Sistemas de Monitorização Infinity - Optimização do Workflow Clínico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas de Monitorização Infinity - Optimização do Workflow Clínico"

Transcrição

1 Sistemas de Monitorização Infinity - Optimização do Workflow Clínico Siemens SA - Medical Solutions 27 / 28 Nuno Miguel Osório Novais Departamento de Física

2 Sistemas de Monitorização Infinity - Optimização do Workflow Clínico Siemens SA - Healthcare 27 / 28 Nuno Miguel Osório Novais Departamento de Física Julho 28 Orientador na Universidade: Professora Doutora Filomena Botelho Supervisor na Siemens SA - Medical Solutions: Doutor Paulo Cruz Nuno Miguel Osório Novais ii

3 «Aos meus pais» Nuno Miguel Osório Novais iii

4 Agradecimentos Ao Doutor Paulo Cruz, Eng. Nelson Leitão e à Professora Doutora Filomena Botelho que orientaram, supervisionaram e ajudaram a clarificar dúvidas que surgiram ao longo do projecto. A todos os colegas da equipa de Critical Care (Eng. Miguel Vieira, Eng. Luís Sobral, Eng. Filipe Oliveira, Eng. Bruno Freitas, Eng. Marta Marques, Eng. Rita Monteiro e Eng. Jaime Neves) que deram vários conselhos sobre como melhorar o projecto. Aos colegas Senhor José Neves, Dra. Sara Carvalho e Dra. Lídia Castro que ajudaram na recolha de informação. Agradeço a todas as pessoas que intervieram directamente e indirectamente neste projecto, durante os últimos 12 meses. Nuno Miguel Osório Novais iv

5 Resumo O fluxo de trabalho clínico está directamente relacionado com o impacto da inserção dos equipamentos médicos, nomeadamente das suas funcionalidades, fiabilidade e custos de manutenção. O transporte intra-hospitalar de pacientes em condição crítica é um processo que envolve um conjunto de riscos para a saúde dos pacientes. A Infinity Docking Station (IDS), um sistema de conexão com monitores de sinais vitais tem como principal aplicação a optimização deste processo. Com a realização deste projecto, pretende-se avaliar o impacto da inserção da IDS em ambiente hospitar, nomeadamente nos processos de transporte e outras tarefas relacionadas com sistemas de monitorização. De igual modo, pretende-se avaliar a fiabilidade e custo de manutenção dos sistemas de monitorização da Draeger Medical, nomeadamente de Monitores de Sinais Vitais e Centrais de Monitorização. A IDS mostra ser um equipamento com um grande impacto nos processos hospitalares. Com a utilização desta o processo é mais simples, o clínico pode focalizar a atenção no paciente, necessita de um menor número de recursos tecnológicos, permite uma redução no tempo de transporte em cerca de 7% (Fonte Draeger Medical) e serve inclusive de interface entre os monitores de sinais vitais e outros sistemas. Resultados preliminares sugerem que os sistemas de monitorização da Draeger Medical são extremamente fiáveis e que os custos de manutenção, de serviços prestados, acessórios e consumíveis são bastante reduzidos. Palavras Chave (Tema): Palavras Chave (Tecnologias): Transporte Intra-hopitalar; Custo Total de Posse; Optimização de Workflow Clínico; Mean Time Between Failure, Downtime. Infinity Gamma; Infinity Delta; Infinity Kappa; Infinity Docking Station; Infinity MultiView WorkStation. Nuno Miguel Osório Novais v

6 Índice Agradecimentos...iv Resumo...v Índice...vi Índice de Figuras...ix Índice de Tabelas...x Notação e Glossário...xii 1 Introdução Enquadramento e Apresentação do Projecto Siemens S.A Sectores Siemens Medical Solutions - HealthCare Contributos deste Projecto Organização do relatório Sistemas de Monitorização Monitores Infinity Série Gamma Série Delta Série Kappa Solução Omega Principio de Funcionamento Funcionalidades Adicionais Estandardização Monitores de Sinais Vitais - Concorrência Infinity Docking Station Funcionalidades & Propriedades Pick&Go Central de Monitorização...17 Nuno Miguel Osório Novais vi

7 3 Fundamentação Teórica Transporte de Pacientes Guidelines de Transporte Equipa Médica Equipamento Sistemas de Monitorização Dados Estatísticos Caracterização do CTP Modelo Gartner Group Custo de Capital Custos Administrativos Suporte e Assistência Técnica Custos Recorrentes Importância do CTP Caracterização dos Factores de Valor & Tempo Mean Time Between Failure Custo Médio de Reparação Downtime Estado de Arte Métodos Transporte de Pacientes Factores de Custo, Valor e Tempo Entidades Envolvidas Amostra de Equipamentos Critério de Selecção de Equipamentos Dados CTP Mean Time Between Failure Custo Médio de Reparação...3 Nuno Miguel Osório Novais vii

8 4.2.8 Downtime Resultados Obtidos Resultados e conclusão Infinity Docking Station - IDS Funcionalidades e Propriedades Pick&Go Factores de Custo, Valor e Tempo Resultados - Monitores Configuradores Resultados - Monitores Modulares Resultados - Centrais de Monitorização Limitações & trabalho futuro Apreciação final Estágio como Especialista de Produto Apreciação Final...46 Bibliografia...47 Tabelas de CTP...49 Tabelas de Tempo e Valor...52 Histórico Monitores e Centrais de Monitorização...55 Nuno Miguel Osório Novais viii

9 Índice de Figuras Figura 1 - Joint-Venture entre a Siemens AG e Drägerwerk AG...4 Figura 2 - Série de Monitores Gamma...9 Figura 3 - Série de Monitores Delta...9 Figura 4 - Série de Monitores Kappa...1 Figura 5 - Solução Omega: Infinity Explorer + Infinity Delta/Delta XL...11 Figura 6 - Acuidade dos Monitores Infinity...11 Figura 7 - Princípio de funcionamento dos Monitores Figura 8 - Compatibilidade dos Monitores Infinity com os módulos de sinais vitais...12 Figura 9 - Infinity Docking Station...14 Figura 1 - Monitor Infinity conectado a uma IDS...14 Figura 11 - Portas de Comunicação da IDS...15 Figura 12 - Central de Monitorização: Infinity MultiView WorkStation...17 Figura 13 - Transporte Intra-hospitalar...18 Figura 14 - Esquema do processo de transporte com IDS...34 Figura 15 - Diagrama de fluxo de transporte hospitalar com outras soluções...35 Figura 16 - Diagrama de fluxo de transporte hospitalar com solução da Draeger Medical...37 Figura 17 - Diagrama de fluxo do processo de admissão de paciente com solução Draeger Medical...39 Nuno Miguel Osório Novais ix

10 Índice de Tabelas Tabela 1 - Lista de parâmetros monitorizados nas diferentes unidades hospitalares...8 Tabela 2 - Amostra de Equipamentos...27 Tabela 3 - Principais resultados - Monitores Configuradores...4 Tabela 4 - Principais resultados - Monitores Modulares...4 Tabela 5 - Principais resultados - Centrais de Monitorização...41 Tabela 6 - Principais actividades desenvolvidas no estágio...44 Tabela 7 - Monitores Configuradores...49 Tabela 8 - Monitores Modulares...5 Tabela 9 -Centrais de Monitorização...51 Tabela 1 - Mean Time Between Failure: Monitores Configuradores...52 Tabela 11 - Custo Médio de Reparação: Monitores Configuradores...52 Tabela 12 - Downtime: Monitores Configuradores...52 Tabela 13 - Mean Time Between Failure: Monitores Modulares...53 Tabela 14 - Custo Médio de Reparação: Monitores Modulares...53 Tabela 15 - Downtime: Monitores Modulares...53 Tabela 16 - Mean Time Between Failure: Centrais de Monitorização...54 Tabela 17 - Custo Médio de Reparação: Centrais de Monitorização...54 Tabela 18 - Downtime: Centrais de Monitorização...54 Tabela 19 - Hospital Eduardo dos Santos Silva: Histórico dos monitores Infinity Gamma XL...55 Tabela 2 - Hospitais da Universidade de Coimbra: Histórico dos monitores Infinity Kappa...59 Tabela 21 - Hospitais da Universidade de Coimbra: Histórico dos monitores Infinity Gamma XL...6 Tabela 22 - Hospitais da Universidade de Coimbra: Histórico dos monitores Infinity Gamma...62 Tabela 23 - Hospital de São Teotónio: Histórico dos monitores Infinity Gamma...64 Tabela 24 - Hospital de Santa Cruz: Histórico dos monitores Infinity Delta...67 Tabela 25 - Histórico das Centrais de Monitorização...68 Tabela 26 - Resumo do histórico dos Monitores Configuradores...69 Tabela 27 - Resumo do histórico dos Monitores Modulares...69 Tabela 28 - Resumo do histórico das Centrais de Monitorização...69 Nuno Miguel Osório Novais x

11 Nota: A presente dissertação contém informação estritamente confidencial, pelo que, não pode ser copiada, transmitida ou divulgada na sua parte ou na totalidade sem o expresso consentimento por escrito do autor e da Siemens Medical Solutions. Nuno Miguel Osório Novais xi

12 Notação e Glossário BO CA CC CTP HUC HESS HSC HST IDS MTBF TCO UCI UCIN UCC Bloco Operatório Cirurgia de Ambulatório Critical Care Custo Total de Posse Hospitais da Universidade de Coimbra Hospital Eduardo dos Santos Silva Hospital de Santa Cruz Hospital São Tetónio Infinity Docking Station Mean Time Between Failure Total Cost of Ownership Unidade Cuidados Intensivos Unidade Cuidados Intensivos Neonatais Unidade de Cuidados Críticos Nuno Miguel Osório Novais xii

13 1 Introdução Neste capítulo pretende descrever-se, de forma sumária, o problema em estudo no âmbito deste projecto, assim como os objectivos definidos e a motivação para a sua realização. Com este projecto pretende-se determinar o impacto da utilização do equipamento Infinity Docking Station (IDS) em ambiente hospitalar, nomeadamente nos processos de transporte intra-hospitalar e nas tarefas comuns hospitalares. Adicionalmente pretende-se determinar os custos associados à utilização e manutenção dos sistemas de monitorização Infinity, nomeadamente monitores e centrais de monitorização. 1.1 Enquadramento e Apresentação do Projecto A capacidade de inserção dos sistemas de monitorização na estrutura e organização de trabalho clínico têm enorme importância, quer no aumento da qualidade de prestação de serviço, como também na simplificação do trabalho das equipas médicas. Uma das muitas situações delicadas recorrentes nos hospitais é o transporte intrahospitalar de pacientes que se encontram em estado crítico. Este processo envolve à partida um risco para o paciente e por vezes para a equipa médica de transporte. A razão básica para transferir um paciente de uma unidade para outra advém da necessidade deste obter tratamento adicional por parte de especialistas e/ou tecnologias que não se encontram disponíveis no local onde se encontra. Idealmente, um paciente em estado crítico deve ter condições iguais às que se encontra por exemplo numa UCI. A Infinity Docking Station (IDS) é um equipamento de conexão com monitores de sinais vitais desenvolvido pela Draeger Medical e apresenta-se como um inovador sistema com grandes potencialidades na optimização do workflow clínico, destacando-se o conceito Pick&Go, uma funcionalidade especialmente pensada para o transporte intra-hospitalar de pacientes em estado crítico. Nuno Miguel Osório Novais 1

14 Elementos importantes a considerar nos equipamentos médicos, para além da sua aplicação médica, são factores financeiros e económicos, tais como o preço de operação e manutenção de tais sistemas. Uma das principais frases chave da Indústria Global da Saúde é a contenção de custos. Os hospitais e clínicas têm cada vez mais um orçamento restrito, em que o investimento de capital é reduzido e a tomada de decisão de compra afectada por mais critérios de selecção. A compreensão e tomada de decisão actual da aquisição de equipamentos e outros investimentos, parte não só da análise da qualidade/função do equipamento e preço de compra inicial, como também de factores importantes como o reconhecimento social da empresa prestadora do serviço/venda, qualidade de prestação desses serviços/vendas e condições de venda posteriori à aquisição. Neste sentido, a avaliação dos custos de operação associados ao funcionamento dos equipamentos durante o seu tempo de vida é importante pois pode ser um dos factores a considerar pelas entidades hospitalares. A ferramenta de gestão financeira que analisa os custos de operação é denominada por Custo Total de Posse (CTP) ou Total Cost of Ownership (TCO). Adicionalmente à determinação de CTP, é importante ter conhecimento de outros factores, tais como a variável Mean Time Between Failure (MTBF), Downtime e custo médio de reparação. No presente projecto de Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica são abordadas funcionalidades e propriedades da IDS, assim como as suas potencialidades na optimização do workflow clínico e é efectuada uma comparação entre o processo de transporte com o sistema da Draeger Medical e outro sistema de monitorização. Neste trabalho é inclusive apresentado um estudo prático da utilização dos sistemas de monitorização Infinity, o qual envolve a determinação dos seguintes factores de custo, valor e tempo: Custo Total de Posse (CTP), Mean Time Between Failure (MTBF), Downtime e custo médio de reparação. Todo o desenvolvimento deste projecto mostrou-se muito interessante, uma vez que se cruza com dois temas actuais e importantes, nomeadamente o fluxo de trabalho de processos de transporte de pacientes e gestão hospitalar de manutenção e utilização de sistemas médicos. Nuno Miguel Osório Novais 2

15 Para a concretização dos objectivos definidos estudaram-se vários temas, entre os quais se destacam: os sistemas de monitorização Infinity, a caracterização do fluxo de trabalho num processo de transporte hospitalar e o estudo do Custo Total de Posse enquanto método de avaliação financeira. O presente trabalho foi realizado na empresa Siemens SA, a qual se passa a descrer em seguida. 1.2 Siemens S.A. Em Portugal, a actividade da Siemens S.A. tem-se baseado numa lógica de responsabilidade social como base da sua sustentabilidade empresarial. Esta postura contribui decisivamente para a sua posição como referência empresarial do país, sendo inclusive reconhecida como uma empresa promotora de estabilidade social e de desenvolvimento económico. Ao promover e defender em todas as suas acções, sejam elas de cariz empresarial ou social, valores como a integridade, lealdade, tolerância e o respeito pela lei, a Siemens construiu assim, uma cultura empresarial assente em elevados padrões éticos e legais Sectores A Siemens S.A. é uma empresa que abrange diferentes áreas de negócios, tendo-se reorganizado recentemente em três sectores de actividades distintos: Energia (Energy), Industria & Infraestruturas (Industry) e Saúde (Healthcare), as quais funcionam praticamente de forma transversal, sustentando o lema da empresa, Siemens One Siemens Medical Solutions - HealthCare A Siemens Healthcare é um dos sectores da Siemens S.A que apresenta produtos, sistemas e soluções na área da saúde. A Siemens é líder em equipamentos de alta tecnologia para diagnóstico, terapia e monitorização, bem como em sistemas de comunicação e armazenamento digital de imagens. Critical Care (CC) é uma das áreas de negócio que constitui a Siemens Healthcare. Esta área apresenta soluções na área Nuno Miguel Osório Novais 3

16 dos serviços críticos, mais propriamente Bloco Operatório (BO), Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), Unidade de Cuidados Críticos (UCC) e Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN). A área de CC é a representante da empresa alemã Dräger Medical, empresa esta que resultou da fusão entre a Siemens AG e a Drägerwerk AG, com 25% e 75% do capital, respectivamente. Esta joint-venture teve início no ano de 23. Figura 1 - Joint-Venture entre a Siemens AG e Drägerwerk AG (Fonte: Manual de Acolhimento, Siemens Medical Solutions) A multinacional alemã Draeger Medical é uma das principais empresas de desenvolvimento e comercialização de tecnologias de sistemas médicos para unidades de cuidados críticos. Os seus produtos consistem em soluções e sistemas integrados de aplicação em todas as etapas do processo de tratamento de um paciente, desde Cuidados de Emergência, Bloco Operatório/Anestesia, Recobro e Cuidados Domiciliários. Desta forma, a Draeger Medical apresenta um vasto portfólio de soluções e sistemas de monitorização e informação. Nestes, incluem-se soluções de hardware e software de monitorização de sinais vitais, centrais de monitorização, sistemas de telemetria, sistemas de gestão de cardiologia e sistemas de informação e gestão de dados. [1, 24] 1.3 Contributos deste Projecto Um dos principais factores que impulsionaram a execução deste projecto relaciona-se com o facto de ainda não existir informação sistematizada no que diz respeito ao fluxo de trabalho em serviços hospitalares de processos de transporte com a IDS. Assim como por ainda não ter sido realizado nenhum estudo prático que caracterizasse a utilização dos sistemas de monitorização Infinity, que esteja em concordância com o panorama nacional. Nuno Miguel Osório Novais 4

17 Uma caracterização teórica do fluxo de trabalho de processos de transporte de pacientes em estado crítico, em termos de recursos tecnológicos, condições de monitorização, pessoal envolvido, e tempo, torna-se útil, uma vez que permite ter um maior conhecimento do impacto da utilização da IDS nesses processos, comparativamente com outros sistemas de monitorização. Da mesma forma, uma caracterização prática dos factores de custo, valor e tempo acima referidos, torna-se útil pois permite avaliar in loco as principais características económicas da utilização destes sistemas de monitorização. 1.4 Organização do relatório Este relatório encontra-se dividido em 5 capítulos. No capítulo 1 pretende-se contextualizar o projecto, descrevendo-se, de forma sumária, o problema em estudo, os objectivos definidos, a motivação para a sua realização e os contributos do mesmo. No capítulo 2 pretende-se introduzir e caracterizar os sistemas de monitorização Infinity, nos quais se incluem: monitores de sinais vitais, IDS e centrais de monitorização. Neste capítulo são ainda apresentados e suscitamente descritos os monitores de sinais vitais de empresa que serviram de comparação no processo de transporte. No capítulo 3 pretende-se descrever o processo de transporte de pacientes em condição crítica, assim como identificar os principais problemas associados a este. Pretende-se inclusive introduzir o modelo utilizado para determinação do CTP, e são apresentados e caracterizados os factores de custo, valor e tempo. No capítulo 4 pretende-se descrever como se desenvolveram os diagramas de fluxo de trabalho referentes aos processos de transporte hospitalar e como se determinaram os factores de custo, valor e tempo associados ao funcionamento dos sistemas Infinity. No capítulo 5 pretende-se descrever os processos gerais associados ao fluxo de trabalho referentes aos processos de transporte com a IDS e com outra solução de Nuno Miguel Osório Novais 5

18 monitorização. Relativamente aos factores de custo, valor e tempo, pretende-se apresentar e analisar os resultados obtidos para os diferentes equipamentos. Nuno Miguel Osório Novais 6

19 2 Sistemas de Monitorização Neste capítulo pretende-se introduzir e caracterizar os sistemas de monitorização Infinity, nos quais se incluem monitores de sinais vitais, a IDS e as centrais de monitorização. Adicionalmente é sucintamente descrita uma alternativa aos monitores de sinais vitais Infinity. Flexible monitors are devices that can provide a variety of patient parameters in a variety of locations, by Walter Huehn [18] Os Hospitais e Clínicas de Saúde apresentam uma organização arquitectural e logística devidamente estruturada de acordo com os cuidados que nesses serviços se prestam. Dado o tipo de cuidados prestados em cada uma dessas unidades, é intuitivo interpretar que tenham diferentes requisitos em termos de condições de monitorização. Dentro dessas condições, destacam-se os parâmetros fisiológicos a monitorizar. Regra geral, os parâmetros a monitorizar nas diferentes alas hospitalares diferenciam-se de acordo com a informação disponibilizada na seguinte tabela. Nuno Miguel Osório Novais 7

20 Tabela 1 - Lista de parâmetros monitorizados nas diferentes unidades hospitalares EEG Análise de Mecânica de Agentes Arritmias Respiração Anestésicos Análise 4 x Pressões Respiração/Apneia Pressão Invasiva Segmento ST Invasivas / Débito Cardíaco ECG - 12 Pressão FiO2 (Fracção etco2 (End- derivações Invasiva / inspiratória de Tidle CO2) Débito Cardíaco O2) SpO2 SpO2 SpO2 SpO2 SpO2 Pressão Não Pressão Não Pressão Não Pressão Não Pressão Não Invasiva Invasiva Invasiva Invasiva Invasiva ECG ECG ECG ECG ECG UCC UCI UCIN BO Recobro 2.1 Monitores Infinity A Draeger Medical, no que diz respeito a monitores de sinais vitais apresenta equipamentos de elevada flexibilidade e precisão que lhes permite serem utilizados nos vários cenários hospitalares. Contudo, de acordo com as respectivas capacidades de monitorização, estes apresentam diferentes afinidades com as unidades hospitalares onde desempenham a sua função. O portfólio de monitorização Draeger Medical divide-se em 3 séries: Série Gamma, Série Delta e Série Kappa. Nuno Miguel Osório Novais 8

21 Série Gamma A série de monitores Gamma, constituída pelos monitores Infinity Gamma, Gamma XL e Gamma X XL, tem potencialidade para monitorização de pacientes em unidades de cuidados sub-agudos. Estes monitores são classificados como configuradores pois permitem monitorizar um conjunto reduzido de parâmetros, quando comparados com o restante portfólio de monitorização. Estes monitores apresentam características que lhes permite serem utilizados em processos de transporte. [2; 7; 24] Figura 2 - Série de Monitores Gamma (Fonte: Monitor Infinity Gamma Series - Instruções de Uso. 27) Série Delta A série de monitores Delta, constituída pelos monitores Infinity Delta e Delta XL, tem potencialidade para monitorização de pacientes de qualquer nível de acuidade de cuidados. Os monitores da série Delta são classificados como modulares, dado que permitem monitorizar um conjunto elevado de parâmetros fisiológicos. Tal como a série Gamma, estes monitores podem ser utilizados em processos de transporte. [3; 7; 24] Figura 3 - Série de Monitores Delta (Fonte: Monitor Infinity Delta Series - Instruções de Uso. 27) Nuno Miguel Osório Novais 9

22 Série Kappa A série de monitores Kappa, constituída pelos monitores Infinity Kappa e Kappa XLT, tal como a série Delta, tem potencialidade de monitorização de pacientes de qualquer nível de acuidade de cuidados. Os monitores da série Kappa contrariamente aos monitores anteriormente mencionados são de localização fixa. Em conformidade com a série Delta, os monitores da série Kappa também permitem monitorizar um conjunto alargado de parâmetros. [4; 7; 24] Figura 4 - Série de Monitores Kappa (Fonte: Monitor Infinity Kappa Series - Instruções de Uso. 27) Solução Omega A Draeger Medical inclui no seu portfólio a Solução Omega. Esta solução consiste num sistema de monitorização composto por 2 monitores, 1 Infinity Explorer e 1 Infinity Delta/Delta XL. Apoiando tanto o profissional individual como em grupo, a solução Omega fornece uma visualização ininterrupta de dados em tempo real no ambiente de cuidados de elevado nível de acuidade em ambos os monitores. Nesta solução a informação vital do paciente é exportada do monitor Infinity Delta/Delta XL para o Infinity Explorer permitindo desta forma observar a informação em dois locais distintos. O monitor Infinity Explorer permite aceder a aplicações Web, importar dados de até 4 pacientes remotamente localizados, permitindo a visualização simultânea dessa informação, e integrar informação proveniente de laboratórios e imagens de arquivos. [5; 7; 24] Nuno Miguel Osório Novais 1

23 Figura 5 - Solução Omega: Infinity Explorer + Infinity Delta/Delta XL (Fonte: Monitor Infinity Omega Series - Instruções de Uso. 27) A seguinte figura permite observar o nível de acuidade dos monitores com características de transporte segundo o seu nível de acuidade. Figura 6 - Acuidade dos Monitores Infinity (Fonte: Infinity Transport Monitors Brochure - 26) Principio de Funcionamento O funcionamento destes monitores assenta num princípio de conexão de módulos de sinais vitais no monitor, tal como se pode observar na seguinte figura. Desta forma, os monitores têm potencialidades de monitorização diferentes, de acordo com o número e tipo de módulos compatíveis com estes. Figura 7 - Princípio de funcionamento dos Monitores. (Fonte: Infinity Patient Monitoring System. Brochura. 26) Nuno Miguel Osório Novais 11

24 Na seguinte figura pode-se observar a compatibilidade dos monitores Infinity com os diferentes módulos de sinais vitais assim como os parâmetros que permitem monitorizar. Figura 8 - Compatibilidade dos Monitores Infinity com os módulos de sinais vitais (Fonte: Infinity Patient Monitoring System. Brochura. 26.) Funcionalidades Adicionais Para além das capacidades de monitorização, estes equipamentos têm a possibilidade de ter integrado com software de análise de dados fisiológicos tais como análise de segmento ST, Arritmias, Cálculos Fisiológicos, entre outros. Podem ainda estar integrados num sistema global de informação, via wireless ou por cabo, como por exemplo com centrais de monitorização, outros equipamentos de monitorização, máquinas de anestesia, ventilação e com o próprio sistema hospitalar. Quando os monitores Infinity se encontram ligados à rede permitem importar/exportar informação de e para outros monitores. Esta funcionalidade característica dos monitores Infinity tem a designação de Remote Patient Display. Nuno Miguel Osório Novais 12

25 2.1.4 Estandardização Estandardização é certamente um dos pontos fortes dos equipamentos Infinity, uma vez que desde os monitores de menor acuidade aos de maior têm princípios de manuseamento semelhantes e podem ser utilizados, com maior ou menor aptidão, nas diferentes unidades hospitalares. Os seguintes módulos de sinais vitais, Multimed Pod, Massimo Set Pod, etco2 Pod/etCO2 Module, NeoMedCable são compatíveis com todos os sistemas de monitorização Infinity, podendo desta forma ser partilhados pelos vários monitores. Da mesma forma, os módulos de sinais vitais BISx Pod, NMT Pod e HemoMed Pod/Hemo2 Pod/Hemo4 Pod são tecnologias partilhadas pelos monitores modulares das famílias Delta e Kappa. Por esta razão consegue-se uma melhor gestão dos recursos físicos e permite ainda a optimização do workflow clínico dado que o interface de funcionamento e operação do equipamento é comum a todos e desta forma torna-se mais fácil para a equipa médica operar com os monitores e tirar o maior rendimento possível com a sua utilização Monitores de Sinais Vitais - Concorrência A alternativa aos monitores de sinais vitais Infinity, que serviram de comparação no estudo de fluxo de trabalho dos processos de transporte, têm um principio de funcionamento semelhante aos da Draeger Medical, ou seja, têm um mesmo principio de colocação de módulos de monitorização de sinais vitais no monitor. Relativamente ao portfólio da empresa analisada, têm monitores de transporte e fixos, mas apenas os fixos têm acuidade suficiente para monitorizar em qualquer unidade hospitalar. Nuno Miguel Osório Novais 13

26 2.2 Infinity Docking Station Figura 9 - Infinity Docking Station (Fonte: Infinity Docking Station. Brochura. 26) All critically ill patients undergoing transport receive the same level of basic physiologic monitoring during transport as they had in the intensive care unit, J. Warren, MD [18] A Infinity Docking Station é um equipamento chave no Infinity Patient Monitoring System TM e no conceito de portabilidade Pick&Go. Tem como função servir de suporte mecânico e interface entre os monitores Infinity e outros sistemas e optimizar o processo de transporte de pacientes. Figura 1 - Monitor Infinity conectado a uma IDS (Fonte: Infinity Docking Station. Brochura. 26) Quando acoplado a uma IDS, um monitor Infinity assume automaticamente a personalidade apropriada para a unidades hospitalar específica, incluindo configuração de alarmes, organização de curvas e parâmetros, e acesso a opções de software relevantes. A seguinte figura permite observar as conexões que a IDS Nuno Miguel Osório Novais 14

27 suporta e que lhe permite servir de interface com os sistemas que de seguida são apresentados. Figura 11 - Portas de Comunicação da IDS (Fonte: Infinity Docking Station. Brochura. 26) Funcionalidades & Propriedades Como referido, existem algumas diferenças técnicas entre monitores modulares e configuradores. Desta forma, as funcionalidades e características da sinergia entre um monitor configurador e a IDS são diferentes entre um monitor modular e a IDS. Quanto a funcionalidades partilhadas para ambos os tipos de monitores, a conexão com a IDS permite: - Suporte mecânico do monitor - Conexão/Desconexão instantânea do monitor à energia (Porta N.º2) - Conexão/Desconexão instantânea à Rede, via cabo (Porta N.º 5) - Conexão/Desconexão instantânea com a impressora de fita Siemens R5 (Porta N.º 6) - Remote Display para um monitor escravo através de uma ligação VGA, com replicação dos dados fisiológicos do monitor Infinity (Porta N.º 7) Nuno Miguel Osório Novais 15

28 - Conexão com Módulo de gás SCIO (Porta N.º 3) e outros módulos de gases (Porta N.º 1) para análise de gases anestésicos, O2 e CO2. Adicionalmente os monitores modulares quando acoplados à IDS podem ainda ter as seguintes funcionalidades: - Exportar dados fisiológicos do monitor Infinity para um PC (Porta N.º3) e notificações de alarmes para o sistema hospitalar. - Remote Display para um monitor slave, com opção de selecção dos dados fisiológicos do monitor Infinity (Porta N.º 4). Para ter esta funcionalidade é necessário conectar o equipamento Surgical Display Controller, e desta forma os clínicos podem seleccionar que parâmetros podem exportar para um ecrã escravo. Esta funcionalidade é inclusive compatível com o monitor configurador Infinity Gamma X XL. - Acesso e controlo de algumas configurações do monitor através da conexão de um teclado externo (Porta N.º 3). - Conexão com equipamentos da Draeger Medical e da concorrência, nos quais se incluem máquinas de anestesia, ventilação e outros equipamentos de monitorização. Esta troca de informação é efectuada usando o protocolo de software MEDIBUS (Medical Information Bus) desenvolvido pela Draeger Medical, através dos conectores MIB (Porta N.º 9). Outros equipamentos não Drager usam as mesmas saídas, mas podem comunicar usando outro tipo de conversor de sinal. Com este tipo de comunicação é possível visualizar informação das máquinas de anestesia e ventiladores no monitor Infinity. - Configuração automática do display, parâmetros e alarmes dos monitores Infinity, de acordo com a informação de configuração da IDS. Desta forma, quando um monitor Infinity conecta numa IDS, assume automaticamente as configurações predefinidas desta. A IDS suporta memória até 5 configurações distintas. - Licenças de software temporárias. Estas licenças são cedidas temporariamente para o monitor acoplado à IDS, desbloqueando determinadas opções. As licenças temporárias permanecem válidas no monitor mesmo após este ser desligado da unidade para ser transportado. [6; 7; 8] Nuno Miguel Osório Novais 16

Monitorização e Soluções de TI que oferecem maior segurança e agilidade no Transporte do paciente SOLUÇÕES INFINITY PARA TRANSPORTE EM UM HOSPITAL

Monitorização e Soluções de TI que oferecem maior segurança e agilidade no Transporte do paciente SOLUÇÕES INFINITY PARA TRANSPORTE EM UM HOSPITAL MT-2439-2003 Monitorização e Soluções de TI que oferecem maior segurança e agilidade no Transporte do paciente SOLUÇÕES INFINITY PARA TRANSPORTE EM UM HOSPITAL 2 3 Economizando tempo e esforço Monitorização

Leia mais

D-18911-2010. Ao seu lado na área de emergência

D-18911-2010. Ao seu lado na área de emergência D-18911-2010 Ao seu lado na área de emergência 2 Em um caso de emergência, cada segundo conta. D-18913-2010 D-18914-2010 Lidando com o inesperado Na emergência, você nunca sabe o que esperar. Na Dräger,

Leia mais

Soluções em Monitoração GE. Alta tecnologia agora ao seu alcance.

Soluções em Monitoração GE. Alta tecnologia agora ao seu alcance. Soluções em Monitoração GE Alta tecnologia agora ao seu alcance. Monitorização GE A GE Healthcare tem tecnologias inovadoras para oferecer o melhor atendimento na hora de monitorizar o paciente. Com monitores

Leia mais

4 5 Estética inteligente

4 5 Estética inteligente 2 3 Design e desempenho O que é bom não precisa de ser aperfeiçoado. Com este objectivo conseguimos desenvolver uma geração completamente nova de máquinas de ventilação. A bellavista garante óptimas perspectivas

Leia mais

OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE

OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE 1. REFERÊNCIAS [1] - Bases Gerais para a Implementação de Sistemas de Gestão da Manutenção de Material Circulante, Instrução Técnica 5, INCFA

Leia mais

D-18925-2010. Ao seu lado na Unidade de Terapia Intensiva

D-18925-2010. Ao seu lado na Unidade de Terapia Intensiva D-18925-2010 Ao seu lado na Unidade de Terapia Intensiva 2 Fornecer segurança e qualidade neste ambiente estressante é tudo, menos fácil. D-18926-2010 D-18927-2010 D-18928-2010 A UTI um ambiente de reabilitação

Leia mais

Infinity CentralStation

Infinity CentralStation Na Dräger, nós nos comprometemos a ajudá-lo a melhorar o cuidado do paciente, concedendo-lhe fácil acesso às informações de que você precisa para tomar decisões quando e onde precisar. É por isso que,

Leia mais

RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 I RELATÓRIO

RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 I RELATÓRIO JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 RECORRENTE: OMNIMED LTDA. Vistos e etc... I RELATÓRIO A Recorrente ingressou com

Leia mais

Indo além do ponto do cuidado INFINITY CENTRAL SOLUÇÕES DE MONITORIZAÇÃO E DE ACESSO REMOTO

Indo além do ponto do cuidado INFINITY CENTRAL SOLUÇÕES DE MONITORIZAÇÃO E DE ACESSO REMOTO 01 Indo além do ponto do cuidado INFINITY CENTRAL SOLUÇÕES DE MONITORIZAÇÃO E DE ACESSO REMOTO 02 Infinity CentralStation Na Dräger, estamos empenhados em ajudá-lo a melhorar o cuidado ao paciente dando-lhe

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

Melhore rapidamente a eficiência do seu consultório. INTRODUZINDO a família de produtos cardiopulmonares da Welch Allyn

Melhore rapidamente a eficiência do seu consultório. INTRODUZINDO a família de produtos cardiopulmonares da Welch Allyn Melhore rapidamente a eficiência do seu consultório INTRODUZINDO a família de produtos cardiopulmonares da Welch Allyn Uma família de equipamentos cardiopulmonares flex que permite optim Trabalhe mais

Leia mais

D-18969-2010. Ao seu lado no hospital

D-18969-2010. Ao seu lado no hospital D-18969-2010 Ao seu lado no hospital 2 Estamos procurando empresas de tecnologia hospitalar que atuem como parceiras, não como apenas fornecedoras. D-18971-2010 D-18972-2010 Soluções terapêuticas efetivas

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Supervisão das Politicas de Segurança Computação em nuvem Fernando Correia Capitão-de-fragata

Leia mais

GIBDQA: GESTÃO INTEGRADA DE BASES DE DADOS DA QUALIDADE DA ÁGUA

GIBDQA: GESTÃO INTEGRADA DE BASES DE DADOS DA QUALIDADE DA ÁGUA GIBDQA: GESTÃO INTEGRADA DE BASES DE DADOS DA QUALIDADE DA ÁGUA Sandra CARVALHO 1, Pedro GALVÃO 2, Cátia ALVES 3, Luís ALMEIDA 4 e Adélio SILVA 5 RESUMO As empresas de abastecimento de água gerem diariamente

Leia mais

Dispositivo ZigBee. Desta forma obtêm-se redes maiores, mais robustas e com alto rendimento por ponto de leitura.

Dispositivo ZigBee. Desta forma obtêm-se redes maiores, mais robustas e com alto rendimento por ponto de leitura. Dado que o planeta onde vivemos tem como principal característica a abundância de água, fomos ao longo dos anos explorando esse recurso essencial à nossa vida. Por outro lado, este elemento de qualidade

Leia mais

I. INTRODUÇÃO. SEINON Sistema Energético INtegral ONline. A melhor energia é a que não se consome

I. INTRODUÇÃO. SEINON Sistema Energético INtegral ONline. A melhor energia é a que não se consome I. INTRODUÇÃO SEINON Sistema Energético INtegral ONline A melhor energia é a que não se consome O sistema SEINON é uma ferramenta de gestão de consumo de energia que permite de forma simples e automática

Leia mais

Serviço HP Foundation Care Exchange

Serviço HP Foundation Care Exchange Dados técnicos Serviço HP Foundation Care Exchange Serviços HP Vantagens do serviço Acesso a recursos técnicos da HP para resolução de problemas Contribui para um melhor desempenho do sistema e redução

Leia mais

Condições do Serviço VRC Plataforma Oficinal 2020

Condições do Serviço VRC Plataforma Oficinal 2020 Condições do Serviço VRC Plataforma Oficinal 2020 1. DESCRIÇÂO DAS PARTES ENVOLVIDAS Fornecedor, aquele que fornece o Serviço, para os efeitos deste documento a TIPS 4Y - Sistemas de Informação, Lda. Subscritor,

Leia mais

hp hardware Reparação On- Site

hp hardware Reparação On- Site hp hardware On- Site descrição geral do O HP Hardware Support Onsite proporciona suporte remoto e no local de instalação do equipamento de alta qualidade para os produtos de hardware das marcas HP e Compaq,

Leia mais

Segurança de sistemas de comando. Paradigma da norma EN 13849-1 versus EN954-1

Segurança de sistemas de comando. Paradigma da norma EN 13849-1 versus EN954-1 Segurança de sistemas de comando Paradigma da norma EN 13849-1 versus EN954-1 EN ISO 13849-1:2008 (ISO 13849-1:2006) Segurança de máquinas - Partes dos sistemas de comando relativos à segurança - Parte

Leia mais

VITAHISCARE UNIDADES HOSPITALARES

VITAHISCARE UNIDADES HOSPITALARES VITAHISCARE UNIDADES HOSPITALARES APRESENTAÇÃO FUNCIONALIDADES VANTAGENS E CARACTERÍSTICAS MÓDULOS COMPLEMENTARES UNIDADES HOSPITALARES O VITA HIS CARE Unidades Hospitalares é um sistema de informação

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS Sobre a SOL-S e SOLSUNI Fundada em 1992; Integrador de Soluções, com vasta experiência de Tecnologias de Informação, disponibiliza um completo portfolio

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores Software de Localização GSM para o modem Siemens MC35i Manual do Utilizador Índice

Leia mais

PRIMAVERA INDUSTRY. Uma solução para as PME industriais

PRIMAVERA INDUSTRY. Uma solução para as PME industriais PRIMAVERA INDUSTRY Uma solução para as PME industriais PRIMAVERA INDUSTRY Uma solução para as PME industriais produtivos de modo a garantir uma maior qualidade dos produtos sujeitos a fabrico, ao menor

Leia mais

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo 1. Resumo Executivo As empresas de todas as dimensões estão cada vez mais dependentes dos seus sistemas de TI para fazerem o seu trabalho. Consequentemente, são também mais sensíveis às vulnerabilidades

Leia mais

1º Relatório Técnico-Científico Projecto Appybaby Candidatura QREN n.º 30189

1º Relatório Técnico-Científico Projecto Appybaby Candidatura QREN n.º 30189 1º Relatório Técnico-Científico Projecto Appybaby Candidatura QREN n.º 30189 Resumo 1. Projecto e âmbito Descrição da natureza do projecto, linhas orientadoras e grandes eixos de desenvolvimento. 2. Resultados

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO. Resumo

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO. Resumo SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E TELEGESTÃO DE REDES DE REGA EM PRESSÃO. CASO DE ESTUDO Autores: ISABEL GRAZINA Eng.ª Civil, EDIA, Rua Zeca Afonso, 2 7800-522 Beja, 00351284315100, igrazina@edia.pt JOSÉ CARLOS

Leia mais

Anexo da Instrução de Uso - Lista de Acessórios: Infinity Vista XL

Anexo da Instrução de Uso - Lista de Acessórios: Infinity Vista XL Descrição dos principais acessórios: Declaramos que as peças de reposição /acessórios descritos são de uso exclusivo do. Não utilizar em Monitor de Paciente Modular de não fabricação Dräger. 8419280 /

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Gestão de Equipamentos PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Instalação e Manutenção de Equipamentos Escolas Proponentes / Autores ETAP

Leia mais

Gestão Total da Manutenção: Sistema GTM

Gestão Total da Manutenção: Sistema GTM Gestão Total da Manutenção: Sistema GTM por Engº João Barata (jbarata@ctcv.pt), CTCV Inovação Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro 1. - INTRODUÇÃO Os sub-sistemas de gestão, qualquer que seja o seu

Leia mais

Hp hardware support On -Site Call-to-Repair 6 horas

Hp hardware support On -Site Call-to-Repair 6 horas Hp hardware support On -Site Call-to-Repair 6 horas descrição geral do Actualmente, as empresas confiam no IT para partilhar informação crítica entre pessoas, departamentos e locais. O tempo de inoperacionalidade

Leia mais

Gestão. e Organização Industrial. Ficha Técnica PRONACI

Gestão. e Organização Industrial. Ficha Técnica PRONACI Gestão e Organização Industrial Ficha Técnica PRONACI Ficha Técnica PRONACI Gestão e Organização Industrial João Augusto de Sousa Bastos PRONACI - Programa Nacional de Formação de Chefias Intermédias AEP

Leia mais

ST-XXXXX-XXXX D-18954-2010. Ao seu lado no centro cirúrgico

ST-XXXXX-XXXX D-18954-2010. Ao seu lado no centro cirúrgico ST-XXXXX-XXXX D-18954-2010 Ao seu lado no centro cirúrgico 2 Nosso centro cirúrgico gera metade de nossa receita total anual. A eficiência dos processos é importante. D-18956-2010 D-18957-2010 O ambiente

Leia mais

SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos

SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos Célia Alves, Liliana Monteiro, Fernanda Barbosa, Ana Borges, Jorge Barbosa* Resumo De modo a facilitar e estandardizar o ciclo de desenvolvimento,

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G Escola Superior de Gestão de Santarém Pedido de Registo do CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Peça Instrutória G Conteúdo programático sumário de cada unidade de formação TÉCNICAS

Leia mais

Relatório de Análise de Requisitos

Relatório de Análise de Requisitos Relatório de Análise de Requisitos (15/03/02 Versão 1.0) Gestão de Beneficiários Eduardo Abreu ei98020@fe.up.pt Miguel David ei98019@fe.up.pt Nuno Ferreira ei98003@fe.up.pt Tiago Silva ei98015@fe.up.pt

Leia mais

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado da Administração e da Previdência - SEAP Departamento de Administração de Material - DEAM Sistema GMS - GESTÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projectos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos TECNOLOGIA INOVAÇÃO SOFTWARE SERVIÇOS A MISTER DOC foi constituída com o objectivo de se tornar uma referência no mercado de fornecimento de soluções de gestão de

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

Solução STS para gestão de águas WATERMANAGER

Solução STS para gestão de águas WATERMANAGER Solução STS para gestão de águas WATERMANAGER STS watermanager solution Pretende ganhar flexibilidade e eficiência nos custos e na monitorização de água? A STS tem a solução. 1/12 Supervisione o fluxo

Leia mais

SGAV Software de Gestão de Actividade de Vendedores

SGAV Software de Gestão de Actividade de Vendedores SGAV Software de Gestão de Actividade de Vendedores Luís Morgado, Pedro Sousa, Ana Borges, Fernanda Barbosa, Jorge Barbosa Resumo Descreve-se uma aplicação desenvolvida para o controlo, gestão e actividade

Leia mais

Discrete Automation and Motion - Robotics Contratos de Manutenção Serviço ao cliente

Discrete Automation and Motion - Robotics Contratos de Manutenção Serviço ao cliente Discrete Automation and Motion - Robotics Contratos de Manutenção Serviço ao cliente Contratos de Manutenção Alta disponibilidade, custos de operação reduzidos Uma seleção flexível de contratos de serviço

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor:

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 1 de 15 Planear Realizar Actuar Verifica r Rubrica: Rubrica: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 2 de 15 INDICE: CAP. 1 - MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE 1.1. - Objectivo 1.2. - Âmbito e exclusões

Leia mais

Quividi. sistema de medição de audiências

Quividi. sistema de medição de audiências Quividi sistema de medição de audiências By In One O que é? A solução da Quividi representa uma das mais promissoras inovações no mercado da publicidade. Trata-se de um software que mede o perfil e comportamento

Leia mais

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença. Porquê NEXT Vision Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.... Poder de adaptação Porque cabe a si decidir como pretende

Leia mais

factores a ter em consideração na escolha e implementação DE SISTEMAS DE VISÃO ARTIFICIAL 1 Copyright 2010 TST. Todos os direitos reservados.

factores a ter em consideração na escolha e implementação DE SISTEMAS DE VISÃO ARTIFICIAL 1 Copyright 2010 TST. Todos os direitos reservados. factores a ter em consideração na escolha e implementação DE SISTEMAS DE VISÃO ARTIFICIAL O QUE NECESSITA SABER PARA GARANTIR O SUCESSO 1 Copyright 2010 TST. Todos os direitos reservados. umário O principal

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

O Programa de Reforço e Dinamização da Cooperação Empresarial SISCOOP constitui-se como

O Programa de Reforço e Dinamização da Cooperação Empresarial SISCOOP constitui-se como SISTEMA DE DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO DAS OPORTUNIDADES DE COOPERAÇÃO EM REDE Nota: documento elaborado pela INTELI Inteligência em Inovação, no âmbito da consultadoria prestada

Leia mais

Software para Controlo de Assiduidade

Software para Controlo de Assiduidade Innux Time O cenário de constante mudança que caracteriza o mercado globalizado tem um impacto profundo na forma como as empresas gerem os seus recursos humanos. Reduzir custos, aumentar os níveis de desempenho,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO Pág. 2 de 16 Se está a receber este documento, isto já significa que é alguém especial para a UEM Unidade de Estruturas Metálicas SA. Convidamo-lo

Leia mais

Instituto Superior Politécnico Gaya Escola Superior de Ciência e Tecnologia

Instituto Superior Politécnico Gaya Escola Superior de Ciência e Tecnologia Instituto Superior Politécnico Gaya Escola Superior de Ciência e Tecnologia Engenharia Informática Redes e Computadores 2006/2007 Levantamento e Inventariação de Rede Privada Rafael Esteves Alves Forno

Leia mais

Promatrix 8000. A solução integrada para ProAudio, Instalação fixa. Deutsch

Promatrix 8000. A solução integrada para ProAudio, Instalação fixa. Deutsch Promatrix 8000 A solução integrada para ProAudio, Sistema de chamada e Evacuação por voz Instalação fixa Deutsch Pr o m a t r i x 8000 O Promatrix 8000 proporciona a melhor qualidade áudio, graças aos

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Principais Vantagens

Principais Vantagens dotlogic-cardio O dotlogic-cardio é um sistema de informação de cardiologia (CIS). Utiliza protocolos standard como HL7, DICOM ou GDT para comunicar com os diversos sistemas de informação e equipamentos

Leia mais

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa Neste artigo clarifica-se os objectivos do ILM (Information Life Cycle Management) e mostra-se como estes estão dependentes da realização e manutenção

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade e Auditorias (Mestrado em Engenharia Alimentar) Gestão da Qualidade (Mestrado em Biocombustívies) ESAC/João Noronha Novembro

Leia mais

Soluções baseadas no SAP Business One BX MRO BX MRO. Brochura. Gestão de Manutenção, Reparo e Revisão de Equipamentos

Soluções baseadas no SAP Business One BX MRO BX MRO. Brochura. Gestão de Manutenção, Reparo e Revisão de Equipamentos Brochura BX MRO Soluções baseadas no SAP Business One BX MRO Gestão de Manutenção, Reparo e Revisão de Equipamentos Manutenção, Reparo & Revisão para SAP Business One Esta combinação de SAP Buisness One

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1 Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, Daniela Santana 2, Manuela Cunha 3, Sandra Castro 4 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharias, Universidade

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS) -

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL -

Leia mais

hp hardware support On-Site - GLOBAL

hp hardware support On-Site - GLOBAL hp hardware support On-Site - descrição geral do O de resposta global no dia útil seguinte da HP proporciona aos utilizadores de computadores portáteis uma solução de suporte de hardware para Produtos

Leia mais

Serviço HP SupportPlus

Serviço HP SupportPlus Serviço HP SupportPlus HP Care Pack Services O Serviço HP de SupportPlus é composto por serviços completos de hardware e software que lhe permitem melhorar a disponibilidade da sua infra-estrutura de TI.

Leia mais

1 Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial Os Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial da SAP incluem:

1 Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial Os Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial da SAP incluem: Descrição de Serviços Serviços de Planeamento e Empresarial Os Serviços de Planeamento e Empresarial fornecem serviços de consultoria e prototipagem para facilitar a agenda do Licenciado relativa à inovação

Leia mais

1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA FERROVIÁRIA... 20.19.

1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA FERROVIÁRIA... 20.19. 1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA FERROVIÁRIA... 20.19. ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 1 ARQUITECTURA DO PRODUTO - MODULARIZAÇÃO E SISTEMAS DE PLATAFORMAS NA INDUSTRIA

Leia mais

3 ao Quadrado - Agenda Web

3 ao Quadrado - Agenda Web 3 ao Quadrado - Agenda Web Relatório de Gestão de Projectos de Software - Grupo A - LEIC 2001/2002 http://gnomo.fe.up.pt/gps01a João Montenegro - ei97023@fe.up.pt André Teixeira - ei97024@fe.up.pt Carlos

Leia mais

MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA

MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA Central de Coleta e Armazenamento de Dados (Especificação) A Central de Coleta e Armazenamento de Dados deverá apresentar as seguintes características: 1. Receber, de forma contínua,

Leia mais

SiDEI. Sistema de Avaliação Automática de Alunos. Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas

SiDEI. Sistema de Avaliação Automática de Alunos. Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas SiDEI Sistema de Avaliação Automática de Alunos Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas Disciplina de Engenharia de Software Instituto Superior de Engenharia do Porto Alunos: André Serafim

Leia mais

Daniel Gaspar. A evolução da Manutenção e os seus modelos de gestão

Daniel Gaspar. A evolução da Manutenção e os seus modelos de gestão Daniel Gaspar A evolução da Manutenção e os seus modelos de gestão Leiria, 2 de Junho de 2004 Introdução Evolução Estratégia Organização Modelos de gestão 2 3 Quando a manutenção e o sistema de informação

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projetos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 310 ÍNDICE

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 310 ÍNDICE Directriz de Revisão/Auditoria 310 CONHECIMENTO DO NEGÓCIO Outubro de 1999 ÍNDICE Parágrafos Introdução 1-7 Obtenção do Conhecimento 8-13 Uso do Conhecimento 14-18 Apêndice Matérias a Considerar no Conhecimento

Leia mais

O REGISTO DO ACORDO OU DA PROVA DE COMPRA É NECESSÁRIO ANTES DE A SONY EFECTUAR QUALQUER SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA.

O REGISTO DO ACORDO OU DA PROVA DE COMPRA É NECESSÁRIO ANTES DE A SONY EFECTUAR QUALQUER SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA. Acordo PrimeSupport PS.UPDR200.123.1 / PS.UPDR200.12X.1 Versão 1.0 10/2008 Este documento fornece informações sobre o Acordo PrimeSupport ao Cliente. Leia-o cuidadosamente. Para activar os serviços de

Leia mais

Introdução. Nokia N77-1 1ª Edição PT

Introdução. Nokia N77-1 1ª Edição PT Introdução Nokia N77-1 1ª Edição PT Teclas e componentes (frente e lateral) Número do modelo: Nokia N77-1. A seguir referido como Nokia N77. 1 Sensor de luz 2 Câmara secundária com menor resolução 3 Teclas

Leia mais

Integração de um Servidor Web num Sistema de Pesagem

Integração de um Servidor Web num Sistema de Pesagem Integração de um Servidor Web num Sistema de Pesagem João L. Vilaça (joão luis@iol.pt) Jaime C. Fonseca Dep. De Electrónica Industrial Universidade do Minho (jaime@dei.uminho.pt) Mário F. Rodrigues (mario.fernando@iol.pt)

Leia mais

Logística e Gestão da Distribuição

Logística e Gestão da Distribuição Logística e Gestão da Distribuição Depositos e política de localização (Porto, 1995) Luís Manuel Borges Gouveia 1 1 Depositos e politica de localização necessidade de considerar qual o papel dos depositos

Leia mais

Juventude: O nosso compromisso!

Juventude: O nosso compromisso! Juventude: O nosso compromisso! QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS E DE TELECOMUNICAÇÕES TIC 003_3 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

1. Concessão de Licença; Disposições Relacionadas.

1. Concessão de Licença; Disposições Relacionadas. IMPORTANTE: LEIA ESTE CONTRATO CUIDADOSAMENTE. ESTE É UM CONTRATO LEGAL ENTRE AVG TECHNOLOGIES CY, Ltd. ( AVG TECHNOLOGIES ) E O UTILIZADOR (ACTUANDO COMO UM INDIVÍDUO OU, SE APLICÁVEL, EM NOME DO INDIVÍDUO

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Informática Arquitectura de Computadores 2 João Eurico Rosa Pinto jepinto@student.dei.uc.pt Filipe Duarte da Silva

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Desempenho de monitorização em tamanho real em pacote de fácil uso

Desempenho de monitorização em tamanho real em pacote de fácil uso Desempenho de monitorização em tamanho real em pacote de fácil uso Os ambientes de telemetria movimentados de hoje estão entre as áreas mais exigentes do hospital. Na Dräger, acreditamos que a monitorização

Leia mais

PRIMAVERA MAINTENANCE PARA UMA GESTÃO EFICAZ DE EQUIPAMENTOS

PRIMAVERA MAINTENANCE PARA UMA GESTÃO EFICAZ DE EQUIPAMENTOS PRIMAVERA MAINTENANCE PARA UMA GESTÃO EFICAZ DE EQUIPAMENTOS PRIMAVERA MAINTENANCE PARA UMA GESTÃO EFICAZ DE EQUIPAMENTOS 3 A importância de uma Manutenção planeada e estruturada As organizações fazem,

Leia mais

Manutenção em tempos de crise económica Importância da Gestão da Manutenção

Manutenção em tempos de crise económica Importância da Gestão da Manutenção Manutenção em tempos de crise económica Importância da Gestão da Manutenção Por: Patrícia Isabel Correia* A ausência de um Sistema de Gestão de Manutenção provocou, ao longo de muitos anos, a deterioração

Leia mais

Hospital Distrital de Águeda Sub Região de Saúde de Aveiro

Hospital Distrital de Águeda Sub Região de Saúde de Aveiro Início do contrato: Maio 2004 Duração: Coordenador: Parceiros: 32 meses Hospital Infante D. Pedro Universidade de Aveiro Hospital Distrital de Águeda Sub Região de Saúde de Aveiro SUMÁRIO EXECUTIVO Relatório

Leia mais

Consulta Pública sobre o novo regime jurídico das plataformas eletrónicas de contratação pública PARECER DA ESOP

Consulta Pública sobre o novo regime jurídico das plataformas eletrónicas de contratação pública PARECER DA ESOP Consulta Pública sobre o novo regime jurídico das plataformas eletrónicas de PARECER DA ESOP Janeiro de 2015 Índice 1 Enquadramento... 3 2 O novo regime jurídico... 4 3 Contributos para o novo regime das

Leia mais

PHC Suporte. Rentabilize a sua assistência pós-venda e, em simultâneo, surpreenda os seus clientes com o seu profissionalismo

PHC Suporte. Rentabilize a sua assistência pós-venda e, em simultâneo, surpreenda os seus clientes com o seu profissionalismo PHCSuporte DESCRITIVO O PHC Suporte permite a qualquer empresa com assistência a clientes pós-venda, gerir todo o seu parque instalado, a actividade de suporte ao público e a performance e produtividade

Leia mais

R Series. A confiança vem com saber que. Está Preparado com Code-Ready!

R Series. A confiança vem com saber que. Está Preparado com Code-Ready! R Series A confiança vem com saber que Está Preparado com Code-Ready! O primeiro e único Desfibrilhador Code-Ready Não há pior altura para um desfibrilhador não estar pronto do que uma paragem cardiorrespiratória.

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação O GRUPO AITEC Breve Apresentação Missão Antecipar tendências, identificando, criando e desenvolvendo empresas e ofertas criadoras de valor no mercado mundial das Tecnologias de Informação e Comunicação

Leia mais

Política de Segurança da Informação da Entidade

Política de Segurança da Informação da Entidade Estrutura Nacional de Segurança da Informação (ENSI) Política de Segurança da Informação da Entidade Fevereiro 2005 Versão 1.0 Público Confidencial O PRESENTE DOCUMENTO NÃO PRESTA QUALQUER GARANTIA, SEJA

Leia mais

Como posso gerir todas as funções do software de automação num único ambiente de engenharia?

Como posso gerir todas as funções do software de automação num único ambiente de engenharia? Como posso gerir todas as funções do software de automação num único ambiente de engenharia? Para obter mais informações, consulte-nos: www.siemens.com/tia-portal Catálogo online: www.siemens.com/industrymall/pt

Leia mais

Documento de apresentação Software de Gestão e Avaliação da Formação

Documento de apresentação Software de Gestão e Avaliação da Formação Documento de apresentação Software de Gestão e Avaliação da Janeiro-2010 Para a boa gestão de pessoas, as empresas devem elevar o RH à posição de poder e primazia na organização e garantir que o pessoal

Leia mais

agility IMPAX Muito mais do que PACS

agility IMPAX Muito mais do que PACS agility IMPAX Muito mais do que PACS Desempenho Sermos os primeiros da América Latina a usar a solução nos tem possibilitado contribuir com sugestões para torná-lo ainda melhor e mais eficaz. Na prática,

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO

INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO FUNCIONALIDADES TÉCNICAS INFORMATIZAÇÃO CLÍNICA DOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA OBJECTIVO Dispor de um sistema de informação, que articule

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133 Capítulo 5 Conclusões 133 CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES Neste capítulo são abordadas as conclusões traçadas no desenvolvimento e validação do SMD, e indicação de estudos futuros. Ressalta-se o atendimento aos

Leia mais