PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA"

Transcrição

1 PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Sistma d Numração - Litura scrita sistma d numração indo-arábico romano. Númros naturais problmas opraçõs. Adição Subtração Multiplicação Divisão Potnciação Radiciação Divisibilidad - múltiplos divisors. - númros primos - m.d.c m.m.c. Númros racionais - Rprsntação. - Comparação. - Fraçõs quivalnts -Opraçõs. - Rprsntação dcimal porcntagm. Númros opraçõs/álgbra funçõs Rconhcimnto da importância dos númros na socidad atual: quais são, ond são usados, dados históricos sobr ls, como são scritos lidos no sistma d Numração. rsolução d situaçõs problmas m difrnts contxtos sociais culturais qu difrnts situaçõs problmas podm sr rsolvidas por uma única opração qu vntualmnt difrnts opraçõs podm rsolvr um msmo problma Establcimnto d rlaçõs ntr os númros naturais, m situaçõs problma, tais como: sr múltiplo d, sr divisor d Dtrminar o MMC o MDC d dois ou mais númros utilizá los nas rsoluçõs d problmas Formulação rsolução d situaçõs problmas qu nvolvam a idéia d fração (part todo) também d razão divisão CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS

2 Introdução a gomtria - Figuras Planas não planas. - Sólidos Gométricos - noçõs primitivas: ponto, rta plano Polígonos polidros - Elmntos classificação d um polígono. - Planificação d um polidro. - Prismas pirâmids. Simtria Espaço forma Rprsntação nomação dos lmntos básicos da gomtria m situaçõs do cotidiano Rconhcimnto das difrnts formas gométricas, sus lmntos caractrísticas como númro d lados dos polígonos, mdidas d ângulos lados, parallismo d lados, ixos d simtria. Classificação d figuras gométricas m corpos rdondos polidros; polidros rgulars não rgulars; prismas, pirâmids outros polidros; círculos, polígonos outras figuras Idntificação d polidros rgulars suas planificaçõs Rconhcimnto difrnt vistas (latral, frontal suprior) d figuras tridimnsionais Rconhcimnto polígonos como part d figuras spaciais, sus lmntos Rconhcimnto circunfrência círculo difrnciá los Nomação d quadrilátros a partir das suas propridads Analisa, intrprta, formula rsolv situaçõs problma nvolvndo os difrnts lmntos da gomtria plana spacial CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Rtas ângulos - Posiçõs rlativas ntr duas rtas, smirrtas sgmnto d rta. - Tipos d ângulos Comprimntos áras - Unidads d mdida suas transformaçõs. - ára d figuras planas. - Prímtro. Outras unidads d mdidas - Volum. - Capacidad. - Massa. Grandzas Mdidas Idntificação classificação, com rlação às mdidas, os divrsos tipos d ângulos (agudos, obtusos, rasos, congrunts, complmntars suplmntars) m com rlação aos posicionamntos os divrsos tipos d ângulos (altrnos, corrspondnts, adjacnts) m fixs d rtas parallas cortadas por rtas transvrsais Comparação d grandzas d msma naturza por mio d stratégias pssoais do uso d instrumntos d mdida conhcidos: fita métrica, régua, transfridor tc. d unidads d mdida: braçada, passo, palmo tc. Idntificação dos divrsos sistmas d mdida usados na atualidad para tratar difrnts grandzas como comprimnto, massa, capacidad, ára, volum, ângulo, tmpo, tmpratura, vlocidad Rconhcimnto ralização d convrsõs ntr unidads d mdida usuais, rfrnts às divrsas grandzas

3 como comprimnto, massa, capacidad tmpo, m rsolução d situaçõs problma. Rconhcimnto das unidads d mmória da informática, como byts, quilobyts, mgabyts gigabyts m situaçõs divrsas rsolução d situaçõs do cotidiano qu nvolva prímtro, ára volum Calcular ára d figuras planas pla dcomposição /ou composição m figuras d áras conhcidas, ou por mio d stimativas CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Problmas d contagm Intrprtação d dados contidos m tablas gráficos Tratamnto da informação Rsolução d situaçõs-problma nvolvndo o princípio da contagm. intrprtação d dados xprssos m rcursos gráficos como tablas, gráficos d barras d colunas fluxogramas. Colta, organiza, analisa compara dados m tablas gráficos, utilizando a linguagm dsss txtos para obtr conclusõs claras prcisas Utilizar os dados coltados para rsolução d situaçõs problma do cotidiano

4 PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 6ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA CONTEÚDOS EIXOS TEMÁTICOS COMPETÊNCIAS Númros intiros Númros racionais Equaçõs Inquaçõs Razõs proporçõs -Grandzas Proporcionais - Rgra d três simpls composta. Porcntagm Juros simpls Númros opraçõs/álgbra funçõs Rconhcimnto dos númros intiros m difrnts contxtos cotidianos, utilizando argumntos cornts para justificar a sua xistência histórica utilizá los na rsolução d situaçõs problma Comprnsão das propridads das opraçõs numéricas com númros intiros m situaçõs divrsas Comprnsão das fraçõs utilização m situaçõs divrsas Rsolução d situaçõs-problma com porcntagns m situaçõs divrsas do cotidiano ou não Rconhcimnto xploração das rlaçõs d intrdpndência ntr grandzas Construção d stratégias para rsolvr situaçõs qu nvolvm proporcionalidad Idntificação d grandzas dirtamnt proporcionais, invrsamnt proporcionais ou não proporcionais, analisando sua variação Comprndr utilizar a linguagm matmática como instrumnto d Comprnsão d igualdads dsigualdads para analisar rprsntar situaçõs rais usando corrtamnt os símbolos as propridads das opraçõs rsolução d quaçõs sistmas d quaçõs do 1º grau m situaçõs divrsas Rsolução situaçõs problma nvolvndo inquaçõs, utilizando opraçõs invrsas simbologias d conjuntos CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Quadrilátros - Parallogramos. - Trapézios. Espaço forma Nomação d quadrilátros a partir das suas propridads Analisa, intrprta, formula rsolv situaçõs problma nvolvndo os difrnts lmntos da gomtria plana.

5 CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Sistmas d mdida Áras d figuras gométricas planas Ângulos - mdidas d ângulos. - Classificação. - Opraçõs com ângulos. Grandzas Mdidas Rconhcimnto ralização d convrsõs ntr unidads d mdida usuais, rfrnts às divrsas grandzas como comprimnto, massa, capacidad tmpo, m rsolução d situaçõs problma. rsolução d situaçõs do cotidiano qu nvolva o cálculo da ára das figuras planas. Idntificação classificação, com rlação às mdidas, os divrsos tipos d ângulos (agudos, obtusos, rasos, congrunts, complmntars suplmntars) m rlação aos posicionamntos os divrsos tipos d ângulos (altrnos, (corrspondnts, adjacnts) m fixs d rtas parallas cortadas por rtas transvrsais CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Colta d dados construção d tablas gráficos Noçõs d probabilidad d statística Tratamnto informação da intrprtação d dados xprssos m rcursos gráficos como tablas, gráficos d barras d colunas fluxogramas. Colta, organiza, analisa compara dados m tablas gráficos, utilizando a linguagm dsss txtos para obtr conclusõs claras prcisas Utilização dos dados coltados para rsolução d situaçõs problma do cotidiano. Construção spaços amostrais indicando as possibilidads d sucsso d dtrminado Evnto stimando a probabilidad d um vnto ocorrr Rsolução d situaçõs problmas qu nvolva o raciocínio combinatório as divrsas probabilidads d sucsso d um dtrminado vnto

6 PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 7ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA CONTEÚDOS EIXOS TEMÁTICOS COMPETÊNCIAS Númros Rais - Potnciação. - Radiciação Cálculo Algébrico - Exprssão algébrica valor numérico. - Monômios polinômios suas opraçõs. Produtos Notávis Fatoração Equaçõs Sistmas d Equaçõs - Equaçõs do 1º grau rsolução situaçõs problma. - Sistmas d quaçõs rsolução situaçõs problma. Fraçõs Algébricas Númros opraçõs/álgbra funçõs Comprnsão das sucssivas ampliaçõs dos conjuntos numéricos suas soluçõs como criação do homm m rspostas aos problmas cotidianos Ralização das opraçõs com númros racionais irracionais utilizá las na rsolução d situaçõs problma Rconhcimnto das propridads das opraçõs (adição, subtração, multiplicação, divisão, potnciação radiciação) nos divrsos conjuntos numéricos utilizá las m situaçõs divrsas Rsolução d situaçõs problmas utilizando xprssão numérica Prcpção qu dtrminados problmas podm sr rsolvidos por mio d quaçõs, sistmas d quaçõs inquaçõs Vrificação analis para validad d rsoluçõs d situaçõs problma principalmnt as qu nvolvm quaçõs, sistmas d quaçõs inquaçõs Opração com xprssõs algébricas como monômios polinômios, produtos notávis fatoração faz uso dssas opraçõs na rsolução d quaçõs, inquaçõs sistmas d quaçõs fraçõs algébricas CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Rtas triângulos - Rtas ângulos. - Ângulos polígonos. - Triângulos. Quadrilátros Círculo Circunfrência - Circulo circunfrência difrnciação. - Arcos d circunfrência. Espaço forma Idntificação classificação, com rlação às mdidas, os divrsos tipos d ângulos (agudos, obtusos, rasos, congrunts, complmntars suplmntars) m com rlação aos posicionamntos os divrsos tipos d ângulos (altrnos, corrspondnts, adjacnts) m fixs d rtas parallas cortadas por rtas transvrsais

7 Rconhcimnto classificação dos polígonos usando adquadamnt instrumntos como régua, squadro, compasso tc. Idntificação, classificação construção d triângulos d acordo com sus ângulos lados Dtrminação da soma das mdidas dos ângulos intrnos d um polígono convxo qualqur vrificar a validad dssa soma para os polígonos não convxos Rconhcimnto utilização dos lmntos d um polígono (altura, diagonal, bas tc.) m situaçõs divrsas Idntificação, comparação construção d quadrilátros considrando caractrísticas d sus lados ângulos Idntificação dos lmntos fundamntais da gomtria plana como altura, bisstriz, mdiana, mdiatriz, incntro, baricntro ortocntro, construí los utilizando régua, compasso, computador tc. Rconhcimnto circunfrência, círculo sus lmntos. CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Ângulos - mdidas d ângulos. - Classificação. - Opraçõs com ângulos. Grandzas Mdidas Idntificação classificação, com rlação às mdidas, os divrsos tipos d ângulos (agudos, obtusos, rasos, congrunts, complmntars suplmntars) m com rlação aos posicionamntos os divrsos tipos d ângulos (altrnos, corrspondnts, adjacnts) m fixs d rtas parallas cortadas por rtas transvrsais CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Colta d dados construção d tablas gráficos Tratamnto informação da Intrprtação d dados xprssos m rcursos gráficos como tablas, gráficos d barras d colunas fluxogramas. Colta, organiza, analisa compara dados m tablas gráficos, utilizando a linguagm

8 dsss txtos para obtr conclusõs claras prcisas Construção d tablas gráficos d stors, d barras d colunas, polígonos d frqüência histogramas comprndndo o significado d frqüência, frqüência rlativa amostra d uma população Escolh a rprsntação gráfica mais adquada para tratar dtrminada situação.

9 PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 8ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA CONTEÚDOS EIXOS TEMÁTICOS COMPETÊNCIAS Potnciação - Potências com xpont natural, intiro ngativo fracionário. - Exprssõs numéricas. - Propridads. - Notação cintífica. Radiciação - Raiz nésima. - Propridads - Opraçõs com radicais d msmo índic. - Racionalização do tipo a/b (raiz quadrada d b) com b maior qu zro. - Simplificação. Equaçõs do 2º grau - Coficints raízs. - Rsolução das quaçõs do 2º grau compltas incompltas. - Rlação ntr as raízs os coficints. - Rsolução d problmas do 2º grau. Equaçõs rdutívis a uma quação do 2º grau - Equaçõs biquadradas - Equaçõs irracionais Sistmas d quaçõs do 2º grau - Rsolução situaçõs problmas nvolvndo sistmas do 2º grau. Funçõs - Noçõs d função (sboço, intrprtação gráfica rconhcimnto da função do 1º 2º grau) Númros opraçõs/álgbra funçõs Rconhcimnto qu a união dos númros Racionais Irracionais constitui o conjunto dos númros Rais rconhcndo a importância das opraçõs qu nvolvm númros rais, inclusiv potnciação radiciação, para a rsolução d problmas dos mais variados contxtos sociais culturais Utilização das propridads das opraçõs com númros rais como facilitadoras da rsolução d situaçõs problma Rsolução d situaçõs problma qu nvolv númros rais ampliando consolidando os significados das opraçõs adição, subtração, multiplicação, divisão, potnciação radiciação Rsolução d situaçõs problma qu nvolv grandzas dirta invrsamnt proporcionais, quaçõs sistmas d quaçõs do primiro do sgundo grau, Rprsntação m um sistma d coordnadas cartsianas a variação d grandzas como o gráfico d funçõs, por xmplo, analisando caractrizando o comportamnto dssas variaçõs Analisa vrifica a validad das rsoluçõs d situaçõs problma qu nvolv quaçõs sistmas d quaçõs do primiro do sgundo grau, inquaçõs Comprnsão do concito d função m particular as funçõs polinomiais d primiro sgundo graus construção d gráficos d funçõs simpls, analisando sus domínios imagns rsolv situaçõs problma qu nvolv funçõs dscrvê las graficamnt CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETENCIAS Smlhança Espaço forma Rconhcimnto d figuras

10 - Razão proporção - Torma d tals.. smlhants a rlação d proporcionalidad ntr suas mdidas: do comprimnto dos lados, d ângulos d ára rsolv situaçõs problma qu nvolv o concito as propridads d smlhança Idntifica as simtrias d rotação, d rflxão d translação prcbr qu m cada uma dlas s prsrvam mdidas propridads Enuncia o torma d Tals aplicá lo m situaçõs problma CONTEÚDOS EIXOS TEMÁTICOS COMPETÊNCIAS Introdução à trigonomtria no triângulo rtângulo -Rlaçõs métricas no triângulo rtângulo. - Torma d Pitágoras. -Rlaçõs trigonométricas no triângulo rtângulo - Razõs trigonométricas (sno, cossno tangnt). Áras prímtros Círculo circunfrência - Comprimnto. - Comprimnto do arco. - Rlaçõs métricas na circunfrência, corda, scant triângulo Ára d rgiõs circulars (círculo, stor corda) Grandzas Mdidas Conhc aplica m situaçõs problmas as rlaçõs métricas as razõs trigonométricas (sno, cossno, tangnt) nos triângulos rtângulos Dtrmina o prímtro d polígonos divrsos, como rtângulo, losango, parallogramo, trapézio hxágono Justifica o prímtro da circunfrência a ára do círculo aplicar sss conhcimntos na rsolução d situaçõs problma Rconhcr a importância das rlaçõs métricas na circunfrência suas aplicaçõs Comprnsão utilização das fórmulas d ára d figuras planas como triângulo, losango, parallogramo, trapézio, rtângulo, hxágono tc. d ára d suprfíci d figuras não planas como o cubo, o cilindro, o parallpípdo CONTEÚDOS EIXOS TEMÁTICOS COMPETÊNCIAS Estatística probabilidad Tratamnto informação da Construção d tablas gráficos d frquências d dados statísticos Prcb a importância da statística no dia a dia para stimar ou vrificar tndências d dtrminados vntos Construção d spaços amostrais utilizando o princípio multiplicativo Calculando ou stimando a probabilidad d sucsso d um

11 dtrminado vnto Tradução d informaçõs contidas m tablas gráficos divrsos Calcula a probabilidad d ocorrência d um vnto por mio da razão ntr o númro d casos favorávis o númro d casos possívis Aplicação d conhcimntos d porcntagm d juros para avaliar, analisar rsolvr situaçõs cotidianas Intrprtar, criar, rsolvr situaçõs problma qu nvolv psquisas rlacionadas os acontcimntos locais globais, d naturzas divrsas Utilização d médias para avaliar tndências d ocorrências d dtrminados vntos ou acontcimntos possívis Intrprtar analisar o dsvio padrão dos dados obtidos na rsolução d uma situação problma.

Escola Básica Tecnopolis Matemática - PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºano

Escola Básica Tecnopolis Matemática - PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºano DGEstE Dirção-GraL dos Establcimntos Escolars DSRAI Dirção d Srviços da Rgião Algarv AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO DANTAS LAGOS (145415) Escola Básica Tcnopolis Matmática - PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºano 2013-2014

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Sala de apoio a aprendizagem 6º ANO 2014 PLANO DE TRABALHO

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Sala de apoio a aprendizagem 6º ANO 2014 PLANO DE TRABALHO DOCENTE Sala d apoio a aprndizagm 6º ANO 2014 Profssora: Contúdos struturants: Númros Álgbra Disciplina: Matmática Séri: 6º ano 7º ano Bimstr: 1º 2º 3º 4º Contúdos spcíficos Objtivos Encaminhamntos mtodológicos

Leia mais

ˆ y. Calcule x e y. B P C 14. Na figura, o quadrilátero ABCD está circunscrito na circunferência de centro O. Sendo

ˆ y. Calcule x e y. B P C 14. Na figura, o quadrilátero ABCD está circunscrito na circunferência de centro O. Sendo LIST 02 XRÍIOS GOTRI PLN PROF. ROGRINHO 1º nsino édio (Tangência ângulos na circunf. quadrilátros pontos notávis do torma d Tals smlhança d a) Nom: n turma 08. No rtângulo da figura ao lado tm-s qu: ˆ

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Na ralização d uma avaliação ducacional m larga scala, é ncssário qu os objtivos da avaliação as habilidads comptências

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V 172431 ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º 3º CICLOS D. JOÃO V Ensino Rgular Ára Disciplinar d Matmática Planificaçõs 2014/15 Ciclo 5.º ano Manual scolar adotado: Matmática 5.º ano,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM Módulo 1 Sistma Financiro Simpls 1. Concito d juro 1.1. Sistmas d Capitalização 1.2. Taxa d juro 1.3. Rprsntação gráfica do juro 1.4. Implicaçõs algébricas práticas da utilização do ano comrcial do ano

Leia mais

Arcos e ângulos Adote π=3,14 quando necessário.

Arcos e ângulos Adote π=3,14 quando necessário. Prof. Liana Turmas: 1C17/27/37 Sgundo trimstr Ângulos Complmntars Suplmntars 1. Qual é o ângulo qu xcd o su suplmnto m 66? 2. Dtrmin um ângulo sabndo qu o su suplmnto xcd o próprio ângulo m 70. 3. Qual

Leia mais

3. Geometria Analítica Plana

3. Geometria Analítica Plana MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSITICA APOSTILA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PLANA PROF VINICIUS 3 Gomtria Analítica Plana 31 Vtors no plano Intuitivamnt,

Leia mais

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano 60 Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano Caderno 1 UNIDADE 1 Significados das operações (adição e subtração) Capítulo 1 Números naturais O uso dos números naturais Seqüência dos números

Leia mais

COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR

COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR NOME: N. o : DATA: / /01 FOLHETO DE MATEMÁTICA (V.C. E R.V.) 6. o ANO Est folhto é um rotiro d studo para você rcuprar o contúdo trabalhado m 01. Como l vai srvir d bas para você

Leia mais

Matemática: Lista de exercícios 2º Ano do Ensino Médio Período: 1º Bimestre

Matemática: Lista de exercícios 2º Ano do Ensino Médio Período: 1º Bimestre Matmática: Lista d xrcícios 2º Ano do Ensino Médio Príodo: 1º Bimstr Qustão 1. Três amigos saíram juntos para comr no sábado no domingo. As tablas a sguir rsumm quantas garrafas d rfrigrant cada um consumiu

Leia mais

Representação de Números no Computador e Erros

Representação de Números no Computador e Erros Rprsntação d Númros no Computador Erros Anális Numérica Patrícia Ribiro Artur igul Cruz Escola Suprior d Tcnologia Instituto Politécnico d Stúbal 2015/2016 1 1 vrsão 23 d Fvriro d 2017 Contúdo 1 Introdução...................................

Leia mais

PLANO de ESTUDO 6.º ANO - ANUAL

PLANO de ESTUDO 6.º ANO - ANUAL PLANO d ESTUDO 6.º ANO - ANUAL Contúdos 1. Trocas nutricionais ntr o organismo o mio nos animais. 1.1. Os alimntos como vículo d nutrints. 1.2.Sistma digstivo do sr d outros animais. 1.2.1. Órgãos do sistma

Leia mais

Campo elétrico. Antes de estudar o capítulo PARTE I

Campo elétrico. Antes de estudar o capítulo PARTE I PART I Unidad A 2 Capítulo Sçõs: 21 Concito d 22 d cargas puntiforms 2 uniform Ants d studar o capítulo Vja nsta tabla os tmas principais do capítulo marqu um X na coluna qu mlhor traduz o qu você pnsa

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano d Trabalho Docnt - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana d Parnaíba Ára d Conhcimnto: Ciências da Naturza Componnt Curricular: Física Séri: 2ª Eixo Tcnológico: Informação

Leia mais

Planificação de Ciências Naturais. 9.ºAno. Alterações climáticas

Planificação de Ciências Naturais. 9.ºAno. Alterações climáticas Planificação d Ciências Naturais 9.ºAno Altraçõs climáticas Inês Hnriqus Sandra Mnds Tma: Biosfra Aula n.º: 1 Duração: 90 minutos Introdução à unid Altraçõs climáticas. Biosfra, concito importância. Dgração

Leia mais

Programa de Matemática - II Ciclo CONTEÚDOS

Programa de Matemática - II Ciclo CONTEÚDOS 3 a CLASSE 305 306 PROGRAMA DE MA DA 3ª CLASSE I Os Númros Naturais até 1000 Lr scrvr os númros naturais até 100; Dcompor os númros naturais até 100 m unidads, dznas cntnas; Escrvr os númros naturais até

Leia mais

ANÁLISE MATEMÁTICA IV FICHA SUPLEMENTAR 2. < arg z < π}.

ANÁLISE MATEMÁTICA IV FICHA SUPLEMENTAR 2. < arg z < π}. Instituto Suprior Técnico Dpartamnto d Matmática Scção d Álgbra Anális ANÁLISE MATEMÁTICA IV FICHA SUPLEMENTAR LOGARITMOS E INTEGRAÇÃO DE FUNÇÕES COMPLEXAS Logaritmos () Para cada um dos sguints conjuntos

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA CAMPUS JEQUIÉ LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA ALUNO:

INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA CAMPUS JEQUIÉ LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA ALUNO: INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA CAMPUS JEQUIÉ LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA ALUNO: LISTA Ciclo trigonométrico, rdução d arcos, quaçõs trigonométricas - (UFJF MG) Escrvndo os númros rais x, y, w, z y, x,

Leia mais

1 - RECORDANDO 2 - INTERSEÇÃO ENTRE RETA E CIRCUNFERÊNCIA. Exercício Resolvido 1: Frente III. na última equação, tem-se:

1 - RECORDANDO 2 - INTERSEÇÃO ENTRE RETA E CIRCUNFERÊNCIA. Exercício Resolvido 1: Frente III. na última equação, tem-se: Matmática Frnt III CAPÍTULO 23 POSIÇÕES RELATIVAS ENTRE RETA E CIRCUNFERÊNCIA 1 - RECORDANDO Na aula passada, nós vimos as quaçõs da circunfrência, tanto com cntro na origm ( ) como a sua quação gral (

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL LUIZ AUGUSTO MORAIS REGO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

COLÉGIO ESTADUAL LUIZ AUGUSTO MORAIS REGO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COLÉGIO ESTADUAL LUIZ AUGUSTO MORAIS REGO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 Profssora: Simon Apª Goms Fazolini Disciplina: MATEMÁTICA Turma: 9º ano B ESTRUTURANTES BÁSICOS Númros

Leia mais

E X A M E ª FASE, V E R S Ã O 1 P R O P O S T A D E R E S O L U Ç Ã O

E X A M E ª FASE, V E R S Ã O 1 P R O P O S T A D E R E S O L U Ç Ã O Prparar o Eam 05 Matmática A E X A M E 0.ª FASE, V E R S Ã O P R O P O S T A D E R E S O L U Ç Ã O. Tm-s qu P A P A P A GRUPO I ITENS DE ESCOLHA MÚLTIPLA 0, 0, 0,. Assim: P B A PB A 0,8 0,8 PB A 0,8 0,

Leia mais

Adriano Pedreira Cattai

Adriano Pedreira Cattai Adriano Pdrira Cattai apcattai@ahoocombr Univrsidad Fdral da Bahia UFBA, MAT A01, 006 3 Suprfíci Cilíndrica 31 Introdução Dfinição d Suprfíci Podmos obtr suprfícis não somnt por mio d uma quação do tipo

Leia mais

Matemática Aplicada Geoprocessamento/Professor: Lourenço Gonçalves LISTA-1 (03/04/2009)

Matemática Aplicada Geoprocessamento/Professor: Lourenço Gonçalves LISTA-1 (03/04/2009) Matmática Aplicada Goprocssamnto/Profssor: Lournço Gonçalvs LISTA-1 (3/4/29) Exrcício-1 Considr as figuras abaixo rsponda o qu s pd. a) Qual a razão ntr as dimnsõs dos sus comprimntos? b) S o carro grand

Leia mais

Educação / Expressão Expressões Artísticas Plástica. Físicomotoras

Educação / Expressão Expressões Artísticas Plástica. Físicomotoras Fvriro Janiro Dzmbro Novmbro Stmbro Outubro Agrupamnto d Escolas Gnral Humbrto Dlgado Estudo do Mio À dscobrta Introdução na comunidad scolar. Conhcr os colgas. Conhcr matéria o manual d Estudo do Mio.

Leia mais

Capítulo 4 Resposta em frequência

Capítulo 4 Resposta em frequência Capítulo 4 Rsposta m frquência 4. Noção do domínio da frquência 4.2 Séris d Fourir propridads 4.3 Rsposta m frquência dos SLITs 4.4 Anális da composição d sistmas através da rsposta m frquência 4.5 Transformadas

Leia mais

FUNÇÃO REAL DE UMA VARIÁVEL REAL

FUNÇÃO REAL DE UMA VARIÁVEL REAL Hwltt-Packard FUNÇÃO REAL DE UMA VARIÁVEL REAL Aulas 01 a 05 Elson Rodrigus, Gabril Carvalho Paulo Luiz Ano: 2016 Sumário INTRODUÇÃO AO PLANO CARTESIANO 2 PRODUTO CARTESIANO 2 Númro d lmntos d 2 Rprsntaçõs

Leia mais

Hewlett-Packard CONJUNTOS NUMÉRICOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Ramos

Hewlett-Packard CONJUNTOS NUMÉRICOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Ramos Hwltt-Packard CONJUNTOS NUMÉRICOS Aulas 0 a 06 Elson Rodrigus, Gabril Carvalho Paulo Luiz Ramos Ano: 206 Sumário CONJUNTOS NUMÉRICOS 2 Conjunto dos númros Naturais 2 Conjunto dos númros Intiros 2 Conjunto

Leia mais

Funções Trigonométricas

Funções Trigonométricas Funçõs Trigonométricas META: Introduzir as principais funçõs trigonométricas: sno, cossno tangnt. AULA 7 OBJETIVOS: Dfinir as funçõs sno, cossno tangnt. Mostrar algumas idntidads trigonométricas. Calcular

Leia mais

Enunciados equivalentes

Enunciados equivalentes Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matmática Txto 6 Enunciados quivalnts Sumário 1 Equivalência d nunciados 2 1.1 Obsrvaçõs................................ 5 1.2 Exrcícios rsolvidos...........................

Leia mais

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%)

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%) Distribuição das 0 Qustõs do I T A 9 (8,6%) 66 (,99%) Equaçõs Irracionais 09 (0,8%) Equaçõs Exponnciais (,09%) Conjuntos 9 (,6%) Binômio d Nwton (,9%) 0 (9,%) Anális Combinatória (,8%) Go. Analítica Funçõs

Leia mais

/ :;7 1 6 < =>6? < 7 A 7 B 5 = CED? = DE:F= 6 < 5 G? DIHJ? KLD M 7FD? :>? A 6? D P

/ :;7 1 6 < =>6? < 7 A 7 B 5 = CED? = DE:F= 6 < 5 G? DIHJ? KLD M 7FD? :>? A 6? D P 26 a Aula 20065 AMIV 26 Exponncial d matrizs smlhants Proposição 26 S A SJS ntão Dmonstração Tmos A SJS A % SJS SJS SJ % S ond A, S J são matrizs n n ", (com dt S 0), # S $ S, dond ; A & SJ % S SJS SJ

Leia mais

Hewlett-Packard MATRIZES. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz

Hewlett-Packard MATRIZES. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Hwltt-Packard MTRIZES ulas 0 a 06 Elson Rodrigus, Gabril Carvalho Paulo Luiz no 06 Sumário MTRIZES NOÇÃO DE MTRIZ REPRESENTÇÃO DE UM MTRIZ E SEUS ELEMENTOS EXERCÍCIO FUNDMENTL MTRIZES ESPECIIS IGULDDE

Leia mais

NÚMEROS RACIONAIS E SUA REPRESEN- TAÇÃO FRACIONÁRIA

NÚMEROS RACIONAIS E SUA REPRESEN- TAÇÃO FRACIONÁRIA NÚMEROS RACIONAIS E SUA REPRESEN- TAÇÃO FRACIONÁRIA. FRAÇÕES Com crtza todos nós já ouvimos frass como: d xícara d açúcar; d frmnto m pó tc. Basta pgar uma rcita,d bolo qu lá stão númros como sts. Ests

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CURRÍCULO MÍNIMO MATEMÁTICA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CURRÍCULO MÍNIMO MATEMÁTICA Govrno do Estado do Rio d Janiro Scrtaria d Estado d Educação CURRÍCULO MÍNIMO MATEMÁTICA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS MÍNIMO MATEMÁTICA Currículo Aprsntação A Scrtaria d Estado

Leia mais

Comportamento do Consumidor

Comportamento do Consumidor GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Profissionais Técnico d Markting Ano Lctivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL Comportamnto do Consumidor (3º ano d formação Turma 3TM) Página 1 d 9 GRUPO DE ECONOMIA

Leia mais

EXPRESSÕES LÓGICAS. 9.1 Lógica proposicional AULA 9

EXPRESSÕES LÓGICAS. 9.1 Lógica proposicional AULA 9 AULA 9 EXPRESSÕES LÓGICAS 9.1 Lógica proposicional Lógica é o studo do raciocínio 1. Em particular, utilizamos lógica quando dsjamos dtrminar s um dado raciocínio stá corrto. Nsta disciplina, introduzimos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano d Trabalho Docnt - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana d Parnaíba Ára d Conhcimnto: Ciências da Naturza Componnt Curricular: Física Séri: 1ª Eixo Tcnológico: Informação

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinheiro Escola Básica e Secundária de Pinheiro

Agrupamento de Escolas de Pinheiro Escola Básica e Secundária de Pinheiro Agrupamnto Escolas Pinhiro Escola Básica Scundária Pinhiro Ano: 7.º Turma: A Disciplina: Formação Cívica Ano Ltivo: 2011/ 2012 PLANIFICAÇÃO DE FORMAÇÃO CÍVICA Dirtora Turma: Mónica Olivira Tmas/contúdos

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

O raio de um núcleo típico é cerca de dez mil vezes menor que o raio do átomo ao qual pertence, mas contém mais de 99,9% da massa desse átomo.

O raio de um núcleo típico é cerca de dez mil vezes menor que o raio do átomo ao qual pertence, mas contém mais de 99,9% da massa desse átomo. Caractrísticas Grais do Núclo O raio d um núclo típico é crca d dz mil vzs mnor qu o raio do átomo ao qual prtnc, mas contém mais d 99,9% da massa dss átomo. Constituição O núclo atômico é composto d partículas

Leia mais

Etec Monsenhor Antonio Magliano. Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Eletrônica

Etec Monsenhor Antonio Magliano. Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Eletrônica Etc Monsnhor Antonio Magliano Plano d Trabalho Docnt 2014 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTÔNIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tcnológico: Indústria Habilitação Profissional: Técnica d Nívl

Leia mais

Prova Escrita de Matemática A 12. o Ano de Escolaridade Prova 635/Versões 1 e 2

Prova Escrita de Matemática A 12. o Ano de Escolaridade Prova 635/Versões 1 e 2 Eam Nacional d 0 (. a fas) Prova Escrita d Matmática. o no d Escolaridad Prova 3/Vrsõs GRUPO I Itns Vrsão Vrsão. (C) (). () (C) 3. () (C). (D) (). (C) (). () () 7. () (D) 8. (C) (D) Justificaçõs:. P( )

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

2ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Questão 01 - (FUVEST SP)

2ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Questão 01 - (FUVEST SP) Matmática Profssor: Marclo Honório LISTA: 04 2ª séri Ensino Médio Turma: A ( ) / B ( ) Aluno(a): Sgmnto tmático: GEOMETRIA ESPACIAL DIA: MÊS: 05 206 Pirâmids Cilindros Qustão 0 - (FUVEST SP) Três das arstas

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

CESEP Centro de Serviços educacionais do Pará Coordenação do Ensino Médio

CESEP Centro de Serviços educacionais do Pará Coordenação do Ensino Médio PLANO DE CURSO/2015 CESEP Cntro d Srviços ducacionais do Pará Coordnação do Ensino Médio PROFESSOR: JOZINALDO GOMES DISCIPLINA: GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ANO CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS HABILIDADES COMO VOU ENSINAR

Leia mais

FILTROS. Assim, para a frequência de corte ω c temos que quando g=1/2 ( )= 1 2 ( ) = 1 2 ( ) e quando = 1 2

FILTROS. Assim, para a frequência de corte ω c temos que quando g=1/2 ( )= 1 2 ( ) = 1 2 ( ) e quando = 1 2 FILTROS Como tmos visto, quando tmos lmntos rativos nos circuitos, as tnsõs sobr os lmntos d um circuitos m CA são dpndnts da frquência. Est comportamnto m circuitos montados como divisors d tnsão prmit

Leia mais

Programa e Metas Curriculares Matemática. Ensino Básico

Programa e Metas Curriculares Matemática. Ensino Básico Programa Mtas Curriculars Matmática Ensino Básico Programa d Matmática para o Ensino Básico Coordnação pdagógica Hlna Damião Faculdad d Psicologia Ciências da Educação da Univrsidad d Coimbra Isabl Fstas

Leia mais

Derivada Escola Naval

Derivada Escola Naval Drivada Escola Naval EN A drivada f () da função f () = l og é: l n (B) 0 l n (E) / l n EN S tm-s qu: f () = s s 0 s < < 0 s < I - f () só não é drivávl para =, = 0 = II - f () só não é contínua para =

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA ERRATA (capítulos 1 a 6 CAP 1 INTRODUÇÃO. DADOS ESTATÍSTICOS Bnto Murtira Carlos Silva Ribiro João Andrad Silva Carlos Pimnta Pág. 10 O xmplo 1.10 trmina a sguir ao quadro 1.7,

Leia mais

ANÁLISE DIMENSIONAL E SEMELHANÇA. Determinação dos parâmetros

ANÁLISE DIMENSIONAL E SEMELHANÇA. Determinação dos parâmetros ANÁLISE IMENSIONAL E SEMELHANÇA trminação dos parâmtros Procdimnto: d Buckingham 1. Listar todas as grandzas nvolvidas.. Escolhr o conjunto d grandzas fundamntais (básicas), x.: M, L, t, T. 3. Exprssar

Leia mais

Módulo II Resistores e Circuitos

Módulo II Resistores e Circuitos Módulo Claudia gina Campos d Carvalho Módulo sistors Circuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. Como o rsistor é um condutor d létrons, xistm aquls

Leia mais

Programa e Metas Curriculares Matemática. Ensino Básico

Programa e Metas Curriculares Matemática. Ensino Básico Programa Mtas Curriculars Matmática Ensino Básico Programa d Matmática para o Ensino Básico Coordnação pdagógica Hlna Damião Faculdad d Psicologia Ciências da Educação da Univrsidad d Coimbra Isabl Fstas

Leia mais

ESTUDO DA TRANSMISSÃO DE CALOR RADIANTE E CONVECTIVO EM CILINDROS CONCÊNTRICOS PELOS MÉTODOS DE MONTE CARLO E RESÍDUOS PONDERADOS.

ESTUDO DA TRANSMISSÃO DE CALOR RADIANTE E CONVECTIVO EM CILINDROS CONCÊNTRICOS PELOS MÉTODOS DE MONTE CARLO E RESÍDUOS PONDERADOS. ESTUDO DA TRANSMISSÃO DE CALOR RADIANTE E CONVECTIVO EM CILINDROS CONCÊNTRICOS PELOS MÉTODOS DE MONTE CARLO E RESÍDUOS PONDERADOS. Carlos Albrto d Almida Villa Univrsidad Estadual d Campinas - UNICAMP

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

ENSINO BÁSICO PLANIFICÃO DE GEOGRAFIA 7º ANO. 1º Período A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES. A Geografia e o Território Observação de paisagens

ENSINO BÁSICO PLANIFICÃO DE GEOGRAFIA 7º ANO. 1º Período A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES. A Geografia e o Território Observação de paisagens Govrno dos Açors Escola Básica Scundária d Vlas ENSINO BÁSICO PLANIFICÃO DE GEOGRAFIA 7º ANO 1º Príodo Comptências chav m Línguas Cintífica Tcnológica Digital METAS CURRICULARES A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Carvalhos. Escola E.B. 2, 3 Padre António Luís Moreira. Ano Letivo 2014/2015

Agrupamento de Escolas de Carvalhos. Escola E.B. 2, 3 Padre António Luís Moreira. Ano Letivo 2014/2015 Agrupamnto d Escolas d Carvalhos Escola E.B. 2, 3 Padr António Luís Morira Ano Ltivo 2014/2015 Planificação da Ára Curricular d Educação Musical 8º Ano/Turma_--- Disciplina d organização smstral Objtivos

Leia mais

Cursos Profissionais Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (2º ano de formação)

Cursos Profissionais Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (2º ano de formação) GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Profissionais Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (2º ano d formação) Página 1 d 5 Módulo 1 Dscobrindo a Sociologia Aulas Prvistas (45 m.):35 Data

Leia mais

APLICAÇÕES DO PEQUENO TEOREMA DE FERMAT

APLICAÇÕES DO PEQUENO TEOREMA DE FERMAT Encontro d Ensino Psquisa Extnsão Prsidnt Prudnt 20 a 23 d outubro 2014 1 APLICAÇÕES DO PEQUENO TEOREMA DE FERMAT APPLICATIONS OF THE FERMAT'S LITTLE THEOREM Vanssa d Fritas Travllo 1 ; Luana Batriz Cardoso¹;

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

18-04-2015. Sumário. Campo e potencial elétrico. Conceito de campo

18-04-2015. Sumário. Campo e potencial elétrico. Conceito de campo Sumário Unidad II Eltricidad Magntismo 1- - Noção d campo létrico. - Campo létrico criado por uma carga pontual stacionária. - Linhas d campo. APSA 21 Campo létrico. Campo létrico uniform. Concito d campo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FÍSICA FÍSICA III (FIM230) /1 GABARITO DA PROVA FINAL UNIFICADA DATA: 03/07/2009

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FÍSICA FÍSICA III (FIM230) /1 GABARITO DA PROVA FINAL UNIFICADA DATA: 03/07/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FÍSICA FÍSICA III (FIM230) - 2009/1 GABARITO DA PROVA FINAL UNIFICADA DATA: 03/07/2009 PROBLEMA 1 (Cilindros coaxiais) [ 2,5 ponto(s)] Um cilindro condutor

Leia mais

= 80s. Podemos agora calcular as distâncias percorridas em cada um dos intervalos e obtermos a distância entre as duas estações:

= 80s. Podemos agora calcular as distâncias percorridas em cada um dos intervalos e obtermos a distância entre as duas estações: Solução Comntada da Prova d Física 53 Um trm, após parar m uma stação, sor uma aclração, d acordo com o gráico da igura ao lado, até parar novamnt na próxima stação ssinal a altrnativa qu aprsnta os valors

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: EMRC ANO: 5º 1º PERÍODO ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: Vivr juntos AULAS PREVISTAS: 12 COMPETÊNCIAS (O aluno dvrá sr capaz d:) CONTEÚDOS

Leia mais

Álgebra. Matrizes. . Dê o. 14) Dada a matriz: A =.

Álgebra. Matrizes.  . Dê o. 14) Dada a matriz: A =. Matrizs ) Dada a matriz A = Dê o su tipo os lmntos a, a a ) Escrva a matriz A, do tipo x, ond a ij = i + j ) Escrva a matriz A x, ond a ij = i +j ) Escrva a matriz A = (a ij ) x, ond a ij = i + j ) Escrva

Leia mais

Resolução comentada de Estatística - ICMS/RJ Prova Amarela

Resolução comentada de Estatística - ICMS/RJ Prova Amarela ICMS-RJ 007: prova d Estatística comntada Rsolução comntada d Estatística - ICMS/RJ - 007 - Prova Amarla 9. Uma amostra d 00 srvidors d uma rpartição aprsntou média salarial d R$.700,00 com uma disprsão

Leia mais

ENERGIA CONCEITO. Ciências Físico-Químicas 8º ano de escolaridade. Ano letivo 2013/2014 Docente: Marília Silva Soares 1. Energia

ENERGIA CONCEITO. Ciências Físico-Químicas 8º ano de escolaridade. Ano letivo 2013/2014 Docente: Marília Silva Soares 1. Energia Física química - 10.º Contúdos nrgia Objtio gral: Comprndr m qu condiçõs um sistma pod sr rprsntado plo su cntro d massa qu a sua nrgia como um todo rsulta do su moimnto (nrgia cinética) da intração com

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2013, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2013, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d Física Química A.º ano, 0,.ª fas, vrsão Socidad Portugusa d Física, Divisão d Educação, d junho d 0, http://d.spf.pt/moodl/ Grupo I. Concntraçõs d ragnts OU concntraçõs

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL. 11º Ano. MATEMÁTICA Exercícios de Exames e Testes Intermédios. Ano Letivo de 2012/2013

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL. 11º Ano. MATEMÁTICA Exercícios de Exames e Testes Intermédios. Ano Letivo de 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL MATEMÁTICA Exrcícios d Exams Tsts Intrmédios 11º Ano Ano Ltivo d 2012/2013 Trigonomtria 1 Na figura stá rprsntado o quadrado é a amplitud m radianos do ângulo Mostr

Leia mais

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA Nom: Nº Ano: 6ºD Data: / /0 Bimstr: Profssor: Dnis Rocha Disciplina: Matmática Orintaçõs para studo:. Rvisar os contúdos trabalhados no bimstr.. Rfazr os xrcícios do cadrno

Leia mais

Análise em Frequência de Sistemas Lineares e Invariantes no Tempo

Análise em Frequência de Sistemas Lineares e Invariantes no Tempo Anális m Frquência d Sistmas Linars Invariants no Tmpo Luís Caldas d Olivira Rsumo. Rsposta m Frquência 2. Sistmas com Função d Transfrência Racional 3. Sistmas d Fas Mínima 4. Sistmas d Fas Linar Gnralizada

Leia mais

Função do 2 o Grau. Uma aplicação f der emr

Função do 2 o Grau. Uma aplicação f der emr UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA. Dfinição Uma aplicação f

Leia mais

A energia cinética de um corpo de massa m, que se desloca com velocidade de módulo v num dado referencial, é:

A energia cinética de um corpo de massa m, que se desloca com velocidade de módulo v num dado referencial, é: nrgia no MHS Para studar a nrgia mcânica do oscilador harmônico vamos tomar, como xmplo, o sistma corpo-mola. A nrgia cinética do sistma stá no corpo d massa m. A mola não tm nrgia cinética porqu é uma

Leia mais

03/04/2014. Força central. 3 O problema das forças centrais TÓPICOS FUNDAMENTAIS DE FÍSICA. Redução a problema de um corpo. A importância do problema

03/04/2014. Força central. 3 O problema das forças centrais TÓPICOS FUNDAMENTAIS DE FÍSICA. Redução a problema de um corpo. A importância do problema Força cntral 3 O problma das forças cntrais TÓPICOS FUNDAMENTAIS DE FÍSICA Uma força cntralé uma força (atrativa ou rpulsiva) cuja magnitud dpnd somnt da distância rdo objto à origm é dirigida ao longo

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola-sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul. Educação Pré-Escolar CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola-sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul. Educação Pré-Escolar CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamnto d Escolas d S. Pdro do Sul - 161780 Escola-sd: Escola Scundária d S. Pdro do Sul Ano Ltivo: 2016/2017 Educação Pré-Escolar CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Conform prconizado nas novas Orintaçõs Curriculars

Leia mais

Estatística II. Aula 8. Prof. Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística II. Aula 8. Prof. Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística II Aula 8 Pro. Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Tsts Qui Quadrado Objtivos da Aula 8 Nsta aula, você aprndrá: Como quando utilizar o tst qui-quadrado para tablas d contingência Como utilizar

Leia mais

Laboratório de Física

Laboratório de Física Laboratório d Física Exprimnto 01: Associação d Rsistors Disciplina: Laboratório d Física Exprimntal II Profssor: Turma: Data: / /20 Alunos (noms compltos m ordm alfabética): 1: 2: 3: 4: 5: 2/15 01 Associação

Leia mais

Origem dos Jogos Olímpicos

Origem dos Jogos Olímpicos Natal, RN / /04 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: Profssor: TESTE º Trimstr º M INSTRUÇÕES: Vrifiqu s sua avaliação contém 6 qustõs ( objtivas 04 discursivas). Caso haja

Leia mais

1.0. Conceitos Utilizar os critérios de divisibilidade por 2, 3, 5 e Utilizar o algoritmo da divisão de Euclides.

1.0. Conceitos Utilizar os critérios de divisibilidade por 2, 3, 5 e Utilizar o algoritmo da divisão de Euclides. Conteúdo Básico Comum (CBC) Matemática - do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Os tópicos obrigatórios são numerados em algarismos arábicos Os tópicos complementares são numerados em algarismos romanos

Leia mais

Calor Específico. Q t

Calor Específico. Q t Calor Espcífico O cocint da quantidad d nrgia () forncida por calor a um corpo plo corrspondnt acréscimo d tmpratura ( t) é chamado capacidad térmica dst corpo: C t Para caractrizar não o corpo, mas a

Leia mais

Seja f uma função r.v.r. de domínio D e seja a R um ponto de acumulação de

Seja f uma função r.v.r. de domínio D e seja a R um ponto de acumulação de p-p8 : Continuidad d funçõs rais d variávl ral. Lr atntamnt. Dominar os concitos. Fazr rcícios. Função contínua, prolongávl por continuidad, dscontínua. Classificação d dscontinuidads. Continuidad num

Leia mais

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos.

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos. DETERMNAÇÃO DA EQUAÇÃO GERAL DO PERÍODO DO PÊNDULO SMPLES Doutor m Ciências plo FUSP Profssor do CEFET-SP Est trabalho aprsnta uma rvisão do problma do pêndulo simpls com a dmonstração da quação do príodo

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

Forças de implantação nas pontes estaiadas

Forças de implantação nas pontes estaiadas Forças d implantação nas ponts staiadas Pdro Afonso d Olivira Almida (); Rui Oyamada (); Hidki Ishitani () () Profssor Doutor, Dpartamnto d Engnharia d Estruturas Fundaçõs Escola Politécnica, Univrsidad

Leia mais

a) 1. b) 0. c) xnw. d) q (Espm 2014) Se a matriz 7. (Pucrs 2014) Dadas as matrizes A = [ 1 2 3] a) 18 b) 21 c) 32 d) 126 e) 720 Se a matriz M=

a) 1. b) 0. c) xnw. d) q (Espm 2014) Se a matriz 7. (Pucrs 2014) Dadas as matrizes A = [ 1 2 3] a) 18 b) 21 c) 32 d) 126 e) 720 Se a matriz M= Dtrminant. (Upg 4) Considrando as matrizs abaixo, sndo dt A = 5, dtb= dtc=, assinal o qu for orrto. x z x y x A =,B= 4 5 x+ z y C= ) x+ y+ z= 4 ) A C= 4) B C= 4 8) y = x 6) 6 4 A+ B= 6 5 T. (Uds 4) S A

Leia mais

. A é uma matriz linha se m=1, A é uma matriz coluna se n=1, A é uma matriz quadrada se m=n, e neste caso diz-se que A é uma matriz de ordem n.

. A é uma matriz linha se m=1, A é uma matriz coluna se n=1, A é uma matriz quadrada se m=n, e neste caso diz-se que A é uma matriz de ordem n. Apontamntos d álgbra Linar 1 - Matrizs 11 - Dfiniçõs A é uma matriz linha s m=1 A é uma matriz coluna s n=1 A é uma matriz quadrada s m=n nst caso diz-s qu A é uma matriz d ordm n 12 - Opraçõs com matrizs

Leia mais

Lista 1 - Problemas relativos a conversão de bases numéricas e propagação

Lista 1 - Problemas relativos a conversão de bases numéricas e propagação Lista d xrcícios - Cálculo numérico - 2013/1 - Prof. Fabio S. d Azvdo Lista 1 - Problmas rlativos a convrsão d bass numéricas propagação d rros Qustão 1. Convrta para bas dcimal cada um dos sguints númros:

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

Gabarito - Colégio Naval 2015/2016 Matemática Prova Amarela

Gabarito - Colégio Naval 2015/2016 Matemática Prova Amarela Gabarito - Colégio Naval 05/06 Profssors: Carlos Eduardo (Cadu) André Flip Bruno Pdra Rafal Sabino Gilbrto Gil QUESTÃO Dada a inquação, podmos rscrvê-la, a partir do Torma d Bolzano, concluímos: 5 0 0

Leia mais

Memorize as integrais imediatas e veja como usar a técnica de substituição.

Memorize as integrais imediatas e veja como usar a técnica de substituição. Blém, d maio d 0 aro aluno, om início das intgrais spro qu vocês não troqum as rgras com as da drivada principalmnt d sno d sno. Isso tnho dito assim qu comçamos a studar drivada, lmbra? Mmoriz as intgrais

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

Período/Série: 5ª a 8ª série Turno: ( ) Matutino ( ) Vespertino ( x ) Noturno

Período/Série: 5ª a 8ª série Turno: ( ) Matutino ( ) Vespertino ( x ) Noturno Pág. 1 Caractrização Curso: PROEJA-FIC ( Curso d Formação Inicial Continuada m Alimntação Intgrado ao Ensino Fundamntal na Modalidad d EJA) Ano/Smstr ltivo: 2011 Príodo/Séri: 5ª a 8ª séri Turno: ( ) Matutino

Leia mais

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG)

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jfrson Tixira (Grad /UEPG) Valska Gracioso Carlos (UEPG) 1. Introdução Graças á rgulamntaçõs impostas por acordos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO PLANIFICAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 Ano 12º Ano DISCIPLINA: Docnt HISTÓRIA A Carlos Eduardo da Cruz Luna Contúdos Comptências Espcíficas Estratégias RECURSOS Módulo 7 Criss, Embats Iológicos Mutaçõs Culturais

Leia mais