FAPES - INSCRIÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ITEM 01 DADOS PESSOAIS DO PROPONENTE ITEM 02 INSTITUIÇÃO DE TRABALHO DO PROPONENTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FAPES - INSCRIÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ITEM 01 DADOS PESSOAIS DO PROPONENTE ITEM 02 INSTITUIÇÃO DE TRABALHO DO PROPONENTE"

Transcrição

1 FAPES - INSCRIÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ITEM 01 DADOS PESSOAIS DO PROPONENTE CPF: Nome completo: Míriam de Magdala Pinto Nacionalidade: Brasileira Número do passaporte, se estrangeiro: Formação de mais alto nível: Doutorado (X) Pós-doutorado ( ) Endereço: Av. Saturnino de Brito, 1207apto 601, Praia do Canto CEP: Endereço eletrônico: DDD fone: DDD celular: ITEM 02 INSTITUIÇÃO DE TRABALHO DO PROPONENTE Unidade: Departamento de Engenharia de Produção Órgão: Centro Tecnológico Instituição: Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Cargo: Professor adjunto Regime de trabalho: Parcial ( ) Integral ( ) DE (x ) Aposentado ( ) Endereço: Av Fernando Ferrari, s/n, Centro Tecnológico IV, sala 11, Goiabeiras, Vitória DDD fone da unidade: Endereço eletrônico da unidade: ITEM 03 DADOS DO PROJETO Título: Implantação do Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração - LabTAR Palavras-chave: (1) inovação tecnológica (2) gestão do conhecimento ( 3) living labs Nome da área e sub-área de conhecimento: Engenharia de produção/gerência do projeto e do produto Código área conhecimento (CNPq): Tem apoio de outras agências? (Siglas): não Grande área do conhecimento: Engenharias Projeto Individual ( ) Projeto Integrado (três ou mais pesquisadores doutores) (X ) Solicita bolsa de Iniciação Científica e Tecnológica? Não (X) Quantas () Solicita bolsa de Apoio Técnico? Não ( ) Sim (X) Quantas (3) Solicita bolsa de Pesquisador Associado? Não (X) Tempo parcial ( ) Tempo Integral ( ) Solicita bolsa de Pesquisador Visitante? Não (X) Sim ( ) Produção técnico-científica mínima pretendida (quantidade): Nacionais Internacionais Nacionais Internacionais Livros 1 Patentes - - Artigos Completos 8 Trabalhos em eventos 15 -

2 ITEM 04 CONCORDÂNCIA DA INSTITUIÇÃO Declaramos que as instalações e recursos da instituição estão disponíveis para desenvolvimento do presente projeto. Data Cargo/função Assinatura / / ITEM 04 TERMO DE COMPROMISSO DO PROPONENTE Declaro, para fins de direito, conhecer as normas da FAPES para concessão de financiamento e assumo o compromisso de dedicar-me, integral e exclusivamente, às atividades de pesquisa e ensino durante a vigência do projeto. Declaro, igualmente, que todos os pesquisadores participantes do presente projeto possuem currículo Lattes e estão cientes da sua participação. Local: Data: Assinatura ITEM 10 OUTROS PARTICIPANTES, EM ORDEM ALFABÉTICA, (Projeto Integrado) Nome: José Otavio Lobo Name CPF: Título de mais alto nível: Mestrado (x) Doutorado ( ) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamento de Desenho Industrial, Centro de Artes, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Cargo: Coordenador do Curso de Desenho Industrial - Professor Assistente Regime de trabalho: Tempo Parcial ( ) Integral ( ) DE ( x ) Aposentado ( ) Nome: Letícia Pedruzzi Fonseca CPF: Título de mais alto nível: Mestrado (x) Doutorado ( ) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamento de Desenho Industrial, Centro de Artes, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Cargo: Professor Substituto Regime de trabalho: Tempo Parcial ( ) Integral ( x ) DE ( ) Aposentado ( ) Nome: Patrícia Alcantara Cardoso CPF: Título de mais alto nível: Doutorado ( X) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamento de Engenharia de Produção, Centro Tecnológico, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Regime de trabalho: Tempo Parcial ( ) Integral ( ) DE (X ) Cargo: Professor Adjunto Aposentado ( )

3 Nome: Renata Silva Souza Guizzardi CPF: Título de mais alto nível: Doutorado ( X ) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamento de Informática, Centro Tecnológico, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Cargo: Professor Adjunto Regime de trabalho: Tempo Parcial ( ) Integral ( ) DE ( x ) Aposentado ( ) Nome: Sergio Luiz Braga França CPF: Título de mais alto nível: Doutorado ( X) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamento de Ciências e Tecnologia - Pólo Universitário de Rio das Ostras-RJ, Universidade Federal Fluminense - UFF Cargo: Professor Assistente Regime de trabalho: Tempo Parcial (X ) Integral ( ) DE ( ) Aposentado ( ) Nome: Thalmo de Paiva Coelho Júnior CPF: Título de mais alto nível: Doutorado ( X) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamentos de Engenharia de Produção e Engenharia Metalúrgica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - IFES. Cargo: Professor adjunto Regime de trabalho: Tempo Parcial ( ) Integral ( ) DE (X) Aposentado ( ) Nome: Osvaldo Luiz Gonçalves Quelhas CPF: Título de mais alto nível: Doutorado ( X) Pós-doutorado ( ) Livre-docência ( ) Unidade, órgão e instituição de trabalho: Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal Fluminense - UFF Cargo: Professor Adjunto Regime de trabalho: Tempo Parcial ( ) Integral ( ) DE (X ) Aposentado ( )

4 Anexar (os formulários estão disponíveis na página da FAPES na Internet); Documentos indispensáveis, além deste formulário: 1. Projeto; 2. Plano de Trabalho do projeto; 3. Orçamento; 4. Cópia do diploma de mais alto nível do proponente; 5. Cópia da Carteira de Identidade do proponente; 6. Cópia do CPF do proponente; 7. Comprovante de residência do proponente; 8. Comprovante de regularidade fiscal do proponente nos níveis municipal, estadual e federal. Documentos obrigatórios se solicitados os bolsistas neste formulário: 9. Plano de Trabalho do bolsista ICT; 10. Plano de Trabalho do segundo bolsista ICT (só para projeto integrado) 11. Plano de Trabalho do Pesquisador Visitante (só para projeto integrado); 12. Plano de Trabalho do Pesquisador Associado (só para projeto integrado); 13. Plano de Trabalho do bolsista de Apoio Técnico (só para projeto integrado); Atenção: (1) Consultar as seções 3.1 e 3.2 da seção Normas e Condições de Financiamento na página da FAPES na internet; (2) A liberação de recursos é condicionada: a) à comprovação das contrapartidas de outras fontes; b) à apresentação de certidão de Comissão de Ética em caso de pesquisa que envolva animais e seres humanos; (4) Apresentar relatórios técnicos do semestrais do projeto, utilizando o formulário próprio, disponível na página da FAPES na Internet. (5) Apresentar prestações de contas financeiras semestrais, observando o Manual de Prestação de Contas da FAPES/FUNCITEC. (6) Apresentar relatórios semestrais dos bolsistas, utilizando os formulários próprios disponíveis na página da FAPES na Internet; para a bolsa de Pesquisador Visitante cabe apenas o relatório final, apresentado logo após o fim da Bolsa; (5) Até 30 dias após o término do prazo de vigência do projeto, apresentar o relatório técnico final (o último relatório semestral), os relatórios finais de atividades dos bolsistas (o último relatório semestral de cada um) e a prestação de contas financeira final, de acordo com o Manual de Prestação de Contas da FAPES/FUNCITEC.

5 FAPES - FORMULÁRIO DE PROJETO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO Cabeçalho A realização de Projetos em Rede tem ganhado visibilidade nos últimos anos, tanto no cenário acadêmico quanto no ambiente empresarial. O que torna essa modalidade de projeto atraente é, principalmente, a criação de um ambiente dinâmico em que as contribuições de múltiplos atores possa ser apreciada e utilizada, de modo a favorecer que o projeto seja gerido de forma aberta e democrática. O fluxo de conhecimento constante, bem como essa forma de gestão, levam, em geral, a resultados de projeto mais eficazes. Com o objetivo de realizar experimentos e gerar competência nessa área no Estado do Espírito Santo, o presente projeto visa a implantação do Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração - LabTAR e sua manutenção nos dois primeiros anos. Tal laboratório reunirá, a partir da formação dos proponentes deste projeto, competências nas áreas de gestão da inovação, gerenciamento de projetos, gestão do conhecimento e design da informação, mediante participação de professores dos departamentos de Desenho Industrial, Engenharia de Produção e de Informática da Universidade Federal do Espírito Santo UFES, do Departamento de Engenharia de Produção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - IFES e dos departamentos de Engenharia Civil e de Ciências e Tecnologia da Universidade Federal Fluminense UFF. Estruturado como um Living Lab, ou seja, uma metodologia de trabalho em pesquisa e extensão reunindo agentes da academia, de empresas, da administração pública, de agências de financiamento e da sociedade civil organizada, o projeto Habitat será o projeto piloto do laboratório, que servirá, por sua vez, como a estrutura de gestão central desse Living Lab, funcionando como ambiente no qual se dará o desenvolvimento de suas competências centrais. Cabe ressaltar, no entanto, que o laboratório poderá desenvolver projetos de apoio a gestão em rede para outras organizações que nele reconhecerem competência para tal. Propõe-se um prazo de vigência de 24 meses para esse projeto. Justificativa A relevância da inovação para o desenvolvimento das economias contemporâneas é inegável. Muitos modelos para entendimento do fenômeno da inovação vem sendo propostos desde meados do século XX, visando subsidiar a gestão da inovação da forma mais eficaz possível, de modo que os recursos gastos, sejam eles financeiros, humanos ou de capital, no processo de inovação gerem novas tecnologias (sejam novos produtos ou novos processos produtivos) que contribuam para a melhoria da qualidade da vida humana e gerem riquezas. A percepção sempre mais clara de que o fenômeno da inovação é complexo e sujeito a inúmeras variáveis, muitas das quais nem sempre identificadas a priori, tem sido seguida pela elaboração de modelos cada vez mais complexos que subsidiam a gestão da inovação. Reconhece-se claramente, nos dias de hoje, que a participação do usuário das novas tecnologias é indispensável no processo de sua geração desde o início, sob pena de chegar-se ao final de um processo linear de pesquisa básica/pesquisa aplicada/desenvolvimento tecnológico/prototipagem/planta piloto e produção em escala comercial e, só então, verificar-se que a nova tecnologia não é aceita pelos usuários a quem se destinava. Outro movimento contemporâneo de grande relevância ao discutir-se inovação é o crescimento muito acelerado da percepção das implicações das tecnologias em uso ou sendo propostas sobre o meio ambiente,

6 incluindo seus impactos sobre os próprios seres humanos. Dificilmente, os principais agentes de inovação, a saber as empresas, são capazes de perceber todas as implicações para os mais diversos mercados e ambientes geográficos para os quais seus produtos ou serviços são oferecidos. Mecanismos que permitam que as percepções dos usuários finais possam ser incorporadas ao processo de inovação tornam-se indispensáveis. A incorporação dessas idéias aos modelos de gestão da inovação levou a uma das propostas mais recentes na área, originada no continente europeu, mas em franca expansão para os demais continentes, que é a dos Living Labs. Um Living Lab - LL é uma organização de múltiplos atores para inovar. Suas principais características são o direcionamento dado pelo usuário, a participação de academia, governo, empresas e organizações de fomento e financiamento em rede e uma estrutura de gestão clara. Esta estrutura de gestão deve manter o fluxo de informações e conhecimento ativo entre todos os atores participantes do LL, de modo a maximizar as possibilidades de sucesso do processo inovativo. Atualmente, o Espírito Santo possui um Living Lab de Inclusão Digital, coordenado pelo prof. Anilton Salles do Departamento de Informática da UFES, reconhecido pela Rede Européia de Living Labs - ENoLL. A difusão da metodologia LL no Espírito Santo promovida principalmente pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Espírito Santo - FAPES durante os anos de 2008 e 2009 promoveu o surgimento de outra iniciativa que está se organizando como Living Lab focado no desenvolvimento de novas tecnologias amigáveis ao meio ambiente para habitações urbanas e propriedades rurais populares visando o desenvolvimento sustentável: o Living Lab Habitat. Para que esse LL possa efetivamente funcionar e ser reconhecido pela ENoLL como tal e assim poder contar com os benefícios de participar desta rede internacional, é indispensável que sua estrutura de gestão esteja consistentemente construída. O Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração - LabTAR, objeto deste projeto, terá tal função. A reunião em um mesmo ambiente cooperativo de expertise em gestão da inovação, gerenciamento de projetos, gestão do conhecimento e design da informação garantirá ao LabTAR competência para desempenhar tal função. Para o Espírito Santo, é de grande relevância ter outros Living Labs reconhecidos e participantes de um ambiente internacional de inovação como a ENoLL, mas mais importante do que isso é o sucesso dos projetos a serem desenvolvidos pelo Living Lab, que visam a melhoria efetiva das habitações populares urbanas e propriedades rurais quanto ao uso de fontes limpas de energia, uso racional da água, descarte de resíduos sólidos adequados, enfim, projetos que atenderão diretamente populações de baixa renda abrangidas e, indiretamente, para toda a sociedade do Estado. Especificamente, para o Espírito Santo, poder contar com um Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração é outra contribuição relevante do projeto dado que as estruturas em rede delineam-se como a forma mais promissora de resolução de problemas cada vez mais complexos com os quais as sociedades contemporâneas se defrontam que exigem expertises múltiplas e coordenadas. O LabTAR estará fisicamente instalado na UFES e, além da gestão do LL, poderá desenvolver ações de sua competência para outras organizações que assim o demandarem incluindo os próprios organismos de fomento e financiamento da inovação dado que o LabTAR atuará nas áreas de: a) gerenciamento de projetos; b) gestão da inovação, incluindo avaliação de projetos, de modo geral, e de P&D nas modalidades ex-ante e expost e c) gestão do conhecimento com expertise em design da informação e no uso de sistemas de informação (em especial, sistemas colaborativos) para suporte à criação, integração e compartilhamento de conhecimento. Um laboratório como o LabTAR será de grande importância para a UFES, dado que integra diferentes áreas do saber em um projeto multidisciplinar concreto. Professores e alunos dos mais diversos cursos, além daqueles que fundamentam o LabTAR (i.e. os departamentos de Engenharia de Produção, Desenho Industrial

7 e Informática), tais como os departamentos de Economia, Administração, Letras, Ciências Sociais, Serviço Social, Ecologia, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Elétrica terão a oportunidade de envolvimento em projetos de pesquisa e de extensão que serão fruto da ação do LL. O LabTAR, por reunir profissionais de outras Instituições de Ensino Superior como IFES e UFF facilitará o aprendizado interinstitucional. Além disso, tal iniciativa pode servir para difusão, no ambiente do ensino de graduação da UFES, do IFES e da UFF de princípios importantes para a formação dos profissionais do século XXI, relacionados com as questões sociais e ambientais. Para os professores pesquisadores envolvidos com o LabTAR, este projeto é uma oportunidade valiosa de trabalho em rede, de inserção no panorama internacional e de trabalho com competências de outras áreas, vencendo, na prática, as restrições das áreas de formação de origem e da estrutura departamentalizada das instituições de ensino superior federais. Introdução O Estado do Espírito Santo tem estado na vanguarda no estabelecimento de políticas e ações na área de Ciência e Tecnologia com foco na inovação desde que criou e efetivamente mantém fundos estaduais e municipais para apoio à Pesquisa e Desenvolvimento como o Fundo de Apoio à Ciência de Tecnologia do Município de Vitória - FACITEC e a Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - FAPES. Nessa perspectiva vanguardista, a FAPES promoveu em novembro de 2008 o Fórum Internacional de Inovação Tecnológica e em abril de 2009 o Workshop de Inovação Tecnológica, eventos de divulgação da metodologia Living Labs no Estado sinalizando claramente seu interesse em colocar o Estado efetivamente em posição de destaque no cenário nacional e internacional no que se refere à inovação. Os Living Labs são ecosistemas organizacionais envolvendo todos os agentes da inovação e nos quais a inovação aberta se desenvolve centrada nos usuários e estimulada por estes. As metodologias de inovação Living Lab são baseadas no interesse dos usuários e na imposição tecnológica o que significa inovação proveniente dos usuários, consumidores/cidadãos e não dos cientistas e tecnólogos, com produtos e serviços focados nesses usuários que participam diretamente no processo de co-criação. Na figura 1 está uma representação esquemática da estrutura de um LL. No lado esquerdo estão representados os diversos agentes de inovação que são empresas, academia, agências de fomento e financiamento. Do lado direito estão representados os usuários, os quais direcionam o processo de inovação e no círculo central está a estrutura de facilitação e gestão do LL. O facilitador é uma pessoa física que anima (em latim anima significa o que dá vida) o LL. O facilitador é apoiado por uma estrutura de gestão que deve garantir o funcionamento eficaz e eficiente do LL.

8 Figura 1: Representação esquemática de um Living Lab. Fonte: Apresentação de Álvaro de Oliveira, Vitória, 28 de setembro de Um Living Lab ao mesmo tempo em que é formado por uma rede de projetos técnicos voltados para o desenvolvimento de novas tecnologias para os usuários, é ele mesmo um objeto de estudo, um laboratório para estudos e pesquisas. Na área de Gestão da Inovação pode ser investigado o processo de inovação tecnológica usando a metodologia LL, seus dificultadores e facilitadores, seus custos diretos e indiretos e seus benefícios ou, dito de outra forma, podem ser pesquisadas e desenvolvidas ferramentas de melhoria de gestão da inovação incluindo a avaliação dos impactos dos projetos envolvidos. Muitos modelos na área de economia da inovação também podem ser investigados no ambiente LL. A área de Gerenciamento de Projetos trata da organização de pessoas, técnicas, sistemas necessários e demais recursos indispensáveis para se atingir o êxito final de projetos. Em outras palavras, gerenciar um projeto significa fazer o necessário para completá-lo dentro dos objetivos estabelecidos. Na prática, os objetivos podem ser detalhados nos gerenciamentos de prazo, custo, qualidade, escopo, risco, comunicação, recursos humanos, suprimentos/contratação, assim como, gerenciamento da própria integração. Isto inclui planejamento, acompanhamento e controle de mudanças. As pesquisas nesta área podem relacionar-se com o desenvolvimento e melhoria de ferramentas de organização e planejamento de modo geral. O design da informação visa otimizar o processo de aquisição da informação por meio do planejamento de sistemas de comunicação analógicos e digitais. Para que dados se transformem em informações, precisam ser organizados, codificados e apresentados de forma a ganharem significado. Esse campo de conhecimento remete à necessidade de construir informações objetivas para alcançar resultados precisos, e, preocupa-se primordialmente com o significado, com o entendimento da mensagem (da informação). Para que a transformação de dados em conhecimento seja eficaz é preciso que as necessidades do usuário sejam consideradas no projeto. Portanto o LabTAR será um ambiente de pesquisas nas áreas de gestão e economia da inovação, gerenciamento de projetos em rede, gestão do conhecimento e design da informação, além de contribuir para que o Living Lab Habitat seja uma realidade atuante e com resultados reais transformando efetivamente o Espírito Santo em um ambiente voltado para a inovação que visa a construção de um mundo sustentável.

9 Objetivos O presente projeto visa a montagem do Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração - LabTAR e apoio durante seu primeiro ano de funcionamento. Para a montagem do LabTAR a UFES disponibilizará uma sala de 27,9 m 2 no Edifício CT10, sob responsabilidade do Departamento de Engenharia de Produção. Para sua manutenção o laboratório necessitará de três bolsistas para apoio técnico durante 12 meses de execução do projeto nas áreas de Design Gráfico, Informática e Comunicação com domínio da língua inglesa que serão responsáveis pela atualização constante do site em português e em inglês e pelo fornecimento das informações de gerenciamento de projetos que estarão disponíveis online. Portanto, o principal objetivo é o funcionamento eficaz do LabTAR após 24 meses de sua implantação. Seu funcionamento eficaz pode ser desdobrado nos objetivos específicos do projeto apresentados a seguir por áreas do conhecimento: 1. Na área de gestão da inovação: 1.1. consolidação de ferramentas de gerenciamento do portfólio de projetos a partir do conjunto de projetos do Living Lab Habitat o que inclui o mapeamento dos projetos em carteira, identificação de lacunas de projetos e de parceiros para o bom andamento do LL e captação de projetos para suprir tais lacunas; 1.2. consolidação de ferramentas de avaliação de projetos ex-ante e ex-post; 2. Na área de gestão do conhecimento: 2.1 Investigar ferramentas de sofware livre que possam dar suporte a interação dos membros da rede. 3. Na área de design da informação 3.1. Projetar em parceria com a equipe da Informática um sistema de gerenciamento de projetos e um site para a apresentação das ações referentes ao Living Lab Habitat Definir estratégicamente as necessidades do sistema e do site o que inclui delimitar a demanda, levantar funcionalidades desejadas (macro arquitetura da informação), verificar a viabilidade tecnológica, detalhar a arquitetura da informação, analisar a experiência do usuário, fazer os possíveis ajustes e implementar o projeto Projetar e avaliar o sistema e o site levando em consideração a experiência do usuário podendo ser utilizadas as seguintes metodologias: - grupos de foco, para conhecer a percepção dos usúarios sobre determinado produto, discutir questões a fim de esclarecer quais são seus valores; - análise da experiência do usuário, com testes em relação à utilização do sistema; - avaliação heurística, quando membros da equipe que não estão diretamente envolvidos no desenvolvimento do projeto fazem uma avaliação heurística. 4. Na área de gerenciamento de projetos; 4.1. Avaliar ferramentas de gerenciamento de projetos individuais quando utilizadas para gerenciamento de

10 projetos em rede; 4.2. Adequar ferramentas de gerenciamento de projetos para ambientes em rede com amplo envolvimento de usuários. Pertence ainda ao escopo deste laboratório ações educativas e de treinamentos básicos para os envolvidos no LL na gestão de projetos em rede e utilização das ferramentas que forem implantadas para facilitação da gestão dos projetos. Não pertence ao escopo do laboratório a redação e apresentação de projetos para as diversas fontes de financiamento que venham a fazer parte do LL ou a prestação de contas de cada um. Essas são atribuições que se manterão a cargo dos coordenadores de cada projeto. Metodologia As hipóteses básicas subjacentes a este projeto são: - a inovação, para ser eficaz, deve ser tratada como processo coletivo, com a participação em todo o processo dos atores com ela envolvidos quais sejam, academia, empresas, governo e usuários; - os usuários devem ser os direcionadores do processo; - as redes são as estruturas mais adequadas para se chegar à inovação bem sucedida; - as tecnologias não são neutras. Elas podem ser boas ou ruins de acordo com o fim a que se destinam e os meios que são utilizados para desenvolvê-las; - as novas tecnologias geradas no processo de inovação devem ser adaptadas aos usuários a que se destinam e, para isso, é indispensável que sejam desenvolvidas com a participação dos usuários a quem se destinam. - o processo de inovação é sócio-técnico e deve, necessariamente, incluir, em toda sua extensão, elementos humanos e tecnológicos; - as modernas tecnologias de informação e comunicação são indispensáveis para apoiar o processo de inovação; - as diversas áreas do conhecimento precisam integrar-se para lidar com problemas complexos como a gestão da inovação; - o desenvolvimento de tecnologias amigáveis ao meio ambiente é necessidade imperiosa no contexto de desenvolvimento sustentável; - o desenvolvimento sustentável, para ser real, precisa de mudanças nas formas como os seres humanos realizam todas as suas atividades, incluindo os artefatos que são escolhidos para serem utilizados. A construção do Living Lab Habitat servirá como ambiente para testar todas essas hipóteses por meio de trabalhos de pesquisa, sejam eles de iniciação científica, mestrado ou doutorado. O LabTAR será o centro de referência deste LL permitindo a sistematização do aprendizado em curso no LL. O LabTAR constitui-se como um subsistema no LL Habitat cujo propósito é desenvolver, com comunidades de baixa renda, tecnologias amigáveis ao meio ambiente para melhoria das habitações urbanas e propriedades rurais. Portanto, seu desempenho global será avaliado em função da sua contribuição para o cumprimento do

11 propósito do LL Habitat. Como resultado esperado, ao final do período de 24 meses deste projeto, o LabTAR deverá ter estabelecido metodologia para integração de projetos sociais, de pesquisa e extensão e de educação usando contatos presenciais e virtuais, ferramentas eficazes para gerenciamento de projetos em rede e de avaliação de impactos econômicos, sociais e ambientais dos projetos. Tal conhecimento será apresentado de forma sistematizada como livro. Procedimento O presente projeto será iniciado com a compra de mobiliário, equipamentos, softwares e sua organização no espaço físico de 27,9 m 2 no Prédio CT 10 do Centro Tecnológico da UFES. No primeiro bimestre, além da montagem do laboratório, serão selecionados e contratados três bolsistas das áreas de informática, desenho industrial e comunicação com domínio da língua inglesa para montagem e manutenção durante os vinte e quatro meses de duração deste projeto do site do Living Lab Habitat, ambiente cooperativo para fomento da inovação tecnológica, do qual o Laboratório de Tecnologias de Apoio à Redes de Colaboração - LabTAR será subsistema básico de gestão e apoio à decisão. Já no primeiro bimestre, inicia-se a seleção de ferramentas online de gestão, comunicação e trabalho colaborativo para uso no laboratório. A seleção dessas ferramentas prossegue durante os bimestres subseqüentes (2º., 3º. e 4º) concomitantemente com a produção da plataforma online para comunicação entre todos os envolvidos com o LL Habitat já que o processo de seleção das ferramentas deve, em si, ser um processo orientado pelos usuários e, portanto, a necessidade da simultaneidade de produção e uso inicial da plataforma e seleção das ferramentas de facilitação de trabalho colaborativo. A partir do 3º. bimestre, inicia-se a manutenção da plataforma que deverá ser mantida durante todo o projeto e após a conclusão do mesmo. Esta manutenção, porém, não está restrita apenas a atualização de dados e informações, mas inclui a melhoria em si da própria plataforma devido ao aprendizado contínuo resultante do uso da mesma. A manutenção de uma plataforma útil e continuamente mais adaptada às necessidades de todos os seus usuários dependerá do desenvolvimento de projetos de usabilidade e de webdesign e da coleta de informações sobre projetos de interesse do LL: projetos em redação, projetos em captação (submetidos e em fase de análise), projetos aprovados, projetos em andamento e projetos concluídos, atividades que se iniciarão no segundo bimestre e se estenderão durante todo o projeto. O gerenciamento dos projetos em rede, componentes do LL Habitat, se dará em dois níveis: o do gerenciamento do conjunto de projetos do LL usando ferramentas de gerenciamento de programas e do gerenciamento individual de cada projeto usando o MS Project. Tais atividades, que se iniciarão no segundo bimestre e se estenderão durante todo o projeto, gerarão informações contínuas que deverão ser disponibilizadas a todos os usuários pela plataforma online de comunicação. A partir do 4º. bimestre, terá início a avaliação formal de projetos pelo LabTAR utilizando-se metodologias que permitam avaliação dos seus impactos nas dimensões econômica, social e ambiental. Esta avaliação será feita para projetos do LL Habitat concluídos ou em andamento e, por isso, somente se iniciará a partir do 4º. bimestre de andamento do projeto. Os relatórios de andamento do projeto serão redigidos trimestralmente de modo que todos os envolvidos com o projeto tenham acesso às informações sobre seu andamento e disponibilizados na plataforma on line. Complementarmente, serão realizadas prestações de conta semestrais detalhadas à FAPES. O projeto prevê ainda a preparação de artigos para publicação em revistas, num total de 8 e de publicações de artigos científicos completos em anais de eventos, num total de 15. A publicação mais relevante prevista, porém, é a publicação de um livro em que será relatada a experiência coletiva do grupo de professores pesquisadores da UFES, do IFES e da UFF com o gerenciamento de projetos em rede bem como o aprendizado resultante do envolvimento e participação ativa da comunidade acadêmica em projeto de cunho tecnológico, social e ambiental amplo como o Living Lab Habitat.

12 Justificativas para os itens do orçamento A primeira etapa consiste na montagem do LabTAR durante a qual ele deverá ser mobiliado e equipado. O mobiliário consta de 1 aparelho de ar condicionado; 6 mesas de trabalho e 6 cadeiras; 1 mesa de reuniões com 6 cadeiras; 3 armários altos e dois armários baixos; 1 arquivo visando permitir o trabalho do grupo inicial do LabTAR, a saber, cinco professores da UFES, um professor do IFES e três bolsistas de apoio ao projeto (os professores da UFF participarão principalmente à distância e eventualmente, presencialmente do trabalho). A sala deverá ser equipada com 6 microcomputadores que terão Processador Intel Core 2 Duo, clock 2.5 GHz, cache L2 3MB, lamina 45nm, FSB 1066MHz, Vídeo aceleração 3D, com memória DDR2 256 MB offboard; RAM Tamanho 4GB, DDR2, 800 Mhz, Disco Rígido Capacidade 500 GB (ISO) SATA2; Placa Mãe Chipset Intel compatível com microprocessador selecionado. Suporte a USB barramento PCI-e PCI (pelo menos 2 slots), suporte a memorias DDR2 800/1066MHz; Monitor de Vídeo Tela LCD, formato widescreen (16:10), tamanho 17 polegadas. Gabinete com pelo menos 2 ventoinhas comuns (não considerar a fonte); Fonte de alimentação com potência 400W (rms); Unidade de DVD-RW; Leitor de Cartão universal; Teclado ABNT2 (com teclado numérico à direita) e Mouse ótico. Os softwares proprietários necessários são Sphinx versão léxica 5.1 que servirá para coleta e tabulação de dados referentes aos usuários por ser uma ferramenta de geração e aplicação de questionários, tratamento estatístico dos mesmos e publicação na internet, Windows, Office Professional que inclui MS Project; Adobe CS4 Design Premium, suíte de software de criação, edição e publicação de materiais impressos e multimídia. Softwares livres serão utilizados sempre que possível. Por sua natureza voltada à gestão de projetos em rede, a presente proposta necessita do apoio de um sistema de informação e trabalho colaborativo online. Para isso deve ser desenvolvido um ambiente de gestão da informação, de fluxo de trabalho e de acompanhamento de projetos. Os equipamentos de informática listados apresentam características de perfomance e confiabilidade destinados a suportar o pesado tráfego de dados gerado pelo desenvolvimento dos projetos. O uso dos equipamentos e softwares será direcionado à criação e publicação de material online; gestão da informação, incluindo a troca de mensagens, e à realização de pesquisas quantitativas e qualitativas sobre o andamento dos projetos; e ao gerenciamento dos projetos propriamente dito, por meio de ferramentas voltadas ao fluxo de trabalho e acompanhamento de resultados. O notebook e o data show servirão para facilitar a apresentação de palestras e condução de outros tipos de apresentações orais que se façam necessárias para integração das atividades do LabTAR e do Living Lab Habitat. Os equipamentos Placa de rede g 108MB e Ponto de acesso g 108MB são necessários para permitir acesso a internet pelas máquinas do LGPR sem o qual não é possível o trabalho. Os bolsistas de apoio nas áreas de informática, desenho industrial e comunicação com domínio da língua inglesa são indispensáveis para a elaboração e manutenção da ferramenta básica do laboratório que é a plataforma on line de comunicação e interação com os usuários. A contratação de serviço de contabilidade é necessária já que os envolvidos com o projeto não tem essa atividade como fim e por ser onerosa quanto ao tempo necessário para executá-la, é imprescindível que seja executada externamente às atividades do LabTAR.

13 Referência bibliográficas AGNER, Luiz. Ergodesign e arquitetura de informação: trabalhando com o usuário. Rio de Janeiro: Quartet, BARCAUI, A. B., BORBA, D., SILVA, I. M., NEVES, R.B. Gerenciamento do tempo em projetos - 2ª edição, Ed. FGV. BASSIS, N. F. Gerência de Projetos aplicada à Gestão do Conhecimento. Ed. Brasport, CAPRA, F. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, CARVALHO, Rodrigo Baroni de. Tecnologia da informação aplicada à gestão do conhecimento. Belo Horizonte: Editora Arte, GUIZZARDI, Renata S.S.; LUDERMIR, Pablo G.; SONA, Diego. A Recommender Agent to Support Knowledge Sharing in Virtual Enterprises. In Protogeros, N. (Ed.). Agent and Web Service Technologies in Virtual Enterprises, Idea Group Publishing, 2007 GUIZZARDI, Renata S. S.; PERINI, Anna; DIGNUM, Virginia. Socially Grounded Analysis of Knowledge Management Systems and Processes, In Yu, E.; Giorgini, P.; Maiden, N.; Mylopoulos, J. (eds.). Social Modeling for Requirements Engineering. Cambridge, MA: MIT Press. ISBN: NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The Knowledge Creating Company: How Japanese Companies Create the Dynamics of Innovation. New York: Oxford University Press, ORLIKOSKI, W. J. The Duality of Technology: Rethinking the Concept of Technology in Organizations. Organizational Science, 3(3): , PINHEIRO, M. ; KLEMZ, L. Métodos de pesquisa e desenvolvimento em design de mídia interativa com foco no usuário na indústria de software: o caso do GloboMail. In: 2º Congresso Internacional de Design da Informação, 2005, São Paulo. Anais do 2º Congresso Internacional de Design da Informação. São Paulo : Sociedade Brasileira de Design da Informação, v. 1. SENGE, P.SMITH, B.; KRUSCHWITZ, N.; LAUR, J. SCHLEY, S. A Revolução Decisiva: como indivíduos e organizações trabalham em parceria para criar um mundo sustentável. Rio de Janeiro: Elsevier, VARGAS, R. V. Gerenciamento de Projetos (7a. edição). Ed. Brasport, Metas de produção técnico-científica O projeto prevê a publicação de oito artigos em revistas e quinze publicações de artigos científicos completos em anais em eventos nas áreas de gestão da inovação, gestão do conhecimento, design da informação e gerenciamento de projetos. Ademais, está prevista a publicação de um livro e a realização de palestras relativas aos temas de interesse do LabTAR e do Living Lab Habitat.

14 PLANO DE TRABALHO DO PROJETO Título do Projeto: Implantação do Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração - LabTAR Coordenador do Projeto: Míriam de Magdala Pinto Fone: Resumo do projeto: O presente projeto refere-se a implantação do Laboratório de Tecnologias de Apoio a Redes de Colaboração - LabTAR na UFES reunindo competências das áreas de Gestão da Inovação, Gerenciamento de Projetos, Gestão do Conhecimento e Design da Informação. O LabTAR será uma estrutura cuja competência central é o desenvolvimento de ferramentas de apoio ao gerenciamento de projetos em rede. As ferramentas desenvolvidas serão acessadas por meio de um ambiente online de trabalho colaborativo que também permitirá a realização de pesquisas de usabilidade. Lista de atividades 1. Mobiliar e equipar o laboratório. 2. Selecionar bolsistas. 3. Contratar bolsistas. 4. Selecionar ferramentas online de gestão, comunicação e trabalho colaborativo. 5. Produzir plataforma online para comunicação entre todos os envolvidos com o LL Habitat. 6. Manter plataforma. 7. Desenvolver projetos de usabilidade e de webdesign para melhoria contínua da plataforma. 8. Coletar informações sobre projetos de interesse do LL: projetos em redação, projetos em captação (submetidos mas em fase de análise), projetos aprovados, projetos em andamento e projetos concluídos. 9. Gerenciar o conjunto de projetos do LL usando ferramentas de gerenciamento de programas. 10. Gerenciar, usando o MS Project, os projetos em andamento. 11. Avaliar projetos em andamento e concluídos. 12. Gerar relatórios. 13. Redigir trabalhos para publicação. 14. Prestar contas aos organismos de financiamento.

15 Cronograma: Atividade 1º 2º 3º 4º 5º Bimestres 6º 7º 8º X 02 X 03 X 04 X X X X 05 X X X 06 X X X X X X X X X X 07 X X X X X X X X X X X 08 X X X X X X X X X X X 09 X X X X X X X X X X X 10 X X X X X X X X X X X 11 X X X X X X X X X 12 X X X X 13 X X X X X X X 14 X X X X Termo de compromisso: Declaro conhecer as normas gerais fixadas pela FAPES para concessão de apoio financeiro a projetos. Assumo, outrossim, o compromisso de cumprir o plano de trabalho acima estabelecido. Local Data Assinatura

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

UNIVERSIDADE VILA VELHA ES REITORIA EDITAL Nº 10/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC / UVV / FAPES

UNIVERSIDADE VILA VELHA ES REITORIA EDITAL Nº 10/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC / UVV / FAPES REITORIA EDITAL Nº 10/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC / UVV / FAPES O Reitor da Universidade Vila Velha faz saber a todos os interessados que estarão abertas, de 31 de maio a

Leia mais

EDITAL PIBIC / CNPq/ UFF 2014/2015

EDITAL PIBIC / CNPq/ UFF 2014/2015 EDITAL PIBIC / CNPq/ UFF 2014/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação PROPPI torna públicas as normas para apresentação de propostas

Leia mais

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL INICIAÇÃO CIENTÍFICA/2015-2016 Programa de Iniciação Científica PROIC/NILTON LINS A Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade NILTON LINS, por meio da Coordenação de Iniciação Científica,

Leia mais

PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA- EDITAL 2013-2014

PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA- EDITAL 2013-2014 PROJETO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA- EDITAL 2013-2014 IDENTIFICAÇÃO DO ORIENTADOR TITULO DO PROJETO AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA PLATAFORMA ONLINE DE INTELIGENCIA COLETIVA CONECTE IDEIAS PLANO DE TRABALHO 1

Leia mais

EDITAL PPGMDS/UFPB 02/2013 - PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE COTA DE BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES - 2013)

EDITAL PPGMDS/UFPB 02/2013 - PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE COTA DE BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES - 2013) EDITAL PPGMDS/UFPB 02/2013 - PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE COTA DE BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES - 2013) A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão

Leia mais

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES A Fundação Flora de Apoio à Botânica, com a anuência do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em consonância com a

Leia mais

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir:

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir: EDITAL PIBITI Nº 041/2013 Goiânia, 26 de dezembro de 2013. A Universidade Federal de Goiás por intermédio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação torna público o presente edital e convida os interessados

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para credenciamento de Unidades EMBRAPII (UE)

Leia mais

Edital para Pleito a Bolsa de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais PIBIC / FAPEMIG - 2015

Edital para Pleito a Bolsa de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais PIBIC / FAPEMIG - 2015 Edital para Pleito a Bolsa de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais PIBIC / FAPEMIG - 2015 1. Descrição Este programa procura desenvolver nos estudantes de graduação

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES 2015

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES 2015 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES 2015 De ordem da Senhora Diretora do Centro de Pesquisas René Rachou (CPqRR), da Fundação Oswaldo Cruz

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Informática Centro Tecnológico Universidade Federal do Espírito Santo

Programa de Pós-Graduação em Informática Centro Tecnológico Universidade Federal do Espírito Santo EDITAL PPGI/UFES N O 04/201 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO CURSO DE MESTRADO EM INFORMÁTICA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA ANO/SEMESTRE: 2016/1 1. FINALIDADE DO EDITAL A finalidade deste edital

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Edital do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC/FAPEMIG/FUCAMP 2015/2016 Edital Nº 01/2015 - Convocação de Projetos de Pesquisa para Bolsas de Iniciação Científica O Núcleo de

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas UFAL Instituto de Computação IC Programa de Pós-Graduação em Informática PPGI

Universidade Federal de Alagoas UFAL Instituto de Computação IC Programa de Pós-Graduação em Informática PPGI EDITAL 01/2015-PPGI/UFAL EDITAL DE SELEÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES 2015 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA PPGI O Programa de Pós-Graduação em Informática da Universidade Federal

Leia mais

EDITAL 3/2015: SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA - PPGI/UFES

EDITAL 3/2015: SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA - PPGI/UFES EDITAL 3/201: SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA - PPGI/UFES MESTRADO - TURMA 201/2 1. INSCRIÇÃO Período: 22 de junho a 06 de julho de 201. Local: Secretaria do PPGI, Prédio

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica PPEE/UFJF EDITAL 001/2015

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica PPEE/UFJF EDITAL 001/2015 EDITAL 001/2015 PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD) DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA (PPEE-UFJF) EDITAL Nº 001/2015 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

Leia mais

EDITAL Nº 007/2015-Comissão de Bolsas PPA CHAMADA PARA INSCRIÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS DOUTORADO (PNPD/CAPES)

EDITAL Nº 007/2015-Comissão de Bolsas PPA CHAMADA PARA INSCRIÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS DOUTORADO (PNPD/CAPES) 1 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM Centro de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Administração Av. Colombo, 5.790 Zona 07 87020-900 Maringá Pr.

Leia mais

EDITAL SWG 01/2011 - Bolsas Sanduíche na Graduação

EDITAL SWG 01/2011 - Bolsas Sanduíche na Graduação EDITAL SWG 01/2011 - Bolsas Sanduíche na Graduação O programa Ciência sem Fronteiras, CNPq, busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade

Leia mais

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) e a Fundação de Amparo e

Leia mais

1. REQUISITOS DO SOLICITANTE

1. REQUISITOS DO SOLICITANTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL Nº 023/PRPGP/UFSM, DE 29 DE ABRIL DE 2015 Programa Especial de Incentivo às Revistas Científicas

Leia mais

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB TERMO ADITIVO AO EDITAL nº 02/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS ALTERAÇÃO DE DATAS E FORMA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Apoio: Brasília, 28 de agosto de 2013.

Leia mais

CAPES, para exercer atividades de pesquisa e docência em temas correlatos aos desenvolvidos pelos grupos de pesquisa associados ao programa.

CAPES, para exercer atividades de pesquisa e docência em temas correlatos aos desenvolvidos pelos grupos de pesquisa associados ao programa. EDITAL 201/02 - PROCESSO SELETIVO PARA BOLSISTAS DE ESTÁGIO PÓS-DOUTORAL PPGAU/201 O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO - PPGAU está selecionando um bolsista para estágio pós-doutoral,

Leia mais

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS (PFRH) MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO Versão 04/02/2011 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO 2 INTRODUÇÃO 3 MODALIDADES DE

Leia mais

REITORIA EDITAL Nº 27/2015

REITORIA EDITAL Nº 27/2015 REITORIA EDITAL Nº 27/2015 O Reitor da Universidade Vila Velha UVV torna público a todos os interessados que estão abertas, de 29 de setembro até 10 de outubro de 2015, as inscrições de propostas provenientes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS À BOLSA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL Nº 06, DE 18 DE AGOSTO DE 2014. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PROJETO NOVAS FRONTEIRAS DECLARAÇÃO DE TRABALHO TREINAMENTO STATEMENT OF WORK Preparado por Nelson Azevedo Membro do Time Versão 1 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 28/11/2010 Propósito

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011)

REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011) REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011) CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E FINALIDADES Art.1º- Os Laboratórios

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA - TURMA 2015

CHAMADA PÚBLICA - TURMA 2015 CHAMADA PÚBLICA - TURMA 2015 CURSO DE ANÁLISE ESPACIAL E GEOPROCESSAMENTO EM SAÚDE Periodicidade: Anual Coordenadores: Christovam Barcellos e Mônica Magalhães Objetivos do Curso Introduzir conceitos básicos

Leia mais

Concurso de Redações e de Artigos Científicos na área das Relações de Gênero, Mulheres e Feminismos REGULAMENTO. CAPÍTULO I - Disposições Gerais

Concurso de Redações e de Artigos Científicos na área das Relações de Gênero, Mulheres e Feminismos REGULAMENTO. CAPÍTULO I - Disposições Gerais Concurso de Redações e de Artigos Científicos na área das Relações de Gênero, Mulheres e Feminismos REGULAMENTO CAPÍTULO I - Disposições Gerais Art. 1 o O 2º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero -

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIC

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIC EDITAL N. º 01/2014 Convocação de Projetos de Pesquisa para Programa de Iniciação Científica Unitri A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão (PPPGE) torna público o presente Edital de âmbito

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. EDITAL Nº 005/2015/UEPB/PROEX/PROAPEX PROCESSO SELETIVO DO PROAPEX COTA 2015-2016

Leia mais

CHAMADA 001/2014. III Renovar os quadros nos Programas de Pós-Graduação nas instituições de ensino superior e de pesquisa.

CHAMADA 001/2014. III Renovar os quadros nos Programas de Pós-Graduação nas instituições de ensino superior e de pesquisa. CHAMADA 001/2014 O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade Mestrado (PPGTURH), da Universidade de Caxias do Sul - UCS, no uso das atribuições regimentais que lhe são conferidas,

Leia mais

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES)

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE ARTES VISUAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E CULTURA VISUAL Edital 01/2015

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O PERÍODO 2015/2016

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O PERÍODO 2015/2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O PERÍODO 2015/2016 O Comitê Institucional de Iniciação Científica do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo, torna

Leia mais

FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO DA CAPES O Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS À BOLSA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES) O Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe (PROSS/UFS) torna público o processo de seleção

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIC/ FAHOR EDITAL PIC Nº 004/2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIC/ FAHOR EDITAL PIC Nº 004/2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIC/ FAHOR EDITAL PIC Nº 004/2015 O Diretor da Faculdade Horizontina FAHOR, no uso de suas atribuições legais e Regimentais, torna público que as inscrições para a seleção

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnológica Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnológica Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnológica Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLOGICO

Leia mais

EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015

EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO CÂMPUS CAPIVARI EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015 O Diretor do câmpus Capivari do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima

RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima Salvador Nov/2015 I - CHAMADA A referida chamada tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos de desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE ARTE E COMUNICAÇÃO SOCIAL OBSERVATÓRIO DE ECONOMIA CRIATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OBEC/RJ

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE ARTE E COMUNICAÇÃO SOCIAL OBSERVATÓRIO DE ECONOMIA CRIATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OBEC/RJ UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE ARTE E COMUNICAÇÃO SOCIAL OBSERVATÓRIO DE ECONOMIA CRIATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OBEC/RJ Edital nº 03/2014 CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando que o projeto dos cursos

Leia mais

EDITAL N. 001/2015 PROJETO DE PESQUISA PIBIC/PIBITI/CNPQ/UNISALESIANO 2015/2016

EDITAL N. 001/2015 PROJETO DE PESQUISA PIBIC/PIBITI/CNPQ/UNISALESIANO 2015/2016 EDITAL N. 001/2015 PROJETO DE PESQUISA PIBIC/PIBITI/CNPQ/UNISALESIANO 2015/2016 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente edital

Leia mais

Edital PIICT / CNPq / Fucapi 2015-2016

Edital PIICT / CNPq / Fucapi 2015-2016 Fundação Centro de Análise Pesquisa e Inovação Tecnológica FUCAPI Faculdade Fucapi Instituto de Ensino Superior Fucapi Coordenação de Pesquisa CPESQ Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 4º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 4º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 4º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência,

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL N.º 027/2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSAS DO CONVÊNIO SEMA/UESB 2013 DE MAPEAMENTO DE

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA - TURMA 2015

CHAMADA PÚBLICA - TURMA 2015 CHAMADA PÚBLICA - TURMA 2015 CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM INTERNET E SAÚDE Periodicidade: Anual Coordenadores: André Pereira Neto Objetivos do Curso Apresentar e debater os principais temas e problemas relacionados

Leia mais

EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO

EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO À DIVULGAÇÃO E PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO POR SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA. A Direção Geral

Leia mais

1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas

1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas A Coordenação de Bibliotecas e a informatização do sistema: onde estamos e o que queremos 1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PROIC BOLSA 1º/2012

COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PROIC BOLSA 1º/2012 FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE - ICS FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA FASI COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC BOLSA

Leia mais

EDITAL N. 010/2014 - ECI/ZICOSUR

EDITAL N. 010/2014 - ECI/ZICOSUR 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ - UEM ESCRITÓRIO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL - ECI COMISSÃO PERMANENTE DE INTERNACIONALIZAÇÃO - CPInter PROGRAMA DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EDITAL N. 010/2014 - ECI/ZICOSUR

Leia mais

EDITAL PARA BOLSAS PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL

EDITAL PARA BOLSAS PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL EDITAL PARA BOLSAS PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL 1. FINALIDADE: 1.1. Abrir as inscrições e estabelecer as condições de seleção para ingresso de bolsistas PNPD/CAPES no

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas. Edital no. 03/2012. Fashion Law

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas. Edital no. 03/2012. Fashion Law Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas Edital no. 03/2012 Fashion Law Seleção de Projetos de Pesquisa para desenvolvimento no âmbito do convênio firmado

Leia mais

EDITAL BRANETEC UFES Nº 001/2015

EDITAL BRANETEC UFES Nº 001/2015 EDITAL BRANETEC UFES Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA DE INTERCÂMBIO RECÍPROCO DE GRADUAÇÃO PARA ESTUDO NA HOLANDA SEM COLAÇÃO DE GRAU O Diretor do Centro Tecnológico da Universidade

Leia mais

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39

SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA PRH 39 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação SELEÇÃO PARA BOLSAS DE ESTUDO DO CONVÊNIO ANP/UFMA

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE Edital PPGPS Nº 01/2015 para Seleção de Candidatos ao PNPD 2015 PROCESSO

Leia mais

CNPq. Editais 2002. Chamada de Propostas/Projetos CIAM 10/2002. Colaboração Interamericana em Materiais - CIAM

CNPq. Editais 2002. Chamada de Propostas/Projetos CIAM 10/2002. Colaboração Interamericana em Materiais - CIAM CNPq Editais 2002 Chamada de Propostas/Projetos CIAM 10/2002 Colaboração Interamericana em Materiais - CIAM Prazo para submissão de propostas encerrado em 15/10/2002 1- Introdução O Conselho Nacional de

Leia mais

Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas

Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO A coordenação do Programa

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 07/2014

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 07/2014 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 07/2014 O Programa de Pós-Graduação em Biologia Experimental (PGBIOEXP) do Departamento de Medicina, Núcleo de Saúde dispõe de 1 (uma) bolsa

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL PIBIC / FAPEMIG / FTM-2015

COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL PIBIC / FAPEMIG / FTM-2015 COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL PIBIC / FAPEMIG / FTM-2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA: PIBIC/ FAPEMIG/FTM- 2015 A Coordenação do Programa de Pós-Graduação e

Leia mais

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS 4 13 Proc: PROTOCOLO Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS FASE I FASE II SOLICITANTE (Pesquisador responsável ou Coordenador da Equipe - não omita nem abrevie nomes) CÓDIGO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE Especificação técnica para contratação de empresa especializada em serviços de multimídia e sonorização

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Câmara de Pós-Graduação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Câmara de Pós-Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Câmara de Pós-Graduação Resolução 01/2011 CPG Dispõe sobre o Estágio de Pós-Doutorado na UFES A Câmara de Pós-Graduação da

Leia mais

1. OBJETIVO 2. PÚBLICO ALVO E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

1. OBJETIVO 2. PÚBLICO ALVO E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO NÚCLEO DE FOMENTO E APOIO FINANCEIRO EDITAL PRPGI Nº 17, de 10 de junho de 2014 CONCESSÃO

Leia mais

Edital nº 01/2015 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOCIÊNCIAS

Edital nº 01/2015 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOCIÊNCIAS Edital nº 01/2015 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOCIÊNCIAS 1. PREÂMBULO 1.1 A Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO REGIONAL DCR/CEARÁ EDITAL FUNCAP/CNPq Nº 02/2012 DCR A FUNCAP, vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior SECITECE, em parceria

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº 068/2012 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS

CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº 068/2012 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº 068/2012 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA - PJTC/CAPES/2015 SELEÇÃO DE PROFESSORES ORIENTADORES EDITAL Nº 01/2015

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA - PJTC/CAPES/2015 SELEÇÃO DE PROFESSORES ORIENTADORES EDITAL Nº 01/2015 PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA - PJTC/CAPES/2015 SELEÇÃO DE PROFESSORES ORIENTADORES EDITAL Nº 01/2015 O Departamento de Apoio Acadêmico (DAA), da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), da Universidade

Leia mais

EDITAL N 003/2015/UNA SUS/UFSC PROCESSO SELETIVO DE TUTORES PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO DOMICILIAR

EDITAL N 003/2015/UNA SUS/UFSC PROCESSO SELETIVO DE TUTORES PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO DOMICILIAR EDITAL N 003/2015/UNA SUS/UFSC PROCESSO SELETIVO DE TUTORES PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO DOMICILIAR A Coordenadora do Curso de Especialização em Atenção Domiciliar, no uso de suas atribuições

Leia mais

Programa de Pós Graduação em Fitopatologia PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES Aprovado pela Comissão de Bolsas em 10.07.

Programa de Pós Graduação em Fitopatologia PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES Aprovado pela Comissão de Bolsas em 10.07. 1 Programa de Pós Graduação em Fitopatologia PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES Aprovado pela Comissão de Bolsas em 10.07.2014 O Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia da Universidade de

Leia mais

2. O QUE É O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI EM PARCERIA COM O FUNTTEL

2. O QUE É O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI EM PARCERIA COM O FUNTTEL CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI NA ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES E AFINS DETALHAMENTO GERAL 1.

Leia mais

V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA. Chamada de Trabalhos para as Sessões Temáticas

V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA. Chamada de Trabalhos para as Sessões Temáticas UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PÓLO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA ESCOLA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE VOLTA REDONDA V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA Chamada de Trabalhos para as

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PROPPI N o 06 de 09 de Julho de 2015 EDITAL FOPIN 2015 PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA DAS

Leia mais

Programa Nota CAPES COTA

Programa Nota CAPES COTA PROGRAMA DE BOLSAS FAPESB - COTAS INSTITUCIONAIS MESTRADO PROFISSIONAL, MESTRADO E DOUTORADO 1. INTRODUÇÃO A FAPESB tem como um de seus principais objetivos apoiar a formação científica através da concessão

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n.

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 118/2012 O QUE É GESTOR Processo de seleção de candidatos de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis EDITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis EDITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis EDITAL Mestrado em Ciências Contábeis TURMA 2015 O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE MONITORES BOLSISTAS DO PROGRAMA TELECENTROS.BR

EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE MONITORES BOLSISTAS DO PROGRAMA TELECENTROS.BR EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE MONITORES BOLSISTAS DO PROGRAMA TELECENTROS.BR ASSOCIAÇÃO CAMPISTA DOS PROFISSIONAIS DE FUTEBOL, CNPJ º 07.640.243/0001-33, doravante designado somente como Telecentro RENASCER

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI NA ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES E AFINS DA UFES - 2014 O Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

1. OBJETIVO 2. APRESENTAÇÃO E ENVIO DAS PROPOSTAS

1. OBJETIVO 2. APRESENTAÇÃO E ENVIO DAS PROPOSTAS 1. OBJETIVO O Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) visa propiciar a formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras, com vistas a

Leia mais

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015 SELEÇÃO PARA ENSINO PROFISSIONAL INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO, EM REGIME INTEGRAL COM DURAÇÃO DE 3 ANOS, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015 INFORMAÇÕES

Leia mais

EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga

EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga A Direção Geral do campus Itapetininga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), torna

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PROGRAMA DE EXTENSÃO INSTITUCIONAL MINHA COMUNIDADE

EDITAL DE CHAMADA PROGRAMA DE EXTENSÃO INSTITUCIONAL MINHA COMUNIDADE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS IFAL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX 2016 EDITAL DE CHAMADA PROGRAMA DE EXTENSÃO INSTITUCIONAL MINHA COMUNIDADE A Pró-Reitoria

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 Regulamenta a concessão de Auxílio para Apoio a Incubadoras

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 5º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 5º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) 5º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2014 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência,

Leia mais

3.5. A avaliação da entrevista considerará os seguintes critérios:

3.5. A avaliação da entrevista considerará os seguintes critérios: EDITAL PARA ABERTURA DE INSCRIÇÃO À SELEÇÃO DE CANDIDATURAS AO PROGRAMA PRÉVIO DE ACESSO AO MESTRADO EM TECNOLOGIA E GESTÃO EM EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EM PARCERIA COM O MESTRADO EM GESTÃO EM SISTEMAS DE E-LEARNING

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 05/2014 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 05/2014 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 05/2014 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA O da UNIR- informa que estão abertas as inscrições para candidatura a bolsa de estudo, em

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO-PNPD/CAPES

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO-PNPD/CAPES EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO-PNPD/CAPES BOLSA DE PÓS-DOUTORADO JUNTO AO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA DA UFV O Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Universidade Federal do Piauí Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO) Mestrado em Geografia

Universidade Federal do Piauí Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO) Mestrado em Geografia Universidade Federal do Piauí Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO) Mestrado em Geografia EDITAL N. º 01/2014 PPGGEO PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS À BOLSA DE PÓS- DOUTORADO (PNPD/CAPES) A

Leia mais

EDITAL 2016/2017 PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA ESPM

EDITAL 2016/2017 PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA ESPM EDITAL 2016/2017 PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA ESPM Em atendimento às diretrizes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE PESQUISA DE PÓS-GRADUAÇÃO (PPG)

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE PESQUISA DE PÓS-GRADUAÇÃO (PPG) C AM PUS II Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Tel: 18 3229 2077 / 2078 / 2079 E-mail: posgrad@unoeste.br www.unoeste.br Campus I Campus II Rua José Bongiovani, 700 Cidade Universitária CEP 19050

Leia mais