CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015"

Transcrição

1 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE

2 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento da inflação, dos juros e do desemprego, sinais claros de um período de ajustes na economia. O governo e a nova equipe econômica, se por um lado conseguiram reduzir gastos e aumentar impostos, por outro perderam em arrecadação de impostos (por conta da desaceleração econômica), praticamente anulando os ganhos incorridos até então. A maior parte dos analistas já não acredita que será possível atingir a meta de superávit primário (1,2% do PIB) proposta para esse ano. A estratégia de utilizar um aperto monetário aliado ao aperto fiscal resultou em um aumento nos custos da dívida e brusca redução da atividade econômica, sem sinais claros de controle inflacionário no curto prazo. A taxa básica de juros da economia (taxa SELIC) encerrou o trimestre a 13,75% ante 12,75% do trimestre anterior. O cenário internacional também foi negativo para os países emergentes, com desaceleração da economia chinesa e início do estouro da bolha do mercado de ações chinês, além da incerteza em relação aos possíveis desdobramentos da crise Grega. Ao longo do segundo trimestre as commodities demonstraram certa recuperação, com alta nos preços do minério de ferro e do petróleo. A variação do Dólar ante o Real no período foi de +0,32%, o CDI do período foi de 3,02%, o INPC de 4,04% e o IPCA de 3,61%. A bolsa teve valorização de 3,77% no período, bastante impulsionada pela recuperação dos papéis de Petrobrás (+30,6%). O desemprego passou de 5,9% para 6,7% no período. Este cenário demonstra os desafios que a gestão de investimentos terá de enfrentar ainda em 2015, com a previsão de continuidade de alta nos juros, inflação elevada e baixa perspectiva para atividade econômica nesse ano. 1

3 DISTRIBUIÇÃO DOS INVESTIMENTOS A Fundação Copel, assim como todas as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), administra os recursos dos planos dentro dos limites estabelecidos pela legislação (Resolução CMN 3792/2009) e pelos parâmetros definidos pela Política de Investimentos aprovada pelo Conselho Deliberativo da Fundação. Estes normativos fixam os limites de alocação dos investimentos nos seguintes segmentos: Renda Fixa, Renda Variável, Imóveis, Empréstimos a Participantes, Investimentos Estruturados e Investimentos no Exterior. A alocação dos recursos é definida a partir de um estudo que busca otimizar a composição da carteira de investimentos visando atender o compromisso previdenciário com os participantes, de forma a ter condições de pagar até o último benefício do último participante ou dependente do Plano. O quadro a seguir apresenta a distribuição dos recursos do plano entre os segmentos, em 30 de junho de 2015: DISTRIBUIÇÃO DOS RECURSOS DO PLANO ENTRE OS SEGMENTOS R$ mi % Renda Fixa 4.584,8 93,5 Renda Variável 147,2 3,0 Imóveis 120,0 2,5 Empréstimos a Participantes 30,2 0,6 Investimentos Estruturados 20,0 0,4 Total 4.902,2 100,0 Observa-se que a maior parte dos recursos está alocada no segmento de renda fixa, que representa mais de 93% do total dos recursos do Plano, enquanto 3% dos recursos estão alocados em renda variável. Nos demais segmentos estão alocados menos de 4% dos recursos do Plano. 2

4 RENTABILIDADE DOS INVESTIMENTOS As rentabilidades obtidas pelos investimentos nos primeiros trimestres de 2015, e os indicadores para o mesmo período, podem ser observadas no quadro a seguir: RENTABILIDADES TRIMESTRAIS E BENCHMARKS Segmentos Rentabilidades (%) Benchmarks (%) 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 2015 Renda Fixa 4,84 3,88 8,91 5,67 3,93 9,83 Renda Variável -0,53 2,34 1,80 2,29 3,77 6,15 Imóveis 2,72 2,46 5,25 5,67 3,93 9,83 Empréstimos 4,55 5,24 10,04 5,67 3,93 9,83 Estruturados -0,42-8,11-8,49 6,33 4,72 11,35 Plano 4,58 3,77 8,52 5,67 3,93 9,83 No segundo trimestre de 2015, a rentabilidade global da carteira do Plano foi 3,77%, abaixo do benchmark (INPC + 5,75% a.a.), que no período foi de 3,93%. No acumulado do ano o plano atingiu uma rentabilidade de 8,52% vs 9,83% do benchmark. A forte alta da inflação, registrada nos seis primeiros meses do ano (6,80%, medida pelo INPC), elevou consideravelmente o benchmark do plano, a taxa mínima atuarial. A maior parte dos investimentos em renda fixa do plano está atrelada ao IPCA, historicamente esses dois índices tendem a ter um comportamento semelhante, contudo, neste ano o IPCA registrou alta de 6,17%, ocasionando um descasamento de aproximadamente 0,6%, diferença que prejudica o desempenho do plano em relação à meta atuarial. Dessa forma, mesmo com a relevante exposição em renda fixa, que representa mais de 93% dos recursos do Plano, não foi possível superar o benchmark no período. A seguir serão abordados os resultados obtidos em cada um dos segmentos. 3

5 RENTABILIDADE DOS INVESTIMENTOS Renda Fixa No segundo trimestre de 2015 a carteira de renda fixa apresentou rentabilidade de 3,88%, ligeiramente abaixo do benchmark (3,93%). Essa pequena diferença de rentabilidade entre a carteira e o benchmark se justifica, em parte, pela diferença entre os títulos indexados ao IPCA, que variou no período 2,26% e o benchmark indexado ao INPC que teve variação de 2,49% no mesmo período. Como aproximadamente 92% da nossa carteira de títulos públicos indexados à inflação estão marcados pela curva do papel, esse plano acabou não se beneficiando do fechamento de taxas que ocorreram nesses papéis com vencimentos mais longos. Importante destacar que a legislação permite a utilização de duas formas de precificação para os títulos da carteira de renda fixa: precificação a mercado e pela curva. Na precificação a mercado os títulos são valorizados pelo preço em que são negociados no dia a dia e refletem o resultado da oferta e da demanda pelos títulos, enquanto na precificação pela curva os títulos são valorizados pela taxa que foram adquiridos, independente do preço que estão sendo negociados. Se mantidos na carteira até o vencimento, a rentabilidade dos títulos será a mesma, e a condição para precificar os títulos pela curva é justamente mantê-los até o vencimento. Em razão das características do plano, e visando amenizar a volatilidade, cerca de 92% dos títulos da carteira de renda fixa estão precificados pela curva e 8% a mercado. Atualmente a carteira de renda fixa do Plano Unificado é gerida exclusivamente pela equipe interna da Fundação Copel. 4

6 RENTABILIDADE DOS INVESTIMENTOS Renda Variável A carteira do segmento de renda variável registrou retorno de 2,34% no segundo trimestre, abaixo do benchmark, o Ibovespa, que apresentou valorização de 3,77% no mesmo período. O desempenho abaixo do Ibovespa no período é em parte explicado pela menor participação de ações da Petrobrás na Carteira da Fundação Copel em relação à carteira do índice, dado que as ações da Petrobras tiveram uma alta de mais de 30% no trimestre. A menor alocação nessas ações ocorre pelo entendimento da equipe de gestão de que estas ações continuarão sofrendo uma grande volatilidade em função dos desdobramentos, ainda incertos, da operação Lava Jato. Aliado ao cenário interno desafiador, há uma incerteza em relação à sobre valorização da bolsa chinesa e possibilidade de aumento dos juros americanos no segundo semestre deste ano, gerando mais turbulência para este segmento e certamente influenciando no desempenho das ações. O atual ambiente econômico recessivo, onde a confiança dos principais agentes permanece muita baixa, se torna bastante desafiador para as empresas, pois, muitas delas veem suas receitas diminuírem como consequência da queda no consumo, trazendo insegurança para os empresários realizarem novos investimentos em expansão. 5

7 RENTABILIDADE DOS INVESTIMENTOS Imóveis Investimentos Estruturados O segmento é composto por três imóveis locados para patrocinadoras da Fundação Copel. A carteira de imóveis do plano Unificado manteve-se com a rentabilidade abaixo do seu benchmark neste 2º trimestre, fechando com retorno de 2,46% (1,47% abaixo do seu benchmark). A razão do desempenho menor que o do benchmark no trimestre se dá pela inadimplência temporária de parte do aluguel de um dos imóveis da carteira, cujo valor representa 32% do total de recebimentos dessa carteira. A expectativa é equacionar essa situação nos próximos meses. O baixo retorno do segmento de investimentos estruturados já era esperado, pois são investimentos recentes em Fundos de Investimentos em Participações, que levam mais tempo para maturar e dos quais se espera retornos expressivos no longo prazo. O volume investido neste segmento ainda é bastante pequeno, representa menos de 0,5% do total dos recursos do Plano. Entretanto, cabe ressaltar que a carteira de imóveis foi reavaliada no 4º trimestre de 2014, quanto apresentou valorização de 37,21% no período e 50,72% no acumulado do ano passado. Conforme determina a legislação, pelo menos a cada três anos os imóveis devem ser reavaliados. 6

8 José Carlos Lakoski Diretor Financeiro Bruno Maueler da Cruz Gerente de Investimentos Equipe de Investimentos Anderson Fernandes Nery, Carlos Eduardo Valgrande Augusto, Carlos José Ruiz, Daniel Alves dos Santos, e Luiz Carlos Ferdinando. 7

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 1º TRI/2014

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 1º TRI/2014 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 1º TRIMESTRE DE 2014 1 CENÁRIO ECONÔMICO Após um ano muito adverso para os investimentos, o primeiro trimestre de 2014 foi mais um período em que se alternaram momentos

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 1 Trimestre RESULTADOS OBTIDOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Junho/2016 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2016 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em junho, rentabilidade

Leia mais

RELATÓRIO DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS DA ASSISTÊNCIA 1º TRIM/2016

RELATÓRIO DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS DA ASSISTÊNCIA 1º TRIM/2016 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO RELATÓRIO DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS DA ASSISTÊNCIA 1º TRIM/2016 ÍNDICE DEMOSTRATIVO DAS APLICAÇÕES DA ASSISTÊNCIA

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

GESTÃO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO

GESTÃO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO GESTÃO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO janeiro março / 2016 Síntese do Relatório No 1º trimestre de 2016 tivemos uma excelente performance dos investimentos. O plano I BD teve variação positiva

Leia mais

Carta Econômica Trimestral

Carta Econômica Trimestral CARTA ECONÔMICA Nº 09/2016 Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, Economia: Carta Econômica Trimestral No campo econômico, apesar de alguns índices estarem com valores indesejados

Leia mais

RELATÓRIO PREVI NOVARTIS. 1- Overview Macroeconômico. 18 de março de 2016

RELATÓRIO PREVI NOVARTIS. 1- Overview Macroeconômico. 18 de março de 2016 1- Overview Macroeconômico FED adota postura cautelosa diante das incertezas no cenário global. No Brasil, a recessão se aprofunda e, sem reformas, será difícil reverter o quadro. Internacional A presidente

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos. Plano Promon MultiFlex. 31 de dezembro de 2017

Resumo das Políticas de Investimentos. Plano Promon MultiFlex. 31 de dezembro de 2017 Resumo das Políticas de Investimentos 31 de dezembro de 2017 Plano Promon MultiFlex O Conselho Deliberativo da Fundação Promon, em reunião ocorrida em 14 de dezembro de 2017, aprovou a revisão da Política

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos

Resumo das Políticas de Investimentos Plano Promon MultiFlex O Conselho Deliberativo da Fundação Promon, em reunião ocorrida em 14 de dezembro de 2016, aprovou a revisão da Política de Investimentos do plano MultiFlex, válida para o período

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Outubro/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Outubro/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em outubro, rentabilidade

Leia mais

COMENTÁRIO ECONÔMICO Primeiro trimestre (1T18): Mais uma queda dos juros e crescimento moderado

COMENTÁRIO ECONÔMICO Primeiro trimestre (1T18): Mais uma queda dos juros e crescimento moderado Primeiro trimestre (1T18): Mais uma queda dos juros e crescimento moderado Em março e até meados de abril, o que avaliamos é que a economia brasileira está mostrando crescimento bastante moderado em 2018.

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 04/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 04/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 04/2014 Data: 27/02/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS. 1º Semestre 2018 GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS DIRETORIA FINANCEIRA

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS. 1º Semestre 2018 GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS DIRETORIA FINANCEIRA RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS 1º Semestre 2018 GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS DIRETORIA FINANCEIRA 1 CENÁRIO ECONÔMICO A atividade econômica no 1º semestre de 2018, que já se encontrava em dificuldade,

Leia mais

Carta Econômica Mensal Novembro 2016

Carta Econômica Mensal Novembro 2016 Cuiabá, 14 de novembro de 2016. Carta Econômica Mensal Novembro 2016 Neste mês podemos destacar três acontecimentos que foram marcantes e que tiveram influências significativas ao cenário econômico e aos

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Abril/2016 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Abril/2016 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em abril, rentabilidade

Leia mais

Informativo Mensal Investimentos

Informativo Mensal Investimentos Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Informativo Mensal Investimentos

Informativo Mensal Investimentos Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos

Resumo das Políticas de Investimentos Plano Promon MultiFlex O Conselho Deliberativo da Fundação Promon, em reunião ocorrida em 10 de dezembro de 2015, aprovou a revisão da Política de Investimentos do plano MultiFlex, válida para o período

Leia mais

Onde Investir no Atual Cenário Político e Econômico do Brasil?

Onde Investir no Atual Cenário Político e Econômico do Brasil? Cuiabá-MT, 06 de Julho de 2017. Carta Econômica Mensal-Junho de 2017 Realidade Política ou Realidade Econômica? Onde Investir no Atual Cenário Político e Econômico do Brasil? Diante dos acontecimentos

Leia mais

PREVI Futuro - Mai / Resultado

PREVI Futuro - Mai / Resultado PREVI Futuro - Mai / 2018 + = Resultado Conjuntura Econômica Educação Previdenciária é fundamental para associado do Previ Futuro, que participa ativamente da gestão do seu plano No Previ Futuro, o valor

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Agosto/2016 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Agosto/2016 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em agosto, rentabilidade

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Novembro/2016 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Novembro/2016 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em novembro, rentabilidade

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS 1º trimestre/ 2017 GEINV 1º trimestre - 2017 1 PLANO I - BD O ano de 2017 começou muito bem para o Plano I - BD, atingindo uma rentabilidade

Leia mais

Relatório de Manifestação do Conselho Fiscal UNISYS-PREVI

Relatório de Manifestação do Conselho Fiscal UNISYS-PREVI Relatório de Manifestação do Conselho Fiscal UNISYS-PREVI 1º Semestre 2018 ÍNDICE 1. RESUMO... 3 2. AVALIAÇÃO DO CENÁRIO MACROECONÔMICO... 4 2.1. FUTURO DE TAXA DE JUROS... 4 2.1. FUTURO DE TAXA DE JUROS...

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Setembro/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Setembro/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em setembro, rentabilidade

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Outubro/2016 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Outubro/2016 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em outubro, rentabilidade

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS Plano B

NOTAS EXPLICATIVAS Plano B Cenário Doméstico A esperada proposta da reforma da previdência foi apresentada pela equipe econômica do governo com uma meta mais ousada do que a expectativa, contemplando mais de R$ 1,1 trilhão de impacto

Leia mais

Relatório Gerencial Setembro 2017

Relatório Gerencial Setembro 2017 1. Cenário Econômico Relatório Gerencial Setembro 2017 EUA: O Federal Reserve 1 (FED) manteve a taxa de juros e anunciou que o processo de redução do seu balanço de ativos terá início em outubro. A taxa

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Investimentos na Duprev

Investimentos na Duprev Investimentos na Duprev Plano de Aposentadoria Duprev CD Contribuições Participantes + = aposentadoria Contribuições da empresa Saldo para Patrimônio Investido Perfis de Investimento Alternativas de aplicação

Leia mais

Alocação Atual x Limite Legal

Alocação Atual x Limite Legal Relatório de Avaliação da Política de Investimento Relatório Semestral 2º semestre de 2010 Relatório de Avaliação da Política de Investimento 2º semestre de 2010 O presente relatório tem por objetivo avaliar

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Setembro/2016 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Setembro/2016 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em setembro, rentabilidade

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Dezembro/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Dezembro/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em dezembro, rentabilidade

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Fevereiro/2017 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Fevereiro/2017 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em fevereiro,

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Agosto/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Agosto/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em agosto, rentabilidade

Leia mais

Relatório Anual Ultraprev Resumo. ULTRAPREV ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Relatório Anual 2017 Abril de 2018 nº 22

Relatório Anual Ultraprev Resumo. ULTRAPREV ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Relatório Anual 2017 Abril de 2018 nº 22 Relatório Anual Ultraprev Resumo ULTRAPREV ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Relatório Anual 2017 Abril de 2018 nº 22 RELATÓRIO ULTRAPREV 2017 RESUMO PARTICIPANTES Patrocinadoras Quantidade de participantes

Leia mais

Relatório de Manifestação do Conselho Fiscal UNISYS-PREVI

Relatório de Manifestação do Conselho Fiscal UNISYS-PREVI Relatório de Manifestação do Conselho Fiscal UNISYS-PREVI 2º Semestre 2017 ÍNDICE 1. RESUMO... 3 2. AVALIAÇÃO DO CENÁRIO MACROECONÔMICO... 4 2.1. FUTURO DE TAXA DE JUROS... 4 2.2. CUPONS DE NTNBS... 4

Leia mais

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Agosto de 2016

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Agosto de 2016 Relatório de Análise dos Investimentos da OABPREV SP Agosto de 2016 1. Introdução O presente Relatório de Análise dos Investimentos visa fornecer algumas análises quantitativas do mercado (indicadores

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS. 1º Trimestre

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS. 1º Trimestre GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS 1º Trimestre - 2018 1 CENÁRIO ECONÔMICO No primeiro trimestre de 2018 observamos uma melhora nas condições do mercado, o que acarretou

Leia mais

F U N D A Ç Ã O D E S E G U R I D A D E S O C I A L P O U P R E V. Relatório Anual de informações RESUMO

F U N D A Ç Ã O D E S E G U R I D A D E S O C I A L P O U P R E V. Relatório Anual de informações RESUMO 2016 F U N D A Ç Ã O D E S E G U R I D A D E S O C I A L P O U P R E V Relatório Anual de informações RESUMO RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES 2016 O presente resumo do Relatório Anual de Informações

Leia mais

Apresentação. Aristides Leite França Diretor-presidente. Eduardo Henrique Garcia Diretor de Investimentos

Apresentação. Aristides Leite França Diretor-presidente. Eduardo Henrique Garcia Diretor de Investimentos boletim semestral elaborado pela diretoria de investimentos da fundação Real Grandeza Ano IV - núnero 7 - Janeiro de 2016 Apresentação Aristides Leite França Diretor-presidente Eduardo Henrique Garcia

Leia mais

Instituto apresenta resultados da gestão dos investimentos até novembro de 2017

Instituto apresenta resultados da gestão dos investimentos até novembro de 2017 Edição nº 21-21 de dezembro de 2017 Instituto apresenta resultados da gestão dos investimentos até novembro de 2017 No acumulado dos últimos 5 anos, houve crescimento de 72,01% no patrimônio líquido dos

Leia mais

No cenário externo, ambiente segue estável; no Brasil, o governo interino tomou posse e propõe reformas fiscais

No cenário externo, ambiente segue estável; no Brasil, o governo interino tomou posse e propõe reformas fiscais 1- Overview Macroeconômico No cenário externo, ambiente segue estável; no Brasil, o governo interino tomou posse e propõe reformas fiscais Internacional Nos EUA, dados mais fracos do mercado de trabalho

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Maio/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Maio/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em maio, rentabilidade de

Leia mais

Apresentação. Aristides Leite França Diretor-presidente. Eduardo Henrique Garcia Diretor de Investimentos. Prezados Participantes e Assistidos,

Apresentação. Aristides Leite França Diretor-presidente. Eduardo Henrique Garcia Diretor de Investimentos. Prezados Participantes e Assistidos, BOLETIM SEMESTRAL ELABORADO PELA DIRETORIA DE INVESTIMENTOS DA FUNDAÇÃO REAL GRANDEZA Ano III - núnero 6 - Julho de 2015 Apresentação Aristides Leite França Diretor-presidente Eduardo Henrique Garcia Diretor

Leia mais

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Maio de 2016

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Maio de 2016 Relatório de Análise dos Investimentos da OABPREV SP Maio de 2016 1. Introdução O presente Relatório de Análise dos Investimentos visa fornecer algumas análises quantitativas do mercado (indicadores financeiros),

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS. 3º Trimestre 2018 DIRETORIA FINANCEIRA GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS. 3º Trimestre 2018 DIRETORIA FINANCEIRA GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS 3º Trimestre 2018 DIRETORIA FINANCEIRA GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS 1 CENÁRIO ECONÔMICO No penúltimo trimestre do ano o Banco Central, por meio de duas reuniões do

Leia mais

INDX registra alta de 1,46% em Junho

INDX registra alta de 1,46% em Junho 15-abr-11 6-mai-11 27-mai-11 17-jun-11 8-jul-11 29-jul-11 19-ago-11 9-set-11 30-set-11 21-out-11 11-nov-11 2-dez-11 23-dez-11 13-jan-12 3-fev-12 24-fev-12 16-mar-12 6-abr-12 27-abr-12 18-mai-12 8-jun-12

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS Plano B

NOTAS EXPLICATIVAS Plano B Cenário Doméstico A fotografia do final do mês reflete o bom desempenho dos ativos na última semana, recuperando as perdas. A construção da equipe econômica com nomes alinhados com as propostas de reformas

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO 2009 FUNDAÇÃO TECHNOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO 2009 FUNDAÇÃO TECHNOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO 2009 FUNDAÇÃO TECHNOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL INTRODUÇÃO A Fundação Technos de Previdência Social Technos é uma entidade Fechada de Previdência Complementar, instituída como entidade

Leia mais

Carta Econômica Trimestral

Carta Econômica Trimestral CARTA ECONÔMICA Nº 10/2016 Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, Outubro 2016 Neste final de outubro os gestores de recursos dos RPPSs, notadamente aqueles que fazem um

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

IMPRESSO ESPEC AL CON RA

IMPRESSO ESPEC AL CON RA IMPRESSO ESPECIAL CONTRATO 2136-4/ 21 ECT/DR/RIO/CBS-PREVIDÊNCIA Polític a de Investimento 26/21 http :\\ ww w. cbsprev.com. br INFORMATIVO N. º 14-28-12-2 VOLT A REDONDA/RJ E m atendimento à Resoluçã

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO GABRIEL/RS

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO GABRIEL/RS INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO GABRIEL/RS CONJUNTURA ECONÔMICA E FINANCEIRA Agosto/17 INTRODUÇÃO Neste relatório disponibilizamos a conjuntura econômica financeira para

Leia mais

Carta ao Cotista Julho Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Julho Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Julho 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional A economia chinesa expandiu-se 7% no primeiro semestre, o resultado foi ligeiramente melhor do que o previsto pelo mercado. Dados recentes

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV Edição: junho/2013 nº 34 Informações referentes à maio/2013 Cenários Cenário Internacional A preocupação atual nos EUA é em relação à manutenção do programa de recompra de títulos, conhecido como

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL 9/ /10/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de CAROLINA MA IMPRESEC

RELATÓRIO MENSAL 9/ /10/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de CAROLINA MA IMPRESEC RELATÓRIO MENSAL 9/2017 19/10/2017 Regime Próprio de Previdência Social do município de CAROLINA MA IMPRESEC Prezado(a) Presidente, Sr(a). Alexandre Augusto Bringel; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

Apresentação e análise dos investimentos do PREVIMPA de Junho de 2014 COMITÊ DE INVESTIMENTOS

Apresentação e análise dos investimentos do PREVIMPA de Junho de 2014 COMITÊ DE INVESTIMENTOS Apresentação e análise dos investimentos do PREVIMPA de Junho de 2014 1 - Evolução do Patrimônio Líquido do Capitalizado: Títulos Marcados a Mercado 650.000.000 600.000.000 550.000.000 R$ 551.117.589,01

Leia mais

Plano 1. Conheça a Composição do Resultado da PREVI - = Resultado

Plano 1. Conheça a Composição do Resultado da PREVI - = Resultado Plano 1 Conheça a Composição do Resultado da PREVI - = Resultado Balanço Patrimonial Ativo Onde estão aplicados todos os recursos do Plano 1 Passivo Renda Variável Investimentos em ações 50,83% Carteira

Leia mais

INDX registra alta de 6,4% em janeiro

INDX registra alta de 6,4% em janeiro INDX 3-jan-11 17-jan-11 31-jan-11 14-fev-11 28-fev-11 14-mar-11 28-mar-11 11-abr-11 25-abr-11 9-mai-11 23-mai-11 6-jun-11 2-jun-11 4-jul-11 18-jul-11 1-ago-11 15-ago-11 29-ago-11 12-set-11 26-set-11 1-out-11

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS Plano TAESA

NOTAS EXPLICATIVAS Plano TAESA Cenário Doméstico Volatilidade. Esta palavra pode descrever fielmente o desempenho dos ativos no mês de maio. O cenário externo volátil e ruídos de comunicação na política, maltrataram o preço dos ativos

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS OBJETIVO Os investimentos dos Planos de Aposentadoria administrados pela PRhosper Previdência Rhodia, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através

Leia mais

COMENTÁRIO ECONÔMICO Mais oportunidades e mais risco

COMENTÁRIO ECONÔMICO Mais oportunidades e mais risco COMENTÁRIO ECONÔMICO Mais oportunidades e mais risco No mês de outubro o mercado renovou o otimismo em razão da vitória do candidato a presidência da república de Jair Bolsonaro, visto como uma alternativa

Leia mais

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO OUTUBRO DE 2014 1. Apresentação A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313,

Leia mais

Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos

Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos Atividade Econômica PIB - Crescimento anual (%) 4, 4,1 4,5 3,2 3,1 3,5 2,1 1,7 2, 4,8 3,6 2, 2 211 212 213 214 215 216 217* 218* * Projeções do FMI

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

Relatório Mensal. 2013 Fevereiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2013 Fevereiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2013 Fevereiro Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Outubro de 2015

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Outubro de 2015 RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Outubro de 2015 1 RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS 1.1. Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) DATA CC FI DI/RF PGA FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS FEVEREIRO/2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS FEVEREIRO/2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS OBJETIVO Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Ano IV FEVEREIRO/2013 Nº 31. Cenário Internacional. Cenário Nacional. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Ano IV FEVEREIRO/2013 Nº 31. Cenário Internacional. Cenário Nacional. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV FEVEREIRO/2013 Nº 31 Cenários Cenário Internacional Nos EUA, a incerteza com relação ao acordo fiscal entre democratas e republicanos acentuou-se no mês de fevereiro. A demora na resolução do impasse

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS Plano B

NOTAS EXPLICATIVAS Plano B Cenário Doméstico Volatilidade. Esta palavra pode descrever fielmente o desempenho dos ativos no mês de maio. O cenário externo volátil e ruídos de comunicação na política, maltrataram o preço dos ativos

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS OBJETIVO Os investimentos dos Planos de Aposentadoria administrados pela PRhosper Previdência Rhodia, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS OBJETIVO Os investimentos dos Planos de Aposentadoria administrados pela PRhosper Previdência Rhodia, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através

Leia mais

Carta Econômica Mensal-Julho de Ver para Crer

Carta Econômica Mensal-Julho de Ver para Crer Cuiabá, 07 de Agosto de 2017. Carta Econômica Mensal-Julho de 2017 Ver para Crer Em julho ainda continuamos a assistir à divulgação de alguns índices econômicos que apenas nos sugerem a melhoria de algum

Leia mais

Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos,

Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, CARTA ECONÔMICA Nº 08/2016 Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, O mês de agosto foi marcado pela conclusão do longo processo de impedimento da presidente da República,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL 9/ /11/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de GUARAÍ TO GUARAI PREV

RELATÓRIO MENSAL 9/ /11/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de GUARAÍ TO GUARAI PREV RELATÓRIO MENSAL 9/2017 10/11/2017 Regime Próprio de Previdência Social do município de GUARAÍ TO GUARAI PREV Prezado(a) Presidente, Sr(a). Meirynalva Batista Barnabé; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

Formulário de Referência CIA LOCAÇÃO DAS AMÉRICAS Versão : 3

Formulário de Referência CIA LOCAÇÃO DAS AMÉRICAS Versão : 3 4.2. Descrever, quantitativa e qualitativamente, os principais riscos de mercado a que o emissor está exposto, inclusive em relação a riscos cambiais e a taxas de juros. O governo brasileiro exerceu e

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos

Resumo das Políticas de Investimentos Plano Promon MultiFlex Em reunião ocorrida em 14 de dezembro de 2011, o Conselho Deliberativo da Fundação Promon aprovou a revisão da política de investimentos do Plano MultiFlex, válida para o período

Leia mais

Relatório de Mercado Semanal

Relatório de Mercado Semanal Boletim Focus Relatório de Mercado Focus Fonte:Banco Central Cenário A semana contou com a divulgação de importantes dados do cenário interno e, principalmente, do cenário externo, dentre eles: vendas

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL 9/ /10/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de ALTA FLORESTA MT IPREAF

RELATÓRIO MENSAL 9/ /10/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de ALTA FLORESTA MT IPREAF RELATÓRIO MENSAL 9/2017 17/10/2017 Regime Próprio de Previdência Social do município de ALTA FLORESTA MT IPREAF Prezado(a) Diretor Executivo, Sr(a). Valmir Guedes Pereira; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL 10/ /11/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de GUARAÍ TO GUARAI PREV

RELATÓRIO MENSAL 10/ /11/2017. Regime Próprio de Previdência Social do município de GUARAÍ TO GUARAI PREV RELATÓRIO MENSAL 10/2017 17/11/2017 Regime Próprio de Previdência Social do município de GUARAÍ TO GUARAI PREV Prezado(a) Presidente, Sr(a). Meirynalva Batista Barnabé; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

PREVI Futuro. Conheça o desempenho de Janeiro a Agosto/ = Resultado

PREVI Futuro. Conheça o desempenho de Janeiro a Agosto/ = Resultado PREVI Futuro Conheça o desempenho de Janeiro a Agosto/2017 - = Resultado Balanço Patrimonial Ativo Onde estão aplicados todos os recursos do PREVI Futuro Passivo Renda Variável Investimentos em ações 29,76%

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos. Plano Promon MultiFlex. 31 de dezembro de 2018

Resumo das Políticas de Investimentos. Plano Promon MultiFlex. 31 de dezembro de 2018 Resumo das Políticas de Investimentos 31 de dezembro de 2018 Pl Promon MultiFlex Para subsidiar a revisão da Política de Investimentos para 2019, a Fundação contratou um estudo de alocação estratégica

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS

DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS SOCIEDADE IBGEANA DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS 1º Semestre Este relatório é de uso exclusivo dos órgãos de administração (Diretoria, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal)

Leia mais

Resumo das Políticas de Investimentos

Resumo das Políticas de Investimentos Plano Promon MultiFlex O Conselho Deliberativo, na citada reunião de 11 de dezembro de 2012, aprovou a política de investimentos para o plano Promon MultiFlex para o período 2013-2017, obedecendo às disposições

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS ABRIL/2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS ABRIL/2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS OBJETIVO Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS

GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS GERÊNCIA DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS 2017 1 CENÁRIO ECONÔMICO Em 2017 observamos eventos importantes internamente, com destaque para o campo político e para a recuperação

Leia mais

Informativo Mensal Investimentos

Informativo Mensal Investimentos Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO AVONPREV

RELATÓRIO DE GESTÃO AVONPREV RELATÓRIO DE GESTÃO AVONPREV Fevereiro/2018 No Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu cortar os juros em 25p.b., conforme o esperado, levando a taxa Selic para 6,75% a.a. A decisão foi

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV Edição: maio/2013 nº 33 Informações referentes à abril/2013 Cenários Cenário Internacional O sentimento dos investidores globais melhorou no último mês com a solução para a crise no Chipre e o melhor

Leia mais

Outubro Outubro/14 Icatu Vanguarda FIC OABPrev SP

Outubro Outubro/14 Icatu Vanguarda FIC OABPrev SP Outubro 2014 Outubro/14 Icatu Vanguarda FIC OABPrev SP Não diferente de boa parte de 2014, tivemos mais um mês de intensos acontecimentos macro econômicos locais e internacionais que trouxeram bastante

Leia mais

Resultados do Plano BD-ELOS/TRACTEBEL

Resultados do Plano BD-ELOS/TRACTEBEL Resultados do Plano BD-ELOS/TRACTEBEL O plano BD-ELOS/TRACTEBEL é um plano na modalidade Benefício Definido tendo a Engie Brasil S/A como patrocinadora, ressaltando que neste plano existem apenas participantes

Leia mais

Relatório Anual Ultraprev Resumo. ULTRAPREV ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Relatório Anual 2018 Abril de 2019 n o 23

Relatório Anual Ultraprev Resumo. ULTRAPREV ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Relatório Anual 2018 Abril de 2019 n o 23 Relatório Anual Ultraprev Resumo ULTRAPREV ASSOCIAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Relatório Anual 2018 Abril de 2019 n o 23 RELATÓRIO ULTRAPREV 2018 PATRIMÔNIO Abaixo, informamos a evolução das reservas

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS JANEIRO/2019

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS JANEIRO/2019 OBJETIVO Os investimentos dos Planos de Aposentadoria administrados pela PRhosper Previdência Rhodia, modalidade contribuição definida, têm por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo por meio

Leia mais

IPPASSO RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 2016 MAIO

IPPASSO RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 2016 MAIO RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS EXPECTATIVAS DE MERCADO Relatório de 17/06/ Página 2 CARTEIRA DE INVESTIMENTO ATIVOS % BR ABRIL FUNDOS DE RENDA FIXA 98,47% R$ 302.449.875,52 R$ 306.468.989,35 BANRISUL FOCO

Leia mais

PRINCIPAIS FATORES DE ANÁLISES. INVESTIMENTOS e RISCOS

PRINCIPAIS FATORES DE ANÁLISES. INVESTIMENTOS e RISCOS PRINCIPAIS FATORES DE ANÁLISES INVESTIMENTOS e RISCOS RENTABILIDADE A rentabilidade é a variação entre um preço inicial e um preço final em determinado período. É o objetivo máximo de qualquer investidor,

Leia mais

PREVI Futuro. Conheça o desempenho de Janeiro a Julho/2017. Resultado - =

PREVI Futuro. Conheça o desempenho de Janeiro a Julho/2017. Resultado - = Resultado PREVI Futuro Conheça o desempenho de Janeiro a Julho/ - = Balanço Patrimonial Ativo Onde estão aplicados todos os recursos do PREVI Futuro Passivo Renda Variável Investimentos em ações 29,39%

Leia mais

Resultado. PREVI Futuro - Nov / =

Resultado. PREVI Futuro - Nov / = Resultado PREVI Futuro - Nov / 2017 - = Balanço Patrimonial Ativo Passivo Onde estão aplicados todos os recursos do Plano PREVI Futuro Estes são distribuídos em uma Carteira de Investimentos Distribuição

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS MAIO/2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

INFORMATIVO MENSAL DE INVESTIMENTOS MAIO/2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS OBJETIVO Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais