ANEXO III CHECK LIST NOME DA UNIDADE/CNES: MUNICÍPIO TELEFONE: RESPONSÁVEL TÉCNICO PELA UNIDADE:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO III CHECK LIST NOME DA UNIDADE/CNES: MUNICÍPIO TELEFONE: RESPONSÁVEL TÉCNICO PELA UNIDADE:"

Transcrição

1 ANEXO III CHECK LIST DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DATA DA AVALIAÇÃO: / / NOME DA UNIDADE/CNES: MUNICÍPIO TELEFONE: RESPONSÁVEL TÉCNICO PELA UNIDADE: RESPONSÁVEL TÉCNICO PELA AVALIAÇÃO: POSSUI ALVARÁ DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA? SIM ( ) NÃO ( ) VALIDADE: / DADOS GERAIS N LEITOS TOTAL DO HOSPITAL: N MÉDICOS POR PLANTÃO: N ENFERMEIROS POR PLANTÃO: N TÉCNICOS DE ENFERMAGEM POR PLANTÃO: PERFIL ASSISTENCIAL REALIZA ATENDIMENTO ÀS URGÊNCIAS NAS 24 HORAS? CLÍNICAS ( ) PEDIÁTRICAS ( ) OBSTÉTRICAS ( ) PEQUENOS TRAUMAS ( ) PSIQUIÁTRICAS ( ) EM CASO POSITIVO: ( ) TOTALMENTE ( ) PARCIALMENTE ( ) REALIZA INTERNAÇÕES EM? CLÍNICA MÉDICA( ) PEDIATRIA ( ) OBSTETRÍCIA /PARTO NORMAL ( ) POSSUI SADT: ( ) RAIOS X ( ) ECG ( ) PATOLOGIA CLÍNICA BÁSICA ( ) ULTRASSOM ( ) Outros ATENDE POPULAÇÃO DE MUNICÍPIOS VIZINHOS? REALIZA CONSULTAS ESPECIALIZADAS E CIRURGIA AMBULATORIAL? AVALIAÇÃO QUALITATIVA ADOTA PROTOCOLOS DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO? ADOTA PROTOCOLOS CLÍNICOS-ASSISTENCIAIS?

2 POSSUI CCIH COM PROTOCOLOS INSTÍTUIDOS? POSSUI COMISSÃO DE ANÁLISE DE ÓBITOS POSSUI COMISSÃO DE REVISÃO DE PRONTUÁRIOS? DISPONIBILIZA FORMULÁRIO DE PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE E CAIXA COLETORA? INSTITUIÇÃO DE HORÁRIO DE VISITA DIÁRIA AO PACIENTE? ( ) TEMPO DIÁRIO PARTOS REALIZADOS PELO ENFERMEIRO OBSTETRA (USO DO PARTOGRAMA, PREENCHIMENTO PRONTUÁRIO DA PARTURIENTE)? DISPÕE DE FLUXOS DE REFERÊNCIA E CONTRAREFERÊNCIA ESTABELECIDOS? CER ( ) CRMR ( ) CRU SAMU ( ) DISPONIBILIZA OS LEITOS PARA CENTRAL DE REGULAÇÃO? POSSUI EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NAS 24 HORAS DO DIA E EM TODOS OS DIAS DA SEMANA? CATEGORIAS PROFISSIONAIS: POSSUI PRONTUÁRIO ÚNICO COMPARTILHADO POR TODA EQUIPE? DESENVOLVE AÇÕES DE EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA EQUIPE? MODALIDADE DE ATIVIDADE EDUCATIVA: ESTRUTURA FÍSICA E EQUIPAMENTOS ESTRUTURA FÍSICA ARÉA EXTERNA IDENTIFICAÇÃO DE SERVIÇOS PRESTADOS PELO SUS? ASPECTO FÍSICO GERAL (FACHADA, PISO, TETO, PAREDES, ETC;) INFILTRAÇÃO/MOFO: POSSUI ESTACIONAMENTO? POSSUI ACESSO PARA AMBULÂNCIA? RECEPÇÃO ÚNICA RECEPÇÃO INDIVIDUALIZADA (POR SETOR)

3 QUANTIDADE: RECEPÇÃO HUMANIZADA RECEPÇÃO INFORMATIZADA CADEIRAS CONFORTÁVEIS PLACA INFORMATIVA DE ATENDIMENTO SUS PLACA INDICATIVA DOS SERVIÇOS PLACA INDICATIVA DE HORÁRIO DE VISITAS HORÁRIO DE VISITAS DE 4H ESTRUTURA HORIZONTAL ESTRUTURA VERTICAL ELEVADORES ACESSO POR ESCADAS ACESSO POR RAMPAS PISO ANTIDERRAPANTE E ADEQUADO TETO ADEQUADO PAREDES PINTADAS PAREDES REVESTIDAS PRESENÇA DE FUNGOS E RACHADURAS EM PAREDES E TETOS FIAÇÃO ELÉTRICA EMBUTIDA SINALIZAÇÃO NOS SETORES MACAS PARA TRANSPORTE DOS PACIENTES QUANTIDADE: CADEIRAS DE RODAS UTILIZAM LENÇOL DE PAPEL OU TECIDO NA MACA ( ) SIM ( )NÃO ESPECIFICAR: EXTINTORES NA UNIDADE QUANTOS EXTINTORES EXISTEM? DENTRO VALIDADE? BANHEIROS INDIVIDUALIZADOS POR SEXO? FUNCIONÁRIOS DA HIGIENIZAÇÃO USAM FARDAMENTO? FUNCIONÁRIOS DA HIGIENIZAÇÃO USAM SAPATOS FECHADOS E EMBORRACHADOS? FUNCIONÁRIOS DA HIGIENIZAÇÃO USAM EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI? AS SOLUÇÕES PARA LIMPEZA UTILIZADAS NA UNIDADE POSSUEM REGISTRO NA ANVISA?

4 EMERGÊNCIA ASPECTO FÍSICO DA EMERGÊNCIA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PORTAS, JANELAS, PINTURA, PISO, PIA, ETC;) OBSERVAÇÕES: HIGIENIZAÇÃO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) OBSERVAÇÕES: ASPECTO DAS ACOMODAÇÕES (CAMA, POLTRONA, ROUPARIA, ETC;) OBSERVAÇÕES: RECEPÇÃO FAVORECE ACESSO DO USUÁRIO? POSSUI MAQUEIRO (MACA / CADEIRA DE RODAS)? POSSUI SALA DE TRIAGEM? Nº CONSULTÓRIOS MÉDICO: ESPECIALIDADES OFERTADAS: POSTO DE ENFERMAGEM / SALA DE MEDICAÇÃO: POSSUI PIA PARA LAVAGEM DAS MAÕS? MEDICAMENTO ACONDICIONADO EM LOCAL ADEQUADO? ( )SIM ( )NÃO POSSUI CARRO DE EMERGÊNCIA? POSSUI DESFIBRILADOR VENTILADOR PULMONAR MONITOR CARDÍACO ASPIRADOR PORTÁTIL LARINGOSCÓPIO AMBU ADULTO E PEDIÁTRICO OXIGÊNIO CENTRAL ( ) CILINDRO ( ) N LEITOS DE OBSERVAÇÃO: Nº LEITOS OCUPADOS

5 POSIÇÃO DOS LEITOS FACILITA VISUALIZAÇÃO PELA EQUIPE? ( ) SIM ( ) NÃO BANHEIRO PARA PACIENTES EM CONDIÇÕES SATISFATÓRIAS? ( ) SIM ( ) NÃO OBS: SALA DE REGISTRO E RECEPÇÃO PARA ACOLHIMENTO DA PARTURIENTE E SEU ACOMPANHANTE SALA DE EXAMES E ADMISSÃO DE PARTURIENTES SANITÁRIO ANEXO À SALA DE EXAMES QUARTO PPP BANHEIRO ACOPLADO AO QUARTO PPP ÁREA PARA DEAMBULAÇÃO (INTERNA E OU EXTERNA) POSTO DE ENFEMARMAGEM SERVIÇO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NAS 24HS MÉDICO PLANTONISTA ASSISTE SOMENTE A U/E? EXISTEM LEITOS DE OBSERVAÇÃO DESTINADOS A U/E? A UNIDADE POSSUI CONSULTÓRIO MÉDICO DESTINADO PARA U/E? A UNIDADE POSSUI SALA DE REANIMAÇÃO / ESTABILIZAÇÃO DE PACIENTES? EXISTE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NA U/E? EXISTE CAIXA DE PERFURO-CORTANTE? EXISTEM EQUIPAMENTOS DESTINADOS À U/E? OXÍMETRO DESFIBRILADOR ASPIRADOR GÁS CANALIZADO TORPEDO DE OXIGÊNIO LARINGOSCÓPIO / LÂMINAS MONITOR CARDÍACO REANIMADOR PULMONAR/AMBÚ EXISTEM MEDICAÇÕES DESTINADAS À U / E?

6 SERVIÇOS AUXILIARES DE DIAGNÓSTICO, TERAPIA E PATOLOGIA CLÍNICA HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: ÁREA DE RECUPERAÇÃO E REGISTRO COM SANITÁRIO PARA O PÚBLICO POSSUI BIOQUÍMICO (TODOS OS DIAS) SALA /BOX INDIVIDUALIZADO PARA COLETA DE MATERIAL ( ) SIM ( ) NÃO SALA DE LAVAGEM/PREPARO SALA DE ESTERILIZAÇÃO SALA COM DESCARTE APROPRIADO LABORATÓRIOS: BIOQUÍMICA ( ) BACTERIOLOGIA ( ) HEMATOLOGIA ( ) PARASITOLOGIA ( ) IMUNOLOGIA ( ) UROANÁLISE ( ) EQUIPAMENTOS AUTOMATIZADOS EXAUSTOR SIM ( ) NÃO ( ) EQUIPAMENTOS AUTOMATIZADOS ESTUFA CAIXA PÉRFURO-CORTANTE LABORATÓRIO DA EMERGÊNCIA 24H/DIA ATENDE ÀS NORMAS DE BIOSSEGURANÇA LAUDOS INFORMATIZADOS CONTRATO DE MANUTENÇÃO AMBULATÓRIO NÚMERO DE CONSULTÓRIOS: ESPECIALIDADES OFERTADAS: CONSULTÓRIOS EQUIPADOS SATISFATORIAMENTE (MESA, MACA, APARELHOS DE USO MÉDICO TENSIÔMETRO, ESPÁTULA, ETC)? ASPECTO FÍSICO DOS CONSULTÓRIOS (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PORTAS, JANELAS, PISO, PIA ETC;) POSSUI SALA DE ESPERA HUMANIZADA? POSSUI SALA DE PROCEDIMENTO EQUIPADA SATISFATORIAMENTE?(REALIZAÇÃO DE CURATIVOS, ETC;) OBS:

7 ENFERMARIAS CLÍNICA MÉDICA Nº DE LEITOS: Nº LEITOS OCUPADOS ASPECTO FÍSICO DA ENFERMARIA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) HIGIENIZAÇÃO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) ASPECTO DAS ACOMODAÇÕES (CAMA, MESA DE CABECEIRA, ROUPARIA, ETC;) BANHEIRO PARA PACIENTES EM CONDIÇÕES SATISFATÓRIAS? POSSUI PONTO DE GASES MEDICINAIS? (OXIGÊNIO, AR COMPRIMIDO;) POSSUI CARRO DE URGÊNCIA? PEDIATRIA Nº DE LEITOS: Nº LEITOS OCUPADOS ASPECTO FÍSICO DA ENFERMARIA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) HIGIENIZAÇÃO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) ASPECTO DAS ACOMODAÇÕES (CAMA, MESA DE CABECEIRA, ROUPARIA, ETC;) BANHEIRO PARA PACIENTES EM CONDIÇÕES SATISFATÓRIAS?

8 POSSUI CARRO DE URGÊNCIA? POSSUI PONTO DE GASES MEDICINAIS? (OXIGÊNIO, AR COMPRIMIDO;) POSSUI ASSENTO PARA ACOMPANHANTE? POSTO DE ENFERMAGEM QUANTIDADE: EXISTE ENFERMEIRO 24 H NOS SETE DIAS DA SEMANA? CENSO DIÁRIO DISTRIBUIÇÃO DE SERVIÇO DIÁRIA PRESENÇA DE PIA COM PAPEL TOALHA E SABÃO LOCAL DESTINADO PARA GUARDA DE ROUPAS EXISTE CARRO DE URGÊNCIA NO POSTO DE ENFERMAGEM NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS SUFICIENTE/LEITO FUNCIONÁRIOS UTILIZAM FARDAMENTO ESPECÍFICO? FUNCIONÁRIOS UTILIZAM CRACHÁ DE IDENTIFICAÇÃO? ALMOTOLIAS IDENTIFICADAS E TAMPADAS OS REGISTROS NOS PRONTUÁRIOS SÃO COMPLETOS, COM LETRAS LEGÍVEIS, ASSINADOS, CARIMBADOS E COM OS NÚMEROS DOS RESPECTIVOS CONSELHOS? OBSTETRÍCIA /PPP Nº DE LEITOS: Nº LEITOS OCUPADOS ASPECTO FÍSICO DA ENFERMARIA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) HIGIENIZAÇÃO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) ASPECTO DAS ACOMODAÇÕES (CAMA, MESA DE CABECEIRA, ROUPARIA, ETC;) BANHEIRO PARA PACIENTES EM CONDIÇÕES SATISFATÓRIAS? POSSUI CARRO DE URGÊNCIA?

9 POSSUI PONTO DE GASES MEDICINAIS? (OXIGÊNIO, AR COMPRIMIDO;) POSSUI ASSENTO PARA ACOMPANHANTE? BANHEIROS DENTRO DA ENFERMARIA BANHEIROS POSSUEM BARRA DE PROTEÇÃO VASO SANITÁRIO EM BOAS CONDIÇÕES DE USO TELA NAS JANELAS ILUMINAÇÃO ADEQUADA E SATISFATÓRIA VENTILAÇÃO NATURAL SATISFATÓRIA CONDIÇÕES DE HIGIENE, CONSERVAÇÃO SATISFATÓRIA SINALIZAÇÃO DE CHAMADA POR LEITO FUNCIONANDO SISTEMA DE GASES CANALIZADOS FUNCIONANDO POR LEITO POLTRONA PARA ACOMPANHANTE PARA PACIENTE IDOSO HORÁRIO DE VISITA DE 04 HORAS IDENTIFICAÇÃO DOS LEITOS POR NÚMEROS E NOME BALDES COM PEDAL POSSUI BIOMBOS POSSUI CAIXA DE PERFURO CORTANTES COM BOA UTILIZAÇÃO, COM ALTURA ADEQUADA E COM SUPORTE? POSSUI UTENSÍLIOS COMO: APARADEIRAS, ESCADINHAS, SUPORTES, PAPAGAIOS EM NÚMERO SUFICIENTES AO QUANTITATIVO DE LEITOS? QUARTO DE ISOLAMENTO EQUIPAMENTOS RECOMENDADOS (COM BASE DA REDE CEGONHA) ESTETOSCÓPIO CLÍNICO ESFIGMOMANÔMETRO FITA MÉTRICA ESTETOSCÓPIO SONAR/PINAR AMINIOSCÓPIO (OPCIONAL) MESA AUXILIAR

10 FOCO DE LUZ MÓVEL INSTRUMENTAL PARA EXAME GINECOLÓGICO (ESPÉCULO VAGINAL E PINÇA DE CHERON) BARRA FIXA OU ESCADA DE LING (OPCIONAL) BOLA DE BOBAT(OPCIONAL) BANHEIRA OU PISCINA PARA O TRABALHO DE PARTO INSTRUMENTAL PARA PARTO NORMA COM CLAMPEADOR DE CORDÃO BANQUETAS E OU CADEIRAS PARA O PARTO VERTICAL RELÓGIO DE PAREDE COM MARCADOR DE SEGUNDO, 01(UM) POR QUARTO PPP ( )SIM ( ) NÃO BALANÇA PARA RECÉM- NASCIDO OXÍMETRO DE PULSO BERÇO AQUECIDO BERÇO DE ACRÍLICO ASPIRADOR CIRÚRGICO DISPOSITIVO PARA ASPIRAÇÃO DE MECÔNIO NA TRAQUÉIA MATERIAL PARA VENTILAÇÃO:KIT COM BALÃO AUTO-IMFLÁVEL DE 500ML E DE 750ML,RESERVATÓRIO DE OXIGÊNIO ABERTO OU FECHADO, COM VÁLVULA DE SEGURANÇA COM ESCAPE ENTRE CM H20 E/ OU MANÔMETRO, MÁSCARA FACIAIS PARA RECÉM-NASCIDOS A TERMO ( )SIM ( ) NÃO MATERIAL PARA VENTILAÇÃO:KIT COM LARINGOSCÓPIO COM LÂMINAS RETAS TAMANHOS 0 E 1,CÂNULAS TRAQUEIAS DE DIÂMETRO UNIFORME SEM BALONETE, TAMANHOS 2,5-3,0-3,5-4,0 MM ( )SIM ( ) NÃO MATERIAL PARA CATETERISMO UMBILICAL INCUBADORA DE TRANSPORTE FONTE DE OXIGÊNIO ESCADA DE DOIS LANCES

11 ALOJAMENTO CONJUNTO Nº DE LEITOS: Nº LEITOS OCUPADOS ASPECTO FÍSICO DA ENFERMARIA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) HIGIENIZAÇÃO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) ASPECTO DAS ACOMODAÇÕES (CAMA, BERÇO, MESA DE CABECEIRA, ROUPARIA, ETC;) BERÇO DE ACRÍLICO BANHEIRO PARA PACIENTES EM CONDIÇÕES SATISFATÓRIAS? POSSUI CARRO DE URGÊNCIA? POSSUI PONTO DE GASES MEDICINAIS? (OXIGÊNIO, AR COMPRIMIDO;) POSSUI ASSENTO PARA ACOMPANHANTE? CME CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO ASPECTO FÍSICO DO SETOR (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) CONDIÇÕES DOS EQUIPAMENTOS (AUTOCLAVE, ETC;) LOCAL DE ARMAZENAMENTO DE MATERIAIS ESTÉREIS EM CONDIÇÕES SATISFATÓRIAS?(ARMÁRIOS, ETC;) POSSUI FLUXO DE ENTRADA E SAÍDA DE MATERIAIS LIMPOS X SUJOS POR VIAS

12 DISTINTAS? MATERIAIS QUÍMICOS UTILIZADOS PARA DESINFECÇÃO ACONDICIONADOS EM LOCAL APROPRIADO? MATERIAIS ESTÉREIS COM DATA DE VALIDADE DO PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO SINALIZADO ADEQUADAMENTE? USO DE FITA TESTE PARA VALIDAR O PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO? EXISTE CRUZAMENTO DE FLUXO OS MATERIAIS SÃO PROCESSADOS EM AUTOCLAVE GARANTE CONTROLE BACTERIOLÓGICO TIPO DE PROCESSAMENTO UTILIZADO (ESPECIFICAR) SALA DE IMAGEM POSSUI SALA ADEQUADA PARA EXECUÇÃO DE RAIO-X? (PAREDES E PORTAS BARITADAS, COM IDENTIFICAÇÃO DO SETOR EXTERNAMENTE, LÂMPADA DE SINALIZAÇÃO DE PROCEDIMENTO) POSSUI OUTROS EQUIPAMENTOS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM? QUAIS? POSSUI SERVIÇO DE TELEMEDICINA? APARELHO DE ECG ELETROCARDIOGRAMA MANIPULADO PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES POR QUAL PROFISSIONAL?

13 FÁRMACIA POSSUI ESPAÇO ESPECIFICO PARA ESTA FINALIDADE? ASPECTO FÍSICO DO SETOR (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) FUNCIONÁRIO RESPONSÁVEL PELA DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS PERTENCE A QUE CATEGORIA? LOCAL DE ACONDICIONAMENTO DOS MEDICAMENTOS POSSUI ASPECTO SATISFATÓRIO? REFEITÓRIO / COZINHA POSSUI ESPAÇO ESPECÍFICO PARA ALIMENTAÇÃO DA EQUIPE DE SAÚDE REFEITÓRIO? ASPECTO FÍSICO DA COZINHA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) ESPAÇOS DIFERENCIADOS PARA LIMPEZA DE ALIMENTOS E LAVAGEM DAS MÃOS ( )SIM ( )NÃO HIGIENIZAÇÃO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) CONDIÇÕES DOS EQUIPAMENTOS (GELADEIRA, FOGÃO, FREEZER, ARMÁRIOS, MESAS; ETC)

14 SERVIÇO DE NUTRIÇÃO PRÓPRIO ( ) TERCEIRIZADO ( ) SALA ADMNISTRATIVA ( ) SIM ( )NÃO COZINHA DE ACORDO COM AS NECESSIDADES ( ) SIM ( )NÃO ÁREA DE PREPARO DOS ALIMENTOS ADEQUADA ( ) SIM ( )NÃO ÁREA DE PREPARO DE PACIENTES ( ) SIM ( )NÃO ÁREA DE PREPARO DE FUNCIONÁRIOS ( ) SIM ( )NÃO TRANSPORTE EM UTENSÍLIOS TÉRMICOS ( ) SIM ( )NÃO REFEITÓRIO PARA FUNCIONÁRIOS ( ) SIM ( )NÃO SANITÁRIO COM VESTIÁRIO PARA FUNCIONÁRIOS ( ) SIM ( )NÃO DIETAS SÃO FORNECIDAS EM RECIPIENTES ADEQUADOS ( ) SIM ( )NÃO BOM ESTADO DE CONSERVAÇÃO ( ) SIM ( )NÃO VENTILAÇÃO E ILUMINAÇÃO NATURAIS SISTEMA DE EXAUSTÃO ADEQUADO ( ) SIM ( )NÃO TELA DE PROTEÇÃO LIMPEZA E MANUTENÇÃO ADEQUADAS DEPÓSITO DE LIXO ADEQUADO PESSOAL COM ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ATUALIZADO EXISTÊNCIA DE NUTRICIONISTA RESPONSÁVEL ESTOQUE COM QUANTIDADE ADEQUADA NÚMERO DE REFEIÇÕES FORNECIDAS AOS PACIENTES EXISTÊNCIA DE CARDÁPIOS VARIADOS FUNCIONÁRIOS UTILIZAM FARDAMENTOS ADEQUADOS ( ) SIM ( ) NÃO FUNCIONÁRIOS UTILIZAM EPI (GORRO, LUVA, MÁSCARA, ETC.) FUNCIONÁRIOS APRESENTAM BOM ASPECTO DE HIGIENE PESSOAL FUNCIONÁRIOS UTILIZAM ADORNOS

15 LAVANDERIA / DML - DEPÓSITO DE MATERIAL DE LIMPEZA / EXPURGO POSSUI ESPAÇO ESPECÍFICO PARA DML E LAVANDERIA? SERVIÇO DE HIGIENIZAÇÃO E LAVAGEM DE ROUPARIA PRÓPRIO DO HOSPITAL OU TERCEIRIZADO? CONDIÇÃO FÍSICA DO DML E LAVANDERIA (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) CONDIÇÕES DOS EQUIPAMENTOS (CALANDRA, LAVADORA, SECADORA, ETC;) MATERIAL DE LIMPEZA DO DML ACONDICIONADO EM LOCAL ADEQUADO? POSSUI EXPURGO ÚNICO OU POR SETOR? ASPECTO FÍSICO DO EXPURGO(VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) ASPECTO DE HIGIENIZAÇÃO DO EXPURGO (LIMPEZA, PRESENÇA DE LIXEIRA COM PEDAL, ETC;) FLUXO DE MATERIAL LIMPO X SUJO POR VIAS DISTINTAS PARA O EXPURGO? SAME - SERVIÇO DE ARQUIVO DE PRONTUÁRIO / ÁREA ADMINISTRATIVA POSSUI ESPAÇO ESPECÍFICO PARA SAME E SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS? ASPECTO FÍSICO DOS SETORES ADMINISTRATIVOS(VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) ( )SATISFATÓRIO ( ) INSATISFATÓRIO

16 CONFORTO / DESCANSO EQUIPE DE SAÚDE POSSUI ESPAÇO ESPECÍFICO PARA DESCANSO DA EQUIPE? ( ) SIM ( ) NÃO ASPECTO FÍSICO (VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO, PINTURA, PISO, PORTAS, JANELAS, PIA ETC;) ( )SATISFATÓRIO ( ) INSATISFATÓRIO

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia NOTA TÉCNICA POLÍTICA ESTADUAL DE HOSPITAIS DE PEQUENO PORTE (HPP)

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia NOTA TÉCNICA POLÍTICA ESTADUAL DE HOSPITAIS DE PEQUENO PORTE (HPP) GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia NOTA TÉCNICA POLÍTICA ESTADUAL DE HOSPITAIS DE PEQUENO PORTE (HPP) 18 de outubro de 2013 APRESENTAÇÃO Esta Nota Técnica tem como objetivo

Leia mais

INSPEÇÃO EM CLINICAS E CONSULTÓRIOS MÉDICOS I- DADOS CADASTRAIS

INSPEÇÃO EM CLINICAS E CONSULTÓRIOS MÉDICOS I- DADOS CADASTRAIS Prefeitura Municipal do Salvador Secretaria Municipal da Saúde Coordenadoria de Saúde Ambiental Subcoordenadoria de Vigilância Sanitária INSPEÇÃO EM CLINICAS E CONSULTÓRIOS MÉDICOS Razão Social: CGC/CNPJ/CPF:

Leia mais

ANEXO 3 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE CLÍNICAS DE IDOSOS E SIMILARES

ANEXO 3 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE CLÍNICAS DE IDOSOS E SIMILARES ANEXO 3 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE CLÍNICAS DE IDOSOS E SIMILARES PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE CLÍNICAS DE IDOSOS E SIMILARES Data da vistoria: / / A CADASTRO

Leia mais

Mobiliário, materiais e equipamentos mínimos para UPA. Pronto Atendimento

Mobiliário, materiais e equipamentos mínimos para UPA. Pronto Atendimento Área de recepção e espera para público / pacientes Mobiliário, materiais e equipamentos mínimos para UPA Pronto Atendimento PORTE I Quant. PORTE II Quant. PORTE III Quant. Bebedouro 1 1 2 Balcão de atendimento

Leia mais

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO;

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; Tipo do Serviço: ( ) Próprio ( )terceirizado Nome; Possui Licença sanitária? ( ) SIM ( ) NÃO N /ANO: Há um encarregado do setor

Leia mais

UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA MEMORIAL DESCRITIVO

UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA MEMORIAL DESCRITIVO UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA MEMORIAL DESCRITIVO Nome do estabelecimento: UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA Tipo do estabelecimento: UPA PORTE 02 Proprietária: Fundo Municipal de Saúde de Caicó/RN

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO TERMO DE VISTORIA Ao décimo nono dia do mês de janeiro do ano de dois mil e doze, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso (CRM/MT) esteve presente no Hospital e Pronto Socorro Municipal

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM HOTEIS E MOTEIS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM HOTEIS E MOTEIS SUPERINTEDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERENCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL E SAÚDE DO TRABALHADOR COORDERNAÇÃO DE FISCALIZAÇÃO DE AMBIENTES E SAÚDE DO TRABALHADOR Av. Anhanguera, nº 5.195 Setor Coimbra

Leia mais

ANEXO 2 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE HOSPITAIS

ANEXO 2 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE HOSPITAIS ANEXO 2 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE HOSPITAIS PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE HOSPITAIS Data da vistoria: / / A CADASTRO 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome

Leia mais

Anexo 9 Especificações Mínimas de Equipamentos

Anexo 9 Especificações Mínimas de Equipamentos Anexo 9 Especificações Mínimas de s i CONTEXTUALIZAÇÃO... 1 AGRUPAMENTO... 1 LISTA DE EQUIPAMENTOS... 1 1.1 3º SUBSOLO... 1 1.2 1º SUBSOLO... 1 1.3 TÉRREO... 3 1.4 1º PAVIMENTO... 9 1.5 2º PAVIMENTO...

Leia mais

ANEXO V ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DE INTERNAÇÃO E HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DIA

ANEXO V ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DE INTERNAÇÃO E HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DIA ANEXO V ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DE INTERNAÇÃO E HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DIA 1. IDENTIFIICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Razão Social: 1.2 Nome Fantasia: 1.3 Endereço: (Rua/Av.) Nº: Compl:

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM AMBULATÓRIO ESTABELECIMENTO: DATA DA INSPEÇÃO:

Leia mais

ANEXO I. Área física mínima para UPA

ANEXO I. Área física mínima para UPA ANEXO I ÁREA FÍSICA DA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA Para o planejamento e a definição da área física mínima e dos ambientes necessários na Unidade de Pronto Atendimento - UPA, foram levados em consideração

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM LAVANDERIA ESTABELECIMENTO: DATA DA INSPEÇÃO:

Leia mais

ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SANITÁRIA EM COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARA DEPENDENTES DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS

ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SANITÁRIA EM COMUNIDADES TERAPÊUTICAS PARA DEPENDENTES DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS ESPECIFICIDADES DO SERVIÇO Data de início das atividades: Cadastro em entidades associativas e/ou federativas Não Sim Especificar: Prestação de serviço Contrato Convênio Especificar: Outros financiamentos

Leia mais

Orientações para a construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde - UBS

Orientações para a construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde - UBS Orientações para a construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde - UBS Introdução A Secretaria de Estado da Saúde estabeleceu como ação estruturante para a implantação das redes de atenção no Paraná,

Leia mais

ANEXO 5 DO CONTRATO PLANO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIOS

ANEXO 5 DO CONTRATO PLANO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIOS ANEXO 5 DO CONTRATO PLANO DE EQUIPAMENTOS E MOBILIÁRIOS Centro de Diagnóstico Sul Centro de Diagnóstico Norte Centro de Diagnóstico Leste Centro de Diagnóstico Centro - Oeste SUMÁRIO CENTRO DE DIAGNÓSTICO

Leia mais

NORMAS PARA VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PACIENTES

NORMAS PARA VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PACIENTES NORMAS PARA VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PACIENTES C A ÇA D O R - S C DOCUMENTAÇÃO ALVARÁ SANITÁRIO 1. Requerimento DVS 2. CNPJ (jurídica) cópia atualizada 3. Documento do Veiculo 4. Taxa de Emissão de Alvará

Leia mais

ANEXO 5 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA. Unidade de diálise

ANEXO 5 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA. Unidade de diálise ANEXO 5 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA Unidade de diálise PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA

Leia mais

CHECK LIST MICROPROCESSO ESTERILIZAÇÃO DAS UNIDADES DA APS SEMSA/MANAUS

CHECK LIST MICROPROCESSO ESTERILIZAÇÃO DAS UNIDADES DA APS SEMSA/MANAUS CHECK LIST MICROPROCESSO ESTERILIZAÇÃO DAS UNIDADES DA APS SEMSA/MANAUS DISA: DATA: UNIDADE: RECURSOS HUMANOS ÍTEM AVALIAÇÃO FORMA DE VERIFICAÇÃO EM CONFORMI DADE NÃO CONFORMI DADE OBSERVAÇÃO 1) A unidade

Leia mais

Página 1. 1.31 Auxiliar de enfermagem da estratégia de Saúde da Família 0

Página 1. 1.31 Auxiliar de enfermagem da estratégia de Saúde da Família 0 1. FUNCIONÁRIOS EFETIVOS Cirurgião dentista clínico geral 0 1.1 Cirurgião dentista endodontista 6 1.2 Cirurgião dentista periodontista 16h 0 1.3 Cirurgião dentista periodontista 20h 3 1.4 Cirurgião dentista

Leia mais

NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA A QUEIMADOS

NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA A QUEIMADOS NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA A QUEIMADOS 1 - NORMAS GERAIS As presentes Normas Gerais são válidas para cadastramento de Centros de Referência em Assistência a Queimados

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde Unidade de Tecnologia da Organização de Serviços de Saúde

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde Unidade de Tecnologia da Organização de Serviços de Saúde I ESTRUTURA SIM NÃO NA Área física de acordo com a RDC n 50/02 Localização em área de circulação restrita AREA ADMINISTRATIVA Área exclusiva para a recepção de pacientes Barreira física entre circulação

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS I IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome: Endereço: AP: Nome Fantasia: Inscrição Municipal: Nº do Processo: CNPJ: Tipo de Serviço: ( ) Municipal ( ) Filantrópico ( ) Conveniado SUS RJ ( ) Privado ( ) Estadual

Leia mais

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO Responsável: Adriana dos Santos Leandro Endereço: Rua Fenelon Gomes, 112 Bairro: Ilha do Principe CEP:

Leia mais

Ambiente físico do Centro de Material Esterilizado

Ambiente físico do Centro de Material Esterilizado Ambiente físico do Centro de Material Esterilizado Gessilene de Sousa Sobecc, julho2011 Agenda Regulamentação Definição: Centro de Material Esterilizado - CME; Estrutura Física: Áreas de composição; Fluxograma

Leia mais

DIRETRIZES PARA IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA - SAE

DIRETRIZES PARA IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA - SAE DIRETRIZES PARA IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA - SAE 1. Conceito O Serviço de Assistência Especializada SAE é um serviço responsável pela assistência ambulatorial às pessoas vivendo

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 1.015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 1.015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 1.015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 Conceitua e estabelece condições para o funcionamento de estabelecimentos médicos veterinários de atendimento a pequenos

Leia mais

1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS

1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS UNIDADE DE SAÚDE - SANTO ANDRÉ Diretora: Juliana da Conceição Fagundes E-mail: dussandre@correio1.vitoria.es.gov.br Endereço: Rua da Coragem, 200 Telefone: (27) 3323-7222 / 3332-7825 Funcionamento: 7h

Leia mais

Título: Solicitação para Credenciamento de Pessoa Jurídica - Laboratório Clínico Tipo de Anexo: Formulário Número e Versão do Anexo: RQ-SCPJLC - V.

Título: Solicitação para Credenciamento de Pessoa Jurídica - Laboratório Clínico Tipo de Anexo: Formulário Número e Versão do Anexo: RQ-SCPJLC - V. Senhor Presidente, Eu,,CPF nº. RG. nº Profissão Solicito o credenciamento Laboratório Declaro para os devidos fins, que tenho conhecimento das normas, instruções e tabelas vigentes do de Assistência dos

Leia mais

Roteiro de Inspeção LACTÁRIO. Realiza Programa de Saúde do Trabalhador com controle periódico, admissional e demissional

Roteiro de Inspeção LACTÁRIO. Realiza Programa de Saúde do Trabalhador com controle periódico, admissional e demissional GOVERO DO ETADO DO RIO DE JAEIRO ECRETARIA DE ETADO DE AÚDE COORDEAÇÃO DE FICALIZAÇÃO AITÁRIA CARACTERIZAÇÃO Roteiro de Inspeção LACTÁRIO úmero de funcionários úmero de nutricionistas Responsável técnico:

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 0 Médico Pediatra 1 Médico de Estratégia PSF 3 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 2 Auxiliar de Saúde Bucal 2 Fonoaudiólogo

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO TERMO DE VISTORIA

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO TERMO DE VISTORIA TERMO DE VISTORIA Ao décimo dia do mês de janeiro do ano de 2012, foi realizada vistoria no CIAPS ADAUTO BOTELHO UNIDADE III, sito no Centro Politico Administrativo no Município de Cuiabá, pelo Vice-Presidente

Leia mais

PORTARIA SMSA-SUS/BH Nº 024 DE 24 DE MARÇO DE 1999 NORMATIZA O FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO MUNICÍPIO

PORTARIA SMSA-SUS/BH Nº 024 DE 24 DE MARÇO DE 1999 NORMATIZA O FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO MUNICÍPIO 1 PORTARIA SMSA-SUS/BH Nº 024 DE 24 DE MARÇO DE 1999 NORMATIZA O FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO MUNICÍPIO ÍNDICE DE CONTEÚDO ANEXO I - NORMA TÉCNICA ESPECIAL Nº 002/99 03

Leia mais

ANEXO I Descrição dos Cargos

ANEXO I Descrição dos Cargos ANEXO I Descrição dos Cargos DESCRIÇÃO: 1. - Auxiliar de Enfermagem: Prestar cuidados diretos de enfermagem ao paciente, por delegação e sob a supervisão do enfermeiro e do médico. Administrar medicação

Leia mais

I - COM BASE NO RELATÓRIO DO CRM

I - COM BASE NO RELATÓRIO DO CRM I - COM BASE NO RELATÓRIO DO CRM I.a) Obrigar o Município a providenciar que apenas médicos participem do ato cirúrgico, reservada as atribuições do corpo de enfermagem, por razões legais e para evitar

Leia mais

considerando os riscos inerentes aos procedimentos médico-cirúrgicos, a que fica exposto o paciente que se submete a tais tratamentos;

considerando os riscos inerentes aos procedimentos médico-cirúrgicos, a que fica exposto o paciente que se submete a tais tratamentos; Resolução SS- 002,de 06 de janeiro de 2006 Aprova Norma Técnica que disciplina as exigências para o funcionamento dos estabelecimentos que realizam procedimentos médico-cirúrgicos de curta permanência

Leia mais

ROTEIRO PARA SALÕES DE BELEZAS, INSTITUTO DE BELEZA, ESTETICA, BARBEARIAS E SIMILARES.

ROTEIRO PARA SALÕES DE BELEZAS, INSTITUTO DE BELEZA, ESTETICA, BARBEARIAS E SIMILARES. SUPERINTEDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERENCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL E SAÚDE DO TRABALHADOR COORDERNAÇÃO DE FISCALIZAÇÃO DE AMBIENTES E SAÚDE DO TRABALHADOR Av. Anhanguera, nº 5.195 Setor Coimbra

Leia mais

30/03/2010 a 30/03/2011

30/03/2010 a 30/03/2011 POP ACCR 01 Abertura da Ficha do Usuário ASSUNTO: Padronizar o procedimento para abertura da ficha do usuário. Nº 01 Resultados esperados: Cadastros atualizados dos Usuários Este POP aplica-se na recepção

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 1015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 1015, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 Conceitua e estabelece condições para o funcionamento de estabelecimentos médicoveterinários de atendimento a pequenos animais e dá outras providências. O CONSELHO

Leia mais

ANEXO II 1 NORMAS GERAIS DE CREDENCIAMENTO/ HABILITAÇÃO

ANEXO II 1 NORMAS GERAIS DE CREDENCIAMENTO/ HABILITAÇÃO ANEXO II NORMAS DE CLASSIFICAÇÃO E CREDENCIAMENTO/HABILITAÇÃO DE UNIDADES DE ASSISTÊNCIA EM ALTA COMPLEXIDADE NO TRATAMENTO REPARADOR DA LIPODISTROFIA E LIPOATROFIA FACIAL DO PORTADOR DE HIV/AIDS 1 NORMAS

Leia mais

Página 1 UNIDADE DE SAÚDE DR. GILSON SANTOS. Diretora: Maria Angélica Lemos Mello. E-mail: dusbpenha@correio1.vitoria.com.br. Fundação: 18/06/1993

Página 1 UNIDADE DE SAÚDE DR. GILSON SANTOS. Diretora: Maria Angélica Lemos Mello. E-mail: dusbpenha@correio1.vitoria.com.br. Fundação: 18/06/1993 UNIDADE DE SAÚDE DR. GILSON SANTOS Diretora: Maria Angélica Lemos Mello E-mail: dusbpenha@correio1.vitoria.com.br Fundação: 18/06/1993 Criação: Lei nº 3.938 Endereço: Rua Padre Luiz Koester, s/n, 29047-290

Leia mais

ANEXO 4 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA

ANEXO 4 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA ANEXO 4 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA Data da vistoria: / / A CADASTRO 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários.

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Nº PROCESSO REQUERIMENTO RAZÃO SOCIAL IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO NOME DE FANTASIA NÚMERO DO CNPJ NÚMERO ÚLTIMO

Leia mais

1 Documentação 1.1 S N NA

1 Documentação 1.1 S N NA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COORDEDORIA GERAL DE VIGILÂNCIA DA SAÚDE EQUIPE DE CONTROLE E VIGILÂNCIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE versão Maio/2011 ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA

Leia mais

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando:

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: PORTARIA Nº 3.432/MS/GM, DE 12 DE AGOSTO DE 1998 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: a importância na assistência das unidades que realizam tratamento intensivo

Leia mais

Telefone: Fax: E-mail:

Telefone: Fax: E-mail: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA DA SAÚDE EQUIPE DE CONTROLE E VIGILANCIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE versão 06/03/2007 ROTEIRO PARA LABORATÓRIO

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO CRECHES, BERÇÁRIOS E SIMILARES.

ROTEIRO DE INSPEÇÃO CRECHES, BERÇÁRIOS E SIMILARES. SUPERINTEDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERENCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL E SAÚDE DO TRABALHADOR COORDERNAÇÃO DE FISCALIZAÇÃO DE AMBIENTES E SAÚDE DO TRABALHADOR Av. Anhanguera, nº 5.195 Setor Coimbra

Leia mais

Tecnologia da Organização dos Serviços de Saúde. Instrumento Nacional de Inspeção em Serviços de Saúde - INAISS

Tecnologia da Organização dos Serviços de Saúde. Instrumento Nacional de Inspeção em Serviços de Saúde - INAISS Tecnologia da Organização dos Serviços de Saúde Instrumento Nacional de Inspeção em Serviços de Saúde - INAISS ANEXO Instrumento Nacional para Inspeção de Serviços de Saúde 1. HISTÓRICO A elaboração deste

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA.

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I DE ACORDO COM O ESTABELECIDO PELA PORTARIA Nº 3432 /GM/MS, DE 12 DE AGOSTO DE 1998, REFERENTE

Leia mais

LABORATÓRIO DE ANÁLISES E PATOLOGIA CLÍNICA ROTEIRO DE INSPEÇÃO RDC 302/05

LABORATÓRIO DE ANÁLISES E PATOLOGIA CLÍNICA ROTEIRO DE INSPEÇÃO RDC 302/05 LABORATÓRIO DE ANÁLISES E PATOLOGIA CLÍNICA ROTEIRO DE INSPEÇÃO RDC 302/05 Data da inspeção: Equipe: Pessoa contactada: I - DA ORGANIZAÇÃO - DADOS CADASTRAIS Identificação da Unidade: Nome do estabelecimento:

Leia mais

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Título do Procedimento: Limpeza concorrente e terminal da CME

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Título do Procedimento: Limpeza concorrente e terminal da CME Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Freqüência em que é realizado: Diário/semanal/quinzenal/mensal Profissional que realiza: Auxiliar ou Técnico de Enfermagem e servidor da empresa terceirizada de

Leia mais

CLÍNICA ODONTOLÓGICA. MODELO DE CHECK LIST PARA DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DO PGRSS Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde.

CLÍNICA ODONTOLÓGICA. MODELO DE CHECK LIST PARA DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DO PGRSS Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. CLÍNICA ODONTOLÓGICA MODELO DE CHECK LIST PARA DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DO PGRSS Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. Este é um modelo básico de check list para nortear na elaboração

Leia mais

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO N.º 23915, DE 13 DE JANEIRO DE 2004 DISPÕE SOBRE O LICENCIAMENTO SANITÁRIO A QUE ESTÃO SUJEITOS OS SALÕES DE CABELEIREIROS, OS INSTITUTOS DE BELEZA, ESTÉTICA, PODOLOGIA E ESTABELECIMENTOS CONGÊNERES;

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO SERVIÇOS DE TERAPIA ANTINEOPLÁSICA STA

ROTEIRO DE INSPEÇÃO SERVIÇOS DE TERAPIA ANTINEOPLÁSICA STA DATA : / / ROTEIRO DE INSPEÇÃO SERVIÇOS DE TERAPIA ANTINEOPLÁSICA STA IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO: RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA: IDENTIFICAÇÃO CADASTRAL (C.N.P.J.): ENDEREÇO: N.º CEP: TELEFONE: FAX:

Leia mais

Resolução Estadual nº 08, de 11 de março de 1987

Resolução Estadual nº 08, de 11 de março de 1987 Resolução Estadual nº 08, de 11 de março de 1987 O Secretário de Estado da Saúde e do Bem-Estar Social, no uso de suas atribuições conferidas pelos artigos 45, letras A e P da Lei Estadual nº 6636/74,

Leia mais

Manual de Orientação ao Cliente

Manual de Orientação ao Cliente Manual de Orientação ao Cliente Prezado Cliente O Hospital IGESP reúne em um moderno complexo hospitalar, os mais avançados recursos tecnológicos e a excelência na qualidade do atendimento prestado por

Leia mais

ROTEIRO DE VISTORIA HANSENOLOGIA TIPO I

ROTEIRO DE VISTORIA HANSENOLOGIA TIPO I DATA DA FISCALIZAÇÃO HORARIO DE INÍCIO HORARIO DE TÉRMINO / / : : Equipe de Fiscalização Nome*: Cargo*: Nome do responsável pelas informações: Cargo: *O sistema permite o acréscimo de mais linhas. 1 Classificação

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

Secretaria de Gestão do STF-Med INSTRUÇÕES SOBRE TAXAS E DIÁRIAS DA TABELA PRÓPRIA PARA CONVÊNIOS E CREDENCIAMENTOS DO STF-MED

Secretaria de Gestão do STF-Med INSTRUÇÕES SOBRE TAXAS E DIÁRIAS DA TABELA PRÓPRIA PARA CONVÊNIOS E CREDENCIAMENTOS DO STF-MED Secretaria de Gestão do STF-Med INSTRUÇÕES SOBRE TAXAS E DIÁRIAS DA TABELA PRÓPRIA PARA CONVÊNIOS E CREDENCIAMENTOS DO STF-MED I. DO ATENDIMENTO O atendimento é o ato de acolhimento do paciente, seguido

Leia mais

FARMÁCIAS E DROGARIAS

FARMÁCIAS E DROGARIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE FARMÁCIAS E DROGARIAS Nome Fantasia: Razão Social: Endereço: Responsável Técnico: CRF: Telefone: CNPJ: Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana - Av. João Durval

Leia mais

Uma arte que deve andar lado a lado com a saúde. Secretaria de Saúde de Vila Velha Vigilância Sanitária

Uma arte que deve andar lado a lado com a saúde. Secretaria de Saúde de Vila Velha Vigilância Sanitária Uma arte que deve andar lado a lado com a saúde. Secretaria de Saúde de Vila Velha Vigilância Sanitária objetivo Este manual estabelece os critérios de higiene e de boas práticas operacionais para o controle

Leia mais

FUMSSAR - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTA ROSA DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

FUMSSAR - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTA ROSA DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA QUIMIOTERAPIA R E N O V A Ç Ã O PARA SOLICITAR A RENOVAÇÃO DO ALVARÁ SANITÁRIO: Juntar os seguintes documentos: 1. Requerimento com os dados do estabelecimento (razão social, endereço, CNPJ,) dirigido

Leia mais

PROVEDORES PRESIDENTES:

PROVEDORES PRESIDENTES: APRESENTAÇÃO 27.496,00 m2 é a sua área total 5.032,06 m2 de área construída Terreno doado em 1943 por Dr. Edgard de Azevedo Moss ( FUNDADOR ) Tendo iniciado sua construção com a cooperação das colônias:

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade PROTOCOLO: Limpeza concorrente e terminal do leito, cortinas, mobiliários e equipamentos hospitalares

Sistema de Gestão da Qualidade PROTOCOLO: Limpeza concorrente e terminal do leito, cortinas, mobiliários e equipamentos hospitalares Página: 1/9 INTRODUÇÃO: A limpeza e a desinfecção de superfícies são elementos que propiciam segurança e conforto aos pacientes, profissionais e familiares nos serviços de saúde. Colabora também para o

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS

ANEXO II AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS EQUIPE DE DESINSTITCUIONALIZAÇÃO - MODALIDADE: VALOR DO PROJETO: 1. DADOS

Leia mais

ROTEIRO PARA ESTABELECIMENTOS DE ENDOSCOPIA GÁSTRICA

ROTEIRO PARA ESTABELECIMENTOS DE ENDOSCOPIA GÁSTRICA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA DA SAÚDE EQUIPE DE VIGILANCIA DE SERVIÇOS E PRODUTOS DE INTERESSE À SAÚDE Módulo I - Informações Gerais

Leia mais

NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS. Nutricionista Entrevistado(a)

NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS. Nutricionista Entrevistado(a) CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA ITA NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS Nº DA VISITA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO PUBLICADO NO DOMP Nº 578 DE: 1º/08/2012 PÁG: 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS DECRETO Nº 293, DE 31 DE JULHO DE 2012 Dispõe sobre as normas sanitárias para o funcionamento das lavanderias em geral, de

Leia mais

RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE

RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AMBULATÓRIO DE ESPECIALIDADES MUNICÍPIO: DATA: / / IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE: Nome: CGC: Endereço: Bairro: Telefone: Responsável pela unidade (formação): TURNO

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA EM DST/AIDS

CENTRO DE REFERÊNCIA EM DST/AIDS DATA DA VISITA: 24/04/2015 Coordenador (a): Lauer Marinho Sandenberg E-mail: ddaids@vitoria.es.gov.br Endereço: Rua Cais do São Francisco, nº 54 Bairro: Centro Telefone: (27) 3132-5107 Horário de funcionamento:

Leia mais

Isaura Cristinah Soares Del Miranda

Isaura Cristinah Soares Del Miranda Isaura Cristinah Soares Del Miranda médica Diretora da Del Miranda Serviços Administrativos Eleonora Zioni arquiteta Diretora da Asclépio Consultoria www.asclepioconsultoria.com.br Florence Nightingale...embora

Leia mais

18.4. Áreas de vivência

18.4. Áreas de vivência 18.4. Áreas de vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; (118.015-0 / I4) b) vestiário; (118.016-9 / I4) c) alojamento; (118.017-7 / I4) d) local de refeições;

Leia mais

Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário COMISSÃO DE CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR

Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário COMISSÃO DE CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR PROGRAMA PREVENÇÃO E CONTROLE DE Sumário COMISSÃO DE CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR ORGANIZAÇÃO DA CCIH Estrutura Atividades FUNCIONAMENTO Coleta de Dados Análise dos Dados Divulgação dos Dados Recursos

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SERAFINA CORRÊA ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS E EMPREGOS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SERAFINA CORRÊA ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS E EMPREGOS ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS E EMPREGOS CARGO: ALMOXARIFE a) Descrição Sintética: Zelar pelo Patrimônio Público. b) Descrição Analítica: Controlar as mercadorias de uso da administração municipal;

Leia mais

Tatuagem e Colocação de Adornos

Tatuagem e Colocação de Adornos ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde Tatuagem e Colocação de Adornos Ana Carolina Kraemer Enfermeira - Especialista

Leia mais

COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR ROTINA DE CONTROLE DE VETORES NO AMBIENTE HOSPITALAR

COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR ROTINA DE CONTROLE DE VETORES NO AMBIENTE HOSPITALAR 1 COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR ROTINA DE CONTROLE DE VETORES NO AMBIENTE HOSPITALAR Flávia Valério de Lima Gomes Enfermeira da CCIH / SCIH Jair

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA O SERVIÇO DE LIMPEZA HOSPITALAR

ORIENTAÇÃO PARA O SERVIÇO DE LIMPEZA HOSPITALAR ORIENTAÇÃO PARA O SERVIÇO DE LIMPEZA HOSPITALAR I- Introdução: A higiene e a ordem são elementos que concorrem decisivamente para a sensação de bem-estar, segurança e conforto dos profissionais, pacientes

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.4 Áreas de Vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d)

Leia mais

ANEXO 7 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE LABORÁTORIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS E OUTRAS ESPECIALIDADES

ANEXO 7 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE LABORÁTORIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS E OUTRAS ESPECIALIDADES ANEXO 7 ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE LABORÁTORIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS E OUTRAS ESPECIALIDADES PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ROTEIRO DE INSPEÇÃO DE LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS

Leia mais

Procedimentos Operacionais NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR

Procedimentos Operacionais NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Versão: 1 Pg: 1/9 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Mônica Regina Viera Coordenadora 05/09/2009 DE ACORDO Ivo Fernandes Sobreiro Gerente da Qualidade 08/09/2009 APROVADO POR Dr. Renato de Lacerda

Leia mais

Planilha - Câmara Técnica de Nefrologia (Ministério da Saúde)

Planilha - Câmara Técnica de Nefrologia (Ministério da Saúde) Planilha - Câmara Técnica de Nefrologia (Ministério da Saúde). DESPESAS COM PESSOAL. Diretor Técnico. Diretor Médico. Nefrologista Plantonista. Nefrologista pediátrico. Enfermeiro chefe. Enfermeiro Assistencial.

Leia mais

Roteiro de Inspeção para Terapia de Nutrição Enteral

Roteiro de Inspeção para Terapia de Nutrição Enteral PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE EQUIPE DE VIGILÂNCIA DE SERVIÇOS E PRODUTOS DE INTERESSE À SAÚDE Roteiro de Inspeção para Terapia

Leia mais

DECRETO Nº. 9.229 DE 13 DE OUTUBRO DE 2010.

DECRETO Nº. 9.229 DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. DECRETO Nº. 9.229 DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. Aprova Norma Técnica Especial que regulamenta o funcionamento dos serviços de estética e embelezamento sem responsabilidade médica no Município do Natal. A PREFEITA

Leia mais

Assinale a alternativa correta: a) V,V,F.F b) V,F,V,F c) V,F,F,F d) V,V,F,V e) V,V,V,F

Assinale a alternativa correta: a) V,V,F.F b) V,F,V,F c) V,F,F,F d) V,V,F,V e) V,V,V,F AUXILIAR OPERACIONAL 1. A desinfecção é o processo de destruição de agentes infecciosos. Assinale a alternativa correta: a) pode ser feita através de meios físicos e químicos b) deve ser realizada com

Leia mais

Engenharia Civil José Roberto Hino Junior (2º período) Stéfani Ferreira dos Santos (6º período)

Engenharia Civil José Roberto Hino Junior (2º período) Stéfani Ferreira dos Santos (6º período) Engenharia Civil José Roberto Hino Junior (2º período) Stéfani Ferreira dos Santos (6º período) Estabelecimentos Assistenciais de Saúde; Qualquer edificação destinada a assistência a saúde; Hospitais:

Leia mais

IV SEMINÁRIO DE ARQUITETURA E ENGENHARIA HOSPITALAR CENTRO DE MEDICINA NUCLEAR

IV SEMINÁRIO DE ARQUITETURA E ENGENHARIA HOSPITALAR CENTRO DE MEDICINA NUCLEAR IV SEMINÁRIO DE ARQUITETURA E ENGENHARIA HOSPITALAR CENTRO DE MEDICINA NUCLEAR IV Seminário de Engenharia e Arquitetura Hospitalar 26 a 28 de março de 2008 HUPES, Salvador-BA Apresentado em 27 de março

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS PARECER Nº 10/2004 APROVADO EM: 15/12/04 I- ASSUNTO: Solicitação de autorização de funcionamento da Creche Casa da Amizade, situada na rua Tiradentes nº

Leia mais

RELATÓRIO DE VISTORIA 67/2016/PE

RELATÓRIO DE VISTORIA 67/2016/PE RELATÓRIO DE VISTORIA 67/2016/PE Razão Social: CAPS Infantil Padre Roma Nome Fantasia: CAPS Infantil Padre Roma Endereço: Rua Padre Roma, 04 Bairro: Padre Roma Cidade: Jaboatão dos Guararapes - PE Telefone(s):

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO CENTRO CIRÚRGICO E AMPLIAÇÃO

IMPLANTAÇÃO DO CENTRO CIRÚRGICO E AMPLIAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO: 1.1. Título do Projeto IMPLANTAÇÃO DO CENTRO CIRÚRGICO E AMPLIAÇÃO 1.2. Instituição Proponente Nome da instituição: Fundação SOBECCan- Pesq. Prev. Assist. Câncer Endereço: Rua Octávio

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM BANCO DE TECIDOS OCULARES BTOC INFORMAÇÕES GERAIS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM BANCO DE TECIDOS OCULARES BTOC INFORMAÇÕES GERAIS Instruções de preenchimento - Somente itens cumpridos integralmente pelo serviço devem ser considerados SIM ; - Nos casos em que o serviço realize apenas parte do disposto no item avaliado, este deve ser

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO QUE RECEBERAM MÉDICOS DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS 2014

FISCALIZAÇÃO DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO QUE RECEBERAM MÉDICOS DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS 2014 FISCALIZAÇÃO DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO QUE RECEBERAM MÉDICOS DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS 2014 RESULTADO DAS ENTREVISTAS COM MÉDICOS INTERCAMBISTAS Periodicidade de encontro entre

Leia mais

CENTRO CIRÚRGICO Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário

CENTRO CIRÚRGICO Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário CENTRO CIRÚRGICO Sumário ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO NORMAS E ROTINAS Regulamento Interno do Centro Cirúrgico PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DE ENFERMAGEM - POPs POP 01 - Admissão do paciente POP 02 - Alta

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Nome da Unidade de Atenção Básica: Tipo da Unidade: Número do CNES: Data da Visita: Emissor do Questionário: Número do Protocolo:

Nome da Unidade de Atenção Básica: Tipo da Unidade: Número do CNES: Data da Visita: Emissor do Questionário: Número do Protocolo: ASPECTO DO FORMULÁRIO: ACESSIBILIDADE NA UNIDADE DE SAÚDE 1) SOBRE ACESSIBILIDADE NAS DEPENDÊNCIAS DA UNIDADE: a) A unidade tem acessibilidade em todos os ambientes? (i) Onde não há? b) Todas as entradas

Leia mais

9º Congresso Brasileiro da SOBECC

9º Congresso Brasileiro da SOBECC 9º Congresso Brasileiro da SOBECC Nancy Val y Val Peres da Mota nancy.mota@hcnet.usp.br Julho/2009 COMPROMISSO COM A QUALIDADE HOSPITALAR 2 Missão do CQH Contribuir para a melhoria contínua da qualidade

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 6 ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS Nº DA VISITA

Leia mais

Empresa terceirizada, contratada para a produção e distribuição de refeições aos usuários da Universidade Federal do Amapá. Nº NOME TELEFONE E-MAIL

Empresa terceirizada, contratada para a produção e distribuição de refeições aos usuários da Universidade Federal do Amapá. Nº NOME TELEFONE E-MAIL PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP Nº 1.1.3.4 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E AÇÕES COMUNITÁRIAS DEPARTAMENTO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CHEFE

Leia mais