Sensing Spaces: Architecture Reimagined A Exposição de Arquitetura em Amanda Saba Ruggiero

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sensing Spaces: Architecture Reimagined A Exposição de Arquitetura em 2014. Amanda Saba Ruggiero"

Transcrição

1 Sensing Spaces: Architecture Reimagined A Exposição de Arquitetura em 2014 Amanda Saba Ruggiero

2 Ana Neiva Sensing Spaces: Architecture Reimagined A Exposição de Arquitetura em 2014 Ana Neiva Arquitecta, pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, em 2007, é actualmente assistente convidada da UC de História da Arq. Antiga e Medieval, na mesma instituição. Desenvolve investigação de Doutoramento intitulada Curadoria de Arquitetura Contemporânea. Portugal fora (e dentro) de Portugal, na FAUP. Em paralelo, tem desenvolvido, individualmente e em colaboração, atividade pratica profissional. É jurada do Concurso Madrid Digital Arts Museum Competition. Resumo Na senda do repto lançado pelo IV Seminário Internacional de Museografia e Arquitetura de Museus, pela celebração do centenário de nascimento de Lina Bo Bardi e Lygia Martins Costa, propomos um pequeno contributo à discussão da experimentação museográfica contemporânea realizada especialmente no âmbito da Exposição de Arquitetura. Partindo de duas exposições produzidas e desenhadas por Lina Bo Bardi para o SESC Pompeia Mil brinquedos para a criança brasileira (1982/83) e Entreato para crianças de 1985 procuraremos refletir sobre a recente exposição Sensing Spaces: Architecture Reimagined, patente na Royal Academy of Arts, em Londres, entre 25 de Janeiro e 06 de Abril de A valorização da experiência espacial e o caráter lúdico e interativo que estas exposições encerram é o paralelismo primeiro e mais evidente entre os dois trabalhos de Lina e a exposição que nos propomos escalpelizar. Utilizaremos estes último caso para refletir sobre a relação entre a arquitetura como conteúdo, e a arquitetura do contentor: binómio que não é estranho à condição de Lina nas intervenções referidas. Simultaneamente discutir-se-á a dimensão cultural, em particular evidência nesta última exposição, procurando avaliar os diferentes entendimentos propostas / recepção crítica dos trabalhos apresentadas, relacionando Cultura e Exposições, conexão incontornável na análise que construímos. In the sequence of the change presented by the VI Museology and Museum Architecture International Seminar, celebrating the centenary of the birth of Lina Bo Bardi and Lygia Martins Costa, 2

3 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 we propose a humble contribution to the discussion of experimentation on modern museology held with special focus on architecture exhibition. Abstract Starting from the two exhibitions produced by Lina Bo Bardi for SESC Pompeia Mil brinquedos para a criança brasileira (1982/83) and Entreato para crianças in 1985 as base points, we will study the recent exhibition Sensing Spaces: Architecture Reimagined, held in the Royal Academy of Arts in London, from the 25th of January to Abril 6th, The value of spatial experience and its interactiveness, as well as ludic aspect of these exhibitions is the most evident and primer parallel between the two Lina Bo Bardi s works and the exhibition we propose to scalp. We will approach these last cases to reflect about the relation between architecture as content and architecture as container: this binomial isn t a strange concept in the mentioned interventions from Bo Bardi. Simultaneously, we will discuss its cultural dimension, and by focusing on this last exhibition, we will seek different perspectives/considerations proposals/critic reception - of the presented works, relating Culture and Exhibitions, which is a unavoidable relationship in our analysis. Metodologia Tomando como central o catálogo da exposição Sensing Spaces: Architecture Reimagined onde encontramos o texto introdutório de Kate Goodwin Curator s Preface, e uma série muito interessante de entrevistas conduzidas pela curadora aos arquitetos participantes, será possível estabelecer relações de proximidade e confronto entre as posições dos sete intervenientes sobre o modo como se expõe arquitetura, a pertinência deste tipo de instalações espaciais, a relação da experiência sensorial com a produção de espaços, etc., trazendo alguma luz a este já longo debate. É neste contexto, controverso, de personagens e posicionamentos divergentes, onde se jogam e se discutem soluções alternativas para os mesmos problemas 1, que procuraremos pesar as razões envolvidas, numa ambiciosa tentativa de formular uma síntese 2 e trazer alguma luz a esta discussão. Partimos das considerações de Paulo Tunhas, na leitura de Fernando Gil, sobre o 1 GIL. Fernando, Mimésis e negação, Lisboa: IN/CM, 1984, p.462 apud TUNHAS, Paulo, Fernando Gil e a controvérsia. Revista Portuguesa de História do Livro e da Edição Ano X, nº19, 2006, p Idem, p

4 Ana Neiva problema da controvérsia, na legitimação do seu contributo não contingente, mas estrutural para a construção do conhecimento 3. Deste modo, identificámos como matéria de análise, além do catálogo já referido, os conteúdos veiculados na imprensa escrita e digital, dentro e fora de portas, que escalpelizaremos do seguinte modo: as notícias produzidas pelo jornalismo associado a publicações generalistas, os artigos de opinião e/ou crítica contidos nas publicações generalistas já apontadas e os textos críticos disciplinares disponíveis em publicações especializadas. A natureza (nacionalidade, formação ou atividade profissional) dos seus autores arquitetos, curadores e críticos de arte, possibilitará desdobrar os vários enfoques sobre o problema, particularmente neste caso em que se identifica uma expressiva diferenciação cultural dos agentes envolvidos. Sensing Spaces and How to Reimagine Architecture Produzida pela curadora Kate Goodwin, a exposição Sensing Spaces: Architecture Reimagined, reúne um conjunto de sete arquitetos do circuito internacional alargado, que embora não sejam representação exaustiva de todos os continentes, aportam consideráveis diferenças culturais que reforçam a diversidade das propostas apresentadas. Do Oriente Asiático chegam Kengo Kuma (Japão) e Li Xiadong (China) e da América do Sul os chilenos Pezo von Ellrichshausem. De África, mais concretamente do Burkina Faso, Diébédo Francis Kéré; ficando a Europa representada por quatro arquitetos: da Irlanda, a dupla Grafton Architects e de Portugal, os Pritzkers, Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto de Moura. A intenção da exposição é clara, tal como é postulado por Christophe Le Brun, presidente do Royal Academy of Arts, no texto que abre o catálogo: redefinir o que é que uma exposição de arquitetura pode ser (...) oferecendo aos visitantes a oportunidade de se envolverem diretamente com a arquitetura, experienciando-a através dos seus corpos e sentidos 4. Este ponto de partida é reforçado no Prefácio da curadora Kate Goodwin onde se acentua o propósito de questionar a capacidade que uma exposição de arquitetura poderá ter no realce das sensações de se habitar um espaço construído 5, indo além da consideração da componente puramente visual e da resolução das questões funcionais, elementos dominantes na disciplina. Além deste envolvimento com os visitantes, Goodwin espera que esta exposição 3 A primacial justificação da controvérsia reside no seu contributo não contingente, mas estrutural para a construção do conhecimento. Idem, p LE BRUN, Christophe President s Foreword, in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p GOODWIN, Kate Curator s Preface, Ibidem, p

5 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 possa, permitir-nos encontrar mais prazer nos espaços que habitamos e quiçá aumentar a nossa consciência do domínio sensorial da arquitetura e, assim, incentivar a criação de ambientes construídos mais gratificantes 6. Daqui se depreende uma vontade de alcançar um público alargado, através da valorização da experiência e, simultaneamente, contribuir para a discussão e problematização intradisciplinar. Fleur Watson, no seu artigo Beyond Art, The Challenge of Exhibiting Architecture 7, estabelece três estratégias curatoriais que permitem resumir as principais tendências verificadas nas práticas expositivas em arquitetura: Record, Research, Reflect. Não estamos, evidentemente, na presença de um exemplo que proponha Registar (Record) um determinado percurso autoral (individual ou coletivo), ou fixar uma determinada realidade específica, com o objetivo de construir história. Assinalamos, pelo contrário, uma vontade de construir conhecimento, futuro, numa atitude Investigativa (Research), e que parte precisamente do testar de ambientes físicos, construídos, a partir da produção de instalações. Aqui, a discussão disciplinar faz-se à ilharga de questões económicas, sociais ou políticas, debruçando-se particularmente sobre o valor cultural [da arquitetura] e a capacidade [desta] oferecer a possibilidade de uma experiência transcendental 8. Esta experimentação não pode deixar de ser considerada Reflexiva (Reflect) já que convoca um conjunto de arquitetos em torno de um mesmo tema o que, de certo modo, é também o propulsor deste ensaio pela possibilidade de avaliar as contaminações, paralelismos e confrontos das várias respostas. Sensing Spaces é, independentemente das repostas que viriam a dadas, um momento relevante na história das exposições de arquitetura, pela proposição que lhe está na origem. De facto, e apesar de se poder considerar já um século de exposições de Arquitetura tem-se assistdo a uma lenta evolução, particularmente em comparação com o campo da Arte. A passagem do caráter estrito de contentor para uma posição de conteúdo é um território em permanente exploração que questiona continuamente o problema da representação versus a necessidade sine qua non da experiência, em Arquitetura. Esta exposição, em 2014, não sendo absolutamente vanguardista no formato instalação é pioneira em alguns aspetos relevantes. 6 Idem, Ibidem. 7 WATSON. Fleur, Beyond Art, The Challenge of Exhibiting Architecture, disponível em consultado a 01 de Julho de LE BRUN, Christophe, Ibidem. 5

6 Ana Neiva Voltemos um pouco atrás, recuperando outros antecedentes deste tipo de discurso: em 1997, Daniel Libeskind instala a sua exposição monográfica Beyond the Wall 26.36º nas galerias do NAi Netherlands Architecture Institute [Figura.1]. Figura.1 Beyond the Wall 26,36º, Daniel Libeskind (http://static.nai.nl/libeskind/, consultado a 06 de Agosto de 14) A partir de um labirinto que ocupa e altera dramaticamente o hall de entrada do museu, os visitantes são encaminhados em direção às peças expostas ao longo das novas e reconfiguradas, paredes metálicos. A grande diferença passa, aqui, pela redefinição da envolvente em que os ortodoxos instrumentos de representação da arquitetura desenhos, maquetas, processo... são apresentados 9. As paredes brancas e não neutras do museu, são substituídas pela própria concepção espacial do autor o que alterará a legibilidade dos objetos expostos, contextualizando-os e, acreditamos nós, gerando um superior nível de atenção da experiência expositiva. O processo experimental associado a estas intervenções está igualmente presente em exemplos como os pavilhões temporários, presença constante em exposições internacionais de âmbito temático alargado, ou em ações mais específicas como The Serpentine Pavilion, em Londres, desde 2000, que patenteia o exemplo mais relevante deste formato. De facto, neste caso a experiência espacial continua a ser o principal, senão exclusivo, impulso. A exploração laboratorial de aspetos espaciais, formais ou concetuais é fomentada a partir do convite realizado por reconhecidos curadores a arquitetos mundialmente aclamados, que continuamente pressionam os limites da prática arquitetónica e que ainda não tiveram oportunidade de construir um edifício em Inglaterra Wandering through the corridors and paths of this labyrinth the visitor will come across models and drawings, which with the exhibition design itself will give an insight into the way of thinking and working of one of the major architects of the present international avantgarde in consultado a 01 de Julho de architects worldwide acclaim, who continue to press the boundaries of architectural practice and have not completed a building in England at the time of the Gallery s invitation, consultado a 01 de Julho de

7 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 O caráter experimental e investigativo da proposta da Royal Academy encontra-se aqui igualmente presente, porém com diferenças que podem ser relevantes. Por um lado, o contexto em que tem lugar o Hide Park na proximidade à centenária Serpentine Gallery muito diferente do isolamento das galerias de um museu, por outro, a simultaneidade que uma mostra coletiva garante, permite uma discussão tendencialmente mais densa e reflexiva, que uma sequência anual como a que a Serpentine oferece. And the nominees are... A exposição coletiva de Goodwin convoca sete arquitetos de proveniências distintas, definindo uma matriz que coloca o core da exposição a partir da interação de tês fatores: a natureza física dos espaços, a nossa percepção sobre eles e a sua capacidade evocativa 11. Os seus diferentes entendimentos sobre o modo como a arquitetura pode ir além das preocupações práticas e funcionais, alcançando o espírito humano 12, são explorados a partir das questões levantadas entre os limites entre Arte e Arquitetura, [e] as qualidades humanas do espaço 13 e postos em relação. Deste modo, surgem instalações que se alinham entre propostas objetuais de filiação escultórica -, evocativas e mais simbólicas, e outras que partem do exacerbar de determinados efeitos espaciais ou de releituras do espaço onde se inserem, testando continuamente a interação entre o construído e os visitantes. A partir do hall octogonal da Burlington House, e sem uma sequência de espaços prédeterminada, os visitantes experienciam as diferentes instalações que lhes colocam desafios profundamente variados. A ligação ao espaço da galeria é evidente em todas as propostas. Os projetos são pensados in-situ na relação com as preocupações dominantes no modo de pensar destes arquitetos. Kengo Kuma e Li Xiaodong procuram destacar o lado sensitivo, de tradição cultural oriental, onde o olfato e o tacto são trazidos a uma consciência experiencial maior. Reduzindo a luminosidade ao mínimo, encaminhando os visitantes entre duas salas de aromas libertados por uma leve estrutura de bambu, Kuma [Figura 2] procura mostrar que a arquitetura não é apenas sobre experiência física 11 GOODWIN, Kate, Ibidem. 12 Idem, Ibidem. 13 their work raises intriguing questions about the boundaries between art and architecture, the human qualities of space, traduzido livremente de LE BRUN, Christophe President s Foreword, in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p.33. 7

8 Ana Neiva e efeitos visuais, colocando os outros sentidos em segundo plano 14, e entende esta exposição como uma oportunidade para gerar novas tendências de projeto que façam a arquitetura entrar num modo mais sensual 15. Do mesmo modo Xiaodong [Figura 3] coloca o ênfase no modo como ativamos a consciência da experiência corporal, tornando os sentidos alerta. Figura 2 Instalação de Kengo Kuma (http://www.metalocus.es/content/en/system/files/file-images/metalocus_kengo- Kuma1_09_1024.jpg, consultado a ) Figura. 3 Instalação de Li Xiadong (http://happyfamousartists.com/wordpress/wp-content/uploads/2014/01/sensing- Spaces.jpg, consultado a ) we should be able to show that architecture is no longer just about physical presence and visual effects with other senses as secondary elements. Exhibitions can provide opportunities to hint at the new tide for design and i predict that architecture will soon move into a more sensual mode traduzido livremente de KUMA, Kengo, Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p we should be able to show that architecture is no longer just about physical presence and visual effects with other senses as secondary elements. Exhibitions can provide opportunities to hint at the new tide for design and i predict that architecture will soon move into a more sensual mode traduzido livremente de KUMA, Kengo, Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p

9 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 Numa proposição contrastante encontramos a proposta dos Grafton Architects, [Figura 4] que explora fundamentalmente a manipulação da luz e da sombra, procurando ativar imaginação e memória e instalando mecanismos capazes de amplificar a variação natural da luz por oposição ao segundo espaço onde a matéria e a gravidade são exploradas numa atitude de escavação contrastantes com a suspensão dos leves painéis do primeiro espaço. Para a dupla de arquitetas irlandesas, Sensing Spaces é uma chance de descrever uma experiência espacial utilizando luz, em vez de palavras 16. Figura 4 Instalação, em duas salas, de Grafton Architects (http://www.beonliest.com/magazine/wp-content/uploads/2014/ 03/ss68.jpg e consultado a ) Vinda do outro lado do atlântico, outra dupla coloca a sua intervenção ao fundo de uma das maiores galerias do museu. Aqui o espaço é lido diferentemente e articula-se, numa mesma peça tal como definido pelos arquitetos. A ambiguidade de um objeto de grande escala, colocado autonomamente no espaço, sem sugerir atravessamento, numa primeira leitura, fazem com que a proposta dos arquitetos chilenos, Pezo von Ellrichshausem [Figura 5], possa ser vista como a mais intrigante. As dualidades exploradas em muitas das salas da exposição, utilizando o contraste como meio de colocar em evidência as diferenças, aqui são interpretadas em corte e implicam a experimentação do objeto para que sejam compreendidas. Através do interior dos quatro grandes pilares que suportam a plataforma quadrangular superior, é possível subir-se ao nível superior do objeto e a partir daí ter uma visão completamente diferente do espaço da galeria. 16 GRAFTON Architects, Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p

10 Ana Neiva As considerações sensoriais, em exploração noutras propostas, como o tacto ou o olfato, são aqui traduzidas pela consciência corporal da subida, realizada num espaço confinado e preenchido pelo intenso odor a madeira que constrói o objeto e que agudiza o suspense para o novo ponto de vista que se terá no final do percurso. Figura 5 Instalação de Pezo von Ellrichshausem (http://image.digitalinsightresearch.in/uploads/imagelibrary/designcurial/sspve072.jpg, consultado a ) O objeto um statement em si mesmo, algo mais próximo da arte do que da ciência ou da tecnologia, na verdade, a sua proposta ambiciona trazer gravidade como um facto arquitetónico, produzir sensações de quietude e nostalgia, na crença de que um edifício é simultaneamente uma construção física e intelectual, através de uma gramática formal que não reconhece referências diretas e que tem como último objetivo uma ideia de intemporalidade 17. Outro manifesto resultante de uma preocupação simbólica maior, do que a mera experienciação sinestésica, será a proposta participada de Diébédo Francis Kéré [fig.6], arquiteto sediado em Berlim e natural do Burkina Faso onde desenvolve grande parte da sua prática arquitetónica. Kéré valoriza o tacto enquanto sensor que se prende com um sentido de substância e confiança e a Arquitetura enquanto espaço de encontro e partilha onde o primordial é o utilizador. O que é suposto acontecer neste espaço? Como posso responder às necessidades dos utilizadores? 18 são as questões que fundamentam as suas propostas arquitetónicas. No RA, propõe uma estrutura que é simultaneamente uma alusão à arquitetura participada, completada através da interação dos 17 PEZO VON ELLRICHSAUSEN, Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p KÉRÉ, Diébédo Francis Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p

11 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 utilizadores, plus uma oportunidade para testar novos materiais. A referência cultural trazida pelo material utilizado, plástico é outro dos dados surpreendentes desta proposta. Para um arquiteto com uma paleta de materiais autóctones dos espaços onde atua, tendencialmente naturais, o shift que a opção pelo plástico permite, gera um integração que vai além de uma proposta site-specific, na forma, para propor uma interpretação profundamente simbólica. Figura 6 Instalação de Diébédo Francis Kéré (http://www.notanottinghillmum.co.uk/wp-content/uploads/2014/02/img_2691.jpg, consultado a ) Os arquitetos portugueses são entre todos, os mais objetuais, não representando por isso um despreendimento do sítio em que intervêm. A partir de elementos fundamentais da construção vão e coluna - Álvaro Siza e Souto de Moura parecem, ironicamente, em linha com o proposto por Koolhas na edição da Bienal de Arquitetura de Veneza deste ano. A capacidade de reinterpretação do sítio, tão caraterística da nossa especificidade arquitetónica verifica-se aqui de um duplo modo. Souto de Moura [Figura 7], replica dois dos vãos interiores do museu introduzindo uma nova direccionalidade provocada pela rotação; evidencia a pré-existência ao duplica-la e atribui-lhe um sentido contemporâneo ao questionar o material em que se constrói. Mais poético e interpretativo do que à primeira vista pode parecer, num contexto em que a supresa e o inesperado na sucessão espacial é tónica dominante, Soutro de Moura não define a sua instalação como Arquitetura, antes é um reflexo da arquitetura 19, cruzando Clássico e Moderno e colocando no futuro a compreensão das motivações que o terão levado a esta proposta. 19 SOUTO DE MOURA, Eduardo, Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p

12 Ana Neiva A intervenção de Álvaro Siza [Figura 8] surge, como é afirmado por ambos nos textos do catálogo da exposição, pelo diálogo com a proposta de Souto de Moura. Siza, que reforça a ideia de que fazer arquitetura significa começar com o que está no sitio A coluna desconstruída que propõe, em três momentos, no pátio de entrada da Burlington House, é o resultado de uma leitura espacial e de uma intenção de introduzir uma surpresa. A escala [do pátio] é mais doméstica do que monumental, mas a fachada do edifício com o seu pórtico e as suas colunas, mais brancas do que o resto da pedra -, têm uma presença muito forte. A minha primeira reação foi de quase pânico quando pensei no que fazer. Então depois emergiu a ideia da coluna e imaginei que poderia fazer uma instalação que evocasse o nascimento da coluna 20. A cor com que as adjetiva terá surgido do amarelo dos London BUS e a vontade de que os visitantes ativem a memória para procurar uma relação entre ambas as propostas de Siza e Souto é uma intencionalidade expressa. Figura. 7 Instalação de Eduardo Souto de Moura (http://farm8.staticflickr.com/7428/ _da12df6ac4_z.jpg, consultado a ) 20 SIZA, Álvaro, Interview in Sensing Spaces, catálogo da exposição, GOODWIN, Kate (curator), London: Royal Academy of Arts, 2014, p

13 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 Figura 8 Instalação de Álvaro Siza Vieira (http://static.dezeen.com/uploads/2014/01/sensing-spaces_dezeen_17.jpg, consultado a ) And the winner is... Avaliando as reviews e as reportagens dos principais periódicos e imprensa especializada que dedicou alguns carateres a este evento, é possível medir o pulso à reação do público e dos pares (entre críticos e arquitetos) aos projetos apresentados. A partir da bibliografia enunciada foi permitido determinar alguns padrões, confrontos e a reunião de consensos em torno de algumas propostas. Salientamos antes de tudo uma grande discrepância de sentido crítico e do rigor da escrita entre as reviews de jornais britânicos, quando comparados com o Semanário Sol ou o Jornal Público, em Portugal, ou com o over critic das publicações francesas e espanholas. Como seria espectável, os artigos nacionais votam especial atenção a Álvaro Siza e Souto de Moura, com textos construídos em torno das entrevistas que ambos concederam a Kate Goodwin. Não identificamos textos críticos em publicações especializadas, o que não deixa de ser um dado relevante, e salientamos a omissão crítica relativamente ao conceito expositivo ou aos restantes participantes, contida nos jornais que analisámos. Resumidamente, o Semanário Sol lê a importância do país se fazer representar pelos seus dois Pritzkers, o que torna a exposição relevante para nós é que Portugal é o único país a ter dois representantes, que são também os únicos arquitectos presentes vencedores de prémios Pritzker: Álvaro Siza Vieira e 13

14 Ana Neiva Eduardo Souto de Moura 21, enquanto que o Jornal Público, num artigo de Isabel Salema, se limita a citar continuamente Souto de Moura. As opiniões dos críticos do El Mundo, em Espanha, e do Le Mond, em França, (curiosamente, afins no título) são, à semelhança do que já tinha acontecido a propósito da Trienal de Lisboa Close, Closer, em 2013, as mais ácidas e demolidoras. Mantém um registo opinativo mais evidente do que uma apreciação global e um caráter informativo, o que seria natural em publicações desta natureza. Sobre Siza, Concha Rodríguez escreve: Álvaro Siza, no pátio exterior quase passa despercebido com três colunas amarelas 22. O homónimo jornal francês sintetiza as intervenções minimalistas e simbólicas portuguesas com a seguinte frase, que expressamente citaremos no original: Signification du geste de Siza-Moura? Esotérique, pédante ou nulle 23. A crítica gaulesa é alargada à própria asserção curatorial que, aliás, condena duramente, apontando a total rutura [da arquitetura] com noções de estilo, escola ou tendência, [definindo] um jogo sem regra, sem objetivo e sem função. Mais acrescenta: Doravante, só importa o jogo, feliz ou infeliz. Apenas se impõe o horizonte da escultura como o maior denominador comum. O século XXI começa com um estrondo de puro formalismo. Será necessário um desastre ou um renovado otimismo? 24. Mais informadas e detalhados serão os textos da imprensa britânica, como The Guardian, The Independent ou The Telegraph. Assinados por críticos de arte, colunistas frequentes nestas publicações, estes textos refletem sobre as diferentes propostas apresentadas e, antes disso, sobre a pergunta Como expor Arquitetura?. Para Ellis Woodman (The Telegraph), Sensing Spaces é a mais ambiciosa exposição de arquitetura que a RA produziu até hoje, [e] oferece uma resposta ousada a essa pergunta 25, elegendo como as melhores propostas, aquelas que se relacionam com o edifício. Para a crítica do The Independent, está exposição é sobre o poder da arquitetura moldar inclusive ditar as 21 MIGUEL, Telma Experimentar a Arquitetura em Londres, in Jornal Sol, edição de RODRÍGUEZ, Concha Escala 1:1, in El Mundo, edição de EDELMANN, Frédéric L'architecture, un jeu sans enjeu, in Le Monde, , edição online, disponível em consultado a 01 de Julho de Idem, Ibidem. 25 WOODMAN, Ellis, Sensing Spaces: Architecture Reimagined, Royal Academy, review, in The Telegraph, , edição digital disponível em consultado a 30 de Junho de

15 Sensing Spaces: Architecture Reimagined - A Exposição de Arquitetura em 2014 nossas emoções 26, e Rowan Moore (pelo The Guardian) vai mais longe e adjetiva de heróico o projeto que coloca a experiência no centro das atenções: é um memorando sobre as propriedades fundamentais da arquitetura colocadas em evidência. Sensing spaces têm as suas fragilidades e alguns momentos desajeitados, mas cumpre uma tarefa que é muito importante que se cumpra 27. Para estes três críticos que, de um modo irónico, indicamos como representantes do prémio do público o óscar da categoria Surpresa vai para a dupla de arquitetos chilenos, como a instalação melhor sucedida no aspeto lúdico, de efeito surpresa, levantando questões espaciais, de escala e posicionamento no espaço, de relação com o contexto, que confronta o visitante axialmente mal se entra na galeria (...) transformando-se numa máquina de descobrir espaço 28. No entanto o prémio da categoria Poesia, provavelmente o mais valorizdo, é atribuído à sucessão espacial proposta por Grafton Architects a poética luz/sombra, vazio / matéria conquista os periódicos britânicos: Grafton installation is perhaps my favourite. It is a poetic feat (Zoe Pilger), The best installation is the last one, by Yvonne Farrell and Shelley McNamara of Dublin firm Grafton (Rowan Moore). Surpreendentemente quando analisados, em paralelo, os artigos de título especializados como Architectural Record, Uncube Magazine ou The Architectural Review o prémio do Jurí da Academia, desloca-se dos nomeados anteriores criadores de espacialidades fortes, em grande escala, e onde a surpresa da experiência é expressiva para a valorização dos aspetos simbólicos e evocativos. Por outras palavras, Siza e Souto de Moura, incompreendidos pela imprensa generalista internacional, são agora levados em braços: Nada nesta exibição é tão maravilhoso quanto a African rock carrying sequence nem não sábio quanto a observação codificada de Álvaro Siza (...) o gesto expositivo de Siza: cujo amarelo não se voltará a encontrar no Norte da Europa, uma coluna caída, um fuste, um capitel. Podem chamar-se como se quiser, mas ficarão gravados na mente 29. O 26 PILGER, Zoe Sensing Spaces: Architecture Reimagined, review: 'A terrific show that leaves you at peace, in The Independent, (edição digital disponível em entertainment/art/reviews/sensing-spaces-architecture-reimagined-review-a-terrific-show-that-leaves-you-at-peace html, consultado a 01 de Julho de 2014) 27 MOORE, Rowan Sensing Spaces: Architecture Reimagined review, in The Guardian, , (edição digital, disponível em consultado a 01 de Julho de 2014). 28 PILGER, Zoe, Ibidem. 29 Nothing in this show is as wondrous as the African rock carrying sequence, and nothing so wise as Alvaro Siza s encapsulations of his welll ived observations (...) it was wonderful to walk back into Piccadilly past Siza s expository concrete gesture: a yellow whose equal you will never find in Northern Europe, a fallen column, a post, a lintel, a capital. Call them what you will, but they will stay in your mind s eye, traduzido livremente de WENTWORTH, Richard Sensing 15

16 Ana Neiva particular entendimento de Siza nesta exposição o único arquiteto com uma instalação fora do museu, atingiu o maior objetivo desta exposição : trazer as qualidades experimentais da arquitetura à superfície 30. A premissa colocada por Goodwin, no texto de abertura do catálogo, que justifica a eleição dos sete arquitetos convocados, pelo modo como os seus edifícios se encontram encontrados às paisagens urbanas e naturais onde se inserem e pelas relações que estabelecem com as culturas e tradições que os envolvem 31, encontrou reflexo na construção das suas propostas que, mais além da exacerbação sinestésica e experiencial, não deixaram o seu entendimento sobre o mundo, a história e o passado numa proposição experimental de presente e futuro da arquitetura e da sua comunicação. Spaces at the Royal Academy, in Architectural Review, , (edição digital, disponível em consultado a 01 de Julho de 2014). 30 MORRIS, Ali Exhibition Review: Sensing Spaces at London's Royal Academy of Arts, in ArchRecord, (edição digital disponível em Spaces-at-Londons-Royal-Academy-of-Arts.asp, consultado a 01 de Julho de 2014) 31 GOODWIN, Kate, Ibidem. 16

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 associação cultural sem fins lucrativos Rua Roberto Ivens, 582 4450-248 Matosinhos. Portugal T + 351 222 404 663/4 www.casadaarquitectura.pt info@casadaarquitectura.pt RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 ENQUADRAMENTO

Leia mais

FGV é uma marca de mobiliário, com design de Filipe Ventura. Adotando os princípios processuais e técnicos da marcenaria, ergonomia e uma inovadora

FGV é uma marca de mobiliário, com design de Filipe Ventura. Adotando os princípios processuais e técnicos da marcenaria, ergonomia e uma inovadora FGV é uma marca de mobiliário, com design de Filipe Ventura. Adotando os princípios processuais e técnicos da marcenaria, ergonomia e uma inovadora combinação de diferentes materiais. As peças FGV procuram

Leia mais

REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA

REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA PNAM REGULAMENTO GERAL VALORES E NORMAS REGULAMENTARES GERAIS DO 1. ORIGEM, OBJETIVOS E PERIODICIDADE

Leia mais

Arquitetura sem fronteiras

Arquitetura sem fronteiras Arquitetura sem fronteiras No centro da cidade de Melbourne, na Austrália, agora mora uma casa inspirada na arte abstrata, no cinema e noutras coisas mais. A Prahran White House é uma celebração da cultura

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE ARTE PÚBLICA VIARTES

REGULAMENTO DO CONCURSO DE ARTE PÚBLICA VIARTES REGULAMENTO DO CONCURSO DE ARTE PÚBLICA VIARTES O ViaCatarina Shopping é um empreendimento comercial emblemático da baixa da cidade do Porto. A sua localização central na zona comercial mais antiga da

Leia mais

ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar

ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar Maria Luiza Fatorelli (Malu Fatorelli) - UERJ RESUMO O artigo examina a questão da escala e da dimensão consideradas no âmbito de obras artísticas da autora. Escala

Leia mais

Antropologia da Face Gloriosa. Arthur Omar

Antropologia da Face Gloriosa. Arthur Omar Antropologia da Face Gloriosa Arthur Omar Arthur Omar é um artista brasileiro múltiplo, com presença de ponta em várias áreas da produção artística contemporânea. Formado em antropologia e etnografia,

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA Planificação 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo Introdução Funções psicológicas superiores Pilares da teoria de Vigotsky Mediação Desenvolvimento e aprendizagem Processo de internalização Níveis de desenvolvimento Esquema da aprendizagem na teoria de

Leia mais

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores Tese de Mestrado em Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança Carlos Fernando Lopes Gomes INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS Fevereiro

Leia mais

Respostas aos pedidos de esclarecimento Cloud Habitar Portugal 2012 14

Respostas aos pedidos de esclarecimento Cloud Habitar Portugal 2012 14 Respostas aos pedidos de esclarecimento Cloud Habitar Portugal 2012 14 1/5 Organização Patrocínios Parceiros institucionais 10.07.2015 2/5 1 É possível obter o contacto directo de alguém nas empresas patrocinadoras

Leia mais

diálogo ARTES Gonçalo Barreiros Experiência alienante SANDRA VIEIRA JÜRGENS sandravieirajurgens@gmail.com

diálogo ARTES Gonçalo Barreiros Experiência alienante SANDRA VIEIRA JÜRGENS sandravieirajurgens@gmail.com ARTES diálogo Gonçalo Barreiros Experiência alienante SANDRA VIEIRA JÜRGENS sandravieirajurgens@gmail.com Nas suas intervenções artísticas, no domínio da escultura e da instalação, Gonçalo Barreiros pode

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES

ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e educação,

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO DE MONUMENTOS,

Leia mais

Introducción a Museos y Arquitectura

Introducción a Museos y Arquitectura Versión digital en : http://www.uam.es/mikel.asensio Introducción a Museos y Arquitectura Paulo Roberto Sabino Universidade Federal de Minas Gerais Editor invitado del Volumen 8 O tema da arquitetura de

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

Forma e função nas casas de Peter Eisenman

Forma e função nas casas de Peter Eisenman Forma e função nas casas de Peter Eisenman Form and function in Peter Eisenman houses Luis Paulo Hayashi Garcia, Valeria Cássia dos Santos Fialho Centro Universitário Senac Departamento de Arquitetura

Leia mais

PALÍNDROMO Nº 7 /2012 Programa de Pós Graduação em Artes Visuais CEART/UDESC

PALÍNDROMO Nº 7 /2012 Programa de Pós Graduação em Artes Visuais CEART/UDESC ENTREVISTA MUSEO DE ARTE LATINOAMERICANO DE BUENOS AIRES MALBA FUNDACIÓN CONSTANTINI Entrevista realizada com a educadora Florencia González de Langarica que coordenou o educativo do Malba até 2012, concedida

Leia mais

agenda de novembro Feltros do mundo. Arquitecturas de cabeça

agenda de novembro Feltros do mundo. Arquitecturas de cabeça agenda de novembro Feltros do mundo. Arquitecturas de cabeça :: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS Feltros do Mundo. Arquitecturas de Cabeça Inserida no âmbito das actividades promovidas em S. João da Madeira a propósito

Leia mais

FACULDADE DE ARQUITECTURA

FACULDADE DE ARQUITECTURA MUSEU DA CIDADE Um Crescimento Ilimitado Ampliação e Reestruturação dos núcleos dos séculos XX e XXI Ângela dos Santos Faria (Licenciada) Mestrado Integrado em Arquitectura Orientador Científico: Especialista

Leia mais

Design Estratégico e Inovação

Design Estratégico e Inovação Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

Internacional. Singular geometria

Internacional. Singular geometria Internacional Singular geometria Escultórica e geometricamente complexa, a Casa da Música, criação do arquiteto holandês Rem Koolhaas, torna-se o mais novo edifício-ícone de Portugal. Criticada por sua

Leia mais

REGULAMENTO 1º PHOTO MUSEU DO VINHO BAIRRADA 2013 ÂMBITO E APLICAÇÃO

REGULAMENTO 1º PHOTO MUSEU DO VINHO BAIRRADA 2013 ÂMBITO E APLICAÇÃO REGULAMENTO 1º PHOTO MUSEU DO VINHO BAIRRADA 2013 ÂMBITO E APLICAÇÃO 1. O Photo Museu do Vinho Bairrada, organizado pela Autarquia de Anadia/Museu do Vinho da Bairrada, apresenta-se sob a forma de concurso

Leia mais

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados Comunicação e Reputação 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados 1 Introdução Ao contrário do que alguns podem pensar, reputação não é apenas um atributo ou juízo moral aplicado às empresas.

Leia mais

Feiras, pavilhões e exposições

Feiras, pavilhões e exposições Feiras, pavilhões e exposições 2 Experiente e confiável. Estandes de feiras e exposições, pavilhões e eventos temporários -a experiência de inúmeros projetos nos torna parceiros confiáveis, que dá aos

Leia mais

TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 CONCURSO E EXPOSIÇÃO UNIVERSIDADES COVA DA MOURA

TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 CONCURSO E EXPOSIÇÃO UNIVERSIDADES COVA DA MOURA TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 CONCURSO E EXPOSIÇÃO UNIVERSIDADES COVA DA MOURA Uma iniciativa da Trienal de Arquitectura de Lisboa com o apoio de Comissão de Bairro do Alto da Cova da Moura 1

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO

REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO COMISSÃO ORGANIZADORA PATROCINADOR DE OURO CO-FINANCIAMENTO PATROCINADOR DE PRATA PNAM REGULAMENTO ESPECÍFICO NORMAS REGULAMENTARES DA 3.ª EDIÇÃO DO Nos termos dos Valores e normas

Leia mais

Pré-projeto. Cantigas. Artista: Simone Kestelman Curadoria: Fernanda Carlos Borges. Como pode o peixe vivo viver fora da água fria

Pré-projeto. Cantigas. Artista: Simone Kestelman Curadoria: Fernanda Carlos Borges. Como pode o peixe vivo viver fora da água fria Pré-projeto Cantigas Artista: Simone Kestelman Curadoria: Fernanda Carlos Borges Como pode o peixe vivo viver fora da água fria Pré-projeto Cantigas Artista: Simone Kestelman Curadoria: Fernanda Carlos

Leia mais

展 示 及 展 覽 藝 術 Apresentação e Exposição de Arte Presentation and Exhibition of Art

展 示 及 展 覽 藝 術 Apresentação e Exposição de Arte Presentation and Exhibition of Art 展 示 及 展 覽 藝 術 Apresentação e Exposição de Arte Presentation and Exhibition of Art 協 辦 機 構 : Colaboração 全 藝 社 Art For All Society 報 名 費 : Taxa de Inscrição $20 Co-organizers Art For All Society Application

Leia mais

definição de tendências e percepção da arte

definição de tendências e percepção da arte JOSEPH BEUYS definição de tendências e percepção da arte JOSEPH BEUYS DEFINIÇÃO DE TENDÊNCIAS E PERCEPÇÃO DA ARTE JOÃO GASPAR TEORIA E HISTÓRIA DA CRÍTICA DE ARTE II CIÊNCIAS DA ARTE E DO PATRIMÓNIO 2014-15

Leia mais

ESTUDO PARA INTERVENCAO EM MONUMENTOS E SITIOS HISTORICOS: O Caso do Mercado de Farinha de Caruaru-PE

ESTUDO PARA INTERVENCAO EM MONUMENTOS E SITIOS HISTORICOS: O Caso do Mercado de Farinha de Caruaru-PE ESTUDO PARA INTERVENCAO EM MONUMENTOS E SITIOS HISTORICOS: O Caso do Mercado de Farinha de Caruaru-PE TENORIO, LUCIENE A. (1); CARVALHO, AMANDA B. (2); ZHAYRA, ADELAIDE C. (3) 1. LVF Empreendimentos LTDA.

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação Projecto de Design de Comunicação II Área Científica Design de Comunicação Ciclo de Estudos 1.º ciclo Carácter: Obrigatória Semestre 2.º semestre

Leia mais

Conferência Espaço de Arquitectura 2010

Conferência Espaço de Arquitectura 2010 Nota Introdutória: O tema da reabilitação urbana é um dos tópicos centrais da análise actual sobre Planeamento e Urbanismo e uma janela aberta para encontrar soluções na recuperação dos centros históricos

Leia mais

Estética Contemporânea

Estética Contemporânea Estética Contemporânea Mário Xavier Gomes Rocha Ua 71145 Nicolas Provost Moving Stories Nicolas Provost é um realizador e artista visual, que vive e trabalha em Bruxelas. Estudou na Royal Academy of Fine

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U DE C U R R I C U L U M V I T A E

M O D E L O E U R O P E U DE C U R R I C U L U M V I T A E M O D E L O E U R O P E U DE C U R R I C U L U M V I T A E Nome Correio electrónico Informação Pessoal VIEIRA, Pedro Filipe de Freitas Amaral Morada Rua D.José I nº47 2ºesq 3080 202 Figueira da Foz Portugal

Leia mais

GENEALOGIA DE UM DESENHO EM MOVIMENTO

GENEALOGIA DE UM DESENHO EM MOVIMENTO 1653 GENEALOGIA DE UM DESENHO EM MOVIMENTO Maria Luiza Fatorelli. UERJ RESUMO: A comunicação examina aspectos do desenho no âmbito de obras artísticas da autora. São apresentadas quatro instalações que

Leia mais

Nacho Carbonell. IADE Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing Escola Superior de Design/Escola Superior de Publicidade e Marketing

Nacho Carbonell. IADE Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing Escola Superior de Design/Escola Superior de Publicidade e Marketing IADE Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing Escola Superior de Design/Escola Superior de Publicidade e Marketing História da Arte e da Técnica Nacho Carbonell Projecto: Evolution Collection Autor:

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

O lugar da oralidade na escola

O lugar da oralidade na escola O lugar da oralidade na escola Disciplina: Língua Portuguesa Fund. I Selecionador: Denise Guilherme Viotto Categoria: Professor O lugar da oralidade na escola Atividades com a linguagem oral parecem estar

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

O ENSINO DA MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS O ENSINO DA MATEMÁTICA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ROMERO *, Danielle D avila danvila@ig.com.br Resumo O trabalho se propõe a discorrer sobre algumas concepções acerca da resolução de problemas em

Leia mais

2- Demonstração da irregularidade processual e da inconsistência científica da avaliação do CFUL

2- Demonstração da irregularidade processual e da inconsistência científica da avaliação do CFUL 1.10 Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa (7 de Julho de 2014) Carta da Direcção do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa (CFUL) à FCT, De Rerum Natura, 2014 [http://dererummundi.blogspot.pt/2014/07/carta-da-direccao-do-centro-de_7.html]

Leia mais

MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003.

MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003. MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003. Prefácio Interessante pensar em um tempo de começo. Início do tempo de

Leia mais

NÃO ESCOLARIZEM A EXPRESSÃO DRAMÁTICA! UMA REFLEXÃO SOBRE A VIVÊNCIA DESTA FORMA DE EXPRESSÃO ENQUANTO ACTIVIDADE AUTÊNTICA

NÃO ESCOLARIZEM A EXPRESSÃO DRAMÁTICA! UMA REFLEXÃO SOBRE A VIVÊNCIA DESTA FORMA DE EXPRESSÃO ENQUANTO ACTIVIDADE AUTÊNTICA França, A., & Brazão, P. (2009). Não escolarizem a Expressão Dramática! - uma reflexão sobre a vivência desta forma de expressão enquanto actividade autêntica. In L. Rodrigues, & P. Brazão (org), Políticas

Leia mais

Céu e Sol. A luz natural como ponto de partida dos projetos. a r t i g o. Por Mafalda Rangel. Num momento em que é esperado que metade

Céu e Sol. A luz natural como ponto de partida dos projetos. a r t i g o. Por Mafalda Rangel. Num momento em que é esperado que metade a r t i g o Céu e Sol Por Mafalda Rangel A luz natural como ponto de partida dos projetos Num momento em que é esperado que metade da população mundial viva em cidades, torna-se imperativo reavaliar as

Leia mais

Apreciação Parlamentar n.º 130/XII

Apreciação Parlamentar n.º 130/XII Apreciação Parlamentar n.º 130/XII Decreto-Lei n.º 181-A/2014, de 24 de dezembro, que «aprova o processo de reprivatização indireta do capital social da TAP, Transportes Aéreos Portugueses, S. A.» Foi

Leia mais

LABORATÓRIO ABERTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-INOVAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS

LABORATÓRIO ABERTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-INOVAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS LABORATÓRIO ABERTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-INOVAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS MARTINS 1, ISABEL P.; COUCEIRO 2, FERNANDA; RODRIGUES 3, ANA; TORRES 4, ANA CRISTINA; PEREIRA 5, SARA;

Leia mais

Reflexão: Abordagem ao domínio da matemática, comunicação oral e escrita na Educação de Infância

Reflexão: Abordagem ao domínio da matemática, comunicação oral e escrita na Educação de Infância 1 Reflexão: Abordagem ao domínio da matemática, comunicação oral e escrita na Educação de Infância Mariana Atanásio, Nº 2036909. Universidade da Madeira, Centro de Competência das Ciências Sociais, Departamento

Leia mais

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS.

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. ARAÚJO, Haroldo de 1; Prof.Dr. Costa, Luis Edegar de Oliveira 2;. Palavras chaves: Arte contemporânea; curadoria;

Leia mais

Design Estratégico e Inovação

Design Estratégico e Inovação Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO TRIÉNIO 2014-2016

PLANO ESTRATÉGICO TRIÉNIO 2014-2016 PLANO ESTRATÉGICO TRIÉNIO 2014-2016 MENSAGEM INICIAL Assimilar um saber, um conteúdo, uma praxis em Terapia da Fala é uma condição sine quo non para que haja uma base científica. Contudo, esta base de

Leia mais

Conversa com Tony Fretton, Álvaro Domingues e Didier Faustino Moderadores: Diogo Seixas Lopes e Paulo Providência

Conversa com Tony Fretton, Álvaro Domingues e Didier Faustino Moderadores: Diogo Seixas Lopes e Paulo Providência Lançamento NU #40. Entrevistas. Antologia Crítica 2002-2012 21 de Fevereiro às 21h30 Grande Auditório da Culturgest Conversa com Tony Fretton, Álvaro Domingues e Didier Faustino Moderadores: Diogo Seixas

Leia mais

Filosofia para crianças? Que história é essa?

Filosofia para crianças? Que história é essa? Filosofia para crianças? Que história é essa? P Isabel Cristina Santana Diretora do CBFC ara muitos provoca espanto a minha resposta quando me perguntam: qual é o seu trabalho? e eu respondo trabalho com

Leia mais

A CIÊNCIA DO DESENHO E O DESENHO NO ENSINO DE CIÊNCIA

A CIÊNCIA DO DESENHO E O DESENHO NO ENSINO DE CIÊNCIA A CIÊNCIA DO DESENHO E O DESENHO NO ENSINO DE CIÊNCIA IMPAGLIAZZO,MARIANINA IGE UNICAMP Palavras chave: Grafismo infantil; Ensino de ciências; Paisagem; Formação continuada. APRESENTAÇÃO

Leia mais

10 Edição. Um dos maiores eventos de moda de África / One of the biggest fashion show in Africa

10 Edição. Um dos maiores eventos de moda de África / One of the biggest fashion show in Africa a 10 Edição Um dos maiores eventos de moda de África / One of the biggest fashion show in Africa 10 a Edição Retorno ao Patrocinador / Return Primeiramente ter a imagem de sua marca/produto aliada a um

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

Advisory Human Capital & Tax Services Family Business. Pensar a Família, Pensar o Negócio

Advisory Human Capital & Tax Services Family Business. Pensar a Família, Pensar o Negócio Advisory Human Capital & Tax Services Family Business Pensar a Família, Pensar o Negócio Realidade das Empresas Familiares Na PricewaterhouseCoopers há muito que reconhecemos nas empresas familiares um

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

DRAMATURGIA ATORAL: ENTREVISTA AO DRAMATURGO ESPANHOL JOSÉ SANCHIS SINISTERRA

DRAMATURGIA ATORAL: ENTREVISTA AO DRAMATURGO ESPANHOL JOSÉ SANCHIS SINISTERRA 1 DRAMATURGIA ATORAL: ENTREVISTA AO DRAMATURGO ESPANHOL JOSÉ SANCHIS SINISTERRA Mariana Muniz 1 Sanchis Sinisterra é um ícone da dramaturgia espanhola contemporânea. Sua peça de maior repercusão foi Ay

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

quem? NOVA JOIA é coordenado por Mirla Fernandes e Renata Porto.

quem? NOVA JOIA é coordenado por Mirla Fernandes e Renata Porto. quem? NOVA JOIA é coordenado por Mirla Fernandes e Renata Porto. Com um percurso muito parecido, ambas fizeram sua descoberta da Art Jewellery na Europa. Renata Porto no Ar.Co em Lisboa, e Mirla Fernandes

Leia mais

Direito de Autor e Sociedade da Informação

Direito de Autor e Sociedade da Informação Direito de Autor e Sociedade da Informação 1. Vivemos imersos há alguns anos, e de um modo crescentemente acentuado, na assim chamada sociedade da informação. Ao certo o rótulo não tem conteúdo definido,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 3º CICLO - 2015/2016 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Inglês

Leia mais

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões As oportunidades de trabalho e as novas profissões ligadas à arte contemporânea têm crescido muito nos últimos anos, impulsionadas

Leia mais

A importância dos projectos artísticos no desenvolvimento pessoal e social

A importância dos projectos artísticos no desenvolvimento pessoal e social Congresso de Psicologia Infantil Gente Pequena, Grandes Causas Promovido pela Associação Lumière Cinema S. Jorge, Lisboa A importância dos projectos artísticos no desenvolvimento pessoal e social Mais

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O SENHOR MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O SENHOR MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O SENHOR MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino por ocasião do Encerramento do Seminário AS NOVAS PERSPECTIVAS NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA promovido

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

Paulo Mendes da Rocha Obra Completa

Paulo Mendes da Rocha Obra Completa Paulo Mendes da Rocha Obra Completa O livro com maior relevância sobre a obra da vida do arquiteto de Paulo Mendes da Rocha é lançando pela editora GGBrasil. Um estudo profundo em que o autor Daniele Pisani

Leia mais

OPERAÇÕES COFINANCIADAS EM REGIME DE OVERBOOKING PELO QREN, NO ÂMBITO DO PROGRAMA OPERACIONAL DE LISBOA

OPERAÇÕES COFINANCIADAS EM REGIME DE OVERBOOKING PELO QREN, NO ÂMBITO DO PROGRAMA OPERACIONAL DE LISBOA OPERAÇÕES COFINANCIADAS EM REGIME DE OVERBOOKING PELO QREN, NO ÂMBITO DO PROGRAMA OPERACIONAL DE LISBOA Promoção e divulgação dos Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian - Centro Interpretativo Gonçalo

Leia mais

As propostas do. Dimensão Histórica Cívica Artística Social Pedagógica

As propostas do. Dimensão Histórica Cívica Artística Social Pedagógica As propostas do LIVRO Livre Dimensão Histórica Cívica Artística Social Pedagógica Dimensão Histórica: Conhecimento do passado histórico: 25 de Abril, Estado Novo, Guerra Colonial, Descolonização e Democracia;

Leia mais

APONTAMENTOS CURRICULARES

APONTAMENTOS CURRICULARES APONTAMENTOS CURRICULARES PERCURSO Lisboa, 1969 Fotógrafo e Editor de fotografia Vivo e desenvolvo os meus trabalhos entre Aljezur e Lisboa Actualmente sou CEO da agência 1000olhos - Imagem e Comunicação

Leia mais

Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência. Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência

Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência. Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência 7 de maio de 2014 Senhores Coordenadores do Curso de Formação para

Leia mais

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA

RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA RELATÓRIO DE MISSÃO INTERNACIONAL À ALEMANHA Participantes: Dr. Roberto Simões, presidente do CDN (Conselho Deliberativo Nacional) e Dr. Carlos Alberto dos Santos, Diretor Técnico do Sebrae Nacional. Objetivo:

Leia mais

MUSEU DE ARTE. de São Paulo "Assis Chateaubriand" o Museu sempre foi incentivador dos fatos ABRIL '73 FOTOGRAFIAS DE KOSSOY

MUSEU DE ARTE. de São Paulo Assis Chateaubriand o Museu sempre foi incentivador dos fatos ABRIL '73 FOTOGRAFIAS DE KOSSOY MUSEU DE ARTE de São Paulo "Assis Chateaubriand" ',' Avenida Paulista, 1578 - Tels: 287-2829 e 287-8481 ABRIL '73 As atividades culturais do Museu são realizadas em convênio com o Governo do Estado de

Leia mais

Prova Escrita de Geografia A

Prova Escrita de Geografia A Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de Março Prova Escrita de Geografia A 0.º e.º Anos de Escolaridade Prova 79/.ª Fase 0 Páginas Duração da Prova: 0 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

Instalação para viagem - Série Espaços. Madeira, espelhos, lentes, aço inox, acrílico, refletores. 8x16x26cm 2008/2011

Instalação para viagem - Série Espaços. Madeira, espelhos, lentes, aço inox, acrílico, refletores. 8x16x26cm 2008/2011 Claudio Álvarez CLAUDIO ÁLVAREZ nasceu em Rosário-Argentina. Vive e trabalha em Curitiba, Paraná, Brasil desde 1977. Expõe desde 1981. Realizou mais de 13 exposições individuais e participou de várias

Leia mais

EDITAL CHAMADA ABERTA. 1. Introdução

EDITAL CHAMADA ABERTA. 1. Introdução EDITAL CHAMADA ABERTA 1. Introdução A X Bienal de Arquitetura de São Paulo será realizada de 28 de setembro a 24 de novembro de 2013, com a curadoria de Guilherme Wisnik, Ana Luiza Nobre e Ligia Nobre.

Leia mais

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES Profª. Msc. Carolina Albuquerque de Moraes Prof. Dr. Luiz Fernando Loureiro Ribeiro São Paulo, Brasil

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima segunda edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: Dramaturgia. Oralidade. Ator. Improvisação. ABSTRACT

RESUMO. Palavras-chave: Dramaturgia. Oralidade. Ator. Improvisação. ABSTRACT SILVEIRA, Patrícia dos Santos. Jogos de linguagem e oralidade na construção do texto teatral. Florianópolis: UDESC; CAPES; Mestrado; Orientador Prof. Dr. Stephan Baumgärtel. Atriz. RESUMO Este artigo visa

Leia mais

COMO PLANEAR E POSICIONAR MUSEUS EM TEMPOS DE MUDANÇA CULTURAL

COMO PLANEAR E POSICIONAR MUSEUS EM TEMPOS DE MUDANÇA CULTURAL COMO PLANEAR E POSICIONAR MUSEUS EM TEMPOS DE MUDANÇA CULTURAL Gail Dexter Lord, Co-Presidente, Lord Cultural Resources ICOM Portugal 2014, XI Jornadas da Primavera, Lisboa 31 de março de 2014 Toronto

Leia mais

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor.

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor. Um futuro melhor Várias vezes me questiono se algum dia serei capaz de me sentir completamente realizada, principalmente quando me encontro entregue somente aos meus pensamentos mais profundos. E posso

Leia mais

Acervos Patrimoniais: Novas Perspetivas e Abordagens CAM

Acervos Patrimoniais: Novas Perspetivas e Abordagens CAM Acervos Patrimoniais: Novas Perspetivas e Abordagens CAM De visita à Biblioteca do Professor José Mattoso: o que não sabemos e devemos saber Judite A. Gonçalves de Freitas FCHS-UFP Mértola- 16. Março.

Leia mais

Prémio EDP Novos Artistas. Regulamento

Prémio EDP Novos Artistas. Regulamento Prémio EDP Novos Artistas Regulamento DO PRÉMIO 1. O Prémio EDP Novos Artistas, criado em 2000, é uma iniciativa da Fundação EDP. Com a atribuição deste prémio, a Fundação EDP confirma a sua responsabilidade

Leia mais

especiais por ano, garantindo a máxima capacidade de transporte para jogos de futebol, concertos e outras celebrações de massas.

especiais por ano, garantindo a máxima capacidade de transporte para jogos de futebol, concertos e outras celebrações de massas. O Metro do Porto O Metro é um sistema de transportes públicos da Área Metropolitana do Porto e combina uma rede ferroviária subterrânea, no centro da cidade, com linhas à superfície em meio urbano e diversos

Leia mais

empresas), embora também esta sujeita a interrogações e dúvidas, porque as vantagens nem sempre são sistemáticas e garantidas com base em condições

empresas), embora também esta sujeita a interrogações e dúvidas, porque as vantagens nem sempre são sistemáticas e garantidas com base em condições Prefácio Dezoito anos passados da primeira obra do autor sobre a temática, e olhando o percurso a esta distância, não deixamos de nos surpreender pela evolução realizada no mundo empresarial e na sociedade.

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA I. OBJECTIVOS O objectivo deste ciclo de estudos é garantir aos estudantes uma sólida formação jurídica de base. Tendo

Leia mais

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS 2 3 Artes da Infância infans Do latim, infans significa aquele que ainda não teve acesso à linguagem falada. Na infância adquirimos conhecimentos, acumulamos vivências e construímos

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Natureza e Sociedade na parte 1 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Natureza e Sociedade na O eixo de trabalho Natureza e Sociedade

Leia mais

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS CENTRO CULTURAL VILA FLOR A programação do Centro Cultural Vila Flor deverá assentar em critérios de qualidade, diversidade, contemporaneidade

Leia mais

Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007. Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa

Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007. Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007 Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa Praça de Espanha www.pocasmartins-seabra.com ( 1 ) ( 2 ) Com a União

Leia mais

VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS

VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS A Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) convida todas as Instituições de Ensino da Região Norte, a participar na 2ª edição

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Press Release 21 de junho de 2013

Press Release 21 de junho de 2013 Press Release 21 de junho de 2013 O Instituto Sacatar tem a satisfação de anunciar a chegada de um novo grupo de seis artistas premiados, cada um, com um período de residência de oito semanas de duração

Leia mais

Ensino de Artes Visuais à Distância

Ensino de Artes Visuais à Distância 1 Ensino de Artes Visuais à Distância Bárbara Angelo Moura Vieira Resumo: Através de uma pesquisa, realizada em meio ao corpo docente da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, as

Leia mais

A liberdade religiosa. dos direitos individuais aos direitos sociais

A liberdade religiosa. dos direitos individuais aos direitos sociais D E P O I M E N T O S A liberdade religiosa dos direitos individuais aos direitos sociais Com a viragem do século, e sobretudo com o desenvolvimento das investigações das ciências sociais sobre o fenómeno

Leia mais

Anima Mundi 2015 23º Festival Internacional de Animação do Brasil Rio de Janeiro 10 a 19 de julho São Paulo 22 a 26 de julho

Anima Mundi 2015 23º Festival Internacional de Animação do Brasil Rio de Janeiro 10 a 19 de julho São Paulo 22 a 26 de julho Anima Mundi 2015 23º Festival Internacional de Animação do Brasil Rio de Janeiro 10 a 19 de julho São Paulo 22 a 26 de julho REGULAMENTO 1. PRAZOS 10/03 Data limite para finalizar a ficha de inscrição

Leia mais

Tocando coisas: a impressão como registro de existência, ampliada em outras experiências. Por Carolina Rochefort

Tocando coisas: a impressão como registro de existência, ampliada em outras experiências. Por Carolina Rochefort APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS E PROVOCAÇÕES PERMANENTES Tocando coisas: a impressão como registro de existência, ampliada em outras experiências. Por Carolina Rochefort - Conceito da Obra/Apresentação. Em minha

Leia mais