APIMEC SP. Mauro Dias Diretor Presidente e de Relações com Investidores. 8 de Agosto de 2007

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APIMEC SP. Mauro Dias Diretor Presidente e de Relações com Investidores. 8 de Agosto de 2007"

Transcrição

1 APIMEC SP Mauro Dias Diretor Presidente e de Relações com Investidores 8 de Agosto de

2 Agenda A Log-In Logística Intermodal A Indústria Performance Estratégia 2

3 A Log-In Logística Intermodal 3

4 Único player brasileiro a oferecer serviços de logística intermodal porta-a-porta de contêineres Terminal de Vila Velha Navegação Costeira Logística de Minério de Ferro: Transporte, manuseio e armazenagem de minério de ferro e pelotas da CVRD utilizando um sistema integrado entre mina-ferrovia-porto. Serviços de Logística para Terceiros Fornece serviços de logística para terceiros de carga a granel e break bulk utilizando os ativos logísticos da CVRD. Trem Expresso Serviços de Planejamento e Gestão Logística Serviços de logística para terceitros especializada em contêineres. 4

5 Ampla cobertura e base de clientes Extensa malha cobrindo as regiões mais importantes do Brasil e da Argentina, que representam cerca de 70% do PIB brasileiro, e mais de clientes Terminal Portuário de Contêineres Navegação Costeira Armadores Café Granito Produtos Siderúrgicos Papel Alimentos Petroquímicos Eletro-eletrônicos Têxtil Papel e Celulose Trem Expresso Serviços de Planejamento e Gestão Logística Terminal Portuário de Contêineres - TVV Cabotagem S-N Cabotagem N-S Portos para Navegação Costeira Trem Expresso Terminais Multimodais Terrestres Próprios Escritórios Comerciais Alimentos Higiente e Limpeza Petroquímicos Automobilístico Petroquímicos 5

6 Oferta única de serviços integrados Terminal Portuário rio de Contêineres Navegação Costeira Transporte Ferroviário rio Transporte Rodoviário player 1 player 2 player 3 player 3 player 4 player 4 player 5 Período de concessão de anos (até 2048) 5 navios afretados Contrato de longo prazo com a FCA First& Lastmile (frota terceirizada) desde 1998 desde 1999 desde 2001 desde

7 A oferta pública de ações da Log-In Acelerar o crescimento e criação de valor dos negócios de logística intermodal Levantar recursos necessários para financiar os planos de crescimento da Log-In Foco da CVRD em seu core business Estrutura Acionária (Antes da Oferta) Estrutura Acionária (Após a Oferta) Mercado 94,3% 5,7% 31,3% 3,8% 64,9% 7

8 A oferta pública de ações da Log-In Estréia na BOVESPA no dia 21 de junho, a primeira empresa de logística a aderir ao Novo Mercado ações ON vendidas em 18 de junho Greenshoe de ações ON exercido em 17 de julho Preço de bookbuilding: R$ 14,25 / ação Recursos captados: R$ 848,2 milhões R$ 404,9 MM Utilização dos recursos: R$ 443,3 MM expansão da capacidade operacional do TVV expansão da capacidade operacional da Navegação Costeira ampliação da frota de contêineres aquisição de novos terminais intermodais terrestres reestruturação dos serviços de Ponta Rodoviária 8

9 A Indústria 9

10 Forte crescimento com fundamentos atrativos Os serviços de logística intermodal no Brasil apresentam perspectivas de crescimento vigoroso devido a cinco fatores-chave Uso de modais de transporte mais eficientes Crescimento da cultura de utilização de soluções intermodais Serviços Intermodais Expectativa de queda na competitividade da transporte rodoviário rio Maior utilização de contêineres para transporte de carga Crescimento do mercado interno e do comércio exterior 10

11 Uso de modais de transporte mais eficientes Transportes ferroviário e aquaviário brasileiros possuem potencial significativo de crescimento em comparação a países desenvolvidos com escala comparável Matriz de Transporte de Diferentes Países 1 Market Share - Transporte Ferroviário (%, ) 11% 13% 8% 81% 50% 50% 50% 37% 4% 53% 43% 43% Competitividade de Custo 25% 17% 19% 32% 58% 25% Nota: 1. Não considera oleodutos e transporte aéreo; 2. Exclui o transporte de minério de ferro fonte: CIA Factbook 2007; Ministério dos Transportes; ANTT 71% 10% Rússia Índia China Austrália EUA Brasil Brasil Ferrovia Rodovia Aquaviário fonte: Estudo da Harvard Business School sobre competição da ferrovia no Brasil Custo de Combutível (transporte de 1 ton por km) Litros de combustível ,0 Potencial do Brasil? Distorção: distâncias em que o transporte de longo curso é mais eficiente estão sendo atendidas historicamente por caminhões Brasil >2.000 Distância 11,6 O Trem Expresso já possui distância média de km US (km) 4,6 Caminhão Trem Navio Até 400km 400km 1.500km Mais de 1.500km Distância média da Log-In km km 11

12 Menor competitividade do transporte rodoviário A competitividade do transporte rodoviário em médias e longas distâncias apresenta tendência de redução no Brasil Programa de Concessão Rodoviária Custos de Infra-Estrutura Atualmente, não há pedágios nas maiores estradas federais Plano de concessão se inicia no 2º semestre de 2007 Outras tendências da indústria Renovação da frota Regulação trabalhista Regulação de emissões (CO2) 12

13 Crescimento do comércio exterior e da utilização de contêineres O comércio exterior e a utilização de contêineres no transporte de carga devem manter sua tendência de forte crescimento Comércio Exterior Brasileiro (US$ bilhões) Manuseio de Contêineres no Brasil (milhões de unidades) Crescimento anual = 12,7% % % 50% 49% 44% 60% 60% 50% 51% 56% % 61% % 60% 3,7 2,8 3,2 2,3 1,9 2,0 Crescimento anual = 14,1% 4,2 4,8 5,4 6,2 7,0 Crescimento anual = 13,6% Exportações Importações fonte: SECEX Nota: 1. US$106 bilhões transportados em contêineres em 2006 (US$94 bilhões exportados e US$12 bilhões importados) Atual Estimativa fonte: Abratec 13

14 Alta eficiência ambiental das soluções intermodais Os serviços da Log-In ajudam a reduzir as emissões de dióxido de carbono, impactando positivamente o aquecimento global Emissões por segmento 1 Emissões na indústria do transporte 1 Comércio 16% Agricultura 8% Indústria 30% Ferroviário 2% Marítimo 5% Outros 11% Rodoviário (carga) 35% Aéreo 10% Residências 19% Transporte 27% Nota: 1. Emissões do gás do efeito estufa nos EUA em 2000 fonte: MIT e Oak Ridge National Laboratory Rodoviário (passageiro) 37% Emissões (CO 2eq por TKU) por modal de transporte % -74% Caminhão Trem Navio fonte: Baseado na Consultoria ACIL 14

15 Adoção crescente de soluções intermodais Capacidade garantida e regularidade Integridade da carga Segurança Capacidade não é afetada pela sazonalidade Serviço com freqüência regular Utilização de contêineres reduz riscos na transferência de modais Carga transportada em ferrovias ou por navegação está menos sujeita a avarias Contêiner é inviolável Menor exposição a roubos nos transportes ferroviário e marítimo Redução da complexidade Contatos, informações e documentos consolidados em apenas um provedor de serviço 15

16 Performance 16

17 Principais indicadores da Log-In 2T07 2T06 Variação Volume (TEUs) ,9% R$ Milhões Receita Bruta 104,0 96,0 8,3% Receita Líquida 91,0 84,4 7,8% EBIT 16,9 (9,5) - EBITDA Ajustado 19,0 (8,3) - Margem EBITDA Ajustado 20,8% (9,9%) 30,7 p.p. Resultado Líquido (7,8) (5,6) - Resultado Líquido ex-ipo* 7,1 (5,6) - *descontando-se todas as despesas referentes ao IPO 17

18 Principais indicadores da Log-In 1S07 1S06 Variação LTM 2T07 Volume (TEUs) ,7% R$ Milhões Receita Bruta 193,2 176,9 9,2% 408,8 Receita Líquida 169,3 155,3 9,0% 358,9 EBIT 24,5 (6,9) - 57,6 EBITDA Ajustado 28,1 (4,6) - 71,1 Margem EBITDA Ajustado 16,6% (3,0%) 19,6 p.p. 19,8% Resultado Líquido (4,4) 3,5-28,1 Resultado Líquido ex-ipo* 10,5 3,5 200,0% 43,0 *descontando-se todas as despesas referentes ao IPO Todos os nossos segmentos de negócios apresentaram significativa melhoria entre o 2T06 e o 2T07 18

19 Terminal Portuário de Contêineres - TVV Terminal portuário com fluxo de exportação / importação balanceado e estrategicamente localizado em Vitória (ES), com grande área de influência e bons acessos rodoviários e ferroviários Área atual comprimento do berço calado do berço área ativos capacidade estática acesso Informações Gerais Mix de Carga em berços de 232 m cada 10,7 m m 2 2 portêineres 2 guindastes de cais 3 transtêineres TEUs rodoviário e ferroviário Volume de TVV (mil TEUs) e produtividade (mov/h) crescimento anual = 21,1% 273 crescimento = 275% 45 Exportações 49% 23% Outros 10% 3% 28% Papel Aço Café Importações 51% 36% Granito 1999 LTM 2T T07 19

20 Terminal Portuário de Contêineres - TVV 2T07 2T06 Variação LTM 2T07 Volume (TEUs) ,8% R$ Milhões Receita Bruta 37,9 33,5 13,1% 141,7 Receita Líquida 32,5 29,0 12,1% 121,8 EBITDA Ajustado 14,7 6,5 126,2 47,1 Margem EBITDA Ajustado 45,1% 22,4% 22,7 p.p. 38,7% No 2T07 movimentamos TEUs, 13,8% acima do 2T06. Incremento de 13,5% nas cargas de importação, que utilizam serviços de pátio e de armazenagem. Novo recorde mensal obtido em junho: TEUs movimentados. Taxa média de 45,0 movimentos/hora no 2T07, contra 31,7 no 2T06. Recorde alcançado em abril: 46,5 movimentos/hora. Redução no tempo médio de espera na barra para atracação de 10,3 horas no 2T06 para 30 minutos no 2T07. 20

21 Navegação Costeira Único operador doméstico independente focado no mercado da costa leste da América do Sul. Cinco navios de contêineres com freqüência semanal Navios de Contêineres Frotasantos Frotario Frotamanaus Frotabelém Frotamacau Capacidade Total Capacidade Nominal (TEUs) Cabotagem Sentido Norte Cabotagem Sentido Sul Portos para Navegação Costeira 21

22 Navegação Costeira 2T07 2T06 Variação LTM 2T07 Volume (TEUs) (15,0%) R$ Milhões Receita Bruta 47,7 45,6 4,6% 190,3 Receita Líquida 43,3 41,4 4,6% 173,4 EBITDA Ajustado 7,1 2,3 208,7% 28,1 Margem EBITDA Ajustado 16,4% 5,5% 10,9 p.p. 16,2% Reestruturação do serviço, com foco nas rotas de Cabotagem e Mercosul, que têm maior rentabilidade (yield management). Conseqüente redução na capacidade devido ao foco nas rotas mais longas. 22

23 Navegação Costeira volume transportado por segmento de negócio TEUs receita bruta (R$ MM) x volume transportado (TEUs) , Cabotagem 45, Mercosul Feeder +4,6% T06 2T07 0 2T06 2T07 Receita bruta Volume transportado Preço médio por TEU transportado aumentou em 23,1%. Redução de 9% no custo médio de movimentação por contêiner. 23

24 Trem Expresso Serviço porta-a-porta baseado em transporte ferroviário com freqüência diária e cronograma fixo, incluindo terminais terrestres estrategicamente localizados TERCAM CAMAÇARI ARI (BA) Belo Horizonte Área: m 2 Acesso rodoviário e ferroviário localizado no coração do complexo industrial mais importante do nordeste (Camaçari- BA) Armazenamento, separação de carga, distribuição, reexpedição, cross docking, ponto de trânsito PORTO SECO DO CERRADO (PSC) UBERLÂNDIA (MG) Terminal Portuário de Contêineres - TVV Cabotagem N-S Cabotagem S-N Portos para Navegação Costeira Trem Expresso: São Paulo - Nordeste Trem Expresso: São Paulo - Centro-Oeste Trem Expresso: Vitória-Uberlândia Terminais Multimodais Terrestres Próprios Escritórios Comerciais Área: m 2 Área de Armazenagem: m 2 Acesso rodoviário e ferroviário, estrategicamente localizado em uma das regiões industrial e agrícola mais dinâmicas do centro do país (Triângulo Mineiro) Área alfandegada 24

25 Trem Expresso 2T07 2T06 Variação LTM 2T07 Volume (TEUs) ,9% R$ Milhões Receita Bruta 16,0 16,1 (0,6%) 69,4 Receita Líquida 13,2 13,4 (1,5%) 56,8 EBITDA Ajustado 1,0 0,4 150,0% 4,3 Margem EBITDA Ajustado 7,7% 2,7% 5 p.p. 7,6% Mudança no mix de rotas, com maior volume para a rota SP-CO, 43,2% no 2T07 contra 33,7% no 2T06. Aumento de volume movimentado no Tercam e no PSC, receita de R$ 1,0 milhão no 2T07. Início de reestruturação dos serviços de ponta rodoviária. 25

26 Serviços de Planejamento e Gestão Logística Uma das empresas pioneiras no Brasil a fornecer serviços 4PL aos seus consumidores, com foco na otimização de seus processos logísticos, baseado em acordos de compartilhamento de ganhos (gain share) Conceito 4PL + 4PL Empresas que fornecem apenas a inteligência logística para otimização das operações de seus clientes, subcontratando serviços logísticos de terceiros Valor agregado agregado do serviço 3PL 2PL Empresas que fornecem serviços terceirizados completos, gerenciando transporte, armazenagem e distribuição Empresas que realizam a movimentação de cargas de terceiros e são intensas em ativos 1PL Empresas que realizam suas próprias entregas através de ativos próprios 26

27 Estratégia 27

28 Estratégia de crescimento da Log-In Aumentar a participação de mercado nos fluxos de transporte de média e longa distância Focar na eficiência dos ativos existentes Expandir para novos mercados Explorar oportunidades de venda cruzada Perseguir alternativas estratégicas de aquisições e alianças as 28

29 Expansão da capacidade do TVV Plano de ampliação da capacidade operacional do TVV de TEUs para TEUs em 2010 e produtividade de 42 para 60 movimentos/hora. Capex de R$ 65 milhões Melhorar a retroárea 2. Reposicionamento da estrada de ferro 3. Novo portão 4. Expansão do galpão de armazenamento 5. Dois novos portêineres 6. Melhoria do acesso ao canal de Vitória (calado de 12,5 m e 244 m LOA) Área atual 29

30 Crescimento consistente do volume de Navegação Costeira Volumes da Navegação Costeira 1 (mil TEUs) Market Share 2 em 2006 Crescimento anual = 47,2% Caminhões 82% Navegação Costeira 18% Nota: 1. Todas as empresas Indica quando a nova capacidade foi acrescida Nota: 2. Cargas com origem e destino dentro de 200km de um porto e a distância entre a origem e o destino de km ou mais 30

31 Expansão da capacidade na Navegação Costeira A regulamentação brasileira permite o afretamento de embarcações estrangeiras com suspensão de bandeira, para operar com a bandeira brasileira durante o período de construção de navios em estaleiro nacional Capacidade operacional ( 000 TEU) 6,6 6,6 8,6 10,0 12,5 13,5 direito de utilização da tonelagem adquiridos da Frota Oceânica já permite ampliar a capacidade ofertada em até TEUs 4,5 pedido de prioridade para financiamento dos cinco novos navios junto ao FMM Capacidade nominal: 666 TEUs TEUs (frota atual) TEUs (navios contratados) TEUs (novos navios) 31

32 32

Logística Intermodal de. Luis Fernando Martinez Gerente Geral de Terminais Intermodais

Logística Intermodal de. Luis Fernando Martinez Gerente Geral de Terminais Intermodais Logística Intermodal de Container Luis Fernando Martinez Gerente Geral de Terminais Intermodais A Empresa Nossa História 1962 1998 1999 2001 2002 A Companhia Vale do Rio Doce funda a Docenave Overseas,

Leia mais

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira Mauro Dias Diretor-Presidente 1 Seminário Cabotagem Brasileira Agosto 2009 Mercado de Cabotagem de Contêineres O mercado de contêineres

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL Seminário: Terminais, Ferrovias e Contêineres Maio/2009 A Empresa Nossa Atuação Logística de Minério de Ferro Transporte, manuseio e armazenagem de minério de ferro e pelotas

Leia mais

Seminário de Portos e Vias Navegáveis: Um olhar sobre a infraestrutura Brasília, 22 de setembro de 2011

Seminário de Portos e Vias Navegáveis: Um olhar sobre a infraestrutura Brasília, 22 de setembro de 2011 PAINEL Navegação Marítima de Cabotagem A experiência do armador nacional como investidor em navios no Brasil Seminário de Portos e Vias Navegáveis: Um olhar sobre a infraestrutura Brasília, 22 de setembro

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T14 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279

Reunião APIMEC - 3T14 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Reunião APIMEC - 3T14 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL SOBRE LOG-IN BENEFÍCIOS MONITORAMENTO 24HS DAS CARGAS Monitoramento de risco e informação de todas as viagens; INTERMODALIDADE

Leia mais

As Dificuldades para o Transporte de Carga Geral na Cabotagem Brasileira

As Dificuldades para o Transporte de Carga Geral na Cabotagem Brasileira As Dificuldades para o Transporte de Carga Geral na Cabotagem Brasileira A matriz brasileira de transporte de cargas é distorcida quando comparada à de países com extensões e características geográficas

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA. J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010

ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA. J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010 ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010 1 GASES DE EFEITO ESTUFA Fonte: Cetesb / Fiesp 2 GEE POR SETOR Fonte: Cetesb / Fiesp 3 EMISSÕES

Leia mais

ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL. WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem

ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL. WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem Brasília, 11 Junho 2015 Índice A. Objetivos da reunião B. Explicação da metodologia

Leia mais

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail. Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.com Algumas Questões Estamos no caminho correto do desenvolvimento

Leia mais

Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL

Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL São Paulo, 07 de abril de 2015 Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ Definição legal da navegação de cabotagem BAHIA Art. 2º, IX navegação de cabotagem: a realizada entre

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

ALL ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1T07

ALL ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1T07 Página 1 de XX ALL ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1T07 Curitiba, 14 de maio de 2007 A América Latina Logística S.A. 1 ALL (Bovespa: ALLL11) 2, a maior empresa independente de serviços de logística da América

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

Câmara Temática de Infraestrutura e Logística CTLOG 10 de junho de 2015 Brasília - DF

Câmara Temática de Infraestrutura e Logística CTLOG 10 de junho de 2015 Brasília - DF Câmara Temática de Infraestrutura e Logística CTLOG 10 de junho de 2015 Brasília - DF André Mello Vice Presidente Executivo da ABAC Associação Brasileira dos Armadores de Cabotagem Junho/2015 Agenda Apresentação

Leia mais

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF São Paulo, dia 11 de maio de 2010 MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Fórum de Transporte Multimodal de Cargas Os entraves na Multimodalidade e a Competitividade Associação

Leia mais

Log-In registra EBITDA ajustado de R$ 22,4 milhões e margem EBITDA ajustado de 22,6% no 2T08

Log-In registra EBITDA ajustado de R$ 22,4 milhões e margem EBITDA ajustado de 22,6% no 2T08 Log-In registra EBITDA ajustado de R$ 22,4 milhões e margem EBITDA ajustado de 22,6% no 2T08 Rio de Janeiro, 05 de agosto de 2008 A Log-In Logística Intermodal S.A. (Bovespa: LOGN3), a primeira e única

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA MEDIDA PROVISÓRIA 595 MARÇO 2013 Enfrentamento dos gargálos logísticos Programa rodoviário Programa

Leia mais

RODOVIAS DE ACESSO AO MUNICÍPIO

RODOVIAS DE ACESSO AO MUNICÍPIO TRANSPORTES RODOVIAS A localização geográfica de Araxá é excepcional, colocando o município em ponto estratégico, entre SÃO PAULO e BELO HORIZONTE, centros essenciais em termos econômicos. Um bom sistema

Leia mais

A A Mineração e o Novo Cenário Socioeconômico Painel 3: A Infraestrutura no Brasil e a Expansão da Produção dos Bens Minerais José de Freitas Mascarenhas Vice-Presidente e Presidente do Coinfra (CNI) Belo

Leia mais

O DESAFIO BRASILEIRO

O DESAFIO BRASILEIRO O DESAFIO BRASILEIRO 1 Principais desafios do comércio mundial para o Brasil O comércio global brasileiro por meio de contêineres principal motor para a globalização do país está crescendo cerca de 4%

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF 02.387.241/0001-60 NIRE 41.3.00019886 Companhia Aberta FATO RELEVANTE

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF 02.387.241/0001-60 NIRE 41.3.00019886 Companhia Aberta FATO RELEVANTE ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF 02.387.241/0001-60 NIRE 41.3.00019886 Companhia Aberta FATO RELEVANTE A ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. ( ALL ) vem a público informar que: (i) criou uma controlada

Leia mais

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Comércio Exterior UNIPAC Logística Internacional: Conceitos Estratégias Modais Transportes Tendências Logística Internacional CONCEITOS

Leia mais

AGENDA. Unicasa Overview Resultados Históricos e do 3T12/ 9M12 Perspectivas

AGENDA. Unicasa Overview Resultados Históricos e do 3T12/ 9M12 Perspectivas APIMEC 2012 Aviso Legal As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas a perspectivas

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL. Setembro 2009

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL. Setembro 2009 LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL Setembro 2009 1 As declarações contidas neste material sobre eventos futuros estão expostas a riscos e incertezas e sujeitas a alterações, decorrentes, entre outros fatores:

Leia mais

COSAN DAY 2012. Julio Fontana

COSAN DAY 2012. Julio Fontana COSAN DAY 2012 Julio Fontana Disclaimer Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES 1 TRANSPORTE NO BRASIL Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 2 1 ROTEIRO GERAL DA PALESTRA 1) Função Transporte e Eficiência; 2) Considerações

Leia mais

24º Fórum de Debates Brasilianas.org

24º Fórum de Debates Brasilianas.org Transportes 24º Fórum de Debates Brasilianas.org Os desafios da logística e infraestrutura Marcos regulatórios e entraves burocráticos Reginaldo Cardoso São Paulo, 30 de Maio de 2012 Deutsche Post - DHL

Leia mais

APIMEC SP Maio 2006 1

APIMEC SP Maio 2006 1 APIMEC SP Maio 2006 1 Considerações Futuras Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO Por: Carlos Eduardo Cruz Tavares 1 São várias as cadeias produtivas que constituem o complexo agroalimentar, destacando-se entre elas,

Leia mais

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto 1 Destaques 2009 OvolumedaALLnoBrasilcresceu5,8%em2009para35.631bilhõesdeTKU,apesardo difícil cenário de mercado, com forte queda na produção industrial e redução de 12% na produção de produtos agrícolas

Leia mais

Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional. CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08. Logística Integrada André Ravara

Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional. CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08. Logística Integrada André Ravara Seminário Transporte para o Comércio e Integração Regional CNI-BID Brasília-DF, 01/10/08 Logística Integrada André Ravara A Vale Milhares de empregados da Vale participam intensamente do dia-a-dia de mais

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL. Janeiro, 2009

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL. Janeiro, 2009 LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL Janeiro, 2009 1 As declarações contidas neste material sobre eventos futuros estão expostas a riscos e incertezas e sujeitas a alterações, decorrentes, entre outros fatores:

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Apresentação APIMEC. Dezembro 2010. Investor Relations. Investor Relations

Apresentação APIMEC. Dezembro 2010. Investor Relations. Investor Relations Apresentação APIMEC Dezembro 2010 AGENDA 03. Mercado Brasileiro de Telecom 06. Oi: Perfil e Estratégia 13. Resultados Operacionais e Financeiros 19. Aliança com a Portugal Telecom Mercado Brasileiro de

Leia mais

Curso Superior de tecnologia em Logística

Curso Superior de tecnologia em Logística Curso Superior de tecnologia em Logística Prof. Rodolpho W. Ruiz Tema: Arranjos Operacionais Logísticos e Tipos de Modais Agenda da tele-aula Instalações Locais ou Centralizadas. Cross-Docking. Sistemas

Leia mais

VASCO DIAS LUIS HENRIQUE GUIMARÃES

VASCO DIAS LUIS HENRIQUE GUIMARÃES COSAN DAY 2016 VASCO DIAS LUIS HENRIQUE GUIMARÃES DISCLAIMER Esta apresentação contem estimativas prospectivas futuro. sobre nossa estratégia e oportunidades para o crescimento Essa informação é baseada

Leia mais

Resultados do 4T05 e do ano de 2005

Resultados do 4T05 e do ano de 2005 Resultados do 4T05 e do ano de 2005 Teleconferência 24/03/2006 1 Considerações Futuras Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO. A Companhia encerrou o 2T09 com um saldo de caixa de R$ 273,2 milhões e dívida líquida de R$ 182,0 milhões.

DESTAQUES DO PERÍODO. A Companhia encerrou o 2T09 com um saldo de caixa de R$ 273,2 milhões e dívida líquida de R$ 182,0 milhões. SANTOS BRASIL PARTICIPAÇÕES ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$ 12,9 MILHÕES NO 2T09. São Paulo, 29 de julho de 2009 A Santos Brasil Participações S.A. (Bovespa: STBP11), maior operadora portuária de contêineres

Leia mais

7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa. 21 e 22 de agosto de 2006

7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa. 21 e 22 de agosto de 2006 7 a Conferência Brasil Anual Santander Banespa 21 e 22 de agosto de 2006 1 Considerações Futuras Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Janeiro de 2012. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Janeiro de 2012. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Janeiro de 2012 O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil JSL: Histórico e Momento Atual Aquisição da Rodoviário Schio (2011) Abertura de Capital: Perpetuidade e Suporte

Leia mais

Reunião pública Dezembro, 2010

Reunião pública Dezembro, 2010 Reunião pública Dezembro, 2010 Agenda Conhecendo a Mills Divisões da Mills Plano de crescimento Mills Visão geral Liderança de mercado incontestável no fornecimento de formas para concretagem e estruturas

Leia mais

POSITIVO INFORMÁTICA RESULTADOS 2T15. 17 de agosto de 2015

POSITIVO INFORMÁTICA RESULTADOS 2T15. 17 de agosto de 2015 POSITIVO INFORMÁTICA RESULTADOS 2T15 17 de agosto de 2015 Seção I Destaques & Conjuntura Positivo Informática registra crescimento de 3,1% na receita líquida no varejo no 2T15 Mesmo em um trimestre de

Leia mais

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Conceitos Gerais de Custos de Transporte; 3. Decisões que afetam os custos; 4. Fatores que

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO Uberlândia MG, Maio de 2013 A Algar Telecom, Companhia completa e integrada de telecomunicações e TI, detentora da marca CTBC, divulga seus resultados do 1º Trimestre

Leia mais

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998 Art. 2º - Transporte Multimodal de Cargas é aquele

Leia mais

EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM

EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM Brasília, Outubro de 2015 EQUIPE DE PROJETO INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO A área marítima e portuária deverão atrair no próximos anos muitos investimentos; Motivos para

Leia mais

Carta Mensal - Fevereiro 2013. sdasdasdasdasdasdasdasd. Carta Mensal. Fevereiro 2013

Carta Mensal - Fevereiro 2013. sdasdasdasdasdasdasdasd. Carta Mensal. Fevereiro 2013 Carta Mensal Fevereiro 2013 Conforme previsto na carta anterior, este mês optamos por focar nas teses de investimento com o intuiti de alinhar os investidores com as nossas posições atuais, promovendo

Leia mais

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 SOBRE LOG-IN QUEM SOMOS? Quem Somos Números 96% 96% DE REDUÇÃO EM EMISSÕES DE CO 2 EM RELAÇÃO AO

Leia mais

Obrigado. Octavio Pereira Lopes

Obrigado. Octavio Pereira Lopes Mensagem do CEO Apesar de um contexto macroeconômico longe do ideal, continuamos avançando na execução do nosso plano estratégico de longo prazo. Novamente, nossa performance foi acima do crescimento de

Leia mais

Afirmações sobre o Futuro

Afirmações sobre o Futuro 1 2 Afirmações sobre o Futuro Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações materiais entre os resultados,

Leia mais

BTG Pactual XIII CEO Conference

BTG Pactual XIII CEO Conference BTG Pactual XIII CEO Conference Fevereiro 2012 Agenda Visão Geral Magazine Luiza Principais Eventos em 2011 Expectativas para 2012 2 Visão Geral Magazine Luiza Liderança de Mercado Uma das maiores redes

Leia mais

Infra-estrutura de Intermodalidade no Brasil Um Estudo Comparativo Centro de Estudos em Logística COPPEAD/UFRJ

Infra-estrutura de Intermodalidade no Brasil Um Estudo Comparativo Centro de Estudos em Logística COPPEAD/UFRJ Infra-estrutura de Intermodalidade no Brasil Um Estudo Comparativo Centro de Estudos em Logística COPPEAD/UFRJ Dados preliminares sujeitos a alterações Roteiro de Apresentação Definição de Transporte Intemodal

Leia mais

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012 BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012 Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF São Paulo, 03 de Abril de 2013 Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista www.all-logistica.com Ferrovia

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

Apresentação para Investidores 1S10

Apresentação para Investidores 1S10 Apresentação para Investidores 1S10 1 Agenda 1. Visão Geral e Desempenho Consolidado 2. Livraria Saraiva 3. Editora Saraiva 2 Governança Corporativa Nível 2 de Governança Corporativa da Bovespa Primeira

Leia mais

Os investimentos do BNDES nas áreas de infraestrutura, logística e energia

Os investimentos do BNDES nas áreas de infraestrutura, logística e energia Os investimentos do BNDES nas áreas de infraestrutura, logística e energia Quando analisamos de perto os investimentos do BNDES nos itens de infraestrutura, logística e energia, fica evidente que há uma

Leia mais

Automotive Logistics 2014. Making the Connections. Gustavo Bonini Coordenador da Comissão de Logística ANFAVEA

Automotive Logistics 2014. Making the Connections. Gustavo Bonini Coordenador da Comissão de Logística ANFAVEA Automotive Logistics 2014 Making the Connections Gustavo Bonini Coordenador da Comissão de Logística ANFAVEA Novembro/ 2014 Mapa da Indústria Catalão / Anápolis - GO Manaus - AM Horizonte - CE (Ford) Goiana

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL RESULTADOS DO 2T08

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL RESULTADOS DO 2T08 LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL RESULTADOS DO 2T08 1 As declarações contidas neste material sobre eventos futuros estão expostas a riscos e incertezas e sujeitas a alterações, decorrentes, entre outros fatores:

Leia mais

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004 Apresentação Corporativa Maio - 2004 Apresentação Telemar - Agenda 1. Destaques 2003/2004 1 2. Estratégia de Crescimento 3 3. Revisão do Resultado Operacional 12 4. Resultados Financeiros 20 1 Destaques

Leia mais

Apresentação Corporativa. Junho 2012

Apresentação Corporativa. Junho 2012 Apresentação Corporativa Junho 2012 Seção I Visão Geral do Negócio Positivo Informática: Uma História de Sucesso e Crescimento Tecnologia para as escolas no Brasil Forte posicionamento no Governo: preço,

Leia mais

ESTATÍSTICAS PORTUÁRIAS

ESTATÍSTICAS PORTUÁRIAS ESTATÍSTICAS PORTUÁRIAS 600 Milhões de toneladas 500 400 397 424 433 437 466 479 300 253 275 284 280 295 311 200 144 149 150 157 171 168 100 0 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Porto TUP Movimentação Fonte:

Leia mais

Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10

Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10 Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10 EcoRodovias A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos de logísticas intermodal, concessões

Leia mais

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL 64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL PALESTRA: DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA AQUAVIÁRIA Painel - Um modelo institucional para a infraestrutura logística dentro

Leia mais

Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 1 o, inciso II do 2 o da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 1 o, inciso II do 2 o da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 1 o, inciso II do 2 o da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Em cumprimento ao disposto na Lei Complementar n o 101, de

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Brasília, agosto de 2012 Apresentação A Agência Nacional

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO AGENDA PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO O PROGRAMA PROGRAMA PARA DESENVOLVIMENTO DA CABOTAGEMNO BRASIL, COM A PARTICIPAÇÃO DOS ORGÃOS INTERVENIENTES, ATRAVÉS DE UM GRUPO

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T05

Divulgação de Resultados 3T05 Localiza Anuncia EBITDA de R$70,8 milhões no 3T05 Receita Líquida cresce 49,1% e EBITDA cresce 31,1% Belo Horizonte, 8 de novembro de 2005 - A Localiza Rent A Car S.A. (Bovespa: RENT3), a maior rede de

Leia mais

Brado Logística e Incorporação Standard. Atualização - 20 de dezembro de 2010

Brado Logística e Incorporação Standard. Atualização - 20 de dezembro de 2010 Ressalvas Este Documento é destinado aos acionistas da ALL América Latina Logística S.A. e tem por objetivo apresentar os mesmos fatos e eventos descritos no Fato Relevante divulgado no dia 20 de dezembro

Leia mais

Visão geral das operações

Visão geral das operações Visão geral das operações 68 Ultrapar Relatório Anual 2007 Ultracargo Líder no segmento de logística para granéis especiais e com ativos posicionados nos principais portos e entroncamentos intermodais

Leia mais

Reunião Pública Prumo. 25 de Novembro de 2015

Reunião Pública Prumo. 25 de Novembro de 2015 Reunião Pública Prumo 25 de Novembro de 2015 Estrutura Societária 74,3% 6,7% Outros Minoritários 19% FERROPORT PORTO DO AÇU GNA AÇU PETROLEO BP-PRUMO 100% 100% 50% 20% 50% 2 Porto do Açu Características:

Leia mais

Indústrias Romi S.A. Junho de 2013

Indústrias Romi S.A. Junho de 2013 Indústrias Romi S.A. Junho de 2013 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e

Leia mais

Net Serviços de Comunicação S.A. Resultados do 1T08

Net Serviços de Comunicação S.A. Resultados do 1T08 Net Serviços de Comunicação S.A. Resultados do 1T08 Destaques do Trimestre 2 Lançamento recente do Net Fone.com, produto que combina os serviços de telefonia, acesso rápido à internet e melhoria de imagem,

Leia mais

Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres

Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres Data: 26 de maio Local: São Paulo O Grupo Ultra Ano 08 EBITDA RECEITA LÍQUIDA R$ 1.064 BL R$ 28.268 MM Resultados R$ 593 MM R$ 211 MM R$ 210 MM R$ 51 MM ULTRAPAR

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas SUFER Gerência de Regulação e Outorga de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Carga - GEROF EVOLUÇÃO

Leia mais

Emissões no Transporte. Fórum de avaliação da atividades do downstream e aspectos ambientais da indústria

Emissões no Transporte. Fórum de avaliação da atividades do downstream e aspectos ambientais da indústria Emissões no Transporte Fórum de avaliação da atividades do downstream e aspectos ambientais da indústria Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Julho de 2009 Redução das Emissões no Transporte

Leia mais

Os rumos dos investimentos. da infraestrutura. 17 nov 2006

Os rumos dos investimentos. da infraestrutura. 17 nov 2006 17 nov 2006 Nº 20 Os rumos dos investimentos em infra-estrutura Por Ernani Teixeira Torres Filho e Fernando Pimentel Puga Superintendente da Secr. Assuntos Econômicos e assessor da presidência A pesquisa

Leia mais

TIM BRASIL MARIO CESAR ARAUJO

TIM BRASIL MARIO CESAR ARAUJO MARIO CESAR ARAUJO Agenda Destaques dos resultados de 2007 O contexto do mercado brasileiro Visão geral do plano 2008-10 Metas para 2008-10 1 Destaques 2007 TIM Brasil está posicionada como líder em valor

Leia mais

Apresentação Corporativa 2015

Apresentação Corporativa 2015 Apresentação Corporativa 2015 Agenda Visão Geral da Indústria de Seguros Evolução do Mercado Segurador Ambiente Competitivo Fatores Chave de Crescimento e Rentabilidade Quem Somos Nossos Negócios Estratégia

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

APIMEC 2012. APIMEC 2012 Flávio Donatelli Diretor de Relações com Investidores

APIMEC 2012. APIMEC 2012 Flávio Donatelli Diretor de Relações com Investidores APIMEC 2012 Flávio Donatelli Diretor de Relações com Investidores DURATEX S.A. Principais Acionistas em 31.Ago.2012 Governança Corporativa 0,2% 100% de ações ordinárias. 1 ação, 1 voto 12,1% Itaúsa e Famílias

Leia mais

SIMULAÇÃO DA UTILIZAÇAO DO MODAL MARÍTIMO DE CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA AO MODAL RODOVIÁRIO

SIMULAÇÃO DA UTILIZAÇAO DO MODAL MARÍTIMO DE CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA AO MODAL RODOVIÁRIO SIMULAÇÃO DA UTILIZAÇAO DO MODAL MARÍTIMO DE CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA AO MODAL RODOVIÁRIO Filipe de Freitas Aguiar (UNIFEB) filipe.aguiar68@yahoo.com.br Gilberto Domingues Junior (UNIFEB) gilberto.domingues.junior@gmail.com

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig

Leia mais

Tele Nordeste Celular Participações S.A. Anuncia os Resultados de 1998

Tele Nordeste Celular Participações S.A. Anuncia os Resultados de 1998 Contatos: Tele Nordeste Celular Mário Gomes 0xx81.216.2592 Fabíola Almeida 0xx81.216.2594 Octavio Muniz 0xx81.216.2593 Tele Nordeste Celular Participações S.A. Anuncia os Resultados de 1998 Brasília, Brasil

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09 1

Teleconferência de Resultados do 3T09 1 Teleconferência de Resultados do 3T09 1 AGENDA Constantino Olivera Junior - Fundador e Presidente 1 Leonardo Pereira Vice Presidente Executivo 2 Sessão de Perguntas e Respostas 3 Aqui Todo Mundo Pode Voar

Leia mais

Resultados do 2T10 28 de julho de 2010

Resultados do 2T10 28 de julho de 2010 Resultados do 2T10 28 de julho de 2010 Aviso Os comentários apresentados a seguir sobre o desempenho operacional e financeiro do Grupo Pão de Açúcar (GPA) referem-se aos seguintes números: (i) consolidados

Leia mais

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013 Navegação de Cabotagem no Brasil João Guilherme Araujo Novembro/2013 Agenda Porque falar de Cabotagem? Cabotagem no Brasil Pontos Favoráveis e Desfavoráveis Números da Cabotagem no Brasil Cabotagem de

Leia mais

O volume em TKU aumentou 2,1% no 1T07 para 6.932 milhões de TKU, enquanto a receita caiu 0,7% para R$488,1 milhões no 1T07

O volume em TKU aumentou 2,1% no 1T07 para 6.932 milhões de TKU, enquanto a receita caiu 0,7% para R$488,1 milhões no 1T07 1 estaques do 1T07 O EBITDAR consolidado aumentou 60,9% no 1T07, atingindo R$195,3 milhões e a margem de EBITDAR cresceu 17,4 pontos, de 28,2% para 45,6%. O resultado líquido aumentou R$64 milhões no 1T07

Leia mais

INTRODUÇÃO PRINCIPAIS DESTAQUES DO 2º TRIMESTRE DE 2009 DESEMPENHO DO SETOR

INTRODUÇÃO PRINCIPAIS DESTAQUES DO 2º TRIMESTRE DE 2009 DESEMPENHO DO SETOR INTRODUÇÃO A LAEP Investments Ltd. foi constituída em junho de 2007 visando capturar oportunidades no setor lácteo no Brasil e no exterior, tanto na integração da cadeia produtiva do leite, quanto no beneficiamento

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

Apresentação Institucional. Maio de 2007

Apresentação Institucional. Maio de 2007 Apresentação Institucional Maio de 2007 Aviso Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários

Leia mais

CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA LOGÍSTICA

CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA LOGÍSTICA CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA LOGÍSTICA Fábio Siccherino Novembro de 2013 CABOTAGEM POR QUE? 2 O BRASIL TEM MAIS DE 8.000 KM DE COSTA NAVEGÁVEL Incluindo o Rio Amazonas são 10.000 Km (Eficiência Geoeconômica).

Leia mais

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012 Financiamento para o desenvolvimento Novembro/2012 Agenda Contexto dos investimentos em infraestrutura no Brasil Desafios para a realização de investimentos em infraestrutura 1 Brasil Média Global Países

Leia mais