UM MECANISMO DE BUSCA POR SOFTWARE AGROPECUÁRIO USANDO ONTOLOGIAS E RETORNO DO USUÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM MECANISMO DE BUSCA POR SOFTWARE AGROPECUÁRIO USANDO ONTOLOGIAS E RETORNO DO USUÁRIO"

Transcrição

1 UM MECANISMO DE BUSCA POR SOFTWARE AGROPECUÁRIO USANDO ONTOLOGIAS E RETORNO DO USUÁRIO RESUMO Fernanda Campos Universidade Federal de Juiz de Fora Núcleo de Pesquisa em Qualidade de Software Regina Braga Universidade Federal de Juiz de Fora Núcleo de Pesquisa em Qualidade de Software Nos últimos anos, a disponibilidade de software agropecuário vem aumentando significativamente. Diante desta realidade, é importante a especificação de mecanismos de busca na web que permitam aos usuários deste tipo de software identificar os produtos adequados para a sua realidade. Apesar de já existirem mecanismos de busca específicos para a agropecuária, estes mecanismos não atendem de maneira satisfatória as necessidades dos usuários. Neste contexto, este trabalho tem como objetivo descrever a especificação de um mecanismo de busca por software agropecuário utilizando os conceitos de ontologia e retorno do usuário. Através da aplicação destas técnicas, acreditamos que os resultados do mecanismo de busca sejam mais precisos e voltados para as reais necessidades de seus usuários. Palavras-chave: Software Agropecuário, Ontologia, Retorno do Usuário, Mecanismos de Busca na Internet A SEARCH MECHANISM FOR AGRICULTURAL SOFTWARE, USING ONTOLOGY AND RELEVANCE FEEDBACK ABSTRACT In the last years, the availability of agricultural software is increasing. In this context, it is important the specification of search mechanism on the web that permits the identification of right products for a given reality. Although there are some specific agricultural search mechanisms on the web, these mechanisms do not fulfill user s expectations. The main objective of this work is the specification of a search mechanism for the agricultural domain, using ontologies and relevance feedback techniques. We believe that using these techniques, our search mechanism can retrieve more precise results. Key Words: Agricultural software, Ontology, Relevance Feedback, Search Mechanisms for the web. INTRODUÇÃO A disponibilidade de produtos de software para a agropecuária é bem diversa. Atualmente existem softwares no mercado que atendem aos mais diversos segmentos da agricultura e da pecuária.

2 No entanto, ao longo dos anos, pudemos identificar a dificuldade na busca e identificação de produtos que pudessem atender às necessidades dos usuários finais. Existem alguns catálogos e guias de classificação dos softwares agropecuários [AGR00], [FAR94], mas estes são incompletos e, geralmente, utilizam sistemas de busca inadequados. Atualmente, estes mecanismos de busca disponíveis no mercado baseiam suas buscas em palavras chave [AGR00]. Este tipo de mecanismo é semanticamente limitado[men99], uma vez que depende do próprio usuário saber utilizar as palavras corretas na sua busca. O sucesso da busca deste usuário dependerá, portanto, do seu nível de conhecimento do mecanismo de classificação utilizado, de forma a utilizar as palavras corretas para na busca a ser realizada. Neste sentido, um usuário que procura um software que possa atender às suas necessidades em termos de funcionalidades, plataforma operacional, áreas de cobertura, entre outras, sente dificuldades em encontrar um produto ou produtos adequados e com isso acaba por não adquiri-los. Isso ocorre por falta de uma classificação precisa, que leve em consideração aspectos mais semânticos na busca por estes produtos. Observando este problema e analisando os resultados alcançados com o uso de ontologias no entendimento e delimitação de um dado domínio de aplicação [BRA99], [OLI99], [FAL98], [NIE98], [GUA98] e para atender a uma demanda dos usuários e desenvolvedores, foi desenvolvido um projeto para a especificação de uma classificação para o setor de software agropecuário, utilizando conceitos e termos usualmente referenciados pelos usuários em potencial deste tipo de software. Para isso contamos com o apoio do Núcleo Softex Agrosoft Juiz de Fora-Viçosa-Lavras e Embrapa-CNPGL. Na atual fase do projeto, a especificação da ontologia do domínio de agropecuária está completa e o trabalho está atualmente concentrado na especificação do mecanismo de busca a ser disponibilizado na Internet. Este mecanismo de busca, além de utilizar a ontologia especificada como base para a classificação dos produtos, utiliza em conjunto um mecanismo de relevance feedback [DAV01] que permite aprimorar os resultados das buscas de acordo com pesos que usuários com perfis diferenciados (especialistas no domínio, desenvolvedores de produtos e usuários final) atribuem, explicitamente ou não, às ligações dos produtos com os termos utilizados na classificação. Uma ontologia, neste contexto, é caracterizada como uma rede semântica [GUA98], onde termos (conceitos, funcionalidades e relacionamentos) do domínio são explicitados para facilitar a busca por software na área. Assim, os produtos de software disponíveis no mercado são classificados de acordo com esta rede semântica, criando-se ligações entre os termos do domínio e os produtos de software. Para cada ligação são atribuídos pesos que denotam uma ligação mais forte ou mais fraca do produto com aquele termo. Utilizamos para isso técnicas de classificação inteligente, similares aos projetos pilotos de mecanismos de busca utilizando agentes inteligentes na Web como Amathea [MOU97] e WebWatcher [MLA98]. As abordagens, disponíveis para busca de informação na web de forma geral, podem ser consideradas tradicionais. Geralmente estas buscas são baseadas em texto livre; que realizam uma análise na página HTML disponibilizada para classificação; ou buscas baseadas em um vocabulário controlado. A busca baseada em texto livre, também muitas vezes referida como uso de vocabulário não controlado, consiste em se analisar a freqüência de palavras no texto. Esta abordagem, bastante utilizada na classificação de documentos HTML, é justificada quando se tem uma grande massa de texto

3 a ser analisado. No entanto, existem críticas a sua eficácia, pois adota uma abordagem puramente sintática de análise do texto. O uso de um vocabulário controlado é baseado no uso de um conjunto de palavras chave que são utilizadas como termos para a indexação. Estas palavras chave são derivadas e definidas por especialistas e são projetadas para descrever da melhor maneira possível, conceitos relevantes ao domínio. Neste contexto, a criação sistemática e controlada deste vocabulário poderia ser considerada como similar à criação de uma ontologia do domínio. Segundo [PRI91], o uso de um vocabulário controlado para a classificação de software é mais apelativo do que a análise de texto livre. Em um vocabulário controlado, os termos representativos do domínio são organizados em um esquema de classificação, que provê uma rede de relacionamentos pré-definidos, introduzindo assim mais informação semântica. É importante também levar em consideração que no contexto de classificação de produtos de software baseada em um vocabulário controlado, existem termos semanticamente mais ligados a determinado produto do que outros. Assim, devemos considerar, além da classificação propriamente dita, o peso semântico desta ligação. Considerando as técnicas de busca utilizando um vocabulário controlado, o diferencial da nossa abordagem é que além de utilizar este vocabulário controlado, utilizamos também técnicas de relevance feedback para aprimorar a busca. Nossa proposta também considera que um esquema de classificação para software de forma geral, deva ser um esquema em constante evolução, podendo-se incluir novos mecanismos de classificação, novos termos pelos quais os produtos de software possam ser classificados e que seja flexível de forma a permitir a reclassificação de um determinado software por ter sido incluído algum dado a mais que não era considerado anteriormente. Além disso, um determinado usuário que queira adquirir conhecimentos sobre a área, pode utilizar a ontologia criada, uma vez que para cada um dos termos e seus relacionamentos é disponibilizada uma descrição dos mesmos, juntamente com os termos relacionados. Neste aspecto, a ontologia poderia ser comparada com um guia em uma rede hipermídia, onde o usuário vai sendo guiado pelas informações que ele vai adquirindo e navegando através de seus relacionamentos. UMA ONTOLOGIA PARA SOFTWARE AGROPECUÁRIO Considerando os esquemas de classificação descritos, a abordagem deste trabalho pode ser considerada como um esquema de vocabulário controlado, onde este vocabulário é descrito através de uma ontologia criada para a área de software agropecuário. Com isso, garantiu-se a corretude e precisão da classificação em relação aos termos do domínio. No entanto, além disso, foram levados em consideração diferentes aspectos ou abordagens pelas quais o software possa ser classificado. Assim, criou-se um conjunto de facetas, similar ao trabalho de [PRI91], que baseados na opinião de especialistas do domínio, acredita-se que descrevem perfeitamente os diferentes prismas pelos quais um software agropecuário possa ser classificado. A ontologia em estudo é baseada em uma estrutura hierárquica, o que permite um refinamento gradativo da mesma. Para a especificação desta ontologia do domínio foram utilizadas técnicas de engenharia de domínio, particularmente utilizou-se o método de engenharia de domínio Odyssey-DE [BRA99], cujo

4 objetivo principal é facilitar a reutilização de software em um dado domínio de aplicação. O modelo que especifica os termos ontológicos, formando assim uma rede semântica de termos do domínio é denominado, no contexto do Odyssey-DE em particular e na área de engenharia de domínio em geral, de modelo de features. Um modelo de features é um modelo que captura as características (features) gerais das aplicações desenvolvidas em um domínio. Assim, as similaridades e diferenças entre as aplicações são explicitadas através das features, classificadas de forma hierárquica no modelo. Categorias Administração Comércio Controle de Processos Produção Animal Produção Vegetal Treinamento Outros FIGURA 1: Categorias existentes. Para a Ontologia do Setor de Software Agropecuário foram criadas facetas, com objetivo de permitir uma classificação do software baseada em um conjunto mais amplo de categorias, e para cada faceta foram detalhados os conceitos classificadores - features, adquirindo assim uma precisão mais apurada e flexibilidade na classificação. As facetas utilizadas na Ontologia do Setor de Software Agropecuário, foram as de Categorias, Setores, Sub Setores, Áreas de Atuação, Funcionalidades, Sub Funcionalidades, Funcionalidades Específicas, Usuários, Hardware e Software. Na proposta deste estudo existem duas grandes facetas, uma delas é onde se encontram as grandes características do software Categorias e a outra é onde estão as possíveis funcionalidades mais gerais do software Funcionalidades. Já as características mais especificas encontram-se em uma ordem decrescente, primeiro em Setores, depois em Sub-Setores e por último em Áreas de Atuação. O mesmo acontece com as Funcionalidades, onde se especificam em Sub-Funcionalidades e depois em Funcionalidades Específicas. Nas demais facetas Usuários, Hardware e Software encontram-se os conceitos do tipo de usuário que o software pode satisfazer e o hardware e os softwares necessários para a sua instalação e uso. O detalhamento dos conceitos classificadores, as features, não só melhora a procura e a recuperação na base de dados, mas também contribui para o desenvolvimento de um vocabulário padrão para os atributos do software, facilitando assim o entendimento do domínio agropecuário. Para cada feature é utilizada uma template estruturada que tem por objetivo descrever detalhadamente os conceitos do domínio. A template descrevendo em detalhes a estrutura usada é apresentada na figura 2. Pode-se observar na figura 2 que no campo exemplos de de produtos relacionados ao conceito, cada software é listado juntamente com o peso da ligação semântica do produto com o conceito. Este peso listado no exemplo é o peso geral, depois de se totalizar os pesos atribuídos pelo vários grupos de usuários participantes, conforme descreveremos na próxima seção. Este peso é uma das características determinantes para o sucesso da busca.

5 Nome: Bovino Leiteiro Sinônimo: leite, gado leiteiro, gado de leite, rebanho leiteiro, vaca leiteira. Tipo de conceito: (Categorias, Setores, Sub-Setores, Área de Atuação, Funcionalidade, Sub-Funcionalidade, Funcionalidade Especifica, Usuário, Hardware e Software): Área de Atuação. Fontes: FARMSOFT 94; Computers in Agriculture; Guia Agrosoft Descrição: Informações específicas sobre a criação de gado leiteiro. Restrição: Exemplos de produtos relacionados ao conceito: CONGADO, peso 5; GV FARM SYSTEM, peso 8; NUTRICAMPO, peso 2; FIGURA 2: Template de um padrão de domínio. CONSIDERAÇÕES RELATIVAS AO MECANISMO DE BUSCA NA WEB Na etapa atual do projeto, estamos desenvolvendo o mecanismo de busca por produtos de software agropecuário na WEB. Este mecanismo utiliza a ontologia descrita na seção anterior como base para a classificação dos diversos produtos de software disponíveis. Além disso, são atribuídos pesos as ligações semânticas que devem ser estabelecidas entre o produto de software a ser classificado e os termos constantes da ontologia. Estes pesos são atribuídos por três níveis de usuários: Usuários especialistas no domínio, tais como pesquisadores da área agropecuária, agrônomos, veterinários, zootecnistas, entre outros. Para estes usuários, classificados como usuários Nível A, é disponibilizada uma interface na web, acessada através de senha, que permite ao usuário classificar, através de atribuição de valores (ALTO, MËDIO, BAIXO, NENHUM) o nível de ligação semântica que determinado produto deve ter com determinados termos do domínio. Para facilitar o trabalho do especialista, todas as vezes que um novo produto é cadastrado para ser disponibilizado através do mecanismo de busca, o usuário de nível A é notificado para que sejam atribuídos pesos para as ligações. Uma classificação prévia de quais termos da ontologia teriam maior ligação com o produto, é apresentada ao usuário nível A. Esta classificação prévia é baseada na descrição do produto feita pelo desenvolvedor, denominado usuário nível B, conforme descrito a seguir. No entanto, o usuário nível A também é livre para fazer outros tipos de ligações de termos ontológicos com o produto. A classificação do usuário nível A é considerada a mais relevante para o sistema quando da realização da busca. Usuários desenvolvedores de produtos, também denominados usuários nível B. Este tipo de usuário, além de ter a possibilidade de cadastrar seus produtos, mediante autorização prévia, através de uma interface específica para tal, também tem a possibilidade de classificar seu produto de acordo com a ontologia disponível. A classificação do usuário nível B somente se refere aos produtos por ele cadastrados e segue os mesmos parâmetros para atribuição de valores que o usuário nível A, ou seja, ALTO, MËDIO, BAIXO, NENHUM. No entanto, o

6 peso atribuído à classificação feita pelo usuário nível B é menor do que a classificação realizada pelo usuário nível A. Deste forma, o usuário nível B pode acessar a interface de cadastramento de produtos e também de classificação deste produto de acordo com a ontologia. Usuário final, ou usuário nível C, é o usuário que utiliza o mecanismo de busca para procurar produtos de software agropecuário que atendam suas expectativas. Este seria o usuário final do mecanismo de busca. Este usuário, utilizando a ontologia do domínio disponibilizada através da web, seleciona os termos mais relacionados à busca, de acordo com as facetas de interesse. É importante ressaltar que esta seleção de termos é bastante interativa, uma vez que o usuário, caso tenha alguma dúvida em relação a determinados termos, ou não saiba exatamente por onde iniciar sua busca, pode consultar a rede semântica como um todo, sendo apresentado, descrições mais detalhadas dos termos, termos relacionados, exemplos de produtos mais relacionados a um determinado conjunto de termos. Este tipo de usuário também pode auxiliar no aprimoramento do mecanismo de classificação. Uma vez que uma determinada busca tenha tido sucesso ou não, é facultado ao usuário explicitar esta relação, ou seja, dizer explicitamente qual o tipo de ligação (ALTO, MËDIO, BAIXO, NENHUM) melhor caracteriza o(s) termo(s) do domínio utilizado(s) na busca com os produtos resultantes. Assim, se um determinado conjunto de termos foi utilizando em uma busca cujo resultado foram os produtos A,B e C, o usuário final pode classificar estes produtos em relação aos termos utilizados na busca. Com este mecanismo, que seria uma adaptação das técnicas de relevance feedback apresentadas na literatura [MOU97], [DAV01], acreditamos que a busca por produtos de software agropecuário será fortemente aprimorada, utilizando mecanismos semanticamente mais ricos que os disponíveis atualmente. De maneira geral, a utilização de mecanismos de busca semanticamente mais ricos é uma tendência geral na web, principalmente utilizando ontologias. Atualmente estamos desenvolvendo um protótipo do mecanismo de busca, utilizando o banco de dados relacional de domínio público MySQL (www.mysql.org), conjuntamente com a linguagem de script PHP (www.php.org), que também é de domínio público. CONCLUSÕES Foi apresentado neste resumo uma abordagem para a classificação de software agropecuário baseada na especificação de uma ontologia do domínio. A vantagem de se utilizar ontologias neste contexto é que elas permitem a reutilização e o compartilhamento de um vocabulário comum para a classificação de softwares de diferentes empresas/instituições, permitindo assim uma classificação mais precisa de aplicações (softwares) do domínio. Além disso, esta ontologia permite a classificação de um software em mais de uma categoria e estará brevemente disponibilizada na Web, através da utilização de um mecanismo de busca específico para produtos de software. Assim, o usuário poderá pesquisar o software pelos termos do domínio, sendo que o resultado desta busca deverá listar todos os softwares que possuem tais características ou

7 similaridades a estas, baseados em pesos atribuídos a cada um dos termos ontológicos utilizados na busca, em relação aos softwares listados. A atribuição destes pesos, por diversos grupos de usuários, segue as técnicas de relevance feedback. Esta abordagem tem como objetivo buscar solucionar os problemas encontrados nos catálogos e guias atuais e possibilitar uma maior facilidade e eficiência de busca por parte do usuário. Como objetivo final, buscamos a especificação de um mecanismo de busca na Web, que através do uso da ontologia para software agropecuário, possa identificar possíveis produtos que atendam as necessidades de seus usuário com um nível de acerto superior às outras abordagens até então utilizadas. Este estudo também irá contribuir para a pesquisa do Núcleo de Pesquisa em Metodologia de Qualidade de Software no projeto Avaliação da Qualidade do Software Agropecuário. Pretende-se especificar atributos para a avaliação da qualidade para os diversos setores e sub setores identificados de forma a completar a metodologia e atender aos objetivos da proposta do grupo que é privilegiar a visão do usuário na avaliação dos produtos disponíveis comercialmente. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [BRA99] [FAL98] [FAR94 [GUA98] [JOH92] [MLA98] Braga, R.M.; Werner, C.M.L.; Odyssey-DE: Um Processo para Desenvolvimento de Componentes Reutilizáveis, X CITS, Curitiba, Maio Falbo, Ricardo., Integração do Conhecimento em um Ambiente de Desenvolvimento de Software, D. Sc., thesis, COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Dez, FARMSOFT 94 International Agricultural Software Catalogue, Faculté des Sciences Agrnomiques de Gemblox, Belgique, 1994 Guarino, N., Formal Ontology and Information Systems, In: Guarino, N. (ed.), Proc. Of the 1 st International Conference, Trento, Italy, IOS Press, Johnson, R; - Documenting Frameworks using patterns, OOPSLA 92 Mladenic, Dunja; Machine Learning on non-homogeneous, distributed text data, Tese de Doutorado, University of Ljubljana, 1998 [MOU97] Moukas, Alexandros; Amathea: Information Filtering and discovery Using a Multiagente Evolving System, Master Thesis, MIT, 1997 [NIE98] [OLI99] Nieto, E. M., OBSERVER: An Aproach for Query Processing in Global Information Systems based on Interoperation across Pre-existing Ontologies, Tesis Doctoral, Departamento de Informatica e Ingenieria de Sistema, Universidade de Zaragoza, Nov, Oliveira, K. M., Modelo para Construção de Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Domínio, D. Sc., thesis, COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Out, 1999.

8 [MEN99] [DAV01] [PRI91] Mena, E.; Illarramendi, A.; Kashyap, V.; Sheth, A. P.; OBSERVER: An Approach for Query Processing in Global Information Systems based on Interoperation across Pre existing Ontologies, DAVIES, N.J.; WEEKS, R.: Jasper: Communicating Information Agents for WWW at Prieto-Díaz, R.; Implementing Faceted Classification for Software Reuse, communications of the ACM 34(5), ACM, May, 1991, pp AGRADECIMENTOS Agrademos a coolaboração da equipe do Softex Agrosoft, Embrapa-CNPGL e Projeto Odyssey da COPPE/Sistemas/UFRJ.

Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás

Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás Alessandra Brito F. Oliveira 1; Vera Maria Benjamim Werneck 1 ; Regina Serrão Lanzillotti 1 ; Haydée Serrão

Leia mais

DESENVOLVIMENTO BASEADO EM COMPONENTES: UM REPOSITÓRIO PARA O SETOR AGROPECUÁRIO

DESENVOLVIMENTO BASEADO EM COMPONENTES: UM REPOSITÓRIO PARA O SETOR AGROPECUÁRIO DESENVOLVIMENTO BASEADO EM COMPONENTES: UM REPOSITÓRIO PARA O SETOR AGROPECUÁRIO Fernanda Campos 1 Regina Braga 2 Viviane Kawamura 3 Leonardo Gravina 4 Rodrigo Rezende 5 RESUMO Este trabalho descreve o

Leia mais

Uma Ontologia Genérica para a Análise de Domínio e Usuário na Engenharia de Domínio Multiagente

Uma Ontologia Genérica para a Análise de Domínio e Usuário na Engenharia de Domínio Multiagente Uma Ontologia Genérica para a Análise de Domínio e Usuário na Engenharia de Domínio Multiagente Carla Gomes de Faria1, Ismênia Ribeiro de Oliveira1, Rosario Girardi1 1Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Leia mais

RSS no desenvolvimento de uma Central de Notícias

RSS no desenvolvimento de uma Central de Notícias RSS no desenvolvimento de uma Central de Notícias Darley Passarin 1, Parcilene Fernandes de Brito 1 1 Sistemas de Informação Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Palmas TO Brasil darley@centralrss.com.br,

Leia mais

CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE

CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE Andrea C. A. Borim 1 Antônio M. Saraiva 2 José M. Fernandes 3 Carlos A. R. Pinto 4 RESUMO A busca pelo aumento da

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Desenvolvimento de um software de baixo custo para o gerenciamento de bovinocultura de leite Miler Grudtner BOELL¹; Marcos Roberto RIBEIRO² 1 Aluno do Curso de Tecnologia de Sistemas para Internet e bolsista

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS

UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS RESUMO: - PALAVRAS-CHAVES: ABSTRACT: The use of the Web as a platform for distance education (e-learning) has been one of the great alternatives for

Leia mais

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44 Armazenando Dados em Aplicações Java Parte 2 de 3: Apresentando as opções Hua Lin Chang Costa, hualin@cos.ufrj.br, COPPE/UFRJ. Leonardo Gresta Paulino Murta, leomurta@ic.uff.br, IC/UFF. Vanessa Braganholo,

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

Nathalie Portugal Vargas

Nathalie Portugal Vargas Nathalie Portugal Vargas 1 Introdução Trabalhos Relacionados Recuperação da Informação com redes ART1 Mineração de Dados com Redes SOM RNA na extração da Informação Filtragem de Informação com Redes Hopfield

Leia mais

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Lucas A. de Oliveira, Rui A. R. B. Figueira, Expedito C. Lopes Mestrado em Sistemas e Computação Universidade de Salvador (UNIFACS)

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB Alan Francisco de Souza¹, Claudete Werner¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil alanfsouza.afs@gmail.com,

Leia mais

DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho.

DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho. - DSI DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho. Preocupação: Problema técnicos Mudança na natureza e conteúdo do trabalho

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB)

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) RELATÓRIO DE ENTREGA DO PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) PARA A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PMGIRS PARA OS MUNICÍPIOS DE NOVO HORIZONTE, JUPIÁ, GALVÃO,

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

25/05/2015. Relevance Feedback. Expansão de Consulta. Relevance Feedback

25/05/2015. Relevance Feedback. Expansão de Consulta. Relevance Feedback Relevance Feedback Expansão de Consulta Relevance Feedback 1 Relevance Feedback Baeza-Yates; Ribeiro-Neto, (2011, cap 5) distinguem dois métodos: Explicit Relevance Feedback a informação para a reformulação

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE Marcelo Pereira Barbosa Email: mpbbarbosa@bol.com.br Vínculo: Professor da Escola Técnica Estadual "Lauro Gomes"

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2 Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Engenharia de Software Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma revisão sobre o

Leia mais

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia.

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia. 1 Introdução aos Sistemas de Informação 2002 Aula 4 - Desenvolvimento de software e seus paradigmas Paradigmas de Desenvolvimento de Software Pode-se considerar 3 tipos de paradigmas que norteiam a atividade

Leia mais

7 Trabalhos Relacionados A idéia é tentar dar todas as informações que ajudem os outros a julgar o valor da sua contribuição; não apenas as informações que levem o julgamento a uma direção em particular.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATA62 - Engenharia de Software I Comparação entre Ferramentas de Gerência de Projeto Salvador 2009.1 MATA62

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS TEXTO USANDO MODELOS PROBABILISTICOS ESTENDIDOS

RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS TEXTO USANDO MODELOS PROBABILISTICOS ESTENDIDOS ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS TEXTO USANDO MODELOS PROBABILISTICOS ESTENDIDOS Marcello Erick Bonfim 1

Leia mais

Introdução à Engenharia de Software

Introdução à Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Imagem Clássica Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma visão sobre o que é a engenharia

Leia mais

Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento

Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento Introdução O presente documento descreverá de forma objetiva as principais operações para abertura e consulta de uma solicitação ao Setor de Desenvolvimento

Leia mais

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Alexandro Deschamps (Ápice) alexandro@apicesoft.com Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo. Uma das grandes

Leia mais

Engenharia de Domínio baseada na Reengenharia de Sistemas Legados

Engenharia de Domínio baseada na Reengenharia de Sistemas Legados 1021 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Engenharia de Domínio baseada na Reengenharia de Sistemas Legados Cássia Zottis¹, Profa. Dra. Ana Paula Terra Bacelo 1 (orientadora) 1 Faculdade de Informática,

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014 Leite relatório de inteligência Abril 2014 A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades A rotina em uma propriedade leiteira exige acompanhamento e atenção em todos os

Leia mais

3 OOHDM e SHDM 3.1. OOHDM

3 OOHDM e SHDM 3.1. OOHDM 32 3 OOHDM e SHDM Com a disseminação em massa, desde a década de 80, de ambientes hipertexto e hipermídia, principalmente a Web, foi identificada a necessidade de elaborar métodos que estruturassem de

Leia mais

Descoberta de Domínio Conceitual de Páginas Web

Descoberta de Domínio Conceitual de Páginas Web paper:25 Descoberta de Domínio Conceitual de Páginas Web Aluno: Gleidson Antônio Cardoso da Silva gleidson.silva@posgrad.ufsc.br Orientadora: Carina Friedrich Dorneles dorneles@inf.ufsc.br Nível: Mestrado

Leia mais

Engenharia de Ontologias Seminário UPON

Engenharia de Ontologias Seminário UPON Engenharia de Ontologias Seminário UPON Núcleo de Estudos em Modelagem Conceitual e Ontologias Bruno Nandolpho Machado Vinícius Soares Fonseca Professor: Ricardo de Almeida Falbo Agenda RUP Método UPON

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB OBJETIVO GERAL Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB Marisol de Andrade Maués Como objetivo geral, buscou-se avaliar a qualidade de produtos Web, tendo como base o processo de avaliação de qualidade descrito

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

V Workshop Anual do MPS - WAMPS 2009 Estudo de Viabilidade de Domínio para Avaliar o Potencial da Organização Quanto à Implementação do Processo Desenvolvimento para Reutilização do MR-MPS MPS Mylene Lisbôa

Leia mais

Usando RDL para Derivação de Produtos em uma Linha de Produtos de Software

Usando RDL para Derivação de Produtos em uma Linha de Produtos de Software Usando RDL para Derivação de Produtos em uma Linha de Produtos de Software Juliano Dantas Santos Universidade Federal do Rio de Janeiro COPPE - Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

BUSCA E RECUPERAÇÃO DE COMPONENTES EM AMBIENTES DE REUTILIZAÇÃO DE SOFTWARE. Regina Maria Maciel Braga Villela

BUSCA E RECUPERAÇÃO DE COMPONENTES EM AMBIENTES DE REUTILIZAÇÃO DE SOFTWARE. Regina Maria Maciel Braga Villela BUSCA E RECUPERAÇÃO DE COMPONENTES EM AMBIENTES DE REUTILIZAÇÃO DE SOFTWARE Regina Maria Maciel Braga Villela TESE SUBMETIDA AO CORPO DOCENTE DA COORDENAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

Figura 5 - Workflow para a Fase de Projeto

Figura 5 - Workflow para a Fase de Projeto 5. Fase de Projeto A Fase de Projeto caracteriza-se por transformar as informações modeladas durante a Fase de Análise em estruturas arquiteturais de projeto com o objetivo de viabilizar a implementação

Leia mais

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2 ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 Definição de uma tecnologia de implementação e do repositório de dados para a criação da ferramenta

Leia mais

INTRODUÇÃO. Enfoque abstrato. Enfoque Intermediário

INTRODUÇÃO. Enfoque abstrato. Enfoque Intermediário BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Enfoque

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB 18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB Autor(es) HARLEI MIGUEL DE ARRUDA LEITE Orientador(es) PLÍNIO ROBERTO SOUZA VILELA Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Sistemas para Web

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Sistemas para Web Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Sistemas para Web } Com o forte crescimento do comércio eletrônico por

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 Eduardo Laguna Rubai, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR- Brasil eduardorubay@gmail.com, bonetti@unipar.br Resumo.

Leia mais

SISTEMA DE HELP DESK BASEADO EM RBC

SISTEMA DE HELP DESK BASEADO EM RBC SISTEMA DE HELP DESK BASEADO EM RBC Tharso de Souza Ferreira, Rudimar Luis Scaranto Dazzi Universidade do Vale do Itajaí Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar Rua Uruguai, 458 88302-202 Itajaí

Leia mais

LockED: Uma Ferramenta para o Controle de Alterações no Desenvolvimento Distribuído de Artefatos de Software

LockED: Uma Ferramenta para o Controle de Alterações no Desenvolvimento Distribuído de Artefatos de Software LockED: Uma Ferramenta para o Controle de Alterações no Desenvolvimento Distribuído de Artefatos de Software Hugo Vidal Teixeira Leonardo Gresta Paulino Murta Cláudia Maria Lima Werner {hvidal, murta,

Leia mais

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Apresentação Programa MPS.BR Reutilização no MPS.BR Gerência de reutilização Desenvolvimento para reutilização

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Objetivo O objetivo do projeto é especificar o desenvolvimento de um software livre com a finalidade de automatizar a criação de WEBSITES através do armazenamento

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo Parte 1 QUALIDADE DE SOFTWARE PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

Documento de Projeto de Software

Documento de Projeto de Software Documento de Projeto de Software Projeto: Vídeo Locadora Passatempo Versão: 1.0 Responsável: Ricardo de Almeida Falbo 1. Introdução Este documento apresenta o documento de projeto (design) do sistema de

Leia mais

02/10/2012. Padronização de interfaces. Referências

02/10/2012. Padronização de interfaces. Referências Referências Engenharia de Usabilidade Prof.: Clarindo Isaías Pereira da Silva e Pádua Contribuição: Cláudio Márcio de Souza Vicente Gestus Hix, D.; Hartson, H. R. Developing User Interfaces: ensuring usability

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

Ontologias. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Ontologias. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Ontologias Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Origem Teoria sobre a natureza da existência Ramo da filosofia que lida com a natureza e organização da realidade.

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

RBC no Auxílio de Avaliações Imobiliárias

RBC no Auxílio de Avaliações Imobiliárias RBC no Auxílio de Avaliações Imobiliárias Adauto Trigueiro, Alcione da Costa Pinheiro, Clerton Filho, Kátia Silva Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Leia mais

SABiO: Systematic Approach for Building Ontologies

SABiO: Systematic Approach for Building Ontologies SABiO: Systematic Approach for Building Ontologies Ricardo de Almeida Falbo Engenharia de Ontologias Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Preocupações Principais do

Leia mais

Prototipação de Software

Prototipação de Software UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Prototipação de Software Engenharia de Software 2o. Semestre de 2005

Leia mais

Comparação entre Ferramentas CASE para gerenciamento de Projeto e Métricas de Software no Curso de Sistemas da Informação do UniFOA

Comparação entre Ferramentas CASE para gerenciamento de Projeto e Métricas de Software no Curso de Sistemas da Informação do UniFOA Comparação entre Ferramentas CASE para gerenciamento de Projeto e Métricas de Software no Curso de Sistemas da Informação do UniFOA Professor Doutor Jason Paulo Tavares Faria Junior (Sistemas da Informação

Leia mais

LINGUAGEM DE ESPECIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO (SDL) APLICADA AO PROCESSO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS REATIVOS

LINGUAGEM DE ESPECIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO (SDL) APLICADA AO PROCESSO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS REATIVOS LINGUAGEM DE ESPECIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO (SDL) APLICADA AO PROCESSO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS REATIVOS Fabiana Fraga Ferreira Bacharelanda em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Instituto de Computação, Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Manaus-AM, Brasil

Instituto de Computação, Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Manaus-AM, Brasil Elicitação de Requisitos a partir de Modelos de Processos de Negócio e Modelos Organizacionais: Uma pesquisa para definição de técnicas baseadas em heurísticas Marcos A. B. de Oliveira 1, Sérgio R. C.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Organização do Projeto Os projetos e o gerenciamento

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

Mineração de Opinião / Análise de Sentimentos

Mineração de Opinião / Análise de Sentimentos Mineração de Opinião / Análise de Sentimentos Carlos Augusto S. Rodrigues Leonardo Lino Vieira Leonardo Malagoli Níkolas Timmermann Introdução É evidente o crescimento da quantidade de informação disponível

Leia mais

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Resumo. A fim de flexibilizar o fluxo de controle e o fluxo de dados em Sistemas Gerenciadores de Workflow (SGWf),

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais SISTEMAS DE ARQUIVOS MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 11 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional SISTEMAS DE ARQUIVOS - INTRODUÇÃO O armazenamento e a recuperação de informações é

Leia mais

**Docentes do Centro Universitário Filadélfia- Unifil. computação@unifil.br

**Docentes do Centro Universitário Filadélfia- Unifil. computação@unifil.br COMPARATIVO DE PRODUTIVIDADE ENTRE UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM A ABORDAGEM DE LINHA DE PRODUTO DE SOFTWARE COM O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRADICIONAL.(2011) **Docentes

Leia mais

Modelo e Implementação para Gestão de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Software Livre

Modelo e Implementação para Gestão de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Software Livre Modelo e Implementação para Gestão de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Software Livre Tiago Nicola Veloso, Licia de Cassia Nascimento, Flávia Maria Santoro Departamento de Informática Aplicada Universidade

Leia mais

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile 393 Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile Lucas Zamim 1 Roberto Franciscatto 1 Evandro Preuss 1 1 Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (CAFW) Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP

Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação ISSN - 0103-2569 MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP André Pimenta Freire Renata Pontin de M. Fortes N 0 213 RELATÓRIOS TÉCNICOS

Leia mais

CASE Orientada a Objetos com Múltiplas Visões e Implementação Automática de Sistemas - MVCASE

CASE Orientada a Objetos com Múltiplas Visões e Implementação Automática de Sistemas - MVCASE CASE Orientada a Objetos com Múltiplas Visões e Implementação Automática de Sistemas - MVCASE Tathiana da Silva Barrére Antonio Francisco do Prado Vitor César Bonafe E-mail: (tathiana,prado,bonafe)@dc.ufscar.br

Leia mais

A Semi-Automatic Strategy to Identify Crosscutting Concerns in PL-AOVgraph Requirement Models

A Semi-Automatic Strategy to Identify Crosscutting Concerns in PL-AOVgraph Requirement Models Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Informática e Matemática Aplicada Natal/RN - Brasil A Semi-Automatic Strategy to Identify Crosscutting Concerns in PL-AOVgraph Requirement Models

Leia mais

INTRODUÇÃO BANCO DE DADOS. Prof. Msc. Hélio Esperidião

INTRODUÇÃO BANCO DE DADOS. Prof. Msc. Hélio Esperidião INTRODUÇÃO BANCO DE DADOS Prof. Msc. Hélio Esperidião BANCO DE DADOS Podemos entender por banco de dados qualquer sistema que reúna e mantenha organizada uma série de informações relacionadas a um determinado

Leia mais

Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Introdução Organização e Recuperação de Informação(GSI521) Tópicos Recuperação de informação (RI); Breve histórico; O

Leia mais

Fábrica de Software 29/04/2015

Fábrica de Software 29/04/2015 Fábrica de Software 29/04/2015 Crise do Software Fábrica de Software Analogias costumam ser usadas para tentar entender melhor algo ou alguma coisa. A idéia é simples: compara-se o conceito que não se

Leia mais

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: SELEÇÃO E AVALIAÇÃO PELO PECUARISTA

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: SELEÇÃO E AVALIAÇÃO PELO PECUARISTA SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: SELEÇÃO E AVALIAÇÃO PELO PECUARISTA Marcos Aurélio Lopes Email: malopes@ufla.br Vínculo: Professor do Depto de Medicina Veterinária da Universidade Federal

Leia mais

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Talles

Leia mais

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB Marcelo Rodrigo da Silva Ribeiro 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcelo.rodrigo@live.com,

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

Frameworks. Pasteur Ottoni de Miranda Junior

Frameworks. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Frameworks Pasteur Ottoni de Miranda Junior 1-Definição Apesar do avanço das técnicas de desenvolvimento de software, a construção de software ainda é um processo extremamente complexo.a reutilização tem

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G 1082 X Salão de Iniciação Científica PUCRS UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G Agner Macedo Paiva, Bernardo Copstein (orientador) FACIN, PUCRS, Centro

Leia mais

PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB

PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB Ederson dos Santos Cordeiro de Oliveira 1,Tiago Bonetti Piperno 1, Ricardo Germano 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR- Brasil edersonlikers@gmail.com,

Leia mais

Auditoria e Qualidade de Software ISO/IEC 9126 Engenharia de Software Qualidade de Produto

Auditoria e Qualidade de Software ISO/IEC 9126 Engenharia de Software Qualidade de Produto Auditoria e Qualidade de Software ISO/IEC 9126 Engenharia de Software Qualidade de Produto Prof. Elias Batista Ferreira Material cedido por: Prof. Edison A M Morais Objetivo Descrever os processos da norma

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP.

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. Luan de Souza Melo (Fundação Araucária), André Luís Andrade Menolli (Orientador), Ricardo G. Coelho

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais