WorkFlow do processo de pagamento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "WorkFlow do processo de pagamento"

Transcrição

1 Rev.01 PÁG. 1/43 SOFTEXPERT WORLDWIDE WorkFlow do processo de pagamento PÁG. 1/43

2 Rev.01 PÁG. 2/43 1. LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Tela de login do SE Suite Figura 2 - Tela inicial do SE Suite Figura 3 - Tela de dados do usuário Figura 4 - Tela de dados do usuário Figura 5 - Tela de dados do usuário Figura 6 Layout da tela de WorkFlow Figura 7 Anexando informações ao problema Figura 8 Fluxo Figura 9 Menu de registro Figura 10 Tela de dados iniciais Figura 11 Tela Registrar RCA/RCI Figura 12 Grid Notas Fiscais Figura 13 Cadastro de notas fiscais Figura 14 botões de save Figura 15 Visualização das notas fiscais preenchidas Figura 16 Execução do fluxo Figura 17 Atividade Aprovar Termo de Recebimento Figura 18 Atividade Aprovar Termo de Recebimento, menu Anexo Figura 19 Desassociando atividade do usuários Figura 20 Atividade Emitir nota extra orçamentaria no IPM Figura 21 Executado atividade Emitir nota extra orçamentaria no IPM Figura 22 Tela da atividade Preencher e aprovar termo de recebimento definitivo Figura 23 Desassociando atividade do usuários Figura 24 Atividade Aprovar termo de recebimento (2) Figura 25 Atividade Aprovar termo de recebimento (presidente) Figura 26 Atividade Definir número patrimonial Figura 27 Grid Patrimônio Figura 28 Cadastro de patrimônio Figura 29 botões de save Figura 30 Visualização dos patrimônios inseridos Figura 31 Execução do fluxo Figura 32 Atividade preencher certidão de regularidade Figura 33 Campos da certidão Figura 34 Executando atividade Figura 35 Executando atividade de aprovação da certidão de regularidade Figura 36 Atividade analise e aprovação de processo Figura 37 Justificativa de retorno Figura 38 Atividade de validação do processo Figura 39 Justificativa de retorno Figura 40 Tela de consulta Figura 41 Tela de consulta avançada PÁG. 2/43

3 Rev.01 PÁG. 3/43 2. SUMÁRIO 1. Lista de figuras Sumário Componentes SE Processo SE WorkFlow Conhecendo o sistema Acessando o sistema Detalhamento da tela inicial Principais botões do sistema Funções genéricas Pendências Layout da tela de WorkFlow Anexo Entendendo o fluxo Iniciação do processo Atividade: Preencher Termo de Recebimento e anexar documentos e NF Campos chaves Preenchendo Informações sobre as notas fiscais Aprovar termo de recebimento Emitir nota extra-orçamentaria no ipm Aprovar e preencher termo de recebimento definitivo Aprovar termo de recebimento (2) Aprovar termo de recebimento (presidente) Definir número patrimonial Preenchendo numeração do patrimônio Preencher certidão de regularidade Aprovar certidão de regularidade (Diretor E Secretário) Analisa e aprova processo? Valida processo? Consulta PÁG. 3/43

4 Rev.01 PÁG. 4/43 3. COMPONENTES 3.1. SE Processo Todo negócio é essencialmente um conjunto de processos - estratégicos, táticos e operacionais - independente do tamanho ou indústria onde opera. No clima econômico desafiador de hoje, as organizações estão buscando meios para aprimorar a eficiência dos processos que possuem impacto positivo sobre o desempenho financeiro. Processos de negócio eficazes possibilitam à organização entregar produtos e serviços para os clientes de maneira mais rápida em relação aos competidores e responder prontamente às mudanças exigidas pelo mercado. A fim de gerenciar seus processos de negócio, as empresas devem primeiro capturá-los e desenhá-los. Esses processos devem ser documentados por meio de uma linguagem comum e fácil de usar, em um formato compreensível. A ferramenta de modelagem deve ainda, permitir que pessoas de negócio facilmente descrevam e documentem seus processos. O SE Process é um poderoso modelador de processos 100% web, ideal para dar início a uma completa gestão por processos. Com sua arquitetura RIA (Rich Internet Application) e interface Web 2.0 aprimorada, o SE Process permite que, até mesmo usuários sem conhecimento técnico, modelem processos de negócio profissionais. O SE Process é focado nos usuários de negócio e é uma ferramenta perfeita para organizações que desejam implementar uma solução ampla, que permita definir, modelar, simular, publicar e otimizar seus processos de negócio. O SE Process possibilita a criação de qualquer tipo de processo por meio do simples drag and drop (arrastar e soltar) de elementos do processo para dentro de suas swimlanes (raias). Isto inclui a navegação na estrutura organizacional e mapeamento de pessoas para papéis funcionais. O SE Process oferece um conjunto integrado de recursos que habilitam usuários não técnicos a escrever lógicas de negócio, conectar aplicações existentes e construir interfaces de usuário para interação humana. O SE Process armazena os modelos de processo em um repositório central, permitindo que múltiplos modeladores trabalhem simultaneamente no desenvolvimento e manutenção dos modelos de processo. Além disso, a distribuição baseada em web torna o conhecimento relacionado aos processos permanentemente acessível para os usuários. Este repositório de processos corporativo garante simples navegação através de múltiplos níveis de uma hierarquia de processos. PÁG. 4/43

5 Rev.01 PÁG. 5/43 O SE Process oferece também, um simulador integrado de processos que possibilita aos usuários de negócio definir atributos como, duração de atividades, custos, utilização de recursos, executores, tempos de ciclo e outras variáveis dentro dos cenários propostos. O simulador provê ainda, um potente recurso de animação, permitindo análises do desempenho dos processos, em tempo real. Os conceitos e funcionalidades fornecidos pelo SE Process cumprem todos os requisitos estabelecidos pelos padrões e regulamentações internacionais, tais como, ISO 9000, ISO 14000, OHSAS 18000, ISO/TS 16949, BPMM, Six Sigma, FDA 21 CFR Part 11, FDA 21 CFR Part 820, SOX, ISO [HACCP], ISO [ITIL], COBIT, BSC, entre outros. PÁG. 5/43

6 Rev.01 PÁG. 6/ SE WorkFlow O SE Workflow oferece às organizações uma solução 100% web e de rápida implementação para automação de processos de negócio complexos que envolvam pessoas e documentos. Devido a sua arquitetura flexível, o SE Workflow acelera a velocidade do negócio, assegurando completa visibilidade e controle sobre o que acontece na empresa, quando acontece e quem está envolvido em fazer acontecer. O SE Workflow auxilia a unificar pessoas, processos e conteúdo que movem workflows, provendo ferramentas para automatizar, monitorar e analisar os processos de negócio. Com o seu motor de execução dinâmico, o SE Workflow permite que pessoas e sistemas de TI trabalhem em paralelo, integrando os processos de negócio do dia-a-dia com as aplicações empresariais. O SE Workflow é uma ferramenta para automação de processos de negócio que permite encaminhar tarefas e documentos aos usuários apropriados, assegurando que o trabalho seja encaminhado conforme o prazo estabelecido e realizado corretamente por cada executor. O sistema fornece para os usuários acesso fácil e direto às suas listas de tarefas pendentes. Essas listas são disponibilizadas a partir de um repositório de tarefas centralizado para garantir a distribuição e conclusão efetiva das tarefas pendentes. O SE Workflow provê um editor gráfico de workflows que possibilita a modelagem das instâncias de processo em tempo de execução ( in-flight modeling). O sistema ainda oferece biblioteca de objetos reutilizáveis, atribuição de tarefas por papel, tratamento de exceções (deadlines) e automação de tarefas, de forma que, mesmo processos de negócio complexos possam ser automatizados sem necessidade de programação. O SE Workflow também inclui o SE BI (Business Intelligence), uma ferramenta poderosa para elaboração de análises por linhas de negócio e detecção de ineficiências dos processos. O SE Workflow minimiza a transferência de tarefas, reduzindo assim, os tempos de ciclo. O sistema garante, não somente, produtividade aprimorada, mas também, que todas as instâncias de processo sigam as mesmas regras e estejam de acordo com o modelo do processo. Por meio do SE Workflow, as empresas podem obter a capacidade para implementar, automatizar e controlar seus processos de negócio, garantindo que os processos sejam executados da maneira que deveriam. PÁG. 6/43

7 Rev.01 PÁG. 7/43 4. CONHECENDO O SISTEMA 4.1. Acessando o sistema Para entrar no sistema, abra seu navegador de internet (internet explorer, google chrome ou mozilla firefox) e acesse o link: Ambiente de testes: Ambiente de produção: Em seguida insira seu usuário e senha, conforme figura 1. Figura 1 - Tela de login do SE Suite. PÁG. 7/43

8 Rev.01 PÁG. 8/ Detalhamento da tela inicial A figura 2 apresenta a tela inicial do SE Suite, após realizado o login com sucesso. Em destaque o a barra dos componentes e suas funcionalidades. Figura 2 - Tela inicial do SE Suite. A barra de menu integrado é apresentada na lateral esquerda da tela principal e nela estão os componentes disponíveis para o usuário conectado. Logo abaixo, encontra-se um filtro que permite localizar o menu desejado com mais facilidade. Basta informar o nome do menu e pressionar a tecla [ENTER] do teclado, que a pesquisa será efetuada automaticamente. Além disso, estão disponíveis os seguintes botões: Contrair tudo: Permite contrair a estrutura de menus automaticamente, desde que esteja expandida. Expandir tudo: Permite expandir a estrutura de menus automaticamente, desde que esteja contraída. PÁG. 8/43

9 Rev.01 PÁG. 9/43 Além disso, na faixa inferior do menu lateral, o usuário tem acesso às seguintes operações: Componentes: Quando acionado, apresenta todos os componentes nos quais o usuário conectado possui permissão de acesso. Ao clicar sobre determinado componente, será expandida a respectiva relação de menus. Meu menu: Quando acionado o botão deste menu, permite que o usuário configure a lista de menus, para melhor atender as suas necessidades. Veja mais detalhes na documentação específica do recurso. Atalhos: Quando acionado o botão atalhos configurados pelo usuário. deste menu, são apresentados os Pendências: Quando acionado, apresenta todas as pendências do usuário conectado, agrupadas nos respectivos componentes. Selecione o componente desejado para acompanhamento e execução das pendências. Veja mais detalhes na respectiva seção deste manual. Dashboards: Nesta faixa, acione o botão para abrir o Dashboard Designer, onde será possível configurar as abas e os componentes que serão apresentados no dashboard do usuário. Veja mais detalhes na documentação específica do recurso. Workplace: Quando acionado, apresenta a tela principal do SE Workplace e nesta tela é possível abrir o Workplace Designer por meio do botão, onde será possível configurar as abas e os componentes que serão apresentados no workplace do usuário. Veja mais detalhes na documentação específica do recurso. Na figura 2 temos em destaque em preto a barra do usuário, onde é possível de maneira fácil visualizar os dados do usuário conectado. Figura 3 - Tela de dados do usuário. PÁG. 9/43

10 Rev.01 PÁG. 10/ Principais botões do sistema As telas do sistema possuem a mesma forma de trabalhar, ou seja, todas possuem barras de ferramentas que permitem manipular os dados. A seguir, serão descritos alguns dos principais botões que compõem estas barras. Incluir Alterar Excluir Alterar situação Atualizar Salvar & Adicionar Salvar Salvar & Sair Pesquisar Limpar Visualizar Legenda Ajuda Quando acionado, abre a tela de dados, por meio da qual é efetuada a entrada de informações no sistema. Todas as informações devem ser salvas para serem armazenadas no banco de dados. Quando acionado, abre a tela de dados para que os dados já registrados no sistema possam ser alterados. Após qualquer alteração é necessário salvar o registro. Quando acionado, é possível excluir registros armazenados no banco de dados. Antes de excluir, é enviada a mensagem de confirmação: "Deseja realmente excluir?", para que não sejam apagadas informações por descuido. Os registros relacionados a outros registros não poderão ser excluídos. Quando acionado, ativa/desativa do sistema, o registro que está selecionado na tela. Quando acionado, faz com que as informações apresentadas na tela sejam atualizadas. Quando acionado, salva as informações registradas e limpa a tela para que novas informações sejam registradas no sistema. Quando acionado, salva as informações registradas na tela de dados que estiver sendo utilizada. Quando acionado, salva as informações registradas e fecha a tela de dados. Quando acionado, lista na tela todos os registros buscados por meio de uma pesquisa. Quando acionado, limpa as informações dos filtros de pesquisa. Quando acionado, abre a tela de dados do registro selecionado apenas para visualização. Quando acionado, apresenta uma tela contendo a legenda dos símbolos utilizados no decorrer do sistema. Quando acionado, apresenta o arquivo de ajuda conforme a funcionalidade que está sendo acessada. PÁG. 10/43

11 Rev.01 PÁG. 11/43 5. FUNÇÕES GENÉRICAS Funções genéricas são comuns a qualquer evento dentro do SE SUITE Pendências Por meio deste recurso, o usuário tem conhecimento de todos os registros pendentes que estão sob sua responsabilidade. Estas pendências devem ser executadas dentro dos prazos que foram estabelecidos, para que não fiquem atrasadas e comprometam alguma etapa do fluxo de utilização do sistema. botão Para ter acesso às pendências, é necessário navegar até o menu lateral do sistema e acionar o, como mostra o exemplo: Figura 4 - Tela de dados do usuário. Serão apresentados todos os componentes em que o usuário conectado possui registros pendentes. Selecione, então, o componente desejado e aguarde enquanto as pendências são carregadas na tela principal (figura 5). PÁG. 11/43

12 Rev.01 PÁG. 12/43 Figura 5 - Tela de dados do usuário. As pendências sempre serão classificadas por tipo, no exemplo da figura 5, temos dois tipos de pendência, onde; Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Execução de atividades Usuário(s) definido(s), no SE Processo, como executor(es) da atividade. Assim que, no fluxo do processo, chega a vez da atividade ser executada. Alertar os responsáveis de que existem atividades a serem executadas. Pendência: Quem recebe: Acompanhamento de processos Usuário que iniciou o processo. Quando: Assim que o processo é iniciado por meio do menu Processo Inicialização. Finalidade: Permitir que o iniciador acompanhe seus processos que estão em andamento. A forma de execução das pendências são muito semelhantes, basta localizar e selecionar a pendência em questão e acionar o botão executar, localizado na barra de botões. PÁG. 12/43

13 Rev.01 PÁG. 13/ Layout da tela de WorkFlow Layout é um esboço ao qual é mostrado a distribuição física juntamente com os tamanhos de elementos como texto, gráficos ou figuras em um determinado espaço. Figura 6 Layout da tela de WorkFlow. Destacado em azul, ficam as informações do WorkFlow, como o nome do processo, a atividade que o mesmo se encontra, identificador e descrição. Destacado em vermelho, ficam as funcionalidades do WorkFlow, como formulários, comentários e anexos. Destacado em verde, fica a area de trabalho, a mesma muda de acordo com a funcionalidade selecionada, por padrão o sistema sempre trará o formulário padrão. PÁG. 13/43

14 Rev.01 PÁG. 14/ Anexo No SE Suite é possível anexar qualquer tipo de documento a qualquer atividade do fluxo, para anexar basta selecionar a aba geral e localizar o seguinte quadrante (figura abaixo); antes de efetuar a associação de anexos, é necessário selecionar uma das seguintes opções no campo [Nível], localizado na parte superior deste painel (veja a figura logo a seguir): Atividade corrente: Permite associar anexos ao processo em questão, além de visualizar aqueles que já foram associados à atividade. Processo corrente: Permite associar anexos ao processo em questão, além de visualizar aqueles que já foram associados. A associação de anexos, no entanto, deve ser feita através do seguinte botão da lateral direita da tela : Figura 7 Anexando informações ao problema Após anexar os arquivos, é possível editar os dados de cada um acionando o botão. A tela de dados do anexo será aberta e basta seguir o procedimento de Incluir novos anexos documentado nesta seção. PÁG. 14/43

15 Rev.01 PÁG. 15/43 6. ENTENDENDO O FLUXO Figura 8 Fluxo. PÁG. 15/43

16 Rev.01 PÁG. 16/43 7. INICIAÇÃO DO PROCESSO Para realizar a abertura de uma nova instancia, o usuário deverá estar logado no sistema e ter permissão para criar um novo registro. O usuário deverá acessar o menu lateral, selecionar o componente WorkFlow, menu Processo, Sub-menu Inicialização, conforme figura abaixo: Figura 9 Menu de registro. Após selecionar o processo de pagamento, o usuário deverá acionar o botão incluir demonstrado na figura acima (passo 3º). A Seguinte tela será disposta;, como Figura 10 Tela de dados iniciais. Nessa tela é possível alterar o campo descrição, por padrão o sistema já traz preenchido com data hora usuário, uma vez preenchido deve-se acionar o botão de salvar e sair iniciado o fluxo, sendo que a primeira atividade vamos abordar no tópico a 8.. Com isso é PÁG. 16/43

17 Rev.01 PÁG. 17/43 8. ATIVIDADE: PREENCHER TERMO DE RECEBIMENTO E ANEXAR DOCUMENTOS E NF Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar: Execução de atividades N/A N/A Preencher as informações necessárias para o pagamento Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências Figura 11 Tela Preencher Termo de Recebimento e anexar docs e NF. Nessa tela deve-se preencher o formulário, onde os campos serão habilitados em função da resposta do primeiro campo Tipo, que está demonstrado em verde na figura 11. Uma vez preenchido o tipo, é possível preencher o restante dos campos referentes a atividade em questão. Nessa atividade deve-se também anexar todos os documentos pertinentes ao processo, para recordar como é feita a anexação de documentos acesse o tópico 5.3. PÁG. 17/43

18 Rev.01 PÁG. 18/ Campos chaves Campos chaves são campos que determinam alguma regra ou eventos dentro do fluxo. 1º) Tipo Em função do tipo preenchido o formulário apresenta campos distintos a serem informados, também em função desse campo o sistema decide qual a rota será tomada. Se Tipo = Serviço E INSS = 0: O fluxo segue unicamente para a atividade denominada Aprovar Termo de Recebimento, essa sendo executada pelo fiscal do contrato. Se Tipo = Serviço E INSS > 0: O fluxo segue para a atividade denominada Aprovar Termo de Recebimento, essa sendo executada pelo fiscal do contrato e também para atividade denominada Emitir Nota extra-orçamentária no IPM, essa sendo executada pelo DELOG. Se Tipo = Aquisição de Bens E Comissão = Sim: O fluxo segue unicamente para a atividade denominada Preencher e aprovar Termo de Recebimento definitivo, essa sendo executada pela Comissão de Recebimento. Se Tipo = Aquisição de Bens E Comissão = Não: O fluxo segue unicamente para a atividade denominada Aprovar Termo de Recebimento, essa sendo executada pelo fiscal do contrato. Se Tipo = Indenização, restituições ou sentenças: O fluxo segue em paralelo para 2 atividades de aprovações, essas denominadas Aprovar Certidão de Regularidade, tendo como executores o Diretor e o Secretário. 2º) Certidão Em função do tipo preenchido o formulário apresenta campos distintos a serem informados. PÁG. 18/43

19 Rev.01 PÁG. 19/ Preenchendo Informações sobre as notas fiscais Para preencher as notas fiscais, deve-se localizar no formulário a grid notas fiscais como demonstrado na figura 12, e selecionar o botão será apresentada (figura 13)., uma vez acionado esse botão a seguinte tela Figura 12 Grid Notas Fiscais. Figura 13 Cadastro de notas fiscais. PÁG. 19/43

20 Rev.01 PÁG. 20/43 Nessa tela preenchemos as informações sobre a Nota Fiscal, uma vez preenchido as informações requeridas devemos acionar o botão de calcular, e logo após algum dos botões de salvar. Figura 14 botões de save. Pode-se preencher uma ou mais notas fiscais, na figura (15) vemos como ficam dispostas essas informações no formulário principal. Figura 15 Visualização das notas fiscais preenchidas. Após o preenchimento do formulário, o usuário poderá executar a atividade e enviar o processo para a próxima etapa acionando o botão executar, conforme indicado abaixo: Figura 16 Execução do fluxo Ao finalizar a atividade o sistema automaticamente encaminha o fluxo para a próxima etapa e enviará notificação por para o responsável da próxima atividade. PÁG. 20/43

21 Rev.01 PÁG. 21/43 9. APROVAR TERMO DE RECEBIMENTO Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar: Execução de atividades Fiscal do Contrato Assim que a atividade anterior for executada Aprovar o Termo de Recebimento Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências Essa atividade é executada pelo fiscal de contrato, esse selecionado na atividade anterior, uma vez que essa atividade seja habilitada o mesmo receberá uma notificação via e também uma pendência no sistema para sua execução. Figura 17 Atividade Aprovar Termo de Recebimento. O objetivo dessa atividade é aprovar o que foi preenchido na atividade anterior, ou seja, aprovar o Termo de Recebimento, por isso todos os campos estão fechados para edição (apenas consulta). O executor dessa atividade tem duas possibilidades (destacado em vermelho na figura 17); PÁG. 21/43

22 Rev.01 PÁG. 22/43 1º) Selecionar a ação Enviar para Aprovação Se escolhida essa ação, o fluxo é enviado para a aprovação do diretor e secretário. 2º) Selecionar a ação Resolver problemas Se escolhida essa ação, o fluxo é enviado para atividade Resolver problemas, essa enviada para o próprio executor. Tem como finalidade resolver possíveis problemas antes de enviar para a aprovação. Lembrado apenas que é possível nessa atividade inserir ou visualizar os anexos incluídos anteriormente, através do menu Anexo, demonstrado na figura abaixo. Figura 18 Atividade Aprovar Termo de Recebimento, menu Anexo. PÁG. 22/43

23 Rev.01 PÁG. 23/ EMITIR NOTA EXTRA-ORÇAMENTARIA NO IPM Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar: Execução de atividades Papel funcional DELOG Após a execução da primeira atividade do fluxo Emitir nota extra-orçamentária no IPM Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências Como essa atividade é de responsabilidade de um papel funcional (grupo de pessoas), no momento em que é habilitada, todos usuários do papel funcional são notificados e todos recebem a mesma pendência, porem apenas um pode executá-la, no momento em que alguém assume essa pendência, ela some para os demais. Após selecionada a opção para executar a pendência, o sistema retorna um pop-up perguntando se deseja associar a atividade ao seu usuário, o mesmo deverá informar que sim para que a atividade seja vinculada ao usuário. Caso o usuário tenha associado a atividade por engano, ou queira retornar a atividade para o papel funcional, poderá desassociar selecionando a pendência e em seguida o botão desassociar atividade do usuário, conforme figura abaixo: Figura 19 Desassociando atividade do usuários. O objetivo dessa atividade é emitir a nota extra orçamentaria no sistema IPM, ao executar essa atividade é possível consultar o formulário principal, e informar obrigatoriamente no formulário secundário o valor dessa nota e seu número, como demonstrado na figura abaixo; PÁG. 23/43

24 Rev.01 PÁG. 24/43 Figura 20 Atividade Emitir nota extra orçamentaria no IPM. Campos obrigatórios para executar a atividade Número da Nota Extra Orçamentaria Valor da Nota Extra Após Preencher esses campos, é possível executar a atividade acionando botão Executar. Figura 21 Executado atividade Emitir nota extra orçamentaria no IPM. PÁG. 24/43

25 Rev.01 PÁG. 25/ APROVAR E PREENCHER TERMO DE RECEBIMENTO DEFINITIVO Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar Execução de atividades Iniciador do processo Após a execução da primeira atividade Emitir Termo de Recebimento Definitivo Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências Essa atividade é executada pelo iniciador do processo, uma vez que essa atividade seja habilitada o mesmo receberá uma pendência no sistema para sua execução. O objetivo dessa atividade é preencher os demais campos do Termo de Recebimento definitivo, após preenchimento basta executar a atividade, como demonstrado na figura abaixo; podendo ter 2 saídas, enviar para a resolução de problemas Inconformidade ou para as demais aprovações. Figura 22 Tela da atividade Preencher e aprovar Termo de Recebimento definitivo. PÁG. 25/43

26 Rev.01 PÁG. 26/ APROVAR TERMO DE RECEBIMENTO (2) Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar: Execução de atividades Papel funcional Comissão de Recebimento Após a execução da atividade Aprovar e Preencher Termo de Recebimento definitivo Aprovação do Termo de Recebimento pelo 2º membro da Comissão de Recebimento Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências Como essa atividade é de responsabilidade de um papel funcional (grupo de pessoas), no momento em que é habilitada, todos os usuários do papel funcional são notificados e todos recebem a mesma pendência, porem apenas um pode executá-la, no momento em que alguém assume essa pendência, ela some para os demais. Após selecionada a opção para executar a pendência, o sistema retorna um pop-up perguntando se deseja associar a atividade ao seu usuário, o mesmo deverá informar que sim para que a atividade seja vinculada ao usuário. Caso o usuário tenha associado a atividade por engano, ou queira retornar a atividade para o papel funcional, poderá desassociar selecionando a pendência e em seguida o botão desassociar atividade do usuário, conforme figura abaixo: Figura 23 Desassociando atividade do usuários. O objetivo dessa atividade é Aprovar o Termo de Recebimento, ao executar essa atividade é possível consultar o formulário principal, e também todos os anexos que foram inseridos no sistema até o momento. PÁG. 26/43

27 Rev.01 PÁG. 27/43 Após a conferência das informações o executor da atividade deve acionar o botão Executar, dando como aprovado de sua parte. Após essa aprovação o fluxo segue para a próxima atividade que é a aprovação do presidente da Comissão de Recebimento. Figura 24 Atividade Aprovar Termo de Recebimento (2). PÁG. 27/43

28 Rev.01 PÁG. 28/ APROVAR TERMO DE RECEBIMENTO (PRESIDENTE) Pendência: Quem recebe: Execução de atividades Presidente da Comissão de Recebimento Quando: Após a execução da atividade Aprovar Termo de Recebimento (2) Finalidade: Como executar: Aprovação do Termo de Recebimento pelo Presidente da Comissão de Recebimento Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências O objetivo dessa atividade é Aprovar o Termo de Recebimento, ao executar essa atividade é possível consultar o formulário principal, e também todos os anexos que foram inseridos no sistema até o momento. Após a conferência das informações o executor da atividade deve acionar o botão Executar, dando como aprovado de sua parte. Figura 25 Atividade Aprovar Termo de Recebimento (presidente). PÁG. 28/43

29 Rev.01 PÁG. 29/ DEFINIR NÚMERO PATRIMONIAL Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar: Execução de atividades Papel funcional Patrimônio Após a execução da atividade Aprovar Termo de Recebimento (presidente) se for Bem Permanente Inserção da numeração do patrimônio Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências O objetivo dessa atividade é inserir a numeração referente ao patrimônio, ao executar essa atividade é possível consultar o formulário principal, e também todos os anexos que foram inseridos no sistema até o momento. Após a consulta das informações o executor da atividade deve selecionar o formulário do processo, como demonstrado na figura abaixo; Figura 26 Atividade Definir número patrimonial. PÁG. 29/43

30 Rev.01 PÁG. 30/ Preenchendo numeração do patrimônio Para preencher a numeração do patrimônio, deve-se localizar no formulário a grid Patrimônio como demonstrado na figura 27, e selecionar o botão tela será apresentada (figura 28)., uma vez acionado esse botão a seguinte Figura 27 Grid Patrimônio. Figura 28 Cadastro de patrimônio. PÁG. 30/43

31 Rev.01 PÁG. 31/43 Nessa tela preenchemos as informações sobre o patrimônio, uma vez preenchido as informações requeridas devemos acionar algum dos botões de salvar. Figura 29 botões de save. Pode-se preencher um ou mais patrimônios, na figura (30) vemos como ficam dispostas essas informações no formulário principal. Figura 30 Visualização dos patrimônios inseridos. Após o preenchimento do formulário, o usuário poderá executar a atividade e enviar o processo para a próxima etapa acionando o botão executar, conforme indicado abaixo: Figura 31 Execução do fluxo Ao finalizar a atividade o sistema automaticamente encaminha o fluxo para a próxima etapa e enviará notificação por para o responsável da próxima atividade. PÁG. 31/43

32 Rev.01 PÁG. 32/ PREENCHER CERTIDÃO DE REGULARIDADE Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Como executar: Execução de atividades Papel funcional DELOG Após a execução da atividade Aprovar Termo de Recebimento (presidente) Preenchimento da Certidão de Regularidade Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências O objetivo dessa atividade é preencher a Certidão de Regularidade (no caso de Bens), quando habilitada essa atividade é requerido inicialmente preencher no formulário o tipo de certidão, como demonstrado na figura abaixo; Figura 32 Atividade preencher Certidão de Regularidade. PÁG. 32/43

33 Rev.01 PÁG. 33/43 Uma vez preenchido o tipo de certidão, no final do formulário são habilitados os campos referentes a Certidão de Regularidade selecionada, como demonstrado na figura abaixo; Figura 33 Campos da certidão. Após o preenchimento dos campos referentes a Certidão de Regularidade, deve-se executar a atividade, como demonstrado na figura abaixo; Figura 34 Executando atividade. PÁG. 33/43

34 Rev.01 PÁG. 34/ APROVAR CERTIDÃO DE REGULARIDADE (DIRETOR E SECRETÁRIO) Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Execução de atividades Diretor e Secretário Quando tipo = Aquisição de Bens, após execução da atividade Preencher Certidão de Regularidade Quando tipo = Serviço, após execução da atividade Aprovar Termo de Recebimento Quando tipo = Indenização, após a primeira atividade do fluxo. Aprovar a Certidão de Regularidade Como executar: Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências O objetivo dessa atividade é Aprovar a Certidão de Regularidade, quando habilitada é possível consultar o formulário preenchido (apenas para consulta) e também todos os anexos inseridos até o momento. Após análise basta executar a atividade, como demonstrado na figura abaixo: Figura 35 Executando atividade de Aprovação da Certidão de Regularidade. PÁG. 34/43

35 Rev.01 PÁG. 35/ ANALISA E APROVA PROCESSO? Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Execução de atividades Papel funcional - DEFIN Após a aprovação do diretor e do Secretário Analisar o processo de pagamento, aplicar check-list e aprovar para permitir a Liquidação no IPM Como executar: Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências O objetivo dessa atividade é efetuar a análise do processo e aplicar check-list específico visando à aprovação do processo como um todo, de modo a permitir a Liquidação da despesa no IPM. Quando habilitada é possível consultar o formulário preenchido (apenas para consulta) e também todos os anexos inseridos até o momento. Após análise basta executar a atividade, como demonstrado na figura abaixo: Figura 36 Atividade de Análise para Liquidação e Aprovação do Processo. PÁG. 35/43

36 Rev.01 PÁG. 36/43 Caso o processo esteja conforme, basta acionar a ação Aprovado e em seguida efetuar a Liquidação da Despesa no IPM. Caso seja encontrada alguma não conformidade deve-se acionar a ação Não aprovado (Retornar para iniciador do processo), nesse caso o sistema retorna uma tela solicitando obrigatoriamente uma justificativa para o retorno, como demonstrado na figura abaixo: Figura 37 Justificativa de retorno. PÁG. 36/43

37 Rev.01 PÁG. 37/ VALIDA PROCESSO? Pendência: Quem recebe: Quando: Finalidade: Execução de atividades Gilberto (Gerente de Análise e Liquidação de Pagamento) Após a execução da atividade de análise e aprovação do processo Validar o processo com um todo para encerramento da instância. Como executar: Clique aqui 5.1 para relembrar como são executadas as pendências Dead Line Atividade possui dead line de 24 horas, caso não seja executada dentro desse período, o próprio sistema executa a atividade automaticamente. O objetivo dessa atividade é proporcionar ao Gerente da GEALP a oportunidade de executar uma última verificação nos processos que julgar necessário. Quando habilitada é possível consultar o formulário preenchido (apenas para consulta) e também todos os anexos inseridos até o momento, bem como a própria aprovação realizada anteriormente pela Equipe da GEALP. Após tal análise basta executar a atividade, como demonstrado na figura abaixo: Figura 38 Atividade de validação do processo. PÁG. 37/43

38 Rev.01 PÁG. 38/43 Se a ação for Sim o processo é encerrado, caso a ação for Não o processo retorna para a atividade anterior Analisa e Aprova processo?, sendo que para essa opção o campo Justificativa é obrigatório, como demonstrado na figura abaixo: Figura 39 Justificativa de retorno. PÁG. 38/43

39 Rev.01 PÁG. 39/ CONSULTA Figura 40 Tela de consulta. Para efetuar uma consulta devemos acionar o menu Consulta > Processo > selecionar o processo em questão Processo de pagamento (IN21). Na aba Navegar é apresentada a hierarquia dos tipos que classificam os objetos. Utilize o filtro da parte superior desta aba para localizar algum registro específico na hierarquia. Utilize os seguintes botões disponíveis nesta aba: Quando acionado, limpa o filtro de pesquisa. Quando acionado, efetua a pesquisa com base na informação preenchida. Quando acionado, exibe no resultado da consulta, os registros dos níveis abaixo da opção selecionada na hierarquia. Quando acionado, permite alterar a hierarquia de objetos exibida. Estarão disponíveis todos os navegadores dinâmicos registrados. PÁG. 39/43

40 Rev.01 PÁG. 40/43 Na aba Pesquisar estão disponíveis os filtros que permitem buscar no sistema algum objeto já registrado através de informações específicas. Para exibir os filtros de cada painel, basta acionar o botão presente em cada uma das faixas. Botão Específico: Acione a seta, localizada no lado direito do botão, para visualizar o tipo e/ou os dados do processo que está selecionado na tela principal. Quando acionado, exibe o fluxograma do processo que está selecionado. Veja mais detalhes na seção Fluxograma dos processos. Quando acionado, abre a tela com o histórico do processo que está selecionado. Acione a seta, localizada ao lado direito do botão, para emitir as possíveis opções de relatórios disponíveis. Acione a seta, localizada no lado direito do botão, para selecionar a visão desejada para montagem do cubo: processos, atividades ou histórico. Neste momento, o SE Business Intelligence será carregado para análise das informações. Acione a seta, localizada no lado direito do botão, para exibir a tela principal dividida em 2 ou 3 quadrantes. Lembrando que a tela dividida em 3 quadrantes possibilita a visualização do fluxograma do processo que está selecionado. Figura 41 Tela de consulta avançada. PÁG. 40/43

ÍNDICE. Página 2 de 21

ÍNDICE. Página 2 de 21 Página 1 de 21 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. MINHA CONTA... 3 2.1. Introdução... 3 2.2. Telas do Menu Minha Conta... 4 2.2.1. Tela de Dados Cadastrais... 4 2.2.2. Tela Gerenciar Contatos... 5 2.2.3. Tela

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012 Florianópolis, 05 de dezembro de 2012. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.10.1.8-05-12-2012 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal.

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal. MANUAL DO SISCOOP Sumário 1 Menu de Navegação... 3 2 Gerenciar País... 5 3- Gerenciamento de Registro... 8 3.1 Adicionar um registro... 8 3.2 Editar um registro... 10 3.3 Excluir um registro... 11 3.4

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Caso você possua cadastro no Twitter, selecione a opção Logar com meu usuário, e insira seu nome de usuário e senha do serviço:

Caso você possua cadastro no Twitter, selecione a opção Logar com meu usuário, e insira seu nome de usuário e senha do serviço: Tópicos 1. Efetuando login 2. Componentes da tela principal 2.1. Barra de ferramentas 2.2. Painel de atualizações 2.3. Rede de contatos do usuário 2.3.1. Controles de mouse e teclado 2.3.2. Entendendo

Leia mais

Documentação de Apoio. para uso do. Dashboard Corporativo V3 (Completo)

Documentação de Apoio. para uso do. Dashboard Corporativo V3 (Completo) para uso do Dashboard Corporativo V3 (Completo) 21225_ Completo- Dashboard Rev - Cópia.doc Página 1 de 27 Histórico das Alterações Data Descrição Autor Emissão da documentação Rev. Contempla procedimentos

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: ADMINISTRATIVO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 08/01/2013 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Sumário Acessando o sistema gerencial... 1 Enviando logomarca, banners e destaques... 1 Logomarca... 1 Destaques... 2 Banners... 3 Cadastrando produtos... 4 Embalagem...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS PARA CERTAMES SIGEDCERT - MODO USUÁRIO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS PARA CERTAMES SIGEDCERT - MODO USUÁRIO MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS PARA CERTAMES SIGEDCERT - MODO USUÁRIO 1. Acesse através do navegador (preferencialmente Mozilla Firefox ou Google Chrome) o endereço web do sistema:

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS V PORTAL WEB Revisão: 07 Versão: 7.9.109 JM Soft Informática Março, 2015 SUMÁRIO 1 AVALIAÇÕES... 9 2 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL...

Leia mais

Controle Patrimonial WEB

Controle Patrimonial WEB Cccc Controle Patrimonial WEB Manual Unidade de Guarda Conteúdo 1. Acessar o Controle Patrimonial - Web... 4 1.1. Login... 4 1.2. Esquecer sua senha?... 5 2. Alterar a senha... 6 3. Cadastrar novo usuário...

Leia mais

MAPEAMENTO MANUAL DO USUÁRIO

MAPEAMENTO MANUAL DO USUÁRIO 2013 MAPEAMENTO MANUAL DO USUÁRIO Consultoria SI 20/8/2013 Sumário Apresentação...3 Requisitos para Utilização do Sistema...3 Campos Obrigatórios para Cadastro de Equipamentos/ Espaço Físico...3 Processo

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 Manual do Usuário Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 1. CONFIGURAÇÕES E ORIENTAÇÕES PARA ACESSO... 4 2 GUIAS... 11 2.1 DIGITANDO AS GUIAS... 11 2.2 SALVANDO GUIAS... 12 2.3 FINALIZANDO UMA GUIA... 13

Leia mais

Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT.

Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT. Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT. PÁGINA: 2 de 21 Nenhuma parte deste documento pode ser utilizado ou reproduzido, em qualquer meio

Leia mais

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Manual do Usuário Página1 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 4 2 Objetivos... 4 3 Acesso ao Sistema... 5 3.1. Acessar 6 3.2. Primeiro

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM AMBIENTES DIGITAIS NEAD

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM AMBIENTES DIGITAIS NEAD 0 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM AMBIENTES DIGITAIS NEAD ORIENTAÇÕES SOBRE USO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (MOODLE) PARA DISPONIBILIZAÇÃO

Leia mais

Malote Digital. Manual do usuário

Malote Digital. Manual do usuário Malote Digital Manual do usuário Brasília, Novembro de 2014 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 03/10/2011 1.4.1 Elaboração do Documento Rodrigo Antunes 01/07/2013 1.8.0.0 Atualização do Documento

Leia mais

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa)

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa) SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 Vendas... 3 1.1

Leia mais

Manual de configuração do sistema

Manual de configuração do sistema Manual de configuração do sistema (v.1.5.x Beta) Rua México, 119 Sala 2004 Centro Rio de Janeiro, RJ www.doctors-solution.com.br www.simdoctor.com.br contato@simdoctor.com.br Sumário 1. Fazendo seu primeiro

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Universidade Federal do Mato Grosso - STI-CAE. Índice

Universidade Federal do Mato Grosso - STI-CAE. Índice CAPA Universidade Federal do Mato Grosso - STI-CAE Índice 1. Página da área administrativa... 1.1 Botões e campo iniciais... 2. Explicar como funcionam as seções... 2.1. Seções dinâmicos... 2.1.1 Como

Leia mais

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas SESAU Coordenadoria Setorial de Gestão a Informática - CSGI Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Maceió 06/02/2012 Técnico Responsável: Bruno Cavalcante

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN S U M Á R I O 1Tela de Login...2 2 Painel......3 3 Post...4 4 Ferramentas de Post...10 5 Páginas...14 6 Ferramentas de páginas...21 7 Mídias...25 8 Links......30 1 1- TELA DE LOGIN Para ter acesso ao wordpress

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS Versão 1.0 SUMÁRIO 1. Descrição do Local de Acesso... 1 2. Módulo Registrar Diárias... 3 3. Módulo Aprovar Diárias... 11 4. Registrar Prestação de Contas...

Leia mais

TUTORIAL. Dúvidas? Entre em contato com edunp@unp.br

TUTORIAL. Dúvidas? Entre em contato com edunp@unp.br TUTORIAL MENU (clique sobre uma das opções) 1. CADASTRO DE LEITORES/AUTORES/AVALIADORES 2. SUBMISSÃO DE TEXTO 3. REENVIO DE TEXTO NA AVALIAÇÃO 4. REENVIO DE TEXTO NA EDIÇÃO Dúvidas? Entre em contato com

Leia mais

TUTORIAL COLEGIADOS EM REDE

TUTORIAL COLEGIADOS EM REDE TUTORIAL COLEGIADOS EM REDE Brasília/DF Agosto/2015 Sumário Introdução... 2 1 Sistema de Gestão Estratégica... 3 2 Colegiados Em Rede... 5 2.1 Menu Cadastro... 6 2.1.1 Dados do Colegiado... 7 2.1.2 Composição

Leia mais

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE ❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE a) Checagem de Estoque - Verifique o estoque dos produtos desejados. b) Listar produtos com a quantia de estoque mínimo atingido: ESTOQUE / RELATÓRIO / ALERTA DE COMPRA

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas Funções Básicas Fevereiro 2015 - 1) Selecionar o menu Portfólio > Projetos, clique para janela projetos abrir. 2) Selecione botão incluir para abrir um projeto. Preencha os campos obrigatórios nos Dados

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor Introdução O SIAP, Sistema de Apoio ao Professor, é um programa que vai contribuir, de forma decisiva, com o cotidiano escolar de alunos, professores, gestores e funcionários administrativos. Com a implantação

Leia mais

SIG DMS / NFSe. Manual de Conhecimento. Atualizado em 23/05/2013 por Danillo Campelo Amorim

SIG DMS / NFSe. Manual de Conhecimento. Atualizado em 23/05/2013 por Danillo Campelo Amorim SIG DMS / NFSe Manual de Conhecimento Atualizado em 23/05/2013 por Danillo Campelo Amorim 1 Índice Função do modulo...3 Conhecimentos Exigidos & Requisitos Humanos...3 Acessando o Sistema...4 Padrõe de

Leia mais

DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PJe Manual do Servidor (2º Grau) Versão 2.0 Diretoria da Tecnologia da Informação 1 DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PJe Manual

Leia mais

DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PJe Manual do Servidor de Secretaria Versão 1.0 Diretoria da Tecnologia da Informação 1 DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PJe Manual

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013 Florianópolis, 26 de fevereiro de 2013. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.11.1.7 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Manual do Assinador de Documentos

Manual do Assinador de Documentos Manual do Usuário Manual do Assinador de Documentos PROJUDI Template Versão 1.1 SUMÁRIO 1. Requisitos Básicos... 3 2. Atualizar a Versão do Java... 3 2.1 Adicionar Site à Lista de Exceções... 10 3. Baixar

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Subcomissão de Patrimônio - GEFIM REITORIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO COMPATRIM/GEFIM SISTEMA PATRIMÔNIO WEB Manual do usuário v.1.1 Sumário Introdução... 4 Fluxo das Principais

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

INTEGRAÇÃO SISREG - CADSUS WEB DOCUMENTO ORIENTADOR

INTEGRAÇÃO SISREG - CADSUS WEB DOCUMENTO ORIENTADOR INTEGRAÇÃO SISREG - CADSUS WEB DOCUMENTO ORIENTADOR SUMÁRIO 1 - IDENTIFICANDO O PACIENTE... 3 2 - PESQUISANDO PACIENTE NO CADSUSWEB... 5 3 ALTERANDO DADOS OU CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO... 7 O objetivo

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Sistema de Protocolo. Manual do Usuário

Sistema de Protocolo. Manual do Usuário Sistema de Protocolo Manual do Usuário Atualizado em 05/06/2010 2 Apresentação Módulo Protocolo Está disponível de forma integrada com todos os órgãos para registrar e acompanhar, de modo atualizado e

Leia mais

Manual de Apoio ao Treinamento. Expresso

Manual de Apoio ao Treinamento. Expresso Manual de Apoio ao Treinamento Expresso 1 EXPRESSO MAIL É dividido em algumas partes principais como: Caixa de Entrada: local onde ficam as mensagens recebidas. O número em vermelho entre parênteses refere-se

Leia mais

Recursos do Outlook Web Access

Recursos do Outlook Web Access Recursos do Outlook Web Access Este material foi criado pela Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação (SETIC) do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Seu intuito é apresentar algumas

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL CERBERUS Manual do sistema HISTÓRICO DA REVISÃO Data Versão Descrição Autor 07/08/2014 1.0 Criação do documento Antonio Rogério da Costa Silva LISTA DE FIGURAS

Leia mais

Manual de Utilização Autorizador Web V2

Manual de Utilização Autorizador Web V2 Manual de Utilização Autorizador Web V2 OBJETIVO Esse manual tem como objetivo o auxílio no uso do Autorizador de Guias Web V2 do Padre Albino Saúde. Ele serve para base de consulta de como efetuar todos

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

Manual do Usuário Projeto DECOM DIGITAL Versão 1.0

Manual do Usuário Projeto DECOM DIGITAL Versão 1.0 Manual do Usuário Projeto DECOM DIGITAL Versão 1.0 Sumário 1 INTRODUÇÃO... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO. 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA... 3 3 DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 4 COMO ACESSAR O SISTEMA... 3 5 COMO NAVEGAR

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Manual do Usuário Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Índice 1. Visão Geral... 3 2. Acessar o sistema... 3 3. Módulo Inicial... 6 3.1. Cabeçalho do sistema... 6 3.2. Fale Conosco... 6 3.3. Meu Cadastro...

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes 1. COMO ACESSO A PLATAFORMA DE ENSINO?... 2 2. NÃO CONSIGO REALIZAR O MEU CADASTRO NO AMBIENTE VIRTUAL DO MMA.... 4 3. FIZ MEU CADASTRO NO SITE E NÃO RECEBI O E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO

Leia mais

MANUAL DO PVP SUMÁRIO

MANUAL DO PVP SUMÁRIO Manual PVP - Professores SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 6 2 ACESSANDO O PVP... 8 3 TELA PRINCIPAL... 10 3.1 USUÁRIO... 10 3.2 INICIAL/PARAR... 10 3.3 RELATÓRIO... 10 3.4 INSTITUIÇÕES... 11 3.5 CONFIGURAR... 11

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Guia de orientações e conceitos para manipulação da plataforma Miraklon. VERSÃO 1.0 12.02.2014. Vigência 12.02.

MANUAL DO USUÁRIO. Guia de orientações e conceitos para manipulação da plataforma Miraklon. VERSÃO 1.0 12.02.2014. Vigência 12.02. MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.0 12.02.2014 Vigência 12.02.2014 Guia de orientações e conceitos para manipulação da plataforma Miraklon. SUMÁRIO 1. CONFIGURAÇÕES... 3 1.1 - Dados Gerais... 3 1.2 Formulários...

Leia mais

GUIA DE USO FRAMEWORK APLANAR Versão 0.1 21/07/2014 Cópia distribuída e controlada

GUIA DE USO FRAMEWORK APLANAR Versão 0.1 21/07/2014 Cópia distribuída e controlada GUIA DE USO SUMÁRIO 1. Utilizando o FrameWork Aplanar... 2 1.1 GRID... 2 1.1.1 Barra de menus:... 2 1.1.2 Barra de ferramentas:... 3 1.1.3 Barra de pesquisa:... 3 1.2 MENU ADMINISTRATIVO... 4 1.2.1 Usuário:...

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

Guia rápido de utilização. Controle de Chamados. Nuubes.com

Guia rápido de utilização. Controle de Chamados. Nuubes.com Guia rápido de utilização Controle de Chamados Nuubes.com Este é um tutorial rápido que tem por objetivo ensinar em poucos passos como utilizar o sistema Nuubes.com. O sistema Nuubes ( www.nuubes.com )

Leia mais

- Acessar o sistema. Para acessar o sistema digite o endereço eletronico www.simpo.com.br/protocolo e clique em login na barra de menus.

- Acessar o sistema. Para acessar o sistema digite o endereço eletronico www.simpo.com.br/protocolo e clique em login na barra de menus. - Acessar o sistema. Para acessar o sistema digite o endereço eletronico www.simpo.com.br/protocolo e clique em login na barra de menus. Ou digite www.simpo.com.br/protocolo/login.php, para ir diretamente

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Sistema de Registro das Atividades do RT - Tutorial de utilização

Sistema de Registro das Atividades do RT - Tutorial de utilização Sistema de Registro das Atividades do RT - Tutorial de utilização Acesso WEB 1. Primeiro acesso Para acessar o sistema, abra seu navegador de internet e vá até o site http://sistemart.crmv pr.org.br. Você

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão inicial

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

SUAP Módulo Protocolo Manual do Usuário DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEÇÃO DE PROJETOS, SISTEMAS E PROCESSOS DE NEGÓCIO

SUAP Módulo Protocolo Manual do Usuário DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEÇÃO DE PROJETOS, SISTEMAS E PROCESSOS DE NEGÓCIO SUAP Módulo Protocolo Manual do Usuário DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEÇÃO DE PROJETOS, SISTEMAS E PROCESSOS DE NEGÓCIO SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. ACESSO AO SISTEMA... 1 1.2. TELA INICIAL

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO Departamento de Tecnologia da Informação tecnologia@unimeditabira.com.br 31 3839-771 3839-7713 Revisão 03 Itabira Setembro 2015 Sumário 1. Acessando

Leia mais

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Macaé, Outubro de 2010 SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Página 1 de 38 Controle de Revisões Data Comentário Responsável 01/10/2010 Revisão e correção de texto Marcos Lemos 01/10/2010 Correção

Leia mais

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM Manual do Almoxarifado SIGA-ADM DIRETORIA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO(DGTI) MARÇO/2012 Requisição de Almoxarifado Requisições O sistema retornará a tela do menu de Administração. Nela selecione

Leia mais

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO Brasília/DF, 7 de maio de 2015. 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO Prezado (a) Supervisor (a) participante

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1 Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente Versão 1.1 Sumário Sistema de Relacionamento com Cliente 3 1 Introdução... ao Ambiente do Sistema 4 Acessando... o Sistema 4 Sobre a Tela... do Sistema

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4. Agenda Online... 10. Reservas de Salas... 26. Tarefas... 42

Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4. Agenda Online... 10. Reservas de Salas... 26. Tarefas... 42 Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4 Passo a passo para visualização de contatos... 5 Passo a passo para filtragem da lista de contatos... 6 Como ordenar a lista de contatos... 7 Como gerar uma

Leia mais

Roteiro de acesso ao Autorizador do Plan-Assiste para autorização de procedimentos.

Roteiro de acesso ao Autorizador do Plan-Assiste para autorização de procedimentos. 1 - PRIMEIRO ACESSO AO AUTORIZADOR Tutorial Autorizador WEB Roteiro de acesso ao Autorizador do Plan-Assiste para autorização de procedimentos. 1.1. Acessar o endereço http://assiste.mpu.gov.br/autorizadorweb;

Leia mais

1998-2013 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2013 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.0A-01 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais...

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais... Sumário UNICO...... 3 Cadastros... 4 Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5 Produtos...... 6 Serviços...... 6 Outros...... 6 Vendas... 7 Notas Fiscais... 7 Estoque...8 Financeiro......

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais