O uso de materiais do cotidiano no Ensino da Matemática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O uso de materiais do cotidiano no Ensino da Matemática"

Transcrição

1 O uso de materiais do cotidiano no Ensino da Matemática Profª Márcia Amplatz Material organizado para o Seminário de Formação Continuada de Professores: Desafios e Perspectivas da Secretaria Municipal de Educação de Fazenda Rio Grande. Realização: ICEET- Instituto de Ciência, Educação e Tecnologia

2 As dificuldades com a matemática Conteúdo com apoio na memorização; Atividades que não promovem o desenvolvimento das capacidades; A falta de trabalho que desenvolva o raciocínio; Apoio no abstrato e ou no mecânico.

3 Onde está a Matemática? Na vida cotidiana? Na escola?

4 Os materiais do cotidiano escolar Ábaco Material dourado Blocos lógicos Tangran

5 Jogo das trocas Trabalhar com as trocas em outras bases Escrever corretamente um número usando algarismos, determinando seu valor de acordo com a sua posição no numeral. Conteúdo - Sistema de numeração Habilidades:Atenção Concentração Argumentação Raciocínio rápido

6 Nova estratégia do Jogo: Para cada criança serão dados 14 palitos e uma caixa de numeração. 1 regra: O jogo sempre começará pela casa da direita

7 JJJogo Meta: Propiciar condições para o desenvolvimento de um sistema de numeração posicional e decodificação do resultado da operação de agrupamento segundo regras. Material Necessário: Caixas de numeração; palitos de sorvete, barbante ou durex. Confecção das Caixas de Numeração: Poderão ser utilizadas três caixas de fósforos sem tampa, justapostas (coladas com fita crepe, por exemplo) e pintar o interior das mesmas de vermelho, azul e amarelo da esquerda para a direita assim:

8 As caixas de numeração também poderão ser substituídas por uma folha de papel dividida em três partes, de modo que cada uma delas tenha as mesmas cores das caixinhas originais:

9 2 regra: três palitos nunca podem ficar juntos na casa

10

11 3 ª regra - três grupinhos de três palitos nunca podem morar juntos na casa azul. Novamente os jogadores poderão fazer a mudança de 3 em 3 isto é: três grupinhos da casa azul serão novamente amarrados de modo a formar um grupo maior e este será mudado para a casa vermelha. Agora pergunte aos jogadores: quantos grupos de 3 (grupinhos de 3 palitos) estão morando na casa vermelha? Nesse exemplo, 1. Quantos grupinhos (de 3 palitos) estão morando na casa azul? Nesse exemplo são 2. E quantos palitos soltos ficaram na casa amarela? Nesse exemplo ficou 1.

12 Atividades "Nunca quatro, Nunca cinco,... Nunca dez" Objetivo: Realizar a operação segundo uma regra, utilizando como base os números de quatro a dez. Esse jogo propicia que a criança entenda o sistema de numeração decimal porque desenvolve o critério de agrupamento e sistema de posicionamento segundo regras pré estabelecidas, que é o mesmo do sistema de numeração decimal que usamos para trabalhar conceitos matemáticos, e a mesma do sistema de numeração decimal.

13 Nunca 10 Objetivos: - Construir o significado de Sistema de Numeração Decimal explorando situações-problema que envolvam contagem; - Compreender e fazer uso do valor posicional dos algarismos, no Sistema de Numeração Decimal. Material: Ábaco de pinos 1 por aluno 2 dados por grupo Metodologia: Os alunos divididos em grupos deverão, cada um na sua vez, pegar os dois dados e jogá-los, conferindo o valor obtido. Este valor deverá ser representado no ábaco. Para representá-lo deverão ser colocadas argolas correspondentes ao valor obtido no primeiro pino da direita para a esquerda (que representa as unidades). Após todos os alunos terem jogado os dados uma vez, deverão jogar os dados novamente, cada um na sua vez.

14 Ábaco Primeira máquina de calcular criada pelo homem, há mais de anos, provavelmente teve origem na Mesopotâmia. O ábaco é um dispositivo de cálculo aritmético. Normalmente é formado em um quadro de madeiras com cordas ou arames transversais, correspondentes cada um a uma posição digital (unidades, dezenas,...) e nos quais estão os elementos de contagem (fichas, bolas, contas,...) que podem fazer-se deslizar livremente. Permite fazer as quatro operações básicas da matemática que são eles: adição, subtração, multiplicação e divisão.

15 2) Ábaco Primeira máquina de calcular criada pelo homem, há mais de Até hoje o ábaco é utilizado para ensinar às crianças as operações de somar e subtrair. Os gregos e romanos, na antiguidade, utilizavam o ábaco para calcular, e depois os chineses e japoneses o aperfeiçoaram. Foi mostrado que alunos chineses conseguem fazer contas complexas com um ábaco, mais rapidamente do que um ocidental equipado com uma moderna calculadora eletrônica. Embora a calculadora apresente a resposta quase instantaneamente, os alunos conseguem terminar o cálculo antes mesmo de seu competidor acabar de digitar os algarismos no teclado da calculadora.

16 A calculadora em sala de aula Libera o aluno para pensar Ajuda a conferir e verificar Desenvolve o raciocínio Tecla quebrada, como fazer? 5x8= 9x8= 12x18=

17 Uso da calculadora Atividade a)encontre uma maneira de registrar o número 54 no visor da calculadora sem apertar as teclas 5 e 4. Escreva os passos que você utilizou para resolver a questão. b)agora encontre uma maneira de registrar o número 167 sem apertar as teclas 1, 6 e 7. Escreva os passos que você utilizou para resolver o problema.

18 O emprego da calculadora na sala de aula é importante sob quais aspectos? Como recurso útil para a verificação de resultados e correção de erros; Como instrumento de autoavaliação; Como meio para a percepção de regularidades; Como recurso estratégico da resolução de situaçõesproblema; Como estímulo à descoberta de estratégias e investigação de possíveis soluções das atividades; Como instrumento de conferência de diversos cálculos que aparecem no dia a dia dos alunos e também no de seus familiares.

19 Usando a calculadora para descobrir padrões numéricos Efetue e observe as seguintes multiplicações (use a calculadora quando achar necessário): 6 x 2 = 66 x 2 = 666 x 2 = x 2 = x 2 = a)agora, sem usar a calculadora, escreva o resultado de x 2 b)qual é a regra destas multiplicações? c)crie um problema semelhante a este para multiplicar por 3.

20 Material dourado O Material Dourado Montessori destina-se a atividades que auxiliam o ensino e a aprendizagem do sistema de numeração decimal-posicional e dos métodos para efetuar as operações fundamentais (ou seja, os algoritmos). No ensino tradicional, as crianças acabam "dominando" os algoritmos a partir de treinos cansativos, mas sem conseguirem compreender o que fazem. Com o Material Dourado a situação é outra: as relações numéricas abstratas passam a ter uma imagem concreta, facilitando a compreensão. Obtém-se, então, além da compreensão dos algoritmos, um notável desenvolvimento do raciocínio e um aprendizado bem mais agradável. O Material Dourado faz parte de um conjunto de materiais idealizados pela médica e educadora italiana Maria Montessori.

21 Problematizando - Vamos às compras? Com os encartes? Dispomos de R$20,00 para fazer umas compras e não podemos gastar todo o dinheiro. Precisamos ficar com, aproximadamente, R$5,00, não menos que isso. Como vamos fazer as comprinhas? Procedimentos a serem seguidos: 1º)Formar grupos de 5 participantes, no máximo. O 1º fará o registro dos gastos e saldos após cada compra; o 2º fiscalizará e os demais utilizarão a mesma calculadora, que passará de mão em mão, para controle dos gastos.

22 Jogo - Vamos às compras? 2º)O professor deverá marcar um tempo para as compras (de 5 a 10 minutos). 3º)Terminado o tempo, cada grupo dirá com quanto ficou. Ganha o grupo que ficar com uma quantia mais próxima de R$ 5,00. Obs: Poderão ser criadas outra regras, sugeridas, preferencialmente, pelos alunos.

23 Gaba (1975) propõe o seguinte esquema para utilização de material concreto nas aulas de matemática: Manipulação de objetos concretos Ações realizadas com objetos Obtenção de relações Interiorização dessas relações Aquisição e formulação do conceito Integração do conceito a conceitos anteriores (estruturação) Aplicação ou reconhecimento da estrutura em novas situações

24 Dienes (1974) propõe um modelo para a construção do modelo matemático: Jogo livre enriquecido num ambiente enriquecido por materiais Jogos estruturados, obedecendo a regras Representação da abstração lógico-matemática Análise das propriedades dessa representação Demonstração dedutiva das propriedades estruturais do conceito, em linguagem matemática.

25 Blocos lógicos- figuras geométricas

26 Blocos lógicos Brincar, montar Agrupar Classificar Comparar Diferenças e semelhanças Conceito de pertence, nãopertence

27 Blocos lógicos- montagem Esta atividade trabalha com o uso da lógica

28 Construção de conceitos O que as figuras têm de semelhante e o que têm de diferente? Quais os elementos que não pertencem a este conjunto?

29 Blocos lógicos Noções de semelhanças e diferenças Cores Tamanho Espessura formato

30 Figuras : formas e fundo Quantos triângulos tem em cada pipa? Quantos triângulos estão pintados na pipa 2? Quantos círculos tem na figura?

31 Blocos lógicos

32 Figuras geométricas Quantos triângulos tem na figura do menino? Quantos quadrados tem na figura do menino?

33 Figuras e formas Que figuras geométricas foram usadas para construir o barquinho?

34 Tangram Tangram é um quebra-cabeça chinês antigo. O nome significa "7 tábuas da sabedoria". Ele é composto de sete peças (chamadas de tans) que podem ser posicionadas de maneira a formar um quadrado: 5 Triângulos de três tamanhos distintos; 1 quadrado; 1 paralelogramo. A proposta original do jogo é, juntando-se as 7 peças, formar um quadrado. Além do quadrado, diversas outras formas podem ser obtidas, sempre observando duas regras: Todas as peças devem ser usadas Não é permitido sobrepor as peças.

35 Com o uso do Tangram o professor pode trabalhar: identificação, comparação, descrição, classificação, desenho de formas geométricas planas, visualização e representação de figuras planas, exploração de transformações geométricas através de decomposição e composição de figuras, compreensão das propriedades das figuras geométricas planas, representação e resolução de problemas usando modelos geométricos noções de áreas frações

36 Tangran Trabalho com o desenvolvimento da lógica com o uso de figuras geométricas. Construção de noções.

37 Atividades com tangran: - Formar um quadrado utilizando as sete peças; - Formar a superfície do quadrado com os triângulos grandes; - Formar a superfície do quadrado com os triângulos médios; - Formar a superfície do quadrado com os triângulos pequenos.

38 Cálculo mental

39 ESTIMATIVA Os desafios dos alunos serão fazer estimativas recorrendo a cálculos aproximados de comprimento, massa e capacidade. Quantas batatas são necessárias para obter 1 quilo? Acredito que os alunos irão responder que vai depender do tamanho e peso de cada batata. A resposta será um resultado baseado em uma estimativa mais ou menos precisa. O raciocínio servirá para perceber que cálculos aproximados dependem de algumas condições. Exemplos de algumas situações problemas em que as estimativas podem ser mais ou menos precisas. Quantas laranjas há em um pacote de 2 quilos? O peso da própria mochila. A altura da parede da classe. A quantidade de água na jarra (ou outra vasilha que você poderá apresentar a eles). A altura de uma árvore. À distância entre o quadro de giz e o fundo da sala de aula.

40 Sistema de numeração Localização no tempo Noção de linha e de coluna Sequência numérica Noção de antecessor e de sucessor Observação de regularidades

41 Calendário - montagem D S T Q Q S S

42 Calendário agosto 2008 dom seg ter qua qui sex sáb Quantos dias tem no mês de agosto? Em que dia da semana começou o mês? Quantos dias tem na semana? Dia 13 é quartafeira. Que dia será na próxima quarta-feira?

43 Sequência numérica Noção de linha e de coluna Sequenciação dos números Observação de regularidades Noção de unidade e de dezena Antecessor e sucessor Noção de número par e de número ímpar

44 0 Quadro do 100- sequência numérica

45 Quadro do descobertas O que se observa?

46 Qual é o segredo?

47 Qual é o segredo?

48 Quais os que estão faltando?

49 Quadro dos

50 Quadro valor - lugar Noção e posição de unidades, dezenas e centenas Soma e subtração Decomposição numérica Valor posicional do número Valor absoluto o número

51

52 Quadro dos valores e lugar- QVL C D U

53 Quadro dos valores e lugar- QVL C D U

54 ATIVIDADES: 1) Leia as charadas, e descubra qual é o número. a) Este número tem 4 centena, 7 dezenas e 6 unidades. Qual é este número? [R] b) Este número tem 9 unidades de milhar, 1 centena, 3 dezenas e 8 unidades. Qual número é este? [R] c) Este número tem 3 unidades de milhar, 6 centenas, 9 dezenas e 4 unidades. Qual número é este? [R] d) Este número tem 1 dezena, e 3 unidades. Qual número é este? [R] e) Este número tem 4 centenas, 3 dezenas, e 7 unidades. Qual número é este? [R]

55 Adição e subtração C D U 1 cédulas de 100,00 4 cédulas de 10,00 1 cédulas de 10,00 2 cédulas de 10,00 1 cédula de 10,00 2 cédulas de 1,00 7 cédulas de 1,00 8 cédulas de 1,00 Trocar 10 cédulas de 1 por uma de 10,00 e passar para a coluna das dezenas =

56 = 216 C D U 3 cédulas de 100,00-1 cédulas de 100,00 3-1=2 6 cédulas de 10,00-5 cédulas de 10,00 6-5=1 9 cédulas de 1,00-3 cédulas de 1,00 9-3=6

57 Uma adaptação desse material pode ser a sua confecção em papel quadriculado, o que ressalta o número de unidades correspondente a cada cor:

58 Problemas ou situações- problema? Noção de problema Leitura de problemas Tratamento da informação Operações envolvidas nos problemas Resolução de problemas

59 1 - SITUAÇÃO - PROBLEMA: As turmas do 1º ano A e do 1º ano B vão acampar juntas. Em cada barraca devem ficar 4 alunos. De quantas maneiras é possível ter 4 alunos por barraca, de modo que não sejam 2 da 1ª A e 2 da 1ª B? Resposta: 4 alunos do 1º ano A. 1 aluno do 1º ano A e 3 do 1º ano B. 3 alunos do 1º ano A e 1 do 1º ano B. 4 alunos do 1º ano B.

60 Lendo e interpretando Dentes Limpinhos As primeiras escovas de dentes surgiram na China por volta de Eram feitas de pelos de porco trançados em varinhas de bambu. Essas cerdas foram trocadas depois por pelos de cavalo, que não eram ainda o material ideal, pois juntavam umidade e criavam mofo. A melhor solução apareceu em 1938, quando surgiram as primeiras escovas com cerdas de nailon, usadas até hoje. Revista Recreio, n.177, 31 jul. 2003, p. 26, Editora Abril.

61 Agora, responda: a) Há quantos anos surgiram as primeiras escovas? b) As escovas feitas de pelos de porco surgiram em Quantos anos depois surgiram as escovas feitas com cerdas de nailon? c) Nos números 1498 e 1938, alguns algarismos são os mesmos. Qual é o valor relativo do algarismo 9 nesses números? d)ainda observando os números 1498 e 1938, quais algarismos têm o mesmo valor relativo?

62 Classificação e Seriação Higiene bucal 1ª Etapa: Os alunos trazem para sala de aula seu creme dental e a sua escova de dentes. 2ª Etapa: Os alunos escovam os dentes. 3ª Etapa: Em grande-grupo organizam-se em ordem alfabética, conforme a marca do seu creme dental, obedecendo a letral inicial, após listarei no quadro. 4ª Etapa: Organizam-se em grupos, conforme a marca do seu creme dental.

63 Classificação e Seriação 5ª Etapa: Organizam em grupos pelo tamanho do creme dental. Podendo também variar, organizando-se em grupos, desta vez conforme as cores de suas escovas. Para explorar a idéia de gráficos, com a classificação e seriação, deverão ser feitas algumas perguntas, como: 1. Quais as marcas dos cremes dentais utilizados? 2. Quais os tamanhos dos cremes dentais? 3. Quais a marcas mais consumidas? Após o levantamento das quantidades de cada marca de creme dental consumidas pelos alunos e das cores das suas escovas, criamos os gráficos.

64 Atividades de soma e subtração As estrelas mágicas têm a mesma soma em todas as linhas retas e o número do centro indica a soma mágica. Experimente completá-las.

CADERNO DE ATIVIDADES E JOGOS: MATERIAL DOURADO E OUTROS RECURSOS

CADERNO DE ATIVIDADES E JOGOS: MATERIAL DOURADO E OUTROS RECURSOS SECRETARIA DE EDUCAÇÃO / DIRETORIA PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE ENSINO FUNDAMENTAL CADERNO DE ATIVIDADES E JOGOS: MATERIAL DOURADO E OUTROS RECURSOS Regina Aparecida de Oliveira Assessoria Pedagógica de Matemática

Leia mais

Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu lado concreto

Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu lado concreto Universidade Severino Sombra Fundamentos Teóricos e Metodologia de Matemática 1 1 Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu

Leia mais

Material necessário Data-show, quadro branco, pincel para quadro branco, cartolinas e papel ofício.

Material necessário Data-show, quadro branco, pincel para quadro branco, cartolinas e papel ofício. OS ALGORITMOS DAS QUATRO OPERAÇÕES E SUAS RELAÇÕES COM O DINHEIRO Adalberto de Oliveira Freitas Especialista em Ensino da Matemática UFPE Jaelson Dantas de Almeida Especialista em Ensino da Matemática

Leia mais

ÍNDICE DOS CONCEITOS, RELAÇÕES E OPERAÇÕES NAS ATIVIDADES E JOGOS DO LIVRO 2 O ANO

ÍNDICE DOS CONCEITOS, RELAÇÕES E OPERAÇÕES NAS ATIVIDADES E JOGOS DO LIVRO 2 O ANO ÍNDICE DOS CONCEITOS, RELAÇÕES E OPERAÇÕES NAS ATIVIDADES E JOGOS DO LIVRO 2 O ANO Páginas 1. A ORGANIZAÇÃO E O TRATAMENTO DE INFORMAÇÕES 1.1- Através de gráficos... 2, 9, 20, 65, 116 1.2- Através de tabelas...

Leia mais

Sumário. Volta às aulas. Vamos recordar?... 7 1. Grandezas e medidas: tempo e dinheiro... 59. Números... 10. Regiões planas e seus contornos...

Sumário. Volta às aulas. Vamos recordar?... 7 1. Grandezas e medidas: tempo e dinheiro... 59. Números... 10. Regiões planas e seus contornos... Sumário Volta às aulas. Vamos recordar?... Números... 0 Um pouco da história dos números... Como os números são usados?... 2 Números e estatística... 4 Números e possibilidades... 5 Números e probabilidade...

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO Matemática Aluno (a): 2º ano: Turma: Professora: Valor: 20 pontos Nota: Conteúdos Números - Comparação entre os números. Adição e subtração. Fatos

Leia mais

Curso de Formação de Professores Classe Montessori 3 a 6 anos. Matemática. NOME DO AUTOR Florianópolis, 2013 - 1 -

Curso de Formação de Professores Classe Montessori 3 a 6 anos. Matemática. NOME DO AUTOR Florianópolis, 2013 - 1 - Curso de Formação de Professores Classe Montessori 3 a 6 anos Matemática NOME DO AUTOR Florianópolis, 2013-1 - Introdução No estudo da história da Matemática, diz-se que ela surgiu como ajuda à vida, à

Leia mais

ATIVIDADES COM MATERIAIS CONCRETOS PARA O ENSINO DAS OPERAÇÕES ARITMÉTICAS

ATIVIDADES COM MATERIAIS CONCRETOS PARA O ENSINO DAS OPERAÇÕES ARITMÉTICAS ATIVIDADES COM MATERIAIS CONCRETOS PARA O ENSINO DAS OPERAÇÕES ARITMÉTICAS Maria da Conceição Alves Bezerra mcabst@hotmail.com Universidade Federal da Paraíba UFPB VIRTUAL RESUMO: Este minicurso tem como

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Ano: 3º Nome do (a) Aluno (a): Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Componente Curricular: Matemática Professor

Leia mais

CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA 6ºANO CONTEÚDOS-1º TRIMESTRE Números naturais; Diferença entre número e algarismos; Posição relativa do algarismo dentro do número; Leitura do número; Sucessor e antecessor;

Leia mais

perguntas do tipo: Qual é a temperatura? E agora? Quantos graus desceu?

perguntas do tipo: Qual é a temperatura? E agora? Quantos graus desceu? Um termômetro muito prático, para ensinar a ler termômetro e para trabalhar com números negativos. As peças são uma base de trás pintada de preto, duas tábuas laterais entre as quais vai correr o cursor

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DE MATEMÁTICA SÉRIES INICIAIS. Abril de 2011

MATRIZ CURRICULAR DE MATEMÁTICA SÉRIES INICIAIS. Abril de 2011 MATRIZ CURRICULAR DE MATEMÁTICA SÉRIES INICIAIS 2011 Abril de 2011 1 1º ANO 1º trimestre 2º trimestre Contagem. Notação e escrita numéricas. Organização do esquema corporal. Percepção do tempo. Sequência

Leia mais

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso COLÉGIO LA SALLE BRASILIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Matemática Período:

Leia mais

ESTÁGIO EM MODALIDADES DIFERENCIADAS DE ENSINO. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais

ESTÁGIO EM MODALIDADES DIFERENCIADAS DE ENSINO. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais ESTÁGIO EM MODALIDADES DIFERENCIADAS DE ENSINO GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Renan Gabbi, UNIJUÍ, renan.matematica@yahoo.com.br Raquel Taís Breunig, UNIJUÍ,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA (ao longo do ano)

PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA (ao longo do ano) PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA (ao longo do ano) DOMÍNIOS Subdomínios / Conteúdos programáticos Metas / Descritores de desempenho Números e operações Números naturais Números racionais não negativos Compreender

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS Rosania Kasdorf Rogalsky Curitiba/PR marcos.rosania@terra.com.br JOGOS MATEMÁTICOS

JOGOS MATEMÁTICOS Rosania Kasdorf Rogalsky Curitiba/PR marcos.rosania@terra.com.br JOGOS MATEMÁTICOS JOGOS MATEMÁTICOS 1. INSPIRAÇÃO Jogo em dupla: Sete cobrinhas Fonte: Jogo extraído de: Matemática 0 a 6 anos Resolução de problemas. Organizado por Kátia S. Smole, Maria I. Diniz e Patrícia Cândido. Porto

Leia mais

Truque da Tabuada dos 9

Truque da Tabuada dos 9 Truque da Tabuada dos 9 Introdução Apresentar e fixar a tabuada dos 9 de forma lúdica com suporte linguístico resultam numa organização mais sólida dos conceitos. Esse trabalho pretende fazer com que a

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA 6º ANO "... A minha contribuição

Leia mais

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Atualizado em Prof. Rui Mano E mail: rmano@tpd.puc rio.br SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Sistemas de Numer ação Posicionais Desde quando se começou a registrar informações sobre quantidades, foram criados diversos

Leia mais

MATEMÁTICA: DESENVOLVENDO ATIVIDADES ENIGMÁTICAS COM MATEMÁGICA E LÓGICA PARA OS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MATEMÁTICA: DESENVOLVENDO ATIVIDADES ENIGMÁTICAS COM MATEMÁGICA E LÓGICA PARA OS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA: DESENVOLVENDO ATIVIDADES ENIGMÁTICAS COM MATEMÁGICA E LÓGICA PARA OS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Francisca Terezinha Oliveira Alves (UFPB) ftoalves@yahoo.com.br Luciano Moreira da Silva

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 1 MATEMÁTICA 4º ANO GEOMETRIA. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática

PLANO DE TRABALHO 1 MATEMÁTICA 4º ANO GEOMETRIA. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática PLANO DE TRABALHO 1 MATEMÁTICA 4º ANO GEOMETRIA Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Abril/2015 1 CONTEÚDOS - Poliedros: prismas e pirâmides. - Corpos Redondos: cone, cilindro

Leia mais

MATEGOGIA ENSINANDO O CÉREBRO A PENSAR MATEMATICAMENTE

MATEGOGIA ENSINANDO O CÉREBRO A PENSAR MATEMATICAMENTE MATEGOGIA ENSINANDO O CÉREBRO A PENSAR MATEMATICAMENTE 1 Rasângela Rosa Martins 2 Sandra Brenner Oesterreich 3 Jeferson Fernando de Souza Wolff RESUMO Este trabalho busca descrever oficinas de matemática

Leia mais

Processo Seletivo 2016 Conteúdo Programático - 1º ano do Ensino Fundamental

Processo Seletivo 2016 Conteúdo Programático - 1º ano do Ensino Fundamental Conteúdo Programático - 1º ano do Ensino Fundamental Avaliação do Desenvolvimento e Desempenho da Criança nos aspectos cognitivo, afetivo, socialização e psicomotor, através de atividades compatíveis com

Leia mais

EIXO/TEMA IV - TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Descritor 27 Ler informações e dados apresentados em tabelas.

EIXO/TEMA IV - TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Descritor 27 Ler informações e dados apresentados em tabelas. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA O TRABALHO COM AS HABILIDADES E OS CONTEÚDOS DOS DESCRITORES DA MATRIZ SAEB E DAS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DA MATRIZ CURRICULAR DO ESTADO DE GOIÁS CADERNO 5 Matemática

Leia mais

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso COLÉGIO LA SALLE BRASILIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Matemática Período:

Leia mais

REGRAS DOS JOGOS TRABALHADOS NO PROJETO BRINCANDO COM A MATEMÁTICA

REGRAS DOS JOGOS TRABALHADOS NO PROJETO BRINCANDO COM A MATEMÁTICA REGRAS DOS JOGOS TRABALHADOS NO PROJETO BRINCANDO COM A MATEMÁTICA 1- JOGO DAS OPERAÇÕES a) Aprendizagem: Resolver adições e subtrações em situações-problema referentes ao campo aditivo. 1 dado com os

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DO NOVO PROGRAMA DE MATEMÁTICA

PLANIFICAÇÃO ANUAL DO NOVO PROGRAMA DE MATEMÁTICA PLANIFICAÇÃO ANUAL DO NOVO PROGRAMA DE MATEMÁTICA 5º ano 2012/2013 UNIDADE: Números e Operações 1 - NÚMEROS NATURAIS OBJECTIVOS GERAIS: - Compreender e ser capaz de usar propriedades dos números inteiros

Leia mais

Os jogos nas aulas de matemática

Os jogos nas aulas de matemática UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ENCONTRO REGIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Oficina: Os jogos nas aulas de matemática Professora: Odenise Maria bezerra Natal, agosto de

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 5ª. SÉRIE, 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS

PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 5ª. SÉRIE, 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 5ª. SÉRIE, 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º BIMESTRE 1-Estrutura do ensino de numeração decimal; agrupamento e contagens; valor posicional; operações básicas; operações inversas;

Leia mais

Trabalhando com Material Dourado e Blocos Lógicos nas Séries Iniciais Karen Daltoé Sueli Strelow Maria Montessori Maria Montessori (1870-1952),

Trabalhando com Material Dourado e Blocos Lógicos nas Séries Iniciais Karen Daltoé Sueli Strelow Maria Montessori Maria Montessori (1870-1952), Trabalhando com Material Dourado e Blocos Lógicos nas Séries Iniciais Karen Daltoé Sueli Strelow Maria Montessori Maria Montessori (1870-1952), nasceu na Itália. Interessou-se pelo estudo das ciências,

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO SENTIDO NUMÉRICO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

A CONSTRUÇÃO DO SENTIDO NUMÉRICO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL A CONSTRUÇÃO DO SENTIDO NUMÉRICO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ORGANIZAÇÃO: Profa. ELIENE MÁRCIA FERNANDES OLIVEIRA ORIENTAÇÃO: Profa. Dra. ELIANE SCHEID GAZIRE A CONSTRUÇÃO DO SENTIDO NUMÉRICO NO 1º

Leia mais

M.Montessori. Fundamentação Metodológica Manuais Didáticos Programas em Níveis Avaliações Psicomotoras

M.Montessori. Fundamentação Metodológica Manuais Didáticos Programas em Níveis Avaliações Psicomotoras Educação Infantil M.Montessori Fundamentação Metodológica Manuais Didáticos Programas em Níveis Avaliações Psicomotoras Peço às queridas crianças, que tudo podem, de unirem-se a mim para a construção da

Leia mais

O JOGO E A APRENDIZAGEM

O JOGO E A APRENDIZAGEM O JOGO E A APRENDIZAGEM O JOGO E A APRENDIZAGEM Enquanto brinca, a criança amplia a sua capacidade corporal, sua consciência do outro, a percepção de si mesmo como um ser social e a percepção do espaço

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 3.º Ano - Ano Letivo 2015/2016

Plano Curricular de Matemática 3.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 Plano Curricular de Matemática 3.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 1.º Período Conteúdos Programados Previstas Dadas Números e Operações Utilizar corretamente os numerais ordinais até vigésimo. Ler e representar

Leia mais

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS ISSN 2177-9139 O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS Morgana Fernandes da Silva 1 morganaf60@gmail.com Faculdades Integradas de Taquara,

Leia mais

Índice. 1. Blocos Lógicos e Material Dourado - Continuação...3. 2. Séries e Sequências...4 3. Espaço e Forma...5. 1.1. Material Dourado...

Índice. 1. Blocos Lógicos e Material Dourado - Continuação...3. 2. Séries e Sequências...4 3. Espaço e Forma...5. 1.1. Material Dourado... GRUPO 5.4 MÓDULO 17 Índice 1. Blocos Lógicos e Material Dourado - Continuação...3 1.1. Material Dourado... 3 2. Séries e Sequências...4 3. Espaço e Forma...5 2 1. BLOCOS LÓGICOS E MATERIAL DOURADO - CONTINUAÇÃO

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO INTERVENÇÃO NA REALIDADE DA ESCOLA PARCEIRA NO CONTEXTO DO PIBID DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO INTERVENÇÃO NA REALIDADE DA ESCOLA PARCEIRA NO CONTEXTO DO PIBID DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO INTERVENÇÃO NA REALIDADE DA ESCOLA PARCEIRA NO CONTEXTO DO PIBID DE MATEMÁTICA Vinicius A. S. Guissi vinnyguissi@hotmail.com Thays R. S. Couto couto_thays@hotmail.com Paulo H.

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo TIPO F P-2 tipo D-5 Matemática (P-2) Ensino Fundamental 5º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avaliar o desempenho dos alunos do 5

Leia mais

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática.

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática. O USO DO MATERIAL CONCRETO NO ENSINO DA MATEMÁTICA Francisca Marlene da Silva Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Déborah Almeida Cunha Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Aline Araújo da Silva Graduanda-FECLESC/UECE

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 12, Toledo PR Fone: 277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA SÉRIE: PRÉ I PROFESSOR: Carla Iappe

Leia mais

Recursos de apoio ao processo de ensino e aprendizagem da matemática

Recursos de apoio ao processo de ensino e aprendizagem da matemática Recursos de apoio ao processo de ensino e aprendizagem da matemática Carla Alves, cmca@ipb.pt Escola Superior de Educação de Bragança Carlos Mesquita Morais, cmmm@ipb.pt Escola Superior de Educação de

Leia mais

Responsáveis: Fernando Celso Villar Marinho e Rita Maria Cardoso Meirelles DOMINÓ DAS FRAÇÕES COM O USO DO TANGRAM

Responsáveis: Fernando Celso Villar Marinho e Rita Maria Cardoso Meirelles DOMINÓ DAS FRAÇÕES COM O USO DO TANGRAM FORMAÇÃO CONTINUADA DE DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RJ SUCESSO ESCOLAR SUPORTE DIDÁTICO PARA IMPLEMENTAÇÃO DA REORIENTAÇÃO CURRICULAR Matemática Pólo Rio de Janeiro Responsáveis:

Leia mais

Conhecer melhor os números

Conhecer melhor os números A partir do Currículo Nacional de Matemática do 7º ano de escolaridade desenvolvem-se actividades com recurso ao computador utilizando essencialmente Excel e Geogebra Conhecer melhor os números Esta unidade

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo F- TIPO D-7 Matemática (P-2) Ensino Fundamental 7º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avaliar o desempenho dos alunos do 7 o ano das

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O USO DO MATERIAL DOURADO NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: ANOTAÇÕES DE ESTÁGIO

REFLEXÕES SOBRE O USO DO MATERIAL DOURADO NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: ANOTAÇÕES DE ESTÁGIO REFLEXÕES SOBRE O USO DO MATERIAL DOURADO NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: ANOTAÇÕES DE ESTÁGIO Ednaid Santos Faria 1 Tayná da Silva Vieira 2, Janaína de Azevedo Corenza 3 1 IFRJ/ednaidrja@hotmail.com

Leia mais

Peças 3879 - Meu Castelo 3D

Peças 3879 - Meu Castelo 3D Apresentação Castelo 3D 64 Peças 3879 - Meu Castelo 3D - Peças em madeira (Com adesivos para colar) - Jogo estimulante que auxilia no desenvolvimento da coordenação motora, associação de ideias e raciocínio

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ MATEMÁTICA

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ MATEMÁTICA CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ MATEMÁTICA 1. IDENTIDADE DO COMPONENTE CURRICULAR O domínio básico do significado simbólico

Leia mais

Planejamento Anual 2014 Matemática 1º período 3º ano - Ensino Fundamental I. Reconhecer a necessidade de contar no cotidiano.

Planejamento Anual 2014 Matemática 1º período 3º ano - Ensino Fundamental I. Reconhecer a necessidade de contar no cotidiano. COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Planejamento Anual 2014 Matemática

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DOS MATERIAIS MANIPULATIVOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DOS MATERIAIS MANIPULATIVOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DOS MATERIAIS MANIPULATIVOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA Alan Kardec Carvalho Sarmento UFPI - Universidade Federal do Piauí Alka.sac@hotmail.com RESUMO Durante muito tempo o ensino de Matemática

Leia mais

Simulado OBM Nível 1. Gabarito Comentado

Simulado OBM Nível 1. Gabarito Comentado Simulado OBM Nível 1 Gabarito Comentado Questão 1. Renata digitou um número em sua calculadora, multiplicou-o por 3, somou 12, dividiu o resultado por 7 e obteve o número 15. O número digitado foi: a)

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS LÓGICOS

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS LÓGICOS 1 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS LÓGICOS SISTEMA NUMÉRICO PROF. ANDRÉ MONTEVECCHI ANDRE.MONTEVECCHI@PROF.UNIBH.BR 19/02/2014 Prof. André Montevecchi / Profa. Anna Tostes 2 SUMÁRIO Sistemas Numéricos Notação Posicional

Leia mais

Crianças e números. Senso numérico. Vamos fazer uma experiência. Observe as figuras : Onde há mais pessoas? Agora veja estas figuras :

Crianças e números. Senso numérico. Vamos fazer uma experiência. Observe as figuras : Onde há mais pessoas? Agora veja estas figuras : Senso numérico Crianças e números Vamos fazer uma experiência. Observe as figuras : Onde há mais pessoas? Agora veja estas figuras : Em qual dos dois casos foi mais fácil perceber onde há mais pessoas?

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular: 1º ciclo Ano de escolaridade: 3º ano Área Curricular: MATEMÁTICA Ano letivo:2015/2016 Perfil do aluno à saída do 1º ciclo: Participar na vida sala de aula, da escola e da comunidade

Leia mais

Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br. Jogos Matemáticos

Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br. Jogos Matemáticos Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Jogos Matemáticos 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Torre de Hanói... 3 3. Dominó... 5 4. Baralho...... 6 5. Bingo... 7 6. Poliminó... 7 7. Soma 10... 8 8. Tabuleiro

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

O TRABALHO COM OS FATOS FUNDAMENTAIS MULTIPLICATIVOS

O TRABALHO COM OS FATOS FUNDAMENTAIS MULTIPLICATIVOS 1 O TRABALHO COM OS FATOS FUNDAMENTAIS MULTIPLICATIVOS Cláudia Queiroz Miranda Secretaria de Educação do Distrito Federal webclaudia33@gmail.com Verônica Larrat Secretaria de Educação do Distrito Federal

Leia mais

Projeto Pré-Requisitos 6º Ano

Projeto Pré-Requisitos 6º Ano Caro aluno Colégio Militar de Curitiba Este Caderno de Apoio à Aprendizagem em Matemática foi produzido para você com o objetivo de colaborar com seus estudos. Ele apresenta uma série de atividades a serem

Leia mais

Sequência (Níveis) na medida de área

Sequência (Níveis) na medida de área Sequência (Níveis) na medida de área Comparação A: Decalques da mão Rectângulo e triângulo Sobreposição das mãos Unidades não Estandardizadas Unidades Estandardizadas Concreto Representacional Símbólico

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais Podcast Área Matemática Segmento Ensino Fundamental Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos Duração 6min32seg

Leia mais

Conteúdos Programáticos Bolsão 2016. Centro Educacional Apogeu ENSINO FUNDAMENTAL I. Conteúdo para ingresso no 2 o ano

Conteúdos Programáticos Bolsão 2016. Centro Educacional Apogeu ENSINO FUNDAMENTAL I. Conteúdo para ingresso no 2 o ano Conteúdos Programáticos Bolsão 2016 Centro Educacional Apogeu ENSINO FUNDAMENTAL I Conteúdo para ingresso no 2 o ano LÍNGUA PORTUGUESA: Alfabeto (maiúsculo e minúsculo); vogal e consoante; separação silábica;

Leia mais

Oficina Porcentagem e Juros

Oficina Porcentagem e Juros Oficina Porcentagem e Juros Esta oficina está dividida em duas partes. A primeira consiste em uma breve revisão, de caráter mais teórico, sobre o conceito de porcentagem e juros. Na segunda parte, os alunos

Leia mais

JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL

JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Adriana de Bortoli FAER- Faculdade Ernesto Riscali dribortoli@zipmail.com.br INTRODUÇÃO Este trabalho é resultado de um minicurso que ministramos no 1 Colóquio

Leia mais

Apresentação do projeto:

Apresentação do projeto: Apresentação do projeto: Este projeto tem o intuito do conhecimento global do ser humano: conhecendo seu corpo, ampliando conceitos de higiene e saúde, descobrindo que o indivíduo está presente em todas

Leia mais

LEONARDO DE ARAUJO CASANOVA

LEONARDO DE ARAUJO CASANOVA LEONARDO DE ARAUJO CASANOVA CARTILHA DE ATIVIDADES PARA PROFESSORES QUE TRABALHAM COM A EDUCAÇÂO DE JOVENS E ADULTOS. PARA PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL. Orientadora: Profa. Dra. Estela

Leia mais

Programas Referenciais do 1º ciclo do Ensino Recorrente. Programa Referencial de MATEMÁTICA INTRODUÇÃO

Programas Referenciais do 1º ciclo do Ensino Recorrente. Programa Referencial de MATEMÁTICA INTRODUÇÃO Programa Referencial de MATEMÁTICA INTRODUÇÃO 1. Finalidades A Matemática intervém, em quase todas as actividades humanas do quotidiano, quer como instrumento para resolução de situações problemáticas,

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PROJETO MUNDO ENCANTADO DOS NÚMEROS SÉRIE: PRÉ I PROFESSORAS:

Leia mais

centena dezena unidade 10 2 10 1 10 0 275 2 7 5 200 + 70 + 5 275

centena dezena unidade 10 2 10 1 10 0 275 2 7 5 200 + 70 + 5 275 A. Sistemas de Numeração. Para se entender a linguagem do computador (o Código de Máquina), é necessário conhecer um pouco da teoria dos números. Não é uma tarefa tão difícil quanto pode parecer. Sabendo-se

Leia mais

Volta às aulas. A Matemática está presente em diversos momentos da nossa vida, por exemplo, quando brincamos.

Volta às aulas. A Matemática está presente em diversos momentos da nossa vida, por exemplo, quando brincamos. UNIDADE Volta às aulas A Matemática está presente em diversos momentos da nossa vida, por exemplo, quando brincamos. Como as crianças da cena estão aproveitando o 1 o dia de aula? Converse com os colegas.

Leia mais

Coordenadoria de Educação III CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO. Matemática aluno CICLO

Coordenadoria de Educação III CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO. Matemática aluno CICLO Coordenadoria de Educação III CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO Matemática aluno CICLO CICLO Caderno 3 Atividade 3 Coordenadoria de Educação Eduardo Paes Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro Profª Claudia Costin

Leia mais

Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico 2009-2010. Tarefa: As roupas do Tomás

Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico 2009-2010. Tarefa: As roupas do Tomás Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico 2009-2010 Tarefa: As roupas do Tomás ESE/IPS 8 de Julho de 2010 Enquadramento Curricular: Tema: Números

Leia mais

APLICAÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL: UTILIZANDO O ÁBACO NO ENSINO FUNDAMENTAL

APLICAÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL: UTILIZANDO O ÁBACO NO ENSINO FUNDAMENTAL APLICAÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL: UTILIZANDO O ÁBACO NO ENSINO FUNDAMENTAL Wallery de Melo Silva 1 Universidade Católica de Brasília RESUMO Este estudo visa despertar nos futuros professores de

Leia mais

SUGESTÃO DE PLANEJAMENTO 1 º BIMESTRE JARDIM II EDUCAÇÃO INFANTIL

SUGESTÃO DE PLANEJAMENTO 1 º BIMESTRE JARDIM II EDUCAÇÃO INFANTIL [ SUGESTÃO DE PLANEJAMENTO 1 º BIMESTRE JARDIM II EDUCAÇÃO INFANTIL 1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana (novidades/curiosidades sobre as férias / adaptação).. Produção Oral. Falando sobre a Família.

Leia mais

Setor de Educação de Jovens e Adultos FUNDAÇÃO BRADESCO

Setor de Educação de Jovens e Adultos FUNDAÇÃO BRADESCO Setor de Educação de Jovens e Adultos FUNDAÇÃO BRADESCO Coletânea de Jogos e Materiais Manipuláveis SUMÁRIO 1 Apresentação 3 2 Contribuição dos jogos para o ensino da Matemática 4 3 Coletânea 5 3.1 Eixo:

Leia mais

Metas Curriculares do Ensino Básico Matemática 1.º Ciclo. António Bivar Carlos Grosso Filipe Oliveira Maria Clementina Timóteo

Metas Curriculares do Ensino Básico Matemática 1.º Ciclo. António Bivar Carlos Grosso Filipe Oliveira Maria Clementina Timóteo Metas Curriculares do Ensino Básico Matemática 1.º Ciclo António Bivar Carlos Grosso Filipe Oliveira Maria Clementina Timóteo Números e Operações Contar até cem, mil,... Descodificar o sistema de numeração

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016 1º Trimestre Domínios Números e Operações Números naturais Contar até cinco Correspondências

Leia mais

www.sbem.com.br/files/ix_enem/poster/trabalhos/po17270170487t.doc - acessado em 17/10/2008

www.sbem.com.br/files/ix_enem/poster/trabalhos/po17270170487t.doc - acessado em 17/10/2008 www.sbem.com.br/files/ix_enem/poster/trabalhos/po17270170487t.doc - acessado em 17/10/2008 MATERIAIS DIDÁTICOS E AULA DE MATEMÁTICA Lialda B. Cavalcanti 1, José de A. Rocha 2 José de Melo Lima 3, Cristiane

Leia mais

Simulado OBM Nível 2

Simulado OBM Nível 2 Simulado OBM Nível 2 Gabarito Comentado Questão 1. Quantos são os números inteiros x que satisfazem à inequação? a) 13 b) 26 c) 38 d) 39 e) 40 Entre 9 e 49 temos 39 números inteiros. Questão 2. Hoje é

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA MATEMÁTICA 2.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA MATEMÁTICA 2.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA MATEMÁTICA 2.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados na

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS / ATIVIDADES PEDAGÓGICAS Processo Seletivo 2016 para Ensino Fundamental e Ensino Médio

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS / ATIVIDADES PEDAGÓGICAS Processo Seletivo 2016 para Ensino Fundamental e Ensino Médio / ATIVIDADES PEDAGÓGICAS 1º Ano do Ensino Fundamental (Alunos concluintes do 2º Período da Educação Infantil) Escrita do nome completo; Identificar e reconhecer as letras do alfabeto; Identificar e diferenciar

Leia mais

Oficina: Trabalhando com o Material concreto: Escala Cuisenaire

Oficina: Trabalhando com o Material concreto: Escala Cuisenaire Oficina: Trabalhando com o Material concreto: Escala Cuisenaire Um bom ensino da Matemática, forma melhores hábitos de pensamento e habilita o indivíduo a usar melhor a sua inteligência (Irene de Albuquerque)

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 INICIANDO O EXCEL Para abrir o programa Excel,

Leia mais

PLANOS DE TRABALHO MATEMÁTICA 2º ANO

PLANOS DE TRABALHO MATEMÁTICA 2º ANO PLANOS DE TRABALHO MATEMÁTICA 2º ANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Março/2014 PLANO DE TRABALHO - 2º ANO CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Geometria: -

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS. 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS. 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio I ORIENTAÇÕES GERAIS a) As famílias que desejarem conhecer a Escola e inscrever seus filhos para o processo

Leia mais

MATEMÁTICA REVISÃO 1 INTERATIVIDADE AULA: 45 REVISÃO E AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA

MATEMÁTICA REVISÃO 1 INTERATIVIDADE AULA: 45 REVISÃO E AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA REVISÃO 1 REVISÃO 2 AULA: 45 REVISÃO E AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA 2 FUTEBOL 3 Números Pares e ímpares Por que o capitão do time azul ganhou a brincadeira do par ou ímpar? Percebemos que o capitão do time

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016 DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual / Critérios de avaliação Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos Metas de Aprendizagem Estratégias/

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO 4º PERÍODO/2015 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO 4º PERÍODO/2015 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO 4º PERÍODO/2015 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL LÍNGUA PORTUGUESA (Unidades 1, 2, 3 e 4) Gêneros Poema Crônica História em quadrinhos Conto de fadas Conto maravilhoso História de

Leia mais

3 Sistemas de Numeração:

3 Sistemas de Numeração: 3 Sistemas de Numeração: Os computadores eletrônicos têm como base para seu funcionamento a utilização de eletricidade. Diferente de outras máquinas que a presença ou ausência de eletricidade apenas significam

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PREFEITO WILLIAMS DE SOUZA ARRUDA PROFESSOR: PEDRO ROMÃO BATISTA COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PREFEITO WILLIAMS DE SOUZA ARRUDA PROFESSOR: PEDRO ROMÃO BATISTA COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PREFEITO WILLIAMS DE SOUZA ARRUDA PROFESSOR: PEDRO ROMÃO BATISTA COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA PLANOS DE CURSO PARA 6º E 7º ANOS Campina Grande, 2011 -

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI. Plano de aula 6 21/05 e 28/05 de 2015 Atividades de reforço

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI. Plano de aula 6 21/05 e 28/05 de 2015 Atividades de reforço ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI Plano de aula 6 21/05 e 28/05 de 2015 Atividades de reforço Bolsistas: Andressa Santos Vogel e Patricia Lombello Supervisora:

Leia mais

PROJETO : Jogando e aprendendo com a matemática

PROJETO : Jogando e aprendendo com a matemática Prefeitura Municipal de Rafael Jambeiro Secretaria de Educação PROJETO : Jogando e aprendendo com a matemática Área: Matemática Elaborado por : Cristiane M. Rios Coordenadora da SME 1.Apresentação Ensinar

Leia mais

REGIANE PEREA CARVALHO A LITERATURA INFANTIL E A MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5 E 6 ANOS DE IDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL

REGIANE PEREA CARVALHO A LITERATURA INFANTIL E A MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5 E 6 ANOS DE IDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC/SP REGIANE PEREA CARVALHO A LITERATURA INFANTIL E A MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5 E 6 ANOS DE IDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL MESTRADO PROFISSIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC RELATÓRIO SUCINTO: MÊS JUNHO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC RELATÓRIO SUCINTO: MÊS JUNHO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC 1. Dados do Município ou GERED a) Município: FLORIANÓPOLIS b)município/gered: SECRETARIA MUNICIPAL RELATÓRIO

Leia mais

GUIA DE APLICAÇÃO MATEMÁTICA TESTE 1

GUIA DE APLICAÇÃO MATEMÁTICA TESTE 1 GUIA DE APLICAÇÃO MATEMÁTICA TESTE 1 2012 ELABORAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) COLABORADORES Ministério

Leia mais

TANGRAM COM INTERDISCIPLINARIDADE

TANGRAM COM INTERDISCIPLINARIDADE TANGRAM COM INTERDISCIPLINARIDADE Josivaldo de Souza Brito UFRPE/LACAPE Jsouzabrito@aol.com Josinalva Estacio Menezes UFRPE/UFRN jomene@ufrpe.br 1. Introdução Breve histórico Este jogo foi trazido da China

Leia mais

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO MARIA DE NAZARETH MACHADO DE BARROS VASCONCELLOS COORDENADORIA

Leia mais

Prova de Aferição de Matemática

Prova de Aferição de Matemática PROVA DE AFERIÇÃO DO ENSINO BÁSICO A PREENCHER PELO ALUNO Nome A PREENCHER PELO AGRUPAMENTO Número convencional do Aluno Número convencional do Aluno A PREENCHER PELA U.A. Número convencional do Agrupamento

Leia mais

COLÉGIO SETE DE SETEMBRO

COLÉGIO SETE DE SETEMBRO COLÉGIO SETE DE SETEMBRO Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso Reconhecido pela Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Credenciado pela Resolução n CEE 29/2006 D.O.

Leia mais

Universidade Severino Sombra. Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Mestrado Profissional em Educação Matemática RODRIGO RODRIGUES DIAS

Universidade Severino Sombra. Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Mestrado Profissional em Educação Matemática RODRIGO RODRIGUES DIAS Universidade Severino Sombra Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Educação Matemática RODRIGO RODRIGUES DIAS CADERNO DE ATIVIDADES RELACIONADOS A CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO GEOMÉTRICO

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Aula 3 - Sistemas de Numeração

Aula 3 - Sistemas de Numeração UEM Universidade Estadual de Maringá DIN - Departamento de Informática Disciplina: Fundamentos da Computação Profª Thelma Elita Colanzi Lopes thelma@din.uem.br Aula 3 - Sistemas de Numeração O ser humano,

Leia mais