:

Legislação LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A INVESTIMENTOS EM PCH S. Leis: A Legislação brasileira que trata dos investimentos em PCH's diz respeito à organização do setor elétrico, à constituição dos órgãos governamentais correlacionados e seus regulamentos, às políticas de

Leia mais

Encontro Sobre Políticas Estratégicas para Sistemas Elétricos Isolados na Amazônia no Novo Ambiente Institucional

Encontro Sobre Políticas Estratégicas para Sistemas Elétricos Isolados na Amazônia no Novo Ambiente Institucional AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL RIO 02 World Climate & Energy Event Encontro Sobre Políticas Estratégicas para Sistemas Elétricos Isolados na Amazônia no Novo Ambiente Institucional

Leia mais

Utilização da energia solar na atividade agropecuária

Utilização da energia solar na atividade agropecuária Utilização da energia solar na atividade agropecuária Me. Luis Fernando Miyazaki Namba¹ Engenheiro Eletricista pelo Instituto Federal de Goiás, Engenheiro de Segurança do Trabalho pela Faculdade Araguaia

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - AGOSTO/2017

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - AGOSTO/2017 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - AGOSTO/2017 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

IMPLICAÇÕES DO NOVO MODELO SOBRE ESTRUTURA TARIFÁRIA. Alessandro de Lima Castro

IMPLICAÇÕES DO NOVO MODELO SOBRE ESTRUTURA TARIFÁRIA. Alessandro de Lima Castro IMPLICAÇÕES DO NOVO MODELO SOBRE ESTRUTURA TARIFÁRIA Alessandro de Lima Castro Abril de 2005 ESTRUTURA TARIFÁRIA VIGENTE TARIFA DE FORNECIMENTO TARIFA DE USO PARCELA FIO PARCELA ENCARGO TARIFA ENERGIA

Leia mais

Solange David. Vice-presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)

Solange David. Vice-presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) Solange David Vice-presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e desafios

Leia mais

ANEXO I: EMENTA DA OITAVA PROVA DE CERTIFICAÇÃO ABRACEEL DE HABILITAÇÃO PARA EXERCÍCIO DE ATIVIDADE DE OPERADOR DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA (2019)

ANEXO I: EMENTA DA OITAVA PROVA DE CERTIFICAÇÃO ABRACEEL DE HABILITAÇÃO PARA EXERCÍCIO DE ATIVIDADE DE OPERADOR DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA (2019) ANEXO I: EMENTA DA OITAVA PROVA DE CERTIFICAÇÃO ABRACEEL DE HABILITAÇÃO PARA EXERCÍCIO DE ATIVIDADE DE OPERADOR DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA (2019) 1) Ambientes de Contratação de Energia (Peso 17) i.

Leia mais

Sistemáticas dos Leilões

Sistemáticas dos Leilões VIII Conferência Anual da RELOP Sistemáticas dos Leilões José Jurhosa Junior Diretor São Tomé 2 de setembro de 2015 Contexto atual Geração Aumento de 44% da capacidade instalada nos últimos 10 anos. Uma

Leia mais

Energia faturada por classe de consumidores (em GWh) 1 Perfil

Energia faturada por classe de consumidores (em GWh) 1 Perfil 1 Perfil A Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo S.A. ( Companhia ) é uma companhia de capital aberto com ações listadas na BMF&Bovespa, autorizada a operar como concessionária de Serviço

Leia mais

Legislação LEGISLAÇÃO APLICÁVEL À COMPRA DE ENERGIA DE PCH S. Leis: Decretos:

Legislação LEGISLAÇÃO APLICÁVEL À COMPRA DE ENERGIA DE PCH S. Leis: Decretos: Legislação A Legislação brasileira que trata da compra de energia de PCH's não é específica, tratando simultaneamente de tantos outros assuntos. Assim, é necessário identificar os artigos e parágrafos

Leia mais

A INSERÇÃO DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DE FONTE EÓLICA E DE PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS NO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO:

A INSERÇÃO DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DE FONTE EÓLICA E DE PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS NO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO: A INSERÇÃO DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DE FONTE EÓLICA E DE PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS NO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO: QUESTÕES REGULATÓRIAS José Renato Pontes, Candeias Energia S.A. Gisele

Leia mais

POLÍTICA DE REGULAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Regulação das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE REGULAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Regulação das Empresas Eletrobras Política de Regulação das Empresas Eletrobras Versão 1.0 08/12/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceitos... 3 3. Princípios... 3 4. Diretrizes... 4 5. Responsabilidades... 5 6. Disposições Gerais...

Leia mais

Perspectivas para as Tarifas de Energia no ACR em 2019

Perspectivas para as Tarifas de Energia no ACR em 2019 Perspectivas para as Tarifas de Energia no ACR em 2019 Aumento da Cota CDE-Uso em 2019 Apesar de o orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para 2019 ter sido aprovado pela Aneel no mesmo

Leia mais

Setor Elétrico Brasileiro

Setor Elétrico Brasileiro Setor Elétrico Brasileiro Desafios do SEB Oportunidades para PCHs e CGHs Judicialização do Setor Principal motivo: Generation Scaling Factor (GSF) = Volume de Energia efetivamente Gerado pelo MRE / Garantia

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3º trimestre de 2008

Teleconferência de Resultados 3º trimestre de 2008 Teleconferência de Resultados 3º trimestre de 2008 Destaques 3T08 MERCADO Crescimento do consumo na área de concessão de 3,3% no trimestre Redução de 0,30 p.p nas perdas não-técnicas de energia no ano

Leia mais

XVII Simpósio Jurídico ABCE Tributos e Encargos do Setor Elétrico

XVII Simpósio Jurídico ABCE Tributos e Encargos do Setor Elétrico XVII Simpósio Jurídico ABCE Tributos e Encargos do Setor Elétrico São Paulo, 20.09.2011 CONFIDENCIAL 0 0 Agenda Introdução Carga Tributária do Setor Elétrico Encargos Setoriais Críticas e Desafios Tarifas

Leia mais

Companhia Paranaense de Energia - COPEL

Companhia Paranaense de Energia - COPEL Companhia Paranaense de Energia - COPEL WILSON KOPRIK Área de Tarifas Cascavel, 21/10/2004 ESTRUTURA TARIFÁRIA REAJUSTE E REVISÃO TARIFÁRIA DESCONTOS CONCEDIDOS PELA COPEL REALINHAMENTO E REPOSICIONAMENTO

Leia mais

Procedimentos Operacionais para previsão de carga e planejamento da operação dos Sistemas Isolados

Procedimentos Operacionais para previsão de carga e planejamento da operação dos Sistemas Isolados previsão de carga e planejamento da operação dos Sistemas Isolados Endereço na Internet: http://www.ons.org.br 1 OBJETIVOS...3 2 DEFINIÇÕES...3 3 PRODUTOS...3 4 RESPONSABILIDADES...4 4.1 OPERADOR NACIONAL

Leia mais

Gestão da Comercialização na CEMIG. Bernardo Afonso Salomão de Alvarenga Diretor Comercial

Gestão da Comercialização na CEMIG. Bernardo Afonso Salomão de Alvarenga Diretor Comercial Gestão da Comercialização na CEMIG Bernardo Afonso Salomão de Alvarenga Diretor Comercial Situação atual da CEMIG no mercado de energia elétrica Recursos Próprios: Cemig GT Sá Carvalho Rosal Horizontes

Leia mais

Eletrificação de Reservas Extrativistas com Sistemas Fotovoltaicos em Xapuri - Acre

Eletrificação de Reservas Extrativistas com Sistemas Fotovoltaicos em Xapuri - Acre ENCONTRO DE TRABALHO LUZ PARA TODOS NA REGIÃO NORTE 27/28 de maio 2007 Eletrificação de Reservas Extrativistas com Sistemas Fotovoltaicos em Xapuri - Acre Ações para Disseminação de Fontes Renováveis de

Leia mais

APC entrevista Vlademir Daleffe, diretor da Copel Distribuição

APC entrevista Vlademir Daleffe, diretor da Copel Distribuição APC entrevista Vlademir Daleffe, diretor da Copel Distribuição Na foto, Jorge Schorr, Mara Ferreira, Vlademir Santo Daleffe, Clecio Fabricio da Silva e Edgar Krolow Foi realizado, nos dias 22 e 23 de agosto,

Leia mais

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Energy Expo Fórum. Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Energy Expo Fórum. Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA Energy Expo Fórum Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre Uma Empresa Forte em Energia 24 Usinas em Operação e 5 em Construção R$ 1,4 bilhão de investimentos

Leia mais

MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1

MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1 MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1 2 MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA SUMÁRIO 1. Organização 2. Como está estruturado o mercado de energia elétrica? 3. Quais são as

Leia mais

Excelência Energética

Excelência Energética 27 A 30 DE ABRIL DE ACONTECEU TERMELÉTRICAS EM DESTAQUE NO LEILÃO A-5 Realizado no último dia 30, o Leilão A-5 contratou 1.146,6 MW médios, a um preço médio de venda de R$ 259,19/MWh. No certame, foi contratada

Leia mais

O Papel da ANEEL no Abastecimento de Energia Elétrica

O Papel da ANEEL no Abastecimento de Energia Elétrica ABINEE TEC 2003 O Papel da ANEEL no Abastecimento de Energia Elétrica 7 de outubro de 2003 São Paulo SP José Mário Miranda Abdo Diretor Geral O papel da ANEEL no abastecimento de energia elétrica Papéis

Leia mais

Além das grandes hidrelétricas - Políticas para fontes renováveis de energia elétrica. 6ª Reunião do FMASE WWF -UFABC UNICAMP IEI-LA

Além das grandes hidrelétricas - Políticas para fontes renováveis de energia elétrica. 6ª Reunião do FMASE WWF -UFABC UNICAMP IEI-LA Além das grandes hidrelétricas - Políticas para fontes renováveis de energia elétrica no Brasil 6ª Reunião do FMASE WWF -UFABC UNICAMP IEI-LA Subsídios no Brasil: CCC Sistema isolado Ano Valor provido

Leia mais

PALESTRA INAUGURAL DO CURSO DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS DA ANEEL/2006. Jerson Kelman Diretor-Geral

PALESTRA INAUGURAL DO CURSO DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS DA ANEEL/2006. Jerson Kelman Diretor-Geral PALESTRA INAUGURAL DO CURSO DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS DA ANEEL/2006 Jerson Kelman Diretor-Geral Centro ESAF 16 de novembro de 2006 O que o investidor pede em função da percepção de risco Razão para

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - AGOSTO/2018

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - AGOSTO/2018 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - AGOSTO/2018 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

(www.aneel.gov.br), no menu de Informações Técnicas, sob o nome de 'contratos de concessão'.

(www.aneel.gov.br), no menu de Informações Técnicas, sob o nome de 'contratos de concessão'. Quem é a CELG? A distribuidora Companhia Energética de Goiás (CELG), criada em agosto de 1955, atende a quase dois milhões de unidades consumidoras em uma área de concessão que engloba 234 municípios do

Leia mais

1. SUMÁRIO EXECUTIVO R$ 388,48/MWh R$ 121/MWh 369,23/MWh R$ 123 milhões R$ 536 milhões R$ 2,532 bilhões

1. SUMÁRIO EXECUTIVO R$ 388,48/MWh R$ 121/MWh 369,23/MWh R$ 123 milhões R$ 536 milhões R$ 2,532 bilhões O InfoMercado mensal apresenta os dados prévios da medição de junho/15 e os principais resultados da contabilização das operações do mercado de energia elétrica em maio/15. O boletim traz ainda um relatório

Leia mais

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 www.cceorg.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e

Leia mais

GERAÇÃO A Copel opera 27 usinas próprias, sendo 18 hidrelétricas, uma termelétrica e 8 eólicas

GERAÇÃO A Copel opera 27 usinas próprias, sendo 18 hidrelétricas, uma termelétrica e 8 eólicas GERAÇÃO A Copel opera 27 usinas próprias, sendo 18 hidrelétricas, uma termelétrica e 8 eólicas TRANSMISSÃO O sistema de transmissão de energia é responsável pela operação e manutenção de 32 subestações

Leia mais

VITORIA ES (26/11/2015)

VITORIA ES (26/11/2015) JUDICIALIZAÇÃO DO SETOR ELÉTRICO AMEAÇAS E IMPACTOS PARA O CONSUMIDOR CATIVO VITORIA ES (26/11/2015) A EVOLUÇÃO DO SETOR ELÉTRICO Pesquisadores dividem o Setor Elétrico em cinco (05) períodos. Primeiro

Leia mais

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - OUTUBRO/2017

SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - OUTUBRO/2017 SÍNTESE DA APURAÇÃO MENSAL - OUTUBRO/2017 Escritório Central Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova CEP 20211-160 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: 21 3444 9000 Fax: 21.3444 9444 2013 / ONS Todos os direitos

Leia mais

Visão Geral do Novo Modelo e Mudanças Institucionais

Visão Geral do Novo Modelo e Mudanças Institucionais ENCONTRO TÉCNICO SOBRE ENERGIA ELÉTRICA Visão Geral do Novo Modelo e Mudanças Institucionais João Carlos Mello Abril 2005 Visão Geral do Novo Modelo 1996-1997 O Projeto RE-SEB O contexto da situação regulatória

Leia mais

ABINEE TEC SUL. Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos. Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia.

ABINEE TEC SUL. Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos. Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia. ABINEE TEC SUL Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia Porto Alegre, 18 e 19 de agosto de 2004 MATRIZ ENERGÉTICA Consumo de Energia

Leia mais

Instituto Acende Brasil Estudo sobre a Carga Tributária & Encargos do setor elétrico brasileiro

Instituto Acende Brasil Estudo sobre a Carga Tributária & Encargos do setor elétrico brasileiro www.pwc.com Instituto Acende Brasil Estudo sobre a Carga Tributária & Encargos do setor elétrico brasileiro Período-base: 2016 e 2017 Novembro 2018 Sétima Atualização Sumário Item Descrição Página - Sumário

Leia mais

FORMAÇÃO DA TARIFA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA CATIVO E LIVRE

FORMAÇÃO DA TARIFA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA CATIVO E LIVRE 07/04/10 FORMAÇÃO DA TARIFA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA CATIVO E LIVRE Mercados de Contratação de Energia Geração (ambiente competitivo) Preços resultantes de licitações Preços livremente negociados ou

Leia mais

Maio / CCEE Papéis e Responsabilidades

Maio / CCEE Papéis e Responsabilidades Maio / 2005 CCEE Papéis e Responsabilidades Sistema Elétrico Brasileiro (Interligado) Dimensões Continentais Sofisticado Sistema de Supervisão e Controle Integrado Capacidade Instalada (dez/03) Hidráulica:

Leia mais

Abordagem regulatória: Panorama regulatório e legislativo para o setor de geração hidrelétrica

Abordagem regulatória: Panorama regulatório e legislativo para o setor de geração hidrelétrica Abordagem regulatória: Panorama regulatório e legislativo para o setor de geração hidrelétrica Seminário Socioambiental Hidrelétrico Thiago Bao Ribeiro Subsídio de TUSD e TUSD para PCHs CGH Lei 9.427/96

Leia mais

3 º Encontro dos Conselhos de Consumidores. Copel Distribuição S.A.

3 º Encontro dos Conselhos de Consumidores. Copel Distribuição S.A. 2014 3 º Encontro dos Conselhos de Consumidores Copel Distribuição S.A. Agenda 1. Contextualização Estrutura da Copel Sistema Elétrico Composição Tarifária 2. Entenda a atual crise no setor elétrico Base

Leia mais

Conacen. Associação Nacional de Conselhos de Consumidores

Conacen. Associação Nacional de Conselhos de Consumidores Conacen Associação Nacional de Conselhos de Consumidores Em defesa dos consumidores cativos Ações do CONACEN em 2017 e Propostas de Atividades para os Conselhos de Consumidores Novembro de 2017 XIX Encontro

Leia mais

SUBSÍDIOS NAS TARIFAS DE ENERGIA: ATÉ QUANDO?

SUBSÍDIOS NAS TARIFAS DE ENERGIA: ATÉ QUANDO? WORKSHOP DE INFRAESTRUTURA ENERGIA SUBSÍDIOS NAS TARIFAS DE ENERGIA: ATÉ QUANDO? Érico Henrique Garcia de Brito Diretor da Excelência Energética Consultoria Empresarial Ltda. São Paulo, 10 de abril de

Leia mais

Governo, Concessionária e Consumidor: visões e preocupações regulatórias Camila Schoti Coordenadora Técnica 07/04/2015

Governo, Concessionária e Consumidor: visões e preocupações regulatórias Camila Schoti Coordenadora Técnica 07/04/2015 II Encontro Brasileiro de Regulação do Setor Elétrico Governo, Concessionária e Consumidor: visões e preocupações regulatórias Camila Schoti Coordenadora Técnica 07/04/2015 TWh Quem somos Fundada em agosto

Leia mais

Perfil Energia gerada

Perfil Energia gerada 1. Perfil A AES Tietê, uma das geradoras do grupo AES Brasil, é uma Companhia de capital aberto com ações listadas na BM&FBovespa e está autorizada a operar como concessionária de uso do bem público, na

Leia mais

Negociações com energia: o modelo mercantil do setor elétrico

Negociações com energia: o modelo mercantil do setor elétrico Negociações com energia: o modelo mercantil do setor elétrico José Antonio Sorge Ludo Energia Tópicos O atual modelo mercantil e de negócios com energia Discussão dos problemas atuais com o modelo e com

Leia mais