PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

2 Não existem regras ou leis para gestão; Não existem países pobres ou ricos, mas simplesmente países mal e bem administrados, que sabem extrair o máximo dos recursos disponíveis.

3 Produção Vivemos em uma sociedade de organizações; Na prática as organizações existem para produzir algo para a sociedade; Objetivo das organizações é a produção.

4 Empresas Grandes: mais 500 funcionários Médias: de 50 a 500 funcionários Pequenas: até 50 funcionários

5 Tipo de Produção Primárias: desenvolvem atividades extrativas Secundárias: desenvolvem atividades transformação Terciárias: desenvolvem serviços

6 Entradas Fornecedores Empresas Saídas Clientes Retroação Empresa como um sistema aberto

7 Almoxarifado Empresa Têxtil Preparação Fiação Tecelagem Tinturaria Acabamento Depósito Expedição

8 Produção Sob encomenda: produz somente depois de receber o pedido. Em Lotes: produz uma quantidade limitada de um produto a cada vez. Em Lotes: produz determinado produto sem mudanças, por um longo período.

9 Sistemas de Produção Produção por encomenda Produção em Lotes Produção Contínua Tecnologia Utilizada Habilidade manual ou operação de ferramentas. Artesanato. Pouca padronização e automatização. Mão de obra intensiva e especializada Máquinas agrupadas em baterias do mesmo tipo (seções ou departamentos). Mão de obra intensiva e barata, utilizada com regularidade Através de máquinas especializadas e padronizadas, dispostas linearmente. Padronização e automação. Tecnologia intensiva. Resultado da Produção Produção em unidades. Pouca previsibilidade dos resultados e incerteza quanto a sequência das operações Produção em quantidade conforme cada lote. Razoável previsibilidade dos resultados. Certeza quanto à sequência das operações Produção em grande quantidade. Forte previsibilidade dos resultados. Certeza absoluta quanto a sequência das operações

10 Principais áreas da Empresa Presidente Produção Finanças Pessoal Marketing PCP Planejamento e Controle da Produção

11 PCP- Planejamento e Controle Visa aumentar a eficiência e eficácia da empresa Planejamento O que se deve fazer Quando fazer Quem deve fazer Como fazer Objetivos a alcançar Medir desempenho: Comparar com o planejado Controle Corrigir o desempenho: Identificar erros ou desvios

12 Produção RH Finanças Contabilidade e Custos PCP Vendas Almoxarifado Compras Engenharia

13 PCP 1 fase: Projeto 2 fase: Planejamento 3 fase: Controle Plano de Produção Programação da Produção

14 Projeto de Produção Quantidade e tipos de máquinas Quantidade de pessoal disponível Projeto Estoque de matéria prima Características do produto / serviço Boletim de Operação Lote econômico de produção

15 Projeto de Produção Características das Máquinas Efetivo de Pessoal Estoque de Matéria Prima Características do Produto / Serviço Boletim de Operações Lote econômico de Produção Detalhamento Capacidade de produção de cada máquina, de cada bateria e de cada seção produtiva Quantidade de empregados por cargo e por seção produtiva. Horários de trabalho Itens de matérias-primas e volumes de estoque para cada item. Controle de estoque. Procedimentos de requisição de MP. Composição produto/serviço e lista de materiais (gráficos de explosão) utilizados Sequência e cadência do processo produtivo. Movimentação de MP e seus gargalos e demoras Tamanho ideal de lote de produção para proporcionar maximização de resultados e minimização de custos de MP e PA

16 Inventário de Máquinas por Seção Seção Qtde Maquinas Caracteristicas Preparação 2 Moedeiras Pffeifer Kg Preparação 1 Secadeira Hommans HS 202 1t Preparação 1 Misturadeira Hommans HS 202 1t Moldagem 4 Injetoras Spearman S Kg Moldagem 4 Injetoras Spearman kg Moldagem 4 Extrusoras Signet K20-500Kg Pré moldagem 10 Linhas Montagem Hoffstede HF 1000

17 Efetivo de Pessoal por Seção Seção Efetivo Cargos Observações Preparação Operadores Escolhedores Ajudantes Moldagem Operadores Ajudantes Pré-Moldagem Técnico Montadores Ajudantes

18 Inventário de Estoque de MP Item Fornecedor Estoque Dias de Produção Plástico Bruto Resina Básica Alfa S.A 30t 30 Ducolor Ltda 200Bar 22 Poliestireno Ducolor 85Bar 8 PVC Quimic S.A 240Kg 15

19 Vista Explodida

20 Eficiência x Eficácia Insumos Processo Produtivo Máquinas Mão de Obra Matéria Prima Materiais em Vias Produtos Acabados Eficiência Eficácia

21 PCP 1 fase: Projeto 2 fase: Planejamento 3 fase: Controle Plano de Produção Programação da Produção

22 Plano de Produção Previsão de Vendas Capacidade de Produção Disponibilidade de MP Recursos Financeiros

23 Previsão de Vendas Produ tos Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Total A B C Totais

24 Subfatores que determinam a capacidade de produção Capacidade Instalada Capacidade De Produção Mão de Obra disponível Matéria Prima disponível Recursos Financeiros

25 Elaboração do Plano de Produção Capacidade de Produção (o que podemos produzir) Previsão de Vendas O que esperamos vender Plano de produção O que temos de produzir Nível de Estoque (o que podemos produzir)

26 PCP 1 fase: Projeto 2 fase: Planejamento 3 fase: Controle Plano de Produção Programação da Produção

27 Programação da Produção Detalhar a produção para a Execução Objetivos Coordenar e integrar todas as unidades envolvidas Garantir a entrega dos PA Garantir disponibilidade de MP Distribuir carga de trabalho Evitar gargalos Aproveitar ao máximo a cap instalada

28 Cronograma

29 Ordens Ordem de Produção (OP): é comunicação da decisão de produção Ordem de Montagem (OM): corresponde a OP Ordem de Compra (OC): Decisão da compra de MP Ordem de Serviço (OS): Decisão de prestação de serviços internos (manutenção, reparos..) Requisição de Materiais (RM): Comunicação que solicita MP ou materiais ao almoxarifado

30 Sistema de Pedidos Sistemas de emissão de ordens Sistema do Produto Sistema de Carga Sistema Estoque mínimo Sistema Estoque-base Sistema Período padrão Sistema de lotes de Componentes Sistema do lote-padrão Principais Características: Ideal para prod. Encomenda. Atenção voltada para o produto. Mais fácil de controlar Atenção voltada para a carga de trabalho da máquina ou seção Fácil de implantar, Atenção voltada para o nível mínimo de estoque disponível Atenção voltada para o nível mínimo e contínuo de estoque disponível Atenção voltada para o período Ideal para prod em lotes. Atenção para quantidade padrão de cada lote de componente Atenção voltada para a quantidade padrão de PA

31 PCP 1 fase: Projeto 2 fase: Planejamento 3 fase: Controle Plano de Produção Programação da Produção

32 Controle da Produção Guiar as atividades da empresa Sempre alguma coisa sai diferente daquilo para o qual foi planejada Correção de falhas ou erros Prevenção de novas falhas ou erros

33 Planejamento Da produção Controle Da produção Eficiência Eficácia Execução da produção Produto ou Serviços

34 Padrões de quantidade Volume de produção Nível de estoque N horas trabalhadas Padrões de qualidade CQ de MP CQ de PA Especificações do produto Padrão De Controle Padrões de Tempo Tempo-padrão de produção Tempo médio de estocagem Padrões de rendimento Padrões de Custos Custo de Produção Custo de Estocagem Custo Padrão

35 Métodos de Controle Controle Visual: mais utilizado Controle Total: Controla todos os itens Controle por Amostragem: parcial, amostras escolhidas ao acaso Controle por exceção: sobre desvios ou discrepâncias, sobre erros ou falhas

36 Controle do Plano Produção Índice de Eficiência : Horas previstas Horas trabalhadas Coeficiente de utilização de MO: Horas aplic ao lote Horas totais MO

37 Coeficiente de utilização do equipamento Horas aplic ao lote Horas totais do equip Coeficiente do tempo utilizado Tempo previsto Tempo Gasto Indice quantidades produzidas Unidades produzidas Unidades programadas

38 Índice de qualidade Unidades refugadas ou defeituosas Unidades produzidas x 100 Índice de utilização de MP Quantidade de MP prevista Quantidade de MP utilizada Índice de cumprimento das Ordens Ordens não-cumpridas x 100 Ordens cumpridas

39 Controle de Estoques Índice de rotação de Estoques Nº entradas + Nº saídas X 100 Estoque médio do item

40 Controle das Datas de Término Verificar os prazos de produção Feito através de fichas

41 Controle de Estoques Estocar significa guardar algo para a utilização futura Ocupa espaço, segurado contra incêndio, roubo etc.. Gera custo A falta pode acarretar na parada da produção. Gera custo

42 Finalidades Garantir o funcionamento da empresa Propiciar economia de escala por meio da compra em lotes

43 Tipos de Estoque Almox Preparação Moldagem Montagem Acabamento Depósito Estoque de M P Estoque de Materiais em processamento Materiais semi-acabados Materiais Acabados (componentes) Estoque De P A

44 Sistema de Controle de Estoques Duas Gavetas ou Estoque mínimo: Mais utilizado, utilização constante Renovação periódica: Para um período determinado Para fim específico: Para uma lote específico

As atividades que conciliam

As atividades que conciliam INÍCIO 2º BIM 9º AULA 18/OUT/2011 PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO A NATUREZA DO FORNECIMENTO E DA DEMANDA DEBATE EM GRUPO - QUESTIONÁRIO PLANEJAMENTO E CONTROLE VISA GERENCIAR AS ATIVIDADES DA OPERAÇÃO

Leia mais

Produção. Capítulo 1. André Jun Nishizawa

Produção. Capítulo 1. André Jun Nishizawa Produção Capítulo 1 Sumário As empresas Mercadorias e serviços Sistemas de produção Fatores de produçã e recursos empresariais Capital financeiro e capital econômico Empresas como sistemas Empresas como

Leia mais

Profa. Daciane de Oliveira Silva BIBLIOGRAFIA; CHIAVENATO, Idalberto. Administração da produção: uma abordagem introdutória Capítulo 4

Profa. Daciane de Oliveira Silva BIBLIOGRAFIA; CHIAVENATO, Idalberto. Administração da produção: uma abordagem introdutória Capítulo 4 Profa. Daciane de Oliveira Silva BIBLIOGRAFIA; CHIAVENATO, Idalberto. Administração da produção: uma abordagem introdutória Capítulo 4 O que significa traçar o sistema de produção? Significa criar um ambiente

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ENGENHARIA MECÂNICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ENGENHARIA MECÂNICA Marcos Rodrigues Natassia B. Pereira Planejamento da São Luís 2016 PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO Conceitos de planejamento

Leia mais

08/11/2011 ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS PRODUTOS OU SERVIÇOS FLUXO DE MATERIAIS

08/11/2011 ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS PRODUTOS OU SERVIÇOS FLUXO DE MATERIAIS Uma Abordagem Introdutória ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Na realidade, toda indústria é um fluxo contínuo de materiais que são processados ao longo de várias atividades no sistema produtivo. Essa dinâmica

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção. Aula-tema 02: Planejamento e Controle da Produção (PCP)

Planejamento e Controle da Produção. Aula-tema 02: Planejamento e Controle da Produção (PCP) Planejamento e Controle da Produção Aula-tema 02: Planejamento e Controle da Produção (PCP) Planejamento e Controle da Produção 1 2 Introdução Fases do PCP MRP e MRPII Conceitos de PCP Sistemas do PCP

Leia mais

Uma Abordagem Introdutória ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS

Uma Abordagem Introdutória ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Uma Abordagem Introdutória ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS CRONOGRAMA 3 BIMESTRE Estoque. Compras/Armazenamento. Movimentação de Materiais. Transporte/Seguro. ESTOQUES Composição de materiais MP s, materiais

Leia mais

Informações e orientações para organização do processo decisório

Informações e orientações para organização do processo decisório Informações e orientações para organização do processo decisório Prof. Pedro Paulo H. Wilhelm, Dr. Eng. Prod (Dep. Economia) WILHELM@FURB.BR Prof. Maurício C. Lopes, Msc. Eng. Prod. (Dep. Computação) MCLOPES@FURB.BR

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 6º Encontro - 05/03/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? 02 - ABERTURA - SISTEMAS DE PRODUÇÃO - VÍDEOS PARA DEBATE

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 Introdução Planejamento Agregado: Maximizar os resultados das operações e minimizar os riscos de tomadas

Leia mais

Como podemos medir a produtividade de uma empresa? E de seus processos?

Como podemos medir a produtividade de uma empresa? E de seus processos? Como podemos medir a produtividade de uma empresa? E de seus processos? Por que produtividade é importante? Como podemos medir produtividade nas empresas? Produção x Estratégia Competitiva Flexibilidade

Leia mais

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES 1 PLANO FINANCEIRO 2 PRINCÍPIOS GERAIS DE PLANEJAMENTO DIRETRIZES CENÁRIOS PREMISSAS PRÉ-PLANEJAMENTO PLANO DE MARKETING

Leia mais

O objetivo desse conteúdo é apresentar os principais conceitos relacionados ao planejamento estratégico da produção e à formalização desse

O objetivo desse conteúdo é apresentar os principais conceitos relacionados ao planejamento estratégico da produção e à formalização desse O objetivo desse conteúdo é apresentar os principais conceitos relacionados ao planejamento estratégico da produção e à formalização desse planejamento, através da elaboração do plano de produção; 2 Busca

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO. Demanda. Produtiva Planejamento da Produção. Programação e Controle da Produção. Capacidade. Produtiva PRODUÇÃO DEMANDA

PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO. Demanda. Produtiva Planejamento da Produção. Programação e Controle da Produção. Capacidade. Produtiva PRODUÇÃO DEMANDA 11. PLANEJAMENTO, PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DA PRODUÇÃO Neste capitulo estudaremos temas referentes ao planejamento, a programação e ao controle da produção. No entanto, não será possível nos aprofundarmos

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Clovis Alvarenga-Netto

Clovis Alvarenga-Netto Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Produção Materiais e processos de produção IV Maio/2009 Prof. Clovis Alvarenga Netto Aula 10 Planejamento, programação e controle da produção e estoques

Leia mais

MANUAL DO PCP (VENECCIA)

MANUAL DO PCP (VENECCIA) MANUAL DO PCP (VENECCIA) Para cadastrar um produto devemos ter um grupo e um ou mais subgrupos cadastrados observar nas figuras 1 e 2. figura 1 Código: Campo Obrigatório a ser preenchido o número não é

Leia mais

Programas de Manutenção e Produtividade

Programas de Manutenção e Produtividade Programas de Manutenção e Produtividade Claudio Anjos Março / 08 CANJOS@MANTECORP.COM 1 Tipos de Manutenção Corretiva A intervenção é feita quando ocorre a falha Custo alto, pois interrompe a produção

Leia mais

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES 1 PRINCÍPIOS GERAIS DE PLANEJAMENTO DIRETRIZES CENÁRIOS PREMISSAS PRÉ-PLANEJAMENTO MARKETING PSPE INVESTIMENTOS RECURSOS

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

Planejamento de Vendas e Operações (Plano Agregado de Produção)

Planejamento de Vendas e Operações (Plano Agregado de Produção) Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Administração Geral e Aplicada Planejamento de Vendas e Operações (Plano Agregado de Produção) Eduardo Alves Portela Santos

Leia mais

Conceito de ERP Vantagens e desvantagens do ERP Conceito de MRP Planejamento mestre da produção PMP

Conceito de ERP Vantagens e desvantagens do ERP Conceito de MRP Planejamento mestre da produção PMP Objetivos desta apresentação Planejamento de Recursos Aula 09 parte 1 Mauro Osaki Conceito de ERP Vantagens e desvantagens do ERP Conceito de Planejamento mestre da PMP TES/ESALQ-USP Pesquisador do Centro

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais

Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Empresa Deve: Ser organizada: padronização administrativa (planejamento e controle) Ter qualidade: atender a necessidade dos consumidores (prazo, preço,

Leia mais

Resumo Aula-tema 08: Controle de Estoques

Resumo Aula-tema 08: Controle de Estoques Resumo Aula-tema 08: Controle de Estoques Segundo Moura (2004), a administração de estoques ganhou força no cenário das empresas competitivas. O que no passado das organizações era considerado uma estratégia

Leia mais

POSSE DO PAPA BENTO XVI

POSSE DO PAPA BENTO XVI 2005 POSSE DO PAPA BENTO XVI 2013 POSSE DO PAPA FRANCISCO OS TRÊS PILARES DO FUTURO DOS NEGÓCIOS 1 - CIDADES DIGITAIS 2 - IOT Internet of Things 3 - ECONOMIA COMPARTILHADA IOT Internet of Things What

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 3: Logística Integrada Atividades da Logística Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Logística Integrada Logística Integrada LOGÍSTICA DE ABASTECIMENTO

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Atividades do Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 Introdução Sistemas produtivos: abrange produção de bens e de serviços; Funções básicas dos

Leia mais

VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!!

VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!! 28/10/2015 VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!! Ocupação Descrição Experiência Escolaridade Cursos Nº da Vaga Qtde. Vagas Atendente de Balcão Atendente de Balcão auxiliar de almoxarifado Auxiliar de corte(preparação

Leia mais

Manutenções Corretiva Preventiva Preditiva MANUTENÇÃO CORRETIVA

Manutenções Corretiva Preventiva Preditiva MANUTENÇÃO CORRETIVA Manutenções Corretiva Preventiva Preditiva 1 MANUTENÇÃO CORRETIVA 2 1 Manutenção Corretiva A manutenção corretiva é aquela de atendimento imediato à produção. A manutenção corretiva é a realizada em equipamento,

Leia mais

PRO GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA. Professor Regina Meyer Branski

PRO GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA. Professor Regina Meyer Branski PRO 2304 - GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA Professor Regina Meyer Branski Objetivos O que é administração da produção Quais são as similaridades entre todas as operações produtivas Como as operações produtivas

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica Modelo de gestão Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e legais Planejamento estratégico Orçamento empresarial

Leia mais

OBJETIVOS DESTE ENCONTRO

OBJETIVOS DESTE ENCONTRO OBJETIVOS DESTE ENCONTRO Apresentar e facilitar o entendimento dos Critérios da Modalidade Processo. Entender como demonstrar resultados requeridos nesta modalidade. 2 1 CRONOGRAMA 2010 ATIVIDADE MAR ABR

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO PROFª MILKA MEDEIROS HTTPS://SITES.GOOGLE.COM/SITE/MMEDEIROSACADEMICO

SISTEMAS DE PRODUÇÃO PROFª MILKA MEDEIROS HTTPS://SITES.GOOGLE.COM/SITE/MMEDEIROSACADEMICO SISTEMAS DE PRODUÇÃO PROFª MILKA MEDEIROS HTTPS://SITES.GOOGLE.COM/SITE/MMEDEIROSACADEMICO O SISTEMA DE PRODUÇÃO Define-se sistema de produção como o conjunto de atividades e operações inter-relacionadas

Leia mais

TÓPICO 9 PLANEJAMENTO MESTRE DA PRODUÇÃO (PMP) E CÁLCULO DAS NECESSIDADES DE MATERIAIS (MRP) Aulas 16 e 17

TÓPICO 9 PLANEJAMENTO MESTRE DA PRODUÇÃO (PMP) E CÁLCULO DAS NECESSIDADES DE MATERIAIS (MRP) Aulas 16 e 17 TÓPICO 9 PLANEJAMENTO MESTRE DA PRODUÇÃO (PMP) E CÁLCULO DAS NECESSIDADES DE MATERIAIS (MRP) Aulas 16 e 17 Planejamento Mestre da Produção (PMP) e Cálculo das Necessidades de Materiais (MRP) Longo/médio

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 5: Revisão Geral Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Estratégia Corporativa Estratégia corporativa é o processo essencial dentro das organizações,

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

Prof. Fabrício Maciel Gomes Departamento de Engenharia Química Escola de Engenharia de Lorena EEL

Prof. Fabrício Maciel Gomes Departamento de Engenharia Química Escola de Engenharia de Lorena EEL rof. Fabrício Maciel Gomes Departamento de Engenharia Química Escola de Engenharia de Lorena EEL Kanban Kanban SISTEMA EMURRADO DE RODUÇÃO Cliente Fornecedor Compras lanejamento Vendas Forjaria WI Usinagem

Leia mais

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Recursos e PRP (Processo de Realização do Produto) Prof. Marcos César Bottaro Os Recursos RECURSOS: é tudo que gera ou tem a capacidade de gerar riqueza

Leia mais

DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014. ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota:

DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014. ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota: DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014 DATA: / /2014 ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota: Para realização do trabalho será necessária a utilização

Leia mais

VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!!

VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!! 07/06/2016 VAGAS SUJEITAS A ALTERAÇÃO!!!!!!! Ocupação Descrição Experiência Escolaridade Cursos Nº da Vaga Qtde. Vagas Ajudante de cozinha imprescindível experiência de 6 meses em ctps.desejável experiência

Leia mais

Métricas de Software Importância e Aplicação

Métricas de Software Importância e Aplicação Métricas de Software Importância e Aplicação Mauricio Aguiar PSM Qualified Instructor Presidente da ti MÉTRICAS IFPUG Past President USC Visiting Associate www.metricas.com.br 1 Agenda Definindo e Alcançando

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO

ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES Profa. Lérida Malagueta Planejamento e Controle de Produção (PCP) O PCP é uma função de apoio da administração de produção. Desenvolve funções de planejar

Leia mais

Prof. Fabrício Maciel Gomes Departamento de Engenharia Química Escola de Engenharia de Lorena EEL

Prof. Fabrício Maciel Gomes Departamento de Engenharia Química Escola de Engenharia de Lorena EEL Prof. Fabrício Maciel Gomes Departamento de Engenharia Química Escola de Engenharia de Lorena EEL MRP / MRP II MRP = Material Requirement Planning (planejamento das necessidades de materiais); Surgiu da

Leia mais

Sistemas de Produção: Estudos de Casos

Sistemas de Produção: Estudos de Casos Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção Sistemas de Produção I Prof. Dalvio Ferrari Tubino, Dr. Estudo de Caso 4 O Sistema Kanban - Puxar x Empurrar Objetivo: Este estudo de caso tem por finalidade

Leia mais

MRP Cálculo de necessidade de materiais na rede de operações

MRP Cálculo de necessidade de materiais na rede de operações MRP Cálculo de necessidade de materiais na rede de operações Profa. Dra. Márcia Mazzeo Grande RAD1512 Administração: gestão e logística Ambiente Estratégia de operações Estratégia Recursos de entradas

Leia mais

Unidade III. ADMINISTRAÇÃO DAS OPERAÇÕES PRODUTIVAS O planejamento e controle da produção. Prof. Fabio Uchôas

Unidade III. ADMINISTRAÇÃO DAS OPERAÇÕES PRODUTIVAS O planejamento e controle da produção. Prof. Fabio Uchôas Unidade III ADMINISTRAÇÃO DAS OPERAÇÕES PRODUTIVAS O planejamento e controle da produção Prof. Fabio Uchôas Planejamento e controle da produção Planejamento e controle Objetiva garantir que os processos

Leia mais

TPM Manutenção Produtiva Total

TPM Manutenção Produtiva Total TPM Manutenção Produtiva Total TPM A TPM é um modelo de gestão que busca a Eficiência máxima do sistema produtivo através da eliminação de perdas e do desenvolvimento do homem e sua relação com o equipamento.

Leia mais

Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo

Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo Safra 2015/2016 Mensal Acumulado Cana Campo (1) Cana Esteira (2) R$/Kg ATR R$/Kg ATR R$/Ton. R$/Ton. Abr/15 0,4909

Leia mais

Disciplina: PCP II. Rodrigues, Roger Antônio. R696p PCP II / Roger Antônio Rodrigues slides : il.

Disciplina: PCP II. Rodrigues, Roger Antônio. R696p PCP II / Roger Antônio Rodrigues slides : il. Disciplina: PCP II Rodrigues, Roger Antônio. R696p PCP II / Roger Antônio Rodrigues. 2015. 14 slides : il. Varginha, Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Administração

Leia mais

Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning)

Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) O que significa ERP? ERP - Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) são sistemas de informações que integram todos os dados e processos

Leia mais

Custos Industriais. Introdução à Contabilidade de Custos. Prof. M.Sc. Gustavo Meireles/ Juliana Schmidt Galera

Custos Industriais. Introdução à Contabilidade de Custos. Prof. M.Sc. Gustavo Meireles/ Juliana Schmidt Galera Custos Industriais Introdução à Contabilidade de Custos Prof. M.Sc. Gustavo Meireles/ Juliana Schmidt Galera 1 Introdução Ø A apuração adequada, a análise, o controle e o gerenciamento dos custos de produção

Leia mais

AZ - AUTOMAÇÃO E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL LTDA.

AZ - AUTOMAÇÃO E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL LTDA. Bem vindos ao Treinamento sobre Conceitos Básicos de Manutenção da... AZ - AUTOMAÇÃO E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL LTDA. ELÉTRICA ELETRÔNICA MECÂNICA HIDRÁULICA PNEUMÁTICA AZ PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE AUTOMAÇÃO

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Planejamento Mestre da Produção Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 1 Introdução Funções do Planejamento Mestre da Produção: Desmembrar os planos estratégicos de longo prazo

Leia mais

200 180 Indice (abr/2004=100) 160 140 120 100 80 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03 dez/03 jun/04 dez/04 jun/05 dez/05 jun/06 dez/06 jun/07 dez/07 Faturamento

Leia mais

Escola de Engenharia de Lorena EEL/USP Curso de Engenharia de Produção. Prof. Fabrício Maciel Gomes

Escola de Engenharia de Lorena EEL/USP Curso de Engenharia de Produção. Prof. Fabrício Maciel Gomes Escola de Engenharia de Lorena EEL/USP Curso de Engenharia de Produção Prof. Fabrício Maciel Gomes Previsão de Demanda A previsão da demanda é a base para o planejamento estratégico da produção, vendas

Leia mais

Organização da Produção MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR

Organização da Produção MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Organização da Produção MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Jorge Muniz J. Muniz 2011 1 Mapeamento do Fluxo de Valor - Video J. Muniz 2 Mapeamento do Fluxo de Valor Mapear o fluxo de valor significa andar pela

Leia mais

Just in Time e Kanban. Prof.ª Rosana Abbud

Just in Time e Kanban. Prof.ª Rosana Abbud Just in Time e anban Prof.ª Rosana Abbud Just in Time Just in Time SURGIMENTO Japão Década de 70 Toyota Motor CONCEITO Administração Qualidade Organização Cada processo deve ser abastecido com os itens

Leia mais

ADM 250 capítulo 2 - Slack, Chambers e Johnston complementação

ADM 250 capítulo 2 - Slack, Chambers e Johnston complementação ADM 250 capítulo 2 - Slack, Chambers e Johnston complementação 1 Perguntas que se esperam respondidas ao final do capítulo 2 Papel estratégico e objetivos da função produção Qual papel da função produção

Leia mais

Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável. BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013)

Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável. BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013) Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013) Viçosa Minas Gerais Junho de 2013 1 DEMOGRAFIA BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA TABELA 1 Evolução

Leia mais

RECALL SMITHS LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE

RECALL SMITHS LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE DOCUMENTO 2 LISTA DOS PRODUTOS ENVOLVIDOS, IMPORTADOS AO BRASIL PELA CIRÚRGICA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES SOBRE PRODUTOS VENDIDOS E EM ESTOQUE 100.105.025 644425 10 10 fev/05 fev/10 9660 10/10/2005 13/10/2005

Leia mais

Métodos de Custeamento. Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame

Métodos de Custeamento. Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Métodos de Custeamento Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Método de Custeamento RKW ou Pleno e Integral Também denominado método de custeio pleno ou integral, foi desenvolvido na Alemanha no início

Leia mais

Mês: Dezembro/2016 Edição Especial: 62ª Ano: (16) (11) (21)

Mês: Dezembro/2016 Edição Especial: 62ª Ano: (16) (11) (21) Mês: Dezembro/2016 Edição Especial: 62ª Ano: 6 +55 (16) 3397.0226 +55 (11) 3280.0226 +55 (21) 3942.0226 até 3,00 79,97% 79,97% 76,74% 76,74% 75,24% 75,24% 77,46% 77,46% de 3,01 até 5,00 12,27% 92,23%

Leia mais

Visão Geral. Compras

Visão Geral. Compras Compras Sumário Sumário... 2 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 Objetivos Instrucionais... 3 2 Compras... 3 3 Gerenciamento de Compra... 4 4 Integrações... 4 5 Macrofluxo... 5 6 Conclusão... 5 2 TOTVS - Visão

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO TÊXTIL. CONSISTEM

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO TÊXTIL. CONSISTEM SOFTWARES DE SEGMENTO TÊXTIL CSW TÊXTIL (CONFECÇÃO, TECELAGEM E TINTURARIA) O segmento têxtil e suas ramificações movimentam uma fatia considerável da economia brasileira. Gera milhares de empregos diretos

Leia mais

Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Medindo Resultados Medir o desempenho da empresa é fundamental para o sucesso e a boa gestão. Não se trata apenas de uma boa prática gerencial,

Leia mais

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Engenharia Mecânica PROGRAMA. Número de Créditos: TEÓRICOS: 04; PRÁTICOS: 0 ; TOTAL: 4

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Engenharia Mecânica PROGRAMA. Número de Créditos: TEÓRICOS: 04; PRÁTICOS: 0 ; TOTAL: 4 PROGRAMA Disciplina: INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Código: MECN0030 Carga Horária Semestral: 0 Horas Obrigatória: Eletiva : sim Número de Créditos: TEÓRICOS: 04; PRÁTICOS: 0 ; TOTAL: 4 Pré-Requisito:

Leia mais

MRP (Material Resource Planning) Cálculo de Necessidade de Materiais na Rede de Operações

MRP (Material Resource Planning) Cálculo de Necessidade de Materiais na Rede de Operações MRP (Material Resource Planning) Cálculo de Necessidade de Materiais na Rede de Operações Prof. Breno Barros Telles do Carmo PROPÓSITOS, OBJETIVOS E FILOSOFIA DO MRP ESTOQUE: encomendar a peça certa encomendar

Leia mais

MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR. FEG UNESP Bruno Franco 2010

MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR. FEG UNESP Bruno Franco 2010 MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR FEG UNESP Bruno Franco 2010 Mapeamento do Fluxo de Valor Video Organização da Produção - FEG/UNESP - 2010 2 Mapeamento do Fluxo de Valor Mapear o fluxo de valor significa andar

Leia mais

Manutenção Produtiva Total - A Bíblia do TPM Plano de Aula - 36 Aulas (Aulas de 1 Hora).

Manutenção Produtiva Total - A Bíblia do TPM Plano de Aula - 36 Aulas (Aulas de 1 Hora). 5453 - Manutenção Produtiva Total - A Bíblia do TPM Plano de Aula - 36 Aulas (Aulas de 1 Hora). Aula 1 Capítulo 1 - Fundamentos do TPM 1. Origem...26 2. Conceitos...28 3. Etapas de Implantação... 31 4.

Leia mais

Prof. Wendell Léo. Gestão de Estoques Funções e Tipos.

Prof. Wendell Léo. Gestão de Estoques Funções e Tipos. Prof. Wendell Léo Gestão de Estoques Funções e Tipos w.castellano@ig.com.br Gestão de Estoques ara se organizar um setor de controle de estoques, inicialmente deveremos escrever suas principais funções:

Leia mais

Apresentação de Projeto Social

Apresentação de Projeto Social ASSOCIAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SÓCIO-CULTURAL DE NOVA RUSSAS CNPJ: 01.090.576/0001-50 LEI MUNICIPAL Nº 918, DE 20 DE JUNHO DE 2014 Apresentação de Projeto Social 1- Nome do Projeto Fábrica

Leia mais

EOSPL1 Sistema de Produção Lean

EOSPL1 Sistema de Produção Lean EOSPL1 Sistema de Produção Lean Cap 1.1 Flexibilidade do Sistema Produ

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL. Cenário negativo com poucas mudanças. Utilização da capacidade instalada efetiva em relação ao usual Percentual médio (%)

SONDAGEM INDUSTRIAL. Cenário negativo com poucas mudanças. Utilização da capacidade instalada efetiva em relação ao usual Percentual médio (%) Indicadores CNI ISSN 1676-0212 Ano 19 Número 4 abril de SONDAGEM INDUSTRIAL Cenário negativo com poucas mudanças Os dados da Sondagem Industrial de abril mostram que o cenário industrial permanece difícil.

Leia mais

ADVOCACIA GERAL DA UNIAO Procuradoria Geral da Uniao Departamento de Calculos e Pericias - DECAP ( NECAP NO ESTADO DO

ADVOCACIA GERAL DA UNIAO Procuradoria Geral da Uniao Departamento de Calculos e Pericias - DECAP ( NECAP NO ESTADO DO FICHA FINANCEIRA REFERENTE A 2002 JAN FEV MAR ABR MAI JUN 00182 ADIANT.GRATIF.NATALINA - APOS. R 1 82118 GRAT.DES.TEC.ADM.L10404/GDATA R 1 142,12 142,12 142,12 142,12 142,12 142,12 63,00 63,00 63,00 70,00

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGÍSTICA

INTRODUÇÃO A LOGÍSTICA PROF. ADM ENDERSON FABIAN INTRODUÇÃO A LOGÍSTICA AULA PARA AS TURMAS DE ADMINISTRAÇÃO 2010 1 Conteúdo 1 O Que é o 2 Por Que o Nível de Serviço é Importante 3 Administração do Nível de Serviço 4 Fixação

Leia mais

Administração da Produção

Administração da Produção Administração da Produção Administrando seu negócio com sucesso rev. 05/04 Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo O QUE

Leia mais

Lucas Abreu Roberta Cruz

Lucas Abreu Roberta Cruz Lucas Abreu Roberta Cruz O orçamento de produção é uma estimativa de bens que devem ser fabricados durante o exercício orçamentário. Compreende o estabelecimento de políticas em relação ao níveis de produção

Leia mais

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN Fonte: Cláudio Márcio / Eder Bart - Pirâmides do Egito - Foram erguidas 2700 a.c. - 2,3 milhões de blocos de rocha, cada um pesando em média 2,5 toneladas

Leia mais

Custos Industriais. Introdução. Introdução. Introdução à Contabilidade de Custos

Custos Industriais. Introdução. Introdução. Introdução à Contabilidade de Custos Custos Industriais Introdução à Contabilidade de Custos Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 1 Introdução A apuração adequada, a análise, o controle e o gerenciamento dos custos de produção dos bens e serviços

Leia mais

- Hoje... Administração Profª Mestre Patricia Brecht Innarelli. - Sistema Produtivo. - Ciclo de Produção. Gestão de Operações e Qualidade II

- Hoje... Administração Profª Mestre Patricia Brecht Innarelli. - Sistema Produtivo. - Ciclo de Produção. Gestão de Operações e Qualidade II - Hoje... Administração Profª Mestre Patricia Brecht Innarelli Sistemas de produção e seus tipos PCP Sistema de produção enxuta Gestão de Operações e Qualidade II - Sistema Produtivo - Ciclo de Produção

Leia mais

7/30/2012. Formação. Bases Tecnológicas. Planejamento Programação e Controle da Produção PPCP. Rodrigo Moraes de Siqueira. Formação: Engenheiro

7/30/2012. Formação. Bases Tecnológicas. Planejamento Programação e Controle da Produção PPCP. Rodrigo Moraes de Siqueira. Formação: Engenheiro Planejamento Programação e Controle da Produção PPCP Rodrigo Moraes de Siqueira PPCP-Rodrigo Moraes de Siqueira 1 Formação: Engenheiro Formação Especializações: Sistemas de apoio a manufatura Sistemas

Leia mais

8. CAPACIDADE DAS INSTALAÇÕES PRODUTIVAS

8. CAPACIDADE DAS INSTALAÇÕES PRODUTIVAS 96 97 8. CAPACIDADE DAS INSTALAÇÕES PRODUTIVAS O estudo do planejamento da capacidade de produção será abordado neste capitulo. 8.1 Introdução Como afirma Slack (1997) a maioria das organizações precisa

Leia mais

PPCP. Sistemas de PCP no Chão de Fábrica. Prof. Nilton Ferruzzi. Prof. Nilton Ferruzzi 1

PPCP. Sistemas de PCP no Chão de Fábrica. Prof. Nilton Ferruzzi. Prof. Nilton Ferruzzi 1 PPCP Sistemas de PCP no Chão de Fábrica Prof. Nilton Ferruzzi Prof. Nilton Ferruzzi 1 Sistemas que podem ser utilizados simultaneamente (ou não) * Just in time * MRP * OPT (Optimized Product Technology)

Leia mais

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL GERENCIAMENTO DO ENXOVAL Enfª Jaqueline Vieira Dellagustinho LAVANDERIA HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL UNIMED NORDESTE-RS HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL DADOS GERAIS 12.284m²

Leia mais

TIPOS DE PESQUISA E O PROJETO DE PESQUISA

TIPOS DE PESQUISA E O PROJETO DE PESQUISA METODOS DE PESQUISA TIPOS DE PESQUISA E O PROJETO DE PESQUISA Prof. Dr. Evandro Prestes Guerreiro Santos, 2016 Conceito de PROJETO 1. O projeto é o organizador do processo coletivo e, como tal, precisa

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS. Professora Ludmila Melo

CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS. Professora Ludmila Melo CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS Professora Ludmila Melo Conteúdo Programático INTRODUÇÃO Agenda Aula 1: Conceitos, objetivos e finalidades da Contabilidade de Custos Aula 2: Classificação e Nomenclatura

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Nr 01

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Nr 01 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Nr 01 CONTROLE DE ESTOQUES 1. Uma loja de departamentos pretende aproveitar o feriado de 01 de Janeiro para realizar o inventário anual de seu estoque, que possui 1.679.434 unidades

Leia mais

Especificação da Qualidade

Especificação da Qualidade 102-37100 Especificação da Qualidade Rev. E 03-Fev-2011 Procedimento para os cuidados com a compatibilidade com o Gás HFC 1. FINALIDADE 1.1 Conteúdo Cuidados e responsabilidades referente aos aspectos

Leia mais

Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock

Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock Introdução à Gestão de Projetos; Gestão de Escopo; Gestão de Prazos; Gestão de Custos; Gestão de Pessoas; Gestão de Comunicação; Gestão

Leia mais

Todos os Cursos. Nome do curso Tipo de curso Carga horária Descrição

Todos os Cursos. Nome do curso Tipo de curso Carga horária Descrição Confeccionador de esquadrias de 240 horas Profissional Confeccionador de Esquadrias de Madeira capacita você a realizar trabalhos de carpintaria. Com a qualificação você vai conhecer os materiais, ferramentas

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística : Técnico em Logística Descrição do Perfil Profissional: Planejar, programar e controlar o fluxo de materiais e informações correlatas desde a origem dos insumos até o cliente final, abrangendo as atividades

Leia mais

Otimização na carga de máquinas e sequenciamento de OP s

Otimização na carga de máquinas e sequenciamento de OP s Max-Prod SIMULADORES DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE OTIMIZAÇÃO NA CARGA DE MÁQUINAS E SEQUENCIAMENTO DE OP S OTIMIZAÇÃO NA ESCOLHA DE MATERIAIS DE PRODUTOS E COMPONENTES OTIMIZAÇÃO NA

Leia mais

Unidade I GESTÃO DAS OPERAÇÕES. Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade I GESTÃO DAS OPERAÇÕES. Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade I GESTÃO DAS OPERAÇÕES PRODUTIVAS Prof. Me. Livaldo dos Santos Administração de operações produtivas, seus objetivos e estratégia Objetivos da unidade: Entender a função produção nas diversas organizações.

Leia mais

EDITAL N 02/2014 LOGPROS RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01/2014

EDITAL N 02/2014 LOGPROS RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EXECUTIVO EM LOGÍSTICA E PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Av. Paraguai, s/nº esq. c/ Rua Uxiramas

Leia mais

SEPARAÇÃO DO GASTO SEMI-VARIÁVEL ENTRE PARTE FIXA E PARTE VARIÁVEL

SEPARAÇÃO DO GASTO SEMI-VARIÁVEL ENTRE PARTE FIXA E PARTE VARIÁVEL SEPARAÇÃO DO GASTO SEMI-VARIÁVEL ENTRE PARTE FIXA E! Gastos variáveis! Gastos fixos! Gastos semi - variáveis Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV. É

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL. Aumento da atividade industrial em maio. Utilização média da capacidade instalada Percentual (%)

SONDAGEM INDUSTRIAL. Aumento da atividade industrial em maio. Utilização média da capacidade instalada Percentual (%) Indicadores CNI ISSN 1676-0212 Ano 20 Número 5 Maio SONDAGEM INDUSTRIAL da atividade industrial em maio Os dados de atividade levantados pela Sondagem Industrial mostram recuperação, após o fraco mês de

Leia mais