I - COMPROMISSOS DE AJUSTAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I - COMPROMISSOS DE AJUSTAMENTO"

Transcrição

1 CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE Memo-Circular CAOMA nº 01/2006 Porto Alegre, 30 de março de De: Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente Para: Procuradores/Promotores de Justiça Senhor(a) Promotor(a)/Procurador(a) de Justiça: Memo-Circular CAOMA n.º 01/2006. Tenho a satisfação de encaminhar a Vossa Excelência o eletrônico na intranet. Todas as peças divulgadas estarão disponíveis por meio Este Centro de Apoio continuará a disposição dos colegas desejando que possamos continuar juntos neste profícuo trabalho. I - COMPROMISSOS DE AJUSTAMENTO 1) Fauna Criação de animais de grande porte Área urbana Limpeza do local. Promotoria de Justiça de Torres. 2) Flora Construção em APP Região litorânea Faixa de dunas primárias Cursos d água Fiscalizar a ocupação irregular das APPs Remoção da construção e retorno da área ao status quo ante. Promotoria de Justiça de Tramandaí. 3) Flora Construção em APP Supressão de vegetação Demolição e remoção da construção. Promotoria de Justiça de Tramandaí. 4) Flora Corte de vegetação nativa APP Danificação de floresta Projeto de recuperação da mata Indenização em pecúnia pelo dano não reparável. Promotoria de Justiça de Frederico Westphalen.

2 5) Flora Corte de vegetação nativa Emprego de fogo Queimada Agrosilvopastoril - Projeto de recuperação das APPs. Promotoria de Justiça de Farroupilha. 6) Flora Corte de vegetação nativa Plano de reposição florestal. Promotoria de Justiça de Torres. 7) Flora Corte de vegetação nativa Projeto de replantio de mudas Indenização pelos danos não recuperáveis. Promotoria de Justiça de São Pedro do Sul. 8) Flora Desmatamento Folhosas nativas de pequeno e médio porte Lenha Projeto de composição ambiental. Promotoria de Justiça de Coronel Bicaco. 9) Poluição atmosférica e hídrica Emissão de odores Mau cheiro Indústria de farinha de ossos TAC Preliminar Emissão de efluentes Implantar sistema de controle de odores e de resfriamento do efluente líquido Apresentação de projeto de recuperação da fauna e flora, da área do entorno da empresa, especialmente envolvendo as margens do arroio. Promotoria de Justiça de Lajeado. 10) Poluição hídrica e Atmosférica TAC Preliminar AVIPAL Agricultura e Agropecuária Implantação e alteração de estação de tratamento de efluentes - Desativação das lagoas anaeróbias - Destinação final do lodo Sistemas de graxaria e de controle de emissão de odores. Promotoria de Justiça de Lajeado. 11) Poluição hídrica, do solo e atmosférica TAC Preliminar Companhia Minuano de Alimentos Inversão do ônus da prova Custeio dos laudos pela empresa - Apresentação de laudo de constatação das melhorias realizadas na unidade de graxaria Apresentação de planta contendo as edificações e demais áreas úteis do empreendimento, pontos de geração de efluentes líquidos, canalizações de efluentes, etc Conserto e lacre da canalização. Promotoria de Justiça de Lajeado. 12) Recursos hídricos Açude Sanga - Desvio de curso d água Ausência de autorização do órgão competente Isolamento e recuperação da área Projeto técnico de recuperação ambiental. Promotoria de Justiça de Coronel Bicaco. 13) Recursos hídricos Construção de barragem Desvio de curso d água Açude Irrigação de arroz Ausência de licença Remover o barramento Projeto técnico de recuperação do curso d água Recomposição florestal. Promotoria de Justiça de São Pedro do Sul. 14) Resíduos sólidos Aterro descontrolado - Lixão velho Recuperação prevista em TAC anteriormente firmado Poluição do subsolo e águas subterrâneas Infiltração de chorume Termo Aditivo de TAC Implementação integral do PRAD licenciado pela FEPAM Cercamento da área Afixação de placas Não depositar mais resíduos no local. Promotoria de Justiça de Panambi.

3 15) Transporte de produtos perigosos Gás Liquefeito de petróleo TAC firmado com Município e empresas revendedoras de GLP Medidas para segurança no armazenamento, transporte e revenda do produto. Promotoria Justiça de São Pedro do Sul. II AÇÕES CIVIS PÚBLICAS 1) Fauna Animal silvestre Caça ilegal Abate de capivaras Utilização de armas de fogo Vestimentas completas de caça Pedido de condenação à obrigação de indenizar o dano irrecuperável. Promotoria de Justiça de São Pedro do Sul. 2) Flora Corte de vegetação nativa APP Contra o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) Indenização pelo dano in natura irrecuperável Responsabilidade solidária - Remoção dos resíduos sólidos existentes no local. Promotoria de Justiça de Carazinho. 3) Flora Desmatamento APP Compra e venda de imóvel Recomposição da área de reserva legal Responsabilidade solidária entre proprietário, adquirente e legítimo possuidor Recuperação da APP, mediante projeto a ser aprovado pelo órgão competente. Promotoria de Justiça de Erechim. 4) Flora Corte de vegetação nativa Queimada - Indenização pecuniária pela parcela não recuperável do dano - Dano moral e material Exploração econômica da propriedade rural de forma clandestina Não realização de queimadas. Promotoria de Justiça de Bom Jesus. 5) Flora Transporte irregular de lenha nativa Indenização revestida em perdas e danos Não realizar extração de árvores, corte ou comercialização. Promotoria de Justiça de Bom Jesus. 6) Flora Corte de vegetação nativa Indenização em pecúnia Responsabilidade objetiva Antecipação de tutela. Promotoria de Justiça de Bom Jesus. 7) Flora Produtos florestais - Conservas - Comércio clandestino de palmito Produto inadequado para comércio Ausência de documentação necessária para o empreendimento Risco à saúde humana Efluentes líquidos lançados ao solo ou diretamente em esgoto doméstico sem tratamento Indenização em pecúnia Responsabilidade solidária Impossibilidade de recuperação in natura - Compensação. Promotoria de Justiça de Torres.

4 8) Flora Corte de vegetação nativa Queimada Projeto de recomposição florestal Indenização. Promotoria de Justiça de Torres. 9) Flora Corte de vegetação APP Contra o proprietário - Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) e do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) Construção de barracos, utilização de lenha e edificação de trincheiras Sem licença do órgão competente Indenização devido a compensação dos danos irrecuperáveis in natura Área cercada Responsabilidade solidária. Promotoria de Justiça de Carazinho. 10) Flora APP Construção irregular de barragem Ausência de projeto técnico e licença do órgão competente Degradação de vegetação nativa e ribeirinha - Lavouras Responsabilidade objetiva Indenização Danos patrimoniais e extrapatrimoniais. Promotoria de Justiça de Lavras do Sul. 11) Flora APP - Canais de irrigação Corte de vegetação - Lavoura de arroz Drenagem de banhado Danos à flora e fauna Indenização Projeto técnico de recuperação da Área Degradada Pedido de liminar para interdição das atividades Mapeamento da APP. Promotoria de Justiça de Arroio Grande. 12) Flora Loteamento Supressão de vegetação nativa em estágio avançado de regeneração em APP Terraplanagem Construção de empreendimento de lazer Bacias de captação de água Aterro de banhado Responsabilidade solidária Município e Departamento Municipal de Água Pedido de interdição e suspensão de obras Apresentação de avaliação dos impactos ambientais (AIA) Demolição da edificação construída na área da Bacia de Captação Recuperação de área, através de apresentação de projeto. Promotoria de Justiça de Caxias do Sul. 13) Mineração Contra o Município - Ausência de licença dos órgãos competentes Corte de vegetação nativa Autorização da FEPAM para atividade de terraplanagem e não de extração mineral Projeto de reposição florestal Indenização em pecúnia. Promotoria de Justiça de Taquara. 14) Poluição hídrica Lançamento de detritos em curso d água Sacos de adubo Irrigação de lavouras de arroz Ausência de licença Construção de barragens Responsabilidade civil objetiva Danos à flora e fauna Projeto técnico de recuperação da área degradada Pedido de liminar para impedir as atividades Mapeamento da APP Corte em APP. Promotoria de Justiça de Arroio Grande. 15) Poluição hídrica - Do solo e atmosférica Fundição de ferro Fabricação de peças Utilização de óleo de xisto Ausência de LO Depósito irregular de poluentes diretamente no solo Ausência de impermeabilização Tonéis sem proteção Emissões atmosféricas sem a instalação de filtro Jateamento de arreia Obrigação de impermeabilizar o solo - Proteção contra intempéries Local confinado para jateamento de areia das peças. Promotoria de Justiça de Carazinho.

5 16) Resíduos sólidos Pilhas e baterias Campanha de coleta de material Destinação irregular Lixões clandestinos ou aterros sanitários Fabricantes negam-se a receber o material para dar destinação Promover a coleta e armazenamento Declaração de inconstitucionalidade da Resolução CONAMA nº 257/99 - Manter o recolhimento permanente das pilhas descartadas pelos consumidores. Contra as empresas Panasonic do Brasil Ltda, Microlite S/A Rayovac, Energizer do Brasil S/A Eveready, Gillete do Brasil Ltda Duracell e Philips do Brasil Ltda. A liminar restou parcialmente deferida pelo MM. Juízo da Vara Cível de Lajeado para determinar que as empresas demandadas recolham, no prazo de 30 dias, as pilhas e baterias recolhidas pelos municípios, sob pena de multa diária de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para o seu descumprimento. Promotoria de Justiça de Lajeado. 17) Poluição sonora Legislação municipal fixa padrões mais flexíveis que a legislação federal - Controle de constitucionalidade incidenter tantum Liminar para impedir o município de conceder alvarás de funcionamento de estabelecimentos e para cassar alvarás concedidos irregularmente, Município se abstenha de realizar ou autorizar eventos musicais ao ar livre superiores aos fixados na norma federal. Promotoria de Justiça de Torres. 18) Poluição sonora Escola de samba Ensaios noturnos - Perturbação do sossego Liminar para suspensão das atividades Redução dos horários de ensaio Promotoria de Justiça de Santa Maria. 19) Poluição sonora Posto de gasolina Aglomeração de pessoas e aparelhos de som nos veículos Zoneamento misto (residencial e comercial) Perturbação do sossego Campanha de educação e fiscalização Divulgação na imprensa local das fiscalizações feitas Indenização. Promotoria de Justiça de Encantado. 20) Poluição sonora Ensaios de escolas de samba e blocos carnavalescos Lei municipal aumentou os níveis de ruídos para 70 decibéis em zona residencial Inconstitucionalidade perante os arts. 225 e 226, e resolução 01/09, NBR Duração de 74 dias de ensaios Tutela inibitória. Promotoria de Justiça de Uruguaiana. 21) Poluição sonora Bares e plantões de vendas de bebidas 24 horas Carros com som Aglomeração de pessoas Transtorno aos vizinhos Área da cidade densamente povoada Resolução 01/90 CONAMA e NBR Restrição dos horários de funcionamento Tutela Inibitório. Promotoria de Justiça de Uruguaiana. 22) Recursos hídricos Hidrelétrica da Dardanelos contra Estado do Mato Grosso, SEMA e empreendedores/construtoras nulidade do EIA-RIMA e da audiência

6 pública Elaboração de novos Estudos de Impacto Ambiental Suspensão do leilão. Promotoria de Justiça de Aripuanã com Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Cuiabá/ Mato Grosso. O juízo da 2ª Vara do Mato Grosso concedeu em parte, a liminar para excluir do leilão o empreendimento de serviço de energia UHE Dardanelos. 23) Resíduos sólidos Depósito céu aberto Contra o Município - Área urbana - Terreno particular Limpeza do local Responsabilidade solidária Programa municipal de coleta seletiva - Responsabilidade municipal pela implementação de programa de coleta seletiva Remoção total dos resíduos sólidos - Realização de desmatização e desinsetização para retirar as pragas urbanas. Promotoria de Justiça de Carazinho. 24) Princípio Direito Ambiental ABNT União Federal Cobrança pelo fornecimento Princípios da informação e participação Processo de criação das normas Necessidade de publicação Natureza Jurídica Pedido para que a ABNT publique as normas brasileiras em diário oficial e disponibilize em meio eletrônico. Promotoria de Justiça de Curitiba. O juiz da Vara Federal de Curitiba deferiu o pedido de liminar, determinado é ABNT que disponibilize aos órgãos públicos o acesso à NBR S. III AÇÕES DE EXECUÇÃO 1) Flora Corte de vegetação nativa Fora de APP Queimada de galhos e resíduos Agentes erosivos Projeto técnico de recomposição florestal Indenização Plantação de mandioca Descumprimento do TAC. Promotoria de Justiça de Coronel Bicaco. 2) Flora Corte de vegetação nativa Utilização de trator de esteira para derrubada Ampliação de lavoura Cercamento da área Projeto de recomposição florestal Não implantou o projeto de recomposição florestal e não cercou a área. Promotoria de Justiça de Sarandi. 3) Flora Corte de vegetação nativa Projeto de reposição florestal Pagamento de indenização em pecúnia Bens penhorados e alienados. Promotoria de Justiça de Bom Jesus. 4) Flora Comércio de recursos florestais Projeto de reposição florestal TAC descumprido. Promotoria de Justiça de Bom Jesus.

7 IV AÇÃO CAUTELAR 1) Mineração Extração mineral - Margens de rodovia Autorização da FEPAM para terraplanagem Atividade realizada pelo município Aterramento de outras áreas de interesse do município Pedido de regularização da atividade Interdição total e imediata das atividades desenvolvidas pelo Município. Promotoria de Justiça de Taquara. 2) Recursos hídricos Hidrelétrica de Dardanelos Cautelar Preparatória Pedido de suspensão de todos os empreendimentos de geração de energia incluídos em edital de licitação da ANEEL e de suspensão da inclusão da UHE Dardanelos até julgamento final da Ação Civil Pública. Promotoria de Justiça de Aripuanã/ Mato Grosso. V DENÚNCIA 1) Irregularidades na distribuição de licenças municipais Art. 29, 47, 66, 67, 299 da Lei 9605/98, Decreto- Lei 36881/41 e 69 do Código Penal. Promotoria de Justiça de Caxias do Sul. 2) Poluição sonora Danceteria Sem licença do órgão competente Artigo 60, LCA Suspensão do processo: Artigo 89, da Lei 9.099/95, sendo desnecessária a prévia composição do dano ambiental (art. 28 da LCA). Promotoria de Justiça de Pelotas. VI JURISPRUDÊNCIA 1) Flora Reserva legal Art. 16 do Código Florestal Averbação Exigência legal Nulidade de Portaria que desabrigou proprietários rurais da averbação da reserva legal. STJ, Recurso em Mandado de Segurança, n 18301, MG, Relator Ministro João Otávio de Noronha, julgado em Andrelândia/ Minas Gerais. 2) Flora Unidade de conservação Compensação ambiental. Art. 36 da Lei 9985/00 percentual de compensação ambiental limitado a 0,5% - Decisão liminar. TRF 1ª

8 Região, agravo de instrumento, n / DF, Relator Desembargador Catão Alves, julgado em 25 de janeiro de ) Agrotóxico - Herbicida Aura, produzido pela empresa BASF S/A Emprego para cultura do arroz - Indeferimento do cadastro pelo órgão ambiental do RS - Ausência de registro no país de origem Inexistência de antídoto específico conhecido - Comercialização proibida - Constitucionalidade da legislação estadual - Art. 1º, 2º da Lei Estadual n.º 7747/82 (Lei Estadual de Agrotóxicos) e art. 224, da Lei n.º 11520/00 (Código Estadual de MA) - Competência concorrente entre União e Estados Arts. 23 e 24 da CF. (TJRS - Apelação Cível em Mandado de Segurança n.º , 4ª Câmara Cível, rel Des. João Carlos Branco Cardoso, j. em 26/10/05). VII OUTROS 1) Recursos hídricos Poços artesianos Mandado de Segurança Razões de apelação Interdição cautelar de poço artesiano Ausência de outorga Decreto Estadual n 23430/74 e Lei n 6.503/72 Legalidade Necessidade de outorga. Promotoria de Justiça de São Borja. 2) Flora Acordo judicial Queimadas em APP Recuperação da área Indenização pelos danos causados Elaboração de cartilhas sobre meio ambiente. Promotoria de Justiça de Quaraí. 3) Flora Réplica à contestação - Queimadas em APP Recuperação da área Indenização pelos danos causados Elaboração de cartilhas sobre meio ambiente. Promotoria de Justiça de Quaraí. 4) Flora Produto de origem florestal Carvão vegetal - Transporte ilegal Art. 46 da LCA - Arts. 122, caput, 128 e 131, todos do CTB - Impactos ambientais decorrentes da exploração do carvão nos biomas do cerrado e Mata Atlântica - Recomendação ao órgão estadual de Meio Ambiente de MG, IBAMA/MG e DETRAN/MG, para que o IBAMAS faça o levantamento de todos os veículos vinculados a autuações ambientais cujas multas não tenham sido quitadas, remetendo-se a listagem ao DETRAN/MG. Após, esse deverá registrar no RENAVAN todas as multas ambientais e não emititirá o Certificado de Registro de Veículo e Certificado de Licenciamento Anual referentes ao veículos que apresentem tal impedimento. Elaborado pelo Ministério Público de Minas Gerais Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente das Comarcas Integrantes da

9 Bacia do Rio São Francisco e das Comarcas Integrantes das Sub-Bacias dos Rios das Velhas e Paraopeba. 5) Poluição sonora Deliberação conjunta Veículos dotados de equipamentos de reprodução musical de alta potência Necessidade intervenção da Brigada Militar Apreensão dos equipamentos de som Contravenção penal Art. 42, inc. III, da LCA Elaborado pelos Promotores de Justiça do Litoral Norte Projeto Veraneio Consultas via . O CAO de Defesa do Meio Ambiente tem organizado um banco de dados eletrônico com a finalidade de possibilitar o atendimento de consultas via . Dessa forma, caso Vossa Excelência tenha interesse, solicita-se o envio de mensagem para o endereço contendo os dados pertinentes. Reiteramos ainda o pedido de que os Colegas procurem remeter petições iniciais, promoções de arquivamento, compromissos de ajustamento e portarias por ou por meio de disquetes, a fim de que as informações possam ser imediatamente acrescentadas ao nosso banco de dados e conseqüentemente disponibilizadas com maior rapidez. Na oportunidade, aproveito para renovar-lhe os meus protestos de elevada estima e distinta consideração. Sílvia Cappelli, Procuradora de Justiça, Coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE DEDETIZADORAS, LIMPA FOSSA E EMPRESAS QUE PRESTA SERVIÇO DE LIMPEZA. Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO AMBIENTAL

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS ITAITUBA PA Junho/2012 O QUE É O LICENCIAMENTO AMBIENTAL? O Licenciamento

Leia mais

Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97 7/10/2010

Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97 7/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA ATIVIDADE DE MINERAÇÃO: ASPECTOS LEGAIS E TÉCNICOS GEÓLOGO NILO SÉRGIO FERNANDES BARBOSA Art. 1º - Para efeito desta Resolução são adotadas as seguintes definições: I - Licenciamento

Leia mais

PAINEL III. Licenciamento Ambiental Municipal

PAINEL III. Licenciamento Ambiental Municipal PAINEL III Licenciamento Ambiental Municipal Licenciamento Ambiental Municipal Em 1978 Supressão de vegetação (construções e em áreas públicas) (Código de Posturas de 1974); Em 1981 Supressão de vegetação

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO DE CONTROLE

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE CRISES Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos

ADMINISTRAÇÃO DE CRISES Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos C W M C O M U N I C A Ç Ã O WALTEMIR DE MELO ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL ASPECTOS CRÍTICOS

Leia mais

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços A APP era computada a partir das margens de rio ou cursos d água, pelo nível mais alto do período de cheia. Várzeas eram consideradas parte dos rios ou cursos d água, porque são inundadas durante o período

Leia mais

BOLETIM AMBIENTAL ALMEIDA ADVOGADOS

BOLETIM AMBIENTAL ALMEIDA ADVOGADOS BOLETIM AMBIENTAL ALMEIDA ADVOGADOS FEVEREIRO 2011 Índice IPTU verde gera incentivos ambientais em Guarulhos/SP....3 Prazo para averbação de reserva legal em Minas Gerais termina em junho... 3 DNPM já

Leia mais

Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09

Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09 Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09 HISTÓRICO 70 década da água 80 década do ar 90 década dos resíduos sólidos Histórico

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 09.00 GRUPO/ATIVIDADES 09.07 Postos de Revenda de Combustíveis e Derivados de Petróleo com ou sem lavagem e ou lubrificação de veículos PPD M AGRUPAMENTO NORMATIVO

Leia mais

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas IPAAM foi criado no dia 11/03/1996, através do Decreto Estadual Nº 17.033.

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas IPAAM foi criado no dia 11/03/1996, através do Decreto Estadual Nº 17.033. CRIAÇÃO DO IPAAM O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas IPAAM foi criado no dia 11/03/1996, através do Decreto Estadual Nº 17.033. É vinculado diretamente a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO ( ) Este documento Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido e assinado pelo requerente

Leia mais

Sistema Integrado de Licenciamento - SIL

Sistema Integrado de Licenciamento - SIL Sistema Integrado de Licenciamento - SIL CERTIFICADO DE LICENCIAMENTO INTEGRADO SECRETARIA ESTADUAL DE GESTÃO PÚBLICA Prefeitura do Município de Tatuí Governo do Estado de São Paulo É importante saber

Leia mais

LICENCIAMENTO MATADOUROS

LICENCIAMENTO MATADOUROS LICENÇA PRÉVIA (LP): LICENCIAMENTO MATADOUROS 1. Requerimento; 2. Publicações no diário oficial e jornal de grande circulação; 3. Comprovante de pagamento da taxa de licenciamento; 4. Cadastro do empreendimento

Leia mais

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Este documento. Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal. Cadastro Descritivo da Atividade - Geral devidamente

Leia mais

LEGISLAÇÃO FLORESTAL APLICADA. Docentes Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Eng. Agr. Renata Inês Ramos

LEGISLAÇÃO FLORESTAL APLICADA. Docentes Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Eng. Agr. Renata Inês Ramos LEGISLAÇÃO FLORESTAL APLICADA Docentes Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Eng. Agr. Renata Inês Ramos Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado de São Paulo Artigo 1º

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS Instituto Estadual do Ambiente - INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas - DIBAP Gerência do Serviço Florestal - GESEF ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Conceitos /

Leia mais

1.5.1 Por formulário de até 14 itens 37,00. 1.5.2 Por formulário adicional 6,00. 2.1 - Criadouro de espécimes da fauna exótica para fins comerciais:

1.5.1 Por formulário de até 14 itens 37,00. 1.5.2 Por formulário adicional 6,00. 2.1 - Criadouro de espécimes da fauna exótica para fins comerciais: ANEXO VII (Anexo à Lei n o 6.938, de 31 de agosto de 1981) TABELA DE PREÇOS DOS SERVIÇOS E PRODUTOS COBRADOS PELO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA DESCRIÇÃO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente Anexo I a que se refere o Art. 2º, da Resolução do COEMA nº 107, de 08 de março de 2013. TIPOLOGIA SUB-TIPOLOGIA CONDIÇÃO ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

Termo de Referência para Posto de Combustível no Município de Teresina

Termo de Referência para Posto de Combustível no Município de Teresina Termo de Referência para Posto de Combustível no Município de Teresina Requisitos e procedimentos para expedição do Licenciamento Ambiental de postos de combustíveis instalados/localizados e/ou a serem

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 6 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade.

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade. São as áreas protegidas da propriedade. Elas não podem ser desmatadas e por isso são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APPs). São as faixas nas margens de rios, lagoas, nascentes, encostas

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 859/2009, de 16-12-09.

LEI MUNICIPAL Nº 859/2009, de 16-12-09. 1 LEI MUNICIPAL Nº 859/2009, de 16-12-09. INSTITUI AS TAXAS DE SERVIÇOS DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL E FLORESTAL, DENTRE OUTROS. LUÍS CARLOS MACHADO PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Instrumento preventivo de tutela do meio ambiente (art. 9º, IV da Lei nº. 6.938/81)

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Instrumento preventivo de tutela do meio ambiente (art. 9º, IV da Lei nº. 6.938/81) POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE 1. LICENCIAMENTO AMBIENTAL 1.1 NATUREZA JURÍDICA: Instrumento preventivo de tutela do meio ambiente (art. 9º, IV da Lei nº. 6.938/81) 1.2 CONCEITO: Segundo o art. 1º,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

Licenciamento Ambiental

Licenciamento Ambiental Conceito Licenciamento Ambiental Procedimento administrativo pelo qual o órgão ambiental competente licencia a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos e atividades utilizadoras

Leia mais

18º Encontro Nacional da ANAMMA

18º Encontro Nacional da ANAMMA 18º Encontro Nacional da ANAMMA Os efeitos do PL de parcelamento do solo no meio ambiente e a gestão de APPs urbanas Cynthia Cardoso Goiânia, agosto/2008 Planejamento? Na perspectiva de planejamento qual

Leia mais

01/01/2009 em quantidade e com adequação de distribuição que assegure sua disponibilização em pelo menos uma bomba de cada um dos postos revendedores

01/01/2009 em quantidade e com adequação de distribuição que assegure sua disponibilização em pelo menos uma bomba de cada um dos postos revendedores 19ª Vara Cível Federal Autos nº 2007.61.00.034636-2 e 2008.61.00.013278-0 AÇÕES CIVIS PÚBLICAS Autores: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, ESTADO DE SÃO PAULO, INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS

Leia mais

LICENCIAMENTO DE FONTES DE POLUIÇÃO. MAURO KAZUO SATO Gerente do Setor de Normas e Procedimentos maio/2013

LICENCIAMENTO DE FONTES DE POLUIÇÃO. MAURO KAZUO SATO Gerente do Setor de Normas e Procedimentos maio/2013 LICENCIAMENTO DE FONTES DE POLUIÇÃO MAURO KAZUO SATO Gerente do Setor de Normas e Procedimentos maio/2013 Estrutura organizacional da CETESB Presidência Vide Presidência Diretoria de Gestão Corporativa

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO AMBIENTAL PA para empreendimentos de serviços

Leia mais

DE CARVÃO VEGETAL EM MS. Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL

DE CARVÃO VEGETAL EM MS. Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL POLÍTICA E LEGISLAÇÃO DA PRODUÇÃO DE CARVÃO VEGETAL EM MS Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL Política e Legislação até

Leia mais

Recursos Naturais e Biodiversidade

Recursos Naturais e Biodiversidade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Florestas Gestão dos Recursos Hídricos Qualidade e Ocupação do Solo Proteção da Atmosfera e Qualidade

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA

FACULDADE DE ENGENHARIA FACULDADE DE ENGENHARIA Avaliação de Impactos Ambientais e Licenciamento Ambiental Profa. Aline Sarmento Procópio Dep. Engenharia Sanitária e Ambiental Avaliação de Impactos Ambientais CONAMA 01/1986 estabeleceu

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná

A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná LEI Nº 12493-22/01/1999 Publicado no Diário Oficial Nº 5430 de 05/02/1999. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios referentes a geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte,

Leia mais

PRÉ - REQUISITOS PARA ABERTURA DE PROCESSOS DOCUMENTOS GERAIS

PRÉ - REQUISITOS PARA ABERTURA DE PROCESSOS DOCUMENTOS GERAIS PESSOA FÍSICA PRÉ - REQUISITOS PARA ABERTURA DE PROCESSOS - Requerimento (modelo Secretaria) - RG e CPF (cópia) - Telefone para contato DOCUMENTOS GERAIS - Documento da Propriedade (Título Definitivo,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS 1. Quais os casos passíveis de licenciamento ambiental junto ao setor Anexo III Áreas Verdes do (DLA), visando a Autorização Ambiental Municipal? São passíveis de licenciamento ambiental pelo Anexo III:

Leia mais

Sistema Ambiental em Minas Gerais

Sistema Ambiental em Minas Gerais Sistema Ambiental em Minas Gerais José Cláudio Junqueira Ribeiro Belo Horizonte, março de 2011 Políticas Ambientais PROTEÇÃO DA BIODIVERSIDADE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS GESTÃO DE RESÍDUOS ENERGIA E MUDANÇAS

Leia mais

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE PARECER TÉCNICO

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE PARECER TÉCNICO FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE PARECER TÉCNICO Parecer Técnico GEDIN 97/2008 Processo COPAM: 17/1988/011/2006 Empreendedor: AVG SIDERURGIA LTDA. Empreendimento: DN Código Classe Porte Atividade: Produção

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO. Centro de Apoio Operacional da Ordem Urbanística e Questões Fundiárias

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO. Centro de Apoio Operacional da Ordem Urbanística e Questões Fundiárias GRUPO DE TRABALHO: SOLUÇÕES INDIVIDUAIS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Participantes: MP/RS, CORSAN, AGERGS, FUNASA, FAMURS, FEPAM/SEMA, SECRETARIA ESTADUAL DE OBRAS, HABITAÇÃO E SANEAMENTO Objetivo do trabalho:

Leia mais

SMAMA LICENÇA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LO N : 0019/2013.

SMAMA LICENÇA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LO N : 0019/2013. LO N : 0019/2013. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, criada pela Lei Municipal n 368 de 20/05/77, no uso das atribuições que lhe confere a Lei n 6.938, de 31/08/81, que dispõe sobre

Leia mais

ATIVIDADES DE MINERAÇÃO. A FMMA coloca-se a disposição dos interessados para dirimir possíveis dúvidas sobre esta instrução normativa.

ATIVIDADES DE MINERAÇÃO. A FMMA coloca-se a disposição dos interessados para dirimir possíveis dúvidas sobre esta instrução normativa. IN-08 ATIVIDADES DE MINERAÇÃO INSTRUÇÕES GERAIS: A FMMA coloca-se a disposição dos interessados para dirimir possíveis dúvidas sobre esta instrução normativa. Sempre que julgar necessário a FMMA solicitará

Leia mais

FORMULÁRIOS PARA AUTORIZAÇÃO DE RECUPERAÇÃO OU RESTAURAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS COM SUPRESSÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS

FORMULÁRIOS PARA AUTORIZAÇÃO DE RECUPERAÇÃO OU RESTAURAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS COM SUPRESSÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS CONDIÇÃO OBRIGATÓRIA EXECUÇÃO DE PROJETO DE RECUPERAÇÃO DAS ÁREAS CONSIDERADAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ATINGIDAS COM PLANTIOS E MANUTENÇÃO DE ÁRVORES NATIVAS DA REGIÃO E/OU CONDUÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL,

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RAS ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação Razão Social CNPJ Telefone Nome CPF

Leia mais

O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a Seguinte Lei.

O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a Seguinte Lei. LEI MUNICIPAL Nº. 947/2010 Institui a Política Municipal de Meio Ambiente, cria o Conselho e Fundo Municipal de Meio Ambiente e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado

Leia mais

Legislação Ambiental Brasileira Aplicada ao Transporte

Legislação Ambiental Brasileira Aplicada ao Transporte Legislação Ambiental Brasileira Aplicada ao Transporte III ENCONTRO ANUAL DA EQUIPE TÉCNICA DO DESPOLUIR Eduardo Vieira Gerente de Projetos da CNT Rio de Janeiro, novembro de 2010. CONSTITUIÇÃO FEDERAL/88

Leia mais

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012 Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF O Idaf por definição O IDAF, é a entidade responsável pela execução da política, florestal, bem como

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL Atenção: Esta lista de documentos tem vigência até que o Cadastro Ambiental Rural (CAR) seja efetivamente implantado por ato da Ministra

Leia mais

Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014

Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014 Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014 Define a metodologia a ser adotada em caráter experimental para a conversão das obrigações de reposição florestal

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COLETA, TRANSPORTE, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E PRODUTOS

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COLETA, TRANSPORTE, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E PRODUTOS ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 03.00 GRUPO/ATIVIDADES RESÍDUOS SÓLIDOS E PPD Armazenamento Temporário de Resíduos A 03.01 das Classes I Perigoso ou A Serviço de Saúde 03.02 Armazenamento Temporário

Leia mais

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP)

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP) Lei 4771 versão em vigor II área de preservação permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 o e 3 o desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Informações Básicas para Licenciamento de PARCELAMENTO DE SOLO PARA FINS RESIDENCIAIS Licença Prévia

Informações Básicas para Licenciamento de PARCELAMENTO DE SOLO PARA FINS RESIDENCIAIS Licença Prévia Informações Básicas para Licenciamento de PARCELAMENTO DE SOLO PARA FINS RESIDENCIAIS Licença Prévia SMAMA DDRGA INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO: As instruções necessárias para o preenchimento da folha de

Leia mais

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO PLANO PLURIANUAL 2010-2013 CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO - FUNCIONAL PROGRAMÁTICA 18000000 GESTÃO AMBIENTAL 18542000 CONTROLE AMBIENTAL 18542010 PROGRAMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 185420102.074 COORDENAÇÃO DOS

Leia mais

6 Exploração florestal ATENÇÃO!

6 Exploração florestal ATENÇÃO! 6 Exploração florestal 6.1 O que depende de autorização ambiental? Uso alternativo do solo Toda intervenção na cobertura vegetal nativa (ou seja, desmatamento com ou sem destoca, raleamento ou brocamento

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Compensação de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

Competência dos Entes Federativos na Legislação Ambiental

Competência dos Entes Federativos na Legislação Ambiental Competência dos Entes Federativos na Legislação Ambiental Abril 2009 Prof. Dr. Roger Stiefelmann Leal nas Constituições Anteriores Constituição de 1946 Art 5º - Compete à União: XV - legislar sobre: l)

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO 17ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO 17ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA ESPECIALIZADA DO MEIO AMBIENTE DA COMARCA DE CUIABÁ-MT. Autos da Ação de Execução de Obrigação de Fazer e de Não Fazer n. 207-18.2010.811.0082 (10375) Exequente:

Leia mais

Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas. Annelise Monteiro Steigleder

Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas. Annelise Monteiro Steigleder Responsabilidade Civil e a Gestão de Áreas Contaminadas Annelise Monteiro Steigleder Áreas Contaminadas Local onde há poluição ou contaminação, potencial ou efetiva, causada pela introdução de substâncias

Leia mais

CONSULTORIA AMBIENTAL E CONSTRUÇÃO CIVIL

CONSULTORIA AMBIENTAL E CONSTRUÇÃO CIVIL CONSULTORIA AMBIENTAL E CONSTRUÇÃO CIVIL A EMPRESA A PROXXAMBIENTAL atua no ramo de meio ambiente oferecendo soluções para os problemas ambientais de sua empresa, buscando o desenvolvimento sustentável.

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) DATA DA VISITA: / /

LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) DATA DA VISITA: / / LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) 1. DADOS GERAIS DO IMÓVEL DATA DA VISITA: / / 1.1. Identificação do Imóvel: 1.2. Endereço: Cidade:

Leia mais

Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 2.713, DE 9 DE MAIO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 3.876 Institui o Programa de Adequação Ambiental de Propriedade e Atividade Rural TO-LEGAL, e adota outras providências. O Governador

Leia mais

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 118 DOE de 24/06/06. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 118 DOE de 24/06/06. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 118 DOE de 24/06/06 Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Resolução

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO À DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO À DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL À DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL Documentação prevista na Lei Federal 12.51 de 25 de maio de 2012: 1 - identificação do proprietário ou possuidor rural; 2 - comprovação

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE INTERFACE COM AS FLORESTAS PLANTADAS EM MS. Política Ambiental para o Setor Florestal

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE INTERFACE COM AS FLORESTAS PLANTADAS EM MS. Política Ambiental para o Setor Florestal LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE INTERFACE COM AS FLORESTAS PLANTADAS EM MS Principais Objetivos da Política Ambiental de MS para o Setor Florestal Reduzir a pressão sobre a vegetação nativa, especialmente aquela

Leia mais

ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO

ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO 1. IDENTIFICAÇÃO Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato:

Leia mais

Curso de Direito Ambiental

Curso de Direito Ambiental Curso de Direito Ambiental 1. NOÇÕES PRELIMINARES 1.1 Direitos de terceira geração 1.1.1 Introdução 1.1.2 Direitos difusos 1.1.3 Direitos coletivos stricto sensu 1.1.4 Direitos individuais homogêneos 1.2

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 03.00 GRUPO/ATIVIDADES RESÍDUOS SÓLIDOS E PPD Armazenamento Temporário de Resíduos A 03.01 das Classes I Perigoso ou A Serviço de Saúde 03.02 Armazenamento Temporário

Leia mais

ENCONTRO TÉCNICO SOBRE LOGÍSTICA REVERSA DE ÓLEOS LUBRIFICANTES Lei Federal 12.305/2010 PNRS e Resolução Conama 362/2005 DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DAS ATIVIDADES LIGADAS AOS OLUCs 13 de

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de. Antônio Malard FEAM 09/06/2015

Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de. Antônio Malard FEAM 09/06/2015 Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de Reuso de Água Antônio Malard FEAM 09/06/2015 Sumário Legislações de Reuso; Consumo de Água na Indústria; Experiências de Sucesso: Banco de Boas Práticas Ambientais;

Leia mais

LICENÇA DE OPERAÇÃO Regularização

LICENÇA DE OPERAÇÃO Regularização LO N : 0001/2013. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, criada pela Lei Municipal n 368 de 20/05/77, no uso das atribuições que lhe confere a Lei n 6.938, de 31/08/81, que dispõe sobre

Leia mais

Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015.

Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015. Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015. Estabelece diretrizes e procedimentos para o cumprimento da compensação ambiental decorrente do corte e da supressão de vegetação nativa pertencente ao bioma

Leia mais

O PAPEL DO DO IBAMA NA NA PRESERVAÇÃO E E CONSERVAÇÃO

O PAPEL DO DO IBAMA NA NA PRESERVAÇÃO E E CONSERVAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSO NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA O PAPEL DO DO IBAMA NA NA PRESERVAÇÃO E E CONSERVAÇÃO

Leia mais

TUTORIAL PARA PREENCHIMENTO DO MEMORIAL DESCRITIVO

TUTORIAL PARA PREENCHIMENTO DO MEMORIAL DESCRITIVO TUTORIAL PARA PREENCHIMENTO DO MEMORIAL DESCRITIVO Campos A Preencher: Todos os campos deverão ser preenchidos. Os campos que não se aplicam ao estabelecimento/empreendimento, preencher com não há. 01

Leia mais

Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado, e dá providências correlatas

Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado, e dá providências correlatas LEI Nº 13.550, DE 02 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Cerrado no Estado, e dá providências correlatas O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que

Leia mais

14º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental do Instituto O Direito por um planeta verde

14º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental do Instituto O Direito por um planeta verde 14º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental do Instituto O Direito por um planeta verde O licenciamento ambiental e o licenciamento urbanístico no Projeto de Lei nº 3.057/2000 Lei de responsabilidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE AUDIÊNCIA PÚBLICA - ESTUDOS TÉCNICOS MACRODRENAGEM E APP S EM ÁREAS URBANA CONSOLIDADA PROPOSTA DE CONDICIONANTES E RESTRIÇÕES

Leia mais

COMPONENTE AMBIENTAL EM PROJETOS RODOVIÁRIOS. - Conceitos Básicos de Gestão Ambiental

COMPONENTE AMBIENTAL EM PROJETOS RODOVIÁRIOS. - Conceitos Básicos de Gestão Ambiental - Conceitos Básicos de Gestão Ambiental - Empreendimentos Rodoviários - Impacto Ambiental - Legislação vigente - Licenciamento Ambiental - Estudos e Relatórios Ambientais - Componente Ambiental DNIT Conceitos

Leia mais

A Compensação ambiental prevista no art. 36 da Lei do SNUC

A Compensação ambiental prevista no art. 36 da Lei do SNUC A Compensação ambiental prevista no art. 36 da Lei do SNUC Congresso do Ministério Público de Meio Ambiente da Região Sudeste Erika Bechara 08.Abril.2011 1 COMPENSAÇÃO NO DIREITO AMBIENTAL No léxico, compensar

Leia mais

Prefeitura Municipal de Valença publica:

Prefeitura Municipal de Valença publica: Prefeitura Municipal de Valença 1 Sexta-feira Ano VII Nº 1291 Prefeitura Municipal de Valença publica: Edital de Reti-Ratificação do Edital do Concurso Público Municipal nº 01/2015. Gestor - Jucelia Sousa

Leia mais

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR CADERNO DE PROVA CARGO: ESTAGIÁRIO DO DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

A CONSERVAÇÃO DE SOLO: VISÕES DO DIREITO AGRÁRIO, AMBIENTAL E DE VIZINHANÇA FRANCISCO DE GODOY BUENO

A CONSERVAÇÃO DE SOLO: VISÕES DO DIREITO AGRÁRIO, AMBIENTAL E DE VIZINHANÇA FRANCISCO DE GODOY BUENO A CONSERVAÇÃO DE SOLO: VISÕES DO DIREITO AGRÁRIO, AMBIENTAL E DE VIZINHANÇA FRANCISCO DE GODOY BUENO PLANO DE TRABALHO O que é conservação de solo no Direito? A função social da propriedade e a proteção

Leia mais

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO (Lei Federal n. 12.651/12) PROF. DR. RAFAEL COSTA FREIRIA E-MAIL: RAFAELFREIRIA@COM4.COM.BR DISCIPLINA: DIREITO AMBIENTAL Fundamentos e Temas de Trabalho na Questão Florestal

Leia mais

ANEXO IV NORMAS AMBIENTAIS PARA SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM REDES DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA

ANEXO IV NORMAS AMBIENTAIS PARA SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM REDES DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ANEXO IV NORMAS AMBIENTAIS PARA SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM REDES DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA A) OBJETIVO Diretrizes ambientais a serem seguidas durante os trabalhos de manutenção de redes de transmissão de

Leia mais

CAPÍTULO 1 O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE...1 CAPÍTULO 2 O PROCESSO DE LICENCIAMENTO... 17 CAPÍTULO 3 LICENÇAS AMBIENTAIS...

CAPÍTULO 1 O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE...1 CAPÍTULO 2 O PROCESSO DE LICENCIAMENTO... 17 CAPÍTULO 3 LICENÇAS AMBIENTAIS... S u m á r i o CAPÍTULO 1 O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE...1 1.1. A percepção do problema e a busca das soluções...5 1.2. As normas de proteção dos recursos naturais...8 1.3. Os instrumentos

Leia mais

DECRETO FEDERAL N 1.282, DE 19 DE OUTUBRO DE 1994 Regulamenta os arts. 15, 19, 20 e 21 da Lei n 4.771, de 15 de setembro de 1965, e dá outras

DECRETO FEDERAL N 1.282, DE 19 DE OUTUBRO DE 1994 Regulamenta os arts. 15, 19, 20 e 21 da Lei n 4.771, de 15 de setembro de 1965, e dá outras DECRETO FEDERAL N 1.282, DE 19 DE OUTUBRO DE 1994 Regulamenta os arts. 15, 19, 20 e 21 da Lei n 4.771, de 15 de setembro de 1965, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições

Leia mais

Licenciamento Ambiental na CETESB IV Aquishow

Licenciamento Ambiental na CETESB IV Aquishow SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO 120 anos Licenciamento Ambiental na CETESB IV Aquishow Pesquisadora Científica Dra. Daercy Mª M. de Rezende Ayroza Polo Regional Médio Paranapanema Regularização

Leia mais

Obrigações Legais Ambientais

Obrigações Legais Ambientais Obrigações Legais Ambientais 2015 PROGRAME-SE PARA CUMPRIR AS OBRIGAÇÕES DE NATUREZA AMBIENTAL EM 2015 Alguns dos principais prazos para cadastros, registros, pagamentos de taxas e outras obrigações de

Leia mais

PARCERIA: SUSTENTABILIDADE

PARCERIA: SUSTENTABILIDADE Contabilidade Ambiental e a Sustentabilidade nas Empresas Luis Fernando de Freitas Penteado luisfernando@freitaspenteado.com.br www.freitaspenteado.com.br PARCERIA: SUSTENTABILIDADE Dificuldade de definição

Leia mais

Licenciamento Ambiental de Sistemas de Esgotos Sanitários

Licenciamento Ambiental de Sistemas de Esgotos Sanitários Prefeitura Municipal de Santo André Licenciamento Ambiental de Sistemas de Esgotos Sanitários Seminário Nacional sobre Licenciamento Ambiental de Sistemas de Tratamento de Esgoto Sanitário Serviço Municipal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL. Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto.

PREFEITURA MUNICIPAL. Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto. PREFEITURA MUNICIPAL Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto Julho - 2012 ABRANGÊNCIA RESÍDUOS SÓLIDOS ESGOTAMENTO SANITÁRIO ABASTECIMENTO

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Legislação Federal LEI N 7.804, de 18 de julho de 1989 Altera a Lei n 6.938 de 31 de agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação

Leia mais

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROBLEMÁTICA POSSÍVEIS SOLUÇÕES ETAPAS OPORTUNIDADES - Ampliação do atendimento (75% de cobertura);

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES EM GERAL

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES EM GERAL TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES EM GERAL O processo administrativo para aprovação e licenciamento de atividades em geral junto à Prefeitura Municipal de Santa Clara do Sul

Leia mais

ATIVIDADES OU EMPREENDIMENTOS SUJEITAS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL

ATIVIDADES OU EMPREENDIMENTOS SUJEITAS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL Licenciamento Ambiental e suas exigências legais Julio César Bachega Sec. Adjunto de Mudanças Climática - SEMA Licenciamento Ambiental e suas exigências Legais Código Florestal Lei Federal 4771/1965; Código

Leia mais

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resolução CONAMA Nº 009/1993 - "Estabelece definições e torna obrigatório o recolhimento e destinação adequada de todo o óleo lubrificante usado ou contaminado".

Leia mais

CRIAÇÃO DE ANIMAIS CONFINADOSPEQUENO, MÉDIO E GRANDE PORTE

CRIAÇÃO DE ANIMAIS CONFINADOSPEQUENO, MÉDIO E GRANDE PORTE CRIAÇÃO DE ANIMAIS CONFINADOSPEQUENO, MÉDIO E GRANDE PORTE IN-37 INSTRUÇÕES GERAIS: A FATMA coloca-se a disposição dos interessados dirimir possíveis dúvidas sobre esta Instrução Normativa; Sempre que

Leia mais