PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO"

Transcrição

1 Nº: 18/2014 Data de emissão: Março/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários Periodicidade PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01 Data revisão: Centros de Saúde Assistencial ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA ORAL Enfermeiro, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem Administração de medicamentos com técnica correta e segura para o paciente e para o profissional. 01 Copo descartável 200ml com água mineral ou filtrada 01 Copo descartável 50ml Medicação prescrita 01 Bandeja limpa e desinfetada 01 tira pequena de esparadrapo 01 toalha de papel (opcional) 01 conta gotas (opcional) 01 seringa descartável (opcional) 01 espátula descartável (opcional) 01 instrumento para cortar e / ou triturar comprimidos (opcional) 01 par de luvas de procedimentos (opcional) Em atendimento à prescrição médica Em atendimento à prescrição de enfermagem Monitoramento Enfermeiro Descrição da Ação Verificar prescrição; Higienizar as mãos, conforme POP nº 16/14; Separar o medicamento, Conferir os nove certos: paciente certo, medicamento certo, dose certa, hora certa, via certa, registro certo, diluição certa s/n, riscos aos profissionais e riscos ao paciente; Verificar a validade do medicamento, se vencido substituir o mesmo e devolvê-lo à farmácia;

2 Separar e acomodar o material na bandeja; Identificar a apresentação do medicamento: Comprimidos sulcados: podem ser partidos e/ ou triturados e diluídos; comprimidos não sulcadospodem ser triturados e diluídos mas não podem ser partidos; Comprimidos revestidos: jamais podem ser cortados, triturados ou mastigados; Soluções/ gotas: podem ser diretas ou diluídas; Xaropes e emulsões: não devem ser diluídos; Cápsulas gelatinosas, drágeas e pílulas: não podem ser partidas; Pastilhas: devem ser chupadas, não devem ser mastigadas ou deglutidas inteiras; Pó e comprimidos efervescentes: devem ser diluídos ao lado do paciente, usar a espátula; Atentar para qual líquido prescrito ou recomendado para a administração ou diluição do medicamento; Atentar para qualquer complemento da prescrição ou critério específico. Ex: se pressão arterial alterada não administrar; Separar a dose prescrita, ler duas vezes; Os medicamentos sólidos não devem ser manipulados indiscriminadamente com os dedos. Separar a medicação evitando tocar as mãos nos comprimidos. Usar a própria tampa do frasco ou gaze para auxiliar; Comprimidos, drágeas, cápsulas, pílulas e pastilhas de dose unitária devem permanecer na embalagem original e desta colocada no copo descartável de 50 ml; Comprimidos, drágeas, cápsulas, pílulas e pastilhas

3 acondicionadas em frasco de estoque, devem ser colocadas na quantidade desejada na tampa do frasco e desta transferidos para o copinho de 50 ml; Todos os medicamentos sólidos que serão administrados no mesmo horário podem ser colocados no mesmo copo, exceto os que necessitem de avaliação prévia para administração e os que serão diluídos ou triturados. Se for necessário ser administrado em uma seringa, observar para que não fique resíduo no fundo do copo; Em caso de medicamentos líquidos ou soluções: Verificar se necessita ser agitados antes: Abrir frasco de doses múltiplas, remover a tampa e colocá-la com a parte de cima para baixo; Segurar o frasco de múltiplas doses com o rótulo virado para a palma da mão e o copo do medicamento na altura dos olhos, enquanto estiver medindo o volume; Descartar no recipiente para resíduos químicos o excesso de solução que tenha sido removido dos frascos e que, por algum motivo não tenha sido utilizado (não retornar para o frasco); Não devem ser transferidas soluções de um frasco para outro; Limpar a boca e o gargalo do frasco com papel toalha antes de fechá-lo; Escrever a data de abertura do frasco no esparadrapo e colar ao lado do rótulo original do frasco; Ler novamente o rótulo antes de guardar o frasco;

4 Acomodar o(s) copo(s) com o (s) medicamento (s) junto com a prescrição e conferir novamente. Deixar o local limpo e organizado; Levar para a unidade do paciente; Confirmar a identidade do paciente; Explicar o procedimento ao usuário e/ou acompanhante, orientando-os quanto à administração, ação e possíveis reações, se utilizados pela primeira vez; Ajudar o paciente a posicionar-se sentado ou em semi-fowler; Administrar conforme a apresentação: Medicamentos sólidos em dose unitária: abrir o envoltório e colocar o medicamento na palma de uma das mãos do paciente e oferecer um copo com água. Auxiliar o paciente a colocar o medicamento na boca caso seja necessário; se tiver vários medicamentos para o mesmo horário, deverão ser administrados um de cada vez. Em neonatologia e pediatria os medicamentos devem ser triturados com água bidestilada e administrados com uma seringa; Medicamentos em pó: homogeneizar a solução com a espátula e entregá-lo imediatamente ao paciente; Medicamentos efervescentes: devem ser colocados em contato com água no momento da administração; Medicamentos em pastilhas: orientar a mantê-los na cavidade oral sem mastigar ou deglutir; Em caso de incapacidade do paciente, calçar as luvas e introduzir cuidadosamente cada fármaco acompanhado por goles de água; Certificar-se que o medicamento foi deglutido, em caso de pacientes confusos ou com história de recusa à ingestão de

5 medicamentos, confirmar a deglutição pedindo ao paciente que levante a língua; Comunicar à equipe em caso de não-conformidades; Deixar o paciente seguro; Desprezar o copo em saco de lixo comum; Lavar as mãos, conforme POP nº 16/14; Manter ambiente de trabalho limpo e organizado; Anotar os dados no prontuário, em formulários próprios e no módulo procedimentos de enfermagem; Assinar e carimbar o registro. Elaboração: Tatiane Felicia dos Santos Luciano Enfermeira Referência Técnica GEAS/SMSA Observações: Não administrar medicamentos preparados por outras pessoas; Essa via é contra-indicada em pacientes comatosos, com dificuldade de deglutição e naqueles que apresentam náuseas e vômitos. Revisão: Ivone Éveli Martins Enfermeira Referência Técnica GERASA Noroeste Aprovação: Maria Luisa Fernandes Tostes Gerente de Assistência à Saúde (GEAS) Colaboração: Adriana Cristina Camargos de Rezende Enfermeira Referência Técnica GEAS/SMSA REFERÊNCIAS: Instruções de Trabalho de Enfermagem. Belo Horizonte: Hospital das Clínicas da UFMG

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 38/2014 Data de emissão: Março/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários Periodicidade Monitoramento Descrição da Ação PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 11/2014 Data de emissão: Jan/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01 Data revisão: 18/02/2014 Centros de Saúde Procedimentos de Enfermagem

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Centros de Saúde Assistencial

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Centros de Saúde Assistencial Nº: 45/2014 Data de emissão: Julho/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Centros de Saúde Assistencial Curativo de ferida crônica Revisão:

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Centros de Saúde Assistencial, Vigilância em Saúde

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Centros de Saúde Assistencial, Vigilância em Saúde POP 53/14 TESTE RÁPIDO PARA DETECÇÃO QUALITATIVA DE Nº: 53/2014 Data de emissão: Novembro/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Centros

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Assistência de Enfermagem Título. Preparo e Administração de Medicação por Via Retal

Procedimento Operacional Padrão (POP) Assistência de Enfermagem Título. Preparo e Administração de Medicação por Via Retal Elaborado por: Lícia Mara Brito Shiroma Procedimento Operacional Padrão (POP) Assistência de Enfermagem Título Preparo e Administração de Medicação por Via Retal POP NEPEN/DE/HU Versão: 01 Próxima revisão:

Leia mais

Indicações: terapêutica indicada conforme patologia apresentada pelo paciente

Indicações: terapêutica indicada conforme patologia apresentada pelo paciente Revisão: 16/01/2013 PÁG: 1 CONCEITO Consiste na administração de medicamentos (comprimidos, comprimidos de cobertura entérica, cápsulas, xaropes, elixires, óleos, líquidos, suspensão, pó e grânulos) por

Leia mais

PREPARO E ADMINISTRAÇÃO POR VIA SUBLINGUAL E BUCAL

PREPARO E ADMINISTRAÇÃO POR VIA SUBLINGUAL E BUCAL Revisão: PÁG: 1 CONCEITO Consiste na administração de medicamentos por meio da mucosa da boca produzindo efeitos locais ou sistêmicos quando deglutido junto com a saliva, evitando efeitos lesivos dos sucos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO DIVISÃO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO DIVISÃO DE ENFERMAGEM 1de 5 1. Definição: O cateterismo vesical de alívio consiste na introdução de um cateter estéril (cateter de Folley ou sonda Levine) na bexiga, através da uretra, com técnica asséptica. 2. Objetivo: Drenar

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 31/2014 Data de emissão: Março/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários Periodicidade Monitoramento Descrição da Ação PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 16/2014 Data de emissão: Jan/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários Periodicidade PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01 Data revisão: 18/02/2014 Centro de

Leia mais

Orientações domiciliares para paciente com. Nutrição Enteral

Orientações domiciliares para paciente com. Nutrição Enteral Orientações domiciliares para paciente com Nutrição Enteral Comissão de Suporte Nutricional Serviço de Nutrologia Serviço de Nutrição e Dietética Serviço de Enfermagem Programa de Apoio à Família do Seped

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE ENFERMAGEM PARA ALTA HOSPITALAR

ORIENTAÇÕES DE ENFERMAGEM PARA ALTA HOSPITALAR ORIENTAÇÕES DE ENFERMAGEM PARA ALTA HOSPITALAR CUIDADOS COM A SONDA ALIMENTAR Nome do usuário Responsável pela orientação: Enfermeiro(a): Carimbo com COREN/SC HC ( ) HRO ( ) HNSS ( ) Data da orientação:

Leia mais

1 OBJETIVO: Preparo de cólon para procedimento diagnóstico e cirúrgico.

1 OBJETIVO: Preparo de cólon para procedimento diagnóstico e cirúrgico. 1 de 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO: Preparo de cólon para procedimento diagnóstico e cirúrgico. 2 APLICAÇÃO: Aos pacientes internados e de pronto atendimento com colostomias em alça ou bocas separadas com prescrição

Leia mais

dropropizina Biosintética Farmacêutica Ltda xarope 1,5 mg/ml

dropropizina Biosintética Farmacêutica Ltda xarope 1,5 mg/ml dropropizina Biosintética Farmacêutica Ltda xarope 1,5 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES dropropizina Medicamento genérico

Leia mais

CONCEITO Consiste na coleta de uma amostra de urina com técnica asséptica em um coletor de plástico estéril.

CONCEITO Consiste na coleta de uma amostra de urina com técnica asséptica em um coletor de plástico estéril. Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Consiste na coleta de uma amostra de urina com técnica asséptica em um coletor de plástico estéril. FINALIDADE Detectar e identificar a presença de microorganismos patogênicos

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO Pg.: 1 de Elaboração Verificação Aprovação Janaina Bacci Data: Data: Data: Título da Atividade: Procedimentos de coleta de Resíduos Quimioterápicos Executante: Colaboradores envolvidos na manipulação dos

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 21/2014 Data de emissão: Março/2014 PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01 Data revisão: 29/04/2014 Setor Centros de Saúde Tipo Assistencial TAREFA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA Executante

Leia mais

Médico Enfermeiro. Manter a integridade microbiológica e equilíbrio físico químico dos medicamentos.

Médico Enfermeiro. Manter a integridade microbiológica e equilíbrio físico químico dos medicamentos. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Título: Preparo de Soluções Parenterais Responsável pela prescrição do POP Responsável pela execução do POP Médico Enfermeiro POP N 37 Área de Aplicação: Terapia Intravenosa

Leia mais

PROTOCOLO OPERACIONAL PADRÃO

PROTOCOLO OPERACIONAL PADRÃO Data de 1. Definição Prevenção de Infecção da Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica Tornar de conhecimento da assistência um conjunto de orientações para a prevenção de pneumonia relacionada à assistência.

Leia mais

Obs.: Deixar os medicamentos transferidos juntos, se possível na mesma prateleira para que não se misturem aos que já estavam no refrigerador.

Obs.: Deixar os medicamentos transferidos juntos, se possível na mesma prateleira para que não se misturem aos que já estavam no refrigerador. POP 01 HIGIENIZAÇÃO DOS REFRIGERADORES Pg 1 de 1 Elaboração Marina Rodrigues Teixeira 01/04/13 01/06/14 Higienizar os refrigeradores 2 Posto de Enfermagem 4 - Descrição Procedimento: Realizar a higienização

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Vila Franca do Campo. Curso Profissional de Técnico de Proteção Civil. Físico-Química

Escola Básica e Secundária de Vila Franca do Campo. Curso Profissional de Técnico de Proteção Civil. Físico-Química Escola Básica e Secundária de Vila Franca do Campo Físico-Química Ano letivo 2016/2017 Módulo Q2 - Soluções FICHA INFORMATIVA 1 Guia de laboratório (I) NOME: N.º TURMA DATA DA REALIZAÇÃO: / / 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Determinação de lipídios em leite e produtos lácteos pelo método butirométrico

Determinação de lipídios em leite e produtos lácteos pelo método butirométrico Página 1 de 10 1 Escopo Este método tem como objetivo determinar a porcentagem de lipídios em leite e produtos lácteos pelo método butirométrico (Gerber). 2 Fundamentos Baseia-se na separação e quantificação

Leia mais

INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM - PREPARAR MEDICAMENTO EM AMPOLA

INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM - PREPARAR MEDICAMENTO EM AMPOLA INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM - PREPARAR MEDICAMENTO EM AMPOLA PROCEDIMENTO Objectivo: Retirar de uma ampola, usando técnica asséptica, para administrar por via parenteral. Considerações Prévias/Avaliação

Leia mais

COLETA DE MATERIAIS PARA EXAMES

COLETA DE MATERIAIS PARA EXAMES COLETA DE MATERIAIS PARA EXAMES PROFESSOR ENFERMEIRO DIÓGENES TREVIZAN Definição Consiste em colher sangue, urina, fezes e secreções, solicitados pelo médico, durante a internação do paciente. Em muitos

Leia mais

FARMÀCIA CENTRAL DE FRACIONAMENTO. Data Versão/Revisões Descrição Autor 03/01/ Proposta Inicial CESC, LAS, RFC.

FARMÀCIA CENTRAL DE FRACIONAMENTO. Data Versão/Revisões Descrição Autor 03/01/ Proposta Inicial CESC, LAS, RFC. 1 de 6 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta Inicial CESC, LAS, RFC. 1 Objetivo Otimizar a distribuição de medicamentos por dose individual / unitária devidamente

Leia mais

CONTRAINDICAÇÕES: Medicações que não possuem formulação para via endovenosa. Impossibilidade de obtenção de uma via para acesso venoso.

CONTRAINDICAÇÕES: Medicações que não possuem formulação para via endovenosa. Impossibilidade de obtenção de uma via para acesso venoso. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Título: Administração de Medicamentos por Via Endovenosa Responsável pela prescrição do POP Responsável pela execução do POP 1. Definição POP N 38 Área de Aplicação: Terapia

Leia mais

NEO DIMETICON. (simeticona)

NEO DIMETICON. (simeticona) NEO DIMETICON (simeticona) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido 40mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: NEO DIMETICON simeticona APRESENTAÇÕES Comprimidos 40mg: Embalagem com 20 comprimidos.

Leia mais

CONCEITO Consiste na coleta de urina excretada durante o período de 24 horas em um recipiente de plástico, limpo e com tampa.

CONCEITO Consiste na coleta de urina excretada durante o período de 24 horas em um recipiente de plástico, limpo e com tampa. Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Consiste na coleta de urina excretada durante o período de 24 horas em um recipiente de plástico, limpo e com tampa. FINALIDADE Obter material a fim de avaliar e diagnosticar

Leia mais

NORMAS DO CONSELHO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.321

NORMAS DO CONSELHO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.321 Policy 5.321 Portuguese version NORMAS DO CONSELHO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.321 Regulamento 5.321 Administração de medicamento ou tratamento

Leia mais

GUIA DE APOIO SONDA DE ALIMENTAÇÃO GABINETE DE ESTOMATERAPIA IPO DE COIMBRA

GUIA DE APOIO SONDA DE ALIMENTAÇÃO GABINETE DE ESTOMATERAPIA IPO DE COIMBRA GUIA DE APOIO SONDA DE ALIMENTAÇÃO GABINETE DE ESTOMATERAPIA IPO DE COIMBRA SONDA DE ALIMENTAÇÃO GABINETE DE ESTOMATERAPIA IPO DE COIMBRA Este guia destina-se a apoiar os doentes e cuidadores na alimentação

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE DIETA ORAL Enf as : Graciete Saraiva Marques e Cilene Bisagni

ADMINISTRAÇÃO DE DIETA ORAL Enf as : Graciete Saraiva Marques e Cilene Bisagni Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Consiste num método de terapia nutricional para auxiliar ou oferecer uma ingestão equilibrada de alimentos e líquidos adequada às necessidades do paciente. FINALIDADE Fornecer

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP CAT Nº 032/2010

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP CAT Nº 032/2010 PARECER COREN-SP CAT Nº 032/2010 Assunto: Lavagem Intestinal 1. Do fato Solicitado parecer por enfermeira sobre a competência dos membros da equipe de enfermagem para realização da lavagem intestinal e

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Título: ACESSO VENOSO PERIFÉRICO 2. Definição: Consiste na punção de uma veia periférica para administração de soluções parenterais. 3. Objetivos: Proporcionar uma via de acesso pérvio para administração

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE INFLUENZA A(H1N1)

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE INFLUENZA A(H1N1) PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE INFLUENZA A(H1N1) P1 QUAIS OS CUIDADOS DE BIOSSEGURANÇA NA RECEPÇÃO / ATENÇÃO AO PACIENTE COM QUEIXA E SINTOMATOLOGIA DE INFLUENZA A(H1N1), NO DOMICÍLIO, NA UNIDADE BÁSICA DE

Leia mais

Consiste no processo de introdução de uma sonda apropriada através da cavidade nasal ou oral até o estômago.

Consiste no processo de introdução de uma sonda apropriada através da cavidade nasal ou oral até o estômago. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP N 15 Título: Sondagem Orogástrica e Nasogástrica em Recém-nascidos Responsável pela prescrição do POP Médico Neonatologista, Enfermeiro Responsável pela execução do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. MATERNIDADE-ESCOLA DA UFRJ Divisão de Enfermagem

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. MATERNIDADE-ESCOLA DA UFRJ Divisão de Enfermagem PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Título: Reposição e Organização de Materiais no Alojamento Conjunto Responsável pela prescrição do POP Responsável pela execução do POP POP N 03 Área de Aplicação: Materno-Infantil

Leia mais

POP - PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO. Processo de Controle de Pragas / Dedetização

POP - PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO. Processo de Controle de Pragas / Dedetização 1 de 6 OBJETIVO Formalizar as atividades relacionadas ao processo de Controle de Pragas / Dedetização, conforme abaixo: 1. PROCEDIMENTO PARA RECEBIMENTO DOS PRODUTOS Receber e conferir os produtos com

Leia mais

FURP-NITRATO DE PRATA. Fundação para o Remédio Popular FURP. Solução Oftálmica. 10 mg/ml

FURP-NITRATO DE PRATA. Fundação para o Remédio Popular FURP. Solução Oftálmica. 10 mg/ml FURP-NITRATO DE PRATA Fundação para o Remédio Popular FURP Solução Oftálmica 10 mg/ml BULA PARA O PACIENTE FURP-NITRATO DE PRATA 10 mg/ml Colírio nitrato de prata APRESENTAÇÃO Solução Oftálmica Cartucho

Leia mais

2 Lavagem Gástrica. É a limpeza do estômago realizada através de uma SNG (Sonda Nasogástrica) ou Gástrica (PERRY & POTTER 2004).

2 Lavagem Gástrica. É a limpeza do estômago realizada através de uma SNG (Sonda Nasogástrica) ou Gástrica (PERRY & POTTER 2004). 2 Lavagem Gástrica É a limpeza do estômago realizada através de uma SNG (Sonda Nasogástrica) ou Gástrica (PERRY & POTTER 2004). Objetivos: Remover substâncias tóxicas ou irritantes Preparar pacientes para

Leia mais

PREPARAÇÃO E INJEÇÃO. um guia para os pacientes. Veja a página 2 para a dosagem recomendada para adultos e crianças.

PREPARAÇÃO E INJEÇÃO. um guia para os pacientes. Veja a página 2 para a dosagem recomendada para adultos e crianças. PREPARAÇÃO E INJEÇÃO um guia para os pacientes Veja a página 2 para a dosagem recomendada para adultos e crianças. INSTRUÇÕES PARA USO ILARIS é um tratamento aprovado para a síndrome periódica associada

Leia mais

MAXIBELL. Solução Oftálmica Estéril. nitrato de nafazolina (0,5 mg/ml) sulfato de zinco (4 mg/ml) LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA.

MAXIBELL. Solução Oftálmica Estéril. nitrato de nafazolina (0,5 mg/ml) sulfato de zinco (4 mg/ml) LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. MAXIBELL LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril nitrato de nafazolina (0,5 mg/ml) sulfato de zinco (4 mg/ml) COLÍRIO MAXIBELL nitrato de nafazolina 0,05% sulfato de zinco

Leia mais

simeticona LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA Emulsão Oral 75 mg/ml

simeticona LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA Emulsão Oral 75 mg/ml simeticona LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA 75 mg/ml I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO simeticona Medicamento Genérico, Lei nº 9.787 de 1999. APRESENTAÇÃO (gotas). Embalagem contendo frasco de

Leia mais

Grupo Hospitalar Conceição Hospital Cristo Redentor. Rotina de Hemodiálise Contínua de Baixo Fluxo. Enfermeira Lílian Costa Enfermeira Celina Marques

Grupo Hospitalar Conceição Hospital Cristo Redentor. Rotina de Hemodiálise Contínua de Baixo Fluxo. Enfermeira Lílian Costa Enfermeira Celina Marques Grupo Hospitalar Conceição Hospital Cristo Redentor Rotina de Hemodiálise Contínua de Baixo Fluxo Enfermeira Lílian Costa Enfermeira Celina Marques Rotina de Hemodiálise Contínua de Baixo Fluxo 2 HEMODIÁLISE

Leia mais

PROTOCOLO PARA COLETA DE HEMOCULTURA

PROTOCOLO PARA COLETA DE HEMOCULTURA PARA COLETA 1 de 5 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB, MS RESUMO Descrever técnica correta para coleta de hemocultura e conduta frente a possíveis

Leia mais

SUMÁRIO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA O USO CORRETO DE MEDICAMENTOS... 4 CONSELHOS IMPORTANTES...5 RECEITA MÉDICA...6 RECEBENDO O MEDICAMENTO...

SUMÁRIO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA O USO CORRETO DE MEDICAMENTOS... 4 CONSELHOS IMPORTANTES...5 RECEITA MÉDICA...6 RECEBENDO O MEDICAMENTO... SUMÁRIO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA O USO CORRETO DE MEDICAMENTOS... 4 CONSELHOS IMPORTANTES...5 RECEITA MÉDICA...6 RECEBENDO O MEDICAMENTO...7 BULA DO MEDICAMENTO...8 COMO TOMAR O MEDICAMENTO...8 QUANDO

Leia mais

Orientações para Pacientes Nutrição Enteral

Orientações para Pacientes Nutrição Enteral Orientações para Pacientes Nutrição Enteral O que é nutrição enteral? A nutrição enteral é uma forma de alimentação para pacientes que não devem ou conseguem se alimentar por via oral (boca), como em casos

Leia mais

ESTOMATERAPIA- CUIDADOS AOS PORTADORES DE LESÕES DE PELE

ESTOMATERAPIA- CUIDADOS AOS PORTADORES DE LESÕES DE PELE Revisão: 23/03/2014 PÁG: 1 CONCEITO Consiste na implementação de cuidados de enfermagem sistematizados à pacientes, internados; em consultas ambulatoriais; e/ou em atendimento pelo Plantão geral, que necessitem

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Titulo: RETIRADA DE PONTOS DE SUTURA 2. Definição: Consiste na remoção de pontos de sutura, que são utilizados para fixar um dispositivo ou aproximar as bordas de uma lesão, com o intuito de facilitar

Leia mais

Dose 1 comprimido efervescente/dia. - Ácido ascórbico (vitamina. 2222,22% 1 g C) % IDR = Porcentagem em relação à Ingestão Diária Recomendada

Dose 1 comprimido efervescente/dia. - Ácido ascórbico (vitamina. 2222,22% 1 g C) % IDR = Porcentagem em relação à Ingestão Diária Recomendada STARFOR C aspartato de arginina + ácido ascórbico APRESENTAÇÃO Linha Farma: Cartucho contendo tubo plástico com 10 comprimidos efervescentes. FORMA FARMACÊUTICA Comprimido efervescente. USO ORAL USO ADULTO

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL. Coleta de Amostras. 1. OBJETIVOS Descrever o procedimento para a coleta de amostras destinadas às análises microbiológicas.

PROCEDIMENTO OPERACIONAL. Coleta de Amostras. 1. OBJETIVOS Descrever o procedimento para a coleta de amostras destinadas às análises microbiológicas. 1 de 7 1. OBJETIVOS Descrever o procedimento para a coleta de amostras destinadas às análises microbiológicas. 2. AREA DE APLICAÇÃO Coleta de amostras para análises microbiológicas. 3. DEFINIÇÕES Swab

Leia mais

EXAMES TOXICOLÓGICOS PARA DETECÇÃO DE DROGAS DE ABUSO / APLICAÇÃO DO TESTE PELO MÉTODO MERGULHO E CONTA-GOTAS

EXAMES TOXICOLÓGICOS PARA DETECÇÃO DE DROGAS DE ABUSO / APLICAÇÃO DO TESTE PELO MÉTODO MERGULHO E CONTA-GOTAS EXAMES TOXICOLÓGICOS PARA DETECÇÃO DE DROGAS DE ABUSO / APLICAÇÃO DO TESTE PELO MÉTODO MERGULHO E CONTA-GOTAS LEMBRAR SEMPRE Medidas de segurança: 1 - Banheiro com mictório: lacrar as torneiras; 2 - Banheiro

Leia mais

Visual Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. solução oftálmica cloridrato de nafazolina 0,15 mg/ml + sulfato de zinco heptaidratado 0,3 mg/ml

Visual Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. solução oftálmica cloridrato de nafazolina 0,15 mg/ml + sulfato de zinco heptaidratado 0,3 mg/ml Visual Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. solução oftálmica cloridrato de nafazolina 0,15 mg/ml + sulfato de zinco heptaidratado 0,3 mg/ml I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Visual cloridrato de nafazolina

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CDC Nº041 DATA: 28/07/2014. Revisão: 00 PÁG: 1

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CDC Nº041 DATA: 28/07/2014. Revisão: 00 PÁG: 1 Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Consiste na coleta de secreção através de swab para exames diagnósticos e/ou para pacientes com suspeita de colonização por germes multirresistentes. FINALIDADE Obter secreção

Leia mais

Você sabe lavar as mãos? Introdução. Materiais Necessários

Você sabe lavar as mãos? Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução Será que quando você lava as mãos você consegue realmente eliminar os microorganismos presentes na pele? Veja a seguir como você pode conferir isso. Cadastrada por Raquel Silva Material

Leia mais

DIÁRIO DE GLICEMIAS CAPILARES

DIÁRIO DE GLICEMIAS CAPILARES DIÁRIO DE GLICEMIAS CAPILARES GRUPO SANTA CASA DE BELO HORIZONTE Ambulatório de Diabetes Tipo 1 Santa Casa de Belo Horizonte SOU PORTADOR DE DIABETES E ESSE É MEU DIÁRIO DE GLICEMIAS: Nome: Endereço:

Leia mais

Profissional que realiza: Técnico de Enfermagem e Auxiliar de Enfermagem. Material utilizado: detergente enzimático, detergente neutro e álcool á 70%.

Profissional que realiza: Técnico de Enfermagem e Auxiliar de Enfermagem. Material utilizado: detergente enzimático, detergente neutro e álcool á 70%. Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 5 Freqüência que é realizado: Diariamente Profissional que realiza: Técnico de Enfermagem e Auxiliar de Enfermagem. Material utilizado: detergente enzimático, detergente

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 45/2014 Data de emissão: Julho/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01 Data revisão: Centros de Saúde Assistencial Curativo

Leia mais

Sintaflat. (simeticona) Laboratório Globo Ltda. Comprimido 40 mg

Sintaflat. (simeticona) Laboratório Globo Ltda. Comprimido 40 mg Sintaflat (simeticona) Laboratório Globo Ltda. Comprimido 40 mg Sintaflat simeticona FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO: Comprimido de 40 mg. Embalagem contendo 20 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO:

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO. Coleta de Amostras Swab, Água e Alimentos

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO. Coleta de Amostras Swab, Água e Alimentos 1 de 6 1. OBJETIVOS Descrever o procedimento para a coleta de amostras. 2. AREA DE APLICAÇÃO Coleta de amostras. 3. DEFINIÇÕES Swab estéril: tipo cotonete estéril, de haste longa com uma das extremidades

Leia mais

MYLICON (simeticona) Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda. Suspensão. 75 mg/ml

MYLICON (simeticona) Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda. Suspensão. 75 mg/ml MYLICON (simeticona) Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda. Suspensão 75 mg/ml IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Mylicon simeticona Gotas APRESENTAÇÕES Suspensão oral (75 mg/ml) em frascos gotejadores contendo 15

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO TÍTULO: MONITORIZAÇÃO DE PRESSÃO INTRA-ARTERIAL COM TRANSDUTOR DE PRESSÃO (PIA)

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO TÍTULO: MONITORIZAÇÃO DE PRESSÃO INTRA-ARTERIAL COM TRANSDUTOR DE PRESSÃO (PIA) 1. Introdução O método invasivo de monitoração da pressão arterial está indicado em pacientes graves para controle do uso de drogas vasoativas e/ ou coletas freqüentes de sangue arterial. 2. Objetivo Subsidiar

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Nº: 45/2014 Data de emissão: Março/2014 Setor Tipo TAREFA Executante Resultados esperados Recursos necessários PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Revisão: 01 Data revisão: Centros de Saúde Assistencial COLETA

Leia mais

CICLOMIDRIN BULA PARA O PACIENTE LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril. tropicamida 10 mg/ml

CICLOMIDRIN BULA PARA O PACIENTE LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril. tropicamida 10 mg/ml CICLOMIDRIN LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril tropicamida 10 mg/ml BULA PARA O PACIENTE COLÍRIO CICLOMIDRIN tropicamida 1% MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO

Leia mais

Exercícios. 2) O paciente tem uma garrafa d água que contém 960 ml ou 4 xícaras de água. Quantos ml de água contêm cada xícara?

Exercícios. 2) O paciente tem uma garrafa d água que contém 960 ml ou 4 xícaras de água. Quantos ml de água contêm cada xícara? Exercícios 1) Você está com uma dieta limitada a 80g de carboidratos por dia. Esta quantidade corresponde a 320 calorias de carboidratos. Quantas calorias há em uma grama de carboidratos. 2) O paciente

Leia mais

POP 1: PARA DESCONGELAMENTO DE CARNE

POP 1: PARA DESCONGELAMENTO DE CARNE Revisão 00 POP 1: PARA DESCONGELAMENTO DE CARNE RETIRAR A CARNE DO CONGELADOR COM ANTECEDÊNCIA ; COLOCAR EM UM RECIPIENTE ; DEIXAR DENTRO DA GELADEIRA POR NO MÁXIMO 72 HS. >RESPONSÁVEL: Manipulador. >

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão - POP

Procedimento Operacional Padrão - POP Página 1 de 10 Biobanco Procedimento Operacional Padrão para: Extração de RNA total de sangue POP: V. 1.0 Nome: Extração de RNA total de sangue Efetiva: dezembro, 22 autora: Erika Regina Manuli Aprovação

Leia mais

PROTOCOLO OPERACIONAL PADRÃO

PROTOCOLO OPERACIONAL PADRÃO 1.Definição - Coleta de sangue para realização de hemocultura. 2. Objetivos Padronizar coleta de sangue para hemocultura para melhor aproveitamento do exame, com atenção a fatores tais como: indicação

Leia mais

EXAMES TOXICOLÓGICOS PARA DETECÇÃO DE DROGAS DE ABUSO APLICAÇÃO DO TESTE PELO MÉTODO MERGULHO E CONTA-GOTAS

EXAMES TOXICOLÓGICOS PARA DETECÇÃO DE DROGAS DE ABUSO APLICAÇÃO DO TESTE PELO MÉTODO MERGULHO E CONTA-GOTAS EXAMES TOXICOLÓGICOS PARA DETECÇÃO DE DROGAS DE ABUSO APLICAÇÃO DO TESTE PELO MÉTODO MERGULHO E CONTA-GOTAS LEMBRAR SEMPRE O teste acima de 5 drogas, tem o painel dupla face. FRENTE VERSO CONTEÚDO DO KIT

Leia mais

SONDA NASOGÁSTRICA 1. CONCEITO:

SONDA NASOGÁSTRICA 1. CONCEITO: SONDA NASOGÁSTRICA 1. CONCEITO: É a introdução de uma sonda do tipo Levine pelo nariz até o estômago. Geralmente são curtas,podendo ser introduzidas pelo nariz(sng) ou pela boca(sog).a numeração varia

Leia mais

Segurança no laboratório e Método Experimental. Regras Material Método Experimental

Segurança no laboratório e Método Experimental. Regras Material Método Experimental Segurança no laboratório e Método Experimental Regras Material Método Experimental Segurança no Laboratório Conduta Manuseamento do Material e Produtos Químicos Sinais de Aviso Material de Laboratório

Leia mais

Hospital São Paulo SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Hospital Universitário da UNIFESP

Hospital São Paulo SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Hospital Universitário da UNIFESP SUMÁRIO Página: 1/5 1. OBJETIVO: Preparar e administrar a solução do anticorpo monoclonal Infliximabe (por via intravenosa). 2. APLICAÇÃO: Aos pacientes com prescrição médica de Infliximabe. 3. RESPONSABILIDADE:

Leia mais

GUIA DE AUTOINJEÇÃO. asfotase alfa. Solução injetável de 40 mg/ml. Solução injetável de 100 mg/ml

GUIA DE AUTOINJEÇÃO. asfotase alfa. Solução injetável de 40 mg/ml. Solução injetável de 100 mg/ml GUIA DE AUTOINJEÇÃO Solução injetável de 40 mg/ml Solução injetável de 100 mg/ml asfotase alfa Este medicamento está sujeito a monitorização adicional Introdução Este Guia de Autoinjeção destina-se a doentes

Leia mais

Gotas. APRESENTAÇÕES Suspensão oral (75 mg/ml) em frascos gotejadores contendo 15 ml.

Gotas. APRESENTAÇÕES Suspensão oral (75 mg/ml) em frascos gotejadores contendo 15 ml. BULA RDC 47/09 BULA DO PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Mylicon simeticona Gotas APRESENTAÇÕES Suspensão oral (75 mg/ml) em frascos gotejadores contendo 15 ml. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

MEMORIOL B (glutamina, glutamato de cálcio, fosfato de ditetraetilamônio, cloridrato de piridoxina) Laboratórios Baldacci Ltda.

MEMORIOL B (glutamina, glutamato de cálcio, fosfato de ditetraetilamônio, cloridrato de piridoxina) Laboratórios Baldacci Ltda. MEMORIOL B6 200 (glutamina, glutamato de cálcio, fosfato de ditetraetilamônio, cloridrato de piridoxina) Laboratórios Baldacci Ltda. Comprimido revestido MEMORIOL B6 200 glutamina glutamato de cálcio fosfato

Leia mais

simeticona Medley Indústria Farmacêutica Ltda. cápsula gelatinosa mole 125 mg

simeticona Medley Indústria Farmacêutica Ltda. cápsula gelatinosa mole 125 mg simeticona Medley Indústria Farmacêutica Ltda. cápsula gelatinosa mole 125 mg simeticona Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Cápsulas gelatinosas moles de 125 mg: embalagens com 10

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS AULA 1. Renata Loretti Ribeiro Ana Gabriela Trujilho Cancian Enfermeira

ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS AULA 1. Renata Loretti Ribeiro Ana Gabriela Trujilho Cancian Enfermeira ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS AULA 1 Renata Loretti Ribeiro Ana Gabriela Trujilho Cancian Enfermeira INTRODUÇÃO É uma das maiores responsabilidades atribuídas ao profissional de enfermagem. Qualquer erro,

Leia mais

Gastrium (omeprazol) Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. cápsulas 20 mg

Gastrium (omeprazol) Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. cápsulas 20 mg Gastrium (omeprazol) Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. cápsulas 20 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO GASTRIUM (omeprazol) APRESENTAÇÕES

Leia mais

Manual de Instruções PHILCO SHAVER PBA01. Ari Jr. Diego S. Thamy R. Philco Shaver PBA01. Manual de Instruções 503-05/00 15-03-2010.

Manual de Instruções PHILCO SHAVER PBA01. Ari Jr. Diego S. Thamy R. Philco Shaver PBA01. Manual de Instruções 503-05/00 15-03-2010. Nº MODIFICAÇÃO VISTO REG. MDE. POR 0 Arquivo Liberado - - -------- Ari Jr ESTE DESENHO É PROPRIEDADE EXCLUSIVA DA BRITÂNIA ELETRODOMÉSTICOS LTDA. E NÃO PODERÁ SER UTILIZADO POR TERCEIROS 03/10 503-05/00

Leia mais

MEMORIOL. Comprimidos revestidos

MEMORIOL. Comprimidos revestidos MEMORIOL Comprimidos revestidos MEMORIOL B6 200 glutamina glutamato de cálcio fosfato de ditetraetilamônio cloridrato de piridoxina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos cartucho com 20. VIA ORAL USO ADULTO

Leia mais

MODELO DE BULA DO PACIENTE

MODELO DE BULA DO PACIENTE MODELO DE BULA DO PACIENTE Vibral dropropizina FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES VIBRAL (dropropizina) Xarope: frasco de 120 ml. VIBRAL (dropropizina) Xarope Pediátrico: frasco de 120 ml. VIBRAL (dropropizina)

Leia mais

Leucogen. Aché Laboratórios Farmacêuticos. Xarope 20 mg/5 ml

Leucogen. Aché Laboratórios Farmacêuticos. Xarope 20 mg/5 ml Leucogen Aché Laboratórios Farmacêuticos Xarope 20 mg/5 ml Excipientes: ácido cítrico monoidratado, aroma de caramelo, benzoato de sódio, corante caramelo, sorbitol e água purificada. BULA PARA PACIENTE

Leia mais

MEMORIOL B (glutamina 200 mg, glutamato de cálcio 250 mg, fosfato de ditetraetilamônio 6 mg, cloridrato de piridoxina 20 mg)

MEMORIOL B (glutamina 200 mg, glutamato de cálcio 250 mg, fosfato de ditetraetilamônio 6 mg, cloridrato de piridoxina 20 mg) MEMORIOL B 6 200 (glutamina 200 mg, glutamato de cálcio 250 mg, fosfato de ditetraetilamônio 6 mg, cloridrato de piridoxina 20 mg) Laboratórios Baldacci Ltda. Comprimido revestido MEMORIOL B 6 200 glutamina

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DO PESSOAL NA SALA DE OBSERVAÇÃO ( AMARELOS E VERDES )

ATRIBUIÇÕES DO PESSOAL NA SALA DE OBSERVAÇÃO ( AMARELOS E VERDES ) ATRIBUIÇÕES DO PESSOAL NA SALA DE OBSERVAÇÃO ( AMARELOS E VERDES ) DO SERVIÇO MÉDICO da emergência: Receber o paciente na sala de observação ( amarelos e verdes ), priorizando-o em relação aos consultórios

Leia mais

MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A.

MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A. LIVGAS MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A. comprimido 40 mg LIVGAS comprimido I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome Genérico: Forma Farmacêutica e Apresentação: Comprimidos de 40 mg em embalagem com

Leia mais

COMO CULTIVAR COGUMELOS NO MILHO

COMO CULTIVAR COGUMELOS NO MILHO COMO CULTIVAR COGUMELOS NO MILHO Materiais Necessarios: 5 Tocas Descartáveis 5 Luvas Cirúrgicas Alcool 70 Laminas de Bisturi Seringa de 20 ml (Tampa Verde de preferência) Esparadrapo Micropore Água Destilada

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES ELABORADO POR: SIMONE MANTUAN MARCIANO ENFERMEIRA DOCENTE Página 1 Conteúdo CÁLCULO DE DILUIÇÃO SIMPLES ( VIA ORAL E ENDOVENOSA... 3 CÁLCULO COM PENICILINA CRISTALINA... 4 EXERCÍCIOS UTILIZANDO PORCENTAGEM...

Leia mais

Esalerg. Aché Laboratórios Farmacêuticos xarope 0,5 mg/ml

Esalerg. Aché Laboratórios Farmacêuticos xarope 0,5 mg/ml Esalerg Aché Laboratórios Farmacêuticos xarope 0,5 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ESALERG (desloratadina) MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE

Leia mais

CYFENOL. Cifarma Científica Farmacêutica Ltda. Solução oral 200mg/mL

CYFENOL. Cifarma Científica Farmacêutica Ltda. Solução oral 200mg/mL CYFENOL Cifarma Científica Farmacêutica Ltda. 200mg/mL CYFENOL paracetamol DCB: 06827 I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: CYFENOL Nome genérico: paracetamol (DCB: 06827) APRESENTAÇÃO 200mg/mL

Leia mais

simeticona Medley Farmacêutica Ltda. Emulsão oral 75 mg/ml

simeticona Medley Farmacêutica Ltda. Emulsão oral 75 mg/ml simeticona Medley Farmacêutica Ltda. Emulsão oral 75 mg/ml simeticona Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Emulsão oral (gotas) de 75 mg/ml: frasco com 15 ml. USO ORAL USO ADULTO E

Leia mais

LORATADINA Hypermarcas S/A Comprimido 10mg

LORATADINA Hypermarcas S/A Comprimido 10mg LORATADINA Hypermarcas S/A Comprimido 10mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: LORATADINA Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Comprimido de 10mg em embalagens contendo 12 comprimidos.

Leia mais

Vibral dropropizina MODELO DE BULA DO PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Vibral dropropizina MODELO DE BULA DO PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MODELO DE BULA DO PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Vibral dropropizina APRESENTAÇÕES VIBRAL (dropropizina) Xarope Adulto (3 mg/ml): frasco de 120 ml. VIBRAL (dropropizina) Xarope Pediátrico (1,5

Leia mais

Guia destinado a Doentes para a reconstituição e administração de Ilaris 150 mg, pó para solução injetável

Guia destinado a Doentes para a reconstituição e administração de Ilaris 150 mg, pó para solução injetável Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Poderá ajudar, comunicando quaisquer efeitos secundários que tenha. Para

Leia mais

CÁLCULO DE MEDICAÇÃO. Matemática

CÁLCULO DE MEDICAÇÃO. Matemática CÁLCULO DE MEDICAÇÃO Profª Drª Ruth N T Turrini Símbolos ,, Matemática Os valores abaixo são iguais? 0,4-0,04-0,004 O que significa 3 n? 10 2, 10 3, 10 4 1 Transforme a porcentagem em número decimal:

Leia mais

Stelara seringa pré-cheia:

Stelara seringa pré-cheia: Stelara seringa pré-cheia: Instruções de utilização para os doentes com doença de Crohn Este guia destina-se a doentes com doença de Crohn que estão a ser tratados com Stelara (ustecinumab). Este guia

Leia mais

Purisole SM Fresenius Kabi

Purisole SM Fresenius Kabi Purisole SM Fresenius Kabi Solução para irrigação urológica sorbitol 0,027 g/ml + manitol 0,0054 g/ ml MODELO DE BULA Purisole SM sorbitol + manitol Forma farmacêutica e apresentações: Solução para irrigação

Leia mais

BOTÃO GÁSTRICO EM DOENÇAS METABÓLICAS

BOTÃO GÁSTRICO EM DOENÇAS METABÓLICAS BOTÃO GÁSTRICO EM DOENÇAS METABÓLICAS Um botão gástrico é uma sonda de silicone transparente que se coloca através da pele do abdómen até ao estômago. Serve para alimentar a criança, dar a medicação e

Leia mais

Identificação UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL LCMEC - PA 025. Página COLETA DE AMOSTRA 01 de 07. Procedimento Para Coleta de Amostras

Identificação UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL LCMEC - PA 025. Página COLETA DE AMOSTRA 01 de 07. Procedimento Para Coleta de Amostras COLETA DE AMOSTRA 01 de 07 Procedimento Para Coleta de Amostras 1. PRINCÍPIO Para que os resultados dos métodos de análise expressem valores representativos da quantidade total de substância disponível,

Leia mais

Hemisfério Produtos Técnicos

Hemisfério Produtos Técnicos 1/5 SISTEMA HEMISFÉRIO PARA ÁREAS MOLHÁVEIS MEMBRANA RÍGIDA ACRÍLICA CAIMENTO DO PISO: CUIDADOS PRÉVIOS Os pisos devem apresentar caimento para os ralos, sem retenções e pontos de empoçamento. Preferencialmente,

Leia mais

Preparação do gel de poliacrilamida

Preparação do gel de poliacrilamida Preparação do gel de poliacrilamida Materiais: - álcool 70% (limpeza) - SDS 10% - água Milli-Q - APS 10% - acrilamida/ bisacrilamida 40% - TEMED - tampão Tris-HCl, ph 8,8 e 6,8 - vidros 1º Limpar os vidros

Leia mais

CompoCool WB. Instruções Operacionais. Cuidado!

CompoCool WB. Instruções Operacionais. Cuidado! CompoCool WB Instruções Operacionais Cuidado! Estas Instruções Operacionais no formato pdf são apenas informativas. Elas não substituem as Instruções Operacionais fornecidas com a máquina/dispositivo e

Leia mais