Vínculos para a atuação profissional

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Vínculos para a atuação profissional"

Transcrição

1 Vínculos para a atuação profissional AUT Sem 2016 Prof. Gil Barros Diferença funcionário público e iniciativa privada? Objeto de trabalho: público e privado? Estabilidade no emprego: concurso e contrato? Se vou trabalhar sozinho para que abrir uma empresa? Profissional liberal é igual à autônomo? E o terceiro setor, existe espaço para arquitetos?

2 Formas de atuação Coletivo: responsável Individual Individual em rede Coletivo: funcionário

3 Parâmetros típicos Tipo de atividade: especialista/generalista, nicho Individual, sob demanda, coletivo Equipe e competências: sob demanda ou fixas Horário e local de trabalho: presencial, fixo, flexível Infraestrutura: equipamentos e pessoal de apoio Responsabilidade com parceiros, funcionários e clientes Risco: estabilidade ou variável Parâmetros que caracterizam empregado Retorno financeiro: variável ou pré-estabelecida Subordinação: relação com contratante (cliente/chefe) Eventualidade: relação é recorrente ou eventual? Pessoalidade: pessoa pode ser substituída?

4 Empresa: sócio Autônomo Autônomos Empresa: funcionário Autônomo Pessoa Jurídica Valor , ,00 Despesas 32,50% ,00 17,00% ,00 Líquido 6.750, ,00 INSS 20,00% 2.000,00 0,00% 0,00 Total , ,00 Total/Líq. 56,25% 83,00% Problema: obrigado a diminuir carga de impostos Efeito prático: vínculos precários

5 Tipos de vínculo trabalhista Autônomo (individual ou em rede) Não tem vínculo empregatício Emite RPA (recibo de pagamento de autônomo) Deve contribuir com sindicato No caso de AU, precisa pagar CAU anualmente

6 Empresa: Funcionário Tem vínculo de emprego: hierarquia, salário, horário, local, etc. CLT: conjunto de direitos e deveres, como férias, 13, auxílios, FGTS, aviso prévio, etc. Estatutário (setor público): não tem FGTS e estabilidade é maior Também existem temporários e comissionados Sindicato é descontado na folha No caso de AU, precisa pagar CAU anualmente Empresa: sócio Autonomia e responsabilidade Quadro de competências mais estável (sociedade) Aportes de recursos (empresa) Diversos tipos de PJs Modalidade jurídica: EIRELI, LTDA, SA Regime: Simples, Lucro Presumido, Lucro Apurado, Sem fins lucrativos Precisa pagar sindicato patronal (PJ) No caso de AU, precisa pagar CAU anualmente tanto do sócio (PF) quando da empresa (PJ)

7 Autônomo PJ: abre empresa mas atua como autônomo Emite Nota fiscal e paga menos impostos Dono da empresa deve pagar impostos como pessoa física Funcionário PJ: abre empresa mas é funcionário Estabelece relação entre empresas para pagar menos impostos Deveria ser funcionário Funcionário cooperado Figura que congrega todos os funcionários como cooperados e é contratada por empresa-mãe Deveria ser funcionário Funcionário sócio ou associado Funcionário passa a ser parte do quadro da empresa, com percentual de participação mínimo Permite pagar menos impostos Deve ser sócio se a relação de fato for de sócio Funcionário "CLT Flex" O salário oficial é bem menor do que o de fato Descontos calculados sobre salário oficial Valor complementar é recebido de outra forma (comissão, gratificação, verbas) Deveria ser CLT baseado no salário de fato

8 Pejotização e criatividade contábil Objetivo: menos tributos, recebimento mensal maior Problema: prática estabelecida no mercado Efeitos: indivíduo Falta de estabilidade, relação precária Funcionário assume riscos que não deveria Previdência ou auxílios ficam prejudicados Indefinição entre remuneração (salário) e lucro Efeitos: empresa e arquitetura Cadeia de responsabilidade é quebrada Estrutura de operação mais complicada Arquiteto PJ acaba em mesmo nível hierárquico que complementares Equipe pode ser desconhecida e pouco engajada Difícil arquiteto desempenhar papel de gestor Relações precárias tem impacto na profissão como um todo

9 Efeitos: sociedade Bem estar social migra para esfera privada Empregado tem que se planejar melhor e arcar com custos próprios Estruturas formais que não estão de acordo com a realidade Quadro geral de empregos do país fica distorcido O que viabiliza esta situação precária em escritórios menores? O vínculo formal é precário, mas na prática muitos dos direitos e deveres são honrados Relação baseada na confiança mútua, apenas Qual a duração prevista do contrato? É dada opção para o empregado: CLT, PJ e sócio? Empregador tem muito pouco espaço para manobra Em empresas grandes é esperado um vínculo formal Pergunta: segurança e previsibilidade valem os descontos mensais?

10 Profissional Liberal: tem liberdade para exercer seu ofício Decide como deve trabalhar, por sua capacitação técnico-científica Tradicionalmente trabalham como individual (autônomo ou PJ) Pode ser empregado ou dono de empresa, mas continua sendo profissional liberal, pois isto está ligado à sua atividade Exemplos típicos: médicos, advogados, arquitetos, etc. Estágio: não configura relação de emprego e portanto não tem direitos trabalhistas, mas tem uma série de direitos e seguranças conforme lei N /2008. " ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos " Art. 12. O estagiário poderá receber bolsa, sendo compulsória a sua concessão,, na hipótese de estágio não obrigatório. Art. 15. desconformidade com esta Lei caracteriza vínculo de emprego do educando

11 Empresa do 3o setor O que é 3 Setor? Entidades sem fins lucrativos OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), diferente de ONG Entidade privada, mas que pode fazer parcerias com poder público Gestão própria, pelos associados ou sócios Pode ter funcionários

12 Lucjan Korngold Edifício CBI-Esplanada, 1946 Polonês Chega ao Brasil em 1940 Para atuar dependia de sócios Em 1946 estava saindo de sociedade com arquiteto húngaro Francisco Beck

13 Frei Otto Estádio Olímpico de Munique 1972 Alemão Piloto durante a guerra Prisioneiro, construções leves Após o final da guerra continua seu interesse por estruturas tensionadas Existem fases da carreira mais adequadas para atuações diferentes? Para se trabalhar com o bem público Em escritórios privados, relação com o urbano Em cargos comissionados ou eletivos Terceiro setor Como se escolhe um sócio? Estrutura clássica: projeto, escritório, cliente

14 Revisando Forma de atuação é diferente de vínculo formal Trabalho intelectual tem suas particularidades O que quero fazer? Como quero trabalhar? Qual o vínculo melhor? Procurar gerar valor no seu trabalho Cliente/empregador contrata porque precisa Fazer um bom projeto é essencial, mas não é tudo Diferencial de uma formação mais completa Colocações?

Sociedade de Advogados: UMA ANÁLISE SOBRE AS FORMA DE CONTRATAÇÃO DOS ADVOGADOS

Sociedade de Advogados: UMA ANÁLISE SOBRE AS FORMA DE CONTRATAÇÃO DOS ADVOGADOS Sociedade de Advogados: UMA ANÁLISE SOBRE AS FORMA DE CONTRATAÇÃO DOS ADVOGADOS Luiza Assis Advogada; Consultora da Selem, Bertozzi & Consultores Associados nos pilares de societário, planejamento estratégico

Leia mais

Ana Paula. Mendel A CONTRATAÇÃO EM SALÃO DE BELEZA

Ana Paula. Mendel A CONTRATAÇÃO EM SALÃO DE BELEZA A CONTRATAÇÃO EM SALÃO DE BELEZA Palestrante anapaulamendel@hotmail.com (21) 2524 2175 (21) 987373849 Graduada em Administração e Gestão de Recursos Humanos; Pós-graduada em Docência e Gestão do Ensino

Leia mais

Fernando Versignassi Cirurgião dentista pela UNIP-SP / Especialista em saúde pública Experiência profissional APCD Central, Santa Casa SP,

Fernando Versignassi Cirurgião dentista pela UNIP-SP / Especialista em saúde pública Experiência profissional APCD Central, Santa Casa SP, Fernando Versignassi Cirurgião dentista pela UNIP-SP / 2001 - Especialista em saúde pública Experiência profissional APCD Central, Santa Casa SP, SPDM, Hospital Albert Einstein Palestrante Programa Integração

Leia mais

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA LEI 12.592/2012 Reconhecimento da categoria em 18 de Janeiro de 2012 LEI 13.352 de 27/10/2016 Alteração da Lei n 12.592/2012, para dispor sobre o contrato de parceria entre profissionais

Leia mais

Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Reforma do Estado Principais Aspectos Valéria Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ideal de Estado que orienta as políticas de gestão do Governo

Leia mais

Guia Unicred do IMPOSTO DE RENDA 2016

Guia Unicred do IMPOSTO DE RENDA 2016 Guia Unicred do IMPOSTO DE RENDA 2016 1 ÍNDICE Imposto de Renda 2016... 03 Obrigatoriedade de entrega da declaração... 04 Orientações gerais.... 05 Formas de entrega.... 06 Multa pelo atraso na entrega...

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/10/2015 a 31/10/2015. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/10/2015 a 31/10/2015. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 19.244.544,04 49.953.463,53 49.796.021,80 19.401.985,77 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 153.537,84 22.398.892,79 22.439.629,90 112.800,73 1.1.1.00.00-9

Leia mais

Compreender e aplicar os cálculos trabalhistas necessários à elaboração da folha de pagamento.

Compreender e aplicar os cálculos trabalhistas necessários à elaboração da folha de pagamento. ROTINAS DE ADM. DE PESSOAL - GST1141 Título Cálculos trabalhistas - execícios propostos Objetivo Ao final da realização das atividade o aluno será capaz de: Compreender e aplicar os cálculos trabalhistas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Arthur Oliveira Maia) Dispõe sobre os contratos de prestação de serviços médicos especializados por pessoas de natureza jurídica de direito privado, na área da medicina

Leia mais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais com Alexandre Matias Silva A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais Das 09h às 11h - Sede do Sindcont-SP

Leia mais

Prática em Perícia Perícia Trabalhista Conceitos e Prática

Prática em Perícia Perícia Trabalhista Conceitos e Prática Prática em Perícia Perícia Trabalhista Conceitos e Prática Relembrar - SUJEITOS DO CONTRATO DE TRABALHO - CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO - REMUNERAÇÃO E SALÁRIO - DA DURAÇÃO DA HORA DO TRABALHO - CÁLCULO

Leia mais

CUSTEIO SINDICAL: ENTENDA SOBRE SUAS POSSÍVEIS FONTES

CUSTEIO SINDICAL: ENTENDA SOBRE SUAS POSSÍVEIS FONTES CUSTEIO SINDICAL: ENTENDA SOBRE SUAS POSSÍVEIS FONTES O Direito Coletivo do Trabalho tem como figura principal o sindicato, cuja finalidade é a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO. Programa de Educação Previdenciária

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO. Programa de Educação Previdenciária Ministério da Previdência Social INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO Todos que se inscrevem na Previdência Social podem escolher como vão contribuir. Isso permite que o segurado

Leia mais

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2016

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2016 Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2016 Nota: Em caso de feriados estaduais e municipais, os vencimentos das obrigações principais deverão ser antecipados

Leia mais

Sumário. Decisões e argumentos da Justiça que envolvem o Seguro de Responsabilidade Civil do Empregador

Sumário. Decisões e argumentos da Justiça que envolvem o Seguro de Responsabilidade Civil do Empregador Sumário Decisões e argumentos da Justiça que envolvem o Seguro de Responsabilidade Civil do Empregador Tópicos que serão abordados Definição do objeto do estudo: visão jurídica do seguro RC Empregador

Leia mais

Manual RAIS 2012 Atualizada em Pág. 1

Manual RAIS 2012 Atualizada em Pág. 1 Pág. 1 O QUE É A RAIS? Todo estabelecimento deve fornecer ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por meio da Relação Anual de Informações Sociais RAIS, as informações referentes a cada um de seus empregados,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESCRITORIO ESPECIALIZADO EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PARA ATENDER A IBKRIN ASSOCIAÇÃO BEPOTIRE XIKRIN

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESCRITORIO ESPECIALIZADO EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PARA ATENDER A IBKRIN ASSOCIAÇÃO BEPOTIRE XIKRIN TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESCRITORIO ESPECIALIZADO EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PARA ATENDER A IBKRIN ASSOCIAÇÃO BEPOTIRE XIKRIN 1 - INTRODUÇÃO O Instituto Bepotire Xikrin IBKRIN

Leia mais

autônomo ou PJ 13 de outubro Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional. Comemore conosco! Conheça os prós e os contras dessa escolha Pág12 >>

autônomo ou PJ 13 de outubro Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional. Comemore conosco! Conheça os prós e os contras dessa escolha Pág12 >> Impresso Fechado pode ser aberto pela EBCT Revista CONSELHO DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Rua Cincinato Braga, 277 - Bela Vista - CEP 01333-011 - São Paulo ANO 8 - EDIÇÃO

Leia mais

VERBAS EXPLICAÇÃO INCIDÊNCIA. Quando gozadas haverá incidência. Esta remuneração adicional é 1/3 constitucional sobre as férias gozadas

VERBAS EXPLICAÇÃO INCIDÊNCIA. Quando gozadas haverá incidência. Esta remuneração adicional é 1/3 constitucional sobre as férias gozadas 1. Salário É salário-decontribuição. 2. Férias Quando gozadas haverá incidência 3. Remuneração adicional de férias, Inciso XVII, Art 7º, CF Esta remuneração adicional é 1/3 constitucional sobre as férias

Leia mais

Princípio da competência O princípio da competência determina que todas as vendas, os custos e as despesas devem ser considerados na apuração do resultado da empresa no período em que ocorrerem, independentemente

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 S Sumário Introdução, 1 1 Folha de Pagamento, 7 1 Salário, 8 1.1 Salário-hora para 40 horas semanais: divisor 200 (duzentos), 9 1.2 Depósito de salários em conta bancária, 9 2 Horas extras, 10 2.1 Integração

Leia mais

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos de Lucratividade e a importância para existência e sucesso das empresas. Proporcionar aos participantes

Leia mais

Lista de Abreviaturas... 19

Lista de Abreviaturas... 19 Sumário Lista de Abreviaturas... 19 CAPÍTULO 1 Direito Individual do Trabalho Introdução... 21 1.1 Natureza Jurídica do Direito do Trabalho... 21 1.1.1 Teoria do Direito Público... 22 1.1.2 Teoria do Direito

Leia mais

SISTEMA DE INDENIZAÇÃO DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) DIREITO DO TRABALHO II. Aula 2 Indenização do tempo de serviço. Conteúdo Programático desta aula

SISTEMA DE INDENIZAÇÃO DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) DIREITO DO TRABALHO II. Aula 2 Indenização do tempo de serviço. Conteúdo Programático desta aula Aula 2 Indenização do tempo de serviço Conteúdo Programático desta aula Indenização por tempo de serviço: conceito, fundamentos jurídicos e evolução histórica. O sistema do FGTS: evolução histórica; natureza

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

Caderno de Exercícios - Departamento Pessoal - Aluno

Caderno de Exercícios - Departamento Pessoal - Aluno 1. O empregado na função de pizzaiolo foi contratado a tempo parcial com jornada de trabalho de 24 horas semanais. Os empregados na mesma função, com jornada normal de 220 horas, ganhavam o piso salarial

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATO DE GESTÃO IGAM/ABHA N 002/2009 = TERMO DE REFERÊNCIA = REPETIÇÃO DE PROCESSO PROCESSO SELETIVO 004-A/2012 ARAGUARI - MG ABRIL / 2012 1. INTRODUÇÃO 1.1.

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas

Balanço Social Anual das Cooperativas Balanço Social Anual das Cooperativas 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED CASCAVEL Saúde CNPJ: 81170003000175 Tempo de existencia: 25 anos Responsável pelo preenchimento: Claudionei Cezario Atuação

Leia mais

Conhecendo o esocial Fundamento Legal Conceito Cronograma Objetivo Órgãos Participantes (DIRETO)...

Conhecendo o esocial Fundamento Legal Conceito Cronograma Objetivo Órgãos Participantes (DIRETO)... Venhacom ag. I nf ors abert udos obreoe-soci al SUMÁRIO Conhecendo o esocial... 2 Fundamento Legal... 2 Conceito... 2 Cronograma... 3 Objetivo... 3 Órgãos Participantes (DIRETO)... 3 Órgãos indiretos...

Leia mais

Plano CV Prevdata. Conheça mais sobre o seu Plano de Previdência Complementar

Plano CV Prevdata. Conheça mais sobre o seu Plano de Previdência Complementar Plano CV Prevdata Conheça mais sobre o seu Plano de Previdência Complementar A entidade Nossos números Patrimônio de R$ 1,1 bilhão (dez/2016) 2 planos de benefícios e plano de gestão administrativa 36

Leia mais

LEI Nº DE 18 DE JANEIRO DE 2012

LEI Nº DE 18 DE JANEIRO DE 2012 LEI Nº 12.592 DE 18 DE JANEIRO DE 2012 Dispõe sobre o exercício das atividades profissionais de Cabeleireiro, Barbeiro, Esteticista, Manicure, Pedicure, Depilador e Maquiador. LEI Nº 13.352 DE 27 DE OUTUBRO

Leia mais

Processo de Férias. GPE Gestão de Pessoal

Processo de Férias. GPE Gestão de Pessoal GPE Gestão de Pessoal Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Objetivos do Treinamento... 3 2 Fluxo do Ambiente... 3 3 Conceito de Férias... 4 4 Conceito de Abono... 5 5 Incidências - Férias... 5 6 Cálculo de Requisitos...

Leia mais

Carta enviada ao deputado Michel Temer, presidente da Câmara dos Deputados, relativa ao Projeto de Lei que regulamenta a terceirização.

Carta enviada ao deputado Michel Temer, presidente da Câmara dos Deputados, relativa ao Projeto de Lei que regulamenta a terceirização. Rio, 9 de julho de 2010 Carta enviada ao deputado Michel Temer, presidente da Câmara dos Deputados, relativa ao Projeto de Lei que regulamenta a terceirização. TERCEIRIZAÇÃO II FEBRATEL envia carta ao

Leia mais

Boletim Mensal - Dezembro/2015

Boletim Mensal - Dezembro/2015 Boletim Mensal - Dezembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Receita abre consulta ao último lote de restituição do IR. Para fazer a consulta, o contribuinte deve acessar a página

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Posicionamento Consultoria De Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 11/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 4 5. Informações

Leia mais

Indicações de bibliográficas: CLT. Leis e artigos importantes: OJ até 421 SÚMULAS TST até 444

Indicações de bibliográficas: CLT. Leis e artigos importantes: OJ até 421 SÚMULAS TST até 444 CURSO: OAB X EXAME - NOITE DISCIPLINA: DIREITO DO TRABALHO PROFESSOR: JULIANA MONTEIRO AULA 01 BLOCO: 01- MATÉRIA: INTRODUÇÃO (LEI TRABALHISTA NO TEMPO E ESPAÇO, FONTES, EMPREGADO). Indicações de bibliográficas:

Leia mais

PEC 66/2012. Novos direitos e muitas dúvidas para uma categoria profissional que representa 6,6 milhões de brasileiros, sendo 92% mulheres.

PEC 66/2012. Novos direitos e muitas dúvidas para uma categoria profissional que representa 6,6 milhões de brasileiros, sendo 92% mulheres. PEC 66/2012 Em 2 de abril de 2013 a emenda constitucional nº 72 que amplia os direitos das(dos) domésticas(os) foi promulgada, o que foi um avanço. A desigualdade no mundo ainda predomina, sendo que nos

Leia mais

O abandono de emprego configura-se quando estão presentes o elemento objetivo ou material e o elemento subjetivo ou psicológico.

O abandono de emprego configura-se quando estão presentes o elemento objetivo ou material e o elemento subjetivo ou psicológico. Abandono de emprego O abandono de emprego constitui falta grave, o que enseja a rescisão por justa causa do contrato de trabalho, conforme dispõe o art. 482, alínea "i" da CLT. A falta contínua e sem motivo

Leia mais

VISÃO CONTÁBIL DE RECEBIMENTOS DE PRODUTOS EM BONIFICAÇÕES E DESCONTOS EM BOLETOS

VISÃO CONTÁBIL DE RECEBIMENTOS DE PRODUTOS EM BONIFICAÇÕES E DESCONTOS EM BOLETOS VISÃO CONTÁBIL DE RECEBIMENTOS DE PRODUTOS EM BONIFICAÇÕES E DESCONTOS EM BOLETOS Bonificações A Receita Federal reconhece dois tipos de bonificações, que são: 1. Aquelas recebidas na mesma nota fiscal

Leia mais

Administração de Pessoal 4W

Administração de Pessoal 4W Administração de Pessoal 4W Contribuição Sindical Instituída pela Constituição Federal de 1937 e preservada pela Constituição Federal de 1988, estando prevista também no Capítulo III (artigos 578 e seguintes)

Leia mais

Plano de saúde. aposentados e demitidos

Plano de saúde. aposentados e demitidos Plano de saúde aposentados e demitidos A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi criada em 2000 com a finalidade de regular o setor de planos privados de assistência à saúde. Essa cartilha tem

Leia mais

RESUMO ALÍQUOTAS - CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS

RESUMO ALÍQUOTAS - CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS RESUMO ALÍQUOTAS - CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS - DAS EMPRESAS EM GERAL, sobre: Folha de Pagamento (EMP./AVULSOS) 20% Remunerações pagas aos CI 20% Terceiros (EMP./AVULSOS) 5,8% RAT (EMP./AVULSOS) 1% (leve) 2%

Leia mais

FÉRIAS COLETIVAS Fracionamento, Abono Pecuniário, Regime de Tempo Parcial, Procedimentos

FÉRIAS COLETIVAS Fracionamento, Abono Pecuniário, Regime de Tempo Parcial, Procedimentos FÉRIAS COLETIVAS Fracionamento, Abono Pecuniário, Regime de Tempo Parcial, Procedimentos ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 2. FRACIONAMENTO E PERÍODOS MÍNIMO E MÁXIMO 3. MENORES DE 18 E MAIORES DE 50 ANOS 4. MEMBROS

Leia mais

A T I V O P A S S I V O DE RIBEIRÃO PRETO FINDO EM DE 2012. Títulos. Títulos PASSIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL. Realizável PATRIMÔNIO/CAPITAL

A T I V O P A S S I V O DE RIBEIRÃO PRETO FINDO EM DE 2012. Títulos. Títulos PASSIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL. Realizável PATRIMÔNIO/CAPITAL FIPASE CNPJ 04.755.519/ /0001-30 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕESS CONTÁBEIS PARA O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 FIPASE - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 20122 A T I V O P A S

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara IX DESAFIO CULTURAL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS- 2016 Questões de Planejamento Tributário Prof. Oscar Scherer Questão nº 01 A constituição de Fundos de Investimentos Mobiliário é uma alternativa interessante

Leia mais

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional e Plano Financeiro Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional 1.Layout Por meio do layout ou arranjo físico, você irá definir como será a distribuição dos diversos setores

Leia mais

Excelência em Auditoria e Consultoria

Excelência em Auditoria e Consultoria Excelência em Auditoria e Consultoria Wanderlei Costa Ferreira e Marco Antonio Sanson Alternativas Legais de Alterações nos Contratos de Trabalho em Tempos de Crise Durante o mês de janeiro acompanhamos

Leia mais

É um tributo estabelecido no artigo 579 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), de pagamento obrigatório, recolhido uma vez por ano.

É um tributo estabelecido no artigo 579 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), de pagamento obrigatório, recolhido uma vez por ano. INFORMATIVO DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL O QUE É A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É um tributo estabelecido no artigo 579 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), de pagamento obrigatório, recolhido uma vez por

Leia mais

24/02/2015 GP II 1. Tópicos

24/02/2015 GP II 1. Tópicos Tópicos pg 1. Tipos de Contrato 2 2. Prazo Indeterminado 3 3. Prazo Determinado 4 4. Contrato de Experiência 5 5. Itens do Contrato de Trabalho 6 6. Remuneração 7 7. Descontos: INSS 9 8. Descontos: IRRF

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO. Professora: Renata Salles Mesquita

DIREITO PREVIDENCIÁRIO. Professora: Renata Salles Mesquita DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Renata Salles Mesquita EMPREGADO, TRABALHADOR AVULSO E EMPREGADO DOMÉSTICO: ESSES CONTRIBUEM COM UM PERCENTUAL SOBRE OS SEUS SALÁRIOS-DE-CONTRIBUIÇÃO, DEVENDO SER RESPEITADOS

Leia mais

ANEXO 1 QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 QUESTIONÁRIO ANEXOS ANEXO 1 QUESTIONÁRIO QUESTIONÁRIO GRUPO I - Dados pessoais 1 - Idade: anos 2 - Género: Masculino Feminino 3 - Ano de conclusão da formação em Serviço Social: 4 - Habilitações Literárias: 4.1 - Serviço

Leia mais

Suspensão, interrupção e rescisão do contrato de trabalho

Suspensão, interrupção e rescisão do contrato de trabalho Suspensão, interrupção e rescisão do contrato de trabalho E OUTROS TEMAS Suspensão Não há pagamento de salário Exemplo: Acidente de trabalho e serviço militar: suspenso o contrato de trabalho. Paga-se

Leia mais

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A JANEIRO / 2017 D S T Q Q S S 01 02 03 04 05 06 06 07 08 09 10 10 11 12 13 13 14 15 15 16 16 17 18 19 20 20 21 22 23 24 25 25 26 27 28 29 30 31

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA LEI Nº , DE 13 DE JULHO DE 2017

REFORMA TRABALHISTA LEI Nº , DE 13 DE JULHO DE 2017 REFORMA TRABALHISTA LEI Nº 13.467, DE 13 DE JULHO DE 2017 André Luís Saraiva Vice-Presidente de Relações do Trabalho e Sindical 1 As Relações do trabalho são reconhecidamente diferenciais para o crescimento,

Leia mais

UNIVERSIDADE CORPORATIVA RH BENEFÍCIO VA VR

UNIVERSIDADE CORPORATIVA RH BENEFÍCIO VA VR UNIVERSIDADE CORPORATIVA RH BENEFÍCIO VA VR Sumário CONCEITOS... 3 Vale alimentação e Vale Refeição... 3 CADASTRO... 4 Introdução... 4 Operadora/Classe do benefício... 4 Histórico... 7 Atribuição de funcionários...

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS Esta cartilha traz informações e dicas, de forma simples e clara, para que você conheça as vantagens que o seu plano de previdência oferece. Leia com atenção e comece a

Leia mais

O que estudamos aula passada

O que estudamos aula passada O que estudamos aula passada Cessação, suspensão e interrupção dos contratos de trabalho Rescisão Contratual As formas de extinção do Contrato de Trabalho Pedido de demissão Dispensa sem justa causa Dispensa

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000268/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020136/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.003324/2013-18 DATA DO PROTOCOLO: 20/05/2013 ACORDO COLETIVO

Leia mais

2. Transcreve-se a seguir as informações constantes no Despacho: Solicito parecer jurídico em relação ao assunto.

2. Transcreve-se a seguir as informações constantes no Despacho: Solicito parecer jurídico em relação ao assunto. Parecer Jurídico nº 14/2015 Interessado: CAU/DF. Assunto: Questionamento sobre a obrigatoriedade do pagamento da contribuição sindical Ementa: Direito Administrativo. Questionamento sobre a obrigatoriedade

Leia mais

INFORMATIVO GFIP/SEFIP

INFORMATIVO GFIP/SEFIP PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS Diretoria de Receitas Previdenciárias DIREP Coordenação Geral de Arrecadação CGA Divisão de Declarações INFORMATIVO GFIP/SEFIP Nº 002 CONTRIBUINTE

Leia mais

Valores Referenciais de Honorários Contábeis

Valores Referenciais de Honorários Contábeis Valores Referenciais de Honorários Contábeis Vigência: Junho de 2016 a Maio de 2017 Preâmbulo Tendo em vista a necessidade de valorização da profissão contábil dos Associados do Sinescontábil/MG, aprovou

Leia mais

Como ser PJ. Cartilha com orientações para abrir uma firma e trabalhar como PJ.

Como ser PJ. Cartilha com orientações para abrir uma firma e trabalhar como PJ. Como ser PJ Cartilha com orientações para abrir uma firma e trabalhar como PJ. Como virar PJ Você acabou de ser contratado em uma bela oportunidade profissional, e atuará como pessoa jurídica. Ou por algum

Leia mais

Projeto de Lei Alterações Imposto de Renda. 06 de maio de 2016

Projeto de Lei Alterações Imposto de Renda. 06 de maio de 2016 1 Projeto de Lei Alterações Imposto de Renda 06 de maio de 2016 Correção na tabela do IRPF 2 Alteração em 5% da tabela progressiva mensal, nas deduções e limites de isenção Validade a partir de janeiro

Leia mais

CARTILHA INFORMATIVA Lei das domésticas (Lei Complementar 150 de 1 de junho de 2015)

CARTILHA INFORMATIVA Lei das domésticas (Lei Complementar 150 de 1 de junho de 2015) CARTILHA INFORMATIVA Lei das domésticas (Lei Complementar 150 de 1 de junho de 2015) A Lei Complementar 150/2015, trouxe em seu bojo inúmeras alterações e novos direitos para os empregados domésticos.

Leia mais

Posicionamento Consultoria de Segmentos Empregado com mais de um Vínculo Empregatício

Posicionamento Consultoria de Segmentos Empregado com mais de um Vínculo Empregatício Empregado com mais de um Vínculo Empregatício 25/09/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações

Leia mais

São Paulo, 27 de Março de 2008.

São Paulo, 27 de Março de 2008. Verificação do Cumprimento das Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias na contratação de empresas terceirizadas São Paulo, 27 de Março de 2008. 1 Contatos Marcelo Natale Fernando Azar (11) 5186-1014

Leia mais

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO (rotinas sugeridas)

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO (rotinas sugeridas) GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO (rotinas sugeridas) (8) FISCALIZAÇÃO TRABALHISTA Os contratos de terceirização envolvem sério risco para a Administração, que é a possibilidade de responsabilização

Leia mais

Saudações Cooperativistas

Saudações Cooperativistas Inseridas no mercado financeiro mundial, as Cooperativas de Crédito se caracterizam como um modelo diferenciado, capaz de unir o desenvolvimento econômico ao bem estar social. Destacam-se pela preocupação

Leia mais

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA Visando esclarecer os procedimentos devidos para retenção dos tributos e contribuições sobre serviços contratados de Pessoas Físicas não assalariadas

Leia mais

Previdencia PREVIDÊNCIA

Previdencia PREVIDÊNCIA Cartilha 2 Previdencia PREVIDÊNCIA 3 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes dos planos de previdência complementar: PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador

Leia mais

Rescisão. GPE Gestão de Pessoal

Rescisão. GPE Gestão de Pessoal GPE Gestão de Pessoal Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Objetivos do Treinamento... 3 2 Fluxo do Ambiente... 3 3 Conceito... 5 4 Aviso Prévio - Conceito... 5 5 Cálculo - Pré-Requisitos... 6 6 Tipos de Rescisão...

Leia mais

Prepare sua empresa para as datas comemorativas. Conheça as soluções que o SEBRAE-SP tem para você.

Prepare sua empresa para as datas comemorativas. Conheça as soluções que o SEBRAE-SP tem para você. SUDOESTE PAULISTA MARÇO ABRIL 2013 Prepare sua empresa para as datas comemorativas. Conheça as soluções que o SEBRAE-SP tem para você. 08/03 Dia das mulheres 31/03 Páscoa LIBRAS Língua Brasileira de Sinais

Leia mais

Etapas do Plano de Negócios

Etapas do Plano de Negócios Etapas do Plano de Negócios Etapa 7. Plano financeiro Detalhes Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Etapa 7 Plano Financeiro Investimento

Leia mais

Etapa 7 Plano Financeiro

Etapa 7 Plano Financeiro 17/10/12 Etapas do Plano de Negócios Etapa Detalhes 7. Plano financeiro Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Investimento é tudo

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé Fundado em 01 de março de 1996 Entidade reconhecida no Arquivo de Entidades Sindicais do MTE sob o nº 46000-006947/96

Leia mais

SISTEMA DE INDENIZAÇÃO DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) DIREITO DO TRABALHO II. Aula 9 Indenização do tempo de serviço. Conteúdo Programático desta aula

SISTEMA DE INDENIZAÇÃO DO TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) DIREITO DO TRABALHO II. Aula 9 Indenização do tempo de serviço. Conteúdo Programático desta aula Aula 9 Indenização do tempo de serviço Conteúdo Programático desta aula Indenização por tempo de serviço: conceito, fundamentos jurídicos e evolução histórica. O sistema do FGTS: evolução histórica; natureza

Leia mais

Boletim Mensal - Outubro/2015

Boletim Mensal - Outubro/2015 Boletim Mensal - Outubro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Medida provisória aumenta imposto sobre ganho de capital. A atual alíquota, prevista pela Lei nº 8.981/1995, é de

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº, DE DE 2017.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº, DE DE 2017. MEDIDA PROVISÓRIA Nº, DE DE 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho CLT e a Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS DEZEMBRO/2010

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS DEZEMBRO/2010 1 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS DEZEMBRO/2010 Dia 06-12-2010 (Segunda-feira): SALÁRIOS Todos os empregadores, assim definidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Fato

Leia mais

GERANDO O ARQUIVO HOMOLOGNET DENTRO DO ATHENAS 1º Passo: Após a rescisão de contrato ter sido calculada e efetivada o usuário deverá verificar quais

GERANDO O ARQUIVO HOMOLOGNET DENTRO DO ATHENAS 1º Passo: Após a rescisão de contrato ter sido calculada e efetivada o usuário deverá verificar quais GERANDO O ARQUIVO HOMOLOGNET DENTRO DO ATHENAS 1º Passo: Após a rescisão de contrato ter sido calculada e efetivada o usuário deverá verificar quais as verbas que compõe o seu cálculo, lembrando que deve

Leia mais

Passo a Passo para seleção de gratuidades. Após acessar o site da escola clicar na Aba SERVIÇOS > SERVIÇO SOCIAL> SELEÇÃO DE GRATUIDADES 2018.

Passo a Passo para seleção de gratuidades. Após acessar o site da escola clicar na Aba SERVIÇOS > SERVIÇO SOCIAL> SELEÇÃO DE GRATUIDADES 2018. Passo 1- LEITURA DO EDITAL Passo a Passo para seleção de gratuidades Disponível no site da Escola na aba de SERVIÇOS o responsável deve ler o EDITAL Nº 01/2017 PROCESSO SELETIVO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE

Leia mais

Configuração para realizar controle de Vale Transporte individual ou em grupo

Configuração para realizar controle de Vale Transporte individual ou em grupo Configuração para realizar controle de Vale Transporte individual ou em grupo Os dados a seguir foram elaborados para a configuração sobre as informações de vale transporte individualmente ou para vários

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) LLM em Direito Empresarial Coordenação Acadêmica: Escola de Direito/FGV Direito Rio

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) LLM em Direito Empresarial Coordenação Acadêmica: Escola de Direito/FGV Direito Rio CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) LLM em Direito Empresarial Coordenação Acadêmica: Escola de Direito/FGV Direito Rio APRESENTAÇÃO DA FGV A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos,

Leia mais

Curso de 13 Salário. Capacitação e Treinamento

Curso de 13 Salário. Capacitação e Treinamento Curso de 13 Salário Capacitação e Treinamento Conteúdo 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO... 3 1.1. Contagem de Avos... 3 1.2. Primeira Parcela Pagamento até 30/11... 3 1.3. Empregados não disponíveis durantes

Leia mais

Como calcular uma rescisão trabalhista

Como calcular uma rescisão trabalhista Como calcular uma rescisão trabalhista Hoje iremos aprender como elaborar e calcular uma rescisão do contrato de trabalho. O primeiro passo a ser dado será descobrir qual o motivo da rescisão do funcionário,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL RELAÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA DE TODOS OS MEMBROS DA FAMÍLIA:

DOCUMENTAÇÃO PARA RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL RELAÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA DE TODOS OS MEMBROS DA FAMÍLIA: DOCUMENTAÇÃO PARA RENOVAÇÃO DA BOLSA SOCIAL RELAÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA DE TODOS OS MEMBROS DA FAMÍLIA: Para análise e renovação da Bolsa de Estudo Social, o aluno deverá entregar XEROX de toda documentação

Leia mais

Migração de Dados para VDB

Migração de Dados para VDB Migração de Dados para VDB Número do Artigo: 3167 Classificação: Não classificado Última Atualização: Wed, Sep 27, 2017 11:40 AM VDB é a sigla utilizada para Vencimentos, Descontos e Bases de Cálculo.

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA REFLEXOS NA RELAÇÃO DE EMPREGO

REFORMA TRABALHISTA REFLEXOS NA RELAÇÃO DE EMPREGO LUCIANO DOS SANTOS NUNES - CONSULTORIA TRABALHISTA - PERÍCIA CONTÁBIL REFORMA TRABALHISTA REFLEXOS NA RELAÇÃO DE EMPREGO TERESINA-PI 13-9-2017 LEIS Nºs 13.134/2015 e 13.135/2015 NOVAS REGRAS DO SEGURO-

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Como é efetuado o cálculo das horas extras dos empregados comissionistas puro

Orientações Consultoria de Segmentos Como é efetuado o cálculo das horas extras dos empregados comissionistas puro Como é comissionistas puro 11/05/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 4 3.1 Exemplo... 5 3.2 Parecer da IOB... 5 4 Conclusão... 6 5 Informações

Leia mais

DIREITOS BÁSICOS DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGIDOS PELA CLT Por Rafael Carneiro de Araújo, OAB nº Advogado SINDIMEV - BA O médico veterinário

DIREITOS BÁSICOS DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGIDOS PELA CLT Por Rafael Carneiro de Araújo, OAB nº Advogado SINDIMEV - BA O médico veterinário DIREITOS BÁSICOS DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGIDOS PELA CLT Por Rafael Carneiro de Araújo, OAB nº 28.206 Advogado SINDIMEV - BA O médico veterinário pode atuar profissionalmente com naturezas de prestação

Leia mais

Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário

Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário Os dados a seguir foram elaborados para a configuração sobre as informações de vale transporte no cadastro do empregado 1 CADASTRO

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas (Aula 3) Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Alteração do contrato 1. Complete a frase: A mudança

Leia mais

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SEGURIDADE SOCIAL 1. DEFINIÇÃO Conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à Previdência e à Assistência Social

Leia mais

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11)

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11) NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO - Direito Individual do Trabalho - (aula 04/11) CUSTÓDIO NOGUEIRA Advogado militante especializado em Direito Civil e Processo Civil; Sócio da Tardem e Nogueira Assessoria

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO:

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: 1- Como se dá o Acidente de Trabalho? R- Trata-se, evidentemente, de um acidente ocorrido em razão do trabalho exercido pelo trabalhador, que pode causar uma

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DO COMÉRCIO ATACADISTA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DE BELO HORIZONTE E CONTAGEM, CNPJ n. 17.265.851/0001-69, neste ato representado por seu Presidente, Sr. MARCUS

Leia mais

Orientações Consultoria De Segmentos Empregada Afastada de Licença Maternidade deve receber Adicional de Periculosidade

Orientações Consultoria De Segmentos Empregada Afastada de Licença Maternidade deve receber Adicional de Periculosidade receber Adicional de Periculosidade 17/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações Complementares...

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital. Folha de Pagamento Digital. Reunião Cofis, 17 de dezembro de 2009

Sistema Público de Escrituração Digital. Folha de Pagamento Digital. Reunião Cofis, 17 de dezembro de 2009 Folha de Pagamento Digital Reunião Cofis, 17 de dezembro de 2009 Objetivos Tratar todas as Informações Sociais de Trabalhadores, com ou sem vínculo empregatício, e demais fatos geradores de contribuições

Leia mais

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A MAIO / 2016 D S T Q Q S S 01 02 03 04 05 06 06 07 08 09 10 10 11 12 13 13 14 15 16 16 17 18 19 20 20 21 22 23 24 25 25 26 27 28 29 30 31 31-1

Leia mais

NOVO TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA E SUAS ADAPTAÇÕES ÀS RECOMENDAÇÕES DO CGU PRESTAÇÃO DE CONTAS FINANCEIRA

NOVO TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA E SUAS ADAPTAÇÕES ÀS RECOMENDAÇÕES DO CGU PRESTAÇÃO DE CONTAS FINANCEIRA NOVO TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA E SUAS ADAPTAÇÕES ÀS RECOMENDAÇÕES DO CGU PRESTAÇÃO DE CONTAS FINANCEIRA RECURSOS FINANCEIROS Na cláusula quarta menciona o dever de manter os recursos recebidos

Leia mais