GERENCIAMENTO DE CUSTOS NO SISTEMA CONSTRUTIVO DE GESSO ACARTONADO,"DRYWALL"

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GERENCIAMENTO DE CUSTOS NO SISTEMA CONSTRUTIVO DE GESSO ACARTONADO,"DRYWALL""

Transcrição

1 GERENCIAMENTO DE CUSTOS NO SISTEMA CONSTRUTIVO DE GESSO ACARTONADO,"DRYWALL" Maria de Fátima Gouvêa POUBEL Arquiteta, Professora de Edificações, Mestranda em Engenharia de Produção, pela Universidade Federal Fluminense. Rua Passo da Pátria, n. 156, sala São Domingos - Niterói -CEP: Rio de Janeiro (RJ) Brasil - Correio eletrônico : Luis Ernesto Torres GUARDIA D.Sc., Matemático., Prof. do Mestrado em Engenharia de Produção UFF, Rua Passo da Pátria, n. 156, sala São Domingos Niterói -CEP: Rio de Janeiro (RJ) Brasil Correio eletrônico: Eduardo Linhares QUALHARINI D.Sc., Eng., Prof. da Esc. Politécnica e do PROARQ - FAU da UFRJ, Av. Brig. Trompowsky, s/n, Centro de Tecnologia, bloco D -207, Ilha do Fundão, Caixa Postal: , CEP , Rio de Janeiro (RJ) Brasil Correio eletrônico: RESUMO Num projeto para produção, a tecnologia envolvida deve surgir junto com os estudos de viabilidade físico-financeiras. Cada fase de pensar o projeto de forma "enxuta", é fundamental. Especial atenção deve ser dada na forma efetiva de aplicar os recursos tecnológicos, evitando que as decisões sejam tomadas nos canteiros. Para alcançar a racionalização e a redução de custos,os projetos a serem desenvolvidos utilizando a tecnologia dos sistemas de gesso acartonado, deverão passar por duas etapas.na primeira, serão determinadas e avaliadas as interfaces do gesso acartonado, com as demais áreas de projeto. Na segunda, a interface com a produção propriamente dita. 1. O PROCESSO DE PRODUÇÃO É importante ressaltar que quanto mais complexo for o produto, por exemplo, uma edificação, tanto mais difícil será a decisão a ser tomada, em função das várias possibilidades. Uma escolha acertada é fruto de uma decisão racional, na qual se procura atingir a máxima produtividade.esta, representa uma relação entre insumos e produtos: quanto maior este índice,tanto melhor o rendimento do processo. A produtividade na construção civil, pode ser melhorada através de um conjunto de modificações estruturais, tecnológicas, organizacionais, motivações psicológicas e das condições de trabalho. Racionalizar a construção, é um processo de produção, é dar uma estrutura orgânica e contínua ao processo de edificar, substituindo práticas rotineiras convencionais, por recursos e métodos baseados no raciocínio tecnológico e sistematizado, visando eliminar a casualidade nas decisões. A produtividade na construção civil, é alcançada quando utiliza processos construtivos racionais, que têm efeito sobre a edificação/ produto, tanto quanto a edificação/ processo. A gestão da produção de maneira sistêmica, envolvea padronização dos projetos, a escala de produção, o cultivo de poucas e constantes parcerias, facilitam a aplicação da "Lean Construction" ( Sistema de Construção Enxuta).

2 FIGURA Fonte : Revista téchne, n 36 - set/out-98. P.29 A "Lean Construction" determina que a produção de projetos executivos e as especificações técnicas, devem ser feitas a partir do "Lean Design", que transforma cada item previsto no projeto em diretrizes a serem seguidas por parte das equipes de trabalho no canteiro de obras. A "Lean Construction" alcança a gestão da cadeia de suprimentos na forma de "Lean Supply" que enfoca a otimização de materiais e mão de obra além dos aspectos financeiros. Esta abordagem faz com que a obra, seja qual for o sistema construtivo utilizado, se desenvolva num ritmo que facilita o controle de qualidade, os processos de logística do canteiro,voltada para redução das perdas em cada etapa da obra, obtendo-se um ambiente operacional de alta tecnologia e competitividade A EDIFICAÇÃO COMO PRODUTO INDUSTRIAL Considerando que produção é a atividade na qual os recursos, partindo de um sistema definido, são reunidos e transformados de uma forma controlada, a fim de agregar valor, de acordo com os objetivos empresariais; e que o objetivo da industria da construção civil é gerar um produto habitável,( produto, entendido aqui como resultado de atividades ou processos); torna-se condição imprescindível que haja por parte dos incorporadores, um planejamento rigoroso, padronização de procedimentos e novas tecnologias, garantindo uma obra enxuta, rentável e sem desperdício. Repensar a maneira de construir, é o caminho mais curto para obter qualidade sem estourar os custos. A respeito de custos, há cerca de aproximadamente quinze anos, pode-se constatar que no caso da construção civil, as empresas atingiam um confortável resultado que absorvia as perdas oriundas não só de uma gestão econômica inadequada, como também da falta de tecnologia. Hoje este confortável resultado, dá lugar ao limite da viabilidade econômica do negócio da construção.o gráfico a seguir ilustra esta afirmativa.

3 GRÁFICO 1 - Lucros x Riscos - Fonte : Revista Construção Mercado, n 3 - out P.51 Contudo, se de um lado as margens de lucro diminuíram ao longo do tempo, do outro, os processos, equipamentos e materiais de construção evoluíram reduzindo alguns riscos, oriundos da incapacidade das pessoas ou dos sistemas. Antes, o controle de custos era feito de forma quase artesanal. Hoje, com a tecnologia de informação e a grande quantidade de sistemas e softwares, permitem que as construtoras tracem novas estratégias,vislumbrando vantagens competitivas.pode-se afirmar que planejar a estratégia de custos é um grande desafio O Sistema de Planejamento de Custos Uma obra divide-se em etapas, cada uma delas com suas especificidades e procedimentos próprios tais como, projetos, planejamento, recursos humanos e assistência técnica entre outros. Estes procedimentos e suas interfaces caracterizam o processo construtivo. Um exemplo seriam as vedações internas, cuja execução está dentro do processo de construção da unidade habitacional, que encontra-se inserida no complexo da construção do empreendimento. Nesta linha de pensamento, pode-se entender que o processo construtivo é formado de subprocessos, etapas de obra, tais como estrutura, instalações, revestimentos entre outros.cada um destes sub-processos interagem entre si e por vezes atrazam e/ou dificultam as finalizações até o momentos dos acabamentos finais.esta situação leva necessariamente ao retrabalho, desperdício de materiais e mão de obra (horas/homem trabalhadas) acarretando consequentemente, baixa produtividade. Desta forma o processo construtivo é composto de sistemas construtivos diversos, que formam uma opção tecnológica da produção dos componentes à montagem na qual estão incluídos os materiais, a mão de obra e os diferentes equipamentos. Esta opção tecnológia da produção, deve conduzir à escolha de sistemas racionalizados, que levem em conta um planejamento global que prevê: eliminação do desperdício diminuição dos custos melhorar a qualidade Do mesmo modo, os sistemas que utilizam processos e métodos de produção em série (no caso da pré-fabricação), no qual são utilizados equipamentos mecânicos e automatizados têm como objetivo reduzir: quantidade de material utilizado custo e o tempo necessário à execução

4 O resultado disso é o aumento da qualidade e a integração dos componentes construtivos.este aumento da qualidade conduz à competitividade do mercado, que busca sistematicamente no processo construtivo: 1. redução de custos 2. exigências de qualidade 3. desempenho dos produtos industrializados Nesta realidade de transformações por que passa a construção civil, aliada às consequências da globalização, à abertura da economia a mercado internacional, novos sistemas construtivos, baseados na racionalização dos processos construtivos, que interagem com outros sistemas, vêm sendo introduzidos com vistas à otimização da qualidade e produtividade. Neste cenário, o sistema construtivo utilizando paredes de gesso acartonado, "Dry wall", surge como uma das grandes promessas de um sistema no qual se identificados e revertidas suas limitações, veio para ficar. Levando-se em conta o déficit habitacional na construção civil, este deveria ser solucionado com uma maior produtividade.o modo artesanal de construir, não terá mais espaço daqui para frente.isto é, o acabamento do produto final, a edificação,deverá ser artesanal mas, a produção devera ser industrial. Para isso, há que se mudar a concepção do projeto, a gestão e o planejamento da obra; incluindose aqui também o canteiro de obra, que deverá ser a primeira fábrica. O sistema construtivo utilizando paredes de gesso acartonado, mais uma vêz,vem de encontro a esta mudança com vistas a redução dos custos globais da obra. 3. CONSIDERAÇÕES Como prova de de que é possível se repensar em orçamentos mais enxutos com redução de custos, algumas empresas de construção, entre elas a INPAR (1), a TATI & TAEL (2), e a RMA (1),têm executado suas obras em regime de linha de produção, desenvolvendo absoluta coordenação e controle sobre a execução, tornando o processo construtivo mais simples e racional, aumentando a produtividade, minimizando falhas humanas, retrabalho e perdas. No caso da Construtora TATI e TAEL por exemplo, o alívio considerável na carga total, em função da utilização de paredes de gesso acartonado, gerou redução significativa do custo de estrutura e fundações( que correspondem a variações de 14% a 22% e de 3% a 7% respectivamente dos percentuais dos gastos por etapa de obra) (3),. Tudo isso fica mais viável quando as empresas que utilizam sistemas construtivos racionais e inovadores, adotam parcerias, nas quais os parceiros e/ou fornecedores, são constantemente avaliados através de critérios de qualificação e credenciamento, tomando por base um sistema de qualidade, capacidade em cumprir prazos, e cumplicidade. Isso, representa uma otimização da relação tempo de obra x custo fixo, precisão e controle do cronograma físico-financeiro, evitando-se custos indesejáveis e aportes financeiros extras, contribuindo significativamente para a qualidade do produto final. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Gesso para Construção Civil - especificação: NBR 13207/94. GOLDMAN, Pedrinho.Introdução ao Planejamento e Controle de Custos na Construção Civil. Editora PINI LTDA- 2 edição, jun/1991 INSTITUTO DE PESQUISA TECNOLÓGICA -IPT. Referências Técnicas n. 12. e 13 - São Paulo, SP. KNAUF DO BRASIL. Diálogo Construtivo.Ano 4- n. 14-abril/2001

5 PLACO DO BRASIL. Caderno de Produtos s/ n REVISTA CONSTRUÇÃO MERCADO n.2 - set/01 e nº 3 - out/2001 REVISTA TÉCHNE.: n. 30, 34,36, 44, 50. ROSSO, Teodoro. Racionalização da Construção.Editora FAUSP. São Paulo-SP, SOUZA, R. et. al. Sistema de Gestão de Qualidade para Empresas Construtoras. Editora PINI LTDA..São Paulo, XI SEMINÁRIO DE SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS INTEGRADAS - Paredes de gesso Acartonado e Sistemas Complementares. Anais. Porto Alegre-RS, ago/2001 Notas: (1) Revista Construção Mercado, n 3- out/2001- In Como Avaliar o fornecedor, artigo.p.42. (2) XI SEMINÁRIO DE SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS INTEGRADAS - Paredes de gesso Acartonado e Sistemas Complementares. In Depoimentos Anais. Porto Alegre-RS, ago/2001. (3) Revista Arquitetura e Construção, - out/2001- In Gastos por etapa de obra.p.109.

CONTRIBUIÇÃO AO PROCESSO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS SOB A PESPECTIVA DO ATENDIMENTO DAS EXIGÊNCIAS DOS USUÁRIOS PREVISTAS NA NBR 15575

CONTRIBUIÇÃO AO PROCESSO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS SOB A PESPECTIVA DO ATENDIMENTO DAS EXIGÊNCIAS DOS USUÁRIOS PREVISTAS NA NBR 15575 CONTRIBUIÇÃO AO PROCESSO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS SOB A PESPECTIVA DO ATENDIMENTO DAS EXIGÊNCIAS DOS USUÁRIOS PREVISTAS NA NBR 15575 Marilda Ribeiro de ANDRADE (1); Tatiana Gondim do AMARAL (2)

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 STEEL FRAMING: COMPARATIVO DE CUSTOS E AS NOVAS PERSPECTIVAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE UBERABA Jéssica Cristina Barboza 1 ; Amanda Bernardes Ribeiro 2 ; Cássia Fernanda Borges da Silva 3 ; Pedro

Leia mais

ANÁLISE DA SITUAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DO ESTADO DO CEARÁ QUANTO À IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DA QUALIDADE.

ANÁLISE DA SITUAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DO ESTADO DO CEARÁ QUANTO À IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DA QUALIDADE. ANÁLISE DA SITUAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DO ESTADO DO CEARÁ QUANTO À IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DA QUALIDADE. João Adriano Ponciano NOBRE Graduando de Eng.º Civil, Universidade Federal do Ceará, Rua Waldery

Leia mais

DIRETRIZES PARA A MELHORIA DO PROJETO DO SUBSISTEMA ELEVADORES DE EDIFÍCIOS UTILIZANDO CONCEITOS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

DIRETRIZES PARA A MELHORIA DO PROJETO DO SUBSISTEMA ELEVADORES DE EDIFÍCIOS UTILIZANDO CONCEITOS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS DIRETRIZES PARA A MELHORIA DO PROJETO DO SUBSISTEMA ELEVADORES DE EDIFÍCIOS UTILIZANDO CONCEITOS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Marcelo Menna Barreto AZAMBUJA M.Sc., Eng., Pesquisador do Núcleo Orientado

Leia mais

A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE

A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE A NECESSIDADE DE UMA NOVA VISÃO DO PROJETO NOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL, FRENTE À NOVA REALIDADE DO SETOR EM BUSCA DA QUALIDADE ULRICH, Helen Departamento de Engenharia de Produção - Escola de Engenharia

Leia mais

A organização e a gestão da produção nas Pequenas e Médias Empresas de edificações de Juiz de Fora/MG

A organização e a gestão da produção nas Pequenas e Médias Empresas de edificações de Juiz de Fora/MG A organização e a gestão da produção nas Pequenas e Médias Empresas de edificações de Juiz de Fora/MG Maria Aparecida Hippert Cintra (UFJF) ahippert@civil.ufjf.br Ricardo Manfredi Naveiro (UFRJ) ricardo@pep.ufrj.br

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO NAS ÁREAS DE QUALIDADE, MEIO AMBIENTE E DE SEGURANÇA DO TRABALHO EM EMPRESAS CONSTRUTORAS ALEMÃS

INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO NAS ÁREAS DE QUALIDADE, MEIO AMBIENTE E DE SEGURANÇA DO TRABALHO EM EMPRESAS CONSTRUTORAS ALEMÃS INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO NAS ÁREAS DE QUALIDADE, MEIO AMBIENTE E DE SEGURANÇA DO TRABALHO EM EMPRESAS CONSTRUTORAS ALEMÃS Kátia Regina Alves Nunes Engenheira Civil pela Universidade do Estado

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DO PROCESSO DE PROJETO PARA ALVENARIAS EM GESSO ACARTONADO, O DRYWALL E SEUS SISTEMAS COMPLEMENTARES.

PLANEJAMENTO E CONTROLE DO PROCESSO DE PROJETO PARA ALVENARIAS EM GESSO ACARTONADO, O DRYWALL E SEUS SISTEMAS COMPLEMENTARES. PLANEJAMENTO E CONTROLE DO PROCESSO DE PROJETO PARA ALVENARIAS EM GESSO ACARTONADO, O DRYWALL E SEUS SISTEMAS COMPLEMENTARES. Gabriela NICOMEDES Arq, mestranda pelo PROARQ/ UFRJ. Av. Eng. Richard, no.

Leia mais

A ATIVIDADE DE PROJETO DIRECIONADA À RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA

A ATIVIDADE DE PROJETO DIRECIONADA À RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA A ATIVIDADE DE PROJETO DIRECIONADA À RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA E O DESAFIO DE EQUILIBRAR CONCEITOS TÉCNICOS E GERENCIAIS NO ENSINO DE ENGENHARIA CIVIL Helen Ulrich hulrich@sc.usp.br Departamento de Engenharia

Leia mais

Metodologia para implantação do PBQP-H em empresas construtoras no Noroeste Fluminense: um estudo de caso.

Metodologia para implantação do PBQP-H em empresas construtoras no Noroeste Fluminense: um estudo de caso. Metodologia para implantação do PBQP-H em empresas construtoras no Noroeste Fluminense: um estudo de caso. Alex Alves Gomes (Faculdade Redentor / UNIG / SENAI-Itaperuna) alexalvesgomes@bol.com.br Resumo

Leia mais

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS Vinicius Coutinho dos Santos BARBOSA (1); Michele Tereza Marques CARVALHO (2) (1) Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Débora Noronha¹; Jasmin Lemke¹; Carolina Vergnano¹ ¹Concremat Engenharia e Tecnologia S/A, Diretoria Técnica de Estudos, Projetos

Leia mais

Benefícios da Utilização do BIM no desenvolvimento da Orçamentação na Construção Civil

Benefícios da Utilização do BIM no desenvolvimento da Orçamentação na Construção Civil Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projetos/turma 149 29 de julho de 2015 Benefícios da Utilização do BIM no desenvolvimento da Orçamentação na Construção Civil Flávia Ciqueira

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS Sheyla Mara Baptista SERRA Dra., Eng., Professora Adjunto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São

Leia mais

Proposta de estruturação de um sistema de gestão da qualidade em uma empresa de construção civil na cidade de Venda Nova do Imigrante - ES

Proposta de estruturação de um sistema de gestão da qualidade em uma empresa de construção civil na cidade de Venda Nova do Imigrante - ES Proposta de estruturação de um sistema de gestão da qualidade em uma empresa de construção civil na cidade de Venda Nova do Imigrante ES André Drumond Soares (Faculdade do Espírito Santo) adrumonds@bol.com.br

Leia mais

Planejamento: mapeamento das atividades pré-projeto em empreendimentos de construção industrializada em Aço. Processo de Planejamento

Planejamento: mapeamento das atividades pré-projeto em empreendimentos de construção industrializada em Aço. Processo de Planejamento Planejamento: mapeamento das atividades pré-projeto em empreendimentos de construção industrializada em Aço Revista Construção Metálica - Ed. 97 2010 Processo de Planejamento O planejamento como uma ferramenta

Leia mais

Desenvolvimento de Tecnologia Wood Frame para Habitações de Interesse Social

Desenvolvimento de Tecnologia Wood Frame para Habitações de Interesse Social Desenvolvimento de Tecnologia Wood Frame para Habitações de Interesse Social INTRODUÇÃO Reportagem de julho/2011 do Estado de São Paulo afirma que das 1 milhão de residências do Programa Minha Casa, Minha

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

10º ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA

10º ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA 10º ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA JOINVILLE/SC - BRASIL - 4 a 7 de outubro de 2005 Local: Centreventos Cau Hansen PADRÕES INTERNACIONAIS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS APLICADOS À CONSERVAÇÃO

Leia mais

ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO: USO DE ESTRUTURAS DE LAJES ALVEOLARES E ESTRUTURAS DE LAJES NERVURADAS

ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO: USO DE ESTRUTURAS DE LAJES ALVEOLARES E ESTRUTURAS DE LAJES NERVURADAS ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO: USO DE ESTRUTURAS DE LAJES ALVEOLARES E ESTRUTURAS DE LAJES NERVURADAS Ernani Alencar Rodrigues 1 Anderson Alves de Oliveira 2 Larissa Maria Argollo de Arruda Falcão 3 RESUMO:

Leia mais

Diferenciação de Valor

Diferenciação de Valor Diferenciação de Valor 1 Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias Sucesso para as empresas significa aumento de faturamento, acesso a novos mercados, aumento das margens de lucro, entre outros

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS Atualizado em 21/12/2015 GESTÃO DE PROCESSOS Um processo é um conjunto ou sequência de atividades interligadas, com começo, meio e fim. Por meio de processos, a

Leia mais

Soluções Industrializadas em Estruturas de Concreto para Edificações de Múltiplos Pavimentos

Soluções Industrializadas em Estruturas de Concreto para Edificações de Múltiplos Pavimentos Soluções Industrializadas em Estruturas de Concreto para Edificações de Múltiplos Pavimentos Seminário Abcic Augusto Guimarães Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Abece "POR QUE NÃO?" Por que não desenvolvermos

Leia mais

LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES

LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES Contribuição técnica nº 23 LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES Autores: ALEXANDRE KOKKE SANTIAGO MAÍRA NEVES RODRIGUES MÁRCIO SEQUEIRA DE OLIVEIRA 1 CONSTRUMETAL

Leia mais

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO Aula 0 Olá, pessoal! Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS E GESTÃO SOCIAL para o concurso de ANALISTA DE POLÍTICAS SOCIAIS do MPOG. Esta é uma carreira nova,

Leia mais

POR QUE FAZER O PROGRAMA EMPREENDEDOR RURAL NO CEARÁ?

POR QUE FAZER O PROGRAMA EMPREENDEDOR RURAL NO CEARÁ? POR QUE FAZER O PROGRAMA EMPREENDEDOR RURAL NO CEARÁ? 1 1. Necessidade de modernização das propriedades rurais; 2. Necessidades de novas lideranças; 3. Necessidade de visão empresarial; 4. Baixa auto-estima

Leia mais

INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO

INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO Jorge, A. M. UEM alinemjorge@hotmail.com Eixo Temático: Didática: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente

PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente Primeira edição

Leia mais

6 Relacionamentos na cadeia de suprimentos

6 Relacionamentos na cadeia de suprimentos 6 Relacionamentos na cadeia de suprimentos 6.1 Relacionamentos no canal Os relacionamentos entre distintos membros de uma cadeia de suprimentos sugerem um alto grau de complexidade e fonte quase sempre

Leia mais

O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil

O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil Suenne Andressa Correia Pinho (UPE) - suenne_correia@hotmail.com Alberto Casado Lordsleem Jr.

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETO EM UMA CONSTRUTORA DE FORTALEZA

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETO EM UMA CONSTRUTORA DE FORTALEZA GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETO EM UMA CONSTRUTORA DE FORTALEZA Alessandra Luize Fontes SALES Eng.ª Civil, Universidade Federal do Ceará, Rua Quintino Cunha, nº 994, CEP 60425.780, Benfica, Fortaleza (Ce)

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2010 PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES Apresentação Este plano, preparado pela União

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales 1 INTRODUÇÃO: COMPETITIVIDADE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO crescimento da concorrência entre

Leia mais

O processo envolve quatro questões básicas:

O processo envolve quatro questões básicas: Planejamento de RH O planejamento de recursos humanos coleta e utiliza informações para apoiar as decisões sobre os investimentos que devem ser feitos com atividades de RH O processo envolve quatro questões

Leia mais

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: CLASSIFICAÇÃO, NORMAS E RECICLAGEM

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: CLASSIFICAÇÃO, NORMAS E RECICLAGEM RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: CLASSIFICAÇÃO, NORMAS E RECICLAGEM 1 Régis Budke, 1 Jackson Rainério Cardoso & 2 Silvio Bispo do Vale 1 Graduandos em Engenharia de Minas e Meio Ambiente - UFPA. 2 Prof. da

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO O estudo de viabilidade econômica para o setor de empreendimento imobiliário representa uma consultoria completa. Com ele será possível obter

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI)

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

Empresa. Produtos. Bicicletas Elétricas

Empresa. Produtos. Bicicletas Elétricas Empresa Eletro Transport é uma empresa no ramo de veículos elétricos e equipamentos geradores de energia renovável. Conta com toda a infra-estrutura de pesquisa e estatísticas da D7 Group em Londres que

Leia mais

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Michele Gomes Felisberto; Micheli de Oliveira; Simone Pereira; Vagner Lean dos Reis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Introdução O mundo em que vivemos

Leia mais

349 anos de história e inovação

349 anos de história e inovação LOGO EMPRESA Saint- Gobain Século XVII 1665 1688 1850-1900 1900-1950 1970 1970-2007 Hoje Louis XIV e Colbert decidem sobre um plano de recuperação econômica para a França Criação da Manufacture Royale

Leia mais

Laudinei Rossi Barbatto JUNIOR 1 Gilson Rodrigo Silvério POLIDORIO 2

Laudinei Rossi Barbatto JUNIOR 1 Gilson Rodrigo Silvério POLIDORIO 2 COMO QUEBRAR PARADIGMAS SEM CAUSAR UM IMPACTO NEGATIVO NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO, CRM E DBM EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO Laudinei Rossi Barbatto JUNIOR 1 Gilson Rodrigo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CONCEITOS SOBRE CUSTOS DA QUALIDADE (APOSTILA) Prof. José Carlos de Toledo GEPEQ Grupo

Leia mais

DIMENSIONAMENTO E LAYOUT DE MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTOS

DIMENSIONAMENTO E LAYOUT DE MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTOS DIMENSIONAMENTO E LAYOUT DE MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTOS COSTA FILHO, UFPB, Professor Orientador, Aluisio, Aluisio@ct.ufpb.br. NEVES, UFPB, Discente bolsista, Ana Marília Andrade, contato@anamarilia.com.br.

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL BRASILEIRA

A COMPETITIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL BRASILEIRA A COMPETITIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL BRASILEIRA Fábio Müller Guerrini Sami Antônio Tauk (Crea) José Benedito Sacomano Abstract This paper discuss how competitive are the brazilian civil construction companies

Leia mais

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ABSTRACT

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ABSTRACT ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ANALYSIS OF APPLICATION OF PHILOSOPHY IN LEAN CONSTRUCTION COMPANIES

Leia mais

6. VALIDAÇÃO DO MODELO

6. VALIDAÇÃO DO MODELO Cap. 6 Validação do modelo - 171 6. VALIDAÇÃO DO MODELO Definição da pesquisa Contextualização (Cap. 2) Metodologia (Cap. ) Revisão da Literatura (Cap. 3) Construção do Método (Cap. 5) Validação do método

Leia mais

GTAE. Caderno. PDC Programa de Desenvolvimento de Construtoras. Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto BELO HORIZONTE

GTAE. Caderno. PDC Programa de Desenvolvimento de Construtoras. Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto BELO HORIZONTE 2 0 1 2 PDC Programa de Desenvolvimento de Construtoras Caderno de Ativos GTAE 5ºCiclo Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto BELO HORIZONTE GTAE Caderno de Ativos 5ºCiclo 1 Ficha Técnica: Gestão

Leia mais

(A) I, III e IV. (B) II, III e IV. (C) I e IV. (D) I, II e III. (E) I, II, III e IV.

(A) I, III e IV. (B) II, III e IV. (C) I e IV. (D) I, II e III. (E) I, II, III e IV. Técnico de Laboratório / Área: Engenharia Civil/Projetos ==Questão 26==================== Analise a perspectiva isométrica apresentada abaixo: Assinale a alternativa que contém as vistas ortográficas correspondentes:

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Motivações Gerenciamento de projetos, vem sendo desenvolvido como disciplina desde a década de 60; Nasceu na indústria bélica

Leia mais

Circular. Técnica. GestFrut_Pêssego: Sistema para Avaliações Econômico-financeiras da Produção de Pêssego. Apresentação Geral do Sistema.

Circular. Técnica. GestFrut_Pêssego: Sistema para Avaliações Econômico-financeiras da Produção de Pêssego. Apresentação Geral do Sistema. ISSN 1808-6810 104 Circular Técnica Bento Gonçalves, RS Novembro, 2014 Autores Joelsio José Lazzarotto Med. Vet., Dr., Pesquisador, Embrapa Uva e Vinho, Bento Gonçalves, RS, joelsio.lazzarotto@embrapa.br

Leia mais

MLM. Proporcionando Soluções Sustentáveis. www.mlm.uk.com www.mlm.br.com

MLM. Proporcionando Soluções Sustentáveis. www.mlm.uk.com www.mlm.br.com MLM B r a s i l Proporcionando Soluções Sustentáveis www.mlm.uk.com Proporcionando Soluções Sustentáveis A necessidade de desenvolvimento sustentável é amplamente aceita e atualmente é considerada uma

Leia mais

DISCUSSÃO SOBRE O NÚMERO DE MÁQUINAS EM PCH s

DISCUSSÃO SOBRE O NÚMERO DE MÁQUINAS EM PCH s DISCUSSÃO SOBRE O NÚMERO DE MÁQUINAS EM PCH s * AFONSO HENRIQUES MOREIRA SANTOS, FÁBIO HORTA, THIAGO ROBERTO BATISTA. OS AUTORES INTEGRAM A EQUIPE PROFISSIONAL DA IX CONSULTORIA & REPRESENTAÇÕES LTDA.

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: ESTUDO DE CASO EM UMA COOPERATIVA AGRO-INDUSTRIAL DO ESTADO DO PARANÁ

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: ESTUDO DE CASO EM UMA COOPERATIVA AGRO-INDUSTRIAL DO ESTADO DO PARANÁ INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: ESTUDO DE CASO EM UMA COOPERATIVA AGRO-INDUSTRIAL DO ESTADO DO PARANÁ Elisiane Ap. Antoniazzi (UNICENTRO), Sílvio Roberto Stefano (Orientador), e-mail: elisianeantoniazzi@yahoo.com.br

Leia mais

Essas mudanças têm criado um mundo de novas oportunidades de negócio, exigindo que o especialista em marketing se reinvente a todo instante

Essas mudanças têm criado um mundo de novas oportunidades de negócio, exigindo que o especialista em marketing se reinvente a todo instante 1 Essas mudanças têm criado um mundo de novas oportunidades de negócio, exigindo que o especialista em marketing se reinvente a todo instante Motivação A Internet e as redes sociais mudaram o comportamento

Leia mais

Para que o trabalho no canteiro de obras flua, a conexão com a área de suprimentos é fundamental. Veja como é possível fazer gestão de suprimentos

Para que o trabalho no canteiro de obras flua, a conexão com a área de suprimentos é fundamental. Veja como é possível fazer gestão de suprimentos Para que o trabalho no canteiro de obras flua, a conexão com a área de suprimentos é fundamental. Veja como é possível fazer gestão de suprimentos estratégica e conectada ao canteiro na construção civil.

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Planejamento e Controle da Produção

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção 1 Por que planejamento é importante? Eliminação de problemas relacionados à incidência de perdas e baixa produtividade Aumento da transparência dos processos (possibilidade

Leia mais

Avaliação da Eficiência Energética do Grande Cliente. Eng. Gilson Nakagaki COPEL Distribuição S.A. Gilson.nakagaki@copel.com

Avaliação da Eficiência Energética do Grande Cliente. Eng. Gilson Nakagaki COPEL Distribuição S.A. Gilson.nakagaki@copel.com 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Avaliação da Eficiência Energética do Grande Cliente Eng. Gilson Nakagaki COPEL Distribuição S.A. Gilson.nakagaki@copel.com RESUMO Em razão da abertura de

Leia mais

UM MODELO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES BASEADO NA ENGENHARIA SIMULTÂNEA E FMEA

UM MODELO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES BASEADO NA ENGENHARIA SIMULTÂNEA E FMEA UM MODELO DE COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES BASEADO NA ENGENHARIA SIMULTÂNEA E FMEA Wandemberg TAVARES JÚNIOR, M.Sc Universidade de Fortaleza Departamento de Engenharia Civil Edson Queiroz

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias, MSc Mestre em Engenharia Civil - uff Professor do Mestrado em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense

Leia mais

ANÁLISE E MELHORIA DE PROCESSOS APLICADA AO ESTÁGIO CURRICULAR

ANÁLISE E MELHORIA DE PROCESSOS APLICADA AO ESTÁGIO CURRICULAR ANÁLISE E MELHORIA DE PROCESSOS APLICADA AO ESTÁGIO CURRICULAR Júlio Miranda Pureza, Dr. Luiz Veriano O. Dalla Valentina, Dr. Gabriela Kunde Edel, Adm. Centro de Ciências Tecnológicas FEJ, Universidade

Leia mais

ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE

ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE Sumário 1 Objetivo...3 2 Definições...3 3 Características Gerais...4 3.1 Descrição do Empreendimento...

Leia mais

Grupo de Trabalho sobre Construção Industrializada do Programa Compete Brasil 19 agosto de 2014

Grupo de Trabalho sobre Construção Industrializada do Programa Compete Brasil 19 agosto de 2014 Grupo de Trabalho sobre Construção Industrializada do Programa Compete Brasil 19 agosto de 2014 VISÃO VISÃO E ATUAÇÃO DA CAIXA SOBRE SISTEMAS CONSTRUTIVOS INDUSTRIALIZADOS Necessidade de escala de produção

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO DE PEQUENO PORTE

IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO DE PEQUENO PORTE IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO DE PEQUENO PORTE BERNARDES, Maurício M. e S. (1); FORMOSO, C. T. (2) (1) Eng. Civil, Mestre em Engenharia, Doutorando do

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2013.2

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2013.2 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2013.2 ADMINISTRAÇÃO Formar administradores estrategistas, comprometidos com o desenvolvimento da sociedade. A UNIFEBE, através

Leia mais

Orçamento de Obras. Introdução. Resumo

Orçamento de Obras. Introdução. Resumo Orçamento de Obras Introdução O orçamento é uma das mais importantes áreas no negócio da construção civil e pode determinar o sucesso ou fracasso de uma empresa construtora ou construtor. É um documento

Leia mais

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br SINOP MT 2015-1 COMO SÃO DESENVOLVIDOS OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? São desenvolvimento como uma estrutura

Leia mais

Rio Formas. Formas metálicas para concreto. w w w. r i o f o r m a s. c o m. b r

Rio Formas. Formas metálicas para concreto. w w w. r i o f o r m a s. c o m. b r Rio Formas Formas metálicas para concreto w w w. r i o f o r m a s. c o m. b r Quem Somos A Rio Formas, empresa especializada na fabricação de formas metálicas e pontaletes, possui a finalidade de introduzir

Leia mais

Válvulas de Controle-"Case"- Copesul. Nelzo Luiz Neto da Silva 1 Jader Weber Brum 2

Válvulas de Controle-Case- Copesul. Nelzo Luiz Neto da Silva 1 Jader Weber Brum 2 Válvulas de Controle-"Case"- Copesul Nelzo Luiz Neto da Silva 1 Jader Weber Brum 2 RESUMO Visando rever conceitos, procedimentos, estratégias e tecnologias voltadas para a manutenção de válvulas, partimos

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETOS DE RESTAURAÇÃO SOB A ÓTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE

ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETOS DE RESTAURAÇÃO SOB A ÓTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETOS DE RESTAURAÇÃO SOB A ÓTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE Ana C. Csepcsényi (1); Mônica S. Salgado (2); Rosina T. M. Ribeiro (3) (1) PROARQ/FAU/UFRJ, Av. Brigadeiro Trompowski,

Leia mais

Tecnologia sociais entrevista com Larissa Barros (RTS)

Tecnologia sociais entrevista com Larissa Barros (RTS) Tecnologia sociais entrevista com Larissa Barros (RTS) A capacidade de gerar tecnologia e inovação é um dos fatores que distinguem os países ricos dos países pobres. Em sua maioria, essas novas tecnologias

Leia mais

Docente: Eng. Ana Lúcia de Oliveira Daré, Prof. M.Sc. Conteúdo programático Objetivos Bibliografia Critério de aproveitamento na disciplina

Docente: Eng. Ana Lúcia de Oliveira Daré, Prof. M.Sc. Conteúdo programático Objetivos Bibliografia Critério de aproveitamento na disciplina FSP Faculdade Sudoeste Paulista Departamento de Engenharia Civil Docente: Eng. Ana Lúcia de Oliveira Daré, Prof. M.Sc. Conteúdo programático Objetivos Bibliografia Critério de aproveitamento na disciplina

Leia mais

PROGRAMA GESTÃO DE CONHECIMENTO CAIXA 2005-2007

PROGRAMA GESTÃO DE CONHECIMENTO CAIXA 2005-2007 PROGRAMA GESTÃO DE CONHECIMENTO CAIXA 2005-2007 Constatação! Neste momento... O ritmo dos negócios está aumentando rapidamente. Existe uma sobrecarga de informação. A competição global está aumentando

Leia mais

Renato da Silva SOLANO

Renato da Silva SOLANO INDICADORES OPERACIONAIS DE PRODUTIVIDADE E QUALIDADE PARA EDIFICAÇÕES DE ALTO PADRÃO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DE LEVANTAMENTO NA FASE DE PROJETO E RELACIONAMENTO COM A FUNÇÃO

Leia mais

Click to edit Master text styles

Click to edit Master text styles Click to edit Master text styles PROJETO BÁSICO: DELIMITAÇÃO, CONTROLE E EFETIVIDADE. Sydnei Menezes Arquiteto e Urbanista Presidente do CAU/RJ presidente@caurj.org.br Identificação do problema: Click

Leia mais

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna A importância dos RECURSOS HUMANOS na empresa moderna Organizações: cenário atual Empresas vêm passando por impactos revolucionários: Dimensão globalizada Aumento da competitividade Mudanças constantes

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 RESUMO 1. APRESENTAÇÃO Com a missão de promover ações para o fortalecimento do segmento da construção civil no Espírito Santo,

Leia mais

Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza

Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza Alessandra Luize Fontes Sales (Engª. Civil) luize.sales@ig.com.br José de Paula

Leia mais

MBA EM LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

MBA EM LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS MBA EM LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS 1 - JUSTIFICATIVA A gestão do fluxo de valor agregado pelas organizações exige contemplar toda a cadeia de suprimentos de forma a identificar e

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA GESTÃO DOS PROCESSOS DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA: ESTUDO DE CASO EM EMPRESAS DE SÃO CARLOS-SP

DIAGNÓSTICO DA GESTÃO DOS PROCESSOS DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA: ESTUDO DE CASO EM EMPRESAS DE SÃO CARLOS-SP DIAGNÓSTICO DA GESTÃO DOS PROCESSOS DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA: ESTUDO DE CASO EM EMPRESAS DE SÃO CARLOS-SP Raquel Ragonesi Permonian (UFSCAR) raquelrpermonian@hotmail.com Jose da Costa Marques

Leia mais

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$!

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$! FOZDOIGUAÇU,2015! XXVIENANGRAD A LOGÍSTICA DENTRO DA CONSTRUÇÃO ENXUTA: ESTUDO DE CASO EM UMA CONSTRUTORA DE FORTALEZA. LARISSE OLIVEIRA COSTA Andriele Pinto de Amorim ÁreaTemática GESTÃODEOPERAÇÕESELOGÍSTICA

Leia mais

ENCUNHAMENTO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO ANÁLISE DE SOLUÇÕES PRÁTICAS. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento

ENCUNHAMENTO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO ANÁLISE DE SOLUÇÕES PRÁTICAS. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento ENCUNHAMENTO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO ANÁLISE DE SOLUÇÕES PRÁTICAS Carmo & Calçada COMPONENTES: Amaury Costa Maurício Brayner Paulo Roberto Marques Carmo & Calçada TITULO Soluções Para Encunhamento Entre

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DO PROGRAMA BRASILEIRO DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE DO HABITAT (PBPQ-H) REVISÃO DEZEMBRO/2012.

ANÁLISE DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DO PROGRAMA BRASILEIRO DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE DO HABITAT (PBPQ-H) REVISÃO DEZEMBRO/2012. ANÁLISE DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DO PROGRAMA BRASILEIRO DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE DO HABITAT (PBPQ-H) REVISÃO DEZEMBRO/2012. Gisele Hiromi Matsumoto de Freitas¹; Ronan Yuzo Takeda Violin²;

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COMPRA PRÓ-ATIVA NA FUNÇÃO DE COMPRAS DE EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

IMPLANTAÇÃO DA COMPRA PRÓ-ATIVA NA FUNÇÃO DE COMPRAS DE EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL IMPLANTAÇÃO DA COMPRA PRÓ-ATIVA NA FUNÇÃO DE COMPRAS DE EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Profa. Dra. Adriana de Paula Lacerda Santos - UFPR Prof. Dr. Antônio Edésio Jungles - UFSC Prof. Dr. Sérgio S Scheer

Leia mais

3$3(/'$)25d$(1*(1+$5,$ 352-(7261$ &203(7,7,9,'$'('$6(035(6$6&216758725$6(,17(*5$d 2(175(&$'(,$6'(9$/25(6

3$3(/'$)25d$(1*(1+$5,$ 352-(7261$ &203(7,7,9,'$'('$6(035(6$6&216758725$6(,17(*5$d 2(175(&$'(,$6'(9$/25(6 3$3(/'$)25d$(1*(1+$5,$ 352-(7261$ &203(7,7,9,'$'('$6(035(6$6&216758725$6(,17(*5$d 2(175(&$'(,$6'(9$/25(6 62)Ë$/,/,$11(9,//$*$5&Ë$=(*$55$ Mestranda EPUSP-PCC E-mail: sofia@pcc.usp.br - Tel. (011) 818-5422

Leia mais

Título do Slide Máximo de 2 linhas

Título do Slide Máximo de 2 linhas Título do Slide 13ª Seminário Internacional de Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de projetos na construção civil predial - uma proposta de modelo de gestão integrada GIULLIANO POLITO 19/09/2013 Título

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

8 Congresso Internacional de Qualidade para Competitividade. Práticas de gestão do conhecimento na Promon. Porto Alegre, 3 de julho de 2007

8 Congresso Internacional de Qualidade para Competitividade. Práticas de gestão do conhecimento na Promon. Porto Alegre, 3 de julho de 2007 8 Congresso Internacional de Qualidade para Competitividade Práticas de gestão do conhecimento na Promon Porto Alegre, 3 de julho de 2007 1 Promon S.A. Todos os direitos reservados Agenda 1 Sobre a Promon

Leia mais

24/02/2015 GESTÃO DA QUALIDADE. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

24/02/2015 GESTÃO DA QUALIDADE. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I GESTÃO DA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I 1 (JURAN, 1992:9) "Qualidade é ausência de deficiências" ou seja, quanto menos defeitos,

Leia mais

Simulador de Planejamento de Alta Performance - Parte 1 de 3. Max-Prod

Simulador de Planejamento de Alta Performance - Parte 1 de 3. Max-Prod Simulador de Planejamento de Alta Performance - Parte 1 de 3 Max-Prod Resumo: O software possui três simuladores distintos, sendo que o presente descritivo enfoca o primeiro deles, no qual foram gerados

Leia mais

MELHORIA DO PROCESSO DE PROJETO DE ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA ESTUDO DE CASO COM ÊNFASE NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

MELHORIA DO PROCESSO DE PROJETO DE ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA ESTUDO DE CASO COM ÊNFASE NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS MELHORIA DO PROCESSO DE PROJETO DE ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA ESTUDO DE CASO COM ÊNFASE NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Alexandre de Andrade Cardoso de MENEZES Arq., Mestrando pela Pós-Graduação em Engenharia

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS EM SAÚDE. Os custos das instituições

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS EM SAÚDE. Os custos das instituições GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS EM SAÚDE Os custos das instituições Dra Janice Donelles de Castro - Professora do Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de

Leia mais

PADRÕES DE SUSTENTABILIDADE APLICADOS AO PROCESSO DE PROJETO

PADRÕES DE SUSTENTABILIDADE APLICADOS AO PROCESSO DE PROJETO PADRÕES DE SUSTENTABILIDADE APLICADOS AO PROCESSO DE PROJETO Flávia Miranda MARQUES M.Sc.(PROARQ/FAU/UFRJ) Arquiteta., SUSTENTAX - Engenharia de Sustentabilidade. Alameda Santos, 2223, 3º andar. Cerqueira

Leia mais

Gerenciamento inteligente de dados

Gerenciamento inteligente de dados Gerenciamento inteligente de dados Sanjeet Singh Grupo de produtos de armazenamento de dados da Dell ÍNDICE Índice RESUMO EXECUTIVO... 3 O GERENCIAMENTO DE DADOS DE HOJE... 3 VISÃO DA DELL: IDM... 4 OBJETIVOS

Leia mais

Andrade Gutierrez Experiência em Contratos EPC

Andrade Gutierrez Experiência em Contratos EPC Andrade Gutierrez Experiência em Contratos EPC 3º WORKSHOP NACIONAL DO PROMINP Promoção: Participação: Painel 4: Obtenção de conteúdo local na implantação de projetos de investimentos: Experiência Refino

Leia mais

PROPOSTA PARA AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

PROPOSTA PARA AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES XIV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA CIGU A Gestão do Conhecimento e os Novos Modelos de Universidade Florianópolis Santa Catarina Brasil 3, 4 e 5 de dezembro de 2014. ISBN: 978-85-68618-00-4

Leia mais

Uma Visão da Carreira em Áreas Tecnológicas

Uma Visão da Carreira em Áreas Tecnológicas Uma Visão da Carreira em Áreas Tecnológicas Prof. Paulo César Crepaldi UNIFEI Coordenação Prof. Dr. Evaldo Cintra 26/02/2013 Tecnologia - Definição A palavra Tecnologia (s. f.) tem a seu significado baseado

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais