Estudo do Mercado do Leite Público: Canais. Sebrae/DF UAM Dezembro 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo do Mercado do Leite Público: Canais. Sebrae/DF UAM Dezembro 2009"

Transcrição

1 Estudo do Mercado do Leite Público: Canais Sebrae/DF UAM Dezembro 2009

2 INTRODUÇÃO 2

3 A atuação dos diversos setores da economia será bem sucedida uma vez que se tenha informações suficientes acerca do ambiente mercadológico em que se está inserido. No mundo atual, o conhecimento passa a ser o motor que impulsiona o mercado e cria diferencial competitivo para aqueles que reconhecem sua importância e valorizam a sua aplicação. INTRODUÇÃO O setor de lacticínios está inserido nesse cenário competitivo. A atuação estratégica, com o suporte e a orientação do SEBRAE/DF é fundamental para que as decisões estratégicas sejam tomadas de forma assertiva, atendendo aos anseios do mercado e trazendo benefícios para produtores, varejistas e consumidores. 3

4 OBJETIVOS Avaliar hábitos de consumo de produtos suínos. Avaliar a percepção dos consumidores acerca da produção e fornecimento de carne suína no Distrito Federal. Identificar o perfil dos consumidores do Distrito Federal. 4

5 Para atender os objetivos propostos pelo estudo, foi realizada uma pesquisa quantitativa no período de 18 a 29 de novembro de Os questionários foram aplicados de forma pessoal, com abordagem direta, com proprietários ou responsáveis pelas compras em supermercados e panificadoras localizados nas cidades de Brasília, Taguatinga, Ceilândia, São Sebastião, Brazlândia, Sobradinho e Gama. METODOLOGIA Foi utilizada amostragem não-probabilística intencional, por busca sistemática. A amostra foi composta por 172 casos. Utilizou-se questionário estruturado não-disfarçado com o intuito de avaliar questões de consumo, imagem e perfil. 5

6 PÚBLICO-ALVO 6

7 AMOSTRA 7

8 Resultados 8

9 MÉDIA GERAL 10 ou + cks 5 a 9 cks 1 a 4 cks Panificadora PERFIL DO ESTABELECIMENTO Quantidade de Funcionários (média) A média geral de funcionários ficou em 35 colaboradores por estabelecimento pesquisado, sendo 166 que os mercados de 10 ou mais checkouts a média subiu para 166 e de 1 a 4 cks foi de 6. Interessante notar que a média das panificadoras foi mais alta que os mercados de 1 a 4 cks. Os dois pontos de venda atendem ao consumidor, MÉDIA entretanto, as padarias ainda GERAL necessitam de colaboradores na produção Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Funcionários

10 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Quantidade de Funcionários (média) & RA 10 ou + cks a 9 cks a 4 cks Panificadora Taguatinga Sobradinho São Sebastião Plano Piloto Gama Ceilândia Brazlândia 10

11 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Quantidade de Funcionários (média) & RA No geral, o Plano Piloto foi a Região Administrativa que apresentou as maiores médias (funcionário por estabelecimento), ou seja, as empresas pesquisadas nesta região empregam mais colaboradores comparativamente às outras regiões participantes do estudo. RA Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Brazlândia Ceilândia Gama Plano Piloto São Sebastião Sobradinho Taguatinga

12 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Tempo de Atuação A média geral do tempo de atuação dos estabelecimentos pesquisados foi de pouco mais de 12 anos, sendo que os mercados de 5 a 9 checkouts a média foi cerca de 22 anos e de panificadoras foi de quase 9 anos. Qtde de Cks Média Panificadora 8 anos e 10 meses 1 a 4 ck outs 10 anos e 1 mês 5 a 9 ck outs 22 anos e 4 meses 10 ou + ck outs 18 anos e 11 meses Média Geral 12 anos e 1 mês 12

13 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Origem (UF) 10 ou + cks 66,7% 16,7% 16,7% 5 a 9 cks 88,5% 11,5% 1 a 4 cks 100,0% Panificadora 98,5% 1,5% 0% 20% 40% 60% 80% 100% DF MS MG Outros 13

14 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Origem (UF) filiais locais. A maioria das empresas pesquisadas possui origem no Distrito Federal. Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram os principais estados com RA Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks DF 98,5% 100,0% 88,5% 66,7% MS ,7% MG ,5% - Outros 1,5% ,7% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 14

15 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Filiais 10 ou + cks 91,7% 8,3% 5 a 9 cks 63,0% 37,0% 1 a 4 cks 12,3% 87,7% Panificadora 16,9% 83,1% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Possui filiais Não possui filiais 15

16 PERFIL DO ESTABELECIMENTO Filiais A maioria das panificadoras e mercados de 1 a 4 cks não possuem filiais, diferentemente dos estabelecimentos acima de 5 checkouts. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Possui filiais 17% 12% 63% 92% Não possui filiais 83% 88% 37% 8% TOTAL 100% 100% 100% 100% 16

17 FORNECEDORES Formas de Pagamento 10 ou + cks 83,3% 16,7% 5 a 9 cks 96,3% 3,7% 1 a 4 cks 68,4% 24,6% 15,8% Panificadora 20,0% 78,5% 7,7% Boleto Bancário Dinheiro Cheque (á vista ou pré-datado) não sabe Questão com resposta múltipla 17

18 FORNECEDORES Formas de Pagamento Dinheiro ainda é uma forma de pagamento utilizada pelos pequenos estabelecimentos, como panificadoras, enquanto o boleto bancário é a forma predominante nos mercados. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Boleto Bancário 20,0% 68,4% 96,3% 83,3% Dinheiro 78,5% 24,6% 3,7% - Cheque (à vista ou pré-datado) 7,7% 15,8% - - não sabe ,7% TOTAL 107,7% 108,8% 100,0% 100,0% Questão com resposta múltipla 18

19 FORNECEDORES Tipo de Fornecedor 10 ou + cks 54,2% 37,5% 16,7% 5 a 9 cks 88,9% 18,5% 7,4% 1 a 4 cks 86,0% 10,5% 10,5% 7,0% Panificadora 89,2% 4,6% 10,8% 1,5% Questão com resposta múltipla Distribuidores Produtores Processadores Atacadista 19

20 FORNECEDORES Tipo de Fornecedor Os fornecedores de lacticínios para a maioria das empresas respondentes são distribuidores. Entretanto, foi possível observar que quanto maior o estabelecimento, maior a variedade de fornecedores deste insumo. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Distribuidores 89,2% 86,0% 88,9% 54,2% Produtores 10,8% 10,5% 18,5% 37,5% Processadores 4,6% 10,5% 7,4% 16,7% Atacadista 1,5% 7,0% TOTAL 106,2% 114,0% 114,8% 108,3% Questão com resposta múltipla 20

21 FORNECEDORES Localização do Fornecedor 10 ou + ck outs 20,8% 79,2% 5 a 9 ck outs 33,3% 66,7% 1 a 4 ck outs 63,2% 36,8% Panificadora 86,2% 13,8% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Não tenho fornecedores fora do DF Tenho fornecedores fora do DF 21

22 FORNECEDORES Localização do Fornecedor Da mesma forma, quanto maior o estabelecimento, maior a influência de fornecedores de fora do Distrito Federal. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + ck Não tenho fornecedores fora do DF 86,2% 63,2% 33,3% 20,8% Tenho fornecedores fora do DF 13,8% 36,8% 66,7% 79,2% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 22

23 FORNECEDORES Localização do Fornecedor 10 ou + cks 84,2% 63,2% 15,8% 10,5% 5 a 9 cks 76,5% 52,9% 23,5% 17,6% 1 a 4 cks 66,7% 42,9% 4,8% Panificadora 44,4% 66,7% Questão com resposta múltipla Goiás Minas Gerais São Paulo Outros 23

24 FORNECEDORES Localização do Fornecedor Os principais estados fornecedores de lacticínios são Goiás e Minas Gerais. O estado de Goiás foi o mais citado entre os mercados, enquanto Minas Gerais entre as panificadoras. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Goiás 44,4% 66,7% 76,5% 84,2% Minas Gerais 66,7% 42,9% 52,9% 63,2% São Paulo - 4,8% 23,5% 15,8% Outros ,6% 10,5% TOTAL 111,1% 114,3% 170,5% 173,7% Questão com resposta múltipla 24

25 FORNECEDORES (Fora do DF) Consumo Médio (%) Daqueles que afirmaram possuir fornecedores de outros estados, quase 57% do leite consumido pelos estabelecimentos são provenientes de fornecedores de fora do DF, enquanto nas panificadores esta média chega a pouco mais de 68% Qtde de Cks MÉDIA Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks GERAL Média 68,1% 54,8% 41,4% 62,0% 56,6% 25

26 FORNECEDORES (Fora do DF) Consumo Médio (%) Geral 10 ou + ck outs 56,6% 62,0% 5 a 9 ck outs 41,4% 1 a 4 ck outs 54,8% Panificadora 68,1% 0,0% 20,0% 40,0% 60,0% 80,0% 26

27 FORNECEDORES (Fora do DF) Pontos Negativos X Positivos 27

28 FORNECEDORES (Fora do DF) Vantagem Competitiva 10 ou + ck outs 52,9% 17,6% 11,8% 11,8% 41,2% 5,6% 5 a 9 ck outs 38,9% 11,1% 27,8% 44,4% 1 a 4 ck outs 40,9% 13,6% 22,7% 34,4% Panificadora 20,0% 30,0% 20,0% 40,0% preço qualidade do produto nenhum capacidade de produção Outros Questão com resposta múltipla Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 28

29 FORNECEDORES (Fora do DF) Vantagem Competitiva O preço e a qualidade do produto foram os diferenciais dos fornecedores de fora do DF mais citados pelos entrevistados comparando-os aos fornecedores locais. Os mercados com mais de 5 cks também relataram sobre a capacidade de produção. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks preço 20,0% 40,9% 38,9% 52,9% qualidade do produto 30,0% 13,6% 11,1% 17,6% nenhum 20,0% 22,7% 5,6% 11,8% capacidade de produção ,8% 11,8% Outros 40,0% 34,4% 44,4% 41,2% TOTAL 110,0% 111,7% 127,7% 135,3% Questão com resposta múltipla Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 29

30 FORNECEDORES (Fora do DF) Pontos Negativos 10 ou + ck outs 29,4% 41,2% 11,8% 17,6% 5 a 9 ck outs 27,8% 38,9% 5,6% 38,9% 1 a 4 ck outs 40,9% 22,7% 18,2% 22,7% Panificadora 67,0% 35,0% Questão com resposta múltipla Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada nenhum demora na entrega a diferença do ICMS Outros 30

31 FORNECEDORES (Fora do DF) Pontos Negativos Para as panificadoras que possuem fornecedores de fora do DF não há pontos negativos nestes fornecedores, enquanto os mercados relataram a demora na entrega e a diferença do ICMS. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks nenhum 67,0% 40,9% 27,8% 29,4% demora na entrega 22,7% 38,9% 41,2% diferença do ICMS 18,2% 5,6% 11,8% Outros 35,0% 22,7% 38,9% 17,6% TOTAL 102,0% 104,5% 111,1% 100,0% Questão com resposta múltipla Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 31

32 FORNECEDORES (DF) Melhorias Necessárias 4,3% 10 ou + ck outs 26,1% 13,0% 17,4% 8,7% 30,4% 3,7% 3,7% 5 a 9 ck outs 37,0% 14,8% 11,1% 29,6% 3,8% 1 a 4 ck outs 57,7% 13,5% 5,8% 15,4% 3,2% Panificadora 30,2% 27,0% 7,9% 27,0% 0% 20% 40% 60% 80% 100% preço nada aumentar a demanda do mercado capacidade de produção do DF menos impostos prazo de pagamento maior divulgação do produto pontualidade na entrega Outros 32 Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada

33 FORNECEDORES (DF) Melhorias Necessárias Preço é o ponto fundamental, segundo os estabelecimentos entrevistados, que deve ser melhorado para que se compre mais dos fornecedores/produtores do DF. Aumentar a capacidade de produção do DF foi um ponto destacado pelos mercados acima de 5 cks. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks preço 30,2% 57,7% 37,0% 26,1% nada 27,0% 13,5% 14,8% 13,0% aumentar a demanda do mercado 7,9% 1,9% 3,7% capacidade de produção do DF 11,1% 17,4% menos impostos 1,6% 1,9% 3,7% 8,7% prazo de pagamento 1,6% 5,8% 4,3% maior divulgação do produto 1,6% 3,8% pontualidade na entrega 3,2% Outros 27,0% 15,4% 29,6% 30,4% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 33

34 FORNECEDORES (DF) Problemas enfrentados 10 ou + ck outs 91,7% 8,3% 5 a 9 ck outs 88,9% 11,1% 1 a 4 ck outs 87,7% 12,3% Panificadora 87,7% 12,3% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Não tive problema Já tive problema 34

35 FORNECEDORES (DF) Problemas enfrentados A maioria dos estabelecimentos respondentes afirmou que não tiveram algum tipo de problema relacionado ao leite do DF. Qtde de Cks Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Não tive problema 87,7% 87,7% 88,9% 91,7% Já tive problema 12,3% 12,3% 11,1% 8,3% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 35

36 FORNECEDORES (DF) Problemas enfrentados 36

37 LOGÍSTICA Dias ideais para entrega 10 ou + cks 45,8% 12,5% 12,5% 29,2% 5 a 9 cks 51,9% 14,8% 11,1% 22,2% 1 a 4 cks 42,1% 3,5% 21,1% 33,3% Panificadora 27,7% 40,0% 7,7% 24,6% 0% 20% 40% 60% 80% 100% segunda e terça-feira diariamente quarta e quinta-feira Outros Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 37

38 LOGÍSTICA Dias ideais para entrega Segunda e terça-feira são os dias ideais de entrega para os mercados, enquanto para as panificadoras o desejado é a entrega diária. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks segunda e terça-feira 27,7% 42,1% 51,9% 45,8% diariamente 40,0% 3,5% 14,8% 12,5% quarta e quinta-feira 7,7% 21,1% 11,1% 12,5% Outros 24,6% 33,3% 22,2% 29,2% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 38

39 LOGÍSTICA Horário ideal para entrega 10 ou + cks 91,3% 8,7% 5 a 9 cks 70,4% 7,4% 11,1% 11,1% 1 a 4 cks 58,9% 10,7% 8,9% 21,4% Panificadora 80,0% 4,6% 6,2% 9,2% 0% 20% 40% 60% 80% 100% até às 11:00 entre 11:00 e 15:00 entre 15:00 e 18:00 Outros Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 39

40 LOGÍSTICA Horário ideal para entrega Houve um con-senso quanto ao melhor horário para a entrega de leite e derivados. Independentemente do tipo de estabelecimento o turno da manhã, até às 11:00 horas, foi considerado o ideal. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks até às 11:00 80,0% 58,9% 70,4% 91,3% entre 11:00 e 15:00 6,2% 10,7% 7,4% - entre 15:00 e 18:00 4,6% 8,9% 11,1% - Outros 9,2% 21,4% 11,1% 8,7% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 40

41 10 ou + ck outs 5 a 9 ck outs 37,5% LOGÍSTICA Melhorias necessárias 50,0% 16,7% 3,8% 12,5% 7,7% 7,7% 4,2% 4,2% 3,8% 25,0% 26,9% 1 a 4 ck outs 57,9% 8,8% 10,5% 17,5% 5,3% 3,1% 4,7% Panificadora 78,1% 4,7% 6,3% 3,1% 0% 20% 40% 60% 80% 100% sem reclamações/sugestões cumprir o horário marcado mais ágil/rápida profissionalizar os entregadores fazer a entrega na parte da manhã caminhões refrigerados Outros Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 41

42 LOGÍSTICA Melhorias necessárias Quanto menor o estabelecimento, maior a satisfação com a forma de entrega de leite e seus derivados; Cumprir o horário marcado e/ou entregar no turno da manhã é um pedido de todos os estabelecimentos pesquisados; Profissionalizar os entregadores é uma solicitação dos mercados abaixo de 9 cks e panificadoras; Para os mercados é necessário que a entrega seja rápida e mais ágil; Foi requerido também o uso de caminhões refrigerados na entrega. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks sem reclamações/sugestões 78,1% 57,9% 50,0% 37,5% cumprir o horário marcado 3,1% 8,8% - 16,7% mais ágil/rápida - 5,3% 3,8% 12,5% profissionalizar os entregadores 3,1% 10,5% 7,7% - fazer a entrega na parte da manhã 4,7% - 7,7% 4,2% caminhões refrigerados 4,7% - 3,8% 4,2% Outros 6,3% 17,5% 26,9% 25,0% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Outros: categorias pulverizadas, com menos de 10% cada 42

43 COMERCIALIZAÇÃO Frequência de Compra 10 ou + cks 25,0% 25,0% 16,7% 33,3% 3,7% 5 a 9 cks 37,0% 14,8% 22,2% 7,4% 14,8% 1 a 4 cks 35,1% 8,8% 3,5% 35,1% 5,3% 12,3% Panificadora 1,5% 1,5% 13,8% 10,8% 70,8% 1,5% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Uma vez por semana Duas vezes por semana Três vezes por semana A cada quinze dias Diariamente Outro 43

44 COMERCIALIZAÇÃO Frequência de Compra Enquanto as panificadoras têm o hábito de comprar lacticínios diariamente, foi possível observar que os mercados apresentam grande variedade na frequência de compra. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Uma vez por semana 13,8% 35,1% 37,0% 25,0% Duas vezes por semana 1,5% 8,8% 14,8% 25,0% Três vezes por semana 10,8% 3,5% 3,7% 16,7% A cada quinze dias 1,5% 35,1% 22,2% - Diariamente 70,8% 5,3% 7,4% 33,3% Outro 1,5% 12,3% 14,8% - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 44

45 COMERCIALIZAÇÃO Compra & Venda (em litros) por semana 10 ou + cks a 9 cks a 4 cks Panificadora Venda Compra 45

46 COMERCIALIZAÇÃO Compra & Venda (em litros) por semana A diferença entre a quantidade de litros de leite comprado por semana e vendido, devese a produção existente na maioria dos estabelecimentos pesquisados e também a denominada perda. Interessante notar, que as médias (consumo e venda) das panificadoras é consideravelmente maior que os mercados de 1 a 4 cks. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Compra Venda

47 COMERCIALIZAÇÃO Fatores Influenciadores 8,3% 10 ou + cks 87,5% 45,8% 33,3% 20,8% 8,3% 29,2% 11,1% 5 a 9 cks 77,8% 48,1% 37,0% 33,3% 11,1% 29,6% 14,0% 1 a 4 cks 75,4% 47,4% 29,8% 26,3% 19,3% 33,3% Panificadora 56,9% 61,5% 24,6% 23,1% 13,8% 15,4% 24,6% Questão com resposta múltipla Preço Qualidade Demanda dos clientes Marca Condição de Entrega Embalagem Outros 47

48 COMERCIALIZAÇÃO Fatores Influenciadores Não houve diferenciação nos fatores influenciadores no momento de compra de leite entre os tipos de estabelecimentos Importante destacar: preço, qualidade do produto e condição de entrega. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Preço 56,9% 75,4% 77,8% 87,5% Qualidade 61,5% 47,4% 48,1% 45,8% Demanda dos clientes 24,6% 29,8% 37,0% 33,3% Marca 23,1% 26,3% 33,3% 20,8% Condição de Entrega 13,8% 19,3% 11,1% 8,3% Embalagem 15,4% 14,0% 11,1% 8,3% Outros 24,6% 33,3% 29,6% 29,2% Total 220,0% 245,6% 248,1% 233,4% Questão com resposta múltipla 48

49 COMERCIALIZAÇÃO Maior venda - Tipo de leite 10 ou + cks 87,5% 8,3% 4,2% 5 a 9 cks 85,2% 11,1% 3,7% 5,4% 1 a 4 cks 76,8% 10,7% 7,1% Panificadora 30,8% 56,9% 9,2% 3,1% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Longa Vida Tipo C Tipo A Outros 49

50 COMERCIALIZAÇÃO Maior venda - Tipo de leite Nos mercados pesquisados o leite longa vida é o tipo de leite mais vendido, por outro lado, nas panificadoras é o leite tipo C que possui maior demanda. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Longa Vida 30,8% 76,8% 85,2% 87,5% Tipo C 56,9% 5,4% 11,1% 8,3% Tipo A 9,2% 10,7% - 4,2% Outros 3,1% 7,1% 3,7% - TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 50

51 COMERCIALIZAÇÃO Tipos de Embalagens Comercializadas 10 ou + cks 100,0% 79,2% 66,7% 20,8% 5 a 9 cks 100,0% 51,9% 81,5% 3,7% 1 a 4 cks 98,2% 24,6% 70,2% 1,8% Panificadora 96,9% 92,3% 41,5% 1,5% Questão com resposta múltipla Caixa Tetra-Pak Saquinho Lata - em pó Garrafa - plástico 51

52 COMERCIALIZAÇÃO Tipos de Embalagens Comercializadas As embalagens mais comercializadas nos estabelecimentos entrevistados são a caixa tetra pak, em saco plástico e em lata. Sendo que: Panificadoras: caixa tetra pak e saco plástico; 5 a 9 cks: caixa tetra pak e lata; 10 ou mais cks: caixa tetra pak, saco e lata. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Caixa Tetra-Pak 96,9% 98,2% 100,0% 100,0% Saquinho 92,3% 24,6% 51,9% 79,2% Lata - em pó 41,5% 70,2% 81,5% 66,7% Garrafa - plástico 1,5% 1,8% 3,7% 20,8% TOTAL 232,3% 194,7% 237,0% 266,7% Questão com resposta múltipla 52

53 10 ou + cks COMERCIALIZAÇÃO Tipo de Embalagem Ideal 91,7% 4,2% 4,2% 5 a 9 cks 96,3% 3,7% 1 a 4 cks 94,7% 3,5% 1,8% Panificadora 81,5% 18,5% 0% 20% 40% 60% 80% 100% Caixa Tetra-Pak Saquinho Lata - em pó Garrafa - plástico 53

54 COMERCIALIZAÇÃO Tipo de Embalagem Ideal A caixa tetra pak é o tipo de embalagem ideal para a grande maioria dos estabelecimentos participantes da pesquisa.. Qtde de Cks: Panificadora 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 ou + cks Caixa Tetra-Pak 81,5% 94,7% 96,3% 91,7% Saquinho 18,5% 4,2% Lata - em pó - 3,5% 3,7% 4,2% Garrafa - plástico - 1,8% TOTAL 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 54

55 Considerações Finais 55

56 COMPOSTO DE MARKETING Falta qualidade Falta variedade Falta quantidade Proximidade com o cliente Não utilizar estratégia de preço e sim agregar valor ao produto Falta de entrega e pontualidade Maior cuidado com a entrega Não há divulgação dos produtores e produtos locais 56

57 ANÁLISE - SWOT 57

58 ANÁLISE - SWOT Mix de produtos Não atende a demanda do DF Proximidade do mercado consumidor Falta divulgação Logística Embalagem 58

59 LOGÍSTICA 59

60 Realização: SRTVS Qd. 701 cj. 03 Torre 03 Cobertura Ed. Palácio do Rádio I Brasília-DF Filiada: Tel Lucyara Ribeiro Carlos André Machado Diretor 60

61 Demandante Unidade de Atendimento Coletivo de Agro Negócios UAGRO Gerente: Adilson Ferreira dos Santos Gestor de Projeto: Carlos Souza Parcerias : APROLEITE - Processadores e Produtores de Leite do DF - Câmara Setorial do Leite e Derivados.

62 UAM/DF Gerente: Lucimar Santos Gestor do Projeto Foco no Mercado James Hilton Reeberg Consultoras Foco no Mercado: Ana Paula Capparelli e Andrea Antinoro 62

Estudo do Mercado Suíno Público: Canais. Sebrae/DF - UAM

Estudo do Mercado Suíno Público: Canais. Sebrae/DF - UAM Estudo do Mercado Suíno Público: Canais Sebrae/DF - UAM Sumário Introdução... 03 Objetivos... 04 Metodologia... 05 Análise Perfil... 08 Análise Avaliação do Consumo... 17 Análise Avaliação da Imagem...

Leia mais

Planejamento Estratégico de Uma Pequena Empresa do Ramo de Panificação

Planejamento Estratégico de Uma Pequena Empresa do Ramo de Panificação Planejamento Estratégico de Uma Pequena Empresa do Ramo de Panificação Bruno da Costa Feitosa bcfeitosa@gmail.com Resumo Este documento apresenta o planejamento estratégico de uma pequena empresa do ramo

Leia mais

Estudo do Mercado Suíno Público Consumidor. Sebrae/DF UAM Dezembro 2009

Estudo do Mercado Suíno Público Consumidor. Sebrae/DF UAM Dezembro 2009 Estudo do Mercado Suíno Público Consumidor Sebrae/DF UAM Dezembro 2009 Sumário Introdução... 03 Objetivos... 04 Metodologia... 05 Análise Perfil... 08 Análise Avaliação do Consumo... 22 Análise Avaliação

Leia mais

Conheça a. rede de franquia em faturamento

Conheça a. rede de franquia em faturamento Conheça a 1 rede de franquia em faturamento 2 Sumário O setor supermercadista e o mercado de franquia 5 A Rede DIA no mundo 7 DIA no Brasil 9 Marca própria fidelizando clientes 10 Líder em marca própria

Leia mais

Definição Pequeno Varejo:

Definição Pequeno Varejo: Monitoramento Pequeno Varejo Junho/2009 METODOLOGIA Monitoramento do Pequeno Varejo: Questionários autopreenchíveis Aplicados pelos associados ABAD em clientes varejistas Período de Março Junho 2009 Definição

Leia mais

POR DENTRO DO PROGRAMA RAMA

POR DENTRO DO PROGRAMA RAMA 2016 POR DENTRO DO PROG O QUE É O PROG? O Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos, o, é um programa de rastreamento e monitoramento de frutas, legumes e verduras idealizado pela ABRAS

Leia mais

Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias. Sebrae/DF - UAM

Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias. Sebrae/DF - UAM Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias Sebrae/DF - UAM Sumário Introdução... 03 Objetivos... 04 Metodologia... 05 Análise Perfil... 08 Análise Avaliação da Imagem...16 Análise Avaliação do Consumo...

Leia mais

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil Uriel Antonio Superti Rotta urielrotta@pensa.org.br O SAG do leite no Brasil O sistema agroindustrial do leite reúne importantes segmentos da

Leia mais

RANKING ABAD NIELSEN 2014 BASE 2013

RANKING ABAD NIELSEN 2014 BASE 2013 RANKING ABAD NIELSEN 2014 BASE 2013 Março, 2014 AGENDA O RANKING 2014 EM NÚMEROS ANÁLISE DO SETOR RESULTADOS DO ESTUDO ANÁLISE DE EXPECTATIVAS DO SETOR INVESTIMENTOS RANKING ABAD NIELSEN 2013 2 O RANKING

Leia mais

Análise do Comércio Varejista Materiais de Construção 2 Sem/2016

Análise do Comércio Varejista Materiais de Construção 2 Sem/2016 Análise do Comércio Varejista Materiais de Construção 2 Sem/2016 O Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção, Tintas, Ferragens e Maquinismos - Sindimaco, em parceria com a área de Estudos

Leia mais

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista A Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista de Belo Horizonte, realizada pela área de do Sistema Fecomércio MG mostra o desempenho dos negócios do comércio varejista no mês anterior e identifica a percepção

Leia mais

Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel

Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel Apresentação Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel NOSSA AGENDA Objetivo / Critérios / Metodologia MONITORAMENTO PEQUENO VAREJO Perfil das lojas Características de compras Relacionamento varejo

Leia mais

GESTOR UAM: James Hilton Reeberg. Pesquisa de Dados Secundários PROJETO Mármores e Granitos DF

GESTOR UAM: James Hilton Reeberg. Pesquisa de Dados Secundários PROJETO Mármores e Granitos DF GESTOR UAM: James Hilton Reeberg Pesquisa de Dados Secundários PROJETO Mármores e Granitos DF 1 PROJETO MÁRMORES E GRANITOS DF PLANEJAMENTO Brasília DF SEBRAE 2010 2 DIRETORIA EXECUTIVA DO SEBRAE/DF José

Leia mais

Apresentação Clio Do Brasil.

Apresentação Clio Do Brasil. Apresentação Clio Do Brasil. Nossa história: A Clio do Brasil, nasceu através da necessidade de um gestor da área de compras que atuou em empresas líderes no segmento em que atuava, através de buscas de

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte A saúde do fluxo de caixa em julho piorou para 60,2% dos empresários. No que se refere aos estoques 60,4% conseguiram fechar o mês no ponto ideal. Já os números de pedidos, 49,1% dos empresários mantiveram

Leia mais

Análise do Comércio Varejista - Maio Área de Estudos Econômicos

Análise do Comércio Varejista - Maio Área de Estudos Econômicos Análise do Comércio Varejista - Maio 2017 Área de Estudos Econômicos Análise do Comércio Varejista Conhecer o desenvolvimento do comércio e as suas expectativas é importante para auxiliar o planejamento

Leia mais

Intenção de Compras para o período de volta às aulas 2015

Intenção de Compras para o período de volta às aulas 2015 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Intenção de Compras para o período de volta às aulas 2015 O perfil do consumidor e resultado de intenção

Leia mais

GESTOR UAM: James Hilton Reeberg PROJETO COMÉRCIO VAREJISTA DE DROGARIAS E FARMÁCIAS

GESTOR UAM: James Hilton Reeberg PROJETO COMÉRCIO VAREJISTA DE DROGARIAS E FARMÁCIAS GESTOR UAM: James Hilton Reeberg PROJETO COMÉRCIO VAREJISTA DE DROGARIAS E FARMÁCIAS 1 PROJETO COMÉRCIO VAREJISTA DROGARIAS E FARMÁCIAS PLANEJAMENTO Brasília DF SEBRAE 2010 2 DIRETORIA EXECUTIVA DO SEBRAE/DF

Leia mais

Análise do Comércio Varejista Setembro

Análise do Comércio Varejista Setembro A Análise do Comércio Varejista é uma avaliação bimestral que visa mostrar o desempenho do comércio no mês de agosto/2016 e identifica a percepção dos empresários para o mês de setembro/2016. Agosto apresentou

Leia mais

Intenção de Compras para o período de volta às aulas 2017

Intenção de Compras para o período de volta às aulas 2017 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Intenção de Compras para o período de volta às aulas 2017 O perfil do consumidor e resultado de intenção de compras para o período de volta às

Leia mais

Varejo de Material de Construção

Varejo de Material de Construção Seminário GVcev Varejo de Material de Construção Construção de Marca no Varejo de Material de Construção Prof a. D ra. Cristina Proença Objeto de Estudo M A R C A F A B R I C A N T E Fabricante Estratégia

Leia mais

PESQUISA COM EMPRESÁRIOS

PESQUISA COM EMPRESÁRIOS PESQUISA COM EMPRESÁRIOS OBJETIVO DA PESQUISA AVALIAR A EXPECTATIVA DE VENDAS DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA DE BELO HORIZONTE PARA O NATAL DE 2015 INFORMAÇÕES METODOLÓGICAS Coleta de dados de 26/10

Leia mais

Ambiente de Marketing

Ambiente de Marketing Ambiente de Marketing Mercado: Mercado deve ser definido com base na existência de uma necessidade; Se não há necessidade, não há mercado; Condições básicas para que exista um mercado: Que o consumidor

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços de etanol

Leia mais

Análise do Comércio Varejista - Janeiro Área de Estudos Econômicos

Análise do Comércio Varejista - Janeiro Área de Estudos Econômicos Análise do Comércio Varejista - Janeiro 2017 Área de Estudos Econômicos Análise do Comércio Varejista Conhecer o desenvolvimento do comércio e as suas expectativas é importante para auxiliar o planejamento

Leia mais

PESQUISA IMPACTO DO RACIONAMENTO DE ÁGUA NO SETOR INDUSTRIAL DO DISTRITO FEDERAL

PESQUISA IMPACTO DO RACIONAMENTO DE ÁGUA NO SETOR INDUSTRIAL DO DISTRITO FEDERAL PESQUISA IMPACTO DO RACIONAMENTO DE ÁGUA NO SETOR INDUSTRIAL DO DISTRITO FEDERAL Brasília, março de 2017 OBJETIVO Diante do aumento do risco de desabastecimento de água, neste primeiro semestre de 2017,

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

4796 2006 Accenture - All rights reserved. Accenture, its logo, and Accenture High Performance Delivered are trademarks of Accenture.

4796 2006 Accenture - All rights reserved. Accenture, its logo, and Accenture High Performance Delivered are trademarks of Accenture. 4796 2006 Accenture - All rights reserved. Accenture, its logo, and Accenture High Performance Delivered are trademarks of Accenture. Extra Perto Modelo de Proximidade do Grupo Pão de Açúcar Wagner Donegatti

Leia mais

Resumo Expandido INTRODUÇÃO:

Resumo Expandido INTRODUÇÃO: Resumo Expandido Título da Pesquisa: Caracterização do mercado de sementes de hortaliças na região de Bambuí - MG Palavras-chave: Hortaliças, Comercialização, Insumos. Campus: Bambuí Tipo de Bolsa: PIBIC

Leia mais

MODELAGENS. Modelagem Estratégica

MODELAGENS. Modelagem Estratégica Material adicional: MODELAGENS livro Modelagem de Negócio... Modelagem Estratégica A modelagem estratégica destina-se à compreensão do cenário empresarial desde o entendimento da razão de ser da organização

Leia mais

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA AMBIENTE ECONÔMICO

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA AMBIENTE ECONÔMICO PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA AMBIENTE ECONÔMICO OBJETIVO: Outubro/2010 Esta pesquisa tem como objetivo avaliar o efeito do atual ambiente econômico sobre o desempenho das s industriais paulistas.

Leia mais

PESSOA JURÍDICA - CADASTRO COMPLETO CONTEÚDOS

PESSOA JURÍDICA - CADASTRO COMPLETO CONTEÚDOS PESSOA JURÍDICA - CADASTRO COMPLETO Pessoa Jurídica: Chave= CNPJ SINAL DE ALERTA QUE VEM NAS CONSULTAS DO VALIDEINFO WEB: Mais importante: O VALIDEINFO WEB ao trazer o sinal de Alerta (acima), auxilia

Leia mais

Relatório de Resultado de Vendas de Dia das Crianças 2014

Relatório de Resultado de Vendas de Dia das Crianças 2014 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Relatório de Resultado de Vendas de Dia das Crianças 2014 O perfil do

Leia mais

2. Aquisição de Leite

2. Aquisição de Leite 2. Aquisição de Leite No 2º trimestre de 2017, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal) foi de 5,64 bilhões

Leia mais

Palestra Motivacional. Como vender mais no natal

Palestra Motivacional. Como vender mais no natal Palestra Motivacional. Como vender mais no natal Vender é algo incrível. Você ganha dinheiro por satisfazer os desejos (ou solucionar um problema) do seu cliente. Quando paramos para refletir sobre vendas

Leia mais

RB Distribuidora Distribuição Total

RB Distribuidora Distribuição Total RB Distribuidora Distribuição Total Breve Histórico Fundação Teresina-PI Abertura filial em Fortaleza Transferência da sede para Fortaleza Fim da atividade Atacadista e foco na distribuição especializada

Leia mais

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias 1 Quem somos 2 Porque ABCCorp? 3 Referencias Trabalhamos como você! Experiência não somente acadêmica, sobre o teu segmento; Entendemos suas expectativas Valorizamos e garantimos o teu investimento com

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL)

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) EVOLUÇÃO DA ORGANIZAÇÃO ONTEM (MERCADO FECHADO E PROTEGIDO): CUSTOS + LUCRO = PREÇO DE VENDA A PROTEÇÃO AMBIENTAL é vista como um fator de

Leia mais

2. Aquisição de Leite

2. Aquisição de Leite 2. Aquisição de Leite No 1º trimestre de 2017, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal) foi de 5,87 bilhões

Leia mais

3ª Pesquisa Nacional de Varejo Online

3ª Pesquisa Nacional de Varejo Online 3ª Pesquisa Nacional de Varejo Online pesquisa quantitativa junho - 2016 índice a empresa e-commerce operação logística mercado metodologia gestão loja física tendências Sebrae mortalidade metodologia

Leia mais

MERCADO APARENTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE POLÍTICA PÚBLICA APLICADA AO SETOR

MERCADO APARENTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE POLÍTICA PÚBLICA APLICADA AO SETOR MERCADO APARENTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE POLÍTICA PÚBLICA APLICADA AO SETOR COMERCIO ATACADISTA - DISTRIBUIÇÃO & DESTINAÇÃO DO LUBRIFICANTE USADO OU CONTAMINADO 1 OBJETIVOS DA POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONAL

Leia mais

Redes de Valor e de Cooperação : evoluindo com a Inteligência Empresarial série 1

Redes de Valor e de Cooperação : evoluindo com a Inteligência Empresarial série 1 Redes de Valor e de Cooperação : evoluindo com a Inteligência Empresarial série 1 Daniela Ramos Teixeira As regras do jogo empresarial têm mudado, consideravelmente, nos últimos anos, sendo que a hipercompetição

Leia mais

PESQUISA DE PREÇOS EM CESTAS DE NATAL NA CIDADE DE FRANCA

PESQUISA DE PREÇOS EM CESTAS DE NATAL NA CIDADE DE FRANCA PESQUISA DE PREÇOS EM CESTAS DE NATAL NA CIDADE DE FRANCA O Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES - do Centro Universitário de Franca Uni-FACEF realiza, mensalmente, a Pesquisa de Cesta Básica

Leia mais

Marketing Básico Capítulo IV. Os Canais de Distribuição dos Produtos

Marketing Básico Capítulo IV. Os Canais de Distribuição dos Produtos Marketing Básico Capítulo IV Os Canais de Distribuição dos Produtos Canais de Distribuição X Movimentação Física dos Produtos Qualidade e prazo não são atributos suficientes para garantir a venda de um

Leia mais

RAD 2215 MAPEAMENTO DE PROCESSOS: UMA VISÃO GERAL. Profa. Silvia Inês Dallavalle de Pádua

RAD 2215 MAPEAMENTO DE PROCESSOS: UMA VISÃO GERAL. Profa. Silvia Inês Dallavalle de Pádua RAD 2215 MAPEAMENTO DE PROCESSOS: UMA VISÃO GERAL Profa. Silvia Inês Dallavalle de Pádua dallavalle@fearp.usp.br 2 Mapeamento de Processos Caminho para a gestão por processos (PAIM et al 2009) 3 PROCESSO

Leia mais

GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 02: Cadeias de Valor

GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 02: Cadeias de Valor GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 02: Cadeias de Valor Objetivos O aluno deverá ser capaz de: Entender a visão cíclica de uma Cadeia de Suprimentos. Conhecer os ciclos de processos de uma Cadeia

Leia mais

EXPEDIENTE INSTITUTO FECOMÉRCIO/DF

EXPEDIENTE INSTITUTO FECOMÉRCIO/DF SUMÁRIO Expediente... 3 1. Identificação da Pesquisa... 4 2. Apresentação... 4 3. Perfil do Consumidor... 6 3.1 Faixa Etária... 6 3.2 Faixa de Renda... 7 3.3 Escolaridade... 8 3.4 Local de moradia... 9

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional da Indústria Cerâmica ANICER Santa Luzia, 651, 12º andar Centro - Rio de Janeiro / RJ Tel/Fax: (21) 2524-0128 Site: www.anicer.com.br E-mail:

Leia mais

Banco do Brasil Revisão Véspera

Banco do Brasil Revisão Véspera Banco do Brasil Revisão Véspera Estratégias Genéricas de Marketing Marketing de resposta: Ocorre quando se identifica uma necessidade e prepara-se uma solução para atender a essa necessidade. Marketing

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO DO COMÉRCIO VAREJISTA: INOVAÇÃO

PESQUISA DE OPINIÃO DO COMÉRCIO VAREJISTA: INOVAÇÃO PESQUISA DE OPINIÃO DO COMÉRCIO VAREJISTA: INOVAÇÃO Inovação Em um ambiente altamente competitivo como o setor do comércio, o diferencial de um estabelecimento pode garantir aos negócios sobrevivência

Leia mais

Plano de Negócios fevereiro-2003

Plano de Negócios fevereiro-2003 Plano de Negócios fevereiro-2003 Goiabadas Maria Amália Ltda. Este documento pertence à Goiabadas Maria Amália Ltda. e as informações nele contidas são de caráter confidencial, não estando autorizada sua

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

Foram Pulverizados 40 Mil Cajueiros em Memba. Preço de Açucar Amarelo é Mais Alto no Mercado da Cidade de Nampula e Vila Sede de Ribáuè

Foram Pulverizados 40 Mil Cajueiros em Memba. Preço de Açucar Amarelo é Mais Alto no Mercado da Cidade de Nampula e Vila Sede de Ribáuè %ROHWLP6HPDQDOGR6LVWHPDGH,QIRUPDomRGH0HUFDGRV $JUtFRODVGD3URYtQFLDGH1DPSXOD 3XEOLFDomRGD'LUHFomR3URYLQFLDOGH$JULFXOWXUDH 'HVHQYROYLPHQWR5XUDO 7HOHI)D[HPDLOdpadrn @ teledata.mz Edição No. 119 Nampula, 27

Leia mais

Resultado de Vendas Páscoa 2017

Resultado de Vendas Páscoa 2017 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Resultado de Vendas Páscoa 2017 O perfil do empresário e o resultado de vendas para o período da Páscoa em Santa Catarina Núcleo de Pesquisas

Leia mais

Palavras-chave: Abate de animais. Serviço de Inspeção Municipal. SIM. Município.

Palavras-chave: Abate de animais. Serviço de Inspeção Municipal. SIM. Município. O Crescimento dos Abates Inspecionados pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) Osni Morinishi Rocha RESUMO Considerando a importância da produção pecuária com destaque para aves, bovinos e suínos para

Leia mais

Resultado de Vendas de Dia dos Namorados 2017

Resultado de Vendas de Dia dos Namorados 2017 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Resultado de Vendas de Dia dos Namorados 2017 O perfil do empresário e resultado de vendas para o período do Dia dos Namorados em Santa

Leia mais

Sustentabilidade Walmart Brasil. Felipe Zacari Antunes Gerente de Sustentabilidade

Sustentabilidade Walmart Brasil. Felipe Zacari Antunes Gerente de Sustentabilidade Sustentabilidade Walmart Brasil Felipe Zacari Antunes Gerente de Sustentabilidade Walmart no Mundo Presente em 15 países Mais de 8.700 lojas* Mais de 2 milhões de funcionários Faturamento global em 2009:

Leia mais

Gestão de Produção Aula 4: Localização das Instalações. Prof. Valdir Tavares de Lucena

Gestão de Produção Aula 4: Localização das Instalações. Prof. Valdir Tavares de Lucena Gestão de Produção Aula 4: Localização das Instalações Prof. Valdir Tavares de Lucena O que faz uma empresa estar localizada em determinado endereço? Trata-se de uma decisão estratégico com fortíssimo

Leia mais

Anais do 1º Simpósio Internacional de Arborização de Pastagens em Regiões Subtropicais

Anais do 1º Simpósio Internacional de Arborização de Pastagens em Regiões Subtropicais 111 Demanda por lenha no Paraná: oportunidade para o sistema agrossilvipastoril Ives Clayton Gomes dos Reis Goulart 1, Gilson Martins 2, Emiliano Santarosa 3, Rogério Morcelles Dereti 4, Joel Penteado

Leia mais

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS EMENTA O presente estudo tem por finalidade abordar o comportamento recente das pequenas empresas na

Leia mais

GV em Novos olhares por Prof. Adm. Luciano Nicoletti Jr admfreework

GV em Novos olhares por Prof. Adm. Luciano Nicoletti Jr admfreework GV em Novos olhares por Prof. Adm. Luciano Nicoletti Jr admfreework 2 Luciano Nicoletti Jr Administrador de Empresas CRA SP 123340 MBA Gestão Administrativa e Marketing Pós Graduado em Logística Empresarial

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública: Nível de Satisfação da FEJUNAV

Pesquisa de Opinião Pública: Nível de Satisfação da FEJUNAV Pesquisa de Opinião Pública: Nível de Satisfação da FEJUNAV Naviraí, Junho de 2017 1. Introdução A satisfação dos clientes possui um papel fundamental nos estágios iniciais do relacionamento. Se as experiências

Leia mais

SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO

SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO DRAWBACK 1. CONCEITO Drawback é o regime especial que consiste na importação com suspensão, isenção ou restituição dos tributos, de insumos destinados a integrar produtos

Leia mais

Relatório de Resultado de Vendas de Dia dos Pais 2017

Relatório de Resultado de Vendas de Dia dos Pais 2017 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Relatório de Resultado de Vendas de Dia dos Pais 2017 O perfil do empresário e resultado de vendas para o período do Dia dos Pais em

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS

CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS 1 Rede Observatório de Recursos Humanos em Saúde/MS Organização Pan-Americana de Saúde CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS NOS SERVIÇOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SAÚDE BUCAL NO BRASIL Belo Horizonte Junho

Leia mais

Unidade IV GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS. Prof. Fernando Leonel

Unidade IV GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS. Prof. Fernando Leonel Unidade IV GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Processo de inventário físico 2. Gestão de compras / contratos de fornecimento 3. Comprar ou fabricar?

Leia mais

Expectativa de Vendas 1 Sem/2016

Expectativa de Vendas 1 Sem/2016 Observar e entender como foram às vendas no segundo semestre do ano são fundamentais para auxiliar no planejamento o próximo semestre, que contempla uma das mais importantes datas comemorativas para o

Leia mais

Apresentação. Bruno Maestrello Graduado em Sistemas de Informação MBA Gestão da Tecnologia da Informação Gerente Comercial

Apresentação. Bruno Maestrello Graduado em Sistemas de Informação MBA Gestão da Tecnologia da Informação Gerente Comercial Apresentação A Tecnospeed 10 Anos de Mercado Foco em Documentos Fiscais Eletrônicos Mais de 1000 Clientes Desenvolvedores de Software Participante do Projeto Piloto NFCe Bruno Maestrello Graduado em Sistemas

Leia mais

Análise do Comércio Varejista - Materiais de Construção 1 Sem/2017

Análise do Comércio Varejista - Materiais de Construção 1 Sem/2017 Análise do Comércio Varejista - Materiais de Construção 1 Sem/2017 Análise do Comércio Varejista - Sindimaco 2016 A área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG (Federação do Comércio de Bens, Serviços

Leia mais

Gestão de estoques para múltiplos canais de venda

Gestão de estoques para múltiplos canais de venda Gestão de estoques para múltiplos canais de venda Por que diversificar os canais de vendas? Loja Online; Marketplace; Loja Física; Televendas. O que é marketplace? Marketplace é uma plataforma de e-commerce

Leia mais

Estudo de Caso Itambé

Estudo de Caso Itambé Estudo de Caso Itambé Autores Marcos Sawaya Jank - Doutor em Administração pela FEA/USP, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz e pesquisador do PENSA Valter Bertini Galan - Engenheiro

Leia mais

Palavras-chave: Canais de distribuição, mandioca e derivados, Rondônia

Palavras-chave: Canais de distribuição, mandioca e derivados, Rondônia Características do Setor de Distribuição de Mandioca e Derivados em Rondônia: Um Estudo Exploratório Calixto Rosa Neto José Orestes Merola Alaerto Marcolan Angelo Mansur Mendes Zenildo Ferreira Holanda

Leia mais

Expectativa de Vendas 2 Sem/2016

Expectativa de Vendas 2 Sem/2016 Observar e entender como foram as vendas no início do ano são fundamentais para auxiliar no planejamento para o 2 semestre, que terá três datas comemorativas importantes, o Dia dos Pais, o Dia das Crianças

Leia mais

Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Experiências de Implantação e Operacionalização de Ouvidorias

Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Experiências de Implantação e Operacionalização de Ouvidorias Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Experiências de Implantação e Operacionalização de Ouvidorias Ouvidoria - Seguros Unimed Histórico de Implantação da Ouvidoria Seguros

Leia mais

ÍNDICE DE VELOCIDADE DE VENDAS IVV DF IMÓVEIS NOVOS

ÍNDICE DE VELOCIDADE DE VENDAS IVV DF IMÓVEIS NOVOS ÍNDICE DE VELOCIDADE DE VENDAS IVV DF IMÓVEIS NOVOS Junho de 2017 Realização: Apoio: INTRODUÇÃO O Indicador de Velocidade de Vendas (IVV) do mercado imobiliário do Distrito Federal é produzido mensalmente

Leia mais

O que é considerado pequeno negócio no Brasil? De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei 123/2006)

O que é considerado pequeno negócio no Brasil? De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei 123/2006) O que é considerado pequeno negócio no Brasil? De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei 123/2006) REALIZAÇÕES SEBRAE BAHIA - 2015 Onde essas empresas estão Os Pequenos Negócios representam

Leia mais

Resultado de Vendas de Dia das Mães 2016

Resultado de Vendas de Dia das Mães 2016 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Resultado de Vendas de Dia das Mães 2016 O perfil do empresário e resultado

Leia mais

PESQUISA INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA Minas Gerais. Ano 6. Nº 1. Março 2017

PESQUISA INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA Minas Gerais. Ano 6. Nº 1. Março 2017 PESQUISA INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA Minas Gerais Ano 6. Nº 1. Março 2017 MAIOR PARTE DOS INVESTIMENTOS É DEDICADO A PROJETOS ANTIGOS O ano de 2016 foi marcado por recessão e mudanças no cenário político-econômico,

Leia mais

Relatório de Resultado de Vendas de Dia dos Pais 2016

Relatório de Resultado de Vendas de Dia dos Pais 2016 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Relatório de Resultado de Vendas de Dia dos Pais 2016 O perfil do empresário

Leia mais

Resultado de Vendas do Dia das Crianças 2017

Resultado de Vendas do Dia das Crianças 2017 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Resultado de Vendas do Dia das Crianças 2017 O perfil do empresário e resultado de vendas para o período do Dia das Crianças em Santa

Leia mais

Resultados do Terceiro Trimestre de 2005

Resultados do Terceiro Trimestre de 2005 Resultados do Terceiro Trimestre de 2005 28 de outubro de 2005 Mensagem do Panorama do Mercado Resultados Financeiros Ambiente Regulatório Conclusão Mensagem do A TIM Participações está crescendo em um

Leia mais

PESQUISA MINIMERCADOS NO BRASIL

PESQUISA MINIMERCADOS NO BRASIL PESQUISA MINIMERCADOS NO BRASIL Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae pesquisa minimercados no brasil Brasília, 2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

Título: PREÇO INTERNACIONAL E PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL DE 1995 A

Título: PREÇO INTERNACIONAL E PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL DE 1995 A Título: PREÇO INTERNACIONAL E PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL DE 1995 A 2003. Magali Simoni Azevedo 1 Resumo O estudo sobre o preço internacional e a produção de soja no Brasil de 1995 a 2003 teve como objetivo

Leia mais

Relatório Estatístico Semestral Ouvidoria

Relatório Estatístico Semestral Ouvidoria FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 Relatório Estatístico Semestral Ouvidoria Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 19/08/2011 perfil dos participantes

Leia mais

TGM Tecnologia de Gestão Martins

TGM Tecnologia de Gestão Martins 1 O Que é TGM Tecnologia Gestão Martins? 2 Rentabilidade - 3 Central de Atendimento TGM O que é TGM? Tecnologia de Gestão Martins. É uma área da UMV Universidade Martins do Varejo, através do uso de tecnologia,

Leia mais

PROPOSTA COOPERATIVA DE COMPRAS CONSTRUÇÃO CIVIL - MINAS GERAIS COOPERCON-MG

PROPOSTA COOPERATIVA DE COMPRAS CONSTRUÇÃO CIVIL - MINAS GERAIS COOPERCON-MG PROPOSTA COOPERATIVA DE COMPRAS CONSTRUÇÃO CIVIL - MINAS GERAIS COOPERCON-MG COMO FUNCIONAM AS COOPERATIVAS? o As Sociedades Cooperativas estão reguladas pela Lei 5.764, de 16 de dezembro de 1971, que

Leia mais

Desafio das organizações a busca da excelência na gestão

Desafio das organizações a busca da excelência na gestão LUCIANA MATOS SANTOS LIMA llima@excelenciasc.org.br GESTÃO Desafio das organizações a busca da excelência na gestão LUCIANA M. S. LIMA A O mundo vive em constante mudança. Enquanto você lê este texto,

Leia mais

A origem do ReHAgro. O ReHAgro nasceu de algumas convicções: - Vocação do agronegócio brasileiro; - Grande distância entre o potencial e o real;

A origem do ReHAgro. O ReHAgro nasceu de algumas convicções: - Vocação do agronegócio brasileiro; - Grande distância entre o potencial e o real; A origem do ReHAgro O ReHAgro nasceu de algumas convicções: - Vocação do agronegócio brasileiro; - Grande distância entre o potencial e o real; - Crença na capacidade de modificar a realidade com o trabalho;

Leia mais

SONDAGEM DE VENDAS DIAS DOS NAMORADOS. 2016x2017

SONDAGEM DE VENDAS DIAS DOS NAMORADOS. 2016x2017 SONDAGEM DE VENDAS DIAS DOS NAMORADOS x Palmas - TO, junho de EXPEDIENTE DE PESQUISA CORPO DIRETIVO INSTITUTO FECOMÉRCIO TO Itelvino Pisoni Presidente Domingos Tavares de Sousa Vice Presidente Valdemir

Leia mais

METODOLOGIA. 250 empresas avaliadas 2 formas de análise: Análise Comparativa de Performance Qualitativa Análise de Processos - quantitativa

METODOLOGIA. 250 empresas avaliadas 2 formas de análise: Análise Comparativa de Performance Qualitativa Análise de Processos - quantitativa METODOLOGIA 250 empresas avaliadas 2 formas de análise: Análise Comparativa de Performance Qualitativa Análise de Processos - quantitativa ANÁLISE COMPARATIVA DE PERFORMANCE - QUALITATIVA Faturamento mensal

Leia mais

LOGÍSTICA E O MARKETING DE RELACIONAMENTO EM UMA MICROEMPRESA DO SETOR VAREJISTA

LOGÍSTICA E O MARKETING DE RELACIONAMENTO EM UMA MICROEMPRESA DO SETOR VAREJISTA LOGÍSTICA E O MARKETING DE RELACIONAMENTO EM UMA MICROEMPRESA DO SETOR VAREJISTA Elizângela M. Bonfim BERTOLDI; Andreia L. da Rosa SCHARMACH; Instituto Federal Catarinense- Campus São Francisco do Sul

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Janeiro de 2015 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Janeiro de 2015 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Janeiro de 2015 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços de

Leia mais

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. 9º Salão WImóveis movimenta R$50 milhões no DF. 53ª Edição Comercial Novembro de 2014

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. 9º Salão WImóveis movimenta R$50 milhões no DF. 53ª Edição Comercial Novembro de 2014 + Boletim de Conjuntura Imobiliária 53ª Edição Comercial Secovi-DF, Setor de Diversões Sul, Bloco A, nº44, Centro Comercial Boulevard,Salas422/424, (61)3321-4444, www.secovidf.com.br Econsult Consultoria

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO DE QUEIJO PRATO POR EMPRESAS PARANAENSES RESUMO

COMERCIALIZAÇÃO DE QUEIJO PRATO POR EMPRESAS PARANAENSES RESUMO COMERCIALIZAÇÃO DE QUEIJO PRATO POR EMPRESAS PARANAENSES RESUMO Melissa Watanabe 1 José Roberto Canziani 2 Vania Di Addario Guimarães 3 Este artigo apresenta um retrato da comercialização de queijo prato

Leia mais

ESTUDO 12 Fatores-chave de Sucesso em Bares e Restaurantes

ESTUDO 12 Fatores-chave de Sucesso em Bares e Restaurantes ESTUDO 12 Fatores-chave de Sucesso em Bares e Restaurantes O Sebrae desenvolveu uma metodologia de aplicação dos Fatores-chave de Sucesso em segmentos de negócios. Neste estudo foram entrevistadas 553

Leia mais

INSTITUCIONAL CS Terceirização e Trabalho Temporário

INSTITUCIONAL CS Terceirização e Trabalho Temporário CS TERCEIRIZAÇÃO INSTITUCIONAL A CS Terceirização e Trabalho Temporário foi fundada em 2010 por profissionais que acompanham a evolução deste mercado há mais de 20 anos. Toda a experiência adquirida ao

Leia mais

APRESENTAÇÃO APL AUDIOVISUAL

APRESENTAÇÃO APL AUDIOVISUAL APRESENTAÇÃO APL AUDIOVISUAL AMOSTRA 101 Empresas presentes no Arranjo 64 Empresas formalmente filiadas ao APL 26 Questionários estruturados 21 Entrevistas semiestruturadas PERFIL DAS EMPRESAS PERFIL DAS

Leia mais

Graduação em Administração

Graduação em Administração Graduação em Administração Disciplina: Planejamento Estratégico Aula 7 Cadeia de Valor São José dos Campos, março de 2011 Cadeia de Valor A vantagem competitiva de uma empresa não resulta simplesmente

Leia mais

Fórum ABAD Cenários Prioridades: Capacitação pequeno varejo Capacitação força de vendas Interconectividade da cadeia Agenda política

Fórum ABAD Cenários Prioridades: Capacitação pequeno varejo Capacitação força de vendas Interconectividade da cadeia Agenda política Fórum ABAD Cenários 2015 Prioridades: Capacitação pequeno varejo Capacitação força de vendas Interconectividade da cadeia Agenda política Caminhando para o final de 2015 Aspecto mais evidente: Relação

Leia mais