Anotação de Responsabilidade Técnica PA FELIZ UNIÃO. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anotação de Responsabilidade Técnica PA FELIZ UNIÃO. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo"

Transcrição

1

2 Antaçã de Respnsabilidade Técnica PA FELIZ UNIÃO Crdenaçã Prfessr Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Cnsultres Prfessr Márci Mta Rams Engenheir Agrônm CREA-MG D Walder Antôni de Albuquerque Nunes Engenheir Agrônm CREA-RO Gerald Magela Damascen Engenheir Civil CREA-MG D Leandr Santana Mreira Biólg CRBi P

3 Equipe Respnsável pela Elabraçã d Diagnóstic Sciecnômic e Ambiental e d Prjet Final de Assentament d PA FELIZ UNIÃO Crdenaçã Geral Prfessr Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Mestre em Extensã Rural Dutr em Sciedade, Desenvlviment e Agricultura Prfessr Márci Mta Rams Engenheir Agrônm Mestre em Engenharia Agrícla Dutr em Recurss Hídrics Sciecnmia Mariana Rdrigues ds Sants Engenheira agrônma Mestre em Extensã Rural Cbertura Vegetal e Sls Jã Carls Ker Engenheir Agrônm Dutr em Ciência ds Sls Walder Antôni de Albuquerque Nunes Engenheir agrônm Dutr em Ciência ds Sls Gemática e Geprcessament Rgéri Mercandelle Santana Engenheir Agrimensr Mestre em Engenharia Civil Dutrand em Engenharia Civil Mei Biótic Leandr Santana Mreira Biólg Emíli Camps Aceved Niet Graduand em Medicina Veterinária Recurss Hídrics e Infra-estrutura Gerald Magela Damascen Engenheir Civil Mestre em Engenharia Agrícla Dutrand em Engenharia Agrícla 3

4 Sumári 1. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO DE ASSENTAMENTO Denminaçã d PA Data de criaçã Distrit e Municípi/UF, Mesrregiã/Micrrregiã FIBGE e Regiã Administrativa de Minas Gerais Númer de famílias Identificaçã, lcalizaçã d imóvel e vias de acess Área Perímetr Crdenadas UTM Sub-bacias hidrgráficas Planta d Imóvel Gerreferenciada Limites (prpriedades cnfrntantes/ atividades desenvlvidas, presença de Uc s, reservas indígenas etc) HISTÓRICO DO PA CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DO PA DIAGNÓSTICO EXPEDITO DO MEIO FÍSICO E BIÓTICO Clima Gelgia/frmações superficiais Gemrflgia/relev Sls e ambientes Recurss hídrics Vegetaçã Cerrad Cerradã Vereda Mata de Galeria e Mata Ciliar Fauna silvestre DIAGNÓSTICO DO USO ATUAL DOS RECURSOS NATURAIS E DOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Organizaçã territrial atual Descriçã ds atuais sistemas de prduçã e d us e manej ds recurss naturais Sistema de Prduçã

5 Vegetaçã Descriçã ds sistemas de prcessament e cmercializaçã da prduçã DIAGNÓSTICO DESCRITIVO DO MEIO ANTRÓPICO (SOCIOECONÔMICO) Ppulaçã Mradia e saneament Captaçã e abasteciment de água e energia Saúde Estradas e transprte Educaçã Organizaçã scial e ecnômica Aspects culturais Relaçã cm Pder Públic Lcal, Estadual e Federal e cm Entidades de Classes, Igrejas, ONG s etc LEVANTAMENTO DO PASSIVO AMBIENTAL IMPACTOS AMBIENTAIS DECORRENTES Da rganizaçã territrial Organizaçã espacial ds ltes e área de reserva, áreas cletivas u cmunitárias Sls Estradas Da cnstruçã de infra-estrutura Mradia e saneament Outrs PROJETO FINAL DE ASSENTAMENTO MEDIDAS MITIGADORAS RELATIVAS AOS IMPACTOS SÓCIO- ECONÔMICOS IDENTIFICADOS Pst de Saúde e Educaçã Educaçã ambiental cm ênfase na questã d lix Assistência técnica Fiscalizaçã Ambiental (IEF/IBAMA/Plícia Flrestal) MEDIDAS MITIGADORAS RELATIVAS ÀS QUESTÕES DE INFRA- ESTRUTURA Estradas Saneament Básic Regularizaçã ds ltes cm prblemas MEDIDAS MITIGADORAS PROPOSTAS EM RELAÇÃO AOS IMPACTOS AMBIENTAIS

6 Recurss Hídrics Veredas Sls Ersã Pastagens Baixa fertilidade Vegetaçã Mata de Galeria Us d fg Cerrad Reserva legal cletiva e áreas de preservaçã permanente Fauna Animais Silvestres Animais Dméstics O DELINEAMENTO DO PROJETO FINAL DO PA FELIZ UNIÃO...75 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...76 ANEXOS

7 1. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO DE ASSENTAMENTO (PA) 1.1. Denminaçã d PA Prjet de Assentament Feliz Uniã Data de criaçã 24 de junh de Distrit e Municípi/UF, Mesrregiã/Micrrregiã FIBGE e Regiã Administrativa de Minas Gerais Municípi de Laga Grande. Mesrregiã: nreste mineir. Micrrregiã: Paracatu. Regiã Administrativa de Minas Gerais: nreste de Minas Númer de famílias Identificaçã, lcalizaçã d imóvel e vias de acess O Assentament lcaliza-se a 21 km da sede d municípi de Laga Grande, nreste d estad de Minas Gerais. O acess a imóvel dá-se, partind da sede d municípi, pela estrada de terra que de acess à BR-040 e a municípi de Jã Pinheir. A entrada d Assentament lcaliza-se próxim a Vereda d Tamanduá; entrar a esquerda e percrrer cerca de 2 km até a sede d prjet Área 2.508,26 ha 1.7. Perímetr ,14 m 7

8 1.8. Crdenadas UTM O PA está lcalizad nas crdenadas UTM de ,2805 e ,1033 m Sub-bacias hidrgráficas Sub-bacia d Ri Paracatu. Bacia d Ri Sã Francisc Planta d Imóvel Gerreferenciada Limites (prpriedades cnfrntantes/ atividades desenvlvidas, presença de Uc s, reservas indígenas etc) Na regiã nde se lcaliza PA Feliz Uniã nã existem unidades de cnservaçã nem reservas indígenas. Predmina, n lcal, a atividade agrpecuária, cm ênfase na pecuária extensiva e na prduçã irrigada de grãs, principalmente de feijã, sja e milh. Em razã d padrã de utilizaçã das terras, bserva-se, ns últims dez ans, intensificaçã d cnflit fundiári, cm ampliaçã da demanda pr terra e d númer de assentaments rurais. Além d PA Feliz Uniã, municípi cnta cm PA Sant Antôni, PA Barreirã, PA Nva Cnquista e PA Aliança e Prgress, send s dis últims vizinhs a Assentament em questã. A ppulaçã residente ns assentaments é quase equivalente a ttal da ppulaçã rural d municípi de Laga Grande, criad em meads da década de 90. Cnfrntantes: Nrte: Prjet de Assentament Aliança e Prgress e White Martins; Leste: Edsn Peres e estrada municipal que liga Jã Pinheir a Laga Grande; Sul: Mannesman e Vereda Tamanduá; Oeste: Prjet de Assentament Aliança e Prgress. 8

9 2. HISTÓRICO DO PA O prcess de luta pela terra n municípi de Laga Grande, inicia-se antes mesm d surgiment d própri municípi. Esse prcess tem iníci quand, em meads ds ans 80, Sindicat ds Trabalhadres Rurais de Presidente Olegári, municípi a qual estava vinculad entã distrit de Laga Grande, cmeça a rganizar s trabalhadres rurais em trn da luta pela refrma agrária. Essas ações refletiam a intensificaçã da atuaçã da Federaçã ds Trabalhadres na Agricultura d Estad de Minas Gerais FETAEMG, em td nreste Mineir a partir de seu pól reginal lcalizad em Jã Pinheir. Em 1987 STR de Presidente Olegári amplia suas ações e cmeça a fazer reuniões cm trabalhadres rurais d municípi e de cidades vizinhas, cm bjetiv específic de rganizar um grup de famílias para prmver a cupaçã da fazenda Buens Aires. É em trn da lnga luta ds trabalhadres rurais pela cnquista da fazenda Buens Aires, hje PA Barreirã, que fram criads s PAs Aliança e Prgress, Nva Cnquista e PA Feliz Uniã, num prcess que culminu também cm a criaçã d municípi de Laga Grande. Especificamente, PA Feliz Uniã tem rigem na desaprpriaçã de duas prpriedades, a Fazenda Nssa Senhra d Perpétu Scrr e a Fazenda Pernambuc, ambas cnsideradas imprdutivas pel INCRA, cnfrme laud de vistria realizad em fevereir de A única atividade prdutiva existente nessas fazendas era a prduçã predatória de carvã vegetal, cm utilizaçã da mata nativa de Cerrad. Mantend a tradiçã d sindicalism na regiã, STR de Laga Grande fi principal mediadr n prcess de rganizaçã ds trabalhadres para as ações que culminaram cm a criaçã d Assentament. Esse prcess cntu também cm api da Prefeitura Municipal e cm Mviment Grit da Terra Brasil, vinculad à CONTAG. Após alguns meses de rganizaçã e mbilizaçã, em meads de julh de 1995, cerca de 94 famílias cuparam a área cm frma de pressinar INCRA a realizar vistria n imóvel, uma vez que s trabalhadres já haviam a identificad cm imprdutiva. O prprietári recrreu à justiça tend cnseguid mandad de reintegraçã de psse que fi imediatamente cumprid pela plícia, decrrids pucs dias da cupaçã. Cm frma de manter a mbilizaçã das famílias, s trabalhadres, após a descupaçã pacífica, reslvem mntar acampament às margens da estrada que dá acess a municípi, nde permaneceram pr váris meses. 9

10 Essa fase de acampament fi marcada pr muitas dificuldades em virtude das chuvas e ds vents que desmntavam as barracas e pela peira da estrada, além das ameaças de agressã feitas pels antigs empregads da fazenda. O acampament duru cerca um an e durante esse temp, s acampads cntaram cm api da prefeitura municipal que realizu a daçã de cestas básicas. Neste períd, s acampads se revezavam: uns trabalhavam, enquant utrs zelavam pela segurança das famílias n acampament. As crianças, enquant estavam n acampament, ficaram sem estudar até mment que a prefeitura prvidenciu transprte para levá-las à escla. Quand s acampads suberam que utrs trabalhadres acampads em uma fazenda vizinha haviam cnseguid a desaprpriaçã da mesma, dand rigem a PA Aliança e Prgress, ptaram pr retmar a cupaçã cm frma de refrçar a pressã sbre IN- CRA. Após laud de vistria que declaru a área cm imprdutiva, INCRA slicitu a sua desaprpriaçã, que crreu pr Decret Presidencial de 24 de junh de N entant, cm a imissã de psse na área ainda nã havia crrid, s trabalhadres cntinuaram a viver nas mesmas cndições em que viviam n acampament. Após esperarem pr váris meses para que INCRA iniciasse prcess de parcelament e liberaçã das linhas de crédit, s trabalhadres decidiram realizar a mediçã da área pr cnta própria. Assim, utilizand-se de uma crda, s trabalhadres dividiram a área em ltes de m pr 450 m, cm frma de pssibilitar as famílias melhres cndições para iniciarem a prduçã. A imissã de psse crreu apenas em 16 de setembr de 1997, quand, finalmente INCRA iniciu parcelament definitiv da área, cm a liberaçã d crédit para habitaçã e investiment. Antes da criaçã d PA Feliz Uniã, s atuais assentads trabalhavam cm arrendatáris, parceirs e bóias-frias na zna rural d municípi e na prduçã de carvã. Suas cndições de vida eram muit precárias devid às instabilidades financeiras impstas pelas cndições de trabalh cm diaristas. A grande mairia das famílias residia em Laga Grande e em municípis vizinhs, cm Jã Pinheir e Presidente Olegári. 10

Anotação de Responsabilidade Técnica PA MANGAL. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo

Anotação de Responsabilidade Técnica PA MANGAL. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo Antaçã de Respnsabilidade Técnica PA MANGAL Crdenaçã Prfessr Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Cnsultres Prfessr Márci Mta Rams Engenheir Agrônm CREA-MG 11377-D Walder Antôni de Albuquerque Nunes Engenheir

Leia mais

Anotação de Responsabilidade Técnica PA OZIEL ALVES PEREIRA. Coordenação Prof. José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo

Anotação de Responsabilidade Técnica PA OZIEL ALVES PEREIRA. Coordenação Prof. José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo Antaçã de Respnsabilidade Técnica PA OZIEL ALVES PEREIRA Crdenaçã Prf. Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Cnsultres Prfessr Márci Mta Rams Engenheir Agrônm CREA-MG 11377-D Walder Antôni de Albuquerque Nunes

Leia mais

Anotação de Responsabilidade Técnica PA LAGOA BONITA. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo. Consultores

Anotação de Responsabilidade Técnica PA LAGOA BONITA. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo. Consultores Antaçã de Respnsabilidade Técnica PA LAGOA BONITA Crdenaçã Prfessr Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Cnsultres Prfessr Márci Mta Rams Engenheir Agrônm CREA-MG 11377-D Walder Antôni de Albuquerque Nunes Engenheir

Leia mais

Equipe Responsável pela Elaboração do Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental e Projeto Final de Assentamento do PA Correntes

Equipe Responsável pela Elaboração do Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental e Projeto Final de Assentamento do PA Correntes Equipe Respnsável pela Elabraçã d Diagnóstic Sciecnômic e Ambiental e Prjet Final de Assentament d PA Crrentes Crdenaçã Geral Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Mestre em Extensã Rural Dutr em Sciedade, Desenvlviment

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos As ferramentas SIG na análise e planeament da inclusã Jã Pereira Sants 1 Agenda Apresentaçã Intergraph Evluçã SIGs Prjects SIGs Exempls Questões 2 Apresentaçã Intergraph Fundada em 1969, cm nme de M&S

Leia mais

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA IINNTTRRODDUUÇÇÃÃO I As decisões sbre a implementaçã de ações de cnvivência cm a seca exigem cnheciment básic sbre a lcalizaçã, caracterizaçã e dispnibilidade das fntes de água superficiais e subterrâneas.

Leia mais

Gestão ambiental de zonas de amortecimento de unidades de conservação em áreas urbanas

Gestão ambiental de zonas de amortecimento de unidades de conservação em áreas urbanas Gestã ambiental de znas de amrteciment de unidades de cnservaçã em áreas urbanas Marta Feppel Ribeir Instituiçã: Universidade d Estad d Ri de Janeir IVIG/COPPE/Universidade Federal d Ri de Janeir Email:

Leia mais

Conflitos de terra em Roraima. Acampados e assentados versus estado.

Conflitos de terra em Roraima. Acampados e assentados versus estado. XXVII Cngres de la Asciación Latinamericana de Scilgía. VIII Jrnadas de Scilgía. Asciación Latinamericana de Scilgía, Buens Aires, 2009. Cnflits de terra em Rraima. Acampads e assentads versus estad. Carls

Leia mais

Geoprocessamento no gerenciamento das malhas fundiárias das Unidades de Conservação Federais

Geoprocessamento no gerenciamento das malhas fundiárias das Unidades de Conservação Federais MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE-ICMBi DIRETORIA DE AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E CONSOLIDAÇÃO TERRITORIAL EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO-DISAT COORDENAÇÃO GERAL

Leia mais

MAN{FESTAÇÃO TÉCNICA SUPERINTENDÊNCIA DE MEIO AMBIENTE/SEMAR/PI

MAN{FESTAÇÃO TÉCNICA SUPERINTENDÊNCIA DE MEIO AMBIENTE/SEMAR/PI TERRA QUERDA GOVERNO 00 ESTADO Secretria d Mei Ambiente e Recurss Hídrics d Estad d Piauí MAN{FESTAÇÃO TÉCNCA SUPERNTENDÊNCA DE MEO AMBENTESEMARP ASSUNTO Manifestaçã técnica da SEMARP cm relaçã à sbrepsiçã

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

Av. Beira Mar. 3250- Cx. Postal 44 Teu.: (079)217-1305

Av. Beira Mar. 3250- Cx. Postal 44 Teu.: (079)217-1305 13207 CPATC 1997 FL-13207 I DA AGRICUt.TURA, D ABASTECIMENT E RMA AGRÁRIA - MAARA Brasileira de Pesquisa Agrpecuária - EMBRAPA «e Pesquisa Agrpecuária ds Tabuleirs Csteirs - CPATC Av. Beira Mar. 3250-

Leia mais

CHIPRE Unido na Diversidade A UNIÃO EUROPEIA E OS DESAFIOS DO SÉCULO XX

CHIPRE Unido na Diversidade A UNIÃO EUROPEIA E OS DESAFIOS DO SÉCULO XX CHIPRE Unid na Diversidade A UNIÃO EUROPEIA E OS DESAFIOS DO SÉCULO XX CHIPRE Um país, duas bandeiras CHIPRE Um país dividid CHIPRE- Um país dividid REPUBLICA DE CHIPRE Capital: Nicósia Territóri: 5.895

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema Plan de Desenvlviment Ecnômic Reginal e Lcal ds Municípis d Pntal d Paranapanema 1ª Etapa Diagnóstic Ecnômic e Definiçã de Cenáris Apresentaçã as municípis 20/08/2014 Cnvêni: Elabraçã: Plan de Desenvlviment

Leia mais

w w w. i n i c i a t i v a v e r d e. o r g. b r

w w w. i n i c i a t i v a v e r d e. o r g. b r w w w. i n i c i a t i v a v e r d e. r g. b r EFEITO ESTUFA DESMATAMENTO Históric de desmatament em Sã Paul DESMATAMENTO Cbertura atual CONSEQUECIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Reduçã na bidiversidade http://www.baixaki.cm.br/imagens/wpapers/bxk22741_abelha-_-rubi-marra-1-800.jpg

Leia mais

Zoneamento Caraguatatuba (Lei Complemen

Zoneamento Caraguatatuba (Lei Complemen Zneament Caraguatatuba (Lei Cmplemen Zna (art. 105) Características Macrzna de Prteçã Ambiental (MSPA) A Macrzna de Prteçã Ambiental / MZPA é cnstituída pel Parque Estadual da Serra d Mar Núcle Caraguatatuba.

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

PORTFÓLIO FELCO FALEIROS PROJETOS E CONSULTORIA EM ENGENHARIA LTDA. EPP

PORTFÓLIO FELCO FALEIROS PROJETOS E CONSULTORIA EM ENGENHARIA LTDA. EPP PORTFÓLIO FELCO FALEIROS PROJETOS E CONSULTORIA EM ENGENHARIA LTDA. EPP 2015 FELCO FALEIROS PROJETOS E CONSULTORIA EM ENGENHARIA LTDA. EPP A Felc Faleirs () é uma empresa prestadra de serviçs técnics cnsultivs

Leia mais

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. O IASAe a Escla Municipal de SantAndré realizaram uma série de ações vltadas para a disseminaçã e efetivaçã ds Direits das Crianças e Adlescentes estabelecids pel

Leia mais

Marcadores Sociais Douglas Blanco

Marcadores Sociais Douglas Blanco Marcadres Sciais Duglas Blanc Os Marcadres Desigualdade de Classe; Desigualdade de Gêner; Desigualdade de Geraçã; Desigualdade Racial; Desigualdade de Orientaçã Sexual; Desigualdade de Classe Distribuiçã

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011. Gabinete d Deputad FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de març de 2011. Quand ingressei cm Requeriment slicitand a presença de Vssas Senhrias na Cmissã, estava assustad, cm, aliás, tda a ppulaçã, cm

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

7.3. DIAGNÓSTICO DO MEIO SOCIOECONÔMICO E CULTURAL Histórico do Projeto de Assentamento Situação socioeconômica, antes e

7.3. DIAGNÓSTICO DO MEIO SOCIOECONÔMICO E CULTURAL Histórico do Projeto de Assentamento Situação socioeconômica, antes e Sumári 1. APRESENTAÇÃO... 5 2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR... 6 3. METODOLOGIA DE PREPARAÇÃO DO PLANO... 7 3.1. DA ELABORAÇÃO DO PLANO... 7 4. INFORMAÇÕES GERAIS DO ASSENTAMENTO... 10 5. LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno.

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno. Pder e escla: Uma analise acerca das relações entre prfessr e alun. Marcs Paul A. Rdrigues 1 Andersn Silva Nunes 2 Intrduçã: O presente trabalh expõe s tips de pder exercid pels prfessres sbre s aluns,

Leia mais

Esboço da Oficina de Mapeamento Comunitário O metodologia utilizado no projeto piloto do mapeamento comunitário no Bairro da Nova República evolveu

Esboço da Oficina de Mapeamento Comunitário O metodologia utilizado no projeto piloto do mapeamento comunitário no Bairro da Nova República evolveu Mapeament Cmunitári cm a Juventude na Regiã de Santarém Pr Stephen C. Bentley Prjet Nvs Cnsórcis Públics para a Gvernança Metrplitana Junh, 2007 Apresentaçã O prjet Nvs Cnsórci Públics para a Gvernança

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

tendências de crescimento econômico com as taxas demográficas, sua composição etária e os contingentes de população economicamente ativa esperados.

tendências de crescimento econômico com as taxas demográficas, sua composição etária e os contingentes de população economicamente ativa esperados. RESERVA LEGAL E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Biólg Jacksn Müller jack.nh@terra.cm.br A percepçã de que na atualidade trna-se necessári rever mdel de desenvlviment praticad cnstitui-se na prpsta principal

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versã: 1 Data: 28/10/2013 M5. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO AÇÃO 5.1. CRIAÇÃO DE AGRUPAMENTOS E ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

Anotação de Responsabilidade Técnica PA FRUTA D ANTA. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo

Anotação de Responsabilidade Técnica PA FRUTA D ANTA. Coordenação Professor José Ambrósio Ferreira Neto Sociólogo Antaçã de Respnsabilidade Técnica PA FRUTA D ANTA Crdenaçã Prfessr Jsé Ambrósi Ferreira Net Sciólg Cnsultres Prfessr Márci Mta Rams Engenheir Agrônm CREA-MG 11377-D Walder Antôni de Albuquerque Nunes Engenheir

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO MT Tecnologias para melhoria e sustentabilidade do algodão brasileiro.

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO MT Tecnologias para melhoria e sustentabilidade do algodão brasileiro. SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO MT Tecnlgias para melhria e sustentabilidade d algdã brasileir. Evald Kazushi Takizawa Engenheir Agrônm Cnsultr Ceres CONSIDERAÇÕES INICIAIS O amadureciment da ctnicultura

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR LISTA CANDIDATA ÀS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GEÓGRAFOS BIÉNIO 2006-2008 POR UMA GEOGRAFIA MELHOR Assembleia Geral Presidente Jsé Albert Ri Fernandes (FL, Universidade

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Reajuste Tarifário de 2006. Esclarecimentos sobre os valores concedidos pela ANEEL

Reajuste Tarifário de 2006. Esclarecimentos sobre os valores concedidos pela ANEEL Reajuste Tarifári de 2006 Esclareciments sbre s valres cncedids pela ANEEL Abril/2006 Agenda Intrduçã IRT 2006 CVA PASEP-COFINS Impact na geraçã de caixa 2 ANEEL divulga reajuste de 6,7% Resluçã Hmlgatória

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Prgrama de Desenvlviment Rural d Cntinente para 2014-2020 Medida 7 AGRICULTURA e RECURSOS NATURAIS Açã 7.2 PRODUÇÃO INTEGRADA Enquadrament Regulamentar Artig 28.º Agrambiente e clima d Regulament (UE)

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO BIMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 1 a. Série Data: / / Prfessres: Adriana, Fabiana, Nelsn Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 1º bimestre A - Intrduçã Neste bimestre, sua nta fi inferir

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00 UHE SANTO ANTONIO Titul: Dcument N. Rev. RELATÓRIO DE DESMOBILIZAÇÃO DO 3 MODULO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTE (ETE)- S D- RT- 0063-13 00 Elabraçã: Tarcis Camil MARGEM ESQUERDA Análise crítica:

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

Rio + 20 O papel das cidades a 20 anos da Cúpula da Terra do Rio de Janeiro

Rio + 20 O papel das cidades a 20 anos da Cúpula da Terra do Rio de Janeiro Ri + 20 O papel das cidades a 20 ans da Cúpula da Terra d Ri de Janeir DOCUMENTO DE COLABORAÇÃO DE MERCOCIDADES "O Desenvlviment Sustentável é aquele que satisfaz as necessidades atuais sem pôr em perig

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Relatório de Atividades. Programa de Desenvolvimento das Cadeias Produtivas de Hortaliças, caqui, Nêspera e Cogumelos da Região do Alto Tietê.

Relatório de Atividades. Programa de Desenvolvimento das Cadeias Produtivas de Hortaliças, caqui, Nêspera e Cogumelos da Região do Alto Tietê. Mgi das Cruzes, 24 de setembr de 2008. Relatóri de Atividades. Prgrama de Desenvlviment das Cadeias Prdutivas de Hrtaliças, caqui, Nêspera e Cgumels da Regiã d Alt Tietê. Prcess n.: 3196/2007 Cnveni n.:

Leia mais

Informações mínimas necessárias à Elaboração e Apresentação dos Projetos e Orçamentos dos Empreendimentos PNHR

Informações mínimas necessárias à Elaboração e Apresentação dos Projetos e Orçamentos dos Empreendimentos PNHR Infrmações mínimas necessárias à Elabraçã e Apresentaçã ds Prjets e Orçaments ds Empreendiments PNHR 1) Frmataçã sugerida para s Cabeçalhs: Exempl de Títul: "Planta Baixa para mradias rurais d Prgrama

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Pesquisa Oficial de Demanda Imobiliária SINDUSCON Grande Florianópolis. NÃO ASSOCIADOS Apresentação

Pesquisa Oficial de Demanda Imobiliária SINDUSCON Grande Florianópolis. NÃO ASSOCIADOS Apresentação Pesquisa Oficial de Demanda Imbiliária SINDUSCON Grande Flrianóplis. NÃO ASSOCIADOS Apresentaçã O presente trabalh tem cm principais bjetivs identificar perfil d frequentadr d Salã d Imóvel, suas demandas

Leia mais

Projeto. O Índio e suas influências na cultura brasileira

Projeto. O Índio e suas influências na cultura brasileira Prjet O Índi e suas influências na cultura brasileira 6 a 9 ANO 2014 ESCOLA ESTADUAL TUBAL VILELA DA SILVA PROFESSORA: GEANE F. BALIEIRO ENSINO RELIGIOSO. Escla Estadual Tubal Vilela da Silva Prfessra

Leia mais

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor:

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor: Geprcessament integrad à gestã de prpriedades rurais pilt COCAMAR em Jussara-PR Autr: Flavi Duran Altimari Geprcessament aplicad a gestã de prpriedades rurais Autres: Flavi D. Altimari 54 Unidades (Entrepsts)

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

Eixo. Norte-Sul. Anhanguera Eixo. Preferenciais. Corredores

Eixo. Norte-Sul. Anhanguera Eixo. Preferenciais. Corredores Crredres Preferenciais Eix Anhanguera Eix Nrte-Sul Capital d Estad de Giás 200km a Sudeste de Brasília Fundada em 1933 1,4 milhões de habitantes Mais de 30 parques Em Giânia há uma única rede de serviçs

Leia mais

ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS RELACIONADOS À URBANIZAÇÃO

ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS RELACIONADOS À URBANIZAÇÃO 6º Simpósi de Gestã Ambiental e Bidiversidade (20 a 23 de junh 2017) ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS RELACIONADOS À URBANIZAÇÃO Yasmin Rdrigues Gmes 1, Lilian Gama 2. (SUESC- Faculdade Unificada de Ensin

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geraçã de Guias para ST, DIFAL e FCP 1. Objetivs Gerar títuls n cntas a pagar cm ttal de ICMS-ST, DIFAL e/u FCP das ntas fiscais de saída. Página 2 de 6 2. Requisits 2.1. RF01 Geraçã

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique III Jrnadas de Cperaçã n Sectr de Saúde em Mçambique Planificaçã n Sectr da Saude em Mçambique Maput, Març de 2013 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO # Jrnadas de Cperaçã d Sectr da Saúde cnstituem um event anual:

Leia mais

PROJETO: Conferência Ethos 2011

PROJETO: Conferência Ethos 2011 Cnferência Eths 2011 PROJETO: Cnferência Eths 2011 LOCAL DE REALIZAÇÃO: FECOMÉRCIO Bela Vista Sã Paul/SP Data: dias 07, 08 e 09 de Agst de 2011 EXPECTATIVA DE PÚBLICO: 1000 pessas TEMA: Prtagnistas da

Leia mais

Principais Pontos do Relatório Anual 2007. 1. O que é a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes - JIFE

Principais Pontos do Relatório Anual 2007. 1. O que é a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes - JIFE Relatóri Anual da Junta Internacinal de Fiscalizaçã de Entrpecentes - JIFE Principais Pnts d Relatóri Anual 2007 1. O que é a Junta Internacinal de Fiscalizaçã de Entrpecentes - JIFE 1.1 Funções da JIFE:

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Saneamento Cachoeira Alta - GO

Saneamento Cachoeira Alta - GO ANEXO III INFORMAÇÕES PRELIMINARES DO MUNICÍPIO E DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL Nome do Município/UF Cachoeira Alta- GO População 10.553habitantes Caracterização do sistema de saneamento Breve descrição

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul A Estratégia d Tribunal de Justiça d Ri Grande D Sul PODER JUDICIÁRIO Missã: De acrd cm fundament d Estad, Pder Judiciári tem a Missã de, perante a sciedade, prestar a tutela jurisdicinal, a tds e a cada

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Termo de Referência nº

Termo de Referência nº Term de Referência nº 2016.0606.00006-1 Ref: Cntrataçã de cnsultria pessa física para elabraçã de avaliaçã sciambiental para identificaçã de pssíveis impacts sciais e ambientais da implementaçã d prjet

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS

SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS PROJETO DE REFORÇO DAS CAPACIDADES E COMPETÊNCIAS RELATIVAS A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS ILHAS Crdenadr: Parceirs: SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS Intercâmbi

Leia mais

Urbanidade, sustentabilidade, saúde - uma relação evidente e persistente

Urbanidade, sustentabilidade, saúde - uma relação evidente e persistente - uma relaçã evidente e persistente Os Lugares e a Saúde Uma abrdagem da Gegrafia às variações em saúde na Área Metrplitana de Lisba Helena Ngueira Faculdade de Letras da Universidade de Cimbra Lisba,

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS QUESTIONÁRIO PARA O DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS QUESTIONÁRIO PARA O DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS QUESTIONÁRIO PARA O DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Janeir/2014 1 PMIJ08012014 Sã Paul, 08 de Janeir de 2014. À PREFEITURA MUNICIPAL DE xyxyxyxyxyxyxy

Leia mais

UNIDADES INDUSTRIAIS

UNIDADES INDUSTRIAIS UNIDADES INDUSTRIAIS VILA FLOR Em Sampai, Vila Flr, n craçã de Trás-s-Mntes, está lcalizada a Cncessã de Explraçã HM-5 Bem-Saúde de água mineral natural gascarbónica e respetiva unidade industrial, nde

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centr de Referência: Universidade Federal d Ri Grande d Nrte Edital para Seleçã de Preceptres de internat, estágis e residência em saúde. EDITAL 01/2015 A Universidade Federal d Ri Grande d Nrte, pr mei

Leia mais

As capitais mais populosas do país

As capitais mais populosas do país 1 a Questã: (2,0 pnts) G a b a r i t G e g r a f i a O mapa apresenta as sete maires capitais d Brasil, em ppulaçã. Se, pr um lad, algumas dessas capitais cnfirmam tendências histricamente cnsagradas na

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL...

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... Respnsável pela elabraçã d trabalh: Fernanda Juli Barbsa Camps

Leia mais

Fórum Social Temático - Reforma Política: Pela Democratização do Poder

Fórum Social Temático - Reforma Política: Pela Democratização do Poder Text base de Metdlgia Fórum Scial Temátic Refrma Plítica Fevereir de 2015 Fórum Scial Temátic - Refrma Plítica: Pela Demcratizaçã d Pder Etapa descentralizada: de 27 de junh a 2 de julh, em td país Etapa

Leia mais

REGULAMENTO 1ª EDICÃO PRÉMIO FOOD FAB LAB

REGULAMENTO 1ª EDICÃO PRÉMIO FOOD FAB LAB REGULAMENTO 1ª EDICÃO PRÉMIO FOOD FAB LAB O TAGUSVALLEY assume um papel fundamental cm agente dinamizadr da invaçã e ecnmia da regiã e prcura as cndições necessárias para que as atividades ecnómicas sejam

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 05/2015 SEMANA EPIDEMIOLÓGICA 50 (13 A 19/12/2015) MONITORAMENTO DOS CASOS DE MICROCEFALIAS NO BRASIL Este infrme d COES Micrcefalias visa dcumentar e divulgar infrmações atualizadas

Leia mais

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO Trabalho de pesquisa em andamento Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus Universidade Federal do Tocantins pissarra1@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

A FLORESTA DE QUE PRECISAMOS...

A FLORESTA DE QUE PRECISAMOS... A FLORESTA DE QUE PRECISAMOS... SUMÁRIO EXECUTIVO DAS CONCLUSÕES 17 DE OUTUBRO DE 2016 ENQUADRAMENTO O Clégi de Engenharia Flrestal da Ordem ds Engenheirs, em clabraçã cm a Universidade de Lisba, a Universidade

Leia mais

O USO DE FERRAMENTAS PARTICIPATIVAS PARA O DIAGNÓSTICO E SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL NO PROJETO RENASCER EM ITAPURANGA GOIÁS.

O USO DE FERRAMENTAS PARTICIPATIVAS PARA O DIAGNÓSTICO E SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL NO PROJETO RENASCER EM ITAPURANGA GOIÁS. 1 O USO DE FERRAMENTAS PARTICIPATIVAS PARA O DIAGNÓSTICO E SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL NO PROJETO RENASCER EM ITAPURANGA GOIÁS. GUIMARÃES, Luanna Elis GREQUE, Guilherme Gnçalves RABELO, Marcia 1. Resum O

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

Unidades de proteção integral. E conflitos socioambientais nas matas secas do norte de Minas Geraisais.

Unidades de proteção integral. E conflitos socioambientais nas matas secas do norte de Minas Geraisais. XXVII Cngres de la Asciación Latinamericana de Scilgía. Asciación Latinamericana de Scilgía, Buens Aires, 2009. Unidades de prteçã integral. E cnflits sciambientais nas matas secas d nrte de Minas Geraisais.

Leia mais

CURSO NOVA NBR 5419 Proteção contra Descargas Atmosféricas

CURSO NOVA NBR 5419 Proteção contra Descargas Atmosféricas CURSO NOVA NBR 5419 Prteçã cntra Descargas Atmsféricas Públic alv: Engenheirs eletricistas e eletrônics, técnics em eletricidade, prje6stas de sistemas elétrics, eletrônics, de telecmunicações e de cntrle

Leia mais