Workflow Composer. Referência de script. Março de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Workflow Composer. Referência de script. Março de 2003. www.lexmark.com"

Transcrição

1 Workflow Composer Referência de script Março de 2003

2 Edição: Março de 2003 O parágrafo a seguir não se aplica a qualquer país em que tais provisões sejam inconsistentes com a lei local: A LEXMARK INTERNATIONAL, INC. FORNECE ESTA PUBLICAÇÃO NA PRESENTE FORMA SEM NENHUMA GARANTIA, EXPRESSA OU IMPLÍCITA, INCLUINDO, MAS NÃO LIMITANDO, AS GARANTIAS IMPLÍCITAS DE COMERCIABILIDADE OU ADEQUAÇÃO A UM PROPÓSITO ESPECÍFICO. Alguns estados não permitem isenção de responsabilidade de garantias explícitas ou implícitas em certas transações; portanto, esta declaração pode não se aplicar a você. Esta publicação pode incluir imprecisões técnicas ou erros tipográficos. São feitas alterações periódicas nas informações aqui contidas; tais alterações serão incorporadas em edições posteriores. Melhorias ou alterações nos produtos ou programas descritos podem ser efetuadas a qualquer momento. Comentários sobre esta publicação podem ser endereçados a Lexmark International, Inc., Department F95/032-2, 740 West New Circle Road, Lexington, Kentucky 40550, U.S.A. No Reino Unido e na Irlanda, envie para Lexmark International Ltd., Marketing and Services Department, Westhorpe House, Westhorpe, Marlow Bucks SL7 3RQ. A Lexmark pode usar ou distribuir quaisquer informações fornecidas por você da forma que julgue apropriada, sem com isso incorrer em qualquer obrigação. Você pode adquirir cópias adicionais das publicações relacionadas a esse produto, ligando para No Reino Unido e na Irlanda, ligue para +44 (0) Em outros países, entre em contato com o ponto de compra. As referências encontradas nesta publicação a produtos, programas ou serviços não indicam que o fabricante pretende torná-los disponíveis em todos os países em que opera. Quaisquer referências a um produto, programa ou serviço não sugerem que somente aquele produto, programa ou serviço possa ser usado. Qualquer produto, programa ou serviço com funcionalidade semelhante que não infrinja os direitos de propriedade intelectual existentes pode ser usado em substituição. A avaliação e a verificação do funcionamento em conjunto com outros produtos, programas ou serviços, exceto os que forem expressamente indicados pelo fabricante, são de responsabilidade do usuário. Lexmark e Lexmark com desenho de diamante são marcas comerciais da Lexmark International, Inc., registradas nos Estados Unidos e/ou em outros países. Copyright 2003 Lexmark International, Inc. Todos os direitos reservados. DIREITOS DO GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS Este software e qualquer documentação que o acompanhe fornecidos mediante este acordo são software de computador comercial e documentação desenvolvida exclusivamente em despesas privadas.

3 Índice Introdução... 1 O que há de novo na versão Códigos de barra... 2 Reconhecimento de caracteres... 2 Conjuntos de formulários... 2 Definições locais... 2 Impressão... 3 Solicitando dados aos usuários... 3 Outras atualizações... 3 Workflow Composer... 3 Capítolo 1: Noções básicas...5 Objetos... 5 Declarando variáveis... 6 Controle do fluxo... 6 If/Then/Else... 6 Switch/Case... 7 Declarações repetitivas... 8 Loop... 8 Repetir... 9 Operadores Matemáticos Comparação Booleano Outros recursos Objeto abreviado utilizando with Depurando um script Cancelando um script durante o tempo de execução i

4 Capítolo 2: Objetos de tipo de dados...16 Booleano Operadores Documento Métodos Operadores Inteiro Métodos Operadores Real Métodos Operadores Seqüência Métodos Operadores Mapa Métodos Capítolo 3: Objetos do Helper...39 Matriz booleana Métodos Conjunto de dados Métodos Matriz do número inteiro Métodos Opções de impressão Métodos Opções Matriz do número real Métodos Matriz da Métodos Arquivo de textos Métodos ii

5 Capítolo 4: Objetos do sistema...56 Original Usertime Confirm Local Capítolo 5: Objetos de ação...64 BarcodeRead (Códigos de barras: Leitura) BarcodeWrite (Códigos de barras: Gravação) ConvertImageFormat (Images: Change Format) ConvertToDocument (Imagens: Converter para Postscript ou PDF [Image]) DatabaseNotes (Groupware: Check In) Domino.Doc Actions DominoDocCheckIn (EDMS: Check In) DominoDocRetrieve (EDMS: Retrieve) Conectando-se ao Domino.Doc Navigando em uma Biblioteca do Domino.Doc Exchange ( ) Notes ( ) SMTP ( ) Endereços de Destinatários e Remetentes FaxByPrinter (Fax) FTPget (FTP: Get) FTPput (FTP:Put) Ações GroupWise GWMail ( ) GWDiscuss ( ) GWCheckIn (Groupware: Check In) iii

6 ImageCombine (Images: Combine within Document) ImageCrop (Images: Crop) ImageDeskew (Images: Declinar) ImageInvert (Imagens: Inverter) ImageMerge (Imagens: Cobrir) ImageRotate (Imagens: Girar) ImageSeparate (Imagens: Separar dentro do documento) ImageText (Imagens: Cobrir Texto) ImageToHTML (Imagens: Conveter para HTML) Tipos de texto ImageToPDF (Imagens: Converter para PDF [Pode ser pesquisado]) Tipos de texto ImageToRTF (Imagens: Converter para RTF) Tipos de texto ImageToText (Imagens: Converter para texto) Tipos de texto LaunchExe (Lançar um outro programa) Verificando valores de retorno MergeForm (Formulários: Mesclar no PDF) Ações ODBC Introdução ODBCWrite (Banco de dados ODBC: Gravar) ODBCRead (Banco de dados ODBC: Leitura) PrintByDriver (Print) PrintForm (Print) Tipo de impressora PrintJob (Print) Confirmação de impressão iv

7 PrintURL (Print) SaveToFile (Save to File) SharePoint SharePointWrite (EDMS: Verificar) SharePointRead (EDMS: Recuperar) Capítolo 6: Prompts Comando da matriz Comando Booleano Comando do inteiro Comando de mensagem Comando de senha Comando da Apêndice A: Referência do ODBC Requisitos e configuração do software Suporte do documento de banco de dados Inserindo valores em Colunas de data Apêndice B: Referência do código de barras Codabar Código 2 de Código 3 de Código Código EAN EAN ITF Correção v

8 PDF UCC UPC-A UPC-E vi

9 Introdução Este manual fornece uma referência técnica para o LDDScript 3.1, a linguagem de script do pacote de produtos Lexmark Document Solutions. Supõe-se que você já esteja familiarizado com a linguagem; se não estiver, por favor, consulte novamente o manual Script Writing instalado com este produto. A Referência do script está organizada da seguinte maneira: Capítulo 1, "Noções básicas" Visão geral rápida das construções básicas do LDDScript. Para exemplos detalhados, consulte o manual Script Writing. Capítulo 2, "Objetos de tipo de dados" Informações sobre os tipos de dados suportados. Capítulo 3, "Objetos do Helper" Informações sobre objetos utilizados para executar Operações comuns. Capítulo 4, "Objetos do sistema" Informações sobre os objetos que fornecem os dados com um trabalho enviado e fornecem feedback para o usuário final. Capítulo 5, "Objetos de ação" Informações sobre objetos que executam o processamento real de documentos para rotear, armazenar em bancos de dados, imprimir, etc. Capítulo 6, "Prompts" Informações sobre a sintaxe e os objetos para que os usuários solicitem dados. Apêndice A, Referência ODBC Informações sobre interface com bancos de dados de dentro de um script. Apêndice B, "Referência do código de barras" Informações sobre os códigos de barras suportados pelo LDDScript. 1

10 O que há de novo na versão 3.1 O LDDScript 3.1 continua com a mesma sintaxe e construções introduzidas com o Lexmark Document Distributor versão 2.0. O pacote de produtos que utilizam a linguagem de script tem sido expandido para incluir: Lexmark Document Distributor Lexmark Document Producer Lexmark Document Portal A linguagem de script funciona com os três produtos e permite que você automatize seu fluxo de trabalho, produza formulários baseados em servidores e imprima formulários em branco ou preenchidos Os produtos podem funcionar independentemente ou serem integrados para fornecer uma solução de documentos completa. Códigos de barra O suporte de código de barras disponível com o LDDScript foi amplamente aprimorado para fornecer suporte para mais tipos de códigos de barras e maior controle sobre os códigos de barras que são reconhecidos. Além disso, o LDDScript suporta agora a geração de código de barras, para que você possa adicionar códigos de barras a documentos digitalizados. A ação ConvertBarcodeToText anterior foi substituída pelas ações BarcodeRead e BarcodeWrite. Reconhecimento de caracteres O suporte do reconhecimento de caracteres disponível com o LDDScript tem sido amplamente aprimorado para fornecer melhores resultados de reconhecimento e melhor retenção de layout do documento. Os formatos oferecidos incluem HTML, Rich-Text Format (RTF), utilizado pela maioria dos processadores de texto, PDFs que podem ser pesquisados e texto simples. A ação ConvertToText anterior tem sido substituída pelas ações ImageToHTML, ImageToPDF, ImageToRTF, e ImageToText. Conjuntos de formulários Com o Lexmark Document Producer, é possível que os fluxos de impressão ASCII ou RDI sejam direcionados para e recebidos do Document Server. Utilizando as ações MergeForm e PrintForm, você pode mesclar os dados com um formulário em PDF e obtê-las como resultado do documento impresso diretamente para uma impressora da rede. Ou, utilizando outras ações no LDDScript, os Conjuntos de formulários mesclados resultantes podem ser arquivados, enviados por fax, etc. Além disso, podem ser solicitadas informações aos usuários do Document Portal e, em seguida, obter os Conjuntos de formulários preenchidos à mão impressos já com as informações apropriadas. Definições locais Ao gravar um script, às vezes é aconselhável que o administrador configure algumas das definições, mas sem ter que aprender nem modificar o script. Nesta versão, as Definições Locais são novas. O gravador de script pode fazer as definições locais (como endereços IP de impressoras, números de fax, servidores de e assim por diante) e o administrador pode alterar essas definições no Server Manager. O gravador de script não tem que conhecer os detalhes técnicos do ambiente em que o script será executado e o admin não precisa aprender a linguagem do script. Este recurso substitui os comandos de compilação (#prompt) introduzidos no LDDScript

11 Impressão As opções de controle de trabalho disponíveis para imprimir documentos têm sido aprimoradas para oferecer mais opções para mais tipos de documentos. Agora, os arquivos de imagem tais como PDF, TIFF e JPEG podem ser enviados diretamente para impressoras equipadas com a opção ImageQuick e ainda são capazes de definir as opções de trabalhos como duplexação, grampeamento, etc. Além disso, os arquivos de texto e os arquivos PostScript podem ser enviados para qualquer impressora de rede, eles também ganharam mais opções de acabamento. As ações PrintIP, PrintASCII, PrintTIF, e PrintPDF anteriores têm sido substituídas pela ação PrintJob. Solicitando dados aos usuários A habilidade de solicitar dados aos usuários em um MFP ou em uma estação de trabalho ao enviar um trabalho tem sido completamente alterada nesta versão. Além de um conjunto estático de perguntas, agora é possível criar um conjunto dinâmico de perguntas que pode ser alterado com base no logon do usuário final, na resposta do usuário às questões anteriores, etc. Agora também é possível verificar as respostas antes que um trabalho seja enviado ou obter uma lista de respostas possíveis a partir de um banco de dados ou alguma outra origem e exibi-las ao usuário. Este novo mecanismo permite que você crie scripts poderosos e flexíveis e forneça meios mais eficientes para automatizar seu fluxo de trabalho. Outras atualizações As seguintes adições e aprimoramentos também estão disponíveis nesta versão. Matrizes Foram adicionadas leitura/gravação de matrizes (ver stringarray, intarray, realarray, boolarray). ConvertImageFormat Foi adicionado suporte para converter de PDF para outros formatos de imagem, como TIFF e JPEG. Documentos Foi adicionado suporte para criar arquivos temporários que são excluídos automaticamente depois que o script for executado. ImageMerge Foi adicionado suporte para especificar locais genéricos (como Esquerda superior) em vez de coordenadas de pixels. Lotus Notes Foi adicionado suporte para Notes e DatabaseNotes para arquivos de ID com senhas Mapas Foi adicionado suporte para criar uma para o mapa de s. SaveToFile Foi adicionado suporte para criar um diretório, se ele ainda não existir. Seqüências Foi adicionado suporte para executar as opções localizar/substituir em uma. Workflow Composer Além das adições e aprimoramentos feitos na linguagem de script, os aplicativos do usuário final também foram atualizados para esta versão. O Document Server Admin anterior foi substituído pelo Server Manager e Workflow Composer. O Server Manager é utilizado para gerenciar Document Servers, MFP e scripts. O Workflow Composer é utilizado para gravar e manter os scripts. 3

12 Os recursos do novo Workflow Composer incluem: Datas de expiração Faz com que os scripts parem de funcionar após uma determinada data. Ajuda on-line Ajuda melhorada para permitir acesso rápido à Referência de script. Senhas Define senhas em script para proteger de alterações não autorizadas. Preenchimento rápido Salva e rapidamente reutiliza ações comuns e de operações em scripts. Assistente do script Interface melhorada para permitir uma criação mais rápida de scripts. Destaque de sintaxe Palavras-chave e s podem ser definidas como cores diferentes para rápida identificação durante o processo de gravação do script. Para obter mais informações sobre como utilizar o Workflow Composer, consulte a Ajuda on-line fornecida com o produto. 4

13 1 Noções básicas Objetos Um objeto é o bloco de construção básica do LDDScript. Um objeto contém propriedades e métodos. Uma propriedade é um dos objetos de tipo de dados básico, tais como uma ou um inteiro. Uma propriedade é definida como vários valores para afetar como o objeto opera. Um método é uma função chamada para operar nos dados. Um método pode ser parâmetros transmitidos e pode retornar um valor. Os parâmetros e valores retornados são tipos de dados ou objetos do Helper. A notação de pontos é utilizada para acessar as propriedades e os métodos de um objeto. Para definir o valor de uma propriedade: ObjectName.propertyName = value Para chamar um método: ObjectName.MethodName() ObjectName.MethodName(param1, param2) returnvalue = ObjectName.MethodName(param1) O LDDScript suporta cinco tipos de objetos: Tipo de dados Os objetos mais básicos; todas as propriedades e a maioria das variáveis são deste tipo. Helper Fornece uma maneira fácil de executar algumas operações comuns. Sistema Não processa documentos, utilizado para reunir entrada e fornecer feedback ao usuário. Ação Processa documentos, executa o arquivamento, roteamento, distribuição, etc. Os capítulos restantes deste manual fornecem uma referência para os objetos de cada tipo. 5

14 Declarando variáveis Todas as variáveis devem ser declaradas antes que possam ser utilizadas. As variáveis não podem ser declaradas dentro de um bloco "with" ou dentro de quaisquer manuais lógicos como if/then ou loops. Para declarar uma variável, especifique seu tipo de objeto e nome. Por exemplo: texto da número inteiro Há algumas regras a serem seguidas durante a nomenclatura das suas variáveis: O nome deve ser composto por letras, números e sublinhados. O primeiro caractere do nome deve ser uma letra. Deve ser exclusivo dentro do script; os nomes não diferenciam maiúsculas de minúsculas, sendo assim Nome, NOME e nome são todos considerados o mesmo nome de variável. Não pode ser uma palavra reservada (uma que tenha um significado especial para o compilador de script). Controle do fluxo Para controlar a execução das declarações do script, é necessário algum tipo de lógica de controle de fluxo. As declarações de script podem ser executadas de três maneiras: seqüencial, seletiva ou repetidamente. Quando nenhuma lógica de controle de fluxo é utilizada, as declarações são executadas para que elas estejam no script. Para uma seleção executiva de determinadas declarações de script, é possível utilizar if/then/else ou declarações de chave/caso. Para execução repetitiva de declarações de script, o loop e as declarações de repetição podem ser utilizados. Estas declarações de controle de fluxo serão abordadas posteriormente. If/Then/Else O tipo mais comum de controle de fluxo é a habilidade de executar uma declaração se uma determinada condição for verdadeira. Esta habilidade é implementada no Document Server pela construção if/then/else. O formato básico é: if (bool expression) then statement1 statementn endif statement1 até statementn são executadas somente se a expressão booleana entre parênteses for VERDADEIRA. Às vezes, também é necessário avaliar um conjunto de declarações se uma condição for VERDADEIRA e outra for FALSA. Pode ser realizada utilizando a construção else: if (bool expression) then statementa statementc else statementx statementz endif statementa até statementc são executadas se a expressão booleana entre parênteses for VERDADEIRA; caso contrário, statementx até statementz serão executadas. 6

15 Switch/Case Às vezes, você tem mais do que uma condição que deseja verificar. É possível fazer isso com várias declarações If/Then. A declaração Chave/Caso fornece uma maneira mais fácil de fazer várias comparações. Chave de número inteiro Chave de switch (intvar) switch (stringvar) case intval1 case "stringval1" statementa statementa statementb statementb case intval2 case "stringval2" statementc statementc statementd statementd default default statemente statemente statementf statementf endswitch endswitch Você pode utilizar valores inteiros ou de com a declaração Chave/Caso. Baseado no valor da variável, o bloco do caso correspondente ao valor é executado. Cada bloco do caso pode conter várias declarações, mas somente um bloco do caso é executado. Se o valor da variável de chave não corresponder a nenhum dos casos, o bloco padrão será executado. O bloco padrão não é necessário. No entanto, se um bloco padrão for utilizado, ele deverá ser o último bloco. Exemplo de chave As MFPs (Impressoras multifunção) possui um recurso de estatísticas de trabalho. Quando este recurso estiver ativado, os usuários devem inserir um número de conta antes de acessar um perfil. Para este exemplo, os usuários inserem um número de departamento quando utilizam os perfis. Este exemplo de script utiliza uma declaração Chave/Caso para verificar o número do departamento. string CustomSubject // Utilize o número da conta como um inteiro int DeptNumber = original.useracct.asint() switch (DeptNumber) case 35 CustomSubject = "Documento de Recursos Humanos" case 41 CustomSubject = "Documento do Departamento Legal" case 15 CustomSubject = "Documento do Departamento de Envio" default CustomSubject = "Documento da Empresa FooBar" endswitch with endwith 7

16 Declarações repetitivas Cada declaração é um script executado apenas uma vez. As declarações de repetição e loop permitem que você execute o mesmo bloco de declarações várias vezes. Loop Quando você desejar repetir um conjunto de declarações um número conhecido de vezes, utilize a declaração de loop. Sintaxe: loop (intcounter from istart to ifinish) statement1 statementn endloop em que: intcounter é anteriormente declarado como uma variável de inteiro istart é um valor inteiro para atribuir ao intvar quando o loop iniciar ifinish é um valor inteiro que é o máximo para intvar Ao utilizar uma variável de inteiro como um contador, o loop será repetido quantas vezes estiverem especificadas nas informações istart/ifinish. É possível incluir o número de declarações que desejar no bloco de loop. O bloco de loop termina com a declaração de loop final. O loop começa com a variável do contador sendo atribuída com o valor indicado por istart. Com a execução exata do loop, o valor do contador é aumentado por 1. Isso continua até que o contador esteja maior que o valor de ifinish. Assim, um loop de 1 a 10 se repete até que o contador tenha um valor de 11. O valor de istart deve ser menor que o valor de ifinish. A variável de inteiro utilizada para o contador deve ser declarada antes de utilizá-la na declaração de loop. Exemplo: Envie por o documento digitalizado originalmente para dez representantes do atendimento ao cliente. Neste script, as propriedades comuns SMTP são especificadas antes que os s sejam enviados dentro da declaração de loop. string Add int LoopCount // Configure as propriedades comuns para os s. with SMTP.Subject="Customer esta reclamação".attachments=original.document.characterset=ldd_smtpcharset_us endwith loop (LoopCount de 1 até 10) SMTP.To="CustRep" + LoopCount.AsString() + SMTP.Go() endloop 8

17 Repetir A declaração de repetição permite que você execute um bloco de declarações várias vezes até que a expressão se torne verdadeira. repetir (até a expressão booleana) statement1 statementn endrepeat A declaração de repetição executa o bloco de declarações até que a expressão booleana seja VERDADEIRA. É possível ter quantas declarações desejar no bloco de loop. A declaração endrepeat termina o bloco de loop. Se o valor inicial da expressão booleana for verdadeiro, o loop não será executado. Exemplo: Este script utiliza OCR (Optical Character Recognition) para verificar documentos digitalizados por usuários finais para documentos confidenciais. Se o documento for confidencial, não será enviado por . A imagem digitalizada é salva em um arquivo e uma mensagem de aviso é enviada ao usuário que digitalizou o documento confidencial. with ImageToText.input=original.document.TextType=LDD_TEXTTYPE_NORMAL.Language=LDD_LANG_ENGLISH.AllPages=TRUE.Go() endwith textfile tf string OneLine, Submitter // Abra os resultados da ação de OCR tf.open(imagetotext.output) bool bconfdoc = FALSE int icount, iend icount =1 iend = tf.getnumberlines() Submitter = original.username+ // Verifique cada linha para o termo Confidencial repeat (until (bconfdoc OR (icount>=iend))) OneLine = tf.readline() if (OneLine.Contains("Confidential")) then bconfdoc = TRUE endif Count.Add(1) endrepeat 9

18 // Se isso for um Documento confidencial, salve-o e envie uma mensagem de aviso if (bconfdoc) then with SaveToFile.input=original.document.Path="c:\ebc.txt".AppendTimestamp=TRUE.Overwrite=FALSE.Go() endwith with SMTP.Server="mailserver.com".To= inválido rejeitado".message="impossível enviar um documento confidencial por ".characterset=ldd_smtpcharset_us.go() endwith else with digitalizado".message="aqui está o documento solicitado".characterset=ldd_smtpcharset_us.attachments=original.document.go() endwith endif 10

19 Operadores Matemáticos Estes operadores são utilizados para definir ou alterar o valor de uma variável ou propriedade. Operador Símbolo Adição + Para números inteiros e objetos reais, ele adiciona o número em ambos os lados do + e retorna o novo valor. Para objetos de, ele tem um comportamento semelhante ao método concatenado. Ele anexa a do lado direito à do lado esquerdo e retorna a nova. Para objetos de documentos, ele anexa o documento do lado direito com o documento do lado esquerdo e retorna o novo documento. Em todos os casos, as variáveis em cada lado permanecem inalteradas. Subtração - Para números inteiros e objetos reais, subtrai-se o número da direita do número da esquerda e retira o novo valor. As variáveis de cada lado permanecem inalteradas. Não é válido para nenhum outro tipo de objeto. Multiplicação * Para números inteiros e objetos reais, ele multiplica os números em ambos os lados do " * " e retorna o novo valor. As variáveis de cada lado permanecem inalteradas. Não é válido para nenhum outro tipo de objeto. Divisão \ Para números inteiros e objetos reais, divide-se o número da esquerda pelo número da direita e retorna o novo valor. As variáveis de cada lado permanecem inalteradas. Não é válido para nenhum outro tipo de objeto. Módulo % Para objetos inteiros, divide-se o número da esquerda pelo número da direita e retorna o restante. As variáveis de cada lado permanecem inalteradas. Não é válido para nenhum outro tipo de objeto. Por exemplo, 5/2 retorna 1 uma vez que 5 dividido por 2 é 2 com um resto de 1. 11

20 Comparação Estes operadores são utilizados para comparar os valores de variáveis ou as propriedades do mesmo tipo. O resultado da comparação é um valor booleano (VERDADEIRO ou FALSO). Quaisquer símbolos listados para um operador podem ser utilizados. Operador Símbolos Menor que <, LT Para inteiros e reais, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for menor do que o valor do lado direito. Para s, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo vem alfabeticamente antes do valor do lado direito (incluindo o caso). Caso contrário, retorna FALSO. Maior que >, GT Para inteiros e reais, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for maior do que o valor do lado direito. Para s, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo vem alfabeticamente depois do valor do lado direito (incluindo o caso). Caso contrário, retorna FALSO. Menor que ou Igual a <=, LE Para inteiros e reais, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for menor do que ou igual ao valor do lado direito. Para s, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo vem alfabeticamente antes do valor do lado direito ou ainda se for igual ao valor do lado direito (incluindo o caso). Caso contrário, retorna FALSO. Maior que ou Igual a >=, GE Para inteiros e reais, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for maior do que ou igual ao valor do lado direito. Para s, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo vem alfabeticamente depois do valor do lado direito ou ainda se for igual ao valor do lado direito (incluindo o caso). Caso contrário, retorna FALSO. Igual a ==, EQ (sinal de igual duplo) Para inteiros e reais, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for igual ao valor do lado direito. Para s, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for exatamente o mesmo (incluindo o caso) que o valor do lado direito. Caso contrário, retorna FALSO. Diferente de!=, <>, NE Para inteiros e reais, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for diferente do valor do lado direito. Para s, retorna VERDADEIRO se o valor do lado esquerdo for diferente (incluindo o caso) do que o valor do lado direito. Caso contrário, retorna FALSO. 12

21 Booleano Estes operadores são utilizados para construir expressões booleanas complexas. Cada valor de cada lado do operador deve ser um valor booleano. O resultado do operador booleano é um valor booleano(verdadeiro ou FALSO). Quaisquer símbolos listados para um operador podem ser utilizados. Operador Símbolos And &, &&, AND Dois valores booleanos ANDs para obter o resultado booleano final. Or,, OR Dois valores booleanos ORs para obter o resultado booleano final. Not!, NOT Um valor booleano NOTs para obter o resultado booleano final. A tabela a seguir mostra os resultados dos métodos AND e OR utilizando: bool1 AND bool2 bool1 OR bool2 bool 1 bool2 AND OR FALSO FALSO FALSO FALSO FALSO VERDADEIRO FALSO VERDADEIRO VERDADEIRO FALSO FALSO VERDADEIRO VERDADEIRO VERDADEIRO VERDADEIRO VERDADEIRO A tabela a seguir mostra os resultados de NOTmethods utilizando: NOT bool1 bool 1 VERDADEIRO FALSO NOT FALSO VERDADEIRO 13

22 Outros recursos Objeto abreviado utilizando with Se você tiver um código de seção que esteja trabalhando com o mesmo objeto, poderá representar um incômodo digitar continuamente o nome do objeto. Para evitar isso, você pode utilizar a declaração with. O formato geral é: with objectname.property = value.property = value.method() endwith Você declara o nome do objeto que está sendo utilizado na declaração with e, então, pode se referir a qualquer propriedade ou método do objeto utilizando simplesmente o ponto seguido pela propriedade ou nome do método. Isso é muito utilizado com objetos de ação. Depurando um script Quando um script é executado, o objeto de ações pode gravar o erro e as mensagens de aviso no log. É possível também gravar suas mensagens no log para ajudar a depurar seu script. Por exemplo, você pode querer saber o valor de uma variável ou o valor do retorno de um método. Para gravar sua mensagem no log, utilize a declaração depurar. debug (msg) A msg pode ser uma variável de, uma entre aspas ou uma expressão numérica. A seguir estão alguns exemplos. int index= 3 string ErrorMsg = "Falha na impressão" debug (index) debug (ErrorMsg) debug ("Trabalho recebido de " + original.username) Cada um destes grava uma mensagem no log do servidor. 14

23 Cancelando um script durante o tempo de execução Se você detectar uma condição de erro durante a execução do script, é muito útil que se tenha um meio de interromper o processamento do script. Para realizar isso, utilize a função de saída. void exit(string msg) A função de saída interrompe o processamento do script. Ela permite que você transmita uma que aparece no log do servidor bem como na página de confirmação/caixa de diálogo. 15

Document Solutions Desktop

Document Solutions Desktop Document Solutions Desktop Guia do Usuário Para ver ou fazer o download desta ou de outras publicações do Lexmark Document Solutions, clique aqui. Outubro de 2003 www.lexmark.com Edição: Outubro de 2003

Leia mais

Document Distributor. Exemplos de scripts. Março, 2003. www.lexmark.com

Document Distributor. Exemplos de scripts. Março, 2003. www.lexmark.com Document Distributor Exemplos de scripts Março, 2003 www.lexmark.com Edição: Março, 2003 O seguinte parágrafo não se aplica a nenhum país onde tais provisões não estejam de acordo com as leis locais. A

Leia mais

Visão geral do Document Distributor

Visão geral do Document Distributor Para ver ou fazer o download desta ou de outras publicações do Lexmark Document Solutions, clique aqui. Visão geral do Document Distributor O pacote Lexmark Document Distributor oferece uma maneira de

Leia mais

Forms Composer. Usando o Forms Composer. Outubro de 2002. www.lexmark.com

Forms Composer. Usando o Forms Composer. Outubro de 2002. www.lexmark.com Forms Composer Usando o Forms Composer Outubro de 2002 www.lexmark.com Edição: Outubro de 2002 O seguinte parágrafo não se aplica a nenhum país no qual tais provisões não estejam de acordo com as leis

Leia mais

Document Portal. Guia do administrador. Outubro 2002. www.lexmark.com

Document Portal. Guia do administrador. Outubro 2002. www.lexmark.com Document Portal Guia do administrador Outubro 2002 www.lexmark.com Edição: Outubro 2002 O seguinte parágrafo não se aplica a nenhum país onde tais provisões não estejam de acordo com as leis locais. LEXMARK

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

Document Distributor 1. Benefícios. Document Distributor

Document Distributor 1. Benefícios. Document Distributor 1 O pacote do da Lexmark oferece uma maneira de gravar scripts personalizados, incluindo etapas do fluxo de trabalho do papel. Combine estes scripts personalizados com configurações de digitalização (formato,

Leia mais

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series www.lexmark.com Julho de 2007 Lexmark e Lexmark com desenho de losango são marcas registradas da Lexmark International,

Leia mais

Opções da MFP X4500, 5500, X7500

Opções da MFP X4500, 5500, X7500 Opções da MFP X4500, 5500, X7500 Guia do usuário Outubro de 2002 www.lexmark.com Edição: Outubro de 2002 O parágrafo a seguir não se aplica a nenhum outro país onde tais provisões sejam inconsistentes

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Forms Composer. Document Producer 1. Document Producer

Forms Composer. Document Producer 1. Document Producer 1 O Lexmark versão 3.0 combina software de projeto de formulários eletrônicos com aplicativos de servidor de formulários eletrônicos. Agora você pode criar formulários personalizados e combiná-los com

Leia mais

Instalando e usando o Document Distributor 1

Instalando e usando o Document Distributor 1 Instalando e usando o 1 O é composto por pacotes de software do servidor e do cliente. O pacote do servidor deve ser instalado em um computador Windows NT, Windows 2000 ou Windows XP. O pacote cliente

Leia mais

Instalação e utilização do Document Distributor

Instalação e utilização do Document Distributor Para ver ou fazer o download desta ou de outras publicações do Lexmark Document Solutions, clique aqui. Instalação e utilização do Document Distributor O Lexmark Document Distributor é composto por pacotes

Leia mais

Mais configuração OptraImage

Mais configuração OptraImage 1 fax Personalizar configurações..................... 2 Defina manualmente as informações básicas do fax........ 4 Crie destinos permanentes de fax....................... 6 Altere as configurações de receber

Leia mais

Solução de acessibilidade. Guia do administrador

Solução de acessibilidade. Guia do administrador Solução de acessibilidade Guia do administrador Julho de 2014 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral...3 Configurando o aplicativo...4 Configurando o acesso do usuário...4 Desativando funções

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

HP Capture and Route (HP CR) Guia do Usuário

HP Capture and Route (HP CR) Guia do Usuário HP Capture and Route (HP CR) Guia do Usuário HP Capture and Route (HP CR) Guia do Usuário Número de referência: 20120101 Edição: janeiro de 2012 2 Avisos legais Copyright 2012 Hewlett-Packard Development

Leia mais

Disparando o interpretador

Disparando o interpretador Capítulo 2: Usando o interpretador Python Disparando o interpretador O interpretador é frequentemente instalado como /usr/local/bin/python nas máquinas onde está disponível; adicionando /usr/local/bin

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Seu manual do usuário LEXMARK E210 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1259082

Seu manual do usuário LEXMARK E210 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1259082 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

Desenvolvido por: Juarez A. Muylaert Filho - jamf@estacio.br Andréa T. Medeiros - andrea@iprj.uerj.br Adriana S. Spallanzani - spallanzani@uol.com.

Desenvolvido por: Juarez A. Muylaert Filho - jamf@estacio.br Andréa T. Medeiros - andrea@iprj.uerj.br Adriana S. Spallanzani - spallanzani@uol.com. UAL é uma linguagem interpretada para descrição de algoritmos em Português. Tem por objetivo auxiliar o aprendizado do aluno iniciante em programação através da execução e visualização das etapas de um

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Introdução à Programação em Visual Basic Fabricio Breve Objetivos Ser capaz de escrever programas simples em Visual Basic Ser capaz de usar os comandos de entrada e saída Familiarizar-se

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

Professor Paulo Najar www.aprenderdigital.com.br

Professor Paulo Najar   www.aprenderdigital.com.br ~ 1 ~ O QUE É O BROFFICE? Broffice.org é o nome de um conjunto de programas de escritório livre (free software), disponível na internet gratuitamente (no site www.broffice.org) que oferece ferramentas

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

ModusOne. ModusOne Client. Version: 5.2

ModusOne. ModusOne Client. Version: 5.2 ModusOne ModusOne Client Version: 5.2 Written by: Product Documentation, R&D Date: February 2013 2012 Perceptive Software. All rights reserved ModusOne é uma marca registrada da Lexmark International Technology

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

CalcForce. Guia do Usuário. Versão 1.0. Revisão 0

CalcForce. Guia do Usuário. Versão 1.0. Revisão 0 CalcForce Guia do Usuário Versão 1.0 Revisão 0 Copyright 2012 Datatific. Todos os direitos reservados. As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. Índice analítico

Leia mais

OCR AccuRead. Guia do administrador

OCR AccuRead. Guia do administrador OCR AccuRead Guia do administrador Abril de 2015 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral...3 Aplicativos suportados...3 Formatos e idiomas suportados...4 Desempenho do OCR...4 Documentos de exemplo...6

Leia mais

Internet e Programação Web

Internet e Programação Web COLÉGIO ESTADUAL PEDRO MACEDO Ensino Profissionalizante Internet e Programação Web 3 Técnico Prof. Cesar 2014 1 SUMÁRIO Criar sites dinâmicos em PHP --------------------------------------------------------

Leia mais

Guia de Coleta de Frete

Guia de Coleta de Frete IBM Sterling Transportation Management System Guia de Coleta de Frete Data do Documento: 13 de Abril de 2013 IBM Sterling Transportation Management System Guia de Coleta de Frete Data do Documento: 13

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1 EXCEL 2007 O Excel 2007 faz parte do pacote de produtividade Microsoft Office System de 2007, que sucede ao Office 2003. Relativamente à versão anterior (Excel 2003), o novo programa introduz inúmeras

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

Google Cloud Print. Guia do administrador

Google Cloud Print. Guia do administrador Google Cloud Print Guia do administrador Março de 2015 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral... 3 Configuração do aplicativo...4 Adquirindo uma conta do Google...4 Acessando a página de configuração

Leia mais

Impressão de dados variáveis

Impressão de dados variáveis 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. 11 de junho de 2014 Conteúdo 3 Conteúdo Visão geral da impressão de

Leia mais

Guia de Introdução para Transportadoras

Guia de Introdução para Transportadoras IBM Sterling Transportation Management System Guia de Introdução para Transportadoras Data do Documento: 13 de Abril de 2013 IBM Sterling Transportation Management System Guia de Introdução para Transportadoras

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

Introdução à estrutura de dados com Python

Introdução à estrutura de dados com Python Introdução à estrutura de dados com Python CLEIBSON APARECIDO DE ALMEIDA UFPR Universidade Federal do Paraná PPGMNE Programa de Pós Graduação em Métodos Numéricos em Engenharia Centro Politécnico CEP 81.531-980

Leia mais

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE 3.1 Operadores Os operadores indicam o tipo de operação matemática que será executada gerando novos valores a partir de um ou mais operadores. São muito utilizados em

Leia mais

e à Linguagem de Programação Python

e à Linguagem de Programação Python Introdução a Algoritmos, Computação Algébrica e à Linguagem de Programação Python Curso de Números Inteiros e Criptografia Prof. Luis Menasché Schechter Departamento de Ciência da Computação UFRJ Agosto

Leia mais

Introdução à Linguagem

Introdução à Linguagem Introdução à Linguagem Curso de Nivelamento do PPGMNE Janeiro / 2011 Juliano J. Scremin jjscremin@jjscremin.t5.com.br Um pouco de história Um pouco de história: Nascimento do Python Um pouco de história:

Leia mais

A-61629_pt-br. Smart Touch versão 1.4

A-61629_pt-br. Smart Touch versão 1.4 A-61629_pt-br Smart Touch versão 1.4 Usando a função Smart Touch Conteúdo Visão geral... 1 Inicializando o Smart Touch... 2 Usando o Smart Touch com números de função padronizados e tarefas predefinidas...

Leia mais

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14 Guia do Usuário idocsscan v.2.1.14 2013 BBPaper_Ds - 2 - Sumário Introdução... 5 Instalação... 7 Inicializando a aplicação... 12 Barras de acesso e informações... 13 Teclas de atalho... 14 Barra de Ferramentas...

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Programação Elementar de Computadores Jurandy Soares

Programação Elementar de Computadores Jurandy Soares Programação Elementar de Computadores Jurandy Soares Básico de Computadores Computador: dispositivos físicos + programas Dispositivos físicos: hardware Programas: as instruções que dizem aos dispositivos

Leia mais

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr)

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) por Eduardo Vieira Machado (Good Guy) Hoje gostaria de tratar de um assunto bastante atraente no Access e que é muito trabalhado nas empresas - a manipulação

Leia mais

Programação de Computadores. Professor Ilaim Costa Junior ilaim@ic.uff.br Www.ic.uff.br/~ilaim

Programação de Computadores. Professor Ilaim Costa Junior ilaim@ic.uff.br Www.ic.uff.br/~ilaim Programação de Computadores Professor Ilaim Costa Junior ilaim@ic.uff.br Www.ic.uff.br/~ilaim Roteiro da Aula de Hoje Introdução ao FORTRAN (Parte I) Organização de programas Tipos de dados Variáveis Programação

Leia mais

Introdução ao FORTRAN (Parte I)

Introdução ao FORTRAN (Parte I) Programação de Computadores III Aula 7 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

Como obter Ajuda. Mensagens do sistema. Acessar. Ícones do painel de controle

Como obter Ajuda. Mensagens do sistema. Acessar. Ícones do painel de controle Como obter Ajuda Para obter informações/assistência, verifique o seguinte: Guia do Usuário, para obter informações sobre como usar a Xerox 4595. Para obter assistência on-line, visite: www.xerox.com Clique

Leia mais

Tutorial de Matlab Francesco Franco

Tutorial de Matlab Francesco Franco Tutorial de Matlab Francesco Franco Matlab é um pacote de software que facilita a inserção de matrizes e vetores, além de facilitar a manipulação deles. A interface segue uma linguagem que é projetada

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

Google Drive Print. Guia do administrador

Google Drive Print. Guia do administrador Google Drive Print Guia do administrador Março de 2015 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral...3 Configuração do aplicativo...4 Adquirindo uma conta do Google...4 Acessando a página de configuração

Leia mais

Manual de referência do Device Storage Manager

Manual de referência do Device Storage Manager Manual de referência do Device Storage Manager Avisos sobre direitos autorais e marcas comerciais Copyright 2003 Hewlett-Packard Development Company, L.P. É proibida a reprodução, adaptação ou tradução

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos Vetores Nos capítulos anteriores estudamos as opções disponíveis na linguagem C para representar: Números inteiros em diversos intervalos. Números fracionários com várias alternativas de precisão e magnitude.

Leia mais

Técnicas de Teste de Software

Técnicas de Teste de Software Técnicas de Teste de Software Fabrício Sousa fabricio@uesb.br Projeto de Caso de Teste Conjunto de técnicas para criação de casos de testes Série de casos de testes que tem grande probabilidade de encontrar

Leia mais

A-61750_pt-br. Guia do Administrador

A-61750_pt-br. Guia do Administrador A-61750_pt-br Guia do Administrador INTRODUÇÃO 1-1 CONFIGURAÇÃO DO TRABALHO 2-1 CONFIGURAÇÃO DE CORREÇÃO 3-1 CONFIGURAÇÃO DO CÓDIGO DE BARRAS E DO OCR 4-1 CONFIGURAÇÃO DE PÁGINA 5-1 ATALHOS DE PRODUTIVIDADE

Leia mais

IBM SPSS Collaboration and Deployment Services BIRT Report Designer for IBM SPSS Versão 6 Release 0. Guia de Instalação

IBM SPSS Collaboration and Deployment Services BIRT Report Designer for IBM SPSS Versão 6 Release 0. Guia de Instalação IBM SPSS Collaboration and Deployment Services BIRT Report Designer for IBM SPSS Versão 6 Release 0 Guia de Instalação Nota Antes de usar estas informações e o produto que elas suportam, leia as informações

Leia mais

Fiery Print Server. Impressão de dados variáveis

Fiery Print Server. Impressão de dados variáveis Fiery Print Server Impressão de dados variáveis 2009 Electronics for Imaging, Inc. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. 45088546 30 de

Leia mais

Linguagens de programação

Linguagens de programação Prof. André Backes Linguagens de programação Linguagem de Máquina Computador entende apenas pulsos elétricos Presença ou não de pulso 1 ou 0 Tudo no computador deve ser descrito em termos de 1 s ou 0 s

Leia mais

Spam Manager. Guia do Administrador da Quarentena

Spam Manager. Guia do Administrador da Quarentena Spam Manager Guia do Administrador da Quarentena Guia do Administrador da Quarentena do Spam Manager Versão da documentação: 1.0 Avisos legais Avisos legais Copyright Symantec Corporation 2013. Todos os

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

Conceitos básicos da linguagem C

Conceitos básicos da linguagem C Conceitos básicos da linguagem C 2 Em 1969 Ken Thompson cria o Unix. O C nasceu logo depois, na década de 70. Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando o sistema operacional UNIX criado por

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho O que é um Programa? Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Gateway de email emailgtw série 2.7 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia O material contido neste documento é fornecido

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

Criando um script simples

Criando um script simples Criando um script simples As ferramentas de script Diferente de muitas linguagens de programação, você não precisará de quaisquer softwares especiais para criar scripts de JavaScript. A primeira coisa

Leia mais

Criando documentação com javadoc

Criando documentação com javadoc H Criando documentação com javadoc H.1 Introdução Neste apêndice, fornecemos uma introdução a javadoc ferramenta utilizada para criar arquivos HTML que documentam o código Java. Essa ferramenta é usada

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 3.0 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para

Leia mais

Introdução aos cálculos de datas

Introdução aos cálculos de datas Page 1 of 7 Windows SharePoint Services Introdução aos cálculos de datas Aplica-se a: Microsoft Office SharePoint Server 2007 Ocultar tudo Você pode usar fórmulas e funções em listas ou bibliotecas para

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

MÓDULO - III Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - III Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - III Manual Prático Microsoft Excel 2007 1 MÓDULO - III CÁLCULOS... 3 Fazer contas... 3 Fórmulas com operadores básicos... 3 Fórmulas com funções... 4 Funções mais usadas... 8 Soma... 8 Media...

Leia mais

Guia do usuário do Web Portal. Versão 6.0

Guia do usuário do Web Portal. Versão 6.0 Guia do usuário do Web Portal Versão 6.0 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas por direitos autorais pertencentes

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Informática I Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Ementa Noções Básicas de Computação (Hardware, Software e Internet) HTML e Páginas Web Internet e a Web Javascript e

Leia mais

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Da instalação até a impressão Da instalação até a impressão para Windows 98, Windows Me, Windows 2000, Mac OS 8.6 à 9.1 e Mac OS X Abril 2001

Leia mais

Guia do usuário Customer View. Versão 6.0 SP1

Guia do usuário Customer View. Versão 6.0 SP1 Guia do usuário Customer View Versão 6.0 SP1 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas por direitos autorais pertencentes

Leia mais

Opções avançadas. Imprimindo páginas de separação. Impressora a laser Phaser 4500

Opções avançadas. Imprimindo páginas de separação. Impressora a laser Phaser 4500 Opções avançadas Este tópico inclui: "Imprimindo páginas de separação" na página 2-43 "Imprimindo várias páginas em uma única folha de papel (várias em 1)" na página 2-44 "Imprimindo imagens em negativo

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM PROCESSAMENTO DE DADOS

CURSO TÉCNICO EM PROCESSAMENTO DE DADOS CURSO TÉCNICO EM PROCESSAMENTO DE DADOS APOSTILA DE LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO CAP Criação de Algoritmos e Programas PROFESSOR RENATO DA COSTA Não estamos aqui para sobreviver e sim para explorar a oportunidade

Leia mais

Manual do Usuário Versão 1.0 Julho 2012

Manual do Usuário Versão 1.0 Julho 2012 Manual do Usuário Versão 1.0 Julho 2012 Índice BEM-VINDOS 3 PREFÁCIO 4 CONVENÇÕES 4 CAPÍTULO 1 : ACESSO AO SISTEMA... 5 CAPÍTULO 2 : DIGITALIZAÇÃO LIVRE... 6 2.1 CONTROLE DE QUANTIDADES... 9 CAPÍTULO 3

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC (UFABC) Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Java e Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas necessários...

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

KM-NET for Accounting. Guia de Operação

KM-NET for Accounting. Guia de Operação KM-NET for Accounting Guia de Operação Informações legais e gerais Aviso É proibida a reprodução não autorizada deste guia ou parte dele. As informações neste guia estão sujeitas a alterações sem aviso

Leia mais