HYOGOPREFECTURE. Hyogo: a bela província. Símbolos da província de Hyogo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HYOGOPREFECTURE. Hyogo: a bela província. Símbolos da província de Hyogo"

Transcrição

1 Símbolos da província de Hyogo Bandeira da Província As ondas brancas pintadas sobre o azul celeste simbolizam a primeira letra da província em kanji (um dos caracteres da escrita japonesa.) O símbolo lembra a própria província de Hyogo que é banhada pelo mar na parte norte e sul. Flor símbolo de Hyogo: Nojigiku Quando a NHK (Rede Nacional de TV) esteve a procura das flores de cada província, apresentou Nojigiku como sendo a de Hyogo. As pétalas brancas florecem em novembro. HYOGOPREFECTURE Árvore símbolo de Hyogo: Kusunoki Kusunoki com sua aparência cheia de vigor e vitalidade representa bem a imagem da província. Algumas dessas árvores são consideradas como patrimônio natural da província. Ave símbolo de Hyogo: Kounotori Kounotori foi considerado patrimônio do Japão em Na cidade de Toyooka existe em centro de pesquisas que procura proteger, procriar e devolver a ave ao seu habitat natural. Hyogo: a bela província Prefeitura de Hyogo Kobe-shi, Chuo-ku, Shimoyamate-dori Japão Publicado por Impressora Geral do Jornal Kobe Shinbun

2 PREFEITURA DE HYOGO UMA PORTA PARA AS REGIÕES DA ÁSIA E DO PACÍFICO A província de Hyogo localiza-se geograficamente na região central do Japão. Ela se conecta com várias metrópoles do país, através de rodovias e ferrovias, e possui fácil acesso para o exterior seja pelos mares ou pelo céu. Sapporo O arquipžlago do Jap o, em forma de arco, est localizado a leste do continente Eurasiano. ƒ constitu do por 4grandes ilhas e por pequenas ilhas, que juntas se estendem de norte ao sul, resultando em uma grande diversidade de condi es clim ticas. A regi o conhecida como Kansai, onde est localizada a prov ncia de Hyogo, possui um desenvolvimento econ mico e cultural pr prio, diferente daquele observado na rea metropolitana de T quio. Assim, esta regi o pode ser chamada de Òo outro peda o do Jap oó. Em especial, a prov ncia de Hyogo, devido a sua localiza o geogr fica e ap s a abertura do Porto de Kobe em 1868, se tornou a ÒPorta de EntradaÓ do Jap o. Com o desenvolvimento de estradas, ferrovias e do aeroporto, foi poss vel sua interliga o com as demais prov ncias e para conectar-se com o exterior. Como fruto da liga o com o exterior pelo Porto de Kobe, diversas culturas e v rios costumes, como filmes e golfes, da AmŽrica e da Europa, se difundiram pelo Jap o. E ao mesmo tempo, a cultura japonesa, como anim s e karaok, expandiram para o exterior pelo mesmo Porto. Vias expressas Principais vias expressas 135 east Quioto Nagoya Tóquio Yokohama Sendai Rodovias Ferrovias Cidades ligadas com o aeroporto de Kobe por via aérea. (Dados de fevereiro de 2010) Aeroporto de Kobe AEROPORTO O Aeroporto Internacional de Kansai (KIX) faz conex o do Jap o com as principais cidades do mundo, alžm de ser o œnico do pa s a funcionar durante 24 horas. Da cidade de Kobe (atual capital da prov ncia de Hyogo) Ž poss vel chegar a este Aeroporto, em aproximadamente 1 hora, usando o nibus expresso. O Aeroporto de Kobe (UKB), est localizado a 16 minutos do centro da cidade de Kobe, deslocando-se pela linha fžrrea Portliner. ƒ um aeroporto regional, de f cil acesso, que se interliga com o Aeroporto Internacional de Kansai via mar tima tambžm. PORTO DE KOBE O Porto de Kobe Ž um dos principais portos de comžrcio internacional do mundo. Esfor os tem sido feitos para torn -lo um porto centralizador do tr fego mar timo da regi o asi tica. RODOVIA Principais rodovias do pa s, que cortam o pa s de norte a sul, tambžm passam pela prov ncia de Hyogo. Isto facilita o acesso para outras prov ncias. AlŽm disso, em abril de 1998 foi inaugurada a mais longa ponte suspensa do mundo, o ÒAkashi Kaikyo OhashiÓ, que interliga a prov ncia de Hyogo ˆ ilha de Shikoku. FERROVIA Com o trem-bala (shinkansen), considerado um dos trens mais velozes do mundo, que parte de Kobe para destinos ˆ leste ou ˆ oeste, leva-se aproximadamente 2 horas e meia para deslocar atž T quio. AlŽm do trem-bala, h ainda outros sistemas de transporte como os trens das linhas JR, Hankyu, Hanshin, Sanyo, Kobe Dentetsu e a linha municipal de metr de Kobe. Com a integra o destas linhas Ž poss vel fazer viagens de trabalho atž as prov ncias de Kyoto e de Osaka. Naha Ishigaki Fukuoka Kumamoto Hiroshima 12:25 Londres 12:25 París 16:30 Cairo 17:55 Johannesburg Roma 14:20 Kobe Osaka Moscou 9:45 3:10 Beijing 2:10 Shanghai 3:40 Hong Kong 5:30 Bangkok 6:20 Singapura Tempo de vôo estimado partindo do Aeroporto Internacional de Kansai (KIX) 1:25 Seoul 11:00 Sydney Honolulu 7:35 10:55 Auckland Vancouver 9:10 Seattle 9:25 New York 16:30 Los Angeles 10:15 24:20 São Paulo Akashi Kaikyo Ōhashi Aeroporto Internacional de Kansai Porto de Kobe Trem-Bala (Shinkansen) 1 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 2

3 HYOGO E KANSAI E O MUNDO A província de Hyogo tem se desenvolvido dentro de uma região altamente internacionalizada, centralizada ao redor do Porto de Kobe. E atualmente possui várias instituições internacionais. Esta província, juntamente com Osaka e Kyoto, forma um grande bloco econômico. Cidade de Kobe Uma Metrópole Mundial: Kansai A regi o do Jap o conhecida como ÒKansaiÓ inclui as prov ncias de Hyogo, Osaka e Kyoto. Durante mais de 1000 anos, atž a transfer ncia da capital para T quio em 1868, esta regi o era considerada como o centro do Jap o. Raz o pela qual a regi o Ž rica em templos, s tios hist ricos e tambžm possui a metade dos Patrim nios Culturais e Tesouros Nacionais do Jap o. A rea Ž tambžm conhecida pela beleza de suas riquezas naturais, incluindo florestas, lagos e mares. Kansai Ž uma regi o descentralizada, isto Ž, seu desenvolvimento n o est concentrado em apenas um local, como pode ser observado na rea metropolitana de T quio. Em Kansai as cidades de Kobe, Osaka e Kyoto contribuem para o desenvolvimento da regi o de acordo com suas especialidades, respectivamente como cidade internacional, cidade comercial e cidade hist rica. Outras cidades, de mždio e pequeno porte, tambžm contribuem para a prosperidade da regi o. Espera-se que com o acesso global do Aeroporto Internacional de Kansai, esta regi o venha se tornar o centro-base de interc mbio principalmente com os pa ses da çsia e do Pac fico. A província de Hyogo na região de Kansai De acordo com a mitologia compilada na mais antiga escritura sobre a Hist ria Japonesa (ÒKojikiÓ), o arquipžlago japon s foi formado a partir da forma o da Ilha de Awaji, que hoje pertence ˆ prov ncia de Hyogo. A escritura mostra a contribui o consider vel da prov ncia para a forma o da cultura do pa s. AlŽm do Castelo de Himeji, considerado pela UNESCO como Patrim nio Cultural da Humanidade, a prov ncia possui v rias outras riquezas hist ricas e culturais. Historicamente, a prov ncia cresceu como um importante ponto de interc mbio com demais prov ncias do Jap o e com o exterior, por ser uma rea de grande tr fego ažreo e mar timo. Principalmente ap s a abertura do Porto de Kobe em 1868, a prov ncia de Hyogo se desenvolveu como uma ÒPorta de Sa daó para o mercado exterior, passando a exercer um importante papel no crescimento do comžrcio internacional e interc mbio cultural do Jap o. AlŽm disso, a prov ncia de Hyogo tem servido como base internacional para desenvolvimento de projetos de pesquisa em diferentes reas. Institutos de Pesquisa como o Spring-8, que possui o maior equipamento de Radia o Sincrot nica do mundo; e v rios Centros de Pesquisa como: o WHO KOBE CENTER, que estuda meios para oferecer uma vida saud vel ˆ humanidade; o CENTRO INTERNACIONAL EMECS, que estuda sobre a preserva o ambiental de mares fechados; o CENTRO DE PREVEN ÌO DE DESASTRES e o CENTRO ASIçTICO DE PREVEN ÌO DE DESASTRES que trabalham na preven o de desastres, baseadas nas experi ncias obtidas durante o Grande Terremoto, est o estabelecidos na prov ncia. Mar do Japão Toyooka Província de Hyogo Mar interno de Seto Tokushima Himeji Kobe Quioto Aeroporto de Kobe Osaka Aeroporto internacional de Kansai Antiga Prefeitura de Hyogo Atual porto de Kobe Porto de Kobe logo após a sua abertura: Desenhado por Sadanobu Hasegawa II (Museu municipal de Kobe) 3 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 4

4 HYOGO: UMA PROVÍNCIA QUE ESBANJA PERSONALIDADE A província de Hyogo estende-se verticalmente a partir do Mar do Japão, ao Norte, até o Mar Interno de Seto, ao Sul e se encontra com o Oceano Pacífico, pela Ilha de Awaji. Sua extensão territorial é de 8.394km 2 e possui uma população de aproximadamente habitantes (dados de janeiro de 2010). A prov ncia de Hyogo possui uma variedade de comunidades, desde grandes cidades atž reas agr colas, bem como ilhas isoladas. Ela Ž conhecida como ÒJap o em MiniaturaÓ devido ˆ sua grande diversidade clim tica e paisagens naturais. Oferece v rios locais de lazer, tais como, praias, esta es de esqui e termas. Baseadas nas caracter sticas hist ricas, clim ticas, industriais entre outras, a prov ncia pode ser dividida em 5 distintas regi es: Settsu (Kobe e Hanshin), Harima, Tajima, Tamba e Awaji. Kenka Matsuri de Nada Parque Meriken, no Porto de Kobe Clima A temperatura clim tica da prov ncia de Hyogo Ž relativamente amena, se comparada com as demais regi es do pa s, mas por causa de sua extens o territorial pode apresentar varia es. A prov ncia pode ser dividida basicamente em 3 zonas geogr ficas: Zona Norte, pr xima ao Mar do Jap o; Zona Montanhosa, ao centro e Zona Sul, pr xima ao Mar Interno de Seto. A por o Sul apresenta um baixo n vel pluviomžtrico com temperaturas amenas, enquanto a parte norte Ž chuvosa e com bastante neve durante o inverno, influenciada pela massa de ar fria da SibŽria. Indústria A rea urbana que engloba as regi es de Kobe, Hanshin e Harima concentra mais de 90% da popula o da prov ncia. V rias indœstrias como aquelas de a o, de montagem de navios e de produ o de m quinas est o concentradas nesta rea. Por outro lado, a rea que engloba as regi es de Tajima, Tamba e Awaji possui belas montanhas, mares e rios. Com esta riqueza natural, a rea Ž bem desenvolvida nos campos da agricultura, da pesca e florestal. Lazer Devido a grande diversidade clim tica e geogr fica da prov ncia de Hyogo, no ver o Ž poss vel nadar e fazer outros esportes aqu ticos nas praias do Mar de Seto ou do Mar do Jap o. Enquanto que no inverno, existem lazeres como esquiar nas montanhas de Tajima. AlŽm disso, muitos visitam os termas de Arima, um dos mais antigos do Jap o ou os termas de Kinosaki e Yumura, os mais famosos do pa s. Festividades e Eventos Culturais Artísticos Em v rias partes da prov ncia, v rias festividades e eventos tradicionais est o sendo passadas atravžs de gera es. Como exemplos, podem ser citados o ÒAwaji Ningyo JoruriÓ e o ÒTakarazuka Kageki (musicais apresentados apenas por mulheres)ó. H tambžm eventos como o ÒKenka MatsuriÓ e o ÒToka EbisuÓ e, outros como ÒShunsetsusaiÓ, que Ž uma festa em Comemora o ao Ano Novo Chin s, realizada no bairro de Nankin-Machi. Antigo local de Acomodação de Estrangeiros Termas de Kinosaki, amado por pintores e literatos. Praia de Suma Área costeira de Tajima Estação de Esqui Tajima Ponte Suspensa de Akashi e o Memorial a Sun Yat-sen Tamba Cordilheira de Taki Planetário municipal de Akashi Harima Settsu (Kobe e Hanshin) Mar de nuvens Awaji Castelo de Himeji 5 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 6

5 PROGRESSOS DE RECONTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO APÓS O GRANDE TERREMOTO DE HANSHIN-AWAJI O grande terremoto de Hanshin-Awaji aconteceu em janeiro de Desde este desastre, a província de Hyogo tem se esforçado não apenas em reconstruir as cidades, na forma anterior ao desastre, mas levando em consideração uma reconstrução criativa. INDÚSTRIAS Muitas companhias estrangeiras, bem como, centros de pesquisa e fábricas de grandes companhias japonesas, estão localizadas na província de Hyogo. Atualmente, a província está se destacando na área relacionada com a nanotecnologia. Vários focos de incêndio foram registrados logo após o terremoto Prejuízos do Terremoto na província de Hyogo (Dados de 22 de dezembro de 2005) Mortos: Desaparecidos: 3 Feridos: (Ferimentos: graves ; leves ) *Número de mortos devido ao Terremoto de Hanshin-Awaji: Área comercial Center-Gai em Sannomiya volta a prosperar Grande Terremoto de Hanshin- Awaji Em 17 de janeiro de 1995, ˆs 05:46 a.m., um terremoto de magnitude 7,3 abala a regi o sul da prov ncia de Hyogo. Este terremoto de abalo vertical causou a perda de preciosas vidas humanas. AlŽm de danificar/destruir moradias, rodovias e ferrovias, prejudicou sistemas importantes como fornecimento de eletricidade, g s e gua. O preju zo avaliado foi de aproximadamente 10 trilh es de yens. Valores dos prejuízos em cada setor (Estimativas de 05 de abril de 1995) Construções Ferrovias Rodovias Instituições de Engenharia Civil Portos Áreas aterradas Educação Instituições Agrícolas, Florestal e de Pesca Órgãos de Saúde e de Bem-estar IInstituições de Tratamento de Esgoto e de Lixo Instituições de abastecimento de água Gás e Eletricidade Instituições de tele/rádio comunicação Comércio e Indústrias Outras instituições públicas Total 5, , ,926.8 Danos em moradias (níveis de danos: totalmente destruído; parcialmente destruído; totalmente queimado; parcialmente queimado) Casas: Prédios: (bilhões de yens) Via expressa de Hanshin reconstruída Passos da recuperação e desenvolvimento pós-terremoto Apesar do interrompimento de v rias redes de tr fego e da paralisa o dos principais rg os pœblicos na cidade, o trabalho de recupera o ocorreu de forma r pida gra as ao esfor o de v rias pessoas e ao apoio, vindo de v rias partes do mundo. Em somente seis dias ap s o terremoto houve fornecimento provis rio de energia e, em tr s meses, os sistemas de gua e de g s haviam sido restabelecidos. Um plano de ÒReconstru o Emergencial de 3 anosó foi montado para recupera o urgente das moradias das v timas e das indœstrias, bem como da infraestrutura, incluindo vias ferrovi rias, rodovi rias e o Porto. AlŽm disso, foi criado um ÒPlano de Reconstru o de Hanshin-Awaji (Plano Hyogo Fenix)Ó, que visa uma reconstru o criativa num per odo de 10 anos, que leve em considera o as necessidades de uma sociedade, com tend ncia ao aumento na taxa de idosos, e o amadurecimento econ mico. Como resultado dos esfor os, a ferrovia voltou a operar totalmente em agosto do mesmo ano, a rodovia em setembro de 1996 e o Porto de Kobe em mar o de AlŽm disso, contru es de moradias definitivas para as v timas do terremoto estavam em andamento. Com a gradativa finaliza o de constru o das moradias e das indœstrias, acompanhada pela melhoria na infraestrutura da rea urbana, pode-se dizer que, no geral, os objetivos do ÒPlano de Reconstru o Emergencial de 3 AnosÓ foram atingidos. No dia 17 de janeiro de 2005, o Imperador e a Imperatriz do Jap o participaram da Cerim nia que marca os 10 anos ap s o Grande Terremoto de Hanshin-Awaji. Atualmente, a prov ncia de Hyogo tem se esfor ado no desenvolvimento de projetos de apoio ˆ independ ncia dos idosos e das v timas de desastres; bem como, em projetos de vitaliza o urbana e manuten o da seguran a e da tranquilidade na regi o. Instituto de Pesquisa Médica e de lnovação Indústria de Vestuários Geral Hyogo Ž o ber o de indœstrias mundialmente famosas como a Kawasaki Heavy Industries Ltda e Kobe Steel Ltda. AlŽm disso, concentra centros de pesquisa e f bricas de grandes companhias como a Mitsubishi Heavy Industries, Toshiba Corporation, Fujitsu Ltda, Mitsubishi Eletrics Corporation, alžm de agregar v rias Global Niche TopCompanies do sžc. XXI. Como exemplos pode-se citar a Sysmex, que controla 30% do mercado mundial de produ o de equipamentos de contagem de gl bulos brancos; a Chemipro Kasei Ltda que detžm 50% do mercado de absorvedores de raios UV; a Japan Eletronic Materials Corporation com 20% do mercado de Òprobe cardsó para IC e LSI; a Companhia Teikoku Eletric Ltda, detectora de 40% do mercado de Òcanned motor pumpsó; a Furuno Eletric Co. Ltda, que est no topo mundial de produ o de detectores de cardumes de uso profissional. E mais, a Word Co. Ltda. com uma posi o de lideran a no ramo de vestu rios. Mundo da Kawasaki 7 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 8

6 O melhor lugar para as empresas estrangeiras no Japão (1) As companhias multinacionais na província de Hyogo (2) Serviços de Apoio oferecidos pela Província de Hyogo 1 Servi o de Consulta Localizada Oferecido pela Prov ncia de Internacional, tambžm conhecida como Zona de Forma o de Agrupamentos de Empresas Estrangeiras. Para aquelas empresas (3) Crescimento nos negócios, beneficiado pelas avançadas instalações da Província de Hyogo Com exce o da rea metropolitana de T quio, a prov ncia de Hyogo estrangeiras com inten o de investir nesta rea, a prov ncia de Atualmente em nosso pa s, a Òinova o verdeó e a Òinova o da Hyogo tem sido conhecida por v rias empresas estrangeiras e A prov ncia de Hyogo estabeleceu um Centro de Apoio aos Hyogo tem preparado uma grande variedade de incentivosque vidaó tem sido erguidascomo novasestratžgiaspara promover o atualmente maisde 80 delast m estabelecido suasfiliaisnesta. Investimentos Hyogo/Kobe (HKIS) em coopera o com a cidade incluem: redu o de 50% no imposto sobre aquisi o de crescimento. A tecnologia, dentre a qual a nanotecnologia, tem V riosatrativosdesta prov ncia t m levado asempresasa de Kobe e com asorganiza esecon micaslocais, para oferecer propriedade, medidaspriorit riasde subs dioscom rela o aos sido considerada como de muita import ncia tecnol gica do sžculo constru rem suas bases empresariais aqui, tais como, a exist ncia servi os de consulta para as empresas interessadas em investir trabalhadoreslocaisrecžm-contratados, grande capital de XXI, com grande suporte ˆsinova esem diversas reas, tais hist rica de uma rede global personalizada, um ambiente de vida nesta prov ncia. O HKIS oferece servi os de consulta meticulosa investimento, loca o de escrit rio, e alžm de um sistema de como, ambiental, material, energžtico, biol gico e tecnologia da ideal para os estrangeiros, acesso privilegiado ao transporte e ˆ em resposta ˆs necessidades destas empresas, sendo que os financiamento a jurosbaixos. informa o. E uma instala o apropriada para a nanotecnologia Ž o distribui o de mercadoriase servi osde apoio oferecidospela principaisservi osincluem conselhosa respeito dosprocedimentos Para asempresasestrangeirasque pretendem iniciar seu Spring-8 de radia o sincrot nica, localizada na ÒCidade prov ncia de Hyogo. administrativos, tais como, registro da empresa e obten o de visto emprendimento aqui, a prov ncia de Hyogo oferece escrit rios a Tecnol gica de HarimaÓ da prov ncia de Hyogo. Muitasempresasocidentaiscom atua o global, taiscomo, a de trabalho, apresenta o de escrit rios potenciais e de infra- custo zero durante seu per odo de prepara o. AlŽm disso, disp e O ÒSpring-8Ó tem atra do muitos pesquisadores do Jap o e do Companhia Procter & Gamble, a NestlŽ e a Companhia Eli Lilly estrutura industrial. Para aquelas empresas que desejam consultas de edif cio equipado com espa o voltado para diferentes prop sitos mundo como um local que pode ser usado de forma cooperativa, e t m estabelecido suas filiais nesta prov ncia. AlŽm disso, observa- especializadas a respeito da legisla o e sobre os impostos, o HKIS como escrit rios, montagem, desenvolvimento e pesquisa, muito muitos projetos de pesquisa de ponta est o em andamento. No se um aumento no nœmero de filiaisde empresasoriundasda oferece servi osgratuitamente com advogadosque dominam a convenientespara asempresas. Spring-8 existem 3 ÒbeamlinesÓ (conjunto de equipamentos de China, que tem despontado como l der da economia mundial e de l ngua inglesa, contabilistas pœblicos e escriv es administrativos. A prov ncia de Hyogo oferece servi os localizados de alto n vel emiss o de feixes) de uso comum com objetivos industriais mas outrascompanhiasasi ticas. A HKIS possui um escrit rio em T quio e oferece informa es dentro do Jap o, e asempresaspodem iniciar rapidamente seu alžm disso h aqueles voltados para a rea de desenvolvimento de Para citar exemplos recentes, t m-se o estabelecimento de a respeito do ambiente de investimentos na prov ncia de Hyogo empreendimento nesta prov ncia com osmenoresriscosde novostiposde medicamentose para a rea de materiaismale veis. grandescentrosde atendimento dasempresasde seguro como a para as empresas com interesse em fixar filiais fora da rea investimento. E est sendo instalada tambžm para a rea de desenvolvimento de AIG e a Inc. and Aflac Japan; o estabelecimento de grandes lojas metropolitana de T quio. acumuladoresde bateria de nova gera o. como a IKEA Japan e a companhia Chelsea Japan Ltda.; e a Homepage da HKIS: A prov ncia de Hyogo tambžm possui dois ÒbeamlinesÓ para instala o de f brica e centro de distribui o de um dos maiores fornecedoresmundiaisde g sindustrial, a Air Liquide. 2 Medidasde Apoio Localizado para minimizar osinvestimentos empresariais iniciais SPring-8: centro de pesquisa synchrotron radiation promover o seu uso amplo na rea industrial, ambiental e energžtico. AlŽm disso, estabeleceu um Laborat rio de Pesquisas A prov ncia de Hyogo realiza tambžm encontrose semin rios A prov ncia de Hyogo, de acordo com asregrasde Acœmulo Nanotecnol gicasde Radia o da Prov ncia de Hyogo para realizar para trocasde opini ese idžiasatravžsde sua rede com as Industrial nomeou certas reascomo Zonasde Economia cursos voltados para pesquisadores da rea industrial, realiza o de companhiasestrangeiraslocalizadasnesta. Estess o feitoscom o pesquisas em equipe, suporte ˆs pesquisas e conselhos para uso da intuito de refor ar aspol ticaspara o desenvolvimento da radia o sincrot nica. economia internacional e para manter e melhorar o ambiente Um dosramosmaispromissoresde aplica o da nanotecnologia empresarial da prov ncia de Hyogo. Ž a Ci ncia da Vida. A cidade de Kobe est desenvolvendo um projeto de Desenvolvimento Industrial MŽdico de Kobe em Port Empresas multinacionais. PET/CT Island, para promover o avan o nas indœstrias da saœde e do bemestar, ao estabelecer centros-base de desenvolvimento e pesquisa de alto n vel, tais como, o Instituto de Pesquisa BiomŽdica e de Inova o (IBRI). Este projeto tem o objetivo de atrair companhias relacionadasa estas reas, do Jap o e do exterior, atravžsda colabora o entre as reasindustrial, acad mica e governamental. AlŽm disso, existe tambžm sistemas de apoio ˆ forma o de pessoas qualificadas e de incuba o de neg cios. Este projeto tem atra do muitasfaculdadesda rea mždica como da Universidade de Kyoto, de Osaka e de Kobe e empresas farmac uticas, para realizar pesquisas avan adas na rea de Ci nciasincluindo a Medicina Regenerativa. A prov ncia de Hyogo recepciona ascompanhiasestrangeiras com osmelhoressuportespara osneg ciose um timo ambiente de vida para o trabalho. Dentro da SPring-8 9 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 10

7 PRODUTOS TÍPICOS DA PROVÍNCIA DE HYOGO Produtos agrícolas, cultivados em grandes áreas; peixes e frutos do mar, colhidos dos mares; artes tradicionais, passadas através de gerações; confeitarias gostosas e bebidas alcóolicas. Estes produtos originados na província deixam boas recordações a todos que aqui visitam. Doces Produtos da Agricultura e da Pecuária V rias regi es da prov ncia de Hyogo t m se esfor ado na obten o de produtos agr colas, de acordo com as condi es do clima local.a regi o de Tamba Ž famosa pela produ o de Òkuromame (espžcie de feij o preto)ó, muito usado na culin ria.a regi o de Tajima Ž conhecida pelo ÒIzushi SobaÓ (macarr o feito com trigo sarraceno), tambžm conhecido como ÒSara SobaÓ por ser servido em pratos de porcelana branca.os turistas se divertem ao competir com os outros, a quantidade de pratos deste macarr o que conseguem ingerir. O gado criado na regi o de Tajima Ž famoso por ter originado v rias marcas de carne de primeira classe, como o mundialmente conhecido ÒKobe BeefÓ.Outras marcas de destaque podem ser citadas como ÒSanda BeefÓ e ÒAwaji BeefÓ.O rico paladar destas carnes pode ser saboreado de diferentes maneiras como bife; Òshabu shabuó (finas fatias da carne s o mergulhadas em gua fervente, levemente temperada, e ent o, degustadas com molho especial) ou como ÒsukiyakiÓ (mistura de carne com legumes e temperado com molho ˆ base de shoyu). Produtos de Origem Marinha A prov ncia de Hyogo Ž uma das poucas prov ncias que possui acesso ao mar interno de Seto e ao Mar do Jap o.esta excelente localiza o faz com que a prov ncia seja rica em recursos marinhos.assim tem-se: O carangueijo Matsuba (Òmatsuba-ganiÓ), coletado no Mar do Jap o, Ž considerado o ÒRei das Del cias da Culin ria de InvernoÓ. Seu sabor Ž levemente doce e pode ser apreciado assado, cozido ou atž degustado cru, satisfazendo todos os paladares. O polvo, pescado no Mar Interno de Seto, Ž famoso pela sua consist ncia el stica e resistente.um dos pratos t picos, muito apreciado pela popula o, chama-se ÒAkashi YakiÓ ou ÒTamago YakiÓ, que consiste em um bolinho assado, preparado com uma mistura de ovo, farinha de trigo e caldo e recheado com peda o de polvo cozido. A enguia (ÒanagoÓ), pescada no Mar Interno de Seto, possui uma carne macia que d impress o de derreter ao colocar na boca. O peixe brema (ÒtaiÓ) Ž pescado nas fortes correntezas do estreito de Akashi e de Naruto.Os files cortados finos deste peixe fresco s o montados sobre uma miniatura de navio, assim pode-se apreciar o peixe n o somente com a boca mas com os olhos tambžm. Objetos Artesanais A diversidade clim tica e geogr fica da prov ncia faz com que, cada regi o da mesma produza belos objetos artesanais caracter sticos.a cidade de Ono, na regi o de Harima, caracteriza-se pela produ o de bacos, feitos de madeiras e bambus de boa qualidade da regi o.os anz is de p lo, da regi o de Banshu, s o famosas por imitarem iscas de verdade e, a cidade de Miki Ž conhecida pela sua produ o de ferramentas como serras, facas e martelos. A regi o de Tamba Ž famosa pela produ o de cer mica, e possui uma das seis mais antigas fornalhas do Jap o, chamado ÒTamba yakió.a regi o de Tajima Ž famosa pelas belas porcelanas brancas e, a cidade de Toyooka Ž conhecida pela produ o de cestos, chamados de ÒToyooka-KiryuuzaikuÓ, feitos a partir de arbustos da fam lia das salic ceas. As tžcnicas e o profissionalismo dos artes es t m sido transmitidos atravžs de gera es e ainda est o preservadas em v rias partes da prov ncia. Yaki Anago (Enguia Grelhada) Saquê Na prov ncia de Hyogo, existem lugares famosos pela produ o de saqu.em particular, na costa leste da cidade de Kobe encontra-se o ÒNada GogoÓ (literalmente significa as Ò5 quadras da rea de NadaÓ), a maior regi o produtora de saqu do Jap o.s o 40 f bricas de produ o de saqu, que se estendem de leste a oeste numa extens o de 12km.A perfeita combina o de matžriasprimas, usadas na produ o desta bebida japonesa, tem contribu do para tornar esta regi o um lugar de renome.as matžriasprimas, usadas em sua produ o, s o encontradas nesta prov ncia: arroz para saqu da regi o de Harima chamado Yamadanishiki; gua mineral Miyamizu e os ventos frios da montanha de Rokko, e as habilidades tžcnicas dos mestres de saque da regi o de Tamba e de Tajima.AlŽm disso, sua localiza o na rea costeira facilitou o transporte dos produtos. AlŽm de Nada Gogo, outras reas da prov ncia que tambžm produzem saqu, fazem da prov ncia ser chamada de Òprodutora de saqu do Jap oó.estes saqu s oferecem aos visitantes bons momentos de descontra o. Matsuba-Gani Doces Finos Desde a abertura do Porto de Kobe em meados do sžc.xix, a prov ncia de Hyogo tem se tornado a porta de entrada para com o exterior.pessoas vindas do Ocidente introduziram suas tžcnicas de confecc o de doces atravžs deste porto.e confeitarias de estilo ocidental tem crescido a tal ponto de representar a cidade nesta rea.hoje existem v rias confeitarias e lojas de doces ocidentais em Kobe e nas suas redondezas.outras reas da prov ncia produzem doces japoneses tradicionais, usando matžrias-primas locais, e apreciados pela popula o h muito tempo. Ábacos de Ono Doce tradicional japonês Saquê japonês Tamba-Yaki Cestos de Toyooka Kobe Beef Kuromame de Tamba (Soja Preta) Izushi Soba Sashimi de Tai Bolinho de Akashi (Akashi Yaki) Materiais de construção de Miki Telhas de Awaji 11 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 12

8 O TURISMO NA PROVÍNCIA DE HYOGO Paisagem noturna de Kobe Existem vários locais turísticos na província de Hyogo como as belas paisagens, formadas pela rica natureza; os termas naturais, amados por muitos artistas e escritores, e os vários momumentos históricos e culturais como o Castelo de Himeji. Natureza A prov ncia de Hyogo possui v rias facetas clim ticas e geogr ficas, devido ˆ sua grande extens o territorial, que se estende verticalmente, do Mar do Jap o, ao norte, atž o Mar Interno de Seto, ao sul. No inverno, o Planalto de Hachi que est localizado ao norte da regi o de Tajima, se torna a esta o de esqui mais popular da regi o de Kansai. Em outras esta es do ano, a rea se transforma em local de ÒcampingÓ e de caminhadas. O Templo de ÒYoutakujiÓ, na cidade de Sanda, Ž famosa pela sua rea de belas flores. Aqui florescem cerca de 3,5 milh es de flores de 650 espžcies entre junho e julho. O telefžrico ÒMaya View LineÓ, que pode ser acessado pr ximo do centro de Kobe, permite ˆs pessoas ter uma vis o panor mica do mar e da cidade. Ao atravessar o estreito de Akashi, a partir da ilha principal Honshu atž a Ilha de Awaji, chega se ao Awaji Yume Butai, que significa literalmente ÒPalco dos Sonhos de AwajiÓ. Ele foi constru do numa rea, em que parte de seu terreno foi usado para a constru o do Aeroporto de Kansai. Ele Ž composto de hotžis, centros de confer ncias, estufas, restaurantes e pra as administradas pelo governo. Ainda na Ilha de Awaji, pode se visitar o museu onde se preserva a Falha de Nojima, que se deslocou para a superf cie com a movimenta o das placas tect nicas causada pelo Terremoto de Hanshin-Awaji. H tambžm a Fazenda ÒAwajishima BokujyoÓ, que oferece divertimento junto aos animais. E entre a Ilha e o estreito de Naruto podem ser observados a forma o de redemoinhos grandes na superf cie da gua do mar. As flores do templo de Youtakuji Redemoinho de Naruto Termas Naturais A prov ncia de Hyogo possui v rios termas naturais famosos. Como exemplo, tem-se: O Termas Arima (ÒArima OnsenÓ)Žum dos mais antigos do Jap o e foi muito apreciado pelo famoso samurai da Žpoca feudal, chamado Toyotomi Hideyoshi. Ainda podem ser encontrados locais que preservam tra os desta Žpoca. O Termas Kinosaki (ÒKinosaki OnsenÓ) na regi o de Tajima possui uma hist ria de aproximadamente anos. Neste Termas, os visitantes podem aproveitar dos 7 termas que existem ao ar livre e caminhar pelas ruas calmas, apreciando as salgueiras plantadas em suas laterais. O Termas Yumura (ÒYumura OnsenÓ), tambžm da regi o de Tajima, com uma hist ria de anos Ž igualmente famosa. Suas guas jorradas da nascente com temperatura de atž 98 C podem ser usadas para cozinhar ovos. H muitos outros termas de diferentes tamanhos espalhados pela prov ncia. Estes termas aguardam os visitantes, e est o preparados para atend -los com hospitalidade. História e Cultura Na prov ncia de Hyogo existem muitos locais antigos ou mesmo ru nas hist ricas e culturais que contam parte da Hist ria do Jap o. AlŽm disso, culturas tradicionais, reais ou irreais, permanecem preservadas em v rias partes da prov ncia, impressionando muitos visitantes. O Castelo de Himeji, conhecido tambžm como ÒShirasagui JouÓ ou Castelo da Gar a Branca, ainda preserva sua apar ncia externa e a estrutura interna originais. Este Castelo, considerado como Tesouro Nacional, tambžm consta na lista da UNESCO como sendo Patrim nio Cultural da Humanidade. O templo ÒKogenjiÓ, constru do na regi o de Tamba, h aproximadamente 680 anos atr s, Ž famoso pelas folhas outonais coloridas de suas rvores. Principalmente das rvores de bordo que chamam a aten o pela sua beleza singular, que dizem terem sido trazidas da China. Na cidade de Izushi, tambžm na regi o de Tamba, h uma torre com tambor, constru da em 1871, e conhecida como Shinrokou. Na Žpoca, a cada uma hora se tocava o tambor para anunciar as horas. Atualmente, ela est preservada como Torre do Rel gio, um s mbolo da cidade. O Templo Xinto sta de Nishinomiya Ž conhecido por manter o Deus da Felicidade e do Sucesso nos Neg cios. Mais de um milh o de pessoas visitam o Santu rio na Festa de ÒTokaiebisuÓ, que acontece todos os anos geralmente no dia 10 de Janeiro (dependendo pode ser realizada um dia antes ou depois, do dia 10 do mesmo m s). Em Himeji tem-se o ÒNada MatsuriÓ, um festival de outono realizado no Templo ÒMatsubara Yahata JinjaÓ. Ele Ž conhecido tambžm como ÒNada no Kenka MatsuriÓ, ou traduzindo, ÒFesta de Briga da Regi o de NadaÓ. Recebe-se este nome pelo seu costume de chocar os palanquins xinto stas uns com outros. Muitos visitantes s o atra dos todos os anos pelos carros aleg ricos ricamente adornados e pelos choques dos palanquins. A cidade de Ako serviu de inspira o para a obra ÒChushin-guraÓ, uma est ria real da Era Edo, que tem sido contada em livros e em filmes. A ÒAkoguishisaiÓ, uma parada de Festival de Samurai de Ako remonta o cen rio da Žpoca. E na Ilha de Awaji h o ÒAwaji NingyoujoruriÓ, uma apresenta o de pe as teatrais encenada por bonecos, sendo que cada um destes Ž manipulado por tr s pessoas. Esta arte c nica Ž considerada como Patrim nio Cultural Japonesa. Metrópoles e Cidades Cada uma das reas metropolitanas, cidades e vilas da prov ncia de Hyogo se destacam pelas suas peculiaridades. OÒKitano Ijinkan GaiÓ, localizado no sopž da montanha de Kobe, caracteriza-se pelas antigas resid ncias de estrangeiros, conservadas com as caracter sticas da Žpoca e recebem muitos visitantes. No Kobe Haborland, localizado no sudeste de Kobe, existem um parque de divers es e v rias lojas, que atraem pessoas de todas as idades. O Bairro Chin s (ÒNankin MachiÓ), na regi o central da cidade de Kobe, adiciona um toque multicultural ˆ cidade. Na regi o de Hanshin, entre as cidades de Kobe e Osaka, se localiza a cidade de Takarazuka, que possui um teatro de espet culos musicais, apresentados somente por mulheres, o chamado ÒTakarazuka KagekiÓ. E na cidade de Nishinomiya se localiza a famosa meca do beisebol nacional, o Est dio Koushien. Na regi o de Harima, h v rias cidades hist ricas, como as cidades de Himeji, Ako e Tatsuno. Em particular, a cidade de Himeji se desenvolveu concomitante com o seu belo Castelo, cuja apar ncia externa Ž descrita como a graciosidade de uma gar a branca. A cidade de Toyooka, com sua rica natureza e localizada na regi o de Tajima, tem se esfor ado em devolver ao seu habitat natural, a aves mbolo da prov ncia, o Òkouno torió. AlŽm dos esfor os em criar um ambiente que valorize a coexist ncia harm nica entre a natureza e o homem. N o esquecendo das exuberantes florestas de Tamba e os parques floridos da Ilha de Awaji. As caracter sticas das metr poles, cidades e vilas da prov ncia de Hyogo, com seus pontos tur sticos, atraem muitos visitantes todos os anos. Arima Onsen (Termas de Arima) Nankin Machi (Chinatown) Museu que preserva as falhas de Nojima, exposto pelo terremoto de 1995 Torre de Izushi Castelo de Himeji Encenação dos bonecos de Awaji (Awaji Ningyoujoruri) O tapete de flores de Awaji As folhas vermelhas do templo Kōgenji Yumura Onsen (Termas de Yumura) Estádio Koushien Ijinkan (Construções Ocidentais); Uroko no Yakata Festa Tōkaebisu de Nishinomiya 13 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 14

9 PROJETOS QUE CONDUZAM O CAMINHO PARA O SÉC. XXI Com projetos, tal como, o Novo Centro da Área Leste da Cidade de Kobe onde se concentram várias organizações internacionais, a província de Hyogo está sempre engajada em vários projetos internacionais que irão liderar o séc.xxi. Novo Centro da Área Leste da Cidade de Kobe (HAT KOBE) Em HAT KOBE est sendo desenvolvida uma Cidade-Modelo, pensando na saœde e no bem-estar social para o sžc. XXI e composta de resid ncias, instala es comerciais e outras com fun es como o de preven o de desastres. Atualmente, em HAT KOBE est o: o WHO Kobe Center, um centro que realiza pesquisas relacionadas com a saœde humana; o Centro Internacional EMECS, que trabalha com manejo e conserva o ambiental de mares fechados e a Institui o de Renova o Humana e Redu o de Desastres, que est engajada na preven o de desastres, baseada nas experi ncias e nas li es obtidas com o Grande Terremoto. Nesta rea, tambžm est o a Organiza o de Apoio ˆ Reconstru o dos Pa ses Atingidos por Desastres Naturais, o Centro Asi tico de Preven o a Desastres, o UN Office for the Coordination of Humanitarian Affairs- UNOCHA, uma espžcie de escrit rio internacional de coordena o para quest es humanas. AlŽm disso, h o Museu de Artes da Prov ncia de Hyogo, s mbolo de renascimento e florescimento da cultura e tambžm h o Centro Emergencial de Atendimento MŽdico que atua como um centro-base de servi os mždicos em caso de desastres. Instituição de Renovação Humana e de Redução de Desastres (DRI) Esta Instituição tem como propostas: transmitir para as futuras gerações as experiências e as lições aprendidas com o Terremoto de Hanshin- Awaji, além de ajudar a minimizar os danos e perdas com os desastres ocorridos dentro e fora do Japão. Ela possui uma grande quantidade de imagens e de documentos sobre a força destrutiva do terremoto, sobre a vida e a cidade logo após o desastre e durante o processo de reconstrução. Estes úteis para sentir e aprender sobre os mesmos. E além disso, a Instituição distribui informativos sobre prevenção e redução de desastres. Museu de Artes da Província de Hyogo Este Museu não apenas representa a recuperação da cultura pós-terremoto, mas ao mesmo tempo, tenta oferecer alegria aos corações das vítimas deste desastre, inspirando-as a criar uma cultura voltada para o séc. XXI. Centro Emergencial de Atendimento Médico Este Centro Médico tem como proposta ser um centro-base em caso de desastres em grande escala, oferecendo tranquilidade para a população. As funções do Centro incluem administração dos sistemas de coleta e envio de informações a respeito dos serviços médicos e das informações sobre resgate emergencial, além de ajudar no transporte de pacientes e estocar remédios e outras necessidades médicas, em casos de grandes desastres. Parque Cidade da Ciência de Harima Em meio ˆ rica natureza de Harima, localiza-se o Parque-Cidade da Ci ncia de Harima, uma rea futur stica designada para promover a coexist ncia harm nica entre o Homem, a Natureza e a Ci ncia. Este Parque-Cidade est organizado, de tal maneira que, as zonas residenciais e de recrea o rodeiam uma zona concentrada com indœstrias tecnol gicas avan adas e centros de pesquisa. Em adi o aos v rios Centros, tais como, o Spring-8, uma institui o com maior equipamento de radia o sincrot nica de terceira gera o do mundo; o Centro de Apoio ˆs Ci ncias e Tecnologia Avan adas da Prov ncia de Hyogo e a Universidade de Hyogo, outras institui es est o instaladas neste Parque, como o Centro MŽdico de Tratamento por Feixes de Part culas da Prov ncia de Hyogo, que conduz pesquisa e desenvolvimento sobre os mžtodos de tratamento do c ncer. Destaca-se o Spring-8, um equipamento capaz de produzir feixes de luz extremamente clara, com acelera o de part culas de elžtrons a velocidade da luz. Este equipamento tem sido particularmente efetivo em analisar subst ncias e organismos vivos, a n veis molecular e nuclear. Muitas expectativas tem sido depositadas sobre suas aplica es em diversas reas, incluindo o desenvolvimento de novas subst ncias e de remždios. Desde a sua abertura em 1997, ele tem gerado muitos resultados not veis. Instituição de Renovação Humana e de Prevenção de Desastres Novo Centro da Área Leste de Kobe (HAT Kobe) Parque Cidade da Informação de Hyogo Aproveitando-se das caracter sticas peculiares da regi o de Higashi-Harima, tais como, seu ambiente natural rico em reas verdes, seu timo sistema de transportes e sua localiza o pr xima ˆs grandes metr poles, est sendo criada nesta rea o Parque Cidade da Informa o de Hyogo. Atuando como base para a cria o de novas indœstrias, este Parque tem como fun o promover a cria o de novos empregos e reformas estruturais nas indœstrias j existentes. AtravŽs destas, este Parque Cidade serve como modelo-l der das pol ticas governamentais para as reas de indœstria e de informa o, baseadas na concep o de Òcria o de um parque-cidade atrativo onde as pessoas, coisas e informa es possam interagir entre sió. Museu de Artes da Província de Hyogo (Gueijutsu no Yakata) Aeroporto de Kobe O Aeroporto de Kobe, que foi aberta em fevereiro de 2006, possui uma rea total de 272 hectares com uma pista de decolagem e aterrizagem de 2500 metros de comprimento. O Aeroporto foi constru do sobre uma rea aterrada, em alto-mar a 1 quil metro de dist ncia, aproximadamente, de Port Island. Funcionando como um aeroporto regional de v os domžsticos, espera-se que o mesmo ofere a comodidade adicional aos usu rios de Kobe e de suas redondezas. Instalação de um supercomputador de próxima geração O supercomputador est sendo desenvolvido como um dos projetos tecnol gicos nacionais pelo Centro de Pesquisas da Ci ncia com o intuito de promover o desenvolvimento da Tecnologia da Informa o cuja posi o s lida est em forma o. E tambžm como uma forma de tecnologia cient fica atual, ao lado da experimenta o e da teoria. Em 2012, quando este supercomputador ficar pronto, ele ter capacidade de processar c lculos matem ticos por segundo (10 petaflops Ð medida de desempenho do computador) e com o objetivo de se tornar o mais r pido sistema e com a expectativa de liderar o desenvolvimento da tecnologia da ci ncia e da produ o do nosso pa s, atravžs de seu uso em diversas reas como Ci ncia da Vida, Nanotecnologia, Meio Ambiente e Nuclear. Parque Cidade da Ciência de Harima (Harima Kagaku Kouentoshi) Palco dos Sonhos de Awaji O ÒPalco dos SonhosÓ de Awaji (ou Awaji Yume Butai) Ž um dos projetos que est em andamento. Este ÒPalcoÓ Ž base para o Parque Cidade Internacional da Ilha de Awaji, projetado para construir uma cidade onde as pessoas do mundo todo possam se interagir sob o tema Òcomunica o entre pessoas, natureza e o mundoó. O ÒPalco dos SonhosÓ de Awaji localizase sobre uma rea verde, que foi reconstru da ap s parte de seu terreno ser retirado para a constru o do Aeroporto. E, aproveitando-se das caracter sticas inclinadas e din micas da rea, foram constru das v rias instala es para interc mbio internacional, tais como: hotel, um Centro de Conven o Internacional, uma estufa, um teatro ao ar livre e parques. Aeroporto de Kobe Centro Médico em Casos de Desastres (Saigai Iryou center) Centro Artístico e Cultural da Província de Hyogo AlŽm de realizar apresenta es e produzir artes cenogr ficas de renome mundial, bem como, de divulgar artes e cultura nacionais e internacionais de alto n vel, este Centro tem como objetivo atuar como um Centro de Interc mbio de Informa es sobre diversas culturas art sticas. Centro Artístico e Cultural Awaji Yume Butai 15 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 16

10 Intercâmbio Internacional da Província de Hyogo Com a abertura do Porto de Kobe, a província de Hyogo tem se modernizado e internacionalizado. A Província tem se dedicado em formar cidades, onde os estrangeiros possam viver confortavelmente. Além de se empenhar em resolver assuntos comuns a toda humanidade, em colaboração com vários países do mundo. Cidades Irmãs e Cidades Amigas 8 Hospitais que prestam atendimentos em línguas estrangeiras Prédio de Intercâmbio Internacional de Hyogo (JASSO) Centrada ao redor do Porto de Kobe, esta que foi aberta para o exterior em 1868, a prov ncia de Hyogo tem se desenvolvida como uma regi o cosmopolita, liderando a internacionaliza o e a moderniza o do Jap o. Desde a abertura do Porto, a prov ncia tem se tornado um lugar mais confort vel de se viver para os estrangeiros, oferecendo facilidades como: moradias de padr o internacional; escolas internacionais que oferecem uma educa o de primeira categoria; hospitais e centros de consultas sobre o cotidiano que realizam atendimento em v rios idiomas; alžm de v rias igrejas. Atualmente, mais de 100 milestrangeiros de 141 pa ses, residem nesta prov ncia. Em meio ˆs expectativas da chegada do sžc. XXI, preciosas vidas foram perdidas com o grande terremoto de Hanshin-Awaji. Durante o processo de sua reconstru o, a prov ncia recebeu apoio de todo o Jap o e do mundo, e muitas li es foram aprendidas, tais como, o qu o s o importantes a viv ncia com outras pessoas do mundo e a ajuda mœtua. Alguns dos problemas enfrentados pelos governos locais requer o esfor o coletivo de muitas regi es e necessidade de ultrapassar as barreiras de fronteiras existentes entre as na es. Assim, a prov ncia de Hyogo est promovendo uma rede de coopera o multilateral, alžm do tradicional interc mbio bilateral com as cidades e os estados com os quais mantžm la os de irmandade. Por outro lado, o Novo Centro na Regi o Leste da cidade de Kobe, projeto-s mbolo da recontru o p s-terremoto, tem se tornado local de concentra o de institui es internacionais que atuam em diversas reas, tais como, preven o de desastres, quest es ambientais, humanas, saœde e bem-estar social. AlŽm de utilizar da melhor forma poss vel estas institui es internacionais de pesquisa, a prov ncia de Hyogo tem promovido um contato mœtuo com institui es do exterior, e tem se esfor ado para participar e a cooperar com organiza es n o-governamentais e companhias, envolvidas com interc mbio e colabora o internacional. Tais medidas visam contribuir para a paz e estabilidade do mundo no sžc.xxi, com esfor os para resolver assuntos comuns ˆ toda humanidade Estado de Washington (EUA) Ano de Afiliação: 1963 Capital: Olympia Província de Hainan (China) Ano de Afiliação: 1990 Capital: Haikou Algumas Regiões das Cidades Irmãs Território de Khabarovsk (Rússia) Ano de Afiliação: 1969 Capital: Khabarovsk Estado de Paraná (Brasil) Ano de Afiliação: 1970 Capital: Curitiba Cidades Amigas Seine-et-Marne (França) Capital: Melun Aveyron (França) Capital: Rodez Estado Austrália Ocidental (Austrália) Ano de Afiliação: 1981 Capital: Perth Província de Guangdong (China) Ano de Afiliação: 1983 Capital: Guangzhou Indre-et-Loire (França) Capital: Tours República de Palau Ano de Afiliação: 1983 Capital: Koror Schleswig-Holstein (Alemanha) Capital: Kiel 3 Relação das cidades e suas afiliações JICA Centro Internacional de Hyogo Hyogo Internacional Plaza q Seattle, Washington, E.U.A. Kobe w Marseilles, França Kobe e Rio de Janeiro, Brasil Kobe r Tianjin, China Kobe t Riga, Latvia Kobe y Brisbane, Queensland, Australia Kobe u Barcelona, Espanha Kobe i Charleroi, Bélgica Himeji o Phoenix, Arizona, E.U.A. Himeji!0 Adelaide, South Australia, Australia Himeji!1 Curitiba, Paraná, Brasil Himeji!2 Taiyuan, Shanxi, China Himeji!3 Masan, Kyongsangnam, Coréia Himeji!4 Augsburg, Alemanha Amagasaki!5 Anshan, Jaoning, China Amagasaki!6 Vallejo, California, E.U.A. Akashi!7 Wuxi, Jiangsu, China Akashi!8 Spokane, Washington, E.U.A. Nishinomiya!9 Londrina, Paraná, Brasil Shaoxing, Zhejiang, China Prefeiture de Lot-et-garonne e cidade de Agen, França Hawaii County, Hawaii, E.U.A. Van Wert, Ohio, E.U.A. Kronstadt, Russia Montebell, California, E.U.A. Hasselt, Bélgica Foshan, Guangdong, China Alicante, Espanha Ruapehu District, Nova Zelândia Toyooka #0 Kyongju, Kyongsangbuk, Coréia Toyooka #1 Bogdo County, Bayankhongor, Mongólia Toyooka #2 Maringá, Paraná, Brasil Kakogawa #3 Waitakere, Nova Zelândia Kakogawa #4 Anniston, Alabama, E.U.A. Tatsuno #5 Rockingham, Western Australia, Australia Ako #6 Renton, Washington, E.U.A. Nishiwaki #7 Augusta, Georgia, E.U.A. Takarazuka #8 Vienna's 9th Ward, Austria Takarazuka #9 Visalia, California, E.U.A. Miki $0 Corowa, New South Wales, Australia Miki $1 Latrobe, Victoria, Australia Takasago $2 Bowling Green, Kentucky, E.U.A. Kawanishi $3 Lindsay, California, E.U.A. Ono $4 Blue Mountains, New South Wales, Australia Sanda $5 Kittitas County, Washington, E.U.A. Sanda $6 Pukcheju County, Cheju, Coréia Sanda $7 Pullman, Washington, E.U.A. Kasai $8 Walla Walla, Washingon, E.U.A. Sasayama $9 Epidaurus, Grécia Sasayama %0 Celina, Ohio, E.U.A. Minami Awaji %1 Newberg, Oregon, E.U.A. Asago %2 Perth, Ontario, Canadá Asago %3 Paranaguá, Paraná, Brasil Awaji %4 Saint Marys, Ohio, E.U.A. Awaji %5 Sequim, Washington, E.U.A. Shiso %6 Olympia, Washington, E.U.A. Kato %7 Hollister, California, E.U.A. Kato %8 Chelan, Washington, E.U.A. Kato %9 Ballarat, Victoria, Australia Inagawa ^0 Sanshui, Guangdong, China Taka ^1 He Ping, Tianjin, China Harima ^2 Lima, Ohio, E.U.A. Harima ^3 Port Townsend, Washington, E.U.A. Ichikawa Escritórios da Província de Hyogo no Mundo A Escritório em Washington B Centro de Intercâmbio Cultural da Austrália C Escritório em Paris D Escritório no Brasil 17 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 18

11 Política Administrativa da Província de Hyogo Assembléia províncial de Hyogo A província de Hyogo tem se esforçada para criar um belo Hyogo, onde as pessoas possam viver em comunidades ricas em beleza cultural e ambiental. Prédios da Prefeitura de Hyogo A Constitui o Japonesa possui um sistema que garante autonomia para os governos locais, baseado na concep o de que numa democracia Ž importante que a popula o tenha voz ativa na administra o local.este sistema de autogovernar est fundamentado em uma estrutura dupla de autoridade: autoridade municipal e a provincial.ambas autoridades possuem suas respectivas assemblžias e poderes executivos e autoridade para estabelecer regulamentos, administrar bens pœblicos e exercer trabalhos administrativos regionais.os membros das assemblžias e os l deres do poder executivo s o eleitos de forma direta pelos residentes locais, a cada 4 anos. Em todo Jap o, existem aproximadamente vilas e cidades menores que Projetos urbanos de melhoria de vida da população Com o prop sito de formar um ambiente de vida, com fortes la os na comunidade e rodeado por uma rica natureza, a prov ncia de Hyogo oferece orienta es sobre planejamentos regionais, coordena projetos que envolvam v rias cidades e decide sobre os planos urbanos de grande escala.a prov ncia Ž respons vel tambžm pela Infraestrutura do Transporte e da Vida Cotidiana A prov ncia de Hyogo est constantemente trabalhando para manter e melhorar sua rede de tr fego ažreo, mar timo e terrestre.para evitar desastres e proteger a vida e as propriedades de sua popula o, a prov ncia est avan ando em projetos que criem cidades protegidas contra desastres, com esfor os que incluem obras de conserva o Promoção de Bem-estar Social AtravŽs do estabelecimento das ÒOrdens Para a Cria o De Uma Sociedade Dedicada Ao Bem-Estar PœblicoÓ em 1992, a primeira desta natureza a serem estabelecidas no Jap o, a prov ncia de Hyogo est promovendo a forma o de uma sociedade, consciente no bem-estar social, em que prevale a a compaix o e a coexist ncia entre as pessoas. Um dos exemplos que levam em considera o tais ordens Ž a constru o de locais pœblicos e moradias coletivas, livres de barreiras para os deficientes. oferecem servi os administrativos ligados ao dia-a-dia de sua popula o. manuten o e administra o das moradias. de rios e constru o de barragens de Com os objetivos de construir uma sociedade de idosos Completo Sistema de Transporte Por outro lado, as 47 prov ncias do pa s englobam v rias cidades e s o respons veis pela formula o de projetos regionais em cada prov ncia, melhorando as reas da saœde e de bem-estar da popula o provincial, incluindo a rea de saœde.alžm de executar ordens administrativas vindas do governo nacional e coordernar os trabalhos realizados pelas cidades que est o sob sua jurisdi o. AlŽm disso, para responder ao aumento da import ncia dada pela popula o com rela o ˆs reas de recrea o e de esportes, a prov ncia de Hyogo tem se empenhado na manuten o, na administra o e no estabelecimento de parques sob sua guarda. prote o. que tenham bastante energia e bem ativos; alžm de formar comunidades em que as pessoas idosas, os deficientes e outros residentes possam viver com seguran a e conforto, a prov ncia de Hyogo tem desenvolvido projetos, tais como, a constru o e manuten o de casas de repouso para idosos e melhoria no sistema de atendimento mždico domiciliar. A prov ncia de Hyogo, est entre as 47 prov ncias japonesas, e possui aproximadamente funcion rios pœblicos, incluindo policiais e professores. A sua organiza o pol tica consiste em uma assemblžia (poder legislativo), o Governador e seu gabinete (poder executivo) e secretarias administrativas como a Secretaria da Educa o da Prov ncia. Serviços Médicos Hospitalares Para oferecer servi os mždicos de alta qualidade, a prov ncia de Hyogo subsidia a moderniza o de hospitais e promove a Proteção ao Meio Ambiente AtravŽs das revis es do estilo de vida de sua popula o e das atividades industriais, a prov ncia de Hyogo tem promovido a forma o de uma Promoção de Artes e Cultura Com a finalidade de oferecer atividades culturais e art sticas para a popula o, a prov ncia de Hyogo tem apoiado a arte e a constru o de novos centros mždicos em sua sociedade, onde as pessoas vivam em harmonia cultura, subsidiando organiza es jurisdi o, criando assim bases regionais. com a natureza.para aumentar a consci ncia de relacionadas ˆs mesmas, alžm de incentivar AlŽm disso, na prov ncia opera um Sistema sua popula o com rela o ao meio ambiente, a as atividades art sticas da Companhia de Mar Interno de Seto de Informa o MŽdica em casos de emerg ncia ou de desastre de grande escala. prov ncia tem realizada atividades, tais como: apoio ˆs campanhas de reciclagem, movimento Teatro Piccolo.E o Centro Cultural e Art stico da Prov ncia de Hyogo tem atuado Pelo sistema, Ž poss vel obter informa es para diminuir a liga o desnecess ria dos motores como base para promover interc mbios mždicas atravžs de liga es diretas e sobre o de autom veis e promo o de carros com baixa internacionais entre grupos art sticos, sistema de atendimento mždico emergencial emiss o de mon xido de carbono.em termos de apresenta es de artes c nicas de n vel nos feriados e durante o per odo noturno.e preserva o do meio ambiente a n vel mundial, a internacional e fomentar atividades culturais tambžm oferece cursos e orienta es para prov ncia fundou o Centro Internacional EMECS, na popula o. aumentar os conhecimentos sobre a saœde na uma organiza o internacional que promove o popula o. manejo ambiental dos mares costeiros fechados e Centro de pesquisa de cérebro dos idosos, fundado pela província de Hyogo regi es costeiras do mundo, alžm de apoiar suas atividades.outro projeto ambiental em andamento Ž sobre a prote o e procria o da ave ÒkounotoriÓ com o objetivo de devolv -lo ao seu habitat natural.esta ave est na lista das espžcies Kounotori: Ave preservado pelo governo japonês Aeroporto de Tajima Projetos para o melhoramento da cidade que correm perigo de extin o ou que necessitam de prote o. Projeto de Bem-Estar da População Centro Cultural e Artístico da Província de Hyogo Akashi Kōen (Parque de Akashi) Universidade da Província de Hyogo 19 Hyogo: a bela prov ncia Hyogo: a bela prov ncia 20

12 História da Província de Hyogo A província de Hyogo foi estabelecida em 1868, no mesmo ano da abertura do Porto de Kobe para o exterior. Nesta época, esta região estava dividida em Hyogo, Shikama, Toyooka e Myodo. Mas em 1876 estas 4 foram unificadas, dando origem a atual província de Hyogo. E desde então a província tem contribuído para a modernização do país, como uma importante área de contato do país com o exterior. Desenvolvimento Industrial A província de Hyogo oferece uma variedade de financiamentos a juros baixos para empresas de pequeno e médio porte para modernização de suas instalações e financiamento das suas atividades. Com relação a indústria regional, a província tem oferecido apoio nas mudanças dos empreendimentos para zonas industriais, no desenvolvimento de novos produtos e nos eventos de apresentação dos produtos novos. O comércio regional também tem sido apoiado através da manutenção e da construção de arcadas dos shoppings e das lojas. Além disso, a província subsidia e investe em empreendimentos novos, incentivando novos empresários a formar e desenvolver indústrias da próxima geração. Além dos esforços para atrair empresas japonesas e estrangeiras e promover o aumento de transações comerciais, a província de Hyogo tem realizado campanhas turísticas e incrementado atrações turísticas com o intuito de atrair mais visitantes, do país e do exterior, para esta. Feiras Internacionais Desenvolvimento da Agricultura, da Floresta e de Pesca Com o intuito de apoiar no desenvolvimento dos agricultures, estes que serão o futuro da indústria agrícola da região, a província de Hyogo tem oferecido subsídios e financiamentos para colocar modernas instalações e compra de novos implementos agrícolas. A província é também responsável pela manutenção da infra-estrutura, tal como, construção de sistemas de drenagem. Com relação a indústria de pesca, um número de medidas positivas tem sido tomadas, particularmente no campo da piscicultura, incluindo a colocação de rochas sob a água do mar para promover o aumento dos recursos marinhos. Na área florestal, a província tem se engajado na conservação das áreas verdes, prevenção de desastres florestais e assegurando a vida ambiental. Centro de Piscicultura Desenvolvimento Educacional A província de Hyogo é responsável pela manutenção e administração dos estabelecimentos educacionais, incluindo escolas, bibliotecas e museus. Também promove programas de educação por experiência, oferecendo aos estudantes oportunidades de aprendizagem sobre a natureza e sobre convívio social. Além de financiar e administrar a universidade e escolas de ensino médio da província, também realiza a distribuição de professores para as escolas públicas de ensino fundamental (primário e ginasial) e de ensino médio. A província também apoia e aprova concessões à escolas privadas, incluindo escolas internacionais e escolas técnicas. Aula Junto a Natureza Estabelecimento da província de Hyogo - Abertura do Porto de Kobe para o exterior - Construção da ferrovia que liga Kobe e Osaka - Unificação das 4 regiões Hyogo, Shikama, Toyooka e Myodo - Primeira Assembléia da província de Hyogo - Inauguração da Câmara de Reuniões da Assembléia - Divisão política da província em municípios (2 metrópoles, 26 cidades médias e 402 vilas. Atualmente a província é composta de 22 cidades grandes e médias e 66 menores) - Término da construção do primeiro prédio do governo da província (atual Casa Oficial) - Primeira eleição para Governador - Término da construção do novo prédio do governo da província (atual Prédio I) - Término da construção do Hall da Assembléia e segundo prédio do governo da província - Inauguração da linha de trem-bala Sanyo que faz a ligação de Shin-Osaka à província de Okayama - A população da província ultrapassa 5 milhões de pessoas - Abertura da passagem da rodovia Chugoku na província - Abertura da exibição de Port Island de Kobe, a Portpia 81 - Término da construção da Ponte Ohnaruto - Realização do Festival Kuniumi - Abertura da rodovia Maizuru - Realização do Festival de Hokusetsu-Tamba Holompia 88 - Realização dos Jogos do Pacífico Sul e Extremo Oriente para Deficientes em Kobe - Término da construção do terceiro prédio do governo da província (Prédio III) - Abertura do Aeroporto Tajima - Realização do Festival de Tajima - Ocorrência do grande terremoto Hanshin-Awaji - Início do funcionamento da Spring-8, maior equipamento de radiação sincrotônica - Abertura da rodovia Sanyo - Abertura da Ponte Suspensa de Akashi - Realização do evento de exibição internacional de flores e paisagismo Japan Flora Contagem Regressiva Japão 2001 e outros eventos para a comemoração do início do séc.xxi - Cerimônia que marca os 10 anos após o Terremoto de Hanshin-Awaji - Abertura do Aeroporto de Kobe - Realização da 61 Competição Nacional de Esportes Nojigiku Hyogo Kokutai - Inauguração do Museu de Arqueologia da Província de Hyogo - Realização do 25 Festival Nacional de Confeitaria em Hyogo (Himeji Kashihaku 2008) - Abertura da Campanha Turística Aitai Hyogo Destination Campaign Portpia 81 Inauguração da ponte Akashi Kaikyou Via Expressa de Hanshin destruída pelo terremoto Antiga sala para realização de assembléias Japan Flora 2000 Cerimônia que marca os 10 anos após o Terremoto de Hanshin-Awaji Aeroporto de Kobe 25 Festival Nacional de Confeitaria em Hyogo 21 Hyogo: a bela província Hyogo: a bela província 22

Capitulo1 Características da Província de Saitama

Capitulo1 Características da Província de Saitama Guia para a Vida na Província de Saitama Capitulo1 Características da Província de Saitama 第 1 章 埼 玉 県 の 姿 1 A Província e as suas Municipalidades 埼 玉 県 と 市 町 村 2 Dados de Saitama 埼 玉 のデータ 3 Símbolos de

Leia mais

JAPÃO: A SUPERPOTÊNCIA DO ORIENTE. GEOGRAFIA PROF. Silvana 8º ano

JAPÃO: A SUPERPOTÊNCIA DO ORIENTE. GEOGRAFIA PROF. Silvana 8º ano JAPÃO: A SUPERPOTÊNCIA DO ORIENTE GEOGRAFIA PROF. Silvana 8º ano LOCALIZAÇÃO DO JAPÃO O Japão é um país insular que se estende ao longo da costa leste da Ásia. As ilhas principais, de norte para sul, são:

Leia mais

R E L E V O RELEVO ASPECTOS FÍSICOS COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA 27/05/2014. 1 - montanhas 2 - planícies. 3 - planaltos. Setentrional Ocidental.

R E L E V O RELEVO ASPECTOS FÍSICOS COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA 27/05/2014. 1 - montanhas 2 - planícies. 3 - planaltos. Setentrional Ocidental. Alaska Havaí Canadá Estados Unidos Setentrional Ocidental COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA ASPECTOS FÍSICOS 1 - montanhas 2 - planícies 3 - planaltos 1 2 3 R E L E V O RELEVO 1 1) Bacia do Ártico: sofre limitação

Leia mais

Regiões do Japão A Fusão das Divisas Históricas e a Necessidade das Regiões Administrativas Modernas

Regiões do Japão A Fusão das Divisas Históricas e a Necessidade das Regiões Administrativas Modernas Regiões do Japão A Fusão das Divisas Históricas e a Necessidade das Regiões Administrativas Modernas O arquipélago japonês consiste de ilhas montanhosas que se estendem do norte ao sul por 2.800 km. Sua

Leia mais

Concretização de uma sociedade com convivência multicultural pacífica mediante uma ampla cooperação e coordenação

Concretização de uma sociedade com convivência multicultural pacífica mediante uma ampla cooperação e coordenação Província de Kanagawa Concretização de uma sociedade com convivência multicultural pacífica mediante uma ampla cooperação e coordenação Desenvolvimento de uma estratégia global aproveitando os pontos fortes

Leia mais

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Região Norte 1. Qual a diferença entre região Norte, Amazônia Legal e Amazônia Internacional? A região Norte é um conjunto de 7 estados e estes estados

Leia mais

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade)

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) IDEIA FORÇA Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) DETALHAMENTO: Mobilidade humana (trabalhador precisa respeito); Melhorar a qualidade e quantidade de transporte coletivo (Lei da oferta

Leia mais

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU Introdução Portugal está começando a emergir da crise financeira. Nos últimos anos, o governo reestabeleceu suas estruturas organizacionais e,

Leia mais

9º ano do Ensino Fundamental. Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia

9º ano do Ensino Fundamental. Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia 9º ano do Ensino Fundamental Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia 9º ano do Ensino Fundamental Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia Orientações para estudos de recuperação Data da AE

Leia mais

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 2

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 2 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado 2 GEOGRAFIA 01 No Paraná, a Mata de Araucária,

Leia mais

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 1

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 1 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GEOGRAFIA 01 O episódio sobre a exploração

Leia mais

Uma abordagem à visão de Portugal

Uma abordagem à visão de Portugal Uma abordagem à visão de Portugal Como é que os operadores turísticos podem contribuir para um novo posicionamento XXXVIII Congresso da APAVT: Potenciar Recursos, Romper Bloqueios, Ganhar Mercado painel

Leia mais

Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS.

Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS. Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS. Assim, foram selecionados profissionais experientes nessa área

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto Capítulo 21 Meio Ambiente Global Geografia - 1ª Série O Tratado de Kyoto Acordo na Cidade de Kyoto - Japão (Dezembro 1997): Redução global de emissões de 6 Gases do Efeito Estufa em 5,2% no período de

Leia mais

2. Porque queremos diminuir a Pegada Ecológica? 4. Em que consiste a sustentabilidade ambiental?

2. Porque queremos diminuir a Pegada Ecológica? 4. Em que consiste a sustentabilidade ambiental? 1. Quais são as dimensões do Desenvolvimento Sustentável? 2. Porque queremos diminuir a Pegada Ecológica? a) Económica b) Social c) Ambiental d) Todas as anteriores a) Melhorar a nossa qualidade de vida

Leia mais

Como chegar Gestão Curiosidades Estatísticas Festas Populares

Como chegar Gestão Curiosidades Estatísticas Festas Populares Como chegar Gestão Curiosidades Estatísticas Festas Populares Geografia História Tradição Util Pública Centro urbano Além da oferta municipal, com clima agradável, incontáveis rios, cachoeiras e vilas

Leia mais

Região Norte e Amazônia não são sinônimos

Região Norte e Amazônia não são sinônimos REGIÃO NORTE Região Norte e Amazônia não são sinônimos Não existe uma Amazônia, e, sim, várias. Amazônia Internacional: região natural coberta pela floresta Amazônica, que se estende por alguns países

Leia mais

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Iniciativas Globais Aliança do Setor Privado para a Redução do

Leia mais

ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL

ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL A: Tel:( ) Em caso de emergência somente: ( ) Fax: ( )...ou (...)... Correio eletrônico: Internet: http://www. De: Nome:

Leia mais

Espanhol como Segunda Língua ou Língua Estrangeira. Aprenda espanhol conosco. Apaixone-se pela Colômbia e por sua cultura.

Espanhol como Segunda Língua ou Língua Estrangeira. Aprenda espanhol conosco. Apaixone-se pela Colômbia e por sua cultura. Espanhol como Segunda Língua ou Língua Estrangeira Aprenda espanhol conosco. Apaixone-se pela Colômbia e por sua cultura. Aprenda espanhol em Bogotá, Colômbia, e experimente a emocionante cultura colombiana

Leia mais

Japão e Tigres Asiáticos. Prof.º Acácio Martins

Japão e Tigres Asiáticos. Prof.º Acácio Martins Japão e Tigres Asiáticos Prof.º Acácio Martins Aspectos gerais: natureza e sociedade Arquipélago montanhoso localizado no hemisfério norte, no extremo leste da Ásia; Área de 377.488 km² um pouco maior

Leia mais

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul.

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. CHIPRE Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. Ocupa uma posição estratégica no Mediterrâneo Oriental próxima das grandes

Leia mais

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA AS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE Os rios são cursos naturais de água doce. Eles podem se originar a partir do derretimento de neve e de geleiras, de um lago ou das águas das

Leia mais

Resíduos Sólidos Programa Lixo Alternativo Situação atual de Guaraqueçaba: Volume diário 4m³ (aproximadamente 1 tonelada/dia) Coleta: Diária em 980 unidades domésticas / 135 comerciais / 2 industriais

Leia mais

10º Dia CAMPOS DO JORDÃO CIRCUITO TURISTICO MANTIQUEIRA 19

10º Dia CAMPOS DO JORDÃO CIRCUITO TURISTICO MANTIQUEIRA 19 CAMPOS DO JORDÃO Distante 167 km de São Paulo, a cidade mais alta do Brasil começou a ser procurada no chamado ciclo da cura, que teve início no final do século XIX, quando o português Matheus da Costa

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável Capítulo II. O Desenvolvimento Sustentável e suas Dimensões Social e Econômica

Desenvolvimento Sustentável Capítulo II. O Desenvolvimento Sustentável e suas Dimensões Social e Econômica Desenvolvimento Sustentável Capítulo II O Desenvolvimento Sustentável e suas Dimensões Social e Econômica A Dimensão Social do Desenvolvimento Sustentável: O caso da Energia Eólica Segundo Sachs (1993),

Leia mais

A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS.

A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS. A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS. EM 1950, O NÚMERO CORRESPONDIA A APENAS UM TERÇO DA POPULAÇÃO TOTAL. CERCA DE 90% DO AVANÇO DA POPULAÇÃO URBANA

Leia mais

O Canadá é um país de contraste: uma extensa área (9.976.139 km 2 ) e um pequeno número de habitantes pouco mais de 30 milhões.

O Canadá é um país de contraste: uma extensa área (9.976.139 km 2 ) e um pequeno número de habitantes pouco mais de 30 milhões. Canadá O Canadá é um país de contraste: uma extensa área (9.976.139 km 2 ) e um pequeno número de habitantes pouco mais de 30 milhões. 1 A ocupação é dificultada principalmente no norte do país devido

Leia mais

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: LISTZ MADRUGA VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA:

Leia mais

A Economia da América Latina

A Economia da América Latina A Economia da América Latina adsense1 Agricultura A agricultura de subsistência era a principal atividade econômica dos povos originais da América Latina, Essa atividade era complementada pela caça, pela

Leia mais

Jardins urbanos suspensos

Jardins urbanos suspensos Jardins urbanos suspensos Retirado do site: Mercado Ético - 16/06/2011 12:22:58 Seu nome é Jardins de Cristal (Crystal Gardens), uma referência direta à interessante combinação de vidro e verde. Mas os

Leia mais

Unidade 6: O Leste e o Sudeste Asiático

Unidade 6: O Leste e o Sudeste Asiático Unidade 6: O Leste e o Sudeste Asiático Capítulo 1: Japão - Capítulo 2: China - Capítulo 4: Tigres Asiáticos Apresentação elaborada pelos alunos do 9º Ano C Monte Fuji - Japão Muralha da China Hong Kong

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro

Colégio Visconde de Porto Seguro Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I 2011 AULA 1 Ensino Fundamental e Ensino Médio Atividade de Recuperação Contínua Nome do (a) Aluno (a): Atividade de Recuperação Contínua de Ciências Nível I Classe:

Leia mais

Plano de Promoção de Convivência Multicultural de Aichi

Plano de Promoção de Convivência Multicultural de Aichi Plano de Promoção de Convivência Multicultural de Aichi 2013-2017 Viver, brilhar e criar juntos Período Ano fiscal 2013 a 2017 Contexto histórico da formulação do plano O Plano de Promoção de

Leia mais

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 8 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 8 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /08/2014 Bimestre: 2 Nome: 8 ANO B Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Prova / Atividade: 2,0 (DOIS) Nota: GRUPO 3 1- (1,0) A mundialização da produção industrial é caracterizada

Leia mais

Oceania. *Melanésia constituem ilhas localizadas mais próximas da Austrália onde predominam povos de pele escura, de grupos negróides.

Oceania. *Melanésia constituem ilhas localizadas mais próximas da Austrália onde predominam povos de pele escura, de grupos negróides. Oceania Vamos estudar nessa aula um continente formado por uma grande quantidade de ilhas: a Oceania. Esse continente possui uma área de 8.480.354 Km_ com uma população total de pouco mais de 30 milhões

Leia mais

CONRAD ALGARVE. DÊ-SE AO LUXO DE SER AUTÊNTICO.

CONRAD ALGARVE. DÊ-SE AO LUXO DE SER AUTÊNTICO. CONRAD ALGARVE. DÊ-SE AO LUXO DE SER AUTÊNTICO. Em breve vai existir um lugar onde poderá sentir-se único. Um lugar onde o luxo, o estilo e o prazer estão acima de tudo. Uma experiência memorável que vai

Leia mais

Visite a Rota da Amizade. e viva. grandes experiências

Visite a Rota da Amizade. e viva. grandes experiências Visite a Rota da Amizade e viva grandes experiências A região da Rota da Amizade tem um grande potencial turístico e pequenas cidades que encantam os visitantes. Com a criação deste roteiro, Santa Catarina

Leia mais

Disciplina: Instalações Elétricas Prediais

Disciplina: Instalações Elétricas Prediais Disciplina: Instalações Elétricas Prediais Parte 6 Sistema de Proteção contra Descarga Atmosférica (SPDA) Graduação em Eng. Elétrica 1 Conograma Definições básicas Mitos e Verdades Efeito dos raios nas

Leia mais

VI - ÏUJmRV /RFDLV RV yujmrv RX HQWLGDGHV PXQLFLSDLV UHVSRQViYHLV SHOR controle e fiscaliza o dessas atividades, nas suas respectivas jurisdi es;

VI - ÏUJmRV /RFDLV RV yujmrv RX HQWLGDGHV PXQLFLSDLV UHVSRQViYHLV SHOR controle e fiscaliza o dessas atividades, nas suas respectivas jurisdi es; /(,1'('(-8/+2'( $OWHUD D /HL Q GH GH DJRVWR GH TXH disp e sobre a Pol tica Nacional do Meio Ambiente, seus ILQV H PHFDQLVPRV GH IRUPXODomR H DSOLFDomR D /HL Q GHGHIHYHUHLURGHD/HLQGHGH julho de 1980, e

Leia mais

Sul da Flórida: Sua conexão Global de negócios

Sul da Flórida: Sua conexão Global de negócios Sul da Flórida: Sua conexão Global de negócios (Please note: The English to Portuguese translation feature on this document is from a free online service that translates text into different languages and

Leia mais

região madeira acaporama adrama madeira leste e porto santo madeira norte e oeste projetos leader 122

região madeira acaporama adrama madeira leste e porto santo madeira norte e oeste projetos leader 122 TERRITÓRIO região madeira madeira leste e porto santo acaporama 124 madeira norte e oeste adrama 126 projetos leader 122 minha terra 123 acaporama território madeira leste e porto santo www.acaporama.org

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2012

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2012 PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2012 PROFa. JULIANA NOME N o 8 o ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

Desafio mundial. Paralelamente a questões

Desafio mundial. Paralelamente a questões KPMG Business Magazine 31 Getty Images/Alexander Bryljaev Muitas tendências apontadas pelo estudo já são evidentes, e a lentidão na busca de soluções para mitigá-las trará sérias consequências para a população

Leia mais

Questões ambientais do Brasil

Questões ambientais do Brasil Questões ambientais do Brasil Ao longo da história do Brasil, o desmatamento esteve presente em todos os ciclos econômicos responsáveis pela construção do país, o que reduziu bastante a biodiversidade

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

LOCALIZAÇÃO GEOGRAFICA PRIVILEGIADA

LOCALIZAÇÃO GEOGRAFICA PRIVILEGIADA TURISMO DE CRUZEIRO CABO VERDE E O TURISMO DE CRUZEIRO POTENCIAL INTERNO LOCALIZAÇÃO GEOGRAFICA PRIVILEGIADA 4 A Diversidade das Ilhas. ILHA DE S.VICENTE ATRATIVOS Monumentos Forte tradição cultural Musica

Leia mais

A China (termo que significa o Império do Meio ou o Centro do Mundo ), uma das mais antigas civilizações do planeta, conheceu, ao longo de sua

A China (termo que significa o Império do Meio ou o Centro do Mundo ), uma das mais antigas civilizações do planeta, conheceu, ao longo de sua A China (termo que significa o Império do Meio ou o Centro do Mundo ), uma das mais antigas civilizações do planeta, conheceu, ao longo de sua história, um duplo e antagônico processo: por vezes, o país

Leia mais

Japão, Tigres asiáticos e China

Japão, Tigres asiáticos e China Japão, Tigres asiáticos e China Revisão Geral Prof. Josevaldo Aspectos socioeconômicos do Japão e dos Tigres Asiáticos Japão A partir do final da Segunda Guerra Mundial Transformou-se em exemplo de crescimento

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS Eliminação de Barreiras à livre Prestação de Serviços Confederação do Comércio e Serviços de Portugal Esquema 1. PORTUGAL- UMA ESPECIALIZAÇÃO COM

Leia mais

Em 2014, os dez principais mercados da RAEM foram como segue: Países e regiões Número de Percentagem (%)

Em 2014, os dez principais mercados da RAEM foram como segue: Países e regiões Número de Percentagem (%) Turismo A indústria do turismo é o pilar mais importante da economia de Macau. Para concretizar o objectivo de longo prazo da construção de Macau como Centro Mundial de Turismo e Lazer, a Direcção dos

Leia mais

MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA?

MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA? MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA? A UNIÃO DOS ELEMENTOS NATURAIS https://www.youtube.com/watch?v=hhrd22fwezs&list=plc294ebed8a38c9f4&index=5 Os seres humanos chamam de natureza: O Solo que é o conjunto

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

Desvende os bairros da cidade de São Paulo que não estão nos tradicionais guias de turismo e que só os nossos guias especialistas conhecem.

Desvende os bairros da cidade de São Paulo que não estão nos tradicionais guias de turismo e que só os nossos guias especialistas conhecem. TOUR DE ARTE URBANA EM SÃO PAULO 1 Passageiro(s) R$490,00 2 Passageiro(s) R$560,00 3 Passageiro(s) R$630,00 4 Passageiro(s) R$700,00 5 12 Passageiro(s) R$1.300,00 A arte urbana e o grafite são fenômenos

Leia mais

Prof. Janderson Barros

Prof. Janderson Barros TEMA 1 Prof. Janderson Barros Aspectos Gerais da Oceania. Definição de Oceania Continente insular composto por um conjunto de ilhas; Conhecida como Novíssimo Mundo devido sua descoberta nas décadas finais

Leia mais

DIÁRIO Ano 1 n 01 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul. DIÁRIO Ano 1 n 259 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul SUPLEMENTO ESPECIAL

DIÁRIO Ano 1 n 01 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul. DIÁRIO Ano 1 n 259 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul SUPLEMENTO ESPECIAL SEXTA-FEIRA, 01/04/2011 DIÁRIO Ano 1 n 01 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul www.aquies.com.br»» @folhadocaparao»» facebook.com/grupofolhadocaparao QUARTA-FEIRA, 15/02/2012 DIÁRIO Ano 1 n 259 Cachoeiro

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INTELIGENTE

DESENVOLVIMENTO INTELIGENTE DESENVOLVIMENTO INTELIGENTE DOZE PRINCÍPIOS PARA MAXIMIZAR O ESTOQUE DE CARBONO E A PROTEÇÃO AMBIENTAL NAS FLORESTAS DA AMAZÔNIA Baseados nos estudos do Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO ARQUIPÉLAGO DE FERNANDO DE NORONHA - PERNAMBUCO

DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO ARQUIPÉLAGO DE FERNANDO DE NORONHA - PERNAMBUCO DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO ARQUIPÉLAGO DE FERNANDO DE NORONHA - PERNAMBUCO Maria do Carmo Sobral (1) Engenheira Civil (UFPE). Especialização em Planejamento Urbano e Regional (Univ. de Dortmund,

Leia mais

9º ANO 4º BIMESTRE -TU 902 AULA 4

9º ANO 4º BIMESTRE -TU 902 AULA 4 UD II GEOGRAFIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA E DO CANADÁ 4. O Espaço Econômico nos EUA - Referências: Geografia em Mapas (pgs. 26 a 27). Geoatlas 9º ANO 4º BIMESTRE -TU 902 AULA 4 Operações militares

Leia mais

Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar

Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar A U A U L L A Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar o lugar em que vivemos na superfície da Terra. Vamos verificar que os lugares são agrupados em grandes conjuntos chamados de continentes,

Leia mais

CHINA e TIGRES ASIÁTICOS

CHINA e TIGRES ASIÁTICOS CHINA e TIGRES ASIÁTICOS Os Tigres Asiáticos Hong kong Os Novos Tigres Asiáticos FAZEM PARTE DOS TIGRES ASIÁTICOS 1º GERAÇÃO ( DÉCADA DE 1970) CINGAPURA, CORÉIA DO SUL, HONG KONG, MALÁSIA E FORMOSA (TAIWAN)

Leia mais

Condomínio Sinhá Ana. Jul - 2011

Condomínio Sinhá Ana. Jul - 2011 Condomínio Sinhá Ana Jul - 2011 NOME DO EMPREENDIMENTO Sinhá Ana CONDOMÍNIO DESCRIÇÃO DO EMPREENDIMENTO Quer ter bem-estar? More no que é seu! O Condomínio Horizontal Sinhá Ana foi conceitualmente projetado

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Detecção Precisa de Relâmpagos, Perto e Longe

Detecção Precisa de Relâmpagos, Perto e Longe Detecção Precisa de Relâmpagos, Perto e Longe / A Rede de Detecção de Relâmpagos Total GLD360 da Vaisala detecta atividades meteorológicas no mundo inteiro A rede em que você pode confiar! A Rede de Detecção

Leia mais

TIGRES ASIÁTICOS e CHINA

TIGRES ASIÁTICOS e CHINA TIGRES ASIÁTICOS e CHINA China Muito importante economicamente para o Brasil e para o mundo. Em muitos produtos vimos escrito: Made In China. O que os produtos chineses podem acarretar à produção dos mesmos

Leia mais

O Cemitério de Indústrias e a História que virou Turismo: Histórias de uma Capital Sertaneja em uma região de incentivos fiscais.

O Cemitério de Indústrias e a História que virou Turismo: Histórias de uma Capital Sertaneja em uma região de incentivos fiscais. Ensaio Fotográfico O Cemitério de Indústrias e a História que virou Turismo: Histórias de uma Capital Sertaneja em uma região de incentivos fiscais. Felipe Fróes Couto, Lorena Fonseca Silva 1 Resumo Ensaio

Leia mais

CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA ACERCA DO PATRIMÓNIO CULTURAL.

CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA ACERCA DO PATRIMÓNIO CULTURAL. CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 309 CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA ACERCA DO PATRIMÓNIO CULTURAL. Artigo 9.º (Tarefas fundamentais do Estado) São tarefas fundamentais do Estado:. a) Garantir a independência

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL WWF Brasil Maio/ 2003 OBJETIVOS: Levantar informações para subsidiar o planejamento e a avaliação da comunicação da WWF Brasil. Gerar conhecimentos relevantes

Leia mais

CIRCULAR N¼ 3.086, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2002

CIRCULAR N¼ 3.086, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2002 CIRCULAR N¼ 3.086, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2002 Estabelece critžrios para registro e avalia o cont bil de t tulos e valores mobili rios e de instrumentos financeiros derivativos pelos fundos de investimento

Leia mais

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A.

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Será que nós podemos viver melhor nas cidades? Com mais tempo para nossas famílias; com menos stress, com menos doenças e mais saúde; com mais produtividade;

Leia mais

A Amazônia. 9 países da América do Sul: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela;

A Amazônia. 9 países da América do Sul: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela; A Amazônia 9 países da América do Sul: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela; 60% da área da floresta amazônica está em terras brasileiras; 3 regiões:

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007. Mensagens chave

PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007. Mensagens chave PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007 (Documento da OMS traduzido e adaptado pela Coordenação de Doenças e Agravos Não Transmissíveis/Departamento de Análise

Leia mais

Questão 25. Questão 26 Questão 27. alternativa D. alternativa A

Questão 25. Questão 26 Questão 27. alternativa D. alternativa A Questão 25 De modo geral, os espaços geográficos cujo clima é influenciado pela maritimidade apresentam a) menor amplitude térmica anual. b) chuvas escassas e mal distribuídas durante o ano. c) maior amplitude

Leia mais

Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo

Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo O Mercado Municipal de São Paulo é uma construção histórica localizada na região central da capital. Obra projetada pelo arquiteto Franscisco de Paula Ramos de

Leia mais

Uma Viagem inesquecível pela História da Ferrovia

Uma Viagem inesquecível pela História da Ferrovia Uma Viagem inesquecível pela História da Ferrovia Poucos destinos no Brasil têm o valor histórico dos passeios pelos trilhos da Serra Verde Express. No trecho da Mata Atlântica mais preservada do País,

Leia mais

PROPOSTAS PARA DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS

PROPOSTAS PARA DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS POLÍTICAS PÚBLICAS: SANEAMENTO OBRAS PARTICIPAÇÃO POPULAR EDUCAÇÃO SAÚDE O que são políticas públicas? Políticas públicas podem ser entendidas como ações desenvolvidas pelo Estado, tendo em vista atender

Leia mais

João Pessoa Tão grandiosa, tão rica, tão diversa, que é até difícil descrever uma capital de tantos sinônimos. Uma cidade que transmite sossego ao atravessar longos caminhos de verdes abundantes, inspira

Leia mais

PORTIFOLIO DE PASSEIOS

PORTIFOLIO DE PASSEIOS GOIÂNIA GO Embora com uma história recente, oferece uma diversidade de atrativos que encantam seus moradores e visitantes. Cidade aberta, ecumênica, bela, multicultural, de gente bonita e empreendedora,

Leia mais

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1 Como a África pode adaptar-se às mudanças climáticas? Os Clubes de Agricultores de HPP alcançam dezenas de milhares ensinando sobre práticas agrícolas sustentáveis e rentáveis e de como se adaptar a uma

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na fgv

CPV O cursinho que mais aprova na fgv CPV O cursinho que mais aprova na fgv FGV economia 1 a Fase 05/dezembro/2010 GEOGRAFIA 61. O mundo necessita de novas fontes de energia, entre as quais o aproveitamento do lixo. Observe o mapa. 62. Analise

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem

O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem escolheu o Solar Tambaú. Localizado à beira-mar de

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

PLANO FUNDAMENTAL DA CIDADE DE YOKOHAMA (VISÃO ao LONGO PRAZO)

PLANO FUNDAMENTAL DA CIDADE DE YOKOHAMA (VISÃO ao LONGO PRAZO) PLANO FUNDAMENTAL DA CIDADE DE YOKOHAMA (VISÃO ao LONGO PRAZO) Introdução Desde a abertura do porto de Yokohama em 1859 (o ano 6 da era Ansei), a cidade de Yokohama tem prosperado como a janela principal

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor da prova: 2.0 Nota: Data: / /2015 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 9º 3º bimestre Trabalho de Recuperação de Geografia Orientações: - Leia atentamente

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

Material didático de uso exclusivo dos alunos do CEDUSP/ULBRA Ji-Paraná/ RO

Material didático de uso exclusivo dos alunos do CEDUSP/ULBRA Ji-Paraná/ RO 1 A principal característica da arte japonesa é uma mistura de harmonia e serenidade. Os japoneses sofreram grande influência da arte coreana e chinesa, mas souberam dar o seu toque pessoal e gracioso.

Leia mais

Informativo Caema. Informativo Semanal da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão ANO I - N 19 - São Luís, 08 de outubro de 2015

Informativo Caema. Informativo Semanal da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão ANO I - N 19 - São Luís, 08 de outubro de 2015 Informativo Caema Informativo Semanal da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão ANO I - N 19 - São Luís, 08 de outubro de 2015 Caema monta maquete de estação de tratamento de água e apresenta ações

Leia mais

A Cidade Bela cidade colonial,considerada Patrimônio Histórico Nacional, preserva até hoje os seus inúmeros encantos naturais e arquitetônico..

A Cidade Bela cidade colonial,considerada Patrimônio Histórico Nacional, preserva até hoje os seus inúmeros encantos naturais e arquitetônico.. A Cidade Bela cidade colonial,considerada Patrimônio Histórico Nacional, preserva até hoje os seus inúmeros encantos naturais e arquitetônico.. Passear pelo Centro Histórico de Paraty é entrar em outra

Leia mais

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense Biomas Brasileiros 1. Bioma Floresta Amazônica 2. Bioma Caatinga 3. Bioma Cerrado 4. Bioma Mata Atlântica 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense 6. Bioma Pampas BIOMAS BRASILEIROS BIOMA FLORESTA AMAZÔNICA

Leia mais

Grupo OPDE recebe a visita de uma delegação do Governo e empresários da Tailândia

Grupo OPDE recebe a visita de uma delegação do Governo e empresários da Tailândia Grupo OPDE recebe a visita de uma delegação do Governo e empresários da Tailândia Um grupo de 25 representantes governamentais e da indústria energética da Tailândia visitaram a instalação solar fotovoltaica

Leia mais

Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Usina Hidrelétrica de Belo Monte Usina Hidrelétrica de Belo Monte PA Ao dar continuidade ao maior programa de infraestrutura do Brasil desde a redemocratização, o Governo Federal assumiu o compromisso de implantar um novo modelo de desenvolvimento

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA ATENÇÃO: Este trabalho deverá ser realizado em casa, trazendo as dúvidas para serem sanadas durante as aulas de plantão. Aluno (a): 5º ano Turma: Professora:

Leia mais

Tanguá (Rio de Janeiro), Brazil

Tanguá (Rio de Janeiro), Brazil Tanguá (Rio de Janeiro), Brazil Relatório do progresso local sobre a implementação do Quadro de Ação de Hyogo (2013-2014) Prefeito: VALBER LUIZ MARCELO DE CARVALHO Nome do ponto focal: Alexander Anthony

Leia mais