RESUMOS EXPANDIDOS E PROGRAMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESUMOS EXPANDIDOS E PROGRAMA"

Transcrição

1 A-PDF Merger DEMO : Purchase from to remove the watermark Seminário Nacional sobre o Tratamento de Áreas de Preservação Permanente em Meio Urbano e Restrições Ambientais ao Parcelamento do Solo 4 a 7 de setembro de 2007 RESUMOS EXPANDIDOS E PROGRAMA FAUUSP

2 Ficha técnica: Capa: Fernando Mendes de Castro Programação visual do Seminário: Luciana Ferrara Organização da publicação: Laura Machado de Mello Bueno e Maria Lucia Reffinetti Martins. Dados de catalogação da publicação: Se52 Seminário Nacional Sobre o Tratamento de Áreas de Preservação Permanente em Meio Urbano e Restrições Ambientais ao Parcelamento do Solo (2007 : São Paulo) Resumos expandidos e programa do seminário nacional sobre o tratamento de áreas de preservação permanente em meio urbano e restrições ambientais ao parcelamento do solo São Paulo : FAUUSP, p. 1.Meio ambiente urbano (Preservação) (Brasil) 2. Gestão ambiental (Aspectos urbanísticos (Brasil) 3. Uso do Solo (Aspectos ambientais) 4. Legislação urbana (Brasil) I.Título CDD Serviço de Biblioteca e Informação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP

3 Instituições Promotoras: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional - ANPUR, Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente - ANAMMA, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo FAUUSP,Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da PUC Campinas, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da UFRJ - IPPUR/UFRJ, Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFMG, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFRN. Comissão Organizadora: Maria Lucia Refinetti Martins (FAUUSP), Laura Machado de Mello Bueno (PUC-Campinas), Ana Fernandes / Edna Castro (ANPUR), Sebastião Ney Vaz (ANAMMA). Comissão Científica: Adauto Cardoso - IPPUR/UFRJ, Alina Gonçalves Santiago - UFSC, Ana Cláudia Duarte Cardoso UFPA, Cláudio de Mauro - UNESP Rio Claro, Dulce Bentes - UFRN, Heloisa Soares de Moura Costa - IGC/UFMG, Laura Machado de Mello Bueno - PUC-Campinas, Luís Renato Bezerra Pequeno - UFC, Luiz Antonio Nigro Falcoski - PPGEU-UFSCar, Maria Amélia D. F. D Azevedo Leite - PUC Campinas, Jorge Hajime Oseki FAUUSP, Maria Lucia Refinetti Martins - FAUUSP, Ricardo de Souza Moretti - UFABC, Sandra Momm Schult - FURB SC, Sandra Soares de Mello - FAU/ UNB, Sueli Correa de Faria - UCB, Vera Tângari - ProArq/FAUUFRJ. Comissão Executiva: Maria Amélia D. F. D Azevedo Leite e João Luís Minniceli (PUC Campinas), Luciana Nicolau Ferrara, Renata Paula Lucas, Fernando Mendes de Castro e Mariana Augusto dos Santos (LABHAB - FAUUSP) Luiz Antonio Nigro Falcoski (PPGEU-UFSCar / ANAMMA), Francisco Comaru e Ricardo de Souza Moretti (UFABC Visitas técnicas). Apoio Cultural: Portal VITRUVIUS, Editora PINI. Apoio operacional: Setor de Eventos da FAUUSP, Fundação para a Pesquisa Ambiental - FUPAM, Sistema Gestor de Encontros e Congressos Científicos - SISGEENCO, WR São Paulo Feiras e Congressos. Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Ministério do Meio Ambiente; Ministério das Cidades; Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André Semasa. Patrocínio: Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de SP - CDHU, SPontes Construtora Ltda.

4 SUMÁRIO Tema do seminário página 1 Programação geral página 5 Programação diária dos grupos de trabalho: Dia 04/08 página 7 Dia 05/08 página 12 Dia 06/08 página 16 Resumos expandidos (por ordem alfabética dos títulos): GT1 - Apresentação Oral página 23 GT1 - Apresentação Pôster página 123 GT2 - Apresentação Oral página 140 GT2 - Apresentação Pôster página 189 GT3 - Apresentação Oral página 206 GT3 - Apresentação Pôster página 309 setembro 2007

5 O TEMA DO SEMINÁRIO APPURBANA 2007 O Código Florestal, Lei Federal n de 1965, estabelece padrão de proteção às florestas e ao meio ambiente de um modo geral, incluindo aspectos como proteção de nascentes e corpos d água e áreas particularmente frágeis como mangues e restingas, designadas então como Áreas de Proteção Permanente - APPs. Em 1986 a Lei Federal n.7511 ampliou a faixa de proteção ao longo dos cursos d água com menos de 10 m de largura, de 5m para 30m. Em 1989 a Lei Federal n determinou a aplicação do Código Florestal também às cidades, ao acrescentar ao art. 2º, o Parágrafo único: No caso de áreas urbanas, assim entendidas as compreendidas nos perímetros urbanos definidos por lei municipal, e nas regiões metropolitanas e aglomerações urbanas, em todo o território abrangido, observar-se-á o disposto nos respectivos planos diretores e leis de uso do solo, respeitados os princípios e limites a que se refere este artigo. A partir da M.P /2001 a definição de APP passou à seguinte definição: área protegida nos termos dos artigos 2º e 3º dessa lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas (artigo 1º 2º da Lei n.4.771/65 modificada pela M.P /2001). O parcelamento do solo no país é regido pela Lei Federal nº 6766 de 1979, que estabeleceu a exigência de faixa non aedificandi de 15 metros ao lado dos corpos d água, sem exigência de área verde. Com isso, desde 1989, ficaram aplicáveis simultaneamente duas leis federais com disposições diversas (largura e uso do solo) sobre a mesma matéria: faixa de área non edificandi junto aos corpos d água. Essa situação, se tornou ainda mais conflitante após 2001 dada a aplicação do disposto às APPs em áreas cobertas ou não por vegetação nativa o que pode significar áreas já ocupadas por assentamento urbano. Nesse longo período ocorreu um dos mais impressionantes processos de urbanização no Brasil, sem que fossem implementados sistemas de infraestrutura inclusive o saneamento - no mesmo ritmo de crescimento da área urbana. Houve intensa urbanização baseada no ônibus e no automóvel, que induziu a canalização de córregos e a construção de avenidas de fundo de vale. Notadamente, ocorreu a transformação das capitais em áreas metropolitanas nas quais a urbanização para habitação popular deu-se em grande parte fora da legislação urbanística e ocorreu grande crescimento de assentamentos irregulares- favelas, mocambos, invasões, comunidades - geralmente em terras públicas e junto a córregos. Esse processo gerou diversos problemas socioambientais que colocam em risco a vida humana - enchentes periódicas, ilhas de calor, inversão térmica e, de maneira geral, a contaminação de toda a rede hídrica. Os cursos d água em áreas urbanas sofrem grande poluição por esgotos domésticos, sendo que nas grandes cidades, a contaminação resultante ultrapassa em muito o perímetro urbano, comprometendo áreas agrícolas e de interesse para a conservação da biodiversidade. A partir dos anos 1990 a política habitacional de interesse social, nos diversos níveis governamentais, passou a reconhecer os assentamentos informais, implementar projetos de reurbanização e promover sua regularização fundiária. Os municípios, especialmente os mais estruturados, promoveram essas iniciativas, fortalecidos institucionalmente com seu reconhecimento constitucional como responsáveis pelo uso e ocupação do solo urbano. Essa nova diretriz de urbanização e regularização de interesse social foi apoiada por financiadores nacionais e internacionais, com a execução de obras de saneamento, estabilização geotécnica, reconstrução e reforma de residências, além das necessárias remoções de famílias em áreas de risco ou em locais de alta densidade. Houve grande desenvolvimento de tecnologias das áreas de engenharia civil, geotécnica, sanitária, arquitetura e urbanismo voltadas a essa problemática específica das nossas cidades, bem como pesquisas relacionadas à avaliação dos resultados destas ações. Em paralelo ao fortalecimento das normas ambientais, o Brasil passa mais recentemente pelo fortalecimento de normas para planejamento e da gestão territorial: a Lei Lehmann, o Estatuto da Cidade - lei federal de 2001, os Planos de Bacia Hidrográfica, os Planos Diretores Municipais e, recentemente, a retomada de investimentos públicos em saneamento e habitação. O Estatuto da Cidade criou e referendou novos instrumentos administrativos e jurídicos para essa política. Mas aquela contradição - 1

6 2 duas leis federais tratando de forma diversa trechos da área urbana - não foi considerada. Assim muitas tensões entre os procedimentos do setor habitacional e os dos setores ligados ao meio ambiente começaram a surgir. Há dificuldades de finalização de processos de regularização quando há áreas de preservação permanente dentro do perímetro dos projetos habitacionais, ou quando os órgãos financiadores tratam como novos empreendimentos as obras de urbanização de assentamentos préexistentes e exigem licenciamento urbanístico e ambiental. Em 2001 a Medida Provisória n (referente ao Código Florestal) ao estender o caráter de área de preservação permanente àquelas cobertas ou não por vegetação nativa, atribuiu ao Conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA - enquadrar por resolução obras, planos, atividades ou projetos como aceitáveis excepcionalmente nessas áreas, por se tratarem de casos de utilidade pública e interesse social. O CONAMA criou em 2002 um Grupo de Trabalho para consolidação das propostas sobre APP s na Câmara Técnica de Gestão Territorial e Biomas, que mobilizou diversas instituições de pesquisa, governamentais ou não, e trilhou um árduo caminho para elaborar a Resolução n o. 369, em 2006, sobre APP s em área urbana consolidada. O tema tem sido discutido em diversos eventos. No Congresso Internacional sobre Planejamento e Gestão Ambiental (realizado pela Universidade Católica de Brasília em 2005 em Brasília), foram apresentados 20 trabalhos diretamente relacionados à APPs e a questão urbana, entre os 250 totais, demonstrando a enorme demanda por essa discussão. O I Seminário Nacional sobre Regeneração das Cidades, organizado pela FAU UFRJ, ABAP e outros parceiros em 2005, teve como tema Águas Urbanas, e congregou do total de 65 trabalhos 27 diretamente relacionados a intervenções em fundos de vale urbanos. Nos últimos congressos da ABES e da ABRH foram também apresentados diversos trabalhos. Foi realizada uma sessão livre e mais de dez trabalhos foram apresentados no XII Encontro Nacional da ANPUR de 2007 e, no encontro anterior, em 2005 já havia sido realizada mesa redonda sobre o tema. Nos dois últimos encontros da ANAMMA foram organizados Grupos de trabalho, mesa redonda e exposição sobre intervenções em APP s. Diversas audiências públicas foram promovidas pelo CONAMA, nas várias regiões do país, assim como o Seminário Nacional Restauração de APP s, no auditório do Senado Federal, em julho de O MMA propôs a criação de grupo de trabalho específico sobre o tema. Em relação à revisão da Lei 6766/79 (PL 3050/00 e atualmente PL 20/ 07) foi criado no Congresso Comissão Especial envolvendo as Comissões de Política Urbana, Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Constituição e Justiça. O projeto de lei em discussão tem capítulo específico sobre regularização, diferenciando a do licenciamento de um novo parcelamento do solo urbano. Há grandes mudanças e aprimoramentos da legislação brasileira desde a Constituição de 1988 até hoje, envolvendo o desenvolvimento urbano, o saneamento, a saúde e meio ambiente. A Emenda Constitucional 26/00 incluiu a Moradia entre os direitos sociais. Destaque-se que no tratamento das faixas marginais aos cursos d água e no enfrentamento do passivo socioambiental no meio urbano foram verificados diferentes encaminhamentos no âmbito da legislação ambiental de caráter estadual. No nível municipal, foram elaborados mais de mil e quinhentos planos diretores nas principais cidades brasileiras, com diretrizes e propostas para as suas faixas ao longo de rios e córregos no meio urbano e rural. Esse quadro de debates intersetoriais evidencia o nível de interesse do tema bem como a falta de conhecimentos consolidados. No intuito de fomentar o diálogo entre os diferentes posicionamentos frente à questão, o Seminário reúne pesquisadores e profissionais de diversas áreas do conhecimento, que em seu trabalho convivem com a tensão entre a habitação de interesse social e as condições ambientais, buscando a integração entre a função social da propriedade e o direito a um ambiente sadio e seguro. O seminário tem por objetivo principal promover um debate, em bases científicas, sobre os limites entre urbanização e preservação ambiental, especialmente nos casos de áreas de preservação permanente em assentamentos urbanos. Com vistas à troca de experiências acadêmicas e práticas, o evento divulga o conhecimento produzido sobre o tema, servindo de subsídio para a formação de quadros que atuem em elaboração de políticas públicas que aproximem as questões urbana e ambiental.

7 Além desse objetivo, são objetivos específicos do seminário: - Promover a avaliação dos estudos sobre ocupação humana em áreas classificadas como de preservação permanente no Código Florestal Brasileiro, destacando-se a avaliação dos resultados de aplicação da legislação, conforme aprimoramentos do governo federal, dos estados e municípios; - Discutir o efetivo papel ambiental das APP s, em sua abordagem biológica, geológica e hídrica, inclusive apreendendo as origens dos parâmetros adotados pelo Código Florestal; - Discutir o papel dos fundos de vale urbanos na complementação dos sistemas de drenagem e de esgotos que gerem tanto o fim do risco sanitário, quanto a recuperação da vida aquática nos cursos d água urbanos; - Articular o tema da preservação ambiental das margens dos corpos d água ao saneamento básico, particularmente quanto à solução para esgoto e drenagem; - Discutir o valor ambiental das margens de corpos d água em seu sentido paisagístico e de amenidade urbana; - Contribuir para o esclarecimento das funções sócio-ambientais das áreas de preservação permanente, sua utilização e conservação, caracterização da situação nas diferentes expressões das cidades (metrópoles, aglomerações urbanas, pequenas e médias cidades) e biomas brasileiros; - Divulgar intervenções contemporâneas em fundos de vale urbanos (brasileiras e estrangeiras) que procuram integrar resultados relacionados à recuperação ambiental e à qualidade vida; - Divulgar estudos científicos relacionados ao meio ambiente urbano; - Divulgar estudos e iniciativas de políticas públicas relacionadas; - Apresentar e discutir as diversas tipologias e situações de assentamentos humanos envolvendo áreas de preservação permanente nas bordas das áreas urbanizadas: áreas urbanas novas ou pretendidas e áreas periurbanas com propostas de novos usos - dos grandes condomínios à pequena produção rural e agroindustrial de baixo impacto, que representam a interface rural/urbana, fortemente vinculada às demandas urbanas; - Avaliar, em áreas de assentamento urbano consolidado, modalidades e procedimentos da regularização e da recuperação das áreas de preservação permanente. Apresentar e discutir conceitos, critérios e formas de avaliar o que deve ser recuperado e o que deve ser regularizado; - Discutir o modelo atual de expansão urbana, no qual não há alternativa habitacional para a grande maioria da população, e que não acessa financiamentos, projetos e suporte técnico. Avaliar a pressão do crescimento metropolitano face à necessidade de preservação de áreas e o crescente adensamento e verticalização de favelas nas áreas consolidadas; - Sistematizar propostas e subsídios para o aprimoramento da gestão das áreas de preservação permanente, dos dispositivos da legislação em vigor e da elaboração de projetos de urbanização ou regularização urbanística, com ênfase nas respostas e nos impactos positivos e negativos detectados pelos participantes; - Aprofundar o debate das legislações referentes ao meio urbano e ao meio ambiente que estão em processo de elaboração ou revisão, nos três níveis de governo: federal, estadual e municipal. O Seminário destaca elementos que permitem o debate social do tema, em condição de melhor conhecimento de causa, reconhecendo-se os diferentes posicionamentos, embora buscando um entendimento comum, sem o qual, os propósitos tanto urbanos e habitacionais quanto ambientais tendem a inviabilizar-se se reciprocamente. Na qualidade de Seminário Nacional focado no contexto social, ambiental, urbanístico e legal, o evento permite discutir o detalhamento das ações. Os resultados apresentados neste Caderno enfatizam a necessidade de tratamentos diferenciados para a imensa diversidade de situações, entre características dos biomas, do tamanho das cidades e da posição específica de cada local relativamente ao núcleo urbano, comparando-se os benefícios dos resultados das ações. O Seminário permite também discutir os termos da participação, em âmbito local, na consecução das Metas do Milênio, em especial o Objetivo 7 - Garantir a Sustentabilidade Ambiental - com suas três metas: - Integrar os princípios do desenvolvimento sustentável nas políticas e programas nacionais e reverter a perda de recursos ambientais; 3

8 4 - Reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso permanente e sustentável a água potável e esgotamento sanitário; - Até 2020, ter alcançado uma melhora significativa na vida de pelo menos 100 milhões de habitantes de assentamentos precários. Com o objetivo de abordar áreas de preservação permanente em assentamentos urbanos, o Seminário destaca a situação das faixas lindeiras aos corpos d água: margens de rios córregos, lagoas e represas, mas também aborda situações envolvendo dunas, mangues e restingas em meio urbano. O Seminário proposto deve inspirar os pesquisadores para os estudos dos resultados da nova legislação e das ações de urbanização, recuperação e controle social. O evento espera consignar diversos resultados complementares e que não esgotam o tema, mas que são passos importantes. Apresenta um mapeamento de projetos e obras desenvolvidas de arquitetura, urbanismo, paisagismo e engenharia inovadores para fundos de vale com uso humano nas diversas condições de APPs urbanas no extenso território nacional. Propiciará ainda, importantes reflexões, com conclusões e diretrizes para a regulamentação e implementação de arranjos institucionais para ação de recuperação socioambiental nas cidades.

9 5 PROGRAMAÇÃO GERAL Dia 4 de setembro Dia 5 de setembro Dia 6 de setembro 09:00 às 10:00 Sessão de abertura 10:00 às 12:30 MESA REDONDA 1: A questão ambiental e os assentamentos urbanos: perspectivas para o século XXI Cidade dispersa ou cidade compacta? Flávio Villaça - Univ. de São Paulo Debatedores: Celso Santos Carvalho - Ministério das Cidades Marussia Whately - Instituto Socioambiental 09:00 às 12:30 MESA REDONDA 2: Preservação ambiental em meio urbano 1. O impacto do modelo de expansão urbana em direção as áreas florestadas e rurais Ana Luiza Coelho Neto - Univ. Federal do Rio de Janeiro 2. Aspectos políticos e sociais da gestão ambiental brasileira Antonio Carlos Robert de Moraes - Univ. de São Paulo 3. História ambiental e o papel da vegetação no meio urbano Rogério Ribeiro de Oliveira - Pontifícia Univ. Católica do Rio de Janeiro 4. As especificidades das cidades médias e pequenas no tratamento da questão ambiental urbana Raquel Rolnik - Pontifícia Univ. Católica de Campinas 09:00 às 12:30 MESA REDONDA 3: Paradigmas e práticas profissionais aplicados às faixas marginais aos corpos d'água urbanos em áreas consolidadas e áreas de expansão 1. Novas concepções de infra-estrutura nos projetos urbanos e de obras públicas de saneamento Luiz Fernando Orsini Yazaki - Consultor, POLI-USP 2. Corpos d água na paisagem urbana Eduardo Barra - Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas 3. Gestão ambiental urbana Cynthia de Souza Cardoso - Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Belo Horizonte 4. Questões de arquitetura e urbanismo - padrão urbano e qualidade ambiental Juan Mascaró - Univ. Federal do Rio Grande do Sul Debatedor: Fábio Feldmann - Secretário Executivo do Fórum Paulista de Mudanças Climáticas e Biodiversidade 14:00 às 18:00 GRUPOS DE TRABALHO GT1 Projetos e ações GT2 Avaliação de resultados de projetos e instrumentos de monitoramento e gestão do espaço GT3 Institucionalização de ações, articulações e complementaridade Seminário Debatedor: José Carlos de Freitas - Ministério Público Estado de São Paulo 18:30 às 20:00 CONFERÊNCIA 1 Recursos hídricos e manejo das águas pluviais: novas políticas Carlos E. M. Tucci - Univ. Federal do Rio Grande do Sul 18:30 às 20:00 CONFERÊNCIA 2 Política urbana e política ambiental: para quem? Erminia Maricato - Univ. de São Paulo 18:30 às 20:00 MESA DE ENCERRAMENTO Síntese das discussões nos GT s - Comissão Organizadora

10 6 20:00 às 21:00 Mostra ANAMMA e coquetel 20:00 às 21:00 Lançamento de livros Dia 7 de setembro 8:30 às 12:30 VISITA TÉCNICA Núcleo Habitacional Sacadura Cabra, junto ao ribeirão dos Meninos; Praça Maria Quitéria Área de lazer e praças executadas em mutirão com drenagem não convencional e Piscinão Santa Terezinha, localizado na várzea do Rio Tamanduateí PROGRAMAÇÃO DIÁRIA DOS GRUPOS DE TRABALHO dia 04 dia 05 dia 06 GT1 PROJETOS E AÇÕES Sala 1 Águas, Rios Urbanos, Orla Coordenação: Alina Gonçalves Santiago Águas, Rios Urbanos, Orla Coordenação: Maria Amélia D.F.D Azevedo Leite Requalificação Coordenação: Sandra Momm Schult Sala 2 Habitação Coordenação: Dulce Bentes Habitação Coordenação: Ricardo de Souza Moretti Habitação Coordenação: Dulce Bentes Sala 3 Requalificação Coordenação: Sandra Momm Schult Sala 3 GT2 AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DE PROJETOS E INSTRUMENTOS DE MONITORAMENTO E GESTÃO DO ESPAÇO Intervenções em Assentamentos Humanos Precários e Outras Áreas Urbanas Coordenação: Sandra Soares de Mello Unidades de Conservação e Sistemas de Áreas Verdes Urbanas e Periurbanas Coordenação: Vera Tângari Sala 4 Metodologias de Avaliação Coordenação: Laura Machado de Mello Bueno Metodologias de Avaliação Coordenação: Celso Santos Carvalho Estudos de Processos de Ocupação Humana por Microbacia Coordenação: Laura Machado de Mello Bueno GT3 INSTITUCIONALIZAÇÃO DE AÇÕES, ARTICULAÇÕES E COMPLEMENTARIDADE Sala 5 Urbanização e Meio Ambiente: Questões e Tensões Coordenação: Heloisa soares de Moura Costa Urbanização e Meio Ambiente: Questões e Tensões Coordenação: Luiz Antonio Falcoski Urbanização e Meio Ambiente: Questões e Tensões Coordenação: Heloisa Soares de Moura Costa

11 7 Sala 6 dia 04 dia 05 dia 06 GT1 PROJETOS E AÇÕES APPs Urbanas: diversidade e formas de APPs Urbanas: diversidade e formas de APPs Urbanas: diversidade e formas de abordagem abordagem abordagem Coordenação: Maria Lucia Refinetti Coordenação: Maria Lucia Refinetti Coordenação: Sandra Soares de Mello Martins Martins Sala 7 Planejamento Municipal e APPs Coordenação: Adauto Lucio Cardoso Planejamento Municipal e APPs Coordenação: Adauto Lucio Cardoso Planejamento Municipal e APPs Coordenação: Ana Cláudia Cardoso dia04 GT1 PROJETOS E AÇÕES ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 1 ÁGUAS - RIOS URBANOS - ORLA COORDENAÇÃO Alina Gonçalves Santiago ID 144 Título e Autores A APP DE CURSOS D ÁGUA E O PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA ORLA DO RIO PARANAÍBA, ITUMBIARA - GO Maria Cecília Barbieri Gorski Pôster 21 Pôster A CASA, A ÁGUA E A PEDRA: UMA HISTÓRIA DA DIVISA DE DIADEMA E SÃO PAULO Jocemar Silveira, Gustavo Belic Cherubine CÓRREGO DO BANANAL: UMA ESTRATÉGIA PAISAGÍSTICA PARA UM PLANO DE BACIA URBANA. Paulo Pellegrino O ARROIO E O VALÃO - UMA APP, DIFERENTES SOLUÇÕES Leonardo Marques Hortencio, Júlio Celso B. Vargas, Tiago Holzmann da Silva O PAPEL DOS RIOS NA CIDADE CONTEMPORÂNEA: DIMENSÃO SOCIAL E ECOLÓGICA Patricia Mara Sanches QUESTÕES DE PROJETO EM FUNDOS DE VALE URBANOS: LIMITES DA ENGENHARIA HIDRÁULICA E SERVIÇOS AMBIENTAIS DAS VÁRZEAS Luciana Travassos, Marta Dora Grostein A ÁGUA NA PRODUÇÃO DA PAISAGEM RECRIADA: PAISAGENS ARQUITETÔNICAS NOS LIMITES E BORDAS DO RIO OOS E DO RIO GUADALUPE. João Francisco Noll ENTRE NOVAS E VELHAS OCUPAÇÕES, VELHAS E NOVAS SOCIALIZAÇÕES: PELAS MARGENS DO RIBEIRÃO, O PARQUE LINEAR SÃO JOÃO EM MAR DE ESPANHA/M.G. Fabio Jose Martins de Lima, Raquel von Randow Portes, Raquel Fernandes Rezende, Douglas Montes Barbosa, Denyse Pereira Neves Delgado

12 8 SALA 2 HABITAÇÃO COORDENAÇÃO Dulce Bentes ID Título e Autores AVALIAÇÃO PRÉVIA DE UM PARADIGMA URBANO EMERGENTE: ECOVILA CLAREANDO, PIRACAIA-SP Rodrigo Cesar Brogna DO RURAL AO URBANO: APPS E REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA Vicente Barcellos, Maria da Assunção Pereira Rodrigues, Marly Santos Silva Pôster 254 Pôster HABITAÇÃO E INTERVENÇÃO URBANA NA ZONA ESPECIAL DE INTERESSE SOCIAL DE KUBITSCHEK - GUARAPARI (ES) Kamila Carretta Zamborlini, Paulo Sérgio de Paula Vargas, Cristina Engel Alvarez INTERVENÇÃO FÍSICO-TERRITORIAL NA COMUNIDADE DO JACÓ, NATAL-RN. Carla Varela de Albuquerque Araújo, Cíntia Camila Liberalino, Ana Flávia Rocha de Almeida Braga, Maria Cristina de Morais, Rubenilson Brazão Teixeira INTERVENÇÃO URBANA E REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA PROPORCIONADORAS DE DIGNIDADE HUMANA E RECUPERAÇÃO AMBIENTAL Bernadete Bacellar do Carmo Mercier, Silvia de Castro Bacellar do Carmo NO ENCONTRO DO RIO COM O MAR, NASCE UMA NOVA MORADA: PROJETO DE INTERVENÇÃO URBANÍSTICA E AMBIENTAL PARA AS COMUNIDADES DE BRASÍLIA TEIMOSA E VIETNÃ, NATAL/RN. Maria Cristina de Morais, Luana Marques Ferreira, Rosanna Maria Soares Diniz Gomes, Heliana Lima de Carvalho O PAPEL DAS PRAÇAS NA DRENAGEM URBANA DO MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO - RS Evanisa F. R. Q Melo, Simone Fiori, Branca M. Aimi Severo, Sibele Fiori, Vera M. Cartana Fernandes REQUALIFICAÇÃO DE ASSENTAMENTOS URBANOS E QUESTÕES DE SUSTENTABILIDADE: SANEAMENTO AMBIENTAL DA BACIA DO GUARAPIRANGA, SÃO PAULO Regina Maria Valletta SALA 3 REQUALIFICAÇÃO, RECUPERAÇÃO, PLANOS/PROJETOS (URBANO AMBIENTAL) COORDENAÇÃO Sandra Momm Schult ID 105 Titulo e Autores CIDADE, TERRITÓRIO E REQUALIFICAÇÃO URBANA: PROGRAMA MACAMBIRA-ANICUNS, UMA PROPOSTA INOVADORA DE INTERVENÇÃO URBANA NA METRÓPOLE GOIANIENSE Aristides Moysés, Sandra Sarno Rodrigues dos Santos PROJETO-PILOTO DE RECUPERAÇÃO DE ÁREA PÚBLICA DEGRADADA: JD. WALQUÍRIA, SÃO MATEUS, SÃO PAULO/SP Rosangela do Amaral, Luzia Helena dos Santos Barros, Márcia Helena Galina, Rogério Rodrigues Ribeiro, RECUPERAÇÃO DE APP EM LOTEAMENTO IRREGULAR DE BAIXA RENDA Denise Bonat Pegoraro

13 Pôster A QUINTA DA BOAVISTA E O RIO JOANA NA REABILITAÇÃO DE SÃO CRISTÓVÃO Luiz Paulo Leal de Oliveira, Silvia Carvalho Barboza A INCORPORAÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL AOS PROJETOS URBANÍSTICOS, TRANSFORMANDO-A EM VANTAGEM MERCADOLÓGICA. Ana Cecília Mattei de Arruda Campos INSTRUMENTOS DE GESTÃO TERRITORIAL. ESTRUTURA ECOLÓGICA URBANA:MECANISMO DE COESÃO URBANA E AMBIENTAL Carla Alexandra Filipe Narciso O TRATAMENTO DADO À APPS E APA NO PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE BOTUCATU João Fernando Blasi de Toledo Piza PROJETO PAISAGÍSTICO DO CENTRO EDUCACIONAL COLIBRI- UMA EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADA E CONSOLIDADA PARA RECOMPOSIÇÃO DE MATA CILIAR EM ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) Saide Kahtouni, Rossana Borioni, José Francisco de Almeida Neto GT2 AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DE PROJETOS E INSTRUMENTOS DE MONITORAMENTO E GESTÃO DO ESPAÇO ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 4 METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO COORDENAÇÃO Laura Machado de Mello Bueno ID Título e Autores UTILIZAÇÃO DA METODOLOGIA DE MAPEAMENTO DE BIÓTOPOS E FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO NO DIAGNÓSTICO DAS ÁREAS VERDES DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS - PR Marcelo Gonçalves, Mirian Vizintim Fernandes Barros, Omar Neto Fernandes Barros ANÁLISE COMPARATIVA DE MÉTODOS DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL APLICÁVEIS EM ÁREAS DE FUNDOS DE VALES URBANOS- ESTUDO DE CASO DO AMORIM & CORDEIRO E PESMU Cássia de Ávila Ribeiro Junqueira, Ricardo Siloto da Silva ANÁLISE DE SITUAÇÃO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP S) EM RELAÇÃO AO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO ATRAVÉS DE IMAGENS LANDSAT E IKONOS, EM PITANGUI E CONCEIÇÃO DO PARÁ, MINAS GERAIS. Maisa de Almeida Cota, Ana Clara Mourão Moura AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE ÁREAS DEGRADADAS NA CALHA DO RIBEIRÃO DOS PINHEIROS, EM VALINHOS - SP: PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS E RESULTADOS Adauto Luis Paião, Alexandre Vilella, Dalto Fávero Brochi, Francisco Carlos Castro Lahóz COMO REPENSAR A OCUPAÇÃO ÀS MARGENS DE CORPOS D ÁGUA NA FRONTEIRA ENTRE A FLORESTA E A MALHA URBANA? Mônica Bahia Schlee ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE E INDICADORES DE QUALIDADE AMBIENTAL EM URBANIZAÇÃO DE FAVELAS. Cleir Ferraz Freire ANÁLISE MÚLTIPLA DE AVALIAÇÃO DE RISCO - AMAR APLICADA NAS ÁREAS SUSCETÍVEIS A INUNDAÇÃO E O ALAGAMENTO A BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO BELÉM Patrícia Raquel da Silva Sottoriva, Sérgio Alex Martins Bragagnolo

14 10 GT3 INSTITUCIONALIZAÇÃO DE AÇÕES, ARTICULAÇÕES E COMPLEMENTARIDADE ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 5 URBANIZAÇÃO E MEIO AMBIENTE: QUESTÕES E TENSÕES - Fundamentos das questões urbana e ambiental COORDENAÇÃO Heloisa Soares de Moura Costa ID 217 Título e Autores AMBIENTE, PODER, CAPACIDADE DE INVESTIMENTO E NORMA: O CASO DA REGIÃO DOS MANANCIAIS DE CURITIBA. Simone Aparecida Polli Pôster 115 Pôster APPS EM ÁREAS URBANAS X DIREITO À MORADIA Ana Lucia Ancona ESTRATÉGIAS DISCURSIVAS ACERCA DA QUESTÃO AMBIENTAL URBANA DO DF. Clarissa Figueiredo Sampaio Freitas O ACESSO À MORADIA DIGNA COMO ALIADO NA FORMAÇÃO DA CIDADANIA AMBIENTAL Ana Claúdia da Silva Alexandre, Heverton Flávio Ronconi da Rocha AS ÁREAS PROTEGIDAS E SUAS RETÓRICAS DE (DES)LEGITIMAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO NA BAIXADA DE JACAREPAGUÁ - RJ. Márcia Ferreira Guerra ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE E O PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS Alejandra Maria Devecchi, Paulo Mantey Domingues Caetano A PRESERVAÇÃO DA MATA CILIAR NA ÁREA URBANA E A NOÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EM BRAÇO DO TROMBUDO, SANTA CATARINA Mara Eliza Schaade, César Augusto Pompêo ESPAÇOS TERRITORIAIS ESPECIALMENTE PROTEGIDOS: ANALISE DA PRODUÇÃO DO ESPAÇO E AS INTERFERÊNCIAS NO MEIO AMBIENTE NO MUNICÍPIO DE QUATRO BARRAS DENTRO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - RMC. Josias Rickli Neto SALA 6 APPS URBANAS: DIVERSIDADE E FORMAS DE ABORDAGEM - Abordagem Multisetorial COORDENAÇÃO Maria Lucia Refinetti Martins ID Título e Autores ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM MARGENS DE CORPOS D ÁGUA URBANOS: PRINCÍPIOS DE INTERVENÇÃO E SUBSÍDIOS À CONSTRUÇÃO DO MARCO LEGAL Sandra Soares Mello CURSO D'ÁGUA E FUNDO DE VALE: UMA COSTURA POSSÍVEL DA LINHA AMBIENTAL NO TECIDO URBANO? A RECONFIGURAÇÃO DA PAISAGEM URBANA E A AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DRENURBS, EM BELO HORIZONTE. Ana Maria Schmidt

15 Pôster 177 Pôster SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DA ÁGUA EM ÁREAS METROPOLITANAS: PERSPECTIVAS DE AVALIAÇÃO Ana Lucia Britto, Eliane da Silva Bessa SUPERANDO ANTAGONISMOS ENTRE NATUREZA E CIDADE: DESENHO PARTICIPATIVO EM TABOÃO DA SERRA Ana Gonzatto, Caio Boucinhas, Catharina Lima ÁGUA OU ESCOLA? ESCOLA OU ENCHENTE? Nanci Saraiva Moreira, Rita Beatriz Enge, Avany de Francisco Ferreira, Maria Rey Yamane, Marcos Prado, Rosaly Pacheco, Sandra Regina Mori ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM AMBIENTE URBANO: PROTEÇÃO E OCUPAÇÃO Giseli Fernandes da Costa, Naoka Sera Furuiti O HOMEM, A CASA, O RIO E A CIDADE.UM ESTUDO SOBRE OS ASSENTAMENTOS HUMANOS ÀS MARGENS DO MARANGUAPINHO. Andrea Agda Carvalho de Sousa Arruda SALA 7 PLANEJAMENTO MUNICIPAL E APPS - Planos Diretores e Diretrizes Ambientais - APPs COORDENAÇÃO Adauto Lucio Cardoso ID Título e Autores 178 A ABORDAGEM DA RELAÇÃO CIDADE-RIO NO PLANO DIRETOR DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA-RJ Henrique Barandier, Miriam Fontenelle Pôster 167 Pôster MODELO ESPACIAL E INSTRUMENTOS DE PROJETO URBANO SUSTENTÁVEL EM APP: REDES HÍDRICAS, CORREDORES ESTRUTURAIS DE URBANIDADE E INTEGRAÇÃO ECOLÓGICA Luiz Antonio Nigro Falcoski, Wellington Cyro de A. Leite, Julio Perroni NOTAS SOBRE PLANEJAMENTO E GESTÃO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE URBANAS. O CASO DO PLANO DIRETOR DE SUZANO Ricardo de Sousa Moretti, Patricia Zandonade ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE URBANAS NO CONTEXTO DO ESTATUTO DA CIDADE E DA RESOLUÇÃO CONAMA N. 369/2006 Luly Rodrigues da Cunha Fischer, João Daniel Macedo Sá O PLANEJAMENTO DO USO DO SOLO NO MUNICÍPIO E A GESTÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS METROPOLITANAS Paulo Roberto Ferreira Carneiro, Adauto Lúcio Cardoso, José Paulo Soares de Azevedo OCUPAÇÃO DE FAIXAS MARGINAIS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE URBANIZAÇÃO, QUESTÕES AMBIENTAIS E AÇÃO DO ESTADO NO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE, MG. Adriana Cruz da Silva, Jandyra Luz Teixeira, Juliana Sena Calixto, Daniel Medeiros de Souza ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE E POLÍTICAS URBANAS NA CIDADE DE VITÓRIA-ES: UM OLHAR SOBRE A POLIGONAL 2 Benedita Aparecida da Silva, Fabianne Miranda Aguiar, Liwia Luchi Rabello, Victor de Jesus Barbosa EXPANSÃO URBANA E VOÇOROCAS EM APPS: O CASO DE FRANCA (SP) Elisângela de Almeida Chiquito

16 12 dia05 GT1 PROJETOS E AÇÕES ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 1 ÁGUAS - RIOS URBANOS - ORLA COORDENAÇÃO Maria Amélia Devitte Ferreira D Azevedo Leite ID Título e Autores PROGRAMA ACARI / PROJETO RIO VIVO- AÇÕES VOLTADAS AO DESENVOLVIMENTO URBANÍSTICO-AMBIENTAL SUSTENTÁVEL, DA MICRO-BACIA DO RIO ACARI, ÁREA DE PLANEJAMENTO 3.3 DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Marcelo Silva da Fonseca PROJETO DO PARQUE DA ORLA DA ILHA DO FUNDÃO NO RIO DE JANEIRO - ESTUDO DE CASO DE APROVEITAMENTO DAS FAIXAS DE PROTEÇÃO MARGINAL COMO ESPAÇO LIVRE PÚBLICO URBANO Vera Regina Tângari, Maria Angela Dias, Flavia Pereira Amorim PROPOSTA PARA A GESTÃO INTEGRADA DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM MARGENS DE RIOS INSERIDOS EM ÁREAS URBANAS. Cláudia Regina dos Santos, Celso Santos Carvalho O RIO URUGUAI E A CIDADE DE ITÁ: ARTICULAÇÃO DA CIDADE COM SUA ORLA Fabíola Bernardes de Souza Pôster 258 Pôster EXPERIÊNCIA DE RECONVERSÃO URBANA E AMBIENTAL DA BACIO DO CÓRREGO ÁGUA PODRE. PARQUE LINEAR ÁGUA PODRE Solange S. Silva-Sánchez, Claudio Manetti PROJETO BEIRA-RIO: OS AGENTES INSTITUCIONAIS NO PROCESSO DE REQUALIFICAÇÃO URBANA Estevam Vanale Otero, Eduardo Dalcanale Martini, Renata Toledo Leme PARQUE DA CIDADE - UMA REALIZAÇÃO EM JUNDIAÍ Alexandre de Castro Panizza, Osvaldo Pizzolato Junior RECUPERACION DE ARROYOS DE LLANURA Y SUS ENTORNOS EM EL ÁREA METROPOLITANA DE ROSÁRIO, PROVÍNCIA DE SANTA FE, ARGENTINA Elio Di Bernardo, Laura Bracalenti, Graciela Cavagnero, Laura Lagorio, Eduardo Pire, Patricia Mosconi, Jorge Vazquez SALA 2 HABITAÇÃO COORDENAÇÃO Ricardo de Sousa Moretti ID Titulo e Autores 136 O CASO DA FAVELA DO SAPÉ E DO PROJETO DO PARQUE LINEAR 28: CONFLITO OU SOLUÇÃO? Carlos Minoru Morinaga, Patrícia Akinaga, Paulo Pellegrino 175 O NOVO GUARITUBA, PRESERVAÇÃO DOS MANANCIAIS E DIREITO À MORADIA NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA Jocely Maria Thomazoni Loyola, Juliano Geraldi

17 Pôster 208 Pôster PARCERIA UNIVERSIDADE/COMUNIDADE NA IMPLEMENTAÇÃO DAS ZEIS E PARQUE MUNICIPAL NO MACIÇO DO MORRO DA CRUZ, ÁREA CENTRAL DE FLORIANÓPOLIS, SC Luiz Fernando Scheibe, Silvia Midori Saito, Elaine Dorighello Tomás, Harideva Marturano Égas, Luciano Augusto Henning PLANO INTEGRADO COMO MÉTODO PARA INTERVENÇÃO EM FAVELA Laura Machado Mello Bueno, Eleusina Lavôr Holanda De Freitas POR QUE SALVAR UMA GROTA? O CASO DA VILA VARJÃO - DF Marta Adriana Bustos Romero, Liza Maria Souza de Andrade, Luciana Carpaneda, Hiatiane Lacerda, Juliane Albuquerque Abe Sabbag PROGRAMA VILA VIVA-REQUALIFICACAO AMBIENTAL URBANA DA MAIOR FAVELA DE BELO HORIZONTE Marcio Gibram Silva, Ana Paula da Costa Assunção, Robert Cecilio da Silva Correia EDIFICAÇÕES PARA LAZER EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Leonice Aparecida da Silva MORRO DO CAÇADOR - UMA PROPOSTA DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO Eloísa Neves Mendonça, Amilton Higino Castelucci, Clenice P Y Castro, João de Deus Medeiros, Márcia Rosana Stefani GT2 AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DE PROJETOS E INSTRUMENTOS DE MONITORAMENTO E GESTÃO DO ESPAÇO ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 3 INTERVENÇÕES EM ASSENTAMENTOS HUMANOS PRECÁRIOS E OUTRAS ÁREAS URBANAS COORDENAÇÃO Sandra Soares de Mello ID Título e Autores 241 BELÉM/PA E O PORTAL DA AMAZÔNIA : PADRÃO DE INTERVENÇÃO TERRITORIAL E DESIGUALDADE SÓCIO-AMBIENTAL Juliano Pamplona Ximenes Ponte horas VULNERABILIDADES E RISCOS SOCIOAMBIENTAIS DE RIOS URBANOS. ESTUDO DE CASO NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MARANGUAPINHO, REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Lutiane Queiroz de Almeida, Pompeu Figueiredo de Carvalho INTERVENÇÕES EM CORPOS D'ÁGUA E PAISAGEM URBANA: O CASO DOS RESERVATÓRIOS DE RETENÇÃO NA BACIA DO ALTO TIETÊ - SP Pompeu Figueiredo de Carvalho, Andreza Aparecida Soares INTERVENÇÕES EM SANEAMENTO AMBIENTAL: ESTUDO DE CASO BAIRRO NITERÓI- DIVINÓPOLIS/MG Raimundo C. Gurgel Barbosa, Benedita Aparecida da Silva ENCONTRO de pesquisadores sobre avaliação de projetos urbanos e habitacionais com áreas ambientalmente sensíveis

18 14 SALA 4 METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO COORDENAÇÃO Celso Santos Carvalho ID 196 Título e Autores ANÁLISE ECONÔMICO-AMBIENTAL DA LINHA VERDE : TEMPO DE DESLOCAMENTO VERSUS SUPRESSÃO DE MANGUEZAL Jacques Ribemboim, Gisele Melo de Carvalho Pôster 222 Pôster CARACTERIZAÇÃO E MONITORAMENTO DO RIBEIRÃO TANQUINHO, MUNICÍPIO DE BOTUCATU (SP). Paula Caroline dos Reis Oliveira, Carlos Evaldo Linder, Alaor Aparecido Almeida, Marcos Gomes Nogueira IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS DE VULNERABILIDADE AMBIENTAL NO SISTEMA ESTUARINO-LAGUNAR DE CANANÉIA-IGUAPE (SP) Sandra Eliza Beu, Sonia Maria Flores Gianesella, Evandro C. da Cruz, Jurandyr L.R. Ross UM INSTRUMENTO PARA A GESTÃO URBANA Sibele Fiori, Dora Maria Orth, Adriana Marques Rossetto CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA VIA NO PROJETO DE REURBANIZAÇÃO DE FAVELAS Silvia Regina Iung de Souza, Celso Santos Carvalho ANÁLISE DOS CONFLITOS GERADOS PELOS ASPECTOS LEGAIS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO PROCESSO DE OCUPAÇÃO DO BALNEÁRIO DE CAIEIRAS, GUARATUBA, PARANÁ Altair Rosa, Harry Alberto Bollmann, Carolina De Cristo Bracht SISTEMA DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS DOS MANANCIAIS PAULISTANOS: UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS-LIVRES PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS Rodrigo Martins dos Santos GT3 INSTITUCIONALIZAÇÃO DE AÇÕES, ARTICULAÇÕES E COMPLEMENTARIDADE ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 5 URBANIZAÇÃO E MEIO AMBIENTE: QUESTÕES E TENSÕES - A Bacia Hidrográfica como unidade de planejamento e gestão COORDENAÇÃO Luiz Antonio Falcoski ID Título e Autores A ÁGUA NO MEIO URBANO: INTEGRANDO A GESTÃO TERRITORIAL E AMBIENTAL Evania Freires Galindo A RELAÇÃO ENTRE A GESTÃO MUNICIPAL DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE E A GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ITAJAÍ (SC). Sandra Irene Momm Schult FUNDAÇÃO AGÊNCIA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ : ARTICULAÇÃO, INTEGRAÇÃO E SUPORTE PARA OS ATORES DO SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS Alexandre Hojda, André Luiz de S. Laface, Marcos Paulo L. Sartori

19 Pôster 200 Pôster FRAGMENTACIÓN INSTITUCIONAL, LÓGICAS TERRITORIALES Y LÓGICAS AMBIENTALES: EL CASO DE LA CUENCA DEL RÍO MATANZA - RIACHUELO EN BUENOS AIRES Silvia Curcio, Iliana Mignaqui, Leopoldo Gurman METODOLOGIA MULTICRITERIAL PARA GOVERNANÇA DEMOCRÁTICA DE COMITÊS URBANOS DE BACIA HIDROGRÁFICA Ricardo Toledo Neder ÁGUA, TERRITÓRIO E SOCIEDADE: LIMITES E DESAFIOS DA GESTÃO INTEGRADA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Angélica A Tanus Benatti Alvim OS RECURSOS HÍDRICOS E O USO DO SOLO NA MICRO-BACIA DO RIBEIRÃO ITOUPAVA, MUNICÍPIO DE RIO DO SUL, SANTA CATARINA Maristela Macedo Poleza, Cesar Augusto Pompêo APROPRIAÇÕES RIBEIRAS: PARADOXOS DAS ÁGUAS URBANAS Isis Vidal Marcondes SALA 6 APPS URBANAS: DIVERSIDADE E FORMAS DE ABORDAGEM - APPs Urbanas e sua diversidade COORDENAÇÃO Maria Lucia Refinetti Martins ID Título e Autores A NOVA LEI DE RESPONSABILIDADE TERRITORIAL E AS APPS URBANAS: DIFERENÇAS ENTRE CIDADES QUE PARCELAM E CIDADES QUE CONSTROEM Gisela Cunha Viana Leonelli FLEXIBILIDADE E DIVERSIDADE: A IMPORTÂNCIA DE INSTRUMENTALIZAR A FLEXIBILIZAÇÃO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Jonathas Magalhães Pereira da Silva, Vera Regina Tângari CÓRREGO PONTE ALTA, MUNICÍPIO DE TABOÃO DA SERRA. Angela Amaral, Fernanda Accioly Moreira, Rodrigo de T. Vicino, Terezinha Gonzato, Ana Gonzato INSTRUMENTOS LEGAIS PARA O USO E CONSERVAÇÃO DAS VÁRZEAS URBANAS Luciana Travassos, Marta Dora Grostein APLICAÇÃO DE MÉTODO NO DESENHO DE APPS E CORREDORES VERDES, CONSIDERANDO DRENAGEM URBANA Nádia Fontes, Pompeu Figueiredo de Carvalho ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM AMBIENTES URBANOS: CONCEITOS TÉCNICOS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEL. Nilde Lago Pinheiro

20 16 33 Pôster 158 Pôster ESTUDO DO ECOSSISTEMA DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP'S) DE CORPOS D'ÁGUA EM ZONAS URBANAS COMO SUBSÍDIO À ALTERAÇÕES DO CÓDIGO FLORESTAL Daniele Corrêa de Castro Padilha, Nemésio N. Batista Salvador FUNÇÃO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE: PROTEÇÃO E CONFLITOS ENTRE A LEGISLAÇÃO AMBIENTAL FEDERAL E A DE ÂMBITO MUNICIPAL EM NATAL, MOSSORÓ E CEARÁ-MIRIM Leonardo Bezerra de Melo Tinôco SALA 7 PLANEJAMENTO MUNICIPAL E APPS - Planos Diretores e Diretrizes Ambientais: Zonas Litorâneas e Conexão Urbano-Rural COORDENAÇÃO Adauto Lucio Cardoso ID Título e Autores 154 A FUNÇÃO SÓCIOAMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA DO CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL DA REGIÃO METROPOLITANA DE NATAL Marcelo Tinoco, Dulce Bentes, Maria do Livramento Miranda Clementino Pôster A OCUPAÇÃO URBANA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA PLANÍCIE DO CAMPECHE, FLORIANÓPOLIS/SC. Gabriela Fauth e Letícia La Porta de Castro HABITAR - PRESERVAR: DIRETRIZES PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA SUSTENTÁVEL EM ECOSSISTEMA DE DUNAS NA CIDADE DE NATAL-RN Dulce Bentes, Amanda Kellen Silva de Medeiros DESTINAÇÃO DOS BENS DA UNIÃO EM CUMPRIMENTO DA FUNÇÃO SÓCIOAMBIENTAL Julia Azevedo Moretti, Maria Lucia Salum D'Alessandro DESENVOLVIMENTO URBANO E DEGRADAÇÃO DA PAISAGEM NA CIDADE DO AGRONEGÓCIO Rérisson Máximo, Denise Elias, Renato Pequeno SISTEMA DE ESPAÇOS LIVRES ESTRUTURADOS NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ATRAVÉS DOS PRINCÍPIOS DA ECOLOGIA DA PAISAGEM. Camila Rodrigues Aldigueri dia06 GT1 PROJETOS E AÇÕES ORGANIZAÇÃO DAS SESSÕES SALA 1 REQUALIFICAÇÃO, RECUPERAÇÃO, PLANOS/PROJETOS (URBANO AMBIENTAL) COORDENAÇÃO Sandra Momm Schult

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015 LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110 Ano Letivo - 2014/2015 CANDIDATOS ADMITIDOS: Nº Candidato NOME OSERVAÇÕES 1367130034 Alexandra

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre Jorge Costelha Seabra 2 18,2 110402182 Ana Catarina Linhares

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos : A 12 1 Adriana Beatriz Pinto Pereira Cortez S 13078 2 Ana Francisca Conceição Costa S 136 3 Ana Francisca Rodrigues Preces 1307 4 António José da Silva Loreto S 13084 Beatriz Moura Neves Beja Facas S

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superio Resultados da 1ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superio Resultados da 1ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011 14286394 ALBANO LUIS ANDRADE PEREIRA Não colocado 14388714 ANA BEATRIZ MARTINS MACHADO Colocada em 3133 9104 14371141 ANA CATARINA MOREIRA LEAL Colocada em 7003 14319342 ANA CATARINA SOUSA RIBEIRO Colocada

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

Agrupamento de Escolas Professor Agostinho da Silva Nº Escola: 171888 Nº Horário: 51

Agrupamento de Escolas Professor Agostinho da Silva Nº Escola: 171888 Nº Horário: 51 Nº Horário: 51 4625160693 Sofia Margarida Santos Ferreira Admitido 7197226139 Mónica Sofia Jesus Mateus Admitido 6392341730 Gonçalo Jorge Fernandes Rodrigues Fiúza Admitido 7816555741 Dora Maria Gonçalves

Leia mais

Hospital Sofia Feldman

Hospital Sofia Feldman Hospital Sofia ldman Relatório de Remuneração de Médicos Referente a Mês/Ano: 07/2015 NOME DO TRABALHADOR ROBERTO SALES MARTINS VERCOSA PAULO MAX GARCIA LEITE LUCAS BARBOSA DA SILVA JOAO BATISTA MARINHO

Leia mais

Amanda Cardoso de Melo

Amanda Cardoso de Melo Aime Pinheiro Pires participou da palestra: Empreendedor De Sucesso, Amanda Cardoso de Melo Amanda Loschiavo Amoiré Santos Ribeiro Ana Carolina Pereira Pires Ana Carolina Pioto Magalhães Ana Cristina Angelo

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 O Sesc em Minas comunica a relação nominal com as notas da prova ocorrida entre os dias 07/06/2015 à 14/06/2015 Considerando o que está previsto no subitem 5.1.3.1 do Descritivo

Leia mais

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 Professor Responsável: MARTA REGINA DE JESUS Dias / Hora / Local: 6a. Feira - 09/08 das 9:00 às 12:00h

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião ELEIÇÃO PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA Ata da Quarta Reunião Ao sexto dia do mês de novembro de dois mil

Leia mais

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Almancil, Loulé Horário n.º: 27-18 horas 2013-10-09 Grupo de Recrutamento: 420 - Geografia LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Ordenação Graduação

Leia mais

AMIGOS DO PROJECTO. Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego

AMIGOS DO PROJECTO. Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego AMIGOS DO PROJECTO O projecto Ler Mais e Escrever Melhor nasceu a 17 de Julho de 2008. Encontra-se numa fase de vida a infância que

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13008 10 E Técnico de Instalações Elétricas Carlos Jorge Oliveira Rodrigues Escola Secundária de São Pedro do Sul 13791 10 E Técnico de Instalações Elétricas Daniel dos Santos Rodrigues Escola Secundária

Leia mais

Resultados da Candidatura a Alojamento

Resultados da Candidatura a Alojamento Resultados da Candidatura a Alojamento Unidade Orgânica: Serviços de Acção Social RESIDÊNCIA: 02 - ESE ANO LECTIVO: 2015/2016 2ª Fase - Resultados Definitivos >>> EDUCAÇÃO BÁSICA 14711 Ana Catarina Mendes

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13948 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Gabriela Pedro Fernandes Escola Básica n.º 2 de São Pedro do Sul 13933 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Júlia Capela Pinto Escola Básica n.º 2 de São Pedro do

Leia mais

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º s de Castro Daire Turma : A 1498 1 Ana Catarina Costa Esteves 14920 2 Ana Francisca da Silva Fernandes 16292 3 Beatriz Monteiro Andrade 14409 4 Camila Almeida Oliveira

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais A 796 Neuza Soraia Rodrigues Carvalhas Direito e Processual 729 Maria Teresa Barros Ferreira Direito e Processual 938 Rute Isabel Bexiga Ramos Direito e Processual 440 Inês Lopes Raimundo Direito e Processual

Leia mais

LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013

LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013 LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013 OFERTA 2737 433133 2737 435006 2737 433645 2737 431145 2737 411431 2737 447993 2737 432457 2737 412330 2737 415973 2737 427952 2737 417413 2737 417268

Leia mais

18º Encontro Nacional da ANAMMA

18º Encontro Nacional da ANAMMA 18º Encontro Nacional da ANAMMA Os efeitos do PL de parcelamento do solo no meio ambiente e a gestão de APPs urbanas Cynthia Cardoso Goiânia, agosto/2008 Planejamento? Na perspectiva de planejamento qual

Leia mais

Projeto de Movimento dos Oficiais de Justiça de junho de 2015

Projeto de Movimento dos Oficiais de Justiça de junho de 2015 Projeto de Movimento dos Oficiais de Justiça de junho de 2015 Alexandre Luís Albuquerque E Quinhones Gaiolas, 3274/10, Bom com Distinção, Transição, Ana Maria Pires Matias Soares, 3149/10, Muito Bom, Transferência,

Leia mais

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20%

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20% ALCATEIA Sec NIN NOME NIN NOME Lob 1215050143005 Alice Neto Santos Nascimento 1215050143015 Afonso da Fonseca Machado Lob 1215050143010 Amélia Maria Mesquita Aleixo Alves 1115050143010 Afonso Jesus Dias

Leia mais

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado Processo Seletivo 2016/1 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado 000000004960 VALERIA DIAS MIRANDA EDUCACAO FISICA Aprovado 000000005764 BRUNNO DE PAULA SILVA BARBOSA EDUCACAO FISICA

Leia mais

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Gabinete/Cargo Nome Extensão E-mail Diretor Luiz Felipe Rocha de Faria 1450 lef@isep.ipp.pt Sub-diretor(es) António Constantino Lopes 1462 acm@isep.ipp.pt

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado : A 137 1 Adriana Manuela Gomes Pinheiro 14 S S 20 2 Alexandra Pereira Ferreira 28 3 Ângelo Rafael Araújo Gomes S 28 4 Beatriz da Costa Oliveira S 2 5 Domingos Gonçalo Ferreira

Leia mais

MESTRADOS E DOUTORAMENTOS - 2015

MESTRADOS E DOUTORAMENTOS - 2015 MESTRADOS E DOUTORAMENTOS - 2015 2ª FASE - ECT SUPLENTE EXCLUÍDO LISTA DE CANDIDATOS SERIAÇÃO CARLA MARIA CARNEIRO ALVES Doutoramento em Didática de Ciências e Tecnologias 3,9 de 5 4 CARLOS EDUARDO DOS

Leia mais

Lista dos Aprovados - Ensino do Inglês

Lista dos Aprovados - Ensino do Inglês Lista dos Aprovados - Ensino do Inglês Nº de Oferta Ordem Pontuação Nome do Docente 2216 1 100 Cidália Maria Faria Mendes de Sousa 2216 2 100 Mariana Borges Dias Moreira 2216 3 100 Marta Raquel Cardoso

Leia mais

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA RIBEIRO 5 ALEXANDRE FERREIRA DE MENEZES 6 ADALBERTO GOMES DA SILVA

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado Turma : A 2002 1 Ana Catarina Loureiro Silva S 171 2 André Eduardo Dias Santos S 173 3 Ângelo Rafael Costa e Silva S S 2007 4 Bruno da Silva Gonçalves S 20 5 Catarina Daniela

Leia mais

Nome do candidato Curso - Campus Semestre Classificação

Nome do candidato Curso - Campus Semestre Classificação 589 ADILSON SANTOS DE JESUS 49 AMANDA LUISA FAGUNDES AMORIM 45477 ARLISON SANTOS SOUZA 7698 AUGUSTO MACHADO RAMOS 80880 BIANCA AMORIM SANTOS 00492 DANIEL SANTOS SILVA 44442 DANILO FLORES DE OLIVEIRA 6240

Leia mais

Edital 04/13 - Inglês Grupo 1

Edital 04/13 - Inglês Grupo 1 Edital 04/13 - Inglês Grupo 1 1º DANIELLE OLIVEIRA LELIS GONRING 74,00 25,90 62,00 18,60 100,00 15,00 89,00 17,80 77,30 2º MARA CORRÊA SENNA 96,00 33,60 41,00 12,30 94,00 14,10 83,00 16,60 76,60 3º CAROLINA

Leia mais

Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área

Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Autor Área Científica 1 Área Científica 2 Ordem Dia Hora Área Carina Coelho Cariologia/Med. dentária Preventiva Dentisteria Operatória 1 11 15h00-16h00 Investigação Isabel Roçadas Pires Cariologia/Med.

Leia mais

Processo Seletivo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado Profissional - Turma 2016

Processo Seletivo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado Profissional - Turma 2016 RESULTADO DAS INSCRIÇÕES Mestrado Profissional - Turma 2016 GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS HÍDRICOS Insc 1 LAÍS LIMA AMBROSIO DEFERIDA 2 CAROLINE DE MENDONÇA EMMERICK DEFERIDA 3 FELIPE DE SOUZA CRUZ DEFERIDA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA E CAMPIA ESCOLA BÁSICA DE CAMPIA MATEMÁTICA - 2013/2014 (3.º período) 2.º Ciclo - TABUADA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA E CAMPIA ESCOLA BÁSICA DE CAMPIA MATEMÁTICA - 2013/2014 (3.º período) 2.º Ciclo - TABUADA 2.º Ciclo - TABUADA 1.ºs 6.º Ac 7 Fernando Miguel L. Fontes 100,0 6.º Ac 8 Francisca Vicente Silva 100,0 6.º Bc 2 Daniel Henriques Lourenço 99,6 3.ºs 5.º Bc 16 Simão Pedro Tojal Almeida 99,6 5.º Ac 10

Leia mais

Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista.

Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista. ALUNOS APTOS PARA PARTICIPAREM DA COLAÇÃO DE GRAU 2015/2 Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista. AGRIMENSURA Nº NOME PENDÊNCIAS 1 Ana Claudia Nardes Carvalho OK 2 Caio Cesar dos Anjos Carneiro OK 3 Carine

Leia mais

Artigo 23.º da Portaria 243/ 2012, de 10 de agosto 10.º ANO

Artigo 23.º da Portaria 243/ 2012, de 10 de agosto 10.º ANO Adriano Filipe Dias Sequeira Ana Carolina Leite da Silva 10.º ANO Ana Filipa Martins Façanha Marques Ana Laura Martins Dengucho Ana Luísa Marques Tomé Ana Sofia Tomé Vicente Andreia Cristina de Oliveira

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental Regularização fundiária em áreas de preservação permanente APPs em zona urbana: uma proposta de gestão ALEXANDRE

Leia mais

1.1.8 ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS QUALQUER ÁREA DE FORMAÇÃO/BELÉM 10057072, Augusto Rolim Dias Arruda, 68.

1.1.8 ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS QUALQUER ÁREA DE FORMAÇÃO/BELÉM 10057072, Augusto Rolim Dias Arruda, 68. MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS (ANTAQ) CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS,

Leia mais

Plano de zoneamento ambiental e urbanístico das Áreas de Preservação Permanente em perímetro urbano no município de Estrela

Plano de zoneamento ambiental e urbanístico das Áreas de Preservação Permanente em perímetro urbano no município de Estrela Plano de zoneamento ambiental e urbanístico das Áreas de Preservação Permanente em perímetro urbano no município de Estrela Município de Estrela SMMASB SEPLADE Defesa Civil Introdução A crescente urbanização

Leia mais

Campeonato de Inverno de NS FIGURAS CATEGORIA INFANTIL Vila Franca de Xira, 10 de Abril de 2015

Campeonato de Inverno de NS FIGURAS CATEGORIA INFANTIL Vila Franca de Xira, 10 de Abril de 2015 FIGURAS CATEGORIA INFANTIL 1 131962 Maria Lazutina 2 126201 Beatriz Cerqueira Teixeira 3 125652 Maria Tribuzi Melo 4 126262 Mariana Goncalves Carvalho 5 128715 Rita Manuela Silva 6 125651 Mafalda Ventura

Leia mais

ANEXO I - CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA - PROVA PRÁTICA

ANEXO I - CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA - PROVA PRÁTICA Prefeitura Municipal de Capivari Concurso Público - 5/2015 PUBLICONSULT ASSESSORIA E CONSULTORIA PUBLICA LTDA ANEXO I - CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA - PROVA PRÁTICA 1 - Auxiliar de Padeiro Class Inscrição

Leia mais

Resultado dos Processos Seletivos do Sescoop-RJ 2010

Resultado dos Processos Seletivos do Sescoop-RJ 2010 Resultado dos Processos Seletivos do Sescoop-RJ 2010 1ª Etapa: Análise Curricular INSTRUÇÕES GERAIS PARA TODOS OS CANDIDATOS a) O candidato deverá chegar ao local com uma hora de antecedência do i nício

Leia mais

Relatório de Diplomas Registrados pela Universidade Federal de Minas Gerais Diplomas Registrados - 38ª Remessa. Assunto: Farmácia

Relatório de Diplomas Registrados pela Universidade Federal de Minas Gerais Diplomas Registrados - 38ª Remessa. Assunto: Farmácia 2640 RD.2013/2 11/09/2013 ACÁCIA TROTA 2013/09.00879 Universidade Federal de Minas Gerais 2666 RD.2013/2 12/09/2013 AILTON BATISTA JUNIOR Ciências Contábeis 2013/09.00916 Universidade Federal de Minas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO ESCOLAS DE FORMAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL EFETI CLASSIFICADOS

PROCESSO SELETIVO ESCOLAS DE FORMAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL EFETI CLASSIFICADOS 119 Aderiane de Fátima Dias França 6,00 64 Adriana dos Santos Gabriel da Rosa 6,70 14 Adriana Martins Lima 6,00 84 Adriana Rocha Rodrigues 6,00 82 Alessandra de Souza Silva 6,15 104 Alessandra Maria Pereira

Leia mais

CREA-RJ Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro Classificação Final dos Candidatos Aptos - Nível Médio

CREA-RJ Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro Classificação Final dos Candidatos Aptos - Nível Médio Local de atuação : ARMAÇÃO DE BUZIOS 1 15 Bárbara Audára Brito Gomes APTO 19/02/1965 11 8 9 6 34 2 22 Wellington Santos da Luz APTO 19/05/1976 10 7 9 6 32 segunda-feira, 18 de abril de 2005 Pag. 1 de 19

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO BANCA: D-01D LINHA DE PESQUISA: DIREITOS HUMANOS E ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: FUNDAMENTAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E EFETIVIDADE ÁREA DE ESTUDO: DIREITO POLÍTICO SALA: 501 Carlos Athayde Valadares Viegas Ricardo

Leia mais

POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS E CLASSIFICADOS POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS

POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS E CLASSIFICADOS POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CEAD RESULTADOS DA SELEÇÃO DISCENTE 1 MARIA VANDERLEIA ARAUJO MAXIMIANO 62294393368 9,8 2 VIVIANE LINDA SARMENTO 33329574810

Leia mais

Poder Judiciário Seção Judiciária do RJ Justiça Federal - 2a Região

Poder Judiciário Seção Judiciária do RJ Justiça Federal - 2a Região Poder Judiciário Seção Judiciária do RJ Justiça Federal - 2a Região Sessão de Julgamento da 04ªTR PAUTA DA 14ª SESSÃO DE JULGAMENTO DO ANO DE 2016 DA 04ªTR, MARCADA PARA O DIA 11/05/2016, ÀS 14:00 H, QUANDO

Leia mais

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28 LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600 Horário 28 Graduação Profissional Nº Candidato Nome 24,508 4716699811 Vanda Isabel do Vale Silva Almeida 24,203 8219102942 Cristina Maria da

Leia mais

CONVOCAÇÃO PARA ENTREVISTA NO SERVIÇO SOCIAL (SETOR DE SAÚDE)

CONVOCAÇÃO PARA ENTREVISTA NO SERVIÇO SOCIAL (SETOR DE SAÚDE) POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL POLAE PROGRAMA DE ATENDIMENTO AO ESTUDANTE EM VULNERABILIDADE SOCIAL BENEFÍCIO PERMANENTE CONVOCAÇÃO PARA ENTREVISTA NO SERVIÇO SOCIAL (SETOR DE SAÚDE) Conforme necessidade

Leia mais

Local SÍTIO DO SOSSEGO, CASIMIRO DE ABREU, RJ. Data 07 E 08 DE SETEMBRO DE 2012 PROVAS E COMPETIÇÕES BÍBLICAS 2012

Local SÍTIO DO SOSSEGO, CASIMIRO DE ABREU, RJ. Data 07 E 08 DE SETEMBRO DE 2012 PROVAS E COMPETIÇÕES BÍBLICAS 2012 Página 1 de 6 PROVAS E COMPETIÇÕES BÍBLICAS 2012 Data 07 E 08 DE SETEMBRO DE 2012 Local SÍTIO DO SOSSEGO, CASIMIRO DE ABREU, RJ PROVA DE MARCOS (Junior) 01 JUAN DA COSTA SOUZA IB EBENEZER EM STA LUZIA

Leia mais

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015.

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015. Certifico que, Ademir dos Santos Ferreira, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Certifico que, Almir Junio Gomes Mendonça, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Engenheiro

Leia mais

PLANOS DIRETORES REGIONAIS

PLANOS DIRETORES REGIONAIS PLANOS DIRETORES REGIONAIS ORIGEM DOS PLANOS DIRETORES REGIONAIS CONSTITUIÇÃO FEDERAL ESTABELECE O PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO E A GESTÃO DEMOCRÁTICA II CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICA URBANA PLANO DIRETOR

Leia mais

Adriane Cristina de Jesus

Adriane Cristina de Jesus Adriane Cristina de Jesus Alexandre Coelho Rodrigues Gomes Alexandre Montenegro Nascimento Vilarinhos Ana Carolina Nogueira Ana Carolina Rodrigues Oliveira Ana Luiza de Paiva Silva Ana Luiza dos Anjos

Leia mais

II ENCONTRO INTER-ESCOLAS DE BRAGA DESPORTO ESCOLAR DE NATAÇÃO CLASSIFICAÇÕES

II ENCONTRO INTER-ESCOLAS DE BRAGA DESPORTO ESCOLAR DE NATAÇÃO CLASSIFICAÇÕES II ENCONTRO INTER-ESCOLAS DE BRAGA DESPORTO ESCOLAR DE NATAÇÃO CLASSIFICAÇÕES PROVA 25m Livres femininos Class Escola Nome Escalão Tempo Obs. EBS Vieira de Araújo Mariana Fonseca Infantis A 20:2 2 EBS

Leia mais

152729 - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins 401535 - Escola Secundária Dr. Júlio Martins Relação de Alunos

152729 - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins 401535 - Escola Secundária Dr. Júlio Martins Relação de Alunos : A 1248 1 Ana Garcia Amarante 1239 2 André Carneiro Rodrigues 124 3 Beatriz Branco Ramos 151 4 Camila Alves Salgado 16485 5 Daniel Emídio Costa dos Santos 1648 6 Débora Barroso Fernandes 16528 Hugo Paulo

Leia mais

Inst. Tocantinense Presidente Antonio Carlos LTDA FAHESA/ITPAC Processo Seletivo FAHESA/ITPAC 2014/1 Classificação Geral

Inst. Tocantinense Presidente Antonio Carlos LTDA FAHESA/ITPAC Processo Seletivo FAHESA/ITPAC 2014/1 Classificação Geral Processo Seletivo 2014/1 000000006825 CLEIBER GOMES DOS SANTOS CIENCIAS CONTABEIS 118,0 1 000000002650 YHARA FERREIRA DA SILVA CIENCIAS CONTABEIS 114,0 2 000000006011 ANANDA WELEN SILVA SANTOS CIENCIAS

Leia mais

CONDOMÍNIO ROTONDA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS SORTEADAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

CONDOMÍNIO ROTONDA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS SORTEADAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SORTEADOS Titular 1 17ADILSON GOULART DE JESUS 819.***.***-15 Cangulo I Titular 2 1198 JANAINA COUTO SILVA DE OLIVEIRA 033.***.***-82 Cangulo I Titular 3 600 DARCILENE OLIVEIRA DA SILVA 058.***.***-65

Leia mais

LISTA DE CLASSIFICADOS

LISTA DE CLASSIFICADOS LISTA DE CLASSIFICADOS Curso: Web Design Comparecer para a matrícula do dia (Segunda à Sexta) Horário:das 09h às 12h e 13h às 17h Ord Nome Candidato RG Pont Período Matrícula 1 Allana Araujo Baroni 235033068

Leia mais

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG:

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: CURSO: ADMINISTRAÇÃO 1. Ana Gabriela Gonçalves Pereira Amorim - Registro Civil Legível (certidão de casamento ou nascimento) 2.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO.

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. Patrícia Pinheiro da Cunha 1, Magda Beatriz de Almeida Matteucci

Leia mais

APROVADOS PROCESSO SELETIVO FACULDADE ASA INICIO DAS AULAS EM FEVEREIRO 2015. ÓRDEM ALFABÉTICA.

APROVADOS PROCESSO SELETIVO FACULDADE ASA INICIO DAS AULAS EM FEVEREIRO 2015. ÓRDEM ALFABÉTICA. APROVADOS PROCESSO SELETIVO FACULDADE ASA INICIO DAS AULAS EM FEVEREIRO 2015. ÓRDEM ALFABÉTICA. Adamastor Jose Feliciano Neto Adriano Mendes dos Santos Alex Rodrigues Carneiro Aline Pereira Marciel Aline

Leia mais

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 1 FRANCISCO PEREIRA 36 SENIOR MASC. VITÓRIA S.C. 20.23 2 ANDRE SANTOS 48 SENIOR MASC. C.A.O.VIANENSE 20.27 3 JORGE CUNHA 3 SENIOR MASC. S.C.MARIA DA FONTE 21.14 4 DOMINGOS BARROS

Leia mais

Lista de Resultados da 6ª Fase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 NOTA 1ª F NOTA 2ª F

Lista de Resultados da 6ª Fase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 NOTA 1ª F NOTA 2ª F Lista de Resultados da ase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 106 2165 02291253122165975318 Abílio Fernando Bragança Milheiro 15,250 14,050 18,400 12,000 12,900

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO ANEXO II INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS CANDIDATOS AUTODECLARADOS NEGROS EDITAL 74 DE 03/12/2015 TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM ADUCAÇÃO INSCRICAO CAMPUS CARGO NOME 19941 CAMPUS PATROCÍNIO TÉCNICO EM ALEX DE SOUZA

Leia mais

Iflfl flfl 5 95 12 39

Iflfl flfl 5 95 12 39 Ano Escolar 0 1 PORTUGAL 0 Ano de Escolaridade Turma D Estabelecimento de Ensino 0 Escola Básica de Vale de Milhaços 05 0 0 1 1 5 110 0 pg irncpp 51 105 0 1 01 001 0 1 01 05 001 11 1 055 ALINE VALENCE

Leia mais

CERTIFICADO DE ATIVIDADE DE EXTENSÃO

CERTIFICADO DE ATIVIDADE DE EXTENSÃO Certificamos para os devidos que ESTEVÃO JÚNIOR participou da atividade de extensão de Simulado da OAB, promovida pelas Faculdades Kennedy de Minas Gerais, no dia 07 de outubro de 2015, com carga horária

Leia mais

APP ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Feições de Relevo com alta fragilidade, que exercem funções essenciais a vida

APP ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Feições de Relevo com alta fragilidade, que exercem funções essenciais a vida APP ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Feições de Relevo com alta fragilidade, que exercem funções essenciais a vida Dispositivo legal aplicado em distintos ambientes: Urbano, Rural ou Florestal Área de Preservação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMED

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMED RELAÇÃO DE PROFESSORES PARA O CONTRATO 2014 - EDUCAÇÃO INFANTIL AO 5º ANO NOME 1. IRENE SILVA DOS SANTOS 2. ERONILDES ALVES PEREIRA 3. JOSILENE DE JESUS CHAVES 4. EDNA MARIA OLIVEIRA SAMPAIO 5. ISABEL

Leia mais

Técnicos Especializados

Técnicos Especializados Nome da Escola : Data final da candidatura : Disciplina Projeto: Agrupamento de Escolas Alexandre Herculano, Porto Nº Escola : 153000 2015-09-03 Nº Horário : 75 Escola de Referência para a Educação Bilingue

Leia mais

BIBLIOTECONOMIA NOITE

BIBLIOTECONOMIA NOITE BIBLIOTECONOMIA NOITE 37 223901265 GREYCE OLIMPIA DA CUNHA 1 BIBLIOTECONOMIA/MANHÃ 47 217499516 MARINA LUCIA SANTOS DE MELLO 48 215063165 VICTOR AZEVEDO PAULINO 2 BIOMEDICINA 53 219621448 AMANDA RIBEIRO

Leia mais

Certificado de Presença em Evento no ISEP

Certificado de Presença em Evento no ISEP *** Adam Silva *** ***c527078fe56b04280dcae9cc3541593d73d82015c12f65f060135ed5*** *** Adulcínio Adulcínio Duarte Rodrigues *** ***09d09b00214962ffdfefa4e2473001b55ffba6c7bbdc74ef3063ec95*** *** Alberto

Leia mais

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL Adriana da Conceição Palhares Lopes Alexandra Rodrigues Barbosa Ana Salomé Lopes Queirós Andreia Dias da Costa Bianca Patricia Gonçalves Ramos Carina Filipa Monteiro Rodrigues

Leia mais

Planilha Mensal de Ajuda de Custo (Res. 03/2011) Período de junho/2015

Planilha Mensal de Ajuda de Custo (Res. 03/2011) Período de junho/2015 Crédito no dia 30/07/15 Planilha Mensal de Ajuda de Custo (Res. 03/2011) Período de junho/2015 NOME Nº DE PROCESSO ALEXANDRE DA FONSECA MORETH 0012546-17.2012.8.19.0211 ALEXANDRE DA FONSECA MORETH 0007033-68.2012.8.19.0211

Leia mais

Relatório de Resultado por Curso 3,00 54,00 56,00 60,00 70,00 58,00 9,00 10,00 11,00 12,00 21,00

Relatório de Resultado por Curso 3,00 54,00 56,00 60,00 70,00 58,00 9,00 10,00 11,00 12,00 21,00 Av. Professor Mário Werneck, 25 Buritis 3050 Belo Horizonte/MG 1º Vestibular e Exame de Seleção de 15 do IFMG Campus Santa Luzia Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo 54 139 13 5423 3 57 191 117 2 2 172

Leia mais

Universidade Católica de Santos Unisantos. Santos, 04/11/2015

Universidade Católica de Santos Unisantos. Santos, 04/11/2015 Universidade Católica de Santos Unisantos Santos, 04/11/2015 A Universidade Católica de Santos é uma entidade sem fins lucrativos, em consonância com os princípios da sua Mantenedora, a Sociedade Visconde

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE REITORIA DE ENSINO DE PÓS GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE REITORIA DE ENSINO DE PÓS GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE REITORIA DE ENSINO DE PÓS GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS FORMAÇÃO DE EQUIPES DE ALUNOS QUE PARTICIPARÃO DOS 5º JOGOS MUNDIAIS

Leia mais

I SELETIVA ANO - 2015 Local: SECRETARIA DE ESPORTES Data: 28/03/2015 à 29/03/2015 50 METROS COSTAS FEMININO MIRIM

I SELETIVA ANO - 2015 Local: SECRETARIA DE ESPORTES Data: 28/03/2015 à 29/03/2015 50 METROS COSTAS FEMININO MIRIM Prova N 1 Etapa: 1 (28/3/2016) 50 METROS COSTAS FEMININO MIRIM 4 MARIA PAULA GOMIDE MOREIRA 284220 2005 ASBAC/AQUANAII 00:54.48 5 FERNANDA RESENDE ROCHA 296569 2006 ASBAC/AQUANAII 99:99.99 26/03/2015 18:36:48

Leia mais

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos 1642 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 3406 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova : A Processo Nome Idade EMR. Rep. LE1 LE2 NEE 440 1 André Daniel Almeida Pimentel 98 2 Daniel Gonçalves Tomé

Leia mais

CLASSIFICADOS. Grupo C 10 100721 MARIA EDUARDA ROCHA VALENTE DA SILVA QUÍMICA INFORMÁTICA

CLASSIFICADOS. Grupo C 10 100721 MARIA EDUARDA ROCHA VALENTE DA SILVA QUÍMICA INFORMÁTICA 1 101208 IAGO IGNACIO BOTELHO E SILVA INFORMÁTICA ELETRÔNICA 2 101041 THAYANA XAVIER LUCERO ELETRÔNICA QUÍMICA 3 100746 ARTHUR MOREIRA RAMOS 4 100083 LECTICIA VIANNA LEAL SOARES BESSA MECATRÔNICA MECÂNICA

Leia mais

Nome Curso Golos Amarelos Vermelhos

Nome Curso Golos Amarelos Vermelhos Nome Curso s Amarelos Vermelhos Carlos Júnior Mestrado 4 Jogo 15 Rui Nascimento Mestrado Jerónimo Mestrado 1 Jogo 15 Pedro Francês Mestrado 1 Andre Figueiredo Mestrado 3 Jogo6 Artur Daniel Mestrado 2 João

Leia mais

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada)

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) ADMINISTRAÇÃO 1 ARIELA RODRIGUES SILVA 2 CAROLINA DANTAS DOS SANTOS 3 CRISTIANE DA SILVA GUERREIRO 4 GABRYELLA BUENO DO CARMO 5 JESSICA RAMOS DA SILVA 6 JULIA DE

Leia mais

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG:

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: CURSO: ADMINISTRAÇÃO 1. Ana Gabriela Gonçalves Pereira Amorim - Registro Civil Legível (certidão de casamento ou nascimento) 2.

Leia mais

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP)

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP) Lei 4771 versão em vigor II área de preservação permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 o e 3 o desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos

Leia mais

Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira

Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira 7º ano Nomes Escola de Origem IMPORTANTE Rodrigo Fernandes Neves Informa-se os novos alunos que devem acompanhar os Bruna Filipa Soares Farinha Encarregados de Educação afim de se poder tirar Brenda Renata

Leia mais

Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência

Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência Número Nome Nota Obs 10780 ALEXANDRE JOSÉ SIMÕES SILVA 15 11007 ALEXANDRE REIS MARTINS 7,7 11243 Álvaro Luis Cortez Fortunato 11,55

Leia mais

VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO URBANÍSTICO

VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO URBANÍSTICO VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO URBANÍSTICO Direito Urbanístico e Conflitos Urbanos: a efetividade da ordem jurídicourbanística na promoção do direito à cidade Fortaleza/CE - 04 a 07 de outubro de

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP LICENCIAMENTO AMBIENTAL Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP Engª Adriana Maira Rocha Goulart Gerente Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

Proposta para a gestão integrada das áreas de preservação permanente em margens de rios inseridos em áreas urbanas.

Proposta para a gestão integrada das áreas de preservação permanente em margens de rios inseridos em áreas urbanas. Proposta para a gestão integrada das áreas de preservação permanente em margens de rios inseridos em áreas urbanas. Cláudia Regina dos Santos Gerente de Projetos da Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Leia mais

Jeroaldo de Souza Santos Rita Jaqueline Nogueira Chiapetti. Miriam Cleide Cavalcante de Amorim Rossela Franchino Matteo Nigro Paulo Fernando Meliani

Jeroaldo de Souza Santos Rita Jaqueline Nogueira Chiapetti. Miriam Cleide Cavalcante de Amorim Rossela Franchino Matteo Nigro Paulo Fernando Meliani EIXO 1: ANÁLISE AMBIENTAL URBANA Local: AUDITÓRIO 1 MÓDULO LUIZÃO Dia/Horário: 01/11-20:00 às 22:00 AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS E AMBIENTAIS NO ESPAÇO URBANO NO DISTRITO DE COMANDATUBA, UNA - BA,

Leia mais

Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo - 1º semestre de 2010

Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo - 1º semestre de 2010 Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo - 1º semestre de 2010 Instituição de Ensino Superior: CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ Unidade

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL N 001/2011 RESULTADO FINAL - ORDEM CLASSIFICAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO EDITAL N 001/2011 RESULTADO FINAL - ORDEM CLASSIFICAÇÃO 135 CARLUCIA MADALENA DE OLIVEIRA 484.124.365 92,50 HABILITADO 1 HABILITADO 138 CARMEM LUCIA VIEIRA LIETE NOGUEIRA 206.656.658 87,50 HABILITADO 2 HABILITADO 176 CRISTIAN SAMUEL E SILVA MIKALAUSKA 214.491.596

Leia mais

Mapa de Candidaturas com Pedidos de Residência da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas 2010/2011

Mapa de Candidaturas com Pedidos de Residência da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas 2010/2011 Candidatura Estado Aluno Nome Aproveitamento R. Candidatura 224563 Entregue 224378 Entregue 90874 Ana Luísa Vieira Soares Falta matrícula e 104407 Ana Manuela Matos Magalhães Sim Alojar 235605 Aberta 110101

Leia mais