PROJETO: MUSEU-ESCOLA 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO: MUSEU-ESCOLA 1"

Transcrição

1 PROJETO: MUSEU-ESCOLA 1 Fernanda Regina Fuzzi Estudante do 3º ano de Geografia Ruth Künzli Professora do curso de Geografia Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Faculdade de Ciências e Tecnologias FCT- Campus de Presidente Prudente Bolsista PROEX INTRODUÇÃO O CEMAARQ - Centro de Museologia Antropologia e Arqueologia oferece à comunidade e aos estudantes de escolas públicas e particulares de Presidente Prudente e região a oportunidade de visitarem suas exposições permanentes de Paleontologia, Arqueologia e Antropologia. O CEMAARQ possui um rico acervo referente principalmente à cultura indígena de tribos que viveram ou vivem em nossa região. O mesmo conta com estagiários responsáveis por receberem e monitorarem os visitantes. São oferecidas visitas monitoradas a todas as séries, com isso, percebeu-se a necessidade de que houvesse uma adequação da linguagem das explicações para facilitar o entendimento dos alunos. Observou-se também a importância de haver um maior envolvimento dos professores que acompanhavam estas visitas. Sendo assim, foi criado o projeto Museu-Escola, com o objetivo de adequar as explicações às diferentes faixas etárias e buscar uma maior participação dos professores que acompanhavam as visitas. O Projeto Museu-Escola envolve a participação de docentes e alunos da FCT Unesp e professores e alunos da rede pública de ensino da cidade de Presidente Prudente e região, e busca uma integração de conhecimentos, tendo em vista o moderno conceito de museu, que prevê seu papel social, tanto na transmissão quanto na produção do conhecimento e da manutenção e guarda do patrimônio cultural. O projeto é relevante para o ensino de geografia, visto que ele ensina sobre a cultura indígena, levando em consideração a relação do índio com o meio-ambiente e 1 Ensino de Geografia

2 ensinando temas referentes à Arqueologia, Antropologia, Paleontologia e ao Patrimônio Cultural. DESENVOLVIMENTO No que se refere às atividades desenvolvidas pelo projeto, estas se dividem em três grupos: as realizadas antes dos alunos visitarem ao museu, com o intuito de prepará-los para a visita; as que são realizadas durante a visita e as que se realizam após a visita. No que tange às atividades desenvolvidas pelo primeiro grupo cabe: a elaboração de um convite, para ser entregue aos professores convidando-os a participarem do projeto; a elaboração de textos para serem trabalhados pelos professores que aceitarem participar do projeto - em sala de aula, antes da visita, com o objetivo de dar uma noção aos alunos daquilo que será visitado. No que se refere àquelas do segundo grupo, compreendem as atividades que são realizadas durante a visita, que consistem: na visita monitorada ao CEMAARQ, em que os estagiários mostram e explicam os objetos contidos nas vitrines, tanto arqueológicos quanto de indígenas contemporâneos e de outras procedências, enfatizando a questão da sociodiversidade dos povos indígenas e da relação destes com o meio-ambiente. Também é apresentada a sala de Paleontologia com fósseis da própria região. É realizado o contato com docentes do Departamento de Educação, para auxiliar na adaptação das explicações, para que fiquem de acordo com a faixa etária dos visitantes. Durante a visita, é desenvolvida uma atividade que prevê o manuseio de objetos, o que permite que a criança crie conceitos a respeito das peças indígenas. Os objetos manipulados são da reserva técnica e, geralmente, de material inquebrável e colocados no chão para que as crianças possam manuseá-los, permitindo a intuição da complexidade e variedade da vida indígena. Na realização de atividades como a Hora da Lenda e Hora da Música, a primeira consiste na narrativa de uma lenda indígena às crianças, utilizando-se do teatro de fantoches e de objetos para ilustrá-la e a segunda, na interpretação de letras de músicas que retratam a cultura indígena. No que se relaciona ao terceiro grupo, consiste na avaliação do projeto e do trabalho realizado pelos monitores, isto porque, ao término de cada visita, solicita-se ao professor que preencha um formulário de avaliação. Estas avaliações têm funcionado como uma forma de retroalimentação para posteriores adequações, inclusive da parte física do museu. Para que as atividades acima propostas sejam realizadas com êxito, alguns procedimentos metodológicos são necessários, tais como: participação em reuniões com a

3 orientadora; levantamento bibliográfico referente às atividades que serão desenvolvidas; seleção dos conteúdos pertinentes às explicações que serão feitas aos alunos; realização de leituras e fichamentos. Além disto, é necessária a participação em treinamentos e preparações para explicações do material expositivo de acordo com a faixa etária dos alunos; entrega de convites aos professores; elaboração de textos para serem entregues aos professores que aceitarem participar do projeto; escolha de músicas que retratam a cultura indígena; preparação de peças de teatro para serem apresentadas aos alunos através do teatro de fantoches e a elaboração da avaliação para ser entregue ao professor ao término da visita. São esses procedimentos que nos ajudam a realizar com maior respaldo as atividades propostas pelo projeto, além de realizar estas atividades de maneira condizente a idade dos visitantes. Foto: Visita Monitorada Foto: Visita Monitorada Foto: Hora da Lenda Foto: Hora da Música

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS O projeto Museu-Escola é importante para os alunos e professores, pois oferece a eles um melhor aproveitamento da visita, devido ao fato de já chegarem preparados para a mesma, o que facilita o trabalho do estagiário. O projeto também faz-se de importância para o monitor que participa das atividades, pois ele deve estar preparado, tanto no que se refere ao conteúdo das explicações (adquirido através das leituras), quanto na forma de transmití-lo aos alunos, o que, por se tratar de um aluno de licenciatura em geografia, além de enriquecer o currículo, prepara-o para atuar com os alunos. No que se refere às atividades propostas pelo projeto, podemos dizer que estas vêm sendo desenvolvidas com êxito, contando com uma participação positiva dos envolvidos.

5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS KÜNZLI, Ruth; SOUZA, Renata Junqueira; SILVA Ilíada Pires. O projeto museu-escola: dialogando com a interdisciplinalidade uma experiência que está dando certo. Revista Nuances, vol. VI 1º ed. São Paulo: UNESP, 2000.

PROJETO MUSEU-ESCOLA: DIALOGANDO COM A INTERDISCIPLINARIDADE RESUMO

PROJETO MUSEU-ESCOLA: DIALOGANDO COM A INTERDISCIPLINARIDADE RESUMO ISSN 1679-4605 Revista Ciência em Extensão - 75 Recebido em: 06/04/2004 Revista Ciência em Extensão Aceito para publicação: 28/09/2004 v.2 n.1, 2005 Publicado on line:15/08/2005 Relato de experiência -

Leia mais

Procedimento da pesquisa

Procedimento da pesquisa 2 CAPÍTULO Procedimento da pesquisa Este trabalho, efetivamente um projeto de extensão universitária como atividade acadêmica para a formação de professores, teve sua pesquisa baseada no trabalho desenvolvido

Leia mais

Autora: Janaina da Silva Lima. Co-autora: Drª. Ruth Künzli

Autora: Janaina da Silva Lima. Co-autora: Drª. Ruth Künzli Autora: Janaina da Silva Lima Co-autora: Drª. Ruth Künzli E-mail: Janaina_limah@hotmail.com CEMAARQ - Centro de Museologia Antropologia e Arqueologia FCT- UNESP Presidente Prudente MUSEU E EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Português e Inglês Licenciatura Currículo: LPI00001

REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Português e Inglês Licenciatura Currículo: LPI00001 REGULAMENTO DE PRÁTICA EDUCACIONAL / PROJETOS Fundamentação Legal PARECER CNE/CP 28/2001, DE 02 DE OUTUBRO DE 2001 - Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária

Leia mais

GEOGRAFIA UNIVERSOS. Por que escolher a coleção Universos Geografia

GEOGRAFIA UNIVERSOS. Por que escolher a coleção Universos Geografia UNIVERSOS GEOGRAFIA Por que escolher a coleção Universos Geografia 1 Pensada a partir do conceito SM Educação Integrada, oferece ao professor e ao aluno recursos integrados que contribuem para um processo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Projeto de Extensão: Escola Cidadã Alfabetização e Inclusão Digital

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Projeto de Extensão: Escola Cidadã Alfabetização e Inclusão Digital CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Projeto de Extensão: Escola Cidadã Alfabetização e Inclusão Digital Professor Titular: Professor Auxiliar: Profª. Daniela

Leia mais

As Tecnologias da Informação no campo educacional

As Tecnologias da Informação no campo educacional As Tecnologias da Informação no campo educacional E importante ressaltar que as tecnologias estão inseridas num contexto de produção, distribuição, circulação e consumo de mercadorias no interior do sistema

Leia mais

O PAPEL DA MONITORIA EM CARTOGRAFIA NA FORMAÇÃO DISCENTE

O PAPEL DA MONITORIA EM CARTOGRAFIA NA FORMAÇÃO DISCENTE O PAPEL DA MONITORIA EM CARTOGRAFIA NA FORMAÇÃO DISCENTE Emanuel Henrique Rulim Pereira 1, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), ehenricky@gmail.com Orientadora: Profa. Dra. Alexsandra Bezerra

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Museu de Ciências

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Museu de Ciências Edital nº. 01 de 18 de setembro de 2017. A COORDENAÇÃO DO PROGRAMA EDUCATIVO DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA UFG, DA, no uso de suas atribuições, torna público o Edital nº. 01 de 18 de setembro de 2017, visando

Leia mais

O DIÁLOGO ENTRE DOIS MUNDOS: O PIBID COMO MEDIADOR DO ESPAÇO ACADÊMCO E DAS INSTIUIÇÕES DE ENSINO BÁSICO

O DIÁLOGO ENTRE DOIS MUNDOS: O PIBID COMO MEDIADOR DO ESPAÇO ACADÊMCO E DAS INSTIUIÇÕES DE ENSINO BÁSICO 1 O DIÁLOGO ENTRE DOIS MUNDOS: O PIBID COMO MEDIADOR DO ESPAÇO ACADÊMCO E DAS INSTIUIÇÕES DE ENSINO BÁSICO YORIYAZ, Levi 1 PASQUALI, Bruno Tomazela 2 Eixo Temático: Políticas Públicas de Formação de Professores.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Letras UNESP Câmpus de Assis

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Letras UNESP Câmpus de Assis ANEXO À PORTARIA Nº 149/2012-D UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Letras UNESP Câmpus de Assis REGULAMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA TÍTULO I

Leia mais

APRENDENDO E ENSINANDO NO ESTAGIO SUPERVISIONADO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

APRENDENDO E ENSINANDO NO ESTAGIO SUPERVISIONADO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA APRENDENDO E ENSINANDO NO ESTAGIO SUPERVISIONADO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Antonia Rayara Pereira Lemos;¹* Neidimar Lopes Matias de Paula¹ 1. Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará-IFCE.

Leia mais

Uma Nova Descoberta: Estágio Supervisionado

Uma Nova Descoberta: Estágio Supervisionado Uma Nova Descoberta: Estágio Supervisionado Paula Patrícia Moreira de Freitas 1 (IC), Vera Lúcia Paes 2 * 1 Acadêmica do 6º período do Curso de Pedagogia da UEG/Câmpus Pires do Rio 2 Docente Esp. Do Curso

Leia mais

sexta-feira, 30 de outubro de 2015 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 125 (203) 74

sexta-feira, 30 de outubro de 2015 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 125 (203) 74 sexta-feira, 30 de outubro de 2015 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 125 (203) 74 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA REITORIA Resolução Unesp-65, de 23-10-2015 Institui a avaliação obrigatória

Leia mais

A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO

A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO Jônatas Lima Candido Secretaria de Estado da Educação do Paraná SEED PR jonataslimacandido@seed.pr.gov.br A GEOGRAFIA DO PROFESSOR E A EMANCIPAÇÃO DO CIDADÃO INTRODUÇÃO Embora o Ensino de Geografia tenha

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Material informativo. Coleções. Molusco. Zoologia.

PALAVRAS-CHAVE: Material informativo. Coleções. Molusco. Zoologia. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

A IMPORTANCIA DA FAMÍLIA NO INGRESSO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTANCIA DA FAMÍLIA NO INGRESSO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTANCIA DA FAMÍLIA NO INGRESSO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Gislaine Mª K. Dwulatka 1 Profª Rejane Klein 2 RESUMO: O presente artigo tem por finalidade apresentar as atividades de Estágio Supervisionado

Leia mais

O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID

O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID O jogo do Mico no ensino das Funções Orgânicas: o lúdico como estratégia no PIBID Danilo Augusto Matos 1, Vinícius Nunes dos Santos 1, Daniela Marques Alexandrino 2*, Maria Celeste Passos Silva Nascimento

Leia mais

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10 6º ANO MANHÃ ÀS ÀS 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 01 1ª 2ª ÀS ÀS 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 02 1ª ÀS ÀS 2ª 3ª 4ª 5ª / Ruth 8º ANO MANHÃ 1ª 2ª ÀS ÀS ÀS 12:50 3ª

Leia mais

APÊNDICES. Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio

APÊNDICES. Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio APÊNDICES Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Araraquara Curso de Química - Licenciatura

Leia mais

CARTOGRAFIA E ENSINO: PERSPECTIVAS DA REALIDADE

CARTOGRAFIA E ENSINO: PERSPECTIVAS DA REALIDADE CARTOGRAFIA E ENSINO: PERSPECTIVAS DA REALIDADE Edmar Martins de Oliveira 1, Cleidson Reginaldo Ferreira Ribeiro 2, Renata de Melo Paulino 3, Divino Ordones 4. 1 Graduando no Curso de Licenciatura Plena

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Engenharia Ambiental - Campus EAD INDICADOR Curso* Campus EAD* ÍNDICE DE AVALIAÇÃO

Leia mais

O PRESÉPIO DO PIPIRIPAU COMO AGENTE DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA

O PRESÉPIO DO PIPIRIPAU COMO AGENTE DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA O PRESÉPIO DO PIPIRIPAU COMO AGENTE DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA Apoio: Visitas Mediadas no MHNJB Área Temática: Educação Orientador: Antônio Gilberto Costa 1 Autor: Lucas Felipe Almeida Athayde 2

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CARTOGRAFIA ESCOLAR PARA ALUNOS COM DEFICIENCIA VISUAL: o papel da Cartografia Tátil

A IMPORTÂNCIA DA CARTOGRAFIA ESCOLAR PARA ALUNOS COM DEFICIENCIA VISUAL: o papel da Cartografia Tátil A IMPORTÂNCIA DA CARTOGRAFIA ESCOLAR PARA ALUNOS COM DEFICIENCIA VISUAL: o papel da Cartografia Tátil Fernanda Taynara de Oliveira Graduando em Geografia Universidade Estadual de Goiás Campus Minaçu Kelytha

Leia mais

Atividades de orientação em docência: desafios e oportunidades

Atividades de orientação em docência: desafios e oportunidades Atividades de orientação em docência: desafios e oportunidades Jessica Moreira Lopes Cardoso 1 (IC)*, Ângela Maria Barbosa Pires 2 (PG) jessicacardoso22@outlook.com 1 Creche Municipal Colandy Godoy de

Leia mais

PROJETO PROLICEN INFORMÁTICA NA ESCOLA : A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ENSINO MÉDIO PÚBLICO

PROJETO PROLICEN INFORMÁTICA NA ESCOLA : A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ENSINO MÉDIO PÚBLICO PROJETO PROLICEN INFORMÁTICA NA ESCOLA : A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ENSINO MÉDIO PÚBLICO Formação de Professores e Educação Matemática (FPM) GT 08 RESUMO Melquisedec Anselmo da Costa AZEVEDO

Leia mais

MODELO DE RESUMO EXPANDIDO

MODELO DE RESUMO EXPANDIDO MODELO DE RESUMO EXPANDIDO AMBIENTES CONTÍNUOS DE APRENDIZAGEM: CAPACITAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS E A COMUNIDADE INTERNA E EXTERNA DO IFC CAMPUS SANTA ROSA DO SUL ATRAVÉS DE UNIDADES EDUCATIVAS DE PRODUÇÃO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Renato Custódio da Silva

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Renato Custódio da Silva PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Ética e Cidadania Organizacional Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica POSSIBILIDADES DE CONTEXTUALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE SABERES NO ENSINO DE QUÍMICA E ASTRONOMIA

18º Congresso de Iniciação Científica POSSIBILIDADES DE CONTEXTUALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE SABERES NO ENSINO DE QUÍMICA E ASTRONOMIA 18º Congresso de Iniciação Científica POSSIBILIDADES DE CONTEXTUALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE SABERES NO ENSINO DE QUÍMICA E ASTRONOMIA Autor(es) FABRÍCIO MATIAS PIRES Orientador(es) JAMES ROGADO Apoio Financeiro

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Da Conceituação. Do Exercício

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Da Conceituação. Do Exercício REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Da Conceituação Art. 1º São Atividades Extraclasses, de caráter científico, cultural, acadêmico e pré-profissional, que se articulam com o processo formativo do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO N o 03/2014, DE 27 DE MARÇO DE 2014 Aprova o Regimento do Museu de História Natural e Jardim Botânico e revoga a Resolução n o 14/2009, de 01/12/2009. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

EDITAL N 021/2012/LETRAS-INGLÊS-EAD/UFSC PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTAS UAB

EDITAL N 021/2012/LETRAS-INGLÊS-EAD/UFSC PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTAS UAB EDITAL N 021/2012/LETRAS-INGLÊS-EAD/UFSC PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTAS UAB O Coordenador do curso de Letras Inglês, modalidade a distância, no uso de suas atribuições legais, torna pública a abertura

Leia mais

RESOLUÇÃO. Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais INTERTEC, do câmpus de Bragança Paulista da Universidade São Francisco.

RESOLUÇÃO. Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais INTERTEC, do câmpus de Bragança Paulista da Universidade São Francisco. RESOLUÇÃO CONSEPE 24/2008 APROVA O REGULAMENTO DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS INTERTEC, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO.

Leia mais

CAPÍTULO I - DO CONCURSO

CAPÍTULO I - DO CONCURSO Regulamento CAPÍTULO I - DO CONCURSO Art. 1 o O Concurso de Dissertação de Mestrado, Monografia de Pós-Graduação, Monografia de Graduação, Trabalho de Iniciação Científica e Artigo é uma iniciativa da

Leia mais

Título: Curso de Difusão da Cultura Hispânica e da Língua Espanhola. Unidade: Faculdade de Ciências e Tecnologia FCT-CLAE-PROEX

Título: Curso de Difusão da Cultura Hispânica e da Língua Espanhola. Unidade: Faculdade de Ciências e Tecnologia FCT-CLAE-PROEX Título: Curso de Difusão da Cultura Hispânica e da Língua Espanhola Unidade: FCT-CLAE-PROEX Instituição: Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho Início do Curso: Término do Curso: Período

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança)

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) FACULDADE PAULISTA DE ARTES FPA Av. Brigadeiro Luís Antônio, 1224 Bela Vista CEP: 01318-001 São Paulo/ SP Tel.:/Fax

Leia mais

1 Computação (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto:

1 Computação (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto: 1 N.º Nome completo: Curso: Foto: 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60

Leia mais

Obs: grifos (verde): grifo sobre minhas observações Grifos (cinza): grifo sobre observações relevantes do autor

Obs: grifos (verde): grifo sobre minhas observações Grifos (cinza): grifo sobre observações relevantes do autor Fichamento do texto: SCHEINER, Tereza.: Comunicação, Educação, Exposição: novos saberes, novos sentidos. Semiosfera, ano 3, n 4-5, http://www.eco.ufrj.br/semiosfera/anteriores/semiosfera45/conteudo_rep_tscheiner.htm,

Leia mais

ANEXO 2 ATIVIDADES ACAD ÊMICAS. Atividade

ANEXO 2 ATIVIDADES ACAD ÊMICAS. Atividade ANEXO 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ATIVIDADES ACAD ÊMICAS C.H. Aferida Avaliador UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ATIVIDADES CIENTÍFICAS C.H. Aferida* Avaliador* UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ATIVIDADES CULTURAIS

Leia mais

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Esplanada dos Ministérios, Bloco L 70047-902 Brasília DF ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art.

Leia mais

A Experiência do Pibid Música na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: ação, reflexão e adaptação

A Experiência do Pibid Música na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: ação, reflexão e adaptação A Experiência do Pibid Música na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: ação, reflexão e adaptação Mariana de Araújo Stocchero (Pibid Música/UFMS) Resumo: O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA Câmpus São Borja

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA Câmpus São Borja MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA Câmpus São Borja Treinamento para acesso e uso do Portal de periódicos da Capes Biblioteca Apparício

Leia mais

09 DE OUTUBRO (QUINTA-FEIRA)

09 DE OUTUBRO (QUINTA-FEIRA) 09 DE OUTUBRO (QUINTA-FEIRA) PALESTRAS PALESTRA PALESTRANTE O artesanato em Mato Grosso do Sul Gilberto Luiz Alves 10h30 Leitura e Literatura: Estratégia de Compreensão Renata Junqueira 16h PAVILHÃO DO

Leia mais

Palavras-chave: Ensino Fundamental. Alfabetização Interdisciplinar. Ciências e Linguagens.

Palavras-chave: Ensino Fundamental. Alfabetização Interdisciplinar. Ciências e Linguagens. O ENSINO DE CIÊNCIAS E LINGUAGENS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPLORANDO O ESPAÇO EM UMA LINGUAGEM INTERDISCIPLINAR Área temática: Responsável pelo trabalho: BRABO, J.N.C. Instituição: Universidade

Leia mais

EDITAL n º 05/2014. PROCESSO DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O PROJETO DE EXTENSÃO INCLUSÃO DIGITAL Processo n º 23225.000111/2014-91

EDITAL n º 05/2014. PROCESSO DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O PROJETO DE EXTENSÃO INCLUSÃO DIGITAL Processo n º 23225.000111/2014-91 EDITAL n º 05/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O PROJETO DE EXTENSÃO INCLUSÃO DIGITAL Processo n º 23225.000111/2014-91 O Câmpus Juiz de Fora do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais torna

Leia mais

Orientações para Inscrição do Grupo e Projeto de Pesquisa

Orientações para Inscrição do Grupo e Projeto de Pesquisa 1 Orientações para Inscrição do Grupo e Projeto de Pesquisa O primeiro passo é criar um login de acesso que será com um e-mail e uma senha única para o grupo. Ao entrar no ambiente de Inscrição e selecionar

Leia mais

Ação Educativa em Museus de Arte: uma proposta para o MUnA

Ação Educativa em Museus de Arte: uma proposta para o MUnA Ação Educativa em Museus de Arte: uma proposta para o MUnA Dorcas Weber Professora do ensino de arte - PMU Comunicação - Relato de Pesquisa O conceito de museu e o alcance de suas ações foram os principais

Leia mais

Prof. Dr. Josué Modesto dos Passos Subrinho Reitor

Prof. Dr. Josué Modesto dos Passos Subrinho Reitor Prof. Dr. Josué Modesto dos Passos Subrinho Reitor A Necessidade de Expansão da UFS O Estado de Sergipe possui uma população de 1,93 milhões de habitantes, enquadrada no padrão social típico do povo nordestino.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA. Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA. Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DA ESCOLA INCLUSIVA Marcos Legais Resolução CNE-CES 1-2001 Resolução CNE-CES 1-2007 PROJETO PEDAGÓGICO Campo Limpo Paulista 2016 1 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 02, DE 26 DE JANEIRO DE 2012.

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 02, DE 26 DE JANEIRO DE 2012. AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC A Diretora de Desenvolvimento do Ensino, no exercício da Direção Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus Timon, no uso de

Leia mais

1. Antropologia. 2. Homo floresiensis. 3. Paleoantropologia. 4. Evolução. 5. Hominídeos. 6. Ilha de Flores. I. Título.

1. Antropologia. 2. Homo floresiensis. 3. Paleoantropologia. 4. Evolução. 5. Hominídeos. 6. Ilha de Flores. I. Título. 572 T555e Tichauer, Alessandro Evolução de Hominídeos : uma perspectiva atualizada a respeito do Homo floresiensis / Alessandro Tichauer. - Rio Claro : [s.n.], 2009 49 f. : il., figs., mapas Trabalho de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: ETEC RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: BAURU/SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA

Leia mais

ATIVIDADE LÚDICA "CRUZADA DOS PROTOZOÁRIOS": UMA ALTERNATIVA DIDÁTICA NO ENSINO DE BIOLOGIA.

ATIVIDADE LÚDICA CRUZADA DOS PROTOZOÁRIOS: UMA ALTERNATIVA DIDÁTICA NO ENSINO DE BIOLOGIA. ATIVIDADE LÚDICA "CRUZADA DOS PROTOZOÁRIOS": UMA ALTERNATIVA DIDÁTICA NO ENSINO DE BIOLOGIA. Maykon Rodrigues de Barros Moura¹; Ana Valéria Costa da Cruz²; Patrícia da Silva Sousa³; Renata Silva Santos

Leia mais

Pessoal. Participantes

Pessoal. Participantes PROEX - PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - Relatório Final Página 1 Desenvolvimento do projeto Conclusão do relatório final 29/02/2016 Título Atividades de Intervenção no Mercado Financeiro O projeto

Leia mais

MODELOS INTUITIVOS DE VIGAS VIERENDEEL PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL QUANDO SUJEITAS A APLICAÇÃO DE CARREGAMENTOS

MODELOS INTUITIVOS DE VIGAS VIERENDEEL PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL QUANDO SUJEITAS A APLICAÇÃO DE CARREGAMENTOS Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 266 MODELOS INTUITIVOS DE VIGAS VIERENDEEL PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL QUANDO SUJEITAS A APLICAÇÃO DE CARREGAMENTOS

Leia mais

TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis

TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis TRABALHANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I. Andreza Barboza da Silva; Ana Paula Santos Fidelis Universidade Federal de Pernambuco andrezabarbozasilva@hotmail.com ppfidelis@gmail.com

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE REGULAMENTO DAS ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE REGULAMENTO DAS ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO

Leia mais

EDITAL N 42, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012.

EDITAL N 42, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012. PRÓ-REITORIA REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS O Diretor Geral Pro Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus CAXIAS, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO -

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Curitiba COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO REGULAMENTO INTERNO - CAPÍTULO I Da Natureza, das Finalidades e dos Objetivos Art.

Leia mais

LIVRO DIDÁTICO E O ENSINO DE HISTÓRIA

LIVRO DIDÁTICO E O ENSINO DE HISTÓRIA LIVRO DIDÁTICO E O ENSINO DE HISTÓRIA Priscila Keyla dos Reis de Miranda 1 ; Professora Orientadora Dr.a Ana Maria Koch 2 ; Higo Carlos Meneses de Sousa 3 Resumo O Projeto Material didático de História

Leia mais

A Importância das Lições Aprendidas nas Atividades de uma Empresa

A Importância das Lições Aprendidas nas Atividades de uma Empresa A Importância das Lições Aprendidas nas Atividades de uma Empresa José Renato S. Santiago Junior www.jrsantiago.com.br Saber usar o que já tem A maior parte dos conhecimentos que uma empresa necessita

Leia mais

Atividades práticas-pedagógicas desenvolvidas em espaços não formais como parte do currículo da escola formal

Atividades práticas-pedagógicas desenvolvidas em espaços não formais como parte do currículo da escola formal Atividades práticas-pedagógicas desenvolvidas em espaços não formais como parte do currículo da escola formal Linha de Pesquisa: LINHA DE PESQUISA E DE INTERVENÇÃO METODOLOGIAS DA APRENDIZAGEM E PRÁTICAS

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS CENEX / MHNJB Nº 01/2015

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS CENEX / MHNJB Nº 01/2015 EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS CENEX / MHNJB Nº 01/2015 O Diretor do Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais torna público que, no período de 14 a 23 de janeiro

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 1 CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 2 BIOINFORMÁTICA É a junção da ciência computacional e da biologia molecular. Para tal associação utiliza conhecimentos: Da física; Biologia; Química;

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Gestão de Pessoas (optativa) Código da Disciplina: EPD029 Cursos: Engenhraria de Produção e Engenharia Mecânica

Leia mais

O USO DO STOP MOTION COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA TORNAR MAIS LÚDICO O ENSINO DE BIOQUÍMICA NO ENSINO MÉDIO

O USO DO STOP MOTION COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA TORNAR MAIS LÚDICO O ENSINO DE BIOQUÍMICA NO ENSINO MÉDIO O USO DO STOP MOTION COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA TORNAR MAIS LÚDICO O ENSINO DE BIOQUÍMICA NO ENSINO MÉDIO Hadassa Carolinny Soares de Oliveira (UFPE/CAV) Gabriel Henrique de Lima (UFPE/CAV) Josely Alves

Leia mais

ESTUDO DA IMPLANTAÇÃO DE UMA CASA CONSTRUÍDA COM GARRAFAS PETS

ESTUDO DA IMPLANTAÇÃO DE UMA CASA CONSTRUÍDA COM GARRAFAS PETS ESTUDO DA IMPLANTAÇÃO DE UMA CASA CONSTRUÍDA COM GARRAFAS PETS Gabriel Albieri PERES 1 Camila Pires CREMASCO 2 Daniel dos Santos VIAIS NETO 3 Luís Roberto Almeida GABRIEL FILHO 4 Marcelo Albieri MELO 5

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO LÓGICO ALGORITMO NA EDUCAÇÃO BÁSICA

DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO LÓGICO ALGORITMO NA EDUCAÇÃO BÁSICA DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO LÓGICO ALGORITMO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Árllon Chaves Lima, Deciola Fernades Sousa Instituto Ciberespacial (ICIBE) Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) arllonlima, deciola

Leia mais

As expectativas dos bolsistas do PIBID Música UFES para atuação na Educação Infantil

As expectativas dos bolsistas do PIBID Música UFES para atuação na Educação Infantil As expectativas dos bolsistas do PIBID Música UFES para atuação na Educação Infantil Heloisa Helena de Souza Silva UFES heloisaufes@gmail.com Mirna Azevedo Costa UFES mirna.azevedocosta@gmail.com Resumo:

Leia mais

Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Informática (PROEJA Nível Fundamental) Parte 1 (solicitante)

Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Informática (PROEJA Nível Fundamental) Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Informática

Leia mais

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza

Leia mais

REQUISITOS PARA A CRIAÇÃO DE CURSOS NOVOS 2016

REQUISITOS PARA A CRIAÇÃO DE CURSOS NOVOS 2016 REQUISITOS PARA A CRIAÇÃO DE CURSOS NOVOS 2016 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Biotecnologia PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2016 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO: 2016 COORDENADOR: Odir Antônio Dellagostin COORDENADORA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS-CCH COORDENAÇÃO DO CURSO DE HISTÓRIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS-CCH COORDENAÇÃO DO CURSO DE HISTÓRIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS-CCH COORDENAÇÃO DO CURSO DE HISTÓRIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA HST-23 CRÉDITOS T P O ---------- 04 0

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE COMPUTAÇÃO I E II (LDC)

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE COMPUTAÇÃO I E II (LDC) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DE COMPUTAÇÃO I E II (LDC) Considera-se Laboratório Didático de Computação, o laboratório composto por microcomputadores agrupados num único

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS DEPARTAMENTO DE ARQUIVOLOGIA E BIBLIOTECONOMIA CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS DEPARTAMENTO DE ARQUIVOLOGIA E BIBLIOTECONOMIA CURSO DE BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS DEPARTAMENTO DE ARQUIVOLOGIA E BIBLIOTECONOMIA CURSO DE BIBLIOTECONOMIA MANUAL DE SERVIÇO Orientações para sua construção LÚCIA ELAINE

Leia mais

SOCIEDADE UNIVERSITÁRIA REDENTOR DE ITAPERUNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

SOCIEDADE UNIVERSITÁRIA REDENTOR DE ITAPERUNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA SOCIEDADE UNIVERSITÁRIA REDENTOR DE ITAPERUNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA EDITAL PARA VAGAS DE MONITORIAS MEDICINA 2017/1 Pelo presente edital ficam estabelecidas as regras para as vaga de monitorias,

Leia mais

INTERAÇÃO ENTRE A ANATOMIA DA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO E A COMUNIDADE.

INTERAÇÃO ENTRE A ANATOMIA DA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO E A COMUNIDADE. INTERAÇÃO ENTRE A ANATOMIA DA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO E A COMUNIDADE. Rafael Rodriguez Dache, Milena Giotti Marostega, Luana Pretto Dias, Alexandra Kaufmann, Luana Savi de Aguiar, Ronaldo Marques de

Leia mais

Ações Concretas do PIBID de Matemática no Colégio Nestório Ribeiro. Palavras chaves: Ações concretas. Monitorias/Tutorias. Laboratório de Matemática.

Ações Concretas do PIBID de Matemática no Colégio Nestório Ribeiro. Palavras chaves: Ações concretas. Monitorias/Tutorias. Laboratório de Matemática. Ações Concretas do PIBID de Matemática no Colégio Nestório Ribeiro Relicler Pardim GOUVEIA 1 ; Stefane dos Santos REZENDE 2 ; Elizeu Antônio dos SANTOS 3 ; Braulio Sousa CARRIJO 4 ; Marineide Faustino

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FILOSOFIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FILOSOFIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FILOSOFIA FFC UNESP MARÍLIA Objetivos do Curso A formação de bacharéis e licenciados em Filosofia, objetivo do Curso de Filosofia da UNESP, campus de Marília, deverá ser

Leia mais

Relação dos Cursos com Novos Pesos e Notas Mínimas do ENEM 2017 que serão aplicados no Processo Seletivo UFPE SiSU CAMPUS RECIFE: 15 cursos

Relação dos Cursos com Novos Pesos e Notas Mínimas do ENEM 2017 que serão aplicados no Processo Seletivo UFPE SiSU CAMPUS RECIFE: 15 cursos Relação dos Cursos com Novos Pesos e Notas Mínimas do ENEM 2017 que serão aplicados no Processo Seletivo UFPE SiSU 2018 *Os pesos e notas mínimas que tiveram alteração para o SiSU 2018 estão em vermelho.

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE LICENCIATURA outubro/2010

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE UM MINICURSO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DA ANOTOMIA HUMANA NO ENSINO MÉDIO

EXPERIÊNCIAS DE UM MINICURSO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DA ANOTOMIA HUMANA NO ENSINO MÉDIO EXPERIÊNCIAS DE UM MINICURSO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DA ANOTOMIA HUMANA NO ENSINO MÉDIO Rosângela Miranda de Lima 1, Josilene Maria de Almeida2, Wellington do Nascimento Pereira3, Prof. Dr.Paulo

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Fonoaudiólogo, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado

Leia mais

Tainah VERAS 1 Maria Eugênia PORÉM 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, SP

Tainah VERAS 1 Maria Eugênia PORÉM 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, SP Atuação multidisciplinar em atividades de comunicação na Televisão Universitária Unesp: relato de experiência do NRPTVU 1 Tainah VERAS 1 Maria Eugênia PORÉM 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

1. Ao realizar o 3º Concurso de Fotografia, a Ajustes objetiva promover o gosto pela fotografia.

1. Ao realizar o 3º Concurso de Fotografia, a Ajustes objetiva promover o gosto pela fotografia. 3º Concurso de Fotografia Ajustes Água REGULAMENTO: 1. Ao realizar o 3º Concurso de Fotografia, a Ajustes objetiva promover o gosto pela fotografia. 2. O 3º Concurso de Fotografia da Ajustes tem por tema:

Leia mais

Tipo do produto: Plano de aula

Tipo do produto: Plano de aula UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ UNESPAR PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano/ Relatório de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto:

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 1/2008

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 1/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO NÚCLEO DE PRÁTICAS EM GESTÃO

EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO NÚCLEO DE PRÁTICAS EM GESTÃO EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO A Coordenação do Curso de Administração da Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga (FADIP), por meio do Núcleo de Práticas em Gestão,

Leia mais

AS FORÇAS ENCANTADAS: DANÇA, FESTA E RITUAL ENTRE OS PANKARARU

AS FORÇAS ENCANTADAS: DANÇA, FESTA E RITUAL ENTRE OS PANKARARU Laboratório de Antropologia Visual, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. RENATO ATHIAS SARAPÓ PANKARARU AS FORÇAS ENCANTADAS: DANÇA, FESTA E RITUAL ENTRE OS PANKARARU 202 São

Leia mais

publicado no DOE de 09/05/2013 PARECER CEE/PE Nº 06/2013 -CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 18/02/2013

publicado no DOE de 09/05/2013 PARECER CEE/PE Nº 06/2013 -CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 18/02/2013 INTERESSADA: UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE/FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE NAZARÉ DA MATA ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS- PORTUGUÊS/ INGLÊS RELATORA: CONSELHEIRA

Leia mais

Visita Técnica a Montadoras de Carros na Alemanha

Visita Técnica a Montadoras de Carros na Alemanha Visita Técnica a Montadoras de Carros na Alemanha Edital nº 01/2015 Rep. ARINTER Campus Salvador A Direção Geral do IFBA Campus Salvador, por meio de sua Representação da Assessoria de Relações Internacionais,

Leia mais

Museu de Arqueologia e Etnologia/ Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo-SP-Brasil. Versión digital en : [155]

Museu de Arqueologia e Etnologia/ Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo-SP-Brasil. Versión digital en : [155] Versión digital en : http://www.uam.es/mikel.asensio Pesquisa de público no Museu Histórico e Cultural de Jundiaí- Jundiaí, São Paulo, SP, Brasil. Mariana Alves Pereira Cristante y Marília Xavier Cury

Leia mais

1º O descarte de outros materiais bibliográficos só poderá ser efetivado quando o material for considerado em situação irrecuperável.

1º O descarte de outros materiais bibliográficos só poderá ser efetivado quando o material for considerado em situação irrecuperável. Normas para a doação e o descarte de livros didáticos adquiridos e distribuídos aos campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes) pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Edital de seleção Nº 01/2017

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Edital de seleção Nº 01/2017 CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL Edital de seleção Nº 01/2017 Seleção de Estudantes para compor o PET- Física - IFCE - CAMPUS SOBRAL O Tutor do Programa de Educação Tutorial

Leia mais

VI Encontro Mineiro Sobre Investigação na Escola /II Seminário Institucional do PIBID-UNIUBE TITULO O FOLCLORE BRASILEIRO DENTRO DA EDUCAÇÃO

VI Encontro Mineiro Sobre Investigação na Escola /II Seminário Institucional do PIBID-UNIUBE TITULO O FOLCLORE BRASILEIRO DENTRO DA EDUCAÇÃO VI Encontro Mineiro Sobre Investigação na Escola /II Seminário Institucional do PIBID-UNIUBE TITULO O FOLCLORE BRASILEIRO DENTRO DA EDUCAÇÃO Rosimeire Cristina da silva rosicristinadasilva@gmail.com Linha

Leia mais

A TRILHA DO JARDIM BOTÂNICO E AS ESPÉCIES DA MATA ATLÂNTICA NO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL E JARDIM BOTÂNICO DA UFMG

A TRILHA DO JARDIM BOTÂNICO E AS ESPÉCIES DA MATA ATLÂNTICA NO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL E JARDIM BOTÂNICO DA UFMG A TRILHA DO JARDIM BOTÂNICO E AS ESPÉCIES DA MATA ATLÂNTICA NO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL E JARDIM BOTÂNICO DA UFMG PROJETO DE EXTENSÃO: TRILHA DO JARDIM BOTÂNICO ARÉA TEMÁTICA: BIOLOGIA/BOTÂNICA. EDUCAÇÃO

Leia mais

Plano de Atividade. Feira da profissão Biólogo

Plano de Atividade. Feira da profissão Biólogo Plano de Atividade Feira da profissão Biólogo Autores: Alexia Menezes, Alice Lemos, Bibiana Ferrer, Maria Teresa Iturres e Suelen Mattoso. CONTEXTUALIZAÇÃO O profissional Biólogo estuda todas as formas

Leia mais

ESTUDO ANALÍTICO SOBRE O CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS Luana Stéphanie Santos Oliveira 1 Jeampierre Tavares Belino 2 Marcelo de Oliveira Santiago 3

ESTUDO ANALÍTICO SOBRE O CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS Luana Stéphanie Santos Oliveira 1 Jeampierre Tavares Belino 2 Marcelo de Oliveira Santiago 3 ESTUDO ANALÍTICO SOBRE O CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS Luana Stéphanie Santos Oliveira 1 Jeampierre Tavares Belino 2 Marcelo de Oliveira Santiago 3 1 Introdução/ Desenvolvimento A qualidade de vida

Leia mais

PARTICIPANDO DA CONSTRUÇÃO DA AGENDA 21 DA UFFS, CAMPUS CERRO LARGO, RS

PARTICIPANDO DA CONSTRUÇÃO DA AGENDA 21 DA UFFS, CAMPUS CERRO LARGO, RS PARTICIPANDO DA CONSTRUÇÃO DA AGENDA 21 DA UFFS, CAMPUS CERRO LARGO, RS Cristiane Helena da Silva (UFFS) Carmine Zirmermann (UFFS) Janice Silvana Novakowski Kierepka (UFFS) Claudia Maiara Heck (UFFS) Tamini

Leia mais