ESTATUTO DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA HORUS FACULDADES CAPITULO I

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTATUTO DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA HORUS FACULDADES CAPITULO I"

Transcrição

1 ESTATUTO DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA HORUS FACULDADES CAPITULO I Art. 1º - Fica criado o DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DCE, órgão exclusivo de representação dos os acadêmicos da HORUS FACULDADES, fundado em 18/06/2008 (dezoito de junho de dois mil e oito), com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, que reger-se-á pelo presente Estatuto e demais leis que lhe forem aplicáveis. Art. 2º - O DCE é uma entidade civil, com personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos e de duração indeterminada, instalada na Rua Aracaju 225, centro da cidade de Pinhalzinho, Estado de Santa Catarina. CAPITULO II DOS OBJETIVOS Art. 3º - São os fins do DCE: I Congregar e coordenar seus membros; II Defender os interesses e reivindicações dos membros de maneira geral e de cada um em particular; III Trabalhar para o incremento e melhoria das relações entre professores e acadêmicos, pela consecução de ambiente propício ao maior aproveitamento do ensino; IV Incentivar o ensino prático, seminários e pesquisas; V Realizar programas culturais, artísticos, desportivos dando ênfase à assistência social; VI Prestar assistência aos membros necessitados na medida de seus recursos; VII Preparar e comemorar com dignidade o ingresso de novos acadêmicos bem como festejar os diplomados;

2 VIII Reivindicar investimentos na manutenção e atualização de material didático e equipamentos para uso geral dos acadêmicos; IX Participar ativamente no processo de negociação de mensalidades e tudo o que diz respeito à comunidade acadêmica. CAPITULO III DOS DIREITOS E DEVERES DOS MEMBROS Art. 4º - Podem se tornar membros do DCE todos os acadêmicos da HORUS FACULDADES, desde que estejam regularmente matriculados nessa Instituição. O acadêmico, membro da Diretoria do DCE que efetuar o trancamento da matrícula, perderá seu cargo, passando, automaticamente, o cargo a seu vice. Art. 5º - São direitos dos membros: I Votar e ser votado para os cargos da Diretoria; II Exercer quaisquer funções para a qual tenham sido nomeados ou destinados; III Sugerir medidas de interesse da classe estudantil aos órgãos do DCE IV Gozar dos benefícios ou serviços oferecidos pelo DCE, observando as normas estabelecidas. Art. 6º - São deveres dos membros: I Zelar pelo cumprimento deste Estatuto; II Acatar as decisões do DCE; III Participar das reuniões para as quais tenham sido convocados; IV Apoiar o DCE na consecução de seus fins. SEÇÃO I DOS ÓRGÃOS Art. 7º - São órgãos do DCE DA HORUS FACULDADES: I A diretoria.

3 SEÇÃO II DA DIRETORIA Art. 8º A Diretoria do DCE da HORUS FACULDADES será composta de: I Um Presidente; II Um Vice-Presidente; III Um Secretário; IV Um Vice-Secretário; V Um Tesoureiro; VI Um Vice-Tesoureiro; VII Um Diretor Cultural; VIII Um Diretor de Comunicação; IX Um Diretor Esportivo X Um Diretor Social XI Um Conselheiro Art. 9º - A Diretoria é o órgão executivo do DCE da HORUS FACULDADES. Art O mandato para os cargos da Diretoria terá a duração de um ano e a eleição será realizada na primeira quinzena do mês de março do ano em curso. A posse dos eleitos dar-se-á no terceiro dia após a eleição e proclamação dos eleitos. Art A Diretoria poderá criar comissões quando julgar da sua conveniência para atividades específicas e que não constam no presente Estatuto. Art Compete à Diretoria: I Administrar o DCE assegurando o cumprimento das determinações estatutárias e das resoluções dos órgãos competentes; II Elaborar um programa administrativo anual; III Fixar a contribuição dos membros do DCE; IV Designar uma agência bancária para a movimentação de valores;

4 V Prestar contas das receitas e despesas bem como dos bens que compõem o patrimônio do DCE por ocasião do término do mandato. Art São atribuições do Presidente: I Representar ativa e passivamente, em juízo ou fora dele o DCE nas suas relações externas; II Representar o DCE junto aos órgãos da HORUS FACULDADES; III Presidir as reuniões da Diretoria; IV Assinar as atas da Diretoria, depois de aprovadas; V Assinar as prestações de contas por ocasião do término do mandato; VI Assinar atos e documentos juntamente com o secretário: VII Participar de todas as reuniões do DCE, e estando impedido será substituído pelo vice-presidente; VIII - Exercer outras atribuições que lhe sejam auferidas pelo Estatuto. Art São atribuições do Secretário I Organizar e gerir a secretaria; II Secretariar as sessões do DCE; III Assinar as atas e documentos do DCE; IV - Receber e ordenar o expediente de suas funções; V Exercer as demais atribuições pertinentes ao seu cargo e previstas e outras que sejam auferidas pelo Estatuto. Art São atribuições do Tesoureiro I Exercer o controle e a fiscalização dos bens pertencentes ao DCE; II Receber verbas, subvenções ou doações; III - Manter em depósito bancário na forma deste Estatuto, os fundos da entidade; IV Assinar juntamente com o Presidente os cheques para movimentação dos fundos do DCE; V Efetuar as despesas mediante autorização da Diretoria ou seu Presidente em conjunto com este;

5 VI Receber valores provenientes de campanhas realizadas, bem como supervisionar a parte relacionada com valores; VII Manter sob sua guarda os livros de escrituração e demais documentos da tesouraria; VIII Organizar balancetes e relatórios da tesouraria remetendo-os aos órgãos competentes; XI Manter cadastro atualizado do patrimônio da Entidade. Parágrafo Único: Aos membros que ocuparem o cargo de vice,compete substituir o titular,quando da sua ausência, cabendo-lhe todas as responsabilidades e prerrogativas que ao cargo compete. Art. 16- São atribuições do Diretor de Esportes I Promover a participação dos acadêmicos de todos os cursos em competições esportivas com terceiros e com a instituição. II Outras atividades relacionadas com esportes. Art São atribuições do Diretor Social I Trabalhar pelo congraçamento efetivo dos membros do DCE promovendo atividades sociais e recreativas; II Intervir perante autoridades e entidades próprias no sentido de dotar os acadêmicos de maiores facilidades para desenvolver seus estudos; III Supervisionar comissões e propô-las à Diretoria com o objetivo de distribuir bolsas de estudo aos membros do DCE que delas realmente necessitarem; IV Outras atividades sócio-culturais, recreativas e assistenciais. Art São atribuições do Diretor Cultural I Promover e organizar eventos culturais que atenderão as necessidades dos acadêmicos de todos os cursos da HORUS FACULDADES; II Divulgar eventos culturais que ocorram na faculdade, na cidade ou na região; Art São atribuições do Diretor de Comunicação I Divulgar junto aos meios de comunicação os eventos promovidos pelo DCE.

6 Art.20 São atribuições do Conselheiro: Acompanhar regularmente a atuação do DCE e de seus membros, apontar mudanças quando necessário e discutir com a diretoria essas mudanças. Parágrafo Único:O conselheiro será prioritariamente, acadêmico do oitavo período. CAPITULO IV DAS ELEIÇÕES Art É vedada a acumulação de cargos efetivos. Art É vedado ao membro do DCE, que já tenham sido eleitos para qualquer cargo, candidatarem-se em outra oportunidade para o mesmo cargo. Art A Diretoria será eleita por voto universal, direto e secreto dos membros do DCE e dos acadêmicos devidamente matriculados, sendo proclamada vencedora a chapa que obtiver o maior número de votos. Art Para concorrer à eleição, os membros do DCE interessados, deverão organizar chapas, nas quais deverão estar preenchidos todos os cargos da Diretoria. Art Caso houver somente uma chapa inscrita, a eleição ocorrerá normalmente. Se houver mais de 50% de aprovação, a chapa é eleita, e se não chegar a 50%, é automaticamente convocada nova eleição, com inscrições de novas chapas. Se permanecer somente uma chapa, ela será eleita com qualquer número de votos. Art Se não houver inscrição de chapas até a data de encerramento das inscrições, a mesma deverá ser prorrogada por mais uma semana. Art A Diretoria atual não poderá assumir por dois mandatos repetidamente, sendo vedada a manutenção da chapa existente em caso de não haver eleição por falta de inscrição de nova chapa. Parágrafo Único: As chapas poderão substituir candidatos até o último prazo marcado para a inscrição das mesmas, sendo necessária a manifestação por escrita dos renunciantes já registrados e autorização do novo candidato.

7 Art Cada chapa registrada deverá indicar ao DCE com antecedência mínima de três dias da data das eleições, um fiscal para cada mesa apuradora e um fiscal para cada junta de apuração. Art É da competência do DCE tomar as providências necessárias para a promoção e condução do processo eleitoral. Art O DCE fará publicar Edital de Convocação para as eleições da Diretoria com antecedência de cinco dias da data marcada para o pleito, devendo constar do mesmo os seguintes elementos: I Data, horário e local das eleições; II Período para o registro das chapas concorrentes, devendo estar expressas as datas de início e término do prazo para a inscrição; III O número de mesas eleitorais e a relação nominal dos componentes de cada uma delas; IV O número de juntas de apuração e a relação nominal dos componentes de cada uma delas; V Data, hora e local onde serão divulgados os resultados das eleições; VI Data, hora e local da posse dos membros eleitos para a Diretoria. Art A propaganda política para as eleições da Diretoria deverá ser suspensa no dia em que anteceder a data marcada para o pleito com a retirada total de cartazes e panfletos do Campus da Faculdade. CAPITULO V DO PATRIMÔNIO E DA GESTÃO FINANCEIRA Art O Patrimônio do DCE é constituído dos bens numerários, móveis, imóveis e acervo bibliográfico de que seja ou venha a ser proprietário por aquisição ou doação. Art São receitas do DCE:

8 I As contribuições de seus membros; II As receitas auferidas de quaisquer atividades ou promoções realizadas; III A revenda proveniente do emprego de seu patrimônio; IV Quaisquer verbas, contribuições, subvenções e outros valores que forem oriundos de órgãos públicos, da HORUS FACULDADES, de outras Entidades, de pessoas físicas ou jurídicas. Art Os recursos financeiros e o patrimônio do DCE destinam-se á realização de seus fins, sua manutenção e desenvolvimento, ressalvando o emprego especial que sua providencia exija. Ar Os fundos do DCE depositados conforme disciplina o artigo vinte e oito, serão movimentados através de cheques nominais emitidos pelo Tesoureiro e pelo Presidente. Art A prestação de contas de cada exercício será colocada no mural da FACULDADE para que todos possam apreciar a mesma, antes de ser encerrada a gestão da atual diretoria. CAPITULO VI DAS DISPOSIÇOES GERAIS Art Fica estabelecida a gratuidade absoluta do exercício de qualquer função ou cargo no DCE. Art Fica adotada a seguinte sigla: DCE = DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES. Art As eleições para a Diretoria serão realizadas na primeira quinzena do mês de março. Art Este Estatuto entrará em vigor após sua aprovação em assembléia com a participação da maioria dos acadêmicos.

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA DE MEDICINA ESPORTIVA Capítulo I da Liga e seus fins Art. 1º A Liga de Medicina Esportiva é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão da da Universidade

Leia mais

CÓDIGO ELEITORAL TÍTULO I DAS FINALIDADES

CÓDIGO ELEITORAL TÍTULO I DAS FINALIDADES CÓDIGO ELEITORAL 1 A Comissão Eleitoral, eleita na 139ª Plena e ratificada na Assembleia Geral dos Servidores do Sindicato do Instituto Federal de Sergipe, ocorrida em 01 de fevereiro de 2016, e ainda,

Leia mais

ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS LEGENDA Texto em NEGRITO: Claúsulas que devem necessariamente constar do Estatuto, por força da Lei nº 9.790/99. Texto em Itálico: observações pertinentes ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - CAMPUS CANOAS TÍTULO I

ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - CAMPUS CANOAS TÍTULO I ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - CAMPUS CANOAS TÍTULO I DO CENTRO ACADÊMICO DO SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE Art. 1 O Centro

Leia mais

ESTATUTO CDL JOVEM SALVADOR. Capítulo I Da Constituição e Finalidade

ESTATUTO CDL JOVEM SALVADOR. Capítulo I Da Constituição e Finalidade ESTATUTO CDL JOVEM SALVADOR Capítulo I Da Constituição e Finalidade Art. 1º- A Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem de Salvador é um departamento oriundo e órgão estrutural da Câmara de Dirigentes Lojistas

Leia mais

LEI Nº 3.726, DE 20 DE MARÇO DE 1984 Retificada em 24/3/1984

LEI Nº 3.726, DE 20 DE MARÇO DE 1984 Retificada em 24/3/1984 LEI Nº 3.726, DE 20 DE MARÇO DE 1984 Retificada em 24/3/1984 Regulamenta as Caixas Escolares das escolas municipais de Belo Horizonte e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte, por

Leia mais

PROPOSTA ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DE GESTÃO ESPORTIVA E LAZER_7

PROPOSTA ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DE GESTÃO ESPORTIVA E LAZER_7 ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DE GESTÃO ESPORTIVA E LAZER, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS RESTINGA CAGEL. TÍTULO I DO CENTRO ACADÊMICO DE GESTÃO ESPORTIVA

Leia mais

PROGRAMA DE ELEIÇÒES PARA O CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMÇÃO

PROGRAMA DE ELEIÇÒES PARA O CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMÇÃO PROGRAMA DE ELEIÇÒES PARA O CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMÇÃO - 2016.1 Edital de eleição para o centro acadêmico do curso de Sistemas de Informação para o mandato de 2016/1 a 2016/2 do

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01/2017 ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO CAMPUS PETROLINA

COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01/2017 ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO CAMPUS PETROLINA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01/2017 ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO CAMPUS PETROLINA A Comissão Eleitoral, no uso de suas atribuições legais, torna pública a convocação dos discentes, regularmente matriculados

Leia mais

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação

Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Regimento da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico- Administrativos em Educação Aprovado pela Resolução

Leia mais

ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS

ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art.1 - O GRUPO DO LEITE, da Universidade Federal de Lavras (UFLA), entidade civil, apartidária, sem fins lucrativos,

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DA AGRONOMIA 2016 ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º - O Diretório Acadêmico do curso de Agronomia das Faculdades

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO CAPÍTULO I. Da Denominação, Natureza Jurídica e Sede

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO CAPÍTULO I. Da Denominação, Natureza Jurídica e Sede ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica e Sede Artigo 1º. A Associação, regida por este Estatuto e pela legislação aplicável, é denominada CLUBE DE CRIAÇÃO DE SÃO PAULO,

Leia mais

Sociedade Brasileira de História da Ciência. Estatuto

Sociedade Brasileira de História da Ciência. Estatuto Sociedade Brasileira de História da Ciência Estatuto Art. 1 A SOCIEDADE BRASILEIRA DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA (SBHC), fundada na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, em 16 de dezembro de 1983, é uma associação

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS CHAPECÓ GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL ESTATUTO DO GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS CHAPECÓ GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL ESTATUTO DO GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS CHAPECÓ GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL ESTATUTO DO GRÊMIO LIVRE ESTUDANTIL ESTATUTO APROVADO EM 18 DE JUNHO DE 2012 CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Fins e Duração.

Leia mais

Art. 5º - São direitos dos membros efetivos:

Art. 5º - São direitos dos membros efetivos: ANTE-PROJETO DO ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE AMERICANA - 06/04/ Capítulo I - Denominação, Sede, Finalidade e Duração Art. 1º - A empresa Júnior da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

EXTRATO DO REGIMENTO ELEITORAL DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL REFERENTE ÀS ELEIÇÕES PARA COORDENADOR E SUBCOORDENADOR DE CURSO

EXTRATO DO REGIMENTO ELEITORAL DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL REFERENTE ÀS ELEIÇÕES PARA COORDENADOR E SUBCOORDENADOR DE CURSO 1 EXTRATO DO REGIMENTO ELEITORAL DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL REFERENTE ÀS ELEIÇÕES PARA COORDENADOR E SUBCOORDENADOR DE CURSO TÍTULO I DO REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DOS CARGOS ELETIVOS Art.

Leia mais

DECRETO Nº 239/2015. Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Anti Drogas (COMAD) de Gramado.

DECRETO Nº 239/2015. Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Anti Drogas (COMAD) de Gramado. DECRETO Nº 239/2015 Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Anti Drogas (COMAD) de Gramado. NESTOR TISSOT, Prefeito Municipal de Gramado, no uso de suas atribuições legais, de acordo com a

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS MARGARIDA MARIA ALVES

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS MARGARIDA MARIA ALVES REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS MARGARIDA MARIA ALVES Art. 1º - A FUNDAÇÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS MARGARIDA MARIA ALVES, FDDHMMA, instituída pela Arquidiocese da Paraíba,

Leia mais

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES DO JUDICIÁRIO NOS ESTADOS Fundada em: 26 de março de 1989 CNPJ: 32.766.859/0001-00 ESTATUTO DA FENAJUD

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES DO JUDICIÁRIO NOS ESTADOS Fundada em: 26 de março de 1989 CNPJ: 32.766.859/0001-00 ESTATUTO DA FENAJUD ESTATUTO DA FENAJUD Aprovado pelo VI CONSEJU Congresso Nacional dos Servidores do Poder Judiciário nos Estados, em Salvador/BA, de 02 a 05 de Novembro de 2006. CAPITULO I Da Federação e seus objetivos

Leia mais

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT VOTO CONSU 2012-16 DE 26/04/2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO - UNASP FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT REGIMENTO 2012 2 SUMÁRIO TÍTULO I DA FACULDADE, SEUS FINS E OBJETIVOS... 3 TÍTULO II DA

Leia mais

Declarada de Utilidade Pública pelo Decreto Federal no /1952 DOU. Aprovado em Reuniaõ Ordinaŕia realizada no dia 27 de agosto de 2014 em

Declarada de Utilidade Pública pelo Decreto Federal no /1952 DOU. Aprovado em Reuniaõ Ordinaŕia realizada no dia 27 de agosto de 2014 em REGIMENTO ESPECIAL DE ELEIÇAÕ 2014 Aprovado em Reuniaõ Ordinaŕia realizada no dia 27 de agosto de 2014 em São Paulo SP. TI TULO I DISPOSIÇOẼS GERAIS Art. 1o - O presente Regimento tem como objeto a regulamentaçaõ

Leia mais

Edital de eleição para o Grêmio Estudantil Gestão

Edital de eleição para o Grêmio Estudantil Gestão Edital de eleição para o Grêmio Estudantil Gestão 2017-2018 A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições torna público o presente edital de Convocação para a inscrição das chapas que concorrerão às

Leia mais

UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAEPA - CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL

UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAEPA - CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAEPA - CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL ESTATUTO CAPÍTULO I DA ENTIDADE ART. 1º. O Centro Acadêmico de Engenharia de Produção Agroindustrial,

Leia mais

Edital de Convocação de Eleição Para a Representação Estudantil do Centro Acadêmico Andréa Ribeiro dos Santos CAARS

Edital de Convocação de Eleição Para a Representação Estudantil do Centro Acadêmico Andréa Ribeiro dos Santos CAARS Edital de Convocação de Eleição Para a Representação Estudantil do Centro Acadêmico Andréa Ribeiro dos Santos CAARS Art. 1º. Fica convocada a eleição para a representação estudantil do Centro Acadêmico

Leia mais

PROPOSTA DE ESTATUTO DA NAPA CPII

PROPOSTA DE ESTATUTO DA NAPA CPII PROPOSTA DE ESTATUTO DA NAPA CPII ESTATTUTO DA NOVA ASSOCIAÇÃO DE PAIS, MÃES E RESPONSÁVEIS DE ALUNOS E ALUNAS DO COLÉGIO PEDRO II -CAMPI SÃO CRISTÓVÃO - NAPA CPII CAPÍTULOI Da Denominação, da Natureza,da

Leia mais

GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ

GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ DA DEFINIÇÃO MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Art. 1 - O GRUPO SOLIDARIEDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS APOSENTADOS DO PARANÁ

Leia mais

Regimento Eleitoral do Grêmio Estudantil PAULO FREIRE em 2013

Regimento Eleitoral do Grêmio Estudantil PAULO FREIRE em 2013 Regimento Eleitoral do Grêmio Estudantil PAULO FREIRE em 2013 Título I Das disposições preliminares Art. 1º O presente regimento será aplicado pela Comissão Eleitoral no período das eleições para o Grêmio

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CONTADORES ESCRIVÃES E DISTRIBUIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A C E D I J U S / R S

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CONTADORES ESCRIVÃES E DISTRIBUIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A C E D I J U S / R S 1 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CONTADORES ESCRIVÃES E DISTRIBUIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A C E D I J U S / R S CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS, SEDE, DURAÇÃO E FORO: Art. 1 A associação

Leia mais

ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO PROF. MORAES JUNIOR CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO

ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO PROF. MORAES JUNIOR CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO PROF. MORAES JUNIOR CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO Art. 1º. O DIRETÓRIO ACADÊMICO DOS ALUNOS da FACULDADE PRESBITERIANA MACKENZIE RIO é entidade máxima de representação dos estudantes

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAMPUS PARAÍSO DO TOCANTINS IFTO 2016

REGULAMENTO ELEITORAL DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAMPUS PARAÍSO DO TOCANTINS IFTO 2016 REGULAMENTO ELEITORAL DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL IFTO 2016 Paraíso do Tocantins Outubro de 2016 A COMISSÃO ELEITORAL PARA ESCOLHA DA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL IFTO 2014, nomeados

Leia mais

ELEIÇÕES PARA O CENTRO ACADÊMICO DE GEOGRAFIA

ELEIÇÕES PARA O CENTRO ACADÊMICO DE GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS MINISTRO PETRÔNIO PORTELA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS CCHL CENTRO ACADÊMICO DE GEOGRAFIA CAGEO ELEIÇÕES PARA O CENTRO ACADÊMICO DE GEOGRAFIA O Centro Acadêmico

Leia mais

Prefeitura da Estância de Atibaia

Prefeitura da Estância de Atibaia Prefeitura da Estância de Atibaia 2 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI, de Atibaia/SP Capítulo I DA NATUREZA Art. 1 - O presente Regimento define, explicita e regulamenta as atividades,

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO - SEDE - FINS E DURAÇÃO

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO - SEDE - FINS E DURAÇÃO - ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DA JUVENTUDE RURAL DE ARROIO DO TIGRE - Arroio do Tigre/RS. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO - SEDE - FINS E DURAÇÃO Artigo 1 - A ASSOCIAÇÃO DA JUVENTUDE RURAL DE ARROIO DO TIGRE, fundada

Leia mais

FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ

FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ ESTATUTOS: DA FUNDAÇÃO DE AURÉLIO AMARO DINIZ Da Denominação, Natureza e Fins CAPITULO I Artigo 1º - 1 A Fundação Aurélio Amaro Diniz é uma Fundação de Solidariedade Social,

Leia mais

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. ESTATUTO DA AAPCEU TÍTULO I - DA ENTIDADE Capítulo Único - Da Denominação, Sede e Objeto ART. 1º - A Associação dos Aposentados e Pensionistas da Caixa dos Empregados da Usiminas, doravante denominada

Leia mais

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO DAS CHAPAS QUE CONCORRERÃO ÀS ELEIÇÕES DO GRÊMIO

Leia mais

Estatutos da Associação de Estudantes da ETPZP

Estatutos da Associação de Estudantes da ETPZP CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º Denominação, âmbito e sede 1. A Associação de Estudantes adiante designada por Associação, é a organização representativa dos alunos da (ETPZP). 2. A presente Associação,

Leia mais

CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO ESTUDANTIL

CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO ESTUDANTIL CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO ESTUDANTIL Art. 1º. Fica convocada a eleição para a representação estudantil do Centro Acadêmico dos cursos de Licenciatura e Bacharelado de Educação Física da UFVJM Campus Diamantina.

Leia mais

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições torna público o presente edital de Convocação para a inscrição das chapas que concorrerão às eleições do grêmio

Leia mais

ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO IFSC CÂMPUS ARARANGUÁ (Aprovado em Assembleia Geral realizada no dia 25 de setembro de 2013)

ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO IFSC CÂMPUS ARARANGUÁ (Aprovado em Assembleia Geral realizada no dia 25 de setembro de 2013) ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO IFSC CÂMPUS ARARANGUÁ (Aprovado em Assembleia Geral realizada no dia 25 de setembro de 2013) CAPÍTULO I Da denominação, sede, fins e duração Art.1 - O Grêmio Estudantil

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014)

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014) ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS Artigo Primeiro A Fundação dos Lions de Portugal é uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CENTRO ACADÊMICO DE JORNALISMO COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CENTRO ACADÊMICO DE JORNALISMO COMISSÃO ELEITORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CENTRO ACADÊMICO DE JORNALISMO COMISSÃO ELEITORAL EDITAL N 001, 05 DE FEVEREIRO DE 2014. A comissão eleitoral, no uso de suas atribuições e cumprindo disposições formuladas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA - UFSB REGIMENTO CONSULTA PARA ESCOLHA DE DECANATO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA - UFSB REGIMENTO CONSULTA PARA ESCOLHA DE DECANATO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA - UFSB REGIMENTO CONSULTA PARA ESCOLHA DE DECANATO INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS (IHAC) CAMPUS PAULO FREIRE UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

EDITAL Nº 002/2014 ELEIÇÕES PARA O CONSELHO DIRETOR E CONSELHO ACADÊMICO

EDITAL Nº 002/2014 ELEIÇÕES PARA O CONSELHO DIRETOR E CONSELHO ACADÊMICO EDITAL Nº 002/2014 ELEIÇÕES PARA O CONSELHO DIRETOR E CONSELHO ACADÊMICO Estabelece normas específicas para reger as eleições para as vagas remanescentes dos membros do CONSELHOS DIRETOR e CONSELHO ACADÊMICO

Leia mais

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO DAS CHAPAS QUE CONCORRERÃO ÀS ELEIÇÕES DO GRÊMIO

Leia mais

Edital Nº 01/2016 REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL NILO PEÇANHA - GESTÃO 2016/2017

Edital Nº 01/2016 REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL NILO PEÇANHA - GESTÃO 2016/2017 Edital Nº 01/2016 REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL NILO PEÇANHA - GESTÃO 2016/2017 A COMISSÃO ELEITORAL, constituída em 27 de janeiro de 2016, por determinação da Assembleia

Leia mais

SISTEMA ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS COORDENADORES REGIONAIS E ESTADUAL DO COLÉGIO DE ENTIDADES DE CLASSE REGISTRADAS NO CREA-RS

SISTEMA ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS COORDENADORES REGIONAIS E ESTADUAL DO COLÉGIO DE ENTIDADES DE CLASSE REGISTRADAS NO CREA-RS SISTEMA ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS COORDENADORES REGIONAIS E ESTADUAL DO COLÉGIO DE ENTIDADES DE CLASSE REGISTRADAS NO CREA-RS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º Este Regulamento Eleitoral estabelece normas

Leia mais

EDITAL PARA A ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO E MILITAR - ASEMPT

EDITAL PARA A ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO E MILITAR - ASEMPT EDITAL PARA A ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO E MILITAR - ASEMPT A Comissão Eleitoral usando dos poderes que lhe foram conferidos resolve editar

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE BRASILEIROS ESTUDANTES DE PÓS- GRADUAÇÃO E PESQUISADORES NO REINO UNIDO (ABEP- UK)

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE BRASILEIROS ESTUDANTES DE PÓS- GRADUAÇÃO E PESQUISADORES NO REINO UNIDO (ABEP- UK) ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE BRASILEIROS ESTUDANTES DE PÓS- GRADUAÇÃO E PESQUISADORES NO REINO UNIDO (ABEP- UK) 15 de Fevereiro de 2013 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADES Art. 1 - A Associação

Leia mais

Edital Eleitoral do Grêmio Estudantil do Instituto Federal de São Paulo, Câmpus Capivari (IFSP/CPV) Professor Waldo Luís de Lucca (2016/2017)

Edital Eleitoral do Grêmio Estudantil do Instituto Federal de São Paulo, Câmpus Capivari (IFSP/CPV) Professor Waldo Luís de Lucca (2016/2017) Edital Eleitoral do Grêmio Estudantil do Instituto Federal de São Paulo, Câmpus Capivari (IFSP/CPV) Professor Waldo Luís de Lucca (2016/2017) A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições torna público

Leia mais

CAPITULO 1: Da Comissão Eleitoral

CAPITULO 1: Da Comissão Eleitoral COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01/2016 REGIMENTO DAS ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLIGIA DA BAHIA CAMPUS JACOBINA A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL Art. 1º. O presente edital tem como finalidade gerir as eleições para a gestão 2016/2017 do Grêmio Estudantil do IFTM

Leia mais

Edital 01/2016 da Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital 01/2016 da Eleição para o Grêmio Estudantil INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, PIAUÍ CAMPUS PAULISTANA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO Edital 01/2016 da Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE

Leia mais

fmvz - unesp FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - CAMPUS DE BOTUCATU DIRETORIA

fmvz - unesp FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - CAMPUS DE BOTUCATU DIRETORIA PORTARIA DO DIRETOR Nº 24, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Regulamento Geral de Grupos de Estudos - GE, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UNESP, Campus de Botucatu. O Diretor da Faculdade de Medicina

Leia mais

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADE Art. 1º. A Frente Parlamentar do Cooperativismo, Frencoop, é uma entidade civil, de interesse

Leia mais

EDITAL Nº. 01/2014 Eleições para Oeste Empresa Junior - OEJ da Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB 2014/2015

EDITAL Nº. 01/2014 Eleições para Oeste Empresa Junior - OEJ da Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB 2014/2015 EDITAL Nº. 01/2014 Eleições para Oeste Empresa Junior - OEJ da Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB 2014/2015 DISPOSIÇÕES GERAIS ART. 1º - A eleição para diretoria da Oeste Empresa Júnior (2014/2015)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE EDUCAÇÃO, LETRAS E ARTES CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE EDUCAÇÃO, LETRAS E ARTES CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE EDUCAÇÃO, LETRAS E ARTES CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS EDITAL N 001/2014 EDITAL DE ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR DO CURSO DE LETRAS:

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH

Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH Regulamento do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Art. 1º O Núcleo de Apoio à Pesquisa do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH (NAPMED-BH) foi criado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES CEP/HUOL REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA

Leia mais

EDITAL Nº. 02/2015 ELEIÇÃO PARA DIRETORIA EXECUTIVA DA EMPRESA JÚNIOR

EDITAL Nº. 02/2015 ELEIÇÃO PARA DIRETORIA EXECUTIVA DA EMPRESA JÚNIOR EDITAL Nº. 02/2015 ELEIÇÃO PARA DIRETORIA EXECUTIVA DA EMPRESA JÚNIOR A Comissão Eleitoral da Empresa Junior de Engenharia Civil da Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC, doravante denominada ENGETEC

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL DO GRÊMIO ESTUDANTIL DA ESCOLA TÉCNICA FREDERICO GUILHERME SCHMIDT GESTÃO 2015

REGIMENTO ELEITORAL DO GRÊMIO ESTUDANTIL DA ESCOLA TÉCNICA FREDERICO GUILHERME SCHMIDT GESTÃO 2015 REGIMENTO ELEITORAL DO GRÊMIO ESTUDANTIL DA ESCOLA TÉCNICA FREDERICO GUILHERME SCHMIDT GESTÃO 2015 A comissão eleitoral constituída em 26 de março de 2015, considerando a necessidade de ser eleito o novo

Leia mais

Comissão Eleitoral DCE/IF Sertão-PE EDITAL 001

Comissão Eleitoral DCE/IF Sertão-PE EDITAL 001 Comissão Eleitoral DCE/IF Sertão-PE EDITAL 001 Art. 1. Esta Comissão Eleitoral foi escolhida em Assembleia Geral dos Estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano,

Leia mais

Art. 1º - Aprovar, no Centro de Ensino Superior Riograndense - CESURG MARAU, o Regulamento da Empreender Júnior, cujo inteiro teor se aplica a seguir:

Art. 1º - Aprovar, no Centro de Ensino Superior Riograndense - CESURG MARAU, o Regulamento da Empreender Júnior, cujo inteiro teor se aplica a seguir: RESOLUÇÃO Nº 002/2016 Regulamenta a Empreender Júnior, Empresa Júnior do Centro de Ensino Superior Riograndense CESURG MARAU 1, e dá outras providências. O Diretor Presidente do Centro de Ensino Superior

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AS ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL NELSON DA RABECA GESTÃO 2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AS ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL NELSON DA RABECA GESTÃO 2017 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AS ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL NELSON DA RABECA GESTÃO 2017 Instituto Federal de Alagoas Campus Marechal Deodoro A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições legais torna

Leia mais

Regimento Interno da SBMET

Regimento Interno da SBMET Regimento Interno da SBMET Capítulo I - Da Finalidade Art.1o - A SBMET tem como finalidade promover, incentivar, conduzir, organizar e divulgar os objetivos da Sociedade. Para tal devem atender as atividades

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA JOHN DALTON CAJD.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA JOHN DALTON CAJD. EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA JOHN DALTON CAJD Edital 01/2016 A Comissão Eleitoral do Curso de Licenciatura em Química 2016 vem

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS CEPh/FACTO A FACTO, em cumprimento a Resolução nº. 196, do Conselho Nacional de Saúde (CNS/MS), expedida

Leia mais

EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA

EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA EDITAL N 06, DE 14 DE MARÇO DE 2016. ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS RESTINGA O Diretor-Geral do do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

FACULDADE SÃO PAULO MANTIDA PELA SOCIEDADE SÃO PAULO DE ENSINO SUPERIOR SSPES REGULAMENTO DO NDE

FACULDADE SÃO PAULO MANTIDA PELA SOCIEDADE SÃO PAULO DE ENSINO SUPERIOR SSPES REGULAMENTO DO NDE FACULDADE SÃO PAULO MANTIDA PELA SOCIEDADE SÃO PAULO DE ENSINO SUPERIOR SSPES REGULAMENTO DO NDE 1 REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) Artigo 1º - O Núcleo Docente Estruturante é órgão de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SÃO JOÃO DEL-REI

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SÃO JOÃO DEL-REI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SÃO JOÃO DEL-REI GABINETE DO DIRETOR-GERAL

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA CIVIL

ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI Centro Acadêmico de Engenharia Civil ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA CIVIL Ouro Branco, Minas Gerais. Capítulo I DA SOCIEDADE E SEUS FINS (Art.54, I

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES DA ATEFFA MS TÍTULO I

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES DA ATEFFA MS TÍTULO I REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES DA ATEFFA MS TÍTULO I Art. 1º - A Associação do Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária de Mato Grosso do Sul ATEFFA/MS, através deste regimento estabelece os procedimentos

Leia mais

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADUFERPE-S.SIND DO ANDES-SN - BIÊNIO 2015/2017

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADUFERPE-S.SIND DO ANDES-SN - BIÊNIO 2015/2017 ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADUFERPE-S.SIND DO ANDES-SN - BIÊNIO 2015/2017 REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Eleitoral tem por finalidade

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL ANDAV CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, FORO, DURAÇÃO, OBJETIVOS.

ESTATUTO SOCIAL ANDAV CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, FORO, DURAÇÃO, OBJETIVOS. ESTATUTO SOCIAL ANDAV CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, FORO, DURAÇÃO, OBJETIVOS. Artigo 1 A ANDAV Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, associação, de âmbito nacional em caráter

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUAGENS, LEITURA E ESCRITA

NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUAGENS, LEITURA E ESCRITA NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUAGENS, LEITURA E ESCRITA CAPÍTULO I DA NATUREZA, DA SEDE E DOS OBJETIVOS Art. 1 O Núcleo de Estudos em Linguagens, Leitura e Escrita, também identificado pela sigla NELLE, entidade

Leia mais

Capitulo I Da denominação, natureza, sede, regimento e duração

Capitulo I Da denominação, natureza, sede, regimento e duração ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO DOS ESTUDANTES DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE Capitulo I Da denominação, natureza, sede, regimento e duração Artigo 1 - O Centro Acadêmico

Leia mais

EDITAL Nº 03/2016 I DA COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL

EDITAL Nº 03/2016 I DA COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL- RIO- GRANDENSE CAMPUS VENÂNCIO AIRES EDITAL Nº 03/2016 Dispõe sobre o regulamento

Leia mais

DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI BIÊNIO 2015/2016 TITULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI BIÊNIO 2015/2016 TITULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO ELEITORAL PARA AS ELEIÇÕES DA DIRETORIA DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI BIÊNIO 2015/2016 TITULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 O SINTUESPI será dirigido por

Leia mais

ESTATUTO DO GRUPO JOVENS PROMOTORES DA VIDA

ESTATUTO DO GRUPO JOVENS PROMOTORES DA VIDA ESTATUTO DO GRUPO JOVENS PROMOTORES DA VIDA Sumário TÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA NATUREZA, DOS COMPROMISSOS E DAS FINALIDADES... 2 CAPÍTULO I - DOS COMPROMISSOS DO GRUPO... 2 CAPÍTULO II - DAS FINALIDADES

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS Educar pela Pesquisa CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 1/2016 ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO DO CAMPUS OSÓRIO

COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 1/2016 ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO DO CAMPUS OSÓRIO COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 1/2016 ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO DO CAMPUS OSÓRIO A Comissão Eleitoral, no uso de suas atribuições legais, torna pública a

Leia mais

CRUZ AZUL DE SÃO PAULO

CRUZ AZUL DE SÃO PAULO CRUZ AZUL DE SÃO PAULO ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO Art. 1º. O Grêmio Estudantil do Colégio PM é o representativo geral

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO IFBA CAMPUS IRECÊ

COMISSÃO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO IFBA CAMPUS IRECÊ EDITAL PARA ELEIÇÃO DO GRÊMIO ESTUDANTIL DO IFBA CAMPUS IRECÊ 2016 A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO DAS CHAPAS QUE CONCORRERÃO

Leia mais

EMPRESA FAI JUNIOR DA FACULDADE VALE DO ITAPECURU FAI EDITAL N.º 001 DE 05 DE ABRIL DE 2016

EMPRESA FAI JUNIOR DA FACULDADE VALE DO ITAPECURU FAI EDITAL N.º 001 DE 05 DE ABRIL DE 2016 EMPRESA FAI JUNIOR DA FACULDADE VALE DO ITAPECURU FAI EDITAL N.º 001 DE 05 DE ABRIL DE 2016 Divulga o PROCESSO DE ELEIÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRATIVO E DA DIRETORIA EXECUTIVA DA EMPRESA FAI JUNIOR, para

Leia mais

Edital de Convocação de Eleição para Diretoria do Diretório Central Estudantil (DCE) do IF Sudeste MG - Campus Barbacena

Edital de Convocação de Eleição para Diretoria do Diretório Central Estudantil (DCE) do IF Sudeste MG - Campus Barbacena Edital de Convocação de Eleição para Diretoria do Diretório Central Estudantil (DCE) do IF Sudeste MG - Campus Barbacena Art. 1º -O presente edital tem por finalidade regulamentar as eleições do Diretório

Leia mais

Estatuto do Grêmio. Capítulo 1 Da denominação, sede, fins e duração.

Estatuto do Grêmio. Capítulo 1 Da denominação, sede, fins e duração. Estatuto do Grêmio Capítulo 1 Da denominação, sede, fins e duração. Art.1º- O grêmio estudantil do Colégio Elvira Brandão fundado em 2005 funcionará no referido estabelecimento de ensino com duração ilimitada.

Leia mais

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÃO PARA CHEFE E VICE CHEFE DO DCA

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÃO PARA CHEFE E VICE CHEFE DO DCA NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÃO PARA CHEFE E VICE CHEFE DO I INTRODUÇÃO Art. 1. Art. 2. O Chefe e Vice Chefe do Departamento de Engenharia de Computação e Automação () da Universidade Federal do Rio

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES DO DIRETORIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA UFABC 2013/2014

REGIMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES DO DIRETORIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA UFABC 2013/2014 REGIMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES DO DIRETORIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA UFABC 2013/2014 Artigo 1 - O presente regimento tem por objetivo regulamentar as eleições do Diretório Central dos Estudantes da Universidade

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO DE PESQUISAS AVANÇADAS EM QUALIDADE DE VIDA CPAQV

ESTATUTO DO CENTRO DE PESQUISAS AVANÇADAS EM QUALIDADE DE VIDA CPAQV ESTATUTO DO CENTRO DE PESQUISAS AVANÇADAS EM QUALIDADE DE VIDA CPAQV Título I DA DENOMINAÇÃO, CRIAÇÃO, DURAÇÃO, OBJETIVO, FINALIDADES, SEDE E PATRIMÔNIO Artigo 1 º - O Centro de Pesquisas Avançadas em

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CENECISTA DE OSÓRIO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES ELEIÇÕES 2017 DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES REGIMENTO ELEITORAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CENECISTA DE OSÓRIO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES ELEIÇÕES 2017 DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES REGIMENTO ELEITORAL CENTRO UNIVERSITÁRIO CENECISTA DE OSÓRIO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES ELEIÇÕES 2017 DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES REGIMENTO ELEITORAL Capítulo I Das Disposições Preliminares Artigo 1º. Este edital

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL - DE/HU

REGIMENTO ELEITORAL - DE/HU SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. POLYDORO ERNANI DE SÃO THIAGO DIRETORIA DE ENFERMAGEM REGIMENTO ELEITORAL - DE/HU CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR IFRS - CAMPUS CAXIAS DO SUL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES

ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR IFRS - CAMPUS CAXIAS DO SUL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR IFRS - CAMPUS CAXIAS DO SUL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES Os Estudantes do Campus Caxias do Sul do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do

Leia mais

Regimento Eleitoral 2016 Comissão Eleitoral dos Cursos Técnicos Integrados 07/03/2016

Regimento Eleitoral 2016 Comissão Eleitoral dos Cursos Técnicos Integrados 07/03/2016 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul IFRS Câmpus Canoas COMISSÃO ELEITORAL DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO (CE-EM) REGIMENTO ELEITORAL A Comissão Eleitoral

Leia mais

REGIME TO ELEITORAL DO SI DICATO DOS SERVIDORES MU ICIPAIS DE CA ELA - RS TÍTULO I. Da Comissão Eleitoral. Capítulo I Das Generalidades

REGIME TO ELEITORAL DO SI DICATO DOS SERVIDORES MU ICIPAIS DE CA ELA - RS TÍTULO I. Da Comissão Eleitoral. Capítulo I Das Generalidades REGIME TO ELEITORAL DO SI DICATO DOS SERVIDORES MU ICIPAIS DE CA ELA - RS TÍTULO I Da Comissão Eleitoral Das Generalidades Art. 1º - A Comissão Eleitoral do Sindicato dos Servidores Municipais de Canela

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 A Comissão Eleitoral Discente do Curso de Direito da UFSM, composta nos termos do art. 45 e do Estatuto

Leia mais

SEGUNDO CONTEÚDO ESTABELECIDO EM ASSEMBLÉIA NO DIA 03 DE OUTUBRO DE 2001.

SEGUNDO CONTEÚDO ESTABELECIDO EM ASSEMBLÉIA NO DIA 03 DE OUTUBRO DE 2001. ESTATUTO DO CENTRO ACADMICO DE FILOSOFIA CAFIL/ UERJ SEGUNDO CONTEÚDO ESTABELECIDO EM ASSEMBLÉIA NO DIA 03 DE OUTUBRO DE 2001. CAPTULO I Das Comissões: Art.1 - O Centro Acadêmico de Filosofia CAFIL/ UERJ

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul IFRS Câmpus Canoas

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul IFRS Câmpus Canoas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul IFRS Câmpus Canoas COMISSÃO ELEITORAL DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO (CE-EM) REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO GESTÃO

Leia mais