ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ ,00 a R$ ,00

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00"

Transcrição

1 ANEXO III Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ ,00 a R$ ,00 1. Apresentação Geral: 1. Nome do projeto 2. Linha(s) Temática(s) 2. Localidade e município 3. Instituição Proponente 4. CNPJ 5. Endereço 6. Telefone 7. Nome do responsável 8. CPF do responsável RG: 9. Banco da Instituição: Agência: Conta corrente: 10. Valor Total do Projeto Valor solicitado ao Programa Recursos próprios Informações sobre a organização 1. Nome da Instituição: 2. Data da fundação: 3. CNPJ e IE: 4. Exponha os objetivos da sua instituição: 5. Informe se a organização já recebeu apoio de algum programa público ou privado. Em caso positivo, dizer que apoio foi, quando, de qual valor e para que finalidade. Atente para a apresentação dos documentos exigidos pelo EDITAL quanto ao quesito Elegibilidade da Instituição Proponente. 3. Informações sobre o projeto a) Local de execução: b) Nome da localidade, município e estado. c) Quem e quantos serão beneficiados com o projeto? Apresente uma estimativa do número de famílias beneficiadas. d) Duração

2 e) Informe quanto tempo (em meses) pretende durar o projeto. Esta informação é obtida após o preenchimento do Cronograma Item Justificativa Em geral, um projeto é elaborado para buscar uma solução ou um apoio para resolver uma dificuldade ou um problema. Por isso, nos manuais de projetos, pede-se uma justificativa. Dicas: justificativa é o que explica o porquê que a comunidade ou organização precisa do projeto. É necessário deixar claro que o projeto está sendo solicitado para ajudar resolver uma situação, um problema, uma dificuldade. Qual é esta dificuldade? Descreva bem o problema ou a dificuldade e cite dados concretos que comprovem a situação. Lembre-se que quem vai ler não conhece a sua realidade. Que outras iniciativas (projetos, ações, outros trabalhos) estão em execução na sua região para tentar resolver o mesmo problema? 5. Objetivo do projeto O objetivo deve conter o que se deseja alcançar após a execução do projeto, com o problema já resolvido. Exemplo: Problema: A venda da castanha de caju está muito baixa, caiu muito. Objetivo: Aumento da venda da castanha em tantas toneladas 6. Metas Com o objetivo, pode-se perceber onde o projeto quer chegar ao seu final. Mas, para chegar a essa finalidade, é necessário alcançar metas muito concretas no caminho. As metas explicam quanto se quer alcançar do quê, e em quanto tempo, para chegar àquela finalidade descrita no objetivo. Podem estar em diversas áreas: produção, beneficiamento, capacitação etc. Se o projeto vai trabalhar em mais de uma área, deve definir bem claramente as metas a serem alcançadas para cada uma. Dica: No caso de capacitação, de encontros, seminários, atividades de organização, estudos ou assistência técnica, deve-se explicar claramente os temas, os resultados esperados, onde serão realizadas as atividades, o público dos eventos, quem vai fazer as atividades e a duração das mesmas. Se as metas se referirem à produção ou beneficiamento, deve-se dizer concretamente que espécies, quantidade, local e forma de beneficiamento. 7. Atividades São as ações que devem ser realizadas para se alcançar as metas. Descreva as atividades que o projeto deve executar respondendo à questão: que atividades devem ser desenvolvidas para se alcançar cada meta? Lembre-se: para cada meta deve haver uma série de atividades. Exemplo:

3 Exemplo de preenchimento: Objetivo do projeto: Aumento da venda da castanha de caju em X toneladas Metas Aumentar o estoque de castanha de 5 para 7 toneladas em seis meses Atividades Realizar 2 reuniões para incentivar os associados a entregarem a castanha à Associação e não vendê-la diretamente. Fazer obras de melhoria das condições do armazém para não perder castanha estocada. Reformar o caminhão para melhorar o sistema de transporte e recebimento da castanha. Beneficiar toda a castanha dentro dos padrões de qualidade exigidos para a comercialização Curso de produção de doce de caju Fazer obra de reforma do galpão de beneficiamento, localizado na sede do município, rua tal, número tal (anexo plano de reforma). Treinar mais 10 novos técnicos no uso das novas máquinas e equipamentos. Fazer 3 reuniões com os associados para explicar o sistema de beneficiamento. Realizar um curso de capacitação com a presença dos técnicos do licenciamento de saúde pública e de exportação a) Quem vai trabalhar nessas atividades? Pessoas, instituições, comunidades. Coloque nomes e cargos das pessoas diretamente envolvidas na execução. b) Há cooperação do governo, seja prefeitura, governo estadual ou federal, nessas atividades? Qual é essa cooperação? c) Qual a cooperação de outras organizações? d) Vai haver algum tipo de assistência técnica? Qual? Quem vai prestar essa assistência? Apresente o nome da instituição e dos técnicos. e) O projeto vai trazer benefícios para a população e também para o meio ambiente? Que benefícios serão esses? Explique como as pessoas e a natureza vai sair ganhando com o projeto 8. Cronograma O cronograma define quando cada atividade inicia e termina. Para fazer o cronograma, deve-se responder à pergunta: quando serão realizadas essas atividades? Exemplo de preenchimento: Dica: Uma noção importante quando se faz cronograma é a de que o início de um projeto pode atrasar por várias razões, inclusive por causa da liberação dos recursos. Daí a dificuldade em marcar o mês exato da execução das atividades, de acordo com o calendário. Um projeto pode começar em qualquer mês do ano, dependendo do tipo de atividade que se quer fazer, da data de sua aprovação e da liberação dos recursos. Há atividades que só se podem realizar no período da

4 seca, outras só na época das chuvas. Portanto, em cronograma de projeto, quando se fala mês 1 não significa janeiro, mas sim o primeiro mês da execução do projeto. O que importa é a distribuição das atividades nos meses, portanto não é necessário colocar o nome do mês. Existem atividades que só podem ser iniciadas quando outra ou outras estejam finalizadas. É importante prestar atenção nessa dependência ao se fazer o cronograma. Previsão para início: mês 2 (não necessariamente fevereiro) Atividades Aumentar o estoque de castanha de 5 para 7 toneladas em seis meses Beneficiar toda a castanha dentro dos padrões de qualidade exigidos para a comercialização. Mês de realização X X X X X X X X X X X Fazer reuniões de acompanhamento do Projeto X X 9. Orçamento Orçamento é quanto custa um projeto, ou seja, é o valor financeiro dos recursos que se vai necessitar para se realizar as atividades e alcançar as metas e o objetivo final do projeto. Para cada meta, você já relacionou uma série de atividades. Para saber quanto vai custar cada meta, é preciso levantar o preço de cada atividade. Isso se chama memória de cálculo. Para uma melhor organização do orçamento do projeto, os custos das atividades devem ser reunidos por assunto, chamados elementos de despesas e devem ser colocados em separado no quadro abaixo. Os elementos são: Material de Consumo: todo material que se gasta, como papel, combustível, filmes para máquina, alimentos comprados crus etc. Passagens e Despesa de Locomoção: passagens ou outros custos de viagem, como frete de barco, passagem de ônibus, taxi etc. Consultoria: pagamento de profissionais especializados que o projeto contratará para trabalhar nas suas atividades, como, instrutor de cursos ou um arquiteto. Serviços de Terceiros - Pessoa Física: pagamento por serviços eventuais que o projeto paga a pessoas, como eletricista, cozinheira etc. Serviço de Terceiros - Pessoa Jurídica: pagamento de serviços realizados por empresas. Exemplo: revelação de filmes, serviços de gráficas etc.

5 Ajuda de Custo/ Diária: gastos de viagens para pagamento de hotel, comida etc. Obras: gastos com construção ou reforma de pequenas edificações Equipamentos: máquinas e objetos permanentes que o projeto compra, como por exemplo, máquina fotográfica, computador máquina de costura, motor de barco etc. Depois desse levantamento, é preciso dizer quem vai assumir que gastos: o e os recursos próprios ou recursos de outras fontes. Os recursos oriundos da própria organização e de outras fontes somados são chamados de contrapartida, cuja deverá cobrir, pelo menos, 10 % do valor solicitado ao PDS-RN. Quadro com o somatório dos valores solicitados ao PDS-RN e os referentes à contrapartida por Elementos de Despesas do Projeto Elementos de Despesa Valor Solicitado ao PDS-RN Contrapartida Próprios ou Outras Fontes TOTAL Material de consumo Passagens e despesas de locomoção Consultoria Serviços de terceiros - pessoa física Serviços de terceiros - pessoa jurídica Ajuda de custo / diária Obras Equipamentos Totais Gerais Dicas: Em recursos próprios, coloque o custo ou valor correspondente ao trabalho que a organização ou a comunidade vai executar, ou o valor das coisas que a comunidade ou organização vai emprestar para o projeto (local, escritório, máquinas), chamada neste caso de Contrapartida Mensurada. Declaro que são idôneas nossas intenções na realização deste projeto, que são verídicos os documentos apresentados e me disponho para quaisquer esclarecimentos a respeito deste pleito. Atenciosamente, Local e Data Responsável pela Instituição Proponente

ANEXO II. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo B R$ ,00 a ,00

ANEXO II. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo B R$ ,00 a ,00 ANEXO II Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo B R$ 20.001,00 a 50.000,00 1. Apresentação Geral: 1. Nome do projeto 2. Linha Temática 2. Localidade e município 3. Instituição Proponente 4. CNPJ

Leia mais

ANEXO IV. Roteiro para Apresentação de Proposta de Projetos do Tipo D R$ 100.001,00 a R$ 200.000,00

ANEXO IV. Roteiro para Apresentação de Proposta de Projetos do Tipo D R$ 100.001,00 a R$ 200.000,00 ANEXO IV Roteiro para Apresentação de Proposta de Projetos do Tipo D R$ 100.001,00 a R$ 200.000,00 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO ÓRGÃO/ENTIDADE PROPONENTE CNPJ ENDEREÇO CIDADE U.F. C.E.P. DDD/FONE EA CONTA CORRENTE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO II - MODELO DA PROPOSTA DE PROJETO PRÓ-EXTENSÃO EDITAL nº 0/03 PROEXT Campus: Projeto de Extensão Inserir aqui o Título de Projeto N o (PROEXT) - PRÓ-EXTENSÃO - Programa Institucional de Incentivo

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA 03/2003

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA 03/2003 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS INSTITUCIONAIS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DE PESQUISA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA MCT, por intermédio da Financiadora

Leia mais

FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Inscrição Endereço Completo Telefone Email Representante Legal Endereço Completo RG Telefone CPF Email

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DO ESTADO DO MARANHÃO

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DO ESTADO DO MARANHÃO GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DO ESTADO DO MARANHÃO APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS TÉCNICO-CIENTÍFICOS - APEC EDITAL FAPEMA Nº 036/2014 APEC

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS NO SCDP VIAGENS INTERNACIONAIS

ORIENTAÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS NO SCDP VIAGENS INTERNACIONAIS ORIENTAÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS NO SCDP VIAGENS INTERNACIONAIS OBJETIVO Estas instruções foram elaboradas com o objetivo de orientar os servidores, docentes e técnico-administrativos,

Leia mais

1. Identificação. Instituição proponente CNPJ: Endereço: Telefone/Fax: Conta Bancária Específica: Responsável pela Instituição: CPF: CI:

1. Identificação. Instituição proponente CNPJ: Endereço: Telefone/Fax: Conta Bancária Específica: Responsável pela Instituição: CPF: CI: 1. Identificação Instituição proponente Nome Fantasia: CNPJ: Endereço: Telefone/Fax: Conta Bancária Específica: Responsável pela Instituição: CPF: CI: Responsável técnico pelo projeto CPF: CI: Endereço

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE CONTRATO DE GESTÃO IGAM/ABHA N 002/2009 = TERMO DE REFERÊNCIA = REPETIÇÃO DE PROCESSO PROCESSO SELETIVO 004-A/2012 ARAGUARI - MG ABRIL / 2012 1. INTRODUÇÃO 1.1.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO. Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO. Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC Campinas Fevereiro 2014 2 opyleft Gildenir C. Santos, 2014. Biblioteca - Faculdade

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UHE RISOLETA NEVES

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UHE RISOLETA NEVES EDITAL 006 2015 SELEÇÃO DE PROJETOS AMBIENTAIS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UHE RISOLETA NEVES 1. OBJETIVO O presente edital tem por objetivo incentivar projetos que visem a estimular a formação de

Leia mais

CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO GERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO

CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO GERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO GERÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO Contratação de Empresas de Consultoria para Prestação de

Leia mais

SELEÇÃO DE PROJETOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - FUNASA ANEXOS

SELEÇÃO DE PROJETOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - FUNASA ANEXOS SELEÇÃO DE PROJETOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - FUNASA ANEXOS ANEXO I PROJETO BÁSICO Identificação da instituição Proponente (Papel Timbrado) I. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE PROPONENTE: 1.1. Identificação da

Leia mais

TOMADA DE PREÇO Nº 001/2017

TOMADA DE PREÇO Nº 001/2017 TOMADA DE PREÇO Nº 001/2017 1. Contexto e Justificativa A Associação O Eco, instituição não governamental sem fins lucrativos com sede no Rio de Janeiro, cuja missão é dedicar-se a cobertura de pautas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 031, DE 07 DE MAIO DE 2015. GABINETE DO PREFEITO

PROJETO DE LEI Nº 031, DE 07 DE MAIO DE 2015. GABINETE DO PREFEITO PROJETO DE LEI Nº 031, DE 07 DE MAIO DE 2015. GABINETE DO PREFEITO Autoriza subvenção para o CONSEPRO - CONSELHO DE DEFESA E SEGURANÇA COMUNITÁRIA e dá outras providências. Art. 1º. Fica o Poder Executivo

Leia mais

FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Cuiabá/MT, 10/04/2013 1 MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 1. INTRODUÇÃO 1.1 - Recomenda-se a leitura deste manual antes de utilizar

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal - NOVOS CAMPI - 05/2006

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal - NOVOS CAMPI - 05/2006 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal - NOVOS CAMPI - 05/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA DE PESQUISA NOS NOVOS CAMPI DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS

Leia mais

Ato de autorização Portaria Ministerial nº 1009 de 11 de dezembro de 2015, publicada no D.O.U. no dia 14/12/2015.

Ato de autorização Portaria Ministerial nº 1009 de 11 de dezembro de 2015, publicada no D.O.U. no dia 14/12/2015. Edital de Aviso do Processo Seletivo 2016/1 A Faculdade do Educador Feduc, credenciada pela Portaria nº 1097 de 27 de novembro de 2015 e mantida pela Associação Projeto Nacional de Ensino PRONACE, atendendo

Leia mais

REGULAMENTO ESTUDAR NA PRÁTICA 2017

REGULAMENTO ESTUDAR NA PRÁTICA 2017 REGULAMENTO ESTUDAR NA PRÁTICA 2017 1. OBJETIVO Este instrumento (o Regulamento ) tem por objetivo regular a participação do CANDIDATO no processo de inscrição para os cursos (i) Autoconhecimento Na Prática,

Leia mais

MODELO DE PLANO DE TRABALHO PARA CONVÊNIO (COM REPASSE DE RECURSO FINANCEIRO)

MODELO DE PLANO DE TRABALHO PARA CONVÊNIO (COM REPASSE DE RECURSO FINANCEIRO) MODELO DE PLANO DE TRABALHO PARA CONVÊNIO (COM REPASSE DE RECURSO FINANCEIRO) O QUÊ? Instrumento desenvolvido com base no original desenvolvido pelo Programa Tempo de Escola/ Tempo de Sustentabilidade

Leia mais

ROTEIRO PARA REGISTRO NO CONTAS ONLINE Programa Caminho da Escola Parte I Execução Financeira Data de atualização: 21/6/2012

ROTEIRO PARA REGISTRO NO CONTAS ONLINE Programa Caminho da Escola Parte I Execução Financeira Data de atualização: 21/6/2012 1 ROTEIRO PARA REGISTRO NO CONTAS ONLINE Programa Caminho da Escola Parte I Execução Financeira Data de atualização: 21/6/2012 Introdução O material abaixo foi elaborado para orientar de forma objetiva

Leia mais

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA Gestão de Processos Tópico 4 Ferramentas de Qualidade: PDCA Sumário 1. O que é o Ciclo PDCA... 3 2. Importância do Ciclo PDCA... 3 3. Etapas do Ciclo PDCA... 3 3.1 Planejar (PLAN)... 3 3.1.1 Qual é o problema/processo

Leia mais

FUNDAÇÃO VERDE HERBERT DANIEL MANUAL OPERACIONAL DE EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS

FUNDAÇÃO VERDE HERBERT DANIEL MANUAL OPERACIONAL DE EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDAÇÃO VERDE HERBERT DANIEL MANUAL OPERACIONAL DE EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS APRESENTAÇÃO Neste manual estão às orientações sobre como proceder, desenvolver, executar a prestação de contas referente

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA - MCT

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA - MCT MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA - MCT PROGRAMA DE APOIO A NÚCLEOS DE EXCELÊNCIA EDITAL PRONEX 2003 ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS PARTE I - DADOS GERAIS PARTE II - PROJETO DE PESQUISA 2 ÍNDICE

Leia mais

Aluno do Curso de Gerenciamentos de Projetos - FIJ/Rio de Janeiro. Na atualidade competitiva profissional em Gestão de Projetos, exige-se

Aluno do Curso de Gerenciamentos de Projetos - FIJ/Rio de Janeiro. Na atualidade competitiva profissional em Gestão de Projetos, exige-se PLANEJAMENTO DE PROJETOS Mauro Lúcio Batista Cazarotti Aluno do Curso de Gerenciamentos de Projetos - FIJ/Rio de Janeiro Na atualidade competitiva profissional em Gestão de Projetos, exige-se dos profissionais

Leia mais

Capítulo 9 Metas e planos de ação

Capítulo 9 Metas e planos de ação Capítulo 9 Metas e planos de ação Objetivos de aprendizagem 1. Definir um objetivo de como você quer viver 2. Estabelecer metas para alcançar esse objetivo 3. Criar planos de ação para alcançar suas metas

Leia mais

Por isso, aqui vão algumas dicas para ajudar você a planejar a sua viagem, e fazer com que ela seja inesquecível:

Por isso, aqui vão algumas dicas para ajudar você a planejar a sua viagem, e fazer com que ela seja inesquecível: QUANTO DINHEIRO LEVAR NA MINHA VIAGEM PRA ORLANDO? Uma das principais dúvidas que surgem sobre a viagem para a Orlando é quanto dinheiro levar. Muitas pessoas não sabem ao certo quanto irão gastar com

Leia mais

PROGRAMA TREINAMENTO ACADÊMICO E INDUSTRIAL PARA CIENTISTAS BRASILEIROS, SUÍÇOS E INDIANOS (ACADEMIA INDUSTRY TRAINING - AIT) EDITAL 07/2016

PROGRAMA TREINAMENTO ACADÊMICO E INDUSTRIAL PARA CIENTISTAS BRASILEIROS, SUÍÇOS E INDIANOS (ACADEMIA INDUSTRY TRAINING - AIT) EDITAL 07/2016 1 PROGRAMA TREINAMENTO ACADÊMICO E INDUSTRIAL PARA CIENTISTAS BRASILEIROS, SUÍÇOS E INDIANOS (ACADEMIA INDUSTRY TRAINING - AIT) EDITAL 07/2016 Vitória, 2 de maio de 2016. A Secretaria de Relações Internacionais

Leia mais

Programa de Pequenos Projetos para implementação da PNGATI no Sul do Amazonas

Programa de Pequenos Projetos para implementação da PNGATI no Sul do Amazonas 1. Objetivo Este edital tem a finalidade de apoiar projetos para a implementação da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas no Sul do Estado do Amazonas, além de promover

Leia mais

D4All - Dharma for all

D4All - Dharma for all D4All - Dharma for all EDITAL # 1/2015 - Belmiro Braga, junho de 2015 EDITAL E FORMULÁRIO PARA PREENCHIMENTO I - INTRODUÇÃO II - INFORMAÇÕES SOBRE O EDITAL a) OBJETIVO b) PRAZOS c) LINHAS DE FINANCIAMENTO

Leia mais

ANEXO VI MEMÓRIA DE CÁLCULO NOME DA ENTIDADE PROPONENTE

ANEXO VI MEMÓRIA DE CÁLCULO NOME DA ENTIDADE PROPONENTE ANEXO VI MEMÓRIA CÁLCULO NOME DA ENTIDA PROPONENTE Ação Prioritária: Descrição da ação prioritária (de acordo com a Linha de Ação) META: 1 Descrição da meta (a mesma contida no PT) A T I V I D A D E S

Leia mais

REGULAMENTO VI GINCANA ESTADUAL DE ECONOMIA RIO DE JANEIRO

REGULAMENTO VI GINCANA ESTADUAL DE ECONOMIA RIO DE JANEIRO REGULAMENTO VI GINCANA ESTADUAL DE ECONOMIA RIO DE JANEIRO No dia 27 de julho de 2016, às 10:00 horas, O CORECON-RJ promoverá a VI Gincana Estadual de Economia do Rio de Janeiro, que tem como objetivo

Leia mais

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE COORDENAÇÃO DA AMAZÔNIA Coordenadoria de Agroextrativismo Programa de Apoio ao Agroextrativismo da Amazônia ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE

Leia mais

8.666/1993, Lei Complementar nº. 101/2001 (LRF) e Resolução 03/2006 TCE-PR

8.666/1993, Lei Complementar nº. 101/2001 (LRF) e Resolução 03/2006 TCE-PR O que a Entidade precisa saber antes de elaborar o Plano de Trabalho. A regulamentação das Transferências Voluntárias (descentralização de recursos públicos) no âmbito municipal se dá através do Decreto

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO

MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO DE IBIRAPUITÃ, pessoa jurídica de direito público interno,

Leia mais

Prefeitura do Município de Carapicuíba Estado de São Paulo

Prefeitura do Município de Carapicuíba Estado de São Paulo EDITAL Nº 16/2014 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Dispõe sobre abertura das inscrições de Oficineiros, previstos na Lei Municipal nº 3184 de 21 de 2013, para ministração de oficinas no Projeto JOVENS

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO PROTOCOLO DE PESQUISA

MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO PROTOCOLO DE PESQUISA MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO PROTOCOLO DE PESQUISA O QUE DEVE CONTER EM UM PROJETO DE PESQUISA: 1. FOLHA DE ROSTO (Plataforma Brasil) O preenchimento do documento é de responsabilidade do

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA FUNDAÇÃO RTVE/TV UFG 002/2013 DIA MUNDIAL DO ROCK

CHAMADA PÚBLICA FUNDAÇÃO RTVE/TV UFG 002/2013 DIA MUNDIAL DO ROCK CHAMADA PÚBLICA FUNDAÇÃO RTVE/TV UFG 002/2013 Fundação Rádio e Televisão Educativa e Cultural UFG DIA MUNDIAL DO ROCK A DIREÇÃO DA FUNDAÇÃO RTVE, A GERÊNCIA GERAL, DE IMAGEM E DE PRODUÇÃO E AS COORDENAÇÕES

Leia mais

1- FORMAÇÃO MÍNIMA 2 - EXIGÊNCIAS. 2.1. Médico Veterinário

1- FORMAÇÃO MÍNIMA 2 - EXIGÊNCIAS. 2.1. Médico Veterinário EDITAL Nº 019/2013 SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE MÉDICO VETERINÁRIO E TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL O Instituto Agropolos do Ceará, CNPJ 04.867.567/0001-10,

Leia mais

EDITAL PROGRAD Nº 29/2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA COMPOSIÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA DE BOLSAS DE SUPERVISÃO PIBID-UFAC

EDITAL PROGRAD Nº 29/2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA COMPOSIÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA DE BOLSAS DE SUPERVISÃO PIBID-UFAC EDITAL PROGRAD Nº 29/2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA COMPOSIÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA DE BOLSAS DE SUPERVISÃO PIBID-UFAC 1. APRESENTAÇÃO 1.1. A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal

Leia mais

Anexo 4. Termo de Referência do Plano de Negócios

Anexo 4. Termo de Referência do Plano de Negócios Anexo 4 Termo de Referência do Plano de Negócios I. Introdução 1.1. Este Termo de Referência tem por objetivo orientar as Proponentes na elaboração de seu Plano de Negócios, conforme definido no Edital,

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO ANEXO 1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO :: INFORMAÇÕES PRÉVIAS :: O projeto deve ser apresentado em, no máximo, 15 (quinze) páginas A4, incluindo anexos, com letra tipo Arial, tamanho 12; Todos os itens

Leia mais

EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016

EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016 EDITAL PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ANO LETIVO 2016 1 DAS INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 O presente regulamento, baseado na Lei 12.868, de 15/10/2013 e no Decreto 8242, de 26/05/2014, disciplina o processo

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1 CONCEITO Projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades inter-relacionadas e coordenadas, com o fim de alcançar objetivos específicos dentro dos

Leia mais

Como fazer o plano financeiro no plano de negócios

Como fazer o plano financeiro no plano de negócios Este conteúdo faz parte da série: Plano de Negócios Ver 7 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: Por que pensar no plano financeiro de um plano de negócios Como fazer o plano financeiro de um

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE MTC 43/2015 PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DA UNIDADE MII

EDITAL DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE MTC 43/2015 PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DA UNIDADE MII EDITAL DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE MTC 43/2015 PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DA UNIDADE MII Outubro/ 2015 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO DESTA LICITAÇÃO... 3 3. OBJETO... 3 4. FONECIMENTOS...

Leia mais

EDITAL Bolsas FAPTO/TE-PNCA - Nº 002/2011 ANEXO III. Título do Projeto: Transporte Escolar Pesquisa Nacional Custo Aluno

EDITAL Bolsas FAPTO/TE-PNCA - Nº 002/2011 ANEXO III. Título do Projeto: Transporte Escolar Pesquisa Nacional Custo Aluno EDITAL Bolsas FAPTO/TE-PNCA - Nº 002/2011 ANEXO III Título do Projeto: Transporte Escolar Pesquisa Nacional Custo Aluno Identificação do Proponente: Universidade Federal do Tocantins por meio do Núcleo

Leia mais

ABC/DTE/DEU/CJ/DAI/ 03 /ETEC-BRAS-RFA. Senhor Embaixador,

ABC/DTE/DEU/CJ/DAI/ 03 /ETEC-BRAS-RFA. Senhor Embaixador, ABC/DTE/DEU/CJ/DAI/ 03 /ETEC-BRAS-RFA. Senhor Embaixador, Tenho a honra de acusar recebimento da Nota WZ 445/ÜR/156/97, datada de 28 de fevereiro de 1997, cujo teor em português é o seguinte: Senhor Ministro,

Leia mais

Como todo bom programa de trainee, o jovem tem de passar por todas as áreas da empresa para se tornar conhecedor de todo o processo.

Como todo bom programa de trainee, o jovem tem de passar por todas as áreas da empresa para se tornar conhecedor de todo o processo. Olá amigo(a) Corretor(a) de Imóveis. Tudo bem? Depois de termos vistos os dois primeiros pilares do Corretor de Imóveis Campeão, que são automotivação e conhecimento técnico, vamos adentrar nos outros

Leia mais

ANEXO - Roteiro para elaboração dos projetos

ANEXO - Roteiro para elaboração dos projetos ANEXO - Roteiro para elaboração dos projetos Os projetos a serem apresentados deverão obedecer ao roteiro proposto. Deverão ser executados no prazo máximo de 12 (doze) meses, contados a partir da data

Leia mais

Autores. Eduardo Alencar Coordenador de Recursos Humanos. Dislaine Silva Analista de Treinamento e Desenvolvimento

Autores. Eduardo Alencar Coordenador de Recursos Humanos. Dislaine Silva Analista de Treinamento e Desenvolvimento Autores Eduardo Alencar Coordenador de Recursos Humanos Dislaine Silva Analista de Treinamento e Desenvolvimento Leandro Furlani Assistente de Recrutamento e Seleção SOBRE O GRUPO KSI BRASIL A KSI Brasil

Leia mais

Incluir TODAS as despesas previstas, inclusive aquelas destinadas a eventos de lançamento e divulgação (banners, coquetel, cartazes etc.

Incluir TODAS as despesas previstas, inclusive aquelas destinadas a eventos de lançamento e divulgação (banners, coquetel, cartazes etc. 10. Orçamento 10. ORÇAMENTO CAMPO DESCRIÇÃO DESCRIÇÃO Descreva, de forma clara, quais os itens de despesa previstos no projeto, inclusive impostos previstos em lei. Incluir TODAS as despesas previstas,

Leia mais

ÁREA DO PESQUISADOR Cadastro/ Criação de Propostas

ÁREA DO PESQUISADOR Cadastro/ Criação de Propostas MANUAL DO SISTEMA SIGFAPES ÁREA DO PESQUISADOR Cadastro/ Criação de Propostas 1 1 ACESSO AO SISTEMA 1.1 Primeiro contato Acesse http://www.sigfapes.es.gov.br 1. Login Se possuir cadastro: 1..1 Informe

Leia mais

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MANUAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Prof. Dr. Ari Melo Mariano Prof. a Dr. a Fernanda Vinhaes de Lima Prof. a Dr. a Mara Lúcia Castilho Olívia Laquis de Moraes Clara Coelho Paranhos

Leia mais

Films from Rio 2016/2017. (RioMarket / Ventana Sur / Marché du Film) REGULAMENTO

Films from Rio 2016/2017. (RioMarket / Ventana Sur / Marché du Film) REGULAMENTO Films from Rio 2016/2017 (RioMarket / Ventana Sur / Marché du Film) REGULAMENTO 1 - O Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual, com sede à Rua Santa Luzia no 685, 8º andar, Centro - Rio de Janeiro/RJ,

Leia mais

Orientações para a Elaboração da Proposta Orçamentária

Orientações para a Elaboração da Proposta Orçamentária Orientações para a Elaboração da Proposta Orçamentária Orientações para a Elaboração da Proposta Orçamentária do PROEXT 2016/MEC/SESu Orçamento: A elaboração do orçamento é um processo que deve ser iniciado

Leia mais

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2014 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através de concurso, vai conceder apoio à organização

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PAUTA PARA USO DE EQUIPAMENTO EM REGIME DE CO-PRODUÇÃO

EDITAL DE SELEÇÃO DE PAUTA PARA USO DE EQUIPAMENTO EM REGIME DE CO-PRODUÇÃO SECRETARIA MUNIC CULTURA DE FORTALEZA EDITAL DE SELEÇÃO DE PAUTA PARA USO DE EQUIPAMENTO EM REGIME DE CO-PRODUÇÃO A SECRETARIA MUNIC CULTURA DE FORTALEZA SECULTFOR, por intermédio do NÚCLEO DE PRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES Este regulamento contém as regras aplicáveis ao Hackathon Kimberly-Clark Edição Huggies ( Evento ), promovida pela KIMBERLY-CLARK BRASIL INDÚSTRIA E

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PINHEIRO ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PINHEIRO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL DE CONVITE Nº 006/2013 processo nº 103/13 TIPO: MENOR PREÇO GLOBAL RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS: 11/07/2013 até às 09h30. ABERTURA E JULGAMENTO: 11/07/2013 às 10h00. A Comissão Permanente de Licitação

Leia mais

DO SEU NEGÓCIO! SEJAM BEM VINDAS! Eloiza Moreira Diretora Executiva Mary Kay

DO SEU NEGÓCIO! SEJAM BEM VINDAS! Eloiza Moreira Diretora Executiva Mary Kay A Treinamento SAÚDE FINANCEIRA on line DO SEU NEGÓCIO! SEJAM BEM VINDAS! Eloiza Moreira Diretora Executiva Mary Kay O que você Deseja? Com o que você Sonha? Você sonha em comer um brigadeiro ou apenas

Leia mais

REGULAMENTO DO OBJETIVO

REGULAMENTO DO OBJETIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE DMA CONCURSO MUNICIPAL DE FOTOGRAFIA DE ÁRVORES NATIVAS BRASILEIRAS NO MUNICÍPIO DE SAPIRANGA DO OBJETIVO, DAS

Leia mais

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO JOÃO DOS PATOS DIRETORIA GERAL NÚCLEO DE ASSISTENCIA AO EDUCANDO SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA

Leia mais

Primeira viagem de avião

Primeira viagem de avião Primeira viagem de avião acessoriaviagem.com.br Primeira viagem de avião PRÉ VIAGEM Para quem vai viajar de avião pela primeira vez, existe uma cerca insegurança de como tudo funciona, então separamos

Leia mais

Como acertar na contratação do consultor de TI

Como acertar na contratação do consultor de TI Como acertar na contratação do consultor de TI Esse profissional especializado normalmente atua com prazos custos e por isso é imperativo localizar o perfil adequado. A contratação de um consultor de TI

Leia mais

EDITAL I - 2014 ISPN/ FUNAI SELEÇÃO DE PARTICIPANTES

EDITAL I - 2014 ISPN/ FUNAI SELEÇÃO DE PARTICIPANTES EDITAL I - 2014 ISPN/ FUNAI SELEÇÃO DE PARTICIPANTES CURSO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS COM ÊNFASE EM DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Apresentação O projeto Captação de Projetos de Temática

Leia mais

Carta de Autorização outra instituição

Carta de Autorização outra instituição Modelos Carta de Autorização outra instituição (TIMBRE DO LOCAL DA PESQUISA) (cidade), de de 2010. Ao: Comitê de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres Humanos MULTIVIX Vitória At. Coordenação do CEP Eu, (NOME

Leia mais

Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina

Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina Especialista em Gestão de Pessoas Especialista em Gestão e Organização Pública Especialista em Qualidade e Produtividade no Setor Público

Leia mais

II FORMULÁRIO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE VOLTADOS A PROJETOS DE RESPOSTA A AMEAÇAS IMEDIATAS

II FORMULÁRIO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE VOLTADOS A PROJETOS DE RESPOSTA A AMEAÇAS IMEDIATAS II FORMULÁRIO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE VOLTADOS A PROJETOS DE RESPOSTA A AMEAÇAS IMEDIATAS Com o objetivo de auxiliar no preenchimento deste documento de Manifestação de Interesse, o Centro de Agricultura

Leia mais

PROGRAMA TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO TÉCNICA TCT

PROGRAMA TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO TÉCNICA TCT EDITAL FAPERJ N.º 08/2007 PROGRAMA TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO TÉCNICA TCT O Governo do Estado do Rio de Janeiro, por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, através da Fundação Carlos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL 2013. Edital Nº 016/2013

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL 2013. Edital Nº 016/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS TIMON DIRETORIA GERAL NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA AO EDUCANDO/SERVIÇO SOCIAL PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE

Leia mais

Entre 28 e 31/12/2013

Entre 28 e 31/12/2013 Entre 28 e 31/12/2013 JF LIQUIDA R$ 414 MILHÕES DO ORÇAMENTO Com base em dados fornecidos pela Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados e Prodasen a partir do SIAFI/STN, foi elaborado o presente

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

EDITAL FAPERGS n. 013/2011 PESQUISADOR NA EMPRESA

EDITAL FAPERGS n. 013/2011 PESQUISADOR NA EMPRESA EDITAL FAPERGS n. 013/2011 PESQUISADOR NA EMPRESA A FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - FAPERGS torna público o presente Edital, aos interessados em participar do PROGRAMA PESQUISADOR

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2017. Seleção de Empresas para o Projeto Desenvolver as Indústrias de produtos Orgânicos do Estado do Rio Grande do Sul

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2017. Seleção de Empresas para o Projeto Desenvolver as Indústrias de produtos Orgânicos do Estado do Rio Grande do Sul CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2017 Seleção de Empresas para o Projeto Desenvolver as Indústrias de produtos Orgânicos do Estado do Rio Grande do Sul Porto Alegre 2017 2 PREÂMBULO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS

Leia mais

Administração Financeira. Quem não sabe administrar tostões, não saberá administrar milhões.

Administração Financeira. Quem não sabe administrar tostões, não saberá administrar milhões. Administração Financeira Quem não sabe administrar tostões, não saberá administrar milhões. PALAVRAS INICIAIS MATERIAIS ESSENCIAIS Primeiro Passo: Controle Suas Despesas! Tenha um Orçamento. Lance suas

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 06/2017. Seleção de Empresas para o Projeto Bebidas Premium RS SEBRAE/RS 2017

CHAMADA PÚBLICA Nº 06/2017. Seleção de Empresas para o Projeto Bebidas Premium RS SEBRAE/RS 2017 CHAMADA PÚBLICA Nº 06/2017 Seleção de Empresas para o Projeto Bebidas Premium RS SEBRAE/RS 2017 Porto Alegre 2017 2 PREÂMBULO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Leia mais

O BANCO DE DADOS. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados

O BANCO DE DADOS. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados Esta publicação é um produto do Banco de Dados que o Programa Gestão Pública e Cidadania vem construindo desde 1996 a fim de reunir informações sobre os programas inscritos em todos os ciclos de premiação.

Leia mais

Caso tenha alguma dificuldade nesta etapa, procure um técnico de informática para auxiliá-lo.

Caso tenha alguma dificuldade nesta etapa, procure um técnico de informática para auxiliá-lo. Preenchimento da SEFIP para gerar a GFIP e imprimir as guias do INSS e FGTS Você, Microempreendedor Individual que possui empregado, precisa preencher a SEFIP, gerar a GFIP e pagar a guia do FGTS até o

Leia mais

Método de Análise e Solução de Problemas PROGRAMA DE QUALIDADE USP. Tópicos principais: MÉTODO PDCA. 1 Método PDCA para gerenciamento de melhorias.

Método de Análise e Solução de Problemas PROGRAMA DE QUALIDADE USP. Tópicos principais: MÉTODO PDCA. 1 Método PDCA para gerenciamento de melhorias. Método de Análise e Solução de Problemas PROGRAMA DE QUALIDADE USP Ano 2006 Prof. Jésus L. Gomes Tópicos principais: 1 Método PDCA para gerenciamento de melhorias. 2 Abordagem para identificação de problemas

Leia mais

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Endereço Completo Inscrição Telefone Email Representante Legal

Leia mais

Convite à apresentação de propostas de iniciativas ou projetos a integrar na Plataforma eletrónica da Campanha Juntos contra a Fome!

Convite à apresentação de propostas de iniciativas ou projetos a integrar na Plataforma eletrónica da Campanha Juntos contra a Fome! Convite à apresentação de propostas de iniciativas ou projetos a integrar na Plataforma eletrónica da Campanha Juntos contra a Fome! Anexo - 1 Modelo para a apresentação de proposta de iniciativa ou projeto

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO MANUAL DE PREENCHIMENTO

PROPOSTA DE PROJETO MANUAL DE PREENCHIMENTO PROPOSTA DE PROJETO MANUAL DE PREENCHIMENTO Cuiabá, 26 de julho de 2005 01-Proposta de Projeto.doc Instruções para Preenchimento dos Formulários do Projeto Este documento deve ser utilizado como referência

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LOCAÇÃO DE STAND PARA O LATINIDADES FESTIVAL DA MULHER AFRO LATINO AMERICANA E CARIBENHA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LOCAÇÃO DE STAND PARA O LATINIDADES FESTIVAL DA MULHER AFRO LATINO AMERICANA E CARIBENHA TERMO DE REFERÊNCIA PARA LOCAÇÃO DE STAND PARA O LATINIDADES FESTIVAL DA MULHER AFRO LATINO AMERICANA E CARIBENHA Prezadas (os) Senhoras e Senhores, Brasília, 08 de novembro de 2011. A ONU Mulheres Brasil

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA A INCUBADORA ÌCARUS DE INOVAÇÕES DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - CÂMPUS CURITIBA (IUT/UTFPR-CT)

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA A INCUBADORA ÌCARUS DE INOVAÇÕES DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - CÂMPUS CURITIBA (IUT/UTFPR-CT) EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA A INCUBADORA ÌCARUS DE INOVAÇÕES DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - CÂMPUS CURITIBA (IUT/UTFPR-CT) EDITAL PROEM 02/2017 1- DA INCUBADORA ÍCARUS DE INOVAÇÕES

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO EDITAL DE PESQUISA CPEX-CB Nº 02, DE 07 NOVEMBRO DE 2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE BOLSAS DE

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA PLANO DE TRABALHO

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA, DEFESA E CIDADANIA PLANO DE TRABALHO 4 PLANO DE TRABALHO 1 - DADOS CADASTRAIS - PROPONENTE Órgão/Entidade Proponente GOVERNO DO ESTADO DE RONDONIA ENDEREÇO Palácio Getúlio Vargas Rua Dom Pedro II, s/nº, Centro CNPJ 00.394.585/0001-71 Cidade

Leia mais

MANUAL HAE - WEB MANUAL WEB HAE

MANUAL HAE - WEB MANUAL WEB HAE MANUAL HAE - WEB MANUAL WEB HAE PROJETO HAE - WEB www.cpscetec.com.br/hae *NÃO DEVERÃO ser lançados os projetos de Coordenação de Curso, Responsável por Laboratório, Coordenação de Projetos Responsável

Leia mais

PROJETO SOCIAL EDUCAÇÃO E CIDADANIA PARA TODOS.

PROJETO SOCIAL EDUCAÇÃO E CIDADANIA PARA TODOS. ESADE ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO, DIREITO E ECONOMIA. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESPONSABILIDADE SOCIAL PROJETO SOCIAL EDUCAÇÃO E CIDADANIA PARA TODOS. Profª. Ana Elisa Pascottini. MARIA IANE CAMARGO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2012.

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2012. Arco Mato Grande EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2012. A Agência Regional de Comercialização do Mato Grande - ARCO Mato Grande, CNPJ Nº 06.070.787/0001-44, com Sede no Projeto de Assentamento Rosário, Agrovila

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUIS SEMGOP ANEXO III ROTEIRO PARA CONSTRUÇÃO DO PROJETO TÉCNICO. 1. NOME DA ENTIDADE PROPONENTE: (Nome completo, sem abreviaturas)

PREFEITURA DE SÃO LUIS SEMGOP ANEXO III ROTEIRO PARA CONSTRUÇÃO DO PROJETO TÉCNICO. 1. NOME DA ENTIDADE PROPONENTE: (Nome completo, sem abreviaturas) ANEXO III ROTEIRO PARA CONSTRUÇÃO DO PROJETO TÉCNICO 1. NOME DA ENTIDADE PROPONENTE: (Nome completo, sem abreviaturas) 2. CNPJ: 3. ENDERECO (RUA, NÚMERO, BAIRRO, CEP, CIDADE, UF) 4. NOME DO RESPONSÁVEL/

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PROJETO

DESCRIÇÃO DO PROJETO DESCRIÇÃO DO PROJETO I. NÚMERO DE CADASTRO DO PROPONENTE (login) 02SP008402007 Proponente: LIGA ESPORTIVA UNIVERSITÁRIA PAULISTA CNPJ: 07.263.223/0001-90 Endereço: AV. GOIÁS, 3400 Telefone(DDD): (11)4226-8317

Leia mais

CPUP - CENTRO DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE POSITIVO PESQUISA BÁSICA E APLICADA CHAMADA DE PROJETOS. EDITAL Nº 001 de 21/09/2016

CPUP - CENTRO DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE POSITIVO PESQUISA BÁSICA E APLICADA CHAMADA DE PROJETOS. EDITAL Nº 001 de 21/09/2016 CPUP - CENTRO DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE POSITIVO PESQUISA BÁSICA E APLICADA CHAMADA DE PROJETOS EDITAL Nº 001 de 21/09/2016 Art. 1 o A Coordenação Científica do Centro de Pesquisa da Universidade Positivo

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA CELEBRAÇÃO DE CARTA ACORDO

MATERIAL DE APOIO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA CELEBRAÇÃO DE CARTA ACORDO MATERIAL DE APOIO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA CELEBRAÇÃO DE CARTA ACORDO A nossa ideia de projeto é que ele sirva para embasar e orientar um roteiro de trabalho compartilhado de um grupo, sendo muito

Leia mais

Por que vender lingerie?

Por que vender lingerie? REVENDA LINGERIE Por que vender lingerie? Lingerie é universal! Todas as mulheres usam! Pode fazer você se encontrar com suas amigas e familiares para compartilhar de um motivo em comum, adorado por todas:

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA FORNECEDORA DE SERVIÇOS DE INTERNET PARA TODAS AS SECRETARIAS MUNICIPAIS. São João da Urtiga, 20 de janeiro de 2016.

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA FORNECEDORA DE SERVIÇOS DE INTERNET PARA TODAS AS SECRETARIAS MUNICIPAIS. São João da Urtiga, 20 de janeiro de 2016. Exmo. Sr. Prefeito Municipal de São João da Urtiga RS A Secretaria Municipal de Administração através de sua Secretária, abaixo assinado, vem à presença de Vossa Senhoria requerer que sejam tomadas as

Leia mais

DEFICIÊNCIA E EMPREGO Vinte e quatro anos depois da criação da lei de cotas, número de empregos ainda é relativamente baixo

DEFICIÊNCIA E EMPREGO Vinte e quatro anos depois da criação da lei de cotas, número de empregos ainda é relativamente baixo Setembro 2015 DEFICIÊNCIA E EMPREGO Vinte e quatro anos depois da criação da lei de cotas, número de empregos ainda é relativamente baixo Pelo menos uma em cada cinco pessoas no país, ou mais de 45 milhões

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS DE URUAÇU-GO.

EDITAL DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS DE URUAÇU-GO. CHAMAMENTO PÚBLICO EDITAL Nº 001-2016 EDITAL DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS DE URUAÇU-GO. 1. DO OBJETIVO A SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

1.1. O processo seletivo será coordenado pela comissão Coordenadora do CECANE UFV (Centro

1.1. O processo seletivo será coordenado pela comissão Coordenadora do CECANE UFV (Centro UFV PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ASSESSOR TÉCNICO CECANE UFV 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1. O processo seletivo será coordenado pela comissão Coordenadora do CECANE UFV (Centro Colaborador em Alimentação

Leia mais