RESOLUÇÃO Nº 543, DE 13 DE JANEIRO DE 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESOLUÇÃO Nº 543, DE 13 DE JANEIRO DE 2015"

Transcrição

1 RESOLUÇÃO Nº 543, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre as Tabelas de Custas e a Tabela de Porte de Remessa e Retorno dos Autos e dá outras providências. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso de suas atribuições, considerando o que consta do Processo Administrativo nº /1993, R E S O L V E: Art. 1º As Tabelas de Custas do Supremo Tribunal Federal passam a vigorar com os seguintes valores: T A B E L A A RECURSOS INTERPOSTOS EM INSTÂNCIA INFERIOR I Recurso em Mandado de Segurança...163,80 II Recurso Extraordinário...163,80 T A B E L A B FEITOS DE COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA I Ação Cível (Ação Cível Originária - Ação Originária, art. 102, I, n, CF Petição Ação Cautelar Suspensão de Liminar Suspensão de Tutela Antecipada)...329,41 II Ação Penal Privada...163,80 III Ação Rescisória...329,41 IV Embargos de Divergência ou Infringentes...82,61

2 V Mandado de Segurança: a) um impetrante...163,80 b) mais de um impetrante (cada excedente)...82,61 VI Reclamação sobre os processos a que se refere esta Tabela e a Anterior, salvo quanto se tratar de reclamação por usurpação de competência...82,61 VII Revisão Criminal dos processos de Ação Penal Privada...163,80 T A B E L A C ATOS JUDICIAIS E EXTRAJUDICIAIS PRATICADOS PELA SECRETARIA I Carta de Ordem e Carta de Sentença (por folha)...0,88 II Despesas de transporte nas citações, intimações e notificações: a) no Plano Piloto...64,59 b) nas cidades satélites...193,61 III Editais e Mandados: a) primeira ou única folha... 3,12 b) por folha excedente...0,88 Parágrafo único. É necessária a apresentação de contrafés para os seguintes feitos: I Ação Cível Originária; II Ação Originária; III Ação Rescisória; IV Ação Originária Especial; V Habeas Data; VI Inquérito (Queixa-crime); VII Petição; VIII Recurso Ordinário em Habeas Corpus; IX Recurso Ordinário em Habeas Data; X Recurso Ordinário em Mandado de Segurança.

3 Art. 2º A Tabela de Porte de Remessa e Retorno dos Autos permanece com seus valores inalterados: ORIGEM DF T A B E L A D REMESSA E RETORNO DOS AUTOS Nº FOLHAS/PESO (kg) DF GO, MG, TO MT, MS, RJ, SP BA, ES, PR, PI, SC, SE AL, MA, PA, RS, AP, AM, CE, PB, PE, RN, RO AC, RR até 54 (0,3 kg) 34,00 51,20 68,20 84,20 99,20 116,00 55 a 180 (1kg) 35,80 55,00 75,40 92,00 107,40 125, a 360 (2kg) 39,00 65,20 86,60 110,00 129,20 155, a 540 (3kg) 42,20 75,00 99,40 129,80 151,80 187, a 720 (4kg) 45,80 85,00 109,60 148,40 174,80 219, a 900 (5kg) 48,40 93,20 121,20 166,60 196,80 251, a 1080 (6kg) 51,40 101,60 133,20 180,80 217,60 278, a 1260 (7kg) 54,80 111,60 146,60 201,40 243,40 309, a 1440 (8kg) 58,00 121,60 159,60 222,40 268,80 340, a 1620 (9kg) 61,40 131,60 173,00 242,80 294,60 371, a 1800 (10kg) 64,80 141,80 186,00 263,20 320,20 402,40 Kg adicional 5,60 13,20 17,40 24,80 30,40 38,40 FONTE: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS. Art. 3º Haverá isenção de custas e do porte de remessa e retorno dos autos (Tabela D ) nos seguintes casos: RISTF) I nos processos criminais, salvo os de natureza privada; (art. 61 do II nos processos de natureza eleitoral; (Lei nº 9265/96) III nas Ações Civis Públicas e nas Ações Populares, salvo comprovada má-fé; (Lei nº 7347/85) IV aos amparados pela assistência judiciária gratuita. (Lei nº 1060/50) Parágrafo único. O beneficiário da assistência judiciária gratuita deverá comprovar a concessão do benefício, por meio de cópia de decisão judicial, quando deferido em outra instância. Art. 4º O porte de remessa e retorno dos autos previsto na Tabela D não será exigido quando se tratar de:

4 I recursos interpostos junto aos tribunais sediados em Brasília, sem utilização dos serviços da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT); II interposição de Agravo de Instrumento; III recursos interpostos por meio do processo eletrônico, salvo aqueles em que o Relator requisitar os autos físicos. Art. 5º Os valores constantes desta Resolução deverão ser recolhidos na rede bancária da seguinte forma, juntando-se os comprovantes aos autos: I custas, por feito, mediante Guia de Recolhimento da União GRU, do tipo Cobrança Ficha de Compensação, emitida no sítio eletrônico do Supremo Tribunal Federal; II porte de remessa e retorno dos autos: a) mediante Guia de Recolhimento da União GRU, do tipo Cobrança Ficha de Compensação, emitida no sítio eletrônico do Supremo Tribunal Federal; b) quando o Tribunal de origem for do Poder Judiciário Estadual e arcar com as despesas: 1. de remessa e retorno, será recolhido ao erário local o custo total da tabela, na forma por ele disciplinada; e 2. apenas de remessa, será recolhido ao erário local o valor correspondente à metade do valor da tabela, na forma disciplinada pelo órgão estadual, e ao erário federal a outra metade (porte de retorno), na forma indicada nas alíneas a e b deste inciso. 1º No formulário eletrônico para emitir a Guia de Recolhimento da União GRU do tipo Cobrança, o campo de dados pessoais deve ser preenchido com o nome completo ou razão social da parte do processo, de seu advogado ou do responsável pela emissão da guia, com seu número de cadastro de pessoas físicas ou jurídicas. 2º Quando, por problemas técnicos, a GRU não puder ser emitida no sítio eletrônico do Supremo Tribunal Federal, o recolhimento das custas poderá ser feito na forma orientada pela Central de Atendimento do STF, pelos seguintes canais de comunicação: ou (61) Art. 6º Fica revogada a Resolução nº 527, de 26 de maio de Art. 7º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Ministro RICARDO LEWANDOWSKI

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL SUMÁRIO Apresentação...7 CAPÍTULO I CUSTAS PROCESSUAIS...8 1 Diretrizes gerais...8 1.1 Normatização...8 1.2 Arrecadação... 1.3

Leia mais

PROVIMENTO GERAL DA CORREGEDORIA APLICADO AOS JUÍZES E OFÍCIOS JUDICIAIS

PROVIMENTO GERAL DA CORREGEDORIA APLICADO AOS JUÍZES E OFÍCIOS JUDICIAIS Poder Judiciário da União TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS GC Gabinete da Corregedoria PROVIMENTO GERAL DA CORREGEDORIA APLICADO AOS JUÍZES E OFÍCIOS JUDICIAIS 2014 Corregedoria

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL Elaboração COMISSÃO PERMANENTE DE REVISÃO E ATUALIZAÇÃO DO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5 A REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5 A REGIÃO O, no uso de suas atribuições, Considerando as várias modificações legislativas que têm sido implementadas, nos últimos anos, especialmente a que ficou conhecida como Reforma do Poder Judiciário (Emenda

Leia mais

Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Acre

Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Acre PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ACRE REGIMENTO INTERNO Publicado no DJ nº 696-A de 06.12.1995 Edição revista, ampliada e atualizada Rio Branco - Novembro/2014 Organizado pela Gerência

Leia mais

Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal FPE

Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal FPE MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria do Tesouro Nacional STN O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal FPE AGOSTO/2014 1

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ.

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ. - 1 - ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ. O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, no uso das atribuições conferidas pelo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO Aprovado pela Resolução Administrativa nº 1295/2008, com alterações dos Atos Regimentais

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE TÍTULO I - DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR Art. 1º. Este Regimento estabelece a composição, a competência e o funcionamento do Tribunal Regional Eleitoral

Leia mais

Nota: Redação dada pelo Decreto-lei nº 6.353/44

Nota: Redação dada pelo Decreto-lei nº 6.353/44 TÍTULO X - Do Processo Judiciário do Trabalho CAPÍTULO I - Disposições Preliminares Art. 763. O processo da Justiça do Trabalho, no que concerne aos dissídios individuais e coletivos e à aplicação de penalidades,

Leia mais

ANEXO II REGIMENTO DE CUSTAS, EMOLUMENTOS E TAXA JUDICIÁRIA E DOS TRIBUTOS 487 ATOS DA SECRETARIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ANEXO II REGIMENTO DE CUSTAS, EMOLUMENTOS E TAXA JUDICIÁRIA E DOS TRIBUTOS 487 ATOS DA SECRETARIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ANEXO II REGIMENTO DE CUSTAS, EMOLUMENTOS E TAXA JUDICIÁRIA E DOS TRIBUTOS 487 TABELA I NA ÁREA CÍVEL: ATOS DA SECRETARIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Nº 1 - Recursos oriundos do primeiro grau de jurisdição,

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 510, DE 22 DE JANEIRO DE 2015.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 510, DE 22 DE JANEIRO DE 2015. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 510, DE 22 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe sobre o registro de corretor de seguros, de capitalização e de previdência, pessoa física e pessoa jurídica,

Leia mais

O Nutricionista e o Conselho

O Nutricionista e o Conselho O Nutricionista e o Conselho Informações para uma maior integração Sistema CFN/CRN 2 Conselho Federal de Nutricionistas SRTVS - Quadra 701, Bloco II - Centro Empresarial Assis Chateaubriand, Sala 406 -

Leia mais

O FORO DO DOMICILIO OU DA RESIDENCIA DO ALIMENTANDO E O COMPETENTE PARA A AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE, QUANDO CUMULADA COM A DE ALIMENTOS.

O FORO DO DOMICILIO OU DA RESIDENCIA DO ALIMENTANDO E O COMPETENTE PARA A AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE, QUANDO CUMULADA COM A DE ALIMENTOS. Súmula 1 O FORO DO DOMICILIO OU DA RESIDENCIA DO ALIMENTANDO E O COMPETENTE PARA A AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE, QUANDO CUMULADA COM A DE ALIMENTOS. Súmula 2 NÃO CABE O HABEAS DATA (CF, ART. 5.,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA RICADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA RICADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA RICADE PARTE I Da Natureza, Composição, Organização E Competência Do Cade 3 TÍTULO I Do Tribunal Administrativo De Defesa Econômica 3 CAPÍTULO

Leia mais

SÚMULAS DO STJ Separadas por matéria e tema

SÚMULAS DO STJ Separadas por matéria e tema SÚMULAS DO STJ Separadas por matéria e tema DIREITO AMBIENTAL SÚMULA N. 467-STJ. Prescreve em cinco anos, contados do término do processo administrativo, a pretensão da Administração Pública de promover

Leia mais

PROCESSO CIVIL. Os atos realizados de modo distinto que o prescrito em lei serão considerados válidos se preencherem sua finalidade essencial.

PROCESSO CIVIL. Os atos realizados de modo distinto que o prescrito em lei serão considerados válidos se preencherem sua finalidade essencial. ATOS PROCESSUAIS Classificação dos Atos Processuais A classificação dos atos processuais adotada pelo CPC é a denominada classificação subjetiva, verificando de quem emana o ato processual. Assim, temos:

Leia mais

Manual Prático de Rotinas das Varas Criminais e de Execução Penal

Manual Prático de Rotinas das Varas Criminais e de Execução Penal Manual Prático de Rotinas das Varas Criminais e de Execução Penal Elaborado de acordo com o plano de gestão para o funcionamento das varas criminais e de execução penal Sumário 1. Fase pré-processual:

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA OS CÁLCULOS NA JUSTIÇA FEDERAL 1 CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL Ministro FELIX FISCHER Presidente Ministro GILSON Langaro DIPP Vice-Presidente Ministro ARNALDO ESTEVES

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PENSÃO AO CÔNJUGE OU COMPANHEIRA(O) ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PENSÃO AO CÔNJUGE OU COMPANHEIRA(O) ÍNDICE ÍNDICE DAS CARACTERÍSTICAS... 2 DO OBJETIVO... 2 DAS DEFINIÇÕES... 2 DAS CONDIÇÕES DE INGRESSO... 4 DO PAGAMENTO DA CONTRIBUIÇÃO, MANUTENÇÃO E DO CANCELAMENTO DA COBERTURA... 6 DA ATUALIZAÇÃO... 7 DA APLICABILIDADE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

REGIMENTO INTERNO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Brasília, 2 de janeiro de 2015 - Ano XLVIII - Nº 1 REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (Republicado) SECRETARIA-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Boletim do Tribunal de Contas

Leia mais

ILUSTRÍSSIMO SENHOR CHEFE DA DIVISÃO DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DA 8ª REGIÃO FISCAL

ILUSTRÍSSIMO SENHOR CHEFE DA DIVISÃO DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DA 8ª REGIÃO FISCAL ILUSTRÍSSIMO SENHOR CHEFE DA DIVISÃO DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DA 8ª REGIÃO FISCAL PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº......, Auditor Fiscal da Receita Federal

Leia mais

CAPÍTULO I... 07 Da Natureza, Competências, Atribuições e Jurisdição (arts. 1º ao 5º)... 07

CAPÍTULO I... 07 Da Natureza, Competências, Atribuições e Jurisdição (arts. 1º ao 5º)... 07 ÍNDICE SISTEMÁTICO DA LEI ORGÂNICA DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO TOCANTINS Publicado no Diário Oficial do Estado do Tocantins Nº 1.115 LEI N 1.284, de 17 de dezembro de 2001 TÍTULO I Das Disposições

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Diário da República, 1.ª série N.º 7 10 de janeiro de 2013 137 b) Relativamente aos ETM, no posto de segundo-sargento na data do início do estágio. Artigo 34.º Regulamento da Escola do Serviço de Saúde

Leia mais

Neste texto, discutem-se os problemas

Neste texto, discutem-se os problemas O problema dos presos sem julgamento no Brasil Cristina Zackseski * * Criminóloga, doutora em Ciências Sociais pela UnB e professora da graduação e da pós-graduação em Direito do UniCEUB. En la prisión

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966 Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro- Agrônomo, e dá outras providências. O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Resolução CGSIM nº 2 de 01.07.2009

Resolução CGSIM nº 2 de 01.07.2009 Procedimentos para Legalização e Inscrição do MEI Resolução CGSIM nº 2 de 01.07.2009 Perguntas e respostas Atualizado até 15/07/2009 MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL PERGUNTAS E RESPOSTAS (Resolução CGSIM

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 358. DE 13 DE AGOSTO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 358. DE 13 DE AGOSTO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 358. DE 13 DE AGOSTO DE 2010 Regulamenta o credenciamento de instituições ou entidades públicas ou privadas para o processo de capacitação, qualificação e atualização de profissionais, e de

Leia mais

Normas da Corregedoria Geral da Justiça

Normas da Corregedoria Geral da Justiça Capítulo II Dos ofícios de justiça em geral Seção I Das atribuições 1. Aos ofícios de justiça serão atribuídos, de acordo com suas respectivas varas, os serviços do Cível, da Família e das Sucessões, da

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. LEI Nº 5.280, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo)

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. LEI Nº 5.280, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) 1 LEI Nº 5.280, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) REGULAMENTADA PELO DECRETO DISTRITAL 35.309 DE 08.04.2014 DODF 09.04.2014 Dispõe sobre o licenciamento para funcionamento

Leia mais