O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO VOUGA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO VOUGA"

Transcrição

1 O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO VOUGA Ana CAMACHO 1, Fausto OLIVEIRA 2 RESUMO O Sistema de Gestão da Qualidade da empresa Águas do Vouga foi implementado com o objectivo de melhoria da eficácia e eficiência do funcionamento da empresa A Águas do Vouga, tem como objecto exploração, em regime de concessão, do sistema de captação, tratamento, elevação, transporte e armazenamento principal de água do Sistema Regional do Carvoeiro. Numa actividade onde não existe, naturalmente concorrência, e que se rege por Contrato de Concessão a Águas do Vouga sentiu necessidade de implementar uma ferramenta que ajudasse a empresa a melhorar e ir além do estipulado no referido contrato. Palavras-chave: Sistema de Gestão da Qualidade, eficácia, eficiência 1 Engenheira do Ambiente, Responsável de Exploração e Qualidade da Águas do Vouga. 2 Engenheiro do Ambiente, Administrador da Águas do Vouga 1/8

2 1 Enquadramento 1.1 A empresa Águas do Vouga A empresa Águas do Vouga, é Concessionária do Sistema Regional do Carvoeiro. A Concessão em regime de exclusividade por 20 anos, tem como objecto a exploração do sistema de captação, tratamento, elevação, transporte e armazenamento principal de água do Sistema Regional do Carvoeiro (SRC), pertença da AMCV (Associação de Municípios do Carvoeiro - Vouga) composta pelos Municípios de Aveiro, Águeda, Albergaria-a-Velha, Estarreja, Ílhavo e Murtosa. É ainda abastecida a freguesia de Válega, pertencente ao Município de Ovar. (ver Figura 1). A empresa está em actividade desde 1996, com um pequeno quadro de pessoal e uma estrutura optimizada. O quadro de pessoal tem-se mantido estável desde a implementação do SGQ, tendo existido algumas alterações na estrutura organizacional da empresa. 1.2 O Sistema Regional do Carvoeiro Fig. 1 Área de influência do Sistema Regional do Carvoeiro. A captação é feita no Rio Vouga, no lugar de Carvoeiro (que deu o nome ao próprio Sistema) efectuada por meio de poços de grande diâmetro e furos executados no aluvião do rio, passando a água posteriormente por um processo de filtração natural, uma vez que se utiliza a capacidade filtrante do leito do rio. O SCR é composto por captações, uma Estação de Tratamento de Água (ETA), duas Estações Elevatórias em série (EE1 e EE2), 18 km de condutas elevatórias, 89 km de condutas gravíticas e 15 reservatórios. A água após ser captada é enviada para a ETA no lugar de Carvoeiro e anexa à EE1 e portanto chamada de ETA/EE1. Em série com esta estação elevatória existe uma estação elevatória intermédia (EE2) que encaminha a água previamente tratada para o Reservatório Principal de Albergaria (RPA). A partir deste último reservatório a água é transportada por gravidade até aos diferentes reservatórios de abastecimento. Após a sua captação a água é enviada para a ETA/EE1, no lugar do Carvoeiro, onde lhe é aplicado um processo de tratamento (ver Figura 2) que actualmente engloba três fases: adição de leite de cal procede-se à injecção de leite de cal nas duas condutas de chegada das captações através de duas bombas doseadoras; adição de uma solução de cloro gasoso o cloro é adicionado a um sistema de recirculação de água proveniente do tanque principal, onde acaba por ser novamente descarregado; 2/8

3 adição de CO2 é feita uma adição de CO2 directamente no tanque de chegada, com a finalidade (em sintonia com a dosagem de leite de cal) de remineralizar a água captada, isto é, diminuir a agressividade da água. Fig. 2 Diagrama do processo de tratamento. 2 O Sistema de Gestão de Qualidade (SGQ) Implementado e Certificado desde o ano de 2005, segundo a Norma ISO 9001, foi um Sistema criado à medida da empresa, com apoio inicial de um consultor independente. Neste momento, e tendo sofrido alterações, como é normal em qualquer organização, o Sistema de Gestão da Qualidade encontra-se numa fase de amadurecimento, tendo este ano terminado o 2º ciclo de Certificação. 2.1 Objectivos de implementação do SGQ O SGQ foi implementado com o objectivo de realizar a actividade de forma eficaz e eficiente ( com menos recursos: tempo, custo e pessoas). Sendo necessário sistematizar procedimentos de actuação e mecanismos de Auditoria com vista à melhoria do funcionamento da empresa. 3/8

4 A Certificação, foi uma decisão estratégica da empresa, no sentido de obter o reconhecimento formal por um Organismo de Certificação - entidade externa independente. Vantagens para a empresa: - Melhoria da imagem - Reconhecimento e satisfação dos clientes - Redução de custos (através da melhoria do desempenho) - Nova cultura de sensibilização e motivação dos colaboradores - Sistematização de procedimentos de actuação Uma das grandes preocupações da Águas do Vouga é que o SGQ, realmente sirva como uma ferramenta de gestão, e que não acrescente inércia ao normal funcionamento da empresa. Dada a pequena estrutura de pessoal, também não pode aumentar a carga burocrática, tendo sido definido que este deveria ser o mais simplificado possível. 2.2 Âmbito Certificação A empresa Águas do Vouga, tem como âmbito da certificação a exploração, em regime de concessão, do sistema de captação, tratamento, elevação, transporte e armazenamento principal de água do Sistema Regional do Carvoeiro. O Sistema de Gestão da Qualidade e Ambiente, de acordo com as Normas ISO 9001:2008 e a ISO 14001:2004, aplica-se a toda a actividade das Águas do Vouga, nomeadamente, sistema de captação, tratamento, elevação, transporte e armazenamento principal de água do Sistema Regional do Carvoeiro. As Águas do Vouga obrigam-se ao cumprimento do Contrato de Concessão de Serviço Público realizado no dia 30 de Maio de 1996, com a Associação de Municípios do Carvoeiro-Vouga, por um período de 20 anos. A concessionária, no âmbito deste contrato obriga-se a promover a prestação dos seguintes serviços: - Operar as instalações de acordo com o caderno de encargos; - Efectuar todos os trabalhos de manutenção e conservação necessários ao perfeito estado das infra-estruturas que lhe são postas à disposição; - Efectuar todos os trabalhos de manutenção e conservação dos equipamentos; - Efectuar o controlo do funcionamento das instalações e o controlo da qualidade da água; - Adquirir, financiar, manter e renovar todos os meios necessários à prestação dos serviços; - Adquirir todos os materiais, instrumentos e serviços necessários à operação, manutenção e conservação do sistema; - Fornecer à concedente as informações e dados referentes ao funcionamento das instalações; As ampliações ou alterações do sistema, equipamentos ou instalações que tenham por objectivo responder a alteração das características da água, a maiores exigências de qualidade impostas por nova legislação ou a aumentar a capacidade das instalações, da cobertura de serviço ou das captações, não serão da responsabilidade da Concessionária. A Concessionária deverá, em conjunto com a Entidade Adjudicante, desenvolver um plano e programa relativo aos trabalhos de ampliação ou alteração do Sistema. Durante a duração do Contrato de Concessão para a Exploração do Sistema de Captação, Tratamento, Elevação, Transporte e Armazenamento Principal do Sistema Regional do Carvoeiro, a concessionária tem o direito exclusivo relativamente ao abastecimento de água no âmbito das atribuições da Associação dos Municípios do Carvoeiro. 4/8

5 2.3 Política da Qualidade A Política da Qualidade, conjunto de intenções e de orientações de uma organização, relacionadas com a qualidade, como formalmente expressas pela gestão de topo, juntamente com os objectivos da qualidade proporciona à organização o enfoque para a sua gestão. A concretização dos objectivos da qualidade pode ter um impacte positivo sobre a qualidade do produto, sobre a eficácia operacional e o desempenho financeiro e, consequentemente, sobre a satisfação e confiança das partes interessadas.(np ISO 9000:2000) Fig. 5 Política da Qualidade da Águas do Vouga O grande objectivo para a Águas do Vouga é o fornecimento de água em quantidade e qualidade. Uma vez que o SGQ foi implementado numa fase em que a empresa se encontrava num período de estabilidade, ao fim de 10 anos de actividade, o potencial de melhoria está na eficácia operacional. 5/8

6 3.4 Processos Na implementação do SGQ e de acordo com o fomentado pela Norma, adoptou-se a abordagem por processos, no desenvolvimento, implementação e melhoria do mesmo. A identificação, as interacções e gestão sistemática dos processos e suas interacções constitui a abordagem por processos de uma organização, e a vantagem da sua utilização é o controlo passo-apasso do processo e das interligações entre os processos. Um Processo é uma actividade ou conjunto de actividades que utiliza recursos para converter elementos de entrada em elementos de saída possuindo estes um valor acrescentado. Existem vários tipos de processos, a saber: 1. Processo de Suporte: Representam uma actividade interna, geralmente transversal, permitindo assegurar o bom funcionamento da empresa. 2. Processo de Gestão: Correspondem à determinação de uma política e uma estratégia para a organização e à monitorização dos seus objectivos. 3. Processo de Realização: Corresponde à realização do produto ou serviço. Gestão pelos processos Etapas Definição e formalização dos objectivos estratégicos da empresa Análise dos processos existentes na empresa Identificação, para cada processo, das entradas e saídas Determinação das interacções entre os processos Formalização de critérios de desempenhos (indicadores de desempenhos) para cada processo Medida dos desempenhos dos processos Sugestão de modificação dos processos existentes Proposta de novos processos Realização das propostas de melhoria Medida dos novos desempenhos Fig. 4 Etapas da gestão por Processos 6/8

7 A Águas do Vouga, definiu os seus Processos à luz do que diz esta Norma, tendo definido como Processo principal (de realização) a Captação, Tratamento e Abastecimento de Água. Foram também definidos alguns Processos de Gestão e de Suporte à actividade Processos de Gestão P2-Planeamento P3-Melhoria Contínua P7-Aspectos e Emergências Ambientais P8-Plano de Segurança da Água AMC-V Cliente - Legislação - Contrato Actividade Principal P1- Captação, Tratamento e Abastecimento AMC-V - Água Tratada Águeda A-a-Velha Aveiro Estarreja Ílhavo Murtosa Ovar P4-Compras P6-Controlo dos Equipamentos, Instalações e EMM s P5-Pessoal P9-Estudos e Projectos Processos de Suporte Procedimentos: Procedimento 1 Controlo de Documentos e Registos Procedimento 2 Colheita de Amostras de Água Procedimento 3 - Actuação em Caso de Incumprimento Procedimento 4 Avaliação de Desempenho Folhas de Serviço: Sistema de cloro Hipóclorito nos Reservatórios Valores de Concentração de cloro Medição de nível nos furos Desinfecção Manual Registo de visita aos reservatórios Fig. 3 Interacção de Processos 3 Conclusão O sistema de gestão está globalmente concebido, implementado e mantido de acordo com os requisitos da Norma ISO 9001:2008. Foi implementado com base no funcionamento e necessidades da empresa, tendo existido um enorme cuidado, em aproveitar boas práticas existentes. Conseguiu-se, assim um sistema simples, que espelha a actividade da empresa e que veio trazer vantagens ao nível do controlo e da sistematização da actividade. A sua implementação, contribuiu para que a organização atinja os seus objectivos com eficácia e eficiência e permitiu criar o enquadramento para a melhoria contínua. A Certificação, é importante na medida em que, através de mecanismos de auditoria, existe o reconhecimento do trabalho desenvolvido por parte de uma entidade externa. 7/8

8 4 Bibliografia Norma Portuguesa NP EN ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário; Instituto Português da Qualidade, Março de 2001 Norma Portuguesa NP EN ISO 9001:2008 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos; Instituto Português da Qualidade, Novembro de 2008 Manual de Gestão da Águas do Vouga, Edição 08, Fevereiro de /8

O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA

O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA Ana CAMACHO 1, Fausto OLIVEIRA 2 RESUMO A aplicação de princípios de avaliação e de gestão de riscos, complementa o controlo realizado através da monitorização

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ÁGUAS DO VOUGA

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ÁGUAS DO VOUGA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ÁGUAS DO VOUGA Tiago PARENTE 1 Fausto OLIVEIRA 2, RESUMO A promoção pela eficiência energética tem sido uma das medidas impostas pelas actuais políticas europeias com o objectivo

Leia mais

SISTEMA REGIONAL DO CARVOEIRO - O ARRANQUE. Fausto M. M. de OLIVEIRA (1)

SISTEMA REGIONAL DO CARVOEIRO - O ARRANQUE. Fausto M. M. de OLIVEIRA (1) SISTEMA REGIONAL DO CARVOEIRO - O ARRANQUE Fausto M. M. de OLIVEIRA (1) RESUMO Criado para abastecer de água em alta seis municípios, Agueda, Albergaria-a-Velha, Aveiro, Estarreja, Ilhavo e Murtosa, o

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

A Certificação de Qualidade no Sector Segurador. Sandra Santos - GDQ-Ok! TeleSeguro Certificação do Sistema Gestão da Qualidade

A Certificação de Qualidade no Sector Segurador. Sandra Santos - GDQ-Ok! TeleSeguro Certificação do Sistema Gestão da Qualidade A Certificação de Qualidade no Sector Segurador Certificações da OK! TeleSeguro Certificação do site de acordo com a especificação QWeb (Certificação de de Negócio Electrónico). 2006 Reconhecimento pela

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria PROGRAMA Qualidade Produto Marca Própria - Distribuição Princípios da Qualidade/ ISO 9001 Certificação/Processo de Certificação

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

SISTEMA INTERMUNICIPAL DE CAPTAÇÃO, TRATAMENTO, ELEVAÇÃO, TRANSPORTE E ARMAZENAGEM DE ÁGUA EM ALTA DO SISTEMA REGIONAL DO CARVOEIRO

SISTEMA INTERMUNICIPAL DE CAPTAÇÃO, TRATAMENTO, ELEVAÇÃO, TRANSPORTE E ARMAZENAGEM DE ÁGUA EM ALTA DO SISTEMA REGIONAL DO CARVOEIRO SISTEMA INTERMUNICIPAL DE CAPTAÇÃO, TRATAMENTO, ELEVAÇÃO, TRANSPORTE E ARMAZENAGEM DE ÁGUA EM ALTA DO SISTEMA REGIONAL DO CARVOEIRO Águas do Vouga, S.A. 2 de Fevereiro de 2012 F9 Consulting - Consultores

Leia mais

O SISTEMA DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO CÁVADO, S.A. Processo de transição para a ISO 9001:2000

O SISTEMA DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO CÁVADO, S.A. Processo de transição para a ISO 9001:2000 O SISTEMA DA QUALIDADE DA ÁGUAS DO CÁVADO, S.A. Processo de transição para a ISO 9001:2000 Filomena PEIXOTO Eng.ª Biológica, Águas do Cávado, S.A., Lugar de Gaído, 4755-045, Areias de Vilar, +351.253.919020,

Leia mais

Certificação das Entidades de Acção Social. Soluções e Desafios. rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro. Orador: www.apcer.pt.

Certificação das Entidades de Acção Social. Soluções e Desafios. rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro. Orador: www.apcer.pt. Certificação das Entidades de Acção Social Soluções e Desafios rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro www.apcer.pt AGENDA 0. Apresentação da actividade da APCER 1. Actuais exigências e necessidades

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade e Auditorias (Mestrado em Engenharia Alimentar) Gestão da Qualidade (Mestrado em Biocombustívies) ESAC/João Noronha Novembro

Leia mais

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ Índice 1.0. Objectivo. 2 2.0. Campo de aplicação... 2 3.0. Referências e definições....... 2 4.0. Responsabilidades... 3 5.0. Procedimento... 4 5.1. Política da Qualidade 4 5.2. Processos de gestão do

Leia mais

Águas do Douro e Paiva SA O novo ciclo da água Complexo de Lever

Águas do Douro e Paiva SA O novo ciclo da água Complexo de Lever Águas do Douro e Paiva SA O novo ciclo da água Complexo de Lever Página 1 Complexo de Lever é responsável pelo abastecimento de água a mais de 1,4 O milhões de habitantes de 13 municípios Accionistas da

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

Certificação e Acreditação Auditorias. Normalização Processos de certificação Processos de acreditação Auditorias dos sistemas de gestão da qualidade

Certificação e Acreditação Auditorias. Normalização Processos de certificação Processos de acreditação Auditorias dos sistemas de gestão da qualidade Certificação e Acreditação Auditorias Sumário da Aula JN2 Normalização Processos de certificação Processos de acreditação Auditorias dos sistemas de gestão da qualidade 1 Normalização Norma Internacional

Leia mais

Material para os Discentes da Universidade da Madeira. NP EN ISO 9000, 9001 e 9004. Elaborado em 2005 por. Herlander Mata-Lima

Material para os Discentes da Universidade da Madeira. NP EN ISO 9000, 9001 e 9004. Elaborado em 2005 por. Herlander Mata-Lima Material para os Discentes da Universidade da Madeira NP EN ISO 9000, 9001 e 9004 Elaborado em 2005 por Herlander Mata-Lima 1 NORMAS ISO 9000 As normas ISO 9000 servem de base para as organizações, independentemente

Leia mais

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação.

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação. Objectivos Gerais Definir o que é a Qualidade; Determinar a evolução da qualidade. Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor:

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 1 de 15 Planear Realizar Actuar Verifica r Rubrica: Rubrica: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 2 de 15 INDICE: CAP. 1 - MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE 1.1. - Objectivo 1.2. - Âmbito e exclusões

Leia mais

Visita da delegação do Prémio Nacional de Qualidade em Saneamento/2013 (PNQS) INSPEÇÕES CONHECIMENTO REAL PARA A GESTÃO DE ATIVOS

Visita da delegação do Prémio Nacional de Qualidade em Saneamento/2013 (PNQS) INSPEÇÕES CONHECIMENTO REAL PARA A GESTÃO DE ATIVOS Visita da delegação do Prémio Nacional de Qualidade em Saneamento/2013 (PNQS) INSPEÇÕES CONHECIMENTO REAL PARA A GESTÃO DE ATIVOS AGENDA 1. A EPAL 2. Situação da EPAL e Estratégia Adotada 3. Sistema de

Leia mais

NUM LABORATÓRIO DE CITOMETRIA DE FLUXO. Maria João Acosta 2009

NUM LABORATÓRIO DE CITOMETRIA DE FLUXO. Maria João Acosta 2009 NUM LABORATÓRIO DE CITOMETRIA DE FLUXO Maria João Acosta 2009 O que é um SGQ? É uma estrutura organizacional, com políticas, recursos, processos e procedimentos definidos que visam alcançar um determinado

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

Varela & Cª, Lda. Sistemas de Gestão Ambiental. Ambientes Insulares. Sector Ambiente. Ferramentas de Gestão Ambiental para PME s Ponta Delgada - 2012

Varela & Cª, Lda. Sistemas de Gestão Ambiental. Ambientes Insulares. Sector Ambiente. Ferramentas de Gestão Ambiental para PME s Ponta Delgada - 2012 Sistemas de Gestão Ambiental Ambientes Insulares Marco Lopes Varela & Cª, Lda Sector Ambiente 2 1 Varela & Cª, Lda Iniciou a sua actividade como Operador de Gestão de Resíduos em 2004; Certificação de

Leia mais

MUNICÍPIO DE POMBAL. Qualificação da Administração Municipal SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE (NP EN ISO 9001: 2000)

MUNICÍPIO DE POMBAL. Qualificação da Administração Municipal SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE (NP EN ISO 9001: 2000) Qualificação da Administração Municipal Leiria, 17 de Maio de 2007 Diapositivo 1 Agenda 1. Apresentação 1.1. O Concelho 1.2. O Município 2. Implementação do SGQ 2.1. Motivações 2.2. Selecção do objecto

Leia mais

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação Qualidade e Certificação 27 de Outubro de 2007 Gabriela Lopes Direcção de Certificação e de Auditores www.apcer.pt Agenda O que é a certificação?

Leia mais

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais:

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais: 1. A EMPRESA retende-se com o presente capítulo efectuar a apresentação da Tomás de Oliveira, do seu compromisso em relação à qualidade e da organização que disponibiliza para alcançar esse objectivo.

Leia mais

Implementar um Sistema de Gestão da Qualidade na Valência de Creche. Helena Correia

Implementar um Sistema de Gestão da Qualidade na Valência de Creche. Helena Correia Implementar um Sistema de Gestão da Qualidade na Valência de Creche Helena Correia Apresentação do Recreio do João O Recreio do João é uma Cooperativa de Solidariedade Social com equiparação a IPSS; Possui

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1. Revisão: 4w Data:07/03/2013. Gerência

MANUAL DA QUALIDADE. Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1. Revisão: 4w Data:07/03/2013. Gerência Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1 GAQ Gerência Revisão: 4w Este Manual da Qualidade pertence à Conplan, Lda.; é proibida a sua reprodução não autorizada INDICE MANUAL DA QUALIDADE... 1 INDICE... 2

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

Escola de Condução Colinas do Cruzeiro

Escola de Condução Colinas do Cruzeiro Escola de Condução Colinas do Cruzeiro MANUAL DA QUALIDADE Índice 1. Índice 1. Índice 2 2. Promulgação do Manual da Qualidade 3 3. Apresentação da Empresa 4 3.1 Identificação da Empresa 4 3.2 Descrição

Leia mais

5.7 Murtosa. 5.6.4.4 Tarifário de água O Quadro 5.66 apresenta o tarifário da água da rede de abastecimento público no concelho de Mira.

5.7 Murtosa. 5.6.4.4 Tarifário de água O Quadro 5.66 apresenta o tarifário da água da rede de abastecimento público no concelho de Mira. 5.6.4.3 Tratamento de água para consumo humano A água captada pela Câmara (captação da Lagoa) é sujeita a tratamento de filtragem e cloragem. 5.6.4.4 Tarifário de água O Quadro 5.66 apresenta o tarifário

Leia mais

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Norma ISO 9000 Norma ISO 9001 Norma ISO 9004 FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO REQUISITOS LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA MELHORIA DE DESEMPENHO 1. CAMPO

Leia mais

E q n u q a u dr d a r me m n e t n o S st s e t m e a m d e d e Ge G s e t s ã t o d a d Q u Q a u lida d de

E q n u q a u dr d a r me m n e t n o S st s e t m e a m d e d e Ge G s e t s ã t o d a d Q u Q a u lida d de Sistema de Gestão e de Garantia da Qualidade Agenda Enquadramento Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Garantia da Qualidade 2 Enquadramento Estatutos da ESHTE Prossecução de objectivos de qualificação

Leia mais

servicos ambiente ccambiente ISO50001

servicos ambiente ccambiente ISO50001 servicos ambiente ccambiente ISO50001 Principais benefícios na implementação de um sistema de gestão de energia Promoção da eficiência energética na organização; Redução dos impactes ambientais, nomeadamente

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Concelho de Esposende Distrito de Braga 15 Freguesias Área - Cerca de 95 Km2 População - 33.325 habitantes ( x 3 na época balnear ) Orla Costeira Parque

Leia mais

Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar. [Sistema de Gestão da Qualidade]

Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar. [Sistema de Gestão da Qualidade] Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar [Sistema de Gestão da Qualidade] Relatório da Auditoria 12 de junho de 2015 1 1. INTRODUÇÃO, ÂMBITO E OBJETIVO DA AUDITORIA A Auditoria realizada ao Sistema de

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Auditorias da Qualidade

Auditorias da Qualidade 10 páginas sobre s da Qualidade "Não olhes para longe, despreocupando-se do que tens perto." [ Eurípedes ] VERSÃO: DATA de EMISSÃO: 9-10-2009 AUTOR: José Costa APROVAÇÃO: Maria Merino DESCRIÇÃO: Constitui

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1. Revisão: 1 Data:02/03/2011. Gerência

MANUAL DA QUALIDADE. Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1. Revisão: 1 Data:02/03/2011. Gerência Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1 GAQ Gerência Revisão: 1 INDICE MANUAL DA QUALIDADE... 1 INDICE... 2 1 Introdução... 3 1.1 Apresentação do Manual da Qualidade... 3 2 Promulgação... 4 3 APRESENTAÇÃO

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO. Acção de Formação do Grupo de Trabalho. Sensibilização Sensibilização Geral para a Qualidade. Qualidade.

IMPLEMENTAÇÃO. Acção de Formação do Grupo de Trabalho. Sensibilização Sensibilização Geral para a Qualidade. Qualidade. 1. ENQUADRAMENTO As organizações têm vindo a aderir de uma forma crescente ao Processo de Certificação como uma Ferramenta imprescindível à Melhoria da Gestão. Esta evolução foi acelerada pela própria

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

A gestão da qualidade e a série ISO 9000

A gestão da qualidade e a série ISO 9000 A gestão da qualidade e a série ISO 9000 Seminário QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃ ÇÃO FLUP 3 Novembro 2005 3 Novembro 2005 Maria Beatriz Marques / APQ-DRN A gestão da qualidade e a série

Leia mais

PROGRAMA QUALIDADE PARA ÁFRICA OCIDENTAL SUPORTE A COMPETITIVIDADE E HARMONIZAÇÃO DOS ACORDOS OTC E SPS

PROGRAMA QUALIDADE PARA ÁFRICA OCIDENTAL SUPORTE A COMPETITIVIDADE E HARMONIZAÇÃO DOS ACORDOS OTC E SPS QUEM SOMOS? Tecnicil Indústria: Empresa de produção e engarrafamento de águas e produtos refrigerantes Sede: Cidade da Praia Fabrica: Trindade Praia Delegações: Assomada, S.Vicente, Sal e Boavista Número

Leia mais

NP EN ISO 9001:2008. 06 de Maio de 2008. Dulce Pacheco. Orador: Carla Pinto

NP EN ISO 9001:2008. 06 de Maio de 2008. Dulce Pacheco. Orador: Carla Pinto NP EN ISO 9001:2008 Principais alterações 06 de Maio de 2008 Dulce Pacheco Orador: Carla Pinto Local e Data: Coimbra, 30 Janeiro 2008 ISO 9001:2008 Principais alterações ç Motivações e processo de desenvolvimento

Leia mais

Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO Formulário de Entrada de Dados - PARTE A - IDENTIFICAÇÃO DO SISTEMA OU SOLUÇÃO ALTERNATIVA

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1. Revisão: 2w Data:04/07/2011. Gerência

MANUAL DA QUALIDADE. Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1. Revisão: 2w Data:04/07/2011. Gerência Elaborado por: Aprovado por: Edição: 1 GAQ Gerência Revisão: 2w Este Manual da Qualidade pertence à Conplan, Lda.; é proibida a sua reprodução não autorizada INDICE MANUAL DA QUALIDADE... 1 INDICE... 2

Leia mais

Capítulo Descrição Página

Capítulo Descrição Página MANUAL DA QUALIIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos de Laboratório e Científicos, Lda Dados sobre a ILC, sua história, sua organização e modo de funcionamento 2 Política

Leia mais

RELATÓRIO DA AUDITORIA INTERNA AO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

RELATÓRIO DA AUDITORIA INTERNA AO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Pág. 1 5 Designação legal da Organização: Municipio do Sátão. Instalações auditadas: Paços do Concelho, na Praça Paulo VI, Oficina e Armazém na Zona Industrial e Obra (Bem ou serviço nº 525) "valetas em

Leia mais

ÁGUAS DO CÁVADO, SA A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE AREIAS DE VILAR. Octávio PASCOAL PEREIRA (1)

ÁGUAS DO CÁVADO, SA A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE AREIAS DE VILAR. Octávio PASCOAL PEREIRA (1) ÁGUAS DO CÁVADO, SA A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE AREIAS DE VILAR Octávio PASCOAL PEREIRA (1) RESUMO A Estação de Tratamento de Água (ETA) de Areias de Vilar e as infraestruturas de captação e da

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Laboratórios da DRAPC MANUAL DA QUALIDADE EDIÇÃO Nº DATA DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO CAP. - PAG. Elaborado por: Aprovado por: Data:

Laboratórios da DRAPC MANUAL DA QUALIDADE EDIÇÃO Nº DATA DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO CAP. - PAG. Elaborado por: Aprovado por: Data: MANUAL DA QUALIDADE EDIÇÃO Nº DATA DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO CAP. - PAG. Elaborado por: Aprovado por: Data: ÍNDICE Pág. Cap. I ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DO MANUAL DA QUALIDADE 1. Promulgação 2 2. Gestão do

Leia mais

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe.

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Case Study Boavista Golf Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Introdução Portugal é considerado, por muitos especialistas, um dos melhores lugares para

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MANUAL DA QUALIDADE. Código: Edição: Data: Página: MQ.DQ.01 04 22.03.2010 1 de 15 MANUAL DA QUALIDADE.

MANUAL DA QUALIDADE MANUAL DA QUALIDADE. Código: Edição: Data: Página: MQ.DQ.01 04 22.03.2010 1 de 15 MANUAL DA QUALIDADE. 1 de 15 Elaborado por: Verificado por: Aprovado por: 2 de 15 ÍNDICE Promulgação pela Gerência... 3 Politica da Qualidade... 3 Missão... 4 Objectivos da Qualidade... 4 Apresentação da Empresa... 4 Elementos

Leia mais

Sistema de gestão para dirigir e controlar uma organização no que respeita à qualidade

Sistema de gestão para dirigir e controlar uma organização no que respeita à qualidade COMO ORGANIZAR O SGQ SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de gestão para dirigir e controlar uma organização no que respeita à qualidade A Gestão da Qualidade foca o produto / a realização do serviço;

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DA ÁGUA

PLANO MUNICIPAL DA ÁGUA Departamento de Ambiente e Ordenamento Universidade de Aveiro PLANO MUNICIPAL DA ÁGUA DIAGNÓSTICO AMB-GE-06/06 ABRIL 2006 Diagnóstico Pág. ii Ficha técnica Designação do Projecto: Cliente: Plano Municipal

Leia mais

QUALIDADE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS UM NOVO DESAFIO

QUALIDADE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS UM NOVO DESAFIO SEMINÁRIO QUALIDADE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS UM NOVO DESAFIO Funchal, 2003/10/21 2003/10/21 Diapositivo 1 Agenda (1) 1. Apresentação 1.1. O Concelho 1.2. O Município 2. Implementação do SGQ 2.1. Motivações

Leia mais

Oxidação + remoção por precipitação química

Oxidação + remoção por precipitação química ETA - ESQUEMA DE TRATAMENTO PARÂMETROS A ACTUAR OPERAÇÕES OU PROCESSOS UNITÁRIOS Ferro/manganésio Turvação Parâmetros microbiológicos Sólidos suspensos totais Equilíbrio calco-carbónico Oxidação da matéria

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO

PLANO DE GESTÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO Novembro/2014 Índice INTRODUÇÃO... 3 Balanço da execução do plano... 4 Conclusão... 5 Recomendações... 8 REVISÃO DO

Leia mais

AS AUDITORIAS INTERNAS

AS AUDITORIAS INTERNAS AS AUDITORIAS INTERNAS Objectivos Gerais Reconhecer o papel das auditorias internas Objectivos Específicos Reconhecer os diferentes tipos de Auditorias Identificar os intervenientes Auditor e Auditado

Leia mais

WORKSHOP SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E SUA CERTIFICAÇÃO. Onde estão os Riscos?

WORKSHOP SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E SUA CERTIFICAÇÃO. Onde estão os Riscos? WORKSHOP SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E SUA CERTIFICAÇÃO Onde estão os Riscos? No Futuro... que pode ser duvidoso e nos forçar a mudanças... Nas Mudanças... que podem ser inúmeras e nos forçam a decisões...

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração www.apcer.pt AGENDA Apresentação APCER Desenvolvimento ERS3002 Conteúdo da ERS3002 Metodologias de auditorias Associação constituída em Abril 1996

Leia mais

ACTA Nº 1. Deve ler-se:-------------------------------------------------------------------------------------------

ACTA Nº 1. Deve ler-se:------------------------------------------------------------------------------------------- ACTA Nº 1 Aos vinte e oito dias do mês de Novembro do ano de dois mil e três reuniu o júri do Concurso Público Nº 01 9.096/2003 (contratação de serviços de consultoria de natureza organizacional) para

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

a LRQA Desenvolvimento Sustentável

a LRQA Desenvolvimento Sustentável ISO 14001:2004 e Responsabilidade Ambiental Engº Vítor Gonçalves CONFERÊNCIA RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Eficiência e Eficácia na redução de Riscos Ambientais Lisboa, 15 de Maio de 2007 ISO 14001:2004 e

Leia mais

A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente.

A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente. OBJECTIVOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO A Gestão da Qualidade foca o produto; Tem como objectivo a satisfação do cliente. A Gestão da Segurança foca o indivíduo, o colaborador; Tem como objectivo a sua protecção

Leia mais

TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS

TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS www.tterra.pt tp@tterra.pt «Os sistemas de gestão baseiam-se em senso comum (...) os que funcionam melhor são os mais simples.» S.L.Jackson Gestão Ambiental

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação Câmara Municipal do Funchal Divisão de Atendimento e Informação INDICE Promulgação Âmbito Exclusões Hierarquia da documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Política da Qualidade Missão e Visão Apresentação

Leia mais

Catálogo de Formação Inter-Empresas

Catálogo de Formação Inter-Empresas Catálogo de Formação Inter-Empresas QTEL 2016 Índice Quem Somos...Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL...Pág. 5 Formação em Ambiente.Pág. 6 Formação em Inovação..Pág. 11 Formação em Qualidade Pág. 15 Formação

Leia mais

Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria

Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria Organização: Morada: MUNICÍPIO DE CANTANHEDE Praça Marquês de Marialva 3060-133 Cantanhede Representante: Drª Helena Teodósio Sede, Armazém e Estaleiro,

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade IDENTIFICAÇÃO Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09 Código: CMSeixalSGQ_2600204_ManualGestaoV09 Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da CMSeixal Campo de aplicação:

Leia mais

Fazer hoje melhor do que ontem. Manual da Qualidade. Versão 19 de 20100122

Fazer hoje melhor do que ontem. Manual da Qualidade. Versão 19 de 20100122 Fazer hoje melhor do que ontem Manual da Qualidade Índice Parte 1 - Estrutura da organização Breve enquadramento histórico Organograma Parte 2 - Personalidade da organização Modelo de enquadramento da

Leia mais

Plano de Segurança da Água: gestão do risco e emergências Um caso prático

Plano de Segurança da Água: gestão do risco e emergências Um caso prático Sessão Temática AdP Planos de Segurança da Água em Portugal: Onde estamos, para onde vamos Plano de Segurança da Água: gestão do risco e emergências Um caso prático Inês Freitas Responsável pelo Sistema

Leia mais

A GESTÃO DE RESÍDUOS NO SECTOR DA PRODUÇÃO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO. - Introdução à implementação de um Sistema de Gestão de Resíduos -

A GESTÃO DE RESÍDUOS NO SECTOR DA PRODUÇÃO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO. - Introdução à implementação de um Sistema de Gestão de Resíduos - A GESTÃO DE RESÍDUOS NO SECTOR DA PRODUÇÃO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO - Introdução à implementação de um Sistema de Gestão de Resíduos - Raquel N. FIGUEIREDO Eng.ª Ambiente, Águas do Cávado, SA, Lugar

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO CURSO DE CAPACITAÇÃO EM VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO GABARITO DA UNIDADE 3 (PDF) Página 8 Como diferenciar essas três formas de abastecimento de água para consumo humano? Vamos exercitar?

Leia mais

Qualidade no Terceiro Sector A Importância da Certificação. 06 de Março de 2010 Hotel Fátima. Orador: Local e Data:

Qualidade no Terceiro Sector A Importância da Certificação. 06 de Março de 2010 Hotel Fátima. Orador: Local e Data: Qualidade no Terceiro Sector A Importância da Certificação 06 de Março de 2010 Hotel Fátima AGENDA I. Enquadramento da actividade da APCER II. III. Modelos de Avaliação da Qualidade das Respostas Sociais

Leia mais

Conteúdo. - Apresentação da empresa. - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação. - Processo de implementação

Conteúdo. - Apresentação da empresa. - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação. - Processo de implementação COTEC 2010/10/19 Conteúdo - Apresentação da empresa - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação - Processo de implementação - Factores críticos de sucesso visão.c Apresentação

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade

Manual de Gestão da Qualidade Manual de Gestão da Qualidade A Índice A Índice... 2 B Manual da Qualidade... 3 C A nossa Organização... 4 1 Identificação... 4 2 O que somos e o que fazemos... 4 3 Como nos organizamos internamente -

Leia mais

Gestão de Instalações Desportivas

Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Instalações Desportivas Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Módulo 10 sessão 3 Gestão de Instalações Desportivas 1.3. Sistemas integrados de qualidade, ambiente e segurança Ambiente,

Leia mais

Vital para a Competitividade da sua Organização

Vital para a Competitividade da sua Organização ISO 27001 Segurança da Informação Vital para a Competitividade da sua Organização Quem Somos? Apresentação do Grupo DECSIS Perfil da Empresa Com origem na DECSIS, Sistemas de Informação, Lda., fundada

Leia mais

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena E1819 V6 Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena REHABILITATION OF LUENA WATER SUPPLY SYSTEM PGA PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL (PGA) ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN (EMP) Adjudicante: Financial

Leia mais

O Caso das Termas de São Pedro do Sul

O Caso das Termas de São Pedro do Sul por L. M. Ferreira Gomes Colaboraram: Dr Victor Leal Dra Ana Jorge 2006-05 - 18 1. INTRODUI NTRODUÇÃO 2. SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO DA QUALIDADE E AMBIENTE (SGI - Q & A): 3. NOTAS FINAIS 1 1. INTRODUI

Leia mais

ISO 9001:2008. A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000:

ISO 9001:2008. A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000: A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000: ISO 9001:2008 Esta nova edição decorre do compromisso da ISO em rever e actualizar as Normas,

Leia mais

Optimização das organizações através da inovação das Tecnologias

Optimização das organizações através da inovação das Tecnologias Optimização das organizações através da inovação das Tecnologias Índice Quem Somos O SGI da AMBISIG; A implementação do SGIDI na AMBISIG; Caso de Sucesso. Quem somos? Somos uma empresa com 16 anos de experiência

Leia mais

Certificação NP EN ISO 50001:2012 Lisboa, 6 de novembro de 2014

Certificação NP EN ISO 50001:2012 Lisboa, 6 de novembro de 2014 Certificação NP EN ISO 50001:2012 APCER VISÃO Ser reconhecida como uma empresa de auditoria e certificação global. MISSÃO Auditar e certificar em todo o mundo, com competência e confiança, para benefício

Leia mais

Colóquio: As Empresas de Serviços Energéticos em Portugal

Colóquio: As Empresas de Serviços Energéticos em Portugal Colóquio: As Empresas de Serviços Energéticos em Portugal Lisboa, 30 de Dezembro Miguel Matias Presidente da APESE Vice-Presidente Self Energy A Eficiência Energética na Cidade oportunidade na Reabilitação

Leia mais

Catálogo de Formação Inter-Empresas

Catálogo de Formação Inter-Empresas Catálogo de Formação Inter-Empresas QTEL 2015 Índice Quem Somos...Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL...Pág. 5 Formação em Ambiente.Pág. 6 Formação em Inovação..Pág. 9 Formação em Qualidade Pág. 13 Formação

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR

MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR RELATÓRIO DE AUDITORIA MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR Nº EXPEDIENTE: 2012/1106/ER/01 Nº RELATÓRIO: 05 TIPO DE AUDITORIA: AR com extensão de âmbito NORMA DE APLICAÇÃO: ISO9001:2008 Requer envio de PAC

Leia mais

Madeira Impex Electro Mecânica

Madeira Impex Electro Mecânica Madeira Impex Electro Mecânica A Madeira Impex foi criada no ano de 1959; Sector automóvel, importadora para a R.A.M da Mercedes Benz; Desde 1 de Agosto de 2000 é concessionário e oficina autorizada da

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública. www.apcer.pt

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública. www.apcer.pt Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública www.apcer.pt Hélder Estradas 4 de Novembro de 2005 QUEM SOMOS Constituída em Abril de 1996 (IPQ, AIPortuguesa AIPortuense, actual

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Capítulo 0 Índice Ref.: MGA.C00 Rev.: 00 1. Índice 1. Índice... 1 2. Registo de Alterações... 1 3. Capítulo 0 Índice... 1 4. Capítulo 1 Apresentação da Empresa... 1 5. Capítulo 2 Requisitos do Sistema

Leia mais

Qualidade e modernização Administrativa - Ensino Valor I Pessoas, Consultoria Empresarial, Lda. Rigor nos compromissos. Excelência nos processos.

Qualidade e modernização Administrativa - Ensino Valor I Pessoas, Consultoria Empresarial, Lda. Rigor nos compromissos. Excelência nos processos. Qualidade e modernização Administrativa - Ensino Valor I Pessoas, Consultoria Empresarial, Lda Rigor nos compromissos. Excelência nos processos. Qualidade e modernização Administrativa - Ensino Actualmente,

Leia mais

Tipologia de Intervenção 6.4

Tipologia de Intervenção 6.4 Documento Enquadrador Tipologia de Intervenção 6.4 Qualidade dos Serviços e Organizações Acções de consultoria inseridas no processo que visa conferir uma certificação de qualidade às organizações que

Leia mais

Campanha Nacional Certificar para Ganhar o Futuro

Campanha Nacional Certificar para Ganhar o Futuro Campanha Nacional Certificar para Ganhar o Futuro 19 Junho de 2007 Ponta Delgada Universidade dos Açores José Romão Leite Braz Administrador Finançor Agro Alimentar, S.A. Índice Breve descrição do Grupo

Leia mais