de fevereiro de 2002

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "15.053 26 de fevereiro de 2002"

Transcrição

1 de fevereiro de 2002 Análise de Sensibilidade apresentado como Perguntas Freqüentes Pontos ilustrados em um exemplo contínuo de fabricação de garrafas. Se o tempo permitir, também consideraremos o exemplo financeiro da Aula 2. 1

2 Exemplo do vidro = nº de caixas de garrafas de suco de 170 ml (em centenas) x 2 = nº de caixas de garrafas de 3 litros (em centenas) x 3 = nº de caixas de garrafas de champanhe (em centenas) máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = 60 (cap. do prod. em hrs) x x 3 =150 (cap. do armaz. em pés 2 ) = 8 (dem. da garrafa de 170ml) =0, x 2 =0, x 3 =0 2

3 Pergunta freqüente. Você poderia por favor me lembrar o que é mesmo um preço-sombra? Vamos assumir que estamos maximizando. O preço-sombra é o aumento no valor objetivo ótimo por aumento de unidade em um coeficiente do RHS, todos os outros dados permanecem iguais. O preço-sombra é válido em um intervalo. 3

4 Pergunta freqüente. Claro, eu sabia disso. Mas você poderia dar um exemplo. Sem dúvida. Vamos nos lembrar do exemplo da garrafa dado no livro. Vamos olhar para a função objetiva se alterarmos o tempo de produção de 60 e mantivermos todos os outros valores iguais. Horas de produção Valor objetivo ótimo 51 3/7 52 3/14 53 diferença 11/14 11/14 O preçosombra é 11/ /14 11/14 4

5 Mais alterações do RHS Horas de produção Valor objetivo ótimo 54 4/7 55 5/ / /22 diferença 11/14 11/14 * 15/22 O preçosombra é 11/14 até a produção ser = 65,5 5

6 Pergunta freqüente. Qual é a intuição para preço-sombra permanecer constante e, depois, mudar? Lembre-se que o método simplex produz uma "solução básica viável". A base pode muitas vezes ser descrita facilmente em termos de uma breve descrição verbal. Exemplo da Garrafa 6

7 Descrição verbal da base ótima para o problema da garrafa: 1. Produz apenas garrafas de suco e garrafas de coquetel 2. Utiliza completamente a capacidade de produção e armazenamento z = 5 + 4,5 x 2 = 6 3/ x 2 = 60 x 2 = 4 2/ x 2 = 150 z = 51 3/7 7

8 Descrição verbal da base ótima para o problema da garrafa: 1. Produz apenas garrafas de suco e garrafas de coquetel 2. Utiliza completamente a capacidade de produção e armazenamento Para? = 5,5, = 8, e a restrição <= 8 está agrupando. z = 5 + 4,5 x x 2 = x 2 = 150 8

9 Pergunta freqüente. Como os preços-sombra podem ser usados para interpretações gerenciais? Deixe-me ilustrar com o exemplo anterior. Quanto você estaria disposto a pagar por uma hora extra de produção? Exemplo da Garrafa 9

10 Pergunta freqüente. O preço-sombra sempre tem uma interpretação econômica? A resposta é não, a menos que se queira realmente estender o significado de interpretação econômica. Considere as restrições de proporção 10

11 Desenvolvimento do Apartamento = número de apartamentos de 1 quarto construídos x 2 = número de apartamentos de 2 quartos construídos x 3 = número de apartamentos de 3 quartos construídos /( + x 2 + x 3 ) = 0,5 = 0,5 + 0,5x 2 + 0,5x 3 0,5 5.x 2-0,5x 3 = 0 O preço-sombra é o impacto do aumento do 0 para um 1. Isso não possui uma interpretação gerencial óbvia. 11

12 Pergunta freqüente. No momento, sou novo nisto. Mas à medida que eu ganhar experiência, as interpretações dos preços-sombra sempre serão óbvias? Não. Mas elas deve ficar diretas para os exemplos dados no

13 Pergunta freqüente. No livro, eles às vezes usam preço duplo e nós usamos preço-sombra. Há alguma diferença? Não. 13

14 Pergunta freqüente. O Excel produz um relatório conhecido como relatório de Sensibilidade. Isso fornece os preços-sombra? Sim, e muito mais. Particularmente, ele dá a faixa para a qual o preço-sombra é válido. Exemplo da Garrafa 14

15 Pergunta freqüente. Ouvi dizer que o Excel pode ocasionalmente dar preços-sombra incorretos. É verdade? Há a possibilidade de que o intervalo no qual o preço-sombra é válido esteja vazio. O Excel também pode dar preços-sombra incorretos sob determinadas circunstâncias que não ocorrerão em planilhas para o

16 Pergunta freqüente. Você me disse que o Excel às vezes comete erros. Além disso, eu posso fazer uma análise de sensibilidade ao solucionar uma PL muitas vezes, com vários dados. Assim, o que há de bom no Relatório de Sensibilidade? Para grandes problemas é muito mais eficiente, e para os modelos de PL usados em prática, terá precisão. Para grandes problemas, ele pode ser usado para identificar oportunidades. Ele pode identificar quais coeficientes são mais sensíveis a mudanças no valor (a precisão é o mais importante). 16

17 Pergunta freqüente. Você poderia resumir o que aprendemos até agora? Claro! Aqui está: O preço-sombra é a alteração da unidade no valor objetivo ótimo por alteração de unidade no RHS. Os preços-sombra normalmente, mas não sempre, possuem interpretações econômicas que são úteis para a gerência. Os preços-sombra são válidos em um intervalo, que é fornecido pelo Relatório de Sensibilidade do Excel. O Excel fornece os preços-sombra corretos para nossas PLs, mas pode ser incorreto em outras situações 17

18 Visão geral do que está por vir Uso do insight das situações gerenciais para obter as propriedades dos preços-sombra custos reduzidos e pricing out (estabelecimento de preços) 18

19 Ilustração com o exemplo da garrafa: máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = 60 (cap. prod. em hrs) x x 3 =150 (cap. do armaz. em pés 2 ) = 8 (dem. da garrafa de 170ml) =0, x 2 =0, x 3 =0 O preço-sombra é o aumento no valor ótimo por aumento de unidade no RHS. Se um aumento no coeficiente de RHS levar a um aumento no valor objetivo ótimo, então o preço-sombra será positivo. Se um aumento no coeficiente de RHS levar a uma diminuição no valor objetivo ótimo, então o preço-sombra será negativo. 19

20 Ilustração com o exemplo da garrafa: máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = 60 (cap. prod. em hrs) x x 3 =150 (cap. do armaz. em pés 2 ) = 8 (dem. da garrafa de 170ml) =0, x 2 =0, x 3 =0 Afirmação: o preço-sombra da restrição de capacidade de produção não pode ser negativo. Razão: qualquer solução viável para este problema permanece viável depois do aumento da capacidade de produção. Assim, o aumento na capacidade de produção não pode fazer com que o valor objetivo ótimo diminua. 20

21 Ilustração com o exemplo da garrafa: máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = 60 (cap. prod. em hrs) x x 3 =150 (cap. do armaz. em pés 2 ) = 8 (dem. da garrafa de 170ml) =0, x 2 =0, x 3 =0 Afirmação: o preço-sombra da restrição = 0 não pode ser positivo. Razão: Faça x* ser a solução se substituirmos a restrição = 0 pela restrição = 1. Então, x* é viável para o problema original e assim o problema original possui um valor objetivo pelo menos tão alto. 21

22 Sinais de preços-sombra para problemas de maximização = restrição. O preço-sombra é não-negativo. = restrição. O preço-sombra é não-positivo. = restrição. O preço-sombra pode ser zero, ou positivo, ou negativo. 22

23 Sinais de preços-sombra para problemas de minimização O preço-sombra para um problema de minimização é o "aumento" na função objetiva por aumento de unidade no RHS. = restrição. O preço-sombra é? = restrição. O preço-sombra é? = restrição. O preço-sombra pode ser zero, ou positivo, ou negativo. Responda com seu colega. 23

24 O preço-sombra de uma restrição nãoagrupada é 0. Isso é conhecido como Transigência Complementar. máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = 60 (cap. prod. em hrs) x x 3 =150 (cap. do armaz. em pés 2 ) = 8 (dem. da garrafa de 170ml) =0, x 2 =0, x 3 =0 Na solução ótima, = 6 3/7. Afirmação: O preço-sombra para a restrição =8 é zero. Razão Intuitiva: Se sua solução ótima tiver < 8, não se consegue obter uma solução melhor ao permitir > 8. 24

25 Pergunta freqüente. O preço-sombra é válido se apenas um lado direito alterar. E se vários coeficientes do lado direito forem alterados? Os preços-sombra são válidos se vários coeficientes RHS forem alterados, mas as variações não são mais válidas. Exemplo da Garrafa 25

26 Pergunta freqüente. As restrições de nãonegatividade também têm preços-sombra? Sim. Elas são muito especiais e se chamam custos reduzidos. Veja os custos reduzidos para Garrafas de suco custo reduzido = 0 Garrafas de coquetel custo reduzido = 0 Garrafas de champanhe custo reduzido = -4/7 26

27 Pergunta freqüente. O Excel dá informações sobre os custos reduzidos? Sim. Elas também fazem parte do relatório de sensibilidade. Exemplo da Garrafa 27

28 Pergunta freqüente. Qual é a interpretação gerencial de um custo reduzido? Há duas interpretações. Aqui está uma delas. Atualmente, não estamos produzindo garrafas de champanhe. Em quanto o lucro das garrafas de champanhe teria que aumentar para nós produzirmos garrafas de champanhe em uma solução ótima? O custo reduzido para as garrafas de champanhe é 4/7. Se aumentarmos a renda para essas garrafas em 4/7 (de 6 para 6 4/7), então haverá um ótimo alternativo no qual as garrafas de champanhe são produzidas. 28

29 Pergunta freqüente. Por que eles são chamados de custos reduzidos? Parece que nada foi "reduzido"... Essa é uma questão muito perspicaz. Os custos reduzidos podem ser obtidos ao tratar os preçossombra como custos reais. Essa operação é chamada de pricing out. 29

30 Pricing Out máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = x x 3 =150 = 8 =0, x 2 =0, x 3 =0 preço-sombra 11/14 1/35.0 O Pricing out trata os preços-sombra como se fossem preços reais. O resultado são os custos reduzidos. 30

31 Pricing Out de máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = x x 3 =150 = 8 =0, x 2 =0, x 3 =0 preço-sombra 11/14 1/35.0 Custo reduzido de = 5-6 1/14-10 /35-1 x 0 = 5 33/7 2/7 = 0 31

32 Pricing Out de x 2 máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = x x 3 =150 = 8 =0, x 2 =0, x 3 =0 preço-sombra 11/14 1/35.0 Custo reduzido de x 2 = 4,5-5 1/14-20 /35-0 x 0 = /14 4/7 = 0 32

33 Pricing Out de x 3 máx x x 3 ($100s) de forma que x x 3 = x x 3 =150 = 8 =0, x 2 =0, x 3 =0 preço-sombra 11/14 1/35.0 Custo reduzido de x 3 = 6-8 1/14-10 /35-0 x 0 = 6 44/7 2/7 = -4/7 33

34 Pergunta freqüente. Podemos usar o pricing out para descobrir se um novo tipo de garrafa deve ser produzido? preço-sombra máx x x 4 ($100s) de forma que x x 4 = x x 4 =150 = 8 =0, x 2 =0, x 4 =0 11/14 1/35.0 Custo reduzido de x 4 = 7-8 1/14-20 /35-0 x 0 = 7 44/7 4/7 = 1/7 34

35 Pricing Out de xj máx x 2 + c j x j ($100s) de forma que x 2 + a 1j x j = x 2 + a 2j x j = a mj x j = b m =0, x 2 =0, x 3 =0 preço-sombra y 1 y 2 y m Custo reduzido de x j =? Complete com a ajuda de seu colega. 35

36 Breve Resumo dos Custos Reduzidos O custo reduzido de uma variável não-básica x j é o aumento no valor objetivo de requerer que x j >= 1. O Custo reduzido de uma variável básica é 0. O Custo reduzido pode ser computado ao tratar os preços-sombra como preços reais. Essa operação é conhecida como pricing out. O pricing out pode determinar se uma nova variável é de valor (e deveria entrar na base). 36

37 Você poderia por favor resumir o que aprendemos nesta aula? Eu adoraria. 37

38 Resumo O preço-sombra é a alteração de unidade no valor objetivo ótimo por alteração de unidade no RHS. O preço-sombra para uma restrição =0 é chamado de Custo reduzido. Os preços-sombra normalmente, mas não sempre, têm interpretações econômicas que são úteis para gerenciamento. As restrições não-agrupadas têm preço-sombra de 0. O sinal de um preço-sombra pode muitas vezes ser determinado ao usar a interpretação econômica Os preços-sombra são válidos em um intervalo, que é fornecido pelo Relatório de Sensibilidade do Excel. Os custos reduzidos podem ser determinados pelo pricing out 38

39 O Problema Financeiro da Aula 2 Sarah possui $1,1 milhão para investir em cinco diferentes projetos para sua firma. Objetivo: maximizar a quantidade de dinheiro que está disponível no início de (Os retornos sobre investimentos estão no próximo slide). No máximo $ em qualquer investimento É possível investir em CDs, a 5% por ano. Exemplo financeiro 39

40 Retornos Sobre Investimentos (dólares descontados) A B C D E Jan Jan ,2 - - Jan Jan ,5 1,2 40

41 A formulação PL Máx 0,8 x B + 1,5 x D + 1,2 x E + 1,05 x CD04 de forma que-x A x C x D x CD02 = -1,1 0,4 x A x B + 1,2 x D + 1,05 x CD02 x CD03 = 0 0,8 x A + 0,4 x B - x E + 1,05 x CD03 x CD04 = 0 0,8 x A + 0,4 x B - x E + 1,05 x CD03 x CD04 = 0 0 =x j = 0,5 para j = A, B, C, D, E, CD02, CD03 e CD04 Exemplo financeiro 41

42 Descrição verbal da base ótima 1. Investir o tanto quanto possível em C e D em Investir o restante em A. 2. Pegar os retornos em 2003 e investir o tanto quanto possível em B. Investir o restante em CDs 3. Pegar todos os retornos em 2004 e investí-los em E. Obs.: se um dólar extra for disponível nos anos 2002 ou 2003 ou 2004, investiríamos em A ou 2003CDs ou E 42

43 Gráfico para o problema financeiro Qualquer dinheiro adicional em 2002 é investido em A. Qualquer dinheiro adicional em 2003 é investido em CD2003. Qualquer dinheiro adicional em 2004 é investido em E. 43

44 Interpretação do Preço-Sombra Restrição: o fluxo de caixa em 2004 está todo investido. Preço-sombra: -1,2 Interpretação: um único $1 extra em 2004 valeria $1,20 em ,8 x A + 0,4 x B - x E + 1,05 x CD03 x CD04 = 0 44

45 Interpretação do Preço-Sombra Restrição: o fluxo de caixa em 2003 está todo investido. Preço-sombra: -1,26 Interpretação: um único $1 extra em 2003 valeria $1,26 em

46 Interpretação do Preço-Sombra Restrição: todo o $1,1 milhão está investido em Preço-sombra: -1,464 Interpretação: um único $1 extra em 2002 valeria $1,46 em ,4,05,2 + 0,8,2 = 1,464 46

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ROTEIRO Esta aula tem por base o Capítulo 2 do livro de Taha (2008): Introdução O modelo de PL de duas variáveis Propriedades

Leia mais

Aula 07: Análise de sensibilidade (2)

Aula 07: Análise de sensibilidade (2) Aula 07: Análise de sensibilidade (2) Otimização Linear e Inteira Túlio A. M. Toffolo http://www.toffolo.com.br BCC464/PCC174 2018/2 Departamento de Computação UFOP Previously Aulas anteriores: Dualidade

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL 4470E- 04

PESQUISA OPERACIONAL 4470E- 04 O Solver é uma ferramenta de otimização disponível no MS- Excel; PESQUISA OPERACIONAL 4470E- 04 A estrutura de planilha do Excel facilita na modelagem de um problema de Programação Linear neste ambiente;

Leia mais

Programação Matemática. Método Simplex

Programação Matemática. Método Simplex Programação Matemática Método Simplex Forma Padrão - Revisão Características da forma padrão: Problema de minimização Todas as restrições são de igualdade Todas as variáveis são não-negativas Considerar

Leia mais

Pesquisa Operacional

Pesquisa Operacional Pesquisa Operacional Análise de Sensibilidade Algébrica Profa. Sheila Morais de Almeida DAINF-UTFPR-PG abril - 016 1 Análise de Sensibilidade Algébrica Variações do Lado Direito Variações na Função Objetivo

Leia mais

de fevereiro de 2002

de fevereiro de 2002 15.053 12 de fevereiro de 2002 A Geometria de Programas Lineares - a geometria de LPs ilustrada em GTC Distribuir: Anotações da Aula 1 Mas, primeiro, o problema de Pigskin (de Ciência de Gerenciamento

Leia mais

Maristela Santos. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo

Maristela Santos. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo Programação Matemática Maristela Santos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo Forma Padrão - Definição Características da forma padrão: Problema de minimização Todas

Leia mais

EGEA ESAPL - IPVC. Resolução de Problemas de Programação Linear, com recurso ao Excel

EGEA ESAPL - IPVC. Resolução de Problemas de Programação Linear, com recurso ao Excel EGEA ESAPL - IPVC Resolução de Problemas de Programação Linear, com recurso ao Excel Os Suplementos do Excel Em primeiro lugar deverá certificar-se que tem o Excel preparado para resolver problemas de

Leia mais

Instruções de uso da ferramenta Cálculo de investimentos

Instruções de uso da ferramenta Cálculo de investimentos Instruções de uso da ferramenta Cálculo de investimentos Versão 3.31 31 de março de 2016 support@leen-system.de Fraunhofer-Gesellschaft e.v. Índice 1 Introdução... 3 2 Utilização... 4 2.1 Capa... 4 2.1.1

Leia mais

Programação Linear (PL)

Programação Linear (PL) Programação Linear (PL) ETAPA 05 Volume 04: O problema de transporte (PT) Definição e apresentação sobre forma de rede Formulação do caso equilibrado e não equilibrado Exemplos Propriedades fundamentais

Leia mais

ExemResumo parcial da última. 15.053 Quinta-feira, 28 de fevereiro. Os preços-sombra podem ser encontrados ao se examinar os quadros inicial e final!

ExemResumo parcial da última. 15.053 Quinta-feira, 28 de fevereiro. Os preços-sombra podem ser encontrados ao se examinar os quadros inicial e final! 15.053 Quinta-feira, 28 de fevereiro Análise de Sensibilidade 2 Mais sobre pricing out Efeitos sobre os quadros finais Apostilas: Notas de Aula ExemResumo parcial da última O preço-sombra é a alteração

Leia mais

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia ActivALEA ative e atualize a sua literacia N.º 26 A FREQUÊNCIIA RELATIIVA PARA ESTIIMAR A PROBABIILIIDADE Por: Maria Eugénia Graça Martins Departamento de Estatística e Investigação Operacional da FCUL

Leia mais

INICIADOS - 2ª Sessão ClubeMath 7-11-2009

INICIADOS - 2ª Sessão ClubeMath 7-11-2009 INICIADOS - 2ª Sessão ClubeMath 7-11-2009 Adivinhar o dia de aniversário de outra pessoa e o mês Temos uns cartões mágicos, que vão permitir adivinhar o dia de aniversário de qualquer pessoa e outros que

Leia mais

Aula 10: Revisão Otimização Linear e Inteira Túlio A. M. Toffolo

Aula 10: Revisão Otimização Linear e Inteira Túlio A. M. Toffolo Aula 10: Revisão Otimização Linear e Inteira Túlio A. M. Toffolo http://www.toffolo.com.br 2018/2 - PCC174/BCC464 Aula Prática - Laboratório COM30!1 Breve Revisão Modelagem Método gráfico O Algoritmo Simplex

Leia mais

Aula 03: Algoritmo Simplex (Parte 2)

Aula 03: Algoritmo Simplex (Parte 2) Aula 03: Algoritmo Simplex (Parte 2) Otimização Linear e Inteira Túlio A. M. Toffolo http://www.toffolo.com.br BCC464/PCC174 2018/2 Slides baseados no material de Haroldo Gambini Previously... Aula anterior:

Leia mais

Pesquisa Operacional

Pesquisa Operacional Pesquisa Operacional Casos Especiais do Método Simplex e Gráfica Profa. Sheila Morais de Almeida DAINF-UTFPR-PG setembro - 2015 1 Casos Especiais do Método Simplex Degeneração Múltiplas soluções ótimas

Leia mais

Prof.: Eduardo Uchoa.

Prof.: Eduardo Uchoa. Análise de sensibilidade Prof.: Eduardo Uchoa http://www.logis.uff.br/~uchoa/poi 1 Análise de Sensibilidade Uma vez que já se tenha resolvido um PL, existem técnicas para avaliar como pequenas alterações

Leia mais

Aula 02: Algoritmo Simplex (Parte 1)

Aula 02: Algoritmo Simplex (Parte 1) Aula 02: Algoritmo Simplex (Parte 1) Otimização Linear e Inteira Túlio A. M. Toffolo http://www.toffolo.com.br BCC464/PCC174 2018/2 Slides baseados no material de Haroldo Gambini Previously... Aula anterior:

Leia mais

Faculdade de Viçosa Lista de Exercícios de EXCEL de DET100 Informática

Faculdade de Viçosa Lista de Exercícios de EXCEL de DET100 Informática Professor: Deocleciano S. R. Martins Faculdade de Viçosa 1 ) Complete a planilha abaixo com as respectivas fórmulas e ou funções: A B C D E F G H 1 Nome Nota 1 Nota Nota 3 Nota 4 Total Média Média Joana

Leia mais

e-book 6 PASSOS PARA IMPLANTAR GESTÃO POR RESULTADOS E COMPROMETER SUA EQUIPE www.smartleader.com.br

e-book 6 PASSOS PARA IMPLANTAR GESTÃO POR RESULTADOS E COMPROMETER SUA EQUIPE www.smartleader.com.br e-book ÍNDICE SEU CONTEÚDO PRIMEIRO PASSO SENSIBILIZAR As principais técnicas para sensibilizar sua equipe 03 SEGUNDO PASSO CRIAR OBJETIVOS A importância de definir objetivos para a empresa 06 TERCEIRO

Leia mais

Determinação do BH Climatológico. Método de Thornthwaite & Mather (1955)

Determinação do BH Climatológico. Método de Thornthwaite & Mather (1955) Determinação do BH Climatológico Método de Thornthwaite & Mather (1955) Utiliza como dados de entrada: Precipitação pluvial ETP CAD Calcula-se: A disponibilidade de água no solo (Armazenamento = ARMAZ)

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012. Disciplina: matemática

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012. Disciplina: matemática Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 01 Disciplina: matemática Prova: desafio nota: QUESTÃO 16 (UNESP) O gráfico a seguir apresenta dados

Leia mais

Dica: Você pode copiar e colar por meio das teclas Crtl + C e Ctrl + V ou por meio da alça de preenchimento.

Dica: Você pode copiar e colar por meio das teclas Crtl + C e Ctrl + V ou por meio da alça de preenchimento. Este conteúdo faz parte da série: Excel Fórmulas Básicas Ver 10 posts dessa série Para criar qualquer fórmula no Excel, é absolutamente necessário entender o que são referências relativas e absolutas.

Leia mais

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon Avaliação de Empresas RISCO E RETORNO Aula 2 Retorno Total É a variação total da riqueza proporcionada por um ativo ao seu detentor. Fonte: Notas de Aula do Prof. Claudio Cunha Retorno Total Exemplo 1

Leia mais

6º Ano do Ensino Fundamental

6º Ano do Ensino Fundamental MINISTÉRIO DA DEFESA Manaus AM 8 de outubro de 2009. EXÉRCITO BRASILEIRO CONCURSO DE ADMISSÃO 2009/200 DECEx - D E P A COLÉGIO MILITAR DE MANAUS MATEMÁTICA 6º Ano do Ensino Fundamental INSTRUÇÕES (CANDIDATO

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO E RESOLUÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL

IMPLEMENTAÇÃO E RESOLUÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL IMPLEMENTAÇÃO E RESOLUÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL 1. INTRODUÇÃO Este tutorial apresenta, passo-a-passo, o processo de implementação e resolução de modelos matemáticos na planilha

Leia mais

Se inicialmente, o tanque estava com 100 litros, pode-se afirmar que ao final do dia o mesmo conterá.

Se inicialmente, o tanque estava com 100 litros, pode-se afirmar que ao final do dia o mesmo conterá. ANÁLISE GRÁFICA QUANDO y. CORRESPONDE A ÁREA DA FIGURA Resposta: Sempre quando o eio y corresponde a uma taa de variação, então a área compreendida entre a curva e o eio do será o produto y. Isto é y =

Leia mais

EXERCICIOS: MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 2010 EXERCICIO Nº 02 _ CIA. MUZAMBINHO EXERCICIO Nº 01 _ CIA ATLANTIDA

EXERCICIOS: MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 2010 EXERCICIO Nº 02 _ CIA. MUZAMBINHO EXERCICIO Nº 01 _ CIA ATLANTIDA EXERCICIO Nº 01 _ CIA ATLANTIDA Operações da Cia Atlântida no mês de janeiro de 20x1: 1) 03/jan Adquiriu móveis e utensílios a prazo por $ 800; 2) 08/jan - Comprou veiculo a vista por $ 5.000 (em cheque);

Leia mais

Otimização Linear. Conceitos básicos Álgebra Linear Introdução ao método simplex

Otimização Linear. Conceitos básicos Álgebra Linear Introdução ao método simplex Otimização Linear Conceitos básicos Álgebra Linear Introdução ao método simplex Revisão de Álgebra Linear Denomina-se posto ou Rank de uma matriz A, um número k tal que: a)existe pelo menos uma sub-matriz

Leia mais

Combinando inequações lineares

Combinando inequações lineares Combinando inequações lineares A multiplicação por um número > 0 não altera uma inequação 2x x 5 4x 2x 10 1 2 1 2 A soma de duas inequações (com o mesmo sentido) produz uma inequação válida x 3x x 3 1

Leia mais

Educação Financeira no Brasil - abertura

Educação Financeira no Brasil - abertura Educação Financeira no Brasil - abertura Investimentos Fevereiro 2014 Pesquisa do SPC Brasil traça perfil dos brasileiros em relação a investimento; maioria prefere consumir a poupar. O brasileiro não

Leia mais

Nesse artigo falaremos sobre:

Nesse artigo falaremos sobre: Este conteúdo faz parte da série: Estudo de Viabilidade Econômica Ver 8 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: O que é custo de oportunidade Exemplo de custo de oportunidade em uma planilha de

Leia mais

EAD 350 Pesquisa Operacional Aula 03 Parte 2

EAD 350 Pesquisa Operacional Aula 03 Parte 2 EAD 350 Pesquisa Operacional Aula 03 Parte 2 Profa. Adriana Backx Noronha Viana (Participação Prof. Cesar Alexandre de Souza) backx@usp.br FEA/USP Método Simplex (item 4.1 do Hillier e Lieberman) - apenas

Leia mais

Graphing Basic no Excel 2007

Graphing Basic no Excel 2007 Graphing Basic no Excel 2007 Tabela de Conteúdos 1. Inserindo e formatando os dados no Excel 2. Criando o gráfico de dispersão inicial 3. Criando um gráfico de dispersão de dados de titulação 4. Adicionando

Leia mais

INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL. Programação Linear. Exercícios. Cap. IV Modelo Dual

INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL. Programação Linear. Exercícios. Cap. IV Modelo Dual INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL Programação Linear Exercícios Cap. IV Modelo Dual António Carlos Morais da Silva Professor de I.O. i Cap. IV - Modelo Dual - Exercícios IV. Modelo Problema Dual 1. Apresente o

Leia mais

Análise de Sensibilidade

Análise de Sensibilidade Análise de Sensiilidade Prof. Fernando Augusto Silva Marins Departamento de Produção Faculdade de Engenharia Campus de Guaratinguetá UNESP www.feg.unesp.r/~fmarins fmarins@feg.unesp.r Introdução Dados

Leia mais

Nesse artigo falaremos sobre: Tipos de Riscos. Aprenda a fazer análise de riscos com o método William T. Fine

Nesse artigo falaremos sobre: Tipos de Riscos. Aprenda a fazer análise de riscos com o método William T. Fine Este conteúdo faz parte da série: Gestão de Riscos Ver 2 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: Tipos de Riscos Como fazer análise de riscos Como o método William T. Fine pode te ajudar ainda

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade IV CONTABILIDADE

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade IV CONTABILIDADE Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade IV CONTABILIDADE Contabilidade A disciplina está dividida em quatro unidades. Unidade I 1. Contabilidade Unidade II 2. Balanços sucessivos com operações que envolvem

Leia mais

Contextualização Pesquisa Operacional - Unidade de Conteúdo II

Contextualização Pesquisa Operacional - Unidade de Conteúdo II Contextualização Pesquisa Operacional - Unidade de Conteúdo II O tópico contextualização visa vincular o conhecimento acerca do tema abordado, à sua origem e à sua aplicação. Você encontrará aqui as ideias

Leia mais

Simplex. Investigação Operacional José António Oliveira Simplex

Simplex. Investigação Operacional José António Oliveira Simplex 18 Considere um problema de maximização de lucro relacionado com duas actividades e três recursos. Na tabela seguinte são dados os consumos unitários de cada recurso (A, B e C) por actividade (1 e 2),

Leia mais

Aula 02 - Microsoft Excel 2016

Aula 02 - Microsoft Excel 2016 Aula 02 - Microsoft Excel 2016 Prof. Claudio Benossi Prof. Rodrigo Achar Prof. Wagner Tufano São Paulo SP 2018 01 Operações Matemáticas Para fazer cálculos, basta escrever uma equação aritmética com o

Leia mais

Trote Universitário Sustentável

Trote Universitário Sustentável FACULDADE FUCAPI REGULAMENTO GERAL Este Regulamento dispõe sobre a organização do TROTE UNIVERSITÁRIO SUSTENTÁVEL da Faculdade Fucapi, e foi elaborado pelo Núcleo de Responsabilidade Social e Extensão

Leia mais

Quatro alunos do 6º ano de uma escola, em uma aula de matemática, fizeram as seguintes afirmativas:

Quatro alunos do 6º ano de uma escola, em uma aula de matemática, fizeram as seguintes afirmativas: ATIVIDADE PROVÃO 2º BIMESTRE 6º ANO MAT PROVA DIA 09/07 QUESTÃO 01 (Descritor: estabelecer uma conclusão baseando-se nas definições de divisores e múltiplos de um número natural e números primos) Quatro

Leia mais

Como todo bom programa de trainee, o jovem tem de passar por todas as áreas da empresa para se tornar conhecedor de todo o processo.

Como todo bom programa de trainee, o jovem tem de passar por todas as áreas da empresa para se tornar conhecedor de todo o processo. Olá amigo(a) Corretor(a) de Imóveis. Tudo bem? Depois de termos vistos os dois primeiros pilares do Corretor de Imóveis Campeão, que são automotivação e conhecimento técnico, vamos adentrar nos outros

Leia mais

PROCEDIMENTO INSTALAÇÃO SINAI ALUGUEL

PROCEDIMENTO INSTALAÇÃO SINAI ALUGUEL 1º Passo: Baixar o arquivo http://www.sinaisistemaimobiliario.com.br/instalar/instalador_aluguel.rar. 2º Passo: No SERVIDOR ao qual o sistema deverá ser instalado: a) Criar uma pasta, preferencialmente

Leia mais

Otimização Linear Aplicada a Problemas de Planejamento de Produção

Otimização Linear Aplicada a Problemas de Planejamento de Produção Otimização Linear Aplicada a Problemas de Planejamento de Produção Rafaela Schuindt Santos¹, Daniela Renata Cantane² ¹Escola Estadual Luiz Campacci Laranjal Paulista SP - Brasil ²Universidade Estadual

Leia mais

Contabilidade. Fluxo de Caixa. Professor Jacó Braatz.

Contabilidade. Fluxo de Caixa. Professor Jacó Braatz. Contabilidade Fluxo de Caixa Professor Jacó Braatz www.acasadoconcurseiro.com.br Contabilidade FLUXO DE CAIXA Taxa interna de retorno / Valor futuro e valor presente Fluxo de Caixa O que é um fluxo de

Leia mais

Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos.

Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos. Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos. Thiago Silva Lima Resumo A contabilidade é um ramo muito importante em se falando de ética já que

Leia mais

Análise de Viabilidade Econômica de Projetos de Investimento

Análise de Viabilidade Econômica de Projetos de Investimento Análise de Viabilidade Econômica de Projetos de Investimento ANÁLISE DE CENÁRIOS Prof. Luciel Henrique de Oliveira - luciel@fae.br UNIFAE - São João da Boa Vista http://gp2unifae.wikispaces.com Análise

Leia mais

Uso de escalas logaritmicas e linearização

Uso de escalas logaritmicas e linearização Uso de escalas logaritmicas e linearização Notas: Rodrigo Ramos 1 o. sem. 2015 Versão 1.0 Obs: Esse é um texto de matemática, você deve acompanhá-lo com atenção, com lápis e papel, e ir fazendo as coisas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA LÍNGUA PORTUGUESA Texto: A diferença no escritório Homens e mulheres se comportam de forma desigual no trabalho, dizem os números. - As mulheres representam 42% da população economicamente ativa no Brasil.

Leia mais

Transparências de apoio à lecionação de aulas teóricas. c 2012, 2011, 2009, 1998 José Fernando Oliveira, Maria Antónia Carravilla FEUP

Transparências de apoio à lecionação de aulas teóricas. c 2012, 2011, 2009, 1998 José Fernando Oliveira, Maria Antónia Carravilla FEUP Programação Linear Transparências de apoio à lecionação de aulas teóricas Versão 4 c 2012, 2011, 2009, 1998 José Fernando Oliveira, Maria Antónia Carravilla FEUP Programação Linear Problema de planeamento

Leia mais

Demonstrações Matemáticas Parte 4

Demonstrações Matemáticas Parte 4 Demonstrações Matemáticas Parte 4 Nesta aula, apresentamos técnicas de demonstração para afirmações matemática para todo e existe. Elas são baseadas nas duas últimas regras de inferências da Lógica de

Leia mais

Capítulo 2 - Primeiros Cálculos

Capítulo 2 - Primeiros Cálculos Capítulo 2 - Primeiros Cálculos Para iniciarmos este capítulo, vamos criar a planilha abaixo: Primeiro cria-se a planilha, efetua-se os cálculos e depois aplica-se a formatação: de fontes e alinhamentos

Leia mais

SELEÇÃO E VIABILIDADE DE PROJETOS

SELEÇÃO E VIABILIDADE DE PROJETOS SELEÇÃO E VIABILIDADE DE PROJETOS MBA Estácio 18/04/2017 Prof. Lucas S. Macoris PLANO DE AULA Seleção e Viabilidade de Projetos Avaliação de Projetos Avaliação de Empresas Qual o valor justo? Introdução

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR MÉTODO SIMPLEX. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR MÉTODO SIMPLEX. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR MÉTODO SIMPLEX Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. MÉTODO SIMPLEX A ideia geral é Em vez de enumerar todas as soluções básicas (pontos extremos) do problema de PL,

Leia mais

PERPETUIDADES: É UMA ANUIDADE QUE NÃO TEM PRAZO PARA ACABAR. Lembrando da nossa MONOFORMULA: VF = VP ( 1 + i ) n

PERPETUIDADES: É UMA ANUIDADE QUE NÃO TEM PRAZO PARA ACABAR. Lembrando da nossa MONOFORMULA: VF = VP ( 1 + i ) n PERPETUIDADES: É UMA ANUIDADE QUE NÃO TEM PRAZO PARA ACABAR. Lembrando da nossa MONOFORMULA: VF = VP ( 1 + i ) n Podemos calcular o Valor Presente: VP = FCn / ( 1 + i ) n 1 FC VP = Σt=1t=n FC s/(1+i) n

Leia mais

Teoria da Firma. Capítulo VI. Introdução. Introdução. Medição de custos: quais custos considerar?

Teoria da Firma. Capítulo VI. Introdução. Introdução. Medição de custos: quais custos considerar? Introdução Teoria da Firma A tecnologia de produção representa a relação entre os insumos e a produção. Dada a tecnologia de produção, os administradores da empresa devem decidir como produzir. Capítulo

Leia mais

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Módulo de Equações do Segundo Grau Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Equações do o grau: Resultados Básicos. 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. A equação ax + bx + c = 0, com

Leia mais

Como fazer fechamento de um mês maravilhoso e planejar um próximo mês incrível

Como fazer fechamento de um mês maravilhoso e planejar um próximo mês incrível Como fazer fechamento de um mês maravilhoso e planejar um próximo mês incrível Você está sempre ouvindo que as Diretoras estão em fechamento. Mas você sabia que Consultora também precisa fazer o fechamento

Leia mais

Aula 5. Uma partícula evolui na reta. A trajetória é uma função que dá a sua posição em função do tempo:

Aula 5. Uma partícula evolui na reta. A trajetória é uma função que dá a sua posição em função do tempo: Aula 5 5. Funções O conceito de função será o principal assunto tratado neste curso. Neste capítulo daremos algumas definições elementares, e consideraremos algumas das funções mais usadas na prática,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE FORMIGUEIRO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE FORMIGUEIRO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CONCURSO PÚBLICO N 001/2015 EDITAL N 010 - RESULTADO DOS RECURSOS PREFEITURA DO MUNICIPIO DE FORMIGUEIRO, Estado do Rio Grande do Sul, através do Prefeito Gildo Benjamin Bortolotto, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Investigação Operacional

Investigação Operacional Métodos de Programação Linear: Gráfica, (Mestrado) Engenharia Industrial http://dps.uminho.pt/pessoais/zan - Escola de Engenharia Departamento de Produção e Sistemas 1 Representação Gráfica Considere o

Leia mais

Graduação em Engenharia Elétrica MÉTODOS DE OTIMIZAÇÃO ENE081. PROF. IVO CHAVES DA SILVA JUNIOR

Graduação em Engenharia Elétrica MÉTODOS DE OTIMIZAÇÃO ENE081. PROF. IVO CHAVES DA SILVA JUNIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Graduação em Engenharia Elétrica MÉTODOS DE OTIMIZAÇÃO ENE081 PROF. IVO CHAVES DA SILVA JUNIOR E-mail: ivo.junior@ufjf.edu.br Aula Número: 07 Programação Linear Últimas

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS Esta cartilha traz informações e dicas, de forma simples e clara, para que você conheça as vantagens que o seu plano de previdência oferece. Leia com atenção e comece a

Leia mais

ATIVIDADES PARA CASA 8º Ano

ATIVIDADES PARA CASA 8º Ano ATIVIDADES PARA CASA 8º Ano Data Prof/ Disciplina Livro; Páginas; Exercícios Prazo 31/out Mariana - Prod. de Texto Fazer atividades - págs. 296 a 298 30/out Mariana - Gramática Fazer atividades - págs.

Leia mais

Regras básicas, os passos obrigatórios para se iniciar o trabalho de registro contábil dos custos Exercício: período, mês, ano, ciclo operacional... C

Regras básicas, os passos obrigatórios para se iniciar o trabalho de registro contábil dos custos Exercício: período, mês, ano, ciclo operacional... C 04/08/2016 CUSTOS E OPERAÇÕES CONTÁBEIS Técnico em Administração 1 Regras básicas, os passos obrigatórios para se iniciar o trabalho de registro contábil dos custos Exercício: período, mês, ano, ciclo

Leia mais

A Matemática é assim: ela representa objetos por símbolos. Podemos interpretar o desenho da figura anterior de duas maneiras: r-- ~

A Matemática é assim: ela representa objetos por símbolos. Podemos interpretar o desenho da figura anterior de duas maneiras: r-- ~ Aula 9 Vamos imaginar o seguinte: você precisa saber quanto é 14 x 12, mas ainda não sabe fazer esta conta e, também, não dispõe de uma calculadora para ajudá-ia. Um amigo sugeriu que você fizesse 140

Leia mais

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 7

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 7 Potencial Elétrico Quando estudamos campo elétrico nas aulas passadas, vimos que ele pode ser definido em termos da força elétrica que uma carga q exerce sobre uma carga de prova q 0. Essa força é, pela

Leia mais

Gestão Financeira sem complicações

Gestão Financeira sem complicações Gestão Financeira sem complicações Guia prático com os passos necessários para gerenciar da forma mais eficaz o setor financeiro de sua empresa. Introdução...3...3 Dica 01: Definir um sistema de gestão

Leia mais

Programação Linear. (4ª parte) Informática de Gestão Maria do Rosário Matos Bernardo 2016

Programação Linear. (4ª parte) Informática de Gestão Maria do Rosário Matos Bernardo 2016 Programação Linear (4ª parte) Informática de Gestão 61020 Maria do Rosário Matos Bernardo 2016 Conteúdos Análise de sensibilidade Relatório de reposta Relatório de sensibilidade Relatório de limites Desafio:

Leia mais

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 3 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Finanças Finança é a ciência de gerenciar recursos, ou a aquela que lida com o emprego do dinheiro num projeto, empresa ou

Leia mais

Capítulo 2 - Primeiros Cálculos

Capítulo 2 - Primeiros Cálculos Capítulo 2 - Primeiros Cálculos Para iniciarmos este capítulo, vamos criar a planilha abaixo: Primeiro cria-se a planilha, efetua-se os cálculos e depois aplica-se a formatação: De fontes e alinhamentos

Leia mais

Aula 22: Formulações com número exponencial de variáveis

Aula 22: Formulações com número exponencial de variáveis Aula 22: Formulações com número exponencial de variáveis Otimização Linear e Inteira Túlio Toffolo http://www.toffolo.com.br BCC464 / PCC174 2018/2 Departamento de Computação UFOP Aula de Hoje 1 Correção

Leia mais

5. Derivada. Definição: Se uma função f é definida em um intervalo aberto contendo x 0, então a derivada de f

5. Derivada. Definição: Se uma função f é definida em um intervalo aberto contendo x 0, então a derivada de f 5 Derivada O conceito de derivada está intimamente relacionado à taa de variação instantânea de uma função, o qual está presente no cotidiano das pessoas, através, por eemplo, da determinação da taa de

Leia mais

Unidade 3 Função Afim

Unidade 3 Função Afim Unidade 3 Função Afim Definição Gráfico da Função Afim Tipos Especiais de Função Afim Valor e zero da Função Afim Gráfico definidos por uma ou mais sentenças Definição C ( x) = 10. x + Custo fixo 200 Custo

Leia mais

Horário de Aulas Fundamental II

Horário de Aulas Fundamental II Infantil - Fundamental - Médio Horário de Aulas Fundamental II 1ª AULA 7H10 ÀS 8H 2ª AULA 8H ÀS 8H50 3ª AULA 8H50 ÀS 9H40 INTERVALO 9H40 ÀS 10H 4ª AULA 10H ÀS 10H50 5ª AULA 10H50 ÀS 11H40 6ª AULA 11H40

Leia mais

! ( ) Se todos os policiais em questão estiverem habilitados a dirigir, então, formadas as equipes, a quantidade de maneiras distintas de se organizar uma equipe dentro de um veículo com cinco lugares

Leia mais

Planejamento e Gestão de Estoques

Planejamento e Gestão de Estoques Planejamento e Gestão de Estoques Página 1 Problemas com planejamento...será que temos?!? Como pode faltar esse item... sai a mesma coisa todo mês! Todo dia padronizam um item novo...assim onde nosso estoque

Leia mais

A Matemática é assim: ela representa objetos por símbolos. Podemos interpretar o desenho da figura anterior de duas maneiras: r-- ~

A Matemática é assim: ela representa objetos por símbolos. Podemos interpretar o desenho da figura anterior de duas maneiras: r-- ~ Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Aula 9 Vamos imaginar o seguinte: você precisa saber quanto é 14 x 12, mas ainda não sabe fazer esta conta e, também, não dispõe de uma calculadora para ajudá-ia. Um

Leia mais

CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4. Prezado Aluno,

CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4. Prezado Aluno, CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4 Prezado Aluno, Neste EP daremos sequência ao nosso estudo da linguagem da lógica matemática. Aqui veremos o conectivo que causa mais dificuldades para os alunos e

Leia mais

ATIVIDADES PARA CASA 8º Ano

ATIVIDADES PARA CASA 8º Ano ATIVIDADES PARA CASA 8º Ano Data Prof/ Disciplina Livro; Páginas; Exercícios Prazo 19/nov Iris - Arte Conteúdo da prova Teste - cap. 08 23/nov 14/nov Valéria - Ciências Fazer atividades - págs. 245 a 248

Leia mais

Faculdade de Engenharia Optimização. Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu

Faculdade de Engenharia Optimização. Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu 1 Programação Linear (PL) Aula 10: Método Simplex Técnica das variáveis artificias Método das penalidades ( Big M ). Método das duas fases. 2 Modificando o Exemplo Protótipo. Suponha-se que é modificado

Leia mais

Números Inteiros Axiomas e Resultados Simples

Números Inteiros Axiomas e Resultados Simples Números Inteiros Axiomas e Resultados Simples Apresentamos aqui diversas propriedades gerais dos números inteiros que não precisarão ser provadas quando você, aluno, for demonstrar teoremas nesta disciplina.

Leia mais

Capítulo 8. Maximização de lucros e oferta competitiva 25/09/2015. Mercados perfeitamente competitivos. Mercados perfeitamente competitivos

Capítulo 8. Maximização de lucros e oferta competitiva 25/09/2015. Mercados perfeitamente competitivos. Mercados perfeitamente competitivos Mercados perfeitamente competitivos Capítulo 8 Maximização de lucros e oferta competitiva O modelo de competição perfeita baseia-se em três pressupostos básicos: 1. as empresas são tomadoras de preços

Leia mais

Plano de Sustentabilidade. (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: 1ª PARTE DO PLANO

Plano de Sustentabilidade. (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: 1ª PARTE DO PLANO Plano de Sustentabilidade (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: Inserir a logomarca da Rede Fomentada 1ª PARTE DO PLANO (Trabalho interno da Base de Economia Solidária e Feminista)

Leia mais

PEDAGOGIA DE PROJETOS

PEDAGOGIA DE PROJETOS PEDAGOGIA DE PROJETOS Caro aluno, Nesta aula, apresentaremos uma maneira de estimular a construção do conhecimento por meio das novas tecnologias, mas de forma mais contextualizada, mais real. Tendo em

Leia mais

Anexo II - Planilha de Formação de Preço - Serviço de Vigilância - PRT24ª - Sede - Campo Grande/MS

Anexo II - Planilha de Formação de Preço - Serviço de Vigilância - PRT24ª - Sede - Campo Grande/MS Anexo II - Planilha de Formação de Preço - Serviço de Vigilância - PRT24ª - Sede - Campo Grande/MS ENTRADA DE DADOS - Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2014 DATA BASE DA CATEGORIA: 01 de março I - REMUNERAÇÃO

Leia mais

4) Considerando-se os pontos A(p1, q 1) = (13,7) e B (p 2, q 2) = (12,5), calcule a elasticidade-preço da demanda no ponto médio.

4) Considerando-se os pontos A(p1, q 1) = (13,7) e B (p 2, q 2) = (12,5), calcule a elasticidade-preço da demanda no ponto médio. 1) O problema fundamental com o qual a Economia se preocupa é o da escassez. Explique porque, citando pelo menos um exemplo. A escassez é o problema fundamental da Economia, porque, dadas as necessidades

Leia mais

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade 1 AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade Ernesto F. L. Amaral 31 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL CENTRO DE ENGENHARIA DA MOBILIDADE

CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL CENTRO DE ENGENHARIA DA MOBILIDADE CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA Fatoração Equação do 1º Grau Equação do 2º Grau Aula 02: Fatoração Fatorar é transformar uma soma em um produto. Fator comum: Agrupamentos: Fatoração Quadrado Perfeito Fatoração

Leia mais

SISVAN WEB. Informações Gerais para Navegar no Acesso Restrito

SISVAN WEB. Informações Gerais para Navegar no Acesso Restrito SISVAN WEB Informações Gerais para Navegar no Acesso Restrito Este documento tem o objetivo de orientar a navegação pelo ambiente restrito do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN Web. Aqui

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro A maioria das pessoas que começa um negócio, não se preocupa muito em fazer um planejamento financeiro. Não dão tanta importância para o navegador da empresa. É o planejamento financeiro

Leia mais

IX - A N Á L I S E D E S E N S I B I L I D A D E

IX - A N Á L I S E D E S E N S I B I L I D A D E IX - A N Á L I S E D E S E N S I B I L I D A D E A N Á L I S E P Ó S - O P T I M A L I D A D E Recordemos o exercício apresentado para ilustrar a aplicação do Algoritmo Simplex Revisto: Consideremos o

Leia mais

LEITE CARO NÃO COMPENSA

LEITE CARO NÃO COMPENSA Cad. Téc. Esc. Vet. UFMG, n. 25, p. 13-18, 1998 LEITE CARO NÃO COMPENSA Evandro Vasconcelos Holanda Júnior Fernando Enrique Madalena Departamento de Zootecnia, Escola de Veterinária Universidade Federal

Leia mais

COMO DETERMINAR UM VPL (Valor Presente Líquido) OU UMA TIR (Taxa Interna de Retorno) IDEAL

COMO DETERMINAR UM VPL (Valor Presente Líquido) OU UMA TIR (Taxa Interna de Retorno) IDEAL COMO DETERMINAR UM VPL (Valor Presente Líquido) OU UMA TIR (Taxa Interna de Retorno) IDEAL Fazendo uma avaliação subjetiva através de séries históricas Utilizando o payback Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)

Leia mais

Investigação Operacional

Investigação Operacional Investigação Operacional Licenciatura em Gestão 3.º Ano Ano Lectivo 2013/14 Programação Linear Texto elaborado por: Maria João Cortinhal (Coordenadora) Anabela Costa Maria João Lopes Ana Catarina Nunes

Leia mais

Resolução de PL usando o método Simplex

Resolução de PL usando o método Simplex V., V.Lobo, EN / ISEGI, 28 Resolução de PL usando o método Simplex Método Simplex Algoritmo para resolver problemas de programação linear George Dantzig, 947 Muito utilizado Facilmente implementado como

Leia mais

Opções Reais: Exemplo Intuitivo do Gatilho

Opções Reais: Exemplo Intuitivo do Gatilho Opções Reais: Teoria e Prática de Análise de Investimentos sob Incertezas Opções Reais: Exemplo Intuitivo do Gatilho Marco Antonio Guimarães Dias, Professor Adjunto, tempo parcial Rio de Janeiro, Outubro

Leia mais

Observando embalagens

Observando embalagens Observando embalagens A UUL AL A O leite integral é vendido em caixas de papelão laminado por dentro. Essas embalagens têm a forma de um paralelepípedo retângulo e a indicação de que contêm 1000 ml de

Leia mais