- ; - -1,- NOTA TÉCNICA N`& / CGNOR/DSST/SIT/MTPS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- ; - -1,- NOTA TÉCNICA N`&5-7.12016/ CGNOR/DSST/SIT/MTPS"

Transcrição

1 . - ; - -1,- - MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO Esplanada dos Ministérios, Bloco F, Anexo, Ala B, 1 andar, sala CEP: Brasilia/DF sitgmte gov br - Fone: (61) /6632/6162/6751 NOTA TÉCNICA N`& / CGNOR/DSST/SIT/MTPS N do Protocolo: / Documento de Referência: Solicitação da Força Sindical para regulamentação da Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho - SIPAT Interessado: Arnaldo Gonçalves Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho da FORÇA SINDICAL Ementa: Esclarecimentos sobre a Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho SIPAT. I - Introdução Trata-se de solicitação da Força Sindical para manifestação do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho sobre a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho - SIPAT. A alegação da Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho da Força Sindical é que a falta de regulamentação específica para a SIPAT provoca a perda de objeto das atividades desenvolvidas pelas empresas durante a programação da semana que deveria ser dedicada à formação e conscientização de trabalhadores. II Da Análise A SIPAT está prevista no ordenamento jurídico brasileiro na regulamentação das atribuições previstas para a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA, regulamentada pela Norma Regulamentadora 05 (NR-05) que prevê:

2 5.16 A CIPA terá por atribuição: o) promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, onde houver, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho SIPAT; Depreende-se, portanto, que os objetivos da Semana Interna de Prevenção de Acidentes estão intrinsecamente conectados aos objetivos da própria CIPA, previstos no primeiro item própria NR-05, tais como: 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. Então cabe à CIPA prevenir os acidentes de trabalho e doenças decorrentes do trabalho. Essa é sua principal missão. Destaque pode ser dado à expressão "promoção da saúde" neste item. A Carta de Ottawa, documento elaborado durante a 1 8 Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde definiu a promoção da saúde como sendo o "processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade de vida e saúde, incluindo uma maior participação no controle deste processo. Para atingir um estado de completo bem-estar fisico, mental e social os indivíduos e grupos devem saber identificar aspirações, satisfazer necessidades e modificar favoravelmente o meio ambiente. A saúde deve ser vista como um recurso para a vida, e não como objetivo de viver. Nesse sentido, a saúde é um conceito positivo, que enfatiza os recursos sociais e pessoais, bem como as capacidades fisicas. Assim, a promoção da saúde não é responsabilidade exclusiva do setor saúde, e vai para além de um estilo de vida saudável, na direção de um bem-estar global". Dessa forma, a SIPAT deve ter como seu princípio norteador a busca pela promoção da saúde dos trabalhadores. Deve-se compreender que a construção de um meio

3 ambiente de trabalho saudável é um processo com foco na capacitação da comunidade. Esse processo de melhoria da qualidade de vida e de saúde deve ser organizado ativamente pelos trabalhadores, porém isso só será possível se os indivíduos e se os grupos possuírem as ferramentas necessárias para identificar suas necessidades, traçar objetivos e compreender os meios disponíveis para a modificação do ambiente. Todo esse processo só é possível a partir da capacitação dos trabalhadores e da disponibilidade da empresa em se colocar à disposição para adotar as soluções para a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores. Portanto, os instrumentos para o alcance dos objetivos da SIPAT deve ser a educação, a conscientização e o debate entre os trabalhadores e entre os trabalhadores e a empresa. Resta, então, a dúvida de qual deverá ser o conteúdo abordado pelas infinitas capacitações possíveis de serem desenvolvidas durante a SIPAT. A melhor orientação é a de observar a próprias atribuições da CIPA, secundárias ao objetivo maior, porém norteadoras do conteúdo para alcance da promoção da saúde do trabalhador: 5.16 A CIPA terá por atribuição: a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT, onde houver; b) elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva na solução de problemas de segurança e saúde no trabalho; c) participar da implementação e do controle da qualidade das medidas de prevenção necessárias, bem como da avaliação das prioridades de ação nos locais de trabalho; d) realizar, periodicamente, verificações nos ambientes e condições de trabalho visando a identificação de situações que venham a trazer riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores; e) realizar, a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas em seu plano de trabalho e discutir as situações de risco que foram identificadas;

4 f) divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho; g) participar, com o SESMT, onde houver, das discussões promovidas pelo empregador, para avaliar os impactos de alterações no ambiente e processo de trabalho relacionados à segurança e saúde dos trabalhadores; h) requerer ao SESMT, quando houver, ou ao empregador, a paralisação de máquina ou setor onde considere haver risco grave e iminente à segurança e saúde dos trabalhadores; i) colaborar no desenvolvimento e implementação do PCMSO e PPRA e de outros programas relacionados à segurança e saúde no trabalho; j) divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, bem como cláusulas de acordos e convenções coletivas de trabalho, relativas à segurança e saúde no trabalho; I) participar, em conjunto com o SESMT, onde houver, ou com o empregador, da análise das causas das doenças e acidentes de trabalho e propor medidas de solução dos problemas identificados; m) requisitar ao empregador e analisar as informações sobre questões que tenham interferido na segurança e saúde dos trabalhadores; n) requisitar à empresa as cópias das CAT emitidas; o) promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, onde houver, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho SIPAT; p) participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS. p) participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS. Qualquer conteúdo de capacitação que esteja relacionado ao objetivo maior de promoção da saúde ou que esteja relacionado a alguma das atribuições da CIPA será um conteúdo de valor para a melhoria do ambiente de trabalho. Também podem ser adotados

5 diferentes instrumentos ou meios para o desenvolvimento das capacitações, seja com uso de palestras, dinâmicas de grupo, grupos de debate orientado, mesas redondas, etc. Podem, portanto, ocorrer capacitações relacionadas aos mapas de riscos (conforme o item a), ou rodas de debate em relação aos riscos existentes no processo de trabalho (para alcance das atribuições relacionadas aos itens b, c ou g), debates sobre riscos nos ambientes ainda não identificados pelo SESMT ou pela CIPA (item d), palestras específicas sobre alguma norma regulamentadora (item j), capacitação para identificação de riscos graves e iminentes (item h), dentre vários outros temas possíveis. Os organizadores devem sempre ter em mente que a melhor forma de sedimentar o conteúdo repassado durante as capacitações é a partir do desenvolvimento do interesse do trabalhador pelos temas. Em não havendo uma regra geral de prescrição ou proibição dos tipos de atividades que devem ser realizadas durante a SIPAT, recomenda-se que todas as palestras, dinâmicas, jogos, peças teatrais, jogos ou premiações, dentre diversas outras atividades, sejam adaptados para o objetivo principal de promover capacitações e a conscientização dos trabalhadores. Competições ou jogos, por exemplo, podem ser focados na temática, tal como um jogo de perguntas e respostas sobre questões de SST. Premiações podem ser realizadas para trabalhadores que se destacaram ou que inovaram no cumprimento das regras de SST. Dinâmicas de grupo podem buscar soluções para situações que apresentem riscos. Enfim, a criatividade dos organizadores é fundamental para atrair o interesse dos trabalhadores e facilitar a aprendizagem. III - Conclusão Portanto, não existe uma única forma de organizar e desenvolver uma Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho SIPAT. Toda programação dependerá do tipo de atividade econômica da empresa, do número de empregados, do nível de conhecimento dos empregados em relação às questões de SST, dos assuntos de interesse de empregados e do empregador, dentre diversos outras variáveis. O foco dos organizadores deve ser a promoção da saúde, ou seja, a capacitação dos trabalhadores para que eles próprios possam ser cada vez mais os atores ativos dos processos que influenciam nas suas relações com o ambiente de trabalho para a

6 melhoria da qualidade de vida e prevenção de acidentes e adoecimentos relacionados ao trabalho. As estratégias para capacitação e os temas podem assumir infinitas configurações, porém sempre levando em consideração as necessidades dos trabalhadores e da empresa e a melhor forma de transmitir o conteúdo e despertar o interesse dos envolvidos. Brasília, 4 de março de ALEXANDRE FURTADO SCARPELLI FERREIRA Coordenador de Normatização e Registros De acordo. Encaminhe-se ao DS ST. Brasília, '? / _5 /2016. ROMULO O E SILVA Coordenador-Geral de Normatização e Programas De acordo. Encaminhe-se à SIT. Brasília, l(-1/ /2016. RINALDO NHO COSTA LIMA Diretor do Departam to de Segurança e Saúde no Trabalho De acordo. Encaminhe-se ao interessado. Brasília,JIS /,13 /2016. PAULO SERIO D>ALMEIDA Secretário de Irisne(ão do Trabalho

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES A sigla CIPA significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, isto é, trata-se de um grupo de pessoas que atua no interior da empresa com o objetivo

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES. Jeferson Seidler

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES. Jeferson Seidler CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Objetivo A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar

Leia mais

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES OBJETIVO 1 / 8

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES OBJETIVO 1 / 8 OBJETIVO 1 / 8 Conforme Norma Regulamentadora 5 (NR5) a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. NR 5 Portaria SSST n.º 08, de 23 de fevereiro de 1999

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. NR 5 Portaria SSST n.º 08, de 23 de fevereiro de 1999 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA NR 5 Portaria SSST n.º 08, de 23 de fevereiro de 1999 Objetivo Tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a

Leia mais

Norma Regulamentadora 05. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 05. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 05 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

(Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 05 de novembro de 2012 INFORMATIVO 1

(Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 05 de novembro de 2012 INFORMATIVO 1 (Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 05 de novembro de 2012 INFORMATIVO 1 O que é CIPA? A CIPA vem por meio desse informativo, esclarecer o que é, quais as atribuições e como trabalha,

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS APROVADAS PELA PORTARIA 3214 DE 08/06/1978 33 NR REVOGADAS NR RURAIS EM 15/04/2008 http://www.mte.gov.br/legislacao normas regulamentadoras NR 4 - SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA

Leia mais

Roberto Frederico Merhy REITOR

Roberto Frederico Merhy REITOR RESOLUÇÃO UNIV N o 16, DE 10 DE AGOSTO DE 2000. Homologa o Regulamento da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, na

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CIPA. Comissão Interna de Prevenção de Acidente

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CIPA. Comissão Interna de Prevenção de Acidente INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidente O que é CIPA? A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é um instrumento disponível aos trabalhadores que trata da prevenção

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 1. INTRODUÇÃO A Faculdade de Medicina Veterinária/UNESP Câmpus de Araçatuba, é uma instituição que possui como principais atividades: o Ensino e a Pesquisa.

Leia mais

SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO. Professor: Gleison Renan Inácio Curso: Tecnólogo Mecatrônica

SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO. Professor: Gleison Renan Inácio Curso: Tecnólogo Mecatrônica SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO Professor: Gleison Renan Inácio gleison.renan@ifsc.edu.br Curso: Tecnólogo Mecatrônica NR-4 - SERVIÇOS - Aula ESPECIALIZADOS 02 EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Segurança

Leia mais

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO Página 1 de 6 SUMÁRIO 1. Objetivo... 3 2. Escopo... 3 3. Referências... 3 4. Definições... 3 Conceitos... 3 Siglas... 3 5. Detalhamento... 4 Atribuições da... 4 Constituição da... 4 Treinamento da... 4

Leia mais

O Guia Completo. Como montar uma CIPA

O Guia Completo. Como montar uma CIPA O Guia Completo Como montar uma CIPA Índice Introdução 03 O que é CIPA? 04 Obrigatoriedade da CIPA 05 Composição da CIPA 06 Atribuições da CIPA 09 Processo Eleitoral da CIPA 13 Treinamento para CIPA 17

Leia mais

Lucineide Cruz Juliana Pontelo SAIBA TUDO SOBRE CONSTITUIÇÃO DA CIPA NORMA REGULAMENTADORA COMENTADA

Lucineide Cruz Juliana Pontelo SAIBA TUDO SOBRE CONSTITUIÇÃO DA CIPA NORMA REGULAMENTADORA COMENTADA Lucineide Cruz Juliana Pontelo SAIBA TUDO SOBRE CONSTITUIÇÃO DA CIPA NORMA REGULAMENTADORA COMENTADA As autoras agradecem a Ricardo Henrique Paulino da Cruz pela colaboração pela revisão desta obra. Página

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Profa. Soraya Ferreira Habr

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Profa. Soraya Ferreira Habr Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Profa. Soraya Ferreira Habr O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. CIPA Conceito COMISSÃO: Grupo de pessoas conjuntamente encarregadas

Leia mais

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA)

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA) Capítulo 4 Riscos ambientais empresariais Segundo o artigo 9.1.5 da Portaria n 25, de 29.12.94, do Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, considera-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO NO BRASIL

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO NO BRASIL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO NO BRASIL TÓPICO 1: CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL O Artigo 7, Inciso XXII, determina como direito do trabalhador a garantia de redução

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO

Orientações Consultoria de Segmentos Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO 29/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6. Referências... 5 7.

Leia mais

TEMA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

TEMA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES TEMA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Disciplina: Engenharia de Segurança DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças

Leia mais

NR 05 - CIPA. 5.2 Deve ser organizada por estabelicimento

NR 05 - CIPA. 5.2 Deve ser organizada por estabelicimento NR 05 CIPA 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTES GESTÃO 2012/2013

PREVENÇÃO DE ACIDENTES GESTÃO 2012/2013 PREVENÇÃO DE ACIDENTES A Segurança não é o simples ato egoísta de não querer acidentar, mas sobretudo, um ato de solidariedade de não deixar ocorrer acidentes MÓDULO I NR5 Norma Regulamentadora nº 5 OBJETIVO

Leia mais

NR 5 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

NR 5 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NR 5 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de

Leia mais

PROGRAMA DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Fazenda Araucária Mineiros GO

PROGRAMA DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Fazenda Araucária Mineiros GO PROGRAMA DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL Fazenda Araucária Mineiros GO Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 5 3. Comissão de Prevenção de Acidentes- CIPA CPA... 6 4. Programa de Prevenção de Riscos

Leia mais

NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes ( )

NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes ( ) NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (205.000-5) DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho,

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA 5 - NR 5 COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA

NORMA REGULAMENTADORA 5 - NR 5 COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA NORMA REGULAMENTADORA 5 - NR 5 COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças

Leia mais

Professor Responde. Dúvidas mais comuns relacionadas a Segurança e Medicina do Trabalho NR01 ORDEM DE SERVIÇO

Professor Responde. Dúvidas mais comuns relacionadas a Segurança e Medicina do Trabalho NR01 ORDEM DE SERVIÇO Professor Responde Dúvidas mais comuns relacionadas a Segurança e Medicina do Trabalho NR01 ORDEM DE SERVIÇO Saiba exatamente tudo sobre o assunto SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Quem é PROFESSOR Hoje

Leia mais

SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO

SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO Breve História da Revolução Industrial (1760-1830) Art. 82 Decreto-Lei 7.036 de 10.11.1944 Institucionalização da CIPA Art. 7º da Constituição Federal Promulgada em 05-10-1988

Leia mais

PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA

PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Gerência Executiva de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA PROJETO 2014 Julho de 2014 1. DADOS DA COMPANHIA Razão

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017 PRIMEIRA RETIFICAÇÃO A Prefeitura Municipal de Guaíra, Estado de São Paulo, torna público que realizará por meio do INSTITUTO EXCELÊNCIA LTDA - ME, na forma prevista no artigo 37, inciso IX, da Constituição

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA. O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA. O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA Profª MsC Carla Pintas O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. NR 5 - Portaria 3.214/78, alterada pelas Portarias 33/83, 25/94 e 08/99

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes 04/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

DO OBJETIVO DA CONSTITUIÇÃO

DO OBJETIVO DA CONSTITUIÇÃO NR 5 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (205.000-5) * NR aprovada pela Portaria MTb 3.214/1978. * Texto de acordo com a Portaria SSST 8/1999. DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de

Leia mais

GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS-GDP

GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS-GDP GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS-GDP SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS JOAO FRANCISCO ALVES ORGANOGRAMA FUNCIONAL Gerência de Desenvolvimento de

Leia mais

Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar)

Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar) Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar) Segundo a OMS, saúde é o mais completo estado de bemestar físico, psicológico e social para um indivíduo. O que significa

Leia mais

Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais

Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) 99112-3636 - netobv@hotmail.com Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais 1 DA SEGURANÇA E DA MEDICINA DO TRABALHO Art. 156 - Compete

Leia mais

QUALIDADE. Importante: Nesta edição: Como Obter a Maturidade no SGQ

QUALIDADE. Importante: Nesta edição: Como Obter a Maturidade no SGQ Egelte Engenharia Ltda Informativo Mensal Ano 9-108 Edição QUALIDADE Como Obter a Maturidade no SGQ O Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) em muitas vezes é visto por apenas 3 pontos, implementação, gestão

Leia mais

Curso Técnico de Segurança do Trabalho: 3 (três) períodos com 7 (sete) disciplinas por período. 1º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Curso Técnico de Segurança do Trabalho: 3 (três) períodos com 7 (sete) disciplinas por período. 1º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus São Gonçalo Curso Técnico de Segurança do Trabalho:

Leia mais

REVISTA DIGITAL SST. Saúde e Segurança do Trabalho - Direito do Trabalho e Previdenciário NR 05 ATRIBUIÇÕES DA CIPA. Odemiro J B Farias

REVISTA DIGITAL SST. Saúde e Segurança do Trabalho - Direito do Trabalho e Previdenciário NR 05 ATRIBUIÇÕES DA CIPA. Odemiro J B Farias REVISTA DIGITAL SST Saúde e Segurança do Trabalho - Direito do Trabalho e Previdenciário NR 05 ATRIBUIÇÕES DA CIPA Odemiro J B Farias 4.2. As Comissões Internas de Prevenção de Acidentes 4.2.1 CONCEITO

Leia mais

LEI Nº /09/2001

LEI Nº /09/2001 LEI Nº 13.174 05/09/2001 Art 1º IMPLANTAÇÃO DA CIPA Todas as unidades das diversas secretarias; Autarquias; 20(vinte) trabalhadores (as) Art. 3º NR 5 Portaria 3.214/78 Lei 6.514/78 MTE Art 2º ESTABILIDADE

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas das

Leia mais

OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO.

OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO. OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO www.grupomednet.com.br [ quem somos? ] 550 7100 MIL VIDAS CLIENTES 30 UNIDADES 22 ANOS 11 ESTADOS SISTEMA PRÓPRIO DE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru- SP Eixo Tecnológico: Segurança. Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

Vantagens e cuidados exclusivos para você e sua empresa.

Vantagens e cuidados exclusivos para você e sua empresa. Vantagens e cuidados exclusivos para você e sua empresa. Pioneira na gestão da Medicina e Segurança do Trabalho Sobre a RH Vida A RH Vida Saúde Ocupacional é uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica

Leia mais

O QUE É TERESINA AGENDA

O QUE É TERESINA AGENDA O QUE É TERESINA AGENDA 2015 (Observação: neste capítulo colocar fotos de reuniões de especialistas e do Conselho estratégico) A Agenda 21 O Desenvolvimento Sustentável do planeta é um compromisso assumido

Leia mais

NR4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho

NR4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho NR4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho A NR 4 diz respeito aos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT)e tem como finalidade

Leia mais

PORTARIA Nº 25, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (D.O.U. DE 30/12/94) O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

PORTARIA Nº 25, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (D.O.U. DE 30/12/94) O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA Nº 25, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (D.O.U. DE 30/12/94) O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO o disposto nos artigos 155 e 200, Item VI,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES PARA AS EMPRESAS RESUMO MENDES, Aline Favalessa 1 A CIPA é uma das ferramentas de suma importância para proteção do trabalhador, uma vez que

Leia mais

Kadjanery Araújo Macedo dos Santos Heloísa de Oliveira Campos

Kadjanery Araújo Macedo dos Santos Heloísa de Oliveira Campos CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde IMPLANTAÇÃO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO HOSPITAL REGIONAL DEOCLÉCIO MARQUES DE LUCENA, PARNAMIRIM/RN

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia. NR-34 e 35. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira

Instituto Superior de Tecnologia. NR-34 e 35. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Instituto Superior de Tecnologia NR-34 e 35 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-34 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval NR-34 Tem por finalidade estabelecer

Leia mais

Ergonomia e Organização do Trabalho CNROSSI ERGONOMIA E FISIOTERAPIA PREVENTIVA

Ergonomia e Organização do Trabalho CNROSSI ERGONOMIA E FISIOTERAPIA PREVENTIVA Ergonomia e Organização do Trabalho Ergonomia Modern Times Charles Chaplin EUA/1936 Conceito Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento, ambiente e, particularmente,

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico. Qualificação: Sem certificação técnica

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico. Qualificação: Sem certificação técnica Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro.

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro. Aberturas em pisos e paredes. Revisão: 00 Folha: 1 de 5 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras efetuem a montagem e a colocação das proteções de acordo com as especificações da NR -18 e

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 1

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 1 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 1 Competências a serem trabalhadas nesta aula Aplicar legislação brasileira e Norma Regulamentadora NR-7, específicas à Saúde

Leia mais

Boletim Cipa 27/10/2011

Boletim Cipa 27/10/2011 Boletim Cipa 27/10/2011 Neste boletim, vamos conhecer as atribuições do SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (STS - Setor de Saúde, na UNESP) e CIPA Comissão

Leia mais

LISTA DE EXERCÌCIOS 1

LISTA DE EXERCÌCIOS 1 Faculdade Anhanguera de Guarulhos Rua do Rosário, 300, Centro - Guarulhos SP. Data: / / 2014 Nota: Nome RA Assinatura Ergonomia e Segurança do Trabalho José Jorge Alcoforado Curso/Turma Disciplina Professor

Leia mais

Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS.

Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS. 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS. Nas inspeções, procura-se identificar, registrar

Leia mais

PROJETO BRINCANDO SE APRENDE

PROJETO BRINCANDO SE APRENDE PROJETO BRINCANDO SE APRENDE COLÉGIO ESTADUAL PROFESSOR EDGARD SANTOS APRESENTAÇÃO A Matemática e a Língua Portuguesa são vistas como disciplinas de difícil aprendizagem, muitas vezes até rejeitada pelos

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CIMATEC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para as atividades complementares no âmbito da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC. CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

CALENDÁRIO PROCESSO ELEITORAL CIPA

CALENDÁRIO PROCESSO ELEITORAL CIPA DATA DA POSSE DA ATUAL GESTÃO DA CIPA VIGÊNCIA - BIANUAL CALENDÁRIO PROCESSO ELEITORAL CIPA Nº ATIVIDADES PRAZO DATA EXATA DATA CORRIGIDA DIAS ANTES DA POSSE 1 CONVOCAR OS SERVIDORES PARA ELEIÇÃO 60 DIAS

Leia mais

Introdução à Segurança e Saúde no Trabalho. Tópicos de Segurança e Saúde no Trabalho

Introdução à Segurança e Saúde no Trabalho. Tópicos de Segurança e Saúde no Trabalho Introdução à Segurança e Saúde no Trabalho Tópicos de Segurança e Saúde no Trabalho Trabalho - Conceito Para Adam Smith, o trabalho é considerado a causa da riqueza das nações e um meio de promover o progresso

Leia mais

PLANO DE GESTÃO INTRODUÇÃO

PLANO DE GESTÃO INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO PLANO DE GESTÃO 2014 A Faculdade de Engenharia da Unesp Câmpus de Ilha Solteira é uma instituição que tem como principais atividades o ensino, a pesquisa e a extensão. Os servidores estão

Leia mais

Assessoria, Consultoria e Treinamentos em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente.

Assessoria, Consultoria e Treinamentos em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente. www.ssocial.com.br TÓPICOS Sobre Nós...03 Relatório do perfil profissiográfico previdenciário - PPP...04 Laudo técnico das condições do ambiente de trabalho...04 Laudo de avaliação dos riscos ambientais...05

Leia mais

Alunos: Alexandre Schwingel; Daniele Bernardino; Danuza Zandoná Profª: Dayana Ruth

Alunos: Alexandre Schwingel; Daniele Bernardino; Danuza Zandoná Profª: Dayana Ruth Alunos: Alexandre Schwingel; Daniele Bernardino; Danuza Zandoná Profª: Dayana Ruth A NR 7 NR-7, Norma Regulamentadora nº 7 é a sétima Norma contida na Portaria n. 3.214/78. Atualmente esta Norma recebe

Leia mais

PROGRAMA DE PO S-GRADUAÇA O EM PROMOÇA O DA SAU DE

PROGRAMA DE PO S-GRADUAÇA O EM PROMOÇA O DA SAU DE PROGRAMA DE PO S-GRADUAÇA O EM PROMOÇA O DA SAU DE 1. Apresentação A saúde é um conceito positivo, que enfatiza os recursos sociais, naturais e pessoais, bem como, as capacidades físicas do indivíduo.

Leia mais

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1. Norma Regulamentadora 04 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.0 - jun/13 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL

PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL EMPRESA COOPERCARGO COOPERATIVA DOS TRANSPORTADORES DE JOINVILLE (JABOATÃO DOS GUARARAPES / PE) PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL 26 de SETEMBRO de 2016 Perfil da Empresa Nome: COOPERCARGO

Leia mais

Relatório de conclusão de trabalhos da Comissão Interna de Prevenção. de Acidentes CIPA FCFRP Gestão 2015/2016

Relatório de conclusão de trabalhos da Comissão Interna de Prevenção. de Acidentes CIPA FCFRP Gestão 2015/2016 Ribeirão Preto, 30 de março de 2016. Relatório de conclusão de trabalhos da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA FCFRP Gestão 2015/2016 A (CIPA) na gestão de 2015/16 foi formada por representantes

Leia mais

ACIDENTES DO TRABALHO

ACIDENTES DO TRABALHO Gustavo Filipe Barbosa Garcia ACIDENTES DO TRABALHO doenças ocupacionais e nexo técnico epidemiológico De acordo com a Lei 13.429/2017 6ª edição, revista e atualizada 2017 II PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

Leia mais

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 04 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 - dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

PALESTRA PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI

PALESTRA PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI PALESTRA - 2012 PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI Data: 27 de Novembro de 2012 Local: Macaé - RJ OBJETIVO Chamar atenção sobre a importância da prevenção dos acidentes e da

Leia mais

PROCEDIMENTO ABORDAGEM ÀS EMPRESAS

PROCEDIMENTO ABORDAGEM ÀS EMPRESAS NOME DA ATIVIDADE: EXECUÇÃO DA VISANDO APRESENTAR O MODELO SESI EM SST NO SENTIDO DE BUSCAR ADESÃO. RESULTADOS ESPERADOS: - IDENTIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PRIORITÁRIAS E POTENCIAIS CLIENTES - REALIZAÇÃO DE

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS Saúde e Seguranca Ocupacional Prof. Carlos William de Carvalho 1 NR-1 Disposições Gerais Determina a aplicabilidade de todas as normas regulamentadoras, assim como os direitos e

Leia mais

Anexo 10 Recomendação 10: aprimoramento da responsabilidade das organizações de apoio e comitês consultivos

Anexo 10 Recomendação 10: aprimoramento da responsabilidade das organizações de apoio e comitês consultivos Anexo 10 Recomendação 10: aprimoramento da responsabilidade das organizações de apoio e comitês consultivos 1. Resumo 1 O CCWG-Responsabilidade recomenda abordar a responsabilidade de organizações de apoio

Leia mais

PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP NATUREZAS DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1

PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP NATUREZAS DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1 PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP 13-04-2016 DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1 DIRETRIZES DE SSO/SMS ASSOCIADA ITEM 1.1 - TEOR DO REQUISITO - IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

QUEM SOMOS NOSSO COMPROMISSO

QUEM SOMOS NOSSO COMPROMISSO PROTEÇÃO ASSESSORIA / CONSULTORIA / TREINAMENTOS / PLANOS DE EMERGÊNCIAS BRIGADA DE EMERGÊNCIAS - TRABALHO EM ALTURA - ESPAÇOS CONFINADOS - PRIMEIROS SOCORROS QUEM SOMOS A SS Treinamentos iniciou suas

Leia mais

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s)

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) http://www.mte.gov.br/ NR 01 Disposições Gerais 02 Inspeção Prévia 03 Embargo ou Interdição TEMA 04 Serviços Especializados em Eng. de Segurança

Leia mais

CURSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO. Normas Regulamentadoras

CURSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO. Normas Regulamentadoras CURSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Normas Regulamentadoras Conteúdo programático O que são NRś Quais as NRś Vigentes NR -1 Disposições Gerais NR 2 Inspeção Prévia NR 3 Embargo ou Interdição NR 4 Serviços

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

Ficha Informativa + Segurança

Ficha Informativa + Segurança Ficha Informativa + Segurança Saúde Edição N.º 19 Atividades Técnicas do Serviço de Segurança no Trabalho dezembro de 2016 O desenvolvimento da prevenção de riscos profissionais no local de trabalho é

Leia mais

Norma Regulamentadora 07. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 07. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 07 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 - dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas

Leia mais

Legislação Comentada:

Legislação Comentada: Serviço Social da Indústria Departamento Regional da Bahia Legislação Comentada: NR 3 - Embargo ou Interdição Salvador-Bahia 2008 Legislação Comentada: NR 3 - Embargo ou Interdição FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS

Leia mais

Curitiba/PR

Curitiba/PR XXXI JORNADA PARANAENSE DE SAÚDE OCUPACIONAL IV CONGRESSO PARANAENSE DE MEDICINA DO TRABALHO II ENCONTRO IBEROAMERICANO II SIMPÓSIO PARANAENSE DE HIGIENE OCUPACIONAL FISCALIZAÇÕES E DOCUMENTOS E PADRÕES

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 01. Procedimento para fundações, escavações e desmonte de rocha.

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 01. Procedimento para fundações, escavações e desmonte de rocha. Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. Objetivo Este Manual de Recomendação, tem como objetivo, assegurar que todas as obras efetuem proteção coletiva que prever a adoção de medidas que evitem a ocorrência de desmoronamento,

Leia mais

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO TÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1 - À coordenação de eixo-tecnológico compete: I - Convocar e presidir as reuniões do Colegiado de Curso; II - Submeter à Coordenação

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP 1 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 - CELETISTA Pelo presente instrumento particular de Acordo Coletivo de Trabalho de um lado o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Itu, entidade

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DA QUALIDADE. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a da Qualidade Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DA QUALIDADE. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a da Qualidade Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DA QUALIDADE PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a da Qualidade Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 ÁREA DE ACTIVIDADE - ENQUADRAMENTO NA ORGANIZAÇÃO/EMPRESA OBJECTIVO

Leia mais

APLICAÇÃO DA ERGONOMIA EM BIBLIOTECAS RESUMO

APLICAÇÃO DA ERGONOMIA EM BIBLIOTECAS RESUMO APLICAÇÃO DA ERGONOMIA EM BIBLIOTECAS Cézar Wilson Martinez Félix RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar uma definição de Ergonomia e sua relação com algumas das áreas científicas ou ciências auxiliares

Leia mais

PREVENRIO PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI

PREVENRIO PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI PREVENRIO -2012 PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI Data: 24 de Agosto de 2012 Local: Centro de Convenções Sulamerica OBJETIVO Chamar atenção sobre a importância da prevenção

Leia mais

Disciplina: Engenharia de Segurança. Tema: Introdução à Engenharia de Segurança. NR 1 - Disposições Gerais

Disciplina: Engenharia de Segurança. Tema: Introdução à Engenharia de Segurança. NR 1 - Disposições Gerais Disciplina: Engenharia de Segurança Tema: Introdução à Engenharia de Segurança NR 1 - Disposições Gerais 1.1. As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas

Leia mais

(UNIDADE LAGES FRIGORÍFICO VERDI LTDA) PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL

(UNIDADE LAGES FRIGORÍFICO VERDI LTDA) PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL EMPRESA SEGURIDADE SERVIÇOS DE SEGURANÇA LTDA (UNIDADE LAGES FRIGORÍFICO VERDI LTDA) PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL 04 de AGOSTO de 2016 Perfil da Empresa Nome: SEGURIDADE SERVIÇOS DE

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Metodologias Adotadas... 4 2.1. Metodologia para Estruturar o Processo... 4 2.2. Metodologia para Definir como Identificar os

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Pelo presente instrumento particular, de um lado, a EMPRESA, qualificada no TERMO DE ADESÃO À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração

PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração XXXI Jornada Paranaense de Saúde Ocupacional, IV Congresso Paranaense de Medicina do Trabalho II Encontro Iberoamericano II Simpósio Paranaense de Higiene Ocupacional PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração

Leia mais