PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013."

Transcrição

1 PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de ACRESCENTA À ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO DISPOSITIVOS DE ACESSO, O PADRÃO TECNOLÓGICO CONFIGURAÇÃO MÍNIMA DE SOFTWARES PARA ESTAÇÕES DE TRABALHO. O DIRETOR-PRESIDENTE DA EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA S.A. IPLANRIO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, e, CONSIDERANDO as disposições contidas na Portaria N Nº 173 de 19 de abril de, que define o modelo de governança para padrões tecnológicos; RESOLVE: Art. 1º Estabelecer como padrão tecnológico da Arquitetura de Padrões Tecnológicos de Interoperabilidade da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (), no segmento Dispositivos de acesso, o padrão Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho. Art. 2º Todos as estações de trabalho no ambiente da IplanRio e unidades administrativas da PCRJ deverão seguir as políticas, conforme o contido na norma integrante desta portaria e descrita no ANEXO ÚNICO desta. Art. 3º - Este padrão passa a compor o Catálogo de Padrões Tecnológicos e- PINGRIO, sob o código P03-001, disponibilizado na intranet da IplanRio, Art. 4º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. RICARDO DE OLIVEIRA Diretor-Presidente da IPLANRIO Av. Presidente Vargas, 3131/sala 1204 Tel.: (21) Fax: (21)

2 ANEXO ÚNICO 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho Segmento Dispositivos de Acesso Código P Revisão PUBLICAÇÃO Data para adoção 17 de Abril de 2013 Publicação PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de PROPÓSITO DO PADRÃO Reduzir a diversidade de configurações de estações de trabalho e seus componentes permitindo, assim, melhores condições de administração e suporte. Além, de promover benefícios como: redução de problemas gerados pela incompatibilidade entre software e hardware, redução do esforço na resolução de incidentes ou problemas causados pela desatualização dos softwares, facilitar a atualização dos componentes de software de forma planejada e programada, facilitar a implementação de procedimentos para restabelecer a configuração em caso de problemas nas estações de trabalho, causados por defeitos ou acidentes etc, garantir a implementação das recomendações da Política de Segurança da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, viabilizar a configuração e o desempenho adequados às necessidades dos sistemas de informação e dos usuários das estações de trabalho. 4. RESPONSÁVEL PELO PADRÃO Órgão Diretoria Setor IplanRio DOP Diretoria de Operações GSA - Gerência de Suporte e Atendimento 5. DESCRIÇÃO DO PADRÃO Para efeito da arquitetura de padrões tecnológicos entende-se como configuração mínima de software para estações de trabalho o conjunto mínimo de programas (softwares), cujo uso é direcionado para a automatização ou apoio a realização de tarefas dos usuários relacionadas a processamento, armazenamento e troca de dados e informações. 2 de 7 Av. Presidente Vargas, 3131/ sala 1302

3 6. POLÍTICA E NORMATIZAÇÃO DE USO 6.1. Fica estabelecido o padrão tecnológico de configuração mínima de softwares para estações de trabalho, a partir dos componentes listados na especificação técnica desta portaria Todas as novas estações de trabalho a serem inseridas no dominio rio.rj.gov.br deverão seguir as normas descritas neste documento Os casos omissos serão analisados pela Gerência de Suporte e Atendimento da Diretoria de Operações, que determinará qual a solução mais apropriada à(s) questão(ões) que surgir(em) Caso ocorra a necessidade de utilização de outra configuração de software, esta deverá ser justificada, desde que não prejudique a interoperabilidade A IplanRio se resguarda o direito de não garantir o efetivo suporte a estações de trabalho que não correspondam ao padrão mínimo estabelecido Quando da necessidade de acesso à rede corporativa e acesso às bases dos sistemas de informação, a estação de trabalho deverá obedecer aos procedimentos de acesso e segurança estabelecidos pela IplanRio Será de responsabilidade da Diretoria de Operações/Gerência de Suporte e Atendimento monitorar e definir os procedimentos necessários para a correta configuração das estações de trabalho Com o objetivo de melhorar a capacidade de atendimento às demandas, atualização e modernização, os componentes do padrão tecnológico configuração mínima de softwares para estações de trabalho serão revistos pela Diretoria de Tecnologia da IplanRio com periodicidade de 180 dias a contar da data de publicação desta portaria A equipe responsável pelo padrão deverá apresentar um plano de ação no prazo de 90 dias, a contar da data de publicação desta portaria com os objetivos de: Análise de migração do sistema operacional Windows 8 da situação em estudo para adotado; Atualização do aplicativo emulador de terminal Infoconnect versão 2004 para uma versão compatível com o Sistema Operacional Windows 8 ou alteração para outro aplicativo emulador compatível. 3 de 7 Av. Presidente Vargas, 3131/ sala 1302

4 7. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 7.1. Especificação dos componentes: Componente Especificação Observação Situação Windows 7 Recomendado Windows XP Transição Sistema Operacional Windows 8 Estudo Futuro Linux Ubuntu Não suportado pela Estudo Futuro IplanRio Pacote para edição eletrônica de documentos Libre Office Recomendado Mozzila Adotado Cliente Correio Emulador Pacote de ferramentas de Segurança Visualizador de arquivos de documentos portáveis Cliente Inventário Visualizador de imagens Compactador/descompactador de arquivos Navegador Configurações de Serviços Thunderbird Cliente Lotus Notes 6 Infoconnect ver Padrão tecnológico P Adobe Reader Altiris Visualizador padrão do sistema operacional IZarc Internet Explorer 8 (ou superior) Mozilla Firefox 6 (ou superior) Maquina Virtual Java da Sun Cliente DNS Cliente DHCP Atualizações Automáticas Estação de Trabalho Servidor(ou compatíveis) Central de Segurança Firewall do Windows (ou compatíveis) Usado para as contas Lotus Domino Ativada nos navegadores Desabilitado Desabilitado Transição Transição Adotado 4 de 7 Av. Presidente Vargas, 3131/ sala 1302

5 7.2. Especificações de Rede e Conectividade a. Configurações de Rede i. Usar DHCP para configurar: por padrão, deverão utilizar o serviço de configuração automática de endereços IP; ii. Observação: Nos casos onde a configuração por DHCP seja inviável, serão determinadas as configurações a serem aplicadas e tratadas como exceção. b. Configurações de Proxy Web i. As configurações de Proxy Web são automáticas, conforme critérios técnicos e de localidade Especificações de Sistema Operacional a. Configurações de Instalação para sistemas baseados em Windows: i. Usar 2 partições no disco rígido: por padrão, o disco deverá ser particionado em 2 unidades, a saber: 1. Disco C: (Windows) deverá ter o rótulo Windows e ter o espaço 40% do disco rígido. Este deverá conter o sistema operacional Windows; 2. Disco D: (Dados) deverá ter o rótulo Dados e ter o espaço de 60% do disco rígido. Este deverá conter os arquivos dos usuários, e opcionalmente a estrutura de perfis de usuários ( Documents and Settings ou Users, dependendo do Sistema Operacional). ii. Nos casos omissos em que a capacidade do disco rígido for considerada, pela equipe responsável, como insuficiente para atender este padrão, será utilizada apenas uma partição com o tamanho total do espaço do disco. iii. Sistema Operacional licenciado: A IplanRio não instalará sistemas operacionais não licenciados. b. Configurações de Segurança: i. Utilizar somente a solução de ferramenta de segurança prevista em portaria, conforme o padrão P02.001; ii. Não utilizar solução de Firewall de terceiros: evitando problemas de aplicação de Objetos Políticas de Grupo (GPO - Group Policy Objects) de domínio e outras configurações via rede; iii. Usuários não possuem direito de administrador: nos casos omissos, deverão ser analisados pela equipe responsável conforme a necessidade e o nível de privilégio no sistema que será concedido, sempre prevalecendo os critérios de segurança (Decreto nº de 30 de maio de 2008 e portarias relacionadas) 5 de 7 Av. Presidente Vargas, 3131/ sala 1302

6 iv. Usuário local Administrador (ou sem uso ) deverão ter senha com padrão de segurança elevado, chamado senha forte, que será configurada no momento da inclusão do micro no domínio rio.rj.gov.br e periodicamente será alterada via política de grupo de domínio; v. Aplicativos adicionais serão disponibilizados através do Portal de Software da IplanRio, ícone disponibilizado na área de trabalho para os que estão no domínio rio.rj.gov.br, e poderão ser selecionados e instalados pelo usuário. 8. DEFINIÇÕES E ABREVIAÇÕES Termo Estação de trabalho Computador Hardware Periférico Software Dominio Dominio rio.rj.gov.br GPO Situação adotado Situação recomendado Situação transição Definição Sistema computacional cujo uso é direcionado para a automatização ou apoio à realização de tarefas dos usuários, relacionadas a processamento, armazenamento e troca de dados e informações. Equipamento para armazenamento e processamento de dados. Parte física do computador, composta por circuitos eletrônicos, cabos e placas, tais como: processador, gabinete, fonte, placa-mãe. Equipamento conectado a uma estação de trabalho com objetivo de realizar tarefas complementares. Aplicação, um programa de computador, que permite executar determinadas tarefas. Construção de endereço web empregada para identificar e localizar computadores na Internet. Endereço web da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Group Policy Objects Objetos de Diretivas de Grupo que seriam aqueles objetos sujeitos a uma Política de Grupo, característica da família de sistemas operacionais Microsoft Windows que controlam o ambiente de trabalho, as contas de usuários e de computadores, o gerenciamento centralizado de configurações de sistemas operacionais, os aplicativos e as configurações de usuários. Componente do padrão adotado como padrão, tendo sido submetido a um processo formal de homologação Componente do padrão atende às políticas técnicas da e- PingRio, é reconhecido como um item que deve ser utilizado no âmbito das instituições de governo, mas ainda não foi submetido a um processo formal de homologação. Componente do padrão não recomendado, por não atender a um ou mais requisitos estabelecidos nas políticas gerais e técnicas da arquitetura; é incluído na e-pingrio em razão de seu uso significativo, tendendo a ser desativado/migrado/substituído assim que algum outro componente, em uma das duas situações 6 de 7 Av. Presidente Vargas, 3131/ sala 1302

7 Termo Definição anteriores (Adotado ou Recomendado) venha a apresentar condições totais de substituí-lo e melhor relação custo/benefício no processo de transição. Convém salientar que o desenvolvimento de novos serviços ou a reconstrução de partes significativas dos já existentes deve evitar o uso de componentes classificados como transitórios. Componente que está em avaliação e poderá ser enquadrado Situação estudo numa das situações acima, assim que o processo de avaliação estiver concluído Situação estudo futuro Componente ainda não avaliado e que será objeto de estudo posterior. Windows 8 Sistema Operacional da empresa Microsoft versão 8 Emulador de terminal Aplicativo de computador que permite que um usuário conectese e utilize recursos e aplicativos de outro computador Infoconnect Aplicativo emulador de terminal da empresa Unisys Portal de Software Portal web com a função de distribuição de aplicativos homologados para uso no ambiente da IplanRio e unidades administrativas da PCRJ 7 de 7 Av. Presidente Vargas, 3131/ sala 1302

1. P03 Dispositivos de Acesso. Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho P03.001

1. P03 Dispositivos de Acesso. Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho P03.001 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P03.001 Revisão v. 2014 2. PUBLICAÇÃO Órgão IplanRio Diretoria DOP Diretoria de Operações Setor GSA - Gerência de Suporte e Atendimento 1 de 6 epingrio@iplanrio.rio.rj.gov.br

Leia mais

PORTARIA Nº 178 DE 25 DE OUTUBRO DE 2012.

PORTARIA Nº 178 DE 25 DE OUTUBRO DE 2012. PORTARIA Nº 178 DE 25 DE OUTUBRO DE 2012. Acrescenta a arquitetura de padrões tecnológicos de Interoperabilidade - e- PINGRIO, no segmento recursos tecnológicos o padrão tecnológico sistemas operacionais

Leia mais

PORTARIA N Nº Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2013.

PORTARIA N Nº Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2013. PORTARIA N Nº Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2013. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO ORGANIZAÇÃO E INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES, O PADRÃO TECNOLÓGICO

Leia mais

PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012.

PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO RECURSOS TECNOLÓGICOS, O PADRÃO TECNOLÓGICO SISTEMAS DE GERENCIAMENTO

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

PORTARIA N Nº 182 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012.

PORTARIA N Nº 182 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. PORTARIA N Nº 182 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE - e-pingrio, NO SEGMENTO SEGURANÇA DE TECNOLOGIA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Leia mais

Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal

Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation.

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS BÁSICOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Este Manual aplica-se a todos os Usuário de T.I. do Ministério Público de Goiás. ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Manter o Manual Atualizado

Este Manual aplica-se a todos os Usuário de T.I. do Ministério Público de Goiás. ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Manter o Manual Atualizado Versão 01 - Página 1/8 1 Objetivo Orientar o usuário de T.I. a solicitar atendimento. Mostrar o fluxo da solicitação. Apresentar a Superintendência 2 Aplicação Este Manual aplica-se a todos os Usuário

Leia mais

Manual de Configuração de Ambiente para Utilização do Login via Certificado Digital no Cadastro Web

Manual de Configuração de Ambiente para Utilização do Login via Certificado Digital no Cadastro Web Manual de Configuração de Ambiente para Utilização do Login via Certificado Digital no Cadastro Web AÇÕES IMPORTANTES Ao tentar acessar o Cadastro Web por meio da certificação digital, é fundamental realizar

Leia mais

MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução

MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução Autor Público Alvo Rodrigo Cristiano dos Santos Suporte Técnico, Consultoria e Desenvolvimento. Histórico Data 13/06/2012 Autor Rodrigo Cristiano Descrição

Leia mais

Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios

Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios Objetivos: Ativar e gerenciar o serviço de roteamento; Ativar e gerenciar serviços de terminal remoto; Redirecionar diretórios através

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

CSAU 10.0. Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar.

CSAU 10.0. Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar. CSAU 10.0 Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar. Data do Documento: Janeiro de 2012 Sumário 1. Sobre o manual do CSAU... 3 2. Interface do CSAU 10.0... 4 2.1. Início... 4 2.2. Update...

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02 Prof. André Lucio Competências da aula 2 Instalação e configuração dos sistemas operacionais proprietários Windows (7 e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014 O Diretor Presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos CPRH, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo Decreto nº. 30.462 de 25 de

Leia mais

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 13 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PADRONIZAÇÃO DOS RECURSOS DE T.I. 4 5. AQUISIÇÃO

Leia mais

Migração para Software Livre Administração da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira

Migração para Software Livre Administração da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira Migração para Software Livre Administração da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira Valdir Barbosa valdir@adm.feis.unesp.br Outubro 2009 Agenda Motivação Objetivos Projeto Piloto /Treinamento Aplicativos

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS ; 3) SUMÁRIOS GENEPLUS.

MANUAL DE INSTALAÇÃO 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS ; 3) SUMÁRIOS GENEPLUS. PROGRAMA EMBRAPA DE MELHORAMENTO DE GADO DE CORTE MANUAL DE INSTALAÇÃO 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS ; 3) SUMÁRIOS GENEPLUS. MANUAL DE INSTALAÇÃO: 1) ORACLE VIRTUALBOX ; 2) MICROSOFT WINDOWS

Leia mais

Norma de Segurança Estadual para Gerenciamento de Senhas

Norma de Segurança Estadual para Gerenciamento de Senhas GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL CONSELHO SUPERIOR DO SISTEMA ESTADUAL DE INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANEXO I - RESOLUÇÃO Nº. 011/2011

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS TERMO DE REFERÊNCIA Serviços de informática Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS 1 I VISITA IN LOCO No dia 24 de junho de 2014 na sede da Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS realizamos

Leia mais

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais, DECRETO Nº 012, de 05 de agosto de 2009. DISPÕE SOBRE O USO DOS SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET AOS ÓRGÃOS E DEPARTAMENTOS QUE INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE PICUÍ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

Anexo VI Edital nº 03361/2008. Projeto de Integração das informações de Identificação Civil. 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP

Anexo VI Edital nº 03361/2008. Projeto de Integração das informações de Identificação Civil. 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP Anexo VI Edital nº 03361/2008 Projeto de Integração das informações de Identificação Civil 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP A Senasp procura adotar os padrões de interoperabilidade

Leia mais

Edital 012/PROAD/SGP/2012

Edital 012/PROAD/SGP/2012 Edital 012/PROAD/SGP/2012 Nome do Candidato Número de Inscrição - Assinatura do Candidato Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE SABORES DO BRASIL. Interface de OPERAÇÃO (no caixa)

MANUAL DO USUÁRIO. Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE SABORES DO BRASIL. Interface de OPERAÇÃO (no caixa) MANUAL DO USUÁRIO Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE SABORES DO BRASIL Interface de OPERAÇÃO (no caixa) http://abf.e-deploy.com.br/operacao/ Versão 1.0 Conteúdo Sobre o programa fidelidade

Leia mais

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente Servidor Lista de Preparação de OpenLAB do Data Local Store A.02.01 Objetivo do Procedimento Assegurar que a instalação do Servidor de OpenLAB Data Store pode ser concluída com sucesso por meio de preparação

Leia mais

WebZine Manager. Documento de Projeto Lógico de Rede

WebZine Manager. Documento de Projeto Lógico de Rede WebZine Manager Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.0 Data: 10 de Setembro de 2012 Identificador do documento: WebZine Manager Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: SoftSolut,

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

EMULAÇÃO 3270 VIA WEB BROWSER

EMULAÇÃO 3270 VIA WEB BROWSER EMULAÇÃO 3270 VIA WEB BROWSER https://acesso.serpro.gov.br Jose.gomes@serpro.gov.br Divisão de Suporte Tecnológico SERPRO - Regional Brasília 0xx61-411 9007 Emulação 3270 via Web Browser O serviço de Emulação

Leia mais

NFe Nota Fiscal Eletronica

NFe Nota Fiscal Eletronica 1 NFe Nota Fiscal Eletronica Introdução O NFe Tron, apesar de ser um sistema complexo, possui um método simples de instalação, configurando todos os elementos necessários para o funcionamento básico do

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP)

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) teste 1 Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) Rafael Fernando Diorio www.diorio.com.br Tópicos - Atualizações e segurança do sistema - Gerenciamento do computador -

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Instalação Cliente Notes 6.5

Instalação Cliente Notes 6.5 Instalação Cliente Notes 6.5 1/1 Instalação Cliente Notes 6.5 LCC.008.2005 Versão 1.0 Versão Autor ou Responsável Data 1.0 Fabiana J. Santos 18/11/2005 RESUMO Este documento apresenta um roteiro de instalação

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

Projeto e Implantação de Servidores

Projeto e Implantação de Servidores SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO SISTEMA DE SELEÇÃO USINICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA Projeto

Leia mais

AULA 7: Remote Desktop

AULA 7: Remote Desktop AULA 7: Remote Desktop Objetivo: Praticar a aplicação de acesso remoto via protocolo RDP (Remote Desktop) em ambientes Microsoft Windows. Ferramentas: Máquina Virtual Windows 2003 Server; Máquina Virtual

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá Conselho de Câmpus REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

MicroWork TOUCH CRM. Considerações Gerais

MicroWork TOUCH CRM. Considerações Gerais Considerações Gerais O é uma importante ferramenta para o controle de fluxo de loja de sua concessionária. Através deste aplicativo, sua recepcionista de showroom registrará os dados de contato de todos

Leia mais

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração Personata Recorder Manual de Instalação e Configuração Julho / 2013 1 Índice 1- Pré-requisitos......3 2 Verificação do Hardware......3 3 Instalação......5 4 Configuração Inicial......8 4.1 Localização......8

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

MANUAL CFTV DIGITAL - LINHA LIGHT 16 CANAIS 120 FPS / VID 120-LI CONFIGURAÇÃO DO COMPUTADOR 16 Canais - 120 FPS Processador Dual Core 2.0GHZ ou superior; Placa Mãe Intel ou Gigabyte com chipset Intel;

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) MAIO/2010

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) MAIO/2010 PROCEDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO DO SERVIÇO DE CONECTIVIDADE COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) MAIO/2010 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS Manual de Instalação Tempro Software StavTISS Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 4.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC O AMBIENTE OPERACIONAL QUE AGREGA A CONFIABILIDADE E O SUPORTE DA ITAUTEC À SEGURANÇA E À PERFORMANCE DO LINUX O LIBRIX É UMA DISTRIBUIÇÃO PROFISSIONAL LINUX

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS-SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Monitoramento de Sistemas P05.002

Monitoramento de Sistemas P05.002 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P05.002 Revisão v. 2014 2. PUBLICAÇÃO Sistemas Arquitetura de Soluções Versão Data para adoção Publicação v. 2014 29 de dezembro de 2014 PORTARIA N Nº 228 de 23

Leia mais

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.eletronico.gov.br www.eping.e.gov.br Total de 26 Sistemas de Gestão Governamental Qual o problema? Ex: SISTEMA SISTEMA SISTEMA SISTEMA s

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

02. A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é:

02. A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é: Prova sobre informática para concursos. 01 A definição de Microcomputador é: a) Equipamento com grade capacidade de memória principal (256 Megabytes), vários processadores, alta velocidade de processamento.

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Group Folha no servidor...6

Leia mais

Manual de Instalação Flex

Manual de Instalação Flex Manual de Instalação Flex Sumário 1. Sobre este documento... 3 2. Suporte técnico... 3 3. Requisitos de hardware... 4 4. Instalação... 5 4.1. Instalação no servidor... 5 4.1.1. Instalação do sistema...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI PERFIL TÉCNICO Versão 2.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PREFEITURA DE GUARULHOS SP 1 Objetivo: Esse manual tem como objetivo principal instruir os

Leia mais

TUTORIAL INSTALAÇÃO DA ROTINA 2075 NO LINUX

TUTORIAL INSTALAÇÃO DA ROTINA 2075 NO LINUX Apresentação O departamento de varejo da PC Sistemas inovou seu produto de frente de caixa, permitindo seu funcionamento no sistema operacional do Linux com a distribuição Ubuntu. O cliente poderá usar

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

Instalando software MÉDICO Online no servidor

Instalando software MÉDICO Online no servidor Instalando software MÉDICO Online no servidor A máquina denominada Servidora é a que armazenará o banco de dados do software (arquivo responsável pelas informações inseridas), compartilhando com as demais

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 233/2013 Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Procedimentos de Formatação e Nova Instalação do Sistema. Procedimentos de Formatação do Sistema. Procedimentos de Nova Instalação do Sistema

Procedimentos de Formatação e Nova Instalação do Sistema. Procedimentos de Formatação do Sistema. Procedimentos de Nova Instalação do Sistema Procedimentos de Formatação e Nova Instalação do Sistema Objetivo: Padronizar os procedimentos de formatação e nova instalação para agilizar os seus respectivos processos e o backup/restauração dos dados

Leia mais

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero Servidor, Proxy e Firewall Professor Victor Sotero 1 Servidor: Conceito Um servidor é um sistema de computação centralizada que fornece serviços a uma rede de computadores; Os computadores que acessam

Leia mais

1ª ETAPA IMPRIMIR LAUDO

1ª ETAPA IMPRIMIR LAUDO PROCEDIMENTOS PARA IMPRESSÃO DOS LAUDOS DE AVALIAÇÃO SÓCIO-ECONÔMICA COM FOTOS EM PDF PARA USO NO SISTEMA DO PROCESSO ELETRÔNICO. Inicialmente digite seu laudo de avaliação conforme modelo padronizado

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento... 3 2. Suporte técnico... 3 3. Requisitos de hardware... 4 3.1. Estação... 4 3.2. Servidor... 4 4. Instalação... 5 4.1. Instalação no servidor... 5

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Sumep Julho/2006 PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Objetivo

Leia mais

SICOOBNET EMPRESARIAL

SICOOBNET EMPRESARIAL SICOOBNET EMPRESARIAL Apresentação do produto Características principais Segurança Procedimentos para utilização Adesão Instalação Cadastro de computador Transações disponíveis AGENDA APRESENTAÇÃO DO PRODUTO

Leia mais

DESENVOLVER SISTEMAS 1 OBJETIVO

DESENVOLVER SISTEMAS 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe Departamento de s de Informação (DESIS) DESENVOLVER SISTEMAS Analisado por: Departamento de s de Informação (DESIS) Aprovado por: Diretor-Geral de Tecnologia da Informação (DGTEC)

Leia mais

Manual de Usuário INDICE

Manual de Usuário INDICE Manual de Usuário INDICE Características do Sistema... 02 Características Operacionais... 03 Realizando o Login... 04 Menu Tarifador... 05 Menu Relatórios... 06 Menu Ferramentas... 27 Menu Monitor... 30

Leia mais

SUMÁRIO 3 DAJE. 3 cartórios online E cartórios off-line

SUMÁRIO 3 DAJE. 3 cartórios online E cartórios off-line SUMÁRIO 3 introdução 3 DEFINIÇÕES 3 DAJE 3 cartórios online E cartórios off-line 4 instalação 4 Requisitos básicos de equipamentos para a instalação 4 Verificações a serem feitas antes de instalar o sistema

Leia mais

Alertamos que essa é uma configuração avançada e exige conhecimentos técnicos em informática para ser executada.

Alertamos que essa é uma configuração avançada e exige conhecimentos técnicos em informática para ser executada. Prezados declarantes da DES, A Secretaria de Finanças, através da (GETM) e da Gerência de Informática, comunica que existe uma forma de configurar o servidor em rede sem que o programa da DES necessite

Leia mais

Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal

Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. As informações

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE

SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE MUDANÇAS TENDÊNCIAS GERADORAS DE MUDANÇAS Aumento do número de usuários de telefones celulares Proliferação de dispositivos com capacidades de rede Crescente variedade de

Leia mais

Organização de arquivos e pastas

Organização de arquivos e pastas Organização de arquivos e pastas Pasta compara-se a uma gaveta de arquivo. É um contêiner no qual é possível armazenar arquivos. As pastas podem conter diversas subpastas. Definir a melhor forma de armazenamento

Leia mais

Manual de Instalação ( Client / Server ) Versão 1.0

Manual de Instalação ( Client / Server ) Versão 1.0 1 pág. PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DO SGCOM ATENÇÃO: É OBRIGATÓRIO UMA CONEXÃO COM A INTERNET PARA EXECUTAR A INSTALAÇÃO DO SGCOM. Após o Download do instalador do SGCOM versão Server e Client no site www.sgcom.inf.br

Leia mais

Positivo Network Manager v.2.0.10

Positivo Network Manager v.2.0.10 Positivo Network Manager v.2.0.10 O Positivo Network Manager é um sistema de gerenciamento remoto de desktops desenvolvido pela própria Positivo Informática. Foi especialmente projetado para trabalhar

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) TÉCNICO TRT s 07 PROVAS 35 QUESTÕES. (2012, 2011 e 2008)

INFORMÁTICA FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) TÉCNICO TRT s 07 PROVAS 35 QUESTÕES. (2012, 2011 e 2008) INFORMÁTICA FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) TÉCNICO TRT s 07 PROVAS 35 QUESTÕES (2012, 2011 e 2008) A apostila contém provas de Informática de concursos da Fundação Carlos Chagas (FCC), realizadas para os

Leia mais

Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário

Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário Versão 1.2 3725-69877-001 Rev.A Novembro de 2013 Neste guia, você aprenderá a compartilhar e visualizar conteúdos durante uma conferência

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Configurando e Implantando o Windows Server 2003 Fabricio Breve Requisitos de Hardware de Sistema Processador Mínimo: 266 MHz Mínimo ideal:

Leia mais

EMULADOR 3270 VIA WEB BROWSER

EMULADOR 3270 VIA WEB BROWSER EMULADOR 3270 VIA WEB BROWSER Host On-Demand - HOD Versão 6.0 Fev/2002 Suporte Técnico: Central de Atendimento SERPRO CAS 0800-782323 Gilson.Pereira@serpro.gov.br Marcio.Nunes@serpro.gov.br O que é o serviço

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Setembro 2008 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Sistemas Operacionais II Prof. Gleison Batista de Sousa Objetivos de aprendizagem Conhecer o funcionamento dos sistemas operacionais para redes de computadores. Aprender como é feito o gerenciamento do

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA

INTRODUÇÃO AO SISTEMA MANUAL DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Nome do Software: Guarux Versão do Software: Guarux Educacional 4.0 INTRODUÇÃO AO SISTEMA O Guarux Educacional 4.0 é uma distribuição idealizada pela

Leia mais

3. Cópias de segurança de dados armazenados em um computador são importantes para se prevenir de eventuais falhas, como também das consequências de

3. Cópias de segurança de dados armazenados em um computador são importantes para se prevenir de eventuais falhas, como também das consequências de 3. Cópias de segurança de dados armazenados em um computador são importantes para se prevenir de eventuais falhas, como também das consequências de uma possível infecção por vírus. Acerca disso, analise

Leia mais

Configurando o sistema em rede Local

Configurando o sistema em rede Local O SHOficina, SHPet e o SHSap podem ser utilizados como monousuário ou em rede de até 3 computadores (1 Servidor + 2 estações). Se você tem conhecimento intermediário em informática conseguirá seguir este

Leia mais

Padrões de Atendimento de Serviços da empresa

Padrões de Atendimento de Serviços da empresa Padrões de Atendimento de Serviços da empresa Softland Sistemas seguinte documento (abreviado para PAS) apresenta os padrões de serviços prestados pela Softland Sistemas Versão 1.0 06 de janeiro de 2010

Leia mais

Redes de computadores

Redes de computadores Redes de computadores Eletrônica IV Redes de Computadores Aula 03 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 4 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Windows 2003 Server

Leia mais

TREINAMENTO. Novo processo de emissão de certificados via applet.

TREINAMENTO. Novo processo de emissão de certificados via applet. TREINAMENTO Novo processo de emissão de certificados via applet. Introdução SUMÁRIO Objetivo A quem se destina Autoridades Certificadoras Impactadas Produtos Impactados Pré-requisitos para utilização da

Leia mais

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Versão 30/06/2014 FOR Segurança Eletrônica Rua dos Lírios, 75 - Chácara Primavera Campinas, SP (19) 3256-0768 1 de 12 Conteúdo A cópia total ou parcial

Leia mais

ZENworks for Handhelds 5.1 8 de abril de 2003. Índice. 1.0 Visão geral

ZENworks for Handhelds 5.1 8 de abril de 2003. Índice. 1.0 Visão geral ZENworks for Handhelds 5.1 8 de abril de 2003 Índice 1.0 Visão geral 2.0 O que há de novo no ZfH 5.1? 2.1 Suporte a dispositivos BlackBerry que executam o RIM OS 2.1.1 Suporte a políticas 2.1.2 Distribuição

Leia mais

Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1

Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1 Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1 Sobre o Fiery Extended Applications O Fiery Extended Applications (FEA) 4.1 é um pacote dos seguintes aplicativos para uso

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais