O BANCO DE DADOS. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O BANCO DE DADOS. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados"

Transcrição

1 Esta publicação é um produto do Banco de Dados que o Programa Gestão Pública e Cidadania vem construindo desde 1996 a fim de reunir informações sobre os programas inscritos em todos os ciclos de premiação. Seu objetivo é a ampliação do estoque de conhecimento sobre experiências alternativas em governos subnacionais, por meio da identificação e da disseminação do que está dando certo na administração pública brasileira. Por este motivo, pode ser considerado um dos principais produtos de nosso Programa. Para todos os programas, projetos ou atividades que participaram dos nove Ciclos de Premiação (1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004), o Banco dispõe das informações constantes nas fichas de inscrição, cujos dados foram fornecidos por ocasião do envio do material para o processo de seleção. O Banco dispõe também de documentação na forma de relatórios, análises, materiais de divulgação, cópias de matérias jornalísticas, fitas de vídeo etc. relativa a diversos programas que enviaram materiais adicionais (ver quadro I, p.29). Para os 900 programas, projetos ou atividades classificados para a fase semifinal em cada um dos nove anos (100 em cada Ciclo de Premiação), foram obtidas informações mais detalhadas, uma vez que os responsáveis pelas inscrições tiveram que responder um questionário-padrão remetido pelo Programa (ver quadro III, p. 31 e 32). Dessa forma, o Banco reúne um conjunto de informações padronizadas que permite comparar as diversas experiências, possibilitando visualizar as mais recentes tendências na execução das políticas públicas por parte dos governos subnacionais brasileiros. Na forma em que está organizado, o Banco permite, de acordo com as necessidades de cada interessado, executar uma pré-seleção da documentação a ser pesquisada a partir de consultas por área de atuação governamental, nível de governo (ver quadro II, p. 30), área geográfica etc., disponibilizando uma variada gama de informações - mais completas para finalistas, pré-finalistas e semifinalistas - bastante úteis à consulta de gestores, pesquisadores, ocupantes de cargos públicos e cidadãos em geral. Além da própria consulta aos originais e às publicações, são três as possibilidades de acesso dos interessados ao material disponível no Banco de Dados: 28

2 1) pela Internet, no site (atenção: não digitar o usual www); 2) por fax- (11) poderão ser enviadas gratuitamente as informações constantes das fichas de inscrição de até seis cópias delas; 3) por correio, ou pessoalmente, poderão ser atendidos pedidos de cópias do material disponível, cobrando-se apenas os custos de reprodução e postagem. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados a) Kit de apresentação do Programa GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA. b) Dados constantes das fichas de inscrição: -nome do programa, projeto ou atividade; -área de ação governamental (ver o quadro IT); - órgão público responsável pela inscrição (nome do órgão, endereço completo, telefone e fax, institucional, site); - instituição executora do programa, projeto ou atividade (nome da instituição, endereço, telefone e fax, institucional, site); - nome e cargo da pessoa responsável pela inscrição; -alianças e parcerias com outros órgãos governamentais e/ou com entidades da sociedade civil (órgãos federais, associações, empresas privadas, igrejas, ONGs, partidos políticos etc.) -abrangência do programa, projeto ou atividade; -local(is) de implantação, especificar Estado, município ou território indígena; -data do início; -identificação do público beneficiário (aproximadamente 70 palavras); -objetivos do programa, projeto ou atividade (aproximadamente 100 palavras); -descrição de seu funcionamento (100 palavras); -ponto considerado inovador (100 palavras); -resultados e indicadores que demonstrem as melhorias alcançadas (100 palavras); e - breve descrição (aproximadamente 20 linhas) do programa, projeto ou atividade, elaborada pelo responsável pela inscrição. c) Status: inscrito, semifinalista, pré-finalista, finalista ou destaque. d) Resumo descritivo do programa, projeto ou atividade, elaborado pela equipe do Programa GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA. e) Resposta a questionário enviado aos semifinalistas (ver o quadro ITI, p. 31 e 32). f) Material adicional impresso (relatórios, mapas, cópias de matérias jornalísticas, folhetos de divulgação etc.). g) Outras publicações do Programa GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA (livros reunindo textos de especialistas sobre cada uma das 20 iniciativas finalistas de cada ano e demais volumes da série Cademos Gestão Pública e Cidadania, contendo análises diversas baseadas nas informações reunidas pelo Programa (ver p. 262). 29

3 CADERNOS GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA QUADRO 11 - Códigos de área de atuação governamental dos programas, projetos e atividades inscritos no Ciclo de Premiação ADMINISTRAÇÃO E GOVERNO 2 INFRA-ESTRUTURA E MEIO AMBIENTE 1.1 Formas de Gestão e Planejamento 2.1 Saneamento (água e esgoto) 1.2 Relações Intergovernamentais 2.2 Energia e Recursos Minerais 1.3 Relações Intragovernamentais 2.3 Trânsito e Vias Públicas 1.4 Patrimônio Público 2.4 Telecomunicações 1.5 Finanças e Orçamento Público 2.5 Urbanismo, Uso e Ocup~ção do Solo 1.6 Sistemas de Fiscalização e Controle 2.6 Prevenção de Acid. em Areas de Risco 1.7 Sistemas de Informação 2.7 Recursos Hídricos, Irrigação e Drenagem 1.8 Consórcios Intermunicipais 2.8 Controle de Poluição 1.9 Participação Popular 2.9 Limpeza Pública e Sist. Coleta, Trat. e 1.10 Desenvolvimento e Administração Destinação Final do Lixo de Pessoal 2.10 Preservação de Ecossistemas e Reflorest. 3 SERVIÇOS PÚBLICOS 3.1 Educação 4 CIDADANIA E DIREITOS 3.2 Saúde HUMANOS 3.3 Habitação 4.1 Criança e Adolescente 3.4 Transporte Público 4.2 Idoso e Terceira Idade 3.5 Cultura e Patrim. Histórico e Artístico 4.3 Negro, Raça e Etnia 3.6 Lazer e Esportes 4.4 Mulher e Gênero 3.7 Segurança Pública e Policiamento 4.5 Portadores de Def. e Nec. Especiais 3.8 Previdência Social 4.5 Consumidores e Usuários de Serviços 3.9 Abastecimento 4.7 Minorias Diversas 3.10 Assistência Social 4.8 Jovens Adultos e Juventude 6 LEGISLATIVO 6.1 Diálogo com a Sociedade e Participação de Minorias 5 DESENVOLVIMENTO 6.2 Mecanismos de Transp. e Prestação de ECONÔMICO E SOCIAL Contas à Sociedade 6.3 Educação Política para a Cidadania 6.4 Democratização da Informação 5.1 Ciência e Tecnologia 6.5 Modernização e Melhoria da Atividade 5.2 Indústria, Comércio, Serviços Legislativa 5.3 Agropecuária e Pesca 5.4 Desenvolvimento Regional e Local em 7 JUDICIÁRIO Bases Sustentáveis 7.1 Humanização do Sistema Prisional 5.5 Reforma Agrária 7.2 Medidas de Apoio à Redução da Exclusão 5.6 Formação de Mão-de-obra e Geração de Social Emprego e Renda 7.3 Democratização do Acesso à Justiça 5.7 Melhoria das Condições e das Relações 7.4 Descentralização do Atendimento de Trabalho 7.5 Mecanismos de Transp. E Prestação de Contas à Sociedade 7.6 Democratização da Informação 7.7 Modernização dos Serviços e Melhoria do Atendimento 30

4 QUADRO m - Questionário-padrão enviado aos 100 semifinalistas do Ciclo de Premiação Liste os objetivos e especifique as metas mais importantes do programa, projeto ou prática, por ordem de prioridade. 2. Descreva o funcionamento do programa, projeto ou prática e aponte qual(is) a(s) sua(s) frente(s) de atuação. 3. O programa, projeto ou prática faz parte de uma iniciativa, programa ou política mais abrangente (da mesma ou de outra esfera de governo)? Em caso afirmativo, descreva como se dá esta ligação. 4. Identifique o público-alvo. Quantos são, no momento, os diretamente beneficiados? Qual é a proporção de homens e de mulheres beneficiados? Que percentual da clientela potencial isto representa? Como é feita a seleção dos beneficiários e como eles participam do programa, projeto ou prática? 5. Qual é o gasto orçamentário anual do programa, projeto ou prática? Quais as fontes de recursos financeiros (locais, estaduais, federais, privadas)? Que percentual dos recursos financeiros anuais é derivado de cada uma dessas fontes? Que percentual da receita orçamentária total do nível de governo (estadual, municipal etc.), a que pertence o órgão responsável pela inscrição, é efetivamente utilizado pelo programa, projeto ou prática? 6. Quantas pessoas estão diretamente envolvidas na operação de seu programa, projeto ou prática? Quantos homens e quantas mulheres realizam funções de direção (ou de tomada de decisões) e quantos realizam funções de execução? 7. Indique todas as organizações (públicas e privadas) participantes, descrevendo o papel de cada uma. Explique como estas organizações interagem e de que modo suas ações individuais são coordenadas. 8. Se seu programa, projeto ou prática envolve a participação da comunidade e do públicoalvo, descreva como esta participação se concretiza (explique os mecanismos de participação). 9. Quando e como foi originariamente concebido o programa, projeto ou prática? Quais os principais participantes governamentais e não-governamentais neste processo? Houve inspiração em iniciativa(s) anterior(es)? Qual(is)? 10. Identifique as etapas-chave de implementação e como isto evoluiu e se modificou ao longo do tempo. Que mudanças ocorreram desde o início de operação do programa, projeto ou prática? 11. Descreva os principais obstáculos enfrentados até o momento. Como se lidou com tais obstáculos? Quais deles ainda persistem? 12. Que mecanismos de avaliação estão sendo utilizados para medir o sucesso do programa, projeto ou prática? Forneça os resultados (quantitativos e qualitativos) do último ano de operação do programa, projeto ou prática. 31

5 CADERNOS GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA 13. Qual é a mais importante conquista de seu programa, projeto ou prática até o momento (cite apenas uma; aquela que, na sua opinião, é a mais importante)? 14. Em que aspectos seu programa, projeto ou prática inovou em relação a práticas anteriores? Procure explicar bem em que consiste a inovação. 15. Mesmo que seu programa, projeto ou prática não focalize especificamente a questão da pobreza, como você avalia seu impacto sobre esta questão? 16. Qual o impacto do programa, projeto ou prática sobre a cidadania? (Mencione aqui aspectos relativos à cidadania que eventualmente não tenham sido mencionados. Inclua aqui também questões relativas a gênero, raça ou etnia). 17. Caso seu programa, projeto ou prática já tenha participado do PROGRAMA GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA anteriormente, qual a diferença que ele apresenta este ano em relação ao ano em que se inscreveu pela última vez? 18. Qual é a mais significativa deficiência do programa, projeto ou prática? 32

O BANCO DE DADOS GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA- CICLO DE PREMIAÇÃO 2001

O BANCO DE DADOS GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA- CICLO DE PREMIAÇÃO 2001 19 O BANCO DE DADOS As informações do Banco de Dados do Programa GESTÃO PÚBLICA E CIDADANIA constam das fichas de inscrição preenchidas pelos participantes dos ciclos de premiação. O Banco dispõe também

Leia mais

Programa de Trabalho por Função/SubFunção/Programa

Programa de Trabalho por Função/SubFunção/Programa Programa de Trabalho por //Programa 03 ESSENCIAL À JUSTIÇA 1.023.996,68 1.023.996,68 03 092 REPRESENTAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL 1.023.996,68 1.023.996,68 03 092 0406 Gestão Administrativa 1.023.996,68

Leia mais

R$ 1,00 ÓRGÃOS LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ESSENCIAL À ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL SEGURANÇA

R$ 1,00 ÓRGÃOS LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ESSENCIAL À ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL SEGURANÇA ÓRGÃOS LEGISLATIVA JUDICIÁRIA ESSENCIAL À ADMINISTRAÇÃO DEFESA NACIONAL SEGURANÇA JUSTIÇA PÚBLICA 01 - CÂMARA MUNICIPAL DE MACEIÓ 02 - GABINETE DO PREFEITO 03 - GABINETE DO VICE-PREFEITO 04 - SECRETARIA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000 PROJETO DE LEI DO PLANO PLURIANUAL Projeto de Lei: Dispoe sobre o Plano Plurianual para o periodo 2015/2018 A CAMARA MUNICIPAL decreta: Art. 1o. Esta lei institui o Plano Plurianual para o quadrienio 2015/2018

Leia mais

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG TÍTULO DO PROJETO Área Predominante: (Marque um x nas áreas que seu projeto mais se identifica) CULTURAS POPULARES ( ) Tradição Oral ( ) Artesanato ( ) Manifestações culturais ( ) Contador de Histórias

Leia mais

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa: 0252 - CAPTAÇÃO E DIFUSÃO DE NOTÍCIAS Objetivo: Divulgar material jornalístico sobre os atos governamentais nos campos social, político, econômico, educativo,

Leia mais

Visionaris. Solicitação de Candidatura. Prêmio UBS ao Empreendedor Social Nona Edição, Brasil. Importante

Visionaris. Solicitação de Candidatura. Prêmio UBS ao Empreendedor Social Nona Edição, Brasil. Importante Visionaris Prêmio UBS ao Empreendedor Social Nona Edição, Brasil Solicitação de Candidatura Importante O candidato deve responder a todas as perguntas do formulário. Recomenda-se responder de uma maneira

Leia mais

PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA. 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA. 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Realização Apoio Forneça as informações a seguir para participar da 1ª edição 2015/2016 do Prêmio Gestão Ambiental

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA 03/2003

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA 03/2003 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS INSTITUCIONAIS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DE PESQUISA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA MCT, por intermédio da Financiadora

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Ingressos 10.259.869,68 Receitas derivadas e originárias 9.582.366,64 Transferências correntes recebidas Outros ingressos operacionais

Leia mais

EDITAL DE DIVULGAÇÃO 5ª Edição do Mapeamento de Experiências Exitosas de Gestão Pública no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa 2017

EDITAL DE DIVULGAÇÃO 5ª Edição do Mapeamento de Experiências Exitosas de Gestão Pública no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa 2017 EDITAL DE DIVULGAÇÃO 5ª Edição do Mapeamento de Experiências Exitosas de Gestão Pública no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa 2017 O Mapeamento de Experiências Estaduais, Municipais e Distrito

Leia mais

Programa de Trabalho por Função/SubFunção/Programa

Programa de Trabalho por Função/SubFunção/Programa Programa de Trabalho por //Programa 03 ESSENCIAL À JUSTIÇA 0,00 574.708,77 0,00 574.708,77 03 092 REPRESENTAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL 0,00 574.708,77 0,00 574.708,77 03 092 0406 GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

1º Seminário sobre Indicadores da Cidadania na Região do Comperj (Incid).

1º Seminário sobre Indicadores da Cidadania na Região do Comperj (Incid). O Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas) convida para o 1º Seminário sobre Indicadores da Cidadania na Região do Comperj (Incid). O Incid é uma iniciativa do Ibase, tem apoio da

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA NACIONAL DE GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 02 IDENTIFICAÇÃO DA PREFEITURA

SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA NACIONAL DE GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 02 IDENTIFICAÇÃO DA PREFEITURA Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 008 GESTÃO MUNICIPAL DO SANEAMENTO BÁSICO GMSB BLOCO 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO

Leia mais

Demonstrativo da Despesa por Órgãos e Funções - Anexo IX

Demonstrativo da Despesa por Órgãos e Funções - Anexo IX Legislativa Judiciária Essencial à Justiça Administração Segurança Pública 49.350.000 02 - Secretaria 7.590.239 Municipal de Governo 03 - Gabinete 884.465 do Vice-Prefeito 04 - Procuradoria 16.522.000Geral

Leia mais

RELATÓRIO DA REDE DE ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS

RELATÓRIO DA REDE DE ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS RELATÓRIO DA REDE DE ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS Nome do Responsável: Leila Maria dos Santos Silva Cargo do Responsável: Coordenadora Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho

Leia mais

FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Inscrição Endereço Completo Telefone Email Representante Legal Endereço Completo RG Telefone CPF Email

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

LEI Nº. - 7 9 4 - DATA: 03 de Dezembro de 1.997

LEI Nº. - 7 9 4 - DATA: 03 de Dezembro de 1.997 LEI Nº. - 7 9 4 - DATA: 03 de Dezembro de 1.997 SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Gerais para a elaboração do Orçamento do Município relativo ao exercício financeiro de 1.998. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

Betha Sistemas ESTADO DE SANTA CATARINA Exercício de 2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE CACADOR

Betha Sistemas ESTADO DE SANTA CATARINA Exercício de 2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE CACADOR Página 1 01 Legislativa 3.384.984,24 3.548.093,50 01.031 Ação Legislativa 3.384.984,24 3.548.093,50 01.031.0001 PROCESSO LEGISLATIVO 3.384.984,24 3.548.093,50 01.031.0001.1.191 MODERNIZAÇÃO DA ESTRUTURA

Leia mais

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA , ,01

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA , ,01 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS 408.377.447,62 395.630.624,01 Receitas derivadas e originárias 5.555.252,62 5.259.708,60 Transferências correntes recebidas

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

MARÇO Boletim Nº COMO ESTÃO O PORTAL DE TRANSPARÊNCIA E O SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO DA CÂMARA DE VEREADORES?

MARÇO Boletim Nº COMO ESTÃO O PORTAL DE TRANSPARÊNCIA E O SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO DA CÂMARA DE VEREADORES? Boletim Nº www.observatoriopiracicaba.org.br MARÇO 2017 COMO ESTÃO O PORTAL DE TRANSPARÊNCIA E O SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO DA CÂMARA DE VEREADORES? A transparência é o acesso aos documentos e às

Leia mais

LEI N 878, DE 12 DE AGOSTO DE 1997

LEI N 878, DE 12 DE AGOSTO DE 1997 LEI N 878, DE 12 DE AGOSTO DE 1997 DISPÕE SOBRE O PLANO PLURIANUAL DO MUNICÍPIO DE CIRÍACO, PARA O PERÍODO DE 1998 A 2001. O PREFEITO MUNICIPAL DE CIRÍACO, Estado do Rio Grande do Sul, FAÇO SABER que a

Leia mais

Anexo 7 - Despesa por Projeto e Atividade - Detalhado

Anexo 7 - Despesa por Projeto e Atividade - Detalhado Folha N. 1 01 LEGISLATIVA 120.000,00 4.543.000,00 4.848.000,00 01.031 AÇÃO LEGISLATIVA 120.000,00 4.543.000,00 4.848.000,00 01.031.0001 PROCESSO LEGISLATIVO 4.543.000,00 4.728.000,00 01.031.0001.0125 INATIVOS

Leia mais

O mundo inteiro vai ver o seu município com bons olhos!

O mundo inteiro vai ver o seu município com bons olhos! O mundo inteiro vai ver o seu município com bons olhos! Metodologia do Selo UNICEF Município Aprovado 2009-2012 Realização Parcerias O Selo UNICEF Município Aprovado O QUE O SELO UNICEF REPRESENTA PARA

Leia mais

Investimento Social no Entorno do Cenpes. Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE)

Investimento Social no Entorno do Cenpes. Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE) Investimento Social no Entorno do Cenpes Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE) MBA em Desenvolvimento Sustentável (Universidade Petrobras) Abril / 2010 PETR ROBRAS RESPONSABILIDADE

Leia mais

BLOCO 05 SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO SANITÁRIO DO DISTRITO NA ÁREA DE ATUAÇÃO DA ENTIDADE

BLOCO 05 SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO SANITÁRIO DO DISTRITO NA ÁREA DE ATUAÇÃO DA ENTIDADE Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ESGOTAMENTO SANITÁRIO - plificado IDENTIFICAÇÃO: NÚMERO DO CADASTRO DA ENTIDADE

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013.

ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013. ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013. 1 - PODER LEGISLATIVO 1.1 - CÂMARA MUNICIPAL 1.1.1 - Manutenção e funcionamento

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

OBJETIVO DAS INSCRIÇÕES

OBJETIVO DAS INSCRIÇÕES CONSTRUINDO A NAÇÃO 2017 Os Grêmios nos Municípios Práticas Transformadoras. OBJETIVO Com o objetivo de estimular, conhecer, reconhecer e difundir as práticas de cidadania desenvolvidas por estudantes

Leia mais

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS Painel 6: A efetividade do Controle Social nas Políticas Públicas de Saneamento. Estudo de caso: A PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO COMITÊ TÉCNICO DE SANEAMENTO AMBIENTAL E OS TEMAS DA LEGISLAÇÃO Alexandre Araujo

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO. REGISTRO SOB Nº: Uso exclusivo da PROEX

FORMULÁRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO. REGISTRO SOB Nº: Uso exclusivo da PROEX FORMULÁRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO REGISTRO SOB Nº: Uso exclusivo da PROEX 1 - TÍTULO: Classificação ( ) Programa ( ) Projeto ( ) Curso 2 - COORDENADOR (deverá ser docente ou técnico administrativo do IFSul)

Leia mais

08/11/2004. Discurso do Presidente da República

08/11/2004. Discurso do Presidente da República Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na abertura da 4ª reunião do Grupo de Alto Nível do Programa Educação para Todos da Unesco Palácio Itamaraty, 08 de novembro de 2004 Senhor

Leia mais

CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO GERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO

CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO GERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO GERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO Contratação de Empresas de Consultoria para Prestação de

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Visionaris. Solicitação de Candidatura. Prêmio UBS ao Empreendedor Social Oitava Edição, Brasil. Importante

Visionaris. Solicitação de Candidatura. Prêmio UBS ao Empreendedor Social Oitava Edição, Brasil. Importante Visionaris Prêmio UBS ao Empreendedor Social Oitava Edição, Brasil Solicitação de Candidatura Importante O documento deverá ser preenchido no programa Adobe Acrobat PDF e não deverá ter uma extensão superior

Leia mais

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA Demonstrativo de Despesas por e 01000 - SECRETARIA DE GOVERNO 01110 - SECRETARIA DE GOVERNO Página: 1 Administração 8.411.772,32 Segurança Pública 1.213.074,60 Trabalho 57.000,00 Direitos da Cidadania

Leia mais

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL Ideias Centrais Metodologia de Construção do Programa Quatro instâncias: 1. Fóruns de discussão regionalizados Um coordenador regional; Espaço de discussão permanente; Diálogo

Leia mais

PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO

PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: Distribuição de leite: Distribuídos 24.420 litros de leite de Jan a Nov/2011 Custo: R$ 34 mil, beneficiando 148 famílias carentes,

Leia mais

Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Bacharelado em Gestão Ambiental Componente curricular: SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Bacharelado em Gestão Ambiental Componente curricular: SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Bacharelado em Gestão Ambiental Componente curricular: SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL Professor Antônio Ruas 4 créditos 60 horas 1. Painel de sustentabilidade

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO FÓRUM COMUNITÁRIO REALIZADO POR TERRE DES HOMMES COMO PARTE DAS AÇÕES PREVISTAS NO PROJETO COFINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA.

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO FÓRUM COMUNITÁRIO REALIZADO POR TERRE DES HOMMES COMO PARTE DAS AÇÕES PREVISTAS NO PROJETO COFINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA. RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO FÓRUM COMUNITÁRIO REALIZADO POR TERRE DES HOMMES COMO PARTE DAS AÇÕES PREVISTAS NO PROJETO COFINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA. Resumo Executivo Durante o mês de dezembro de 2015,

Leia mais

ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO ABORDAGENS METODOLÓGICAS NA ELABORAÇÃO DE PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO Eng.ª Gabriela de Toledo, Msc Saneando Projetos de Engenharia e Consultoria Salvador/BA, 17 de Julho de 2015 METODOLOGIA:

Leia mais

Arquitetura das redes sociotecnicas em São Paulo e no Rio de Janeiro

Arquitetura das redes sociotecnicas em São Paulo e no Rio de Janeiro Arquitetura das redes sociotecnicas em São Paulo e no Rio de Janeiro Paula Sobrino de Souza Assumpção Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSCRIÇÕES CONGRESSISTAS

INSTRUÇÕES PARA INSCRIÇÕES CONGRESSISTAS INSTRUÇÕES PARA INSCRIÇÕES CONGRESSISTAS Estão asseguradas as vagas dos 184 secretários municipais de saúde do Estado do Ceará, sendo necessário efetuar sua inscrição on-line no site do congresso. Havendo

Leia mais

Mais informações: (31)

Mais informações: (31) Segundo a definição do GRI (Global Reporting Initiative), um dos principais desafios do desenvolvimento sustentável é a exigência de escolhas inovadoras e novas formas de pensar. Hoje o Brasil corporativo

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 1 Relatório de Atividades 2005 I- Introdução A Fundação Fé e Alegria do Brasil é uma sociedade civil de direito privado, de ação pública e sem fins lucrativos, com sede a Rua Rodrigo Lobato, 141 Bairro

Leia mais

ANEXO III PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL

ANEXO III PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Timbre da Proponente (Prefeitura, quando o proponente for o poder municipal) ANEXO III PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL 1. IDENTIFICAÇÃO Programa: Ação/Modalidade: Empreendimento: Localização/Município:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAMONTE GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAMONTE GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 2.093/2013 Altera a Estrutura Organizacional Administrativa da Prefeitura Municipal de Itamonte/MG e dá outras providências. A Câmara Municipal de Itamonte, Estado de Minas Gerais, no uso de suas

Leia mais

2º EDITAL SANTANDER/USP/FUSP DE Direitos Fundamentais e Políticas Públicas

2º EDITAL SANTANDER/USP/FUSP DE Direitos Fundamentais e Políticas Públicas 2º EDITAL SANTANDER/USP/FUSP DE Direitos Fundamentais e Políticas Públicas PRÓ-REITORIA DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 1. OBJETIVO 1.1. O objetivo do presente edital é apoiar financeiramente projetos

Leia mais

O Curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais

O Curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais O Curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais Betânia Peixoto Brasília, Junho de 2013 Público Alvo e Requisitos Exigidos Gestores / Coordenadores de ONGs ou OSCIPs; Secretários ou técnicos de secretarias

Leia mais

COMISSÃO DE FUNDO, ORÇAMENTO E RECURSOS PÚBLICOS. 28 ª Reunião Ordinária 13/08/2015

COMISSÃO DE FUNDO, ORÇAMENTO E RECURSOS PÚBLICOS. 28 ª Reunião Ordinária 13/08/2015 COMISSÃO DE FUNDO, ORÇAMENTO E RECURSOS PÚBLICOS 28 ª Reunião Ordinária 13/08/2015 Pauta: Execução dos recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Belo Horizonte FMDCA/BH. Fundo

Leia mais

Edital - Boas Práticas do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente voltados para a Primeira Infância

Edital - Boas Práticas do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente voltados para a Primeira Infância Edital - Boas Práticas do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente voltados para a Primeira Infância Projeto A Primeira Infância no Estado de São Paulo: Sistema de Garantia de Direitos

Leia mais

10. Metas e Indicadores 1. PERSPECTIVA: SOCIEDADE. Tema: Qualidade 2. PERSPECTIVA: PROCESSOS INTERNOS. Tema: Responsabilidade socioambiental

10. Metas e Indicadores 1. PERSPECTIVA: SOCIEDADE. Tema: Qualidade 2. PERSPECTIVA: PROCESSOS INTERNOS. Tema: Responsabilidade socioambiental 10. Metas e Indicadores As metas representam os resultados a serem alcançados pelo tribunal para atingir os objetivos propostos. Elas permitem um melhor controle do desempenho da instituição, pois são

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ EDITAL DE CONCURSO PRÊMIO IDÉIAS E PRÁTICAS INOVADORAS EM GESTÃO UNIVERSITÁRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ EDITAL DE CONCURSO PRÊMIO IDÉIAS E PRÁTICAS INOVADORAS EM GESTÃO UNIVERSITÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL (PROPLAN) PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL (PROGEP) PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO (PROAD) EDITAL

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PROJETO

DESCRIÇÃO DO PROJETO DESCRIÇÃO DO PROJETO I. NÚMERO DE CADASTRO DO PROPONENTE (login) 02SP008402007 Proponente: LIGA ESPORTIVA UNIVERSITÁRIA PAULISTA CNPJ: 07.263.223/0001-90 Endereço: AV. GOIÁS, 3400 Telefone(DDD): (11)4226-8317

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE INSCRIÇÃO

QUESTIONÁRIO DE INSCRIÇÃO QUESTIONÁRIO DE INSCRIÇÃO EDIÇÃO BELO HORIZONTE 29 de agosto Fundação Dom Cabral - FDC EDIÇÃO SÃO PAULO 12 de setembro Fundação Dom Cabral - FDC www.institutosustentar.net www.sustentar.net 5º RANKING

Leia mais

Primeira Infância Completa

Primeira Infância Completa Primeira Infância Completa Uma abordagem integrada do Desenvolvimento Infantil Seminário Itaú de Avaliação Econômica de Projetos Sociais Printed Eduardo Pádua Outubro, 2011 Agenda 1. Educação Infantil

Leia mais

Razões para omissões

Razões para omissões ÍNDICE GRI 2014 CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Conteúdos Padrão Gerais Número da página (ou Ligação) Omissões identificadas Razões para omissões A informação relacionada com Conteúdos Padrão requerida pelas opções

Leia mais

RECURSOS PREVISTOS PARA OS PROGRAMAS, INICIATIVAS E AÇÕES POR CATEGORIA DA DESPESA SEGUNDO ORGÃO E UNIDADE

RECURSOS PREVISTOS PARA OS PROGRAMAS, INICIATIVAS E AÇÕES POR CATEGORIA DA DESPESA SEGUNDO ORGÃO E UNIDADE GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E GESTÃO PPA - Exercício - RECURSOS PREVISTOS PARA OS PROGRAMAS, INICIATIVAS E AÇÕES POR CATEGORIA DA DESPESA SEGUNDO ORGÃO E UNIDADE Órgão

Leia mais

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ORGÃOS - FESO Centro de Ciência e Tecnologia - CCT Curso de Engenharia de Produção NAI - Núcleo de Atividades Complementares Relatório elaborado pela ONG Sustentabilidade

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO NACIONAL DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA - Edição 2016.

EDITAL PARA SELEÇÃO NACIONAL DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA - Edição 2016. EDITAL PARA SELEÇÃO NACIONAL DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA - Edição 2016. A Secretaria Nacional da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Leia mais

(Favor preencher com letra de forma ou datilografado.) (1) Organização:... (2) Endereço:... Cidade:... Estado:...

(Favor preencher com letra de forma ou datilografado.) (1) Organização:... (2) Endereço:... Cidade:... Estado:... ASSISTÊNCIA A PROJETOS COMUNITÁRIOS E DE SEGURANÇA HUMANA 1. Requerente FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO (Favor preencher com letra de forma ou datilografado.) (1) Organização:... (2) Endereço:... Cidade:...

Leia mais

JOÃO RAMALHO. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

JOÃO RAMALHO. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 JOÃO RAMALHO OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 3.304.100,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 45.248 litros de leite, no período de Jan/2007 a Out/2008 Custo: R$ 51 mil, beneficiando 202

Leia mais

RREO-Anexo 01 Tabela Balanço Orçamentário Padrao

RREO-Anexo 01 Tabela Balanço Orçamentário Padrao RREO-Anexo 01 Tabela 1.0 - Balanço Orçamentário Padrao Estágios da Receita Orçamentária Receitas Orçamentárias RECEITAS REALIZADAS PREVISÃO INICIAL PREVISÃO ATUALIZADA (a) No Bimestre (b) % (b/a) Até o

Leia mais

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO Página 1 ATENÇÃO A SAÚDE DA POPULAÇÃO Promover o acesso universal da população aos serviços ambulatoriais, emergenciais e hospitalares nos postos de saúde e hospital localizados no Município. População

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE Sistema de Gestão da Qualidade

RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE Sistema de Gestão da Qualidade RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE - 2010 Sistema de Gestão da Qualidade - 1 - SUMÁRIO 1. - Introdução.... 3 2. - Metodologia.... 3 2.1 - Amostragem e

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE Sistema de Gestão da Qualidade

RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE Sistema de Gestão da Qualidade RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE - 2012 Sistema de Gestão da Qualidade 1/13 SUMÁRIO 1. - Introdução.... 3 2. - Metodologia.... 3 2.1 - Amostragem e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PETRÓPOLIS - RJ

PREFEITURA MUNICIPAL DE PETRÓPOLIS - RJ Página: 1 Órgão: 01 - CÂMARA MUNICIPAL DE PETRÓPOLIS 01 LEGISLATIVA 29.592.490,00 100,000 TOTAL ÓRGÃO 29.592.490,00 100,000 Página: 2 Órgão: 10 - GABINETE DO PREFEITO 03 ESSENCIAL A JUSTIÇA 20.000,00 0,125

Leia mais

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE CHAMADA MCT / FINEP Ministério da Ciência e Tecnologia / Financiadora de Estudos e Projetos IDENTIFICAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE ENERGIA O Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

PROGRAMA: 0553 - Atuação Legislativa da Câmara dos Deputados. PROGRAMA: 0551 - Atuação Legislativa do Senado Federal

PROGRAMA: 0553 - Atuação Legislativa da Câmara dos Deputados. PROGRAMA: 0551 - Atuação Legislativa do Senado Federal PROGRAMA: 21 - Aprimoramento do Ministério Público Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social 82.71 268.863 Despesas Correntes 81.19 261.885 Despesas de Capital 1.511 6.977 Orçamento de Investimentos das

Leia mais

MUNICÍPIO DE GUAÍRA - SP

MUNICÍPIO DE GUAÍRA - SP Programa Descrição 1 Processo Legislativo Página 1 de 61 PROGRAMAS, METAS E AÇÕES (LDO INICIAL 217) Lei: PROJETO, Data: 26//216 217 Metas Indicadores Unidade de Medida Indice Recente Indice Futuro Sessoes

Leia mais

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES PROPOSTAS PRIORITÁRIAS: 1. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL Criar o Conselho Estadual da cidade e apoiar a criação dos conselhos municipais, de forma paritária, de caráter

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

CIDADE DE FORTALEZA. Características: - Localização: nordeste brasileiro - População: 2.505.552. Fonte: IBGE

CIDADE DE FORTALEZA. Características: - Localização: nordeste brasileiro - População: 2.505.552. Fonte: IBGE CIDADE DE FORTALEZA Características: - Capital do Ceará - Localização: nordeste brasileiro - População: 2.505.552 Fonte: IBGE FORTALEZA DA PARTICIPAÇÃO - PPA Participativo em 2005 e 2009-14 Conselhos Municipais

Leia mais

PLANO PLURIANUAL

PLANO PLURIANUAL Maio de 2011 É POR AQUI O Maranhão avança com o processo democrático. Esta oportunidade de mobilização é muito valiosa para o exercício da cidadania, afinal nem sempre conseguimos reunir tantas pessoas

Leia mais

INSTRUMENTO DE VISITAPEDAGÓGICA- 2015

INSTRUMENTO DE VISITAPEDAGÓGICA- 2015 INSTRUMENTO DE VISITAPEDAGÓGICA- 2015 INSTRUÇÕES AO RESPONSÁVEL PELA VISITA: 1) Estudar os seguintes documentos do convenente antes da visita: Planejamento Pedagógico (PP), Relatórios de formação1 (RF

Leia mais

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989);

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); Essa reunião mundial (CNUMAD - 92) foi organizada para elaborar a estratégia para deter e reverter

Leia mais

Famílias - Abrigos: direito ao convívio familiar e social

Famílias - Abrigos: direito ao convívio familiar e social Famílias - Abrigos: direito ao convívio familiar e social INTRODUÇÃO A família é o principal grupo social para o desenvolvimento afetivo-emocional da criança e adolescente. O trabalho a ser desenvolvido

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO Coordenadoria de Relações Institucionais CESAN Terezinha de Jesus S. R. Vanzo LEI 11.445 de 05/01/07 Lei De Regulamentação do Setor de Saneamento Básico Introdução

Leia mais

Relatório Investimento Social - 2013

Relatório Investimento Social - 2013 Relatório Investimento Social - 2013 Divisão de Promoção da Cidadania Empresarial e Projetos com a Sociedade - PCSC Departamento de Responsabilidade Social e Projetos com a Sociedade PCS Sumário Projetos

Leia mais

TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL

TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RORAIMA Janeiro, Fevereiro e Março de François E. J. de Bremaeker Salvador, janeiro de Transparência Municipal 2 A ONG TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL é uma

Leia mais

SOBRE O COPCHAD MUNICÍPIOS HABILITADOS. 1. Bonito. 7. Nova Redenção. 2. Itaberaba. 8. Piritiba. 9. Ruy Barbosa. 3. Macajuba. 10.

SOBRE O COPCHAD MUNICÍPIOS HABILITADOS. 1. Bonito. 7. Nova Redenção. 2. Itaberaba. 8. Piritiba. 9. Ruy Barbosa. 3. Macajuba. 10. SOBRE O COPCHAD MUNICÍPIOS HABILITADOS 1. Bonito 2. Itaberaba 3. Macajuba 4. Morro do Chapéu 5. Mulungu do Morro 6. Mundo Novo 7. Nova Redenção 8. Piritiba 9. Ruy Barbosa 10. Tapiramutá 11. Utinga 12.

Leia mais

Indicadores e o ciclo de políticas públicas

Indicadores e o ciclo de políticas públicas Indicadores e o ciclo de políticas públicas A literatura clássica sobre Administração Pública e políticas governamentais dá grande importância ao conceito de ciclo de políticas públicas como marco de referência

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

Na União Europeia e países europeus (I):

Na União Europeia e países europeus (I): O princípio da CPD diz-nos que as políticas nos vários setores devem contribuir ativamente para os objetivos de luta contra a pobreza e de promoção do desenvolvimento ou, pelo menos, não prejudicarem esses

Leia mais

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012.

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012. PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012 Design D Kebrada 2. Dados do projeto 2.1 Nome do projeto Design D Kebrada 2.2 Data e

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO OBJETIVOS DO GOVERNO: Consolidar e aprofundar os projetos e ações

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Projeto: Gincana Socioambiental Organização: Unimed Regional Maringá Página: 1/1 PÁGINA 1: Inform ações cadastrais: P1: Título do projeto am biental participante:

Leia mais

COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA?

COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA? Boletim Nº www.observatoriopiracicaba.org.br COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA? MAIO 2014 A transparência e o acesso aos documentos

Leia mais

Relatório de Cumprimento das Metas Financeiras do PPA do Ano de 2017

Relatório de Cumprimento das Metas Financeiras do PPA do Ano de 2017 CÓDIGO: 0002 PROGRAMA: Orientação na Execução da Políticas Locais OBJETIVO: Orientar a Equipe de Governo no sentido de aplicar plenamente sua Plataforma de Governo 2003 2004 Coordenação das Ações de Execução

Leia mais

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Além de integrar a missão e visão da FACISC, o Desenvolvimento Sustentável passa agora a ser uma de nossas Diretrizes de atuação. Desta forma, propondo a ampliação

Leia mais

Pacto Global das Nações Unidas Relatório de Comunicação de Progresso (COP Report) Signatário: PATMAR INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA

Pacto Global das Nações Unidas Relatório de Comunicação de Progresso (COP Report) Signatário: PATMAR INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA Signatário: PATMAR INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA Relatório anual referente ao ANO 2012 Para nossos acionistas: Tenho o prazer de confirmar que PATMAR INDUSTRIA E COMERCIO LTDA reafirma o seu apoio das Dez

Leia mais

Educação básica de qualidade envolve grande número de ações, procedimentos e programas, como mostramos a seguir:

Educação básica de qualidade envolve grande número de ações, procedimentos e programas, como mostramos a seguir: Plano de Governo 1 Educação de qualidade em tempo integral 2 Saúde humanizada, ágil e resoluta 3 Respeito ao cidadão e democratização do poder 4 Gestão administrativa eficiente, honesta e transparente

Leia mais

O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº

O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: 2016-2020 O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº 8.246. As ações estratégicas serão monitoradas e

Leia mais

EMPRESAS 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 2.6 2.6

EMPRESAS 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 2.6 2.6 II EMPRESAS 2.1 Termo de Adesão 2.2 Formulário de Identificação 2.3 Autorização de uso de imagem organizacional 2.4 Autorização de uso de imagem pessoal 2.5 Questionário 2.6 Diretrizes para o envio de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA ANEXO II

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA ANEXO II ANEXO II RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES EXTENSIONISTAS Desde a implantação do Novo SIEX, em 03/01/2011, os Relatórios Finais de ações extensionistas passaram a ser feitos exclusivamente por meio do Sistema,

Leia mais

ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00

ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00 ANEXO III Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00 1. Apresentação Geral: 1. Nome do projeto 2. Linha(s) Temática(s) 2. Localidade e município 3. Instituição Proponente

Leia mais

EDITAL N 034/2016 Referente ao Aviso N 046/2016, publicado no D.O.E. de 15/04/2016.

EDITAL N 034/2016 Referente ao Aviso N 046/2016, publicado no D.O.E. de 15/04/2016. EDITAL N 034/2016 Referente ao Aviso N 046/2016, publicado no D.O.E. de 15/04/2016. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, em conformidade

Leia mais

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO

ANEXO DE METAS E PRIORIDADES PROGRAMA FINALÍSTICO Página 1 PROGRAMA: ATENÇÃO A SAÚDE DA POPULAÇÃO OBJETIVO: Promover o acesso universal da população aos serviços ambulatoriais, emergenciais e hospitalares nos postos de saúde e hospitais localizados no

Leia mais