REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOFÍSICA DO ON

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOFÍSICA DO ON"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOFÍSICA DO ON Capítulo 1 Das disposições gerais Capítulo 2 Da admissão e matrícula Capítulo 3 Dos prazos e duração dos programas Capítulo 4 Da orientação do aluno Capítulo 5 Do regime de créditos Capítulo 6 Das disciplinas e da avaliação de desempenho Capítulo 7 Da dissertação de Mestrado e tese de Doutorado Capítulo 8 Do doutorado sanduíche e o regime de co-tutela Capítulo 9 Disposições gerais e transitórias CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento estabelece as normas próprias do Programa de Pós-Graduação em Geofísica que complementam as estabelecidas no Regulamento da Pós-Graduação do ON. A divisão em Capítulos segue a do Regulamento da Pós-Graduação do ON (onde se faz menção ao Regulamento específico de cada programa). 1º Concomitantemente a este Regulamento poderá haver um conjunto de Resoluções de caráter transitório que legislarão sobre assuntos específicos do Programa em Geofísica. Estas resoluções poderão servir de base para futuras modificações ao Regulamento. 2º Estas Resoluções transitórias serão propostas ao longo de cada ano pela Comissão de Pós-Graduação (CPG) e aprovadas pelo Corpo Docente (CD). Art. 2º - O regime acadêmico do Programa é trimestral: Primeiro trimestre de março a maio, segundo de junho a agosto, terceiro de setembro a novembro, quarto (que será dedicado fundamentalmente ao desenvolvimento de teses e dissertações) de dezembro a fevereiro do ano seguinte. Art. 3º Os membros do CD, definidos no Art. 3º, 2º do Regulamento da Pós-Graduação do ON, serão credenciados pelo próprio CD vigente à época do credenciamento, ouvida a CPG e levando em conta os requisitos estabelecidos nos Arts. 3º a 5º do presente Regulamento. 1º O credenciamento de todos os docentes será realizado uma vez a cada três anos (coincidindo com o término da avaliação trienal da CAPES), em data a ser proposta pela CPG. 2º Cada docente deverá solicitar o seu credenciamento por escrito ( ou oficio) ao Coordenador da CPG, que deverá vir acompanhado da documentação comprobatória dos requisitos necessários. 3º Alterações do CD fora das datas estabelecidas para credenciamento serão possíveis quando as mesmas estiverem vinculadas à incorporação ou baixa de pesquisadores e tecnologistas do quadro permanente de funcionários do ON. 4º O CD se reunirá ordinariamente 2 (duas) vezes por ano com um interstício mínimo entre estas de 6 (seis) meses e, extraordinariamente, por convocação do coordenador da CPG ou a pedido de no mínimo três dos seus membros. Art. 4º São requisitos necessários para ingressar no CD como docente permanente: a. Ser pesquisador ou tecnologista do ON; b. Possuir título de Doutor; c. Ter produção científica, avaliada através do número de publicações em periódicos nacionais ou internacionais, ao longo de um período de tempo imediatamente anterior à data de ingresso, conforme os critérios estabelecidos pelo CD; alternativamente, ter participado ativamente como Docente Colaborador (isto é, ter participação em pelo menos dois dos três

2 quesitos que conformam a pós-graduação: orientações concluídas, ter ministrado aulas e ter publicado trabalhos científicos em periódicos nacionais ou internacionais); d. Indicar as disciplinas que estaria disposto a ministrar na Pós-Graduação; e. Não estar afastado do serviço, ou não ter afastamento aprovado ou previsto, por um período de tempo superior ao estabelecido pelo CD através de Resolução específica, a contar da data de ingresso. 1º A critério do CD, poderão ser solicitados outros requisitos além dos referidos acima. 2º A critério do CD, poderão ser credenciados pesquisadores ou professores de outras instituições, desde que não sejam docentes permanentes de um outro Programa de Pós-Graduação da mesma área e desde que cumpram com os mesmos requisitos exigidos para os demais docentes. 3º A critério do CD, poderão ser credenciados bolsistas de pós-doutorado, ou análogos, do ON, para orientar apenas em nível de Mestrado ou ministrar disciplinas, desde que possuam produção científica comparável à exigida para os demais docentes e desde que o tempo de bolsa seja compatível com a atividade pretendida. Art. 5º São requisitos necessários para permanecer no CD como docente permanente: a. Ter produção científica, conforme os critérios estabelecidos pelo CD através de Resolução específica; b. Haver ministrado disciplinas (obrigatórias, de Pós-Graduação durante um período de tempo determinado, conforme os critérios estabelecidos pelo CD através de Resolução específica; c. Não estar afastado ou ter afastamento aprovado por um período de tempo superior a 2 (dois) anos a contar da data do credenciamento; Único A critério do CD poderão ser solicitados outros requisitos além dos referidos acima. Art. 6º São requisitos necessários para ser credenciado como docente colaborador do CD: a. Ministrar disciplina de interesse para o Programa; b. Não poder ser enquadrado como docente permanente; c. Possuir título de Doutor; d. Ter produção científica, conforme os critérios estabelecidos pelo CD através de Resolução específica; 1º A critério do CD, poderão ser solicitados outros requisitos além dos referidos acima. 2º O número de docentes colaboradores não poderá ser superior a 20% do número de docentes permanentes. Art. 7º O docente que estiver orientando pelo menos um aluno dentro do Programa permanecerá como membro do CD enquanto durar a(s) orientação(ões), independentemente de cumprir ou não com todos os requisitos necessários para o seu credenciamento. Art. 8º Cada docente permanente poderá orientar simultaneamente até 5 (cinco) alunos dentro do Programa. Único Neste número não serão contabilizadas as co-orientações. Art. 9º O total de créditos necessários para a obtenção do título de Mestre obedecerá a uma distribuição conforme o seguinte critério: a. No mínimo 24 (vinte e quatro) unidades de crédito em disciplinas de pós-graduação, sendo que pelo menos 12 unidades devem corresponder a disciplinas obrigatórias;

3 b. No mínimo 2 (duas) unidades de crédito em seminários (Art. 29º do Regulamento da Pós- Graduação do ON). Art. 10º O total de créditos necessários para a obtenção do título de Doutor obedecerá a uma distribuição conforme o seguinte critério: a. No mínimo 36 (trinta e seis) unidades de crédito em disciplinas de pós-graduação, sendo que pelo menos 12 (doze) unidades devem corresponder a disciplinas obrigatórias caso o aluno ingresse no Doutorado direto; b. No mínimo 4 (quatro) unidades de crédito em seminários (Art. 29º do Regulamento da Pós- Graduação do ON). CAPÍTULO 2 - DA ADMISSÃO E MATRÍCULA Art. 11º - O processo de seleção será regido pelo Regulamento de Seleção, parte intrínseca deste Regulamento. CAPÍTULO 3 DOS PRAZOS E DURAÇÃO DOS PROGRAMAS Art. 12º Os alunos de Mestrado ou Doutorado deverão realizar um exame de proficiência em língua inglesa ao longo da sua estadia no Programa. 1º O candidato ao título de Mestre deverá demonstrar capacidade de compreensão de texto científico em Inglês através de tradução para o Português de até uma lauda de texto em Inglês. 2º O candidato ao título de Doutor deverá demonstrar capacidade de expressão científica em língua inglesa através da tradução para o Inglês de até uma lauda de texto em Português. 3º O candidato ao título de Doutor na modalidade de Doutorado direto deverá demonstrar capacidade de compreensão de texto científico em Inglês através de tradução para o Português de até uma lauda de texto em Inglês. Deverá também demonstrar capacidade de expressão científica em língua inglesa através da tradução para o Inglês de até uma lauda de texto em Português. CAPÍTULO 4 DA ORIENTAÇÃO DO ALUNO Art. 13º A inscrição de aluno em disciplina isolada, contemplada no Art. 36º do Regulamento da Pós-Graduação do ON, obedecerá às seguintes condições: a. o aluno vinculado a um outro programa de pós-graduação (aluno externo) poderá se inscrever normalmente nas disciplinas da Pós-Graduação em Geofísica do ON, mediante apresentação de carta do orientador e declaração da instituição de origem, ficando sujeito ao mesmo regime de avaliação que os alunos do ON; b. o aluno graduado ou que esteja cursando graduação em área afim (aluno especial), poderá se inscrever nas disciplinas da Pós-Graduação em Geofísica do ON, desde que aceito pela CPG após avaliação do histórico escolar atualizado, ficando sujeito ao mesmo regime de avaliação que os alunos do ON; Único Caso um aluno externo ou especial venha matricular-se posteriormente na Pós- Graduação do ON, as disciplinas isoladas por ele cursadas, bem como o resultado da avaliação das mesmas, constarão no seu histórico escolar da Pós-Graduação do ON. Entretanto, os créditos obtidos nas disciplinas isoladas só serão computados se houver solicitação por escrito do aluno e do orientador à CPG, a ser encaminhada no prazo máximo de um período letivo a contar da data da matrícula. CAPÍTULO 5 DO REGIME DE CRÉDITOS Art. 14º Os prazos máximos para a prorrogação a que se refere o Art. 19º do Regulamento da Pós- Graduação do ON serão de 1 (um) ano, no caso do Mestrado, e de 1 (um) ano, no caso do Doutorado, podendo estes prazos serem estendidos excepcionalmente a critério da CPG.

4 Art. 15º O aluno poderá solicitar o trancamento da sua matrícula no Programa pelo prazo de até 1 (um) ano, computável nos tempos máximos previstos nos Arts. 17º e 18º do Regulamento da Pós- Graduação do ON. 1º O aluno que estiver com a sua matrícula trancada perderá a garantia de acesso aos serviços de rede e biblioteca do ON. 2º O aluno que não retornar ao Programa após a finalização do trancamento será automaticamente desligado do mesmo. Art. 16º As disciplinas a que se refere o Art. 43º do Regulamento da Pós-Graduação do ON, cursadas fora do Programa em Geofísica, só poderão ser disciplinas em nível de pós-graduação e deverão ser aprovadas dentro dos prazos exigidos para a totalização dos créditos do Programa. Único Por solicitação do aluno e do orientador, e a critério da CPG, uma disciplina de outro Programa de Pós-graduação poderá ser contabilizada como disciplina do Programa em Geofísica. Art. 17º O prazo máximo de afastamento para realização de Doutorado sanduíche, previsto no Art. 61º do Regulamento da Pós-Graduação do ON, será de 1 (um) ano. 1º O aluno que queira se afastar do ON para realizar Doutorado sanduíche deverá aprovar os exames de proficiência e de qualificação antes de requerer seu afastamento à CPG. CAPÍTULO 6 DAS DISCIPLINAS E DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Art. 18º - Os tipos de disciplinas do Programa de Pós-Graduação em Geofísica estão estabelecidas na Estrutura de Cursos, parte intrínseca deste Regulamento. Único Para fins de equivalência entre nota e conceito será utilizada a tabela a seguir: De 9,1 a A De 8,1 a 9, B De 7,0 a 8, C Menor que D Art. 19º - Ao longo do ano o desempenho geral do aluno será avaliado das seguintes formas: a. Relatório anual do aluno, a ser confeccionado pelo mesmo e aprovado pelo orientador, que será entregue à CPG na primeira semana de março de cada ano. b. Primeiro relatório semestral do orientador, a ser confeccionado pelo mesmo (na forma de um parágrafo de até dez linhas), e a ser entregue à CPG na primeira semana de junho de cada ano. c. Seminário anual do estudante, a ser realizado entre a última semana de agosto e a primeira de setembro de cada ano (obrigatório para todo estudante regularmente matriculado em qualquer nível do Programa). d. Segundo relatório semestral do orientador, a ser confeccionado pelo mesmo (na forma de um parágrafo de até dez linhas), e a ser entregue à CPG na primeira semana de dezembro de cada ano. CAPÍTULO 7 DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO E TESE DE DOUTORADO Art. 20º O exame de qualificação é obrigatório para todos os alunos de Doutorado, e tem por objetivo avaliar o conhecimento geral e específico que o aluno possui na área em que se insere a sua pesquisa. Art. 21º O segundo seminário anual do aluno de Doutorado constituirá seu exame de qualificação. Art. 22º Os formato e conteúdo do exame de qualificação será definido pelo CD através de Resolução específica.

5 Único O aluno poderá optar por fazer o exame pelo formato vigente ao momento da sua matrícula no curso, ou pelo formato vigente à época do requerimento do exame. Art. 23º O exame de qualificação será avaliado por uma Comissão Examinadora designada pela CPG, e poderá ter apenas um dos seguintes resultados: Aprovado ou Reprovado. Único No caso de reprovação, a Comissão Examinadora deverá detalhar, por escrito, as razões da mesma. Art. 24º No caso de reprovação, o candidato terá um prazo de até 6 (seis) meses para realizar um novo exame de qualificação nos mesmos moldes do exame anterior. 1º A Comissão Examinadora deste novo exame será formada, preferencialmente, pelos mesmos membros que participaram do exame anterior. 2º O exame poderá ter apenas um dos seguintes resultados: Aprovado ou Reprovado. 3º O aluno que não realizar o novo exame no prazo citado acima, ou que for reprovado no segundo exame de qualificação, será automaticamente desligado do Programa. Art. 25º Além dos requisitos estabelecidos nos Arts. 9º e 49º do Regulamento da Pós-Graduação do ON, o candidato ao título de Doutor deverá comprovar, por ocasião do requerimento de julgamento da tese, o envio para publicação, durante o período do Doutorado, de 1 (um) artigo em revista científica internacional ou nacional, com arbitragem. Único Compete à CPG julgar o prestígio e pertinência das revistas científicas utilizadas para a publicação. Art. 26º A tese de Doutorado será apresentada seguindo o documento Formatação de Dissertações e Teses, parte intrínseca deste Regulamento. Art. 27º A critério da CPG, o co-orientador, quando existir, poderá participar como membro adicional da Comissão Examinadora da dissertação / tese definida no Art. 51º do Regulamento da Pós- Graduação do ON. Art. 28º Será considerado habilitado para a obtenção do título de mestre / doutor, conforme o Art. 55º do Regulamento da Pós-Graduação do ON, o candidato que for "Aprovado" por: a. Pelo menos 2 (dois) dos membros efetivos da Comissão Julgadora, no caso de Mestrado; b. Pelo menos 4 (quatro) dos membros efetivos da Comissão Julgadora, no caso de Doutorado. CAPÍTULO 8 DO DOUTORADO SANDUÍCHE E O REGIME DE CO-TUTELA Art. 29º Serão seguidas as recomendações da CAPES. CAPÍTULO 9 DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS Art. 30º A aprovação de qualquer assunto em reunião do CD deverá ser por maioria simples, entre os membros presentes. As reuniões do CD serão agendadas com, pelo menos, uma semana de antecedência à realização das mesmas, para garantir a maior participação possível dos docentes. Art. 31º Exceções ao presente Regulamento poderão ser abertas pela CPG desde que não prejudiquem ao aluno e/ou ao Programa, conforme os critérios e recomendações para a avaliação deste último por parte da CAPES. Art. 32º Casos omissos neste Regulamento serão decididos pela CPG, ouvido, quando necessário, o CD.

6 Art. 33º Modificações a este Regulamento deverão ser propostas pelo CD e aprovadas pelo CTC do ON.

1º Anexo a estas Normas haverá um conjunto de Resoluções de caráter transitório que legislarão sobre assuntos específicos do Programa em Astronomia.

1º Anexo a estas Normas haverá um conjunto de Resoluções de caráter transitório que legislarão sobre assuntos específicos do Programa em Astronomia. NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ASTRONOMIA DO ON Capítulo 1 Das disposições gerais Capítulo 2 Da constituição do Corpo Docente Capítulo 3 Da orientação do aluno Capítulo 4 Da admissão e matrícula

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - UFRN

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - UFRN Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - UFRN CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o O Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais (PPEUR),

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Física (PPGFIS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) tem por finalidade a formação de

Leia mais

TÍTULO I Do Programa. TÍTULO II Do Curso

TÍTULO I Do Programa. TÍTULO II Do Curso Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Análise de Políticas Públicas, Curso Mestrado Profissional, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca TÍTULO I Do Programa Artigo 1º

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS CULTURAIS (PPEC) I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP)

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS CULTURAIS (PPEC) I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS CULTURAIS (PPEC) I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais é constituída

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I. Introdução

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I. Introdução REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I Introdução Art. 1. Este regimento estabelece as atribuições, responsabilidades e normas específicas

Leia mais

NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC

NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Ciências Humanas e Sociais, cursos de Mestrado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1/POSJOR/2013

RESOLUÇÃO Nº 1/POSJOR/2013 RESOLUÇÃO Nº 1/POSJOR/2013 Dispõe sobre os critérios para credenciamento e recredenciamento de docentes no Programa de Pós- Graduação em Jornalismo (POSJOR), define o número de orientandos por orientador

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA ANEXO À RESOLUÇÃO 02/2010 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA 1 TÍTULO I DO OBJETIVO DO PROGRAMA Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Patologia tem por objetivo qualificar

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo I - Da Atribuição e Organização Geral

REGULAMENTO. Capítulo I - Da Atribuição e Organização Geral FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA REGULAMENTO Capítulo I - Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PGFilo), vinculado

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS EESC

NORMAS ESPECÍFICAS DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS EESC NORMAS ESPECÍFICAS DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS EESC I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP)

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC. TÍTULO I Dos Objetivos

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC. TÍTULO I Dos Objetivos Regimento REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC TÍTULO I Dos Objetivos Art. 1º - As atividades dos Cursos de Pós-Graduação abrangem estudos e trabalhos de formação

Leia mais

Resolução UNESP NO. 119 DE 14.09.2012, PUBLICADO no DO de 15/09/2012

Resolução UNESP NO. 119 DE 14.09.2012, PUBLICADO no DO de 15/09/2012 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REABILITAÇÃO ORAL ÁREA DE PRÓTESE CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE ARARAQUARA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SENSORIAMENTO REMOTO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SENSORIAMENTO REMOTO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SENSORIAMENTO REMOTO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º - O curso de Pós-Graduação em Sensoriamento Remoto mantém um programa de Mestrado e um de Doutorado,

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS DA FUNDAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE.

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS DA FUNDAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE. REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS DA FUNDAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE. TÍTULO I FINALIDADES Art. 1º - O Centro Setorial de Produção Industrial

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE.

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE. REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE. CAPÍTULO I Dos Objetivos e Prazos Artigo 1º Os Cursos Acadêmicos de Pós-Graduação stricto

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Matemática REGULAMENTO DOS CURSOS DE. Mestrado e Doutorado

Programa de Pós-Graduação em Matemática REGULAMENTO DOS CURSOS DE. Mestrado e Doutorado Programa de Pós-Graduação em Matemática REGULAMENTO DOS CURSOS DE Mestrado e Doutorado TÍTULO I: DA NATUREZA, FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1. O Programa de Pós-Graduação em Matemática da Universidade Federal

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: QUÍMICA DA VIDA E SAÚDE

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: QUÍMICA DA VIDA E SAÚDE REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: QUÍMICA DA VIDA E SAÚDE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1 - O Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, caracteriza-se

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG. NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG. NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 Dispõe sobre a Disciplina iniciação à docência no ensino

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA. TÍTULO I Dos Objetivos

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA. TÍTULO I Dos Objetivos REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA TÍTULO I Dos Objetivos Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Física (PPGF) do Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia, da Universidade Federal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Públicas, com cursos em níveis de mestrado acadêmico

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS E SUSTENTABILIDADE AGROPECUÁRIA

REGULAMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS E SUSTENTABILIDADE AGROPECUÁRIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS E SUSTENTABILIDADE AGROPECUÁRIA CAMPO GRANDE MS Regulamento Interno do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOCIÊNCIA TÍTULO I DOS OBJETIVOS

NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOCIÊNCIA TÍTULO I DOS OBJETIVOS NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOCIÊNCIA TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biotecnociência (PPG-BTC) está basicamente fundamentado nas normas

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM URBANISMO

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM URBANISMO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM URBANISMO O Mestrado Profissional em Urbanismo, ministrado pelo Curso de Arquitetura e Urbanismo do FIAM-FAAM

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM RESOLUÇÃO Nº 02/2015 RESOLVE: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM RESOLUÇÃO Nº 02/2015 RESOLVE: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM RESOLUÇÃO Nº 02/2015 Dispõe sobre as atividades de ensino e pesquisa do Programa de Pósgraduação em Enfermagem.

Leia mais

Regimento do Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação

Regimento do Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação Regimento do Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º O presente Regulamento disciplina a organização e as atividades do programa de Pós Graduação

Leia mais

Universidade de Brasília FACE - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Economia Programa de Pós-Graduação

Universidade de Brasília FACE - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Economia Programa de Pós-Graduação Regulamento do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Economia Aprovado pelo Colegiado de Pós-Graduação em 17/02/2009 Título I Disposições Gerais Art. 1º Art. 2º Art. 3º O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Administração

Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Administração Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Administração I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP

Leia mais

NORMAS INTERNAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE INFORMAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC

NORMAS INTERNAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE INFORMAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC NORMAS INTERNAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE INFORMAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC O Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Informação da Universidade Federal do ABC (UFABC)

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA DA FFLCH COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP)

NORMAS DO PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA DA FFLCH COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) NORMAS DO PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA DA FFLCH I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora do Programa (CCP) será composta por sete docentes (o coordenador, o suplente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM Regulamento de Atividades Complementares Curso de Enfermagem Capítulo I- Disposições Gerais Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade regrar as Atividades Complementares para o curso de Enfermagem

Leia mais

Gabinete do Reitor. O Reitor da Universidade Federal de São Carlos, no uso de suas atribuições legais

Gabinete do Reitor. O Reitor da Universidade Federal de São Carlos, no uso de suas atribuições legais UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS Gabinete do Reitor Via Washington Luís, km 235 Caixa Postal 676 13565-905 São Carlos SP - Brasil Fones: (16) 3351-8101/3351-8102 Fax: (16) 3361-4846/3361-2081 E-mail:

Leia mais

CCT Secretaria Acadêmica

CCT Secretaria Acadêmica RESOLUÇÃO CPPGEC n o 02/2012 COMISSÃO COORDENADORA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUACÃO EM ENGENHARIA Assunto: Modificação da Resolução 02/2009: Disciplina Seminários I, II, III, IV Art. 1º - O PPGEC oferecerá

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Área de concentração: Materiais de Construção Civil CEPE 08/2015

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica

Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL. TÍTULO I Dos Objetivos

REGIMENTO INTERNO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL. TÍTULO I Dos Objetivos Regimento Interno do Curso de Mestrado em Biotecnologia e Área de concentração: Biotecnologia e REGIMENTO INTERNO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL TÍTULO I Dos Objetivos

Leia mais

Normas específicas do Programa de Pós graduação em Nutrição e Produção Animal, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP.

Normas específicas do Programa de Pós graduação em Nutrição e Produção Animal, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Normas específicas do Programa de Pós graduação em Nutrição e Produção Animal, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. I. Composição da Comissão Coordenadora do Programa (CCP) O Programa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAPÍTULO I NATUREZA, OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO Art. 1 o. O Programa de Pós-graduação stricto sensu em

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA ENGENHARIA AMBIENTAL DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS - PPG SEA

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA ENGENHARIA AMBIENTAL DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS - PPG SEA NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA ENGENHARIA AMBIENTAL DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS - PPG SEA I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora do

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Agrícolas

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Agrícolas Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Agrícolas I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Regulamento do Programa de Pós-graduação em FILOSOFIA

Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Regulamento do Programa de Pós-graduação em FILOSOFIA Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Regulamento do Programa de Pós-graduação em FILOSOFIA I - Composição da Comissão Coordenadora do Programa (CCP) A CCP terá 6

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CLÁSSICAS COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP)

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CLÁSSICAS COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CLÁSSICAS I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) O Programa de Pós-Graduação em Letras Clássicas conta com uma Comissão Coordenadora do

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA UVA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA UVA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA UVA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE

Leia mais

RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID

RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID Fixa normas para Elaboração, Qualificação e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão dos Cursos de Graduação em Licenciatura em Educação Física, Bacharelado em Educação Física

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS DO IEB: I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS DO IEB: I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS DO IEB: I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP do Programa Culturas e Identidades Brasileiras é a própria

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS DISCENTES E DOCENTES DA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA/UFJF MESTRADO

ORIENTAÇÕES AOS DISCENTES E DOCENTES DA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA/UFJF MESTRADO ORIENTAÇÕES AOS DISCENTES E DOCENTES DA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA/UFJF MESTRADO CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO. A seleção consta de prova escrita de conhecimentos gerais em Química, conhecimentos

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BOTÂNICA)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BOTÂNICA) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares seis orientadores plenos credenciados no programa, representantes de cada linha de

Leia mais

O Reitor da Universidade Federal de São Carlos, no uso das atribuições legais e estatutárias, TÍTULO I Dos Objetivos

O Reitor da Universidade Federal de São Carlos, no uso das atribuições legais e estatutárias, TÍTULO I Dos Objetivos UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Via Washington Luís, km. 235 - Caixa Postal 676 CEP 13560-970 - São Carlos - SP - Brasil propg@power.ufscar.br / www.propg.ufscar.br

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE-UNICENTRO SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE GUARAPUAVA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE-UNICENTRO SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE GUARAPUAVA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE-UNICENTRO SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE GUARAPUAVA DIRETRIZES PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) EM EDUCAÇÃO FÍSICA REGULAMENTO PARA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DA ESCOLA DE ARQUITETURA DA UFMG. TÍTULO I. Da Natureza e dos Objetivos

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DA ESCOLA DE ARQUITETURA DA UFMG. TÍTULO I. Da Natureza e dos Objetivos 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DA ESCOLA DE ARQUITETURA DA UFMG TÍTULO I. Da Natureza e dos Objetivos Art. 1 o O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 008/2009, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2009, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 008/2009, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2009, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIFAL-MG 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 008/2009, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2009, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIFAL-MG O Conselho

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍCAS E ECONÔMICAS REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA Adaptado às normas do Regulamento Geral da Pós-Graduação da UFES

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS, TÍTULOS E DURAÇÃO DOS CURSOS STRITO SENSU ARTIGO 1 - O Programa de Pós-Graduação em Geografia do Instituto de Geociências

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 205 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 205 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 205 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

Apresentação. Sejam bem-vindos! Lúcia Velloso Maurício Coordenadora Márcia Soares de Alvarenga Coordenadora Adjunta

Apresentação. Sejam bem-vindos! Lúcia Velloso Maurício Coordenadora Márcia Soares de Alvarenga Coordenadora Adjunta Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Formação de Professores Programa de Pós-Graduação em Educação: Processos formativos e desigualdades sociais Manual do Mestrando 1 Apresentação Este

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, vinculado ao Instituto

Leia mais

PROGRAMA DE MESTRADO EM PSICOLOGIA

PROGRAMA DE MESTRADO EM PSICOLOGIA Resolução nº 01/PPGPSI/UFSJ de 16 de dezembro de 2011. Estabelece critérios e procedimentos de credenciamento e de recredenciamento de docentes junto ao Programa de Mestrado em Psicologia PPGPSI/UFSJ A

Leia mais

Normas Específicas da CPG FAUUSP

Normas Específicas da CPG FAUUSP Normas Específicas da CPG FAUUSP I. Taxas 1. Valor da taxa de inscrição ao processo seletivo é limitado em R$ 50,00 (cinqüenta reais). 2. A taxa de matrícula de aluno especial, por disciplina de pósgraduação,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 17/CEPE, DE 03 DE MAIO DE 2006 Aprova normas para os cursos de especialização da Universidade Federal do Ceará. O Reitor da UNIVERSIDADE

Leia mais

Regulamento Interno do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Física e Astronomia

Regulamento Interno do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Física e Astronomia Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Física - Campus Curitiba Programa de Pós-Graduação em Física e Astronomia - PPGFA Regulamento Interno do Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC (UFABC) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas NORMAS INTERNAS O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Públicas, com cursos em níveis de mestrado acadêmico

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) Portaria FEPAGRO nº 154/2013. O Diretor-Presidente da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Regimento do Programa do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional

Regimento do Programa do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional Regimento do Programa do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional TÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional, em nível de Mestrado, tem por objetivos:

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR DE DISCIPLINAS

REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR DE DISCIPLINAS REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR DE DISCIPLINAS 1º/2014 REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DE DISCIPLINAS Cursos Superiores de Tecnologia da FIPP/Unoeste Das Disposições Preliminares O Projeto Integrador

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Química. Normas do Programa de Pós-Graduação em Química

Universidade de São Paulo Instituto de Química. Normas do Programa de Pós-Graduação em Química Universidade de São Paulo Instituto de Química Normas do Programa de Pós-Graduação em Química 1 I Composição da Comissão Coordenadora do Programa 1. A Comissão Coordenadora do Programa (CCP) é composta

Leia mais

CAPÍTULO II DA COORDENAÇÃO

CAPÍTULO II DA COORDENAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO, DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Art. 1º - O Programa de Pós-graduação

Leia mais

ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL

ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL O Diretor Técnico de Departamento resolve elaborar e implantar o Regimento do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ACADÊMICA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE DA SOCIEDADE BENEFICENTE ISRAELITA BRASILEIRA ALBERT EINSTEIN

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ACADÊMICA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE DA SOCIEDADE BENEFICENTE ISRAELITA BRASILEIRA ALBERT EINSTEIN REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ACADÊMICA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE DA SOCIEDADE BENEFICENTE ISRAELITA BRASILEIRA ALBERT EINSTEIN CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES Art. 1º O Programa de Pós-graduação Acadêmica

Leia mais

A.1 Regimento Interno do PPgSC. Regimento do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação

A.1 Regimento Interno do PPgSC. Regimento do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação A.1 Regimento Interno do PPgSC Regimento do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação Capítulo I: Disposições Preliminares Art 1 -Do Alcance O Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação

Leia mais

Normas específicas do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Nuclear

Normas específicas do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Nuclear NORMAS DO PROGRAMA TECNOLOGIA NUCLEAR I - DA COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA Por se tratar de Programa único, a Comissão Coordenadora do Programa CCP é a própria Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ REGULAMENTO ACADÊMICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL PPGDR CAPITULO I

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ REGULAMENTO ACADÊMICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL PPGDR CAPITULO I 1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ REGULAMENTO ACADÊMICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL PPGDR CAPITULO I DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA E DE SEUS OBJETIVOS Art. 1º - O Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado Profissional

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado Profissional UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Mestrado Profissional RESOLUÇÃO N 01/PMPEA/2013, DE 11 DE JULHO DE 2013 Dispõe sobre os critérios

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Economia (PPE),

Leia mais

REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares, conforme regulamento do Centro Universitário UNIVATES, abrangem quatro categorias: ensino, pesquisa, extensão e profissional, devendo

Leia mais

Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Química Centro de Ciências Exatas UFES

Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Química Centro de Ciências Exatas UFES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Química Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Química Tel. e Fax: (27) 4009-2924 www4.quimica.vitoria.ufes.br

Leia mais

NORMAS PARA EXECUÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO

NORMAS PARA EXECUÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO NORMAS PARA EXECUÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º A presente Resolução fixa as normas para o funcionamento do Programa de Bolsa de Extensão.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Administração do Unisalesiano As Atividades Complementares são componentes curriculares que possibilitam o reconhecimento,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 031 /04

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 031 /04 DELIBERAÇÃO Nº 31 /4 Aprova a reformulação do Regulamento Específico do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis, curso de Mestrado, com áreas de Concentração em Contabilidade Financeira, Contabilidade

Leia mais

Faculdade São Francisco de Piumhi Curso de Direito da FASPI. Resolução nº 001 de 8 de agosto de 2010

Faculdade São Francisco de Piumhi Curso de Direito da FASPI. Resolução nº 001 de 8 de agosto de 2010 Resolução nº 001 de 8 de agosto de 2010 A Diretoria Acadêmica no exercício regular de suas atribuições legais e regimentais, nos termos do artigo 19, I, Reg. Interno, resolve: Regulamenta a elaboração

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 031, de 14 de abril de 2.005.

RESOLUÇÃO nº 031, de 14 de abril de 2.005. UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE Av. Castelo Branco, 170 - CEP 88 509 900 Lages SC - Cx.P. 525 - Fone (49) 251 1022 - Fax (49) 251 1051 home-page: http:/www.uniplac.net e-mail: uniplac@uniplac.net

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO 1. DA DEFINIÇÃO a) O Trabalho de Graduação (TG) compreende o estudo de um problema em profundidade, requerendo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO PPGAU NÍVEL MESTRADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO PPGAU NÍVEL MESTRADO REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO - TITULO I DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art. 1 - O Mestrado em Arquitetura e Urbanismo da UFES compreende o conjunto de atividades de ensino,

Leia mais

DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

DOCUMENTOS COMPLEMENTARES DOCUMENTOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO DO CURSO DE DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO CDA EM ASSOCIAÇÃO DE IES (PUCRS e UCS) Janeiro de 2009 2 CAPÍTULO I Dos objetivos Art. 1 o - O curso confere o grau de Doutor

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Plano de Carreira do Corpo Docente do Magistério Superior da Faculdade Franciscana.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Plano de Carreira do Corpo Docente do Magistério Superior da Faculdade Franciscana. RESOLUÇÃO CSA N.º 14/2009 APROVA O PLANO DE CARREIRA DO CORPO DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR DA. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 7º,

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DE SAÚDE CAPÍTULO I INTRODUÇÃO

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DE SAÚDE CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Texto Aprovado CONSU Resolução CONSU 2015-08 de 25/06/2015 REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DE SAÚDE CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Art. 1º Este regimento estabelece as atribuições, responsabilidades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DIAMANTINA MG FEVEREIRO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO, DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CampusdeIlhaSolteira Licenciatura em Física 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL PARA INGRESSANTES EM 2003 DOS OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-graduação em Serviço Social da Faculdade de História, Direito e Serviço Social,

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO PPGD

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO PPGD Telefones: (55) 3332-0545 e (55) 3332-0351 - Endereço eletrônico: http://www.unijui.edu.br/ppgd Correio eletrônico: ppgd@unijui.edu.br PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO CURSO DE MESTRADO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, alterado para incorporar as modificações nas Normas Gerais de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL BOLSA PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS AMBIENTAIS

EDITAL BOLSA PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS AMBIENTAIS EDITAL BOLSA PNPD/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS AMBIENTAIS 1. FINALIDADE 1.1. Abrir as inscrições e estabelecer as condições de seleção para ingresso como bolsista PNPD/CAPES no Programa

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual nº 7.344 de 27.05.1998 CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPEC Nº 1296

RESOLUÇÃO CEPEC Nº 1296 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO CEPEC Nº 1296 Aprova o novo Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Química, níveis Mestrado e Doutorado, do Instituto de Química. O

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais