DIRETORIA DE TECNOLOGIA DITEC DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - DETIC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIRETORIA DE TECNOLOGIA DITEC DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - DETIC"

Transcrição

1 DIRETORIA DE TECNOLOGIA DITEC DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - DETIC Revisão 01: Jun/2014

2 CASA DA MOEDA DO BRASIL Francisco de Assis Leme Franco Presidente Marcone da Silva Leal Diretor Vice-Presidente de Tecnologia Geraldo Esperança Ferreira Superintendente de Tecnologia da Informação e Comunicação 2 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

3 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Relação entre os instrumentos de planejamento Figura 2 - Relação entre o Planejamento Estratégico e o PDTI Figura 3 - Comitê de Tecnologia da Informação Figura 4 - Cronograma de revisão do PDTI Figura 5 - Organograma do DETIC Figura 6 - Estágio da Governança de TI na CMB Figura 7 Curva de evolução do índice de Governança de TI Figura 8 - Matriz de Exposição dos Riscos Figura 9 - Matriz de Exposição dos Riscos Identificados Figura 10 - Processo de monitoramento e avaliação do PDTI LISTA DE TABELAS Tabela 1 Membros da equipe de revisão do PDTI Tabela 2 - Documentos de Referência para a Elaboração do PDTI Tabela 3 - Princípios e Diretrizes para orientar a elaboração e execução do PDTI Tabela 4 - Análise SWOT da TI Tabela 5 - Critérios de Priorização da G.U.T Tabela 6 Descrição das Necessidades de TI Tabela 7 - Plano de Metas do PDTI Tabela 8 Quadro de distribuição de pessoas Tabela 9 Plano de Investimentos (CAPEX) Tabela 10 - Plano de Custeio (OPEX) Tabela 11 - Plano Orçamentário de Investimento Tabela 12 Plano Orçamentário de Custeio Tabela 13 - Plano de Capacitação P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

4 SUMÁRIO 1. TERMOS E ABREVIAÇÕES APRESENTAÇÃO NOTA DE ATUALIZAÇÃO METODOLOGIA APLICADA DESCRIÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MOTIVAÇÃO EQUIPE DE REVISÃO PLANO DE REVISÃO DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PRINCÍPIOS E DIRETRIZES POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, SUBSTITUIÇÃO E DESCARTE DE EQUIPAMENTOS ESTRUTURA ORGANIZACIONAL REFERENCIAL ESTRATÉGICO DE TI MISSÃO VISÃO DE FUTURO VALORES ANÁLISE SWOT DA TI ORGANIZACIONAL RESULTADO DE AVALIAÇÃO DAS METAS DO PDTI GOVERNANÇA CORPORATIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DE ACORDO COM OS PRINCÍPIOS DA NORMA NBR ISO/IEC 38500: ALINHAMENTO COM A ESTRATÉGICA DA CMB INVENTÁRIO DE NECESSIDADES CRITÉRIOS DE PRIORIZAÇÃO NECESSIDADES IDENTIFICADAS PLANO DE METAS PLANO DE AÇÕES PLANO DE GESTÃO DE PESSOAS PLANO DE INVESTIMENTO E CUSTEIO PLANO ORÇAMENTÁRIO DE TI PLANO DE GESTÃO DE RISCOS CRITÉRIOS DE TRATAMENTO DE RISCOS CATEGORIA DO RISCO IDENTIFICAÇÃO E TRATAMENTO DOS RISCOS EXPOSIÇÃO DO RISCO PLANO DE REVISÃO DO PDTI FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO ANEXOS CATÁLOGO DE SERVIÇOS PLANO DE CAPACITAÇÃO PROCESSO DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EXECUÇÃO DO PDTI REFERÊNCIAS P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

5 1. TERMOS E ABREVIAÇÕES Os conceitos relacionados a termos técnicos, convenções e abreviações, mencionados no decorrer deste documento, são apresentados na tabela abaixo. Termo AC ANS APF CMB CAPEX CobiT COSIC COTIN DETIC DEINT DESEM DITEC DVGO DVIN DVIP DVSI DVTI DVTS esocial ITIL MPOG Nível de Maturidade NC OPEX PDTI PEI PETI SEAI SEDS SEGE SEME SEOC SEPN SEPR SERPRO Autoridade Certificadora Descrição Acordo de Nível de Serviço (ANS) ou Service Level Agreement (SLA) Administração Pública Federal Casa da Moeda do Brasil Investimento, ganho de capital Control Objectives for Information and Related Technology Comitê de Segurança da Informação e Comunicação Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação Departamento de Inovação Tecnológica Departamento de Desenvolvimento Empresarial Diretoria de Tecnologia Divisão de Modelos e Governança em TI Divisão de Sistemas Integrados de Informação Divisão de Inovação de Produtos Divisão de Serviço e Suporte a Infraestrutura de TI Divisão de Tecnologia da Informação Industrial Divisão de Inovação em Tecnologia da Informação, Comunicação e Serviços Projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados. Information Technology Infrastructure Library Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Medida da capacidade de um processo (ou de um macroprocesso) para atingir seu propósito, de acordo com uma escala definida em um modelo de maturidade. Normas Complementares do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República Custo de Operações Plano Diretor de Tecnologia da Informação Planejamento Estratégico Institucional - Processo que trata da formulação de objetivos de longo prazo e seleção de programas de ação e para sua execução, levando em conta as condições internas e externas à organização e sua evolução esperada. Plano Estratégico de Tecnologia da Informação - É a parte do processo de planejamento estratégico institucional que enfoca como a gestão e o uso da tecnologia de informação podem gerar valor para a organização. Seção de Administração e Operação de Utilitários para TI Seção de Desenvolvimento de Sistemas Industriais Seção de Gestão de Conteúdo e Conhecimento Seção de Manutenção e Logística para Equipamentos de TI Seção de Operação da Segurança da Informação Corporativa Seção de Automação dos Processos de Negócios Seção de Padronização e Processos Administrativos Serviço Federal de Processamento de Dados 5 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

6 Termo SESA SESG SESI SISP SLTI SWOT TCU TI Descrição Seção de Suporte e Administração da Infraestrutura de TI Seção de Sistema de Gestão Empresarial Seção de Suporte a Serviços de Infraestrutura Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Oriunda do idioma inglês e é um acrônimo de Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). Tribunal de Contas da União Tecnologia da Informação - Engloba todos os recursos necessários para adquirir, processar, armazenar e disseminar informações. Inclui Tecnologia da Comunicação (TC) e é sinônimo de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). 6 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

7 2. APRESENTAÇÃO As melhores práticas relacionadas à gestão eficiente dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC orientam as instituições públicas para a necessidade de um planejamento, no qual estejam relacionadas todas as metas da instituição, associadas às ações da área de TI a serem executadas, visando o cumprimento de sua Missão. O Tribunal de Contas da União - TCU, por meio de seus recentes Acórdãos, tem recomendado aos órgãos públicos, antes de executarem seus gastos relacionados a TI, a elaboração de um Plano Diretor de Tecnologia da Informação - PDTI, o qual deve contemplar todas as ações, devidamente associadas às metas de suas áreas de negócio. Essa recomendação tornou-se obrigatória com a publicação da Instrução Normativa SLTI/MPOG nº 04, de 19 de maio de 2008, revisada em 12 de novembro de 2010, pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - MPOG, órgão central do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática - SISP. A elaboração deste trabalho é fruto de um processo participativo de coleta de dados e análise de informações do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação DETIC da Diretoria de Tecnologia da Informação DITEC e das áreas de negócio da CMB. O período de validade deste PDTI é para o biênio de 2013 a 2014, permitindo revisões sempre que necessário, caso algo relevante venha a ocorrer. Marcone da Silva Leal Rio de Janeiro, Junho de Diretor Vice-Presidente de Tecnologia 7 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

8 3. NOTA DE ATUALIZAÇÃO Este documento é a primeira revisão do Plano Diretor de Tecnologia da Informação da CMB para o período de Dessa forma, esta revisão compreende as seguintes alterações em relação à anterior: Alteração na estrutura organizacional do Departamento de Inovação Tecnológica DEINT e do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação DETIC transferindo a Divisão de Tecnologia da Informação Industrial DVTI para o DETIC; Identificação de novas necessidades em Tecnologia da Informação (TI); Possibilidade de um melhor alinhamento entre os objetivos de negócio da CMB com as metas e ações de TI; Melhor adequação e direcionamento dos investimentos em recursos de TI, atendendo as necessidades existentes na CMB; Alinhamento das ações de Tecnologia da Informação e Comunicações, com as diretrizes do governo federal (Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - SISP da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação/MP SLTI e o Índice de Governança de TI igovti do Tribunal de Contas da União); Inclusão de uma sessão específica sobre Política de Aquisição e Substituição de Equipamentos, conforme determinação contida no parágrafo 2 do art. 7º da Instrução Normativa nº 1 de 19 de janeiro de 2010 da SLTI/MPOG; Adequação dos riscos de TI de acordo com a Política de Gestão Integrada de Riscos da Casa da Moeda do Brasil. 8 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

9 4. METODOLOGIA APLICADA Foi adotada como metodologia nesse projeto o Guia do Processo de Elaboração de Plano Diretor de Tecnologia da Informação e para a redação do PDTI foi utilizado o Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação, ambos elaborados pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento. 9 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

10 5. DESCRIÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI O PDTI é um instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação cujo objetivo central é atender às necessidades de informação de um órgão ou entidade para um determinado período. Resulta em um instrumento essencial para o alcance da maturidade necessária aos órgãos responsáveis pelo aporte de serviços nas instituições públicas e, principalmente, para a manutenção dessa maturidade. Desta forma, este documento tem como finalidade a definição e o planejamento de todas as ações relacionadas à Tecnologia da Informação TI, e alinha-se aos objetivos institucionais da Casa da Moeda do Brasil. 10 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

11 6. MOTIVAÇÃO Uma preocupação constante da alta direção das organizações, é a busca pelo alinhamento estratégico entre a área de Tecnologia da Informação e a área de negócios da Instituição, com o objetivo de atender à demanda pela alta qualidade de seus serviços, economia, confiabilidade, flexibilidade, agilidade e racionalização de seus fluxos de trabalho. Assim, a elaboração deste PDTI esta fundamentada nos seguintes princípios e conceitos: Planejamento: O artigo 6º do Decreto Lei 200/1967 define a atividade de planejamento como um dos princípios fundamentais que devem ser seguidos pela Administração. Nesse viés, toda contratação deverá ser precedida de minucioso planejamento e estar alinhada ao Planejamento Estratégico da organização, conforme o artigo 4º da Instrução Normativa nº 04 de 2010/SLTI: As contratações [...] deverão ser precedidas de planejamento, elaborado em harmonia com o Plano Diretor de Tecnologia da Informação - PDTI, alinhado à estratégia do órgão ou entidade. Figura 1 - Relação entre os instrumentos de planejamento 11 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

12 seguir: Níveis de Planejamento: O planejamento de Tecnologia da Informação compreende quatro níveis a Planejamento Estratégico Institucional Planejamento Estratégico de TI Planejamento Diretor de Tecnologia da Informação (IN/SLTI 04/2010, Art. 2º, X E Art. 4º, ÚNICO, III) Planejamento da Contratação (IN/SLTI 04/2010, Art. 8º) Figura 2 - Relação entre o Planejamento Estratégico e o PDTI Planejamento de TI: É o processo administrativo e gerencial de levantamento e organização do pessoal, das aplicações e das ferramentas afetas às tecnologias da informática que ampara a CMB na consecução de suas atribuições institucionais. Plano Diretor de Tecnologia da Informação - PDTI: é o instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa a atender às necessidades de informação de um órgão ou entidade para um determinado período. 12 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

13 Comitê de Tecnologia da Informação: O Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação da CMB foi estabelecido pela OSG.PRESI/004/2013, com as seguintes competências e atribuições: Figura 3 - Comitê de Tecnologia da Informação 13 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

14 7. EQUIPE DE REVISÃO Para a equipe de revisão do PDTI, foram indicados os membros como indicado na Tabela 1, de forma a atender o cronograma constante na Figura 4, conforme a seguir: Tabela 1 Membros da equipe de revisão do PDTI Nome Marcone da Silva Leal Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação da CMB Geraldo Esperança Ferreira Jeferson Barboza Machado Papel Patrocinador Aprovador Coordenador Executor O Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação (COTIN), composto por representantes das diretorias da CMB, participou avaliando e aprovando os artefatos elaborados para revisão do PDTI. Além das pessoas citadas acima, todas as áreas finalísticas da CMB participaram do processo de elaboração nos momentos em que a equipe julgou necessária. 14 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

15 8. PLANO DE REVISÃO A figura (4) apresenta o cronograma executado durante o trabalho de revisão do PDTI. Figura 4 - Cronograma de revisão do PDTI O plano de revisão do PDTI foi aprovado pelo Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicações COTIN em 13/03/2014 de acordo com a Ata de reunião 001/ P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

16 9. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Para a condução dos trabalhos de elaboração do PDTI devem-se seguir diretrizes, padrões, normas e orientações do governo. A tabela abaixo apresenta os documentos que serviram como material de apoio e consulta na elaboração do PDTI. ID Documento Descrição DR1 Acórdão nº Relatório de Auditoria Operacional do TCU na Casa da Moeda do Brasil. DR2 DR3 DR4 Normas Complementares do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010 Plano Estratégico da CMB Estabelece diretrizes de Segurança da Informação e Comunicações, nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal (APF), direta e indireta. Dispõe sobre o processo de contratação de Soluções de Tecnologia da Informação pelos órgãos integrantes do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática (SISP) do Poder Executivo Federal. Define as diretrizes e ações da CMB a serem realizadas no período de 2013 a 2014, com revisão anual. DR5 DR6 DR7 DR8 Plano Estratégico de TI COBIT ITIL Guia do Processo de Elaboração de PDTI DR9 Decreto Lei nº 200/1967 Estabelece metas de curto e médio prazo a serem cumpridas pelo DETIC, em diferentes perspectivas de atuação e propõe a mensuração objetiva de resultados por meio de indicadores. Control Objectives for Information and related Technology. Guia de boas práticas dirigidas para gestão de tecnologia da informação (TI). Information Technology Infrastructure Library. Conjunto de boas práticas a serem aplicadas na infraestrutura, operação e manutenção de serviços de tecnologia da informação (TI). Documento da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação/MPOG que dispõe sobre os padrões, orientações, diretrizes e templates para elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. DR10 Índice de Governança de TI igovti Questionário do Tribunal de Contas da União TCU que avalia a situação da governança de TI na Administração Pública Federal. Tabela 2 - Documentos de Referência para a Elaboração do PDTI 16 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

17 10. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES A partir dos documentos de referência, elencados no tópico anterior, foram estabelecidos Princípios e Diretrizes para orientar a elaboração e execução do PDTI. ID Princípios e Diretrizes Origem PD1 PD2 PD3 PD4 PD5 PD6 PD7 PD8 PD9 Contratar somente serviços que visem o atendimento às necessidades de negócio da Instituição ou a ações de estruturação da área de TI. O pagamento de serviços contratados deve, sempre que possível, ser definido em função de resultados objetivamente mensurados. Todos os serviços e processos de TI, principalmente os que têm caráter crítico para a Organização, devem ser monitorados (planejados, organizados, documentados, implementados, medidos, acompanhados, avaliados e melhorados). Promover o alinhamento das áreas de TI com as estratégias institucionais da CMB. Aderência às decisões e normas do Comitê de Segurança da Informação e Comunicação e do Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação da CMB. Adotar como princípio fundamental a busca da melhoria da eficiência dos processos de TI, como forma de avançar em direção à melhoria da maturidade da área de TI da CMB. Terceirizar atividades de execução, possibilitando a atuação dos empregados da CMB em atividades de gestão e governança da TI organizacional. Promover a otimização de recursos e investimentos em Tecnologia da Informação, tanto com a priorização da adoção de soluções baseadas em software livre quanto na utilização de soluções de mercado que venham a promover ganhos efetivos para a organização. As contratações de bens e serviços de Tecnologia da Informação deverão ser precedidas de planejamento, seguindo o previsto no Plano Diretor de Tecnologia da Informação - PDTI. - Decreto nº 2.271/1997; - Acórdão TCU 786/2006; - Acórdão TCU 1.603/2008; - Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/ Decreto nº 2.271/1997; - Acórdão TCU 786/2006; - Acórdão TCU 1.603/2008; - Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/ COBIT - Control Objectives for Information and related Technology; - ITIL - Information Technology Infrastructure Library; - Acórdão TCU 1.603/2008 Planejamento Estratégico Institucional PEI; Planejamento Estratégico de TI PETI - Norma Complementar nº 01/IN01/DSIC/GSIPR à Norma Complementar nº 15/IN01/DSIC/GSIPR - COBIT - Control Objectives for Information and related Technology; - ITIL - Information Technology Infrastructure Library; - Acórdão TCU 1603/ Decreto-lei nº 200/1967, art. 10, 7º e 8º; - Decreto nº 2.271/1997 Planejamento Estratégico de TI PETI - Acórdão TCU 1.603/ Acórdão TCU 1.558/ Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010 Tabela 3 - Princípios e Diretrizes para orientar a elaboração e execução do PDTI 17 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

18 11. POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, SUBSTITUIÇÃO E DESCARTE DE EQUIPAMENTOS Em adição ao que estabelece a Portaria Normativa nº 02/2010 SLTI/MPOG, Art. 3º, em conformidade com o parágrafo 2º do art. 7º da Instrução Normativa nº 01 - SLTI/MPOG, bem como o Decreto nº de 30 de Outubro de 1990 e suas alterações posteriores, com destaque para o Decreto nº de 20 de Abril de O Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação observará ainda as seguintes políticas/diretrizes internas: 2014-NA-1-01 Planejamento da Contratação de Soluções de TIC 2014-NA-1-02 Diretrizes para Substituição e Descarte dos Ativos de TIC 18 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

19 12. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL O Departamento de Tecnologia da Informação de Comunicação DETIC, subordinado à Diretoria de Tecnologia - DITEC tem por finalidade prover soluções de tecnologia da informação, automação de processos, comunicação eletrônica, armazenamento de dados e telecomunicações. A Diretoria Executiva da Casa da Moeda do Brasil, reunida na 52ª R.D., realizada em 19/12/2013, alterou a estrutura organizacional do Departamento de Inovação Tecnológica - DEINT transferindo a Divisão de Tecnologia da Informação Industrial DVTI para o Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação DETIC. DETIC DVGO DVIN DVSI DVTI SEGE SESG SEME SESI SEPN SESA SEDS SEPR SEAI SEOC Figura 5 - Organograma do DETIC O DETIC é composto por quatro divisões: Divisão de Modelos e Governança em TI (DVGO), Divisão de Sistemas Integrados de Informação (DVIN), Divisão de Serviço e Suporte a Infraestrutura de TI (DVSI) e Divisão de Tecnologia da Informação Industrial (DVTI). A DVGO tem como objetivo orientar, coordenar, executar e controlar as questões relativas às atividades de padronização de Normas de Administração, de Organização, do Organograma da empresa e à análise, desenho e controle dos impressos da CMB, bem como, o desenvolvimento, implementação e 19 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

20 manutenção dos sistemas de informação voltados à automação de processos administrativos, o apoio às áreas usuárias no desenvolvimento, implantação e padronização de métodos e processos de trabalho, e, ainda, a administração e manutenção de um modelo de guarda e alimentação dos dados, conteúdos e inteligência corporativa, cuja execução se faz através das Seções que integram a sua estrutura. Para cumprir com sua missão a DVGO possui três Seções: Seção de Padronização e Processos Administrativos (SEPR), a Seção de Automação dos Processos de Negócios (SEPN) e a Seção de Gestão de Conteúdo e Conhecimento (SEGE). A SEPR tem como finalidade e missão dotar a empresa de um modelo padronizado de normas e manuais necessários à operação dos sistemas de informação, uso de aplicativos voltados à automação dos processos corporativos, dirigida a todos os níveis de acesso. A SEPN tem como objetivo e missão dotar a empresa de aplicações corporativas e ou departamentais para viabilizar rotinas e procedimentos estruturados e padronizados. A SEGE tem como objetivo e missão criar, administrar e manter um modelo de guarda e alimentação dos dados, conteúdo e inteligência corporativos. A DVIN tem como objetivo a criação de uma base de dados corporativa que atenda as necessidades de informatização dos órgãos da empresa de forma integrada, evolutiva e compartilhada, bem como a integração entre aplicativos e tecnologias com vista a extrair, analisar e processar dados corporativos, gerando recursos que venha auxiliar as gerências nas tomadas de decisão. Para cumprir com sua missão a DVIN possui uma Seção de Sistema de Gestão Empresarial (SESG). A SESG tem como objetivo manter a versão do Sistema de Informação ERP atualizada, interagindo com o fornecedor para obtenção dos recursos necessários, desenvolver e incorporar novas funções exclusivas da CMB ao modelo original do Sistema de Informação ERP, desenvolver software para interagir com a base de dados corporativa, funções e módulos do Sistema de Informação ERP e realizar as operações de TI, visando manter a integridade lógica dos dados corporativos. A DVSI tem como objetivo atuar nos macroprocessos, desenvolvimento de soluções corporativas e serviços de suporte à rede e infraestrutura básica de TI, com a missão de prover, de forma coordenada e integrada, os recursos de TI à empresa. Para cumprir com sua missão a DVSI possui quatro Seções: Seção de Manutenção e Logística para Equipamentos de TI (SEME), Seção de Suporte e Administração da Infraestrutura de TI - (SESA), Seção 20 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

21 de Administração e Operação de Utilitários para TI - (SEAI), Seção de Operação da Segurança da Informação Corporativa (SEOC). A SEME tem como objetivo prover e disciplinar o uso e a manutenção dos equipamentos de informática, por meio da prestação de serviços por equipe própria e terceirizada. A SESA tem como objetivo o gerenciamento, a manutenção e a expansão da rede local corporativa, de forma a viabilizar plena e amplamente a intercomunicação de dados e acesso às informações corporativas disponíveis nos servidores. A SEAI tem como objetivo administrar e operar as ferramentas de TI destinadas a facilitar e potencializar o uso dos recursos de informática corporativa. A SEOC tem como objetivo manter os bancos de dados corporativos, a manter os backups de segurança em conformidade com as determinações legais e operacionais de guarda das informações da CMB e apoiar as demais seções da DVSI nas definições e configurações de infraestrutura corporativa de TI. A DVTI como Divisão, está incumbida das funções de orientação, coordenação, execução e controle das questões relativas à gestão de negócios, mantendo a infraestrutura da sala-cofre, que é o DATACENTER responsável também pelo ambiente de Autoridade Certificadora da CMB. Também é responsável pelo desenvolvimento de sistemas e processos de produção industrial relacionados com tecnologia de informação e controle (TIC) voltados para os negócios da CMB. Para cumprir com sua missão a DVTI possui duas Seções: Seção de Suporte a Serviços de Infraestrutura (SESI) e a Seção de Desenvolvimento de Sistemas Industriais (SEDS). A SESI é a Seção responsável pelo suporte técnico ao parque fabril nas questões relacionadas a TI e TIC, implementação das boas práticas de segurança e proteção de dados, garantir a acessibilidade ao DATACENTER e garantir o backup dos dados de produção. A SEDS atua na gestão de controle, monitoramento e manutenção dos sistemas de informações nos ambientes de produção para realinhar as soluções às possíveis mudanças de escopo, coordenar, acompanhar e avaliar a geração de artefatos e a implantação de módulos sistêmicos por fábricas externas a CMB. 21 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

22 13. REFERENCIAL ESTRATÉGICO DE TI 13.1.Missão A Missão é uma declaração concisa da razão de ser, de existir do departamento. É, sobretudo, uma ferramenta de comunicação com os seus clientes. Missão significa responder as seguintes perguntas: Por que existimos? Onde estamos? Para que propósito os departamentos existem? Que valores os departamentos oferecem para seus clientes? MISSÃO: Disponibilizar produtos e serviços baseados em Tecnologias da Informação com o objetivo de agilizar e modernizar os processos de negócio e fluxos de trabalho alinhados com os objetivos estratégicos da CMB Visão de Futuro A Visão reflete como a organização pretende ser no futuro. É a declaração sucinta de um desejo coletivo a ser alcançado, a médio e longo prazo, que busca refletir o atendimento às necessidades da sociedade. Visão significa responder às seguintes perguntas: Para onde vamos? Qual é o nosso destino? O que desejamos ser? O que os departamentos querem alcançar a médio e longo prazo? Qual é a visão de futuro dos departamentos? VISÃO: Ser reconhecido como um parceiro estratégico, contribuindo para maximizar o desempenho da organização, promovendo soluções tecnológicas inovadoras e estáveis que possibilitem a CMB o cumprimento da sua Missão. 22 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

23 13.3. Valores Os valores são virtudes desejáveis ou características básicas positivas que a instituição quer preservar, adquirir ou incentivar. São princípios que norteiam as ações institucionais que orientam a conduta e o padrão de comportamento dos indivíduos. Constituem uma fonte de inspiração no ambiente de trabalho. Instituir valores significa responder às seguintes perguntas: O que é importante para a TI? Que crenças orientarão o comportamento da TI? São atributos de valor para o ambiente de trabalho: Foco no cliente Entender a necessidade, atender no prazo e com qualidade. Comprometimento Ética Empenhar-se para cumprir os compromissos assumidos. Agir de forma íntegra, responsável e profissional, respeitando os princípios e valores com honestidade em todas as suas ações e relações. Inovação Buscar soluções inovadoras para a melhoria da prestação de TI, destacando-se pela criatividade, modernidade e quebra de paradigmas. Modernidade Acompanhar as tendências de modernidade no que se refere a processos e tecnologia aplicáveis a CMB. Senso de urgência Fazer o que tem que ser feito no tempo certo; Não esperar para agir. 23 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

24 13.4. Análise SWOT da TI Organizacional A Análise SWOT é uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário interno e externo (ou análise de ambiente), sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico de uma organização. Tem como objetivos principais efetuar uma síntese da análise dos ambientes, identificar elementos chave para a gestão, o que implica estabelecer prioridades de atuação e preparar opções estratégicas: análise de riscos e identificação de problemas a serem resolvidos. Ao longo da elaboração deste PDTI, foi realizado um trabalho interno no sentido de identificar as forças e as fraquezas dos processos internos de competência do DETIC, seguido da identificação das oportunidades decorrentes de fatores favoráveis verificados no ambiente onde as Unidades de TI operam, bem como as ameaças decorrentes de fatores desfavoráveis e mudanças sazonais ou permanentes do ambiente externo. O resultado dos estudos realizados permite entender melhor o ambiente organizacional da Tecnologia de Informação e auxilia na busca de formas de se evoluir a gestão, corrigindo as fraquezas e ameaças encontradas e alavancando as forças e oportunidades identificadas. 24 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

25 Ambiente Interno Forças Planejamento Estratégico de TI institucionalizado; Ambiente Externo Oportunidades Atuação dos órgãos de controle (TCU, CGU, etc.) frente aos problemas de Políticas e Diretrizes de contratação e descarte de equipamentos de TI gestão e governança de TI; institucionalizado; Possibilidade de firmar parcerias com outros órgãos públicos para aquisição Clima de trabalho; de soluções tecnológicas em conjunto; Fácil acesso aos níveis superiores; Reconhecimento da TI como unidade estratégica pela Administração Comitê de TI e Segurança instituído; Infraestrutura de TI em alta disponibilidade; Infraestrutura de cabeamento de alta velocidade na CMB; Apoio da alta administração na implantação de Governança de TI; Posição de destaque no processo de modernização da CMB; Investimento na formação de gestores Fraquezas Padrões insuficientes de documentação, metodologia, métrica, padronização, Ameaças Perda de pessoal especializado; homologação de sistemas e serviços; Usuário desconhece o papel e os serviços da TI; Inexistência de política formal de relacionamento como usuário; Aquisição e desenvolvimento independente de sistemas e serviços de TI Deficiência na comunicação entre as áreas internas; pelos usuários Poucos perfis e baixa qualificação de gestores; Carências de empregados especializados para atuação na área de TI; Falta da definição de Usuários Gestores para os Sistemas de Informações; Falta de Procedimentos de Segurança da Informação para a Organização Tabela 4 - Análise SWOT da TI 25 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

26 14. RESULTADO DE AVALIAÇÃO DAS METAS DO PDTI Considerando a falta de um Plano Diretor de Tecnologia da Informação para os exercícios anteriores, em 2013 a Diretoria de Tecnologia iniciou um processo para construção de um PDTI, esta ferramenta de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de TI norteou a definição das metas para o biênio de Na fase de diagnóstico, foram levantadas 24 metas para atender as necessidades da CMB. As metas foram organizadas em quatro disciplinas: Infraestrutura, Suporte, Desenvolvimento e Governança de TI. Disciplina Metas Total Governança de TI M3, M4, M14, M15, M16, M20, M21, M22 8 Suporte M1, M2, M8, M9, M23 5 Infraestrutura M5, M7, M13, M19, M24 5 Desenvolvimento M6, M10, M11, M12, M17, M18 6 Meta META 1 - Aprimorar o atendimento dos incidentes conforme Acordo de Nível de Serviço estabelecido META 2 - Solucionar incidentes conforme Acordo de Nível de Serviço estabelecido META 3 - Promover a satisfação dos usuários com os serviços e sistemas desenvolvidos pelo DETIC META 4 - Promover a satisfação dos clientes com os produtos e serviços desenvolvidos pelo DEINT META 5 - Promover e manter a continuidade dos ativos de TI por meio de aquisições de softwares, ferramentas, equipamentos e serviços de TI. META 6 - Viabilizar e implementar os sistemas para operação da autoridade certificadora no ambiente da sala-cofre em Santa Cruz. META 7 - Implantar contingência para os links de Não iniciado Não iniciado Em Cumprimento Não iniciado Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Situação Foi estabelecido um plano de trabalho com atividades, responsável e os prazos limites para implantação. Depende da implementação da Meta 1. Foi estabelecido um plano de trabalho com atividades, responsável e os prazos limites para implantação. 26 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

27 comunicação. META 8 - Promover o aumento dos níveis de serviços cobertos por meio de Acordo de Nível de Serviços ANS. META 9 - Promover o aumento do nível de maturidade na adesão dos processos do ITIL para gestão de serviços TI. META 10 - Automatizar os processos administrativos mapeados. META 11 - Demandas de desenvolvimento para fábrica de Software com métricas de ponto de função. META 12 - Implantar uma nova Intranet baseado em um Software Content Management System (CMS). META 13 - Estimular a redução do consumo de papel utilizado para impressão. META 14 - Elaborar e implantar as normas de procedimentos com base nas diretrizes da Política de Segurança da Informação e Comunicação POSIC. META 15 - Promover estratégias para elaboração do PCNTI. META 16 - Contratos aderentes à Instrução Normativa Nº 04/2010-SLTI. META 17 - Promover a documentação dos sistemas. META 18 - Promover as demandas de desenvolvimento em conformidade com o processo de desenvolvimento de software. META 19 - Promover a modernização e aumento do nível de segurança da rede corporativa no âmbito da CMB. META 20 - Promover o atendimento das recomendações do Acórdão nº META 21 - Treinar e manter os gestores e técnicos de TI capacitados conforme plano de capacitação estabelecido. META 22 - Atender de maneira positiva as questões que tratam da governança de TI na Administração Pública Federal. META 23 - Promover a implantação de uma Central única de Serviços até o final de META 24 - Promover a transferência do ambiente de contingência das soluções de rastreabilidade (SCORPIOS e SICOBE) para sala-cofre da CMB em Santa Cruz. Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Em Cumprimento Realizado 27 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

28 14.1.Governança Corporativa de Tecnologia da Informação de acordo com os princípios da Norma NBR ISO/IEC 38500:2009 A norma internacional de Governança Corporativa de TI, ISO/IEC (2008, p.3), também conhecida como ABNT NBR ISO/IEC-38500:2009, estabelece o seguinte conceito para Governança Corporativa de TI: Governança de TI é o sistema pelo qual a atual e a futura utilização da TI são dirigidas e controladas. Envolve avaliar e orientar a utilização de TI para apoiar a organização e o acompanhamento deste uso para atingir metas. Inclui a estratégia e as políticas de utilização de TI dentro de uma organização. Desta forma, o DETIC recebe o direcionamento da Alta Administração e do Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação com base em seu planejamento estratégico, por meio de três principais tarefas: 1) Avaliar o estado atual e uso futuro da TI; 2) Direcionar a preparação e implementação de planos, normas, políticas com o uso de Normativos para garantir que o uso da TI dê suporte ao alcance dos objetivos estratégicos da CMB; e 3) Monitorar a conformidade com as políticas e normas internas e externas e a execução dos planejamentos. Um framework maduro de governança de TI deve ser baseado em três elementos: estruturas, processos e comunicação (NABIOLLAHI; SAHIBUDDIN, 2008). Na CMB, foram constituídas estruturas de comitês como o COTIN Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação e o COSIC Comitê de Segurança da Informação e Comunicação, que atuam desde Neste quesito o PDTI tem um papel fundamental ao estabelecer os objetivos estratégicos com indicadores que serão acompanhados pelo COTIN. A estratégia de comunicação prevista neste documento também se propõe a dar transparência das decisões, buscando mecanismos eficazes para alcançar todas as partes interessadas, conforme o nível de informação necessário para cada um. A CMB tem avançado significativamente nos últimos meses em relação à melhoria de sua situação de governança de TI, um dos indicadores que demonstram essa melhoria é a evolução do Índice de Governança de TI igovti. Monitorado pelo TCU, esse índice aponta a situação da governança de TI a partir da coleta de informações em questionário disponibilizado a instituições representativas de diversos segmentos da Administração Pública Federal. A definição dos tópicos avaliados e os critérios utilizados fundamentam-se em legislação aplicável à APF, normas técnicas da ABNT e modelos de boas práticas reconhecidos internacionalmente (TCU, 2012). A CMB avançou do índice de 0,15 em Out/2012 para 0,73 em Nov/2013. O igovti é medido numa escala de 0,0 (zero) a 1 (um) onde, segundo os critérios do TCU (TCU, 2012), quanto mais próximo de 1 28 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

29 (um) mais avançadas são as práticas de governança de TI na organização. Segundo estes mesmos critérios, a CMB se enquadra entre no estágio considerado Aprimorado ( igovti entre 0,60 a 100). Figura 6 - Estágio da Governança de TI na CMB Figura 7 Curva de evolução do índice de Governança de TI IGovTI Dimensões Avaliadas Nota Capacidade Liderança (D1) 0,80 Aprimorado Estratégias e Planos (D2) 0,59 Intermediário Informação e Conhecimento (D3) 0,75 Aprimorado Pessoas (D4) 1,00 Aprimorado Processos (D5) 0,53 Intermediário Resultados (D9) 0,28 Inicial 29 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

30 15. ALINHAMENTO COM A ESTRATÉGICA DA CMB O alinhamento do PDTI com a estratégia da CMB foi realizado com base nos objetivos estratégicos definidos pelo Planejamento Estratégico da CMB Visão de Futuro Ser reconhecido como um parceiro estratégico, contribuindo para maximizar o desempenho da organização, promovendo soluções tecnológicas inovadoras e estáveis que possibilite a CMB o cumprimento da sua Missão. Financeira Missão Disponibilizar produtos e serviços baseados em Tecnologias da Informação com o objetivo de agilizar e modernizar os processos de negócio e fluxos de trabalho alinhados com os objetivos estratégicos da CMB. Objetivos Estratégicos: Objetivos Estratégicos: - Modernizar os processos produtivos e administrativos; - Adequar projetos, processos, produtos e serviços, de modo a garantir a inclusão da responsabilidade ambiental; - Implementar as melhores práticas de governança coorporativa, gestão de riscos e conformidade; Interna Estratégia da TI (Visão e Missão) Aprendizado / Crescimento Cliente / Sociedade - Aprimorar o atendimento aos clientes, garantindo eficiência, eficácia e efetividade dos nossos produtos e serviços. - Ampliar o portfólio de produtos exclusivos. - Internalizar o conhecimento tecnológico dos negócios estratégicos atualmente não dominados pela CMB. 30 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

31 16. INVENTÁRIO DE NECESSIDADES Apresenta o conjunto de necessidades cujo atendimento efetivamente contribui, direta ou indiretamente, para o alcance dos objetivos de negócio da organização. As necessidades não priorizadas serão mantidas para futuro reexame. Durante a etapa de Diagnóstico, as necessidades foram levantadas através de: Avaliação da Organização da TI; Análise SWOT (forças/fraquezas/ameaças/oportunidades) da TI; e Questionários nos temas: Necessidades de Informação, Serviços de TI, Equipamentos de TI, Contratação de Serviços de TI e Pessoal de TI Critérios de Priorização Para a priorização das necessidades utilizou-se a Matriz de Priorização denominada GUT, técnica que permite quantificar cada necessidade de acordo com sua gravidade, urgência e tendência no âmbito organizacional. Sendo que entende-se como: Gravidade Impacto sobre coisas, pessoas, resultados, processos ou organizações e efeitos que surgirão em longo prazo, caso não seja resolvido; Urgência Relação com o tempo disponível ou necessário para solução; Tendência Potencial de crescimento do problema, avaliação da tendência de crescimento, redução ou desaparecimento do mesmo. A pontuação de 1 a 5, para cada dimensão da matriz, permite classificar em ordem decrescente de pontos os problemas a serem atacados na melhoria do processo. PONTOS GRAVIDADE URGÊNCIA TENDÊNCIA 5 Estão alinhados as ações de planejamento estratégico da CMB e seus produtos Necessita de ação imediata Irá piorar rapidamente (Se não realizado, impacta o negócio) 4 Impactam processos da CMB Urgente Irá piorar em pouco tempo 3 Impactam sistemas, Hardware e Urgência Irá piorar serviços de TI Considerável 2 Impacta desenvolvimento de pessoas Pouco Urgente Irá piorar em longo prazo (Deve ser realizado) 1 Melhorias Pontuais Pode esperar Não irá mudar (Não impacta no negócio) Tabela 5 - Critérios de Priorização da G.U.T. Após a atribuição da pontuação, multiplicou-se os valores referentes as colunas Gravidade x Urgência x Tendência e encontrou-se o resultado, definindo assim a prioridade de cada necessidade de 31 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

32 acordo com os pontos obtidos. Essas necessidades, depois de priorizadas, geraram as metas e ações do PDTI Necessidades Identificadas GUT. Na Tabela a seguir consta o identificador, a descrição da necessidade de TI e a priorização da Matriz Tabela 6 Descrição das Necessidades de TI ID Descrição da Necessidade de TI G U T GUT N1 Estabelecer Plano Diretor de Tecnologia da Informação N2 Estabelecer Plano Estratégico de Tecnologia da Informação N3 Estabelecer política de renovação do parque computacional N4 Implantar práticas de segurança da informação na CMB N5 Implantar processo de contratação de bens e serviços de TI N6 Gerenciar qualidade e desempenho dos serviços N7 Manutenção dos contratos de produtos e serviços e atas de registro de preço, para comportar as demandas em conformidade com as necessidades da empresa N8 Plano de trabalho para elaborar nova especificação técnica para contratação de serviços de consultoria, manutenção e suporte do sistema ERP conforme as determinações e recomendações do Tribunal de Contas da União N9 Estabelecer programa para unificação dos serviços disponíveis na DVTI/SESI para à DVSI N10 Implantar gerenciamento de serviços de TI N11 Aperfeiçoar a gestão orçamentária e contratual de TI N12 Disponibilidade instantânea sobre planejamento, ajustes, limites e execução orçamentária de cada área do DETIC N13 Elaborar plano de trabalho para mitigação das não conformidades da solução N14 Promover o desenvolvimento da equipe de TI N15 Promover evolução tecnológica dos portais da intranet e internet N16 Criação e divulgação de um portfólio de serviços de TI, formalizado e mensurável N17 Contratação de Fábrica de Software N18 Estabelecer processo de inventário de Hardware e Software N19 Criação de uma estratégia para terceirização de serviços de TI, incluindo os tipos de serviços passíveis de terceirização e método de avaliação dos serviços contratados N20 Revisão e manutenção dos contratos dos ativos e prestação de serviços de TIC N21 Formalização e adequação da estrutura organizacional da TI em relação às suas atribuições atuais N22 Processos internos de TI mapeados, formalizados, mensurados e otimizados N23 Elaborar plano de trabalho para identificação de todos os sistemas supervisórios das máquinas do DEMOM, DEGER, DECED e DEMAT N24 Entregar produtos e serviços de TI com maior qualidade N25 Processo de Gestão de Incidentes de serviços de TI implantado, formalizado e controlado N26 Processo de Gestão de Configuração de serviços de TI implantado, formalizado e controlado N27 Procedimentos de Gestão de Mudanças formalizados N28 Gestão dos ativos de TI P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

33 ID Descrição da Necessidade de TI G U T GUT N29 Estudo para transferência dos ativos de TIC do datacenter administrativo para o ambiente da sala cofre N30 Implantar processo de desenvolvimento de software N31 Promover a documentação dos sistemas legados N32 Padronizar e controlar plataformas e arquiteturas tecnológicas N33 Criação e divulgação dos SLAs (Acordo de Nível de Serviço) dos serviços de TI N34 Ampliar abrangência e qualidade das consultas e acompanhamento gerencial dos sistemas de informação N35 Criação de Data Warehouse N36 Adoção de processos para medição da eficácia da TI PLANO DE METAS O Plano de Metas expressa o alinhamento do DETIC com os objetivos estratégicos do Planejamento Estratégico Institucional e também com as metas definidas no Plano Estratégico de TI. Consiste em identificar, as necessidades priorizadas e as metas a serem perseguidas durante o período de execução do PDTI. As metas estabelecem ou contribuem para um objetivo de negócio da organização, ou mais de um. Elas são acompanhadas por indicadores que medem o alcance da meta em determinado prazo. A tabela a seguir apresenta as metas do PDTI. 33 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

34 Tabela 7 - Plano de Metas do PDTI OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Aprimorar o atendimento aos clientes, garantindo eficiência, eficácia, e efetividade dos nossos produtos e serviços. Meta Descrição da Meta Indicador M1 M2 M3 M4 Origem da Meta Prazos Aprimorar o atendimento dos incidentes conforme Acordo de Nível de Serviço estabelecido Percentual de atendimentos dos incidentes realizados no prazo. PETI,N6 60% 80% Solucionar incidentes conforme Acordo de Nível de Serviço estabelecido Percentual de solução dos incidentes realizados no prazo. PETI,N6 60% 80% Promover a satisfação dos usuários com os serviços e sistemas desenvolvidos pela DVIN, DVSI e DVGO Promover a satisfação dos clientes com os produtos e serviços desenvolvidos pela DVTI - (Clientes Externos) Resultado da pesquisa de satisfação dos usuários sobre os serviços e sistemas desenvolvidos pela DVIN, DVSI e DVGO. Resultado da pesquisa de satisfação dos clientes sobre os serviços e sistemas desenvolvidos pela DVTI. PETI,N6,N2 4 PETI,N6,N2 4 60% 90% 60% 90% OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Ampliar o portfólio de produtos exclusivos. Meta Descrição da Meta Indicador M6 Viabilizar e implementar os sistemas para operação da autoridade certificadora no ambiente da sala-cofre em Santa Cruz Percentual de conclusividade do projeto de transferência da AC (Autoridade Certificadora) - CMB para o ambiente da Sala Cofre em Santa Cruz Origem da Meta Prazos PETI 100% 34 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

35 OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Modernizar os processos produtivos e administrativos. Meta Descrição da Meta Indicador Percentual de conclusividade das aquisições de TIC. Percentual de conclusividade das ações para transferência dos ativos de TIC que suportam o passaporte para a Sala cofre. Percentual de implantação da nova linha de passaportes. Origem da Meta Prazos M5 Promover e manter a continuidade dos ativos de TIC por meio de aquisições de softwares, ferramentas, equipamentos e serviços de TI Percentual de conclusividade das ações para modernização e conformidade das soluções do DEMAT suportados pela TI (ONE, BACKSAGE, WIN SMART, ART CAM, CTIP32, PRINT Q/EXPOSE, SHORTCUT TO e FINISH DESIGNER). Percentual de conclusividade das ações para instalação do novo Circuito Fechado de Televisão-CFTV (fornecimento de equipamentos, instalação e configuração de câmeras, servidores de gravação e Storage). Percentual de conclusividade das ações para coleta de dados brutos do sistema ImPrint- DECED transformando em informação para subsidiar a tomada de decisões através de repositórios organizados (Data Marts e Data Warehouses). PETI, N5,N28, N29,N32, N35 80% Percentual de conclusividade do projeto de videoconferência. Percentual de conclusividade das ações para implantação do esocial. M7 M10 M11 Implantar contingência para os links de comunicação Automatizar os processos administrativos mapeados Demandas de desenvolvimento para fábrica de Software Percentual de conclusividade das ações para unificação dos serviços, (Armazenamento de Arquivos, Backup, Antivírus, Segurança Firewall/Proxy, Controladores de Domínio, Servidores de Aplicação, Virtualização de Servidores e Aplicativos, Banco de Dados, Catálogo de Serviços), disponíveis na DVTI/SESI para à DVSI. Percentual de conclusividade das ações para identificação dos sistemas supervisórios das máquinas que atendem ao (DEMOM, DEGER, DECED e DEMAT) Percentual de conclusividade do projeto de instalação de links de contingência para o ambiente de Santa Cruz / Flamengo. PETI 100% Percentual de processos administrativos automatizados. PETI 20% 60% Percentual de demandas atendidas pela fábrica de software. PETI,N17 30% 80% 35 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

36 OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Modernizar os processos produtivos e administrativos. Meta Descrição da Meta Indicador M12 Implantar uma nova Intranet baseado em um Software Content Management System (CMS) Origem da Meta Prazos Percentual de migração dos serviços disponíveis na Intranet atual para o novo ambiente. PETI,N15 100% 36 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

37 OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Implementar as melhores práticas de governança corporativa, gestão de riscos e conformidades. Meta Descrição da Meta Indicador M8 M9 M14 M15 M16 Promover o aumento dos níveis de serviços cobertos por meio de Acordo de Nível de Serviços ANS Promover o aumento do nível de maturidade na adesão dos processos do ITIL para gestão de serviços TI Elaborar e implantar as normas de procedimentos com base nas diretrizes da Política de Segurança da Informação e Comunicação POSIC Promover estratégicas para elaboração do Plano de Continuidade do Negócio de TI (PCNTI) Contratos aderentes à Instrução Normativa Nº 04/2010-SLTI Origem da Meta Prazos Percentual de Serviços cobertos por ANS. PETI,N16 70% 80% Percentual de processos do ITIL, (Gerenciamento de contrato e de fornecedores; Gerenciamento de catálogo de serviço, gerenciamento de níveis de serviço, gerenciamento de incidentes e requisições, gerenciamento de mudança, gerenciamento de problemas, gerenciamento de liberação), implantados. Percentual de conclusividade dos normativos de segurança da informação (controle de acesso, gestão de riscos de tecnologia da informação, perímetro de segurança física, medidas de contingência contra falta de energia elétrica e falhas nas instalações, descarte de mídias de armazenamento de dados, cópias de segurança). Percentual de conclusividade das ações do plano de continuidade de negócios de tecnologia da informação. Percentual de contratações aderentes à Instrução Normativa Nº 04/2010-SLTI. Percentual de sistemas legados corporativos documentados. PETI,TCU 40% 70% PETI,TCU, N % PETI,TCU 40% N5, N11, PETI 80% 100% M17 Promover a documentação dos sistemas Percentual de manuais de uso, (Ativo Fixo, Contas a Pagar e a Receber, Livros Fiscais, Importação, Metrologia, Controle de Documentos, Controle de Não conformidades, Controle de Auditoria, Inspeção de Processos, Inspeção de entrada, gestão ambiental, gestão de pessoal, cargos e salários, Treinamento, Medicina e Segurança do Trabalho), do sistema integrado de gestão aperfeiçoados. PETI,N31 70% 100% Percentual de sistemas de negócio (clientes externos) documentados. M18 Promover as demandas de desenvolvimento em conformidade com o processo de desenvolvimento de software Percentual de demandas de desenvolvimento em conformidade com o processo de desenvolvimento de software. PETI,TCU, AUDIT, N30 50% 100% 37 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

38 OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Implementar as melhores práticas de governança corporativa, gestão de riscos e conformidades. Meta Descrição da Meta Indicador M19 M20 M21 M22 M23 Promover a modernização e aumento do nível de segurança da rede corporativa no âmbito da CMB Promover o atendimento das recomendações do Acórdão nº Treinar e manter os gestores e técnicos de TI capacitados conforme plano de capacitação estabelecido Atender de maneira positiva as questões que tratam da governança de TI na Administração Pública Federal Promover a implantação de uma Central única de Serviços Percentual de implantação dos equipamentos, (firewalls com sistemas de proteção e detecção de intrusão e balanceador de carga com firewall de aplicação em alta disponibilidade, gerenciador de logs e correlacionador de eventos SIEM, solução para controle de acesso à rede NAC, web e gateway), que compõem a solução de segurança da rede corporativa. Percentual de integração dos dados dos sistemas legados internos com o sistema integrado de gestão. Percentual de conclusividade dos normativos de governança de TI (gestão de requisitos, gestão de mudanças, testes, gestão de configuração). Origem da Meta Prazos N4,PETI 30% 60% PETI,TCU, N25, N26,N % Percentual de empregados capacitados nos programas de treinamento da CMB. N14,PETI 40% 100% Percentual de questões do Questionário GovTI TCU atendidas. PETI,TCU 60% 80% Percentual de conclusividade do Projeto de implantação do Service Desk único. N10,PETI 30% 50% 38 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

39 OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Adequar projetos, processos, produtos e serviços de modo a garantir a inclusão da responsabilidade ambiental. Meta Descrição da Meta Indicador M13 Estimular a redução do consumo de papel utilizado para impressão Origem da Meta Prazos Percentual de medidas para redução de páginas impressas. PETI 30% 30% OBJETIVO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL: Internalizar o conhecimento tecnológico dos negócios estratégicos atualmente não dominados pela CMB. Meta Descrição da Meta Indicador M24 Promover a transferência do ambiente de contingência das soluções de rastreabilidade (SCORPIOS e SICOBE) para sala-cofre da CMB em Santa Cruz Percentual de conclusividade das ações para transferência das bases de dados SCORPIOS e SICOBE para a Sala cofre da planta de Santa Cruz. Origem da Meta Prazos PETI 40% 100% 39 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

40 18. PLANO DE AÇÕES Planejamento das ações com identificação dos principais responsáveis, que responderão pelo resultado da ação, e recursos identificados como necessários para cumprimento do prazo estabelecido no Plano de Metas. Mais adiante os recursos que se relacionam a capacitação de pessoal serão detalhados na seção Plano de Capacitação e os recursos financeiros necessários para as ações serão tratados em detalhes na seção Plano de Investimento e Custeio. 40 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

41 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 1: Aprimorar o atendimento dos incidentes conforme Acordo de Nível de Serviço estabelecido A1 Estabelecer Acordo de Nível de Serviço; Formalizar nível de serviço com Estabelecer sistemática de controle e acompanhamento dos atendimentos de acordo com os níveis de Danielle Rouxinol A2 cliente. serviço. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 2: Solucionar incidentes conforme Acordo de Nível de Serviço estabelecido A3 Estabelecer Acordo de Nível de Serviço; Formalizar nível de serviço com Estabelecer sistemática de controle e acompanhamento, da eficiência e eficácia, dos incidentes Danielle Rouxinol A4 cliente. solucionados de acordo com os níveis de serviço. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 3: Promover a satisfação dos usuários com os serviços e sistemas desenvolvidos pela DVIN, DVSI e DVGO A5 Implantar sistemática de avaliação do grau de satisfação dos usuários sobre os sistemas corporativos; Wagner da Silva A6 A7 Implantar sistemática de avaliação do grau de satisfação dos usuários sobre o uso do sistema integrado de gestão; Implantar sistemática de avaliação do grau de satisfação dos usuários sobre os serviços de TIC. Yapery J. Sobral Jefferson Carvalho R. da Silva Pesquisa dirigida para cada serviço disponível. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 4: Promover a satisfação dos clientes com os produtos e serviços desenvolvidos pela DVTI - (Clientes Externos) Júlio Martinho de Pesquisa dirigida para cada serviço A8 Implantar sistemática de avaliação do grau de satisfação dos clientes externos sobre os serviços de TI. Oliveira disponível. 41 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

42 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 5: Promover e manter a continuidade dos ativos de TIC por meio de aquisições de softwares, ferramentas, equipamentos e serviços de TI Jefferson Carvalho A9 Estabelecer sistemática de aferição da conclusividade das aquisições de TIC. R. da Silva A10 A11 A12 A13 A14 A15 A16 A17 A18 A19 A20 A21 A22 A23 A24 A25 A26 A27 A28 A29 A30 A31 A32 A33 Estabelecer plano de trabalho das ações para transferência dos ativos de TIC que suportam o passaporte para a Sala cofre; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Estabelecer plano de trabalho das ações para implantação da nova linha de passaportes; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Estabelecer plano de trabalho das ações para modernização e conformidade das soluções do DEMAT suportados pela TI; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Realizar o processo de contratação do novo Circuito Fechado de Televisão - CFTV; Estabelecer plano de trabalho das ações para instalação do CFTV; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Estabelecer plano de trabalho das ações para coleta de dados brutos do sistema ImPrint-DECED; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Executar o planejamento da contratação da solução de videoconferência; Realizar o processo de contratação; Estabelecer plano de trabalho das ações; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Estabelecer plano de trabalho das ações para implantação do esocial; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Júlio Martinho de Oliveira Júlio Martinho de Oliveira Eduardo Pureza Rodrigo Couto Júlio Martinho de Oliveira Selma Bastos Yapery J. Sobral Contratação de empresas especializadas para fornecimento e instalação de câmeras e demais itens que compõem o Sistema Integrado de Circuito Fechado de Televisão (CFTV) 42 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

43 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 5: Promover e manter a continuidade dos ativos de TIC por meio de aquisições de softwares, ferramentas, equipamentos e serviços de TI A34 Estabelecer plano de trabalho para unificação dos serviços da DVTI/SESI para à DVSI; Jefferson Carvalho/ Envolvimento das áreas. A35 Executar o plano de trabalho; Júlio Martinho de A36 Estabelecer sistemática de aferição das ações. Oliveira A37 A38 A39 Estabelecer plano de trabalho para identificação dos sistemas supervisórios das máquinas que atendem ao (DEMOM, DEGER, DECED e DEMAT); Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Jefferson Carvalho/ Júlio Martinho de Oliveira / Eduardo Pureza Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 6: Viabilizar e implementar os sistemas para operação da autoridade certificadora no ambiente da sala-cofre em Santa Cruz Estabelecer plano de trabalho para identificar as necessidades de operação no ambiente da sala-cofre em Ações de capacitação nas A40 Santa Cruz; linguagens de desenvolvimento A41 Executar o plano de trabalho; para operação da AC (Java, C# e William Batista outras); Teixeira Conhecimento dos padrões e A42 Estabelecer sistemática de aferição das ações. plataformas tecnológicas para operação da AC Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 7: Implantar contingência para os links de comunicação Estabelecer plano de trabalho do projeto de instalação de links de contingência para o ambiente de Santa A43 Cruz / Flamengo; Rodrigo Couto A44 Executar o plano de trabalho; A45 Estabelecer sistemática de aferição das ações. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 8: Promover o aumento dos níveis de serviços cobertos por meio de Acordo de Nível de Serviços ANS A46 Adequar os serviços de TI não cobertos contemplando novos Níveis de Serviço; Conhecimento em ITIL v3; Danielle Rouxinol A47 Estabelecer sistemática de aferição, da eficiência e eficácia, dos serviços cobertos por ANS. 43 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

44 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 9: Promover o aumento do nível de maturidade na adesão dos processos do ITIL para gestão de serviços TI A48 Estabelecer plano de trabalho para implantação dos processos do ITIL; A49 Executar o plano de trabalho; A50 Estabelecer sistemática de aferição do plano de trabalho. Danielle Rouxinol Conhecimento em ITIL v3; Sistema de apoio para operacionalizar os processos implantados Solução CitSmart do Portal do Software Público; Pessoas capacitadas para implantar os processos e operar os sistemas. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 10: Automatizar os processos administrativos mapeados A51 Estabelecer plano de trabalho para automatização dos processos mapeados; A52 Executar o plano de trabalho; Wagner da Silva A53 Estabelecer sistemática de aferição do plano de trabalho. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 11: Demandas de desenvolvimento para fábrica de Software A54 Realizar processo de contratação; A55 Identificar demandas para fábrica de software; Wagner da Silva A56 Emitir Ordens de serviço para fábrica de software; A57 Realizar plano de capacitação métricas de ponto de função. Contratação da fábrica de software. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 12: Implantar uma nova Intranet baseado em um Software Content Management System (CMS) A58 A59 Realizar processo de contratação; Estabelecer plano de trabalho para instalação do novo ambiente; A60 Estabelecer plano de trabalho para customização do novo ambiente nos moldes da CMB; A61 Estabelecer plano de trabalho para migração dos serviços da intranet atual para o novo ambiente; Marco Almeida A62 Realizar plano de capacitação; A63 Estabelecer sistemática de aferição dos planos de trabalho. Contratação dos serviços para implantação da Nova Intranet (software e serviços) 44 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

45 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 13: Estimular a redução do consumo de papel utilizado para impressão A64 Estabelecer plano de trabalho de medidas para redução do consumo de papel; Orientações quanto ao uso A65 Executar o plano de trabalho; consciente das impressoras coloridas e monocromáticas; Ana Lúcia B Mocho Uso da impressão frente/verso; Impressão com o uso do crachá A66 Estabelecer sistemática de aferição do plano de trabalho. funcional; Realocação do quadro de impressoras nas áreas Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 14: Elaborar e implantar as normas de procedimentos com base nas diretrizes da Política de Segurança da Informação e Comunicação POSIC A67 A68 A69 A70 Identificar instrumentos legais para elaboração dos normativos de segurança da informação; Estabelecer plano de trabalho para elaboração dos normativos; Executar o plano de trabalho; Estabelecer plano de trabalho para implantação dos normativos; Josevaldo C. dos Santos / Rafael Servo segurança da A71 Estabelecer sistemática de aferição dos planos de trabalho. Conhecimento de gestão de informação (ISO 27002, 27001, 27005, 15999); Política de Segurança de Informação da CMB. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 15: Promover estratégicas para elaboração do Plano de Continuidade do Negócio de TI (PCNTI) A72 A73 A74 Realizar pré-projeto; Estabelecer plano de trabalho para implantação do PCNTI; Executar o plano de trabalho; Ricardo Zambroni Martins A75 Estabelecer sistemática de aferição das ações. Ações de capacitação em GCN; Disponibilidade de infraestrutura; Envolvimento das áreas. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 16: Contratos aderentes à Instrução Normativa Nº 04/2010-SLTI Executar o planejamento da contratação soluções de TIC, obedecendo às diretrizes da Norma 2014-NA- Conhecimento de Governança de A para as novas aquisições e/ou contratações; TI (Cobit 4.1); Geraldo Esperança Legislação específica (Lei A77 Estabelecer sistemática de aferição das ações /92, IN04/2010); Manual de Contratação da SLTI. 45 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

46 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 17: Promover a documentação dos sistemas A78 Estabelecer plano de trabalho para promover a documentação dos sistemas legados corporativo; A79 Executar o plano de trabalho; Wagner da Silva A80 Estabelecer sistemática de aferição das ações. A81 A82 A83 A84 A85 Estabelecer plano de trabalho para promover o aperfeiçoamento dos manuais de uso do sistema integrado de gestão; Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Estabelecer plano de trabalho para promover a documentação dos sistemas de negócio (clientes externos); Executar o plano de trabalho; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Yapery J. Sobral Júlio Martinho de Oliveira Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 18: Promover as demandas de desenvolvimento em conformidade com o processo de desenvolvimento de software A86 Executar as demandas de desenvolvimento de software, obedecendo às diretrizes da Norma 2015-NA-2- Wagner da Silva / Internalizar o conhecimento 01-01; Júlio Martinho de sobre o processo realizando A87 Estabelecer sistemática de aferição dos desenvolvimentos em conformidade com o processo de Oliveira / oficinas de aprendizagem com desenvolvimento. Yapery J. Sobral toda equipe. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 19: Promover a modernização e aumento do nível de segurança da rede corporativa no âmbito da CMB A88 Realizar o processo de aquisição da solução de segurança da rede corporativa; A89 Estabelecer plano de trabalho para implantação dos equipamentos que compõem a solução; A90 Executar o plano de trabalho; Jefferson Carvalho A91 Capacitar os empregados da área de segurança de TIC; A92 Estabelecer sistemática de aferição das ações. 46 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

47 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 20: Promover o atendimento das recomendações do Acórdão nº Estabelecer plano de trabalho para promover a integração dos dados dos sistemas legados com o sistema A93 integrado de gestão; Yapery J. Sobral A94 Executar o plano de trabalho; A95 Estabelecer sistemática de aferição das ações. A96 A97 A98 A99 A100 A101 Identificar instrumentos legais para elaboração dos normativos de governança de TI; Estabelecer plano de trabalho para elaboração dos normativos; Executar o plano de trabalho; Analisar e aprovar as minutas dos normativos; Estabelecer plano de trabalho para implantação dos normativos; Estabelecer sistemática de aferição das ações. Wagner da Silva Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 21: Treinar e manter os gestores e técnicos de TI capacitados conforme plano de capacitação estabelecido A102 Viabilizar a participação nos treinamentos conforme plano de capacitação estabelecido; Geraldo Esperanca Plano de capacitação instituído. A103 Estabelecer sistemática de aferição das ações de capacitação. Ferreira Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 22: Atender de maneira positiva as questões que tratam da governança de TI na Administração Pública Federal A104 Identificar as questões do Questionário GovTI 2014 TCU para atendimento; Questionário GovTI 2014 A105 Estabelecer plano de trabalho; Geraldo Esperanca A106 Executar o plano de trabalho; Ferreira A107 Estabelecer sistemática de aferição das ações. Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 23: Promover a implantação de uma Central única de Serviços A108 Estabelecer plano de trabalho das ações para implantação da central de serviços; A109 Executar o plano de trabalho; Danielle Rouxinol A110 Estabelecer sistemática de aferição das ações. Ações de capacitação; Envolvimento das áreas da DVTI e DVSI; Sistemas de apoio para operacionalizar os processos implantados. 47 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

48 Ação Descrição da Ação Responsável Recursos Necessários META 24 - Promover a transferência do ambiente de contingência das soluções de rastreabilidade (SCORPIOS e SICOBE) para sala-cofre da CMB em Santa Cruz A111 Estabelecer plano de trabalho para transferência do ambiente de contingência; A112 Executar o plano de trabalho; Jefferson Carvalho A113 Estabelecer sistemática de aferição das ações 48 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

49 19. PLANO DE GESTÃO DE PESSOAS Atualmente, a Diretoria de Tecnologia - DITEC conta com 100 empregados no Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação DETIC distribuídos por cargo e área conforme o quadro a seguir: Tabela 8 Quadro de distribuição de pessoas Distribuição de pessoas no DETIC Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação DETIC (04) Cargo / Função Quantidade SUPERINTENDENTE 1 SECRETÁRIO 1 ASSISTENTE TÉCNICO 1 ANALISTA DE GESTÃO 1 Divisão de Modelos e Governança em TI DVGO (03) Cargo / Função Quantidade GERENTE EXECUTIVO 1 ASSISTENTE TECNICO ADMINISTRATIVO 1 ANALISTA DE GESTÃO 1 Seção de Padronização e Processos Administrativos SEPR (06) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ANALISTA DE GESTÃO 5 Seção de Automação dos Processos de Negócios SEPN (11) Cargo / Função Quantidade GERENTE [1] 0 ANALISTA DE GESTÃO 9 ASSISTENTE TÉCNICO ADMINISTRATIVO 2 Seção de Gestão de Conteúdo e Conhecimento SEGE (05) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ANALISTA DE GESTÃO 3 ASSISTENTE TÉCNICO ADMINISTRATIVO 1 [1] Acumulando a função de confiança de Gerente Executivo na Divisão de Modelos e Governança em TI DVGO. 49 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

50 Distribuição de pessoas no DETIC Divisão de Serviço e Suporte a Infraestrutura de TI DVSI (13) Cargo / Função Quantidade GERENTE EXECUTIVO 1 GERENTE DE PROJETO 1 COORDENADOR DE PROJETO 1 ASSISTENTE TECNICO ADMINISTRATIVO 3 ANALISTA DE GESTAO 7 Seção de Operação da Segurança da Informação Corporativa SEOC (05) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ASSISTENTE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO 1 ANALISTA DE GESTÃO 3 Seção de Manutenção e Logística para Equipamentos de TI SEME (07) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ASSISTENTE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO 1 ANALISTA DE GESTÃO 5 Seção de Suporte e Administração da Infraestrutura de TI SESA (10) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ANALISTA DE GESTÃO 8 ASSISTENTE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO 1 Seção de Administração e Operação de Utilitários para TI SEAI (07) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ANALISTA DE GESTÃO 6 Divisão de Sistemas Integrados de Informação DVIN (02) Cargo / Função Quantidade GERENTE EXECUTIVO 1 ASSISTENTE TECNICO ADMINISTRATIVO 1 Seção de Sistema de Gestão Empresarial SESG (13) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 CONSULTOR 1 ANALISTA DE GESTÃO P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

51 Distribuição de pessoas no DETIC Divisão de Tecnologia da Informação Industrial - DVTI (02) Cargo / Função Quantidade GERENTE EXECUTIVO 1 ASSISTENTE TÉCNICO ADMINISTRATIVO 1 Seção de Suporte a Serviços de Infraestrutura - SESI (08) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ANALISTA DA CMB - GESTÃO 3 ASSISTENTE TÉCNICO ADMINISTRATIVO 3 COORDENADOR DE PROJETO 1 Seção de Desenvolvimento de Sistemas Industriais - SEDS (11) Cargo / Função Quantidade GERENTE 1 ANALISTA DA CMB - GESTÃO 7 ASSISTENTE TÉCNICO ADMINISTRATIVO 3 Principais fatores que contribuíram para a mudança significativa do quantitativo de pessoal entre as áreas do DETIC: Mudança organizacional na estrutura do Departamento de Inovação Tecnológica DEINT transferindo a Divisão de Tecnologia da Informação Industrial DVTI para o Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação DETIC; Perda de pessoal especializado para o mercado de trabalho e para áreas internas da CMB. 51 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

52 20. PLANO DE INVESTIMENTO E CUSTEIO No Plano de Investimento e Custeio são relacionados os investimentos em equipamentos, software, aquisições, contratações, entre outros necessários à manutenção e expansão dos serviços de TI na CMB. A tabela abaixo apresenta as aquisições necessárias para o cumprimento das metas estabelecidas neste PDTI. Importante ressaltar que os valores demonstrados são estimados e serão reavaliados a cada revisão do PDTI. Ao final da tabela é apresentada uma legenda com o descritivo dos campos da tabela. Onde: Meta Descrição Classificação Demandante Meta que deu origem a necessidade de aquisição. Descrição da aquisição necessária. Descrição dos projetos ou atividades no Departamento de Desenvolvimento Empresarial DESEM, onde: MAN Atividades de Manutenção Utilizado até 2012; MOD Projetos de Modernização - Utilizado até 2012; ATV Atividades A partir de 2013; PROJ Projetos A partir de 2013; Órgão responsável pela aquisição. 52 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

53 Tabela 9 Plano de Investimentos (CAPEX) Meta Descrição Classificação Demandante Investimento Realizado (2013) Investimento Previsto (2014) Desembolso Previsto (2014) 5 Aquisição de licenças de software (Adobe Creative Suite 5 Design Premium). R$ , Aquisição de licenças de software de antivírus. R$ , Aquisição de licenças de software Autodesk Autocad R$ , Aquisição de licenças de software Corel Draw X4. MAN DETIC R$ 2.000, Aquisição de licenças de software Microsoft Exchange Server Standard CAL - R$ , Device CAL para uso do correio eletrônico. Aquisição de licenças de sistema operacional Microsoft Windows 8 Pro 64 bits. R$ , Aquisição de licenças de software Year Nessus Professional. R$ 5.000, Aquisição de solução para a gestão integrada gerenciamento de projetos. PRJ DESEM --- R$ ,00 R$ ,00 Aquisição de estações de trabalho (Desktops modelos Básicos, Avançados, Workstations Gráficas e Notebooks), Servidores e outros itens de TI que serão R$ ,00 R$ ,00 utilizados na substituição de equipamentos obsoletos e novas demandas. Expansão da rede Storage Area Network SAN. R$ , ATV DETIC --- Solução de backup Tape Library (Upgrade da solução atual e aquisição para R$ , AC) Modernização e expansão da infraestrutura de redes e CFTV - Switchs e rede sem fio. R$ ,00 R$ ,00 Aquisição solução para programa de educação corporativa. PRJ DEGEP --- R$ , Aquisição de solução para a gestão integrada e automação de Auditoria Interna. Contrato (0025/2012) MOD.IN AUDIT R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços de modernização e implementação de sistemas administrativos no ambiente intranet - CSP CONSULTORIA E SISTEMAS. MOD.IN DETIC R$ , Contrato (0199/2009). Prestação de serviços de suporte, manutenção e monitoramento da rede local - 7 LAN. Contrato (0236/2011). MOD.IN DETIC R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 Aquisição de mala rígida para equipamentos. Contrato (0150/2013). --- DECOM R$ , Aquisição de Kit para captura de dados biométricos. Contratos (0191/2013 e 0192/2013). Aquisição de câmeras de videoconferência de alta definição com suporte a múltiplos pontos, compatíveis com a solução existente. Substituição do sistema de controle de acesso existente nas portarias e portões. --- DECOM R$ , DETIC --- R$ ,00 R$ ,00 R$ , Solução de circuito fechado de televisão - CFTV com câmeras IP'S. MOD DESEC --- R$ ,00 R$ ,00 Dispositivos de alarmes integrando-os com o sistema de controle de acesso e R$ , alarme. 53 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

54 Meta Descrição Classificação Demandante Investimento Realizado (2013) Investimento Previsto (2014) Desembolso Previsto (2014) Aquisição de licenças de software (ProModel,CorelDRAW Graphics Suite X6,ADOBE CS6 Design Standard,Adobe Photoshop Lightroom 5,Nero 2014 Platinum,Pinnacle Studio 17 Ultimate,Stata/SE 13,WBS Chart Pro,AUTODESK 5 AutoCAD Raster Design 2014,AUTODESK Inventor Professional ATV DETIC --- R$ ,00 R$ , ,AUTODESK AutoCAD Mechanical 2014,AUTODESK AutoCAD 2014,AUTODESK AutoCad Electrical 2014,Tenable Nessus Vulnerability Scanner). 6 Aquisição de módulo de segurança criptografado HSM. Contrato (0233/2013). MAN DETIC R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 11 Prestação de serviços de fábrica de software no processo de desenvolvimento em modelo por ponto de função. ATV DETIC --- R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços de fábrica de software no processo de desenvolvimento em modelo por ponto de função DEXTRA. Contrato (0093/2011). MOD.IN DETIC R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 12 Nova Intranet baseada em um software Content Management System CMS. PRJ DETIC --- R$ ,00 R$ ,00 19 Solução para prover a segurança da rede corporativa da Casa da Moeda do Brasil. PRJ DETIC --- R$ ,00 R$ ,00 23 Projeto de Gerência de Serviços de TI. PRJ DETIC --- R$ , Realizado Total R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 54 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

55 Tabela 10 - Plano de Custeio (OPEX) Meta Descrição Custo Realizado (2013) Desembolso Previsto (2014) Prestação de serviço de residência de domínios. R$ 300,00 R$ 300,00 Prestação de serviços de controle de balanceamento de carga e alta disponibilidade do tráfego IP, com gerenciamento de banda, incluindo acesso dedicado à internet, com garantia de SLA e suporte técnico. R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços de consultoria, manutenção e suporte técnico ao Sistema de Gestão Empresarial SIGEM. R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços de hospedagem externa de dados de forma dedicada através de infraestrutura de internet e de banda larga R$ , Prestação de serviços de assistência técnica e manutenção dos racks, servidores, periféricos e acessórios de Datacenter, com fornecimento total de peças e atendimento técnico on-site. R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços técnicos de suporte e manutenção de estações de trabalho, notebooks, monitores e componentes complementares. R$ ,00 R$ ,00 5 Prestação de serviços de links de comunicação dedicados (Santa Cruz X Centro / Santa Cruz X Brasília) R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços de terceirização (Outsourcing) de impressão corporativa no parque industrial, sede e escritórios. R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços de manutenção dos ambientes de segurança de alta disponibilidade da sala cofre. R$ ,00 R$ ,00 Prestação de serviços técnicos em tecnologia da informação na área de certificação digital para Autoridade Certificadora da CMB. R$ ,00 R$ ,00 Contratação de empresa de suporte de TI para o escritório de Brasília. --- R$ 5.280,00 Prestação de serviço de contingência da Autoridade Certificadora no ambiente do Serpro. --- R$ ,00 7 Prestação de serviços de assistência técnica e manutenção aos componentes da solução Backstage aplicados nos produtos da gráfica geral, com atendimento técnico on-site. --- R$ ,00 Prestação de serviços de assistência técnica e manutenção de switches e módulos da solução Cisco SmartNet, com fornecimento total de peças e atendimento técnico on-site. --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação por meio de rádio digital de 30 Mbps, localizado na unidade Santa Cruz, atuando como contingência do link principal. --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação por meio de rádio digital de 10 Mbps, localizado na unidade Praia do Flamengo, atuando como contingência do link principal. --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação Ponto a Ponto de 50 Mbps por meio de fibra óptica, localizado na unidade Santa Cruz, responsável pela interligação da unidade Santa Cruz com a unidade Praia do Flamengo. --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação de 30 Mbps por meio de fibra óptica, localizado na unidade Santa Cruz, responsável pela comunicação com a rede internet. --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação de 100 Mbps por meio de fibra óptica, localizado na unidade Santa Cruz, responsável pela comunicação com a rede internet. --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação de 10 Mbps por meio de fibra óptica, localizado na unidade Praia do Flamengo, responsável pela comunicação com a rede internet. --- R$ ,00 55 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

56 Meta Descrição Custo Realizado (2013) Desembolso Previsto (2014) 24 Prestação de serviços de links de comunicação de 100 Mbps para contingência do backbone de negócios (Internet) --- R$ ,00 Prestação de serviços de links de comunicação de 200 Mbps para contingência do backbone de negócios (Ponto a Ponto) --- R$ ,00 Total R$ ,00 R$ ,00 Realizado 56 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

57 21. PLANO ORÇAMENTÁRIO DE TI Plano Orçamentário de TI é um resumo executivo das estimativas de investimentos e custeio necessárias à área de TI para cumprimento das metas deste PDTI. Essas estimativas foram retiradas do Plano de Investimento e Custeio. Importante ressaltar que os valores demonstrados são estimados e serão reavaliados a cada revisão do PDTI. Este resumo será a base para a elaboração da proposta orçamentária anual da área de TI da CMB. Segundo o levantamento realizado por meio do Plano de Investimento e Custeio e dos custos do funcionamento operacional da área de TI, o recurso necessário para atendimento de todas as metas do PDTI é R$ ,00 (Vinte e sete milhões, oitocentos e cinquenta e três mil e cento e dois Reais). Sendo esse valor executado conforme a seguir: Tabela 11 - Plano Orçamentário de Investimento Meta Total Geral 5 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 6 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 11 R$ ,00 R$ ,00 R$ , R$ ,00 R$ , R$ ,00 R$ ,00 Total Geral R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 Tabela 12 Plano Orçamentário de Custeio Meta Total Geral 5 R$ ,00 R$ ,00 R$ , R$ ,00 R$ , R$ ,00 R$ ,00 Total Geral R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 57 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

58 22. PLANO DE GESTÃO DE RISCOS Riscos são eventos ou condições incertas que, se ocorrer, terá um efeito positivo ou negativo sobre pelo menos um objetivo da meta/ação dos planos do PDTI. Considerando que a Política de Gestão Integrada de Riscos da Casa da Moeda do Brasil foi aprovada pelo Conselho de Administração da Casa da Moeda do Brasil em 27/09/2013. Deverão ser observadas as diretrizes estabelecidas na Norma de Administração 4000-NA Critérios de Tratamento de Riscos É importante ter um ponto de corte, um limite de tolerância a riscos que a organização está disposta a aceitar. São os chamados critérios de tratamento de riscos. Para cada risco a ser identificado é adotada uma estratégia de tratamento e resposta ao risco. São estratégias possíveis de respostas às ameaças e/ou oportunidades. Para a definição dos Critérios de Tratamento de Riscos, deverão ser observadas as diretrizes estabelecidas na Norma de Administração 4000-NA Os critérios de Tratamento de Riscos representam o critério de tolerância a riscos ou limites dos riscos que a organização está disposta a aceitar. Por exemplo: um risco que afete a reputação da organização não será tolerado, logo precisa ser tratado. De posse dos Planos Específicos (Plano de Metas, Planos de Ações, Plano de Pessoal, Investimento e Custeio), o Comitê de TIC e o Comitê de Riscos estabelecem os critérios de aceitação de riscos, onde indica o grau de sensibilidade e, por consequência, de tolerância aos principais riscos conhecidos. Essa decisão norteará as atividades subsequentes de identificação dos riscos, a avaliação das ações planejadas e a concepção de novas ações destinadas a mitigar os riscos existentes (medida preventiva) ou a tratar os resultados das ocorrências impactantes (medida de contingência) Categoria do Risco Outro aspecto importante é definir a categoria do risco. A categorização do risco identifica a área de conhecimento à qual o risco é aplicável. Esse atributo é importante para que o gerenciamento de riscos possa ser realizado de forma unificada para cada categoria. Para definição da categoria do risco, deverão ser observadas as diretrizes estabelecidas na Norma de Administração 4000-NA P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

59 22.3. Identificação e Tratamento dos Riscos Para cada Meta foram identificados os riscos relevantes, sua descrição, categoria, probabilidade e impacto, considerando o grupo de ações definido para aquela meta. Para a definição da probabilidade e impacto dos riscos, deverão ser observadas as diretrizes estabelecidas na Norma de Administração 4000-NA Exposição do Risco Os riscos identificados possuem um atributo chamado de Exposição do Risco. A Exposição é o resultado da multiplicação de Probabilidade x Impacto. O resultado dessa operação possui valores possíveis de 1 a 25. Dessa forma os riscos se enquadram de acordo com a matriz abaixo. Foram definidos que os riscos de exposição inferior a 7 possuem exposição Baixa, entre 7 e 14 possuem exposição Média e acima de 14 exposição Alta. Figura 8 - Matriz de Exposição dos Riscos Segue abaixo a tabela com os riscos do PDTI identificados e o respectivo plano de tratamento: 59 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o R e v. 1

Plano Diretor de Tecnologia da Informação DETIC/DEINT

Plano Diretor de Tecnologia da Informação DETIC/DEINT DIRETORIA DE TECNOLOGIA DITEC Plano Diretor de Tecnologia da Informação DETIC/DEINT 2013-2014 1 CASA DA MOEDA DO BRASIL Francisco de Assis Leme Franco Presidente Marcone da Silva Leal Diretor Vice-Presidente

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV

Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV P D T I Plano Diretor de Tecnologia da Informação Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV EQUIPE DE ELABORAÇÃO Plano Diretor

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

Modelo de Referência 2011-2012

Modelo de Referência 2011-2012 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI Modelo de Referência 2011-2012 Plano Diretor de Tecnologia de Informação Ministério do Planejamento,

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão inicial 18/07/11

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior RELATÓRIO DE RESULTADOS DO PDTI ANTERIOR Outubro de 2011 Elaborado pelo Grupo de Trabalho Intersetorial para elaboração do Plano Diretor de Tecnologia de Informação PDTI, nos termos da Portaria nº 4551,

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

PDTI 2015 2019 (Versão 1.1)

PDTI 2015 2019 (Versão 1.1) PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO Data Emissão: 10/12/2014 Elaborado por: Marcelo Gaspar Revisado por: Cintia Aldrighi Data Aprovação: Verificado por: Aprovado por: REGISTRO DE REVISÕES Revisão

Leia mais

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança IV Encontro do Forplad Daniel Moreira Guilhon, CISA Novembro/2012 1 O que pretendemos? Conceituar os aspectos relacionados à boa governança para assegurar

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Relatório de Gestão DGTI

Relatório de Gestão DGTI Relatório de Gestão DGTI 1.Contextualização Histórico Administrativa Com o projeto de expansão do Governo Federal que criou os Institutos Federais em todo o Brasil, o antigo Centro Federal de Educação

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Revisão 1-2012 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015

Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015 Rio de Janeiro Fevereiro de 2014 Ministério de Minas e Energia (Esta página foi intencionalmente deixada em branco para o adequado alinhamento

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação PDTIC UFMA 2012-2014 2012 2014 Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação Aprovado pela Resolução CONSAD nº 132/2013 São Luís/MA 2012 PDTIC UFMA 2012-2014 Fundação Universidade Maranhão Avenida

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União Palestra UNICEUB Estratégia utilizada para implantação da Governança

Leia mais

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança ANEXO I CENTRO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS DO CAU Política de Governança e de Gestão da Tecnologia da Informação do Centro de Serviço Compartilhado do Conselho de Arquitetura e Urbanismo Colegiado Gestor

Leia mais

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Governança de TI no Governo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Agenda Agenda Contexto SISP IN SLTI 04/2008 EGTI Planejamento

Leia mais

Política de Segurança da informação e Comunicação

Política de Segurança da informação e Comunicação Política de Segurança da informação e Comunicação 2015-2017 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autores 28/04/2015 1.0 Elementos textuais preliminares Jhordano e Joilson 05/05/2015 2.0 Elementos

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação André Luiz Furtado Pacheco, CISA 4º Workshop de Auditoria de TI da Caixa Brasília, agosto de 2011 Agenda Introdução Exemplos de Deliberações pelo TCU

Leia mais

GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Número da Norma Complementar Revisão Emissão Folha ICMBio Instituto Chico Mendes De Conservação da Biodiversidade Diretoria de Planejamento, Administração e Logística ORIGEM GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015 Fundação Nacional do Índio Diretoria de Administração e Gestão Coordenação de Gestão em Tecnologia da Informação Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO MARANHÃO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI - MPMA 2015-2016 VERSÃO 1.0 SÃO LUÍS - MA, 2014 Procuradora-Geral de Justiça Regina Lúcia de Almeida Rocha Procuradora de Justiça Diretor-Geral

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DEZEMBRO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cgti@listas.ifbaiano.edu.br Site: http://www.ifbaiano.edu.br

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

PDTI 2012-2015. Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI 2012-2015. Plano Diretor de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Viçosa Comissão de Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Portaria nº 1094/2011/RTR PDTI 2012-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação Viçosa MG 2013 Aprovado

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

AURINA SANTANA Reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia

AURINA SANTANA Reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia 00 dd/mm/aaaa 1/19 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação CAMPO DE APLICAÇÃO Este Plano Diretor de Tecnologia da Informação se aplica no âmbito do IFBA. SUMÁRIO 01. Introdução

Leia mais

&&&'( '$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação #$%$

&&&'( '$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação #$%$ &&&'( '$!" Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação #$%$ Governança Corporativa - conjunto de boas práticas para melhoria do desempenho organizacional; - nasce da necessidade

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR PRA Pró-Reitoria de Administração Curitiba, setembro de 2014 Equipe de Elaboração da Proposta Amarílio

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI COBIT Processos de TI Aplicativos Informações Infraestrutura Pessoas O que é o CObIT? CObIT = Control Objectives for Information and Related

Leia mais

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira Agenda Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira ITIL Publicação dos Livros revisados 2011 ITIL Correções ortográficas e concordâncias gramaticais; Ajustes

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia

Plano Diretor de Tecnologia Governo Federal Ministério da Cultura Fundação Cultural Palmares Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação 2013 2015 Brasília DF 2013 Presidenta da República Dilma Vana Rousseff Ministério

Leia mais

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações CobIT Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações Eduardo Mayer Fagundes Copyright(c)2008 por Eduardo Mayer Fagundes 1 Agenda 1. Princípio de Gestão Empresarial

Leia mais

Necessidade: Readequação do data Center do bloco B Campus Santo André:

Necessidade: Readequação do data Center do bloco B Campus Santo André: Relatório de Resultados do Planejamento de TI 2012/2013 Introdução O objetivo deste relatório é avaliar os resultados alcançados a partir da realização dos projetos e ações do PDTI anterior (2012 2013).

Leia mais

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY)

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

Plano de Governança de Tecnologia de Informação

Plano de Governança de Tecnologia de Informação Plano de Governança de Tecnologia de Informação Julho/2012 Junho/2014 1 Universidade Federal Fluminense Superintendência de Tecnologia da Informação Fernando Cesar Cunha Gonçalves Superintendência de Tecnologia

Leia mais

Gestão e Tecnologia da Informação

Gestão e Tecnologia da Informação Gestão e Tecnologia da Informação Superintendência de Administração Geral - SAD Marcelo Andrade Pimenta Gerência-Geral de Gestão da Informação - ADGI Carlos Bizzotto Gilson Santos Chagas Mairan Thales

Leia mais

PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação, incluindo a revisão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2013-2014

PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação, incluindo a revisão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2013-2014 PDTI - Plano Diretor de Tecnologia da Informação, incluindo a revisão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2013-2014 Índice 1 Introdução...1 2 Apresentação...2 3 Referencial e Alinhamento

Leia mais

GESTÃO DE T.I. COBIT. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. COBIT. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. COBIT José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com COBIT Control Objectives for Information and Related Technology Copyright 1996, 1998, 2000 Information Systems Audit and Control Foundation. Information

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO 4º BATALHÃO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO (4º Batalhão Ferroviário/1955) BATALHÃO GENERAL ARGOLO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 4º BATALHÃO DE ENGENHARIA

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP SERVIÇOS DE CONSULTORIA EIXO TEMÁCO: GOVERNANÇA DE Implantação de Metodologia de Elaborar e implantar uma metodologia de gerenciamento de projetos no órgão solicitante, com a finalidade de inserir as melhores

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI UFPE 2015-2016 UFPE, 2015 Versão 1.5 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 28/11/2013 1.0 Versão preliminar

Leia mais

Seminário de Governança de Tecnologia da Informação das Empresas Estatais

Seminário de Governança de Tecnologia da Informação das Empresas Estatais Seminário de Governança de Tecnologia da Informação das Empresas Estatais Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest) Rodrigo Assumpção Presidente Dataprev Principais serviços

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13 Dispõe sobre os procedimentos de gestão da Tecnologia da Informação. O Prefeito Municipal e o Secretário Municipal de Gestão e Planejamento, no exercício

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR

Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR Rejane Maria da Costa Figueiredo UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CAMPUS FGA *Fonte: Material: Edméia Andrade e Claudio Cruz Agenda

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI Dados de Identificação Dirigente máximo da instituição Nome/Sigla da instituição pública Nome do dirigente máximo Nome/Cargo do dirigente de TI Endereço do setor de TI 1 Apresentação O Tribunal de Contas

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO 2011-2015 ANEXO II À RESOLUÇÃO N O 02/2011

PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO 2011-2015 ANEXO II À RESOLUÇÃO N O 02/2011 PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO 2011-2015 ANEXO II À RESOLUÇÃO N O 02/2011 A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo." Peter Drucker (1909-2005)

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

Avaliação da Segurança da Informação no âmbito da APF

Avaliação da Segurança da Informação no âmbito da APF Avaliação da Segurança da Informação no âmbito da APF Pedro Coutinho Filho Sefti Brasília, 17 de maio de 2013 www.tcu.gov.br/fiscalizacaoti 2 da TI o Levantamento IGovTI o Objetivos Agenda o Principais

Leia mais

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Renata Assunção Farias Introdução Em 2007, após pesquisa com órgãos da Administração Pública Federal (APF), o TCU atestou

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2011-2012 Versão 2.0. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2011-2012 Versão 2.0. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2011-2012 Versão 2.0 Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Glaucius Oliva Presidente

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

Laboratório Nacional de Astrofísica. Plano Diretor de. Tecnologia da Informação

Laboratório Nacional de Astrofísica. Plano Diretor de. Tecnologia da Informação Laboratório Nacional de Astrofísica Plano Diretor de Tecnologia da Informação 205 R. Estados Unidos, 54 - Bairro das Nações - Itajubá - MG CEP 37504-364 Tel.: (35) 3629-800 Fax: (35) 3623 544 Diretor Bruno

Leia mais