PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL"

Transcrição

1 RESPONSABILIDADE SOCIAL TÍTULO : SAÚDE E SEGURANÇA 1. OBJETIVO: Informar, conscientizar e instruir os colaboradores, sobre possíveis riscos inerentes as funções desempenhadas em seu dia a dia do trabalho. 2. DEFINIÇÕES: EPI: Equipamento de Proteção Individual. Ex.: Óculos de Segurança, Protetor Auricular, Bota de Segurança. EPC: Equipamento de Proteção Coletiva. Ex.: Cortina de Solda, Guarda Corpo, Exaustor e Corrimão das escadas, etc. PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais: Programa que visa a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais. PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional: Programa que tem como objetivo, a promoção e a preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores. C.A.T Comunicado de Acidente de Trabalho.mbmdg O Representante de Saúde e Segurança do Trabalho é responsável pela análise e aceite de todos os laudos referentes à Saúde e Segurança do Trabalho sendo responsável também pela elaboração de um plano de ação global baseado nas recomendações estabelecidas nos laudos. Os laudos são os seguintes: PPRA, PCMSO, Laudo ergonômico, Laudo de Para Raio, Laudo Elétrico. 3. DOCUMENTOS APLICÁVEIS NR 6 NR 7 NR 8 NR 9 NR NR 11 NR 12 NR 15 NR 17 NR 23 NR 24 NR 26 NORMA SA DESCRIÇÃO E RESPONSABILIDADES EPI: É de responsabilidade da Gunnebo Industries fornecer EPI s adequados e verificar a utilização dos mesmos.

2 RESPONSABILIDADE SOCIAL TÍTULO : SAÚDE E SEGURANÇA As áreas de utilização dos diversos tipos de EPI serão definidas pelo Representante de Saúde e Segurança do Trabalho, tomando como base o mapa de riscos da empresa. É de responsabilidade do colaborador, zelar pela conservação e limpeza dos EPI s fornecidos e solicitar a empresa no caso de substituição com devolução do EPI já inutilizável, bem como utilizar o(s) EPI(s) correto(s) referente à atividade que é executada. Os EPI s são de uso obrigatório de acordo com área / função está especificado abaixo. Áreas Óculos Protetor Auricular Calçado de Segurança Luva Capacete Administrativo Almoxarifado X X Laboratório de ensaios de tração X X X Funcionário da Limpeza X X Funcionário externo X X X X X Visitante interno e externo * * * * * Prestador serviço terceirizado * * * * * * Todos os visitantes e prestadores de serviços devem ser acompanhados por um colaborador da Gunnebo industries Ltda e devem estar de posse dos EPI's pertinentes à área solicitada se forem permanecer por longos períodos na área de risco. O não uso de EPI s conforme instruído pela Gunnebo Industries Ltda através de seu Representante de Saúde e Segurança do Trabalho tornará o funcionário passível de advertência e demais penalidades previstas em lei EPC: É de responsabilidade da Gunnebo Industries fornecer EPC s adequados e zelar pela manutenção dos mesmos. As áreas de utilização de EPC serão definidas pelo Representante de Saúde e Segurança do Trabalho de acordo com a atividade e máquina envolvida. É de responsabilidade do colaborador, zelar pela conservação dos EPC s instalados e informar a empresa no caso de necessidade substituição ou reparo, bem como respeitá-los como medida de segurança, não tentando burlar ou inutilizar os mesmos. São de responsabilidade do departamento Almoxarifado os reparos ou substituições necessárias de EPC s. Os EPC s obrigatórios de acordo com área estão especificados abaixo. - Laboratório de ensaios de tração: tampas de proteção abaixadas tanto para ensaios destrutivos como não destrutivos.

3 RESPONSABILIDADE SOCIAL TÍTULO : SAÚDE E SEGURANÇA O não uso de EPC s conforme instruído pela Gunnebo Industries Ltda através de seu Representante de Saúde e Segurança do Trabalho, ou a comprovada burla do EPC, tornará o funcionário passível de advertência e demais penalidades previstas em lei Treinamentos: É de responsabilidade da Gunnebo Industries, através de seu Representante de Saúde e Segurança do Trabalho, instruir, através de palestras, treinamentos e reciclagens periódicas, sobre temas pertinentes a Saúde e Segurança no Trabalho. As palestras para todos os funcionários deverão ocorrer anualmente e serão ministradas por consultorias especializadas. A Gunnebo Industries executa treinamento de Brigada de incêndio anualmente (treinamento terceirizado em campo). O quadro de componentes para brigada de incêndio está de acordo com a norma NBR tabela A1 nota 5 Quando a população fixa de um pavimento, compartilhamento ou setor for maior que pessoas, será acrescido + 1 brigadista para cada grupo de 20 pessoas para risco baixo, deste modo foi indicado 1 (um) chefe da Brigada, 03( três) brigadistas no pavimento superior (escritório) e 03 (três) no pavimento inferior (estoque) Higienização: É de responsabilidade da Gunnebo Industries (departamento Administrativo Financeiro) fornecer toda a infraestrutura sanitária necessária, bem dimensionada e devidamente higienizada conforme NR-24 da Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego. É de responsabilidade do colaborador, zelar pela manutenção da limpeza dos ambientes A Gunnebo assegura a seus colaboradores acesso a suas dependências limpas bem como água potável para beber e equipamentos de armazenamento de alimentos devidamente limpos.

4 4.4.3 A reposição de água nos bebedouros é realizada conforme necessidade de recolocação (quando acaba), garantindo a nossos colaboradores água limpa e fresca sempre que precisarem. A água adquirida pela Gunnebo é de origem mineral, e comprovadamente potável No almoxarifado de materiais da empresa é realizado semanalmente a limpeza e arrumação dos itens que por ventura se encontrar fora de seu local O sistema de dedetização é realizado semestralmente de acordo com as indicações da empresa contratada É realizada mensalmente uma inspeção mensalmente em todos os equipamentos de combate imediato de pequenos focos de incêndio em atendimento a NR-23 Parágrafo (conforme ficha de inspeção extintores anexo 6.1.4) 4.5 PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais É de responsabilidade e de obrigação da Gunnebo Industries conforme a NR-9 da Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego, a elaboração e a implantação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. A elaboração do PPRA é de responsabilidade do departamento Garantia da Qualidade juntamente com o representante da Saúde e Segurança, através de contratação de empresa / profissional qualificado para execução do mesmo. A análise e o aceite do PPRA (mediante assinatura no mesmo), implantação do mesmo e elaboração do plano de ação baseado nas recomendações estabelecidas no PPRA é de responsabilidade do Representante de Saúde e Segurança do Trabalho. A renovação do PPRA deverá ser feita anualmente. Página 4 de

5 4.6 PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional É de responsabilidade e de obrigação da Gunnebo Industries segundo a NR-7 da Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego, a elaboração e a implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. A elaboração e implementação do PCMSO é de responsabilidade do departamento Garantia da Qualidade juntamente com o representante da Saúde e Segurança, através de contratação de empresa / profissional qualificado para execução do mesmo. A renovação do PCMSO deverá ser feita anualmente conforme plano de ação do PPRA. O Exame Médico Periódico é feito anualmente para todos os colaboradores pela empresa contratada. 5. REGISTROS DA QUALIDADE Identificação Armazenamento Proteção Recuperação Tempo de Retenção Descarte dos Registros Recibo de EPI s Garantia da Qualidade Folha A4 / Armário Pasta Por nome de colaborador Ad infinitum Ad infinitum Livro Ata de inspeção mensal de extintores. Livro de inspeção de extintores e hidrantes. Livro Mensal anos Destruir 6. ANEXOS 1.1 Recibos de EPI s aos funcionários; 1.2 Fichas de Inspeção de Extintores. 8. CONTROLE DE REVISÕES: Revisão 00 emitida em 01/05/2004 Nº Rev Data Aprov. Fl. Alt. Item Alt. Descrição da Alteração e Solicitante 01 25/06/04 Diretor Todas Todos 1-) Inclusão da obrigatoriedade de assinatura dos laudos; 2-) Alteração de rodapés. Neury Gerente Página 5 de

6 02 27/07/04 Diretor 2/9-4/9-5/9-9/ /12/04 Diretor 4/9-5/9-6/9 3./4.1/4.2/ 4.4.7/5/6 e anexo ) Inclusão das NR S,11,17,23. 2-) Estoque- exclusão utilização da policorte e nomeado almoxarifado; 3-) Área carga e descarga- exclusão, limita-se como almoxarifado; 4-) Funcionário limpeza- necessidade de uso luvas cirúrgica no recolhimento de lixo; 5-) Visitante área ADM para visitante interno e externo; 6-) Visitante terceirizado para prestador serviço terceirizado. 7-)Necessidade da criação de livro ata para inspeção de equipamentos de combate a incêndio. SGS Pré Auditoria. 1-) Exclusão da responsabilidade de inspeção de extintores na filial devido ao fechamento da loja. 2-) Distribuição exclusão filial Macaé. 3-) Rotina de Limpeza- Alteração no anexo /03/05 Diretor 2/9-4/ /04/ ; 5. ; 6.; 6.1.1; ) Inclusão das NR s-8,12,15,,26. 2-) Alteração de ficha de inspeção para livro ata de inspeção de extintores. 3-) Exclusão do anexo ficha de inspeção de extintores. E exclusão do check list de luminárias. 4-) Inclusão de dias ( quartas e sextas-feiras ) de limpeza do setor almoxarifado na rotina de limpeza. 5-) Mudança no lay out do Recibo de EPI s. Diretor Todas 7 1-) Alteração do Cabeçalho e Rodapé 2-) Alteração do código do procedimento de SA4.3 para PRS /11/07 Diretor Todas Logo; tabela de aprovaçã o; 2; 4.1; 4.2; 4.3; 4.4.3; 4.6; 5; /12/09 Diretor Todas Rodapé - Controle de revisões 3-) Alteração da referência à linha troax e lifting para DeptºComercial. 1) Exclusão do logo LQRA e SGS, alterado termo Gunnebo do Brasil para Gunnebo Industries; 2) Exclusão da obrigação do Mapa de Risco; 3) Inclusão corrimão de escada, exclusão de relatório de Inspeção em reservatório de ar comprimido; 4) Indicação de como é realizada a composição para formação de brigada de incêndio da Empresa; 5) Alteração no texto de reposição de água nos bebedouros; 6) Alteração no texto do item 4.6 PCMSO e indicação da empresa contratada que coordena o PCMSO. 7) Alteração no registro da qualidade armazenamento e retenção; Inclusão do anexo Ficha de Inspeção de Extintores /12/09 Diretor Todas Assinatur - Incremento de assinaturas a 13/12/11 RD Todas Todas - Revisão de todo o conteúdo do procedimento para adequação da sistemática atual - Atualização dos anexos Alteração do elaborador para Ana Paula Gentil e Flávio Querino e aprovador para André Carrion. Página 6 de

7 9. ELABORADORES / RESPONSÁVEL / APROVADORES ELABORADOR(ES) RESPONSÁVEL APROVADOR(ES) Ana Paula Gentil Garantia da Qualidade Flávio Querino Representante de Saúde e Segurança André Carrion Gerente Geral Página 7 de

8 1.1 Anexo : Declaração de Recebimento de equipamentos de proteção individual ( EPI s) Página 8 de

9 Página 9 de

10 PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE 1. 2 Anexo: Ficha de Inspeção de Extintores. MARCA: TIPO: EXTINTOR N.º: ATIVO FIXO: LOCAL: ABNT N.º: HISTÓRICO Código e reparos Data Recebido Inspecionado Reparado Instrução Incêndio 1. Substituição de Gatilho 2. Substituição de Difusor 3. Mangote 4. Válvula de Segurança 5. Válvula Completa 6. Válvula Cilindro Adicional 7. Pintura 8. Manômetro 9. Teste Hidrostático. Recarregado 11. Usado em Incêndio 12. Usado em Instrução 13. Diversos CONTROLE DE EXTINTORES Página de

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 13//2011 1. OBJETIVO: Estabelecer diretrizes e critérios para a prestação de serviços associados, referente a reclamações de clientes e as respectivas ações corretivas. Monitoramento das informações relativas

Leia mais

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos;

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos; Os 32 itens da NR-32 a serem trabalhados nesta primeira etapa do projeto 32 para implantação nos estabelecimentos de saúde até 2009 foram selecionados e estudados pela diretoria do Sinsaúde por serem os

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

Controle e uso de EPI s e Uniformes NIK 026

Controle e uso de EPI s e Uniformes NIK 026 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ESCOPO... 2 3. DEFINIÇÕES... 2 3.1. EPI S... 2 3.2 UNIFORMES... 2 3.3 FICHA DE CONTROLE DE EPI S E UNIFORMES... 2 3.4 GESTORES... 2 3.5 ASSOCIADOS... 2 4. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

RELATÓRIO DO ICP 09/2007 (SECRETARIA ESTADUAL DA FAZENDA - SEFAZ)

RELATÓRIO DO ICP 09/2007 (SECRETARIA ESTADUAL DA FAZENDA - SEFAZ) RELATÓRIO DO ICP 09/2007 (SECRETARIA ESTADUAL DA FAZENDA - SEFAZ) OBJETIVO DO ICP : Implantação do programa de saúde ocupacíonal (Decreto 5.757/2003) para os servidores da SEFAZ. Conquistas de 2010 (Ações

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS fl. de 7 Endereço Local Aprovado Data Rev. UNIOP-SP Av. Paulista, 06 São Paulo SP 9º, 5º, 7º e 8º andares JMn (SESMS) 0/08/ C Atividade Perigo Dano (Todas) Agressão Física Assédio Discriminação Energizadas

Leia mais

INTEGRAÇÃO - EHS MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

INTEGRAÇÃO - EHS MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO INTEGRAÇÃO - EHS MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Sustentabilidade Para garantir um futuro próspero às próximas gerações, nós fomentamos a Sustentabilidade como um pilar fundamental para o

Leia mais

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO UFERSA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ANIMAIS - DCAn DISCIPLINA: INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes 2013 INTRODUÇÃO Principais

Leia mais

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 PROERGO julho/2010 Pág. 1/7. I N D I C E 1. - APRESENTAÇÃO 2. - OBJETIVO 3. - INTRODUÇÃO 4. - EMPRESA BENEFICIADA 5. - CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E AMBIENTAL MEDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 E Ótica; Creches; Instituições de longa permanência para idosos; Instituições que prestem serviços de atenção a pessoas com

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

Apólice de Seguros Incêndio (Revisão das Coberturas)

Apólice de Seguros Incêndio (Revisão das Coberturas) Tabela de e Prazos de Manutenção Item Apólice de s Incêndio (Revisão das Coberturas) Revisar Condições e Importâncias Seguradas. arts. 1.346 e 1348, IX, do Código Civil e art. 13, parágrafo único da Lei

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 Prof. Me. Vítor Hugo Magalhães Vono Engenheiro de Segurança do Trabalho Lei 6514 de 12/77 Capítulo V da CLT da Segurança e Medicina do Trabalho (art.

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão

Procedimento Operacional Padrão Data de Vigência: Página 1 de 5 1- Objetivo: Estabelecer e padronizar os procedimentos de manutenção e uso dos Equipamentos de Proteção Individual para controlar riscos ambientais e ocupacionais. 2- Aplicação:

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

RELATÓRIO DO ICP 10/2009 (HOSPITAL MATERNO INFANTIL)

RELATÓRIO DO ICP 10/2009 (HOSPITAL MATERNO INFANTIL) RELATÓRIO DO ICP 10/2009 (HOSPITAL MATERNO INFANTIL) OBJETIVO DO ICP : Implantação do programa de saúde ocupacional (Decreto 5.757/2003) para os servidores do Hospital Materno Infantil. Conquistas de 2010

Leia mais

artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e

artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e 1 NR-1- Disposição Geral, embasado nos artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e acompanhar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA),

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1. OBJETIVO: Estabelecer diretrizes e critérios para o atendimento aos requisitos da norma de Responsabilidade Social SA 8000. 2. DEFINIÇÕES: Não aplicável. 3. DOCUMENTOS APLICÁVEIS Manual da Qualidade;

Leia mais

FAC. 01 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA

FAC. 01 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA 1 de 26 MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA MACROPROCESSO INFRAESTRUTURA PROCESSO MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA MANUTENÇÃO E INFRAESTRUTURA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4.

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

Documentos Obrigatórios em UANs

Documentos Obrigatórios em UANs Documentos Obrigatórios em UANs Profa. Ms Kelly Ribeiro Amichi DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Para o funcionamento de uma UAN, existe a documentação obrigatória exigida pela legislação. Essa documentação deve

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

COMUNICATION ON PROGRESS 2013-2014

COMUNICATION ON PROGRESS 2013-2014 DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO PELO CHEFE EXECUTIVO A RRV Engenharia confirma o apoio contínuo aos Dez Princípios do Pacto Global, relacionados aos Direitos Humanos, Direitos do Trabalho, Proteção do Meio

Leia mais

Gestão de Suprimentos - CRDF

Gestão de Suprimentos - CRDF 1 de 6 RESULTADO ESPERADO DO PROCESSO: Estabelecer negociação entre clientes e fornecedores internos, de modo a assegurar a conformidade, com os requisitos de entrada e saída do processo. PRODUTO PRINCIPAL:

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 16/04/2007 Emissão inicial

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 16/04/2007 Emissão inicial HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 16/04/2007 Emissão inicial Elaborado: 16/04/2007 Superintendente e ou Gerente da unidade Análise Crítica e aprovação : 16/04/2007 Representante

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Descrição dos Equipamentos

TERMO DE REFERÊNCIA. Descrição dos Equipamentos ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DOS EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA COZINHA ESCOLA

Leia mais

SISTEMA DA QUALIDADE. Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade

SISTEMA DA QUALIDADE. Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade SISTEMA DA QUALIDADE Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade GARANTIA DA QUALIDADE Definição: Portaria 348/1997 RDC 48/2013 Todas as ações sistemáticas necessárias

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1. OBJETIVO: Estabelecer diretrizes e critérios referentes à Jornada de Trabalho. 2. DEFINIÇÕES: Não aplicável 3. DOCUMENTOS APLICÁVEIS: Código de Conduta da Gunnebo Norma SA 8000 Consolidação das Leis

Leia mais

SEGURANÇA EM TERCEIRIZAÇÃO

SEGURANÇA EM TERCEIRIZAÇÃO SEGURANÇA EM TERCEIRIZAÇÃO Empresa Atuando em todos os seguimentos empresariais, através de equipes de profissionais treinados, executamos os mais variados tipos de trabalho, fornecendo desde a mão de

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - ANÁLISE GLOBAL - DESTAQUE AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA. - SÃO PEDRO DO

Leia mais

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL 5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL Instituto Algodão Social Missão Promover aos associados do setor algodoeiro a responsabilidade social empresarial, a cidadania,

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI 1. FINALIDADE: Regulamentar a utilização do Equipamento de Proteção Individual EPI, no âmbito do DEMLURB, a fim de proporcionar melhores

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

LIMPEZA PREDIAL LIMPEZA HOSPITALAR

LIMPEZA PREDIAL LIMPEZA HOSPITALAR A GUIMA CONSECO, fundada em 1988, tem no Controle de Qualidade a ferramenta que antecipa tendências e orienta seus procedimentos, na direção das expectativas e anseios de seus clientes, tornando-se assim

Leia mais

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação:

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação: ANEXO Nº I Item: SERVIÇO Unidade Requisitante: Código Cadastro: Empresa Contratada Especificações de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho para realização de integração na contratante. 1) Itens obrigatórios

Leia mais

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho "Segurança o Tempo Todo"

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho Segurança o Tempo Todo Página: 1/14 1. OBJETIVO Descrever as principais rotinas gerenciais de segurança e saúde do trabalho à serem desenvolvidas pela equipe da ENDICON, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais,

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

Secretaria da Administração

Secretaria da Administração Secretaria da Administração Procedimento para Elaboração de Programas de Segurança para Empresas Contratadas PCMSO / PPRA / PCMAT / ARO Revisão 00 2014 1. Objetivo Estabelecer as exigências mínimas sobre

Leia mais

Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013

Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013 Julho/2012 Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013 Slogan: Segurança se faz com Educação MÊS Atividades * Reunião Ordinária e Posse da CIPA: 06/07/2012 * Implantação da Urna de Sugestões da CIPA.

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE 1. OBJETIVO: Este Termo de Referência têm como objetivo estabelecer diretrizes para elaboração do Plano de Emergência para Transporte de Produtos Perigosos. O plano deverá garantir de imediato, no ato

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Nome da atividade: PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVA

Nome da atividade: PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVA Nome da atividade: DE PERDAS AUDITIVA RESULTADOS ESPERADOS: - PREVENIR A INSTALAÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS. - CONTROLAR A EVOLUÇÃO DE PERDAS JÁ EXISTENTES - DIAGNOSTICAR PRECOCEMENTE PERDAS AUDITIVAS

Leia mais

Relatório de Avaliação de Fornecedores

Relatório de Avaliação de Fornecedores Relatório de Avaliação de Fornecedores 1. Dados da organização Razão Social: Techfive Comércio e Gestão de Equipamentos de Telec LTDA CNPJ nº 09203925/0001 04 Endereço Rua Wilton Reis Costa, 165 - Condomínio

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado 1 de 5 1 OBJETIVOS Identificar características mínimas para o desempenho de cada função; bem como descrever competências a serem desenvolvidas através de treinamento para o desempenho das atividades de

Leia mais

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado.

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado. Com o objetivo de manter sua empresa informada a respeito das obrigatoriedades legais previstas na atual redação das Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho, Portaria MTE. 3214/78,

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Juliana A. Nepomuceno Eng. de Seg. do Trabalho Cood. SESMT/SES SESMT O que é? Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho EQUIPES

Leia mais

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rua Doutor Faivre, 888 - Fone: (41) 3264-4211 Fax: (41) 3264-4292 01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA NOME: CNPJ: ENDEREÇO: MUNICÍPIO: CEP: FONE / FAX: PROPRIETÁRIO: ENCARREGADO: 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO TERCEIRIZADAS NA SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO... 02 3. CONCEITOS... 02 4. NORMAS APLICÁVEIS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIAS... 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS... 03 6. PROCEDIMENTOS... 03 7. CONTROLE DE REGISTROS...

Leia mais

INSPEÇÃO PREDIAL Eng Flávia Zoéga Andreatta Pujadas out/2008

INSPEÇÃO PREDIAL Eng Flávia Zoéga Andreatta Pujadas out/2008 INSPEÇÃO PREDIAL Eng Flávia Zoéga Andreatta Pujadas out/2008 INSPEÇÃ ÇÃO O PREDIAL Norma de Inspeção Predial 2007 IBAPE/SP É a avaliação isolada ou combinada das condições técnicas técnicas, de uso e de

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO AMBIENTE DE TRABALHO

BOAS PRÁTICAS NO AMBIENTE DE TRABALHO BOAS PRÁTICAS NO AMBIENTE DE TRABALHO UNESP-2014 DANIELLE VARGAS Boas práticas no ambiente de trabalho Identificação e desobstrução de equipamentos e Materiais Fonte: Danielle Vargas Fonte: Danielle Vargas

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

LP EMPREENDIMENTOS CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO LTDA

LP EMPREENDIMENTOS CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO LTDA PROGRAMA DE GESTÃO DE SMS Procedimento Operacional Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados à Gerência de Operações, indicando o item a ser revisado, a proposta e a

Leia mais

SMS NAS ATIVIDADES DE CAMPO DA ESTEIO PANORAMA

SMS NAS ATIVIDADES DE CAMPO DA ESTEIO PANORAMA SMS NAS ATIVIDADES DE CAMPO DA ESTEIO PANORAMA INTRODUÇÃO SMS, para os menos habituados à sigla ou ao conceito, Segurança, Meio-ambiente e Saúde, ou o conjunto de procedimentos aplicados à produção que

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

Impresso em 27/08/2015 12:17:14 (Sem título)

Impresso em 27/08/2015 12:17:14 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Leonardo Camargo/BRA/VERITAS em 07/08/2013 Verificado por Sidney Santos em 09/12/2013 Aprovado por Sergio Suzuki/BRA/VERITAS em 09/12/2013 ÁREA LNS Tipo Instrução Administrativa

Leia mais

FRIGORÍFICAS FICAS NORMA NBR - 16069 SEGURANÇA A EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO

FRIGORÍFICAS FICAS NORMA NBR - 16069 SEGURANÇA A EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO SEGURANÇA A EM INSTALAÇÕES FRIGORÍFICAS FICAS NORMA NBR - 16069 SEGURANÇA A EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO ÃO 28/5/2009 Palestrante: eng Mauricio 1 Os textos da Norma foram baseados na Ashrae Standard 15

Leia mais

INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS

INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS Para efeito de seleção das categorias que possuem divisão de 1 o, 2 o,3 o, vigoram os seguintes paramentos abaixo listados: 1 o categoria Contrato social acima de R$ 30.000,00

Leia mais

Guia de Mobilização - Vale

Guia de Mobilização - Vale Guia de Mobilização - Vale 2ª Edição Nov/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3. MACRO FLUXO DO PROCESSO DE MOBILIZAÇÃO... 3 3.1. CERTIFICAÇÃO... 3 3.2. CONTRATAÇÃO... 4 3.3. MOBILIZAÇÃO...

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO IV REFERENTE AO EDITAL DE PREGÃO Nº 022/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE Nº 001/2013 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a Contratação de empresa

Leia mais

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado AUDITORIAS INTERNAS

PROCEDIMENTO PADRÃO. Status: Aprovado AUDITORIAS INTERNAS 1 de 8 1 OBJETIVOS Definir uma metodologia para planejamento e realização das Auditorias Internas que visam medir grau de implementação e operacionalidade do Sistema de Gestão da Qualidade SGQ, e se o

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP LEGISLAÇÃO A Portaria n 3214, de 08/06/1978, aprovou as normas regulamentadoras NR do capítulo V, Título II, da CLT, relativas a segurança e medicina do trabalho. Atualmente

Leia mais

1. FORNECIMENTOS. Requisitos para Fornecedores e Prestadores de Serviços. RG-GE-101 Revisão 12

1. FORNECIMENTOS. Requisitos para Fornecedores e Prestadores de Serviços. RG-GE-101 Revisão 12 1. FORNECIMENTOS Fornecimentos 1.1 - Ácido Clorídrico Comercial Licença da Polícia Federal 1.2 - Hidróxido de Sódio Licença da Polícia Federal 1.3 Produtos químicos em geral 1.4 - Gases Industriais 1.5

Leia mais

PROCEDIMENTO MEIO AMBIENTE IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS DO SGA

PROCEDIMENTO MEIO AMBIENTE IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS DO SGA 1. ESCOPO Identificar e classificar os aspectos ambientais das atividades, produtos e serviços da XXXX, visando estabelecer quais causam ou poderão causar impactos ambientais significativos. 2. DEFINIÇÕES

Leia mais

2. DEFINIÇÃO E CONCEITO

2. DEFINIÇÃO E CONCEITO 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para controlar todos os equipamentos e instrumentos do Laboratório do Grupo Santa Helena garantindo suas inspeções, manutenções e calibrações de forma a mantê-los

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

RUA: BENTO GERALDO DE CAMARGO, 741 WERNER PLASS AMERICANA-SP

RUA: BENTO GERALDO DE CAMARGO, 741 WERNER PLASS AMERICANA-SP CLIENTES TRA CLIENTES JÁ ATENDIDOS MBIGUCCI ORTOBOM STELA SELAMIL PREDIAL IN-HAUS FUSAM COSAN GRUPO FEREZIN SOGEFI GROUP A TRA ATUA EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL O QUE FAZEMOS AUTOMAÇÃO ADEQUAÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados.

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados. A MBS SERVIÇOS possui o conhecimento necessário e indispensável para oferecer qualidade e agilidade nas realizações dos serviços prestados. Possuímos sede própria com toda infraestrutura necessária para

Leia mais

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Sumário Abreviaturas...3 Resumo...4 Introdução...5 Cronograma dos processos...5 Análise crítica...8 Proposta de melhoria...9 Anexos...10 1 Abreviaturas

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE SSMA PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE SSMA PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 2.a SEP PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE SSMA PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Cortesia: Antônio Henriques & Isegnet Projeto de Inserção: 3RFollowGoGreener Aplicação: MPEM Rede Petro/SEBRAE Contato: www.isegnet.com.br

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Normas Regulamentadoras (NR) As Normas Regulamentadoras (NR s), criadas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE), tem como objetivo estabelecer

Leia mais

1 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Química Laboratório de Eletroquímica de Superfícies e Corrosão

1 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Química Laboratório de Eletroquímica de Superfícies e Corrosão 1 Universidade Federal do Paraná 1. OBJETIVO PQ-001 Pág. 1 de 8 Estabelecer diretrizes para elaboração e controle de documentos e dados do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) do Laboratório de Eletroquímica

Leia mais

TERRAPLENAGEM KOHLER LTDA. Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville

TERRAPLENAGEM KOHLER LTDA. Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville Guabiruba/SC, Junho de 2010 Índice Índice página 02 Layout do canteiro página

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Regional do Trabalho da 04ª Região - Porto Alegre

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Regional do Trabalho da 04ª Região - Porto Alegre MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Regional do Trabalho da 04ª Região - Porto Alegre Procedimento: 000766.2008.04.000/0 INQUIRIDO: MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE - HOSPITAL

Leia mais