Almoços. 5 /almoço 48 /senha de 10 almoços

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Almoços. 5 /almoço 48 /senha de 10 almoços"

Transcrição

1 Serviços de Apoio

2 Almoços 85 /mês (nos meses com férias é feito o ajuste do valor aos dias de aulas) 5 /almoço 48 /senha de 10 almoços O Externato dispõe de 3 salas de refeição com uma capacidade total de cerca de 120 crianças. A organização da cozinha, o planeamento da ementa e a confeção dos alimentos na cozinha do Externato está a cargo de uma equipa da Sector Mais (nutricionista, cozinheira e ajudante de cozinha), que se responsabiliza por garantir assim refeições com elevada qualidade nutricional. Colocamos à disposição 3 modalidades: Almoço mensal, almoço avulso, ou senha de 10 almoços. As informações pormenorizadas sobre as diferentes modalidades estão no regulamento interno. O almoço é servido em dois turnos e acompanhado por auxiliares de ação educativa e algumas professoras/educadoras, para desta forma suprimir qualquer dificuldade das crianças e colaborar com as famílias numa pedagogia alimentar efetiva. As ementas semanais são disponibilizadas na página da internet do Externato assim como no quadro de informações da entrada.

3 Lanches 20 /mês - 1 lanche por dia 40 /mês - 2 lanches por dia 1,5 /lanche avulso Os lanches da manhã e da tarde podem ser trazidos de casa na mochila ou em lancheira própria. No entanto e Externato dispõe também de serviço de preparação de lanches. Este serviço está a cargo da cozinheira e ajudante de cozinha da Sector Mais que prestam serviço no Externato. Cada lanche é normalmente constituído por dois alimentos, um sólido (pão com queijo/fiambre/ manteiga/compota, ou peça de fruta, etc.) e um liquido (iogurte, ou sumo, ou leite achocolatado, etc.) Colocamos à disposição 2 modalidades: Lanche mensal (1 ou 2 por dia) ou lanche avulso. Os lanches são levantados na cozinha pelas professoras/educadoras/auxiliares e entregues aos alunos. Os lanches são normalmente ingeridos sob supervisão de um adulto de forma a garantir que nenhuma criança não fica sem lanchar. No caso de uma criança não trazer lanche de casa (da manhã ou da tarde), será fornecido um lanche avulso do Externato, sendo este cobrado posteriormente junto com a mensalidade.

4 Transporte Escolar 1 viagem por dia: 53 /mês 2 viagem por dia: 83 /mês Outras modalidades: pedir orçamento na secretaria As viaturas da Mayabus recolhem ou entregam as crianças no Externato nos horários pretendidos, mediante disponibilidade de lugar nas viaturas e dos trajetos disponíveis. Será disponibilizado gratuitamente um cartão ao motorista, para que sejam registadas as entradas e saídas. As inscrições deverão ser feitas na secretaria do Externato. O pagamento das mensalidades deverá ser feito na secretaria do Externato até ao dia 10 de cada mês. Deverão ser consideradas as restantes condições do regulamento da MayaBus. GARANTIAS A MayaBus é uma empresa vocacionada para o transporte de crianças, estando devidamente habilitada por posse de alvará específico nº 444/2010. As viaturas são as mais seguras e confortáveis do mercado, devidamente homologadas e equipadas segundo as normas legais impostas pelo I.M.T.T. (Lei 13/2006 de 17 de Abril e portaria nº 1350/2006 de 27 de Novembro) e equipadas com telefones móveis para que possam estar em constante comunicação, permitindo atualizações atempadas de eventuais alterações ao transporte normal. Todos os motoristas são titulares de capacidade técnica de transporte coletivo de crianças e estão habilitados pelo I.M.T.T. com os respetivos certificados.

5 Prolongamento de Horário e Sala de Estudo 60 /mês (será feito um desconto de 10 /mês caso permaneça apenas até às 18h00) 4 /dia De forma a melhor apoiar as nossas famílias, o Externato possui a possibilidade de prolongamento de horário das 17h30 às 19h30. As crianças do pré-escolar ficam acompanhadas de duas Educadoras e de Auxiliares de Ação Educativa desenvolvendo atividades lúdicas. As crianças do 1º Ciclo dispõem de duas salas de estudo com um Professor em cada, para poderem realizar os seus trabalhos de casa, num ambiente propício e com o devido acompanhamento. Deve ser feita uma inscrição para o Prolongamento na Secretaria. Todas as crianças do 1º Ciclo, inscritas no Prolongamento, terão acompanhamento no estudo, das 17h às 18h30, a não ser que estejam inscritas simultaneamente noutra atividade. De modo a minimizar a perturbação do ambiente de trabalho, as entradas e saídas das salas de estudo, só devem ser feitas a cada 30 minutos. No caso de um aluno não estar inscrito no prolongamento e permanecer no colégio após as 17h30, será contabilizado um dia de prolongamento, sendo debitado na fatura do mês seguinte.

6 Acompanhamento Psicopedagógico 1º Ciclo 120 /mês (1h por dia) Psicóloga Catarina Ferreira O apoio psicopedagógico visa conjugar a realização de trabalhos de casa, com a implementação de medidas de correção das dificuldades apresentadas por cada aluno. As técnicas utilizadas incidem em: - Ensino de métodos e técnicas de estudo e rentabilização do tempo; - Promoção de motivação, autonomia, autoestima, autoconfiança, maturidade, atenção e concentração, necessários à autorregulação do processo de ensino-aprendizagem; - Estimulação cognitiva das áreas que se impõem como obstáculos à aprendizagem; - Solidificação de conhecimentos e competências basilares não solidificadas em anos letivos anteriores. No Externato tem à sua disposição uma Psicóloga habilitada e com experiência em Acompanhamento Psicopedagógico e que apoiará e acompanhará o estudo e o trabalho individual da criança de acordo com as suas necessidades específicas. Pode solicitar este acompanhamento junto da professora do seu filho. Será depois contactado a fim de delinear as estratégias de apoio assim como a carga horária necessária. Este apoio é dado no Externato em horário a combinar.

7 Educação Especial 150 /mês Prof. Diana Matos A Educação Especial visa dar resposta de forma inclusiva a crianças com limitações significativas ao nível da atividade e da participação num ou vários domínios de vida, decorrentes de alterações funcionais e estruturais, de caráter permanente, resultando em dificuldades continuadas ao nível da comunicação, da aprendizagem, da mobilidade, da autonomia, do relacionamento interpessoal e da participação social. Qualquer pessoa ou entidade (pais, professores, médicos, etc ), sempre que presume que um aluno necessite de apoios especializados, deve expressar e fundamentar essa necessidade junto do Externato. Este é o primeiro passo para que a escola inicie, com autorização dos encarregados de educação, o processo de avaliação que conduzirá à tomada de decisões quanto à elegibilidade para a educação especial, bem como à identificação dos apoios especializados adequados para responder às necessidades educativas especiais. No Externato tem à sua disposição uma Professora de Ensino Especial habilitada para, juntamente com outros profissionais, avaliar e intervir de acordo com as necessidades do seu educando. As intervenções são efetuadas no Externato em períodos de tempo a determinar.

8 Psicologia 86 /mês (1 sessão por semana) 23 /sessão avulso Psicóloga Catarina Ferreira O serviço de psicologia e orientação é uma unidade especializada que atua no âmbito da avaliação, diagnóstico, intervenção, aconselhamento e orientação tanto ao nível da comunidade educativa como do exterior. O intuito primordial deste serviço assenta na promoção do desenvolvimento biopsicossocial e cognitivo, onde o bem-estar psicológico assume o papel de maior preponderância. No Externato tem à sua disposição uma Psicóloga habilitada para avaliar e intervir de acordo com as necessidades do seu educando. Pode solicitar a intervenção desta profissional junto do educador/professor do seu filho. Será depois contactado pela Psicóloga a fim de dar início à intervenção e onde serão delineadas as abordagens desta. As intervenções são efetuadas no Externato em horário a combinar.

9 Terapia da Fala Terapeuta Paula Valente Rastreio gratuito (a pedido) 86 /mês (1 sessão por semana) 23 /sessão avulso O Terapeuta da Fala desenvolve atividades no âmbito da prevenção, avaliação e tratamento das perturbações da comunicação humana, em qualquer idade, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita mas também outras formas de comunicação não verbal. Engloba também a prevenção, avaliação e tratamento das perturbações da deglutição. No Externato tem à sua disposição uma Terapeuta da Fala habilitada para avaliar e intervir de acordo com as necessidades do seu educando. Pode solicitar uma avaliação deste profissional junto do educador/professor do seu filho, que, posteriormente, marcará com a terapeuta uma hora para a realização de um rastreio gratuito. Posteriormente, ser-lhe-á dado um parecer técnico sobre a necessidade ou não de dar início ao apoio terapêutico nesta valência e, se sim, serão discutidas, em equipa, todas as condições deste, bem como o plano terapêutico. O acompanhamento é efetuado no Externato em horário a combinar.

10 Musicoterapia 86 /mês (1 sessão por semana) 23 /sessão avulso Terapeuta Nuno Sousa A musicoterapia usa sons, harmonias, instrumentos musicais e ritmos como forma de tratamento complementar para vários problemas psicológicos, ajudando a criança a combater várias patologias que desenvolvem o desenvolvimento, a comunicação, o relacionamento, a aprendizagem, a mobilização, expressão e organização física, mental ou social. Do ponto de vista terapêutico, a música faz com que a criança expresse as suas ansiedades, tensões, desejos e alegrias. Entra em contacto direto com as emoções e sentimentos interiores que, muitas vezes, estão bloqueados pela inibição, pelo stress, pela falta de estímulo. Estabelece um canal de comunicação não-verbal através da música. No Externato tem à sua disposição um Musicoterapeuta habilitado para avaliar e intervir de acordo com as necessidades do seu educando. Pode solicitar a intervenção deste profissional junto do educador/professor do seu filho. Será depois contactado a fim de dar início à intervenção e onde serão delineadas todas as condições desta. As intervenções são efetuadas no Externato em horário a combinar.

11 Clube de Inglês 1º Ciclo e 2º Ciclo Professora Patrícia Granja 25 /mês (1,5h por semana, de setembro a julho) No seguimento do trabalho realizado nas aulas de Inglês oferecidas pelo Externato a todos os alunos do 1º Ciclo (2h por semana) é também possível a participação dos alunos no Clube de Inglês. Este clube visa trabalhar com os alunos em grupos mais pequenos na consolidação do vocabulário e dos conhecimentos, assim como treinar de forma mais aprofundada a ler, a escrever, a ouvir e a falar o Inglês de forma correta. Os alunos deste clube, quando a professora assim o entender, poderão ser propostos aos exames de certificação da Universidade de Cambridge para estes níveis de ensino. Este serviço pode ser solicitado mediante preenchimento de formulário próprio online ou na Secretaria. As inscrições são abertas no mês de setembro e são consideradas por ordem de chegada para o horário das 16h30 às 18h00 nos seguintes dias: 1ºAno à 3ªfeira, 2ºAno à 4ªfeira, 3ºAno à 5ªfeira, 4ºAno à 6ªfeira. Quando um destes grupos estiver completo com 15 alunos poderá ser aberto novo grupo no horário das 18h00 às 19h30. Existe também um grupo do 5º ano a funcionar à 3ª-feira das 19h00 às 20h30. Após o mês de setembro as inscrições poderão não ser aceites (análise caso a caso).

12 Apoio ao Estudo e ATL 2º Ciclo Professora Isabel Pereira Inscrição + Seguro = = 50 /ano (obrigatório) Opção 1 = 110 /mês (inclui transporte de e para a Escola E.B. 2-3 de Gueifães) Opção 2 = 190 /mês (opção1 + almoço + lanche da manhã ou da tarde) Especialmente pensado nos alunos que terminam o 1º ciclo no Externato, mas aberto a todos os que pretendam, o Externato disponibiliza agora serviço de Apoio ao Estudo / ATL para os alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico. Num espaço privilegiado para o desenvolvimento do saber, os alunos são acompanhados na realização dos trabalhos para casa e na preparação para as fichas de avaliação, promovendo-se ainda a investigação/pesquisa e o gosto pela leitura. Tendo em consideração a individualidade e as necessidades de cada aluno, o estudo é orientado de forma a motivar o desenvolvimento do conhecimento, de competências e também de autonomia. Este serviço pode ser solicitado na Secretaria. Deve ser entregue um horário escolar do aluno e dada a indicação dos momentos em que a criança deve ser trazida/levada de/para a escola. No Externato os alunos são acompanhados por uma professora do 2º ciclo.

Planificação de Atividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Letivo 2012 / 2013

Planificação de Atividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Letivo 2012 / 2013 Planificação de Atividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Letivo 2012 / 2013 Psicóloga Ana Rita Antunes (2º e 3º Ciclos e Coordenadora do Serviço de Psicologia e Orientação) Psicóloga Filipa

Leia mais

Regulamento Interno. Centro Ocupacional de São Brás. Capítulo I. Objectivos do Regulamento

Regulamento Interno. Centro Ocupacional de São Brás. Capítulo I. Objectivos do Regulamento Regulamento Interno Centro Ocupacional de São Brás Capítulo I Objectivos do Regulamento 1) O presente regulamento visa definir as regras de organização e funcionamento do Espaço Educacional de São Brás,

Leia mais

Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel

Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel MUNICÍPIO DE ALJUSTREL CÂMARA MUNICIPAL Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel 1- Definição a) O Programa Municipal de Férias e Tempos livres

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES EXTRACURRICULARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES EXTRACURRICULARES Externato Marista de Lisboa REGULAMENTO DAS ATIVIDADES EXTRACURRICULARES APROVADO PELA DIRECÇÃO APÓS PARECER DO CONSELHO DE COORDENADORES 9 SETEMBRO DE 2017 Preâmbulo As atividades extracurriculares e

Leia mais

Regulamento 1. Objetivos 2. Destinatários Verão na ULisboa 3. Direitos e deveres dos participantes Verão na ULisboa Verão na ULisboa

Regulamento 1. Objetivos 2. Destinatários Verão na ULisboa 3. Direitos e deveres dos participantes Verão na ULisboa Verão na ULisboa Regulamento 1. Objetivos 1.1. O Verão na ULisboa é um programa de ocupação de tempos livres para estudantes do 3.º ciclo e do ensino secundário, que pretende divulgar as atividades em curso nas diferentes

Leia mais

Regulamento da Valência do Serviço de Apoio Domiciliário

Regulamento da Valência do Serviço de Apoio Domiciliário Regulamento da Valência do Serviço de Apoio Domiciliário Associação Cultural e Beneficente de Santa Maria Reconhecida de utilidade pública D. R. III série n.º 249 de 29/10/91 Contribuinte N.º 501 272 690

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO 2013/2014

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO 2013/2014 Escola EB1 João de Deus CÓD. 242 937 Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende CÓD. 346 779 AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE CÓD. 152 870 ORGANIZAÇÃO E GESTÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO 2013/2014 (Aprovado

Leia mais

Regulamento das visitas de estudo

Regulamento das visitas de estudo Regulamento das visitas de estudo 1. Definição 1.1. Considera-se visita de estudo toda a atividade curricular, intencionalmente planeada e realizada fora do espaço físico da Escola ou da sala de aula,

Leia mais

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição:

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição: O Colégio Alfa-Beta tem como grande preocupação o crescimento harmonioso e saudável das crianças. Oferecemos apoio aos tempos livres, férias escolares, atividades Lúdico-Pedagógicas e complemento pré -escolar

Leia mais

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO 7 NOTAS: NIB Transferência: 0010 0000 3434 9410 0063 0 REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO RAÍZES ASSOCIAÇÃO DE APOIO À CRIANÇA E AO JOVEM 2013/2014 Capitulo I Disposições Gerais 1 Artigo 1º

Leia mais

1. Cooperar com as famílias na vivência dos. 2. Prestar aos idosos os cuidados de que. 3. Privilegiar a manutenção dos idosos no seu

1. Cooperar com as famílias na vivência dos. 2. Prestar aos idosos os cuidados de que. 3. Privilegiar a manutenção dos idosos no seu CAPÍTULO I Natureza e Objectivos ARTIGO 1º Caracterização e Localização 1. A Comissão de Melhoramentos de Santo Emilião é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, tem sede na rua 25 de Abril

Leia mais

Modalidades de apoio. A Câmara Municipal de Oeiras concretiza os auxílios económicos através das seguintes modalidades:

Modalidades de apoio. A Câmara Municipal de Oeiras concretiza os auxílios económicos através das seguintes modalidades: 6 Modalidades de apoio A Câmara Municipal de Oeiras concretiza os auxílios económicos através das seguintes modalidades: 1. Transportes escolares; 2. 2. Livros e material escolar; 3. 3. Refeições escolares;

Leia mais

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno Centro de Estudos e Atividades Índice Objetivos... 3 Funcionamento ESTUDO ACOMPANHADO... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Atividades Extra... 3 Atividades de FÉRIAS... 4 Calendarização

Leia mais

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno Centro de Estudos e Atividades Índice Objetivos... 3 Funcionamento ESTUDO ACOMPANHADO... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Atividades Extra... 3 Atividades de FÉRIAS... 4 Calendarização

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto Castanheira de Pera. Plano. Estudos. Desenvolvimento. Currículo

Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto Castanheira de Pera. Plano. Estudos. Desenvolvimento. Currículo Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto Castanheira de Pera Plano de Estudos e Desenvolvimento do Currículo Educação Pré Escolar A Educação Pré-Escolar afigura-se como a primeira etapa da educação básica

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

Plano Anual de 2015-2016. Atividades. Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) Fernanda Moedas (Psicóloga SPO)

Plano Anual de 2015-2016. Atividades. Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) Fernanda Moedas (Psicóloga SPO) Pl Anual de 2015-2016 Atividades Fernanda Moedas (Psicóloga SPO) Serviço de Psicologia e Orientação de Matosinhos HORÁRIO: Horário extra curricular - (preferencialmente são marcadas sessões com a colaboração

Leia mais

Proposta de Parceria Pleno Ser / Escola

Proposta de Parceria Pleno Ser / Escola Proposta de Parceria Pleno Ser / Escola A Parceria Pleno Ser/Escola O ambiente escolar pode representar, muitas vezes, um prolongamento do lar. É onde a criança é inserida nos grupos sociais, colocada

Leia mais

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 238/XII Estabelece o regime de acesso e de exercício da profissão de auditor de segurança rodoviária, de emissão dos respetivos títulos profissionais e de acesso e exercício da atividade de

Leia mais

CONDIÇÕES DE FREQUÊNCIA. Ano Letivo 2012/2013 INSCRIÇÃO MATRÍCULA

CONDIÇÕES DE FREQUÊNCIA. Ano Letivo 2012/2013 INSCRIÇÃO MATRÍCULA Página 1 de 7 Ano Letivo 2012/2013 INSCRIÇÃO MATRÍCULA A frequência da EIC - Escola Internacional da Covilhã inclui serviços obrigatórios e serviços facultativos. Constituem serviços obrigatórios: 1. A

Leia mais

Governação dos laboratórios: papel da regulação

Governação dos laboratórios: papel da regulação Governação dos laboratórios: papel da regulação César Carneiro Director do Departamento de Estudos e Regulação Económica Lisboa, 20 de Maio de 2016 Agenda 1. A Entidade Reguladora da Saúde 2. As actividades

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO

PLANO DE INTERVENÇÃO PLANO DE INTERVENÇÃO Área de intervenção Resultados escolares: promoção do sucesso e da excelência Objetivos Metas Atividades Indicadores Situação inicial Atingir em 95% os Elaboração dos PDI segundo Cumprimento

Leia mais

Regulamento do Centro Hípico do Curso Técnico de Gestão Equina

Regulamento do Centro Hípico do Curso Técnico de Gestão Equina Regulamento do Centro Hípico do Curso Técnico de Gestão Equina Capítulo 1 Condições de Frequência 1. O aluno deve apresentar no início do ano letivo um cavalo que o Núcleo de Professores de Equitação reconheça

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. Estabelece preceitos para o aperfeiçoamento da política educacional estadual dos sistemas públicos de ensino, para a permanência e o sucesso escolar de alunos com distúrbios,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO BÁSICO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO BÁSICO Considerando que a Portaria nº 23 /2015, de 27 de fevereiro revogou a Portaria nº 9/2013, de 11 de fevereiro referente à avaliação das aprendizagens e competências

Leia mais

ESCOLA GENTE PEQUENA. Regulamento Interno Jardim de Infância 2016/2017

ESCOLA GENTE PEQUENA. Regulamento Interno Jardim de Infância 2016/2017 Regulamento Interno Jardim de Infância 2016/2017 1) ADMISSÃO E MATRÍCULA a) A Instituição admite crianças entre os 3 e os 6 anos. b) Por cada criança deverão ser preenchidos e assinados pelo Encarregado

Leia mais

APAE ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS

APAE ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS RELATÓRIO MENSAL DAS ATIVIDADES 2012 MÊS DE FEVEREIRO ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS Técnicos Responsáveis: Diretora Administrativa: Marinalva de Souza Farias da Costa Secretaria: Terezinha

Leia mais

PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA

PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Gerência Executiva de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA PROJETO 2014 Julho de 2014 1. DADOS DA COMPANHIA Razão

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE PSICOLOGIA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM PSICOLOGIA (CURRÍCULO 3) I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Psicologia é uma atividade obrigatória, em consonância

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2016/2017 CENTRO INFANTIL O TOCAS

REGULAMENTO INTERNO 2016/2017 CENTRO INFANTIL O TOCAS REGULAMENTO INTERNO 2016/2017 CENTRO INFANTIL O TOCAS Sendo importante que esta instituição garanta as condições de futuras aprendizagens com sucesso, pretende-se que este documento proporcione um ambiente

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO DO GABINETE DE PSICOLOGIA ANO LETIVO 2016/2017. Psicólogas do Externato

PLANO DE INTERVENÇÃO DO GABINETE DE PSICOLOGIA ANO LETIVO 2016/2017. Psicólogas do Externato 1 PLANO DE INTERVENÇÃO DO GABINETE DE PSICOLOGIA ANO LETIVO 2016/2017 Psicólogas do Externato Pré-Escolar Vera Almeida 1º Ciclo Vera Almeida 2º Ciclo Manuela Pires 3º Ciclo Irene Cardoso Ensino Secundário

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

EXTERNATO S. JOÃO BOSCO VIANA DO CASTELO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO ANO LETIVO 2016/2017

EXTERNATO S. JOÃO BOSCO VIANA DO CASTELO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO ANO LETIVO 2016/2017 EXTERNATO S. JOÃO BOSCO VIANA DO CASTELO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO ANO LETIVO 2016/2017 Aprovado em Conselho de Docentes em julho de 2016 Diretora Pedagógica Rosa Cândida Gomes Princípios Orientadores

Leia mais

Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 19/11/2008, 17/04/2009, 25/09/2009, 20/04/2010, 14/10/2010 e 4/04/2011

Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 19/11/2008, 17/04/2009, 25/09/2009, 20/04/2010, 14/10/2010 e 4/04/2011 Programas Operacionais Regionais do Continente Deliberações CMC POR: 9/10/2007, 19/11/2008, 17/04/2009, 25/09/2009, 20/04/2010, 14/10/2010 e 4/04/2011 Requalificação da Rede Escolar do 1.º Ciclo do Entrada

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO ANO LETIVO 2013/2014

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO ANO LETIVO 2013/2014 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) PLANIFICAÇÃO ANUAL 8º ANO ANO LETIVO 2013/2014 Previsão de aulas 8º B Aulas previstas 33 1º Período 14 2º Período 12 3º Período 7 Planificação anual resumida

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DE MONITORIA Dispõe sobre a regulamentação da Monitoria Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1 O presente regulamento estabelece normas para o processo seletivo de monitoria da Faculdade

Leia mais

ANEXO 18 A Regulamento Interno

ANEXO 18 A Regulamento Interno ANEXO 18 A Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS CIENTÍFICO- HUMANÍSTICOS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO, NA MODALIDADE DE ENSINO RECORRENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014

Leia mais

Agrupamento de Escolas MONSENHOR ELÍSIO ARAÚJO. Projeto PNL 2011/ 2012

Agrupamento de Escolas MONSENHOR ELÍSIO ARAÚJO. Projeto PNL 2011/ 2012 Agrupamento de Escolas MONSENHOR ELÍSIO ARAÚJO Projeto PNL 2011/ 2012 Objetivos/Estratégias do Projeto Objetivos (definidos a partir das Prioridades (1,2,3,4,5,6) Educativas definidas no Projeto Educativo

Leia mais

GUIA DO CLIENTE PLANO DE SAÚDE

GUIA DO CLIENTE PLANO DE SAÚDE MEDICARE é uma marca registada da MED&CR - Serviços de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda., pessoa coletiva 513 361 715. GUIA DO CLIENTE PLANO DE SAÚDE ÍNDICE 1. Seja bem-vindo 2. Planos de Saúde

Leia mais

1ª INSCRIÇÃO INCLUI: matrícula, seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno)

1ª INSCRIÇÃO INCLUI: matrícula, seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno) Tabela de Preços ANO LETIVO 2017/18 1ª INSCRIÇÃO INCLUI: matrícula, seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno) RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA INCLUI: seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno) 270,00 250,00

Leia mais

VIGILÂNCIA NOS REFEITÓRIOS ESCOLARES - ORIENTAÇÕES

VIGILÂNCIA NOS REFEITÓRIOS ESCOLARES - ORIENTAÇÕES - ORIENTAÇÕES Finalidade Os refeitórios escolares são locais de aprendizagem de boas práticas, com reflexos positivos no desenvolvimento pessoal e social das crianças. A Vigilância nos refeitórios escolares

Leia mais

Regimento Escola Básica de Bonsucesso 2014-2015

Regimento Escola Básica de Bonsucesso 2014-2015 Regimento Escola Básica de Bonsucesso 2014-2015 1. Introdução Este regimento tem por finalidade apresentar de forma clara o funcionamento e organização da Escola Básica de Bonsucesso Ensino Pré- Escolar

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM

PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM PROCESSO SELETIVO 1º Sem/2016 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007,republicada

Leia mais

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5)

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5) Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5) 2016-2017 Anexo 5 (Regulamento AEC(s)) Considerando a importância do desenvolvimento de atividades de enriquecimento curricular no 1º

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REAL REGULAMENTO OFERTAS EDUCATIVAS ALTERNATIVAS AO ENSINO REGULAR ANEXO II

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REAL REGULAMENTO OFERTAS EDUCATIVAS ALTERNATIVAS AO ENSINO REGULAR ANEXO II Ofertas Educativas Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais ao funcionamento do curso vocacional, adequando, esclarecendo e integrando as normas legais presentes na

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO

Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO 2015-2016 Avaliação (Decreto-Lei n.º 139/2012 de 5 de julho; Despacho Normativo nº 17-A/2015 de 22 de Setembro e Despacho Normativo nº 13/2014 de 15

Leia mais

Normas de Funcionamento - ATL 1º Ciclo BRINCAR A APRENDER

Normas de Funcionamento - ATL 1º Ciclo BRINCAR A APRENDER Normas de Funcionamento - ATL 1º Ciclo BRINCAR A APRENDER 1. Objetivos Específicos a) Organizar e promover atividades destinadas a crianças que frequentam o 1.º ciclo do ensino básico, com a finalidade

Leia mais

PROGRAMA ACOMPANHAMENTO. Jardins de Infância da Rede Privada Instituições Particulares de Solidariedade Social RELATÓRIO DO JARDIM DE INFÂNCIA

PROGRAMA ACOMPANHAMENTO. Jardins de Infância da Rede Privada Instituições Particulares de Solidariedade Social RELATÓRIO DO JARDIM DE INFÂNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO Jardins de Infância da Rede Privada Instituições Particulares de Solidariedade Social RELATÓRIO DO JARDIM DE INFÂNCIA Designação: Centro Social de Azurva Endereço: Rua Professor

Leia mais

Tabela de Preços - Ano Letivo 2013/2014 SERVIÇOS OBRIGATÓRIOS. Inscrição/Matrícula (novos alunos)...150,00

Tabela de Preços - Ano Letivo 2013/2014 SERVIÇOS OBRIGATÓRIOS. Inscrição/Matrícula (novos alunos)...150,00 Tabela de Preços - Ano Letivo 2013/2014 SERVIÇOS OBRIGATÓRIOS Matrícula/Renovação de Frequência Inscrição/Matrícula (novos alunos).....150,00 (inclui seguro escolar, 1.ª via do cartão de aluno, 1.º via

Leia mais

Planificação de Actividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Lectivo 2011/2012

Planificação de Actividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Lectivo 2011/2012 Planificação de Actividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Lectivo 2011/2012 Psicóloga Ana Rita Antunes (Pré-escolar e 1º Ciclo) C.P. nº 5148 Psicóloga Filipa Braamcamp Sobral (2º e 3º Ciclos

Leia mais

Regulamento do Apoio Social Extraordinário do Instituto Politécnico de Castelo Branco

Regulamento do Apoio Social Extraordinário do Instituto Politécnico de Castelo Branco Regulamento do Apoio Social Extraordinário do Instituto Politécnico de Castelo Branco Artigo 1º Natureza O Programa de Apoio Social Extraordinário do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) é uma

Leia mais

Escola Básica Nossa Senhora da Luz Arronches

Escola Básica Nossa Senhora da Luz Arronches Escola Básica Nossa Senhora da Luz Arronches Regulamento de Funcionamento do Refeitório Escolar. REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO REFEITÓRIO ESCOLAR Artigo 1.º Objeto O presente regulamento estabelece as

Leia mais

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CLUBE JOVEM DO LUMIAR 1 Capitulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1 - O presente regulamento enuncia as normas regulamentares de funcionamento do Centro de Apoio ao Estudo

Leia mais

3. Condições de ingresso

3. Condições de ingresso EDITAL Concurso institucional aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais em «Intervenção Social e Comunitária» e em «Comunicação Digital» para o ano letivo de 2016/2017 Cumprindo o previsto no n.º 1

Leia mais

1º O parecer do (a) Assistente Social, que deverá estar de acordo com os critérios abaixo:

1º O parecer do (a) Assistente Social, que deverá estar de acordo com os critérios abaixo: Lei 3914/2016 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DE BENEFÍCIO EVENTUAL PARA INDIVÍDUOS E FAMÍLIAS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE, TEMPORÁRIA NO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ. Prefeito Municipal de Balneário Camboriú,

Leia mais

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA

REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA REGULAMENTO DO VOLUNTARIADO DE APOIO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA Nota justificativa A Câmara Municipal de Vidigueira assume o papel de agente fundamental na aplicação de políticas de protecção social,

Leia mais

Ano letivo 2016/2017. Receção da Direção aos Encarregados de Educação Pré e 1.º Ciclo

Ano letivo 2016/2017. Receção da Direção aos Encarregados de Educação Pré e 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Receção da Direção aos Encarregados de Educação Pré e 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 9 de setembro de 2016 2 Organização e Planeamento do Ano Escolar Ano letivo 2016/2017 09 de setembro

Leia mais

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO APOIO AO ESTUDO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/20164 1º CICLO 1. INTRODUÇÃO O despacho normativo nº7/2013 tem como objetivo conceder maior flexibilidade na constituição das

Leia mais

Plenário Adriano Jorge, em 22 de abril de 2014. PROFESSOR BIBIANO PT VEREADOR

Plenário Adriano Jorge, em 22 de abril de 2014. PROFESSOR BIBIANO PT VEREADOR PROJETO DE LEI Nº121/2014 Dispõe sobre o desenvolvimento da política de acompanhamento especial para alunos da Rede Municipal de Ensino de Manaus que são portadores de doenças neurológicas e dá outras

Leia mais

Regulamento da Valência Lar de Idosos

Regulamento da Valência Lar de Idosos Associação Cultural e Beneficente de Santa Maria Reconhecida de utilidade pública D. R. III série n.º 249 de 29/10/91 Contribuinte N.º 501 272 690 Sedielos - Peso da Régua Regulamento da Valência Lar de

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO /

REGULAMENTO INTERNO / REGULAMENTO INTERNO 91 349 8992 / 96 272 1222 geral@astuciasaber.com www.astuciasaber.com 1 Índice Objectivos... 3 Funcionamento APOIO ESCOLAR... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Actividades Extra... 3

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO GERAL 2013/14

REGULAMENTO INTERNO GERAL 2013/14 REGULAMENTO INTERNO GERAL 2013/14 INTRODUÇÃO O Regulamento Interno do Jardim-de-infância Solar da Educação, Lda, tem como objetivo dar a conhecer, a toda a comunidade Educativa, as normativas legais internas.

Leia mais

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO BANCO DE EMPRÉSTIMO DE PRODUTOS PSICOPEDAGÓGICOS (BEPP)

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO BANCO DE EMPRÉSTIMO DE PRODUTOS PSICOPEDAGÓGICOS (BEPP) NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO BANCO DE EMPRÉSTIMO DE PRODUTOS PSICOPEDAGÓGICOS (BEPP) 2016 Índice 1ª ) Âmbito... 3 3ª ) Definição de produtos psicopedagógicos... 3 4ª) Destinatários... 4 5ª) Acesso ao Banco

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno)

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) Novembro/2015 Capítulo I Introdução Considerando a importância do desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

REGULAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MONDIM DE BASTO REGULAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR I Objeto e Âmbito O presente documento define e regula o funcionamento do Sistema de Gestão

Leia mais

GUIA DO CLIENTE PLANO DE SAÚDE

GUIA DO CLIENTE PLANO DE SAÚDE SAÚDEGLOBAL é uma marca registada da MED&CR - Serviços de Gestão de Cartões de Saúde Unipessoal Lda., pessoa coletiva 513 361 715. GUIA DO CLIENTE PLANO DE SAÚDE ÍNDICE 1. Seja bem-vindo! 2. Planos de

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA outubro/2010

Leia mais

O Novo Regime Jurídico do Ensino da Condução

O Novo Regime Jurídico do Ensino da Condução O Novo Regime Jurídico do Ensino da Condução Novos procedimentos e regime de transição Aprovado pela Lei n.º 14/2014, de 18 de março Lurdes Bernardo Penafiel, 19 de setembro de 2015 O que muda a 21 de

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL INIC. 11º Ano de Escolaridade Prova 375 2014 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

PROJETO DE LÍNGUA PORTUGUESA

PROJETO DE LÍNGUA PORTUGUESA ASSOCIAÇÃO ESCOLA 31 DE JANEIRO 2012/13 PROJETO DE LÍNGUA PORTUGUESA TRANSVERSALIDADE NA CORREÇÃO DA ESCRITA E DA EXPRESSÃO ORAL DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS INTRODUÇÃO A língua

Leia mais

REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS

REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) 3031-5050 CEP: 86.061-450 1 REGULAMENTO

Leia mais

PROJETO CURRICULAR DE AEMB - DEPARTAMENTO PRÉ ESCOLAR DEPE 2013/2017

PROJETO CURRICULAR DE AEMB - DEPARTAMENTO PRÉ ESCOLAR DEPE 2013/2017 AEMB - DEPE PROJETO CURRICULAR DE DEPARTAMENTO PRÉ ESCOLAR 2013/2017 O Jardim de Infância é um espaço mágico repleto de cores, sons, onde os grandes aprendem com os pequenos o que é ser realmente grande

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE PAAE EDITAL Nº 007/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE PAAE EDITAL Nº 007/2015 Loteamento Espaço Alpha (BA522) Bairro: Limoeiro- CEP 42.808-590 Camaçari-BA Telefax: (71) 3649-8600 E-mail: camacari@ifba.edu.br Site: www.camacari.ifba.edu.br POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA

Leia mais

Guia do Encarregado de Educação

Guia do Encarregado de Educação Guia do Encarregado de Educação Ano letivo 2011/2012 Calendário Escolar pode ser consultado sítio Web da escola. Prazos de reclamação: Avaliação: 3 dias úteis após a afixação das pautas Turmas: 3 dias

Leia mais

EDITAL Nº 066/2015. 1.2 Os tutores serão selecionados com base nos critérios estabelecidos no presente Edital.

EDITAL Nº 066/2015. 1.2 Os tutores serão selecionados com base nos critérios estabelecidos no presente Edital. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 Educação a Distância EAD / UESB Fone: (77) 3425-9308 uesbvirtual@uesb.edu EDITAL Nº 066/2015 SELEÇÃO

Leia mais

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação.

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação. INTRODUÇÃO As Atividades de Animação e de Apoio à Família, no âmbito da Educação Pré- Escolar, são uma resposta direta às necessidades das famílias e encontra-se consubstanciada em todos os tempos que

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CAPACIDADES INDICADORES INSTRUMENTOS Domínio Cognitivo (Saber) Componentes do Currículo Conceitos Identifica/Reconhece/Adquire conceitos; Domina

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E

Leia mais

Regulamento da Academia de Judo de Avenidas Novas

Regulamento da Academia de Judo de Avenidas Novas Regulamento da Academia de Judo de Avenidas Novas Nota justificativa Considerando que a atividade física e os desportos saudáveis são essenciais para a saúde e bemestar da população; Considerando que a

Leia mais

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2015-2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo Setembro 2015 Este documento pretende dar a conhecer a todos os intervenientes no processo educativo os critérios de avaliação, e respetivas percentagens, a que

Leia mais

1.3 - A taxa de inscrição, que não será devolvida em hipótese nenhuma, terá o valor de R$ 25,00.

1.3 - A taxa de inscrição, que não será devolvida em hipótese nenhuma, terá o valor de R$ 25,00. EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE OUTRAS CAPTAÇÕES UNA 2016/2º - PARA OS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA, FACULDADE UNA DE BETIM E A FACULDADE UNA DE CONTAGEM A Vice-Reitoria do Centro Universitário

Leia mais

Regulamento Terceira Edição (ano letivo )

Regulamento Terceira Edição (ano letivo ) Regulamento Terceira Edição (ano letivo 2017-2018) Artigo 1.º Apresentação da Iniciativa O LITERACIA 3D o desafio pelo conhecimento a partir desta edição, designado LITERACIA 3Di o desafio pelo conhecimento

Leia mais

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 2015 Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 Junta de Freguesia de Fermentelos Índice NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 3 Missão... 3 Artigo 1º... 3 CAPÍTULO II... 3 Objeto... 3 Artigo 2º...

Leia mais

Isabel Fraga. Responsável: Equipa técnica: Fátima de Matos; Marina Santos Joana Gonçalves

Isabel Fraga. Responsável: Equipa técnica: Fátima de Matos; Marina Santos Joana Gonçalves Responsável: Isabel Fraga (Secretário; CPCJ; Pelouro da Ação Social, Habitação e Saúde) Equipa técnica: Fátima de Matos; Marina Santos Joana Gonçalves Objetivos Este projeto visa proporcionar às crianças

Leia mais

EXTERNATO S. VICENTE DE PAULO BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO

EXTERNATO S. VICENTE DE PAULO BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO EXTERNATO S. VICENTE DE PAULO BIBLIOTECA ESCOLAR A Biblioteca Escolar é parte integrante da Escola e alinha a sua missão com a do Externato, no sentido do desenvolvimento integral do aluno. A sua função

Leia mais

AFESP Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária

AFESP Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária REGULAMENTO DO FORMADOR AFESP Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária Alvalade Office Center Praça de Alvalade, N.º 6 1º

Leia mais

Eliana Lúcia Ferreira Coordenadora do Curso.

Eliana Lúcia Ferreira Coordenadora do Curso. BOAS VINDAS Prezado aluno, Seja bem vindo ao Curso de Licenciatura Plena em Educação Física, modalidade à Distância da Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Juiz de Fora (FAEFID/UFJF).

Leia mais

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO Aprovado em: 24-11-2006 Alterado em: 04-12-2007 (Introduzidas alterações alínea e), artigo 9º) REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em

Leia mais

EDITAL N. 03/2014 - CE, de 04 de setembro de 2014. Processo Seletivo para Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil

EDITAL N. 03/2014 - CE, de 04 de setembro de 2014. Processo Seletivo para Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO EDITAL N. 03/2014

Leia mais

GIAE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTILIZADOR

GIAE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTILIZADOR Página1 GIAE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTILIZADOR 1. O que é o GIAE Online? O GIAE Online é uma aplicação instalada num servidor do Agrupamento. Serve para os Alunos, Encarregados

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo As Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias das crianças que frequentam a Educação Pré-Escolar. Estas atividades socioeducativas

Leia mais

Plano Integrado de Combate à Exclusão Social na Escola e de Prevenção do Abandono Escolar

Plano Integrado de Combate à Exclusão Social na Escola e de Prevenção do Abandono Escolar SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE Equipa Multidisciplinar da EBI de Ribeira Grande Plano Integrado de Combate à Exclusão Social

Leia mais

Em casos especiais serão fornecidas dietas, nomeadamente em caso de indisposição pontual.

Em casos especiais serão fornecidas dietas, nomeadamente em caso de indisposição pontual. O Programa Alimentar da Câmara Municipal de Cascais (CMC) garante, há mais de 20 anos, o fornecimento de uma refeição quente (almoço) a todas as crianças que frequentam estabelecimentos de ensino do pré-escolar

Leia mais

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito 1 - O presente regulamento enuncia as normas regulamentares de funcionamento da Academia

Leia mais

Serviço Público Federal FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. RESOLUÇÃO ConsEPE Nº 158

Serviço Público Federal FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. RESOLUÇÃO ConsEPE Nº 158 Regulamenta as normas gerais para a realização de Estágio Curricular e Estágio Não Curricular nos Cursos de Graduação em Engenharia da UFABC e revoga as Resoluções ConsEP nº 76, 77, 78, 79, 80, 81, 82

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO FISCAL. (Aprovado pelo Conselho Científico em reunião de 7 de março de 2012)

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO FISCAL. (Aprovado pelo Conselho Científico em reunião de 7 de março de 2012) REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO FISCAL (Aprovado pelo Conselho Científico em reunião de 7 de março de 2012) FEVEREIRO - 2012 ÍNDICE CAPÍTULO I ÁREA CIENTÍFICA, OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO E CONCESSÃO TRANSPORTES ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO E CONCESSÃO TRANSPORTES ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO E CONCESSÃO TRANSPORTES ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA Considerando - Que a Educação é um direito de todos, cabendo ao Estado promover a sua democratização, bem como as condições

Leia mais