MBA em Gestão Empresarial Turma GE 60

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MBA em Gestão Empresarial Turma GE 60"

Transcrição

1 MBA em Gestão Empresarial Turma GE 60 Coordenador Acadêmico: Dr. Isnard Marshall Junior Local de Realização: Conexão São José dos Campos. São José dos Campos/SP CONTABILIDADE PARA EXECUTIVOS - CADERNO DE EXERCÍCIOS

2 1 Lembre-se: Concluir um MBA implica renuncia, disciplina e ainda honestidade, pois sem estas, não há como extrair o melhor proveito. Seguir as determinações sugeridas pelos professores, estudar com afinco e fazer os exercícios (não copiar de outros colegas), para fortalecer o aprendizado. Isto requer disciplina e planejamento. Entender que o saber não ocupa espaço e deve ser mobilizado sempre que a oportunidade surja. Todo conhecimento adquirido deve ser partilhado ou não cumpre seu objetivo. Encare este curso com responsabilidade, tornando-o útil a você e a sociedade. Não esqueça que muitas pessoas gostariam de estar em seu lugar. Qualquer oportunidade que nos é concedida, a vida nos cobrará em algum momento. Portanto teremos que prestar contas (accountability) do bom uso que fizermos dela. No final deste curso você terá prazer em dizer a sua família que mais um degrau da escada já foi alcançado. Com certeza eles terão orgulho de você, que passará a ser referência como um VENCEDOR. Que Deus o abençoe e inspire todos os passos de sua vida.

3 2 1ª Parte de Exercícios. Exercícios de aula. Exercícios de 01 a 33. Páginas 06 a 79. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = 2ª Parte de Exercícios. Exercícios Extra Aula. Exercícios de 34 a 114. Páginas 81 a 144. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = 3ª Parte - Material Complementar. Um dos pontos mais importantes para ser feito leitura. Administração de Capital de Giro. Páginas 145 a 153. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

4 3 Data 9/3 9/3 Agenda Acadêmica Discrição da atividade A partir do último dia de aula será disponibilizada aos alunos a RESOLUÇÃO TOTAL da Apostila de Exercícios. Data da finalização/ Entrega da tarefa 23/3 Leitura do Livro da FGV - Capítulo 4 Análise econômicofinanceira, páginas 85 a /3 Leitura da Apostila de Exercícios - Administração de Capital 9/3 9/3 9/3 de Giro, página 145, um dos capítulos mais importantes. Entrega do Trabalho Individual na secretaria acadêmica ou dependendo do caso diretamente com o professor. Sugere-se a elaboração do trabalho em grupo (entrega individual), para que se possa ter uma melhor compreensão da disciplina - 10%. O arquivo Trabalho Individual (exercícios da apostila de exercícios - ALGUNS) será entregue pelo professor em formato de PDF. É de responsabilidade do aluno em manter atualizado seu juntamente com: - Conveniada da FGV; - Representante de sala; - Fundação Getúlio Vargas (FGV). 23/3 Cuidado: 23/3 sábado Portanto o não recebimento de (s) sobre trabalhos e outros assuntos é de responsabilidade do aluno. 9/3 Trabalho em Grupo no último dia de aula 10%. 23/3 Continua na próxima página.

5 4 Data Agenda Acadêmica Discrição da atividade Na prova será disponibilizado: 9/3 Legendas; 9/3 Fórmulas matemáticas; 9/3 Resumo dos índices. Anotações Diversas: Continuação da página anterior. Data da finalização/ Entrega da tarefa Lembre-se: Não há crescimento da pessoa sem que haja sacrifício.

6 5 Estes exercícios são baseados em 07 (sete) capítulos, a saber: Ano: Itens Capítulos A Contabilidade, introdução ao Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado. Cap. 1 Regime de Competência, Lucro Econômico e Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). Cap. 2 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL). Cap. 3 Balanço Patrimonial (B/P) Grupos de Contas Tomada de Decisão. Cap. 4 Fluxos de Caixa (Cash Flow) modelo Direto. Cap. 5 Conceito de Depreciação e cálculo. Cap. 6 Administração de Capital de Giro Michel Fleuriet e Análise através de índices (quocientes) Liquidez, Endividamento, Rentabilidade, Prazos Médios, Análise Horizontal e Vertical. Cap. 7 C 1 ao C 7 referem-se aos Capítulos C 1 = Capítulo 1, C 5 = Capítulo 5 e assim por diante. Estes estão na mesma ordem dos SLIDES DE APRESENTAÇÃO. OBSERVAÇÕES: 1) Ao elaborar os exercícios, é essencial a utilização da Apostila de Slide; 2) Ao final do enunciado de cada exercício sempre tem a menção ao qual Capítulo (1, 2, 3 etc.) se refere aquele exercício, pois assim, o aluno saberá aonde procurar na Apostila Slide o referido capítulo para a elaboração dos exercícios. Exemplo: 01) Exercício introdutório ao Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do Exercício. (Capítulo 1) Trazer nas aulas o seguinte material de apoio: Calculadora SIMPLES ou FINANCEIRA (obrigatório); Caneta FLUORESCENT cor preferencialmente AMARELA; Régua. EXEMPLO DE COMO CALCULAR A MÉDIA FINAL: a) Questões Professor (60%) b) Questões c) Total d) Trabalho e) Trabalho FGV livro (40%) c = (a + b) * 0,8 Individual em Grupo 5,50 2,50 6,40 1,00 1,00 8,40 f) Média Final f = c + d + e

7 6 01) Exercício introdutório ao Balanço Patrimonial (B/P) e a Demonstração do Resultado (DRE). (Capítulo 1) Que alegria, vou fazer meu primeiro exercício com o professor Zuzu!! Eventos contábeis ocorridos em dezembro de 2012 na distribuidora de medicamentos Cistite Ltda.: Preencha a tabela abaixo, quando for o caso: Data Evento contábil (fato contábil) $ Mil 1 Integralização (aporte/injeção) de capital em dinheiro efetuado pelos sócios Aquisição de 100 mil unidades de luvas cirúrgicas (mercadorias) a prazo a $ 0,10 cada para serem revendidas Financiamento Bancário para compra de diversos Equipamentos. 40 Venda 40% das mercadorias (luvas cirúrgicas) adquiridas em 5/12, sendo: 50 % à vista, e; (bancos conta movimento) direito a receber % a prazo. (duplicatas a receber) direito a receber. 30 Total das Vendas efetuadas (à vista e a prazo) transferir para a DRE, independentemente se a operação é à vista ou a prazo. (conforme nota fiscal) Despesas com Salários geradas, e não pagas. 15 Vamos registrar os eventos (fatos) contábeis da empresa Cistite Ltda. por meio de uma metodologia para fins didáticos, introduzida pela Escola Contábil Americana, que denominamos de Contabilidade por Balanços Sucessivos. Pede-se para elaborar: 1) O Balanço Patrimonial de cada evento contábil e a Demonstração do Resultado quando esta for solicitada. Quanto ao item 1 acima é meramente didático, pois no dia-a-dia não é gerado um balanço patrimonial para cada fato (evento) contábil. Sugestão das CONTAS (Plano de Contas) a serem registradas no Balanço Patrimonial e DRE. O PLANO DE CONTAS tem por finalidade agrupar contas de mesma natureza. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejuízos) Acumulados Despesas com Salários Custo das Mercadorias Equipamentos Duplicatas a Receber Salários a Pagar Vendidas (CMV) Bancos Conta Movimento = Conta Corrente da empresa; Duplicatas a Receber = Clientes (os dois nomes são aceitos); DRE = Demonstração do Resultado ou Demonstração do Resultado do Exercício.

8 7 Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejuízos) Acumulados Despesas com Salários Custo das Mercadorias Equipamentos Duplicatas a Receber Salários a Pagar Vendidas (CMV) Data Evento contábil (fato contábil) $ Mil 01/12 Integralização (aporte/injeção) de capital em dinheiro efetuado pelos sócios. 100 Cistite Ltda. Balanço Patrimonial em 01/12/12 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Subtotal dos Bens (ativo) 0 Subtotal do Passivo 0 Direitos (direitos a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 100 Capital Social 100 Subtotal dos Direitos (ativo) 100 Subtotal do Patrimônio Líquido 100 Total dos Ativos (bens + direitos) 100 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 100 Não se esqueça de copiar para o Balanço Patrimonial ATUAL abaixo de 5/12 as contas que não tiveram movimentação, tendo por base o Balanço Patrimonial ANTERIOR e que no nosso caso é 1/12. medo = dívida = passivo. Data Fatos Contábeis $ Mil 5/12 Aquisição de 100 mil unidades de luvas cirúrgicas (mercadorias) a prazo a $ 10 0,10 cada para serem revendidas. Ficha de Controle de Estoques (mercadorias). Bem: Luvas Cirúrgicas. Entradas (compras) Saídas (vendas) Saldo Data Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total 1/ / , ,10 10 LEGENDAS Quant. Quantidade C. Unit. Custo Unitário V. Total Valor Total Cistite Ltda. Balanço Patrimonial em 5/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Mercadorias 10 Fornecedores 10 Subtotal dos Bens (ativo) 10 Subtotal do Passivo 10 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 100 Capital Social 100 Subtotal dos Direitos (ativo) 100 Subtotal do Patrimônio Líquido 100 Total dos Ativos (bens + direitos) 110 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 110 Continua na próxima página.

9 8 Continuação da página anterior. Sugestão das CONTAS (Plano de Contas) a serem registradas no Balanço Patrimonial e DRE. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejs.) Acumulados Despesas com Salários Custo das Mercadorias Equipamentos Duplicatas a Receber Salários a Pagar Vendidas (CMV) Bancos Conta Movimento = Conta Corrente da empresa; Duplicatas a Receber = Clientes (os dois nomes são aceitos); DRE = Demonstração do Resultado ou Demonstração do Resultado do Exercício. Cistite Ltda. Balanço Patrimonial em 5/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Mercadorias 10 Fornecedores 10 Subtotal dos Bens (ativo) 10 Subtotal do Passivo 10 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 100 Capital Social 100 Subtotal dos Direitos (ativo) 100 Subtotal do Patrimônio Líquido 100 Total dos Ativos (bens + direitos) 110 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 110 Data Fatos Contábeis $ Mil 10/12 Financiamento Bancário para compra de diversos Equipamentos. 40 Cistite Ltda. Balanço Patrimonial em 10/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Mercadorias 10 Fornecedores 10 Equipamentos 40 Financiamentos Bancários 40 Subtotal dos Bens (ativo) 50 Subtotal do Passivo 50 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 100 Capital Social 100 Subtotal dos Direitos (ativo) 100 Subtotal do Patrimônio Líquido 100 Total dos Ativos (bens + direitos) 150 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 150 Continua na próxima página.

10 9 Continuação da página anterior. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejs.) Acumulados Despesas com Salários Equipamentos e Duplicatas a Custo das Mercadorias Receber Salários a Pagar Vendidas (CMV) Data Fatos Contábeis $ Mil Venda 40% das mercadorias (luvas cirúrgicas) adquiridas em 5/12, sendo: 15 50% à vista, e; (bancos conta movimento) direito a receber % a prazo. (duplicatas a receber) direito a receber. 30 Total das Vendas efetuadas (à vista e a prazo) transferir para a DRE, independentemente se é à vista ou a prazo. (conforme nota fiscal). 60 Ficha de Controle de Estoques (mercadorias). Bem: Luvas Cirúrgicas. Entradas (compras) Saídas (vendas) Saldo Data Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total 1/ / , , / , ,10 6 CMV vai para a DRE. A conta Mercadorias vai para o B/P. LEGENDAS Quant. Quantidade C. Unit. Custo Unitário V. Total Valor Total Cistite Ltda. Demonstração do Resultado DRE em 15/12/11. Contas de Resultado (receitas e despesas) Data $ Mil Receitas de Vendas (parte: à vista e a prazo) 15/12 60 (-) Custos das Mercadorias Vendidas CMV (vide balanço) 15/12 (4) (=) Lucro Bruto Transferir p/ PL 56 (-) Despesas Operacionais (água, luz, salários, internet etc.) x x x x Após a apuração do Lucro Bruto acima, transfira tal valor para o Balanço Patrimonial abaixo. Cistite Ltda. Balanço Patrimonial em 15/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros (há vencimento) Mercadorias (dê baixa pelas vendas) 6 Fornecedores 10 Equipamentos 40 Financiamentos Bancários 40 Subtotal dos Bens (ativo) 46 Subtotal do Passivo 50 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 130 Capital Social 100 Duplicatas a Receber 30 Lucros ou (Prejuízos) Acumulados 56 Subtotal dos Direitos (ativo) 160 Subtotal do Patrimônio Líquido 156 Total dos Ativos (bens + direitos) 206 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 206 Continua na próxima página.

11 10 Continuação da página anterior. Sugestão das CONTAS (Plano de Contas) a serem registradas no Balanço Patrimonial e DRE. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejs.) Acumulados Despesas com Salários Custo das Mercadorias Equipamentos Duplicatas a Receber Salários a Pagar Bancos Conta Movimento = Conta Corrente da empresa; Duplicatas a Receber = Clientes (os dois nomes são aceitos); DRE = Demonstração do Resultado ou Demonstração do Resultado do Exercício. Vendidas (CMV) Fatos Contábeis 31/12 Despesas com Salários, geradas, e não pagas. 15 Cistite Ltda. Demonstração do Resultado do Exercício DRE em 31/12/11. Contas de Resultado (receitas e despesas) Data $ Mil Receitas de Vendas (parte: à vista e a prazo) 15/12 60 (-) Custos das Mercadorias Vendidas - CMV 15/12 (4) (=) Lucro Bruto 56 (-) Despesas Operacionais (água, luz, salários, juros etc.) Salários 31/12 (15) (=) Lucro (Prejuízo) Líquido Transferir p/ PL 41 Cistite Ltda. Balanço Patrimonial em 31/12/11 Em $ Mil. Ativo $ Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Mercadorias 6 Fornecedores 10 Equipamentos 40 Financiamentos Bancários 40 Salários a Pagar 15 Subtotal dos Bens (ativo) 46 Subtotal do Passivo 65 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Bancos Conta Movimento 130 Capital Social 100 Duplicatas a Receber 30 Lucros ou (Prejuízos) Acumulados 41 Observe que a redução de $ 15 no resultado foi em função das Despesas com Salários na DRE. Subtotal dos Direitos (ativo) 160 Subtotal do Patrimônio Líquido 141 Total dos Ativos (bens + direitos) 206 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 206 Terminamos, ufa, não foi difícil, certo? Agora é a sua vez de fazer um exercício em GRUPO, vamos em frente, confie em você vencedor (a).

12 11 RESUMO DO BALANÇO PATRIMONIAL. Balanço (equilíbrio/igualdade) Patrimonial (bens, direitos e origens: Capitais de Terceiros e Próprios) Aplicações: Bens (B) + Direitos (D) Origens: Capital de Terceiros e/ou Próprio. O total do Ativo (aplicações de recursos) vai ser sempre igual ao total do Passivo e Patrimônio Líquido (origens de recursos). Portanto para cada ORIGEM tem-se uma APLICAÇÃO de recursos. Caso o total do Ativo de uma empresa fosse $ 100, o total do Passivo e Patrimônio Líquido também seria igual a $ 100, pois para cada ORIGEM há uma APLICAÇÃO de recursos.

13 12 02) Exercício introdutório ao Balanço Patrimonial (B/P) e a Demonstração do Resultado (DRE). (Capítulo 1) Que alegria, vou fazer meu primeiro exercício em GRUPO!! Eventos contábeis ocorridos em dezembro de 2012 na empresa de medicamentos Laxantes Salvador Ltda., aonde, tudo desce: Preencha a tabela abaixo, quando for o caso: Data Evento contábil (fato contábil) $ Mil 1 Integralização (aporte/injeção) de capital em dinheiro efetuado pelos sócios Aquisição de 80 mil unidades de medicamentos (mercadorias) a prazo a $ 0,25 cada para serem vendidos Financiamento bancário para compra de Máquinas e Equipamentos. 50 Venda 50% das mercadorias adquiridas em 5/12, sendo: 60 % sobre $ 100, foi à vista, e; (bancos conta movimento) direito a receber % sobre $ 100, foi a prazo. ( ) 40 Total das Vendas efetuadas (à vista e a prazo) transferir para a DRE, independentemente se a operação é à vista ou a prazo. (conforme nota fiscal) Despesas com Material de Escritório, geradas, e não pagas. 10 Vamos registrar os eventos (fatos) contábeis da empresa Laxantes Salvador Ltda. por meio de uma metodologia para fins didáticos, introduzida pela Escola Contábil Americana, que denominamos de Contabilidade por Balanços Sucessivos. Pede-se para elaborar: 1) O Balanço Patrimonial de cada evento contábil e a Demonstração de Resultado quando esta for solicitada. Quanto ao item 1 acima é meramente didático, pois no dia-a-dia não é gerado um balanço patrimonial para cada fato (evento) contábil. Sugestão das CONTAS (Plano de Contas) a serem registradas no Balanço Patrimonial e DRE. O Plano de Contas tem por finalidade agrupar contas de mesma natureza. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores (medicamentos) Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejuízos) Acumulados Despesas c/ Material de Escritório Custo das Mercadorias Máquinas e Equipamentos Duplicatas a Receber Contas a Pagar (matl. escrit.) Bancos Conta Movimento = Conta Corrente da empresa; Duplicatas a Receber = Clientes (os dois nomes são aceitos); DRE = Demonstração do Resultado ou Demonstração do Resultado do Exercício. Vendidas (CMV)

14 13 Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores (medicamentos) Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejuízos) Acumulados Despesas c/ Material de Escritório Contas a Pagar Custo das Mercadorias Máquinas e Equipamentos Duplicatas a Receber (material de escritório) Vendidas (CMV) Data Fatos Contábeis $ Mil 1/12 Integralização (aporte/injeção) de capital em dinheiro efetuado pelos sócios. 200 Laxantes Salvador Ltda. Balanço Patrimonial em 1/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Subtotal dos Bens (ativo) 0 Subtotal do Passivo 0 Direitos (direitos a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 200 Capital Social 200 Subtotal dos Direitos (ativo) 200 Subtotal do Patrimônio Líquido 200 Total dos Ativos (bens + direitos) 200 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 200 Não se esqueça de copiar para o Balanço Patrimonial ATUAL abaixo de 5/12 as contas que não tiveram movimentação, tendo por base o Balanço Patrimonial ANTERIOR e que no nosso caso é 1/12. medo = dívida = passivo. Data Fatos Contábeis $ Mil 5/12 Aquisição de 80 mil unidades de medicamentos (mercadorias) a prazo a $ 0,25 20 cada. Ficha de Controle de Estoques (mercadorias). Bem: Medicamentos. Entradas (compras) Saídas (vendas) Saldo Data Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total 1/ / , ,25 20 LEGENDAS Quant. Quantidade C. Unit. Custo Unitário V. Total Valor Total Laxantes Salvador Ltda. Balanço Patrimonial em 5/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Mercadorias 20 Fornecedores 20 Subtotal dos Bens (ativo) 20 Subtotal do Passivo 20 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 200 Capital Social 200 Subtotal dos Direitos (ativo) 200 Subtotal do Patrimônio Líquido 200 Total dos Ativos (bens + direitos) 220 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 220 Continua na próxima página.

15 14 Continuação da página anterior. Sugestão das CONTAS (Plano de Contas) a serem registradas no Balanço Patrimonial e DRE. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores (medicamentos) Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejuízos) Acumulados Despesas c/ Material de Escritório Contas a Pagar Custo das Mercadorias Máquinas e Equipamentos Duplicatas a Receber (material de escritório) Bancos Conta Movimento = Conta Corrente da empresa; Duplicatas a Receber = Clientes (os dois nomes são aceitos); DRE = Demonstração do Resultado ou Demonstração do Resultado do Exercício. Vendidas (CMV) Não se esqueça de copiar para o Balanço Patrimonial ATUAL abaixo de 10/12 as contas que não tiveram movimentação, tendo por base o Balanço Patrimonial ANTERIOR e que no nosso caso é 5/12. Data Fatos Contábeis $ Mil 10/12 Financiamento bancário para compra de Máquinas e Equipamentos. 50 Laxantes Salvador Ltda. Balanço Patrimonial em 10/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Capitais de Terceiros há vencimento Mercadorias 20 Fornecedores 20 Máquinas e Equipamentos 50 Financiamentos Bancários 50 Subtotal dos Bens (ativo) 70 Subtotal do Passivo 70 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Capital Próprio Bancos Conta Movimento 200 Capital Social 200 Subtotal dos Direitos (ativo) 200 Subtotal do Patrimônio Líquido 200 Total dos Ativos (bens + direitos) 270 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 270 Continua na próxima página.

16 15 Continuação da página anterior. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejs.) Acumulados Despesas com Salários Máquinas e Equipamentos e Custo das Mercadorias Duplicatas a Receber Salários a Pagar Vendidas (CMV) Data Fatos Contábeis $ Mil Venda 50% dos medicamentos adquiridas em 5/12, sendo: 15 60% sobre $ 100, à vista, e; (bancos conta movimento) direito a receber % sobre $ 100, a prazo. (duplicatas a receber) direito a receber. 40 Total das Vendas efetuadas (à vista e a prazo) transferir para a DRE, independentemente se a operação é à vista ou a prazo. (conforme nota fiscal). 100 Ficha de Controle de Estoques (mercadorias). Bem: Medicamentos. Entradas (compras) Saídas (vendas) Saldo Data Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total Quant. C. Unit. V. Total 1/ / , , / , ,25 10 LEGENDAS Quant. Quantidade C. Unit. Custo Unitário V. Total Valor Total Laxantes Salvador Ltda. Demonstração do Resultado DRE em 15/12/11. Contas de Resultado (receitas e despesas) Data $ Mil Receitas de Vendas (parte: à vista e a prazo) 15/ (-) Custos das Mercadorias Vendidas CMV (vide balanço) 15/12 (10) (=) Lucro Bruto Transferir p/ PL 90 (-) Despesas Operacionais (água, luz, salários, internet etc.) x x x x Após a apuração do Lucro Bruto acima, transfira tal valor para o Balanço Patrimonial abaixo. Laxantes Salvador Ltda. Balanço Patrimonial em 15/12/11 Em $ Mil. Aplicação de Recursos Ativos $ Origens de Recursos - Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo Mercadorias (dê baixa pelas vendas) 10 Fornecedores 20 Máquinas e Equipamentos 50 Financiamentos Bancários 50 Subtotal dos Bens (ativo) 60 Subtotal do Passivo 70 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido Bancos Conta Movimento 260 Capital Social 200 Duplicatas a Receber 40 Lucros ou (Prejuízos) Acumulados 90 CMV vai para a DRE. A conta Mercadoria vai para o B/P Subtotal dos Direitos (ativo) 300 Subtotal do Patrimônio Líquido 290 Total dos Ativos (bens + direitos) 360 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 360 Continua na próxima página.

17 16 Continuação da página anterior. Sugestão das CONTAS (Plano de Contas) a serem registradas no Balanço Patrimonial e DRE. Plano de Contas Balanço Patrimonial B/P DRE Ativo Passivo Patrimônio Líquido Receitas e Despesas Bancos Conta Movimento Fornecedores (medicamentos) Capital Social Receitas de Vendas Mercadorias Financiamentos Bancários Lucros ou (Prejuízos) Acumulados Despesas c/ Material de Escritório Contas a Pagar Custo das Mercadorias Máquinas e Equipamentos Duplicatas a Receber (material de escritório) Bancos Conta Movimento = Conta Corrente da empresa; Duplicatas a Receber = Clientes (os dois nomes são aceitos); DRE = Demonstração do Resultado ou Demonstração do Resultado do Exercício. Vendidas (CMV) Fatos Contábeis 31 Despesas com Material de Escritório, geradas, e não pagas. 10 Laxantes Salvador Ltda. Demonstração do Resultado do Exercício DRE em 31/12/11. Contas de Resultado (receitas e despesas) Data $ Mil Receitas de Vendas (parte: à vista e a prazo) 15/ (-) Custos das Mercadorias Vendidas - CMV 15/12 (10) (=) Lucro Bruto 90 (-) Despesas Operacionais (água, luz, salários, juros etc.) Despesas com material de escritório 31/12 (10) (=) Lucro (Prejuízo) Líquido Transferir p/ PL 80 Laxantes Salvador Ltda. Balanço Patrimonial em 31/12/11 Em $ Mil. Ativo $ Passivos e Patrimônio Líquido $ Bens (coisas úteis) Passivo (dívida presente) Mercadorias 10 Fornecedores 20 Máquinas e Equipamentos 50 Financiamentos Bancários 50 Contas a Pagar 10 Subtotal dos Bens (ativo) 60 Subtotal do Passivo 80 Direitos (valores a receber) Patrimônio Líquido (PL) Bancos Conta Movimento 260 Capital Social 200 Duplicatas a Receber 40 Lucros ou (Prejuízos) Acumulados 80 Subtotal dos Direitos (ativo) 300 Subtotal do Patrimônio Líquido 280 Total dos Ativos (bens + direitos) 360 Total do Passivo e Patrimônio Líquido 360 Ufa, ufa, você conseguiu parabéns!! Agora leia as observações na página seguinte.

18 17 Observação 1: QUANDO QUEREMOS REFERIR A UM DETERMINADO ANO SEM COLOCÁ-LO O ANO ESPECÍFICO PODEMOS REPRESENTÁ-LO DA SEQUINTE FORMA: 20X2, leia-se: vinte chis ( x = 24ª letra do nosso alfabeto) 2. Observação 2: A Contabilidade pode representar uma diminuição/decréscimo com o sinal de menos -, ou colocar entre parênteses ( ). Portanto caso a contabilidade queira, por exemplo, informar que houve um desembolso de $ referente a um gasto de Publicidade através de uma demonstração contábil (fluxo de caixa) pode-se representar da seguinte forma: Saída de recursos: Conta $ Publicidade OU Saída de recursos: Conta $ Publicidade (1.500) Observação 3: RESUMO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS. Elemento Setas Item Efeito Todo aumento de Ativo Gera Uma aplicação de recursos Toda diminuição de Ativo Gera Uma origem de recursos Todo aumento de Passivo e Patrimônio Líquido Gera Uma origem de recursos Toda diminuição de Passivo e Patrimônio Líquido Gera Uma aplicação de recursos Todo aumento de Receita Gera Uma origem de recursos Todo aumento de Despesa Gera Uma aplicação de recursos Seta indicativa para cima - aumento Seta indicativa para baixo - diminuição

19 18 03) A ZHF Desenvolvimento Empresarial Ltda. iniciou suas atividades em Em 31/12/2012, foram constatados os seguintes saldos contábeis conforme tabela abaixo: (Capítulo 2) OBSERVAÇÃO: Não confundir contas patrimoniais (ativo, passivo e patrimônio líquido) com as contas de resultado (receitas e despesas) DRE. Portanto o exercício é sobre DRE e não Balanço Patrimonial. Coloque um X na coluna apropriada quando a descrição (conta) em 2012 indicar Balanço Patrimonial (B/P) ou Demonstração de Resultado (DRE) conforme modelo abaixo letra a. Descrição (em 2012) $ Mil Balanço DRE a) Capital Social 10 X b) Receita Gerada 100 X c) Duplicatas a Receber 40 X d) Contas a Pagar 80 X e) Despesa Consumida 70 X Pede-se: Com base na tabela acima preencha as linhas tracejadas, quando for o caso, da tabela abaixo, apurando o resultado econômico, pelo Regime de Competência. Demonstração do Resultado do Exercício DRE Em $ Mil. Regime de Competência Descrição (2012) $ Mil Receita Gerada 100 Despesa Consumida (70) Lucro Econômico 30 04) Em 30 de abril de 2012 a empresa de serviços de usinagem Prime Ltda. recebeu uma proposta de seu cliente Alpha Ltda. para a prestação de serviços. Este foi executado em 18 de maio de O valor acertado pelos serviços de usinagem foi de $ 100 mil e que foram pagos em 22 de junho de Considerando o Regime de Competência, em que data o contador da empresa Prime Ltda. reconheceu a Receita? (capítulo 2) (vide Slides: 12, 14 ou 16) Resposta: A Receita foi reconhecida em: 18/MAIO/2012. Justifique a resposta acima nas linhas tracejadas abaixo. A Receita é reconhecida no momento da prestação do serviço, portanto no dia 18/05/12.

20 19 05) Estruture a Demonstração do Resultado do Exercício da Cia. Titãs. (Capítulo 2) a) A Receita Operacional Bruta de Vendas é de $ , os impostos incidentes sobre as vendas são: IPI no valor $ e ICMS no valor $ b) Os gastos (custo dos produtos vendidos - CPV) na fábrica foram: Itens $ Matéria-Prima Mão de Obra Outros Custos de Fabricação 600 Total do Custo do Produto Vendido - CPV c) Quanto às contas de resultado abaixo você deverá transportá-las para a DRE. Foram gerados os seguintes gastos: Itens contas analíticas: Classificação: $ Propaganda, comissão de vendedores, fretes vendas (900) Honorários dos diretores, aluguel do escritório administrativas (400) Os juros incorridos e outras Despesas Financeiras financeiras (300) As aplicações financeiras renderam juros Receitas Financeiras financeiras 100 Total das Despesas Operacionais (1.500) d) Com base no lucro apurado até o momento (RATSL), a empresa calculou o Imposto de Renda de 15% $ e Contribuição Social à base de 9% $ 612. Não se esqueça de preencher, caso em contrário, ficarei muito triste. e) Apenas os Administradores tiveram participação no lucro à base de 3, % (desprezar centavos, caso tenha) sobre o Resultado Líquido das Operações Continuadas (RLOC). Cia. Titãs - Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Em 31/12/11 - $ Mil. Itens $ $ a) Receita (Venda) Operacional Bruta a) (-) deduções: IPI sobre vendas (3.000) ICMS sobre vendas (2.700) (5.700) (=) Receita (Venda) Operacional Líquida b) Custo dos Produtos Vendidos - CPV (4.000) (=) Lucro Bruto c) (-) Despesas Operacionais: De vendas (900) Administrativas (400) (1.300) (=) Resultado Antes das Despesas e Receitas Financeiras (RADRF) Despesas Financeiras (300) Receitas Financeiras 100 (200) (=) Resultado Antes dos Tributos sobre o Lucro (RATSL) d) (-) IMPOSTO DE RENDA 15% (1.020) (-) Contribuição Social 9% (612) (1.632) (=) Resultado Líquido das Operações Continuadas (RLOC) e) (-) Participações Estatutárias: (-) Administradores (168) (=) Lucro Líquido Continua na próxima página.

21 20 06) Elabore a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido da Cia. Titãs. (capítulo 3) Cia. Titãs. Balanço Patrimonial em 31/12/11. Ativo $ Passivo e Patrimônio Líquido $ Ativo Circulante Passivo Circulante (giro rápido) Caixa e Equivalentes de Caixa Dividendos (dívida com o acionista) Subtotal do Ativo Circulante Subtotal Passivo Circulante Ativo Não Circulante Patrimônio Líquido Imobilizado Capital Social Prédios Reserva Legal Máquinas e Equipamentos Reservas Estatutárias 700 (-) Depreciação Acumulada (1.000) Lucros ou (Prejuízos) Acumulados 0 Subtotal do Ativo Não Circulante Subtotal do Patrimônio Líquido Total dos Ativos Total do Passivo e Patrimônio Líquido Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido DMPL. A Cia. Titãs gerou lucro no exercício de 2012 de $ (vide DRE à página anterior). OBSERVAÇÃO: Em 2012 houve aumento de Capital (integralização/aporte) em dinheiro no valor de $ efetuado pelos acionistas. Portanto este fato provoca alteração no Patrimônio Líquido da empresa. Proposta de destinação do lucro de 2012: a) 5% do lucro líquido serão destinados à Reserva Legal; b) 10% do lucro líquido serão destinados às Reservas Estatutárias; c) O saldo remanescente após a constituição das reservas será distribuído entre os acionistas. Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido DMPL. Cia. Titãs - Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) em 31/12/2012. Patrimônio Líquido Lucros Capital Reserva Reservas Total do (Prejuízos) Social Legal Estatutárias PL Acumulados Saldo Inicial 31/12/ Aumento de Capital Lucro em 31/12/ Destinação do Lucro: Reserva Legal 5% 250 (250) 0 Reservas Estatutárias 10% 500 (500) 0 Dividendos (4.250) (4.250) Saldo Final 31/12/ Preenchimento Opcional. Cálculo do saldo remanescente do Lucro de 2012 da Cia. Titãs. Cálculo do Saldo Remanescente do Lucro de Itens: $ a) Lucro líquido b) Reserva legal 5 % + Reservas estatutárias 10% sobre o Lucro Líquido 750 c) Saldo remanescente (será distribuído entre os acionistas) c = a (-) b d) Dividendos a pagar e) Saldo final e = c (-) d ZERO Continua na página anterior.

22 21 (capítulo 3) Continuação da página anterior. Cia. Titãs Balanço Patrimonial em 31/12/ Ativo Passivo e Patrimônio Líquido $ $ $ $ Ativo Circulante (AC) Passivo Circulante (PC) Caixa e Equivalentes de Caixa (*) Dividendos (acionista) Subtotal do Ativo Circulante Subtotal do Passivo Circulante Ativo não Circulante (AÑC) Patrimônio Líquido (PL) Imobilizado Capital Social Prédios Reserva Legal Máquinas e Equipamentos Reservas Estatutárias (-) Depreciação Acumulada (2.000) (1.000) Lucros ou (Prejs.) Acumulados 0 0 Subtotal do Ativo Não Circulante Subtotal do Patr. Líquido Total do Ativo Total do Passivo e PL Os valores atribuídos aos grupos de contas do Ativo Circulante e do Ativo não Circulante foram aleatórios. (*) dívida com os acionistas. Caso a empresa foi uma LTDA. a conta a ser registrada no balanço patrimonial (passivo circulante) poderia ter o nome de Distribuição de Lucros para os sócios. Resumo das contas patrimoniais Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido. Balanço Patrimonial: PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO (ORIGEM/FONTE). Todo aumento de uma conta de Passivo e Patrimônio Líquido é uma Origem de Recursos. Exemplos: Fornecedores, Salários a Passivo Circulante (PC) Giro rápido Curto prazo Até 12 meses Pagar, Empréstimos etc. Passivo Não Circulante (PÑC) Patrimônio Líquido (PL) Giro lento Longo prazo Acima 12 meses Exemplos: Financiamentos Bancários, Debêntures etc. Giro lento Longo prazo Acima 12 meses ATIVO (APLICAÇÃO): Exemplos: Capital Social, Reservas, Lucros (Prejuízos) Acumulados etc. Todo aumento de uma conta de Ativo é uma Aplicação de Recursos. Exemplos: Caixa, Bancos, Clientes, Ativo Circulante (AC) Giro rápido Curto prazo Até 12 meses Estoques etc. Ativo Não Circulante. Subgrupos do Ativo Não Circulante: Realizável a longo prazo: Exemplos: Títulos a Receber, Empréstimos a Coligadas etc. Investimentos: Exemplos: Terrenos para futura Expansão, Obras de Arte etc. Imobilizado: Exemplos: Máquinas, Computadores, Veículos, Prédios (uso) etc. Intangível: Exemplos: Marcas e Patentes, Fundo de Comércio etc. Ativo Não Circulante (AÑC) Giro lento Longo prazo Acima 12 meses Ativo Não Circulante (AÑC) Giro lento Longo prazo Acima 12 meses Ativo Não Circulante (AÑC) Giro lento Longo prazo Acima 12 meses Ativo Não Circulante (AÑC) Giro lento Longo prazo Acima 12 meses

23 22 Assinale com um X a alternativa correta. Exercícios fáceis. Utilize Material de Apoio página 05 ou esta apostila páginas 20 ou ) Para toda origem de recursos tem-se uma: (capítulo 4) a) aplicação de recursos b) fonte de recursos 08) Para toda aplicação de recursos tem-se uma: (capítulo 4) a) aplicação de recursos b) origem de recursos 09) Os grupos de contas do Ativo e Passivo Circulante são de: (capítulo 4) a) giro lento, curto prazo e acima de 12 meses b) giro rápido, curto prazo e acima de 12 meses c) giro rápido, curto prazo e até 12 meses 10) Os grupos de contas Patrimônio Líquido e Passivo Não Circulante são de: (capítulo 4) a) giro lento, longo prazo e acima de 12 meses b) giro lento, longo prazo e até 12 meses c) giro rápido, longo prazo e até 12 meses 11) O grupo de conta Ativo Não Circulante é de: (capítulo 4) a) giro lento, curto prazo e acima de 12 meses b) giro lento, longo prazo e acima de 12 meses c) giro lento, longo prazo e até 12 meses 12) A empresa Pandurata Alimentos Ltda. adquiriu um Forno industrial para ser utilizado em seu processo produtivo para a elaboração do panetone Bauducco. O forno é um ativo de: (capítulo 4) a) giro lento, longo prazo e acima de 12 meses b) giro rápido, curto prazo e até 12 meses

24 23 13) Considerando os dados da empresa Nina S.A., relacione a coluna (A) com a (B), preenchendo a coluna (C), usando as Siglas AC, AÑC, PC, PL, D, CP, e R, conforme exemplo, já preenchido (na coluna C). (Capítulos 2 e 4). OBSERVAÇÕES: Leia com atenção, se não ficarei muito triste. Para o preenchimento da tabela abaixo utilize os Slides 41 e 42. 1) Ao invés de escrevermos na Coluna C por exemplo, Ativo Não Circulante (por extenso) escrevemos a SIGLA AÑC como foi evidenciado no exemplo abaixo, item Terrenos para futura expansão da fábrica. 2) Quando uma conta patrimonial, Ativo ou Passivo, for de LONGO PRAZO este fato deve ser informado, caso em contrário, a conta patrimonial será considerada de CURTO PRAZO. 3) Sempre usar a palavra Empresa na indicação de uma ação, p. ex., a empresa comprou, a empresa pagou, a empresa obteve um empréstimo junto ao Banco Zuzu etc., assim facilitará a classificação. Coluna A Elementos Siglas a. Ativo Circulante AC b. Ativo Não Circulante AÑC c. Passivo Circulante PC d. Patrimônio Líquido PL e. Despesas D f. Receitas R Coluna B Componentes Patrimoniais e de Resultados Terrenos para futura expansão da fábrica. Caixa e equivalentes de caixa. Computadores para uso da administração. Dividendos a pagar. (vide páginas 20 e/ou 21) Estoques de farinhas para produzir panetones. Fornecedores (Büngue) de farinhas de trigo para a Bauducco. Móveis e utensílios. Duplicatas a receber. Empréstimos bancários (tomador Nina) Receitas de venda de mercadorias Lucros ou (Prejuízos) acumulados. Receitas de prestação de serviços. Despesa de material de escritório. Estoques de produtos acabados. Estoques de produtos em processos. Coluna C Classificação AÑC AC AÑC PC AC PC AÑC AC PC R PL R D AC AC

25 24 14) Elabore os Fluxos de Caixa (Cash Flow) da Cia. Jocara. (Capítulo 5) Fato nº Fatos Contábeis JOCARA - Em Em $ Mil 1 Recebimento de diversos serviços prestados Despesas com publicidade pagas à vista Compras de medicamentos (mercadorias) a prazo Aporte de capital em dinheiro efetuado pelos sócios Compra à vista de aparelho de radioscopia Apurou-se depreciação (fato econômico) ao longo do ano de Pagamento dos dividendos (remuneração ao acionista) de Cia. Jocara Balanço Patrimonial em 31/12/ Em $ Mil Ativo Circulante $ $ Caixa e equivalentes de caixa Cia. Jocara - Demonstrativo do Fluxo de Caixa em 31/12/2011. Fato nº $ Mil $ Mil Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes de Caixa 60 Entradas (recebimentos): Serviços prestados Aporte de capital Saídas (pagamentos): Publicidade 2 (40) Aquisição de aparelho de radioscopia 5 (50) Pagamento de dividendos de (20) 110 Saldo Final de Caixa e Equivalentes de Caixa 250 Fluxos de Caixa Modelo Direto. Cia.Joca. Fluxos de Caixa em 31/12/2011 Em $ Mil. Fato nº $ a) Atividades Operacionais: Vendas à vista do período Despesas com Publicidade 2 (40) (=) Caixa gerado ou (consumido) nas Atividades Operacionais 180 b) Atividades de Investimentos: Aquisição de Veículos 5 (50) (=) Caixa gerado/(consumido) nas Atividades de Investimentos (50) c) Atividades de Financiamentos: Aporte de Capital em dinheiro 4 80 Dividendos de (20) (=) Caixa gerado/(consumido) nas Atividades de Financiamentos 60 (=) Aumento ou Diminuição Líquido ao Caixa e Equivalentes de Caixa (a + b + c) 190 (+) Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do período 60 (=) Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do período Continua na próxima página.

26 25 Pergunta-se: Continuação da página anterior. O Fluxo de Caixa Operacional da Cia. Jocara foi adequado (suficiente) para financiar a aquisição dos Veículos e pagar os Dividendos aos acionistas? Faça o cálculo abaixo do coeficiente de Adequação do Fluxo de Caixa (AFCX) e justifique sua resposta. Caixa das Operações AFCX = (pagamentos): PÑC + Compra de Imobilizado + Dividendos OBSERVAÇÃO: Um valor igual ou maior que um (1), mostra a capacidade satisfatória da empresa para cobrir suas exigências básicas de Caixa. AFCX = Caixa das Operações (caixa operacional) numerador (pagamentos): PÑC + Compra: (Invest. + Imob.+ Intang.) + Dividendos denominador AFCX = 180 / ( ) AFCX = 180 / 70 AFCX = 2,57 A interpretação do coeficiente (índice) acima quer dizer que: - para cada $ 1,00 de pagamentos (denominador) a Cia. Jocara gerou $ 2,57 de Caixa das Operações (caixa operacional). É possível verificar que através do demonstrativo do Fluxo de Caixa Direto decorrente da atividade operacional (fim) do Cia. Jocara foi suficiente para pagar: a compra de imobilizado (ressonância) e os dividendos (acionistas), sem a necessidade de recorrer, por exemplo, recursos de curto prazo (empréstimos bancários) que normalmente são onerosos. Em nosso exemplo não tivemos nenhum pagamento do Passivo Não Circulante (PÑC), portanto foi atribuído na fórmula acima o número 0 (zero).

27 26 15) Elabore os Fluxos de Caixa do Hospital Infantil Sabará. (Capítulo 5) Fato nº Fatos Contábeis Hospital Infantil Sabará - Em 2011 Em $ Mil 1 Recebimento de diversas vendas (receitas) à vista Despesas com brindes à vista Compras de medicamentos (mercadorias) a prazo Captação de empréstimos bancários pelo hospital Compra à vista de aparelho de Raios X Pagamento dos Dividendos (remuneração ao acionista) de Amortização (pagamento) de dívidas de longo prazo (PÑC) Apurou-se depreciação (fato econômico) ao longo do ano de Hospital Infantil Sabará Balanço Patrimonial em 31/12/ Em $ Mil Ativo Circulante $ $ Caixa e Equivalentes de Caixa Hospital Infantil Sabará - Demonstrativo do Fluxo de Caixa em 31/12/2011. Fato nº $ Mil $ Mil Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes de Caixa 170 Entradas (recebimentos): Prestação de serviços 1 50 Empréstimos bancários no banco Zuzu Saídas (pagamentos): Despesas com brindes 2 (20) Aquisição de aparelhos de Raios X 5 (900) Dividendos de (40) Amortização de dívidas de longo prazo 7 (10) (970) Saldo Final de Caixa e Equivalentes de Caixa 220 FLUXOS DE CAIXA MODELO DIRETO. Hospital Infantil Sabará Demonstração dos Fluxos de Caixa Modelo Direto Fato nº Em $ Mil a) Atividades Operacionais: Vendas à vista 1 50 Brindes 2 (20) (=) Caixa Gerado/(Consumido) nas Atividades Operacionais 30 b) Atividades de Investimentos: Aparelhos de Raios X 5 (900) Caixa Gerado/(Consumido) nas Atividades de Investimentos (900) c) Atividades de Financiamentos: Empréstimos Bancários Dividendos de 20 X1 6 (30) Amortização de dívidas (10) Caixa Gerado/(Consumido) nas Atividades de Financiamentos 910 (=) Aumento ou Diminuição Líquido ao Caixa e Equivalentes de Caixa (a + b + c) 40 (+) Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do período 170 (=) Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do período Continua na próxima página.

28 27 Continuação da página anterior. Pergunta-se: O Fluxo de Caixa Operacional do Hospital Infantil Sabará foi adequado (suficiente) para pagar: a aquisição do aparelho de Raios X e os Dividendos aos acionistas? Faça o cálculo abaixo do coeficiente de Adequação do Fluxo de Caixa (AFCX) e justifique sua resposta. OBSERVAÇÃO: Um valor igual ou maior que um (1), mostra a capacidade satisfatória da empresa para cobrir suas exigências básicas de Caixa. AFCX = Caixa das Operações (caixa operacional) numerador (pagamentos): PÑC + Compra: (Invest. + Imob.+ Intang.) + Dividendos denominador AFCX = 30 / ( ) AFCX = 30 / 940 AFCX = 0,03 Complete as linhas tracejadas abaixo. Para cada $ 1,00 ($ 1,00 ou $ 0,97) de pagamentos (denominador) o Hospital Infantil Sabará gerou apenas $ 0,03 ($ 0,03 ou 0,97) de Caixa Operacional, portanto, faltou (faltou ou não faltou) geração de Caixa Operacional de $ 0,97 ($ 0,20 ou $ 0,97) para que a empresa pudesse (pudesse ou não pudesse) suprir suas necessidades/exigências básicas de Caixa. É possível verificar que o demonstrativo dos Fluxos de Caixa modelo Direto decorrente da atividade operacional (fim) do Hospital Sabará foi insuficiente (suficiente ou insuficiente) para pagar: a compra de imobilizado (aparelho de Raios X) e os dividendos (remuneração aos acionistas). Com esta situação, captou-se recursos financeiros no Banco Zuzu, de curto prazo e que normalmente são mais (mais ou menos) onerosos do que os de longo prazo. Portanto, o Hospital teve (teve ou não teve) dificuldades de geração de Caixa Operacional para financiar, a compra do aparelho de Raios - X, que é um ativo de lento (rápido ou lento) retorno, portanto, houve quebra de equilíbrio financeiro, pois aqueles ativos estão sendo financiados com recursos de curto (curto ou longo) prazo. Conclui-se que houve (houve ou não houve) má gestão do Caixa Operacional.

29 28 16) A empresa São Marcos Ltda. adquiriu uma Máquina Injetora em 18/10/11 por $ , mais frete $ pagando tudo à vista. Houve a necessidade da contratação de um técnico para instalar a máquina por $ Considere a vida útil estimada em 4 anos há um valor residual de $ Calcule a depreciação da máquina injetora até 31/12/11. Atribua o ano de 365 dias. (Capítulo 6) Preencha a tabela abaixo. Bem a) $ Custo b) $ Residual c) $ Depreciável c = a (-) b d) Taxa Proporcional (%) e) $ Depreciado (Balanço e DRE) e = c x d Injetora , ,60 Após o preenchimento da tabela acima preencha os Relatórios Contábeis abaixo. São Marcos Ltda. - Demonstração do Resultado do Exercício - DRE em 31/12/11 Em $ Mil. Receitas/Vendas Líquidas X X X X X (-) Custo dos Serviços Prestados: (XXX) Mão de Obra + Energia Elétrica etc. (XX) Depreciação da máquina injetora (1.672,60) (=) Lucro Bruto X X X (-) Despesas Operacionais (comissão sobre vendas, aluguel etc.) (=) Lucro Líquido X X X X São Marcos Ltda. - Balanço Patrimonial em 31/12/11 $ Mil. Conta 2010 Movimentação Financeira Ativo Não Circulante $ $ $ Imobilizado Máquina Injetora (-) Depreciação Acumulada (0) (1.672,60) (1.672,60) Área destinada aos cálculos: 100% / 4 anos = 25% a.a. % a.a. Dias X =? 5, (18/10 a 31/12/11) X = ((25 x 74) / 365) = 5,06849 (taxa proporcional para 74 dias) Continua na próxima página.

30 29 Continuação da página anterior. Siga o passo a passo, pois é fácil de entender e executar, vai em frente. CÁLCULO ATRAVÉS DA FUNÇÃO DA HP 12 C. Caso o aluno queira optar o cálculo pela função da calculadora financeira HP 12 C, e que neste caso, são os 74 (setenta e quatro) dias, poderá fazê-lo da seguinte forma: Primeiro passo: Apertar a TECLA azul g e na sequência a tecla D.MY, vai aparecer no VISOR D.MY Segundo passo: Apertar o número (data inicial) e na sequência apertar a tecla ENTER, vai aparecer no VISOR 18,10 em seguida introduzir o número (data final) e apertar a tecla azul g DYS, no VISOR vai aparecer o número 74,00, que se refere aos 74 dias de utilização do bem. Terminou, foi muito fácil, GUERREIRO (A). ========================================================================= Observações: Depreciação é a alocação sistemática (coerente) do valor depreciável de um ativo ao longo de sua vida útil. Custo é o montante de caixa ou equivalentes de caixa pago ou o valor justo de qualquer outro recurso dado para adquirir um ativo na data da sua aquisição ou construção. Vida útil é: (a) O período de tempo durante o qual a entidade espera utilizar o ativo; ou (b) O número de unidades de produção ou de unidades semelhantes que a entidade espera obter pela utilização do ativo. Valor residual de um ativo é o valor estimado que a entidade obteria com a venda do ativo, após deduzir as despesas estimadas de venda, caso o ativo já tivesse a idade e a condição esperadas para o fim de sua vida útil. Valor depreciável é o custo de um ativo menos o seu valor residual. Valor contábil é o valor pelo qual um ativo é reconhecido após a dedução da depreciação e da perda por redução ao valor recuperável acumulada.

31 30 17) A empresa comercial, Linguiças Bragantinas Ltda., apresenta os seguintes dados abaixo: Em 01/10/2011 foi adquirido (bem como entrou em operação) um Veículo para o escritório da empresa por $ , mais o frete de $ 5.000, tudo pago à vista. (Capítulo 6) Considere a vida útil estimada para este bem de 8 (oito) anos e valor residual de $ Preencha a tabela abaixo tendo por base a data de encerramento dos relatórios contábeis. Bem a) $ Custo b) $ Residual c) $ Depreciável c = a (-) b d) Taxa Proporcional (%) e) $ Depreciado (Balanço e DRE) e = c x d Veículo , ,22 Após o preenchimento da tabela acima preencha os Relatórios Contábeis abaixo. Linguiças Bragantinas Ltda. - Demonstração do Resultado do Exercício em 31/12/11 Em $ Mil. Receitas/Vendas Líquidas X X X X (-) Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) ( X X X ) (=) Lucro Bruto X X X (-) Despesas Operacionais: Depreciação do veículo (1.558,22) (=) Lucro Líquido X X X X Linguiças Bragantinas Ltda. - Balanço Patrimonial em 31/12/11 Em $ Mil. Conta 2010 Movimentação Financeira Ativo Não Circulante $ $ $ Imobilizado Veículos (-) Depreciação Acumulada (0) (1.558,22) (1.558,22) Observação. Use a função da HP 12 C, STO para armazenar (0 a 9) a taxa proporcional da tabela abaixo. Na sequência para recuperar (chamar a memória) aquela taxa aperte a tecla RCL e em seguida o número de 0 a 9 no qual você armazenou aquela taxa proporcional na tecla STO. Caso em contrário os centavos não será igual do professor, e que para a análise os centavos são IMATERIAIS. 100% / 8 anos = 12,5% a.a. Área destinada aos cálculos: % a.a. Dias 12,5 365 X =? 3, (01/10 a 31/12/11) (período) X = 3,116 (taxa proporcional para 91 dias)

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

Considerando-se apenas as informações apresentadas, apresente o registro contábil relativo à apuração do ICMS no mês de fevereiro de 2017:

Considerando-se apenas as informações apresentadas, apresente o registro contábil relativo à apuração do ICMS no mês de fevereiro de 2017: CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA: QUESTÕES DE REVISÃO 01) Uma Sociedade Empresária que possui um único estabelecimento apresentava, em 31.1.2017, após a apuração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias ICMS,

Leia mais

Quais são os objetivos do tópico... TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS. 05. Estoque

Quais são os objetivos do tópico... TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS. 05. Estoque USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111 Noções de Contabilidade para Administração TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS 05. Estoque Profa. Dra. Joanília Cia (joanilia@usp.br) 1 Quais

Leia mais

DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014. ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota:

DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014. ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota: DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014 DATA: / /2014 ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota: Para realização do trabalho será necessária a utilização

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA

Leia mais

VARIAÇÕES PATRIMÔNIO LÍQUIDO

VARIAÇÕES PATRIMÔNIO LÍQUIDO FEA / USP Departamento de Contabilidade e Atuária EAC-106 Contabilidade Introdutória VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Prof. Fernando Dal-Ri Murcia 1 Variações no Patrimônio Líquido Receita: É a entrada

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6)

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) DEMONSTRAÇÃO DO VALOR - DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) VENDAS Vendas Operacionais Vendas não Operacionais PDD- Constituição/Reversão VALOR BRUTO VALOR LIQUIDO VALOR TOTAL A DISTRIBUIR 2 4 6 INSUMOS

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes:

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes: EXERCICIOS SOBRE DFC As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em 31.12.X2, eram os seguintes: ATIVO X1 X2 PASSIVO X1 X2 Disponível 3.000 1.500 Fornecedores 54.000

Leia mais

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo.

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. a. Máquina adquirida por $18.000, com vida útil estimada de 15 anos e valor residual $3.000. b. Veículo adquirido por $30.000, com vida

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

8.000 ATIVO CIRCULANTE

8.000 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Ativo X0 X1 Receita de Vendas 8.000 ATIVO CIRCULANTE 500 2.150 (-) CPV -5.000 Caixa 100 1.000 Lucro Bruto 3.000 Bancos 200 100 (-) Despesas financeiras -1.500

Leia mais

ATIVIDADES DE REVISÃO CONTABILIDADE II:

ATIVIDADES DE REVISÃO CONTABILIDADE II: ATIVIDADES DE REVISÃO CONTABILIDADE II: 01) Classifique as contas: Conta contábil Imóvel Imóvel para aluguel Obras de arte Marca Cliente Caixa Impostos a recolher Impostos a recuperar Fornecedores Veículos

Leia mais

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE 1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). C I A. E X E M P L O BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE Caixa 2.500 18.400 15.900 Clientes 15.600 13.400

Leia mais

1 CONCEITO DE CONTAS. Teoria Patrimonalista Patrimoniais (bens, direitos, obrigações e P.L) Resultado (despesa e receita)

1 CONCEITO DE CONTAS. Teoria Patrimonalista Patrimoniais (bens, direitos, obrigações e P.L) Resultado (despesa e receita) R O T E I R O 1) CONCEITO DE CONTAS 2) ELEMENTOS DE UMA CONTA 3) FUNÇÃO E FUNCIONAMENTO DAS CONTAS 4) MECANISMOS DE DÉBITO E CRÉDITO 5) CONTAS SINTÉTICAS E ANÁLITICAS 6) CONTAS DE RESULTADO 7) CONTAS BILATERAIS

Leia mais

CONTABILIDADE II: 01)

CONTABILIDADE II: 01) CONTABILIDADE II: 01) Uma Sociedade Empresária que possui um único estabelecimento apresentava, em 31.1.2017, após a apuração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias ICMS, um saldo de ICMS a Recuperar

Leia mais

Unidade IV ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Unidade IV ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade IV 20 RESOLUÇÃO DE UM EXERCÍCIO COMPLETO 5 Resolução de um exercício completo elaborado conforme a legislação em vigor. Todos os demonstrativos contábeis já

Leia mais

Palestra. Apresentação das Demonstrações Contábeis e Notas Explicativas (CPC 03 e 09) Outubro Elaborado por:

Palestra. Apresentação das Demonstrações Contábeis e Notas Explicativas (CPC 03 e 09) Outubro Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Balanço Patrimonial da Cia Salve&Kana

Balanço Patrimonial da Cia Salve&Kana Elaboração da DFC Método Direto A fim de possibilitar melhor entendimento, vamos desenvolver um exemplo passo a passo da montagem da DFC pelo método direto, tomando por base as informações a seguir: Balanço

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO DO SIMULADO.

1. APRESENTAÇÃO DO SIMULADO. 1. APRESENTAÇÃO DO SIMULADO. Sejam bem-vindos, meus amigos! Somos os professores Julio Cardozo, Gabriel Rabelo e Luciano Rosa e lecionamos as disciplinas de Contabilidade Geral, Avançada, de Custos e Análise

Leia mais

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade -

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade - Escrituração Contábil 05 questões Noções Gerais; Escrituração Contábil ) Considere os eventos de I a V listados abaixo. I aquisição de veículo à vista para uso na atividade operacional II baixa de bem

Leia mais

ISBE 3 - Uberlândia Novo INSTRUÇÕES DA PROVA

ISBE 3 - Uberlândia Novo INSTRUÇÕES DA PROVA Assinatura: Nº Questão: 5 INSTRUÇÕES DA PROVA A prova é individual e intransferível, confira os seus dados. Responda dentro da área reservada ao aluno. Não escreva fora das margens ou atrás da folha. Textos

Leia mais

Exercícios - Soluções

Exercícios - Soluções Propriedades para Investimento CPC 28/ IAS 40 Exercícios - Soluções EAC 0481 Contabilidade Intermediária II 1 Exercício 1 - Resposta Ativo imobilizado até a conclusão da obra (manutenção da atividade O

Leia mais

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente?

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente? 1-Estruture o Balanço Patrimonial da Cia Alfa com os dados a seguir (em $ milhões - empresa comercial): (não há problema se sobrarem linhas...) Caixa 100; Ações de Outras Companhias 1.000; Fornecedores

Leia mais

CONTABILIDADE II CAPÍTULO 01 BALANÇO PATRIMONIAL BP

CONTABILIDADE II CAPÍTULO 01 BALANÇO PATRIMONIAL BP CONTABILIDADE II CAPÍTULO 01 BALANÇO PATRIMONIAL BP ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa Fornecedores Banco Conta Movimento Duplicatas a pagar Aplicações Financeiras ICMS a recolher Duplicatas a receber

Leia mais

PROVA BIMESTRAL NP2 Mês: NOVEMBRO Ano/Semestre: 02/2009 IMPAR INSTRUÇÕES

PROVA BIMESTRAL NP2 Mês: NOVEMBRO Ano/Semestre: 02/2009 IMPAR INSTRUÇÕES Instituto de Ciências Sociais e Comunicação Campus Chácara Santo Antonio CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Período Noturno Disciplina Demonstrações Financeiras Prof. (a). M. Laura S. Gomes PROVA BIMESTRAL NP2 Mês:

Leia mais

Lista de Exercícios com Gabarito Indicadores de Liquidez e Indicadores de Atividade

Lista de Exercícios com Gabarito Indicadores de Liquidez e Indicadores de Atividade FUNDAÇÃO EDUCACIONAL ROSEMAR PIMENTEL CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE Faculdade de Administração Administração Financeira e Orçamentária I 1º semestre de 2011 Prof.: Tiago Sayão Email: tiagosayao@gmail.com

Leia mais

CDD: 657 AC:

CDD: 657 AC: Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade : revisão balanço patrimonial e DRE / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 17 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicações Práticas

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicações Práticas Introdução O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de análise econômico-financeira com base nas demonstrações de uma empresa de eletroeletrônicos Todos os valores dos demonstrativos estão

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE Prof. Wanderson S. Paris, M.Eng. prof@cronosquality.com.br NOÇÕES DE CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS X ATIVIDADES

Leia mais

Prof. Felipe Mascara

Prof. Felipe Mascara 01 - Considere as afirmativas a seguir, com relação aos Princípios Fundamentais de (PFC), do Conselho Federal de (CFC). I. COMPETÊNCIA: As receitas e as despesas devem ser incluídas na apuração do resultado

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS CONTABILIDADE AVANÇADA 1/2017 Exercício de Fixação 1

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS CONTABILIDADE AVANÇADA 1/2017 Exercício de Fixação 1 Exercício de Fixação 1 Questão 1: (Auditor Fiscal da Receita Estadual SEFAZ-RJ, 2014): Determinada empresa comercial apresentava as seguintes informações referentes ao primeiro semestre de 2013: Sabe-se

Leia mais

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 AS RESPOSTAS ESTÃO DE VERMELHO. O BALANÇO PATRIMONIAL - EXERCÍCIOS 1) Aponte a alternativa em que não

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aula 9- Unidade II - A análise tradicional das demonstrações contábeis. Prof.

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aula 9- Unidade II - A análise tradicional das demonstrações contábeis. Prof. ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aula 9- Unidade II - A análise tradicional das demonstrações contábeis Prof.: Marcelo Valverde Unidade II. Análise tradicional das demonstrações contábeis 2.4. Análise

Leia mais

EXERCÍCIOS TEORIA DA CONTABILIDADE Prof. Valbertone Fonte CFC. RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação:

EXERCÍCIOS TEORIA DA CONTABILIDADE Prof. Valbertone Fonte CFC. RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários administrativos. d) pagamento

Leia mais

AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL. NOÇÕES DE CONTABILIDADE Profª. Camila Gomes

AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL. NOÇÕES DE CONTABILIDADE Profª. Camila Gomes AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL NOÇÕES DE CONTABILIDADE Profª. Camila Gomes Contas Natureza da Conta Saldo Aumenta Diminui Patrimoniais Ativo Devedora D C Passivo Credora C D PL Credora C D Resultado Receita

Leia mais

TIPOS DE INVESTIMENTOS IMPORTANTES NA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA- PARTE ll

TIPOS DE INVESTIMENTOS IMPORTANTES NA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA- PARTE ll TIPOS DE INVESTIMENTOS IMPORTANTES NA ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA- PARTE ll! Investimento pré-operacional! Investimento em giro! Liberação do investimento em giro! Sunk Cost Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

Aula 07 Análise TCU III

Aula 07 Análise TCU III Sumário 1 TCRO Auditor CESPE 2013 - Questão 096 - Análise de Demonstrações Contábeis... 2 2 TCRO Auditor CESPE 2013 - Questão 097 - Análise de Demonstrações Contábeis... 2 3 TCU Analista (CESPE/ 2008)

Leia mais

Pede-se: Efetuar os lançamentos no livro diário e no livro razão, encerrando as contas de resultado.

Pede-se: Efetuar os lançamentos no livro diário e no livro razão, encerrando as contas de resultado. CONTABILIDADE BÁSICA I 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS UNIDADE IV VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1) A seguir estão mencionadas as transações da Empresa Petrópolis Ltda., organizada em 1º de dezembro de 2015: 01

Leia mais

VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (cap 3) Prof. Renê Coppe Pimentel Material e conteúdo padronizados elaborados por professores da FEA/USP Prof. Renê Coppe Pimentel Pg. 1 INTERLIGAÇÃO DE BALANÇOS PATRIMONIAIS

Leia mais

2 OPERAÇÕES CONTÁBEIS

2 OPERAÇÕES CONTÁBEIS 2 OPERAÇÕES CONTÁBEIS Este capítulo apresenta ao aluno a parte aplicada da Ciência Contábil especificamente ao registro contábil dos eventos patrimoniais, e alguns problemas específicos como Controle e

Leia mais

RESPOSTAS CTB03MA - 1 NPC

RESPOSTAS CTB03MA - 1 NPC Questões solicitadas na avaliação 1ª NPC - 11 de abril de 2016 QUESTÃO 1: (1,0 ponto) RA = Rentabilidade do Ativo RPL = Rentabilidade do Patrimônio Líquido Qual a RA e a RPL da Cia. Excursão, sabendo-se

Leia mais

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2016 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 7.061 Fornecedores 33.947 Contas a Receber 41.832

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ FRAS-LE SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ FRAS-LE SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 2 Demonstração do Resultado 3 Demonstração do Resultado Abrangente 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MÓDULO DE QUESTÕES DE CONTABILIDADE

Leia mais

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados.

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados. Unidade II 8 ATIVO Ativo compreende, como já vimos, os bens e direitos da empresa, classificados de acordo com sua destinação específica, que varia segundo os fins da empresa. No ativo, a disposição das

Leia mais

Comentários da prova SEFAZ-PE Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova SEFAZ-PE Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova SEFAZ-PE ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE GERAL - SEFAZ-PE Trago para vocês os comentários da prova da SEFAZ-PE realizado no último

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PROVA DE SELEÇÃO DE TUTORES NA MODALIDADE À DISTÂNCIA GRUPO: CONTABILIDADE DATA: HORÁRIO:

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Bancos 207 Fornecedores 34.860 Aplicações Financeiras 4.887 Provisão Férias e Encargos

Leia mais

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados:

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados: 1. Classifique os itens abaixo em: bens, direitos ou obrigações item bens direito obrigação Empréstimos a receber Dinheiro em caixa Dinheiro depositado no banco veículos biblioteca Salários a pagar estoques

Leia mais

Análise vertical e horizontal Análise por índices

Análise vertical e horizontal Análise por índices Capítulo Uma pergunta importante... Pensando sobre alguns pontos Análise de Informações Contábeis O que podemos fazer para extrair maiores informações dos demonstrativos contáveis? LIQUIDEZ RETORNO RISCO

Leia mais

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 (Em R$ Mil)

CNPJ / CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2017 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 23.605 Fornecedores 29.103 Contas a Receber 7.623 Provisão Férias

Leia mais

Contabilidade Introdutória

Contabilidade Introdutória Contabilidade Introdutória Profa. Mara Jane Contrera Malacrida 1 Avaliação de Estoques CPC 16 Caracterização do Estoque Estoques são ativos: a)mantidos para venda no curso normal dos negócios; b)em processo

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES

AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES FEA / USP Departamento de Contabilidade e Atuária EAC-106 Contabilidade Introdutória AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES Prof. Fernando Dal-Ri Murcia 1 Operações de compra e venda de mercadorias 1. APURAÇÃO DO RESULTADO

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Balanço patrimonial tivo Circulante Nota 31 de dezembro de 2013 31 de

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO A DRE é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa, durante o exercício social, demonstradas de forma a destacar o resultado líquido

Leia mais

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2016 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 2.956 Fornecedores 38.696 Contas a Receber 53.851

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 ATIVO NE 31/12/2015 31/12/2014 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2015 31/12/2014 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 90.705.601 82.095.096

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE

CURSO DE CONTABILIDADE Sérgio de Iudícibus José Carlos Marion CURSO DE CONTABILIDADE Para não Contadores Para as Áreas de Administração, Economia, Direito e Engenharia 7 a Edição Atualizada de acordo com a Lei n o 11.638/07,

Leia mais

Capítulo 12. Tema 10: Análise das demonstrações contábeis/financeiras: noções iniciais. Noções de Contabilidade para Administradores EAC 0111

Capítulo 12. Tema 10: Análise das demonstrações contábeis/financeiras: noções iniciais. Noções de Contabilidade para Administradores EAC 0111 1 Capítulo 12 Tema 10: Análise das demonstrações contábeis/financeiras: noções iniciais Noções de Contabilidade para Administradores EAC 0111 Prof: Márcio Luiz Borinelli Monitor: Wilson Tarantin Junior

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara IX DESAFIO CULTURAL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS- 2016 Questões de Planejamento Tributário Prof. Oscar Scherer Questão nº 01 A constituição de Fundos de Investimentos Mobiliário é uma alternativa interessante

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ LOJAS AMERICANAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ LOJAS AMERICANAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 2 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração do Fluxo de Caixa 7 Demonstração das Mutações

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Análise Horizontal do Balanço Patrimonial - É um dos indicadores da análise financeira. - Calcula-se o percentual de cada conta em relação ao demonstrativo do período (ano) anterior.

Leia mais

Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Medindo Resultados Medir o desempenho da empresa é fundamental para o sucesso e a boa gestão. Não se trata apenas de uma boa prática gerencial,

Leia mais

105 Ciências Contábeis

105 Ciências Contábeis UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Coordenação de Políticas de Acesso e Permanência Unidade de Ocupação de Vagas Remanescentes PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA ADMINISTRADORES

Leia mais

Exercício 1 Cia Revisão Balanço em 31/12/X0

Exercício 1 Cia Revisão Balanço em 31/12/X0 Exercício 1 Cia Revisão Balanço em 31/12/X0 Adiantamento de Salários 200,00 Aluguéis a Pagar 250,00 Caixa 1.050,00 Capital Social 12.000,00 Clientes 3.200,00 Contas a Pagar 350,00 Depósitos Judiciais (LP)

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ATIVO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades

Leia mais

U F F M B A P G G N GESTÃO CONTÁBIL GERENCIAL Araújo

U F F M B A P G G N GESTÃO CONTÁBIL GERENCIAL Araújo 1 Técnicas e Registro de Operações Contábeis 2 a) A Companhia Belém foi constituída em primeiro de setembro de 20X1 com capital social de $ 20.000 para atuar na revenda de produtos. Os eventos, que a empresa

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NA CÂMARA MUNICIPAL DE PAULO FRONTIN/PR CADERNO DE PROVA CONTADOR

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NA CÂMARA MUNICIPAL DE PAULO FRONTIN/PR CADERNO DE PROVA CONTADOR CADERNO DE PROVA CONTADOR Nº. DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) Domingo, 03 de junho de 2012. N.º DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MESTRADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROVA ESCRITA PROCESSO

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PROFESSOR BERNARDO BOTH Conteúdo Programático OBJETIVOS: Analisar as Demonstrações Contábeis para fins de interpretação e avaliação das situações financeiras e econômicas.

Leia mais

Curso: Administração Período: 4º Professor: Hiago Ricardo de Mello Francisco Disciplina: Administração Financeira e Orçamentária II.

Curso: Administração Período: 4º Professor: Hiago Ricardo de Mello Francisco Disciplina: Administração Financeira e Orçamentária II. Curso: Administração Período: 4º 20172 Professor: Hiago Ricardo de Mello Francisco Disciplina: Administração Financeira e Orçamentária II Observações: 1) O trabalho precisa ser entregue impresso com as

Leia mais

Ciclo Operacional e Ciclo de Caixa. Prof. Marcelo Delsoto

Ciclo Operacional e Ciclo de Caixa. Prof. Marcelo Delsoto Ciclo Operacional e Ciclo de Caixa Prof. Marcelo Delsoto Capital de Giro Entender a importância dos prazos de rotação dos Ativos na gestão das empresas. Elaborar os quadros de Ciclo Operacional e o Ciclo

Leia mais

PROVA COMENTADA CONTABILIDADE TRE PR

PROVA COMENTADA CONTABILIDADE TRE PR PROVA COMENTADA CONTABILIDADE TRE PR Olá, pessoal. Tudo bem? Comentamos a prova realizada ontem, pela Fundação Carlos Chagas, para o Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Paraná. Uma prova padrão FCC

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 ATIVO NE 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 85.142.911 86.881.544

Leia mais

ÍNDICES DE ESTRUTURA PATRIMONIAL - Estáticos 2. PARTICIPAÇÃO DO CAPITAL DE TERCEIRO (%)

ÍNDICES DE ESTRUTURA PATRIMONIAL - Estáticos 2. PARTICIPAÇÃO DO CAPITAL DE TERCEIRO (%) ÍNDICES DE ESTRUTURA PATRIMONIAL - Estáticos DAS FONTES - Que proporção cada tipo de recurso está financiando o ativo. 1.PARTICIPAÇÃO DO CAPITAL PRÓPRIO (%) Capital Pr óprio PL + REF = Ativo Ativo 2. PARTICIPAÇÃO

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 11.859 Fornecedores 40.112 Contas a Receber 77.159

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 1 FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 17

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 17 Exercício Nº 17 1 Elaboração do Balanço Patrimonial de em moeda de ATIVO Valores Históricos Valores ajustados Quant. de Valores na moeda de Ativo circulante 350.000 105.132,3249 416.324 Caixa 80.000 80.000

Leia mais

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS- PARTE II

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS- PARTE II OPERAÇÕES COM MERCADORIAS- PARTE II Impostos nas operações com mercadorias Comércio Indústria Prestadora de serviços Contribuinte de ICMS Contribuinte de ICMS/ IPI Não é contribuinte do ICMS nem do IPI

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

Módulo Extra Egbert 1

Módulo Extra Egbert 1 Módulo Extra Egbert 1 Conteúdo: Critérios de classificação dos elementos patrimoniais. Noções de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) 2 1. Balanço patrimonial CLASSIFICAÇÃO CRITÉRIOS AVALIAÇÃO

Leia mais

Finanças Corporativas 1 Revisão de Contabilidade Financeira Lista de Exercícios

Finanças Corporativas 1 Revisão de Contabilidade Financeira Lista de Exercícios Finanças Corporativas 1 Revisão de Contabilidade Financeira Lista de Exercícios 1. Conceitos básicos de contabilidade e importância para finanças a. O que é contabilidade e quais são os três principais

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JULHO DE 2013 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 314 Fornecedores 36.047 Aplicações Financeiras 2.323 Provisão Férias

Leia mais

Contabilidade. Resumo do curso

Contabilidade. Resumo do curso Contabilidade Resumo do curso Siglas usadas AC = Ativo circulante ADF = Análise de demonstrações financeiras ANC = Ativo não circulante AV = À vista BP = Balanço patrimonial DFC = Demonstração do fluxo

Leia mais

Geovane Camilo dos Santos

Geovane Camilo dos Santos Exercício de Fixação 1 Questão 1: (Auditor Fiscal da Receita Estadual SEFAZ-RJ, 2014): Determinada empresa comercial apresentava as seguintes informações referentes ao primeiro semestre de 2013: Sabe-se

Leia mais

Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo, PL) = , , , ,00

Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo, PL) = , , , ,00 p. 86 Teoria Patrimonialista: Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo, PL) = 13.400,00 + 2.400,00 + 10.500,00 + 5.300,00 = = 31.600,00 Gabarito: B Teoria Patrimonialista: Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo,

Leia mais

Avaliação a Distância AD2. Período - 2012/2º. Disciplina: CONTABILIDADE GERAL II. Coordenadora: TEREZA DE JESUS RAMOS DA SILVA

Avaliação a Distância AD2. Período - 2012/2º. Disciplina: CONTABILIDADE GERAL II. Coordenadora: TEREZA DE JESUS RAMOS DA SILVA Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Avaliação a Distância AD2 Período - 2012/2º Disciplina:

Leia mais

Prof Flávio S. Ferreira

Prof Flávio S. Ferreira Prof Flávio S. Ferreira flavioferreira@live.estacio.br http://flaviosferreira.wordpress.com 1 Conceitos Introdutórios Receita produto da venda Gasto sacrifício financeiro Investimento gasto ativado em

Leia mais

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis OUTUBRO 2012. Elaborado por: Elias da Silveira Cerqueira

Oficina Técnica. Adoção Inicial das Novas Normas Contábeis OUTUBRO 2012. Elaborado por: Elias da Silveira Cerqueira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon Avaliação de Empresas EVA E MVA Aula 11 EVA Indica a quantia em termos monetários que foi adicionada à riqueza efetiva do acionista em determinado período Diferente do lucro contábil, pois considera o

Leia mais

Organização da Aula. Análise de Investimentos e Financiamentos. Aula 5. Contextualização. Análise de Investimentos

Organização da Aula. Análise de Investimentos e Financiamentos. Aula 5. Contextualização. Análise de Investimentos Análise de Investimentos e Financiamentos Aula 5 Organização da Aula Índices econômico-financeiros e análise horizontal e vertical Prof. Cleverson Luiz Pereira Contextualização Os índices são relações

Leia mais

Teoria da Contabilidade

Teoria da Contabilidade Teoria da Contabilidade Prof. Dr. Fernando Caio Galdi Professor Associado da FUCAPE Business School Diretor da FUCAPE Consulting fernando.galdi@fucape.br Mensurando o Lucro 1 Lucro O que é? Conceito de

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EAD MÓDULO VI DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EAD MÓDULO VI DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EAD MÓDULO VI DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS Nesse módulo abordaremos as duas demonstrações contábeis Balanço Patrimonial BP e Demonstração do Resultado do Exercício DRE,

Leia mais

Etapas da análise das demonstrações

Etapas da análise das demonstrações Etapas da Análise das Demonstrações Financeiras Etapas da análise das demonstrações Coleta de dados Conferência dos dados coletados Preparação dos dados para análise Processamento dos dados Análise dos

Leia mais

VERSÃO XXXX com resoluções NOME: Nº ALUNO: CURSO:

VERSÃO XXXX com resoluções NOME: Nº ALUNO: CURSO: VERSÃO XXXX com resoluções NOME: Nº ALUNO: CURSO: Instituto Superior Técnico -DEG ALAMEDA LEMat, LEAmb, LMAC, LET, LEGM, MEC, MEBiol, MEQ, LEAN, MEAer, MEMec, MEBiom, MEFT Ano Lectivo 2007/2008 2º Semestre

Leia mais

(A) (B) (C) (D) (E)

(A) (B) (C) (D) (E) 01- FCC 2014 A Cia. Investidora adquiriu 90% das ações da Cia. Gama por R$ 5.000.000,00. Na data da aquisição, o Patrimônio Líquido da Cia. Gama era de R$ 3.500.000,00 e o valor justo líquido dos ativos

Leia mais