Aplicativos Computacionais de Gestão Florestal. José Francisco Pereira Embrapa Amazônia oriental

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aplicativos Computacionais de Gestão Florestal. José Francisco Pereira Embrapa Amazônia oriental"

Transcrição

1 Aplicativos Computacionais de Gestão Florestal José Francisco Pereira Embrapa Amazônia oriental 1

2 Por que utilizar aplicativos computacionais? Grande volume de dados Complexidade de algumas análises Acesso a tecnologias (análises) Acesso a informações: base de dados Agilidade

3 Aplicativos de uso geral Proprietários Excel Access Arcgis Autocad Gratuitos BrOffice Spring GvSig

4 Específicos para o setor florestal Proprietários Mata nativa Gratuitos PLANEJO MFT MEOF MOP

5 Aplicativos florestais Inventário parcelas Inventário 100% Mapas Cadeia de custódia Econômia Monitoramento das atividades Controle e fiscalização

6 Desenvolvimento Open source: falta tradição nas instituições Instituição públicas x privadas Desvantagens: Falta de pessoal (programadores) Assistência a usuários Falta de agilidade no desenvolvimento/atualização Pode não atender a algumas especificidades do usuário/empresa Vantagens: Gratuitos Integração entre instituições Transferência de novas tecnologias/conhecimento

7

8 MONITORAMENTO ECONÔMICO DE Objetivo: OPERAÇÕES FLORESTAIS Gerar dados de boa qualidade sobre produção e custos da exploração florestal

9 Formulário de equipe Local Equipe Tempo Fatores Adversos Máquina Produção Controle

10 Local Equipe Tempo Fatores Adversos Máquina Produção

11 Resultados Relatórios Produção mensal Produção Média Diária Custo de Produção Custo por volume, área e árvore Distribuição por tipo de custo Gráficos: Produção por equipe e máquinas Custo de produção por equipe e por máquina Custo total por atividade Fator adverso por mês (empregados e máquinas) Situação do empregado e da máquina por mês

12

13

14 Produtividade diária das equipes de derruba

15 Situação da Máquina Normal Estacionamento Defeito Apoio

16 Objetivos Monitoramento Operacional do Manejo Florestal Auxiliar a realização de monitoramento sistemático e objetivo de operações florestais e seus impactos com base em verificadores de campo. Acompanhar o desenvolvimento de cada etapa do manejo, identificando os aspectos positivos e os aspectos que necessitam de melhorias

17

18 Visão Geral

19 Tipos de verificadores de campo Monitoramento Operacional (312 verificadores) Avaliação de Impactos (141 verificadores) Vistoria de PMFS (143 verificadores) Certificação Florestal (391 verificadores) Conjunto de ampla abrangência para pesquisa (694 verificadores)

20

21

22

23 Produtos Modelos de relatórios para coleta de dados no campo Relatórios de avaliação de um monitoramento Relatórios de avaliação da evolução de um monitoramento ao longo de suas aplicações

24

25

26 1 3 CONFIGURAÇÃO MANUTENÇÃO DE DADOS 2 4 DIGITAÇÃO DE DADOS GERAÇÃO DE GRÁFICOS E RELATÓRIOS

27 Relatórios Inventário contínuo Estrutura fitossociológica Fases de crescimento da floresta Classes de identificação do fuste Dinâmica da floresta Análise estatística Composição florística Associação interespecífica entre espécies Demografia Incremento periódico anual Riqueza florística Distribuição espacial Diversidade florística (Índice de Shannon) Freqüência e distribuição das espécies por parcela Mortalidade, ingresso e sobrevivência Mortalidade por classe de diâmetro Distribuição de N, G e V por parcela Parâmetros estruturais por espécie Mortalidade (Sheil) e meiavida por espécie Similaridade Distribuição diamétrica Entre comunidades (Jaccard / Morisita-Horns) Entre comunidades (Sorensen) Entre classes de tamanho (Jaccard / Morisita-Horns) N/ha, V/ha e G/ha N/ha, V/ha e G/ha por espécie Distribuição diamétrica Inventário temporário Distribuição de N, G e V por U.A. Análise estatística

28 INVENTÁRIO CONTÍNUO Relatórios Gráficos

29 Planejamento da Colheita e Controle da Produção Florestal

30 Planejo É uma ferramenta para auxiliar planejamento e controle de produção madeireira em diversas fases da exploração florestal Pré-exploratória (inventário 100%, lista de espécies, planejamento, critérios de corte, legislação); Exploratória (romaneio de toras, cadeia de custódia, controle da produção) Pós-exploratória (controle do estoque de toras no pátio da indústria).

31

32

33

34

35 Relatórios

36 Relatórios

37 Próximos passos PLANEJO Adaptação ao Modeflora Geração de mapas Plugin para o GvSig MFT e MOP Integração com bases de dados WEB Smalian (cubagem) Ajuste de equações de volume

38

NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007

NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS DIRETORIA DE FLORESTAS NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007 Institui, no âmbito desta Autarquia, o Manual Simplificado

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ESTADOS DO NORDESTE EM MARÇO DE 2008 QUANTO À GESTÃO FLORESTAL E SISTEMA DE INFORMAÇÃO

SITUAÇÃO DOS ESTADOS DO NORDESTE EM MARÇO DE 2008 QUANTO À GESTÃO FLORESTAL E SISTEMA DE INFORMAÇÃO SITUAÇÃO DOS ESTADOS DO NORDESTE EM MARÇO DE 2008 QUANTO À GESTÃO FLORESTAL E SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1a Possui Legislação para Manejo Florestal? 1 1 1 1 1 1 1 1 1 3 6 1b Estado autorização a exploração

Leia mais

Rede Biomassa Florestal: Foco de PD&I no Manejo de Florestas Naturais para mais 30 anos

Rede Biomassa Florestal: Foco de PD&I no Manejo de Florestas Naturais para mais 30 anos I Simpósio de Manejo Florestal da Amazônia e Seminário de Comemoração dos 30 Anos de Pesquisa florestal na FLONA Tapajós km 67 Santarém, maio/2010 Rede Biomassa Florestal: Foco de PD&I no Manejo de Florestas

Leia mais

Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso. Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014

Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso. Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014 Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014 Contexto Necessidade de rastreabilidade estabelecida pela resolução

Leia mais

Manejo Sustentável da Floresta

Manejo Sustentável da Floresta Manejo Sustentável da Floresta 1) Objetivo Geral Mudança de paradigmas quanto ao uso da madeira da floresta, assim como a percepção dos prejuízos advindos das queimadas e do extrativismo vegetal. 2) Objetivo

Leia mais

Treinamento em Cálculos Florestais Diversos Por Meio do Software FlorExcel

Treinamento em Cálculos Florestais Diversos Por Meio do Software FlorExcel Treinamento em Cálculos Florestais Diversos Por Meio do Software FlorExcel Julio Eduardo Arce Professor Adjunto do Departamento de Ciências Florestais Universidade Federal do Paraná Av. Pref. Lothário

Leia mais

Instrução Normativa nº 5 de 11/12/2006 / MMA - Ministério do Meio Ambiente (D.O.U. 13/12/2006)

Instrução Normativa nº 5 de 11/12/2006 / MMA - Ministério do Meio Ambiente (D.O.U. 13/12/2006) Instrução Normativa nº 5 de 11/12/2006 / MMA - Ministério do Meio Ambiente (D.O.U. 13/12/2006) Procedimentos técnicos para elaboração, apresentação, execução e avaliação técnica de Planos de Manejo Florestal

Leia mais

SOLUÇÃO SUA GESTÃO COMEÇA AQUI

SOLUÇÃO SUA GESTÃO COMEÇA AQUI A SOLUÇÃO PARA SUA GESTÃO COMEÇA AQUI A realidade do mercado corporativo atual exige que as empresas invistam cada vez mais em sistemas de informação que garantam suporte confiável para tomada de decisões.

Leia mais

EDITAL 01/2010. Pontos para Provas Escrita e/ou Prática e Didática (Aula Pública)

EDITAL 01/2010. Pontos para Provas Escrita e/ou Prática e Didática (Aula Pública) Matéria/área de conhecimento: Cirurgia veterinária com ênfase em grandes animais 1. Afecções clínico-cirúrgicas tegumentares nas espécies equinas e ruminantes; 2. Cirurgias abdominais na espécie equina;

Leia mais

Termo de Referência INTRODUÇÃO E CONTEXTO

Termo de Referência INTRODUÇÃO E CONTEXTO Termo de Referência CONSULTORIA PARA AVALIAÇÃO DOS FINANCIAMENTOS DO BANCO DA AMAZÔNIA BASA, PARA FORTALECIMENTO DA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AMAZÔNIA BRASILEIRA, COM DESTAQUE PARA

Leia mais

Plataforma ArcGIS para integração de dados de campo com equipamentos móveis Autor:

Plataforma ArcGIS para integração de dados de campo com equipamentos móveis Autor: Plataforma ArcGIS para integração de dados de Autor: RICHARD DALAQUA SUZANO PAPEL E CELULOSE Desafios Autor: RICHARD DALAQUA Uso de informações geográficas em campo De forma estruturada e corporativa Visualização

Leia mais

MARCOS REGULATÓRIOS DE FLORESTAS PLANTADAS. Seminário PDFS/MT 2015

MARCOS REGULATÓRIOS DE FLORESTAS PLANTADAS. Seminário PDFS/MT 2015 MARCOS REGULATÓRIOS DE FLORESTAS PLANTADAS Seminário PDFS/MT 2015 É referência em questões e atividades que interferem na cadeia de florestas plantadas, sugerindo e opinando em políticas públicas de pesquisa,

Leia mais

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório:

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório: Guia de sustentabilidade na produção de soja na Agricultura Familiar Relatório individual NOME: Prezado senhor (a), Em primeiro lugar, no nome dacoopafi, da Gebana e da Fundação Solidaridad,gostaríamos

Leia mais

ANEXO 12 FICHAS DE PARAMETRIZAÇÃO DE INDICADORES PARA FINS DE

ANEXO 12 FICHAS DE PARAMETRIZAÇÃO DE INDICADORES PARA FINS DE ANEXO 12 FICHAS DE PARAMETRIZAÇÃO DE INDICADORES PARA FINS DE CLASSIFICAÇÃO E BONIFICAÇÃO DO EDITAL DE CONCESSÃO FLORESTAL DA FLONA DE CAXIUANÃ Tabela 1 s indicadores. es A1 Implantação e manutenção de

Leia mais

PLANO ANUAL DE OUTORGA FLORESTAL DO ESTADO DO AMAPÁ PAOF 2014. Euryandro Ribeiro (Gerente de Núcleo NCRFO IEF/AP)

PLANO ANUAL DE OUTORGA FLORESTAL DO ESTADO DO AMAPÁ PAOF 2014. Euryandro Ribeiro (Gerente de Núcleo NCRFO IEF/AP) PLANO ANUAL DE OUTORGA FLORESTAL DO ESTADO DO AMAPÁ PAOF 2014 Euryandro Ribeiro (Gerente de Núcleo NCRFO IEF/AP) 1ª Reunião da COMEF/AP Macapá-AP / NOVEMBRO DE 2013 Marcos Regulatórios LEI FEDERAL DE OUTORGA

Leia mais

Por que escolhemos investir no mercado de madeira tropical?

Por que escolhemos investir no mercado de madeira tropical? Por que escolhemos investir no mercado de madeira tropical? O Brasil possui uma superfície de 470 milhões de ha de florestas nativas. Fonte: FAO 2005 Apenas 45% da cobertura florestal nativa é considerada

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Parcela permanente (quando houver), tamanho e localização.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Parcela permanente (quando houver), tamanho e localização. TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL DE EXPLORAÇÃO - POE CATEGORIA: MENOR E MAIOR IMPACTO DE EXPLORAÇÃO 1. Informações Gerais 1.1 Identificação Processo Administrativo; Número do Processo;

Leia mais

MÉTODO PERT/CPM APLICADO NO MANEJO DE FLORESTAS NATIVAS

MÉTODO PERT/CPM APLICADO NO MANEJO DE FLORESTAS NATIVAS MÉTODO PERT/CPM APLICADO NO MANEJO DE FLORESTAS NATIVAS João Ricardo Vasconcellos Gama Estudante D.S. Agostinho Lopes de Souza Professor Orientador 1. INTRODUÇÃO PERT - Program Evaluation and Review Technique

Leia mais

Experiencia de Brasil sobre prevención y control de la deforestación y la tala ilegal con uso de tecnología satelital.

Experiencia de Brasil sobre prevención y control de la deforestación y la tala ilegal con uso de tecnología satelital. Experiencia de Brasil sobre prevención y control de la deforestación y la tala ilegal con uso de tecnología satelital Marcos Adami Lima, 20 de agosto de 2015 Monitoramento da floresta amazônica por satélite(prodes)

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Demandas legais: manter ou recuperar a vegetação nativa em determinadas porções da propriedade rural (Lei Florestal) áreas pré-determinadas espacialmente (onde recuperar?). Demandas

Leia mais

ATE XXII. Índice. 12 - Conclusões... 1. LT 500 kv Marimbondo II - Campinas e Subestações Associadas Conclusões do Empreendimento 1/1

ATE XXII. Índice. 12 - Conclusões... 1. LT 500 kv Marimbondo II - Campinas e Subestações Associadas Conclusões do Empreendimento 1/1 Índice 12 - Conclusões... 1 Índice 1/1 12 - ATE XXII A Linha de Transmissão (LT) 500 kv Marimbondo II Campinas e Subestações Associadas é um empreendimento da ATE XXII Transmissora de Energia S.A a ser

Leia mais

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL 2 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO O plano de manejo pode ser organizado em três etapas. 1 Na primeira, faz-se o zoneamento ou divisão da propriedade

Leia mais

PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002

PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002 PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002 "Estabelece que a exploração e a supressão de produtos florestais nativos em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina, dependem da emissão,

Leia mais

Texto da Dibap p/ Intranet

Texto da Dibap p/ Intranet Texto da Dibap p/ Intranet DIBAP A Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas tem como missão: empreender ações para a conservação da biodiversidade fluminense, administrar as unidades de conservação

Leia mais

Demanda comercial por madeira legal. Conceito, progresso e uso da tecnologia para garantir a utilização legal dos recursos florestais.

Demanda comercial por madeira legal. Conceito, progresso e uso da tecnologia para garantir a utilização legal dos recursos florestais. Demanda comercial por madeira legal Conceito, progresso e uso da tecnologia para garantir a utilização legal dos recursos florestais. Experiênicas obtidas no desenvolvimento do Sistema Nacional de Informação

Leia mais

OBSERVATÓRIO RIO DAS METROPOLES NÚCLEO RM NATAL (CCHLA-UFRN) & GRUPO DE GOPROCESSAMENTO DO NORDESTE (CRN INPE)

OBSERVATÓRIO RIO DAS METROPOLES NÚCLEO RM NATAL (CCHLA-UFRN) & GRUPO DE GOPROCESSAMENTO DO NORDESTE (CRN INPE) OBSERVATÓRIO RIO DAS METROPOLES NÚCLEO RM NATAL (CCHLA-UFRN) & GRUPO DE GOPROCESSAMENTO DO NORDESTE (CRN INPE) APRESENTAÇÃO 1. O ATLAS SOCIO-ECONÔMICO-AMBIENTAL DA RM NATAL, COM BASE EM APLICATIVO DESENVOLVIDO

Leia mais

Modelagem de Serviços Ambientais Modelo InVEST

Modelagem de Serviços Ambientais Modelo InVEST Modelagem de Serviços Ambientais Modelo InVEST I Workshop sobre Monitoramento Hidroambiental da Bacia do Ribeirão Pipiripau Lícia Azevedo Setembro/2012 MODELAGEM DE SERVIÇOS AMBENTAIS COMO SUPORTE À TOMADA

Leia mais

LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL*

LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL* LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL* BOLFE, É. L. 1 I. INTRODUÇÃO A necessidade de conhecer os modelos atuais de uso da terra e as modificações

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

INCRA. Apresentação Carlos Eduardo Portella Sturm. Ministério do Desenvolvimento Agrário

INCRA. Apresentação Carlos Eduardo Portella Sturm. Ministério do Desenvolvimento Agrário INCRA Apresentação Carlos Eduardo Portella Sturm Bases Legais e o Manejo Florestal no INCRA As reservas florestais dos Projetos de Assentamento de Reforma Agrária bem como sua própria estrutura encontram-se

Leia mais

Palavras-chave: Arborização; inventário ambiental; manejo; patrimônio arbóreo; radiofreqüência

Palavras-chave: Arborização; inventário ambiental; manejo; patrimônio arbóreo; radiofreqüência Projeto de Gestão da Arborização no Campus da Universidade de São Paulo baseado em um Modelo de Inventário Ambiental utilizando Identificação por Radiofrequência Brenda Bogatzky Ribeiro Corrêa * Márcia

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

Silvicultura de Nativas e a Restauração de APP e RL. Robson Oliveira Laprovitera Gerente Florestal

Silvicultura de Nativas e a Restauração de APP e RL. Robson Oliveira Laprovitera Gerente Florestal Silvicultura de Nativas e a Restauração de APP e RL Robson Oliveira Laprovitera Gerente Florestal Outubro/ 2009 Índice 1. Apresentação Institucional 2. Manejo Florestal da International Paper 3. Ecologia

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Curso técnico em manejo florestal

RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Curso técnico em manejo florestal RELATÓRIO DE ESTÁGIO Curso técnico em manejo florestal CLAUDEMIR FONSECA GONÇALVES Manaus dezembro 2007 RELATORIO DO CURSO TÉCNICO EM MANEJO FLORESTAL CLAUDEMIR FONSECA GONÇALVES MATRICULA: 07196 ENDEREÇO:

Leia mais

Municípios de Minas Gerais figuram no topo do ranking de desmatamento da Mata Atlântica nos últimos 15 anos

Municípios de Minas Gerais figuram no topo do ranking de desmatamento da Mata Atlântica nos últimos 15 anos Municípios de Minas Gerais figuram no topo do ranking de desmatamento da Mata Atlântica nos últimos 15 anos Fundação SOS Mata Atlântica lança nesta semana o hotsite Aqui Tem Mata, que mostra de forma interativa

Leia mais

SOFTWARES DE GEOPROCESSAMENTO

SOFTWARES DE GEOPROCESSAMENTO SOFTWARES DE GEOPROCESSAMENTO Ferramentas Proprietário para SIG É um conjunto de aplicativos computacionais de Sistemas de Informações Geográficas (SIGs) desenvolvido pela empresa norte americana Esri

Leia mais

Utilização do Lidar para o planejamento e monitoramento de operações de exploração e estimativas de biomassa em florestas tropicais

Utilização do Lidar para o planejamento e monitoramento de operações de exploração e estimativas de biomassa em florestas tropicais Utilização do Lidar para o planejamento e monitoramento de operações de exploração e estimativas de biomassa em florestas tropicais Marcus Vinicio Neves d Oliveira Marcus.oliveira@embrapa.br Daniel de

Leia mais

Controle de pragas - formigas

Controle de pragas - formigas Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos Engenharia Florestal Tratos e Métodos Silviculturais Controle de pragas - formigas Eng. Ftal. Dr. Prof. Eleandro José Brun Dois Vizinhos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS FLORESTAIS E AMBIENTAIS - PPGCIFA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS FLORESTAIS E AMBIENTAIS - PPGCIFA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS FLORESTAIS E AMBIENTAIS - PPGCIFA ADILENE KROESSIN ESTRUTURA E DINÂMICA DE UMA FLORESTA

Leia mais

GRUPO 2. Documento para o transporte e armazenamento Plano de Suprimento Sustentável Identificação e localização de áreas protegidas

GRUPO 2. Documento para o transporte e armazenamento Plano de Suprimento Sustentável Identificação e localização de áreas protegidas GRUPO 2 Documento para o transporte e armazenamento Plano de Suprimento Sustentável Identificação e localização de áreas protegidas Documento para o transporte e armazenamento Quais informações devem estar

Leia mais

PARCERIAS. Terceiro Setor e Setor Privado

PARCERIAS. Terceiro Setor e Setor Privado Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida www.apremavi.org.br PARCERIAS Terceiro Setor e Setor Privado Definição (Aurélio) Parceria Reunião de pessoas para um fim de interesse comum Parceiro

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ACAF EM BOA VISTA DO RAMOS - AM

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ACAF EM BOA VISTA DO RAMOS - AM RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ACAF EM BOA VISTA DO RAMOS - AM PROJETO FLORESTA VIVA / EAFM / GRET. Período: 05 a 12 de JULHO de 2008 Bolsista: M. Sc. Carlos Matheus Silva Paixão 1. Introdução

Leia mais

Resolução do CONAMA nº 379, de 19 de outubro de 2006

Resolução do CONAMA nº 379, de 19 de outubro de 2006 3. A F L O R A 125 no entorno de terra indígena demarcada deverá ser precedida de informação georreferenciada à Fundação Nacional do Índio-FUNAI, exceto no caso da pequena propriedade rural ou posse rural

Leia mais

Povos Tradicionais e Indígenas da Amazônia Brasileira

Povos Tradicionais e Indígenas da Amazônia Brasileira Povos Tradicionais e Indígenas da Amazônia Brasileira Beneficiários dos Pagamentos por Serviços Ambientais Mary Helena Allegretti Katoomba Group GVces Outubro 2006 Populações tradicionais e indígenas protegem

Leia mais

Legislação ambiental aplicada à cultura do eucalipto

Legislação ambiental aplicada à cultura do eucalipto Legislação ambiental aplicada à cultura do eucalipto Palestrante: M.Sc. Leandro de Almeida Salles Analista de Atividades do Meio Ambiente Especialidade: Engenharia Florestal Constituição Federal Art.

Leia mais

ANEXO II MAPEAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS

ANEXO II MAPEAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS ANEXO II MAPEAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS ATIVIDADES POTENCIALMENTE IMPACTANTES (API) Atividades potencialmente impactantes (API): compreendem empreendimentos e atividades com potencial de causar danos

Leia mais

DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DE PROJETO (DIP) ESTÁGIO CONCEITUAL Relatório n o : PIDC859

DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DE PROJETO (DIP) ESTÁGIO CONCEITUAL Relatório n o : PIDC859 DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DE PROJETO (DIP) ESTÁGIO CONCEITUAL Relatório n o : PIDC859 Nome do Projeto Região País Setor(es) Tema(s) Instrumento de Empréstimo ID do Projeto Mutuário(s) Agência Implementadora

Leia mais

GEOTECNOLOGIAS SOLUÇÕES COM SOFTWARE LIVRE. Anderson Maciel Lima de Medeiros Consultor em Geotecnologias 2012

GEOTECNOLOGIAS SOLUÇÕES COM SOFTWARE LIVRE. Anderson Maciel Lima de Medeiros Consultor em Geotecnologias 2012 GEOTECNOLOGIAS SOLUÇÕES COM SOFTWARE LIVRE Anderson Maciel Lima de Medeiros Consultor em Geotecnologias 2012 SOBRE O AUTOR ANDERSON MACIEL LIMA DE MEDEIROS Coordenador dos projetos de Geoinformação da

Leia mais

Certificação ambiental a) Sistema de Gestão Ambiental

Certificação ambiental a) Sistema de Gestão Ambiental Certificação ambiental A certificação dos sistemas de gestão atesta a conformidade do modelo de gestão de fabricantes e prestadores de serviço em relação a requisitos normativos. Os sistemas clássicos

Leia mais

A Questão Florestal e o Desenvolvimento

A Questão Florestal e o Desenvolvimento Alcir Ribeiro Carneiro de Almeida, Eng. Ftal., MSc.,Dr. Gerente Florestal A Questão Florestal e o Desenvolvimento BNDES, Rio de Janeiro, 09 de julho de 2003 Grupo CIKEL CIKEL BRASIL VERDE S.A. - atua na

Leia mais

A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal

A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal Richard Respondovesk ESALQ - 20/08/2014 Tópicos A Empresa Áreas de atuação Cadeia produtiva florestal Planejamento e mercado Uso de tecnologias

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO. Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management)

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO. Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management) PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO Proposta para obtenção de recursos do GEF (doação sem encargos de US$7,05 milhões) Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management)

Leia mais

da Embrapa à Amazônia

da Embrapa à Amazônia Contribuição da Embrapa à Amazônia Milton Kanashiro Chefe de Pesquisa & Desenvolvimento Embrapa Amazônia Oriental Brasília, 13 de maio de 2009 A presença a da Embrapa na Amazônia Novos centros Sinop- 2009

Leia mais

ENG 337 MECÂNICA E MECANIZAÇÃO FLORESTAL

ENG 337 MECÂNICA E MECANIZAÇÃO FLORESTAL COLHEITA FLORESTAL ENG 337 MECÂNICA E MECANIZAÇÃO FLORESTAL Prof. Haroldo C. Fernandes DEA/UFV O caminho para o atendimento das necessidades crescentes por produtos florestais se dá por meio de uma produção

Leia mais

Portaria n.º 172, de 24 de abril de 2014.

Portaria n.º 172, de 24 de abril de 2014. Portaria n.º 172, de 24 de abril de 2014. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições constitucionais previstas no Art. 71, inciso IV, da Constituição do Estado de Mato Grosso,

Leia mais

Ações em Agroecologia

Ações em Agroecologia Ações em Agroecologia Embrapa Meio Ambiente 1 Ações na linha de pesquisa em Agroecologia na Embrapa Meio Ambiente Abrangência Os trabalhos em Agroecologia na Embrapa Meio Ambiente são desenvolvidos principalmente

Leia mais

AMC AUTORIZAÇÃO DE MANEJO DA CABRUCA. Hermann Rehem Rosa da Silva Eng. Agrônomo - Especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos INEMA/IOS

AMC AUTORIZAÇÃO DE MANEJO DA CABRUCA. Hermann Rehem Rosa da Silva Eng. Agrônomo - Especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos INEMA/IOS AMC AUTORIZAÇÃO DE MANEJO DA CABRUCA Hermann Rehem Rosa da Silva Eng. Agrônomo - Especialista em Meio Ambiente e Recursos Hídricos INEMA/IOS Decreto Estadual Nº 15180 DE 02/06/2014 Regulamenta a gestão

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

GT de Economia Criativa

GT de Economia Criativa GT de Economia Criativa Santa Maria, 02 de outubro de 2012 Pauta da reunião 1) Ações após a 1ª reunião do GT 2) Apresentação do Projeto de Mapeamento Georreferenciado da Economia Criativa 3) Apresentação

Leia mais

Contrato de Prestação de serviço Termos de Referência e Termo de aceitação

Contrato de Prestação de serviço Termos de Referência e Termo de aceitação Atualização da base de dados da Gerência de Controle Florestal e Agropecuário GCFA IPAAM, sobre planos de manejo florestal, serrarias e movelarias do Amazonas Contrato de Prestação de serviço Termos de

Leia mais

CONFLITO DE COBERTURA DE TERRAS EM REGIÃO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL, EM RELAÇÃO À APLICAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL EM VIGOR 1

CONFLITO DE COBERTURA DE TERRAS EM REGIÃO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL, EM RELAÇÃO À APLICAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL EM VIGOR 1 CONFLITO DE COBERTURA DE TERRAS EM REGIÃO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL, EM RELAÇÃO À APLICAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL EM VIGOR 1 PIAZZA, Eliara Marin 2 ; GONSALVEZ, Lilian Mariano 2 ; BREUNIG, Fábio Marcelo

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: avaliação dos avanços e novos desafios

Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: avaliação dos avanços e novos desafios Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: avaliação dos avanços e novos desafios Julio César Bachega Consultor em Gestão Florestal j_bachega@hotmail.com Estrutura da apresentação Resgate

Leia mais

Inventário Florestal Nacional IFN-BR

Inventário Florestal Nacional IFN-BR Seminário de Informação em Biodiversidade no Âmbito do MMA Inventário Florestal Nacional IFN-BR Dr. Joberto Veloso de Freitas SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO Gerente Executivo Informações Florestais Brasília,

Leia mais

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Indução de reflorestamento no Rio de Janeiro: Das compensações ambientais ao desafio olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Seminário Reflorestamento da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Manejo Florestal Sustentável: Dificuldade Computacional e Otimização de Processos

Manejo Florestal Sustentável: Dificuldade Computacional e Otimização de Processos Manejo Florestal Sustentável: Dificuldade Computacional e Otimização de Processos Daniella Rodrigues Bezerra 1, Rosiane de Freitas Rodrigues 12, Ulisses Silva da Cunha 3, Raimundo da Silva Barreto 12 Universidade

Leia mais

Manejo Florestal Resumo Público

Manejo Florestal Resumo Público Itacoatiara/AM- Brasil. Edição 2013. Manejo Florestal Resumo Público Mil Madeiras Preciosas Ltda. TERMOS E DEFINIÇÕES PWA: Precious Woods Amazon. Ramificação do grupo PW (Precious Woods), onde os empreendimentos

Leia mais

O SETOR FLORESTAL SÉCULO XXI

O SETOR FLORESTAL SÉCULO XXI O SETOR FLORESTAL SÉCULO XXI PONTOS FORTES AMBIENTAIS Maior área florestal do mundo com 477 milhões de ha Estoque de carbono nas florestas da ordem de 50 bilhões de t C 150 milhões de ha com terras indígenas

Leia mais

O SOFTWARE SPP Eucalyptus

O SOFTWARE SPP Eucalyptus Rua Raul Soares, 133/201 - Centro - Lavras MG CEP 37200-000 Fone/Fax: 35 3821 6590 O SOFTWARE SPP Eucalyptus 1/7/2008 Inventar GMB Consultoria Ltda Ivonise Silva Andrade INTRODUÇÃO Um dos grandes problemas

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE RECRUTAMENTO Nº 001/2016 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 012/2016

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE RECRUTAMENTO Nº 001/2016 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 012/2016 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE RECRUTAMENTO Nº 001/2016 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 012/2016 I. DO OBJETO DA CONTRATAÇÃO Contratação de TÉCNICO DE CAMPO para o Projeto Produção Sustentável em Áreas

Leia mais

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E PROGRAMAS DO GOVERNO FEDERAL PARA O USO SUSTENTÁVEL E A CONSERVAÇÃO DE SOLOS AGRÍCOLAS

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E PROGRAMAS DO GOVERNO FEDERAL PARA O USO SUSTENTÁVEL E A CONSERVAÇÃO DE SOLOS AGRÍCOLAS ESTUDO LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E PROGRAMAS DO GOVERNO FEDERAL PARA O USO SUSTENTÁVEL E A CONSERVAÇÃO DE SOLOS AGRÍCOLAS ESTUDO DEZEMBRO/2014 Rodrigo Hermeto Corrêa Dolabella Consultor Legislativo da Área

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos do art. 12, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos

Leia mais

MOP. Ferramenta para Monitoramento Operacional do Manejo Florestal UNIVERSITÄT FREIBURG

MOP. Ferramenta para Monitoramento Operacional do Manejo Florestal UNIVERSITÄT FREIBURG MOP Ferramenta para Monitoramento Operacional do Manejo Florestal UNIVERSITÄT FREIBURG ÍNDICE 1. Apresentação... 4 2. Visão geral... 5 3. Procedimentos de instalação... 6 4. A interface do MOP... 12 4.1.

Leia mais

Programa do INPE de Monitoramento da Amazônia

Programa do INPE de Monitoramento da Amazônia Programa do INPE de Monitoramento da Amazônia Audiência Pública - Câmara dos Deputados Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Brasília, 7 de maio de 2013 Projetos do Programa Amazônia

Leia mais

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 1. INTRODUÇÃO AGENDA 2. ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS 3. MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

característica dos dados, cálculos, incertezas e sistema de monitoramento Ane Alencar

característica dos dados, cálculos, incertezas e sistema de monitoramento Ane Alencar Carbono florestal nos estados da Amazônia Brasileira: característica dos dados, cálculos, incertezas e sistema de monitoramento Ane Alencar Conteúdo O que é o carbono? Como podemos medir? Quais os tipos

Leia mais

GREEN NATION FEST. Design e Sustentável Consumo Consciente

GREEN NATION FEST. Design e Sustentável Consumo Consciente GREEN NATION FEST Design e Sustentável Consumo Consciente O trabalho do designer Pedro Petry sempre foi pautado pela busca de alternativas que fomentam a sustentabilidade: Das experiências com objetos

Leia mais

Informática. Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br

Informática. Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Informática Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Roteiro de Aula Softwares Conceito, Classificação, exemplos, uso e aplicações Formas de distribuição

Leia mais

Estimativa Dos Acidentes De Trabalho No Setor De Base Florestal No Estado Do Mato Grosso

Estimativa Dos Acidentes De Trabalho No Setor De Base Florestal No Estado Do Mato Grosso Estimativa Dos Acidentes De Trabalho No Setor De Base Florestal No Estado Do Mato Grosso Josiane de Fátima Alfonso Godoy¹; Mariana Peres de Lima²; Karla Rodrigues de Melo³ (1) Engenheira Florestal, josianealfonso@gmail.com

Leia mais

Guia passo a passo. Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC

Guia passo a passo. Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC Guia passo a passo Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC INTRODUÇÃO AO FSC O que é o FSC? O FSC é uma organização independente, não governamental e sem fins lucrativos criada para promover

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

41º CAFÉ COM SUSTENTABILIDADE 2015

41º CAFÉ COM SUSTENTABILIDADE 2015 41º CAFÉ COM SUSTENTABILIDADE 2015 CENÁRIO MUNDIAL SETOR FLORESTAL PRESSÃO PARA PRESERVAÇÃO DAS FLORESTAS PRESSÃO PARA ABERTURA DE NOVAS FRONTEIRAS FLORESTA RISCO DE ESCASSEZ VALORIZAÇÃO 2 O BRASIL FLORESTAL

Leia mais

Desafios na implantação de um GIS corporativo. Wolmar Sabino Area Leader - Government

Desafios na implantação de um GIS corporativo. Wolmar Sabino Area Leader - Government Desafios na implantação de um GIS corporativo Wolmar Sabino Area Leader - Government Qual é o entendimento de um GIS Corporativo? Sistema criado para servir toda corporação Aumentar a eficiência na prestação

Leia mais

LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana. Estudo de Impacto Ambiental - EIA. Novembro de 2010. 8 - Conclusão

LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana. Estudo de Impacto Ambiental - EIA. Novembro de 2010. 8 - Conclusão EIIA Não excluir esta página LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana Novembro de 2010 8 - Conclusão 2422-00-EIA-RL-0001-00 Rev. nº 00 Preencher os campos abaixo Marcos Pereira Consultor: Revisão

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO AMAZONAS: política para produtos não madeireiros

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO AMAZONAS: política para produtos não madeireiros DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO AMAZONAS: política para produtos não madeireiros ESTADO DO AMAZONAS 1.5 milhões/km2. 3.341 milhões/habitantes 1,4 milhões/km2 Reserva de floresta tropical 98% Cobertura florestal

Leia mais

Uso de software livre para modelagem matemática e simulação

Uso de software livre para modelagem matemática e simulação Uso de software livre para modelagem matemática e simulação Rafael de Oliveira Silva 1 Sônia Ternes 2 Um modelo matemático pode ser definido como um conjunto de símbolos e relações matemáticas que traduzem,

Leia mais

ANEXO I. 40 horas Ensino superior completo em engenharia ambiental e registro no órgão de classe (CREA)

ANEXO I. 40 horas Ensino superior completo em engenharia ambiental e registro no órgão de classe (CREA) ANEXO I FUNÇÃO VAGAS REMUNERAÇÃO E/OU CARREIRA/ CLASSE Engenheiro Ambiental 01 R$ 3.749,14 + valor de R$ 800,00 CARGA HORÁRIA SEMANAL ESCOLARIDA DE E TITULAÇÃO 40 horas Ensino superior completo em engenharia

Leia mais

RESUMO público. Faz. Faxinal

RESUMO público. Faz. Faxinal RESUMO público Plano de manejo florestal Faz. Faxinal SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 3 MISSÃO... 4 4 PRINCÍPIOS... 4 5 POLÍTICA DE GESTÃO... 4 6 CERTIFICAÇÃO FLORESTAL... 5 7 RECURSOS FLORESTAIS

Leia mais

RESUMO PÚBLICO PLANO DE MANEJO FLORESTAL - 2015

RESUMO PÚBLICO PLANO DE MANEJO FLORESTAL - 2015 RESUMO PÚBLICO PLANO DE MANEJO FLORESTAL - 2015 Página2 Página3 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Madepar Indústria e Comércio de Madeiras LTDA certificou suas florestas de acordo com os Princípios e Critérios

Leia mais

Oportunidades no Financiamento do Setor Florestal. Oduval Lobato Neto Gerente Executivo de Gestão de Programas Governamentais

Oportunidades no Financiamento do Setor Florestal. Oduval Lobato Neto Gerente Executivo de Gestão de Programas Governamentais Oportunidades no Financiamento do Setor Florestal Oduval Lobato Neto Gerente Executivo de Gestão de Programas Governamentais Seminário: Políticas ambientais como fonte de novos negócios para Instituições

Leia mais

SUSTENTABILIDADE DA MINERAÇÃO NO BRASIL

SUSTENTABILIDADE DA MINERAÇÃO NO BRASIL Benefício ou malefício para população local? Cobrança da CFEM. Prevenção e Mitigação dos Impactos. Fechamento de Mina. MINERAÇÃO: malefício ou benefício para população local? Benefícios da atividade minerária:

Leia mais

Termo de Referência INTRODUÇÃO E CONTEXTO

Termo de Referência INTRODUÇÃO E CONTEXTO Termo de Referência CONSULTORIA PARA AVALIAÇÃO DOS FINANCIAMENTOS DO BANCO DA AMAZÔNIA BASA, PARA FORTALECIMENTO DA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AMAZÔNIA BRASILEIRA, COM DESTAQUE PARA

Leia mais

XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009

XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009 XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009 ANÁLISE COMPARATIVA NA AVALIAÇÃO DE FLORESTA PLANTADA DE PINUS PELO MÉTODO DO VALOR ECONÔMICO, UTILIZANDO COMO PARÂMETROS

Leia mais

Meios de pagamento aceitos pelas micro e pequenas empresas brasileiras Agosto/15

Meios de pagamento aceitos pelas micro e pequenas empresas brasileiras Agosto/15 Meios de pagamento aceitos pelas micro e pequenas empresas brasileiras Agosto/15 Conceder desconto no pagamento à vista é estratégia adotada por grande parte dos empresários. Cartões ganham cada vez mais

Leia mais

A ECOAR E O DESENVOLVIMENTO FLORESTAL JUNTO À PEQUENA E MÉDIA PROPRIEDADE RURAL. Atuação e abordagem dos trabalhos desenvolvidos pela ECOAR

A ECOAR E O DESENVOLVIMENTO FLORESTAL JUNTO À PEQUENA E MÉDIA PROPRIEDADE RURAL. Atuação e abordagem dos trabalhos desenvolvidos pela ECOAR A ECOAR E O DESENVOLVIMENTO FLORESTAL JUNTO À PEQUENA E MÉDIA PROPRIEDADE RURAL Eduardo S. Quartim. João C. S. Nagamura. Roberto Bretzel Martins. Atuação e abordagem dos trabalhos desenvolvidos pela ECOAR

Leia mais

TECNOLOGIAS GEOESPACIAIS INOVADORAS. Tecnologia. Geoprocessamento. Sistemas de Informações Geográficas. Sensoriamento Remoto. Geociências.

TECNOLOGIAS GEOESPACIAIS INOVADORAS. Tecnologia. Geoprocessamento. Sistemas de Informações Geográficas. Sensoriamento Remoto. Geociências. TECNOLOGIAS GEOESPACIAIS INOVADORAS Tecnologia Geoprocessamento Sistemas de Informações Geográficas Sensoriamento Remoto Geociências Geofísica www.hexgis.com PIONEIRISMO E INOVAÇÃO Idealizada a partir

Leia mais

Simpósio de Mercado de Carbono pós COP 15 e Código Florestal para o

Simpósio de Mercado de Carbono pós COP 15 e Código Florestal para o Simpósio de Mercado de Carbono pós COP 15 e Código Florestal para o Sistema Cooperativista Elvison Nunes Ramos Fiscal Federal Agropecuário/Engenheiro Agrônomo Coordenador de Manejo Sustentável do Sistemas

Leia mais

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes Secretária executiva do FSC, ONG que gerencia a principal certificação de florestas, diz que o desafio agora é ampliar atuação na Mata Atlântica

Leia mais

Aplicação da ferramenta Invest para identificação de Áreas de Risco de Contaminação no âmbito do Plano de Segurança da Água

Aplicação da ferramenta Invest para identificação de Áreas de Risco de Contaminação no âmbito do Plano de Segurança da Água Aplicação da ferramenta Invest para identificação de Áreas de Risco de Contaminação no âmbito do Plano de Segurança da Água João Guimarães Dezembro/2012 60 anos Brasil 1988 32 países 3.500 funcionários

Leia mais

Gestão Social no Contexto da Sustentabilidade

Gestão Social no Contexto da Sustentabilidade Florestas Plantadas e Critérios Socioambientais Gestão Social no Contexto da Sustentabilidade FSC -Estudo para Análise de CAR Foram analisados os relatórios de auditoria de 2009 e 2010 das 5 empresas do

Leia mais