ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL"

Transcrição

1 ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL 1 - FICHAS SOCIAIS (Esta ficha deve ser aplicada para todos os subprojetos e contempla o levantamento e demanda da área social, inclusive os povos tradicionais e demais grupos vulneráveis) Ficha de Avaliação das Demandas Sociais Nome do(s) Avaliador (es): (s): Tel.: Data de avaliação: / / 2. Informação Geral Nome do Subprojeto: Território: Tipologias ( ) Projetos de Iniciativas de Negócios Sustentáveis ( ) Projetos Estruturantes de Desenvolvimento Regional ( ) Projetos Socioambientais ( ) Projetos de Inovação Pedagógicos ( ) Fortalecimento da Governança Local e Regional 3. Perfil populacional beneficiaria pelas Ações/Obras ( ) Zona urbana de alta densidade ( ) Zona urbana de média densidade ( ) Zona peri-urbana ( ) Zona rural

2 Comunidades tradicionais: Indígenas ( ) Quilombolas (...) Ciganas ( ) População Nº de pessoas: Raça/Cor: Etnia: Sexo Masculino: Sexo Feminino: Gênero: Idosos: Jovens: 15 a 17 anos ( ) 18 ou 19 anos ( ) 20 a 24 anos ( ) 25 a 29 anos ( ) Pessoa com deficiência (Sim) (Não) Quantidade Física: ( ) ( ) ( ) Mental: ( ) ( ) ( ) Nº de famílias: Nº de crianças adolescentes em idade escolar: Nº de crianças que frequentam a escola: Nº de pessoas beneficiarias de programas sociais: Bolsa Família: BPC: Programa do leite: PETI: Segurança Alimentar: Agricultura Familiar: Outros: Equipamentos sociais/comunitários (Sim) (Não) Quantidade Hospitais ( ) ( ) ( ) Posto de Saúde ( ) ( ) ( ) Delegacias ( ) ( ) ( )

3 Delegacia da mulher ( ) ( ) ( ) Delegacia do idoso ( ) ( ) ( ) Escolas ( ) ( ) ( ) Bibliotecas ( ) ( ) ( ) Centros comunitários ( ) ( ) ( ) Associações/Cooperativas ( ) ( ) ( ) Conselho Tutelar ( ) ( ) ( ) CREAS ( ) ( ) ( ) CRAS ( ) ( ) ( ) Outros: (relacionar) Característica socioeconômica predominante da população Rendimentos (Nº Salário Mínimo). Até 1/4 ( ) Mais de 1/4 a ½ ( ) Mais de 1/2 a 1 ( ) Mais de 1 a 2 ( ) Mais de 2 a 3 ( ) Mais de 3 a 5 ( ) Mais de 5 a 10 ( ) Mais de 10 a 15 ( ) Mais de 15 a 20 ( ) Mais de 20 a 30 ( ) Mais de 30 ( ) Sem rendimento ( ) Pessoas desempregadas que vivem em um estado constante de miséria e pobreza.( ) Propriedades (diretamente/indiretamente) afetadas/beneficiadas pelas ações/obras: Residenciais Número Própria ( ) ( ) Alugada ( ) ( ) Cedida ( ) ( ) Outros ( ) ( ) ( ) Comerciais e de serviços: ( ) Industriais ou oficinas: ( ) Agropecuária: ( ) Outros: Outras observações quanto ao perfil social:

4 Comunidades tradicionais (Sim) (Não) Presença de povos indígenas na área do subprojeto ou ligados a ela de forma coletiva ( ) ( ) Presença de povos quilombolas na área do subprojeto ou ligados a ela de forma coletiva ( ) ( ) Presença de povos ciganos na área do subprojeto ou ligados a ela de forma coletiva ( ) ( ) O subprojeto afetará positivamente a educação, saúde e meios de vida de comunidades tradicionais? ( ) ( ) Reassentamento Involuntário (Sim) (Não) Requer reassentamento físico de famílias ( ) ( ) Requer relocação de famílias ( ) ( ) 4. Avaliação de impactos sociais pelas Ações/Obras Quadro de Avaliação de Impactos Sociais Impactos potenciais Impactos Sim/ Não/ NA Fase da Tipologia Implantação Tipo de Impacto Operacional ização. + - Descrição: qualidade, magnitude e recomendações para mitigação de impactos Formação de recursos humanos qualificados, inserção no trabalho, melhoria da qualidade de vida, etc. Impacto educacional: contribuição para a melhoria da educação básica. Impacto sobre o valor da terra no local do projeto e zona de influência Afeta atividades de venda ambulante e comércio local permanente e periódico.

5 Afetação de lugares que contribuem para a identidade da localidade Afeta as interações sociais e/ou práticas culturais na localidade Impacto econômico: contribuição para geração de emprego/trabalho Impacto sanitário: melhoria nas condições de saúde ambiental rural e urbana. Impacto legal: aplicação das salvaguardas e do Marco Regulatório Social quando for necessário. Outros impactos considerados pertinentes pela área. Poderão ser incluídas outras dimensões de impacto consideradas relevantes e pertinentes, respeitando suas especificidades e dinamismos e que não foram comtempladas na lista acima. Integração e cooperação com organizações e/ou instituições locais Divulgação e transparência das atividades e da atuação do subprojeto. 5. Demandas Sociais Adicionais Avaliação adicional de impactos requeridos ( ) Estudos/avaliações adicionais específicos (com base na avaliação preliminar):

6 ( ) Consultas Públicas realizadas (Sim) (Não) 6. Observações e Comentários Gerais Nome(s) do(s) coordenador (es)-consultor (es) de área de conhecimento: 1. Tel.: 2. Tel.: Anexo 1. Diagnóstico visual do local Durante a visita de campo e análise preliminar de impactos, é necessário identificar e localizar os principais impactos sociais das ações/obras, tanto na fase de construção quanto durante a operacionalização. Também se deve incluir as atividades socioeconômicas e culturais típicas na zona de influência do projeto e identificar os possíveis conflitos gerados pelas ações/obras. Local Observações Fotografia Breve referência Descrição breve dos principais impactos potenciais observados durante a visita de campo Visualização com imagens digitais OBS: Incluir quantas linhas considerar necessárias

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO OBJETIVOS DO GOVERNO: Consolidar e aprofundar os projetos e ações

Leia mais

ANEXO IV. RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 23, 08 de Junho de 2005. CAMPOS DO CADASTRO DE ALFABETIZANDOS, ALFABETIZADORES, TURMAS E COORDENADORES DE TURMAS

ANEXO IV. RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 23, 08 de Junho de 2005. CAMPOS DO CADASTRO DE ALFABETIZANDOS, ALFABETIZADORES, TURMAS E COORDENADORES DE TURMAS ANEXO IV RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 23, 08 de Junho de 2005. CAMPOS DO CADASTRO DE ALFABETIZANDOS, ALFABETIZADORES, TURMAS E COORDENADORES DE TURMAS 1 - que compõem o cadastro do Alfabetizador Nome - informar

Leia mais

QUEM SOMOS? 1.2. Aproximadamente, quantas pessoas vivem na comunidade?

QUEM SOMOS? 1.2. Aproximadamente, quantas pessoas vivem na comunidade? 1 2 QUEM SOMOS? Parte 1: Perfil da comunidade. Nome da comunidade: Estado onde se localiza: Município onde se localiza: 1.1. A que distância a sua comunidade fica da cidade? 1.2. Aproximadamente, quantas

Leia mais

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília FOME ZERO VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã ção e Nutriçã ção CGPAN/MS/Brasília lia-df Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Abril/2006

Leia mais

ESTRUTURA ADMINISTRATIVA ORGANIZACIONAL DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE CAARAPÓ MS, CONFORME LEI MUNICIPAL Nº /2011

ESTRUTURA ADMINISTRATIVA ORGANIZACIONAL DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE CAARAPÓ MS, CONFORME LEI MUNICIPAL Nº /2011 ESTRUTURA ADMINISTRATIVA ORGANIZACIONAL DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE CAARAPÓ MS, CONFORME LEI MUNICIPAL Nº 10.067/2011 Seção I Dos Órgãos Colegiados Art. 8º - A Administração Municipal de Caarapó

Leia mais

Políticas Públicas Intersetoriais - A Relação Intersetorial na Consolidação da Proteção Social.

Políticas Públicas Intersetoriais - A Relação Intersetorial na Consolidação da Proteção Social. Ministério do Políticas Públicas Intersetoriais - A Relação Intersetorial na Consolidação da Proteção Social. Rômulo Paes Secretário Executivo do Ministério do Combate à Fome Rio de Janeiro, 30 de novembro

Leia mais

Helena A Wada Watanabe 2012

Helena A Wada Watanabe 2012 Helena A Wada Watanabe 2012 Política * É uma atividade mediante a qual as pessoas fazem, preservam e corrigem as regras gerais sob as quais vivem. * É inseparável tanto do conflito como da cooperação (valores

Leia mais

FICHA DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA BOLSA TRABALHO -PBT

FICHA DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA BOLSA TRABALHO -PBT Poder Executivo Ministério da Educação Universidade Federal do Amazonas Pró-Reitoria para Assuntos Comunitários Departamento de Apoio ao Estudante FICHA DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA BOLSA TRABALHO

Leia mais

Indicadores Sociais Municipais 2010. Uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico 2010

Indicadores Sociais Municipais 2010. Uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico 2010 Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Indicadores Sociais Municipais 2010 Uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico 2010 Rio, 16/11/ 2011 Justificativa:

Leia mais

ENCONTRO REGIONAL CONGEMAS/ COGEMASES REGIÃO SUDESTE VENDA NOVA DO IMIGRANTE- ES

ENCONTRO REGIONAL CONGEMAS/ COGEMASES REGIÃO SUDESTE VENDA NOVA DO IMIGRANTE- ES ENCONTRO REGIONAL CONGEMAS/ COGEMASES REGIÃO SUDESTE VENDA NOVA DO IMIGRANTE- ES O plano decenal :diagnóstico,perspectivas e as diversidades estaduais e regional. 17/3 /2016 Aldaiza Sposati apoio: Jose

Leia mais

Redesenho do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI

Redesenho do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Redesenho do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome MDS Secretaria Nacional de Assistência Social SNAS HISTÓRICO DO PETI PETI Contexto histórico

Leia mais

Módulo 4 do curso: Diagnóstico Comunitário Participativo.

Módulo 4 do curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Módulo 4 do curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. 1 2 Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Créditos Coordenação: Gleyse Peiter e Marcos Carmona. Modelo do questionário: Marcelo Vale Elaboração

Leia mais

NADA MAIS DE FICHAS IMPRESSAS, FALTA DE PADRÃO NO PREENCHIMENTO E ACÚMULO DE MATERIAL.

NADA MAIS DE FICHAS IMPRESSAS, FALTA DE PADRÃO NO PREENCHIMENTO E ACÚMULO DE MATERIAL. NADA MAIS DE FICHAS IMPRESSAS, FALTA DE PADRÃO NO PREENCHIMENTO E ACÚMULO DE MATERIAL. O Aplicativo MAS contém as fichas do atendimento básico e o Portal MAS possui recursos para que o gestor acompanhe

Leia mais

APÊNDICE 1 FORMULÁRIO DE COMPROVAÇÃO DE RENDA E COMPOSIÇÃO FAMILIAR

APÊNDICE 1 FORMULÁRIO DE COMPROVAÇÃO DE RENDA E COMPOSIÇÃO FAMILIAR APÊNDICE 1 FORMULÁRIO DE COMPROVAÇÃO DE RENDA E COMPOSIÇÃO FAMILIAR _, identidade nº, CPF _, candidato do Processo Seletivo para os Cursos de Educação Profissional 2015/1 aprovado no curso de do Câmpus

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS DIRETORIA DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS DIRETORIA DE EXTENSÃO PROCESSO SELETIVO PARA BOLSISTA DE EXTENSÃO EDITAL/UFU/PROEX/ N 36/2014 A Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Uberlândia, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

Indicadores para avaliação do PDM em vigor

Indicadores para avaliação do PDM em vigor para avaliação do PDM em vigor Primeiro Objectivo Desenvolver, Diversificar e Modernizar a base produtiva Segundo Objectivo Reforço das Acessibilidades Intra-concelhias e Promover o Desenvolvimento Equilibrado

Leia mais

Projeto Espaço de Proteção

Projeto Espaço de Proteção Projeto Espaço de Proteção S E C R E TA R I A D E D E S E N V O LV I M E N T O S O C I A L, J U V E N T U D E, P O L Í T I C A S O B R E D R O G A S E D I R E I T O S H U M A N O S O que é o Projeto Espaço

Leia mais

Instrumento para construção de mapas sobre fome, pobreza e direitos no Brasil

Instrumento para construção de mapas sobre fome, pobreza e direitos no Brasil Instrumento para construção de mapas sobre fome, pobreza e direitos no Brasil OBJETIVO Realizar uma escuta junto às pessoas em situação de vulnerabilidade social e de insegurança alimentar, que subsidie

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO: O APROVEITAMENTO INTEGRAL ALIMENTAR

PROJETO DE INTERVENÇÃO: O APROVEITAMENTO INTEGRAL ALIMENTAR FACULDADE SALESIANA DE VITÓRIA GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL KARLA FRANCINE MOREIRA DE JESUS(MB) ARQUIVO DISPONIBILIZADO NA BIBLIOTECA VIRTUAL DO PROJETO REDESAN Título: Projeto de Intervenção: O Aproveitamento

Leia mais

Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade

Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade Antônio Lidio de Mattos Zambon Coordenador Geral de Políticas

Leia mais

Propriedades e Tipos de Indicadores de Políticas Públicas. Propriedade de Indicadores 5/12/2013. Prof. Júlio Andrade

Propriedades e Tipos de Indicadores de Políticas Públicas. Propriedade de Indicadores 5/12/2013. Prof. Júlio Andrade 5/12/2013 Propriedades e Tipos de Indicadores de Políticas Públicas Prof. Júlio Andrade Fonte: Slides elaborados com base de Jannuzzi, 2012 e 2008 Propriedade de Indicadores 1 5/12/2013 2 5/12/2013 Tipologia

Leia mais

Coordenação de Proteção Social Básica

Coordenação de Proteção Social Básica - S E D S Coordenação de Proteção Social Básica Agosto 212 Coordenação Proteção Social Básica A coordenação e o controle das ações da Política Pública da Assistência Social relacionadas a proteção social

Leia mais

Cadastro Único de Programas Sociais Seminário Pan- Amazônico de Proteção Social Belém - PA

Cadastro Único de Programas Sociais Seminário Pan- Amazônico de Proteção Social Belém - PA Cadastro Único de Programas Sociais Seminário Pan- Amazônico de Proteção Social Belém - PA Tiago Falcão Secretário da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO. Telefone de contato do aluno: Cel: ( ) Tel.: ( )

ANEXO I FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO. Telefone de contato do aluno: Cel: ( ) Tel.: ( ) GOVERNO FEDERAL - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS AVANÇADO SANTOS DUMONT RUA

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE ENSINO EDITAL Nº 356/2010 PROEN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE ENSINO EDITAL Nº 356/2010 PROEN SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O GRUPO DE EDUCAÇÃO TUTORIAL EM EDUCAÇÃO DO CAMPO A Pró-Reitoria de Ensino torna público Edital com normas para o processo de Seleção de Bolsistas para 12 (doze) vagas do Grupo

Leia mais

EFETIVIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO DO CAMPO. Eixo Temático: Política Pública da Educação e da Criança e do Adolescente.

EFETIVIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO DO CAMPO. Eixo Temático: Política Pública da Educação e da Criança e do Adolescente. EFETIVIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO DO CAMPO PAVINI, Gislaine Cristina 1 RIBEIRO, Maria Lucia 2 Eixo Temático: Política Pública da Educação e da Criança e do Adolescente. RESUMO Este trabalho

Leia mais

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I -

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I - GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I - DEMOGRAFIA POPULAÇÃO - conjunto de pessoas que habitam uma determinada área, classificada de vários aspectos: religião, etnia, local de moradia, atividades econômicas, faixa

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça S.P. Área de conhecimento: Ciências Humanas e suas Tecnologias

Leia mais

Objetivo Geral: Objetivos Específicos:

Objetivo Geral: Objetivos Específicos: Objetivo Geral: Superação da pobreza e geração de trabalho e renda no meio rural por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Objetivos Específicos: Inclusão produtiva das populações

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

Relatório de Cumprimento das Metas Financeiras do PPA do Ano de 2017

Relatório de Cumprimento das Metas Financeiras do PPA do Ano de 2017 CÓDIGO: 0002 PROGRAMA: Orientação na Execução da Políticas Locais OBJETIVO: Orientar a Equipe de Governo no sentido de aplicar plenamente sua Plataforma de Governo 2003 2004 Coordenação das Ações de Execução

Leia mais

PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE CERRO AZUL Programa de Trabalho por Órgão e Unidade Orçamentária - Anexo 06 - Administração Direta

PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE CERRO AZUL Programa de Trabalho por Órgão e Unidade Orçamentária - Anexo 06 - Administração Direta Página 1 Órgão: 02 - SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO Unidade Orçamentária: 01 - Chefia de Gabinete Operações Especiais 04 Administração 598.124,43 598.124,43 04.122 Administração Geral 598.124,43 598.124,43

Leia mais

Integração de Políticas Públicas e seus desafios

Integração de Políticas Públicas e seus desafios Integração de Políticas Públicas e seus desafios Rômulo Paes de Sousa Secretário Executivo do MDS Rio de Janeiro, 5 de agosto de 2011. MODELO PRÉ-SISTÊMICO Transição da Política Pública Baseado em programas

Leia mais

PESQUISA NACIONAL REDE APAE: DIAGNÓSTICO DA REALIDADE

PESQUISA NACIONAL REDE APAE: DIAGNÓSTICO DA REALIDADE PESQUISA NACIONAL REDE APAE: DIAGNÓSTICO DA REALIDADE Caso tenha dúvidas no preenchimento correto da pesquisa, entre em contato com o representante da sua Federação Estadual que foi capacitado poderá prestar

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS EM NOVO HAMBURGO (DISQUE 100) Novo Hamburgo/ RS

RELATÓRIO DESCRITIVO VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS EM NOVO HAMBURGO (DISQUE 100) Novo Hamburgo/ RS RELATÓRIO DESCRITIVO VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS EM NOVO HAMBURGO (DISQUE 100) Novo Hamburgo/ RS OBSERVADORES TÉCNICOS DO PROJETO Eduardo Pazinato - Coordenador Geral Aline Kerber - Coordenadora Técnica

Leia mais

CT-HIDRO & CNPq 2002-2010 Ciência, Tecnologia e Inovação na área de Recursos Hídricos

CT-HIDRO & CNPq 2002-2010 Ciência, Tecnologia e Inovação na área de Recursos Hídricos Diretoria de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde DABS Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Ciências da Terra e Meio Ambiente CGCTM Coordenação do Programa de Pesquisas Oceanográficas e Impactos

Leia mais

PLANO BÁSICO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 2013/2016. Coligação UNIÃO, TRABALHO, PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO PT PTB PPS PDT - PT

PLANO BÁSICO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 2013/2016. Coligação UNIÃO, TRABALHO, PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO PT PTB PPS PDT - PT PLANO BÁSICO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 2013/2016 Coligação UNIÃO, TRABALHO, PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO PT PTB PPS PDT - PT APARICIO MENDES DE FIGUEIREDO e ROGÉRIO GARCIA DUTRA, candidatos, respectivamente,

Leia mais

Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso

Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso Pragmatismo Político, 14 de maio de 2014 Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso Criticado por Ney Matogrosso e peça da campanha de Aécio, Campos e Dilma, benefício é pago para 14 milhões de famílias.

Leia mais

ANEXO III PROCURAÇÃO SIMPLES

ANEXO III PROCURAÇÃO SIMPLES ANEXO III PROCURAÇÃO SIMPLES Eu,, filho de (nome da mãe) e de (nome do pai), nascido(a) no dia do mês de de (ano), na cidade de, Estado, portador(a) do documento de identidade nº expedido pela em / /,

Leia mais

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil avançou muito em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e pavimentou o caminho para cumprir as metas até 2015.

Leia mais

ANEXO B FORMULÁRIO SOCIOECONOMICO DO ESTUDANTE. Auxílios: ( ) Permanência ( ) Transporte ( ) Alimentação ( ) Moradia.

ANEXO B FORMULÁRIO SOCIOECONOMICO DO ESTUDANTE. Auxílios: ( ) Permanência ( ) Transporte ( ) Alimentação ( ) Moradia. ANEXO B FORMULÁRIO SOCIOECONOMICO DO ESTUDANTE Auxílios: ( ) Permanência ( ) Transporte ( ) Alimentação ( ) Moradia 1 Identificação Nome completo: Turma: Matrícula: Ingresso: ( ) Acesso Universal ( )Escola

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DESPORTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DESPORTO Edital simplificado para seleção de acadêmicos remunerados e voluntários do projeto de extensão Amigos

Leia mais

PECP Programa Einstein na Comunidade de Paraisopolis. Lidio Moreira

PECP Programa Einstein na Comunidade de Paraisopolis. Lidio Moreira PECP Programa Einstein na Comunidade de Paraisopolis Lidio Moreira 1. Estrutura Organizacional SBIBAE SOCIEDADE BENEFICENTE ISRAELITA BRASILEIRA ALBERT EINSTEIN Dept. de Voluntários I I R S INSTITUTO ISRAELITA

Leia mais

Indicadores socioeconômicos da Região Sul de Diadema. Observatório de Políticas Públicas, Econômico e Social de Diadema OPPES Agosto 2012

Indicadores socioeconômicos da Região Sul de Diadema. Observatório de Políticas Públicas, Econômico e Social de Diadema OPPES Agosto 2012 Indicadores socioeconômicos da Região Sul de Diadema Observatório de Políticas Públicas, Econômico e Social de Diadema OPPES Agosto 2012 DEMOGRAFIA População total dos bairros de Diadema e crescimento

Leia mais

RESIDÊNCIAS INCLUSIVAS

RESIDÊNCIAS INCLUSIVAS Viver sem Limite Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência 2011-2014 RESIDÊNCIAS INCLUSIVAS O que é Residência Inclusiva? A Residência Inclusiva é uma unidade que oferta Serviço de Acolhimento

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

TÃO PERTO E TÃO LONGE: ARRANJOS FAMILIARES E TRABALHO NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO EM 2010.

TÃO PERTO E TÃO LONGE: ARRANJOS FAMILIARES E TRABALHO NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO EM 2010. TÃO PERTO E TÃO LONGE: ARRANJOS FAMILIARES E TRABALHO NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO EM 2010. AUTORES: Sonoe Sugahara (ENCE/IBGE), Moema De Poli Teixeira (ENCE/IBGE) Zuleica Lopes Cavalcanti de Oliveira

Leia mais

PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA

PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA Secretaria Munic. de Assistência Social Estrutura Ponta Grossa é considerada pelo Sistema Único de Assistência Social como município de

Leia mais

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Centro de Referência de Assistência Social PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Centro de Referência de Assistência Social PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015 CRAS: Maracanã COORDENADOR(A): Eliana de Araújo Vieira PREFEITURA DE MONTES CLAROS PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015 QUADRO I Atividades de fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários: Objetivo Atividades

Leia mais

Cuidado. Crack, é possível vencer Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários

Cuidado. Crack, é possível vencer Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Prevenção Educação, Informação e Capacitação Cuidado Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas Crack, é

Leia mais

DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL APRESENTAÇÃO A Associação Cristã de Moços de Sorocaba tem como premissa atender à comunidade sorocabana em seus anseios de caráter físico, mental e espiritual, através

Leia mais

O Modelo Lógico do Programa Brasil Alfabetizado (PBA)

O Modelo Lógico do Programa Brasil Alfabetizado (PBA) Diretoria de Políticas da Educação de Jovens e Adultos (DPEJA) / SECAD / MEC O Modelo Lógico do Programa Brasil Alfabetizado (PBA) Belo Horizonte, 26 de junho de 2009. Sumário Contextualização Modelo lógico

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE PERFIL SOCIOECONÔMICO PROCESSO SELETIVO DA GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA E ASSUNTOS ESTUDANTIS

QUESTIONÁRIO DE PERFIL SOCIOECONÔMICO PROCESSO SELETIVO DA GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS PROEX GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GAE SUBGERÊNCIA DE ASSUNTOS ESTUDNATIS SAE QUESTIONÁRIO

Leia mais

ANEXO IV RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 13, DE 24 DE ABRIL DE 2007

ANEXO IV RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 13, DE 24 DE ABRIL DE 2007 ANEXO IV RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 13, DE 24 DE ABRIL DE 2007 CAMPOS DO CADASTRO DE ENTIDADE, ALFABETIZADORES, TURMAS, ALFABETIZANDOS E COORDENADORES DE TURMAS DO SISTEMA BRASIL ALFABETIZADO - SBA Razão social

Leia mais

EDITAL Nº 65, de 15 de agosto de 2014. Edital de divulgação do Projeto de Ensino de curta duração:

EDITAL Nº 65, de 15 de agosto de 2014. Edital de divulgação do Projeto de Ensino de curta duração: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA Câmpus Santa Rosa EDITAL Nº 65, de 15 de agosto de 2014. Edital de divulgação do Projeto de

Leia mais

Município da Samba - Província de Luanda

Município da Samba - Província de Luanda Ficha de Projecto Dezembro/2006 Designação Projecto Integrado para o Desenvolvimento Sociocomunitário na Missão da Corimba - Município da Samba (Província de Luanda) Missão da Corimba - Sede Localização

Leia mais

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*)

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*) Indicadores globais propostos Objetivo 4. Garantir uma educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover as oportunidades de aprendizagem contínua para todos Estas recomendações são feitas em conjunto

Leia mais

Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas

Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas 1. Identificação do Candidato 1.1. Nome da pessoa/organização: 1.2. Número de identificação (BI ou CC): de / / ou

Leia mais

Innocenti Report Card 14

Innocenti Report Card 14 Innocenti Report Card 14 Os países ricos terão de fazer mais esforços para assegurar que todas as crianças recebem cuidados, nutrição e protecção como previsto pelos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

PATO BRANCO COM FOCO NO FUTURO O amanhã transformado em etapas estratégicas de desenvolvimento

PATO BRANCO COM FOCO NO FUTURO O amanhã transformado em etapas estratégicas de desenvolvimento i n i c i a t i v a p a t r o c í n i o A T L A S E L E T R O D O M É S T I C O S D I Á R I O D O S U D O E S T E a p o i o S e b r a e P R, S i n d i m e t a l S u d o e s t e, S i s t e m a F i e p,

Leia mais

Relatório de Cumprimento das Metas Financeiras do PPA do Ano de 2017

Relatório de Cumprimento das Metas Financeiras do PPA do Ano de 2017 CÓDIGO: 0201 PROGRAMA: Ação Governamental OBJETIVO: Desenvolvimento de ações visando a execução das metas propostas no plano de governo, com melhores condições para o atendimento às autoridades constituídas

Leia mais

PROGRAMA AUXÍLIO EMERGENCIAL OBSERVAÇÕES:

PROGRAMA AUXÍLIO EMERGENCIAL OBSERVAÇÕES: PROGRAMA AUXÍLIO EMERGENCIAL OBSERVAÇÕES: 1. A documentação incompleta e/ou preenchimento indevido desse formulário estará sujeito ao INDEFERIMENTO DA INSCRIÇÃO; 2. As informações prestadas no formulário,

Leia mais

O CRAS é uma unidade pública estatal devidamente identificado, localizado em áreas de vulnerabilidade social.

O CRAS é uma unidade pública estatal devidamente identificado, localizado em áreas de vulnerabilidade social. CRAS - Centro de Referência da Assistência Social O CRAS é uma unidade pública estatal devidamente identificado, localizado em áreas de vulnerabilidade social. Profª. Iracema Ferreira Site: www.aprimore.net

Leia mais

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Ano 2014 Administração: Rodrigo Antônio de Agostinho Mendonça Secretária do Bem Estar Social: Darlene Martin Tendolo Diretora de Departamento: Silmaire

Leia mais

Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos

Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos Seminário Socioambiental Eólico SSE 2017 Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos Salvador, dezembro/2017 Agenda 1 Financiamento do BNDES ao Setor Eólico

Leia mais

LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO

LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO BOA VISTA/RR 2012 Apresentação Criado no dia 26 de Outubro de 2011 com a sanção da Lei de nº 12.513/2011

Leia mais

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO UF / Ação de Governo Valor a ser Fiscalizado AC R$ 99.891.435,79 Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE) R$

Leia mais

Centro de Convivência da Pessoa Idosa

Centro de Convivência da Pessoa Idosa Centro de Convivência da Pessoa Idosa Deve-se basear numa concepção de cuidado para um envelhecimento ativo, que privilegie a reintegração sócio-política cultural da pessoa idosa, em conformidade com a

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL

DESENVOLVIMENTO SOCIAL ENCONTRO DE GESTORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DA PARAÍBA FORTALECIMENTO DA GESTÃO MUNICIPAL PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL João Pessoa PB / 18, 19, 21 e 22 de março O PNUD reconhece a capacidade do TCE-PB de

Leia mais

1.3 O presente Processo Seletivo tem como público alvo os brasileiros (natos ou naturalizados) que cumpram todos os seguintes requisitos:

1.3 O presente Processo Seletivo tem como público alvo os brasileiros (natos ou naturalizados) que cumpram todos os seguintes requisitos: O Diretor Regional do SENAI Santa Catarina, mantenedor da, no uso de suas atribuições regimentais e de acordo com o que dispõe a Lei n 13.334, de 28 de fevereiro de 2005, com alterações promovidas pela

Leia mais

Etapas para sua construção

Etapas para sua construção Etapas para sua construção O plano é um documento que define metas educacionais para serem alcançadas pelo município em um período de 10 anos (2012 a 2021). Trata-se de uma exigência prevista na Lei Federal

Leia mais

Modos de vida no município de Paraty Praia do Sono

Modos de vida no município de Paraty Praia do Sono Modos de vida no município de Paraty Praia do Sono Resultados gerais Janeiro 2011 Projeto Community-based resource management and food security in coastal Brazil (Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP)

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO E AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA RESIDENCIA UNIVERSITÁRIA DA URCA

FICHA DE INSCRIÇÃO E AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA RESIDENCIA UNIVERSITÁRIA DA URCA FICHA DE INSCRIÇÃO E AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA RESIDENCIA UNIVERSITÁRIA DA URCA FICHA DE INSCRIÇÃO E AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA: PROGRAMA RESIDENCIA UNIVERSITÁRIA DA URCA I - IDENTIFICAÇÃO NOME:

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 02, DE 26 DE JANEIRO DE 2012.

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 02, DE 26 DE JANEIRO DE 2012. AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC A Diretora de Desenvolvimento do Ensino, no exercício da Direção Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus Timon, no uso de

Leia mais

Cadastro Único para Políticas Sociais

Cadastro Único para Políticas Sociais Cadastro Único para Políticas Sociais O que é o Cadastro Único? Políticas Universais Saúde Políticas Contributivas Políticas nãocontributivas e seletivas Educação Previdência Social Cadastro Único O que

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS e POBREZA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS e POBREZA 2 Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas GT Mudanças Climáticas, Pobreza e Desigualdades MUDANÇAS CLIMÁTICAS e POBREZA O FBMC Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, criado por Decreto em junho de 2000,

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 20/05/2015

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 20/05/2015 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 20/05/2015 Perfil da Extrema Pobreza Núcleo duro da pobreza 71% de negros e negras 60% na região Nordeste 40% de crianças e adolescentes (0 a 14 anos) Eixos do Plano

Leia mais

TRABALHO DECENTE E JUVENTUDE NO BRASIL. Julho de 2009

TRABALHO DECENTE E JUVENTUDE NO BRASIL. Julho de 2009 TRABALHO DECENTE E JUVENTUDE NO BRASIL Brasília, Julho de 2009 Trabalho Decente e Juventude no Brasil 1. Diagnóstico da situação magnitude do déficit de Trabalho Decente para os jovens relação educação

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ PACTO PELOS DIREITOS DAS CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS DA CIDADE

Leia mais

Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território

Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território Políticas públicas, Pobreza Urbana e Território Eduardo Marques DCP/USP e CEM/CEBRAP www.centrodametropole.org.br Sumário da apresentação 1. Porque usar a dimensão territorial nas políticas sociais 2.

Leia mais

1 A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

1 A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. ANO. 2013 DO MUNICÍPIO DE GAVIÃO - BAHIA 1 A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Este documento foi assinado digitalmente por certificação

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL. 1. Centro de Referência Especializado de Assistência Social CREAS

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL. 1. Centro de Referência Especializado de Assistência Social CREAS PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL 1. Centro de Referência Especializado de Assistência Social CREAS Coordenadora: Vera Lúcia Rodrigues Renó Endereço: Rua José Hamilcar congro Bastos 235 Santo André-Três Lagoas/MS

Leia mais

E AUTONOMIA DAS MULHERES

E AUTONOMIA DAS MULHERES E AUTONOMIA DAS Faz-se necessário identificar as organizações de mulheres artesãs e possibilitar a articulação das cadeias produtivas de artesanatos geridas por mulheres. o que orienta o Programa O desafio

Leia mais

FICHA SOCIOECONÔMICA PROUNI ANO: 2016

FICHA SOCIOECONÔMICA PROUNI ANO: 2016 FICHA SOCIOECONÔMICA PROUNI ANO: 2016 Responsável Financeiro: Candidato (a): Curso: período: Turno: ( ) MATUTINO ( ) NOTURNO ( ) DESPERIODIZADO Matrícula Nº Endereço: Bairro: Cidade/UF: E-mail: Ponto de

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários

SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários II Mostra Nacional de Saúde Família 01º a 03 de junho de 2004 Diretrizes da política de saúde mental do MS Redução Progressiva dos Leitos

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

EDITAL N 42, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012.

EDITAL N 42, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012. PRÓ-REITORIA REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS O Diretor Geral Pro Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus CAXIAS, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

MANDATOS DECORRENTES DA SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS. As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo das Américas nos comprometemos a:

MANDATOS DECORRENTES DA SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS. As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo das Américas nos comprometemos a: SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS OEA/Ser.E 14 a 15 de abril de 2012 CA-VI/doc.6/12 Rev.2 Cartagena das Índias, Colômbia 23 maio 2012 Original: espanhol MANDATOS DECORRENTES DA SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS As Chefes

Leia mais

II FORMULÁRIO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE VOLTADOS A PROJETOS DE RESPOSTA A AMEAÇAS IMEDIATAS

II FORMULÁRIO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE VOLTADOS A PROJETOS DE RESPOSTA A AMEAÇAS IMEDIATAS II FORMULÁRIO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE VOLTADOS A PROJETOS DE RESPOSTA A AMEAÇAS IMEDIATAS Com o objetivo de auxiliar no preenchimento deste documento de Manifestação de Interesse, o Centro de Agricultura

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO DE ALUNO

FICHA DE INSCRIÇÃO DE ALUNO FICHA DE INSCRIÇÃO DE ALUNO Processo Seletivo do Programa Fortalecendo Trajetórias 2016/2017 Abaixo está a lista de documentos que são necessários para que o candidato participe do processo seletivo 2016/2017.

Leia mais

CENSOS 2011 DADOS DEFINITIVOS

CENSOS 2011 DADOS DEFINITIVOS Município de CENSOS 2011 DADOS DEFINITIVOS (Concelho de ) Índice População Residente.. 3 Densidade Populacionais. 4 Variação da População..5 Jovens e Idosos...6 Índice de Envelhecimento...7 Desemprego..8

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO ESTADUAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO ESTADUAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PACTO DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO ESTADUAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL A Gestão proposta pelo SUAS pauta-se no Pacto Federativo onde devem ser atribuídas e detalhadas as competências e responsabilidades

Leia mais

Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável. BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013)

Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável. BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013) Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013) Viçosa Minas Gerais Junho de 2013 1 DEMOGRAFIA BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA TABELA 1 Evolução

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO ESTUDANTE (1ª INSCRIÇÃO)

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO ESTUDANTE (1ª INSCRIÇÃO) PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA E APOIO AO ESTUDANTE FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO ESTUDANTE (1ª INSCRIÇÃO) Esse formulário tem o objetivo de coletar dados dos estudantes do IFBA, Campus de Jequié, que tenham interesse

Leia mais

Freguesia de Santa Bárbara Ilha Terceira-Açores

Freguesia de Santa Bárbara Ilha Terceira-Açores -Açores Estudo demográfico e habitacional 2016 Área: 18km2 Serra: 1021m Freguesia de Santa Bárbara -Açores Estudo demográfico e habitacional Área: 18km2 Serra: 1021m 2 Um especial agradecimento ao povo

Leia mais

Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica

Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica PROTEÇÃO SOCI AL BÁSI CA - PSB Centro de Referência da Assistência Social CRAS Organização da Rede Socioassistencial

Leia mais

Estado do Espírito Santo Prefeitura Municipal de Anchieta CNPJ / Secretaria Municipal de Assistência Social RELATÓRIO DE GESTÃO 2014

Estado do Espírito Santo Prefeitura Municipal de Anchieta CNPJ / Secretaria Municipal de Assistência Social RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 AÇÕES DA SEMAS 2014 PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA CENTRO DE REFERÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - CRAS DEMANDAS TOTAL TOTAL DE ATENDIMENTOS INDIVIDUALIZADOS - 2014 TOTAL DE FAMÍLIAS INSERIDAS

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Ações da Secretaria Nacional de

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Ações da Secretaria Nacional de Ações da Secretaria Nacional de Assistência Social - MDS CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 Art. 194 A Seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos poderes públicos e da sociedade,

Leia mais