Nuno Miguel Monteiro Peixoto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nuno Miguel Monteiro Peixoto"

Transcrição

1 O Farol de Cacilhas e a sua envolvente idealizada em diferentes perspectivas Nuno Miguel Monteiro Peixoto Lisboa

2 DC2 - Desenho Computacional Prof. Doutor Francisco Agostinho Prof. Doutor Carlos Figueiredo Prof. Doutor Pedro Januário 2

3 Índice 1. Resumo 2. Abstract 3. Introdução 4. Metodologia 5. Breve resenha histórica do Farol de Cacilhas e do espaço envolvente 6. Análise do projecto 7. Conclusão 8. Bibliografia 3

4 1. Resumo O farol de sinalização funcionou em Cacilhas entre 31 de Dezembro de 1885 e 18 de Maio de 1978, tendo depois sido desmantelado e deslocado para a Ponta do Queimado, na freguesia da Serreta, na Ilha Terceira (Açores). O estudo da envolvente tornou possível a aproximação ao território e considerámos pertinente o desenvolvimento de um filme sobre o farol de Cacilhas onde são realçadas as desigualdades de representação da imagem perante uma dualidade visual sempre presente durante toda a acção do filme. 2. Abstract The light house worked in Cacilhas between December 31, 1885 and May 18, It has been dismantled after and moved to the Ponta do Queimado, in the parish of Serreta, on Terceira Island (Azores). The study of environment made possible the approach to territory and developing a film about the lighthouse of Cacilhas was considered useful. In the film the image inequalities are highlighted to represent the image with a visual duality always present during all the action of the film. 3. Introdução São objectivos do presente trabalho: - Entender o projecto; - Perceber o cumprimento dos objectivos propostos para o trabalho; - Analisar e criticar a inserção do farol em Cacilhas (Almada); - Entender a recuperação da cidade de Almada, através do (PUAN) Plano de Urbanização de Almada Nascente; - Perceber a compatibilidade entre o dia e noite na cidade; 4. Metodologia Para o cumprimento dos objectivos definidos foi utilizada a metodologia seguinte: - Visitas ao local (estudo da envolvente interior); - Referências bibliográficas; - Publicações. - Meios informáticos (internet). 4

5 5.Breve resenha histórica do farol de Cacilhas e do espaço envolvente O farol de sinalização funcionou em Cacilhas entre 31 de Dezembro de 1885 e 18 de Maio de 1978, tendo depois sido desmantelado e deslocado para a Ponta do Queimado, na freguesia da Serreta, na ilha Terceira (Açores). A pedido da Câmara Municipal de Almada, a Marinha Portuguesa concordou na cedência ao concelho de Almada do farol. O farol chegou a Lisboa e começou o processo de restauro. Esta peça emblemática e patrimonial é composta por uma torre cilíndrica de ferro, com 12m de altura e 1,70m de diâmetro. As obras foram executadas pelas oficinas da Direcção-Geral de Faróis, em Paço de Arcos, e o seu custo, no valor de 40 mil euros, foi suportado pela Câmara Municipal de Almada, na sequência de um protocolo entre a Marinha e o Município. A herança Industrial Naval nas margens da foz do Tejo é extensa na cidade de Lisboa como na cidade de Almada. Houve uma evolução lenta neste processo de industrialização, onde em primeiro lugar se tratava da indústria piscatória artesanal, para se passar para a reparação de navios de grande porte onde geralmente eram transportados contentores e outros consumíveis. Houve uma adaptação muito grande ao longo de décadas que fizeram as cidades mudarem e correrem atrás da industrialização modernizada e capaz de corresponder às expectativas futuras. A cidade existente é cozida ao espaço desactivado a nascente, o que pode funcionar muito bem, ao nível de acessibilidades e expansão do território. Na zona industrial da cova da Piedade são planeadas zonas de lazer, assim como zonas de habitação onde é feita uma estruturação que liga com a zona da Margueira. A rede viária e de transportes é estruturada desde as Barrocas até Cacilhas onde poderá existir uma travessia do rio Tejo, por túnel subterrâneo. As primeiras edificações e indústrias de peixe e de embarcações de leve estrutura foram surgindo em Cacilhas. Cacilhas é uma das zonas de Almada mais antigas e contribui para o inicio da história da cidade e para o seu desenvolvimento e expansão. A ligação à Capital é feita há séculos por Cacilhas. A Margem sul do Tejo usufrui desta travessia diariamente, actualmente só para transporte de pessoas e carros particulares, mas no inicio do século, expressos vindos do Algarve atravessavam o Tejo via fluvial, em ferryboats. O Farol em estudo está integrado no plano de Pormenor de Requalificação Urbana e Funcional de Cacilhas / Outubro de O processo do Plano de Pormenor foi iniciado pela autarquia em 1999 e ficou suspenso devido ao traçado do metro sul do Tejo, prevendo-se a conclusão do plano em Este plano teve a participação do arquitecto Vasco Massapina (Massapina, Arquitectos Associados), autor do projecto, que venceu o concurso público. Neste processo a articulação entre a topografia da freguesia com o centro histórico, o morro e o largo central de Cacilhas, são os objectivos imediatos a serem cumpridos. O melhoramento de serviços como turismo, habitação e comércio fazem parte das mais valias para o funcionamento do plano. 5

6 Plano de Pormenor de Requalificação Urbana e Funcional de Cacilhas / Outubro de 2009/ Departamento Planeamento Urbanístico Divisão de Estudos e Planeamento/ Câmara Municipal de Almada de Figura 01 - Planta de localização Figura 02 - Maqueta do projecto urbano do antigo atelier Cidade Aberta, que actualmente se identifica por Massapina arquitectos associados 6

7 Figura 03, 04, 05, 06 - Desenho e fotos do farol antes de ser removido de Cacilhas e depois de reabilitado. 7

8 Figura 07- Planta de Almada este (Existente) 8

9 6. Análise do Filme O filme tenta retratar a diferença entre o dia e a noite em Cacilhas perante a presença constante do Farol que se enquadra no território que pretendemos estudar para a tese de Doutoramento. O método que decidimos utilizar prevê a filmagem do farol em diferentes perspectivas a diferentes horas do dia. A estrutura do filme tem como base o Farol e a sua envolvente ( A cidade de Lisboa, Arco Ribeirinho Sul e as zonas de Cacilhas e Margueira) criando sempre uma dualidade constante em todo o processo criativo. As imagens de dia representam-se invertidas, de curta duração e com audio sem ruídos da envolvente. As imagens de noite estão direitas perante o observador, são de longa duração, permitindo a contemplação da envolvente, e tem o audio dos ruídos da cidade misturado com a música Civil War composta pelo grupo musical Guns n`roses (uma das melhores bandas do mundo Rock n`roll na décadas de 80 e 90). Sendo a característica principal desta banda a intensidade sonora que é conectada de extremos (melancólica e agressiva), pareceu-nos adequada para o filme, porque achamos que se ajusta à dualidade do dia e da noite, do espaço envolvente direito e invertido, do ruído com música e da música sem ruído. Mas existe outra dualidade que é a das imagens. As imagens que estão ou nível do observador estão dispostas na vertical, já as imagens de ampla perspectiva, de grande elevação (Cume do morro de Cacilhas) estão dispostas na horizontal. E em relação à filmagem existe também dois momentos na maneira com é feita a rotação e a pausa constante durante todo o filme. Por fim, existe uma quebra nas regras da dualidade porque as imagens utilizadas dão-nos três perspectivas diferentes (ou seja, são três grupos de imagens distintas). As regras utilizadas para o processo criativo foram simples, mas tentámos adquirir coordenação de movimento durante o filme Objectivos do estudo do território através de um filme O filme ajuda-nos a perceber e a ter uma percepção espacial diferente, o que nos permite outras maneiras de ver o território. A evolução da manipulação da realidade pode induzir em erro, mas também pode surgir como solução de ideia de projecto. Sendo que a alteração do espaço através de um observador revela diferenças na visualização da envolvente em estudo o que pode ser interessante para o estudo do território. 7.Conclusão Este projecto contribui para o conhecimento do território em estudo, ajudando a estruturar informações para a definição de uma ideia de tese de doutoramento. O desenvolvimento do todo o processo de vídeo tem no seu conteúdo, várias formas de ver a realidade de perspectivas diferentes. As perspectivas utilizadas podem ser soluções para as várias abordagens ao projecto em estudo para a tese (A zona industrial da Margueira onde se situam os antigos estaleiros da Lisnave). 9

10 8. Bibliografia CARMEL, ARTHUR, Bauhaus - Cosac e Naify, 2001 STUNGO, NAOMI,Charles and Ray Eames - Cosac e Naify,2001 DOMINGUES, Álvaro, Cidade e democracia - 30 anos de Transformação Urbana em Portugal, ARGUMENTUM Edições, Instituto Nacional de Habitação / Laboratório Nacional de engenharia Civil - Guia Técnico de Reabilitação Habitacional, INSTITUTO NACIONAL DE HABITAÇÃO / LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL, Pesquisa na internet, com relevo para os sites das instituições seguintes: Câmara Municipal de Almada; Câmara Municipal de Lisboa; Câmara Municipal do Seixal; Parque Expo. atelier CONTEMPORÂNEA ATKINS, SANTA -RITA arquitectos, RICHARD ROGERS partnership MASSAPINA arquitectos associados 10

REABILITAÇÃO URBANA E AMBIENTAL MAIO 2015

REABILITAÇÃO URBANA E AMBIENTAL MAIO 2015 REABILITAÇÃO URBANA E AMBIENTAL MAIO 2015 BAIADOTEJO,SA Empresa do Sector Empresarial do Estado Português, criada em 2009 Incorporação, por fusão, da SNESGES Administração e Gestão de Imóveis e Prestação

Leia mais

REGENERAÇÃO URBANA E AMBIENTAL A SUL DE LISBOA II SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA 15 ABRIL 2015

REGENERAÇÃO URBANA E AMBIENTAL A SUL DE LISBOA II SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA 15 ABRIL 2015 REGENERAÇÃO URBANA E AMBIENTAL A SUL DE LISBOA II SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA 15 ABRIL 2015 BAIA DO TEJO, SA Empresa do Sector Empresarial do Estado Português, criada em 2009 Incorporação, por fusão,

Leia mais

IISEMANA 15 DE ABRIL / 14H30 CONFERÊNCIA SOLOS, REABILITAÇÃO E PERIFERIAS

IISEMANA 15 DE ABRIL / 14H30 CONFERÊNCIA SOLOS, REABILITAÇÃO E PERIFERIAS INSTITUTO DA CONSTRUÇÃO E DO IMOBILIÁRIO IISEMANA DARE- ABILITAÇÃO ASSIMFOI URBANA 15 DE ABRIL / 14H30 CONFERÊNCIA SOLOS, REABILITAÇÃO E PERIFERIAS C o n f e r ê n c i a s E x p o s i ç õ e s Te r t ú

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) O plano plurianual de investimentos para 2009 tem subjacente um planeamento financeiro que perspectiva a execução dos

Leia mais

Inovação, Cultura, Ambiente e Biodiversidade

Inovação, Cultura, Ambiente e Biodiversidade Inovação, Cultura, Ambiente e Biodiversidade O projecto SONS DO ARCO RIBEIRINHO SUL acompanha o OUT.FEST Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, e procura, através de uma abordagem artística

Leia mais

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL Identificação do ponto de partida: O Município de Montijo: - Integra a Rede Portuguesa das Cidades Saudáveis, com quatro

Leia mais

Conceito territorial Projecto de requalificação Empresa pública Projecto decisivo para a criação da Cidade das duas

Conceito territorial Projecto de requalificação Empresa pública Projecto decisivo para a criação da Cidade das duas Arco Ribeirinho Sul: o que é? Conceito territorial Projecto de requalificação Empresa pública Projecto decisivo para a criação da Cidade das duas margens Oportunidade de reconversão ambiental e urbanística

Leia mais

Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra

Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra O Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra estabelece a concepção do espaço urbano, para a área de intervenção do Plano, dispondo, designadamente,

Leia mais

Reconquista da Frente Ribeirinha de Lisboa Manuel Salgado Câmara Municipal de Lisboa dmprgu.dpru.dpeu@cm- lisboa.pt

Reconquista da Frente Ribeirinha de Lisboa Manuel Salgado Câmara Municipal de Lisboa dmprgu.dpru.dpeu@cm- lisboa.pt Reconquista da Frente Ribeirinha de Lisboa Manuel Salgado Câmara Municipal de Lisboa dmprgu.dpru.dpeu@cm- lisboa.pt A requalificação da frente ribeirinha de Lisboa foram recentemente impulsionadas por

Leia mais

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Luís Matas de Sousa Director do Projecto de Requalificação Urbana da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Área

Leia mais

António Alberto Póvoas Oliveira. Curriculum Vitae

António Alberto Póvoas Oliveira. Curriculum Vitae António Alberto Póvoas Oliveira Curriculum Vitae Fafe, 2011 António Alberto Póvoas Oliveira Curriculum Vitae Fafe, 2011 Europass curriculum vitae Informação pessoal Apelido(s) - Nome(s) Morada(s) Póvoas

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO DALLAS FUNDAMENTAÇÃO DA DELIBERAÇÃO DE DISPENSA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL

PLANO DE PORMENOR DO DALLAS FUNDAMENTAÇÃO DA DELIBERAÇÃO DE DISPENSA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL FUNDAMENTAÇÃO DA DELIBERAÇÃO DE DISPENSA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL Deliberação da Reunião Câmara Municipal de 29/11/2011 DIRECÇÃO MUNICIPAL DE URBANISMO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PLANEAMENTO URBANO DIVISÃO

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA LISBOA OCIDENTAL, SRU ARTE & CONSTRUÇÃO

APRESENTAÇÃO DA LISBOA OCIDENTAL, SRU ARTE & CONSTRUÇÃO APRESENTAÇÃO DA LISBOA OCIDENTAL, SRU ARTE & CONSTRUÇÃO Lisboa, 25 de Julho de 2007 1. ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO O Município de Lisboa criou a Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental, SRU, em

Leia mais

Um projecto central na reabilitação da frente ribeirinha

Um projecto central na reabilitação da frente ribeirinha Um projecto central na reabilitação da frente ribeirinha Na frente ribeirinha de Lisboa, a poucos minutos do Parque das Nações, desenvolve-se um novo condomínio que enquadra toda a estrutura pré-existente

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) Neste orçamento, o Município ajustou, as dotações para despesas de investimento, ao momento de austeridade que o país

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ 4 DE OUTUBRO DE 2011. AVEIRO EQUIPA: Câmara Municipal de Aveiro

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 200.000,00 200.000,00 200.000,00 1.1. 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. ADMINISTRAÇÃO GERAL 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. 01 2005 ADMINISTRAÇÃO GERAL 55.000,00

Leia mais

Eng.º José Pinto Leite

Eng.º José Pinto Leite Dia 27 de Maio Investimento e sustentabilidade Eng.º José Pinto Leite Programa Polis Congresso LIDER A 09 Sustentabilidade e o POLIS José Manuel Pinto Leite IST 27/05/2009 1 Sustentabilidade e o POLIS

Leia mais

Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal

Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal Coordenação oficial: Coordenação técnica: Apoio: I Enquadramento O Plano de Acção para a Segurança Infantil (PASI) enquadra-se no projecto Europeu Child

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS:

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: Bairro da Laje, freguesia de Porto Salvo: - Parque Urbano Fase IV Os Arranjos Exteriores do Parque Urbano Fase IV do bairro da Laje, inserem-se num vasto plano de reconversão

Leia mais

A EXPO 98 E O DESENVOLVIMENTO DE LISBOA

A EXPO 98 E O DESENVOLVIMENTO DE LISBOA FEV 2007 1 A Expo 98 e o desenvolvimento de Lisboa Grande Lisboa Modelo institucional e operacional Visão estratégica Planeamento Urbano 1ª Fase antes da EXPO 98 2ª Fase pós EXPO 98 Factores chave de sucesso

Leia mais

Núcleo Empresarial de Almada Velha 26.06.08

Núcleo Empresarial de Almada Velha 26.06.08 Núcleo Empresarial de Almada Velha 26.06.08 Antecedentes Operação de Reabilitação do Núcleo Histórico da Cidade de Almada (Programa de Reabilitação Urbana) desenvolvida pela Autarquia entre 1997-2001,

Leia mais

Plano de Pormenor da Margem Direita da Foz do Rio Jamor Cálculo de Mais Valias Janeiro 2014

Plano de Pormenor da Margem Direita da Foz do Rio Jamor Cálculo de Mais Valias Janeiro 2014 CÁLCULO DE MAIS VALIAS DO PLANO PORMENOR DA MARGEM DIREITA DA FOZ DO RIO JAMOR - OEIRAS Câmara Municipal de Oeiras 1 INTRODUÇÃO Considerando que o desenvolvimento das transformações de uso do solo resultantes

Leia mais

o Urbanismo tem por objecto com a construção racional da cidade, incluindo a renovação e gestão urbanas.

o Urbanismo tem por objecto com a construção racional da cidade, incluindo a renovação e gestão urbanas. Doc 5. Proposta de Projecto de Lei Sobre a Profissão, a Prática e a Formação do Urbanista A necessidade de implementar uma política consistente de Ordenamento do Território e Urbanismo, tem determinado

Leia mais

What We re Doing For Cycling no município do Seixal

What We re Doing For Cycling no município do Seixal What We re Doing For Cycling no município do Seixal SEIXAL Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados e estudantes 47 800 ficam no concelho (50%) Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados

Leia mais

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo. Faro, 22 de maio de 2013

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo. Faro, 22 de maio de 2013 INICIATIVA JESSICA Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo Faro, 22 de maio de 2013 O Turismo na economia Peso no PIB Peso no Emprego Peso nas Exportações Peso dos Mercados O Turismo e a Regeneração Urbana

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

Promoção Imobiliária: que futuro para Lisboa?

Promoção Imobiliária: que futuro para Lisboa? REPORTAGEM AUTÁRQUICAS ALMOÇOS APPII reúne se com os candidatos à CML Promoção Imobiliária: que futuro para Lisboa? Antes do sufrágio que decidirá quem liderará os destinos da capital portuguesa durante

Leia mais

FÓRUM CIDADE GRUPO 8

FÓRUM CIDADE GRUPO 8 FÓRUM CIDADE GRUPO 8 UMA NOVA POLÍTICA URBANA Durante os doze anos (1990/2001) que esteve à frente dos destinos de Lisboa, a coligação liderada pelo Partido Socialista demonstrou uma vitalidade e uma capacidade

Leia mais

1- Breve historial do Hotel

1- Breve historial do Hotel 1- Breve historial do Hotel A Exposição Hotel da Praia do Sol História de um Tempo e de uma Praia, assinala o septuagésimo quinto aniversário deste hotel e não poderíamos deixar passar esta data tão importante

Leia mais

CONJUNTO COMERCIAL CENTRO COMERCIAL DE PORTIMÃO

CONJUNTO COMERCIAL CENTRO COMERCIAL DE PORTIMÃO CONJUNTO COMERCIAL CENTRO COMERCIAL DE PORTIMÃO RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJECTO DE EXECUÇÃO (RECAPE) SUMÁRIO EXECUTIVO JULHO DE 2008 Inovação e Projectos em Ambiente 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Execução Anual das Grandes Opções do Plano

Execução Anual das Grandes Opções do Plano das Grandes Opções do Plano 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO BÁSICO 01 01 /1 Infraestruturas de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 01 /1 1 Centro Escolar de Caria 0102 07010305 E

Leia mais

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Ação Piloto para a Regeneração Urbana Avenida da Liberdade, Braga Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Cientes da importância de promover uma intervenção capaz de revitalizar o centro histórico

Leia mais

INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA

INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA Mestrado em Geografia, Esp. em Urbanização e Ordenamento do Território O planeamento urbano e o ordenamento territorial estratégico: O papel das politicas de

Leia mais

MAPA DE RUÍDO DO MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

MAPA DE RUÍDO DO MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE FAMALICÃO MAPA DE RUÍDO DO MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE FAMALICÃO Actualização segundo o D.L. 9/2007, 17 de Janeiro RESUMO NÃO TÉCNICO Equipa Técnica do Mapa de Ruído: Luís Conde Santos, Director do Laboratório Susana

Leia mais

~lv%p PARTIDO DA TERRA

~lv%p PARTIDO DA TERRA ~lv%p ASSI ML3LEIA MUNICIPAL L 1 S 130 A RECOMENDACÃO N. Pela Reabilitação do Terreiro das Missas em Belém 1. O Terreiro das Missas está localizado junto à Estação Fluvial de Belém, dispõe de uma extensa

Leia mais

Política de Desenvolvimento Sustentável

Política de Desenvolvimento Sustentável Política de Desenvolvimento Sustentável - Principais Linhas de Orientação - 1. Valorização do porto operacional 2. Valorização das frentes ribeirinhas 2.1. Qualificação / Integração 2.2. Preservação e

Leia mais

O SISTEMA DE. Álvaro Seco SISTEMA DE MOBILIDADE DO MONDEGO

O SISTEMA DE. Álvaro Seco SISTEMA DE MOBILIDADE DO MONDEGO O Álvaro Seco ÍNDICE 1. Resenha Histórica 2. O Presente Mudança de Paradigma Breve Descrição da Rede 3. O Faseamento do Projecto 4. Os Desafios Futuros 1. RESENHA HISTÓRICA 1 RESENHA HISTÓRIA O PROBLEMA

Leia mais

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES Trabalho de Projecto AS NOSSAS EMBARCAÇÕES Disciplinas intervenientes: Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Tecnológica. Tópicos que podem ser tratados

Leia mais

Centro de Arqueologia de Almada Actividades de Educação Patrimonial. Campo de Simulação Arqueológica

Centro de Arqueologia de Almada Actividades de Educação Patrimonial. Campo de Simulação Arqueológica Centro de Arqueologia de Almada Actividades de Educação Patrimonial Facilitar a apropriação de memórias colectivas pelas novas gerações. O departamento pedagógico do Centro de Arqueologia de Almada, vocacionado

Leia mais

E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE

E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE O Contributo da Reabilitação da Baixa Portuense e do Centro Histórico para a Cidade do Porto Como Cidade Competitiva Como Cidade Pátria Como Cidade

Leia mais

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo INICIATIVA JESSICA Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo Porto, 28 de novembro de 2012 Objectivo do FDU - Turismo Promover o desenvolvimento de projetos de investimento que contribuam para a regeneração,

Leia mais

INTERVENÇÃO. Rede viária

INTERVENÇÃO. Rede viária INTERVENÇÃO Rede viária Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhora e Senhores Membros do Governo Os governos formados pelo Partido Socialista na Região Autónoma dos Açores têm realizado investimentos

Leia mais

Termos de Referência do Plano de Urbanização do Vale dos Socorridos ÍNDICE

Termos de Referência do Plano de Urbanização do Vale dos Socorridos ÍNDICE ÍNDICE 1- Introdução... 2 2 - Enquadramento Legal do Plano... 2 3 - Enquadramento Territorial da Área de Intervenção... 3 4 - Base Programática para o Desenvolvimento da Solução Urbanística... 5 4.1 Caracterização

Leia mais

Fernando Nunes da Silva. Mobilidade e Acessibilidade Dois conceitos complementares para a regeneração dos centros urbanos

Fernando Nunes da Silva. Mobilidade e Acessibilidade Dois conceitos complementares para a regeneração dos centros urbanos Fernando Nunes da Silva Mobilidade e Acessibilidade Dois conceitos complementares para a regeneração dos centros urbanos Mobilidade e Acessibilidade MAIO 11 Fonte: terrasdeportugal.wikidot.com dois conceitos

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO 1. MOTIVAÇÕES E PREOCUPAÇÕES Condicionantes à Mobilidade Problemática Específica Articulação entre as decisões urbanísticas

Leia mais

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos.

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos. Agenda Objectivo Enquadramento Historial Equipa Arquitectura MuniSIG Web Casos Práticos ArcGIS Mobile Futuro Objectivo Criar uma infra-estrutura de suporte a todas as aplicações de informação geográfica

Leia mais

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos (signação da autarquia local) Município Valença do Plano Plurianual Investimentos (unida: ) 01 FUNÇÕES GERAIS 01 001 SERVIÇOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 01 001 2010/1 AQUISIÇÃO, CONSTRUÇÃO, CONSERVAÇÃO

Leia mais

Trabalho Prático. Breve descrição de conceitos e desenvolvimento teórico da temática

Trabalho Prático. Breve descrição de conceitos e desenvolvimento teórico da temática Trabalho Prático Designação do Projecto Proposta de Valorização da Zona Ribeirinha do Montijo Tema Cidades Saudáveis e Respostas Locais Breve descrição de conceitos e desenvolvimento teórico da temática

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

Expansão da Plataforma Logística

Expansão da Plataforma Logística CÂMARA U1 Expansão da Plataforma Logística RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO DA DISCUSSÃO PÚBLICA DA PROPOSTA DE DELIMITAÇÃO E RESPECTIVO PROGRAMA-BASE DIVISÃO DE PLANEAMENTO E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO D EZ E M

Leia mais

A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do. setor do turismo, enquanto elemento integrante da oferta turística e que

A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do. setor do turismo, enquanto elemento integrante da oferta turística e que INICIATIVA JESSICA Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo Lisboa, 21 de janeiro de 2013 O Turismo na economia Peso no PIB Peso nas Exportações Peso no Emprego 63% Peso dos Mercados 37% Mercado Estrangeiro

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2016

PLANO DE ATIVIDADES 2016 APROVADO EM ASSEMBLEIA GERAL 28/11/2015 APROVADO EM ASSEMBLEIA GERAL - 28/11/2015 ÍNDICE 1. ARQUEOLOGIA... 3 1.1. Projetos de Investigação... 3 1.2. Ações de acompanhamento e salvaguarda do património

Leia mais

Área de Reabilitação Urbana de Vila Nova de Cerveira. Proposta de Delimitação

Área de Reabilitação Urbana de Vila Nova de Cerveira. Proposta de Delimitação Área de Reabilitação Urbana de Vila Nova de Cerveira Proposta de Delimitação Fevereiro de 2015 Índice Introdução... 2 Memória Descritiva e Justificativa... 4 Critérios Subjacentes à delimitação da ARU...

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta do Senhor Presidente e do Vereador Senhor Eng.º Sérgio Manuel

Leia mais

O PORTO DE LISBOA E A GOLADA DO TEJO

O PORTO DE LISBOA E A GOLADA DO TEJO Síntese do ciclo de conferências «O Porto de Lisboa e a Golada do Tejo», apresentada na Academia de Marinha pelo Académico Emérito almirante Francisco Vidal Abreu, em 26 de Janeiro de 2010 1. Introdução

Leia mais

"Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios"

Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios "Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios" Oferecer o que temos, somos e fazemos como produto turístico Vasco Estrela Presidente da Câmara Municipal de Mação Cultura e Turismo

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL

ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL Entre: o Município de Lisboa, pessoa coletiva n.º 500051070, com sede na Praça do Município, em Lisboa, neste ato representado pelo Presidente da Câmara Municipal, António

Leia mais

Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa

Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa HORTO DO CAMPO GRANDE MAGAZINE 14 HORTO DO CAMPO GRANDE MAGAZINE 15 FOTOS: Miguel Serradas Duarte FOTOS: Miguel Serradas Duarte Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa HORTO

Leia mais

Os pequenos nadas. Uma criação de Anton Coimbra e Nuno Pinto. Produçao de Último Comboio.

Os pequenos nadas. Uma criação de Anton Coimbra e Nuno Pinto. Produçao de Último Comboio. Os pequenos nadas Uma criação de Anton Coimbra e Nuno Pinto. Produçao de Último Comboio. "Teatro artesanal (...) Tudo em vista: a máquina de cinema minúscula, que eles resgataram do desmantelamento, os

Leia mais

Plano de Pormenor da Margem Direita da Foz do Rio Jamor Programa de Execução e Plano de Financiamento Janeiro 2014

Plano de Pormenor da Margem Direita da Foz do Rio Jamor Programa de Execução e Plano de Financiamento Janeiro 2014 PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO DO PLANO PORMENOR DA MARGEM DIREITA DA FOZ DO RIO JAMOR - OEIRAS Câmara Municipal de Oeiras ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 2 2 OBJECTIVOS DO PP... 2 2.1 Objectivos

Leia mais

CATARINA VIEIRA ARQUITECTA PAISAGISTA CURRICULUM VITAE

CATARINA VIEIRA ARQUITECTA PAISAGISTA CURRICULUM VITAE 03 2013 IDENTIFICAÇÃO Nome: Catarina Pinto da Fonseca Camacho Vieira Morada: Bairro Alto, Travessa da Espera, n.º40, 3.º, 1200-176 Lisboa Telemóvel: 964 420 524 E-mail: catarinafvieira@gmail.com Nacionalidade:

Leia mais

Centro Histórico de Santarém: Como integrar a herança cultural nos desafios do futuro?

Centro Histórico de Santarém: Como integrar a herança cultural nos desafios do futuro? Centro Histórico de Santarém: Como integrar a herança cultural nos desafios do futuro? Vive-se um tempo de descrédito, generalizado, relativamente às soluções urbanísticas encontradas para o crescimento

Leia mais

Em 1951 foi fixada a respectiva ZEP, publicada no Diário do Governo (II Série) n.º 189 de 16/08/1951, que inclui uma zona non aedificandi.

Em 1951 foi fixada a respectiva ZEP, publicada no Diário do Governo (II Série) n.º 189 de 16/08/1951, que inclui uma zona non aedificandi. INFORMAÇÃO DSBC/DRCN/09 data: 14.01.2009 cs: 597682 Processo nº: DRP/CLS - 2398 Assunto: Revisão da Zona Especial de Protecção do Santuário de Panóias, freguesia de Panóias, concelho e distrito de Vila

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A partir de meados do século xx a actividade de planeamento passou a estar intimamente relacionada com o modelo racional. Uma das propostas que distinguia este do anterior paradigma era a integração

Leia mais

Porto de Lisboa. Desenvolvimento portuário e Competitividade. Dr. Manuel Frasquilho. Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa

Porto de Lisboa. Desenvolvimento portuário e Competitividade. Dr. Manuel Frasquilho. Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa Porto de Lisboa Desenvolvimento portuário rio, Logística e Competitividade Dr. Manuel Frasquilho Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa 18 de Abril de 2007 Porto de Lisboa Porto de

Leia mais

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS (Aberto a todos os Cidadãos) 1. O QUE É: O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de

Leia mais

Figueira da Foz REGENERAÇÃO URBANA - UM NOVO PASSO

Figueira da Foz REGENERAÇÃO URBANA - UM NOVO PASSO Figueira da Foz REGENERAÇÃO URBANA - UM NOVO PASSO porquê a Figueira da Foz? Cidade com dimensão para a intervenção pretendida e alinhamento estratégico com a Autarquia Núcleo urbano com potencial de regeneração

Leia mais

Torre Vasco da Gama recebe hotel

Torre Vasco da Gama recebe hotel Torre Vasco da Gama recebe hotel O EDIFÍCIO mais alto do país, construído como ícone da Expo' 98, vai acolher um hotel de luxo a partir de Setembro. A antiga Torre Vasco da Gama vai ser transformada no

Leia mais

Plano PluriAnual de Investimentos do ano 2014

Plano PluriAnual de Investimentos do ano 2014 Plano PluriAnual Investimentos do ano (b)=+ finido não finido previsto +++ 1 FUNÇÕES GERAIS 1 001 ADMINISTRAÇÃO GERAL 1 001 2002/2 Aquisição mobiliário 0102 070109 O 01 01/2002 12/ 4 17.288 1 001 2002/3

Leia mais

CURRICULUM VITAE. VITOR MANUEL ROSAS DA SILVA Arquitecto

CURRICULUM VITAE. VITOR MANUEL ROSAS DA SILVA Arquitecto CURRICULUM VITAE VITOR MANUEL ROSAS DA SILVA Arquitecto FEVEREIRO 2013 INDICE I- IDENTIFICAÇÃO... 1 II- RESUMO CURRICULAR... 2 III- CONFERÊNCIAS, PUBLICAÇÕES E EXPOSIÇÕES... 3 IV- PRÉMIOS... 3 V- OBRAS

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 3/A/2004

RECOMENDAÇÃO Nº 3/A/2004 Número: 3/A/2004 Data: 22-03-2004 Entidade visada: Presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva Processo: P-1/04 Área: A1 Assunto: Concurso Chefe da Divisão Municipal de Planeamento, Urbanismo e

Leia mais

II Convenção Sou de Peniche

II Convenção Sou de Peniche II Convenção Sou de Peniche Apresentação Junho 2008 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 1. Caso de Peniche 2. Avaliação e Diagnóstico 3. Factores Críticos 4.Recomendações de Politicas e Acções II Convenção Sou de Peniche

Leia mais

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES. Disciplinas intervenientes Língua Portuguesa, História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Tecnológica.

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES. Disciplinas intervenientes Língua Portuguesa, História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Tecnológica. Disciplinas intervenientes Língua Portuguesa, História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Tecnológica. 1 Motivação. Audição e leitura de um texto (ver Anexo 1). Visita à Base Naval do Alfeite (ver

Leia mais

1. Funções gerais 377.419,00 377.419,00 377.419,00. 1.1. Serviços gerais de 230.507,00 230.507,00 230.507,00 administração pública

1. Funções gerais 377.419,00 377.419,00 377.419,00. 1.1. Serviços gerais de 230.507,00 230.507,00 230.507,00 administração pública PÁGINA : 1 1. Funções gerais 377.419,00 377.419,00 377.419,00 1.1. Serviços gerais de 230.507,00 230.507,00 230.507,00 administração pública 1.1.1. Administracao geral 230.507,00 230.507,00 230.507,00

Leia mais

especiais por ano, garantindo a máxima capacidade de transporte para jogos de futebol, concertos e outras celebrações de massas.

especiais por ano, garantindo a máxima capacidade de transporte para jogos de futebol, concertos e outras celebrações de massas. O Metro do Porto O Metro é um sistema de transportes públicos da Área Metropolitana do Porto e combina uma rede ferroviária subterrânea, no centro da cidade, com linhas à superfície em meio urbano e diversos

Leia mais

região região açores região açores região açores região açores açores açores açores açores 01 adeliaçor 02 arde 03 asdepr 04 grater minha terra 55

região região açores região açores região açores região açores açores açores açores açores 01 adeliaçor 02 arde 03 asdepr 04 grater minha terra 55 minha terra 0 adeliaçor 0 arde 0 asdepr 04 grater 04 0 0 0 adeliaçor são jorge, pico, faial, flores e corvo www.adeliacor.org Faial Soja Herberto Soares Produtos de Soja, Sociedade Unipessoal, Lda. Freguesia

Leia mais

MAPA DE RUÍDO DO TERRITÓRIO MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO RESUMO NÃO TÉCNICO

MAPA DE RUÍDO DO TERRITÓRIO MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO RESUMO NÃO TÉCNICO Câmara Municipal de Viana do Castelo MAPA DE RUÍDO DO TERRITÓRIO MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO Novembro de 2008 MAPA DE RUÍDO DO TERRITÓRIO MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO Equipa Técnica: José F. G. Mendes,

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO FARO 2025. Notas de apresentação do Presidente da Câmara Municipal, José Macário Correia

PLANO ESTRATÉGICO FARO 2025. Notas de apresentação do Presidente da Câmara Municipal, José Macário Correia PLANO ESTRATÉGICO FARO 2025 Notas de apresentação do Presidente da Câmara Municipal, José Macário Correia 18 de junho de 2013 1 1 - Porquê um Plano Estratégico Pensar e planear é o que se exige aos responsáveis

Leia mais

Estação de Aveiro. 1 http://www.trainlogistic.com

Estação de Aveiro. 1 http://www.trainlogistic.com Estação de Aveiro 1 http://www.trainlogistic.com A Estação Ferroviária de Aveiro, também conhecida como Estação de Aveiro, é uma interface ferroviária da Linha do Norte, que serve a localidade de Aveiro,

Leia mais

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DO ANO 2015 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DO ANO 2015 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 30.951,63 10.509,00 960.567,00 960.567,00 42.565,00 1.044.592,63 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 30.951,63 10.509,00 960.567,00 960.567,00 42.565,00 1.044.592,63 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

Criar uma relação forte entre os seus factores fundamentais:

Criar uma relação forte entre os seus factores fundamentais: Criar uma relação forte entre os seus factores fundamentais: História e herança A economia local dominante A sua classe criativa, mas não suficientemente forte A sua cultura de inovação, essa sim impregnada

Leia mais

Ex.ª Srª. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal

Ex.ª Srª. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal Ex.ª Srª. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal Exm.º Sr. Presidente da Câmara Exmos. Srs. Vereadores Caros Colegas Ilustres presentes Relativamente à proposta 313 de 2014, que visa apreciar as Demonstrações

Leia mais

Pretendemos por este meio dar a conhecer as áreas de intervenção da nossa empresa, na expectativa do vosso interesse.

Pretendemos por este meio dar a conhecer as áreas de intervenção da nossa empresa, na expectativa do vosso interesse. Energia sem limites Lic. n.º 38549 Amorlux Projectos e Instalações Eléctricas, Lda. Amorlux, Projectos e Instalações Eléctricas, Lda, fundada em 1994, é uma empresa Portuguesa com ampla e reconhecida experiência

Leia mais

Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE VIANA DO CASTELO - NÚCLEO DO CABEDELO

Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE VIANA DO CASTELO - NÚCLEO DO CABEDELO Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE VIANA DO CASTELO - NÚCLEO DO CABEDELO SÍNTESE METODOLÓGICA Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO

Leia mais

ESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA AUTOCARAVANAS ESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA AUTOCARAVANAS PROJECTO TÉCNICO

ESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA AUTOCARAVANAS ESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA AUTOCARAVANAS PROJECTO TÉCNICO ESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA AUTOCARAVANAS PROJECTO TÉCNICO INTRODUÇÃO O Clube Autocaravanista Saloio, é uma associação sem fins lucrativos, com personalidade jurídica e que se dedica à promoção, implementação

Leia mais

Urban Analytics AcceleratingtheDevelopmentofSmartCitiesinPortugal

Urban Analytics AcceleratingtheDevelopmentofSmartCitiesinPortugal Urban Analytics AcceleratingtheDevelopmentofSmartCitiesinPortugal Iniciativa do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Promoção da Direção Geral do Território com a colaboração das

Leia mais

ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA AVENIDA/ANTIGO CAMPO DA FEIRA

ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA AVENIDA/ANTIGO CAMPO DA FEIRA IGREJA E CONVENTO DE SÃO FRANCISCO PROCESSO 20/09 ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DA AVENIDA/ANTIGO CAMPO DA FEIRA 2014 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR-O-NOVO ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DE 2014 1 ÍNDICE DOCUMENTO

Leia mais

Exposição "Há pesca em Vila do Conde"

Exposição Há pesca em Vila do Conde 1 Exposição "Há pesca em Vila do Conde" 27 de Agosto 13 de Novembro 2009 CMIA de Vila do Conde I - Temática Localizada na margem Norte da foz do rio Ave, Vila do Conde é um importante centro industrial,

Leia mais

dicas para fazer vídeos

dicas para fazer vídeos dicas para fazer vídeos idealista oferece a possibilidade de integrar vídeos num anúncio, utilizando as últimas tecnologias de streaming-vídeo, de um modo rápido e simples além do vídeo profissional, com

Leia mais

Projecto. Normas de Participação

Projecto. Normas de Participação Projecto Normas de Participação PREÂMBULO Num momento em que o mundo global está cada vez mais presente na vida das crianças e jovens, consideraram os Municípios da Comunidade Intermunicipal da Lezíria

Leia mais

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo Cecília Branco Programa Urbal Red 9 Projecto Orçamento Participativo Reunião de Diadema Fevereiro 2007 A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento Participativo Município

Leia mais

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães processo de modernização administrativa prestação de um melhor serviço aos cidadãos utilização mais eficiente dos seus recursos no

Leia mais

Largo Ramos da Costa, 7520 Sines. Responsável pelos sectores de Eletricidade e de Serralharia da Autarquia.

Largo Ramos da Costa, 7520 Sines. Responsável pelos sectores de Eletricidade e de Serralharia da Autarquia. M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Oliveira, José Manuel Santana De Oliveira Morada Praceta Nau Roxo, Lote n.º 5 Sines 7520-268 SINES Telefone 961740416 Fax 269630239 Correio electrónico

Leia mais

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196. 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.916,00 1 ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO 116.500,00 93.625,00 100.574,00 103.487,00 1 Apoios e subsídios CM 13 18 5 05-06-02-03-99 1.000,00 1.030,00 2.122,00

Leia mais

Portfólio de Nuno Oliveira

Portfólio de Nuno Oliveira Portfólio de Nuno Oliveira Curriculum Vitae Nascido a 14 de Novembro de 1984 em Tomar, ingressou na faculdade de arquitectura da universidade do Porto em 2002. Esteve presente na anuária de 2003/04 em

Leia mais

3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa

3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa 3. Turismo e Lazer na Região de Lisboa 1. PRESSUPOSTOS O presente documento procura sintetizar várias contribuições para a definição, no horizonte de 2020, de uma estratégia, de um conjunto de medidas

Leia mais

Artigo de opinião GADEC, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo

Artigo de opinião GADEC, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo Artigo de opinião GADEC, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo Carta Estratégica de Montemor-o-Novo 2007>2017 Com uma União Europeia, de orientação neo-liberal, integrada por 25 países, com a entrada em

Leia mais