A união faz a força! Os sites de venda coletiva como ferramenta de marketing

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A união faz a força! Os sites de venda coletiva como ferramenta de marketing"

Transcrição

1 A união faz a força! Os sites de venda coletiva como ferramenta de marketing Alane Daiane Siqueira Maciel Faculdade Anhanguera de São Caetano Fabiana Regina Silva Santos Faculdade Anhanguera de São Caetano Letícia Emilia Benedito Faculdade Anhanguera de São Caetano Luciano Américo Ferreira Faculdade Anhanguera de São Caetano Sergio Enrique Faria Faculdade Anhanguera de São Caetano RESUMO Este artigo trata dos sites de venda coletiva como modalidade de marketing. Elaborado por meio de pesquisa bibliográfica e de campo, procura tecer considerações sobre o surgimento e funcionamento dos sites de vendas coletivas, assim como de suas vantagens e desvantagem para as empresas anunciantes e consumidores que dele se utilizam. Os sites de vendas coletivas são associados pelos consumidores a altos descontos e a diversificação de produtos e serviços, enquanto para a empresa pode ser um investimento interessante devido à oportunidade de fidelizar esses clientes de oportunidades. Se realizado dentro de um planejamento adequado o investimento neste tipo de mídia social é ótima oportunidade de negócio tanto para o consumidor como para o anunciante. Palavras-chave: Marketing, Vendas Coletivas, Internet; E-commerce; Marketing digital ABSTRACT This article discuss the collective sales websites as a marketing modality. Elaborated through bibliographical and field research, it aims to make considerations about the emergence of this market and how it works, as well as about its advantages and disadvantages for advertisers and consumers. The collective sales websites are associated by the consumers with high discounts and products and services diversity, while it can be an interesting investment for the companies due to the opportunity to attract customers who are looking for good deals. When an appropriate planning is executed, the investment in this social media it is an excellent business opportunity to the consumer and to the advertiser. Key words: Collective sales, internet, e-commerce, sales, marketing

2 A união faz a força! Os sites de venda coletiva como ferramenta de marketing 1. INTRODUÇÃO Uma das modalidades que mais vem crescendo no marketing, o modelo de vendas coletivas, de acordo com Galo (2010), surgiu nos EUA em 2008, seu idealizador foi Andrew Mason que vislumbrou rentabilidade no conceito de reunir pessoas para obter descontos em compras. Mason tinha um site de ação coletiva em prol da sociedade, no qual era estipulado um determinado número de doadores para que o projeto pudesse seguir em frente. O modelo de compra coletiva funciona como uma pirâmide. Em um dos vértices está o estabelecimento que busca essa modalidade como uma ferramenta diferenciada de divulgação para atrair novos consumidores, no topo está o site de vendas coletivas que intermedeia a promoção entre os anunciantes e os consumidores e no outro vértice está o consumidor que adquire produtos e serviços com altos descontos. O site pioneiro nas vendas coletivas foi o Groupon, que rapidamente teve o seu modelo copiado e expandido para mais de 40 países pelo mundo. Um dos fatores determinantes para a conquista do mercado foi perceber a ansiedade dos pequenos estabelecimentos em atrair novos consumidores. Para as empresas, anunciar em um site de vendas é um investimento e para o consumidor é uma economia. 2. INTERNET A internet é o ponto principal para o sucesso dos sites de vendas coletivas, pois abre as portas para ampliar a divulgação. Limeira (2007, p.13) explica o nome internet é derivado de duas palavras em inglês: interconnected network, que significam rede interconectada e designa a rede mundial pública de computadores, interligados por cabos ou tecnologias sem fio (wireless). Por meio dessa rede, são transmitidas informações como textos, sons e imagens, por qualquer computador que esteja conectado à rede. A internet surgiu por intermédio dos militares americanos, pois eles tinham o desejo de serem líderes em ciência e tecnologia. No Brasil, a internet teve início em 1988 apenas para interligar as universidades do Brasil com as do EUA. A rede de computadores foi aberta ao público em A RNP (Rede nacional de ensino e pesquisa), de acordo com Limeira (2007), surgiu em 1989, com um projeto pioneiro desenvolvido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia cuja ideia era criar uma rede de nível nacional. Instalou-se então o primeiro backbone, infraestrutura que liga todos os pontos de uma rede. A internet brasileira inicia uma nova fase em 1997, com o aumento da venda de computadores e acessos à rede. Devido à falta de infraestrutura de fibra óptica para todo o território, criaram-se as redes sociais com alta velocidade. Em 2000, surgiu o backbone RNP2, que conecta os 27 Estados e interliga mais de 300 instituições de ensino superior e de pesquisa, como o INMETRO. A RNP, em 2002, passa a ser uma organização social com o objetivo de ter serviços de rede de IP avançadas, segurança de redes e roteamento.

3 Em 2005 surgiram os POPs Pontos de Presença com o uso de tecnologia óptica, elevando a capacidade de operação a 11 Gbps. Romez (2010) explica que o Brasil ocupa a quinta posição entre os países com maior número de conexões na internet. Segundo o CETIC - Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação, 54% das pessoas acima de 12 anos de idade acessam a internet, sendo que 31% acessam de lan houses, 27% de sua própria casa e 27% da casa de parentes ou amigos o que resulta 81,3 milhões de usuários. O CETIC aponta ainda que os usuários que acessam a rede com freqüência representaram de outubro de 2009 a outubro de 2010, um crescimento de 13,2 %, o equivalente a 41,7 milhões de pessoas. Se forem somados os acessos feitos no trabalho, o número sobe para 51,8 milhões. 38% das pessoas acessam a web diariamente; 10% de quatro a seis vezes por semana; 21% de duas a três vezes por semana; 18% uma vez por semana. Totalizando, 87% dos internautas brasileiros entram na rede semanalmente. Quanto ao tempo de navegação, em julho de 2009 foram 48 horas e 26 minutos. Considerando apenas a navegação em sites, o tempo sobe para 71 horas e 30 minutos, incluído o uso de aplicativos on-line (MSN, Emule, Torrent, Skype, etc). Segundo pesquisa do IBOPE Nielsen on-line realizada entre outubro de 2009 e outubro de 2010, no Brasil a internet ocupou o terceiro lugar em termos de veículo de comunicação de maior alcance, perdendo apenas para o rádio e TV. Conforme dados estatísticos, 87% dos internautas utilizam a rede para pesquisar produtos e serviços. Para efetuar uma compra, 90% dos consumidores ouvem sugestões de pessoas conhecidas e 70% confiam em opiniões expressas on-line. Uma pesquisa feita em abril de 2010 pela Fundação Getúlio Vargas, calcula que existem 60 milhões de computadores em uso, devendo chegar a 100 milhões em Quanto ao volume de dados, o incremento foi de 56 vezes de 2002 até 2007 e a projeção é aumentar 8 vezes até 2012; o número de conexões móveis cresceu de 233 mil para 1,31 milhão em um ano. 3. E-COMMERCE A venda coletiva é baseada nas funções do e-commerce. Segundo Albertin (2010), e- commerce ou comércio eletrônico pode ser definido como a compra e venda de informações, produtos e serviços por meio de redes de computadores. É uma forma de comércio on-line em que os consumidores efetuam essa transação em tempo real mediante algum aparelho eletrônico, como computador ou celular, com o auxilio da internet. Os sites de vendas pela internet surgiram nos anos 90, quando a internet se tornou acessível à população. Albertin (2010) explica que os primeiros sites de comércio eletrônico foram o Amazon.com e o E-bay, ambos criados em 1995 e inteiramente virtuais. O Amazon.com punha à disposição um volume de títulos que superava qualquer livraria física e conseguiu reproduzir peculiaridades do atendimento pessoal, com conselhos dos atendentes e um espaço para critica dos livros, o que serve de guia a outros consumidores no momento da compra. O e-commerce passou a ser um facilitador para as empresas e consumidores, uma vez que, além da exposição global dos produtos ou serviços, agiliza processos de pagamento e recebimento, tornando o ato de comprar muito mais fácil, ágil e prático.

4 Segundo Limeira (2007), existem várias modalidades no e-commerce, o que envolve a troca de produtos entre diferentes setores. B2B: Business to Business: É o nome dado ao comércio eletrônico associado a operações de compra e venda, de informações, de produtos e de serviços através da Internet entre empresas. O B2B pode também ser definido como troca de mensagens estruturadas com outros parceiros comerciais a partir de redes privadas ou da Internet para criar e transformar suas relações de negócios. B2C: Busines to Consumer: Define-se por sistemas de comércio eletrônico que possibilitam relações comerciais entre uma empresa e o consumidor final. Tais soluções permitem maior dinâmica às empresas, que podem comercializar os seus produtos e serviços de forma mais direta, reduzindo custos, por ter um contato diretamente com os seus clientes, sem ter de depender de um canal de distribuição e comercialização. C2C: Consumer to Consumer: Representa as relações comerciais entre duas pessoas físicas, sem envolvimento direto de empresas. Ao contrário do B2B e do B2C, a transição do C2C off-line para o modelo on-line foi mais simples, porque existiam poucos negócios desse tipo no mundo real. Os classificados dos jornais talvez sejam um dos melhores exemplos dessa forma de relação comercial. O e-commerce é uma loja virtual, aberta 365 dias por ano, 24 horas por dia, com grande potencial de retorno financeiro para as empresas e baixo custo de manutenção. A loja virtual é uma página na internet com foco comercial que visa a compra e venda de produtos on-line. Nesse formato de compra, o cliente escolhe o produto, reserva-o e efetua o pagamento. A entrega é feita mediante cadastro do cliente no site e confirmação do pagamento. Os lideres do e-commerce são a Alemanha, Áustria e Estados Unidos, com 95% dos e - consumidores. De acordo com Limeira (2007), os produtos com maior crescimento de vendas em 2009 no e-commerce foram os eletrodomésticos, devido aos efeitos da queda do IPI, que representaram 9% de participação nas vendas pela internet. A campeã do ranking é a categoria de livros, revistas e assinaturas, seguida de saúde, beleza e medicamentos, ficando a informática em terceiro. A próxima categoria mais vendida foi eletrônica, com 5% do total do volume transacional. Os itens mais comprados pela internet são livros (34%), vídeos/dvds/ jogos (22%), passagens aéreas (21%) e roupas, acessórios e calçados (20%). Com tanto sucesso as empresas passam a usar o e-commerce como ferramenta de marketing e divulgação, gerando novas oportunidades dentro do e-commerce. A partir de então, o perfil dos consumidores foi se modificando e a internet obteve um número significatico de acessos dando origem então às redes sociais e às nova modalidades de e-commerce. O e-commerce segue o modelo AIDA. Este princípio criado em 1925 por E.K. Strong foi concebido inicialmente como uma teoria de venda que pode ser totalmente aplicado a comunicação como ferramenta de mudança. De acordo com Kotler (2010) ela

5 estabelece os quatro passos necessários para instigar uma ação em outra pessoa sem se sentir coagido ou pressionado, no caso original, fazer alguém comprar algo: Atenção: Atrair o alvo e transmitir uma chamada inteligente, de forma que proporcione interesse e atenção necessária; Interesse: Ter informações claras e objetivas para manter o interesse o tempo todo, identificando e especificando todas as características de tal produto/serviço; Desejo: Despertar o desejo de adquirir o que está sendo oferecido, seja uma promoção, um benefício diferenciado ou oportunidade de realização de algo almejado são fatores de criação do desejo; Ação: Uma frase ou palavra-chave cria estímulo para que o cliente tome iniciativa, ainda que por impulso irrefletido, e efetue a compra. Com o tempo, incluiu-se um novo estágio: a satisfação. Conquistar o público demanda tempo e dedicação, e a melhor maneira de manter esse público conquistado (fidelização) consiste em atendê-lo escrupulosamente bem. 4. VENDAS COLETIVAS 4.1. SURGIMENTO DOS SITES DE COMPRA COLETIVA O conceito de vendas coletivas começou nos Estados Unidos com a empresa Groupon, em Segundo Marcos Todeschini, em matéria da revista Época (2010), o site Peixe Urbano trouxe a nova modalidade ao Brasil, oferecendo inicialmente descontos em estabelecimentos em São Paulo de até 70%. A empresa atingiu assim 1 milhão de usuários em apenas 154 dias. O atrativo que cativa os consumidores são os descontos significativos. O atrativo para as empresas é a ferramenta diferenciada de divulgação do serviço ou produto ofertado, com alta visibilidade da marca, além da oportunidade de alcançar consumidores que não atingiam em condições normais. Os sites trabalham em parceria com anunciantes, firmando um contrato para intermediar a venda, estabelecendo o valor de comissão recebida, que pode chegar a 50% COMO FUNCIONA UM SITE DE COMPRA COLETIVA A empresa de compra coletiva dispara milhares de s a consumidores cadastrados e indicados por outros consumidores. Ao abrir o o consumidor encontra a descrição detalhada da oferta com o tempo previsto para a utilização do cupom e um breve resumo sobre o lugar e os demais produtos oferecidos. Um cronômetro mostra o tempo que falta para expirar a promoção, despertando o interesse e o desejo de compra no consumidor. Ao adquirir alguma oferta, o comprador deve aguardar o término da promoção para que o site disponibilize o cupom. O que torna a compra diferente é o momento da ação, porque, apesar de efetuada através do site, ela se concretiza apenas quando o comprador usufrui o que foi comprado, para isso, deve apresentar o cupom impresso no estabelecimento. Ao entrar no site de compra coletiva, vê-se disponível um campo para Cadastro. Para inscrever-se, basta clicar nesse campo e fornecer dados pessoais como nome, sobrenome,

6 endereço, , telefone, data de nascimento e informar uma senha (que será solicitada ao efetuar o login). Para efetuar uma compra pelo site, é necessário dispor de login e senha. Admitido no ambiente, basta clicar em comprar na oferta que deseja adquirir, informar os dados de pagamento e finalizar. Ao efetuar as vendas coletivas, o site recebe uma comissão sobre o total de vendas que pode chegar a 50%, e o estabelecimento que oferece a promoção fica com o restante da porcentagem acordada. 5. PESQUISA DE CAMPO Para melhor compreensão do funcionamento e efeito dos sites de venda coletiva, foram realizadas entrevistas por meio de questionários (ANEXO 1) que foram aplicados para dois grupos distintos: A primeira pesquisa foi destinada ao público consumidor e foi realizada por meio de entrevista direta a alunos universitários. Essa pesquisa visou conhecer os segmentos mais procurados, o público-alvo e quanto se dispõem ele a despender para usufruir das promoções oferecidas; A segunda pesquisa foi realizada por intermédio de questionário destinado a empresas anunciantes procurou levantar dados relativos à divulgação em sites de vendas coletivas, suas vantagens e desvantagens, a rentabilidade e a viabilidade alcançadas com o anúncio PESQUISA CONSUMIDOR Gráfico 1: O consumidor já comprou em algum site de vendas coletivas O gráfico 1 revela que 28% dos entrevistados efetuaram suas compras pelo Groupon, ficando o Peixe Urbano com 21% das respostas, o mesmo número para a soma de vários sites menores reunidos. Surpreende constatar que 11% dos respondentes ainda não optaram por essa modalidade de compra.

7 Gráfico 2: O que chama a atenção dos consumidores nos sites de vendas coletivas De acordo com as respostas obtidas no gráfico 2, constata-se que 46% dos entrevistados têm preferência por ofertas destinadas ao lazer/turismo, percentual bastante superior aos 31% da área de gastronomia, aos 13% de estética e beleza e aos 10% de preferência por outras modalidades. Gráfico 3: O que o consumidor procura nos sites de vendas coletivas Conforme o gráfico 3, percebe-se que 60% dos entrevistados responderam que procuram os sites de vendas coletivas pelas promoções atrativas, sem preocupar-se com a oportunidade de conhecer novos estabelecimentos (21%) ou com o preço (19%).

8 Gráfico 4: Quanto gasta em média um consumidor de sites de vendas coletivas Nota-se pelo gráfico 4 que a média gasta em sites de vendas coletivas é de R$ 51 a 150, o que representa 44% dos consumidores. Apesar da insegurança e de alguns casos de diferença no atendimento, os sites de vendas coletivas mostram-se atrativos, uma vez que as empresas anunciantes, segundo os gráficos apresentados, oferecem promoções irresistíveis aos olhos de alguns consumidores. Gráfico 5: O consumidor sentiu diferença no atendimento ao utilizar o cupom No gráfico 5, nota-se que 75% dos consumidores não sentiram diferença no serviço ao utilizar o cupom, mostrando que as empresas anunciantes não alteraram o padrão de atendimento e qualidade, porém 25% dos consumidores sentiu algum tipo de diferença.

9 5.2. PESQUISA ANUNCIANTE Gráfico 6: Ramo de atuação da empresa anunciante Pode-se notar no gráfico 6 que as empresas do ramo de gastronomia são as que mais investem em vendas coletivas, seguidas pelas empresas de beleza/estética e lazer/turismo. Gráfico 7: O que motivou o anunciante a investir em sites de vendas coletivas Observa-se no gráfico 7 que a maioria dos entrevistados (42%) opta por anunciar nos sites de vendas coletivas para ter acesso ao público diversificado, mostrando que se interessa por adquirir novos clientes, seguido de 40% que experimentaram uma nova forma de divulgação. Gráfico 8: As vantagens das empresas em anunciar nos sites de vendas coletivas

10 O gráfico 8 indica que 48% dos anunciantes acham viável anunciar nos sites de vendas coletivas a fim de atrair novos consumidores, seguidos de 32% por causa da visibilidade e apenas 20% pelo retorno financeiro, confirmando que o interesse maior em anunciar é divulgar a empresa. Gráfico 9: As desvantagens das empresas em anunciar nos sites de vendas coletivas O gráfico 9 aponta que como desvantagens, 48% dos anunciantes apontaram o aumento considerável nas despesas; 21% o aumento súbito de clientes; 15% a incapacidade de manter a qualidade de atendimento devido à alta rotatividade de pessoas. Apenas 16% disseram não ter tido nenhum tipo de desvantagem com o anúncio. Gráfico 10: Rentabilidade de anunciar nos sites de vendas coletivas Segundo o gráfico 10 a aprovação dos anunciantes em divulgar produtos e serviços no site de venda coletiva foi maciça (72%). Apenas 28% alegaram não ter sido rentável porque a promoção pagou somente o custo das despesas, sem proporcionar o retorno esperado.

11 6. ANÁLISE DOS RESULTADOS Reunidos os dados dos levantamentos, foi possível verificar a funcionalidade dos sites de vendas coletivas e a viabilidade desse canal para anunciantes e consumidores. Conforme as informações coletadas nas pesquisas de campo observou-se 89% dos pesquisados já comprou em algum dos sites de compra coletiva. Os consumidores estão atrás de promoções, sendo que as ofertas de lazer e turismo são as que mais chamam a sua atenção. Quase a metade dos consumidores de sites de vendas coletivas gasta entre R$ 51,00 e R$ 150,00 e um quarto dos pesquisados sentiu alguma diferença no serviço prestado quando apresentou o seu cupom. Com relação aos anunciantes, a maioria provém dos ramos de gastronomia, beleza e turismo e foram motivados a investir nestes sites buscando acesso a público diversificado e experimentar uma nova opção de divulgação. Estes apontaram como as principais vantagens de se anunciar em sites de vendas coletivas a conquista de novos consumidores e a visibilidade sendo que o aumento das despesas foi a maior desvantagem. Contudo, a grande maioria achou o investimento neste tipo de anúncio rentável. 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os sites de vendas coletivas são associados pelos consumidores a altos descontos e a diversificação de produtos \ serviços, enquanto para a empresa é um grande investimento de divulgar pela oportunidade de fidelizar esses clientes momentâneos. Por intermédio de pesquisa buscou-se responder até que ponto é rentável para as empresas investirem nessa ferramenta. Comprovou-se que atrai rapidamente grande número de usuários momentâneos, em busca quase todos de promoções atrativas, aos quais cabe conquistar de maneira criativa para que se tornem clientes habituais. O segredo consiste em dosar criatividade e planejar criteriosamente os valores a investir, pois a rentabilidade está condicionada á satisfação do cliente bem atendido que se fideliza, a palavra certa para isto é Planejamento. Portanto compete a cada empresa avaliar e planejar sua divulgação para colher resultados positivos com o e-commerce. As empresas que não se preparam para investir nesta modalidade podem não obter o sucesso porque, sem planejamento adequado, não conseguem administrar o aumento de suas despesas e nem tão pouco atender à alta demanda, com qualidade, comprometendo assim a sua imagem junto aos consumidores. As pesquisas permitiram concluir que os anúncios após planejamento criterioso é rentável quer pelo aumento de clientes, quer pela exposição pública que o site oferece. Para o consumidor, o diferencial é a oportunidade de visitar lugares tidos como fora do alcance devido ao custo elevado. Somados todos esses dados, compreende-se o crescimento sempre maior dos sites de vendas coletivas, ótima oportunidade de negócio tanto para o consumidor como para o anunciante. Por ser esta uma nova modalidade, ainda carece de novos estudos e pesquisas visando a evolução, sucesso e satisfação para anunciantes e compradores.

12 8- REFERÊNCIAS ALBERTIN, A. L. Comercio Eletrônico. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2010, 306 p. LIMEIRA, T. V. E - marketing - O marketing na internet. 2 ed. São Paulo: Saraiva 2007, 352 p. GALO, B. Isto é dinheiro - Mantenha as coisas simples diz fundador do Groupon. Disponível em: < DO+GROUPON> Acesso em: 18 dez GROUPON - Informações Gerais. Disponível em: <http://www.groupon.com.br/perguntas_frequentes>. Acesso em 15 dez GROUPON - Perguntas Frequentes. Disponível em: <http://www.groupon.com.br/perguntas_frequentes>. Acesso em 15 dez GROUPON - Termos e condições de uso do Groupon. Disponível em: <http://www.groupon.com.br/termos_de_contrato>. Acesso em 15 dez KOTLER, P. Administração de marketing A bíblia do marketing. 12 ed. São Paulo: Prentice Hall, ROMEZ, R. Cenário do e-commerce no Brasil. Disponível em: <http://www.rodolforomez.com.br/o-que-eufaco/consultoria-em-ecommerce>. Acesso em 19 fev TOREZANI, N. O Crescimento do e-commerce no Brasil. 17 fev Disponível em: <http://imasters.com.br/artigo/9649/ecommerce/o_crescimento_do_e-commerce_no_brasil/> Acesso em: 23 jan TORRES, C. - A Bíblia do Marketing Digital. São Paulo: Editora Novatec, 2009, 399 p.

13 ANEXO Questionário utilizado para a pesquisa de campo - Consumidor 1) Destes sites de vendas coletivas, já comprou de algum? Qual? ( ) Groupon ( ) Peixe Urbano ( ) Click-on ( ) Outros 2) Quando você acessa um site de vendas coletivas, o que te chama mais a atenção: ( ) Gastronomia ( ) Lazer/turismo ( ) Estética/beleza ( ) Outros 3) Quando você acessa um site de vendas coletivas, você está à procura de: ( ) Apenas preço (a procura é pelo mais barato) ( ) Promoção (apenas achar um lugar legal e com desconto) ( ) Conhecer novos estabelecimentos ( novas experiências) 4) Em média, qual o valor que você gastou ao comprar em sites de compras coletivas? ( ) até R$ 50,00. ( ) de R$ 51,00 a R$ 150,00. ( ) R$ 151,00 a mais. 5) Você sentiu se houve diferença no atendimento ao utilizar o cupom? ( ) Sim ( ) Não Questionário utilizado para a pesquisa de campo Anunciante 1) Atividade/ramo de atuação da empresa anunciante: ( ) Gastronomia ( ) Beleza/Estética ( ) Lazer/ Turismo ( ) Outros 2) O que motivou a empresa a optar por essa forma de publicidade? ( ) Acesso ao público diversificado ( ) Baixo custo de divulgação

14 ( ) Experimentar uma nova ferramenta de divulgação Outros 3) Quais as principais vantagens em anunciar em um site de vendas coletivas? Enumere de 1 a 3 em ordem de importância. ( ) Visibilidade ( ) Novos consumidores ( ) Retorno financeiro 4) Quais as principais desvantagens? ( ) Aumento súbito de clientes na promoção ( ) Aumento de despesas. ( ) Queda na qualidade do atendimento. ( ) Outros 5) Foi rentável a divulgação no site de venda coletiva? ( ) Sim ( ) Não. Justifique:

O COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL

O COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL O COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL MARCOS MENDES. MBA em Tecnologia da Informação e da Comunicação na Educação (PUC-RS). Docente das Faculdades IESAP e CEAP. Professor das disciplinas Computação Gráfica,

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL 1 A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL Jaqueline Kelly Stipp 1 Jéssica Galindo de Souza 2 Luana Alves dos Santos Lemos 3 Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Esse artigo tem como objetivo

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Comércio na internet: muito mais que e-commerce

Comércio na internet: muito mais que e-commerce Comércio na internet: muito mais que e-commerce Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência

Leia mais

Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br

Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br Extra, Extra notícias fresquinhas Você pode ter uma loja que funciona 24hs, inclusive aos domingos e feriados, não paga aluguel e nem condomínio

Leia mais

Introdução. 1. O que é e-commerce?

Introdução. 1. O que é e-commerce? Introdução As vendas na internet crescem a cada dia mais no Brasil e no mundo, isto é fato. Entretanto, dominar esta ferramenta ainda pode ser um mistério tanto para micro quanto para pequenos e médios

Leia mais

Clube UOL Parceria Comercial Com Site Leilão de Prêmios

Clube UOL Parceria Comercial Com Site Leilão de Prêmios Clube UOL Parceria Comercial Com Site Leilão de Prêmios Clube UOL É um clube de descontos e benefícios do UOL. Que tem o objetivo de oferecer aos assinantes um diferencial, concedendo ofertas especiais.

Leia mais

Varejo virtual ERA DIGITAL. por Tânia M. Vidigal Limeira FGV-EAESP

Varejo virtual ERA DIGITAL. por Tânia M. Vidigal Limeira FGV-EAESP ERA DIGITAL Varejo virtual Ovolume de operações registrado recentemente no âmbito do comércio eletrônico atesta que a Internet ainda não chegou às suas últimas fronteiras. Vencidas as barreiras tecnológicas

Leia mais

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão . Indice 1 Introdução 2 Quem Somos 3 O que Fazemos 4 Planejamento 5 Serviços 6 Cases 9 Conclusão . Introdução 11 Segundo dados de uma pesquisa Ibope de 2013, o Brasil ocupa a terceira posição em quantidade

Leia mais

WWW.OUTSIDE.COM.BR Outside On-Line LTDA Telefone: +55 (19) 3869-1484 (19) 9 9441-3292 (claro) Email: carlos@outside.com.br

WWW.OUTSIDE.COM.BR Outside On-Line LTDA Telefone: +55 (19) 3869-1484 (19) 9 9441-3292 (claro) Email: carlos@outside.com.br MARKETING DIGITAL Ações de comunicação que as empresas podem se utilizar por meio da Internet e da telefonia celular e outros meios digitais para divulgar e comercializar seus produtos, conquistar novos

Leia mais

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online.

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Assunto E-commerce Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Quantidade de entrevistas realizadas: 1.652 mulheres Perfil: 18 a 50 anos Mercado: Brasil

Leia mais

Desde 2008. Mídia Kit 2015. encontrasãopaulo. www.encontrasaopaulo.com.br

Desde 2008. Mídia Kit 2015. encontrasãopaulo. www.encontrasaopaulo.com.br Desde 2008 Mídia Kit 2015 encontrasãopaulo www.encontrasaopaulo.com.br Introdução O Mídia Kit 2015 do guia online Encontra São Paulo tem o objetivo de contextualizar a atuação do site no segmento de buscas

Leia mais

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO MARKETING EM REDES SOCIAIS Bruna Karine Ribeiro Simão Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus Nova Andradina bruna_simao@hotmail.com Rodrigo Silva Duran Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Comércio Eletrônico Um breve histórico Comércio compra, venda, troca de produtos e serviços; Incrementado pelos Fenícios, Árabes, Assírios e Babilônios uso

Leia mais

Contextualização. *http://www.sophiamind.com/noticias/acesso-a-internet-movel-entre-as-mulherescresce-575-em-dois-anos/

Contextualização. *http://www.sophiamind.com/noticias/acesso-a-internet-movel-entre-as-mulherescresce-575-em-dois-anos/ Mobile Marketing Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem por cento

Leia mais

E-Book! O que é Inbound Marketing?

E-Book! O que é Inbound Marketing? E-Book! O que é Inbound Marketing? E-Book O que é Inbound Marketing? Estamos em um período de transição de modelos mentais e operacionais entre o Marketing Tradicional e o Inbound Marketing. Este e-book

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Inspire Inove Faça Diferente

Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Se eu tivesse um único dolar investiria em propaganda. - Henry Ford (Fundador da Motor Ford) As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord Pesquisa e Propagação do conhecimento: Através da Web, é possível

Leia mais

Artigo: Um olhar feminino na Internet

Artigo: Um olhar feminino na Internet Artigo: Um olhar feminino na Internet Por Tatiane Pocai Dellapiazza - aluna do primeiro ano do Curso de Comunicação Social - Centro UNISAL - Americana. Introdução: O Brasil chega perto de comemorar seu

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

Guia de Vendas Online para Iniciantes

Guia de Vendas Online para Iniciantes Guia de Vendas Online para Iniciantes ebook SUMÁRIO Introdução: Dúvidas comuns para quem deseja começar a vender pela internet... 2 Capítulo 1: O é e-commerce?... 3 Capítulo 3: Como funcionam os principais

Leia mais

TÍTULO: COMUNICAÇÃO DIGITAL: UMA ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS E AS NOVAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO

TÍTULO: COMUNICAÇÃO DIGITAL: UMA ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS E AS NOVAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: COMUNICAÇÃO DIGITAL: UMA ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS E AS NOVAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO CATEGORIA:

Leia mais

O sucesso do comércio eletrônico depende tanto da infra-estrutura de negócio, quanto da infra-estrutura de tecnologia (Pickering, 2000).

O sucesso do comércio eletrônico depende tanto da infra-estrutura de negócio, quanto da infra-estrutura de tecnologia (Pickering, 2000). Comércio Eletrônico É a compra e a venda de informações, produtos e serviços por meio de redes de computadores. (Kalakota, 1997) É a realização de toda a cadeia de valor dos processos de negócios em um

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

Nas áreas urbanas, 44% da população está conectada à internet. 97% das empresas e 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet.

Nas áreas urbanas, 44% da população está conectada à internet. 97% das empresas e 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet. Algumas pesquisa realizada recentemente, revelaram resultados surpreendentes sobre o uso da Internet nas empresas no Brasil. Neste artigo interpreta alguns dados e lhe revela as soluções que podem ajudar

Leia mais

PROJETO INTEGRADO DE NEGÓCIOS

PROJETO INTEGRADO DE NEGÓCIOS PROJETO INTEGRADO DE NEGÓCIOS MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS MBA em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação Prof. André Luiz de Freitas @CYS Fundação Getúlio Vargas Componentes Carlos Narvais Fabiano

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

CELULAR X COMPUTADOR APLICATIVO PARA CELULAR DICAS DO SEBRAE

CELULAR X COMPUTADOR APLICATIVO PARA CELULAR DICAS DO SEBRAE CELULAR X COMPUTADOR Atualmente, o Celular roubou a cena dos computadores caseiros e estão muito mais presentes na vida dos Brasileiros. APLICATIVO PARA CELULAR O nosso aplicativo para celular funciona

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

Peças para diferentes sites

Peças para diferentes sites Encontre aqui um apanhado de indicadores, estudos, análises e pesquisas de variadas fontes, todas vitais para avaliação e mensuração do desempenho e dos negócios no mundo digital. Confira Aunica The Tagnology

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof. Odilon Zappe Jr Vantagens e Desvantagens do Comércio Eletrônico Vantagens Aumento do número de contatos da empresa com fornecedores e com outras empresas do mesmo ramo, e

Leia mais

E-Mail Marketing: Primeiros Passos

E-Mail Marketing: Primeiros Passos E-Mail Marketing: Primeiros Passos E-Mail Marketing: Primeiros Passos Aprenda a utilizar o email marketing para alavancar o seu negócio O Marketing Digital vem ganhando cada vez mais força entre as empresas

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA A ERA DIGITAL E AS EMPRESA Em 1997 o Brasil já possuia 1,8 MILHÕES de usuários Brasil O 5 Maior país em extensão territorial Brasil 5 Vezes campeão do Mundo Brasil O 5 Maior país em número de pessoas conectadas

Leia mais

TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico

TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico DESTAQUES 2007 O Estudo sobre Comércio Eletrônico da TIC Domicílios 2007 apontou que: Quase a metade das pessoas que já utilizaram a internet declarou ter realizado

Leia mais

CLUBE DE VANTAGENS ASSECOR MANUAL DE UTILIZAÇÃO

CLUBE DE VANTAGENS ASSECOR MANUAL DE UTILIZAÇÃO CLUBE DE VANTAGENS ASSECOR MANUAL DE UTILIZAÇÃO Este manual foi criado especialmente para você e sua família conhecerem a ampla rede de vantagens oferecidas pela ASSECOR. Convênios diretos com as fábricas,

Leia mais

Facebook Por que curtir marcas e empresas?

Facebook Por que curtir marcas e empresas? Por que curtir marcas e empresas? Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. A sondagem foi realizada com 341 mulheres com idade entre 18 e 60 anos

Leia mais

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso.

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. Cliocar Acessórios: A construção de um negócio A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. 2 Conteúdo Resumo executivo... 2 Conhecendo o mercado... 2 Loja

Leia mais

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL 2 + 67.500.000 + 67,5 MILHÕES DE INTERNAUTAS NO BRASIL FONTE: IBOPE/NIELSEN 58.290.000 58,2 MILHOES DE INTERNAUTAS NO BRASIL ACESSAM A INTERNET SEMANALMENTE -87% FONTE:

Leia mais

INSTRUMENTO NORMATIVO 004 IN004

INSTRUMENTO NORMATIVO 004 IN004 1. Objetivo Definir um conjunto de critérios e procedimentos para o uso do Portal Eletrônico de Turismo da Região disponibilizado pela Mauatur na Internet. Aplica-se a todos os associados, empregados,

Leia mais

7º PASSO CAMPANHA ELETRÔNICA

7º PASSO CAMPANHA ELETRÔNICA 7º PASSO CAMPANHA ELETRÔNICA O que é uma campanha eletrônica? EM MARKETING POLÍTICO... CAMPANHA ELETRÔNICA Refere-se ao uso das ferramentas de e-marketing e das possibilidades disponíveis na web 2.0 para

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

TIC Microempresas 2007

TIC Microempresas 2007 TIC Microempresas 2007 Em 2007, o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação do NIC.br, no contexto da TIC Empresas 2007 1, realizou pela primeira vez um estudo sobre o uso das

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$!

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$! FOZDOIGUAÇU,2015 XXVIENANGRAD ESTUDO DO PERFIL DE ESTUDANTES EM ADMINISTRAÇÃO E SUA FAMILIARIDADE COM O E-COMMERCE. Osmar Meira de Souza Junior José Mauro de Sousa Balbino Rafaela Módolo de Pinho 1" ESTUDODOPERFILDEESTUDANTESEMADMINISTRAÇÃOESUAFAMILIARIDADECOMO

Leia mais

VENDAS DIRETAS COMO UMA FORMA DE EMPREENDER RESUMO

VENDAS DIRETAS COMO UMA FORMA DE EMPREENDER RESUMO 146 VENDAS DIRETAS COMO UMA FORMA DE EMPREENDER Carolina Guimarães de Souza Eliane Vargas de Campos RESUMO O presente artigo tem como objetivo conhecer o processo de Vendas Diretas, suas principais características

Leia mais

Palavras Chave: Segurança, Transporte, Cliente, Modernidade, Agilidade.

Palavras Chave: Segurança, Transporte, Cliente, Modernidade, Agilidade. RESUMO A imagem de uma empresa de transporte é diretamente influenciada pelas condições do meio urbano. As grandes cidades e as regiões metropolitanas são as que mais sofrem com o trânsito, um dos principais

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

SITES E BLOGS CONSTRUINDO A SUA MARCA

SITES E BLOGS CONSTRUINDO A SUA MARCA SITES E BLOGS CONSTRUINDO A SUA MARCA Paula Junqueira 7º CONGRESSO RIO DE EDUCAÇÃO CONSTRUINDO A SUA MARCA A marca é o ativo mais importante, independente do tamanho de sua empresa. As mídias sociais são

Leia mais

Ganhe Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br Bem-vindoà versão de demonstração do curso! Vocêpoderá conferir alguns vídeos do curso antes de efetuar sua compra Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias

Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias Professora: Sheila Cáceres Uma mensagem enviada em internet é dividida em pacotes de tamanho uniforme. Cada pacote

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

10 DICAS PARA SEU ECOMMERCE SER SUCESSO EM TODO O BRASIL

10 DICAS PARA SEU ECOMMERCE SER SUCESSO EM TODO O BRASIL 10 DICAS PARA SEU ECOMMERCE SER SUCESSO EM TODO O BRASIL SUMÁRIO 1. COMUNICAÇÃO SEGMENTADA! 2. SEO! 3. MOBILE! 4. FOTOS E DESCRIÇÕES! 5. FRETE! 6. PAGAMENTO REGIONAL! 7. ENTREGA! 8. EMBALAGEM! 9. ATENDIMENTO!

Leia mais

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC sua empresa na Internet A criação de um site é uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado,

Leia mais

Usuários Únicos. Visitas. Pageviews. Educação 6,3% Celebridades 8,0% Esportes 9,2% Notícias 14,5% Família 7,1% Entretenimento 13,1% Negócios 6,7%

Usuários Únicos. Visitas. Pageviews. Educação 6,3% Celebridades 8,0% Esportes 9,2% Notícias 14,5% Família 7,1% Entretenimento 13,1% Negócios 6,7% Lançado em julho de 2000, o clicrbs é um portal de internet voltado às comunidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Com mais de 100 canais, os usuários encontram o conteúdo dos jornais, das rádios

Leia mais

E-COMMERCE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR FRENTE ÀS TRANSAÇÕES ON-LINE 1. Tahinan Pattat 2, Luciano Zamberlan 3.

E-COMMERCE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR FRENTE ÀS TRANSAÇÕES ON-LINE 1. Tahinan Pattat 2, Luciano Zamberlan 3. E-COMMERCE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR FRENTE ÀS TRANSAÇÕES ON-LINE 1 Tahinan Pattat 2, Luciano Zamberlan 3. 1 Trabalho de conclusão de curso de Administração da Unijuí 2 Aluno do Curso de Administração

Leia mais

Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Introdução Mudança no ambiente empresarial; Ligação com o desenvolvimento de tecnologia da informação. Características

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

Utilização do comércio eletrônico como elemento facilitador da sociedade

Utilização do comércio eletrônico como elemento facilitador da sociedade Utilização do comércio eletrônico como elemento facilitador da sociedade Prof. Esp. Lângesson Lopes da Silva. Professor da Faculdade José Augusto Vieira. e-mail: prof_langesson@yahoo.com.br Cleide Ane

Leia mais

André Criação e Atendimento. Edson E-commerce e Atendimento. Juciellen Web Design e Programação. Talita Planejamento e Projeto

André Criação e Atendimento. Edson E-commerce e Atendimento. Juciellen Web Design e Programação. Talita Planejamento e Projeto Integrantes André Criação e Atendimento Edson E-commerce e Atendimento Juciellen Web Design e Programação Talita Planejamento e Projeto Vanessa Criação e Conteúdo Briefing Histórico da Empresa - Características

Leia mais

1. Objetivo do Projeto

1. Objetivo do Projeto PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS VISNET - INTERNET E COMUNICAÇÃO Desenvolvimento de Site para CDL 1. Objetivo do Projeto O CDL Online é o mais novo sistema interativo especialmente projetado para criar

Leia mais

1 Descrição do Problema 1.1.Introdução

1 Descrição do Problema 1.1.Introdução 14 1 Descrição do Problema 1.1.Introdução Desde a década de 90, a Internet tem-se mostrado importante instrumento na vida cotidiana do consumidor, não somente para ampliar a pesquisa de informações sobre

Leia mais

Destaques do trimestre

Destaques do trimestre Resultados 3T12 Destaques do trimestre 1 Empresa integrada é líder no índice de satisfação do cliente 2 Líder indiscutível nos segmentos de maior receita com foco na geração de valor 3 Melhora sequencial

Leia mais

livrarias. No Brasil, o mercado livreiro é um dos melhores do mundo.

livrarias. No Brasil, o mercado livreiro é um dos melhores do mundo. Universidade Castelo Branco O PROCESSO DE EVOLUÇÃO DO E-COMMERCE DA SARAIVA RUAN CAÍQUE DE JESUS SIMAS Orientação: Prof.ª Carla Mota. Rio de Janeiro, jun. 2014 Introdução O comercio varejista brasileiro

Leia mais

O JáCotei é um Comparador de Preços que auxilia os e-consumidores na busca de

O JáCotei é um Comparador de Preços que auxilia os e-consumidores na busca de Quem Somos O JáCotei é um Comparador de Preços que auxilia os e-consumidores na busca de ofertas, com o menor preço, nas melhores lojas do mercado. Há 14 anos no mercado de e-commerce com a credibilidade

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Fabrício Nogueira KPL

Fabrício Nogueira KPL Esta publicação, escrita por Fabrício Nogueira, sócio-diretor da KPL, tem como principal objetivo discutir o serviço de SAC em lojas virtuais. Ele funciona como um guia de boas práticas de atendimento

Leia mais

O mercado de e-commerce e como torná-lo mais rentável usando o marketing digital. Julia Lopes - gerente de parcerias de canais

O mercado de e-commerce e como torná-lo mais rentável usando o marketing digital. Julia Lopes - gerente de parcerias de canais O mercado de e-commerce e como torná-lo mais rentável usando o marketing digital Julia Lopes - gerente de parcerias de canais Dados de e-commerce no Brasil dimensionando o mercado Faturamento do e-commerce

Leia mais

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Definição Toda atividade de compra e venda realizada com recursos eletrônicos; Uso de mecanismos eletrônicos para a

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS Anissa CAVALCANTE 2 Jessica WERNZ 3 Márcio CARNEIRO 4, São Luís, MA PALAVRAS-CHAVE: CMS, webjornalismo, TV Vila Embratel, comunicação 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

A Black Friday é uma das principais datas da atualidade para o comércio brasileiro movimentou cerca de R$871 milhões de reais na sua última edição*

A Black Friday é uma das principais datas da atualidade para o comércio brasileiro movimentou cerca de R$871 milhões de reais na sua última edição* A Black Friday é uma das principais datas da atualidade para o comércio brasileiro movimentou cerca de R$871 milhões de reais na sua última edição* Dentre os resultados temos: 48% de aumento nas vendas

Leia mais

A Maior plataforma de relacionamento da América Latina entre consumidores e empresas.

A Maior plataforma de relacionamento da América Latina entre consumidores e empresas. A Maior plataforma de relacionamento da América Latina entre consumidores e empresas. Consumidores Empresas Pesquisar Reclamar Comparar Responder Replicar Resolver O ReclameAQUI é um elo de ligação entre

Leia mais

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas edição 04 Guia do inbound marketing Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Há um tempo atrás o departamento de marketing era conhecido

Leia mais

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo.

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. Cristian Carlos Vicari (UNIOESTE) viccari@certto.com.br Rua Engenharia, 450 Jd. Universitário C.E.P. 85.819-190 Cascavel Paraná

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

Felipe Morais @plannerfelipe O CENÁRIO DO E-COMMERCE BRASILEIRO

Felipe Morais @plannerfelipe O CENÁRIO DO E-COMMERCE BRASILEIRO Felipe Morais @plannerfelipe O CENÁRIO DO E-COMMERCE BRASILEIRO ESPECIALISTA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL Autor do livro PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL (Ed. Brasport) Autor do Blog do Planejamento

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

Americanas.com x Lojas Americanas 1

Americanas.com x Lojas Americanas 1 Americanas.com x Lojas Americanas 1 Rayra Costa da SILVA 2 Gabriela Lima RIBEIRO 3 Hugo Osvaldo ACOSTA REINALDO 4 Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE RESUMO Mesmo que no site Americanas.com haja

Leia mais

mais INFORMAÇÃO, DIVERSÃO e CONTEÚDO. MUITO MAIS Cambuí pra você

mais INFORMAÇÃO, DIVERSÃO e CONTEÚDO. MUITO MAIS Cambuí pra você mídia kit mais INFORMAÇÃO, DIVERSÃO e CONTEÚDO. MUITO MAIS Cambuí pra você Oportunidades XPACE DESCRIÇÃO: Formato diferenciado com visibilidade e impacto na Homepage do nocambuí. O Xpace é um formato richmedia

Leia mais

Saldão na Internet 2010/ 2011

Saldão na Internet 2010/ 2011 Saldão na Internet 2010/ 2011 Manual de Participação V 1.0 Conteúdo Sobre o Saldão na Internet... 3 Saldão Relâmpago... 3 Números médios do Saldão na Internet por edição... 3 Quem é o usuário do Saldão

Leia mais

A sua empresa em contato com o mundo. Ferramenta de envio de SMS

A sua empresa em contato com o mundo. Ferramenta de envio de SMS A sua empresa em contato com o mundo Ferramenta de envio de SMS A Talktelecom Líder na América Latina em telefonia computadorizada Compete no mercado desde 1992 com soluções em telecomunicações Em plena

Leia mais

Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS².

Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS². Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS². ¹Estudante do curso Análise e Desenvolvimento de sistemas. Instituto Federal de Minas Gerais campus Bambuí. Rod. Bambuí

Leia mais

Conheça o Abuze. Saiba como promover a sua marca com uma promoção de sucesso atraindo e fidelizando novos clientes!

Conheça o Abuze. Saiba como promover a sua marca com uma promoção de sucesso atraindo e fidelizando novos clientes! Conheça o Abuze. Saiba como promover a sua marca com uma promoção de sucesso atraindo e fidelizando novos clientes! O que é o Abuze? Abuze é um web site que representa o poder da força coletiva! É o ponto

Leia mais

Natal 2010 Campanha de Divulgação

Natal 2010 Campanha de Divulgação Natal 2010 Campanha de Divulgação Agenda Apresentação da e-bit E-mail Marketing Mídia On-line Condições Comerciais 2 Sobre a e-bit Fundada em Fevereiro de 2000 Pesquisa de satisfação presente em mais de

Leia mais

Guia básico do MARKETING DIGITAL Como atrair e reter clientes na era digital

Guia básico do MARKETING DIGITAL Como atrair e reter clientes na era digital Guia básico do MARKETING DIGITAL Como atrair e reter clientes na era digital digital? Por que sua marca deve investir em marketing + 100 milhões 90 % de internautas no Brasil dos consumidores, ouvem sugestões

Leia mais

SUA MAIS NOVA AGÊNCIA ON-LINE. PUBLICIDADE DESIGN WEB.

SUA MAIS NOVA AGÊNCIA ON-LINE. PUBLICIDADE DESIGN WEB. SUA MAIS NOVA AGÊNCIA ON-LINE. PUBLICIDADE DESIGN WEB. #estratégia #marketingdigital #websites Somos uma agência especializada em MARKETING DIGITAL 2007 +7 anos de experiência A Ramosdesign foi criada

Leia mais

Este é o material de apoio oferecido pela Clic Viagem, criado com finalidade de instruir melhor nossos clientes e proporcionar maior segurança,

Este é o material de apoio oferecido pela Clic Viagem, criado com finalidade de instruir melhor nossos clientes e proporcionar maior segurança, Este é o material de apoio oferecido pela Clic Viagem, criado com finalidade de instruir melhor nossos clientes e proporcionar maior segurança, confiança e credibilidade nas negociações. Dicas Essenciais

Leia mais

Internet e Negócios O que mudou?

Internet e Negócios O que mudou? Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências de Computação SCC0207 - Computadores e Sociedade I - Turma B - 2010 Profa. Graça Nunes Internet e Negócios

Leia mais

Comércio Eletrônico AULA 06. Sistemas para Internet. Professora Ms Karen Reis

Comércio Eletrônico AULA 06. Sistemas para Internet. Professora Ms Karen Reis Comércio Eletrônico AULA 06 Professora Ms Karen Reis 2011 Sistemas para Internet 1 APRESENTAÇÃO ESTUDOS DE ESTUDOS DE CASOS B2B B2C B2G G2C G2G C2C 2 Os emarketplaces podem ser classificados em verticais

Leia mais