Introdução. Mais fácil de explicar, compartilhar, mudar, reutilizar e reaproveitar. Workflow funciona como integrador do conhecimento.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução. Mais fácil de explicar, compartilhar, mudar, reutilizar e reaproveitar. Workflow funciona como integrador do conhecimento."

Transcrição

1 Screen

2 Introdução O Taverna utiliza uma linguagem de fluxo de trabalho especifica como processos (Web Services) se encaixam. Descreve o que você quer fazer, não como você deseja fazê-lo. Diagrama de fluxo de trabalho de alto nível separado de qualquer codificação nível mais baixo - você não tem que ser um programador para criar fluxos de trabalho. Fluxo de trabalho é uma espécie de script ou protocolo que você configurar quando você executá-lo. Mais fácil de explicar, compartilhar, mudar, reutilizar e reaproveitar. Workflow funciona como integrador do conhecimento.

3 Taverna? Permite a interoperação entre bancos de dados e ferramentas. Fornece um conjunto de ferramentas para a composição, execução e gestão de fluxo de trabalho experimentos. Acesso aos recursos locais e remotos e ferramentas de análise. Automação de fluxo de dados. Iteração sobre grandes conjuntos de dados

4 Projeto Taverna É um Sistema Open Source de Workflow Cientifico com ferramentas gráficas. Taverna foi concebido pela equipe mygrid e é financiada através de FP7 projeta BioVeL, SCAPE e Wf4Ever. Ferramenta Modo Gráfico: Aplicativo cliente desktop. Ferrramenta Modo Terminal: Command Line Tool. Ferramenta Server: Para a execução remota de workflows. Ferramenta/Plugin Web: Interface Web para a apresentação de fluxos de trabalho para a execução remota ). Ferramenta OnLine: Permite criar fluxos de trabalho através do browser. Script Nativo: BeanShell. Script Auxiliares: Qualquer um que esteja instalado no seu Sistema Operacional, ex.: Python.

5 Screen

6 ScreenExperimento

7 BeanShell É um intérprete para código fonte Java com recursos desta linguagem, como objetos escrito em Java. BeanShell executa instruções e expressões padrão Java, mas também se estende Java para o domínio de script com as convenções de linguagem de script comum e sintaxe. BeanShell é uma linguagem de scripting natural para Java. No Taverna isto é muito bem gerenciado, podendo ser executado na própria JVM.

8 screen

9 MyExperiment MyExperiment funciona praticamente como um Rede Social de Experimentos. Onde temos recursos de um portal de comunicação entre os interessados e um repositório do mesmo. Com o Taverna é possível executar Experimentos deste portal, após baixar tais arquivos pelo browser, ou importa/exportar neste formato, estando no site ou logado non portal Taverna(vide perspectiva MyExperiment).

10 screenperspectiva

11 screensite

12 Futuro do Projeto Taverna está se movendo para o Apache Incubator. Isto significa: Taverna será o último lançamento não-apache. A continuidade no processo de desenvolvimento Open Source do Taverna será realizada na apache.org. Taverna 3.0 será lançado como Apache Taverna 3.0 (incubação). Listas de discussão Taverna se mudaram para apache.org. O código-fonte irá se mover para: (mirror)

13 Vantagens Linguagem Gráfica. Possibilidade de Trabalhar com BeanShell. Possibilidade de Integrar outras Linguagens, a princípio também interpretada, caso haja o interpretador instalado no Sistema Operacional. Possibilidade de executar o Workflow do taverna via terminal por Command-Line. Possibilidade de Trabalhar com plugins/módulos.

14 Desvantagens Além dos Portal Taverna.org.uk, há pouca documentação e exemplos sobre workflows simples. A maioria dos tutoriais idealiza que você baixe um workflow existente. Quando tiver que executar um Script que não seja BeanShell ou um Plugin/Módulo externo é necessário instalar/configurar estas ferramentas no seu Sistema Operacional. Isto normalmente acontece para Workflows mais complexos e para integração com recursos externos.

15 Fontes

16 Quizzes

17 O que é um Workflow Cientifico? É um conjunto de tarefas executadas de forma coordenada em um ambiente computacional. Como exemplo de coordenação podemos citar execução sequencial, paralela, condicional, etc; visando o resultado de um experimento científico.

18 O que é TAVERNA? É um Sistema Open Source de Workflow Cientifico, que permite descrever workflows de forma gráfica, executá-los e compartilha-los.

19 Qual objetivo do Portal MyExperiment? Compartilhar experimentos de vários workflows, inclusive do Taverna.

20 O que é BeanShell? É uma uma evolução natural da linguagem Java e um interpretador da mesma.

21 Qual a relação entre Taverna.org.uk e Apache.org? Após a versão 2.5 do Taverna a mesma passará estar nos domínios da Apache, como um projeto incubado. Assim a próxima versão será Apache Taverna 3.0

VisTrails. Fernando Seabra Chirigati Aluno de Engenharia de Computação e Informação COPPE/UFRJ Email: fernando_seabra@cos.ufrj.br

VisTrails. Fernando Seabra Chirigati Aluno de Engenharia de Computação e Informação COPPE/UFRJ Email: fernando_seabra@cos.ufrj.br VisTrails Fernando Seabra Chirigati Aluno de Engenharia de Computação e Informação COPPE/UFRJ Email: fernando_seabra@cos.ufrj.br Características SGWf - Sistema de Gerenciamento de Workflows; Desenvolvido

Leia mais

EKM Visão Geral. Vinicius Strugata João Aguirre Ricardo Damian

EKM Visão Geral. Vinicius Strugata João Aguirre Ricardo Damian EKM Visão Geral Vinicius Strugata João Aguirre Ricardo Damian EKM 2.0 Desafios na Simulação de Engenharia PAGE 2? Cenário 1: Colaboração Cenário 2: Reutilização Vários analistas trabalhando no mesmo Projeto

Leia mais

O melhor do PHP. Por que PHP? CAPÍTULO 1. Uma Pequena História do PHP

O melhor do PHP. Por que PHP? CAPÍTULO 1. Uma Pequena História do PHP CAPÍTULO 1 O melhor do PHP Este livro levou bastante tempo para ser feito. Venho usando agora o PHP por muitos anos e o meu amor por ele aumenta cada vez mais por sua abordagem simplista, sua flexibilidade

Leia mais

Linhas de Experimentos: Reutilização e Gerência de Configuração em Workflows científicos

Linhas de Experimentos: Reutilização e Gerência de Configuração em Workflows científicos Linhas de Experimentos: Reutilização e Gerência de Configuração em Workflows científicos Eduardo Ogasawara Leonardo Murta Cláudia Werner Marta Mattoso 1 Sumário Introdução Análise de SGWfC pela perspectiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 01 de Novembro de 2013. Revisão aula passada Projeto de Arquitetura Decisões de projeto de Arquitetura

Leia mais

Introdução ao Plone. terça-feira, 4 de agosto de 15

Introdução ao Plone. terça-feira, 4 de agosto de 15 Introdução ao Plone Sumário O que é Gestão de Conteúdo O que é Conteúdo Principais características de um CMS O que é o Plone Tipos de conteúdo no Plone Metadados Templates Interface do portal Gestão de

Leia mais

XXXVIII Reunião Anual da SBNeC

XXXVIII Reunião Anual da SBNeC XXXVIII Reunião Anual da SBNeC Introdução ao Armazenamento de Dados de Experimentos em Neurociência Parte 3: Uso de questionários digitais (continuação) + Ferramentas para Gerenciamento de Arquivos Amanda

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN. TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br

EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN. TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN Prof. Dr. José Eduardo Santarem Segundo USP santarem@usp.br TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br Introdução Disponibilizar Dados Disponibilizar

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br

Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br Aula 15 (Revisão prova B2): Conteúdo programático Teórica Conteúdo da Aula 12 até a

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

Colaborativo. Capa. Primeiros passos O Alfresco organiza o conteúdo em sites. Um site é, na verdade, um formato de site com suporte para muitos

Colaborativo. Capa. Primeiros passos O Alfresco organiza o conteúdo em sites. Um site é, na verdade, um formato de site com suporte para muitos Capa Colaborativo A ferramenta de colaboração Alfresco permite rastrear documentos, compartilhar conteúdo e integra-se muito bem com o Microsoft SharePoint. por Nitish Tiwari O Alfresco é uma ferramenta

Leia mais

Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Linguagens de Programação* (*Mas Tinha Medo de Perguntar) Diego Padilha Rubert FACOM

Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Linguagens de Programação* (*Mas Tinha Medo de Perguntar) Diego Padilha Rubert FACOM Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Linguagens de Programação* (*Mas Tinha Medo de Perguntar) Diego Padilha Rubert FACOM Por quê? O aprendizado em Algoritmos e Programação visa lógica de programação

Leia mais

INTRODUÇÃO A SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

INTRODUÇÃO A SISTEMAS DISTRIBUÍDOS INTRODUÇÃO A SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos O que é um sistema Distribuído? SD é aquele no qual os componentes de hardware ou software se comunicam e coordenam suas ações

Leia mais

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião

PHP AULA1. Prof. Msc. Hélio Esperidião PHP AULA1 Prof. Msc. Hélio Esperidião NAVEGADOR O navegador também conhecido como web browseré um programa que habilita seus usuários a interagirem com documentos hospedados em um servidor Web. SERVIDOR

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional Introdução à Linguagem JAVA Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação Laboratório de Visão Computacional Vantagens do Java Independência de plataforma; Sintaxe semelhante às linguagens

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS Leandro Guilherme Gouvea 1, João Paulo Rodrigues 1, Wyllian Fressatti 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leandrog.gouvea@gmail.com,

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

2.0. Uma Nova Geração de Ferramentas para Gestão de Processos de Software. Coordenação Carla Alessandra Lima Reis Rodrigo Quites Reis

2.0. Uma Nova Geração de Ferramentas para Gestão de Processos de Software. Coordenação Carla Alessandra Lima Reis Rodrigo Quites Reis 2.0 Uma Nova Geração de Ferramentas para Gestão de Processos de Software Coordenação Carla Alessandra Lima Reis Rodrigo Quites Reis U n iv e r s id a d e F e d e r a l d o P a r á Q R C o n s u lto r ia

Leia mais

PIM. CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Projeto Integrado Multidisciplinar. 4º/3º Períodos 2010/2 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO

PIM. CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Projeto Integrado Multidisciplinar. 4º/3º Períodos 2010/2 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM Projeto Integrado Multidisciplinar 4º/3º Períodos 2010/2 PIM - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA Projeto e implementação

Leia mais

2 Preliminares. 2.1. Estado da Arte. 2.1.1. Workflows Científicos

2 Preliminares. 2.1. Estado da Arte. 2.1.1. Workflows Científicos 2 Preliminares 2.1. Estado da Arte 2.1.1. Workflows Científicos As primeiras definições de workflow surgiram como uma forma de descrever processos realizados em escritório, que configuram uma sequência

Leia mais

Semântica para Sharepoint. Busca semântica utilizando ontologias

Semântica para Sharepoint. Busca semântica utilizando ontologias Semântica para Sharepoint Busca semântica utilizando ontologias Índice 1 Introdução... 2 2 Arquitetura... 3 3 Componentes do Produto... 4 3.1 OntoBroker... 4 3.2 OntoStudio... 4 3.3 SemanticCore para SharePoint...

Leia mais

Internet e Programação Web

Internet e Programação Web COLÉGIO ESTADUAL PEDRO MACEDO Ensino Profissionalizante Internet e Programação Web 3 Técnico Prof. Cesar 2014 1 SUMÁRIO Criar sites dinâmicos em PHP --------------------------------------------------------

Leia mais

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural)

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural) Universidade Federal de Campina Grande Pb Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto em Computação I 2111185 Professora: Francilene Procópio Garcia, P.Sc Alunos: Arnaldo de Sena Santos;

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Março/2015 Página 1 de 17 Projuris Enterprise Projuris Enterprise é um sistema 100% Web, com foco na gestão de contencioso por empresas ou firmas

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto APRESENTAÇÃO Os computadores chegaram aos diversos níveis das organizações Nestes contexto: Que linguagem entendem? Que produtos podem usar? Dúvidas

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Exemplos de SD Quais podem ser? Ex. de SD: Internet Internet é um conjunto de redes de computadores, de muitos tipos diferentes,

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi Introdução ao PHP Prof. Késsia Marchi PHP Originalmente PHP era um assíncrono para Personal Home Page. De acordo com convenções para atribuições de nomes recursivas do GNU foi alterado para PHP Hypertext

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Marabá Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Sistemas Distribuídos Prof.: Warley Junior warleyjunior05@gmail.com Plano de Ensino. Turma SI

Leia mais

Kassius Vargas Prestes

Kassius Vargas Prestes Kassius Vargas Prestes Agenda 1. Introdução Web Services 2. XML, SOAP 3. Apache Tomcat 4. Axis 5. Instalação Tomcat e Axis 6. Criação de um Web Service 7. Criação de um cliente Baixar http://www.inf.ufrgs.br/~kvprestes/webservices/

Leia mais

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Março de 2015 Introdução O acesso móvel ao site do Novell Vibe pode ser desativado por seu administrador do Vibe. Se não conseguir acessar a interface móvel do

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 04 FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO DE TESTES FUNCIONAIS Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 04 Automação de testes funcionais Ferramentas

Leia mais

Unified Process. Sueleni Mendez Batista. Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita

Unified Process. Sueleni Mendez Batista. Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita Unified Process Sueleni Mendez Batista Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita Processo de Desenvolvimento de Software 8O processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades e resultados

Leia mais

Para detalhes e funcionalidades, veja o Manual para o Administrador

Para detalhes e funcionalidades, veja o Manual para o Administrador O que é Gemelo Backup Online EMPRESA? É uma solução de administração e backup desenhada para Empresas que desejam controlar e proteger suas informações de forma simples, segura e confiável. É definido

Leia mais

Esta dissertação apresentou duas abordagens para integração entre a linguagem Lua e o Common Language Runtime. O objetivo principal da integração foi

Esta dissertação apresentou duas abordagens para integração entre a linguagem Lua e o Common Language Runtime. O objetivo principal da integração foi 5 Conclusão Esta dissertação apresentou duas abordagens para integração entre a linguagem Lua e o Common Language Runtime. O objetivo principal da integração foi permitir que scripts Lua instanciem e usem

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

Webmail mais rápido e completo

Webmail mais rápido e completo COMUNICADO MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE E-MAIL INSTITUCIONAL Senhores Usuários e Comunidade da UFCG, Campina Grande, 05 de Abril de 2011. O Serviço de Tecnologia da Informação STI, no uso de suas atribuições

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Realizando Comunicação através do TERMINAL SERVER Windows 2008 (Utilizando a DarumaFramework.dll)

STK (Start Kit DARUMA) Realizando Comunicação através do TERMINAL SERVER Windows 2008 (Utilizando a DarumaFramework.dll) STK (Start Kit DARUMA) Realizando Comunicação através do TERMINAL SERVER Windows 2008 (Utilizando a DarumaFramework.dll) Este STK dividiu-se em três etapas, que são: Configuração do Windows 2008 server;

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA. Reflexão 6. 0792 Criação de páginas para a web em hipertexto

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA. Reflexão 6. 0792 Criação de páginas para a web em hipertexto Reflexão 6 0792 Criação de páginas para a web em hipertexto Início 08.04.2014 fim 11.04.2014 Elaborar páginas para a web, com recurso a hipertexto. Conceitos gerais de HTML Ficheiros HTML Estrutura da

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

O que é Grid Computing

O que é Grid Computing Grid Computing Agenda O que é Grid Computing Grid vs Cluster Benefícios Tipos de Grid Aplicações Ferramentas e padrões Exemplos no mundo Exemplos no Brasil Grid no mundo dos negócios Futuro O que é Grid

Leia mais

Java & OpenJDK. Thiago S. Gonzaga. Sun Campus Ambassador thiago.gonzaga@sun.com

Java & OpenJDK. Thiago S. Gonzaga. Sun Campus Ambassador thiago.gonzaga@sun.com Java & OpenJDK Thiago S. Gonzaga Sun Campus Ambassador thiago.gonzaga@sun.com Tópicos Sobre a Sun Microsystems Algumas tecnologias da Sun Linguagem de Programação Ciclo de Desenvolvimento O que é Java?

Leia mais

Novidades no Q-flow 3.02

Novidades no Q-flow 3.02 Novidades no Q-flow 3.02 Introdução Um dos principais objetivos do Q-flow 3.02 é adequar-se às necessidades das grandes organizações. Por isso, o Q-flow 3.02 possui uma versão Enterprise que inclui funcionalidades

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA DE COMPUTADORES EM C

INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA DE COMPUTADORES EM C INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA DE COMPUTADORES EM C Prof. Msc. Helio Esperidião PROGRAMAS Um computador nada mais faz do que executar programas. Um programa é simplesmente uma seqüência de instruções

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP Antes de mais nada, vamos conhecer alguns conceitos, que serão importantes para o entendimento mais efetivos dos assuntos que trataremos durante a leitura desta apostila.

Leia mais

ARQUITETURAS DOS SISTEMAS DE EMPRESARIAIS (ERP) Arquitetura cliente-servidor Arquitetura aberta

ARQUITETURAS DOS SISTEMAS DE EMPRESARIAIS (ERP) Arquitetura cliente-servidor Arquitetura aberta ARQUITETURAS DOS SISTEMAS DE PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS (ERP) Arquitetura cliente-servidor Arquitetura aberta Arquitetura cliente-servidor Definição do modelo cliente-servidor O modelo cliente-servidor

Leia mais

OOP - Java. Artur Duque Rossi Mestrado em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora

OOP - Java. Artur Duque Rossi Mestrado em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora OOP - Java Artur Duque Rossi Mestrado em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora 1 Sumário Java Aviso! História do Java Programação Orientada à Objetos Os quatro pilares da OOP Abstração

Leia mais

5 Estudo de caso: utilizando o sistema para requisição de material

5 Estudo de caso: utilizando o sistema para requisição de material 61 5 Estudo de caso: utilizando o sistema para requisição de material A fim de avaliar as características da arquitetura proposta e a corretude da implementação, realizamos experiências com cenários de

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução

Sistemas Distribuídos. Introdução Sistemas Distribuídos Introdução Definição Processos Um sistema distribuído é um conjunto de computadores independentes, interligados por uma rede de conexão, executando um software distribuído. Executados

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado Web Services Autor: Rômulo Rosa Furtado Sumário O que é um Web Service. Qual a finalidade de um Web Service. Como funciona o serviço. Motivação para o uso. Como construir um. Referências. Seção: O que

Leia mais

Área de Administração

Área de Administração Área de Administração versão 1.1 Partir de 2012/01/14 aplica-se para a versão phpcontact 1.2.x www.phpcontact.net Geral A área de administração é utilizado para uma fácil configuração do software elaboraçao

Leia mais

Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br

Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br INFORMÁTICA Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br CONCEITOS DE INTERNET E INTRANET CONCEITOS DE INTERNET E INTRANET INTERNET => CONJUNTO DE REDES LIGANDO COMPUTADORES MUNDO A FORA. INTRANET => REDE

Leia mais

Como é o desenvolvimento de Software?

Como é o desenvolvimento de Software? Como é o desenvolvimento de Software? Fases do Desenvolvimento Modelo Cascata Define atividades seqüenciais Outras abordagens são baseadas nesta idéia Especificação de Requisitos Projeto Implementação

Leia mais

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 Prezados Senhores da comissão de licitação da UENF, seguem alguns questionamentos acerca do edital de concorrência 01/2013 para esclarecimentos: 1. ANEXO

Leia mais

Java e JavaScript. Krishna Tateneni Tradução: Lisiane Sztoltz

Java e JavaScript. Krishna Tateneni Tradução: Lisiane Sztoltz Krishna Tateneni Tradução: Lisiane Sztoltz 2 Conteúdo 1 Java e JavaScript 4 1.1 Java............................................. 4 1.2 JavaScript.......................................... 4 3 1 Java e

Leia mais

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi.

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi. Capítulo 1 O Que é o Delphi Diferenças entre Delphi Client/Server do Delphi for Windows Características que compõem o Integrated Development Invironment (IDE) Como o Delphi se encaixa na família Borland

Leia mais

OpenGoo - Seu escritório nas nuvens Online-Ontime-Fulltime

OpenGoo - Seu escritório nas nuvens Online-Ontime-Fulltime 1 of 9 23/6/2010 22:40 OpenGoo - Seu escritório nas nuvens Online-Ontime-Fulltime Autor: Paulo Roberto Junior - WoLF Data: 28/04/2009 Introdução 2 of 9 23/6/2010 22:40 O que é

Leia mais

Sistemas Operacionais. Conceitos de um Sistema Operacional

Sistemas Operacionais. Conceitos de um Sistema Operacional Sistemas Operacionais Conceitos de um Sistema Operacional Modo usuário e Modo Kernel Como já vimos são ambientes de execução diferentes no processador Há um conjunto de funções privilegiadas acessadas

Leia mais

1.2.4. Organizar a estrutura do site

1.2.4. Organizar a estrutura do site 1.2.4. Organizar a estrutura do site 1 Organizar a estrutura do site A organização da estrutura do site passa pela definição das ligações entre as páginas que o compõem Esta organização deve ser intuitiva

Leia mais

APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE

APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE MARCOS LEÃO 1, DAVID PRATA 2 1 Aluno do Curso de Ciência da Computação; Campus de Palmas; e-mail: leão@uft.edu.br PIBIC/UFT

Leia mais

A.S.P. Servidores Windows

A.S.P. Servidores Windows A.S.P. Servidores Windows Servidores TCP/IP O mercado de servidores de rede é dominado essencialmente por duas linhas de produtos: Open Source: Linux, BSD, e seus derivados Proprietários: Microsoft Windows

Leia mais

Controle de versão e fluxo de trabalho em projetos de desenvolvimento de software

Controle de versão e fluxo de trabalho em projetos de desenvolvimento de software Controle de versão e fluxo de trabalho em projetos de desenvolvimento de software Doutorado Multi-Institucional em Ciência da Computação UFBA UNIFACS UEFS terceiro@dcc.ufba.br 8 de novembro de 2008 Termos

Leia mais

Manual de Integração

Manual de Integração Manual de Integração Versão 3.10 Conteúdo 1 Obtendo e Instalando o Emissor... 4 1.1 Obtendo o instalador... 4 1.2 Instalando o JAVA e o Framework.NET 2.0... 4 1.3 Instalando o Emissor... 5 2 Padrões de

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

Integração Contínua com Rational Team Concert, Jenkins e SonarQube

Integração Contínua com Rational Team Concert, Jenkins e SonarQube Integração Contínua com Rational Team Concert, Jenkins e SonarQube Agenda 1. Introdução à Integração Contínua 2. Ferramentas 3. Solução de Integração Contínua em Furnas 4. Demonstração O que é a Integração

Leia mais

Projeto de Arquitetura

Projeto de Arquitetura Introdução Projeto de Arquitetura (Cap 11 - Sommerville) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Até agora, estudamos: Os

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br IntroduçãoàTecnologiaWeb TiposdeSites ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br TiposdeSites Índice 1 Sites... 2 2 Tipos de Sites... 2 a) Site

Leia mais

Caracterização de Sistemas Distribuídos

Caracterização de Sistemas Distribuídos Aula 1 Caracterização de Sistemas Distribuídos Prof. Dr. João Bosco M. Sobral mail: bosco@inf.ufsc.br - página: http://www.inf.ufsc.br/~bosco Rodrigo Campiolo mail: rcampiol@inf.ufsc.br - página: http://ww.inf.ufsc.br/~rcampiol

Leia mais

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 1 Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 por Victory Fernandes Na internet estão disponíveis diversos componentes para geração e impressão de Código de Barras utilizando o

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

Sistemas Colaborativos & Workflow / DAS 5316

Sistemas Colaborativos & Workflow / DAS 5316 DAS 5316 Sistemas Colaborativos & Workflow FERRAMENTAS SISTEMAS COLABORATIVOS SISTEMAS COLABORATIVOS: -Sistemas/Softwares feitos para ajudar pessoas envolvidas em uma tarefa comum, para se atingir um determinado

Leia mais

ROTEIRO DE INSTALAÇÃO

ROTEIRO DE INSTALAÇÃO ROTEIRO DE INSTALAÇÃO O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do sistema UNICO, afim, de auxiliar os técnicos e evitar possíveis dúvidas e erros de instalação. Instalador O instalador

Leia mais

Introdução ao Paradigma Orientado a Objetos. Principais conceitos

Introdução ao Paradigma Orientado a Objetos. Principais conceitos Introdução ao Paradigma Orientado a Objetos Principais conceitos Paradigmas de Programação PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA X PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Paradigma Programação estruturada Na programação estrutura

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Documentação - Software Público Brasileiro (SPB)

Documentação - Software Público Brasileiro (SPB) Documentação - Software Público Brasileiro (SPB) Versão 2.0 Universidade de Brasília 09/11/2014 Sumário 1 Introdução 1 2 Conteúdos 3 2.1 Instalação................................................. 3 2.2

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Unidade 4 Ambiente de desenvolvimento Java QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática SUMÁRIO A LINGUAGEM JAVA... 3 JVM, JRE, JDK... 3 BYTECODE... 3 PREPARANDO O AMBIENTE

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 01. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 01. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 01 Prof. André Lucio Competências do modulo Introdução ao sistema operacional Windows Instalação e configuração do sistema

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Aula 06: Introdução Linguagem HTML

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Aula 06: Introdução Linguagem HTML PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Aula 06: Introdução Linguagem HTML O Desenvolvimento Web O desenvolvimento web é o termo utilizado para descrever atividade relacionada

Leia mais

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR Acompanhe o ritmo de aceleração dos ciclos de lançamento. Descubra a automatização com um toque humano EXECUTE UM TESTE 26032015 Com a Borland, tanto analistas de negócios

Leia mais

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. Conteúdo do Curso. 40% de aula teórica 60% de aula prática. O que veremos neste semestre?

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. Conteúdo do Curso. 40% de aula teórica 60% de aula prática. O que veremos neste semestre? Curso de PHP FATEC - Jundiaí Conteúdo do Curso 40% de aula teórica 60% de aula prática O que veremos neste semestre? Linguagem PHP Banco de Dados - PostgreSQL PHP - Introdução ao PHP - Estrutura de um

Leia mais

1ª Vulnerabilidade VNC:

1ª Vulnerabilidade VNC: Tecnologia em Redes de Computadores Unidade Curricular de Segurança em Redes Diego Dummer Vaz 1ª Vulnerabilidade VNC: Pesquisa no Google: intitle:"vnc Viewer for Java" Acesso: 209.31.55.22:5802 País: Estados

Leia mais

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala Programação para a Internet Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala A plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068) Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado

Leia mais

Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO)

Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 1 Prof. Cristóvão Cunha Objetivos de aprendizagem

Leia mais

O que é o Gemelo Backup Online Pessoal?

O que é o Gemelo Backup Online Pessoal? O que é o Gemelo Backup Online Pessoal? É uma solução de backup desenhada para pessoas que desejam administrar e proteger sua informação de forma segura e confiável. Você vai poder ter acesso às suas informações

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Conheça a mais nova aplicação para profissionais GIS: ArcGIS Pro. Caio Victer

Conheça a mais nova aplicação para profissionais GIS: ArcGIS Pro. Caio Victer Conheça a mais nova aplicação para profissionais GIS: ArcGIS Pro Caio Victer Enquete O que você já sabe... Administra seus dados Executa análises Avançadas Modela e Automatiza Fluxos de Trabalho Disponibiliza

Leia mais