Orientações sobre. Sistema de Gestão da Qualidade Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Orientações sobre. Sistema de Gestão da Qualidade 2012. Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT"

Transcrição

1 Orientações sobre Sistema de Gestão da Qualidade 2012 Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT

2 Sistema de Gestão da Qualidade - SGQ Um Guia para a Qualidade Organizacional Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer - CTI Renato Archer Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT Organização: Coordenação de Inovação Tecnológica CIT/Sistemas de Gestão da Qualidade, Rogério dos Santos Oliveira Luz e Vilma Carla Sarti Liguori Edição, Diagramação e Capa: Priscila Franco de Lima, Coordenação de Inovação Tecnológica CIT e Luciano Valente, Letras & Artes Comunicação. Aprovação: João de Oliveira Junior Campinas SP, Abril de

3 Sumário 3 Introdução 4 Sobre a Coordenação de Inovação Tecnológica (CIT) 5 O que é Qualidade 6 Porque implementar um Sistema de Gestão da Qualidade 8 Família ISO 9 Norma ABNT NBR ISO Sistema de Gestão da Qualidade - Requisitos 11 Norma ABNT NBR ISO 9001 e a Abordagem de Processos 12 Os 8 Princípios do Sistema de Gestão da Qualidade 14 Requisitos para um Sistema de Gestão da Qualidade 15 Requisito 4 - Sistema de Gestão da Qualidade 16 Requisito 5 - Responsabilidade da Direção 17 Requisito 6 - Gestão de Recursos 18 Requisito 7 - Realização de Produto 19 Requisito 8 - Medição, Análise e Melhoria 21 Bibliografia 2

4 Introdução O objetivo deste documento é estimular uma reflexão sobre a qualidade organizacional, motivando o leitor a conhecer suas vantagens e a aplicá-la em seus processos produtivos. Inicialmente, serão apresentados alguns termos e conceitos referentes ao tema em questão. Em seguida, o documento abordará quase que exclusivamente o Sistema de Gestão da Qualidade, apresentando suas principais normas, com ênfase na ABNT NBR ISO 9001 Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos. Espera-se que, ao final deste documento, o leitor tenha uma melhor compreensão sobre a importância da implementação da qualidade em uma organização, sua finalidade e vantagens. Espera-se, ainda, que ele seja capaz de compreender os principais pontos da ABNT NBR ISO 9001 e sua relação com a metodologia PDCA, sigla dos termos em inglês: Plan (planejar), Do (fazer), Check (controlar) e Action (agir). 3

5 Coordenação de Inovação Tecnológica CIT De acordo com o Regimento Interno do CTI, aprovado pela Portaria MCT nº 907, de 4/12/2006, a Coordenação de Inovação Tecnológica (CIT) tem como missão apoiar a instituição em ações relacionadas à Inovação Tecnológica e à Gestão da Qualidade. Com o intuito de atender essa demanda, as ações da CIT concentram-se em duas frentes: Núcleo de Inovação Tecnológica do CTI (NIT CTI) e Gestão da Qualidade (GQ). Conforme demonstra a figura 1, o organograma atual da CIT compreende estas atribuições:! Núcleo de Inovação Tecnológica do CTI NIT CTI;! Gestão da Qualidade. Figura 1 - Organograma da CIT Além dessas duas frentes, a partir de junho de 2010, com a aprovação do projeto FINEP RDMANTIQ, a CIT passou também a coordenar a Estruturação de Arranjo de NITs da Região Sudeste - NIT Mantiqueira. 4

6 O que é Qualidade De acordo com o Dicionário Michaelis, a palavra qualidade deriva do latim qualitate e significa atributo, condição natural ou propriedade pela qual algo ou alguém se individualiza, distinguindo-se dos demais. A palavra também pode expressar o grau de perfeição, precisão ou conformidade a certo padrão. Em outras palavras, como afirma o Dicionário Aurélio, é a maneira de ser de algo ou alguém, sua superioridade ou excelência. A partir dessa definição pode-se afirmar que, aplicada ao ambiente organizacional, a qualidade é um dos atributos de um produto ou serviço. A Norma Brasileira ABNT NBR ISO 9000 define qualidade como grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. Ou seja, para que um produto ou serviço tenha qualidade, é fundamental saber a quem ele se destina e qual a sua expectativa. A qualidade de uma organização, portanto, dependerá do grau de satisfação de seus clientes com relação aos produtos ou serviços que ela oferece. Para atender ao cliente, uma organização, seja ela uma indústria, uma prestadora de serviço ou um órgão governamental, reúne uma série de recursos como mão de obra, matéria-prima, equipamentos, conhecimento, tempo etc. Por meio de processos específicos, esses recursos são transformados no produto ou no serviço solicitado pelo cliente. A organização e o controle desses processos são o que irá garantir o nível de qualidade desse produto. A proposta de um Sistema de Gestão da Qualidade é exatamente esta: identificar, organizar e gerenciar os processos de uma organização, a fim de garantir a qualidade de seus produtos e/ou serviços. 5

7 Por que implementar um Sistema de Gestão da Qualidade Utilizado em organizações de todo o mundo há pelo menos meio século, o Sistema de Gestão da Qualidade oferece ferramentas para que as organizações implantem, gerenciem e chequem a qualidade de seus processos. Algumas das principais razões que levam à sua implementação são:! Maior satisfação dos clientes (sociedade e partes interessadas);! Melhoria da imagem, cultura e desempenho da organização;! Aumento da produtividade e redução de custos;! Melhoria da comunicação, moral e satisfação dos colaboradores;! Maior competitividade e oportunidade, tanto no mercado nacional como internacional;! Implementação da Gestão da Qualidade com base em padrões e normas nacionais ou internacionais, que compreende treinamento, mapeamento, documentação dos processos produtivos e registro das atividades realizadas por uma organização. Uma organização pode optar pela implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade com a finalidade de apenas otimizar seus processos e melhorar a qualidade de seus produtos e/ou serviços. No entanto, para que o resultado desse investimento seja reconhecido formalmente, por meio de um certificado de qualidade, será preciso que o sistema seja auditado por uma terceira parte, uma empresa imparcial, especializada nesse tipo de serviço. A avaliação dependerá da área em que atua e da norma que rege essa atuação. O reconhecimento pode ser como organismo de acreditação de laboratórios de ensaio, calibração e clínicos e/ou organismos de certificação de produtos, de sistemas de gestão da qualidade e ambiental. Durante a auditoria a documentação e a execução prática dos processos e o sistema como um todo são checados, a fim de verificar se ambos atendem aos requisitos da norma adotada. Uma vez aprovada, a organização recebe um certificado de adequação à metodologia de qualidade implementada. Dependendo da área em que atua e da norma que rege essa atuação, o certificado pode ser de dois tipos: certificado de acreditação ou certificação. O certificado de acreditação toma como base a ABNT NBR ISO/IEC Requisitos Gerais para a Competência de Laboratórios de Ensaio e Calibração ou a ABNT NBR ISO Laboratórios de 6

8 Análises Clínicas - Requisitos Especiais de Qualidade e Competência. Já a certificação tem como referência a ABNT NBR ISO 9001, ABNT NBR ISO 14001, entre outras. Acreditação No Brasil, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), que tem como objetivo contribuir eficazmente para a progressiva elevação dos padrões de qualidade da indústria nacional, é responsável pelos organismos de acreditação de laboratórios de ensaio, calibração e clínicos pela Ilac (International Laboratory Accreditation Cooperation) e organismos de certificação de produtos, de sistemas de gestão da qualidade e ambiental pelo IAF (International Accreditation Forum). O certificado de acreditação toma como base a ABNT NBR ISO/IEC Requisitos Gerais para a Competência de Laboratórios de Ensaio e Calibração ou a ABNT NBR ISO Laboratório de Análises Clínicas - Requisitos Especiais de Qualidade e Competência. Seu objetivo é atestar que uma organização atende a um conjunto de requisitos previamente estabelecidos, autenticando sua competência para realizar as atividades pelas quais se propõe. Entre as vantagens oferecidas por esse certificado de acreditação está o fato de que uma organização acreditada possui maior credibilidade. Esse reconhecimento, por sua vez, facilita o trânsito no comércio internacional, uma vez que atesta sua competência para atuar dentro dos padrões internacionais de qualidade em sua área de atuação. A decisão por submeter a organização à acreditação é voluntária. Certificação A certificação pode ser implementada em qualquer empresa ou instituição pública ou privada. Trata-se de uma declaração formal de que determinada organização atende aos parâmetros de qualidade estabelecidos pela norma ABNT NBR ISO 9001 ou a outro sistema de gestão adotado como, por exemplo, ambiental. Além de aferir no padrão de qualidade de uma organização, a certificação beneficia, além do cliente, também seus colaboradores, aumentando sua produtividade e otimizando seus recursos. O documento abordará exclusivamente esse tipo de certificado. 7

9 Família ISO A palavra ISO se origina do grego, e tem o significado de igualdade. ISO é também a sigla utilizada para International Organization for Standardization, uma organização não governamental, fundada em Genebra, Suiça, em Atualmente, a família ISO certifica produtos e serviços em mais de um milhão de organizações localizadas em pelo menos 157 países. Essa normatização é realizada a partir de um grupo de normas técnicas que oferecem, entre outros, um modelo padronizado para o Sistema de Gestão da Qualidade. No Brasil, essas normas recebem também a sigla NBR e são elaboradas e coordenadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). No que se refere à qualidade, a família ISO é composta por um grupo de normas voltadas ao Sistema de Gestão da Qualidade, cada uma com uma função. Entre essas normas destacam-se:! ABNT ISO 9000 Sistema de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário: documento que especifica os termos utilizados pelo sistema. Serve como referência para outras normas da qualidade;! ABNT NBR ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade Requisitos: essa norma apresenta o Sistema de Gestão da Qualidade indicando, objetivamente, cada um dos requisitos necessários para a obtenção da certificação;! ABNT NBR ISO 9004 Gestão para o Sucesso Sustentado de uma Organização Uma abordagem de Gestão da Qualidade: nesse documento são definidas as diretrizes para a aplicação do Sistema de Gestão da Qualidade. 8

10 Norma ABNT NBR ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade - Requisitos A ABNT NBR ISO 9001 é uma versão brasileira da norma ISO 9001, elaborada pelo Comitê Técnico Quality mangement and quality assurance (ISO/TC 176). O documento é fruto de uma revisão publicada pela ABNT, em dezembro de Sua função básica é especificar os requisitos para que uma organização seja certificada no Sistema de Gestão da Qualidade ISO. Na prática, porém, a partir da padronização dos processos produtivos e das ferramentas que oferece, o documento funciona como um modelo para a Gestão da Qualidade. Uma dessas ferramentas é conhecida como Ciclo PDCA, sigla da expressão em inglês: Plan-Do-Check-Action (Planejar-Fazer-Checar-Agir). Trata-se de uma metodologia cujo objetivo é permitir a organização de cada um dos processos, independentemente de sua natureza. A partir dessa abordagem, cada processo passa por quatro etapas básicas:! Planejamento (Plan) Etapa no qual são estabelecidos os objetivos e processos necessários para chegar ao resultado final: o produto ou serviço requisitado pelo cliente, levando em conta a política da organização;! Fazer (Do) Nessa etapa os processos são implentados, de acordo como foram especificados pelo planejamento;! Checar (Check) Uma vez implementados, nessa etapa os processos serão monitorados e medidos por meio de ferramentas específicas, a fim de verificar se os requisitos estabelecidos no planejamento foram cumpridos a contento;! Agir (Action) É nessa fase do processo que fica mais visível o conceito de melhoria contínua, pois com base no resultado da checagem, será possível aperfeiçoar o processo, reiniciando o ciclo, como na Figura 1. 9

11 Figura 1: Representação do Ciclo PDCA 10

12 Norma ABNT NBR ISO 9001 e a Abordagem de Processos Um processo é composto por um conjunto de ações que, com os recursos fornecidos pela direção organizacional, transformam as entradas (necessidades dos clientes) em saídas, ou seja, produtos e/ou serviços, como demonstra a figura abaixo. Figura 2: Modelo de Melhoria Contínua Embora o modelo PDCA forneça elementos para a gerência de cada processo individualmente, no dia a dia de uma organização, frequentemente, a saída de um processo acaba se transformando na entrada do processo seguinte. Dessa maneira, cada processo encadeia-se ao próximo, até que o produto final chegue às mãos do cliente. Tomados em conjunto, esses processos permitem que uma organização seja efetivamente gerenciada como um todo. 11

13 Os 8 Princípios do Sistema de Gestão da Qualidade Além da metodologia Ciclo PDCA, a ABNT NBR ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade Requisitos apresenta os 8 princípios da qualidade. Trata-se de um conjunto de parâmetros, oriundos da experiência de inúmeras organizações do mundo todo, que poderão ser utilizados pela organização com o intuito de melhorar seu desempenho. Além de tornarem mais fácil a compreensão da importância de um Sistema de Gestão da Qualidade, os princípios oferecem um caminho mais seguro para o sucesso do sistema. Porém, recomenda-se que, antes de serem colocados em prática, esses princípios sejam analisados não apenas isoladamente, mas também na relação entre si. São 8 os princípios do Sistema de Gestão da Qualidade:! Foco no Cliente Voltando à figura 2 Modelo de Melhoria Constante, à esquerda, como entrada do sistema, estão os requisitos do cliente e, à direita, na saída, sua satisfação. Ou seja, como defende a ABNT NBR ISO 9001, o cliente é a razão de ser de uma organização. Isso evidencia a importância de antecipar-se às necessidades do cliente, não apenas a fim de atendê-lo, mas também para encantá-lo. Somente assim será possível sua fidelidade;! Liderança Para que uma organização atue efetivamente com qualidade, o Sistema de Gestão da Qualidade recomenda à organização uma liderança sólida, capaz de acompanhar o mercado no qual atua. É necessário, ainda, que a instituição forneça aos seus liderados não apenas diretrizes como também insumos, para que sejam capazes de executar os processos nos quais estão envolvidos;! Envolvimento das Pessoas De acordo com o Sistema de Gestão da Qualidade, a equipe de colaboradores de uma organização é o seu recurso mais valioso. O envolvimento direto desses colaboradores no Sistema de Gestão da Qualidade é de vital importância. Isso por que seu sucesso dependerá do fato de seus colaboradores estarem conscientes da importância e do objetivo de sua atuação, bem como dos objetivos estratégicos da organização;! Abordagem de Processo Esse princípio toma como foco a relação entre os colaboradores e os processos de uma organização. Ele também aborda as entradas e saídas de um processo e o fornecimento dos recursos necessários para que apresentem um bom desempenho;! Abordagem Sistêmica para a Gestão Essa abordagem sugere que os processos de uma organização sejam vistos como um sistema, no qual as 12

14 partes não apenas compõem o todo, mas interagem entre si. A partir dessa visão seus processos poderão ser alinhados e mensurados;! Melhoria Contínua Esse ponto ressalta o conhecimento que a equipe de colaboradores adquire de como um processo deve ser feito e quão bem deve ser feito. A partir daí, poderão ser identificadas formas para melhorar tanto o sistema em si, como cada um dos processos de uma organização. De acordo com a ABNT NBR 9000, a definição de melhoria contínua é atividade recorrente para aumentar a capacidade de atender requisitos ;! Abordagem Factual para Tomada de Decisões Esse princípio afirma que as informações obtidas a partir dos indicadores, auditorias internas e análises críticas que compõem o Sistema de Gestão da Qualidade permitem à liderança da organização mapear as oportunidades e os desafios do negócio, a fim de tomar decisões no sentido de melhorar seu desempenho e a qualidade dos produtos e/ou serviços que oferece;! Benefícios Mútuos nas Relações com os Fornecedores Por meio desse enfoque, calcado na política do ganha-ganha, os colaboradores e fornecedores são tratados como parceiros. Apenas assim é possível obter o compromisso da equipe com prazos, preços e com a qualidade dos produtos e serviços oferecidos. Afinal, nessa visão, todos saem beneficiados. 13

15 Requisitos para um Sistema de Gestão da Qualidade No início deste documento, refletiu-se sobre o que vem a ser qualidade e sobre a relevância da implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade em uma organização. Em seguida, foi apresentada uma breve descrição sobre a chamada família ISO, com destaque para a norma ABNT NBR ISO Durante a abordagem sobre a ABNT NBR ISO 9001, destacou-se seu objetivo, sua relação com o Ciclo PDCA e os 8 princípios da qualidade, que relacionam a melhoria constante à satisfação e encantamento do cliente. No entanto, uma vez consciente da importância da qualidade em uma organização e da relevância da abordagem dos processos, tendo como principal foco a satisfação do cliente, surge uma questão: como aplicar um Sistema de Gestão da Qualidade na prática? Como já foi dito, a ABNT NBR ISO 9001 possui uma característica prática, apresentando objetivamente os requisitos imprescindíveis à aplicação de um Sistema de Gestão da Qualidade eficaz e eficiente. Uma vez cumpridos esses requisitos, a organização poderá solicitar a certificação do Sistema de Gestão da Qualidade, segundo os padrões normativos. Após uma introdução e algumas definições referentes ao Sistema de Gestão da Qualidade, a partir do quarto capítulo, a ABNT NBR ISO 9001 apresenta os seguintes requisitos:! Requisito 4 - Sistema de Gestão da Qualidade;! Requisito 5 - Responsabilidade da Direção;! Requisito 6 - Gestão de Recursos;! Requisito 7 - Realização do Produto;! Requisito 8 Medição, Análise e Melhoria. A seguir, será apresentada cada uma dessas seções, com uma breve descrição de seu conteúdo. 14

16 Requisito 4 - Sistema de Gestão da Qualidade Essa seção estabelece o cenário para a ABNT NBR ISO 9001, enfatizando a necessidade de documentar, implementar e manter um Sistema de Gestão da Qualidade, melhorando-o continuamente. É importante ressaltar que essa seção está fortemente relacionada às demais. Ao consultá-la, o leitor encontrará o requisito sobre a documentação, que inclui a elaboração de um manual da qualidade e a documentação dos processos. Esse requisito requer, ainda, declarações documentadas da política e dos objetivos da qualidade. Nessa seção também são definidos os critérios para controlar os documentos e os registros. O modo como essa documentação será elaborada cabe a cada organização especificamente. Ela poderá ser composta por uma única página ou por várias. No entanto, recomenda-se que sejam evitadas documentações excessivamente pesadas. Algumas organizações preferem utilizar softwares para mapeamento de seus processos e negócio. Dessa forma, elas podem identificar com mais agilidade a documentação crítica em determinado contexto. Outras organizações preferem disponibilizar a documentação de seu sistema em Intranets ou referenciá-las na Internet. Controle de Dados e Documentos A distribuição dos documentos da qualidade deve ser controlada. Os procedimentos e demais informações deverão ser distribuídos somente a quem realmente necessita deles. Além disso, cada uma dessas distribuições deverá ser registrada. Esse registro deverá informar o que foi distribuído e para quem. Sempre que um documento controlado sofrer alguma alteração, isso deverá ser registrado e as pessoas relevantes formalmente informadas. Dessa forma, será assegurado o arquivamento ou a destruição dos documentos obsoletos. Ainda dentro desse requisito, será necessário reter informações indicando que as atividades executadas dentro do sistema da qualidade foram satisfatórias. Por exemplo, registros de treinamento do pessoal, contratos submetidos à análise crítica e produtos inspecionados, bem como as evidências de conformidade regulamentares e estatutárias. 15

17 Requisito 5 - Responsabilidade da Direção De acordo com a ABNT NBR ISO 9001, a alta direção é composta pelos responsáveis pela organização, já que são eles que definem a política e os objetos da qualidade para um dado local ou atividade. Uma vez definida a política e os objetos da qualidade, cabe a essa direção comunicar a necessidade de melhoria contínua, de forma a atender aos requisitos dos clientes. São consideradas de sua responsabilidade também os requisitos regulamentares e estatutários, bem como os da estrutura organizacional como um todo. A estrutura organizacional e a qualidade É função da alta direção garantir que toda a equipe de colaboradores esteja consciente de suas responsabilidades e compreenda o impacto de suas decisões sobre a organização. Grande parte desse requisito é cumprido por meio da formalização do Sistema de Gestão da Qualidade. Um exemplo disso são os relatórios que os responsáveis pelo Sistema de Gestão da Qualidade devem apresentar à direção, em reuniões de análise crítica, informando sobre o desempenho do sistema à direção. Essa seção trata ainda sobre uma declaração de comprometimento da alta direção com a qualidade, que deverá compor uma política e os objetivos dela. 16

18 Requisito 6 - Gestão de Recursos Para que seja efetiva no dia a dia, a gestão da qualidade dependerá do uso de recursos apropriados para cada tarefa a ser executada. Isso inclui os executores dessas tarefas, as ferramentas e os serviços que necessitam para executá-las. Infraestrutura e Ambiente de Trabalho Esse item trata sobre o ambiente de trabalho no qual a equipe de colaboradores atua. Nesse sentido, a análise crítica por parte da direção, mencionada anteriormente, poderá indicar, por exemplo, que há necessidade de adequações no espaço físico de trabalho ou mesmo que o treinamento da equipe seja aperfeiçoado. Sem dúvida, ações como essa contribuirão para a melhoria contínua não só do sistema da qualidade, mas também da organização em si. Competências e Treinamento de Pessoal O requisito competência argumenta que as pessoas envolvidas em um processo com requisitos específicos de competência devem ter comprovadas suas habilidades para executá-lo ou serem providas de treinamento apropriado à sua execução. Ele inda afirma que esses colaboradores, dependendo de sua atuação, precisam apresentar tempo suficiente de experiência, a fim de serem considerados competentes. Uma análise crítica é capaz de checar a eficiência de um treinamento. Basta aplicá-la antes e depois do evento, a fim de verificar se determinado colaborador tornou-se ou não mais efetivo. 17

19 Requisito 7 - Realização de Produto Para a realização de um produto e/ou serviço com qualidade, é imprescindível que, em primeiro lugar, as necessidades do cliente sejam claramente compreendidas. Somente a partir dessas informações a organização poderá definir os processos necessários e a melhor maneira de implementá-los, a fim de garantir a satisfação do cliente. Ou seja, antes de iniciar a execução de um produto é necessário que essa operação seja planejada com atenção. É preciso que se defina, por exemplo, qual a necessidade de recursos de programação e especificações de compra. Esse planejamento deverá observar, ainda, as previsões de rastreabilidade, de preservação e dos instrumentos de monitoramento e medição a serem utilizados. Resumindo, é preciso garantir que as provisões de serviço estejam disponíveis para que o processo seja executado com qualidade, ou seja, é de extrema importância o planejamento da execução dos produtos e/ou serviços, que deverá ser comunicado com clareza e objetividade. Só assim será possível garantir que a equipe, de fato, compreende o que se espera dela. Será preciso checar, ainda, a necessidade ou não de que o produto seja acompanhado por um projeto. Em caso positivo, esses documentos deverão ser mantidos em registro, a fim de que o resultado possa ser avaliado e as possíveis falhas corrigidas. Reafirmando, a expectativa do cliente deverá ser claramente estabelecida desde o início, atentando, sobretudo, para os requisitos não declarados como, por exemplo, a utilização do produto. Além disso, deverão ser cumpridos também os requisitos estatutários e regulamentares. Uma vez atendidas todas essas considerações, será preciso observar o feedback do cliente, ou seja, a realimentação do sistema. Seja ela positiva ou negativa, essa realimentação será parte integrante da gestão da qualidade, pois é fundamental para o aperfeiçoamento do processo, o que, por sua vez, compõe a melhoria constante. 18

20 Requisito 8 - Medição, Análise e Melhoria Do ponto de vista do Sistema de Gestão da Qualidade, os requisitos dessa seção são considerados a chave para o sucesso. Quando aplicadas, as medições devem ajudar a melhorar a organização, demonstrando a conformidade de seus produtos e serviços aos padrões requisitados. Em casos específicos, a medição pode incluir a utilização de uma metodologia estatística. De acordo com esse requisito, a organização deverá iniciar as medições avaliando o nível de satisfação dos clientes. Recomenda-se, ainda, a aplicação de auditorias internas, que deverão ser previamente planejadas. No entanto, existem outras ferramentas, como, por exemplo, o monitoramento e a medição de processos, produtos e/ou serviços. Produto ou serviço não conforme Em algumas ocasiões, pode acontecer de algum produto e/ou serviço não estar conforme os requisitos especificados previamente pelo sistema. Nesse caso, a organização deverá garantir que esses produtos e/ou serviços não sejam entregues ao cliente. Deverão ser estabelecidos também, procedimentos documentados, garantindo a eliminação da não conformidade encontrada no produto ou a tomada de outra ação adequada. Análise de dados A análise de dados deverá considerar, prioritariamente, a medição da satisfação dos clientes. Ela também deverá verificar os requisitos de conformidade do produto e/ou serviço, as características e as tendências dos processos, produtos e/ou serviços, incluindo os fornecedores. Melhoria contínua Para garantir a melhoria contínua por meio do Sistema de Gestão da Qualidade, a norma recomenda a utilização da política de qualidade. Ela recorre, ainda, aos objetivos da qualidade, resultados de auditorias, análise de dados, ações corretivas e preventivas e análise crítica por parte da direção da organização. 19

21 Ações Corretivas e Preventivas De acordo com a norma ABNT NBR ISO 9001, a implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade é capaz de atender aos requisitos dos clientes. No entanto, é preciso ter em mente que isso não quer dizer que os produtos e/ou serviços, frutos desse sistema, estejam completamente livres de defeitos. A fim de evitar ou minimizar esse tipo de problema, o sistema recomenda a eliminação das causas que levam um produto a não conformidade. Aliás, esse é um dos objetivos da norma, já que seu foco está na satisfação do cliente. Isso pode ser feito tanto por meio de ações corretivas, como preventivas. As ações corretivas deverão ser executadas tão logo seja identificada uma falha. Já as ações preventivas possuem um caráter proativo e são executadas ao identificar algo que possivelmente poderá dar errado. O sistema defende que se mantenham registros tanto das ações corretivas, como das preventivas. 20

22 Bibliografia ABNT NBR ISO 9000, Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e vocabulário ABNT NBR ISO 9001, Sistemas de Gestão da Qualidade ABNT NBR ISO 9004, Gestão para o sucesso sustentado de uma organização Uma abordagem da gestão da qualidade ABNT ISO/TR 1013, Diretrizes para a documentação de sistema de gestão da qualidade ABNT NBR ISO/IEC 17025, Requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração 21

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Contexto SGQ SGQ Sistema de Gestão da Qualidade Sistema (Definição do dicionário Michaelis) 1- Conjunto de princípios

Leia mais

O que é ISO 9001:2000?

O que é ISO 9001:2000? O que é ISO 9001:2000? Um guia passo a passo para a ISO 9001:2000 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Conteúdo * SISTEMAS DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E PDCA... 1 * OITO PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE...

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 2 Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 Para a gestão da qualidade na realização do produto a ISO 9001: 2000 estabelece requisitos de gestão que dependem da liderança da direção, do envolvimento

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO OBJETIVO Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios. ISO 9001 X ISO 17025 Abordagem Abrangência

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando?

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? A publicação prevista para Novembro de 2015 tem como propósito refletir as mudanças no ambiente em que a norma é usada e garantir que a mesma mantenha-se adequada

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 348, de 03 de outubro de

Leia mais

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br N786-1 ISO CD 9001 Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento N786-1 ISO CD 9001 para treinamento - Rev0 SUMÁRIO Página Introdução 4 0.1 Generalidades 4 0.2 Abordagem

Leia mais

ISO 9000 para produção de SOFTWARE

ISO 9000 para produção de SOFTWARE ISO 9000 para produção de SOFTWARE A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 CURSO E-LEARNING REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitido a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Modelo da Série NBR ISO 9000

Modelo da Série NBR ISO 9000 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP CURSO DE ADMINISTAÇÃO Prof a : NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Origem da Norma para Sistemas da Qualidade ISO

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec KEYASSOCIADOS 1 PROGRAMAÇÃO Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec Apresentação Institucional KEYASSOCIADOS Sr. Francisco R. Ramires Gerente Comercial - KEY Apresentação NBR

Leia mais

1. A Vigilância Sanitária pode acatar a verificação metrológica realizada pelo IPEM como calibração?

1. A Vigilância Sanitária pode acatar a verificação metrológica realizada pelo IPEM como calibração? Página 1 de 8 Esclarecimentos prestados pelo IPEM-PR aos questionamentos realizados pela Vigilância Sanitária, através do oficio n 420/2014 DVVSP/CEVS/SVS de 04 de junho de 2014. 1. A Vigilância Sanitária

Leia mais

UM ORGANISMO ACREDITADO DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRIBUINDO PARA GARANTIR A SEGURANÇA DE VÔO

UM ORGANISMO ACREDITADO DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRIBUINDO PARA GARANTIR A SEGURANÇA DE VÔO UM ORGANISMO ACREDITADO DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRIBUINDO PARA GARANTIR A SEGURANÇA DE VÔO Luciane de Oliveira Cunha (ITA) lucianeoc@yahoo.com.br João Murta Alves (ITA) murta@ita.br

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28 o. andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

ENG 2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I

ENG 2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I ENG 2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I Profº Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 3: Controle de Qualidade de Execução. Controle de Qualidade de Execução. Mas o que é Qualidade? Embora tenha demorado dois dias para

Leia mais

DOCUMENTOS E REGISTROS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

DOCUMENTOS E REGISTROS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DOCUMENTOS E REGISTROS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 2011 WANDERSON S. PARIS INTRODUÇÃO Não se pretende aqui, reproduzir os conteúdos das normas ou esgotar o tema versado por elas. A ideia é apenas

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 04) O que é uma Norma Aquilo que se estabelece como base ou medida para a realização

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade 1 de 13 Sumário 1 Normalização... 2 1.1 Normas... 2 1.2 Objetivos... 2 1.3 Benefícios de Normalização... 2 1.4 A Importância da Normalização Internacional... 3 1.5 Necessidades de Normalização Internacional...

Leia mais

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 2 Prefácio 3 A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normatização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês

Leia mais

Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO. Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy

Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO. Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy NORMA Documento que formaliza certo nível de consenso a respeito do que foi discutido. Aquilo

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos MB Consultoria Av. Constantino Nery, Nº 2789, Edifício Empire Center, Sala 1005 a 1008 Manaus - Amazonas - Brasil CEP: 69050-002 Telefones: (92) 3656.2452 Fax: (92) 3656.1695 e-mail: mb@netmb.com.br Site:

Leia mais

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE 14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade da direção

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

Acreditação de Laboratórios. Acreditação de Laboratórios. Acreditação

Acreditação de Laboratórios. Acreditação de Laboratórios. Acreditação Acreditação de Laboratórios Acreditação Acreditação de Laboratórios Como Acreditar Laboratórios Vantagens da Acreditação Documentos Básicos para Acreditação Reconhecimento Internacional Acreditação A acreditação

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1 Certificação NBR Requisitos A partir da versão 1994, a série ISO 9000 passou a ser conhecida como família ISO 9000 ; leva em conta duas situações, a contratual e não contratual; Para a situação não contratual

Leia mais

Portaria n.º 341, de 24 de setembro de 2008

Portaria n.º 341, de 24 de setembro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 341, de 24 de setembro de

Leia mais

Como ter confiança em um Organismo de Inspeção? É necessária certificação ABNT NBR ISO 9001 ou acreditação ABNT NBR ISO/IEC 17020?

Como ter confiança em um Organismo de Inspeção? É necessária certificação ABNT NBR ISO 9001 ou acreditação ABNT NBR ISO/IEC 17020? É necessária certificação ABNT NBR ISO 9001 ou acreditação ABNT NBR ISO/IEC 17020? O que buscar quando há uma necessidade 3 Como ter confiança em um Organismo 4 Como a acreditação do organismo de inspeção

Leia mais

Como agregar valor durante o processo de auditoria

Como agregar valor durante o processo de auditoria QSP Informe Reservado Nº 55 Fevereiro/2006 Como agregar valor durante o processo de auditoria Tradução para o português especialmente preparada para os Associados ao QSP. Este guindance paper foi elaborado

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente;

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente; ISO 9000 A série ISO 9000 é uma concentração de normas que formam um modelo de gestão da Qualidade para organizações que podem, se desejarem, certificar seus sistemas de gestão através de organismos de

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD) 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável

Leia mais

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP.

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CQ Consultoria Cirius Quality e Treinamento 1º Edição Interpretação da NBR ISO 9001:2008 Cirius Quality Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CEP: 09980-150 i www.ciriusquality.com.br e contato@ciriusquality.com.br

Leia mais

3. O Laboratório de Eletromagnetismo e Compatibilidade Eletromagnética

3. O Laboratório de Eletromagnetismo e Compatibilidade Eletromagnética A implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade segundo a norma NBR ISO/IEC 17025 no Laboratório de Eletromagnetismo e Compatibilidade Eletromagnética da Universidade Federal de Santa Catarina. Eduardo

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação

Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação QP Informe Reservado Nº 70 Maio/2007 Abordagem de Processo: conceitos e diretrizes para sua implementação Tradução para o português especialmente preparada para os Associados ao QP. Este guindance paper

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11.

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11. ' NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001 Segunda edição 28.11.2008 Válida a partir de 28.12.2008 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Quality management systems Requirements Palavras-chave: Sistemas

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 387, de 23 de outubro de

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Diretrizes para melhorias de desempenho

Sistemas de gestão da qualidade - Diretrizes para melhorias de desempenho DEZ 2000 NBR ISO 9004 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sistemas de gestão da qualidade - Diretrizes para melhorias de desempenho Sede: RiodeJaneiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 159, de 29 de junho de 2006.

Leia mais

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 Leonardo Rospi (UNIP Universidade Paulista) lrospi@terra.com.br Oduvaldo Vendrametto (UNIP Universidade Paulista)

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

Lab Management : a tool for competitiveness. Celso Romero Kloss

Lab Management : a tool for competitiveness. Celso Romero Kloss Lab Management : a tool for competitiveness Celso Romero Kloss METROLOGIA NO DIA A DIA A VELOCIDADE DAS MUDANÇAS A aceleração da história é também medido pelo tempo entre a descoberta de um processo tecnológico

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Diretrizes para melhorias de desempenho

Sistemas de gestão da qualidade Diretrizes para melhorias de desempenho OUT/2000 PROJETO NBR ISO 9004:2000 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sistemas de gestão da qualidade Diretrizes para melhorias de desempenho Sede: Rio de Janeir o Av. Treze de Maio, 13 28º

Leia mais

ISO - International Organization for Standardization

ISO - International Organization for Standardization ISO - International Organization for Standardization ISO - Organização Internacional para Normalização: Genebra Suíça em 1947 120 países = 95% PIB Mundial Comitês técnicos e Comitês político Aprovação

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

DISCIPLINA: Controle de Qualidade na Indústria

DISCIPLINA: Controle de Qualidade na Indústria PPGE3M/UFRGS DISCIPLINA: Controle de Qualidade na Indústria Profa. Dra. Rejane Tubino rejane.tubino@ufrgs.br SATC 2013 Fone: 3308-9966 Programa da Disciplina Apresentação da disciplina Conceitos preliminares.

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 Prof. Dr. João Batista Turrioni Objetivo geral Introduzir e discutir a importância da adoção de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Introdução à ISO 9001 ano 2008

Introdução à ISO 9001 ano 2008 Introdução à ISO 9001 ano 2008 1. A FAMÍLIA DE NORMAS ISO 9000 1.1 Histórico A primeira Norma de Garantia da Qualidade foi publicada em 1979 pela British Standards Institution (BSI) em três partes como

Leia mais

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade Elton Ivan Schneider Introdução

Leia mais

Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) P R O F. ª : S U Z I A N E A N T E S J A C O B S

Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) P R O F. ª : S U Z I A N E A N T E S J A C O B S Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) P R O F. ª : S U Z I A N E A N T E S J A C O B S Sistema APPCC Projeto APPCC : Anvisa e Senai Ferramenta de gestão de risco desenvolvida para garantir

Leia mais

CARTILHA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE. Olá!! Fique informado, leia a Cartilha do SGQ!!!!!!

CARTILHA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE. Olá!! Fique informado, leia a Cartilha do SGQ!!!!!! CARTILHA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Olá!! Fique informado, leia a Cartilha do SGQ!!!!!! Revisão 06 de 08/02/2011 CARTILHA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SGQ A Cartilha do Sistema de Gestão da

Leia mais

O que significa a ABNT NBR ISO 9001 para quem compra?

O que significa a ABNT NBR ISO 9001 para quem compra? 1 O que significa a ABNT NBR ISO 9001 para quem compra? (ADAPTAÇÃO REALIZADA PELO ABNT/CB-25 AO DOCUMENTO ISO, CONSOLIDANDO COMENTÁRIOS DO INMETRO E DO GRUPO DE APERFEIÇOAMENTO DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO)

Leia mais

INTRODUÇÃO À NORMA ISO 9001 Sistemas de Gestão da Qualidade. Estratégica Consultoria Empresarial Multidisciplinar

INTRODUÇÃO À NORMA ISO 9001 Sistemas de Gestão da Qualidade. Estratégica Consultoria Empresarial Multidisciplinar INTRODUÇÃO À NORMA ISO 9001 Sistemas de Gestão da Qualidade Estratégica Consultoria Empresarial Multidisciplinar O que é a ISO? Organização Internacional para Padronização História e Filosofia da ISO A

Leia mais

Auditando processos de feedback de clientes

Auditando processos de feedback de clientes QSP Informe Reservado Nº 52 Novembro/2005 Auditando processos de feedback de clientes Tradução para o português especialmente preparada para os Associados ao QSP. Este guindance paper foi elaborado pelo

Leia mais

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008

APRESENTAÇÃO INICIAL. Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 APRESENTAÇÃO INICIAL Empresa: IMAGO Norma: ISO 9001:2008 IMAGO Consultoria M.E Colaborou com a certificação de empresas em diversas áreas: Metalúrgica Têxtil Médica Educação Terceirização de mão de obra

Leia mais

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas Aula 03 : Norma NBR ISO 9001 Ghislaine Miranda Bonduelle NORMALIZAÇÃO DA QUALIDADE ISO IEC Internacional Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT Regional Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE Nacional

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL SUPERIOR CARGO: Tecnologista da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Tecnologista Junior Padrão I (TS10) CADERNO DE

Leia mais

Visão Geral da Certificação CERTICS

Visão Geral da Certificação CERTICS Projeto 0113009300 - Implementação da CERTICS - Certificação de Tecnologia Nacional de Software IX Workshop Anual do MPS WAMPS 2013 Visão Geral da Certificação CERTICS Palestrante: Adalberto Nobiato Crespo

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI Capítulo 6: PSP Capítulo

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeir o Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

Atualmente, as organizações de uma

Atualmente, as organizações de uma Uma estratégia competitiva para laboratórios de calibração e ensaios no cenário atual Conheça um modelo gerencial para laboratórios de calibração e ensaios, alinhando a qualidade necessária à realização

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. Introdução Segundo as informações disponíveis no site do

Leia mais

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Para obter a acreditação o laboratório deve implementar um sistema de gestão da qualidade com especial atenção para os aspectos da

Leia mais

AULA II CONTROLE E QUALIDADE. Prof.: Alessandra Miranda

AULA II CONTROLE E QUALIDADE. Prof.: Alessandra Miranda AULA II CONTROLE E QUALIDADE Prof.: Alessandra Miranda Conceitos: Controlar: estando a organização devidamente planejada, organizada e liderada, é preciso que haja um acompanhamento das atividades, a fim

Leia mais

Verde Ghaia 2015. Todos os direitos reservados. FICHA TÉCNICA

Verde Ghaia 2015. Todos os direitos reservados. FICHA TÉCNICA Verde Ghaia 2015. Todos os direitos reservados. FICHA TÉCNICA Texto: Deivison Pedroza Revisão: Keziah Pollyanna Moreira de Souza Revisão Técnica: Daniela Cavalcante Projeto Gráfico e Diagramação: Alexandre

Leia mais

ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação

ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação Marcel Menezes Fortes 1- Introdução: Em 28 de dezembro de 2008, a ABNT NBR ISO-9001:2008 entrou em vigor em substituição à Norma ABNT NBR ISO-9001:2000. Pretendemos

Leia mais