Comissão de Comercialização. Autos e Com. Leves; Motocicletas; Caminhões e Ônibus; Peças e Acessórios; Prestação de Serviços.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comissão de Comercialização. Autos e Com. Leves; Motocicletas; Caminhões e Ônibus; Peças e Acessórios; Prestação de Serviços."

Transcrição

1 Página 03 Decreto do governo concluiu pela concessão de benefícios aos concessionários de caminhões do Estado I n f o r m a t i v o d o S i n d i c a t o d o s C o n c e s s i o n á r i o s e D i s t r i b u i d o r e s d e Ve í c u l o s d o E s p í r i t o S a n t o D e z e m b r o d e N º 9 1 Sindicato define planejamento de atividades da entidade para este ano C om o objetivo de dinamizar as ações da Entidade, a diretoria do sindicato coloca em prática um novo modelo de gestão compar tilhada, com a criação das comissões de comunicação, institucional/política, comercialização e administração. E, definiu suas atividades previstas para 2015, a serem presididas por integrantes da atual diretoria. Comissão de Comunicação Eventos; Imprensa; Informativo; News; Site. Comissão Institucional/Política Comissão de Comercialização Comissão de Administração Social; Governo; Política; Meio Ambiente; Grupos de Trabalho. Autos e Com. Leves; Motocicletas; Caminhões e Ônibus; Peças e Acessórios; Prestação de Serviços. Convênios ; CCT; Tecnologia; Treinamentos; Grupo de RH. Alíquotas do IPI em vigor a partir de janeiro Veículo Alíquota Veículo Alíquota Motor 1.0 7% Acima 2.0 flex 18% Acima de 1.0 até 2.0 flex 11% Acima 2.0 gas. 25% Acima de 1.0 até 2.0 gas. 13% Utilitários 4 % a 8% Página Alteração 02 na legislação trabalhista Página Prorrogado 04 prazo para novo extintor Página Relatório 05 de atividades poluidoras

2 2 Palavra do presidente Os concessionários precisam estar atentos quanto ao enqua- dramento sindical da categoria e o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal, estabelecida na CLT, visto que o recolhimento deverá ser efetuado até o dia 30 de janeiro de De acordo com a CLT, a Contribuição Sindical é devida por todos aqueles que participam de uma determinada categoria econômica, em favor do sindicato representativo da sua categoria. Trata-se de tributo, devido por todos A assessoria jurídica do Sindicato, alerta aos concessionários que no dia 30 de dezembro de 2014, foram publicadas as Medidas Provisórias nº 664/14 e nº 665/14, que, entre outros assuntos, determinam novas regras para acesso à benefícios previdenciários, como, por exemplo, abono salarial, seguro desemprego e auxílio doença. O advogado Paulo Cesar Caetano, cita alguns pontos que interfere no dia a dia das empresas. a) Abono Salarial Antes: Quem trabalhava um mês durante o ano e recebia até dois salários mínimos, tinha direito a um salário mínimo como abono; aqueles que fazem parte da categoria econômica de concessionários de veículos, independente de associação ao seu sindicato representativo. No segmento automotivo, como a maior parte da receita dos concessionários de veículos é proveniente da venda de veículos, o sindicato representativo é o Sincodiv/ES. Assim, o pagamento deste tributo deve ser realizado ao sindicato respectivo do Estado do concessionário, por meio de guia fornecida pelo sindicato, a ser pago preferencialmente, na Caixa Econômica Fe- Augusto Giuberti Alteração na legislação trabalhista para 2015 V itória vai ganhar em breve mais uma concessionária do segmento de veículos de luxo. A nova concessionária pertence ao Grupo Águia Branca e vai funcionar na Agora: Carência de seis meses de trabalho ininterruptos e o pagamento passa a ser proporcional ao tempo de trabalho; Fonte: Cetano e Caetano advogados Associados Tel.: (27) deral, que se encarrega de fazer o rateio a cada um dos beneficiários ( Sincodiv/ES, Fenacodiv, CNC e MTE.) Para a empresa equivale a importância proporcional ao capital social, registrado na Junta Comercial do Estado do ES. O Sindicato conta com estes recursos para a representação e defesa dos interesses da categoria econômica. Augusto Giuberti Presidente do Sincodiv/ES Diretor Geral Regional Fenabrave/ES b) Seguro Desemprego Antes: Carência de seis meses de trabalho; Agora: Carência de 18 meses na primeira solicitação, 12 meses na segunda e seis meses a partir da terceira; c) Auxilio Doença Antes: O beneficio era de 91% do salário do segurado, limitados ao teto do INSS. Além disso, as empresas arcavam com o custo de 15 dias de salário antes do INSS; Agora: O teto é a média das últimas 12 contribuições e as empresas arcam com o custo de 30 dias de salário antes do INSS. Jaguar e Land Rover chegam a Vitória Reta da Penha, em Vitória. A nova loja terá três mil metros quadrados e todos os serviços de uma concessionária plena. Quem é apaixonado pela marca, poderá em breve realizar o seu sonho na concessionária autorizada da marca no Estado, que lhe proporcionará todo atendimento de assistência técnica e peças de reposição. Expediente Av. Adalberto Simão Nader, 425, Sala 307, CEP: Mata da Praia Vitória - ES Tel.: (27) Fax: (27) Coordenação: José Francisco Costa Jornalista Responsável: Felipe A. Costa - Mtb: ES Editoração Gráfica: Marcelo Sena Impressão: Gráfica Espírito Santo

3 O Governo do Estado publicou o Decreto Nº R, de 29 de dezembro de 2014, que avança no sentido de atender ao pleito do Sincodiv/ES para os concessionários autorizados de caminhões, para o uso dos benefícios concedidos aos atacadistas. O art. 185, parágrafo 7º do Decreto Nº R, prevê a possibilidade do contribuinte sediado no Espírito Santo requerer sua inscrição no Estado como contribuinte substituto do ICMS-ST. 3 Decreto do Estado conclui pela concessão de benefícios aos concessionários de caminhões Procedimento a ser seguido A empresa interessada deve apresentar requerimento junto a SEFAZ/ES, na Gerência Tributária, para efetivar seu credenciamento. Concedido o credenciamento o Termo de Acordo com a SEFAZ/ES será publicado no Diário Oficial do Estado, permitindo a operacionalização pela empresa. Importantes providências internas, controles e sistemática operacional da empresa necessitarão de ajustes. DETRAN/ES tem novo Diretor Geral A ssumiu no dia 02 de janeiro a Direção Geral do DETRAN/ES-Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo o Delegado de Polícia, Dr. Fabiano Contarato. Simultaneamente, o Sincodiv/ES representado pelos diretores José Lino Sepulcri e José Francisco Costa, visitaram o novo Gestor do Órgão de Trânsito do Estado para levar as boas vindas e colocar à Distribuição de Veículos Automotores do Estado à sua disposição. Também foram passadas as principais demandas já trabalhadas no GTDETRAN Grupo de Trabalho do DETRAN/ES duran- te o ano de Os temas obtiveram boa receptividade do Diretor da Autarquia, afirmando que estas demandas farão parte do seu rol de desafios à frente do Órgão. Custos proporcionais aos demais Estados do País Redução das taxas de licenciamento; Redução da taxa do registro de contrato de financiamento; Redução da taxa da CNH do idoso; Aviso de venda on-line via cartório; Despachante de veículo como vistoriador veicular. Assessoramento As empresas que desejarem assessoria completa sobre as alterações internas necessárias, requerimento, controles e sistemática operacional, sugerimos contratar o escritório Caetano e Caetano Advogados Associados, através do Dr. Paulo Cesar Caetano, pelo caetanoadv.com.br ou telefone: (27) Nova tabela de contribuição e benefício-vigor O sindicato alerta que o governo publicou no DOU no dia a Portaria Interministerial MF/MPS nº 13/2015 que estabeleceu, a partir de primeiro de janeiro de 2015, dentre outras regras, as seguintes alterações. a) Alíquotas e valores do salário de contribuição (segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso): a.1) 8% - remuneração até R$ 1.399,12; a.2) 9% - remuneração de R$ 1.399,13 até R$ 2.331,88; a.3) 11% - remuneração de R$ 2.331,89 até R$ 4.663,75; b) Valor do salário de benefício, que não poderá ser inferior a R$ 788,00, nem superior a R$ 4.663,75; c) Valores das cotas do salário-família; d) Reajuste de 6,23% para os benefícios pagos pelo INSS aos segurados. Fonte: Caetano e Carvalho advogados Associados.

4 Afalta de extintores de incêndio com carga de pó ABC no mercado levou o DENATRAN Depar tamento Nacional de Trânsito a adiar por 90 dias a fiscalização e aplicação de multa nos casos em que o veículo não estiver com o novo equipamento. A exigência é prevista na Resolução CONTRAN nº 333 que entrou em vigor no dia 1º de janeiro último, mas com a suspensão com duração de 90 dias, o novo vigor passa para o dia 1º de abril de O novo extintor, equipamento de segurança obrigatório para todos os veículos, é mais eficaz e capaz de combater incêndios em equipamentos elétricos, líquidos inflamáveis, madeiras e tecidos. Ele tem validade de cinco anos e não é recarregável e deve ser trocado quando estiver vencido. O condutor que for flagrado sem o extintor correto estará cometendo infração grave. A multa é de R$ 127,69 mais DENATRAN prorroga prazo de exigência do novo extintor cinco pontos na CNH e o carro fica retido pela fiscalização até a substituição do equipamento. Lei do imposto na nota terá caráter punitivo a partir de janeiro E m 6 de outubro, passou a vigorar a Lei do Imposto na Nota nº , de 2012, conhecida como Lei De Olho no Imposto, criada para informar ao cidadão o percentual dos tributos pagos a cada compra realizada. A Lei foi regulamentada por meio do Decreto nº 8.264, de 5 de junho de 2014, sendo que a fiscalização desta determinação terá caráter punitivo a partir de 01 de janeiro de O descumprimento das obrigações trazidas pela Lei /2012 resultará na aplicação das sanções administrativas previstas na Lei 8.078/90. Todas as Pessoas Jurídicas que prestem serviços ou forneçam mercadorias, o que inclui as empresas de consultoria, devem passar a emitir documentos fiscais observando essas novas disposições, ou seja, com o destaque dos tributos acima mencionados e estimativa dos respectivos valores. Cuidado com brincadeiras no ambiente de trabalho P ara manter um bom ambiente de trabalho se faz necessário o tratamento cordial entre os colegas de função. As empresas valorizam ações que tornam o ambiente de trabalho de cada funcionário mais prazeroso e harmônico, de forma que cada um possa fazer a sua parte na construção de uma empresa sólida e com qualidade. Brincadeiras entre os colaboradores são uma forma saudável de descontrair a rotina, mas é preciso prestar atenção se as piadas, risadas e práticas não ofendem o colega e lhe causam desconforto. Mesmo sem intenção, quando viram rotina, elas se tornam assédio moral e podem tornar o relacionamento no espaço de trabalho muito ruim, além de causar prejuízos profissionais e psicológicos à pessoa que se sente incomodada com a situação. É preciso tomar cuidado também ao tratar de questões mais íntimas, como piadas de duplo sentido e insinuações. Muitas pessoas não gostam de falar da vida pessoal dentro do emprego e, muito menos, ouvir frases com abordagem sexual, questões que consideram depreciativas a sua imagem. Vamos respeitar o direito de cada um! Assim, podemos manter o sucesso, que somente é alcançado com a ajuda de cada um dos colaboradores. Porém, caso se sinta incomodado com o tratamento de algum colega, procure o setor de Recursos Humanos. Lá, eles poderão ajudar e orientar na solução do problema. Fonte: Orletti News 4

5 5 Cadastro técnico no IBAMA e relatórios de atividades poluidoras E ste artigo objetiva orientar os concessionários de veículos a se alinharem com a Instrução Normativa 05/2014 do IBAMA (Código: 21-29) / Descrição: Troca de Óleo Lubrificante Resolução Conama nº 362/2005), cuja a atividade descrita é amplamente realizada pelos concessionários em todo Brasil. A poluição, decorrente da destinação inadequada desse tipo de substância classificado como resíduo perigoso Classe I pela NBR /2004, exige que os concessionários tenham uma atuação responsável sobre o assunto. Documentação para a realização da atividade de troca de óleo nos concessionários - Licenciamento ambiental emitido pelo órgão ambiental competente; - Registro no Cadastro Técnico Federal (CTF) IBAMA na categoria (troca de óleo lubrificante); - Documentos comprobatórios da compra de lubrificantes e Certificado de Coleta de Óleo Usado (CCO) emitidos pelo coletor autorizado. Principais pontos que devem ser observados para eliminar demais passivos ambientais - Descumprimento dos aspectos legais da IN IBAMA 05/2014, Resolução Conama nº 362/2005 e Lei Federal nº 6938/81; - Atuação clandestina de coletores de óleo usado não autorizados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) para o exercício dessa atividade; - Destinação inadequada dos óleos lubrificantes usados para outras finalidades que não aquelas autorizadas pela Resolução Conama nº 362/2005; - Descumprimento das condições adequadas de armazenamento, coleta e transporte dos óleos usados, o que pode gerar sérios danos ao meio ambiente em caso de acidentes envolvendo esse resíduo perigoso; - Sonegação fiscal, que tem lugar quando o óleo usada for coletado por empresa não autorizada (Convênio Confaz Recolhimento ICMS nº 38/2000). As atividades do concessionário de veículos pressupõem envolvimento direto com práticas ambientais que devem ser adotadas em relação à troca do óleo lubrificante. Além disso, são obrigados ao preenchimento e entrega do Relatório Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras RAPP do IBAMA, as pessoas jurídicas que se dediquem, isoladas ou cumulativamente, a atividades potencialmente poluidoras, identificadas a partir da inscrição no CTF, nesse caso, a troca de óleo. O período regular de preenchimento e entrega do RAPP é de 1 de fevereiro a 31 de março de cada ano. Os concessionários de veículos que exercem a atividade de troca de óleo devem se adequar a legislação vigente e realizar a atualização de seus dados cadastrais anualmente através do Cadastro Técnico Federal CTF e do Relatório Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras RAPP, no site do IBAMA. A empresa que deixar de entregar o relatório Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras RAPP esta sujeita à multa de natureza tributária e a multa de natureza ambiental. Apresentar no RAPP informações total ou parcialmente falsas está sujeita às sanções de natureza ambiental prevista no art. 82, do Decreto n 6.514/08 e às sanções criminais previstas no art. 69 A, da Lei n 9.605/98. Luiz Henrique Lopes Vilas é especialista em Fontes Alternativas de Energia, Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade. Professor e pesquisador na área de gestão ambiental, Diretor da Ouro Verde Meio Ambiente e Negócios Sustentáveis (www. ovma.com.br), especializada em meio ambiente no setor automotivo desde É responsável por mais de 600 projetos e avaliações ambientais de concessionários de veículos em todo Brasil, além de ministrar palestras para o setor.

6 Licenciamento de Veículos Armazenamento, manuseio e coleta de lâmpadas fluorescentes e mistas A empresa Ouro Verde, orienta o procedimento operacional para armazenar, manusear e coletar lâmpadas fluorescentes e mistas. Objetivo Assegurar que as lâmpadas fluorescentes e mistas (vapor de sódio, mercúrio, etc.) sejam manuseadas, armazenadas e destinadas de maneira adequada. Orientação a) As lâmpadas a serem descartadas devem ser armazenadas em local seco, na própria embalagem original (caixa), ou em caixas de papelão intercaladas com papel bolha, protegidas contra eventuais choques que possam provocar sua ruptura para posterior destinação correta à empresa homologada. b) Em nenhuma hipótese as lâmpadas devem ser quebradas para serem armazenadas, pois essa operação é Meses de risco para o operador e pode acarretar a contaminação do local. Porém se acidentalmente ocorrer quebra da lâmpada, está poderá ser acondicionada separadamente das lâmpadas inteiras. c) As caixas devem ser identificadas para não serem confundidas com caixas de lâmpadas novas. Controle O controle é realizado através de Manifesto de Transporte de Resíduos e Certificado de Destinação Final. O veículo deverá ser inspecionado mensalmente através de um check-list apropriado. (32) Espírito Santo/2014 AUTOS/COM. MOTOCICLETAS CAMIN/ÔNIBUS IMPLEMENTOS TOTAL Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Total Ano Humor Carta fatídica O dono de uma empresa teve um caso com a secretária e a engravidou. O empresário disse: - Quando nascer essa criança, mande uma carta escrito O pão saiu do forno. Meses depois chegou a carta. Assim que leu, o homem teve um enfarte e foi levado ao hospital pela sua mulher. O medico perguntou: - O que houve com ele? A mulher respondeu: - Não entendi. Ele apenas leu uma carta. - Mas o que estava escrito? perguntou o médico - A fornada foi grande. Dois pães com linguiça e dois sem. Reflexão Não é a liderança, nem o valor, nem o companheirismo onde se resumem os relacionamentos, o elemento mais essencial para isto chama-se confiança. Novo Associado (John C. Maxwell) Auto France Veículos Ltda (Renault) Av. Carlos Lindenberg, Ataíde Vila Velha / ES Tel.: (27) Datas comemorativas Fevereiro/ Dia do Publicitário 02 Dia do Agente Fiscal 05 Dia do Datiloscopista 07 Dia do Gráfico 10 Dia do Atleta Profissional 11 Dia do Zelador 16 Dia do Repórter 19 Dia do Esportista 27 Dia do Agente Fiscal da Receita Federal 6

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 Dispõe sobre a coleta, armazenamento e destinação de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo no Estado do Paraná. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA ANP N. 127, DE 30.07.99 REVOGADA PELA RESOLUÇÃO ANP N. 20, DE 18.06.09 O DIRETOR da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO ANP, no uso de suas atribuições legais, conferidas

Leia mais

Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 DECRETA:

Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 DECRETA: Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 Av. Presidente Vargas, 3.215 Vila Maria INSTITUI O GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DO ISSQN, A ESCRITURAÇÃO ECONÔMICO- FISCAL E A EMISSÃO DE GUIA DE RECOLHIMENTO POR MEIOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO 1 LEI Nº. 949/2010 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E DISPÕE SOBRE A DECLARAÇÃO MENSAL DO IMPOSTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA - ISSQN. O Prefeito Municipal de São Mateus,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA:

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº. 243/2015 Dispõe sobre regulamentação do atendimento ao serviço de Transporte Individual de Passageiros, Táxi, em casos de solicitação por aplicativo (APP) ou internet, no Município de

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária Todo(a) brasileiro(a), a partir de 16 anos de idade, pode filiar-se à Previdência Social e pagar mensalmente a contribuição para assegurar os seus direitos e a proteção à sua família. Vejamos com isso

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06/2013. Regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06/2013. Regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06/2013 Regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP Julho/2013 Instrução Normativa 31/2009 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE

Leia mais

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados Proteção e Participação da Sociedade Março/2015 Lubrificante deterioração contaminação Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado OLUC

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS Prefeitura Municipal de Pirenópolis DECRETO N 2.492714. Gabinete DE 31 DE 01 DE 2014.

ESTADO DE GOIÁS Prefeitura Municipal de Pirenópolis DECRETO N 2.492714. Gabinete DE 31 DE 01 DE 2014. DECRETO N 2.492714. DE 31 DE 01 DE 2014. "INSTITUI O GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DO ISSQN, A ESCRITURAÇÃO ECONÔMICO- FISCAL E A EMISSÃO DE GUIA DE RECOLHI MENTO POR MEIOS ELETRÔNICOS, RELATI VÁS AO ISSQN

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 665, de 30 de dezembro de 2014

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 665, de 30 de dezembro de 2014 Quadro comparativo da 1 Lei nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990 Art. 3º Terá direito à percepção do segurodesemprego o trabalhador dispensado sem justa causa que comprove: I - ter recebido salários de pessoa

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br sato@sato.adm.br fone/fax (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015

Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015 Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015 Dia: 07 CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados Envio ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) da relação das admissões, demissões e transferências

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013 ESTABELECE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA O PAGAMENTO DE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA, EM CARÁTER EVENTUAL, POR MEIO DE RECIBO DE PAGAMENTO A CONTRIBUINTE INDIVIDUAL

Leia mais

Resolução CONAMA n 362, de 23 de junho de 20050. (Publicação -Diário Oficial da União -27/06/2005)

Resolução CONAMA n 362, de 23 de junho de 20050. (Publicação -Diário Oficial da União -27/06/2005) Resolução CONAMA n 362, de 23 de junho de 20050 Dispõe sobre o Rerrefino de Óleo Lubrificante (Publicação -Diário Oficial da União -27/06/2005) O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

VALE-TRANSPORTE. São beneficiários do vale-transporte os trabalhadores em geral, tais como:

VALE-TRANSPORTE. São beneficiários do vale-transporte os trabalhadores em geral, tais como: VALE-TRANSPORTE 1. Introdução O vale-transporte foi instituído pela Lei nº 7.418 de 16.12.85, regulamentada pelo Decreto nº 92.180/85, revogado pelo de nº 95.247, de 17.11.87, consiste em benefício que

Leia mais

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal INTRODUÇÃO Um dos objetivos do uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF é a automação comercial. O ECF é, sem dúvida, um instrumento importante nesse processo.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO LEI N. 1.021, DE 21 DE JANEIRO DE 1992 "Define microempresa para efeito fiscal previsto na Lei Complementar n. 48/84 e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

I. Visto Temporário II (Visto de negócios)

I. Visto Temporário II (Visto de negócios) CARTILHA PARA CONTRATAÇÃO REGULAR DE ESTRANGEIROS NO BRASIL Em se tratando de mão de obra estrangeira, são inúmeras as dúvidas que pairam nos empregadores e tomadores de serviços sobre as responsabilidades

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

Atos Administrativos. PREFEITURA DE JACOBINA/BA www.sitiosoficiais.org/ba/prefeitura/jacobina JACOBINA, BAHIA SEGUNDA-FEIRA 28 DE MAIO DE 2012

Atos Administrativos. PREFEITURA DE JACOBINA/BA www.sitiosoficiais.org/ba/prefeitura/jacobina JACOBINA, BAHIA SEGUNDA-FEIRA 28 DE MAIO DE 2012 2 Atos Administrativos 3 Condicionantes Comprar madeira devidamente legalizada, e com Certificação Ambiental; Nas operações de corte de madeira, utilizardispositivo empurrador e guia de alinhamento; Devido

Leia mais

RESOLUÇÃO DE ORIENTAÇÃO nº 002/2008. Edição em 01 de maio de 2011.

RESOLUÇÃO DE ORIENTAÇÃO nº 002/2008. Edição em 01 de maio de 2011. RESOLUÇÃO DE ORIENTAÇÃO nº 002/2008. Edição em 01 de maio de 2011. Orienta os procedimentos necessários para o pagamento de honorários aos professores dos cursos de Pós-Graduação promovidos pelo IEDUCORP

Leia mais

TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR

TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR ASSUNTO: Operações interestaduais. De início, ressalte-se que, para efeito deste trabalho, toda alusão genérica feita a Estado é extensiva ao Distrito

Leia mais

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Prefeitura Municipal de São Leopoldo Secretaria Municipal da Fazenda Coordenadoria Tributária Divisão de Tributos Mobiliários Seção

Leia mais

Agência de Propaganda

Agência de Propaganda Agência de Propaganda Um assinante do Consultor Municipal fez a seguinte consulta: As empresas de propaganda e marketing são consideradas agências? E qual seria a base de cálculo do ISS? Por ser um assunto

Leia mais

GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS

GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS CARTAZES/DOCUMENTOS/ALVARAS Você encontrara neste guia as principais exigências com relação a fixação de cartazes para o seu estabelecimento comercial. Na

Leia mais

LICENÇA DE OPERAÇÃO Regularização

LICENÇA DE OPERAÇÃO Regularização LO N : 0001/2013. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, criada pela Lei Municipal n 368 de 20/05/77, no uso das atribuições que lhe confere a Lei n 6.938, de 31/08/81, que dispõe sobre

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO DESPACHO 2007 N O PROJETO DE LEI Nº 1310/2007 INSTITUI O SERVIÇO E COLETA DE PEQUENAS CARGAS, MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS, NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, DENOMINADO MOTO-FRETE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM À LUZ DO CONVÊNIO ICMS Nº 36, DE 26 DE MARÇO DE 2010

IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM À LUZ DO CONVÊNIO ICMS Nº 36, DE 26 DE MARÇO DE 2010 IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM À LUZ DO CONVÊNIO ICMS Nº 36, DE 26 DE MARÇO DE 2010 Rinaldo Maciel de Freitas * Nas operações de comércio exterior, é preciso entender a existência de duas modalidades de

Leia mais

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 OCORRÊNCIA 2006 M OCORRÊNCIA 2007 OCORRÊNCIA 2008 SUMÁRIO 1) Histórico 2) Instrução Normativa IBAMA n.º 05/2012

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR DA NATUREZA Art.1 o No Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Econômicas, as diretrizes curriculares incluem o estágio

Leia mais

Agenda Tributária: de 06 a 12 de Março de 2014

Agenda Tributária: de 06 a 12 de Março de 2014 Agenda Tributária: de 06 a 12 de Março de 2014 Dia: 06 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Importador O contribuinte importador de combustíveis deverá entregar,

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1

LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1 Institui hipótese de responsabilidade pelo pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço

Leia mais

PROJETO BÁSICO CALL CENTER

PROJETO BÁSICO CALL CENTER PROJETO BÁSICO CALL CENTER 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente Projeto Básico consiste na descrição dos serviços que serão prestados por empresa especializada em serviços de Call

Leia mais

DECRETO N. 134/2010, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

DECRETO N. 134/2010, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. DECRETO N. 134/2010, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. Institui o gerenciamento eletrônico do ISS - Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - e a emissão de Documento de Arrecadação Municipal - DAM - por meios

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA ANP Nº 29, DE 9 DE FEVEREIRO DE 1999 Estabelece a regulamentação da atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo, álcool combustível, mistura

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

CARTILHA PARA OS CONDOMÍNIOS

CARTILHA PARA OS CONDOMÍNIOS CARTILHA PARA OS CONDOMÍNIOS SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA SEFAZ 1 CARTILHA PARA OS CONDOMÍNIOS DAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS DOS CONDOMÍNIOS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Os condomínios comerciais e residenciais

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/DIR/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/DIR/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/DIR/2011 ESTABELECE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA O PAGAMENTO DE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA, EM CARÁTER EVENTUAL, POR MEIO DE RECIBO DE PAGAMENTO A CONTRIBUINTE INDIVIDUAL

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

Instituto do Meio Ambiente ESTADO DE ALAGOAS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS

Instituto do Meio Ambiente ESTADO DE ALAGOAS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS LICENÇA PRÉVIA - Documentação necessária 1. Requerimento Padrão definido pelo IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Cadastro do empreendimento, definido

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Lei Complementar nº 87 de 13 de setembro de 1996.... 4 3.2 Convênio ICMS

Leia mais

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011)

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011) ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011) A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO consiste na substituição, total ou parcial, do cálculo da contribuição previdenciária

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SICAP NEWS Ano 2 nº 19 Informativo Mensal Março 2010 *REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO * Base Legal: Art. 74 da CLT e Portaria 1.510/2009, do MTE Conforme dispõe o 2º do art. 74 da CLT, estão obrigados à anotação

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha - Call Center - Atividade Concomitante

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha - Call Center - Atividade Concomitante Desoneração da Folha - Call Center - Atividade 17/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 5 3.1 Empresas que exercem atividades

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 05, ANO V MAIO DE 2013 1 IMPORTADORES ESTÃO DESOBRIGADOS DE INFORMAR VALOR DE COMPRA NAS NOTAS Obrigação, vigente desde o começo do ano,

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 5 Decreto nº 6.260, de 20 de novembro de 2007 DOU de 20.11.2007 Dispõe sobre a exclusão do lucro líquido, para efeito de apuração do lucro real e da base de cálculo da Contribuição Social sobre

Leia mais

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO?

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? É a substituição da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre o salário de contribuição dos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.

Leia mais

CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL MARCOS ARAÚJO Presidente do SINDSIME ÍNDICE 1 3 5 7 9 INTRODUÇÃO LEI 2 VANTAGENS COMO ME ESCREVO OBTENÇÃO DE ALVARÁ 4 OBTENÇÃO DE ALVARÁ DOCUMENTAÇÃO FISCAL 6 AMBULANTES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (APLICADO A INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NAS VIAS DE TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NAS VIAS DE TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS Revisão 00 Setembro/ 2015 Sindicarga FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NAS VIAS DE TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente INTRODUÇÃO O Transporte Rodoviário

Leia mais

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO 100 95 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços

Leia mais

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque.

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque. Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem empresarial dos temas em destaque. Professora: Luciana Saldanha Advogada, especialista em direito trabalhista e previdenciário.

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001;

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001; RESOLUÇÃO ANTT Nº 1.737, de 21/11/2006 Estabelece procedimentos de registro e fiscalização, institui infrações e sanções referentes ao Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga - RNTRC,

Leia mais

A POSSIBILIDADE DA INCLUSÃO DE DESPESAS ADMINISTRATIVAS DO CONVENENTE NO PLANO DE TRABALHO A SER APRESENTADO EM CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE

A POSSIBILIDADE DA INCLUSÃO DE DESPESAS ADMINISTRATIVAS DO CONVENENTE NO PLANO DE TRABALHO A SER APRESENTADO EM CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE A POSSIBILIDADE DA INCLUSÃO DE DESPESAS ADMINISTRATIVAS DO CONVENENTE NO PLANO DE TRABALHO A SER APRESENTADO EM CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE Elaborado em: 22/09/2010 Autora: Walleska Vila Nova Maranhão

Leia mais

LEI Nº 12.546/2011 (MP 540/2011) ORIENTAÇÕES PRÁTICAS - DESONERAÇÃO FOLHA DE PAGAMENTO TI/TIC

LEI Nº 12.546/2011 (MP 540/2011) ORIENTAÇÕES PRÁTICAS - DESONERAÇÃO FOLHA DE PAGAMENTO TI/TIC LEI Nº 12.546/2011 (MP 540/2011) ORIENTAÇÕES PRÁTICAS - DESONERAÇÃO FOLHA DE PAGAMENTO TI/TIC 1 INTRODUÇÃO Em 15 de dezembro de 2011 a Presidente da República SANCIONOU a Lei nº 12.546/2011 (decorrente

Leia mais

PROGRAMA ICMS ANTECIPADO ESPECIAL COM GLOSA DE CRÉDITO. 1. O que é o Programa de ICMS ANTECIPADO GLOSA DE CRÉDITO?

PROGRAMA ICMS ANTECIPADO ESPECIAL COM GLOSA DE CRÉDITO. 1. O que é o Programa de ICMS ANTECIPADO GLOSA DE CRÉDITO? PROGRAMA ICMS ANTECIPADO ESPECIAL COM GLOSA DE CRÉDITO PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. O que é o Programa de ICMS ANTECIPADO GLOSA DE CRÉDITO? R= É a cobrança do ICMS de mercadorias sujeitas à exclusão de crédito

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de 17/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1

Leia mais

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resolução CONAMA Nº 009/1993 - "Estabelece definições e torna obrigatório o recolhimento e destinação adequada de todo o óleo lubrificante usado ou contaminado".

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ANEXO 09 DIRETRIZES AMBIENTAIS MÍNIMAS

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ANEXO 09 DIRETRIZES AMBIENTAIS MÍNIMAS ANEXO 09 DIRETRIZES AMBIENTAIS MÍNIMAS 1 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. Adequação às Normas e Legislações Vigentes... 3 3. Definições de Obrigações e Responsabilidades... 3 4. Diretrizes Mínimas Exigidas...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATANTE: GOIÁS PREVIDÊNCIA - GOIASPREV CONTRATADA: A CONTRATAR ELABORAÇÃO: DIRETORIA DE PREVIDÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATANTE: GOIÁS PREVIDÊNCIA - GOIASPREV CONTRATADA: A CONTRATAR ELABORAÇÃO: DIRETORIA DE PREVIDÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA PARA ESTUDO ATUARIAL DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DE GOIÁS CONTRATANTE: GOIÁS PREVIDÊNCIA - GOIASPREV CONTRATADA: A CONTRATAR ELABORAÇÃO:

Leia mais

PORTARIA Nº 135/GSER

PORTARIA Nº 135/GSER PORTARIA Nº 135/GSER João Pessoa, 9 de junho de 2015. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA RECEITA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 3º, inciso VIII, alíneas a e g, da Lei nº 8.186, de 16 de março de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE 1. OBJETIVO: Este Termo de Referência têm como objetivo estabelecer diretrizes para elaboração do Plano de Emergência para Transporte de Produtos Perigosos. O plano deverá garantir de imediato, no ato

Leia mais

O F I C I N A ESCLARECIMENTO - DMA - FIESP. LOGÍSTICA REVERSA Disposições Transitórias e Finais.

O F I C I N A ESCLARECIMENTO - DMA - FIESP. LOGÍSTICA REVERSA Disposições Transitórias e Finais. O F I C I N A D E ESCLARECIMENTO - DMA - FIESP LOGÍSTICA REVERSA Disposições Transitórias e Finais. Walter Françolin DMA FIESP Agosto 2010 ou outra destinação final ambientalmente adequada; Art. 3º - XII

Leia mais

ANO I Nº 04/2011 Abril /11 FECHAMENTO: 31.03.2011. Destaques

ANO I Nº 04/2011 Abril /11 FECHAMENTO: 31.03.2011. Destaques Boletim Cipe Consultores Independentes. ANO I Nº 04/2011 Abril /11 FECHAMENTO: 31.03.2011 Destaques ABANDONO DE EMPREGO: veja nesta edição matéria focalizando as providências a serem observadas pelo empregador

Leia mais

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS LICENÇA PRÉVIA 1. Formulário de requerimento padrão dirigido à Presidência do IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Comprovante de pagamento da Taxa de Concessão da Licença

Leia mais

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006. (ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE) O ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE E O ESTADO E MUNICÍPIOS

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*).

RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*). RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*). Dispõe sobre o sistema de Recolhimento da Arrecadação de Taxas de Fiscalização de Vigilância Sanitária e dá outras providências. A Diretoria Colegiada

Leia mais

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI CLIPPING Mídias de Primeiro Foco Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI Cliente: Fharos Data: 10/09/08 Veículo: Executivos Financeiros 2 3 Cliente: Fharos Data: 12/09/08 Veículo: Canal Executivo 4

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 09.00 GRUPO/ATIVIDADES 09.07 Postos de Revenda de Combustíveis e Derivados de Petróleo com ou sem lavagem e ou lubrificação de veículos PPD M AGRUPAMENTO NORMATIVO

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade

Relatório de Sustentabilidade Relatório de Sustentabilidade Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes A Rodorei Transportes adota, há dez anos, uma política agressiva de

Leia mais

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS ILUMEXPO 2015 4ª Exposição e Fórum de Gestão de Iluminação Pública Luciana Hamada / Junho 2015 IBAM, MUNICÍPIO E

Leia mais

Cadastro Técnico Federal de Atividades. Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras. de Recursos Ambientais. CTF/APP

Cadastro Técnico Federal de Atividades. Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras. de Recursos Ambientais. CTF/APP Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais. CTF/APP Supes-mg DISPOSITIVOS E AMPAROS LEGAIS Lei 10.165 de 27 de dezembro de 2000 (Dispõe sobre

Leia mais

PORTARIA N.º 034/2009, de 03 de agosto de 2009

PORTARIA N.º 034/2009, de 03 de agosto de 2009 PORTARIA N.º 034/2009, de 03 de agosto de 2009 Aprova o MANIFESTO DE TRANSPORTE DE RESÍDUOS MTR e dá outras providências. A DIRETORA PRESIDENTA DA FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO AMBIENTAL HENRIQUE LUIZ

Leia mais

Considerando que o descarte de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo para o solo ou cursos de água gera graves danos ambientais;

Considerando que o descarte de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo para o solo ou cursos de água gera graves danos ambientais; RESOLUÇÃO N 037/2009 - SEMA Dispõe sobre a coleta, armazenamento e destinação de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo no Estado do Paraná. O Secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

http://www.fazenda.gov.br/confaz/ escolha opção resolução Senado Federal 13/2012

http://www.fazenda.gov.br/confaz/ escolha opção resolução Senado Federal 13/2012 Prezado cliente, As constantes mudanças na legislação fiscal têm afetado muito as empresas, os sistemas e as empresas de contabilidade, que precisam estar preparadas para atender as obrigatoriedades legais.

Leia mais

NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO

NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO OUTUBRO 2014 (VERSÃO 1.2) Av. Vereador José Monteiro, nº. 2233, Setor Nova Vila - Bloco A, térreo - CEP: 74.650-900 Goiânia Goiás 1 MANUAL

Leia mais

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Sumário 1. Introdução 2. Obrigações Mensais 2.1 - Salários 2.2 - CAGED 2.3 - INSS 2.4 - PIS - Cadastramento 2.5 - FGTS 2.6 - CIPA 2.7 - Exame Médico 2.8 - Acidente

Leia mais

Empregado Doméstico Normatização da Profissão

Empregado Doméstico Normatização da Profissão Empregado Doméstico Normatização da Profissão 3 DE JUNHO DE 2015 CONTSUL A Lei complementar nº150, publicada no DOU de 02.06.2015, dispôs sobre o trabalho doméstico no que tange ao contrato de trabalho,

Leia mais

b) agrupados, por categoria, os segurados empregado, trabalhador avulso e contribuinte individual;

b) agrupados, por categoria, os segurados empregado, trabalhador avulso e contribuinte individual; Instrução Normativa RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009 DOU de 17.11.2009 O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso da atribuição que lhe confere o inciso III do art. 261 do Regimento Interno

Leia mais

Palestrantes: Reginaldo da Silva dos Santos, André Bocchi e. Luis Antônio dos Santos

Palestrantes: Reginaldo da Silva dos Santos, André Bocchi e. Luis Antônio dos Santos esocial SEMINÁRIO Uma realidade RETENÇÕES a ser DE enfrentada IMPOSTOS pelos E CONTRIBUIÇÕES profissionais de RH, Contabilidade e de Gestão Administrativa Palestrantes: André Bocchi da Silva Reginaldo

Leia mais

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 Institui o Código de Trânsito Brasileiro. CAPÍTULO IX DOS VEÍCULOS Seção II Da Segurança dos Veículos Art. 105. São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

Gabinete do Prefeito Lei nº 120/2009 de 27 de fevereiro de 2009.

Gabinete do Prefeito Lei nº 120/2009 de 27 de fevereiro de 2009. Lei nº 120/2009 de 27 de fevereiro de 2009. Dispõe sobre a utilização de motocicletas no transporte de passageiros no município de Nortelândia, e dá outras providencias. Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE

Leia mais

Quem somos? Nossa Missão:

Quem somos? Nossa Missão: Bem Vindos! Quem somos? A GEPC Consultoria Tributária é uma empresa especializada em consultoria para Farmácias e Drogarias com mais de 6 anos de mercado neste seguimento. Apoiando e atualizando nossos

Leia mais

Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF

Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF Fls. 1 Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF Solução de Consulta Interna nº 1 Data 15 de junho de 2012 Origem DIFIS/SRRF01 (e processo nº 10166.725012/2012 53) Assunto: Contribuições

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

1 Informações diversas Senado aprova MP que reabre prazo do Refis O plenário do Senado aprovou dia 29/10 a Medida Provisória (MP) 651/14 que traz uma série de medidas de incentivo ao setor produtivo. O

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

Previdência Social sob a forma de Regime Geral

Previdência Social sob a forma de Regime Geral Previdência Social sob a forma de Regime Geral Estrutura do Sistema Previdenciário no Brasil Regime Geral de Previdência Social (RGPS) Administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); Obrigatório,

Leia mais