Seminário: Textos - O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde (Minayo,2008)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário: Textos - O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde (Minayo,2008)"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA LABORATÓRIO NACIONAL DE COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA/MCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DA BAHIA IFBAHIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO UFBA (SEDE) DOUTORADO MULTI-INSTITUCIONAL E MULTIDISCIPLINAR EM DIFUSÃO DO CONHECIMENTO DISCIPLINA: ANÁLISE DE TEXTO NA PRODUÇÃO DE RESULTADOS QUALITATIVOS (EDCC49 TE) PROFESSORES: DR. JOSÉ LUIS MICHINEL / DRA. ELIANE SANTOS SOUZA Seminário: Textos - O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde (Minayo,2008) Aluno Especial: Marcos Viana Bomfim Salvador Bahia Brasil Agosto/2010

2 1- METODOLOGIA E ABORDAGENS QUALITATIVAS: CONCEITOS BÁSICOS 2- METODOLOGIA DE PESQUISA SOCIAL EM SAÚDE; - ESPECIFICIDADE DAS CIÊNCIAS SOCIAIS; - CONCEITO DE METODOLOGIA; - CONCEITO DE PESQUISA SOCIAL; 3- CONTRADIÇÕES E CONSENSOS NA COMBINAÇÃO DE MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS; - DISCUSSÃO CRÍTICA SOBRE MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS; - POSSIBILIDADES DE COMBINAÇÃO: MÉT. QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS;

3 1- Metodologia e Abordagens Qualitativas: Ciência Como Paradigma Hegemônico Contemporâneo Respostas Técnicas e Tecnológicas Linguagem g Universal Atualização e Críticas Permanentes

4 Especificidade das Ciências Sociais Terceiro Mundo x Ciência (Popper, 1973); Cientificidade (idéia reguladora) x Ciência; Ciências Sociais e Historicidade Humana: Compreensão do Global e do Local As instituições e as estruturas nada mais são que ações humanas objetivadas ; Consciência Possível, Consciência Real e Consciência Histórica (Goldmann,1980)

5 Especificidade das Ciências Sociais Pesquisadores Pesquisa Social: Observador é da mesma natureza que o objeto... (Lévy-Strauss, 1975, p. 215); Ideologia Pesquisadores Pensamento Deflagração interpretativa: Di â i Hi tó i C iê i senso comum Dinâmica Histórica Consciência

6 Especificidade das Ciências Sociais A realidade é mais rica que qualquer teoria ; Expressão humanas (estruturas, processos, relações, sujeitos, significados e representações; Kant: Quantidade como o qualidade; e qualidade como elemento da quantidade; Etd Estudo Quantitativos (Magnitudes e Tendências);

7 Conceito de Metodologia Metodologia e a tentativa de múltiplas l definições; i Metodologia: Debates de idéias, práticas e opções (Denzin, 1973); Caminho do pensamento : Prática Teórica Pensada (Habermas, 1987); Pensamento Teórico x Heurística: A fronteira como possibilidade Criatividade do Pesquisador ; Existe Ciência Neutra? (Weber, 1965; Gadamer,1999; dentre outros)

8 Conceito de Metodologia Os gênios não precisam desses dispositivos (reflexão sobre metodologia enquanto sistemática abordagem da realidade), pois atravessam parâmetros estabelecidos (subvertem) e projetam, em poucas linhas, novos insights, modificando paradigmas em seus campos científicos (Kuhn, 1962)

9 Conceito de Pesquisa Social Investigação centrada noserhumano social, suas relações e instituições, história e produção simbólica; Produção Científica (teorias, métodos e técnicas); Discurso teórico (conceitos, categoria, teses, hipóteses ou pressupostos); p Unidade Científica (complexidade e diversidade); Certezas: Qualquer conhecimento é aproximado, é construido ; Acabado provisórioeinacabado iói i permanente ;

10 Bulmer (1978): Conceito de Pesquisa Social Pesquisa básica (predominantemente teórica); Pesquisa estratégica (problemas concretos ação gov.); Pesquisa orientada (conhecimento imediato - operacional); Pesquisa-ação (investigação em ações dinamicas Bulmer / Tiollent; Pesquisa de Inteligência (Pesquisa Macro) Pesquisador Levantador de dados/provedor de informações Busca: Consistência teórica + Relevância Social.

11 Discussão Crítica sobre Métodos Quantitativos e Qualitativos Método Quantitativos (Populações Humanas Epidemiologia); Método Qualitativos (Populações Humanas Ciências Sociais); Influência Histórica - Pós II Guerra Mundial: Influência de interesses do estado, financiadores; Risco da Ideologização; Consagração do Tecnicismo; Silogismo das Necessidades Vitais do ser humano. Reducionismo na avaliação da realidade social : Objetividade no método e não no conteúdo; Sacrifício do significado NÃO HÁ NECESSIDADE DE ATRIBUIR UMA PRIORIDADE DE UM MÉTODO SOBRE O OUTRO.

12 Discussão Crítica sobre Métodos Quantitativos e Qualitativos O desprezo pelos elementos qualitativos e a completa restrição da vontade não constitui objetividade, e sim negação da qualidade essencial do objeto (Mannheim,1968, p. 73); Fenomenologia: Realidades sociais são construídas nos significados Mundo Indivíduo Sistemas compartilhados e expressivos. Falhas da Pesquisa Qualitativa: Confusão entre opiniões e lógica interna de representações; Ciência como descrição de fatos fornecidos; Versão das pessoas como verdades; Objetivação: repúdio ao discurso ingênuo ou malicioso de neutralidade.

13 Discussão Crítica sobre Métodos Quantitativos e Qualitativos Avanços da Pesquisa Qualitativa: Forte emergência das questões sociais; Processos de exclusão social; Consciência dos direitos dos diferentes atores sociais; Elevação da produção científica nessa abordagem.

14 Possibilidades de Combinação: Métodos Quantitativos e Qualitativos Considerar as maneiras típicas de pensar e sentir (instituições e culturas sociais); Fenômenos sociais: - Regularidades, frequências,...mas, relações histórias, representações, pontos de vista, lógica interna dos sujeitos em ação; - Processos sociais em saúde: escolhas conscientes ou inconscientes; - Não há saúde nem construção social da saúde em abstrato e fora da sociedade que as geram (Lévy-Strauss, 1963; Marcel Mauss, 1950; e Boltansky (1979).

15 Possibilidades de Combinação: Métodos Quantitativos e Qualitativos Pesquisa qualitativa em saúde e singularidades culturais: Explicações religiosas a respeito da morte/mortalidade infantil no NE; Gestação/Parto nas periferias da Cidade do México; Causas e origens das doenças em tribos neozelandesas; Concepção de saúde perfeita ; Combinação de métodos: Apreender o real (Epidemiologia); Compreender o real (Antropologia).

16 Possibilidades de Combinação: Métodos Quantitativos e Qualitativos Convivência Progressiva entre os Métodos para Explicação das Doenças: Modelo Organicista (Teoria microbiana, pesquisas em Genética); Modelo Social (Condições de vida); Modelo Ecossistêmico (Teorias Ecológica e Multicausais das enfermidades); Princípios (complexidade, questões de gênero, equidade e participação/responsabilização social) Convivência entre Disciplinas para Explicação das Convivência entre Disciplinas para Explicação das Doenças (Ciências Biológicas, Sociais e Estatística).

17 Possibilidades de Combinação: Métodos Quantitativos e Qualitativos Epidemiologia social X Saúde Pública (submissão de correntes Marxista de viés estruturalistas) Cientistas sociais: Análises Macrossociais, Institucionais e de estudo (dados secundários e documentais); Contribuições epistemológicas, sociológicas e políticas do setor; Substituição do Marxismo Althusseriano pelo pensamento de Gramsci i(1981) (1981).

Max Weber

Max Weber Max Weber - 1864-1920. Considerado o sistematizador da Sociologia na Alemanha Criador da metodologia compreensiva na Sociologia. Desenvolveu estudos no campo do direito, filosofia, história com ênfase

Leia mais

Procedimentos de Pesquisa em Ciências Sociais

Procedimentos de Pesquisa em Ciências Sociais 1 Procedimentos de Pesquisa em Ciências Sociais Ana Maria Doimo Ernesto F. L. Amaral 21 de setembro de 2009 www.ernestoamaral.com/met20092.html Fonte: Banco Mundial. Monitorização e Avaliação: algumas

Leia mais

DIFERENTES PERSPECTIVAS EPISTEMOLÓGICAS EM PESQUISA. Prof. Dto. Luiz Antonio de OLIVEIRA.

DIFERENTES PERSPECTIVAS EPISTEMOLÓGICAS EM PESQUISA. Prof. Dto. Luiz Antonio de OLIVEIRA. DIFERENTES PERSPECTIVAS EPISTEMOLÓGICAS EM PESQUISA Prof. Dto. Luiz Antonio de OLIVEIRA. PARADIGMAS DE INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO Pesquisar: Para quem? (sentido social) Por quê? (histórico) De qual lados

Leia mais

análise de sistemas de informação

análise de sistemas de informação análise de sistemas de informação sistemas de informação e organização sistemas de informação e organização tópicos organização, gestão, participação, sistemas, processos de negócio, cultura, estrutura,

Leia mais

O livro na sociedade, a sociedade no livro: pensando sociologicamente a literatura

O livro na sociedade, a sociedade no livro: pensando sociologicamente a literatura O livro na sociedade, a sociedade no livro: pensando sociologicamente a literatura Laura Garbini Both Mestre em Antropologia Social UFPR Profa. da UNIBRASIL laura.both@unibrasil.com.br No nosso dia-a-dia

Leia mais

PESQUISA QUALITATIVA HISTÓRIA DA PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUALITATIVA HISTÓRIA DA PESQUISA QUALITATIVA PESQUISA QUALITATIVA HISTÓRIA DA PESQUISA QUALITATIVA Podemos considerada a pesquisa qualitativa uma tentativa de aproximação dos métodos de pesquisa nas quais pesquisa as ciências sociais. Sendo assim,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA O conceito de ciência. Ciência e outras formas de saber. A constituição histórica das ciências humanas. Teoria do conhecimento. O objeto do conhecimento. A linguagem científica. Ciência, ética

Leia mais

Aula5 MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE EM GEOGRAFIA HUMANA E FÍSICA. Rosana de Oliveira Santos Batista

Aula5 MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE EM GEOGRAFIA HUMANA E FÍSICA. Rosana de Oliveira Santos Batista Aula5 MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE EM GEOGRAFIA HUMANA E FÍSICA META Conhecer os métodos de investigação e análise da Geografia humana e física OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Compreender

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO ENCONTRO DE FORMAÇÃO* Transformando os Ambientes para a Aprendizagem. Juan Carlos Melo Hernández Bogotá - Colômbia

PROGRAMAÇÃO DO ENCONTRO DE FORMAÇÃO* Transformando os Ambientes para a Aprendizagem. Juan Carlos Melo Hernández Bogotá - Colômbia PROGRAMAÇÃO DO ENCONTRO DE FORMAÇÃO* Transformando os Ambientes para a Aprendizagem Juan Carlos Melo Hernández Bogotá - Colômbia 22 e 23 de outubro 2014 Porto Alegre RS Brasil 22/10 (quarta-feira) 18h

Leia mais

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR. Licenciatura em Comunicação Social/Licenciatura em Língua Gestual Ciclo: 1º

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR. Licenciatura em Comunicação Social/Licenciatura em Língua Gestual Ciclo: 1º PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR Curso: Licenciatura em Comunicação Social/Licenciatura em Língua Gestual Ciclo: 1º Portuguesa Ramo: Ano: 2/3 Designação: Evolução das Ideias em Ciência Créditos: 5 Departamento:

Leia mais

Psicologia Aplicada à Nutrição

Psicologia Aplicada à Nutrição Psicologia Aplicada à Nutrição Objetivos Abordar alguns conceitos da psicologia existentes no contexto social e da saúde. De psicólogo e louco todo mundo tem um pouco Psicologia e o conhecimento do Senso

Leia mais

22/08/2014. Tema 6: Ciência e Filosofia. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes. Ciência e Filosofia

22/08/2014. Tema 6: Ciência e Filosofia. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes. Ciência e Filosofia Tema 6: Ciência e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Ciência e Filosofia Ciência: vem do latim scientia. Significa sabedoria, conhecimento. Objetivos: Conhecimento sistemático. Tornar o mundo compreensível.

Leia mais

PESQUISA QUANTITATIVA PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA PESQUISA QUALITATIVA PESQUISA QUANTITATIVA PESQUISA QUALITATIVA Felipe José Rocha Vieira Roberto Pizzi Gomes Neto O REAL NÃO EXISTE!!! Os objetos com que a razão pode se ocupar classificam-se em: Relação de ideias Matérias

Leia mais

O FEMINISMO DE CATHRINE MACKINNON DESEJO E PODER

O FEMINISMO DE CATHRINE MACKINNON DESEJO E PODER O FEMINISMO DE CATHRINE MACKINNON DESEJO E PODER FEMINISMO E MARXISMO TRABAHO (valor) MARXISMO SEXUALIDADE (desejo) FEMINISMO Ambos prejudicados nas relações sociais. Feminismo e marxismo como teorias

Leia mais

INTRODUÇÃO À PESQUISA. Prof. Ma. Michele Jackeline Andressa Rosa.

INTRODUÇÃO À PESQUISA. Prof. Ma. Michele Jackeline Andressa Rosa. INTRODUÇÃO À PESQUISA Prof. Ma. Michele Jackeline Andressa Rosa. CONHECIMENTO Definição de conhecimento? Informação abstrata; Todo conhecimento reside dentro das pessoas. Como adquirir conhecimento? Por

Leia mais

As soluções de Habermas e Apel à controvérsia entre compreender e elucidar

As soluções de Habermas e Apel à controvérsia entre compreender e elucidar As soluções de Habermas e Apel à controvérsia entre compreender e elucidar Josué Cândido da Silva * O presente trabalho pretende discutir as soluções propostas por Karl-Otto Apel e Jürgen Habermas para

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq INTRODUÇÃO Este texto apresenta a pesquisa em andamento

Leia mais

Roteiro para a leitura do texto

Roteiro para a leitura do texto WEBER, Max - A "objetividade" do conhecimento nas Ciências Sociais In: Max Weber: A objetividade do conhecimento nas ciências sociais São Paulo: Ática, 2006 (: 13-107) Roteiro para a leitura do texto Data

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO 1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Admitindo que a história da filosofia é uma sucessão de paradigmas, a ordem cronológica correta da sucessão dos paradigmas na história

Leia mais

REVISÃO DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO DO FILÓSOFO JOSÉ ADRIANO BARATA MOURA SOBRE A PRÁTICA COMO CATEGORIA FILOSÓFICA CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO

REVISÃO DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO DO FILÓSOFO JOSÉ ADRIANO BARATA MOURA SOBRE A PRÁTICA COMO CATEGORIA FILOSÓFICA CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO REVISÃO DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO DO FILÓSOFO JOSÉ ADRIANO BARATA MOURA SOBRE A PRÁTICA COMO CATEGORIA FILOSÓFICA CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO Introdução SANTOS, L. (UFBA) llorenacosta@live.com 1 Agência

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - UFF

MATRIZ CURRICULAR - UFF Curso: SOCIOLOGIA Titulação: BACHAREL Habilitação: - Enfâse: - Linha de Formação: - Currículo: 98.01.001 Versão: 2 Turno: Noturno (OB) Carga horária obrigatória: 1740 (O) Carga horária optativa: 480 (E)

Leia mais

INTRODUÇÃO À NATUREZA DA CIÊNCIA. O conhecimento científico é uma forma específica de conhecer e perceber o mundo!!! 2. A PRINCIPAL QUESTÃO: Modelos

INTRODUÇÃO À NATUREZA DA CIÊNCIA. O conhecimento científico é uma forma específica de conhecer e perceber o mundo!!! 2. A PRINCIPAL QUESTÃO: Modelos INTRODUÇÃO À NATUREZA DA CIÊNCIA 2. A PRINCIPAL QUESTÃO: 1. INTRODUZINDO A QUESTÃO: O QUE É CIÊNCIA, AFINAL????? Modelos Leis Por que estudar natureza da ciência???? Qual a importância desses conhecimentos

Leia mais

SOCIOLOGIA Autor e Responsável Técnico: Wellington de Oliveira Teixeira

SOCIOLOGIA Autor e Responsável Técnico: Wellington de Oliveira Teixeira Listagem de ALOCAÇÃO DE DISCIPLINAS NAS SALAS SOCIOLOGIA 2017/02 Autor e Responsável Técnico: Wellington de Oliveira Teixeira CÓDIGO TURMA DISCIPLINA SALA GSO00095 J1 Introdução à Sociologia P308 2ª 9h

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

A CONFLUÊNCIA ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O CURRÍCULO: A INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDO.

A CONFLUÊNCIA ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O CURRÍCULO: A INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDO. A CONFLUÊNCIA ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O CURRÍCULO: A INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDO. Lucineide Machado Pinheiro Universidade Federal de São Paulo / Campus Guarulhos Eixo Temático: Formação

Leia mais

O que é pesquisa? inquietações, ou para um problema;

O que é pesquisa? inquietações, ou para um problema; Metodologia da Pesquisa: A construção do conhecimento O que é pesquisa? 1. Pesquisar é procurar respostas para inquietações, ou para um problema; 2. Atividade básica das ciências na sua indagação e descoberta

Leia mais

O PAPEL DOS PROCESSOS MENTAIS NA VIDA QUOTIDIANA. Conhecimento, relacionamento e ação

O PAPEL DOS PROCESSOS MENTAIS NA VIDA QUOTIDIANA. Conhecimento, relacionamento e ação O PAPEL DOS PROCESSOS MENTAIS NA VIDA QUOTIDIANA Conhecimento, relacionamento e ação Conhecimento, relacionamento e ação A mente realiza-se através dos processos mentais, dos processos cognitivos, emocionais

Leia mais

AULA Nº 7 METODOLOGIA CIENTÍFICA ALGUNS TIPOS DE PESQUISAS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS. Prof. MSc. Fernando Soares da Rocha Júnior

AULA Nº 7 METODOLOGIA CIENTÍFICA ALGUNS TIPOS DE PESQUISAS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS. Prof. MSc. Fernando Soares da Rocha Júnior AULA Nº 7 METODOLOGIA CIENTÍFICA ALGUNS TIPOS DE PESQUISAS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Prof. MSc. Fernando Soares da Rocha Júnior 1 AGENDA DA AULA O que é uma pesquisa?; Pesquisa quanto à abordagem;

Leia mais

Profª Drª Gisele Masson Departamento de Educação Universidade Estadual de Ponta Grossa

Profª Drª Gisele Masson Departamento de Educação Universidade Estadual de Ponta Grossa SOCIOLOGIA: ORIGEM E DESENVOLVIMENTO Profª Drª Gisele Masson Departamento de Educação Universidade Estadual de Ponta Grossa ORIGEM DA SOCIOLOGIA A Sociologia germina no século XVIII, com as grandes Revoluções

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL Introdução ao Serviço Social A prática profissional no Serviço Social na atualidade: o espaço sócioocupacional que a particulariza e identifica;

Leia mais

PESQUISA QUALITATIVA E QUANTITATIVA: DEFINIÇÕES E CONCEITOS

PESQUISA QUALITATIVA E QUANTITATIVA: DEFINIÇÕES E CONCEITOS PESQUISA QUALITATIVA E QUANTITATIVA: DEFINIÇÕES E CONCEITOS Prof. Dr. Alexandre Mantovani mantovani@eerp.usp.br EPISTEMOLOGIA Epistemologia: ramo da filosofia que se dedica ao estudo do conhecimento. Mais

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Teoria e Prática Científica Antônio Joaquim Severino Grupo de pesquisa: Educação e saúde /enfermagem: políticas, práticas, formação profissional e formação de professores

Leia mais

2.1 As principais características dos desenhos de pesquisa quantitativos. Métodos e Técnicas de Pesquisa I/2015 Márcia Lima

2.1 As principais características dos desenhos de pesquisa quantitativos. Métodos e Técnicas de Pesquisa I/2015 Márcia Lima 2.1 As principais características dos desenhos de pesquisa quantitativos Métodos e Técnicas de Pesquisa I/2015 Márcia Lima Roteiro da Aula Métodos e Técnicas: distinções entre quantitativo e qualitativo

Leia mais

Método e Metodologia Conceitos de método e seus princípios

Método e Metodologia Conceitos de método e seus princípios Conceitos de método e seus princípios Caminho pelo qual se chega a determinado resultado... É fator de segurança. Seleção de técnicas para uma ação científica... Forma de proceder ao longo de um caminho

Leia mais

ANEXO 01 LICENCIATURA EM PEDAGOGIA UENF SELEÇÃO DE DOCENTES DISCIPLINAS / FUNÇÕES - PROGRAMAS / ATIVIDADES - PERFIS DOS CANDIDATOS - NÚMEROS DE VAGAS

ANEXO 01 LICENCIATURA EM PEDAGOGIA UENF SELEÇÃO DE DOCENTES DISCIPLINAS / FUNÇÕES - PROGRAMAS / ATIVIDADES - PERFIS DOS CANDIDATOS - NÚMEROS DE VAGAS ANEXO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA UENF SELEÇÃO DE DOCENTES DISCIPLINAS / FUNÇÕES PROGRAMAS / ATIVIDADES PERFIS DOS CANDIDATOS NÚMEROS DE VAGAS Coordenador (PA2) Conteudista (PA3) DISCIPLINA/FUNÇÃO PROGRAMA/ATIVIDADES

Leia mais

Objetividade do conhecimento nas ciências sociais. - primeiro passo: evitar confusões entre juízos de fato e juízos de valor.

Objetividade do conhecimento nas ciências sociais. - primeiro passo: evitar confusões entre juízos de fato e juízos de valor. Objetividade do conhecimento nas ciências sociais Objetividade +> rejeição à posição positivista no que se refere à neutralidade valorativa: rígida separação entre fatos e valores; => demarcação entre

Leia mais

KARL JENSEN E OS MOVIMENTOS SOCIAIS

KARL JENSEN E OS MOVIMENTOS SOCIAIS KARL JENSEN E OS MOVIMENTOS SOCIAIS Nildo Viana Sociólogo, Filósofo, Professor da Faculdade de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Goiás, Doutor em

Leia mais

TIPOS DE PESQUISA. 1 Quanto à abordagem 1.1 Pesquisa qualitativa 1..2 Pesquisa quantitativa

TIPOS DE PESQUISA. 1 Quanto à abordagem 1.1 Pesquisa qualitativa 1..2 Pesquisa quantitativa Estrutura do artigo 1 Título do projeto 2 Introdução 3 Revisão bibliográfica (subdivisão) 4 Procedimentos metodológicos. 4.1 Escolher o tipo de pesquisa 4.2 Estabelecer população e amostra 4.3 Determinar

Leia mais

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: COMBINATÓRIA EM GEOMETRIA. Palavras-chave: Resolução de problemas; Combinatória; Geometria.

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: COMBINATÓRIA EM GEOMETRIA. Palavras-chave: Resolução de problemas; Combinatória; Geometria. RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: COMBINATÓRIA EM GEOMETRIA Heitor Achilles Dutra da Rosa Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ heitor_achilles@yahoo.com.br Resumo: Existem várias questões geométricas que podem

Leia mais

O programa de saúde da família: evolução de sua implantação no Brasil. Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia

O programa de saúde da família: evolução de sua implantação no Brasil. Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia Título do Estudo: O programa de saúde da família: evolução de sua implantação no Brasil Instituição executora: Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia Instituição financiadora: Ministério

Leia mais

A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO NO CONTEXTO DA PESQUISA SOCIAL: um ensaio exploratório.

A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO NO CONTEXTO DA PESQUISA SOCIAL: um ensaio exploratório. 1 A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO NO CONTEXTO DA PESQUISA SOCIAL: um ensaio exploratório. Selma Maria de Oliveira Brandão 1 RESUMO Estudo sobre a pesquisa social como geradora de conhecimento científico. Aborda-se

Leia mais

- É Membro da Academia Paraense de Ciências - Prêmio jabuti, Associação nacional do Livro.

- É Membro da Academia Paraense de Ciências - Prêmio jabuti, Associação nacional do Livro. Palestra 13 Antonio Augusto Passos Videira Professor e Pesquisador da Universidade do Estado do Rio de Janeiro Graduado em Filosofia- UFRJ Doutorado em Filosofia Universite Paris Diderot Mais de 8 Pós

Leia mais

O PAPEL DA UNIVERSIDADE NA PESQUISA SOCIAL: COMO FORTALECER METODOLOGIAS ATIVAS E PARTICIPATIVAS.

O PAPEL DA UNIVERSIDADE NA PESQUISA SOCIAL: COMO FORTALECER METODOLOGIAS ATIVAS E PARTICIPATIVAS. O PAPEL DA UNIVERSIDADE NA PESQUISA SOCIAL: COMO FORTALECER METODOLOGIAS ATIVAS E PARTICIPATIVAS. O OPSAN é um núcleo de estudos e pesquisa de caráter multidisciplinar e intersetorial para observação,

Leia mais

Material Didático para Formação em Pesquisa: metodologias qualitativas em estudos de políticas públicas de saúde. Oficina II. Financiamento FAPERJ

Material Didático para Formação em Pesquisa: metodologias qualitativas em estudos de políticas públicas de saúde. Oficina II. Financiamento FAPERJ Material Didático para Formação em Pesquisa: metodologias qualitativas em estudos de políticas públicas de saúde Oficina II Financiamento FAPERJ A proposta de construção do Material NOSSAS QUESTÕES DE

Leia mais

A ciência deveria valorizar a pesquisa experimental, visando proporcionar resultados objetivos para o homem.

A ciência deveria valorizar a pesquisa experimental, visando proporcionar resultados objetivos para o homem. FRANCIS BACON Ocupou cargos políticos importantes no reino britânico; Um dos fundadores do método indutivo de investigação científica; Saber é poder ; A ciência é um instrumento prático de controle da

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR)

Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) Ementário - Doutorado Eixo de Disciplinas Comuns Metodologia de Pesquisa em Jornalismo M e D Obrigatória 60 horas 04 Conhecimento e campo científico. Campo

Leia mais

CURSO METODOLOGIA ECONÔMICA. Professora Renata Lèbre La Rovere. Tutor: Guilherme Santos

CURSO METODOLOGIA ECONÔMICA. Professora Renata Lèbre La Rovere. Tutor: Guilherme Santos CURSO METODOLOGIA ECONÔMICA Professora Renata Lèbre La Rovere Tutor: Guilherme Santos O problema não deveria ser colocado em termos de saber se uma refutação é real ou não. (...) o problema é saber que

Leia mais

ANEXO V REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA

ANEXO V REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA ANEXO V REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR SEÇÃO I DAS

Leia mais

Métodos de Pesquisa. Prof. Dr. Marcelo Fantinato PPgSI EACH USP 2015

Métodos de Pesquisa. Prof. Dr. Marcelo Fantinato PPgSI EACH USP 2015 Métodos de Pesquisa Prof. Dr. Marcelo Fantinato PPgSI EACH USP 2015 Métodos de Pesquisa (resumo) 1. Tipos/abordagens de pesquisa 2. Procedimentos técnicos 3. Fonte de informação 4. Técnicas/instrumentos

Leia mais

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p Aula 6 GERATIVISMO MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126 Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com Linguística Gerativa Gerativismo Gramática Gerativa

Leia mais

Imre Lakatos. O falseamento e a metodologia dos programas de pesquisa científica

Imre Lakatos. O falseamento e a metodologia dos programas de pesquisa científica Imre Lakatos O falseamento e a metodologia dos programas de pesquisa científica Teoria do Conhecimento e Filosofia da Ciência II Prof. Valter A. Bezerra Departamento de Filosofia FFLCH-USP Mudança científica

Leia mais

A sociologia crítica origem, desenvolvimento e conseqüências metodológicas. Ernesto Friedrich de Lima Amaral

A sociologia crítica origem, desenvolvimento e conseqüências metodológicas. Ernesto Friedrich de Lima Amaral A sociologia crítica origem, desenvolvimento e conseqüências metodológicas Ernesto Friedrich de Lima Amaral 29 de janeiro de 2009 Estrutura da aula 1. Origens da sociologia crítica 2. Conceituação e desenvolvimento

Leia mais

A TEORIA SÓCIO-CULTURAL DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO. Leon S. Vygotsky ( )

A TEORIA SÓCIO-CULTURAL DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO. Leon S. Vygotsky ( ) A TEORIA SÓCIO-CULTURAL DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO Leon S. Vygotsky (1896-1934) O CONTEXTO DA OBRA - Viveu na União Soviética saída da Revolução Comunista de 1917 - Materialismo marxista - Desejava reescrever

Leia mais

Aula 1: Métodos de pesquisa

Aula 1: Métodos de pesquisa Aula 1: Métodos de pesquisa Quanti/Qualitativos Professores: Jose Renato de Campos Araujo Rogério Mugnaini 1 Métodos de pesquisa Artigo de Turato (2005), com os seguintes objetivos: Oferecer maior clareza

Leia mais

Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO

Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO I Iniciação à Atividade Filosófica 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar PERCURSOS 10.º ANO Competências a desenvolver/objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão 1.1. O que é a

Leia mais

Sociedade como fonte do pensamento lógico

Sociedade como fonte do pensamento lógico Sociedade como fonte do pensamento lógico E. Durkheim Antropologia I Prof. Vagner Gonçalves da Silva Grupo: Nara G. R. Castillo - NºUSP 7131083 Milena C. Gomes - NºUSP 9765938 Paula R. Jorge - NºUSP 9825177

Leia mais

Palavras - chaves: Região/ Ensino de Geografia / Construção de conceitos

Palavras - chaves: Região/ Ensino de Geografia / Construção de conceitos A PERCEPÇÃO DO CONCEITO DE REGIÃO PELOS ACADÊMICOS (AS) DO CURSO DE GEOGRAFIA DA RESUMO UEG ANÁPOLIS (ANÁLISE PARCIAL DO QUESTIONÁRIO) FRANÇA, Karla Christina Batista de.ueg 1 Orientadora: Profª. Msc.

Leia mais

Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas

Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas 1 Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas Os seres humanos sempre buscaram formas de compreender os fenômenos que ocorrem em seu dia a dia, de modo a procurar soluções para

Leia mais

Metodologia Científica: METODOLOGIA EM PESQUISA 19/10/2015

Metodologia Científica: METODOLOGIA EM PESQUISA 19/10/2015 Metodologia Científica: METODOLOGIA EM PESQUISA Juliana Berg Pesquisa em Administração É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição

Leia mais

Questões da Prova CFC

Questões da Prova CFC Questões da Prova CFC 2013.1 27. De acordo com a NBC TG Estrutura Conceitual, é condição necessária à caracterização de uma informação como relevante: a) apresentar dados inéditos, não antecipados por

Leia mais

APROXIMAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO DE ENFERMEIROS COM ATUAÇÃO EM SERVIÇOS DE SAÚDE DO SUS-CAMPINAS.

APROXIMAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO DE ENFERMEIROS COM ATUAÇÃO EM SERVIÇOS DE SAÚDE DO SUS-CAMPINAS. APROXIMAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO DE ENFERMEIROS COM ATUAÇÃO EM SERVIÇOS DE SAÚDE DO SUS-CAMPINAS. Aparecida Sílvia Mellin 1 Silvana Chorratt Cavalheri 1 Sueli Fátima Sampaio 1 Introdução- Esta pesquisa,

Leia mais

Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade

Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade Código: SSO- Semestre: 2013.1 Créditos: 04 - Carga Horária: 60 hs Horário 6ª feira 08:20 11:50hs. Professores: Hélder

Leia mais

Ciência, Tecnologia e sociedade

Ciência, Tecnologia e sociedade Ciência, Tecnologia e sociedade [Aula 2] Qual conhecimento? profa. Maria Caramez Carlotto SCB 2 quadrimestre de 2016 Qual conhecimento? [Aula 2] Quinta-feira, 09 de junho de 2016 Qual conhecimento? Texto

Leia mais

Pesquisa Científica. Atividade da Aula Passada... Pesquisa Científica. Pesquisa Científica...

Pesquisa Científica. Atividade da Aula Passada... Pesquisa Científica. Pesquisa Científica... Atividade da Aula Passada... Qual a relação entre Conhecimento, Ciência e Metodologia? Qual a relação do Conhecimento Empírico com a Ciência? Com base na sua experiência de vida, seu empirismo, existe

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

Cartografia e Ideologia

Cartografia e Ideologia Cartografia e Ideologia Qual é o parasita mais poderoso? Um vírus, uma bactéria, um verme intestinal? Uma ideia! Quando uma ideia domina o cérebro é quase impossível erradicá-la. Signo Semiologia com base

Leia mais

ANEXO I: Modelo de Programa de Disciplina (elaborar em conformidade com o Projeto Pedagógico do Curso)

ANEXO I: Modelo de Programa de Disciplina (elaborar em conformidade com o Projeto Pedagógico do Curso) ANEXO I: Modelo de Programa de Disciplina (elaborar em conformidade com o Projeto Pedagógico do Curso) Teoria Sociológica II CARGA HORÁRIA TEÓR: 60 PROGRAMA DE DISCIPLINA NOME COLEGIADO CÓDIGO SEMESTR

Leia mais

TÉCNICAS DE ESTUDO E PESQUISA TÉCNICAS DE ESTUDO E PESQUISA

TÉCNICAS DE ESTUDO E PESQUISA TÉCNICAS DE ESTUDO E PESQUISA TÉCNICAS DE ESTUDO E PESQUISA Graduação 1 UNIDADE 1 O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO Bem-vindo à disciplina Técnicas de Estudo e Pesquisa! Iniciaremos nosso estudo abordando o processo

Leia mais

Sumário. 1 Sobre a Filosofia, 1 A filosofia como tradição, 1 A filosofia como práxis, 5

Sumário. 1 Sobre a Filosofia, 1 A filosofia como tradição, 1 A filosofia como práxis, 5 Sumário Nota, xi 1 Sobre a Filosofia, 1 A filosofia como tradição, 1 A filosofia como práxis, 5 2 Sobre a Filosofia do Direito, 10 A especificidade da filosofia do direito, 11 Filosofia do direito e filosofia,

Leia mais

PLANO DE CURSO. 1. Apresentar a emergência da teoria social de Marx e da tradição sociológica, discutindo os traços pertinentes destas duas vertentes.

PLANO DE CURSO. 1. Apresentar a emergência da teoria social de Marx e da tradição sociológica, discutindo os traços pertinentes destas duas vertentes. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL CURSO DE MESTRADO EM SERVIÇO SOCIAL Disciplina: Teorias Sociais

Leia mais

ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO - PPGE/ME FURB ISSN v. 6, n. 3, p , set./dez APRESENTAÇÃO

ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO - PPGE/ME FURB ISSN v. 6, n. 3, p , set./dez APRESENTAÇÃO ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO - PPGE/ME FURB APRESENTAÇÃO Esse número da revista Atos de Pesquisa em Educação tem por tema infância e educação. Se o tema é o mesmo, a diversidade das abordagens presentes

Leia mais

A PUBLICIDADE CONTRAINTUITIVA BRASILEIRA E SUA DISCURSIVIDADE PERFORMÁTICA EM ESTEREÓTIPOS

A PUBLICIDADE CONTRAINTUITIVA BRASILEIRA E SUA DISCURSIVIDADE PERFORMÁTICA EM ESTEREÓTIPOS A PUBLICIDADE CONTRAINTUITIVA BRASILEIRA E SUA DISCURSIVIDADE PERFORMÁTICA EM ESTEREÓTIPOS Francisco Leite Doutorando em Ciências da Comunicação Aveiro, 28 a 30 de abril de 2014. O que é a Publicidade

Leia mais

Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia

Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia Revisão Antropologia II Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia Evolucionismo Tylor, Fraser, Morgan Unidade humana, compreensão das diferenças através de uma linha evolutiva da humanidade,

Leia mais

A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente

A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 26 de

Leia mais

A avaliação da aprendizagem no curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Londrina: um olhar sobre a formação discente

A avaliação da aprendizagem no curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Londrina: um olhar sobre a formação discente A avaliação da aprendizagem no curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Londrina: um olhar sobre a formação discente Resumo: Jocimara Aparecida de Jesus 1 Dirce Aparecida Foletto de Moraes 2 Este

Leia mais

RESENHA. Contrapontos - volume 3 - n. 3 - p. 547-550 - Itajaí, set./dez. 2003 545

RESENHA. Contrapontos - volume 3 - n. 3 - p. 547-550 - Itajaí, set./dez. 2003 545 RESENHA Contrapontos - volume 3 - n. 3 - p. 547-550 - Itajaí, set./dez. 2003 545 546 Ciberespaço e formações abertas: rumo a novas práticas educacionais Maristela Vanzuita Machado CIBERESPAÇO E FORMAÇÕES

Leia mais

PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA E O PAPEL DO ENSINO DE BIOLOGIA NA FORMAÇÃO DA CONCEPÇÃO DE MUNDO

PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA E O PAPEL DO ENSINO DE BIOLOGIA NA FORMAÇÃO DA CONCEPÇÃO DE MUNDO PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA E O PAPEL DO ENSINO DE BIOLOGIA NA FORMAÇÃO DA CONCEPÇÃO DE MUNDO PEREIRA, Lucas Monteiro UNESP lucasmontp@gmail.com CAMPOS, Luciana M. Lunardi UNESP camposml@ibb.unesp.br Introdução

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA. 1º período Disciplinas Teórica Prática

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA. 1º período Disciplinas Teórica Prática MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

Ordem Internacional e a Escola Inglesa das RI

Ordem Internacional e a Escola Inglesa das RI BRI 009 Teorias Clássicas das RI Ordem Internacional e a Escola Inglesa das RI Janina Onuki IRI/USP janonuki@usp.br 23 e 24 de setembro de 2015 ESCOLA INGLESA Abordagem que busca se diferenciar do debate

Leia mais

EVIDENCIANDO O SENSO COMUM COM A RELAÇÃO DE DUAS TEORIAS: REPRESENTAÇÃO SOCIAL E RELAÇÃO COM O SABER

EVIDENCIANDO O SENSO COMUM COM A RELAÇÃO DE DUAS TEORIAS: REPRESENTAÇÃO SOCIAL E RELAÇÃO COM O SABER EVIDENCIANDO O SENSO COMUM COM A RELAÇÃO DE DUAS TEORIAS: REPRESENTAÇÃO SOCIAL E RELAÇÃO COM O SABER Carlineide Justina da Silva Almeida Mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEd), da Universidade

Leia mais

O PAPEL DAS CRENÇAS NA ORGANIZAÇÃO DO PENSAMENTO HUMANO

O PAPEL DAS CRENÇAS NA ORGANIZAÇÃO DO PENSAMENTO HUMANO O PAPEL DAS CRENÇAS NA ORGANIZAÇÃO DO PENSAMENTO HUMANO Cristina Satiê de Oliveira Pátaro Resumo: O presente trabalho é fruto de Dissertação de Mestrado desenvolvida junto à Faculdade de Educação da Unicamp,

Leia mais

ASSUNTOS DA DISCIPLINA COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

ASSUNTOS DA DISCIPLINA COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL ASSUNTOS DA DISCIPLINA COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Comportamento Micro organizacional (INDIVIDUOS) Personalidade; percepção; atitude; poder e política organizacional Administrando diversidades e diferenças

Leia mais

A Sociologia da Ciência. Os imperativos institucionais da Ciência R. K. Merton

A Sociologia da Ciência. Os imperativos institucionais da Ciência R. K. Merton A Sociologia da Ciência Os imperativos institucionais da Ciência R. K. Merton Os clássicos da Sociologia Marx, Weber e Durkheim concordam que: Ciência floresce em sociedades complexas, industriais A taxa

Leia mais

Critérios para Credenciamento de Líderes e Certificação de Grupos de Pesquisa

Critérios para Credenciamento de Líderes e Certificação de Grupos de Pesquisa SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação Critérios para Credenciamento de Líderes e Certificação de Grupos de Pesquisa Prof.

Leia mais

O ENSINO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO DISTRITO FEDERAL

O ENSINO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO DISTRITO FEDERAL O ENSINO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO DISTRITO FEDERAL Acadêmica :Amanda da Silva Alves Orientador: Alexsandro Barreto Almeida Águas Claras - DF 2016 Alexsandro Barreto

Leia mais

SUMÁRIO INTRODUÇÃO 3 1 EPISTEMOLOGIA CRÍTICA 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS 8 REFERÊNCIA 9

SUMÁRIO INTRODUÇÃO 3 1 EPISTEMOLOGIA CRÍTICA 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS 8 REFERÊNCIA 9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 3 1 EPISTEMOLOGIA CRÍTICA 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS 8 REFERÊNCIA 9 3 INTRODUÇÃO Este trabalho enfoca o tema epistemologia crítica e foi elaborado segundo a técnica de resumo do texto com

Leia mais

Sobre os Autores. Sobre os Autores FLEURY AFONSO

Sobre os Autores. Sobre os Autores FLEURY AFONSO Sobre os Autores AFONSO FLEURY É Engenheiro. Professor Titular do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, além de Diretor-Presidente da Fundação Carlos

Leia mais

Pedagogia. 1º Semestre. Biologia Educacional EDC602/ 60h

Pedagogia. 1º Semestre. Biologia Educacional EDC602/ 60h Pedagogia 1º Semestre Biologia Educacional EDC602/ 60h Ementa: Identificar os processos biológicos fundamentais diretamente relacionados à situação ensino-aprendizagem. Análise dos fatores genéticos e

Leia mais

A Classificação da Pesquisa

A Classificação da Pesquisa A Classificação da Pesquisa Formas de Classificação da Pesquisa l I - Classificando as pesquisas com base em seus objetivos l II - Classificando as pesquisas com base nos procedimentos técnicos utilizados

Leia mais

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. O Brasil é um País Multirracial. Contextualização. Teleaula 1.

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. O Brasil é um País Multirracial. Contextualização. Teleaula 1. Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural Teleaula 1 Profa. Dra. Marcilene Garcia de Souza tutorialetras@grupouninter.com.br O Brasil é um País Multirracial Letras Contextualização

Leia mais

6LEM064 GRAMÁTICA DA LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de aspectos fonético-fonológicos e ortográficos e das estruturas morfossintáticas da língua espanhola.

6LEM064 GRAMÁTICA DA LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de aspectos fonético-fonológicos e ortográficos e das estruturas morfossintáticas da língua espanhola. HABILITAÇÃO: LICENCIATURA EM LÍNGUA ESPANHOLA 1ª Série 6LEM064 GRAMÁTICA DA LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de aspectos fonético-fonológicos e ortográficos e das estruturas morfossintáticas da língua espanhola.

Leia mais

VISÃO ANTROPOLÓGIA. Prof. Dieikson de Carvalho

VISÃO ANTROPOLÓGIA. Prof. Dieikson de Carvalho VISÃO ANTROPOLÓGIA Prof. Dieikson de Carvalho Visão dualista do ser humano RAZÃO X EMOÇÃO Visão Antropológica Quando tentamos definir o ser humano, precisamos vencer dois grandes desafios: 1) Visão compartimentada

Leia mais

Prof. Aparecido Carlos Duarte

Prof. Aparecido Carlos Duarte Unidade I METODOLOGIA CIENTÍFICA Prof. Aparecido Carlos Duarte Conteúdo: o que é ciência; classificação e divisão da ciência; o que é método; o que é metodologia científica; o que é um paradigma; movimentos

Leia mais

Aula 01 O conhecimento vivo

Aula 01 O conhecimento vivo Metodologia da Pesquisa Científica Aula 01 O conhecimento vivo Bloco 1 Dra. Rita Mazaro Na nossa vida diária utilizamos e convivemos com conhecimentos construídos ao longo da história por diferentes povos

Leia mais

MOVIMENTOS MESSIÂNICOS: CONTRIBUIÇÕES DA LEITURA ANTROPOLÓGICA PARA LEITURAS LITERÁRIAS

MOVIMENTOS MESSIÂNICOS: CONTRIBUIÇÕES DA LEITURA ANTROPOLÓGICA PARA LEITURAS LITERÁRIAS MOVIMENTOS MESSIÂNICOS: CONTRIBUIÇÕES DA LEITURA ANTROPOLÓGICA PARA LEITURAS LITERÁRIAS Ana Carolina Bazzo 1 Este texto corresponde a um resumo estendido da palestra Movimentos Messiânicos: contribuições

Leia mais

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA.

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. SANTOS, Sayarah Carol Mesquita UFAL sayarahcarol@hotmail.com INTRODUÇÃO Colocamo-nos a fim de compreender o trabalho na dialética marxista,

Leia mais

ENSAIO-RESENHA. Robert E.Verhine*

ENSAIO-RESENHA. Robert E.Verhine* ENSAIO-RESENHA Robert E.Verhine* Kirk, J. & Miller, M. Reliability and Validity in Qualitative Research. Newberry Park: Sage. 1986. (Qualitative Research Methods Series, 1) Agar, M. H. Speakinq of Ethnographv.

Leia mais

Faces da cultura e da comunicação organizacional

Faces da cultura e da comunicação organizacional Faces da cultura e da comunicação organizacional SÉRIE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Volume 1 Marlene Marchiori Organizadora Faces da cultura e da comunicação organizacional 2ª Edição Autores Adriano Maricato

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Educação infantil Creche e pré escolas O QUE É? Os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN - são referências de qualidade para os Ensinos Fundamental e Médio do país,

Leia mais

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais.

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman Centro Universitário Estácio da Bahia Conteúdo O contexto histórico

Leia mais