Ministério dos Petróleos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério dos Petróleos"

Transcrição

1 Ministério dos Petróleos Decreto executivo nº. 80/04 de 27 de Julho Havendo necessidade de estabelecer as condições a que devem obedecer os meios de transporte aéreo de produtos petrolíferos; Sendo necessário estabelecer as condições técnicas e de segurança; Nos termos do nº. 3 do artigo 114. da Lei Constitucional, determino: Artigo 1 É aprovado o regulamento que estabelece as condições técnicas e de segurança a que devem obedecer os meios de transporte aéreo de produtos petrolíferos, anexo ao presente decreto executivo e que dele faz parte integrante. Artigo 2 É revogada toda a legislação que contrarie o disposto no presente decreto executivo. Artigo 3 As dúvidas e omissões que se verificarem na interpretação e aplicação do presente diploma, serão resolvidas por despacho do Ministro dos Petróleos. Este decreto executivo entra em vigor na data da sua publicação. Publique-se, Luanda, aos 21 de Junho de 2004.

2 REGULAMENTO QUE ESTABELECE AS CONDIÇÕES TÉCNICAS E DE SEGURANÇA A QUE DEVEM OBEDECER OS MEIOS DE TRANSPORTE AÉREO DE PRODUTOS PETROLÍFEROS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece as condições técnicas e de segurança a que devem obedecer os meios de transporte aéreo de produtos petrolíferos. Artigo 2º (Definições) Para o presente diploma entende-se por: a) Avião de carga qualquer avião de transporte de produtos e bens, excepto passageiros; b) ICAO Organização Internacional de Aviação Civil. Artigo 3º (Classificação dos produtos) Os produtos a que este regulamento diz respeito classificam-se nas seguintes categorias: Categoria B Produtos inflamáveis: São todos os derivados do petróleo e similares cujo ponto de inflamação esteja compreendido entre 23 C e 55 C, como petróleos para iluminação ou outros, white-spirits. Categoria C Produtos combustíveis: São todos os derivados do petróleo similares cujo ponto de inflamação seja superior a 55 C, tais como óleos minerais lubrificantes, vaselinas, parafinas, asfaltes coque de petróleo.

3 Artigo 4º (Classificação dos meios de transporte) Para o transporte aéreo de produtos petrolíferos devem ser utilizados aeronaves de carga devidamente equipadas para o efeito. Artigo 5º (Construção de reservatórios) 1. Os reservatórios devem ser construídos em chapas metálicas de ligas ligeiras de alumínio ou equivalente, por forma a poderem suportar o trabalho a que são destinados e deverão ser absolutamente estanques, para o que serão obrigatoriamente ensaiados a uma pressão nunca inferior a 1/2 quilograma por centímetro quadrado. 2. Os reservatórios não devem nunca estar completamente cheios de produto, devendo existir um espaço vazio com, pelo menos, 2% da capacidade total do reservatório. 3. As portas de visita dos reservatórios das aeronaves abrangidas pelo presente artigo devem ser construídas de forma a não poderem produzir faíscas ao fecharem. 4. Os meios de transporte a serem utilizados têm que ser de acordo com o estabelecido no artigo 4. e com a Parte 3, tabela 3-1 do documento Doc 9284-AN/905 (Instruções Técnicas para o Transporte Seguro de Mercadorias Perigosas por Via Aérea) da ICAO, anexo ao presente regulamento. CAPÍTULO II Normalização Artigo 6º (Utilização dos meios e medidas de segurança) Devem ser respeitadas todas as recomendações práticas, constantes do Anexo XVIII (Segurança do Transporte de Produtos Perigosos por Via Aérea) e Documento Doc 9284-AN/905 (Instruções Técnicas para o Transporte Seguro de Mercadorias Perigosas por Via Aérea), ambos da Convenção Internacional de Aviação Civil da ICAO.

4 Artigo 7º (Pessoal envolvido na transportação aérea) O pessoal empregue nos serviços de transporte de produtos petrolíferos deve possuir os necessários conhecimentos sobre a sua actividade, devendo regularmente ser submetido a treinos especializados sobre transportação de substâncias perigosas sendo obrigatório por parte da companhia os registos das acções de formação do pessoal. Artigo 8º (Operações de carga e descarga) 1. As operações de carga ou descarga de produtos devem, sempre que tal seja possível, efectuar-se em circuito fechado, a fim de se evitar emanações de vapores inflamáveis ou perdas de líquido. 2. Antes de se dar início às operações de carga ou descarga (as quais serão sempre efectuadas o rapidamente possível) deverá efectuar-se paragem motor da aeronave, calçar o veículo, travão de mão e posicionar os extintores só devendo ser de novo posto em marcha depois da operação estar terminada e de se ter verificado que todas as aberturas e tubagens estão devidamente fechadas. 3. A pistola de enchimento dos reservatórios das aeronaves, sempre que estes forem cheios pela parte superior, deverá descer até cerca de l0cm do fundo, para evitar fenómenos electrostáticos, produzidos pela queda livre do líquido no reservatório. 4. Nenhuma operação de carga ou descarga poderá ser efectuada sem que a aeronave esteja efectivamente ligada ao cabo de estática e essa ligação far-se-á sempre antes de ser ligada à pistola de enchimento, devendo aquela ser desligada no fim de todas as operações. Para operações de enchimento efectuadas por baixo, cumpre-se o mesmo procedimento. 5. É expressamente proibido fumar ou de qualquer forma produzir ou utilizar qualquer chama ou fogo nu, durante as operações de carga ou descarga, nos locais onde se estiverem efectuando estas operações, bem como o uso, para qualquer fim, de ferramentas metálicas podendo provocar faíscas. 6. Durante as operações de enchimento haverá sempre um empregado junto à válvula de saída do produto, para que, em caso de alarme de incêndio, possa fechar imediatamente essa válvula e a da aeronave e desligar a mangueira. 7. Não é permitido conjuntamente o transporte de taras contendo outras substâncias inflamáveis, ou explosivas, garrafas de gases comprimidos ou liquefeitos.

5 Artigo 9º (Extintores) Em todas as aeronaves a que se refere o presente regulamento deve existir, pelo menos, dois extintores portáteis, em perfeito estado de funcionamento. Artigo 10º (Inspecções internas) Todos os meios de transporte abrangidos pelo presente regulamento devem ser internamente inspeccionados, pelo menos uma vez por dia, com base num check-list, de acordo com o tipo de aeronave. CAPITULO III Documentação de Transporte Artigo 11º (Informações indispensáveis) Qualquer aeronave de transporte de produtos abrangidos pelo presente regulamento deve fazer-se acompanhar no mínimo dos seguintes documentos: a) Designação do produto; b) Documentação da aeronave; c) Certificado de aprovação do produto; d) Relatório de ocorrências; e) A quantidade (em volume, em massa bruta ou ainda em massa líquida); f) O nome e endereço do destinatário; g) Uma declaração em conformidade com as disposições de qualquer acordo ou autorização de derrogação; h) As instruções a serem seguidas em caso de acidente; i) Ficha de segurança; j) Factura/transferência/venda a dinheiro e guia de entrega;

6 k) Alvará comercial; l) Apólice de seguros; m) Plano de contingência; n) Certificado de registo/autorização junto da Direcção Nacional da Aviação Civil Ministério dos Transportes; o) Licença para o exercício da actividade, emitida pelo Ministério dos Petróleos; p) Outros, que o Ministério dos Petróleos julgar serem necessários. Artigo 12. (Plano de contingência) 1. Todos os operadores que operam no espaço aéreo nacional devem obrigatoriamente apresentar um plano de contingência. 2. Quando se verificar um incidente envolvendo a perda de mercadorias perigosas a bordo, a companhia transportadora deverá imediatamente informar o ocorrido aos Ministérios dos Petróleos, dos Transportes e Urbanismo e Ambiente. CAPÍTULO IV Fiscalização, Infracções e Multas Artigo 13º (Fiscalização) Sem prejuízo da legislação em vigor em matéria de inspecção e fiscalização por parte de outras autoridades, os meios de transporte aéreos devem ser inspeccionados pelo Ministério dos Petróleos, na parte que lhe diz respeito pelo menos uma vez por ano, sendo a desactualização da inspecção condição para tornar a licença de exploração dos referidos meios passível de invalidade.

7 Artigo 14º (Infracções e multas) Constituem infracções ao abrigo do presente regulamento puníveis com multas, nos termos do artigo 31. do Decreto-Lei nº. 37/00, de 6 de Outubro; a) A inobservância das normas de construção de reservatórios estabelecidos no artigo 5. ; b) A transgressão das recomendações práticas, constantes do Anexo XVIII a que se refere o artigo 6. ; c) A inobservância das operações de carga e descarga previstas no artigo 8. ; d) A falta de extintores na aeronave em perfeito estado de funcionamento; e) O incumprimento da utilização do check-list; f) A falta de documentos exigidos de acordo com o artigo 11. ; g) O incumprimento do plano de contingência estabelecido no artigo 12.

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto executivo n.º 57/08 de 22 de Abril Havendo necessidade de se estabelecer as condições técnicas e de segurança a que devem obedecer os meios de transportação terrestre de

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 196/08 de 16 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições relativas as entidades exploradoras dos armazéns e das redes e ramais

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES. Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES. Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei n. 295/98, de 22 de Setembro, que transpôs para o direito interno a Directiva

Leia mais

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis LEGISLAÇÃO BÁSICA Especificações GPL Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis Portaria nº 348/96, de 8 de Agosto Estabelece as

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Decreto n.º4/01 De 19 de Janeiro Considerando que a investigação científica constitui um pressuposto importante para o aumento da produtividade do trabalho e consequentemente

Leia mais

d) Licença ambiental de operação documento

d) Licença ambiental de operação documento I SÉRIE N.º 84 DE 13 DE JULHO DE 2007 1283 Decreto n.º 59/07 de 13 de Julho Considerando que a Lei n.º 5/98, de 19 de Junho, Lei de Bases do Ambiente, estabelece a obrigatoriedade de licenciamento das

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS (Aprovado na 8ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 13 de Abril de 2005) REGULAMENTO MUNICIPAL DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS

Leia mais

Publicado no Diário da República n.º 22, I série, de 2 de Fevereiro. Decreto Presidencial n.º 28/11 de 2 de Fevereiro

Publicado no Diário da República n.º 22, I série, de 2 de Fevereiro. Decreto Presidencial n.º 28/11 de 2 de Fevereiro Publicado no Diário da República n.º 22, I série, de 2 de Fevereiro Decreto Presidencial n.º 28/11 de 2 de Fevereiro Considerando que o Executivo tem vindo a atribuir maior importância à renovação do sistema

Leia mais

Regulamento de Manutenção e Inspecção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes

Regulamento de Manutenção e Inspecção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes Regulamento de Manutenção e Inspecção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes Nota Justificativa Considerando que em prol dos princípios da descentralização administrativa e da

Leia mais

AVISO N.º 20/2012 de 12 de Abril

AVISO N.º 20/2012 de 12 de Abril AVISO N.º 20/2012 de 12 de Abril Considerando que incumbe ao Banco Nacional de Angola (BNA) definir a regulamentação aplicável às operações cambiais previstas na Lei nº 2/12, de 13 de Janeiro de 2012,

Leia mais

Regulamentação técnica de segurança aplicável ao transporte rodoviário de mercadorias perigosas (ADR)

Regulamentação técnica de segurança aplicável ao transporte rodoviário de mercadorias perigosas (ADR) WORKSHOP FIOVDE (24.10.2011) Regulamentação técnica de segurança aplicável ao transporte rodoviário de mercadorias perigosas (ADR) José Alberto Franco José Silva Carvalho Aspectos que vamos passar em revista

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 195/08 de 16 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições relativas as condições de segurança a que devem obedecer a construção,

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 188/08 de 9 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposição técnica relativa a instalação, a exploração e ensaio dos postos de redução

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

MUNICÍPIO DE OLEIROS. Câmara Municipal

MUNICÍPIO DE OLEIROS. Câmara Municipal REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei nº. 320/02, de 28 de Dezembro, transfere para as câmaras municipais a competência

Leia mais

Decreto Executivo n.º 33/00 De 5 de Maio

Decreto Executivo n.º 33/00 De 5 de Maio Decreto Executivo n.º 33/00 De 5 de Maio Com as reformas no Sistema do Comércio, resultantes da transição de uma economia centralizada para uma economia de mercado, o abastecimento à população de bens

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Economia e da Inovação - Gabinete do Ministro

EMISSOR: Ministério da Economia e da Inovação - Gabinete do Ministro DATA: Terça feira, 23 de Outubro de 2007 NÚMERO: SÉRIE II - 204 EMISSOR: Ministério da Economia e da Inovação - Gabinete do Ministro DIPLOMA/ACTO: Despacho n.º 24 260/2007 SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica

Leia mais

Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 14/2014

Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 14/2014 Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 14/2014 ASSUNTO: OPERAÇÕES DE CAPITAIS - Importação de capitais associados ao investimento privado externo A Lei n.º 20/11

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 189/08 de 9 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições sobre os princípios a que devem obedecer a construção do sistema de infra-estruturas,

Leia mais

Medidas de Protecção Contra Explosão

Medidas de Protecção Contra Explosão Medidas de Protecção Contra Explosão a) Líquidos Inflamáveis/Combustíveis Gasóleo Grupos geradores depósito de gasóleo Depósito Enterrado Armazenamento do gasóleo Manutenção Abastecimento do depósito Armazenamento

Leia mais

SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica complementar para conjuntos processuais de equipamentos sob pressão. TEXTO INTEGRAL

SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica complementar para conjuntos processuais de equipamentos sob pressão. TEXTO INTEGRAL DATA: 12 de Junho de 2007 NÚMERO: 112 SÉRIE II EMISSOR: Ministério da Economia e Inovação DIPLOMA / ACTO: Despacho nº 11 551/2007 SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica complementar para conjuntos processuais

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 197/08 de 16 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições relativas ao estatuto das entidades inspectoras das redes e ramais de

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Edição revista (*) Nº : 5. 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico.

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Edição revista (*) Nº : 5. 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico. Página : 1 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico. Atenção 1 Identificação da substância/ preparação e da sociedade/ empresa Identificador do produto Designação Comercial : AR Reconstituido K/AR Comprimido/

Leia mais

Rua Amílcar Cabral, LUANDA ANGOLA Tlm.: +244 931 169 381/380 geral@sme.ao www.sme.ao. Página 1/15

Rua Amílcar Cabral, LUANDA ANGOLA Tlm.: +244 931 169 381/380 geral@sme.ao www.sme.ao. Página 1/15 Decreto-Lei n.º 17/09 de 26 de Junho Regras e procedimentos a observar no recrutamento, integração, formação e desenvolvimento dos trabalhadores no sector petrolífero Página 1/15 Considerando que a formação

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Regulamento n.º /2011

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Regulamento n.º /2011 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Regulamento n.º /2011 Transporte aéreo de mercadorias perigosas O transporte aéreo de mercadorias, a

Leia mais

Direcção Regional da Economia do Norte Meios de prevenção de acidentes com equipamentos sob pressão

Direcção Regional da Economia do Norte Meios de prevenção de acidentes com equipamentos sob pressão Direcção Regional da Economia do Norte Meios de prevenção de acidentes com equipamentos sob pressão Porto, 15 de Maio de 2010 Paulo Jorge Beja Sardo de Sousa Patrício patricio@drn.min-economia.pt OBJECTIVO

Leia mais

Capítulo 3. Legislação e regulamentos do projecto de redes de gás

Capítulo 3. Legislação e regulamentos do projecto de redes de gás Capítulo 3 Legislação e regulamentos do projecto de redes de gás Índice 1 Legislação para o dimensionamento de redes de gás... 36 2 Decreto-Lei n. o 521/99 de 10 de Dezembro - Normas relativas aos projectos

Leia mais

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 Estabelece condições mínimas de segurança das instalações de armazenamento de recipientes transportáveis de GLP. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE COMBUSTÍVEIS,

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO 7072 Diário da República, 1.ª série N.º 193 6 de Outubro de 2008 a ser penalizado pela situação, o que igualmente se faz através do presente decreto -lei. Assim: Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo

Leia mais

Registo n.º. Data / / O Funcionário

Registo n.º. Data / / O Funcionário Registo n.º Data / / O Funcionário LICENCIAMENTO SIMPLIFICADO E AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE INSTALAÇÃO DE ARMAZENAGEM DE PRODUTOS DE PETRÓLEO E DE POSTOS DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS com realização

Leia mais

TEXTO INTEGRAL. Artigo 1. Objecto e âmbito

TEXTO INTEGRAL. Artigo 1. Objecto e âmbito DATA: 14 de Junho de 1995 EMISSOR: MINISTÉRIO DO EMPREGO E DA SEGURANÇA SOCIAL DIPLOMA/ACTO: Decreto-Lei n.º 141/95 SUMÁRIO: Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 92/58/CEE, do Conselho,

Leia mais

Ministério das Pescas

Ministério das Pescas Ministério das Pescas Decreto Executivo n.º 30/06 de 0 de Março Havendo necessidade de se regulamentar a estrutura e o funcionamento da Direcção Nacional de InfraEstruturas e Pesquisa de Mercados a que

Leia mais

República de Angola Ministério das Finanças Direcção Nacional das Alfândegas

República de Angola Ministério das Finanças Direcção Nacional das Alfândegas República de Angola Ministério das Finanças Direcção Nacional das Alfândegas CIRCULAR À TODAS AS ESTÂNCIAS ADUANEIRAS Nº /DESP/DTA/DNA/07 ASSUNTO: NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO TERMINAL DE VIATURAS DA MULTIPARQUES.

Leia mais

Lei n.º 13/2006 de 17 de Abril. Transporte colectivo de crianças

Lei n.º 13/2006 de 17 de Abril. Transporte colectivo de crianças Lei n.º 13/2006 de 17 de Abril Transporte colectivo de crianças A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo

Leia mais

AVISO N.º 09/2015. Artigo 1.º (Objecto)

AVISO N.º 09/2015. Artigo 1.º (Objecto) Publicado no Diário da República, I série, nº 53, de 20 de Abril AVISO N.º 09/2015 ASSUNTO: SISTEMA DE PAGAMENTOS - Prazos de Execução e de Disponibilização de Fundos Aplicáveis aos Movimentos de Depósitos

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA- CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA- CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA- CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro, que entrou em vigor em 28 de Março de 2003,

Leia mais

AULA 20 TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

AULA 20 TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS AULA 20 TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Introdução O transporte de produtos perigosos é um caso particular do transporte de mercadorias numa cadeia de fornecimento. Durante esta atividade, vários fatores

Leia mais

L 176/38 Jornal Oficial da União Europeia 6.7.2012

L 176/38 Jornal Oficial da União Europeia 6.7.2012 L 176/38 Jornal Oficial da União Europeia 6.7.2012 REGULAMENTO (UE) N. o 593/2012 DA COMISSÃO de 5 de julho de 2012 que altera o Regulamento (CE) n. o 2042/2003 relativo à aeronavegabilidade permanente

Leia mais

AVISO N.º 04/2013 de 22 de Abril

AVISO N.º 04/2013 de 22 de Abril Publicado no Diário da República, I série, nº 74, de 22 de Abril AVISO N.º 04/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: AUDITORIA EXTERNA Considerando a importância da auditoria externa para o reforço da confiança

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVI Armazenamento de Produtos Químicos Perigosos um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido

Leia mais

Ministério das Finanças

Ministério das Finanças Ministério das Finanças Lei n 5/97 de 27 de Junho Lei Cambial PREÂMBULO Considerando que como consequência da reorganização do sistema financeiro, torna se indispensável actualizar princípios e normas

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 16 2ª EDIÇÃO

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 16 2ª EDIÇÃO INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 16 2ª EDIÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas 4 Definições 5 Generalidades 6 Características e critérios para

Leia mais

Conselho de Ministros

Conselho de Ministros República & Moçambique Conselho de Ministros Decreto n." 12001 A Lei n." 20/97, de 01 de Outubro, estabelece no seu artigo 18, que todas as actividades que a data da entrada em vigor da Lei do Ambiente,

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio DECRETO /07 Havendo necessidade de se proceder a actualização da regulamentação da Lei nº.5/97 de Junho, relativamente às operações de mercadorias, em conformidade com o consignado

Leia mais

REGULAMENTO DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTE DE ALUGUER EM VEÍCULOS LIGEIROS DE PASSAGEIROS

REGULAMENTO DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTE DE ALUGUER EM VEÍCULOS LIGEIROS DE PASSAGEIROS REGULAMENTO DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTE DE ALUGUER EM VEÍCULOS LIGEIROS DE PASSAGEIROS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento abrange todas as pessoas (singulares e colectivas)

Leia mais

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor.

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor. A carta de condução de automóveis ligeiros habilita a conduzir: Automóveis de passageiros com lotação até 12 lugares. Motociclos até 125cc. Tractores agrícolas com equipamentos cujo peso máximo não exceda

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 216 8 de Novembro de 2010 55129

Diário da República, 2.ª série N.º 216 8 de Novembro de 2010 55129 Diário da República, 2.ª série N.º 216 8 de Novembro de 2010 55129 d) Possuir formação de base, formação contínua e formação específica na área de prevenção de acidentes, segurança de voo e gestão do sistema

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros DECRETO nº.../07 de... de... Considerando que as aplicações pacíficas de energia atómica assumem cada vez mais um papel significativo no desenvolvimento

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO DE EXPLORAÇÃO DA ESTAÇÃO DA CENTRAL DE CAMIONAGEM DA VILA DE VIEIRA DO MINHO Preâmbulo Com a entrada em funcionamento da Estação da Central de Camionagem de Vieira do Minho torna-se necessária

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO. Regulamento de Uso de Veículos

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO. Regulamento de Uso de Veículos INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Regulamento de Uso de Veículos Aprovado em Plenário de CG de 11 de Abril de 2013 1 INDICE Índice - Regulamento de Uso de Veículos 2 Secção I Disposições Gerais Artigo 1.º Objecto.

Leia mais

Lei n 5/97, de 27 de Junho Lei Cambial

Lei n 5/97, de 27 de Junho Lei Cambial Lei n 5/97, de 27 de Junho Lei Cambial PREÂMBULO Considerando que como consequência da reorganização do sistema financeiro, torna-se indispensável actualizar princípios e normas até ao momento vigentes

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS APROVADO 25 de Junho de 2010 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA 1990 1 CAPÍTULO I OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÕES ARTIGO 1º - O presente regulamento destina-se

Leia mais

Despacho n.o 24 261/2007

Despacho n.o 24 261/2007 Despacho n.o 24 261/2007 O Decreto-Lei n.o 97/2000, de 25 de Maio, aprovou o Regulamento de Instalação, Funcionamento, Reparação e Alteração de Equipamentos sob Pressão, remetendo para instruções técnicas

Leia mais

Capítulo 3. Legislação e regulamentos para o projecto de redes de gás

Capítulo 3. Legislação e regulamentos para o projecto de redes de gás Capítulo 3 Legislação e regulamentos para o projecto de redes de gás Índice 1 Legislação para o dimensionamento de redes de gás... 1 2 Decreto-Lei n. o 521/99 de 10 de Dezembro - Normas relativas aos projectos

Leia mais

Regulamento do centro coordenador de Transportes - central de camionagem

Regulamento do centro coordenador de Transportes - central de camionagem Regulamento do centro coordenador de Transportes - central de camionagem ARTIGO 1º. (Objeto e âmbito de aplicação) O presente regulamento destina-se se a assegurar a organização e a exploração regular

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Regulamento n.º /2010

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Regulamento n.º /2010 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Regulamento n.º /2010 Define o Perfil do Administrador Responsável (Accountable Manager) e as Habilitações

Leia mais

Fire Prevention STANDARD. LME-12:001905 Upt Rev A

Fire Prevention STANDARD. LME-12:001905 Upt Rev A STANDARD LME-12:001905 Upt Rev A Índice 1 Introdução... 3 2 Requisitos... 3 3 Normas de Operação Segura... 4 3.1 Procedimentos de Evacuação em Incêndio... 4 3.2 Caminhos de Escape Designados... 4 3.3 Pontos

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico 1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico O documento legislativo que estabelece o regime jurídico de enquadramento da segurança, higiene e saúde no trabalho é determinado

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES PREÂMBULO O Decreto Lei n.º 295/98, de 22 de Setembro, que transpôs s para o direito interno a diretiva

Leia mais

2670 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 141 20 de Junho de 2000

2670 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 141 20 de Junho de 2000 2670 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 141 20 de Junho de 2000 de comércio e indústria pela Portaria n. o 58/96, de 22 de Fevereiro, a emitir certificados de origem. O Ministro da Economia, Joaquim Augusto

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa

Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa Aprovado em reunião de Câmara de 12 de Setembro de 2003 e em

Leia mais

DECRETO 55/00 de 10 de Novembro

DECRETO 55/00 de 10 de Novembro DECRETO 55/00 de 10 de Novembro Havendo necessidade de se proceder a actualização da regulamentação da Lei n.º 5/97, de 27 de Junho, relativamente às operações de mercadorias, em conformidade com o consignado

Leia mais

Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste

Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste Banking and Payments Authority of Timor-Leste Av a Bispo Medeiros, PO Box 59, Dili, Timor-Leste Tel. (670) 3 313 718, Fax. (670) 3 313 716 RESOLUÇÃO DO

Leia mais

À Firma. À Firma. À firma

À Firma. À Firma. À firma À Firma À Firma À firma Sua Referência Sua Comunicação de Nossa Referência Data Assunto: Convite para apresentação de proposta. Ajuste Directo n.º 6/2009. Em cumprimento do disposto no artigo 115.º do

Leia mais

RAMO RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL CONDIÇÕES ESPECIAIS RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL MÉDICO SEGURO COLECTIVO DA ORDEM DOS MÉDICOS

RAMO RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL CONDIÇÕES ESPECIAIS RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL MÉDICO SEGURO COLECTIVO DA ORDEM DOS MÉDICOS RAMO RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL CONDIÇÕES ESPECIAIS RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL MÉDICO SEGURO COLECTIVO DA ORDEM DOS MÉDICOS ART 1 o OBJECTO DO SEGURO Pela presente Condição Especial fica garantida,

Leia mais

AVISO N.º 05/2012 de 29 de Março

AVISO N.º 05/2012 de 29 de Março Publicado no Diário da República, I.ª Série, n.º 61, de 29 de Março AVISO N.º 05/2012 de 29 de Março Considerando a necessidade de se estabelecer regras de protecção ao consumidor dos produtos e serviços

Leia mais

TRANSPORTADOR DE PRODUTOS PERIGOSOS GLP EXIGÊNCIAS

TRANSPORTADOR DE PRODUTOS PERIGOSOS GLP EXIGÊNCIAS CONDUTOR VEÍCULO CARGA TRANSPORTADOR DE PRODUTOS PERIGOSOS GLP EIGÊNCIAS CNH Carteira Nacional de Habilitação Comprovante de Curso Específico MOPP (Certificado) CRLV Certificado de Registro e Licenciamento

Leia mais

M U N I C Í P I O D E OLIVEIRA DO HOSPITAL

M U N I C Í P I O D E OLIVEIRA DO HOSPITAL M U N I C Í P I O D E OLIVEIRA DO HOSPITAL TÍTULO REGULAMENTO DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS TRANSPORTE EM TÁXI CLASSIFICAÇÃO GERAL REFERÊNCIA INTERNA DCDET/RGO.006

Leia mais

Ministério da Agricultura

Ministério da Agricultura Ministério da Agricultura CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) A presente lei estabelece o controlo e fiscalização da produção, do comércio e da importação e exportação de sementes e mudas

Leia mais

Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros do Concelho da Lousã

Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros do Concelho da Lousã Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros do Concelho da Lousã CML 015.000 1 Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros

Leia mais

Despacho n.º 5392/99 (2ª série) de 16 de Março. Classificação das deficiências observadas nas inspecções de veículos

Despacho n.º 5392/99 (2ª série) de 16 de Março. Classificação das deficiências observadas nas inspecções de veículos Despacho n.º 5392/99 (2ª série) de 16 de Março Classificação das deficiências observadas nas inspecções de veículos A classificação de deficiências nas inspecções periódicas obrigatórias aos veículos automóveis

Leia mais

Preâmbulo. Este diploma, por razões de vária ordem, foi objecto de críticas e alvo de contestação por parte de diversas entidades e organismos.

Preâmbulo. Este diploma, por razões de vária ordem, foi objecto de críticas e alvo de contestação por parte de diversas entidades e organismos. Regulamento Municipal do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros - Transporte em Táxi, do Concelho de Oliveira do Bairro. Preâmbulo O transporte de aluguer em veículos

Leia mais

Regulamento de Uso de Veículos. Secção I Disposições Gerais

Regulamento de Uso de Veículos. Secção I Disposições Gerais Regulamento de Uso de Veículos Secção I Disposições Gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 170/2008, de 26 de Agosto, que define o novo regime jurídico do Parque

Leia mais

7368 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 291 19 de Dezembro de 2000

7368 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 291 19 de Dezembro de 2000 7368 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 291 19 de Dezembro de 2000 Nos termos do artigo 25. o,n. o 2, a Convenção entrou em vigor para a Albânia a 1 de Setembro de 2000. Aviso n. o 244/2000 da Argélia

Leia mais

DIRECTIVA 2003/94/CE DA COMISSÃO

DIRECTIVA 2003/94/CE DA COMISSÃO L 262/22 DIRECTIVA 2003/94/CE DA COMISSÃO de 8 de Outubro de 2003 que estabelece princípios e directrizes das boas práticas de fabrico de medicamentos para uso humano e de medicamentos experimentais para

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 40/08. de 2 de Julho

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 40/08. de 2 de Julho REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 40/08 de 2 de Julho Considerando que o desenvolvimento da Protecção Social Obrigatória deve corresponder, em certa medida, ao contexto económico e

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Económica Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 100º.,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Económica Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 100º., Avis juridique important 31967L0548 Directiva 67/548/CEE do Conselho, de 27 de Junho de 1967, relativa à aproximação das disposições legislativas, regulamentares e administrativas respeitantes à classificação,

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 10 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir as características e condições técnicas a que devem obedecer as portas resistentes ao fogo (portas corta-fogo), não só para

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS. DECRETO Nº 76/05 De 12 DE OUTUBRO

CONSELHO DE MINISTROS. DECRETO Nº 76/05 De 12 DE OUTUBRO REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS DECRETO Nº 76/05 De 12 DE OUTUBRO Considerando que a velhice é uma das modalidades fundamentais da protecção social obrigatória, conforme vem referido no artigo

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DA INOVAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO Decreto-Lei n.º 90/2010de 22 de Julho

MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DA INOVAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO Decreto-Lei n.º 90/2010de 22 de Julho MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DA INOVAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO Decreto-Lei n.º 90/2010de 22 de Julho O presente decreto-lei executa uma das medidas do Programa SIMPLEX, aprovando o Regulamento de Instalação,

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1997R2027 PT 30.05.2002 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B M1 REGULAMENTO (CE) N. o 2027/97 DO CONSELHO de 9 de Outubro de 1997 relativo à

Leia mais

Ministério do Ambiente

Ministério do Ambiente Ministério do Ambiente Decreto nº 59/07 de 13 de Julho Considerando que a Lei nº 5/98 de 19 Junho, Lei de Bases do Ambiente, estabelece a obrigatoriedade de licenciamento das actividades que, pela sua

Leia mais

Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013. Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo)

Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013. Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo) Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013 Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1. O

Leia mais

DECRETO Nº 143/IX. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea d) do n.º 1 do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

DECRETO Nº 143/IX. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea d) do n.º 1 do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: DECRETO Nº 143/IX AUTORIZA O GOVERNO A APROVAR O REGIME GERAL DE LICENCIAMENTO AERONÁUTICO CIVIL E DA CERTIFICAÇÃO E AUTORIZAÇÃO DAS RESPECTIVAS ORGANIZAÇÕES DE FORMAÇÃO A Assembleia da República decreta,

Leia mais

SIGOU. Sistema Integrado de Gestão de Óleos Usados

SIGOU. Sistema Integrado de Gestão de Óleos Usados SIGOU Sistema Integrado de Gestão de Óleos Usados 1 O que é a ECOLUB? A ECOLUB, referência na requalificação de resíduos industriais perigosos, é uma marca registada da SOGILUB, Sociedade de Gestão Integrada

Leia mais

a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora.

a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui FUNCHAL a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. CAE Rev_3: 49310, 49391 e 49392 TRANSPORTE RODOVIÁRIO

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/28/2010

DESPACHO ISEP/P/28/2010 DESPACHO DESPACHO ISEP/P/28/2010 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Considerando: 1. O disposto no n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 170/2008, de 26

Leia mais

Examen de teste: Segurança Básica (BE)

Examen de teste: Segurança Básica (BE) Examen de teste: Segurança Básica (BE) Série: Examen de teste (BE) Leia atentamente as instruções apresentadas abaixo! Este exame é constituído por 40 perguntas de escolha múltipla. A seguir a cada pergunta

Leia mais

1. Os AFT devem ser contabilisticamente mensurados no reconhecimento inicial pelo seu custo.

1. Os AFT devem ser contabilisticamente mensurados no reconhecimento inicial pelo seu custo. Classificação: 00 0. 0 1. 0 9 GABINETE DO DIRECTOR GERAL Direcção de Serviços do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas Activos Fixos Tangíveis Código do IRC Decreto Regulamentar n.º 25/2009,

Leia mais

OFICINA DE REPARAÇÃO AUTOMÓVEL

OFICINA DE REPARAÇÃO AUTOMÓVEL OFICINA DE REPARAÇÃO AUTOMÓVEL Que resíduos produz? Segundo o Decreto-Lei nº178/2006, de 5 de Setembro, entende-se por resíduos quaisquer substâncias ou objectos de que o detentor se desfaz ou tem a intenção

Leia mais

ANEXO 3 REGULAMENTO MUNICIPAL DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTE EM TÁXI ODIVELAS. Ano VI - N.º 4-8 de Março de 2005 - Anexo 3

ANEXO 3 REGULAMENTO MUNICIPAL DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTE EM TÁXI ODIVELAS. Ano VI - N.º 4-8 de Março de 2005 - Anexo 3 ANEXO 3 REGULAMENTO MUNICIPAL DA ACTIVIDADE DE TRANSPORTE EM TÁXI Ano VI - N.º 4-8 de Março de 2005 - Anexo 3 REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A ACTIVIDADE DO TRANSPORTE EM TÁXI Capítulo I Disposição Gerais

Leia mais

NORMA REGULAMENTAR N.º 18/2007-R, de 31 de Dezembro SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS MEDIADORES D E SEGUROS

NORMA REGULAMENTAR N.º 18/2007-R, de 31 de Dezembro SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS MEDIADORES D E SEGUROS Não dispensa a consulta do regulamento publicado em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 18/2007-R, de 31 de Dezembro SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS MEDIADORES D E SEGUROS O Decreto-Lei

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Estratégia da Comissão Nacional de Tecnologias de Informação Decreto nº. 6/02 de 4 de Abril Considerando que as tecnologias de informação constituem um elemento fundamental

Leia mais

INSTRUTIVO N.08/99. de 21 de Maio

INSTRUTIVO N.08/99. de 21 de Maio ASSUNTO: POLITICA CAMBIAL Operações de mercadorias INSTRUTIVO N.08/99 de 21 de Maio Com vista a estabelecer os procedimentos operacionais decorrentes das operações de mercadorias, em conformidade com o

Leia mais