FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ"

Transcrição

1 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ TI VERDE Alvaro Perez Sanchez, Bruno Vergatti, José Marcos Rocca, Pedro Aurélio Lemes Guaratinguetá SP 2011

2 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE GUARATINGUETÁ TI VERDE Alvaro Perez Sanchez, Bruno Vergatti, José Marcos Rocca, Pedro Aurélio Lemes Trabalho apresentado à Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá - curso Tecnologia em Informática,4º semestre - Professor Paulo Marcondes disciplina Gestão Ambiental. Guaratinguetá SP 2011

3 Sanchez, A.P., Vergatti,B., Rocca, J.M., Lemes, P.A. TI Verde. Guaratinguetá, p. Trabalho apresentado à Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá - curso Tecnologia em Informática,4º semestre - Professor Paulo Marcondes disciplina Gestão Ambiental.

4 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO O QUE É TI VERDE? RECURSOS Hardware Software Humano PROGRAMA ENERGY STAR MERCADO E MARKETING VERDE MERCADO VERDE MARKETING VERDE CERTIFICAÇÕES E ORGANIZAÇÕES DE GESTÃO DE TECNOLOGIA SUSTENTÁVEIS CERTIFICAÇÕES: Energy Star Isos Ambientais (14000) RoHS Selo verde USP DADOS NEGATIVOS EMISSÕES E CONSUMO ENERGÉTICO LIXO ELETRÔNICO QUANTIDADES E NÚMEROS DE LIXO GERADOS DANOS À SAÚDE E AO MEIO AMBIENTE DADOS POSITIVOS T.I. VERDE: IMPULSO PARA A REDUÇÃO DE EMISSÕES E CONSUMO ENERGÉTICO LIXO ELETRÔNICO COMO OPORTUNIDADE CASOS GOOGLE ATIVAS BANCO REAL CEMIG ITAUTEC CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA...32

5 1 INTRODUÇÃO No intuito de marcar presença no mundo globalizado, muitas empresas estão aderindo aos apelos da sociedade na questão ambiental. Muito mais que adesão, as empresas estão descobrindo que o Marketing ambiental proclamado por diversas ONG s que lutam pelo meio ambiente ao redor do mundo, a TI Verde se desponta como uma oportunidade de negócios que faz bem ao meio ambiente, e ao caixa da empresa. Maximizando recursos, revendo processos existentes e enxugando estruturas que devido a atualização tecnológica se tornam arcaicas da noite para o dia, estas empresas estão descobrindo como se tornar mais competitivas, obtendo mais lucros, atendendo ao retuit, podemos dizer assim, apelo ambiental presentes na mídias sociais, que são a voz da sociedade. Ou seja, a sociedade aprova, os resultados econômicos aparecem, os ganhos ambientais também. Afinal de contas, o que é TI verde? Uma iniciativa ambiental no meio tecnológico fruto da consciência humana dos empresários, ou uma grande oportunidade de negócios? Esta é a questão que pretendemos apresentar através deste trabalho.

6 2 O QUE É TI VERDE? TI verde é o conjunto de ações efetivas que podem ser colocadas em prática com o objetivo de maximizar o uso dos recursos de informática, sejam estes ativos de hardware, software, ou humanos. Este conceito foi criado por empresas de tecnologia da informação preocupadas com o meio ambiente visando também uma atitude de responsabilidade sócio ambiental economizando energia o que traz ganhos também no campo econômico. 2.1 RECURSOS Hardware o Com o desenvolvimento dos processadores de ultima geração, mais velozes e robustos observou-se que em grande parte do tempo estes permaneciam ociosos, praticamente sem o uso de sua capacidade. Da motivação de fazer com que estes computadores fizessem uso dessa capacidade ociosa de processamento surgem as ferramentas também de otimização dos outros sistemas que colaboram para o fortalecimento da TI Verde favorecendo desta forma o melhor uso destes ativos tecnológicos, evitando assim o consumo de novos recursos computacionais, que gerariam maior produção de poluentes durante seu processo produtivo e posteriormente durante o processo de geração de energia para a alimentação elétrica destes equipamentos. o E é nesta direção também que são dirigidos os esforços quando fazemos o uso compartilhado de impressoras, que graças a evolução da tecnologia hoje são dotadas de uma capacidade de impressão superior com qualidade além de

7 possibilitar a remanufatura dos cartuchos utilizados nestes processos de impressão de documentos Software o Aliado ao desenvolvimento do hardware, a virtualização tem papel fundamental na evolução deste conceito, pois complementa este recurso computacional ( hardware ). Podemos destacar a Computação nas Nuvens como um dos processos fundamentais para a obtensão de grandes resultados, quando falamos do conceito de TI Verde. o Alem disso os softwares tem alcançado desenvolvimento no que diz respeito a otimização do processamento realizando menos operações por tarefa, alem de realizar estas de uma só vez a fim de chamar o processador naquele momento único para realizar todas de uma só vez possibilitando manter o processador em mode de economia de energia por mais tempo quando for este o caso. Enfim, a organização de processos de software colabora também com o Conceito de TI Verde Humano o Gestão dos recursos humanos no sentido da conscientização que vai desde o questionamento se você precisa mesmo imprimir aquele documento, ao fato de fazê-lo, utilizando frente e verso do papel. O uso de mídias regraváveis como pendrives por exemplo para o transporte de dados quando necessário no lugar dos CD s e DVD s.a conscientização dos profissionais do meio tecnológico para fazer uso das tecnologias visando a otimização dos recursos

8 computacionais. E finalmente a questão do descarte de modo correto de baterias e toda espécie de lixo eletrônico evitando assim a poluição do meio ambiente. 3 PROGRAMA ENERGY STAR Energy Star é um programa criado pela Environmental Protection Agency EPA (Agência de Proteção Ambiental do governo americano ) em 1993 com o objetivo inicial de incentivar os fabricantes de monitores CRT (tubo) a introduzirem no processo de fabricação destes monitores, tecnologia que possibilitasse o gerenciamento de energia elétrica. Para que os monitores recebessem o selo da Energy Star, deveriam consumir no máximo 30 Watts em modo stand-by e menos de 8 Watts ao serem desligados via software. O objetivo era reduzir a poluição causada quando da geração de energia elétrica, utilizada por estes equipamentos. Este programa tem como objetivo não a criação de normas, mas a orientação para o desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos e foi implantado em diversos países. Nos dias de hoje orienta inclusive a produção de veículos automotores nos EUA. Semelhante ao Energy Star é o selo PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA, instituído por decreto presidencial em 8 de dezembro de Em comum os dois programas tem os objetivos de redução de consumo de energia, além do apelo comercial quando do uso do selo, uma vez que em ambos os casos são necessários o enquadramento dentro de padrões de consumo de energia.

9 4 MERCADO E MARKETING VERDE 4.1 MERCADO VERDE Mercado Verde é o nicho de mercado concentrado em torno do conceito de sustentabilidade (o uso consciente de recursos, viabilizando às gerações futuras seu desenvolvimento e sustento). Caracteriza-se por um segmento específico, que valoriza produtos e serviços de alinhamento ecológico, chegando até mesmo a dispor-se a pagar mais caro por um produto que não agrida o meio ambiente, conforme demonstrado em pesquisa feita pela CNI (Confederação Nacional de Indústrias) e Ibope em Maio de 1998, na qual evidenciaram-se conforme a declaração três de cada quatro dos pesquisados. Vale ressaltar que este nicho de mercado é marcado como um segmento em formação, isto é, possui baixa concorrência, alta capacidade de penetração de investimentos e oportunidades de mercado. Além disso, caracteriza-se por sua cultura de consumo em formação, o que impulsiona o desenvolvimento e evolução tanto dos produtos quanto dos consumidores. Enquanto no Brasil este mercado começa a engatinhar, com programas como o Selo Verde da USP em parceria com a Itautec (que segue as normas da RoHS européia), nos EUA, a parcela de consumidores do mercado verde é de cerca de 37% da população. Em países europeus o número aumenta: 50% (Souza, 1993). Quanto à participação de produtos verdes no mercado, segundo estudo americano, era de 0,5% em 1989 dando um salto para

10 9,2% em Caracteriza-se então um aumento tanto da demanda quanto da oferta de produtos verdes nestes mercados internacionais, que se reflete no Brasil. No entanto, o mercado verde internacional possui normas rígidas de conduta, e está consolidado com consumidores também mais exigentes. Uma pesquisa conduzida na Europa demonstrou o nível de preocupação do consumidor com o meio ambiente; nos resultados, os consumidores mais exigentes são Espanha (86%), Rússia (76%) e Alemanha (73%) (OTTMAN, Jacquelyn A. São Paulo: Makron Books, p.6). Embora haja oportunidades de exportação para tais mercados, uma estratégia de inserção é necessária, bem como toda uma revisão de valores o que passou a ocorrer na década de 80 onde os gastos ambientais passaram a serem vistos como investimento futuro e vantagem competitiva. Esse reposicionamento global foi reforçado pelas conferências ambientais, que, juntamente com a adoção de legislações ambientais (Protocolo de Kyoto) e campanhas (Rio 92, Agenda 21), impulsionou a adoção de novas técnicas de produção e hábitos de consumo, incentivando e impondo mudanças nos valores das empresas e na forma como produzimos bens industrializados. Já costuma ser uma prática difundida e em uso em algumas corporações, cargos no setor estratégico voltados ao meio ambiente inicia-se a propagação da SGA (Sistema de Gestão Ambiental), cujo foco é o relacionamento da empresa com a questão ambiental (tratamento de resíduos, poluição, proteção ambiental e até mesmo ações sociais). 4.2 MARKETING VERDE Dentro do contexto atual, onde as empresas desenvolvem uma preocupação ambiental mais presente e ativa, é interessante notar a propagação desta mentalidade aos diversos setores da empresa e sua conseqüente adaptação ao contexto. O Marketing Verde é a faceta da empresa que interage com consumidor, comunidade e mercado. Consiste em esforço em

11 satisfazer necessidades e desejos dos consumidores por produtos que provoquem menores impactos ambientais ao longo do ciclo de vida e também a divulgação desses esforços para estimular a demanda destes produtos, conseqüentemente, aumentando os lucros desta empresa Marsili (2000). Neste contexto de interface em que se insere, o Marketing Ambiental é uma ferramenta que se torna cada vez mais importante, não apenas para divulgar uma imagem ecologicamente correta da empresa e sustentá-la, mas para rever todo o processo desde a coleta de insumos até o produto final como um produto ecologicamente viável; hoje em dia, como mencionado acima, a percepção de valor do produto envolvido no conceito de sustentabilidade é superior a um produto sem as mesmas preocupações, isto é, uma empresa que não possua ou pelo menos oriente seus esforços em direção à soluções que levem em conta o papel ambiental de suas ações, corre o risco de ser segregada do mercado pelos próprios consumidores cada vez mais sabedores do seu poder de compra. O ecomarketing não se limita, entretanto, a apenas divulgar um produto que tenha características ambientais em sua produção: suas preocupações e esforços se voltam de maneira mais integralista aos processos empresariais e a transformações de mentalidades dos colaboradores - para atingir de fato a imagem de uma empresa ambientalmente responsável, a empresa precisa, em primeiro lugar, lapidar seus processos para adequá-los a atitudes e padrões ambientalmente responsáveis. Uma empresa precisa ter um comportamento ambiental correto se sua imagem pretende-se ecologicamente responsável, e a definição para esse perfil de sustentabilidade está sempre em formação, o que traz a necessidade de atitudes pró-ativas em relações ambientais; é necessário o papel integralizador do Marketing Verde para que a adoção deste papel responsável seja corroborado por todos em todos os setores adequando a organização a padrões ambientais cada vez mais rígidos, e com custos de erros e acidentes ambientais cada vez mais fabulosos.

12 Extrapolando este conceito percebemos que, mesmo que uma empresa esteja inserida neste contexto, um acidente ambiental significa, além de uma brutal perda de recursos financeiros, uma degradação imensurável no âmbito de posicionamento de mercado no que tange a percepção dos consumidores e a recuperação desta imagem junto aos consumidores é um processo lento e complicado. A intenção de estabelecer uma política ambiental responsável através de um plano rígido de Marketing Verde, no entanto, gera frutos que incentivam as organizações a fazerem esta escolha, conforme aponta Winter (1987) e Marsili (2000): - Consenso público: a conscientização dos consumidores em relação à questão da responsabilidade ambiental se expande e adquire novos significados sempre, é muito dinâmica. As organizações que obtém sucesso ao alinharem-se com os consumidores adquirem maior posicionamento de mercado e competitividade, reagindo às expectativas do consumidor. - Oportunidades de Mercado: o marketing ambiental aponta para novos produtos e formas de se interagir com o consumidor, proporcionando novos campos de ação. - Redução de riscos e custos: ao assumir uma postura que envolva a responsabilidade ambiental ao longo de toda a cadeia produtiva (aderindo a normas de conduta e certificações na área, como as Isos da série 14000), tratando da emissão de resíduos e poluição (que representam processos ineficientes, nos quais as matérias não são aproveitadas completamente), extração de matéria prima e uso de recursos naturais, bem como auditorias ambientais, a empresa diminui os riscos de acidentes ambientais cujas conseqüências para o ecossistema são muitas vezes irremediáveis (haja visto Chernobyl) e ainda são aplicadas diversas modalidades de penalizações pelo governo quase sempre na forma de multas de preço exorbitante, ou compensação na forma de investimentos ambientais. Da mesma forma,

13 ao desenvolver programas de reciclagem ou reaproveitamento de produtos e promover campanhas de redução de consumo de recursos (energia, água, materiais de escritório), notase a redução direta de custos nas contas mensais da organização. - Satisfação de stakeholders há satisfação em saber que a organização empreende programas de responsabilidade ambiental, o que pode até mesmo aumentar a produtividade. - Pressão governamental e de ONG s o governo pressiona com legislações cada vez mais rígidas, multas cada vez mais alta e proibições, interferindo na compra de materiais que ponham em risco o meio ambiente (como agrotóxicos). Em contrapartida, podem haver fomentos governamentais na direção de produtos ecológicos. Já a pressão das ONGs, pode adquirir a forma de campanhas na imprensa, lobbys junto aos legisladores e denúncias contra corporações que degradem o meio ambiente. No Brasil, um estudo elaborado pelo Pacto Global (iniciativa da ONU em prol da responsabilidade social) Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas e a consultoria francesa Utopies, divulgado ao final de 2005, O Walk the Talk, demonstrou que o mercado de consumidores responsáveis no Brasil é de 10% do total de consumidores, mas tende a crescer nos próximos anos. Este relatório destacou duas empresas: Natura (uma das cinco citadas como pioneira em marketing verde no mundo) e Pão de Açúcar (cujo projeto Caras do Brasil leva aos consumidores produtos de pequenos agricultores), constituindo uma tentativa de se relacionar através do marketing ambiental. O Estudo concluiu que esta modalidade de marketing é economicamente viável especialmente para organizações que não possuem recursos disponíveis para publicidade confiando nas ações sociais e ambientais para fazer a sua própria divulgação, agregando valor à produto e empresa. Neste mesmo estudo foi constatado que 70% dos consumidores gostariam de consumir produtos socialmente corretos; só não o

14 fazem por falta de informações. Tais ações de marketing também beneficiam-se do apoio das organizações às quais se filiam que indiretamente, promovem a marca e o produto. Estas mesmas ações, segundo o estudo, são apoiadas por formadores de opinião; o relatório ilustra com o caso do Toyota Prius modelo de automóvel movido a gasolina e eletricidade, emitindo até 90% menos poluentes. A partir de 2003, atores indicados ao Oscar Morgan Freeman, Salma Hayek chegam à cerimônia em Holywood nestes carros. Citando o caso da Natura, o relatório demonstra que as ações de Marketing Verde dão retornos favoráveis a custos baixos, e pode inclusive refletir num aumento real de vendas: nos períodos de , a Natura registrou um aumento de 32% nas vendas, alcançando 19% do mercado e gerando receita de US$ 604 milhões. 5 CERTIFICAÇÕES E ORGANIZAÇÕES DE GESTÃO DE TECNOLOGIA SUSTENTÁVEIS 5.1 CERTIFICAÇÕES: Energy Star, RoHS, Selo Verde(USP), Isos Ambientais(14000 e 14001); Energy Star Um programa da Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) e do Departamento de Energia americanos que visa a redução de consumo e proteção do meio ambiente através de produtos com alta eficiência energética e um conjunto de prráticas. Em 2010, o Energy Star economizou energia o suficiente para evitar emissões de gases do efeito estufa equivalente a 33 milhões de carros, representando US$18 bilhões de economia real. O programa desenvolveu um selo de garantia destinado a produtos, ferramentas e até mesmo casas, para facilitar a escolha de produtos energeticamente eficientes; a organização

15 aponta uma possível redução de um terço na conta de luz através da seleção de equipamentos com o selo e da aplicação de práticas divulgadas em seu site. Seus esforços também alcançam a esfera corporativa, desenvolvendo parcerias e divulgando estratégias de redução de consumo e medição de performance Isos Ambientais (14000) As isos da série são normas que regulamentam a interação das empresas com o meio ambiente RoHS Juntamente com o Departamento de Negócios, Inovações e Habilidades (BIS, na sigla em inglês), o Escritório Nacional de Medições (NMO, em inglês) do Reino Unido é a autoridade responsável pela execução dos Regulamentos da Restrição de Uso de Substâncias Tóxicas em Equipamentos Eletro-Eletrônicos 2008 (o regulamento RoHS ). Esses regulamentos implementaram a Diretriz EU 2002/95, que bane a comercialização de novos eletro-eletrônicos que contenham mais que o nível acordado de chumbo, cádmio, mercúrio, cromo hexavalente, biphenyl polybrominatado (PBB) e retensores de fogo de éter de diphenyl polybrominatado (PBDE). Tais normas entraram em vigor em 1º de julho de O NMO disponibiliza um flyer virtual para conscientizar os produtores, de forma que os mesmos adequem-se às normas Selo verde USP O Selo Verde, iniciativa pensada pela Universidade de São Paulo, é uma certificação de garantia que segue os passos da RoHS combate à substancias nocivas na fabricação de

16 eletrônicos. O selo foi lançado em conjunto com a Itautec que mediante licitação pública, forneceu cerca de duas mil estações de trabalho para a Universidade; máquinas energeticamente eficientes, completamente recicláveis e livres de materiais tóxicos principalmente chumbo. A USP pretende expandir a utilização do selo a impressoras e switches, mediante visitas às fábricas de equipamentos eletrônicos que estejam aptas a se adaptar às práticas exigidas pelo selo e sejam praticantes das ISOs e Entre os projetos desenvolvidos na área de sustentabilidade, destacamos o E-Waste, em parceria com o MIT (Massachussets Institute of Technology) projeto que pretende lidar com as máquinas que se tornam obsoletas de maneira inteligente e responsável. 6 DADOS NEGATIVOS 6.1 EMISSÕES E CONSUMO ENERGÉTICO As emissões de CO² geradas pela área de T.I. em todo mundo estão na faixa de 1,4% do total de emissão de CO² anual, em valores diretos são um bilhão de toneladas de CO², deste montante PC s e Monitores representam 57%, infraestrutura e servidores em geral 34% e impressoras 9%. Certamente são valores expressivos mas ainda pequenos perto do montante global de emissões de CO² (algo em torno de 52 gigatons ou 52 bilhões de toneladas de CO²). Quanto a energia elétrica a T.I. tem representado números expressivos no consumo, por exemplo nos estados unidos apenas os Data Centers existentes consomem 1,5% de toda a energia elétrica daquele país, ou 6 bilhões de KWh por ano, este número seria suficiente para prover eletricidade a 6,4 milhões de residências por um mês. No mundo o percentual cai para 0,98%, o que ainda é muita eletricidade, especialmente se levarmos em conta que boa parte dela não tem seu uso corretamente dimensionado e acaba sendo desperdiçada.

17 Há ainda alguns dados que sugerem que a energia elétrica utilizada no mundo pela Internet hoje em dia equivale a 5% de toda a energia gerada, algo em torno de 860 bilhões de KWh. Estes dados foram obtidos através de cálculos envolvendo o número de máquinas e equipamentos versus o número de pesquisas em sites como o Google. Apesar dos valores alarmantes uma pesquisa realizada pelo Gartner com gerentes e responsáveis de T.I. em 2009 constatou que 45,7% dos entrevistados não consideram a gestão de emissões um fator preponderante nas suas decisões estratégias, outros 36% não conseguirem nem dizer ao certo se a referida questão influencia as suas companhias e apenas 18,3% afirmaram que o controle de emissões faz parte da pauta de sua estratégia. 6.2 LIXO ELETRÔNICO O lixo eletrônico é um dos maiores problemas do ponto de vista ecológico gerado pela crecente tecnológica das últimas décadas. O custo e facilidade para adquirir novos equipamentos eletroeletrônicos acaba banalizando o seu consumo, fazendo com que as pessoas muitas vezes troquem seus equipamentos sem de fato estar precisando. Neste tópico abordaremos sobre as estatísticas relacionadas com os dados ruins sobre lixo eletrônico, abortando a quantidade de lixo gerada e seu impacto as pessoas e ao meio-ambiente. 6.3 QUANTIDADES E NÚMEROS DE LIXO GERADOS Os números de lixo eletrônico gerado mundial e localmente são alarmantes, o caso ainda não é tratado com o devido cuidado pela maioria das nações sejam elas desenvolvidas ou em desenvolvimento.

18 Temos hoje cinquenta (50) milhões de toneladas de lixo eletrônico geradas mundialmente todos os anos, este número equivale à quantidade total de lixo comum gerado por uma cidade como São Paulo ao longo de quinze (15) anos. Os Estados Unidos são o maior gerador de lixo eletrônico do mundo com a impressionante marca de três milhões de toneladas por ano, seguidos pela China com 2,3 milhões de toneladas. Os Estados Unidos também são acusados de exportar lixo eletrônico resolvendo o seu problema ambiental localmente e poluindo o resto do mundo, Jim Puckett da Basel Action Work, uma organização de Seatle (EUA) que foi quem primeiro fez o alerta ao mundo de que os EUA estavam exportando lixo eletrônico, afirma Esse lixo está sendo reciclado, mas da maneira mais horrível que você pode imaginar. No Brasil a situação também não é das mais confortáveis, obtivemos em 2010 o título de maior país gerador de lixo eletrônico entre os emergentes, conferido em pesquisa realizada pela ONU, com a marca de aproximadamente 2,6Kg de lixo eletrônico per capita, que é a soma do total dos vários tipos de lixo eletrônico existentes. Não bastasse os números altos ainda pesou sobre o Brasil o fato de não haver na ocasião da pesquisa, estratégia ou qualquer tipo de levantamento sobre o tema realizado pelas indústrias e pelo governo Brasileiro, tanto é que os dados relativos ao lixo eletrônico no Brasil tiveram que ser levantados pela ONU pois não dispúnhamos de estatísticas.

19 6.4 DANOS À SAÚDE E AO MEIO AMBIENTE O lixo tecnológico pode ser muito danoso a saúde das pessoas e animais, boa parte de seus componentes é formada por materiais tóxicos e extremamente nocivos, como é o exemplo de alguns metais pesados como o Chumbo que pode causar náuseas, perda de coordenação e memória levando em casos mais graves a morte, o Cádmio que é relacionado a problemas ósseos, do aparelho reprodutor, sanguíneos e ao Câncer e o Mercúrio que causa danos ao fígado, visão e cérebro. Abaixo segue uma tabela com os principais materiais presentes na composição de um computador e seus percentuais estimados. O contato com os materiais tóxicos provenientes do lixo eletrônico se dá na maior parte dos casos de forma indireta da seguinte forma: 1. O Lixo eletrônico é gerado e descartado sem tratamento em lixões e aterros; 2. O solo destes aterros é contaminado pelos elementos tóxicos; 3. A contaminação se infiltra pelo solo até atingir os lençóis freáticos, levando a contaminação para lugares distantes do aterro;

20 4. Esta água é utilizada mais tarde para o consumo do homem ou para o plantio de alimentos, contaminando quem venha a consumir diretamente a água ou qualquer subproduto do seu uso. Um bom exemplo desta contaminação é o caso da cidade de Guiyu na China, um grande receptor de lixo eletrônico, especialmente dos Estados Unidos e Japão. Em Guiyu a concentração média de Chumbo no sangue de crianças atinge o nível de 15,2 microgramas por decilitro, não há nível considerado seguro para quantidade de chumbo no sangue, mais sabidamente em níveis acima de 15,2 há que se tomar medidas e tratamento imediatos. 7 DADOS POSITIVOS 7.1 T.I. VERDE: IMPULSO PARA A REDUÇÃO DE EMISSÕES E CONSUMO ENERGÉTICO Acabamos de sair de uma época na área de T.I. aonde o importante era a potência e velocidade dos equipamentos, independente de seu uso. Isto faz com que em mais de 90% do tempo os recursos de hardware fiquem ociosos sem nenhum uso, porém consumindo energia. A T.I. verde propõe o uso consciente dos recursos, alocando os equipamentos dentro de suas necessidades, sem exageros de desempenho que geram desperdício de energia. Os netbooks e tablets que estão em voga são bons exemplos de baixo consumo energético aliado a necessidade. O foco é não ter mais do que se realmente necessita. Alguns especialistas na área como Renata Serra, diretora de T.I. da Bozz&Co, defendem que a T.I. tem a capacidade de reduzir as emissões até o ano de 2020 em até 22 gigatons de forma direta e indireta. Apresentando para isso novas tecnologias e estratégias que tendem a ser incorporadas em todo o conceito das organizações.

21 Alguns exemplos reais e diretos são o uso de servidores virtualizados, prática que já tem se tornado comum, aonde as empresas dispõem de alguns poucos servidores virtualizando dezenas de outros servidores, aproveitando de forma completa a capacidade de hardware e a eletricidade consumida, fazendo-se desnecessário a presença física de vários servidores. Outro exemplo apoiado por T.I. porém indireto, é o das salas de videoconferências, que nada mais são do salas de reunião completas com infraestrutura audiovisual, link de dados e voz de modo a facilitar e tornar possível a realização de reuniões remotamente, reduzindo drasticamente custos com viagem e logo emissão de gazes do efeito estufa. 7.2 LIXO ELETRÔNICO COMO OPORTUNIDADE Apesar de ainda não ser o bastante para fazer real diferença, já existe um movimento de conscientização por parte de algumas nações quanto à necessidade de se resolver o problema do lixo eletrônico, alguns esforços conjuntos como o da União Europeia que se tornou o 2º maior reciclador de lixo eletrônico do mundo com quarenta por cento (40%) do seu lixo eletrônico reciclado, devem ser levados em conta. O Japão também ostenta vitoriosamente o posto de maior reciclador de lixo eletrônico do mundo, reciclando 84% de tudo o que consome. Economicamente a reciclagem de lixo eletrônico também pode ser muito interessante, segundo a consultoria GBI Research até 2020 o potencial do mercado global de recuperação de lixo eletrônico deve representar algo em torno de vinte e um (21) bilhões de dólares. Alguns materiais presentes em equipamentos eletrônicos são altamente valorizados como os metais preciosos, conforme representa a figura abaixo:

22 8 CASOS 8.1 GOOGLE Sendo a empresa que mais investe recursos financeiros em TI Verde no mundo, a Google opera os datacenters mais eficientes energeticamente do mundo. O Google certifcouse como um atacadista de energia, permitindo evitar a compra de energia de empresas de utilidade pública para efetuar compras de energia renovável diretamente dos produtores. Usando-se desta estratégia, A Google comprou 20 anos de energia eólica renovável a partir de um parque eólico de Iowa (parque eólico este, que o Google também teve participação). O Google investiu US $ 100 milhões (ou mais) diretamente em mega projetos de energia renovável, incluindo usinas eólicas maciças em Dakota do Norte e do Atlântico. Todo esse investimento em tecnologia limpa é secundária para a história principal, no entanto, é imprescindível para se alcançar os números necessários de sustentabilidade de seus datacenters. O número exato de datacenters ao redor do mundo ainda é um segredo (o Google só diz que tem "dezenas" em todo o mundo), mas a empresa alega que seus centros de dados são tão eficientes energeticamente que a energia consumida em um agregado familiar típico nos EUA em um mês é o equivalente a 3,1 milhões de pesquisas Google. A empresa está fortemente focada na minimização de resfriamento evaporativo em centros de dados e diz que

23 a média ponderada sobre a carga de energia em todos os seus centros de dados é de 19% contra 96% da média relatada pela EPA. A média Power Usage Effectiveness (PUE) dos centros de dados do Google é de 1.18, no "estado da arte" da categoria pela EPA. Segundo Urs Hoelzle, vice-presidente de infraestrutura da empresa, nos últimos 12 meses foram feitos esforços para redução do consumo de água, energia e outros recursos necessários para refrigeração dos datacenters. Primeiro, porque isso gera economia, segundo, porque é melhor para o meio ambiente. Para chegar ao resultado, a Google desenvolveu uma receita que combina a troca de calor com o ambiente externo e resfriamento evaporativo. Além disso, a empresa está trabalhando em um novo sistema de arrefecimento que usa água do mar, que será instalado no novo datacenter da empresa em Hamina, na Finlândia. Para estimular a prática verde no TI, a Google divulgou um guia com cinco dicas para aumentar a eficácia dos bancos de dados. Entre elas, estão a gerenciamento inteligente do consumo de energia e o resfriamento gratuito, feito por meio de troca de calor com o ambiente externo ou por evaporação de água. Além disso, a empresa também está participando da comissão europeia para elaboração de um código de conduta para data centers. 8.2 ATIVAS O datacenter da Ativas, empresa de tecnologia do Grupo Asamar, foi certificado como o primeiro Tier III da América do Sul entrando em operação em julho de 2010 seguindo os mais modernos parâmetros internacionais de sustentabilidade ambiental. O datacenter teve um investimento na ordem de US$ 50 milhões. A Ativas utilizou virtualização de servidores e o gás que faz a contenção de incêndio tem como base o líquido Novec Ele se extingue em

POR UMA TI MAIS VERDE. e sustentabilidade. especial: energia

POR UMA TI MAIS VERDE. e sustentabilidade. especial: energia especial: energia e sustentabilidade POR UMA TI MAIS VERDE Depois da escalada tecnológica ocorrida nas últimas décadas, as atenções se voltam cada vez mais para os impactos ambientais do uso de TI. Duas

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

Semana do Meio Ambiente. TI Verde by Eng. Tarcísio Lemos

Semana do Meio Ambiente. TI Verde by Eng. Tarcísio Lemos Semana do Meio Ambiente TI Verde by Eng. Tarcísio Lemos Biografia Engenheiro da Computação (IESAM, 2008) Especialista em Sistemas de Banco de Dados (UFPA, 2010) Especialista em Sistemas GNU/Linux (Virtual

Leia mais

Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO

Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO Junho de 2009 Realidade Atual População Desenvolvimento Tecnológico Demanda de bens de consumo Aumento da demanda de produtos descartáveis aumento

Leia mais

Consumo Consciente Energia Elétrica

Consumo Consciente Energia Elétrica Consumo Consciente Energia Elétrica Agosto 2010 Planeta SUSTENTABILIDADE NO CONSUMO Incentivo ao consumo responsável e consciente IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA O GRUPO Compra energia elétrica de 23 concessionárias

Leia mais

PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL

PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL Recife, abril 2011. APRESENTAÇÃO O presente relatório é o resultado da pesquisa sobre as práticas das empresas do Porto Digital, previsto no Contrato

Leia mais

Balanço Sustentável. Balanço Sustentável

Balanço Sustentável. Balanço Sustentável Balanço Sustentável ÍNDICE SUSTENTABILIDADE PARA A SONDA IT...03 PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS...05 CONHEÇA AS AÇÕES SUSTENTÁVEIS DA SEDE DA SONDA IT...06 DATA CENTER PRÓPRIO...13 ASPECTOS AMBIENTAIS...15 Sustentabilidade

Leia mais

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas Câmara dos Deputados Grupo de Pesquisa e Extensão - Programa de Pós-Graduação - CEFOR Fabiano Sobreira SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Valéria Maia SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Elcio Gomes NUARQ-CPROJ-DETEC Jacimara

Leia mais

Congresso TIC Verde 2ª. Edição 12 e 13 de Agosto de 2009

Congresso TIC Verde 2ª. Edição 12 e 13 de Agosto de 2009 Congresso TIC Verde 2ª. Edição 12 e 13 de Agosto de 2009 SUSTENTABILIDADE E SOCIEDADE Painel de debates: Quais os atores e papéis no cenário da TIC Verde? Instituto de Engenharia Fundado em 1916, o Instituto

Leia mais

ÍNDICE ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL NOSSO HISTÓRICO AMBIENTAL. TI Verde

ÍNDICE ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL NOSSO HISTÓRICO AMBIENTAL. TI Verde ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR INTRODUÇÃO... 03 RECICLE SEU COMPUTADOR POSITIVO... 03 CICLO PRODUTIVO - LOGÍSTICA REVERSA... 04 RECICLAR É PRECISO... 04 DICAS DE USO CONSCIENTE... 05 CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL

Leia mais

Escritório Verde. Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável

Escritório Verde. Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável Escritório Verde Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável Use a criatividade e o bom senso para gerar conscientização ecológica e economia Escritório Verde Dicas práticas para tornar seu escritório

Leia mais

O IMPACTO AMBIENTAL DA COMPUTAÇÃO

O IMPACTO AMBIENTAL DA COMPUTAÇÃO O IMPACTO AMBIENTAL DA COMPUTAÇÃO Tema 11 Grupo 03 Adriano José Ferreira Gasparini 5890114 Diogo Ferrari Meletto 5890201 Luiz Antonio Bezerra de Andrade 5967745 Tópicos: Impacto Ambiental: Lixo Eletrônico;

Leia mais

Printronix T5000r apoia Iniciativas de Sustentabilidade em conformidade com a ENER GY STAR ENERGY STAR ENERGY STAR e Equipamentos de Imagem

Printronix T5000r apoia Iniciativas de Sustentabilidade em conformidade com a ENER GY STAR ENERGY STAR ENERGY STAR e Equipamentos de Imagem Printronix T5000r apoia Iniciativas de Sustentabilidade em conformidade com a Por Andy Edwards, diretor de desenvolvimento de impressoras Térmicas/RFID, Printronix Sustentabilidade é a palavra da moda

Leia mais

Seminário Ambientronic

Seminário Ambientronic Seminário Ambientronic 27/04/2011 11.06.2010 Perfil da Empresa PERFIL Empresa de Tecnologia 100% nacional, controlada pelo Grupo Itaúsa Mais de 30 anos de presença no mercado brasileiro Possui 5.891 funcionários

Leia mais

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Guia KIP Green Eco A cor da KIP É VERDE A KIP tem um compromisso com o desenvolvimento de projetos de produtos que promovam a saúde e a sustentabilidade ambiental. A nossa meta é melhorar e aprimorar de

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

Produção e consumo sustentáveis

Produção e consumo sustentáveis Produção e consumo sustentáveis Fernanda Capdeville Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis DPCS Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental - SAIC 14 Plenária do Fórum Governamental

Leia mais

Sustentabilidade e Economia. Prof. Júlio Cesar da Silva

Sustentabilidade e Economia. Prof. Júlio Cesar da Silva Sustentabilidade e Economia Prof. Júlio Cesar da Silva Apresentação Julio Cesar Dez anos de experiência em T.I MBA em Gestão em Tecnologia da Informação Mestrando em Administração Professor : Ciência da

Leia mais

V FORUM DE GESTÃO AMBIENTAL. Carlos Afonso Instituto de Química. Universidade Federal do Rio de Janeiro

V FORUM DE GESTÃO AMBIENTAL. Carlos Afonso Instituto de Química. Universidade Federal do Rio de Janeiro V FORUM DE GESTÃO AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICAP Impactos SócioS cio-ambientais do LIXO ELETROELETRÔNICO Prof. Júlio J Carlos Afonso Instituto de Química Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasília,

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS Alice Viana Soares Monteiro Secretária de Estado de Compras Governamentais sob o aspecto da Sustentabilidade Compra Pública Sustentável ou Licitação

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

PRÊMIO. Identificação da Empresa: Viação Águia Branca S/A. Identificação da Experiência: Preservar é Reduzir, Reutilizar e Reciclar

PRÊMIO. Identificação da Empresa: Viação Águia Branca S/A. Identificação da Experiência: Preservar é Reduzir, Reutilizar e Reciclar PRÊMIO 2012 Identificação da Empresa: Viação Águia Branca S/A Identificação da Experiência: Preservar é Reduzir, Reutilizar e Reciclar Data ou Período de Aplicação da Experiência: 2011 e 2012 Categoria

Leia mais

Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador

Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador Investir em pessoal com um programa de gestão de desempenho permite que uma operação de abastecimento não só sobreviva, mas cresça

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

Agenda CRI Minas Inovações Ambientais 04Out2012 Nova Lima/MG

Agenda CRI Minas Inovações Ambientais 04Out2012 Nova Lima/MG Agenda CRI Minas Inovações Ambientais 04Out2012 Nova Lima/MG Conceitos e Premissas Evolução Tecnológica: Impacto Social Ambiental Conceitos e Premissas Esforço Governamental políticas e ações de mercado

Leia mais

Computadores, Sustentabilidade e Meio Ambiente. Allan da Silva Pinto, 5967791 Felipe Alves da Louza, 5633774 Jeffersson William Teixeira, 5890312

Computadores, Sustentabilidade e Meio Ambiente. Allan da Silva Pinto, 5967791 Felipe Alves da Louza, 5633774 Jeffersson William Teixeira, 5890312 Computadores, Sustentabilidade e Meio Ambiente Allan da Silva Pinto, 5967791 Felipe Alves da Louza, 5633774 Jeffersson William Teixeira, 5890312 Agenda Sustentabilidade TI Verde Consumismo Tecnológico

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

Monitoramento de data centers

Monitoramento de data centers Monitoramento de data centers Os data centers são hoje um ambiente complexo, com inúmeras variáveis para gerenciar. Os métodos usados pelas empresas são específicos e incapazes de fazer comparações adequadas

Leia mais

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l Viva Melhor! Campanha Institucional CAMPANHA VIVA MELHOR! Camisetas garrafa squeeze saco lixo para carro FOLHETO PROMOCIONAL CAMPANHA Viva Melhor! JUNTOS, PODEMOS CONSTRUIR UM CAMINHO MAIS SOLIDÁRIO E

Leia mais

EXIN Green IT Citizen

EXIN Green IT Citizen Exame Simulado EXIN Green IT Citizen Edição Agosto 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied or stored in a data processing system or

Leia mais

ENTENDENDO O UNIVERSO DE GREEN IT

ENTENDENDO O UNIVERSO DE GREEN IT 2. ENTENDENDO O UNIVERSO DE GREEN IT INTRODUÇÃO P á g i n a 19 de 450 Módulo 2, Entendendo o universo de Green IT. ENTENDENDO O UNIVERSO DE GREEN IT Ao final deste módulo, você estará completamente familiarizado

Leia mais

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Flávio Luiz de Azevedo BRAYNER Paulo Gustavo Sabino RAMOS Patrícia Verônica de Azevedo BRAYNER Resumo: Atualmente a Tecnologia da Informação

Leia mais

Ti verde EXECUTIVE. com o planeta. negócios em linha

Ti verde EXECUTIVE. com o planeta. negócios em linha EXECUTIVE briefing guia executivo para decisões estratégicas Ti verde negócios em linha com o planeta Estratégias politicamente corretas em relação ao meio ambiente ganham espaço na lista de prioridades

Leia mais

Sistema Gestão Ambiental

Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental - ISO 14001 Agora você vai conhecer o Sistema de Gestão Ambiental da MJRE CONSTRUTORA que está integrado ao SGI, entender os principais problemas ambientais

Leia mais

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 Renato Francisco Saldanha SILVA² Ailton EUGENIO 3 Resumo Muitas empresas mostram ser

Leia mais

Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa

Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa Seja bem-vindo ao Guia Sustentabilidade em Casa do HSBC. O Guia Sustentabilidade em Casa é uma iniciativa do Crédito Imobiliário do HSBC

Leia mais

Eficiência Energética em data centers. Vitor Souza Villela

Eficiência Energética em data centers. Vitor Souza Villela Eficiência Energética em data centers Vitor Souza Villela Agenda Introdução Data center Métricas Tecnologias Aplicadas nos equipamentos em TI Aplicadas no ambiente físico de um data center Futuro dos data

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

TI Verde: Estudo de Caso e Propostas de Práticas Sustentáveis no IFCE

TI Verde: Estudo de Caso e Propostas de Práticas Sustentáveis no IFCE TI Verde: Estudo de Caso e Propostas de Práticas Sustentáveis no IFCE Victor Mota Rêgo Monteiro CAVALCANTE 1 Beatriz Duarte Lime de ARAÚJO 2 José Wally Mendonça MENEZES³ RESUMO: Nesse trabalho serão abordados

Leia mais

Manual de Boas Práticas para Sustentabilidade

Manual de Boas Práticas para Sustentabilidade Manual de Boas Práticas para Sustentabilidade Catalogação na Fonte: Bibliotecária Tavita Rosa Barros CRB-5/1371 B151m Bahia Mineração Manual de Boas Práticas para Sustentabilidade da BAMIN / Bahia Mineração

Leia mais

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER?

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER? O QUE ESTÁ ACONTECENDO? O futuro é uma incógnita. As tendências são preocupantes, mas uma coisa é certa: cada um tem de fazer sua parte. Todos somos responsáveis. A atual forma de relacionamento da humanidade

Leia mais

Proteção para os data centers

Proteção para os data centers MISSÃO CRÍTICA Proteção para os data centers Diferentes das áreas limpas comumente usadas na indústria farmacêutica, as chamadas salas-cofre ou salas de missão crítica são destinadas a proteger data centers,

Leia mais

PETROBRAS CONSEGUE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AO APRIMORAR INFRAESTRUTURA DE TI. Case de Sucesso. outubro/2012

PETROBRAS CONSEGUE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AO APRIMORAR INFRAESTRUTURA DE TI. Case de Sucesso. outubro/2012 outubro/2012 Case de Sucesso PETROBRAS CONSEGUE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AO APRIMORAR INFRAESTRUTURA DE TI Para publicar um case no Portal IT4CIO, entre em contato pelo e-mail comunicacao@it4cio.com. PERFIL

Leia mais

CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA

CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE FAZER POR NÓS E PELO PLANETA Desenvolvimento sustentável e consumo sustentável Existe uma relação direta entre o que chamamos

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Técnicas passivas; Técnicas ativas.

Técnicas passivas; Técnicas ativas. Definição: a conservação de energia deve ser entendida como a utilização de uma menor quantidade de energia para a obtenção de um mesmo produto ou serviço através da eliminação do desperdício; Técnicas

Leia mais

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5 2 Para acessar cada item do Sumário, clique nele. Para retornar ao sumário, clique na logo do ecolega em qualquer página. Sumário 1. Visão Geral do EcoLega 3 2. Alinhamento Estratégico 3 3. Orientações

Leia mais

Soluções de Output LRS

Soluções de Output LRS Soluções de Output LRS Enormes economias de custo estão aguardando L O G O A B A I X O D A S U P E R F Í C I E Organizações de todos os tamanhos enfrentam um desafio singular: reduzir dramaticamente os

Leia mais

UM LEVANTAMENTO DE AÇÕES AMBIENTAIS DESENVOLVIDAS NO BRASIL POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA

UM LEVANTAMENTO DE AÇÕES AMBIENTAIS DESENVOLVIDAS NO BRASIL POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA 1 UM LEVANTAMENTO DE AÇÕES AMBIENTAIS DESENVOLVIDAS NO BRASIL POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA Jemison dos Santos 1 Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) / Câmpus Nova Andradina santos.jemison@hotmail.com

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NAS CONCESSIONÁRIAS FIAT

SUSTENTABILIDADE NAS CONCESSIONÁRIAS FIAT SUSTENTABILIDADE NAS CONCESSIONÁRIAS FIAT EDITORIAL Desenvolvimento sustentável não é um tema novo para o Grupo Fiat. Atentas para o importante papel ocupado na sociedade e para os impactos causados pela

Leia mais

25/01/2010 - Foi publicada a IN nº 1, de 19 de janeiro de 2010, que dispõe sobre os critérios de sustentabilidade

25/01/2010 - Foi publicada a IN nº 1, de 19 de janeiro de 2010, que dispõe sobre os critérios de sustentabilidade Página 1 de 8 25/01/2010 - Foi publicada a IN nº 1, de 19 de janeiro de 2010, que dispõe sobre os critérios de sustentabilidade INSTRUÇÃO NORMATIVA N O 1, DE 19 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os critérios

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Federação das Indústrias do Estado da Bahia FIEB. Conselho de Meio Ambiente COMAM

APRESENTAÇÃO. Federação das Indústrias do Estado da Bahia FIEB. Conselho de Meio Ambiente COMAM APRESENTAÇÃO A FIEB, através do seu Conselho de Meio Ambiente - COMAM, vem realizando desde o ano de 2000, o Prêmio FIEB Desempenho Ambiental. Em suas duas primeiras edições o Prêmio abrangeu as categorias

Leia mais

Otimização do uso do solo

Otimização do uso do solo Otimização do uso do solo Criamos uma cidade compacta, adensada, próxima de meios de transporte de alta capacidade, paisagens e ecossistemas visualmente atraentes e que agregam valor à comunidade. Urbanização

Leia mais

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Via Láctea Estamos aqui Sistema Solar Terra Estamos aqui Planeta Terra Estamos

Leia mais

AULA 5 SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO

AULA 5 SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 2 Reconheça o que está ao alcance dos seus olhos, e o que está oculto tornar-se-á claro para você. Jesus de Nazaré 2 3 1. Citar as principais contribuições

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE TI VERDE EM UMA EMPRESA DE SISTEMAS ELÉTRICOS 1

A IMPLANTAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE TI VERDE EM UMA EMPRESA DE SISTEMAS ELÉTRICOS 1 A IMPLANTAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE TI VERDE EM UMA EMPRESA DE SISTEMAS ELÉTRICOS 1 FERREIRA, Adriana Peres 2 ; KIRINUS, Josiane Boeira 3 1 Trabalho de conclusão de Curso Curso de Administração Universidade

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Carla Fernanda Mueller, carla@deps.ufsc.br 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores,

Leia mais

Em busca da qualidade de

Em busca da qualidade de Diretoria de Gestão Corporativa-DG empresa Em busca da qualidade de gestão Inovações tecnológicas e gerenciais possibilitam mais eficiência à Eletrobras Furnas texto Leonardo da Cunha Valorizar o capital

Leia mais

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013.

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. Institui a Política de Responsabilidade Socioambiental do Senado Federal. A COMISSÃO DIRETORA DO SENADO FEDERAL, no uso da competência que lhe foi conferida pelo

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

PLANO DE SUSTENTABILIDADE

PLANO DE SUSTENTABILIDADE PLANO DE SUSTENTABILIDADE Rock in Rio 2013 O QUE NOS MOVE Temos que assumir não só as nossas próprias responsabilidades mas um compromisso coletivo, enquanto cidadãos e profissionais, em cada atividade

Leia mais

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3 INQUÉRITO EUROPEU DAS PME E O MEIO-AMBIENTE Bem-vindo ao inquérito europeu sobre as PMEs e o meio-ambiente. O questionário deve demorar entre 5-10 minutos para ser concluído. Obrigado! Instituto Tecnológico

Leia mais

CNT Brasil Gestão Ambiental

CNT Brasil Gestão Ambiental CNT Brasil Gestão Ambiental Estamos nos integrando ao sistema de gestão ambiental de nosso cliente IBM, logo, estamos realizando atividades de propagação e difusão deste programa para todos nossos parceiros

Leia mais

DIRETORIA TI RIO. Presidente Benito Paret

DIRETORIA TI RIO. Presidente Benito Paret DIRETORIA TI RIO Presidente Benito Paret Diretoria Bruno Salgado Custodio Rodrigues Henrique Faulhaber Barbosa Kauê Silva Ladmir da Penha Carvalho Luiz Bursztyn Pablo Braga Conselheiro Fiscal Titular Giosafatte

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Construção Civil e Sustentabilidade

Construção Civil e Sustentabilidade CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 07 maio de 2014 Organização:

Leia mais

5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem

5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem 5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem 2 ÍNDICE >> Introdução... 3 >> O que é software na nuvem... 6 >> Vantagens do software na nuvem... 8 >> Conclusão... 13 >> Sobre a Frota Control... 15 3 Introdução

Leia mais

GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS

GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS 2015 E m um período de profundas mudanças socioambientais, torna-se ainda mais estratégico incluir a sustentabilidade

Leia mais

COMPLEXO AMBIENTAL DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENERGIA

COMPLEXO AMBIENTAL DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENERGIA COMPLEXO AMBIENTAL FIAT DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENERGIA VALORES EQUIPE DA GESTÃO AMBIENTAL ALTA ADMINISTRAÇÃO ENGENHARIA AMBIENTAL e ENERGIA U. OP. PRENSAS U. OP. FUNILARIA

Leia mais

Gestão ambiental. Comitê. » Cumprir a legislação ambiental aplicável, as normas regulamentares e os demais

Gestão ambiental. Comitê. » Cumprir a legislação ambiental aplicável, as normas regulamentares e os demais Gestão Ambiental Atuação Sustentável COM REFERÊNCIA NOS PADRÕES DE PRODUÇÃO mais LIMPA, A ITAUTEC INSERE A QUESTÃO AMBIENTAL EM SUA ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PARA ASSEGURAR A PRESERVAÇÃO E O USO RACIONAL

Leia mais

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores.

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores. ECONOMIA - 19/08/14 BRIEFING DE POSICIONAMENTO SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS 1. CONTEXTO Posicionamento geral para quaisquer entrevistas realizadas no âmbito da terceira edição do projeto

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA Fabíola Santos Silva 1 Márcio Santos Godinho 1 Sara Floriano 1 Vivian Alves de Lima 1 Akira Yoshinaga 2 Helio Rubens Jacintho Pereira Junior 2 RESUMO Este trabalho

Leia mais

Otimização do uso do solo

Otimização do uso do solo Otimização do uso do solo Criamos uma cidade compacta, adensada, próxima de meios de transporte de alta capacidade e de paisagens e ecossistemas visualmente atraentes que agregam valor à comunidade. Urbanização

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais

Sistemas de Informação Gerenciais Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Terceira aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com Maio -2013 Governança

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NORMAS ISO 14000 CONCEITOS A preocupação com a estabilidade das linhas tênues de amarração dos ecossistemas conduz os estudiosos a analisar os fatores que podem gerar a ruptura desses sistemas. GESTORES

Leia mais

ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO

ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO O Grupo de Trabalho de Sustentabilidade da AsBEA, às vésperas de completar seu primeiro ano de

Leia mais

Mensagens ambientais da HP

Mensagens ambientais da HP Mensagens ambientais da HP Definição da promessa Projeto para o meio ambiente Por ser líder ambiental há décadas no setor tecnológico, a HP faz a diferença com um projeto abrangente de estratégia ambiental,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 XIV Simpósio Nacional de Auditoria de Obras Públicas (SINAOP) Centro de Eventos do Pantanal - Cuiabá 1 Novembro 2011 Nome do Evento: XIV SINAOP 2011 Cuiabá

Leia mais

Química Verde e Petroquímica Impactos na Distribuição Décio Oddone Vice-presidente responsável pela quantiq

Química Verde e Petroquímica Impactos na Distribuição Décio Oddone Vice-presidente responsável pela quantiq Química Verde e Petroquímica Impactos na Distribuição Décio Oddone Vice-presidente responsável pela quantiq AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO QUÍMICA PILARES FUTURO FUTURO DA DISTRIBUIÇÃO AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Novo conceito de Data Center: um dos maiores da Europa, um dos mais sustentáveis do Mundo

Novo conceito de Data Center: um dos maiores da Europa, um dos mais sustentáveis do Mundo : um dos maiores da Europa, um dos mais sustentáveis do Mundo This document is intellectual property of PT and its use or dissemination is forbidden without explicit written consent. Enquadramento da ação

Leia mais

O que é isso? O que ocorreu? Como resolver os problemas? Pesquisas no IC-UFF. Computação Verde. Julius Leite

O que é isso? O que ocorreu? Como resolver os problemas? Pesquisas no IC-UFF. Computação Verde. Julius Leite Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense ICC, Dezembro 2012 Sumário O que é isso? Vamos descobrir... Definição O que ocorreu? Aumento do consumo Aumento da escala Problemas associados Como

Leia mais

TI VERDE: um estudo do grau de maturidade sob a perspectiva sócio econômico empresarial

TI VERDE: um estudo do grau de maturidade sob a perspectiva sócio econômico empresarial TI VERDE: um estudo do grau de maturidade sob a perspectiva sócio econômico empresarial Victor Toledo dos Santos Vimercatti vtoledo05@gmail.com IFES Antonio Carlos Pinheiro de Lima Junior acjunior03@gmail.com

Leia mais

Guia do Consumidor Consciente

Guia do Consumidor Consciente Guia do Consumidor Consciente www.positivoinformatica.com.br/tiverde POSITIVO INFORMÁTICA 1 2 Guia do Consumidor Consciente POSITIVO INFORMÁTICA 3 Sustentabilidade: nosso futuro comum Certamente você já

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 1. Considerações Gerais Os Estados Unidos, maior potência mundial e tecnológica, apresenta projeções cada vez mais otimistas. Desde 2008, no estouro da crise

Leia mais

Visão Geral das Estratégias de Energia Ecologicamente Corretas e Técnicas para Modernos Data Centers

Visão Geral das Estratégias de Energia Ecologicamente Corretas e Técnicas para Modernos Data Centers Visão Geral das Estratégias de Energia Ecologicamente Corretas e Técnicas para Modernos Data Centers Introdução Data centers garantem a operação de equipamentos críticos da área de TI incluindo servidores,

Leia mais

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível Crise? Como sua empresa lida com os desafios? Essa é a questão que está no ar em função das mudanças no cenário econômico mundial. A resposta a essa pergunta pode determinar quais serão as companhias mais

Leia mais

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE Richard Lee Hochstetler Instituto Acende Brasil Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE MERCADO DE ENERGIA:

Leia mais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais VANTAGES PROJETO PEGASUS E RECICLAGEM ENERGÉTICA O problema do lixo é extremamente grave em nosso país. Estimativas baseadas nos dados do IBGE mostram que no País são geradas diariamente cerca de 140 mil

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011

QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011 QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011 AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUÍMICA SUSTENTÁVEL PILARES BRASKEM FUTURO VISÃO E ESTRATÉGIA AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUÍMICA

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS O mundo inteiro discute, nos dias de hoje, a adoção de medidas globais e locais com o objetivo de diminuir ou, quem sabe, reverter o avanço dos efeitos do aquecimento global. Ações

Leia mais