Válvula de Pré-Ação Modelo: 400-NAC-VGPA Double Interlock

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Válvula de Pré-Ação Modelo: 400-NAC-VGPA Double Interlock"

Transcrição

1 Válvula de Pré-Ação Modelo: 400-NAC-VGPA Double Interlock Terminologia: Non-Interlock - Utiliza uma válvula de canalização seca e um sistema de detecção pneumático ou elétrico suplementar. A válvula pode ser aberta por operação de um sprinkler na tubulação de aspersão ou pelo funcionamento do sistema de detecção. Single-Interlock - Utiliza uma válvula de dilúvio e um sistema de pressão de ar de supervisão. Com a perda de ar perda de ar no sistema devido a tubulação e/ou sprinklers quebrados e/ou danificados, só irá operar os sistemas de alarme de queda de pressão de ar e não deixará a água fluir através da válvula de dilúvio para o sistema. A válvula abre apenas se o sistema de detecção for atuado. Double Interlock - Utiliza uma válvula de controle automático de água, um sistema de detecção elétrico ou pneumático, e um pressurizado (ar ou gás) sistema de tubulação de sprinklers. Apenas a operação de ambos os sistemas de tubulação de detecção e de aspersão vai permitir que a água entre no sistema de aspersão e ser descarregada através do sprinkler fundido (s). 1

2 Geral: Os sistemas, double-interlock de pré-ação, são projetados para áreas sensíveis a água que exigem a máxima proteção contra fluxo de água inadvertida na tubulação do sistema de sprinkler. A área refrigrada é um exemplo deste tipo de ambiente sensível a água. O sistema de aspersão é pressurizado com ar ou nitrogênio que mantém o Piloto atuador fechado. Para fluir água em um sistema Double Interlock de Pré-ação, dois eventos devem ocorrer. O Piloto do atuador deve ser aberto por uma queda na pressão de ar do sistema de aspersão, e a válvula solenóide, normalmente fechada, deve ser energizada pelo painel de liberação/controle adequado, ou seja, quando um dispositivo de detecção de incêndios ou estação manual de emergência é operado. No caso em que a tubulação do sistema é rompida, ou um aspersor é aberto acidentalmente, o Piloto Atuador será aberto e um alarme de baixa pressão de ar do sistema soará. A Válvula de Dilúvio Modelo 400-NAC-VGPA, no entanto, não liberará para fluxo de água uma vez que a válvula solenóide permanece fechada. O mesmo resultado poderia ocorrer se um dispositivo de detecção de incêndio for falsamente operado. O painel de controle irá ativar um alarme, no entanto, novamente,a Válvula de Dilúvio Modelo 400-NAC-VGPA não fluirá água devido ao fato que o Piloto Atuador permanece fechado. Este requisito, um detector operar e a perda de pressão de ar do sistema, antes da abertura da Válvula de Dilúvio Modelo 400-NAC-VGPA garante proteção máxima contra o fluxo de água. Válvulas de Pré-ação são usadas principalmente para proteger áreas refrigeradas de liberação acidental de água onde se um aspersor for aberto, pode causar o bloqueio de gelo, resultando em um sistema de aspersão inoperante e danos materiais consideráveis. Operação do Sistema: A válvula de retenção e alarme (que não necessita da utilização da água de escorvamento) isola a Válvula de Dilúvio da pressão de ar do sistema. O trim da válvula dilúvio utiliza uma solenóide e um atuador pneumático em série. O sistema de ar ou nitrogênio mantém o atuador pneumático fechado, enquanto a solenóide se mantem fechada até que seja energizada por um painel de controle. O painel de controle é operado por, ou um alarme de detecção ou o acionamento de um acionador manual. O sistema de pré ação double interlock irá atuar automáticamente apenas quando o atuador pneumático e a solenóide estiverem abertos ao mesmo tempo. Aberturas acidentais de somente um dos dois, irá causar um alarme, mas não atuará o sistema e não haverá fluxo de água para dentro da tubulação. A válvula dilúvio é do tipo diafragma que depende de pressão na cabeça da válvula para manter o diafragma fechado, contra a pressão de água do sistema de suprimento. Quando a válvula dilúvio estiver pronta para serviço, a cabeça da válvula estará pressurizada através do trim que vem diretamente do suprimento de água (abaixo da válvula de bloqueio Fig. 1). A operação da válvula solenóide e do atuador pneumático libera a água da cabeça da válvula, impedindo ao mesmo tempo que a mesma seja reabastecida¹. O resultado é a queda rápida da pressão na cabeça da válvula, com isso a pressão do suprimento de água força a abertura do diafragma, permitindo fluxo de água na tubulação. Com a passagem de água na tubulação, a válvula de retenção e alarme se abrirá e tocará o alarme sonoro da válvula. 1- É necessário garantir que a válvula solenóide não sofra a desenergização durante o processo de combate a incêndio, pois caso isso aconteça a válvula dilúvio pode fechar, parando assim o combate. 2

3 Figura 1 Testes hidrostáticos de Válvulas e Sistemas de Pré-ação Conforme requerido pela NFPA 13, os sistemas extintores de incêndio, com pressões de trabalho de até e incluindo 150 psi devem ser testados hidrostaticamente a uma pressão de água de 200 psi e manter essa pressão sem perda por duas horas. Sistemas extintores de incêndio, com pressões de trabalho acima de 150 psi são obrigados a ser testado hidrostaticamente a 50 psi acima da pressão de operação do sistema e manter essa pressão sem perda por duas horas. Além dos testes hidrostáticos descritos acima, tubo seco e sistemas de pré-ação de bloqueio duplo exigem um teste de ar de baixa pressão adicional. Em alguns casos, o teste hidrostático (em conformidade com os requisitos da NFPA 13 citadas acima) irá resultar em pressões que exceda a pressão de trabalho da válvula e trim para o período de teste de duas horas. A válvula e trim aplicáveis, foram testados, aprovados e listados sob estas condições e como tal teste, hidrostática, em conformidade com NFPA 13 é aceitável. Além disso, a válvula pode permanecer na posição fechada e o trim não necessita ser isolado, pois cada um foi concebido para suportar o teste hidrostático, conforme exigido pela NFPA 13. Hidrostaticamente, testar a válvula e aparar as pressões maiores do que sua classificação é limitado ao teste hidrostático como referenciado pela NFPA 13. Ele não aborda a ocorrência (s) de um efeito "golpe de aríete", que pode realmente danificar a válvula. O "golpe de aríete" na tubulação da válvula de abastecimento de água pode criar pressões superiores à pressão nominal e deve ser evitado por todos os meios necessários. Esta condição pode ser criada a partir de ajustes impróprios da bomba de incêndio, o trabalho de construção subterrânea, ou uma ventilação inadequada de ar aprisionado na tubulação de abastecimento de água. 3

4 Requisitos de Pressão para Sistema de ar / nitrogênio O trim do sistema inclui medidores de pressões pneumáticas e de água da Válvula Duplo Bloqueio para Sistema Pré-ação. A tabela A especifica a pressão de ar a ser constantemente aplicada ao sistema. Um sistema de alimentação pneumático projetado corretamente regula automaticamente a pressão, fornece uma salvaguarda contra pequenos vazamentos de pressão na tubulação de sprinkler, e devidamente restringe o fluxo de ar da fonte. Testando válvula de alarme e Dispositivos de Alarme: A NFPA 25 recomenda que a válvula de alarme e seus dispositivos de alarme de volume de água devem ser testado pelo menos trimestralmente. A principal maneira de testar este equipamento é abrindo a Conexão de teste de sprinklers. Esta conexão, geralmente localizado no ponto mais alto e mais remoto do sistema em relação a válvula de alarme, é composto por um orifício de teste e controlado por uma válvula globo. Abrindo a válvula globo (válvula de teste de sprinklers), e a subsequente descarga de água através do orifício de teste, simula o funcionamento de um sprinkler. Portanto, dispsitivos de alarme devem soar e/ou operar quando a válvula de teste de sprinklers é aberta. 4

5 Partida Inicial do Modelo 400-NAC-VGPA (ver Figura 2 abaixo) 1. Fechar todas as válvulas de bloqueio (gavetas e esferas); 2. Abrir as Válvulas esfera (nº 6) dos manômetros conectados a Válvula Dilúvio; 3. Certifique-se que a válvula solenoide (nº 7) está DESENERGIZADA 4. Abrir a Válvula esfera (nº 8) de pressurização do diafragma da Válvula Dilúvio (nº 2); 5. Abrir a Válvula de Dreno (nº 5); 6. Abrir lentamente a Válvula Gaveta de Bloqueio de água (nº 1); Obs.: 1- Se houver passagem de água pela Válvula de Dreno (nº 5), feche imediatamente a Válvula de bloqueio (nº 1), pois a Válvula Dilúvio (nº 2) não está sendo pressurizada adequadamente. Verifique a causa da não vedação da Válvula Dilúvio (nº 2). Sugestões: a) obstrução por sujeira no filtro (nº 9) do tubo de pressurização do diafragma da Válvula Dilúvio, após a limpeza, reabrir a Válvula de Bloqueio e prosseguir; ou, b) Material estranho na sede da Válvula Dilúvio; após a limpeza, reabrir a Válvula de Bloqueio e prosseguir; 7. Os manômetros (nº 6) conectados a Válvula Dilúvio, devem apresentar a mesma pressão; caso isso não aconteça, provavelmente é porque um dos manômetros esta descalibrado. Verificar os demais manômetros de rede e decidir qual deles deve ser recalibrado ou substituído; 8. Fechar a Válvula de Dreno (nº 5); 9. Dar Partida no Compressor de Ar; 10. Abrir as Válvulas esfera (nº 10) do manômetro de ar (nº 11) e Pressostatos (nº 12); 11. Abrir o Regulador de Ar (nº 4), conforme segue: Para enchimento da rede de sprinkler, proceda: Puxe para cima a canopla do Regulador de Ar; Gire a canopla no sentido horário ou sentido + indicado; o ar comprimido entrará pela rede; Quando a pressão estiver próximo do valor que deve ser preparado, isto é, para 2,0 Kgf/cm² (+-0,1Kgf/cm²), feche lentamente o Regulador, girando no sentido contrário; Quando a pressão atingir o valor de 2,0 Kgf/cm² (+-0,1Kgf/cm²), nenhum fluxo de ar deve ser sentido pelo Regulador de Ar; Travar o mesmo, empurrando a canopla para baixo Regula-se o Pressostato de Ar (nº 12) para 1,5 Kgf/cm² (+-0,1Kgf/cm²) com diferencial de 0,5Kgf/cm², isto é, com a queda de pressão para 1,0Kgf/cm2 (+-0,1Kgf/cm²) o Pressostato sinalizará alarme. O mesmo só será regularizado, quando a pressão retornar ao valor original de 1,5 Kgf/cm2 (+-0,1Kgf/cm²). Reset do Modelo 400-NAC-VGPA 1. Feche a válvula que controla o abastecimento de água principal (nº 1) para a válvula de dilúvio e feche o fornecimento de ar / nitrogênio para o sistema de sprinkler (nº 4); 2. Rearme o painel de controle do sistema de detecção e alarme; 3. Abre-se a Válvula de Dreno (nº 5) na Válvula de Retenção de Ar, até o esgotamento da água acumulada no Sistema de Sprinkler 4. Fecha-se a Válvula Dreno (nº 5); 5. Siga o procedimento de Partida Inicial; 5

6 Figura 2 Inspeção, Teste e Manutenção da Válvula de Pré Ação Inspeção da Válvula de Pré-Ação e de seus Acessórios: 1. Verificar se as Válvulas de Bloqueio estão na posição ABERTA / FECHADA conforme instruções; 2. Verificar se houve algum dano mecânico, tais como: tubulação rompida, conexões rachadas, mangueiras furada, abraçadeiras soltas, etc.; 3. Aspectos externos do conjunto, tais como: pintura danificada, ferrugem, corrosão, vazamentos em conexões e juntas, etc.; 4. Desalinhamentos ou deformações; 5. Suportes soltos; 6. O Compressor deve ser vistoriado conforme manual do Fabricante; 6

7 Teste da Válvula de Pré-Ação e de seus Acessórios: Nota: Este teste deve ser desenvolvido em conjunto com o Teste do Sistema de Sprinkler e Detecção. Teste de Operação Automática: 1. Abre-se a conexão de teste do Sistema de Sprinkler e observa-se a queda de pressão do ar; 2. Um sinal de baixa pressão de ar deve ser observado na Central de Detecção e Combate; 3. Deve-se induzir um sinal de fumaça do Sistema de detecção para a Central de Detecção e combate; 4. Com a ocorrência destes sinais, a Central de Detecção e Combate deve ter comandado a Válvula Solenoide 3 vias N.F. 24VCC (nº 7) que atua sobre o Diafragma da Válvula Dilúvio. Um fluxo de água pela saída de dreno do atuador pneumático (nº 13) deve ser observado, permitindo a abertura da Válvula de Dilúvio; 5. O Sistema de Sprinkler deve ter sido inundado, e um fluxo de água deve ter sido observado na conexão de teste; 6. Desliga-se a moto bomba principal diesel ou elétrica; 7. Fecha-se a Válvula de Bloqueio (nº 1); 8. A moto bomba Jockey deve regularizar a pressão da rede de alimentação; 9. Rearma-se a Válvula de Pré-Ação conforme o procedimento de partida inicial ; Teste de Operação Manual: 1. Abre-se a Válvula de Atuação Manual (nº 14) da Válvula de Pré-Ação; 2. O Sistema de Sprinkler deve ter sido inundado e um fluxo de água deve ter sido observado na conexão de teste; 3. Desliga-se a moto bomba principal diesel ou elétrica; 4. Fecha-se a Válvula de Bloqueio (nº 1); 5. A moto bomba Jockey deve regularizar a pressão da rede de alimentação; 6. Rearma-se a Válvula de Pré-Ação conforme o procedimento de partida inicial ; Nota: Este teste é recomendado a execução em um prazo trimestral. 7

Válvula Dilúvio Modelo: 300-NAC-VGDD ACIONAMENTO ELÉTRICO

Válvula Dilúvio Modelo: 300-NAC-VGDD ACIONAMENTO ELÉTRICO Válvula Dilúvio Modelo: 300-NAC-VGDD ACIONAMENTO ELÉTRICO 1 Geral: As Válvulas de Dilúvio, de 1-1/2 a 8" (DN40 a DN200), são válvulas de tipo diafragma concebidas para instalação vertical ou horizontal

Leia mais

Válvula de Pré-Ação Aprovado UL/FM Modelo: 400-FM-VGPA TIPO F Double Interlock

Válvula de Pré-Ação Aprovado UL/FM Modelo: 400-FM-VGPA TIPO F Double Interlock Válvula de Pré-Ação Aprovado UL/FM Modelo: 400-FM-VGPA TIPO F Double Interlock Terminologia: Non-Interlock - Utiliza uma válvula de canalização seca e um sistema de detecção pneumático ou elétrico suplementar.

Leia mais

Válvula de Governo Modelo: 200-FM-VGRA

Válvula de Governo Modelo: 200-FM-VGRA Válvula de Governo Modelo: 200-FM-VGRA 1 Geral: A Válvula de Alarme, Modelo 200-FM-VGRA atua como uma válvula de retenção, mantendo a água sob pressão abaixo da portinhola e evitando o fluxo de água no

Leia mais

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Esses equipamentos são destinados a eliminar ou minimizar os danos causados por acidentes nos olhos

Leia mais

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo 1 2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de um determinado nível na

Leia mais

V lvula Dil vio de aá o prèvia dupla Modelo 400E-7DM

V lvula Dil vio de aá o prèvia dupla Modelo 400E-7DM V lvula Dil vio de aá o prèvia dupla Modelo 400E-7DM DescriÁ o O sistema dil vio de aá o prèvia dupla modelo 400E-7DM foi desenvolvido para abertura a partir de dois sinais distintos de detecá o, mantendo

Leia mais

Metalsinter Indúsria e Comércio de Filtros Sinterizados Ltda.

Metalsinter Indúsria e Comércio de Filtros Sinterizados Ltda. Filtros Racor FBO Instalação, Operação e Manutenção Caminhões com combustível de aviação Pontos de abastecimento de aviação Marinas Filtragem de combustível diesel de alta vazão Metalsinter Indúsria e

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A CAPA LIFEPROOF FRÉ PARA IPHONE

INSTRUÇÕES PARA A CAPA LIFEPROOF FRÉ PARA IPHONE INSTRUÇÕES PARA A CAPA LIFEPROOF FRÉ PARA IPHONE A capa LifeProof é à prova d'água, à prova de queda e própria para quaisquer condições climáticas, permitindo utilizar o seu iphone dentro e debaixo d'água.

Leia mais

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo 1 2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de um determinado nível na

Leia mais

Guia de bolso para inspeção, teste e manutenção de equipamentos de proteção contra incêndio. Quarta edição

Guia de bolso para inspeção, teste e manutenção de equipamentos de proteção contra incêndio. Quarta edição Guia de bolso para inspeção, teste e manutenção de equipamentos de proteção contra incêndio 1 Quarta edição Guia de bolso para inspeção, teste e manutenção de equipamentos de proteção contra incêndio

Leia mais

Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos. Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos. Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho Tem o objetivo de evitar que o trabalhador entre em contato com partes móveis da máquina. Definições Maquinas

Leia mais

Operação e manutenção. Válvula de alívio de descarga. Índice. Ilustrações. Visite-nos em

Operação e manutenção. Válvula de alívio de descarga. Índice. Ilustrações. Visite-nos em Válvula de alívio de descarga Operação e manutenção Form. N.º F-1031 Seção 2302.6 Data de emis. 11/95 Data de rev. 10/08/09 Índice Informação de segurança... 2 Descrição geral... 3 Instruções de operação...

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS Válvulas de controle (funções, componentes, tipos e aplicações) Patrícia Lins de Paula 25/03/2012 154 VÁLVULAS São dispositivos destinados a estabelecer, controlar

Leia mais

Sistemas de Proteção Contra Incêndios Ltda. Equipamentos Mecânicos e Hidráulicos

Sistemas de Proteção Contra Incêndios Ltda. Equipamentos Mecânicos e Hidráulicos Cilindros de gás carbônico (CO2). Fabricados em tubo de aço sem costura SAE 1541 Mannesmann, capacidade de 25; 30; 45 kg de CO2 cada, conforme norma DOT 3 AA. Válvula para cilindro de CO2-com cabeça de

Leia mais

MANUAL VALVULA DE DESCARGA DE FUNDO SÉRIE 940

MANUAL VALVULA DE DESCARGA DE FUNDO SÉRIE 940 A. Introdução Este manual tem por objetivo apresentar as especificações, procedimentos de instalação, operação e manutenção de válvulas de descarga de fundo. As Válvulas de descarga de fundo série 940

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 15 a 40 mm V2.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 15 a 40 mm V2.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO Hidrômetros de diâmetro nominal 15 a 40 mm V2.0 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO O medidor deve ser instalado em local facilmente acessível, para permitir operações como leitura, manutenção,

Leia mais

V lvula Dil vio com reduá o de press o e controle remoto hidr ulico

V lvula Dil vio com reduá o de press o e controle remoto hidr ulico V lvula Dil vio com reduá o de press o e controle remoto hidr ulico Modelo 400E-5DC DescriÁ o A v lvula dil vio modelo 400E-5DC È uma v lvula hidr ulica utilizada em sistemas de combate a incíndio de projetores

Leia mais

earth safe Tanque diário M500 Sistemas de combustível para instalações críticas SISTEMAS DE COMBUSTÍVEL PARA ALIMENTAÇÃO DE EMERGÊNCIA

earth safe Tanque diário M500 Sistemas de combustível para instalações críticas SISTEMAS DE COMBUSTÍVEL PARA ALIMENTAÇÃO DE EMERGÊNCIA Tanque diário M500 controlador integral de rede OmniPlex BACnet, Modbus, Metasys N2, or LON Comunicações Descrição geral Armazenagem segura de combustível no interior de edifícios. Os tanques diários da

Leia mais

Sistema de Turbilhonamento Vertical. Duplo dispenser para sabão e amaciante

Sistema de Turbilhonamento Vertical. Duplo dispenser para sabão e amaciante L A V A D O R A Design Moderno Sistema de Turbilhonamento Vertical Duplo dispenser para sabão e amaciante Capacidade de lavagem até 6,4kg de roupa 5 programas de lavagem: Leve, Média, Normal, Pesada, Extra

Leia mais

ANEXO II PLANO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

ANEXO II PLANO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA CHILLER 001 1 Limpeza geral da CAG. Incluindo compressores. Mensal 2 Eliminar ruídos e vibrações anormais ou programar corretiva. Mensal 3 Verificar / completar nível de óleo Mensal 4 Registra pressões

Leia mais

DESCRIÇÃO E TESTE DOS PRINCIPAIS COMPONENTES

DESCRIÇÃO E TESTE DOS PRINCIPAIS COMPONENTES DESCRIÇÃO E TESTE DOS PRINCIPAIS COMPONENTES 1 Dispositivo de Segurança da Tampa O dispositivo de segurança da tampa é um dispositivo eletromecânico, do tipo normalmente aberto, que tem as seguintes características:

Leia mais

Manual de Instruções Lavadora Tanquinho Premium 3.0

Manual de Instruções Lavadora Tanquinho Premium 3.0 Manual de Instruções Lavadora Tanquinho Premium 3.0 Imagem meramente ilustrativa. Peso Liquido: 9,6 Kg Peso Bruto: 10 Kg Lavadora Tanquinho Premium 3.0 LIBELL 1 MANUAL DE USUÁRIO Parabéns por ter escolhido

Leia mais

HFC-227ea. Benefícios. Agente Extintor. HFC-227ea Nome Químico: Heptafluoropropane Conhecido comercialmente como: FM-200 / FE-227

HFC-227ea. Benefícios. Agente Extintor. HFC-227ea Nome Químico: Heptafluoropropane Conhecido comercialmente como: FM-200 / FE-227 O MELHOR AGENTE DE SUPRESSÃO DE CHAMAS INCÊNDIO ATINGE CENTRAL DE OPERADORA TELEFÔNICA E COMPROMETE O SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO E TELEFONIA MÓVEL. Notícia Portal Uol Agente Extintor HFC-227ea Benefícios Um

Leia mais

MANUAL VALVULA DE SEGMENTO ESFÉRICO SERIE 960

MANUAL VALVULA DE SEGMENTO ESFÉRICO SERIE 960 A. Introdução Este manual tem por objetivo apresentar as especificações, procedimentos de instalação, operação e manutenção de válvula de segmento esférico série 960. A válvula de segmento esférico montado

Leia mais

MOTOCULTIVADOR BUFFALO BFD

MOTOCULTIVADOR BUFFALO BFD ÍNDICE: Componentes do motocultivador... 1 1.0 Funcionamento do Motor Diesel... 2 1.1 Abastecimento de Óleo Lubrificante... 2 1.2 Abastecimento de Óleo Diesel... 2 1.3 Abastecimento de Óleo na Transmissão...

Leia mais

MANUAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA CAIXA DE DESCARGA PARA EMBUTIR EXTRAFINA

MANUAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA CAIXA DE DESCARGA PARA EMBUTIR EXTRAFINA MANUAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA CAIXA DE DESCARGA PARA EMBUTIR EXTRAFINA 1- Com o flutuador da torneira bóia na posição abaixada, o reservatório enche muito lentamente ou não enche de água.

Leia mais

AQUECEDOR ESPACIAL GA100C

AQUECEDOR ESPACIAL GA100C AQUECEDOR ESPACIAL GA100C REV.03-02/2013-MI0008P MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 IMPORTANTE... 3 SEGURANÇA... 4 Aquecedor espacial GA100C... 5 Instruções de instalação... 5 1) Posicionamento

Leia mais

COMBATE SPRINKLERS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS VÁLVULAS

COMBATE SPRINKLERS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS VÁLVULAS SPRINKLERS VÁLVULAS PERIFÉRICOS ACESSÓRIOS COMBATE A Skop tem sua origem e grande parte de sua história vinculada à comercialização de sprinklers nacionais de fabricação própria, conhecidos pela marca

Leia mais

5. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO

5. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO NX-4 FALCON 5. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 5-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 5-3 CARCAÇA DO FILTRO DE AR 5-4 CARCAÇA DO FILTRO DE AR SECUNDÁRIO 5-7 REMOÇÃO DO CARBURADOR 5-7 DESMONTAGEM DO CARBURADOR

Leia mais

Circuitos Pneumáticos

Circuitos Pneumáticos www.iesa.com.br 1 Circuitos Pneumáticos Exemplos: 1) Comando de um cilindro de ação simples ) Comando de um cilindro de ação dupla 3) Comando indireto de um cilindro de ação simples 4) Comando indireto

Leia mais

TIPOS DE VÁLVULAS. Válvulas de interesse em refrigeração: 1. Bloqueio: 2. Retenção: 3. Expansão:

TIPOS DE VÁLVULAS. Válvulas de interesse em refrigeração: 1. Bloqueio: 2. Retenção: 3. Expansão: VÁLVULAS TIPOS DE VÁLVULAS Válvulas de interesse em refrigeração: 1. Bloqueio: 2. Retenção: 3. Expansão: 1. VÁLVULA DE BLOQUEIO Utilizada em diversos pontos das linhas; Função de isolar um componente ou

Leia mais

Microrutores Precauções na Instalação

Microrutores Precauções na Instalação Terminologia Microrutor... interruptor elétrico de precisão com ação rápida dos contatos, mecanicamente operado e... características controladas; Mecanismo de Ação rápida... Mecanismo interno do microrutor

Leia mais

SPRINKLERS COMPONENTES VÁLVULAS ACESSÓRIOS

SPRINKLERS COMPONENTES VÁLVULAS ACESSÓRIOS ACESSÓRIOS COMPONENTES VÁLVULAS SPRINKLERS COMBATE A Skop tem sua origem e grande parte de sua história vinculada à comercialização de sprinklers nacionais de fabricação própria, conhecidos pela marca

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES AQUECEDOR DE ÁGUA

MANUAL DE INSTRUÇÕES AQUECEDOR DE ÁGUA MANUAL DE INSTRUÇÕES AQUECEDOR DE ÁGUA ÍNDICE Introdução e características... 03 Instruções de segurança... Instruções de instalação... Operações... Manutenção geral... Limpeza e substituição... Solução

Leia mais

DESOBSTRUIDOR DE SILOS, TREMONHAS, CICLONES, DUTOS, CAÇAMBAS DE CAMINHÕES...

DESOBSTRUIDOR DE SILOS, TREMONHAS, CICLONES, DUTOS, CAÇAMBAS DE CAMINHÕES... INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA. 25 ANOS DESOBSTRUIDOR DE SILOS, TREMONHAS, CICLONES, DUTOS, CAÇAMBAS DE CAMINHÕES... VANTAGENS EM RELAÇÃO AOS MÉTODOS TRADICIONAIS Produção contínua Redução de custos operacionais

Leia mais

Cuidados na Instalação

Cuidados na Instalação Cuidados na Instalação Os principais cuidados na instalação referem-se a: Localização da Bomba Fundação/Base Alinhamento Nivelamento/Fixação à Base/Grouting Acoplamento às Tubulações Instalação Final/Partida

Leia mais

Instruções de instalação

Instruções de instalação Índice Página Instalação... 29 Termostato KP com sensor de ar.... 29 Ajuste... 30 com reset automático... 30 com reset máximo... 30 com reset mínimo.... 30 Exemplo de ajuste................................................................................

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Instruções Básicas de segurança 1

SUMÁRIO. 1 Instruções Básicas de segurança 1 SUMÁRIO 1 Instruções Básicas de segurança 1 1.1 Aplicação prevista 1 1.2 Seu equipamento de proteção individual 1 1.3 Soluções de molha, solventes e revestimentos. 1 1.4 Trabalhando na impressora sem riscos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO AQUECEDORES ELÉTRICOS Aquecedores de 30 kw, 36 kw e 48 kw Aquecedores em série: 2 x 30 (60 kw) e 2 x 36 (72 kw) REV. B: AGOSTO/2010 E-384832-3 ÍNDICE PÁGINA Descrição 3 GERAL 3 EQUIPAMENTO

Leia mais

Plantas de Classificação de Áreas 25/03/2012 140

Plantas de Classificação de Áreas 25/03/2012 140 Plantas de Classificação de Áreas 25/03/2012 140 Normas para elaboração de plantas de classificação de áreas 25/03/2012 141 Legenda para plantas de classificação de áreas 25/03/2012 142 Etapas para elaboração

Leia mais

I-769P-EPA-PORB Válvula de Pré-Ação FireLock NXT com Atuador Elétrico/Pneumático, Série 767

I-769P-EPA-PORB Válvula de Pré-Ação FireLock NXT com Atuador Elétrico/Pneumático, Série 767 PENDURE ESTAS INSTRUÇÕES NA VÁLVULA INSTALADA PARA FÁCIL REFERÊNCIA NO FUTURO AVISO AVISO Caso essas instruções e avisos não sejam obedecidos, poderá haver falha do produto, resultando em lesões pessoais

Leia mais

MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME ABNT NBR 15594-3

MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME ABNT NBR 15594-3 MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME ABNT NBR 15594-3 MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME ABNT NBR 15594-3 Periodicidade Tipos de manutenção Equipamentos MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME ABNT NBR 15594-3

Leia mais

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Damper tipo Borboleta

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Damper tipo Borboleta Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção Damper tipo Borboleta ISO 9001:2008 VENTEC AMBIENTAL EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES LTDA Rua André Adolfo Ferrari, nº 550 - Distrito Industrial Nova Era

Leia mais

*Imagens meramente ilustrativas LIXADEIRA ORBITAL. Manual de Instruções

*Imagens meramente ilustrativas LIXADEIRA ORBITAL. Manual de Instruções *Imagens meramente ilustrativas LIXADEIRA ORBITAL Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS LIXADEIRA ORBITAL 1200 Modelo Velocidade sem carga Pressão de ar Entrada de ar 1/4 V8-LX-1200

Leia mais

QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I

QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I INFORMAÇÕES TÉCNICAS E MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SUMÁRIO Descrição 1 - Notas importantes 1 2 - Sobre o produto 2 3 Tabela de capacidades 3 4 Especificações técnicas 4

Leia mais

Fluído Pressão máx. funcionamento Pressão mín. funcionamento Pressão de teste Temp. ambiente e do fluído Grau de filtragem Duração do filtro

Fluído Pressão máx. funcionamento Pressão mín. funcionamento Pressão de teste Temp. ambiente e do fluído Grau de filtragem Duração do filtro Filtro de linha Série A série é montada na tubagem principal para eliminar impurezas do ar comprimido, tais como óleo, água e matérias estranhas. Melhora as capacidades do secador secundário, prolonga

Leia mais

Sistemas de proteção contra incêndios por espuma

Sistemas de proteção contra incêndios por espuma DESCRIÇÃO: Freqüentemente é necessário instalar um sistema de proteção contra incêndios fixo para proteger instalações de depósitos onde são armazenados ou utilizados líquidos inflamáveis durante um processo

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DO EQUIPAMENTO

CARACTERÍSTICAS DO EQUIPAMENTO CARACTERÍSTICAS DO EQUIPAMENTO 1. IDENTIFICAÇÃO: MODELO: Nº. de série: Ano de fabricação: 2. Características Técnica: Capacidade Nominal: Material estrutura/ especificação: Material compressão/ especificação:

Leia mais

3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering

3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering 3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering Pergunta Interativa Quem gerencia a manutenção dos sistemas de combate a incêndio na sua empresa?

Leia mais

CARREGADOR DE BATERIAS DIGITAL INTELIGENTE 50 AMPÉRES MODELO: KA-074

CARREGADOR DE BATERIAS DIGITAL INTELIGENTE 50 AMPÉRES MODELO: KA-074 MANUAL DE INSTRUÇÕES CARREGADOR DE BATERIAS DIGITAL INTELIGENTE 50 AMPÉRES MODELO: KA-074 INTRODUÇÃO: O equipamento KA-074, foi desenvolvido com a finalidade de recarregar baterias automotivas de até

Leia mais

OPERAÇÃO MANUTENÇÃO CENTRAL ALIMENTAÇÃO

OPERAÇÃO MANUTENÇÃO CENTRAL ALIMENTAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO MANUTENÇÃO CENTRAL DE ALIMENTAÇÃO Modelo: N O DE SÉRIE: FABRICAÇÃO: / / 1 1 - INTRODUÇÃO Antes de qualquer providência, leia atentamente este manual. Este Manual tem por objetivo

Leia mais

Apresentação Técnica. Dreno Automático de Condensados Linha LD. People. Footer Passion. Performance.

Apresentação Técnica. Dreno Automático de Condensados Linha LD. People. Footer Passion. Performance. Apresentação Técnica Dreno Automático de Condensados Linha LD People. Footer Passion. Performance. 1. Date Agenda Visal geral da linha de produtos Aplicações Principais benefícios Comparativos Características

Leia mais

CARREGADOR DE BATERIAS DIGITAL 50 AMPÉRES MODELO: KA-067

CARREGADOR DE BATERIAS DIGITAL 50 AMPÉRES MODELO: KA-067 MANUAL DE INSTRUÇÕES CARREGADOR DE BATERIAS DIGITAL 50 AMPÉRES MODELO: KA-067 INTRODUÇÃO: O equipamento KA-067, foi desenvolvido com a finalidade de recarregar baterias automotivas de até 50 Amperes com

Leia mais

Seção Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: Ranger. Índice FERRAMENTAS ESPECIAIS DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO

Seção Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: Ranger. Índice FERRAMENTAS ESPECIAIS DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO 1 de 19 15/07/2011 14:20 Seção 310-01 Reservatório e Linhas Seção 310-01 Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: Ranger Índice Assunto Página FERRAMENTAS ESPECIAIS 310-01-02 DESCRIÇÃO

Leia mais

Detector de Sequência de Fase e Rotação de Motores

Detector de Sequência de Fase e Rotação de Motores Manual do Usuário Detector de Sequência de Fase e Rotação de Motores Modelo 480403 Introdução Parabéns por adquirir nosso Detector de Sequência de Fase e Rotação de Motores Extech Modelo 480403. Este instrumento

Leia mais

Válvulas de segurança e produtos pneumáticos adequados à NR-12. Standards Certification Education & Training Publishing Conferences & Exhibits

Válvulas de segurança e produtos pneumáticos adequados à NR-12. Standards Certification Education & Training Publishing Conferences & Exhibits Válvulas de segurança e produtos pneumáticos adequados à NR-12 Standards Certification Education & Training Publishing Conferences & Exhibits 1 1 NR-12 : Segurança no trabalho em máquinas e equipamentos

Leia mais

CÓD Fevereiro 2016 PL - 9 PL - 12

CÓD Fevereiro 2016 PL - 9 PL - 12 CÓD. 392887 - Fevereiro 2016 PL - 9 PL - 12 Manual de Instruções de Instalação, Funcionamento e Garantia 01 Índice 1. Apresentação 2. Atenção 3. Aplicações 4. Instalação Hidráulica 4.1. Instalação Elétrica

Leia mais

Filtração do Óleo Lubrificante

Filtração do Óleo Lubrificante Objetivos Analisar as recomendações do fabricante do motor Identificar o intervalo de troca dos filtros do óleo Descrever os procedimentos de inspeção e substituição do filtro do óleo Descrição Neste módulo

Leia mais

Acumuladores hidráulicos

Acumuladores hidráulicos Tipos de acumuladores Compressão isotérmica e adiabática Aplicações de acumuladores no circuito Volume útil Pré-carga em acumuladores Instalação Segurança Manutenção Acumuladores Hidráulicos de sistemas

Leia mais

Comandos Eletroeletrônicos

Comandos Eletroeletrônicos Comandos Eletroeletrônicos Sensores Prof. Gilmário Lima Parte 1 Sensores de Proximidade !!! " #! ASPECTO Sensor de corpo tubular Plástico Metálico Face translúcida (óptico) SÍMBOLOS INDUTIVO MAGNÉTICO

Leia mais

Manual Filtros SFMC 150/400/1000

Manual Filtros SFMC 150/400/1000 Manual Filtros SFMC 150/400/1000 Filtro Micrônico e Coalescente, com capacidade de retenção de sólidos de 5 micra e separação de água com eficiência de 99,5% e vazão de 150 ou 400 litros por minuto. Composto

Leia mais

Linha Alta Pressão Linha Alta Pressão Utilização Utilização 1 ENTRADA DE ÁGUA 5 1.1 Utilize sempre o filtro de entrada de água. (FIG. 1) 1.2 Conectar a mangueira. Verificar que a vazão mínima de alimentação

Leia mais

Válvulas Pneumáticas VÁLVULAS

Válvulas Pneumáticas VÁLVULAS VÁLVULAS Vimos que para os atuadores funcionarem é necessário que o ar comprimido chegue até eles. Ainda não explicamos como isso ocorre, porém não é difícil imaginar uma tubulação de aço, borracha ou

Leia mais

CHAVE DE IMPACTO EM L

CHAVE DE IMPACTO EM L *Imagens meramente ilustrativas CHAVE DE IMPACTO EM L Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS CHAVE DE IMPACTO EM L Modelo V8 Chave de impacto em L Rotação a vazio 160 RPM Consumo médio

Leia mais

REF.: HOSHIZAKI SÉRIE KM - CICLO DE OPERAÇÃO

REF.: HOSHIZAKI SÉRIE KM - CICLO DE OPERAÇÃO REF.: HOSHIZAKI SÉRIE KM - CICLO DE OPERAÇÃO TODAS AS HOSHIZAKI MODELOS KM... TÊM O SEGUINTE CICLO DE OPERAÇÃO: 1. Enchimento Inicial do Tanque (Ciclo de 1 Minuto) - de 1 em 1 minuto Ao ser ligada, a máquina

Leia mais

RECOMENDAÇÕES NA INSTALAÇÃO DE BOMBAS MARRUCCI EM CIRCUITO HIDRÁULICO COM CILINDROS SOB A CAÇAMBA BAIXA PRESSÃO

RECOMENDAÇÕES NA INSTALAÇÃO DE BOMBAS MARRUCCI EM CIRCUITO HIDRÁULICO COM CILINDROS SOB A CAÇAMBA BAIXA PRESSÃO INFORMATIVO TÉCNICO N 017/09 INFORMATIVO TÉCNICO RECOMENDAÇÕES NA INSTALAÇÃO DE BOMBAS MARRUCCI EM CIRCUITO HIDRÁULICO COM CILINDROS SOB A CAÇAMBA BAIXA PRESSÃO ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------INDÚSTRIAS

Leia mais

BREAK-SAFE Ferramenta Load Break & Pick-up

BREAK-SAFE Ferramenta Load Break & Pick-up BREAK-SAFE Ferramenta Load Break & Pick-up USBS-15-1-PS USBS-27-1-PS USBS-46-1-PS USBS-15-2-PS USBS-27-2-PS USBS-46-2-PS Opções disponíveis: H - Caixa S - Estojo Apenas Modelos de Segunda Geração. Para

Leia mais

Certificado de Garantia

Certificado de Garantia MANUAL DE INSTRUÇÕES BANHO-MARIA A GÁS Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto ALFATEC EQUIPAMENTO E SERVIÇOS LTDA Rua Gerson Ferreira, 31-A - Ramos - CEP: 21030-151 - RJ Tel/Fax: (0xx21)

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES TRANSFORMADOR A SECO ÍNDICE DESCRIÇÃO PÁGINA 1 Instruções para a instalação.................................... 02 2 Instruções para a manutenção..................................

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 174426 Qualidade dos sistemas de proteção contra incêndio Antônio Fernando Berto Palestra apresentado no SEMINÁRIO NACIONAL DE BOMBEIROS, 2016, Florianópolis. Palestra...47 slides.

Leia mais

*Imagens meramente ilustrativas LIXADEIRA ORBITAL. Manual de Instruções

*Imagens meramente ilustrativas LIXADEIRA ORBITAL. Manual de Instruções *Imagens meramente ilustrativas LIXADEIRA ORBITAL Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS LIXADEIRA ORBITAL Modelo Velocidade sem carga Pressão de trabalho Entrada de ar 1/4 Disco de

Leia mais

Simbologia dos componentes

Simbologia dos componentes Simbologia dos componentes 1. Símbolos básicos 2. Símbolos funcionais 3. Linhas de escoamento e conexões 4. Tipos de acionamento 2 L1 5. Unidades de conversão e armazenamento de energia L1 6. Distribuição

Leia mais

Opções disponíveis GX 2-5 AP GX 2-5 FF GX 7-11 AP GX 7-11 FF

Opções disponíveis GX 2-5 AP GX 2-5 FF GX 7-11 AP GX 7-11 FF Especificações técnicas GX 2-5 e GX 7-11 MODELO DO COMPRESSOR Pressão máxima de trabalho. Capacidade (FAD)* Potência do motor Nível de ruído db(a) ** Peso (kg)*** bar(g) psi l/s m 3 /min cfm kw cv db(a)

Leia mais

,QVWDODomR. Dê um duplo clique para abrir o Meu Computador. Dê um duplo clique para abrir o Painel de Controle. Para Adicionar ou Remover programas

,QVWDODomR. Dê um duplo clique para abrir o Meu Computador. Dê um duplo clique para abrir o Painel de Controle. Para Adicionar ou Remover programas ,QVWDODomR 5HTXLVLWRV0tQLPRV Para a instalação do software 0RQLWXV, é necessário: - Processador 333 MHz ou superior (700 MHz Recomendado); - 128 MB ou mais de Memória RAM; - 150 MB de espaço disponível

Leia mais

Distribuição de vapor. Dilatação térmica. Junta de expansão. Desvio em U 1/10/2010

Distribuição de vapor. Dilatação térmica. Junta de expansão. Desvio em U 1/10/2010 Distribuição de vapor Dilatação térmica Dimensionamento e especificação de tubos; dilatação térmica; purgadores Artifícios para flexibilização de tubulações de vapor http://www.spiraxsarco.com/resources/steam-engineering-tutorials.asp

Leia mais

Unidade de borrifamento de névoa. Especificações padrão. Modelo. Pressão de ar na entrada. Faixa de pressão ajustável para o tanque de óleo

Unidade de borrifamento de névoa. Especificações padrão. Modelo. Pressão de ar na entrada. Faixa de pressão ajustável para o tanque de óleo Unidade de borrifamento de névoa Série MU/ N orrifamento intermitente para correntes de engrenagem de corte, prensa e outras. Especificações padrão MU MU Pressão de ar na entrada, a, MPa Faixa de pressão

Leia mais

Laboratório de Pneumática. Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva Prof. Dr. Rafael Traldi Moura MSc. Ruben Andres Salas

Laboratório de Pneumática. Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva Prof. Dr. Rafael Traldi Moura MSc. Ruben Andres Salas Laboratório de Pneumática Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva Prof. Dr. Rafael Traldi Moura MSc. Ruben Andres Salas Objetivos: Objetivo e Considerações O laboratório tem por principal objetivo revisar

Leia mais

CHAVE COAXIAL MOTORIZADA

CHAVE COAXIAL MOTORIZADA Instalação do produto: 1-Conectar as linhas de RF nas portas A-B-C-D conforme necessidade 2-Conectar os Interlocks de proteção para chaveamento dos transmissores, via relés ou contatos das chaves fim de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Cat. N KR470, KR505, KR506 ADVERTÊNCIA: LEIA ESTAS INSTRUÇÕES ANTES DE USAR O PRODUTO.

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Cat. N KR470, KR505, KR506 ADVERTÊNCIA: LEIA ESTAS INSTRUÇÕES ANTES DE USAR O PRODUTO. Furadeira de Impacto MANUAL DE INSTRUÇÕES Cat. N KR470, KR505, KR506 3 4 1 2 ADVERTÊNCIA: LEIA ESTAS INSTRUÇÕES ANTES DE USAR O PRODUTO. 7 8 5 A 6 B 2 Aplicação Sua Furadeira de impacto Black & Decker

Leia mais

Válvula de Descarga Eletrônica FLUX

Válvula de Descarga Eletrônica FLUX Válvula de Descarga Eletrônica FLUX Apresentação Válvula de Descarga Eletrônica Flux Wave - Ref.: 3660 EL-WAV. - Disponível em duas bitolas: 1 1/2 e 1 1/4, com mecanismo único. - Para bacia sanitária,

Leia mais

Guia do Usuário YDR323

Guia do Usuário YDR323 Guia do Usuário YDR323 As funções e design deste produto poderão ser alteradas sem aviso prévio para a melhoria da qualidade Não instale este produto exposto ao tempo. Não bata com ferramentas. Cuidado

Leia mais

Bombas de incêndio. Uma bomba de incêndio corretamente selecionada deve satisfazer duas condições básicas de desempenho:

Bombas de incêndio. Uma bomba de incêndio corretamente selecionada deve satisfazer duas condições básicas de desempenho: Bombas de incêndio Bombas de incêndio O QUE VOCÊ PRECISA SABER A experiência comprova que, em casos de incêndio, a impossibilidade de utilização de equipamentos/ instalações de combate, proteção e segurança

Leia mais

INSPEÇÃO E TESTE DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS

INSPEÇÃO E TESTE DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS GLOBAL PROPERTY Loss Prevention Engineering INSPEÇÃO E TESTE DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Os sistemas de proteção contra incêndios são um fator essencial na redução de perdas potencialmente

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO - Basquete Duplo Instruções de Montagem

MANUAL DO USUÁRIO - Basquete Duplo Instruções de Montagem MANUAL DO USUÁRIO - Basquete Duplo Instruções de Montagem Por favor, contate-nos antes de retornar o produto à loja: (19) 3573-8999. Garantia Limite de 90 dias Este produto tem garantia de até 90 dias

Leia mais

VÁLVULAS E ACESSÓRIOS

VÁLVULAS E ACESSÓRIOS VÁLVULAS E ACESSÓRIOS RAF INFORMAÇÕES GERAIS As válvulas RAF são usadas para aplicações água em geral e irrigação. As válvulas são feitas de 3 partes somente, sendo que cada uma delas é feita de materiais

Leia mais

Instalação. Tubulação... 7, 8. Fiação... 9

Instalação. Tubulação... 7, 8. Fiação... 9 Instruções de Instalação Índice Sistemadeválvulasdedescarga Descrição do sistema... 1 Instalação Válvula de descarga... 2, 4 Válvula piloto... 5, 6 Tubulação... 7, 8 Fiação... 9 Leia atentamente as instruções

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS POP: I 115 Página 1 de 6 1. Objetivo Estabelecer a sistemática para a produção de água reagente para o abastecimento do equipamento Architecti2000 (Abbott), dos demais equipamentos que utilizam esta água

Leia mais

Curso de Especialização em Engenharia Mecatrônica. Elementos Finais de Controle

Curso de Especialização em Engenharia Mecatrônica. Elementos Finais de Controle Slide 1 Curso de Especialização em Engenharia Mecatrônica Coordenador Geral : Prof. Max Suell Dutra Elementos Finais de Controle Prof. Wairy Dias Cardoso Slide 2 Elementos Finais de Controle Os elementos

Leia mais

FILTROS DE PRESSÃO DUPLEX

FILTROS DE PRESSÃO DUPLEX FILTROS DE PRESSÃO DUPLEX HDA ACESSÓRIOS E EQUIPAMENTOS LTDA Rua Bento Vieira, 240 São Paulo SP Fone: 1129142522 Fax: 112914772 email: hda@hdanet.com.br www.hdanet.com.br Aplicação Os FILTROS DE PRESSÃO

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MICRO MOTOR

MANUAL DO USUÁRIO MICRO MOTOR MICRO MOTOR Intra MX com refrigeração Intra MX sem refrigeração Premium com refrigeração Premium sem refrigeração rev.01 Registro ANVISA 10328690023 Índice Introduçao 2 Serviço de Apoio ao Cliente 3 Precauções

Leia mais

MODELO P UL. Válvula de Governo e Alarme. Descrição do Produto. Operação. Especificações

MODELO P UL. Válvula de Governo e Alarme. Descrição do Produto. Operação. Especificações Válvula de Governo e Alarme MODELO P UL Descrição do Produto As válvulas de governo e alarme são dispositivos de retenção instalados entre o sistema de abastecimento e a linha de combate à incêndio. Em

Leia mais

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA E LEGISLAÇÃO DAS VALVULAS CORTA CHAMA. Lei NR /MTB

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA E LEGISLAÇÃO DAS VALVULAS CORTA CHAMA. Lei NR /MTB INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA E LEGISLAÇÃO DAS VALVULAS CORTA CHAMA Lei 6.514-NR-18.11.6 /MTB (Ministério do Trabalho) 18.11. Operações de Soldagem e Corte a Quente Parágrafo 18.11.6 As mangueiras devem possuir

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO AQUECEDOR TERMOVENTILADOR AQC418 AQC419

MANUAL DO USUÁRIO AQUECEDOR TERMOVENTILADOR AQC418 AQC419 MANUAL DO USUÁRIO AQUECEDOR TERMOVENTILADOR AQC418 AQC419 Obrigado por adquirir o Aquecedor Termoventilador Cadence AQC418 AQC419, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito importante

Leia mais

SIMBOLOGIA PNEUMÁT ICA

SIMBOLOGIA PNEUMÁT ICA 1 SIMBOLOGIA PNEUMÁT ICA Neste item apresentaremos o resumo dos símbolos usuais empregados em diagramas pneumáticos e hidráulicos. A Tabela 1 apresenta alguns símbolos para os atuadores, conforme a norma

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 50 a 300 mm V1.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 50 a 300 mm V1.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO Hidrômetros de diâmetro nominal 50 a 300 mm V1.0 Instruções de Instalação Woltmann Vertical 1) Quando se colocam em funcionamento novas instalações ou após grandes reformas, deve-se

Leia mais

Sinalização de segurança aplicada aos equipamentos e sistemas de proteção ativa

Sinalização de segurança aplicada aos equipamentos e sistemas de proteção ativa Sinalização de segurança aplicada aos equipamentos e sistemas de proteção ativa Extintores 2,1m 3 Os extintores devem ser convenientemente distribuídos, sinalizados sempre que necessário e instalados em

Leia mais

VNT. Manual de Instruções. VISOR DE NÍVEL Tipo Transparente TECNOFLUID

VNT. Manual de Instruções. VISOR DE NÍVEL Tipo Transparente TECNOFLUID Português VNT VISOR DE NÍVEL Tipo Transparente Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo e número de

Leia mais

EXPERIÊNCIA N O 1 ACINAMENTO DE UMA LÂMPADA POR UMA CHAVE

EXPERIÊNCIA N O 1 ACINAMENTO DE UMA LÂMPADA POR UMA CHAVE I EXPERIÊNCIA N O 1 ACINAMENTO DE UMA LÂMPADA POR UMA CHAVE Ligar e desligar uma lâmpada através de uma única chave pulsante. Toda vez que a chave for pressionada a lâmpada deve mudar de estado, mantendo

Leia mais

Manual de Instalação e Manutenção Série FE

Manual de Instalação e Manutenção Série FE Manual de Instalação e Manutenção Série FE INTRODUÇÃO ÍNDICE Introdução... 1 1 Instalação... 1 2 Manutenção... 2 2.1 Desmontagem... 2 2.2 Limpeza, inspeção e reparo... 3 2.3 Montagem... 3 2.3.1 - Fusível

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES I0.162.11 REV.1 - MARÇO/2012 AMORTECEDORES DE PULSAÇÕES MODELO AD/ASD PARA BOMBAS DOSADORA NSP E NSP/P MANUAL DE INSTRUÇÕES OMEL BOMBAS E COMPRESSORES LTDA. FÁBRICA E ESCRITÓRIOS / PLANT AND OFFICES RUA

Leia mais