Ceará e o eclipse que ajudou Einstein

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ceará e o eclipse que ajudou Einstein"

Transcrição

1 Ceará e o eclipse que ajudou Einstein Eixo(s) temático(s) Terra e Universo Tema Sistema Solar Conteúdos Sistema Terra-Lua-Sol / eclipses Usos / objetivos Retomada de conhecimentos / avaliação / problematização e sensibilização para o estudo de um tema complexo Competências e habilidades Voltadas para procedimentos e atitudes Ler e interpretar um texto; responder às questões usando argumentos coerentes com os seus conhecimentos e formando frases completas e que tenham clareza; elaborar esquemas. Voltadas para os conteúdos Compreender o fenômeno do eclipse; identificar os papéis da Terra, do Sol e da Lua e a disposição de cada um desses astros durante um eclipse; reconhecer o Sol como uma estrela; relacionar a alta luminosidade de um corpo próximo com a impossibilidade de visualização de corpos luminosos mais afastados. Estratégias A atividade de aprendizagem poderá ser utilizada para uma avaliação do conhecimento a respeito da luz e dos fenômenos a ela associados e para a construção do conceito desses fenômenos. Neste caso, use as questões 1 e 2 como verificação dos conhecimentos prévios dos alunos, e só depois de os conceitos serem estudados e sistematizados volte a elas e peça aos alunos que reescrevam suas respostas usando o que foi aprendido. Em seguida, continue a atividade. A questão 4 pode ser um bom instrumento para você avaliar a aprendizagem. Recomendamos que inicialmente seja realizada uma leitura do texto por você ou por um aluno da turma. Feito isso, questione os alunos se eles já viram uma situação semelhante, em que a água atua como um espelho. Os alunos poderão responder individualmente cada uma das questões. Ainda que você use a atividade como uma avaliação, recomendamos que exista um momento de discussão, que poderá ocorrer após você efetuar a correção, em uma aula posterior. Essa discussão permitirá que a avaliação não apenas ocupe um papel de verificador do conhecimento, mas também de ferramenta

2 Estratégias promotora da aprendizagem, permitindo uma melhor consolidação dos conceitos, no momento que você oferece nova abordagem, usando um contexto talvez diferente do usado nas suas aulas. Sugerimos o uso também no 6º ano, mas lembramos que, nesse caso, as questões devem ser modificadas para que os alunos só comparem o fenômeno apresentado (reflexão na água do rio) com os conceitos que aparecem no livro sem que atribuam nomes a isso, apenas fazendo comparação das características dos fenômenos estudados. Sugestões de uso na coleção Ciências Naturais 8º ano Cap. 2 Os eclipses: situações especiais entre a Terra e a Lua (p. 39) Informações complementares Ainda que o texto cite uma teoria moderna do campo da Física e destaque a comprovação desta teoria a partir de um fenômeno observado em Sobral (CE), a atividade está voltada para o fenômeno do eclipse e, de forma mais discreta, trata também da relação entre luminosidade e percepção de objetos luminosos próximos ou afastados de outros objetos luminosos. A teoria proposta por Albert Einstein ( ) previa que a luz, ao passar por regiões do espaço com maior densidade, por exemplo, nas proximidades de uma estrela, deveria sofrer desvios. Uma possibilidade de testar essa previsão do ponto de vista da superfície da Terra seria tirar algumas fotografias de uma mesma estrela em dois momentos: quando estivesse longe do Sol e quando estivesse próximo ao Sol no plano celeste, que é o céu que vemos da Terra. Comparando as duas fotografias, seria possível identificar o desvio previsto por Einstein. O problema é que, se uma estrela está próximo ao Sol no plano celeste, ela não pode ser vista, pois seu brilho é ofuscado pela luz dele. Assim, a única possibilidade de fotografarmos uma estrela próximo ao Sol seria durante um eclipse solar, quando a luz desse astro é ocultada. Em 1919, um grupo de cientistas veio ao Brasil para observar um eclipse solar total. Na cidade de Sobral, no Ceará, eles puderam obter fotografias desse fenômeno. A comparação desta fotografia com outras permitiu identificar o desvio da luz de estrelas próximo ao Sol no plano celeste, conforme previsto por Einstein. Esse acontecimento histórico pode servir para contextualizar uma discussão sobre os eclipses. É possível que os alunos se mostrem curiosos pela Física moderna, mas pela complexidade envolvida nesta teoria, e por este não ser o foco da atividade, sugerimos retomar a discussão sobre eclipses, destacando o fato de um eclipse observado em nosso país ter contribuído para a evolução da Ciência. Respostas 1. Segundo o texto, uma expedição científica da Real Sociedade Astronômica de Londres foi enviada a Sobral, no Ceará, para observar um eclipse do Sol. As fotografias obtidas na observação permitiram comprovar uma das previsões feitas por Einstein em uma de suas teorias. Assim, Sobral (CE) entrou na História da Ciência como o local onde se observou o eclipse que demonstrou que a teoria de Einstein estaria correta.

3 2. O eclipse do Sol é um fenômeno em que a Lua se posiciona entre a Terra e o Sol, ocultando parte da luz do Sol, quando este é observado da Terra. Esquema representando um eclipse do Sol: Créditos: Olga Santana 3. Porque somente com a luz do Sol oculta durante o dia, como ocorre durante um eclipse solar, podemos ver a luz emitida por outras estrelas que estão próximo ao Sol, no plano celeste. A luz dessas estrelas está geralmente ofuscada pelo brilho do Sol, em razão da proximidade entre esse astro e a Terra. Durante o dia, é possível ver estrelas ao anoitecer e ao amanhecer, mesmo quando o Sol está visível, pois nesses períodos a luz desse astro chega com menor intensidade à superfície da Terra, e assim permite que outras estrelas sejam vistas. 4. Sim. Eclipse da Lua. Neste eclipse, a Terra se posiciona entre o Sol e a Lua, não permitindo que a luz solar chegue à superfície deste satélite. Como a Lua não possui luz própria o brilho visto da Terra é apenas uma reflexão da luz do Sol, durante um eclipse lunar é possível ver a Lua mais escura. Os alunos podem apresentar explicações do fenômeno afirmando que o eclipse da Lua ocorre quando a Terra, ao se posicionar entre o Sol e a Lua, ocasiona uma sombra sobre a Lua, diminuindo a sua luminosidade. Essa resposta também é correta e se aproxima mais das explicações disponíveis na coleção. A diferença entre as duas respostas é, assim, a citação da sombra da Terra. Esquema representando um eclipse da Lua: Créditos: Olga Santana

4 NOME: No ANO DATA: / / Ceará e o eclipse que ajudou Einstein Você provavelmente já ouviu falar de Albert Einstein, ou já viu uma de suas fotografias mais famosas, na qual, com cabelo grisalho e arrepiado, aparece mostrando a língua. Einstein foi um físico alemão muito conhecido, que na primeira década de 1900 apresentou algumas teorias científicas que contribuíram para o progresso da Ciência. Algo que talvez você não saiba é que uma de suas principais teorias, a Teoria da Relatividade Geral, teve sua primeira comprovação graças às observações feitas durante um eclipse, na cidade de Sobral, no Ceará. É isso mesmo, no Ceará! Aqui no Brasil! Uma das previsões da Teoria de Einstein é que um raio de luz, como o emitido por uma estrela, se curvaria ao passar próximo a uma região do Universo com muita massa, por exemplo, próximo a uma estrela, como o nosso Sol. A observação da luz de uma estrela localizada quase atrás do Sol, quando observada da Terra, seria uma forma de comprovar a previsão de Einstein. Considerando as distâncias estelares, podemos dizer que o Sol está próximo a nós e emite muita luz e, por isso, não podemos ver a luz de outras estrelas próximo a ele, a não ser que apaguemos a luz do Sol por alguns instantes. Nós não podemos apagar a luz do Sol, mas existe um fenômeno que permite que ela seja coberta por alguns instantes, e assim possibilita que vejamos outras estrelas no céu: o eclipse do Sol. Durante um eclipse solar, a Lua está posicionada entre a Terra e o Sol, não permitindo que a luz solar chegue a uma determinada região da Terra, a região em que o eclipse é observado. Em 29 de maio de 1919, aconteceu um eclipse do Sol, e os melhores lugares para observar este fenômeno eram parte da América do Sul e costa ocidental da África. A Real Sociedade Astronômica de Londres organizou então duas expedições científicas para observar o eclipse: uma na Ilha de Príncipe, na África, e outra em Sobral, no estado do Ceará, no Brasil. Enquanto a expedição enviada para a África não conseguiu boa visão porque o céu estava nublado e chovia, a expedição enviada ao Brasil pôde obter boas fotografias do eclipse sem que nuvens ou chuvas atrapalhassem. Essas observações permitiram identificar o desvio da luz de estrelas na proximidade do Sol, confirmando a previsão de Einstein. Hoje, esse importante acontecimento é lembrado não somente nos livros de História da Ciência, mas também com um marco na cidade de Sobral, o Museu do Eclipse, que possui entre seus itens expostos a luneta utilizada na expedição e algumas fotografias do eclipse e dos membros da expedição. Atividades 1. Segundo o texto, o que ocorreu em Sobral (CE) que faz com que esta cidade brasileira esteja registrada na História da Ciência?

5 2. Explique o que é um eclipse do Sol e faça um desenho representando este fenômeno. Não se esqueça de identificar o nome dos corpos celestes desenhados. 3. Por que somente durante o eclipse do Sol foi possível observar a luz de uma estrela que, vista da Terra, estaria próximo a ele? 4. Existe algum outro tipo de eclipse? Qual? Explique como ele ocorre e faça um esquema representando o fenômeno.

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 1 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº

Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 1 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos FÍSICA - Lucas 1 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos: Fenômenos Ópticos e Espelhos Planos 1. (Pucrj 2013) A uma certa hora da manhã, a inclinação dos

Leia mais

EXERCÍCIO DE AVALIAÇÃO 2 - A NOME:

EXERCÍCIO DE AVALIAÇÃO 2 - A NOME: EXERCÍCIO DE AVALIAÇÃO 2 - A NOME: 1) Na semana passada (no dia 22 de setembro) ocorreu um eclipse do Sol na região Norte do Brasil. Na cidade de Oiapoque, este eclipse foi um eclipse anular. Escolha qual

Leia mais

Eclipse e Fases da Lua

Eclipse e Fases da Lua Eclipse e Fases da Lua www.nsaulasparticulres.com.br Página 1 de 9 1. (G1 - ifsp 2013) Mecanismos do Eclipse A condição para que ocorra um Eclipse é que haja um alinhamento total ou parcial entre Sol,

Leia mais

Fases da Lua e eclipses (Pp. 102 a 107) Movimento relativo da Lua, da Terra e do Sol. Manual

Fases da Lua e eclipses (Pp. 102 a 107) Movimento relativo da Lua, da Terra e do Sol. Manual Movimentos e fases da Lua Fases da Lua e eclipses (Pp. 102 a 107) Movimento relativo da Lua, da Terra e do Sol Fases da Lua Lua nova Quarto crescente Lua cheia Quarto minguante Eclipse da Lua Eclipse do

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Administração

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Administração Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Administração

Leia mais

a) Chamando o salário de S e o valor vendido de v, escreva a fórmula matemática da função que define o salário de Marichanica.

a) Chamando o salário de S e o valor vendido de v, escreva a fórmula matemática da função que define o salário de Marichanica. DATA DE ENTREGA: 6 / 10 / 016 QiD 7 9º ANO PARTE 4 MATEMÁTICA 1. (1,0) Em uma lanchonete entrou um grupo de x alunos, e cada um pediu o prato da casa. O prato custava R$5,00, mas foi dado um desconto de

Leia mais

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 Aula 3.1 Conteúdo: Luz e sombra. 3 Habilidade: Reconhecer, diferenciar e saber utilizar diversas técnicas de arte, com procedimentos

Leia mais

Quantos movimentos tem a Terra? Quem sabe???

Quantos movimentos tem a Terra? Quem sabe??? Quantos movimentos tem a Terra? Quem sabe??? Rotação Movimento em torno de seu próprio eixo; Sentido: Oeste para Leste; Duração: 23horas e 56 minutos; Velocidade: 1 674 km/h. Consequência: sucessão dos

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar ALUNO(A): TURMA: Ciências.

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar ALUNO(A): TURMA: Ciências. FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ 2012 O Colégio que ensina o aluno a estudar APICE ALUNO(A): TURMA: Ciências [1 a Etapa] Você está recebendo o APICE (Atividades Para Intensificar os Conhecimentos da

Leia mais

Introdução à astronomia O Sistema Solar

Introdução à astronomia O Sistema Solar Introdução à astronomia O Sistema Solar Introdução a astronomia A Lua A Terra Viver na Terra Introdução a Astronomia Astronomia é a ciência que estuda os astros e os fenômenos celestes. Universo é o conjunto

Leia mais

PLANO DE AULA DOCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 4º ANO. Terrestre: Produção do Ecossistema

PLANO DE AULA DOCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 4º ANO. Terrestre: Produção do Ecossistema PLANO DE AULA DOCENTE CIÊNCIAS NATURAIS 4º ANO Professora: Mariangela Morais Miguel Celeste: Produção do Universo 1.3. Sol Terra: Movimentos da Terra: - Rotação: dias e noites diferenças na duração dos

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 9º ANO 3 BIM

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 9º ANO 3 BIM ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 9º ANO 3 BIM Nome: Nº 9º ano EF Data: / /2016 Professores: Gladstone / Samuel 3º Bimestre A - Introdução Leia, atentamente, este roteiro, pois ele resgata conteúdos essenciais

Leia mais

3 o Ano Ensino Fundamental I

3 o Ano Ensino Fundamental I 2011 FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ O Colégio que ensina o aluno a estudar APICE 3 o Ano Ensino Fundamental I ALUNO(A): TURMA: Ciências [1 a Etapa] Você está recebendo o APICE (Atividade para Intensificar

Leia mais

1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO

1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2014 89 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N REC. PARALELA FÍSICA II 2º ANO EM TURMA 222 PROFº ROGÉRIO 1º BIMESTRE 1.

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA. 3º Bimestre

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA. 3º Bimestre ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA Nome: Nº 9º ano Data: 2º semestre / 2016 Nota: Professores: Gladstone/Samuel 3º Bimestre A - Introdução Leia, atentamente, este roteiro, pois ele resgata conteúdos essenciais

Leia mais

Ficha de Trabalho nº 11 Matemática 7º ano Maio / 2011 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ESTATÍSTICA

Ficha de Trabalho nº 11 Matemática 7º ano Maio / 2011 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ESTATÍSTICA Ficha de Trabalho nº 11 Matemática 7º ano Maio / 2011 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ESTATÍSTICA Recorda: A Estatística é um ramo da Matemática que nos ajuda a recolher, organizar e interpretar dados para tirar

Leia mais

XII OBA PROVA DO NÍVEL 1

XII OBA PROVA DO NÍVEL 1 XII OBA PROVA DO NÍVEL 1 (Para alunos da 1 a e 2 a séries das escolas nas quais o ensino fundamental tem 8 anos e para alunos do 1 o ao 3 o ano das escolas nas quais o ensino fundamental já é de 9 anos).

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA CENTRO EDUCACIONAL SIGMA 5ºano CIÊNCIAS 1º período 1.5 30 de março de 2015 Cuide da organização da sua avaliação: escreva de forma legível, fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec: PROFª NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências da Natureza Componente Curricular: Biologia

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: CONTABILIDADE DE CUSTOS Eixo tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS

Leia mais

d)cheia 10. Existe relação entre umbra,penumbra,eclipse e sombra?

d)cheia 10. Existe relação entre umbra,penumbra,eclipse e sombra? 1ª aula : Questões 1. Por quê não acontece eclipse em todo lugar no Brasil na mesma hora? 2. O que é umbra? 3. O que é penumbra? 4. O que é sombra? 5. O que é eclipse? 6. Qual a diferença entre eclipse

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ESTELAR:

CLASSIFICAÇÃO ESTELAR: CLASSIFICAÇÃO ESTELAR: TÓPICO 2 AS ESTRELAS NÃO SÃO IGUAIS Jane C. Gregório Hetem 2.1 Espectros Estelares 2.2 A ordem dos tipos espectrais 2.3 Comparando as diversas categorias de estrelas 2.4 O tamanho

Leia mais

Exercícios de Revisão Global 3º Bimestre

Exercícios de Revisão Global 3º Bimestre Exercícios de Revisão Global 3º Bimestre 1. Um aluno está olhando de frente para uma superfície metálica totalmente polida. Explique como o aluno se enxerga e qual o nome deste fenômeno? A explicação está

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Óptica geométrica. Mecanismos do Eclipse

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Óptica geométrica. Mecanismos do Eclipse Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Óptica geométrica 01 - (PUC RJ) A uma certa hora da manhã, a inclinação

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA Nome: Nº 9º ano Data: 4º bimestre/ 2015 Nota: Professor: Boniek A - Introdução Leia, atentamente, este roteiro, pois ele resgata conteúdos essenciais para o prosseguimento

Leia mais

Conteúdo(s) - Grandezas e Medidas; - Tratamento da Informação. Ano(s) 4º e 5º. Tempo estimado Uma a duas aulas.

Conteúdo(s) - Grandezas e Medidas; - Tratamento da Informação. Ano(s) 4º e 5º. Tempo estimado Uma a duas aulas. Objetivo(s) - Comparar e ordenar números naturais de qualquer ordem de grandeza; - Utilizar medidas de tempo em conversões simples entre meses e dias/ meses e semanas/ meses e anos; - Estabelecer relações

Leia mais

Ciências Físico-Químicas 7.º Ano Terra em Transformação / Terra no Espaço Carlos Alberto da Silva Ribeiro de Melo

Ciências Físico-Químicas 7.º Ano Terra em Transformação / Terra no Espaço Carlos Alberto da Silva Ribeiro de Melo Ciências Físico-Químicas 7.º Ano Terra em Transformação / Terra no Espaço Carlos Alberto da Silva Ribeiro de Melo QUÍMICA TEMAS OBJECTIVOS DE APRENDIZAGEM SITUAÇÕES E EXPERIÊNCIAS EDUCATIVAS AULAS TERRA

Leia mais

ˆ Saber o nome do astronauta que pisou, pela primeira vez, a superfície lunar; ˆ identicar a Lua como uma astro que não tem atmosfera;

ˆ Saber o nome do astronauta que pisou, pela primeira vez, a superfície lunar; ˆ identicar a Lua como uma astro que não tem atmosfera; Aula nº4 1 Sumário Período de rotação e translação da Lua. Fases da Lua. Eclipses do Sol e da Lua. 2 Objectivos especícos ˆ Saber o nome do astronauta que pisou, pela primeira vez, a superfície lunar;

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DA ASTRONOMIA: A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO MÉTODO ALTERNATIVO NO ENSINO DESSA CIÊNCIA

UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DA ASTRONOMIA: A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO MÉTODO ALTERNATIVO NO ENSINO DESSA CIÊNCIA UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DA ASTRONOMIA: A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO MÉTODO ALTERNATIVO NO ENSINO DESSA CIÊNCIA Gabryell Malcher Freire, Adriano Alves de Araujo, Harrison luz dos Santos. 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Telescópios na Escola: observações astronômicas via Internet. Osvaldo de Souza (Grupo de Astronomia Sputnik)

Telescópios na Escola: observações astronômicas via Internet. Osvaldo de Souza (Grupo de Astronomia Sputnik) Telescópios na Escola: observações astronômicas via Internet Osvaldo de Souza (Grupo de Astronomia Sputnik) Telescópios na Escola Astronomia na Escola? O TnE hoje O projeto para amanhã Astronomia na Escola

Leia mais

Eclipses Solares e Lunares. Roberto Ortiz EACH/USP

Eclipses Solares e Lunares. Roberto Ortiz EACH/USP Eclipses Solares e Lunares Roberto Ortiz EACH/USP Eclipses A palavra procede do grego, que significa desaparecimento. Os eclipses podem ser solares ou lunares. Eclipses solares Ocorrem quando há o alinhamento

Leia mais

LISTA 2 ESPELHOS PLANOS (MÓD. 3 E 4)

LISTA 2 ESPELHOS PLANOS (MÓD. 3 E 4) 1. (Epcar (Afa) 2016) Considere um objeto formado por uma combinação de um quadrado de aresta a cujos vértices são centros geométricos de círculos e quadrados menores, como mostra a figura abaixo. Colocando-se

Leia mais

UNIDADE DE ESTUDO 2ª ETAPA 2016

UNIDADE DE ESTUDO 2ª ETAPA 2016 UNIDADE DE ESTUDO 2ª ETAPA 2016 Disciplina: Natureza e Sociedade Professoras: Anália, Carla, Fabiana e Roberta Período: 2º Segmento: Educação Infantil OBJETIVOS GERAIS: Identificar as diferenças e semelhanças

Leia mais

Eclipse. (www.seara.ufc.br/astronomia/fenomenos/eclipses.htm. Acesso em: 03.10.2012.)

Eclipse. (www.seara.ufc.br/astronomia/fenomenos/eclipses.htm. Acesso em: 03.10.2012.) Eclipse 1. (G1 - ifsp 2013) Mecanismos do Eclipse A condição para que ocorra um Eclipse é que haja um alinhamento total ou parcial entre Sol, Terra e Lua. A inclinação da órbita da Lua com relação ao equador

Leia mais

Física Legal.NET - O seu site de Física na Internet

Física Legal.NET - O seu site de Física na Internet 11. (Fei 97) A luz solar se propaga e atravessa um meio translúcido. Qual das alternativas a seguir representa o que acontece com a propagação dos raios de luz? 12. (Fuvest 93) A luz solar penetra numa

Leia mais

Densímetro de posto de gasolina

Densímetro de posto de gasolina Densímetro de posto de gasolina Eixo(s) temático(s) Ciência e tecnologia Tema Materiais: propriedades Conteúdos Densidade, misturas homogêneas e empuxo Usos / objetivos Introdução ou aprofundamento do

Leia mais

CONCEITOS GERAIS 01. LUZ. c = km/s. c = velocidade da luz no vácuo. Onda eletromagnética. Energia radiante

CONCEITOS GERAIS 01. LUZ. c = km/s. c = velocidade da luz no vácuo. Onda eletromagnética. Energia radiante CONCEITOS GERAIS 01. LUZ Onda eletromagnética Energia radiante c = 300.000 km/s c = velocidade da luz no vácuo (01) Um raio laser e um raio de luz possuem, no vácuo, a mesma velocidade OBSERVAÇÕES Todas

Leia mais

PROPAGAÇÃO DA LUZ E FENÔMENOS ÓPTICOS

PROPAGAÇÃO DA LUZ E FENÔMENOS ÓPTICOS PROPAGAÇÃO DA LUZ E FENÔMENOS ÓPTICOS Autores: Eduardo Rodrigo Garcia Cristina Satomi Enobe Jefferson Marcondes de Carvalho Maria Mercedes Martinez Okumura Contexto: Esta é a primeira aula sobre o tema

Leia mais

G A B A R I T O PH SISTEMA DE ENSINO. Prova ph P-01. Tipo H4-05/2015

G A B A R I T O PH SISTEMA DE ENSINO. Prova ph P-01. Tipo H4-05/2015 PH SISTEMA DE ENSINO Prova ph P-01 Tipo H4-05/2015 G A B A R I T O 01. D 11. D 21. C 31. D 02. C 12. B 22. B 32. A 03. D 13. D 23. D 04. A 14. A 24. C 05. B 15. A 25. A 00 06. A 16. B 26. B 00 07. D 17.

Leia mais

Cores. Misturando apenas essas três cores, em proporções e intensidades variadas, podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no

Cores. Misturando apenas essas três cores, em proporções e intensidades variadas, podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no Cores A cor é uma sensação provocada pela luz sobre o órgão da visão, isto é, sobre nossos olhos. A cor-luz pode ser observada através dos raios luminosos. Cor-luz é a própria luz que pode se decompor

Leia mais

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO Professoras: Rosimeire Borges 2ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA DE FÍSICA

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO Professoras: Rosimeire Borges 2ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA DE FÍSICA COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professoras: Rosimeire Borges 2ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA DE FÍSICA ROTEIRO DE ESTUDO - QUESTÕES Estudante: Turma: Data: / / Conteúdos: - CAPÍTULO

Leia mais

Setor 1210 FUNDAMENTOS DA ÓPTICA GEOMÉTRICA - Aulas 01 Prof. Calil

Setor 1210 FUNDAMENTOS DA ÓPTICA GEOMÉTRICA - Aulas 01 Prof. Calil ÓPTICA GEOMÉTRICA Setor 1210 FUNDAMENTOS DA ÓPTICA GEOMÉTRICA - Aulas 01 Prof. Calil A Óptica estuda a energia denominada luz. 1- O estudo dos defeitos da visão e como curá-los, constitui a Óptica Fisiológica.

Leia mais

COLÉGIO KENNEDY REDE PITÁGORAS

COLÉGIO KENNEDY REDE PITÁGORAS PLANO DE ESTUDO DE CIÊNCIAS 2ª ETAPA 2º ANO EFII Dizem que é uma estrela de quinta grandeza. Mas, quando brilha aqui na Terra, Todos concordam: Sian, Roberto Angelo. Algumas histórias do céu- SP: Paulus,

Leia mais

4 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 15 de Abril de :00

4 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 15 de Abril de :00 4 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 15 de Abril de 2009 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final

Leia mais

Astronomia do século XIX: o surgimento da espectroscopia.

Astronomia do século XIX: o surgimento da espectroscopia. Astronomia Fundamental Astronomia do século XIX: o surgimento da espectroscopia. Clayton B. O. dos Reis Antes do século XIX Isaac Newton (1642-1727) demonstrou, por volta de 1665-66, que a luz branca,

Leia mais

a) 0,49 m b) 1,0 m c) 1,5 m d) 3,0 m e) 5,0 m

a) 0,49 m b) 1,0 m c) 1,5 m d) 3,0 m e) 5,0 m 1) (UFRJ) No dia 3 de novembro de 1994 ocorreu o último eclipse total do Sol deste milênio. No Brasil, o fenômeno foi mais bem observado na Região Sul. A figura mostra a Terra, a Lua e o Sol alinhados

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: CIÊNCIAS EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: CIÊNCIAS EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 6º Ano: Nº Professora: Marcella Braga COMPONENTE CURRICULAR: CIÊNCIAS

Leia mais

EINSTEIN, 100. Instituto de Educação Infantil e Juvenil Outono, Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 4 MMXV Fase 3 grupo C

EINSTEIN, 100. Instituto de Educação Infantil e Juvenil Outono, Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 4 MMXV Fase 3 grupo C Instituto de Educação Infantil e Juvenil Outono, 2015. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 4 MMXV Fase 3 grupo C EINSTEIN, 100 Uma luz sobre a luz Na antiga Grécia já eram conhecidos

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 6ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 6ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1 ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 6ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1 Questão 206. Quando observamos o planeta Terra do espaço sideral, vemos que sua superfície contém grandes áreas com água, os oceanos, e porções

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE FÍSICA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE FÍSICA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE FÍSICA Nome: Nº 9º ano Data: / / 2016 Nota: Professores: Gladstone e Samuel A - Introdução Leia, atentamente, este roteiro, pois ele resgata conteúdos essenciais para o

Leia mais

ABORDAGEM HISTÓRICA DA TABELA PERIÓDICA NO 9º ANO: PERCEPÇÔES NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

ABORDAGEM HISTÓRICA DA TABELA PERIÓDICA NO 9º ANO: PERCEPÇÔES NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III ABORDAGEM HISTÓRICA DA TABELA PERIÓDICA NO 9º ANO: PERCEPÇÔES NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III Modalidade: ( X ) Ensino ( ) Pesquisa ( ) Extensão Nível: ( ) Médio ( X ) Superior ( ) Pós-graduação Área: (

Leia mais

Reference to English Interconnections Lesson Exploring What is in the Sky Science Standard(s): Standard II Objective 2

Reference to English Interconnections Lesson Exploring What is in the Sky Science Standard(s): Standard II Objective 2 1ª Série Lição: Explorando o céu Reference to English Interconnections Lesson Exploring What is in the Sky Science Standard(s): Standard II Objective 2 Objetivo(s) do Conteúdo Curricular: Objetivo(s) linguístico(s):

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o

Leia mais

2) A imagem da figura a seguir obtida por reflexão no espelho plano E é mais bem representada por:

2) A imagem da figura a seguir obtida por reflexão no espelho plano E é mais bem representada por: 1) A figura adiante representa um objeto A colocado a uma distância de 2,0 m de um espelho plano S, e uma lâmpada L colocada à distância de 6,0 m do espelho. a) Desenhe o raio emitido por L e refletido

Leia mais

PROF. DANILO PRINCÍPIOS DA ÓTICA GEOMÉTRICA TERCEIRO ANO 13/02/2016 FOLHA 03

PROF. DANILO PRINCÍPIOS DA ÓTICA GEOMÉTRICA TERCEIRO ANO 13/02/2016 FOLHA 03 FOLHA 03 Após esta aula, a lista "INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ÓTICA"pode ser feita por completo. EXERCÍCIOS 1. Suponha que você tenha em mãos quatro corpos esféricos: A, B, C e D. Os corpos A, B e C foram

Leia mais

Atenuação da radiação

Atenuação da radiação Atenuação da radiação META: Vericar a lei do inverso do quadrado. OBJETIVOS: Ao m da aula os alunos deverão: Compreender a lei do inverso do quadrado. Entender como a radiação varia com a distância. PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

PROVA FÍSICA 1º TRIMESTRE 2013 PROF. VIRGÍLIO

PROVA FÍSICA 1º TRIMESTRE 2013 PROF. VIRGÍLIO PROVA FÍSICA 1º TRIMESTRE 2013 PROF. VIRGÍLIO NOME Nº 1º ANO A prova deve ser feita com caneta azul ou preta. É terminantemente proibido o uso de corretor. Respostas com corretor serão anuladas. As questões

Leia mais

ENSAIO SOBRE AS FASES DA LUA

ENSAIO SOBRE AS FASES DA LUA Introdução ENSAIO SOBRE AS FASES DA LUA Denis E. Peixoto NASE Brasil Compreender e explicar as fases da tem sido um dos maiores obstáculos enfrentados pelos professores de ciências tanto do Ensino Fundamental

Leia mais

Telescópios na Escola. Osvaldo Souza Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas USP Instituto de Física - USP

Telescópios na Escola. Osvaldo Souza Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas USP Instituto de Física - USP Telescópios na Escola Osvaldo Souza (osvald.souza@usp.br) Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas USP Instituto de Física - USP Recentemente o sistema educacional brasileiro vem aumentando

Leia mais

Movimento da Lua. Atividade de Aprendizagem 22. Eixo(s) temático(s) Terra e Universo. Tema. Sistema Solar

Movimento da Lua. Atividade de Aprendizagem 22. Eixo(s) temático(s) Terra e Universo. Tema. Sistema Solar Movimento da Lua Eixo(s) temático(s) Terra e Universo Tema Sistema Solar Conteúdos Movimentos da Terra e da Lua / movimento aparente dos corpos celestes / referencial Usos / objetivos Ampliação e avaliação

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome Nº Ano Data: Professor: Gabriela/ Fernanda Nota: (valor 1,0) 3 o.bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos

Leia mais

Espaço. 1. Universo. Ciências Físico-Químicas 7º Ano Nelson Alves Correia Escola Básica Manuel Figueiredo Agrupamento de Escolas Gil Paes

Espaço. 1. Universo. Ciências Físico-Químicas 7º Ano Nelson Alves Correia Escola Básica Manuel Figueiredo Agrupamento de Escolas Gil Paes Espaço 1. Universo Ciências Físico-Químicas 7º Ano Nelson Alves Correia Escola Básica Manuel Figueiredo Agrupamento de Escolas Gil Paes Corpos celestes 1.1 Distinguir vários corpos celestes. Estrela Astro

Leia mais

Movimento dos Planetas

Movimento dos Planetas Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Movimento dos Planetas eclipse.txt Rogemar A. Riffel e-mail: rogemar@ufrgs.br http://www.if.ufrgs.br/~rogemar Sala: N101 Livro texto: Astronomia e Astrofísica Kepler

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Introdução. Aula 4: Fases da Lua e Eclipses

Introdução. Aula 4: Fases da Lua e Eclipses Aula 4: Fases da Lua e Eclipses Maria de Fátima Oliveira Saraiva, Kepler de Souza Oliveira Filho & Alexei Machado Müller, As duas figuras são fotografias da Lua cheia tiradas em lugares do hemisfério sul

Leia mais

Aulas 1 a 3. Introdução à Ótica Geométrica

Aulas 1 a 3. Introdução à Ótica Geométrica Aulas 1 a 3 Introdução à Ótica Geométrica Ótica Geométrica Análise de um fenômeno óptico: Fonte de Luz emite Luz Que se propaga em um Meio óptico E atinge um Sistema óptico Que é responsável Formação da

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2012 FÍSICA CARLOS 3ª MÉDIO Srs. pais ou responsáveis, caros alunos, Encaminhamos a Programação de Etapa, material de apoio para o acompanhamento dos conteúdos e habilidades que

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia INSTRUÇÕES Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Ano: 6º - Ensino Fundamental Professor: Rogério Duarte VERIFIQUE A PUBLICAÇÃO DO GABARITO. O professor estará disponível para esclarecer

Leia mais

CONCEITOS DE GRAVITAÇÃO E NOÇÕES DE BURACOS NEGROS

CONCEITOS DE GRAVITAÇÃO E NOÇÕES DE BURACOS NEGROS Universidade de São Paulo Faculdade de Educação Metodologia do Ensino de Física Professor Maurício Pietrocola São Paulo 2008 André Quirino Pereira 4895646 Caio Correia Gomes 4897839 Clayton Alves Figueiredo

Leia mais

Eclipses Solares e Lunares. Roberto Ortiz EACH/USP

Eclipses Solares e Lunares. Roberto Ortiz EACH/USP Eclipses Solares e Lunares Roberto Ortiz EACH/USP Eclipses A palavra procede do grego, que significa desaparecimento. Os eclipses podem ser solares ou lunares. Eclipses solares Ocorrem quando há o alinhamento

Leia mais

Agrupamento de Escolas Luís António Verney. Escola EB 2,3 Luís António Verney. Ano lectivo de 2012/13

Agrupamento de Escolas Luís António Verney. Escola EB 2,3 Luís António Verney. Ano lectivo de 2012/13 Tema B- Terra em Transformação Nº aulas prevista s Materiais Constituição do mundo material Substâncias e misturas de substâncias Relacionar aspectos do quotidiano com a Química. Reconhecer que é enorme

Leia mais

Extensivo noite - Aulas 01 e 02

Extensivo noite - Aulas 01 e 02 1. (Unesp 2011) A figura 1 mostra um quadro de Georges Seurat, grande expressão do pontilhismo. De forma grosseira podemos dizer que a pintura consiste de uma enorme quantidade de pontos de cores puras,

Leia mais

Espaço A Terra, a Lua e forças gravíticas

Espaço A Terra, a Lua e forças gravíticas Espaço A Terra, a Lua e forças gravíticas Ciências Físico-Químicas 7º Ano Nelson Alves Correia Escola Secundária de Maria Lamas Agrupamento de Escolas Gil Paes Rotação da Terra 4.1 Indicar o período de

Leia mais

Movimento da Lua e eclipses

Movimento da Lua e eclipses A Lua vista da Terra Fases da Lua Órbita da Lua Eclipses Marés Movimento da Lua e eclipses Vera Jatenco IAG/USP Agradecimento aos Profs. Gastão Lima Neto e Roberto Boczko AGA 210 2 semestre/2010 Movimento

Leia mais

3.1. Terra e Sistema Solar (3)

3.1. Terra e Sistema Solar (3) 1 Ciências Físico-químicas - 7º ano de escolaridade Unidade 3 PLANETA TERRA (3) Fases da lua Eclipses do Sol e da Lua Prof. Marília Silva Soares Fases da Lua Porque é que a Lua volta para a Terra sempre

Leia mais

10 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

10 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 10 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da final nacional PROVA EÓRICA 17 de abril de 2015 16H45 Duração máxima 120 minutos Notas: Leia atentamente todas as questões. odas as respostas devem ser

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ESPELHOS

EXERCÍCIOS DE ESPELHOS EXERCÍCIOS DE ESPELHOS 1. (UFV-94) As figuras abaixo pretendem representar objetos (O) e suas respectivas imagens (I), refletidas num espelho plano. Em relação às figuras, assinale a opção correta: a.

Leia mais

Os Registros na Pesquisa. Christiane Zubler

Os Registros na Pesquisa. Christiane Zubler Os Registros na Pesquisa Christiane Zubler RELEMBRANDO... A importância de se trabalhar com projetos de pesquisa na educação Básica: O Experiências exitosas; O Como organizar e avaliar feiras de ciências;

Leia mais

Introdução. Aula 4: Fases da Lua e Eclipses

Introdução. Aula 4: Fases da Lua e Eclipses Aula 4: Fases da Lua e Eclipses Maria de Fátima Oliveira Saraiva, Kepler de Souza Oliveira Filho & Alexei Machado Müller, As duas figuras são fotografias da Lua cheia tiradas em lugares do hemisfério sul

Leia mais

Atividade experimental - Tema: Luz

Atividade experimental - Tema: Luz 1 Problema: As plantas precisam de luz? 1. Nesta experiência desafiamos-te a observar uma planta aquática a produzir bolhinhas de oxigénio graças à luz que nelas incide. Observa a instalação e regista

Leia mais

Astronomia. O nosso Universo

Astronomia. O nosso Universo Astronomia O nosso Universo O sistema solar Distância entre a Lua e a Terra: 384.000 Km (aprox. 1 seg-luz Velocidade da luz (c) : 300.000 Km/s Distância média entre a Terra e o Sol: 146 milhões Km (aprox.

Leia mais

Teste diagnóstico TERRA NO ESPAÇO CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SOCIEDADE AMBIENTE. OBSERVAÇÃO: Grelhas de observação. Listas de verificação.

Teste diagnóstico TERRA NO ESPAÇO CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SOCIEDADE AMBIENTE. OBSERVAÇÃO: Grelhas de observação. Listas de verificação. ANO: 7º ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 TERRA NO ESPAÇO 2 Teste diagnóstico CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SOCIEDADE AMBIENTE E - Ciência produto da actividade humana. - Ciência e conhecimento do Universo. - Compreender

Leia mais

CIÊNCIAS 9 ANO PROF.ª GISELLE PALMEIRA PROF.ª MÁRCIA MACIEL ENSINO FUNDAMENTAL

CIÊNCIAS 9 ANO PROF.ª GISELLE PALMEIRA PROF.ª MÁRCIA MACIEL ENSINO FUNDAMENTAL CIÊNCIAS 9 ANO PROF.ª MÁRCIA MACIEL ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GISELLE PALMEIRA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade IV Ser humano e saúde 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 21 Conteúdos Aula 21.1 - Forças Aula

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: Aula 1: O ponto e a linha Aula 2: Logotipos e símbolos

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: Aula 1: O ponto e a linha Aula 2: Logotipos e símbolos CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: Aula 1: O ponto e a linha Aula 2: Logotipos e símbolos 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA

Leia mais

Luz II. Capítulo. Troca de ideias

Luz II. Capítulo. Troca de ideias Capítulo 3 Luz II Troca de ideias [1] [2] Ilusão de óptica Você já viu imagens que provocam ilusões de óptica? Observe as figuras desta página e tente entender o que está acontecendo. Repare que o cérebro

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA Nome: Nº 1 a. Série Data: / / Professores: Fabiana, Adriana, Nelson Nota: (valor: 1,0) 1º bimestre A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você

Leia mais

PRODUÇÂO OFICINA FORMAÇÃO CONTINUADA 24/02/16 PET- GRADUASUS

PRODUÇÂO OFICINA FORMAÇÃO CONTINUADA 24/02/16 PET- GRADUASUS PRODUÇÂO OFICINA FORMAÇÃO CONTINUADA 24/02/16 PET- GRADUASUS ORIENTAÇÃO AOS DOCENTES DAS DISCIPLINAS COM CONTEÚDOS INTEGRADORES PRIMEIROS PERÍODOS DOS CURSOS DO CCS EMENTA: Conceito ampliado de saúde e

Leia mais

LISTA EXTRA 1ª SÉRIE ÓPTICA GEOMÉTRICA

LISTA EXTRA 1ª SÉRIE ÓPTICA GEOMÉTRICA LISTA EXTRA 1ª SÉRIE ÓPTICA GEOMÉTRICA 1) Sob a luz solar, Tiago é visto, por pessoas de visão normal para cores, usando uma camisa amarela, e Diana, um vestido branco. Se iluminadas exclusivamente por

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física Polo: Juazeiro UNIVASF/MNPEF TIAGO FERRAZ

Leia mais

O Universo e o Sistema Solar

O Universo e o Sistema Solar O Universo e o Sistema Solar 1 O cientista não estuda a natureza porque ela é útil; ele a estuda porque tem prazer nisso, e ele tem prazer nisso porque ela é linda. Se a natureza não fosse linda, não valeria

Leia mais

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação.

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação. Questão 01) As causas responsáveis pela ocorrência das estações do ano (outono, inverno, primavera e verão) sobre a superfície terrestre são: a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento

Leia mais

Reference to English Interconnections Lesson Changes at School p. 14 Social Studies Standard(s): Standard 1, Objective 1

Reference to English Interconnections Lesson Changes at School p. 14 Social Studies Standard(s): Standard 1, Objective 1 1ª Série Lição: As mudanças na escola - Igual e diferente Reference to English Interconnections Lesson Changes at School p. 14 Social Studies Standard(s): Standard 1, Objective 1 Objetivo(s) do Conteúdo

Leia mais

I - colocam-se 100 g de água fria no interior do recipiente. Mede-se a temperatura de equilíbrio térmico de 10ºC.

I - colocam-se 100 g de água fria no interior do recipiente. Mede-se a temperatura de equilíbrio térmico de 10ºC. Questão 1: Um recipiente metálico, isolado termicamente, pode ser usado como calorímetro. Com esse objetivo, é preciso determinar primeiramente a capacidade térmica C do calorímetro, o que pode ser feito

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Área de conhecimento: Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Leia mais

NOME: N RECUPERAÇÃO PARALELA DE FÍSICA II - TURMA 222 PROFº ROGÉRIO 1º BIMESTRE

NOME: N RECUPERAÇÃO PARALELA DE FÍSICA II - TURMA 222 PROFº ROGÉRIO 1º BIMESTRE 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2015 90 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N RECUPERAÇÃO PARALELA DE FÍSICA II - TURMA 222 PROFº ROGÉRIO 1º BIMESTRE

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Física II Código da Disciplina: NDC 157 Curso: Engenharia Civil Semestre de oferta da disciplina: 3 Faculdade responsável: NÚCLEO DE DISCIPLINAS COMUNS (NDC) Programa

Leia mais

TIPO DE AVALIAÇÃO: Exercícios de Recuperação

TIPO DE AVALIAÇÃO: Exercícios de Recuperação TIPO DE AVALIAÇÃO: Exercícios de Recuperação Nome: Nº 6º ano / Ensino Fundamental Turma: Disciplina: Ciências Data: Professor: Paulo Ney Nota: 01 Considere os seguintes objetos: a) Uma fogueira. b) Uma

Leia mais

AGA Introdução à Astronomia Resolução da Lista 1

AGA Introdução à Astronomia Resolução da Lista 1 AGA0210 - Introdução à Astronomia Resolução da Lista 1 Prof. Dr. Alex Cavaliéri Carciofi Monitor: Bruno C. Mota (Dated: 9 de outubro de 2012) I. QUESTÃO 1 Suponha que você esteja em um planeta estranho

Leia mais

RESPOSTAS DAS TAREFAS 1ª SÉRIE2. Física Setor A Aula 7. Aula 8 ENSINO MÉDIO

RESPOSTAS DAS TAREFAS 1ª SÉRIE2. Física Setor A Aula 7. Aula 8 ENSINO MÉDIO ENSINO MÉDIO RESPOSTAS DAS TAREAS 1ª SÉRIE2 ísica Setor A Aula 7 1. a) Para situar o ouvinte em relação ao fuso horário, já que no Brasil há três horas legais. b) Porque o horário de um evento depende

Leia mais

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO UM JOGO BINOMIAL São muitos os casos de aplicação, no cotidiano de cada um de nós, dos conceitos de probabilidade. Afinal, o mundo é probabilístico, não determinístico; a natureza acontece

Leia mais