Gestão na rede: o bloqueio do youtube

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão na rede: o bloqueio do youtube"

Transcrição

1 Gestão na rede: o bloqueio do youtube Débora Corrêa Chama 1 Resumo Através deste texto, os estudiosos da área de comunicação - especialmente aqueles interessados nas questões que emergem com as práticas na rede mundial de computadores - poderão encontrar subsídios para reflexões e debates com respeito à liberdade de ciberexpressão. Até que ponto existe uma ameaça às normas sociais de convivência? Há necessidade de elaboração de novas leis que alcancem a realidade virtual? A Internet deve ser um espaço de total liberdade de manifestação? O que pensam gestores da Internet e formadores de opinião no país e no mundo? Estas questões são pertinentes, uma vez que as ocorrências envolvendo a exposição das pessoas na rede vêm aumentando de forma considerável, como é o caso do bloqueio do site YouTube, após ação judicial movida pela apresentadora e modelo Daniela Cicarelli e por seu namorado, Tato Malzoni, objeto de atenção deste estudo. Palavras-chave: controles. internet. liberdade de expressão 1 Internet e controles Quem acessa a Internet hoje, se depara com os mais diversos temas, informações, imagens e conhecimento. Os grandes sites, dispostos a atrair a atenção de um número cada vez maior de internautas, vêm utilizando recursos como imagens, sons, vídeos, entrevistas em tempo real, entre outros, para divulgações de privacidade de pessoas famosas. Os próprios internautas, por sua iniciativa, divulgam, cada vez mais, imagens pessoais e confissões íntimas no Orkut ou em blogs/fotoblogs. O tema do controle na rede vem ganhando espaço nas discussões acadêmicas e políticas, levantando questões como: Deve haver limites à exposição na rede? Que Internet queremos para nossa sociedade? Este debate parece estar apenas no início. As preocupações com respeito à confidencialidade e integridade das informações veiculadas na rede mundial de computadores têm levado alguns países, incluindo o Brasil, a colocarem em pauta, no âmbito do poder legislativo, a questão da segurança e das práticas abusivas na rede. É de autoria do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), o projeto sobre crimes cibernéticos que estabelece a obrigatoriedade de identificação dos usuários na rede. No entanto, este projeto, após causar polêmica no Congresso e várias discussões veiculadas nos principais jornais do país, acabou sendo retirado de votação em novembro de 2006 para que se pudesse modificar alguns pontos do projeto que não 1 Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp-Bauru.

2 encontraram respaldo para serem votados, especialmente no que se refere à identificação dos internautas. O matemático e cientista da computação americano Vinton Cerf, idealizador da Internet e criador dos protocolos que deram origem a toda a rede de computadores, expressou suas preocupações com respeito às essas questões envolvendo a segurança da comunicação e outras práticas que podem tornar-se abusivas. De acordo com Vinton 2, a Internet precisa evoluir para desenvolver novas formas de tratar tais questões. O problema é definir uma política que possa gerir todo este conjunto de informações, conhecimento e entretenimento, conciliando o respeito à liberdade de expressão. Em todo o mundo, estudiosos de todos os campos do conhecimento têm sua atenção voltada à expansão da cibercultura e seus efeitos no tecido social. Há os estudiosos otimistas, como Levy (2000) 3, que acreditam nas possibilidades abertas pelo ciberespaço em direção a um futuro promissor, no qual a humanidade terá a sua disposição uma enorme inteligência e um grande cérebro do mundo. Outros, como Kerchove (1995, p.113), são cautelosos e consideram, em seus estudos, a complexidade das relações na era da comunicação eletrônica, em que as fronteiras entre o público e o privado, o local e o global esmaeceram, pois os Estadosnação estão se integrando em outro nível histórico, no qual as formas tradicionais de identidade estão ameaçadas. Este autor também percebe o impacto do avanço das telecomunicações nas diferentes culturas, avaliando a importância da globalização na expansão das fronteiras culturais - criando uma nova cultura mundial - porém, identificando o problema da necessidade de preservar a regionalização, a manutenção das identidades e do sentimento de unidade, essenciais para manter um país ou uma empresa. 2 Era digital A rede mundial de computadores, representada pela Internet, tem possibilitado as mais diversas manifestações individuais e coletivas, desde seu início, na década de 90. Temos, portanto, uma revolução de aproximadamente 15 anos e um impacto transformacional equivalente a um século. 2 Entrevista concedida ao Jornal Folha de S.Paulo, suplemento Mais em 29/02/ Disponível em:

3 Mattelart (2000, p ), buscou em alguns de seus estudos, os antecedentes dos debates que deram sentido ao conceito de sociedade da informação. O sociólogo americano Daniel Bell, em 1979, foi o precursor da terminologia que denomina o novo tipo de sociedade baseada na informação, que para ele significa a estocagem, transmissão e o tratamento dos dados enquanto base de todas as trocas econômicas e sociais. Bell classifica a informação em três categorias: registro, programas e bibliotecas/demografia. Na categoria registro, inclui os seguros sociais, as operações bancárias e os créditos. Programas incluem reserva de passagens aéreas, planos de produção e elaboração de inventários, enquanto a categoria bibliotecas/ demografia abriga recenseamentos, pesquisas de opinião, estudos de mercado, boletins eleitorais, entre outros. A análise de Bell considera o conceito de desmaterialização do trabalho, num tipo de sociedade em que o valor do conhecimento substitui o valor propriamente dito. Tofler, especialista em previsões e cenários, já antecipava em 1980, uma sociedade completa, de cadência muito rápida, que repousaria sobre uma tecnologia extremamente avançada e um sistema de valores pós-materialista. Brzezinski, em fins da década de 60, também previu uma unificação acelerada do mundo, uma expansão das redes de informação e comunicação, tendo como o paísfarol (no sentido de iluminar este novo mundo) os Estados Unidos da América, pelo fato de este país comunicar-se mais do que qualquer outro (65% das comunicações mundiais passam por este país). No âmbito individual, as mudanças culturais também se manifestam velozmente e ultrapassam as fronteiras nacionais, globalizando costumes, experiências e, infortunadamente, violações de privacidade. Para Castells (1999, p.497), vivemos em uma sociedade em rede, que se tornou a atual forma de organização dessa sociedade, tendo como principal ingrediente de sua estrutura social a informação, e cujo encadeamento básico é realizado pelas redes, interconectadas através de um fluxo de imagens e de mensagens. De acordo com sua teoria, redes são sistemas abertos, dinâmicos, incorporam inovações desde que não sejam ameaças a seu equilíbrio e são capazes de suplantar o espaço e invalidar o tempo. A base material dessa nova configuração social está sendo remodelada a partir de uma revolução tecnológica concentrada nas tecnologias da informação, desde o final do século XX. Foram criadas novas relações econômicas, impulsionadas por uma

4 revolução tecnológica que tornaram as economias interdependentes globalmente, por todo o mundo. A economia fundamentada na informação conseguiu instalar-se em países culturalmente muito diferentes, acentuando seu caráter global. Por conseqüência mudaram também, além das relações econômicas entre empresas e países, as relações entre Economia, Estado e Sociedade, ocasionando drásticas mudanças sociais, tais como: sistemas políticos em crise de legitimidade, declínio da influência dos movimentos sociais, fim do emprego estável e aumento do emprego temporário, novo sistema de comunicação com linguagem digital/universal, novos fluxos de riquezas, imagens e de poder, inclusão das mulheres na força de trabalho e diminuição do Estado do Bem Estar Social. A emergência da Internet, a partir da ARPANET em 1960, nos Estados Unidos, impulsionou sobremaneira a microinformática e as engenharias com intenção comunicacional. Um sem número de transformações está a gerar um novo mundo, no qual a identidade pessoal se caracteriza, cada vez mais, pelo isolamento e enfraquecimento do sentido de pertença coletivo. O resultante de todos esses processos é uma sociedade caracterizada por uma estrutura social dominante, que é de rede, de economia globalizada com base informacional e culturalmente marcada pela crescente virtualização das relações sócioeconômicas, na qual as noções de tempo e espaço são redefinidas em função dos fluxos de informação, e não mais com relação ao passado e ao futuro. Castells (1999, p.111) argumenta ainda, que a globalização dos processos econômicos e até mesmo culturais é um grande movimento de conexão de tudo o que vale para a razão instrumental de mercado e ao mesmo tempo, de desconexão com tudo o que não vale para essa razão. O papel da tecnologia é fundamental no tocante à globalização. Segundo Castells, Harvey brooks e Daniel Bell (Castells, 1999, p. 49), a tecnologia deve ser entendida, enquanto uso de conhecimentos científicos para especificar as vias de se fazerem as coisas de uma maneira reproduzível, com potencial de expansão muito grande, pois possui capacidade de criar interface entre campos tecnológicos mediante uma linguagem digital comum, na qual a informação é gerada, armazenada, recuperada, processada e transmitida. O seu uso atual é potencializado, pois se realimenta pelo seu uso adicionado a mais inovação, criando dessa maneira, o chamado círculo virtuoso, no qual a tecnologia ao transformar a informação, age sobre todos os domínios da atividade humana possibilitando conexões infinitas entre diferentes domínios, entre elementos e agentes de tais atividades.

5 Nesse contexto tecnológico, o usuário da tecnologia digital pode se tornar também criador, e assim Castells (1999, p.51) nos diz que (...) pela primeira vez na história a mente humana é uma força direta de produção e não apenas um elemento decisivo no processo produtivo. O avanço dessa tecnologia digital se faz notar em todas as dimensões da vida social: da agricultura aos serviços, dos crimes à religião, da medicina ao curandeirismo, da ciência às loterias: tudo pode se interligar na rede, e, fora dela, milhões de pessoas, a maioria da população mundial, aparentemente não se encontra submetida aos seus ditames, pelo menos não se pensarmos em termos de inclusão digital 4. A questão da aceleração do tempo conjugada à quantidade cada vez maior de informações e à globalização, todavia, inclui a todos os indivíduos à mesma condição de vida planetária: seres viventes na era da comunicação digital. A vida na era da comunicação digital pode ser caracterizada, segundo Cebrian, como sendo um ambiente altamente conectivo: O resultado, em cerca de um par de décadas, será o de que um cidadão ativo de qualquer país desenvolvido encontrar-se-á ligado a esse universo por um cabo ou uma antena parabólica ou por um terminal sem fio junto de um repetidor. Graças a essas ligações poderá sentir-se membro de uma comunidade ampliada e, muitas vezes, virtual, com limites geográficos difusos ou inexistentes, hierarquias sociais a serem estabelecidas e normas a serem regulamentadas. (Cebrian, 1998, p. 47) A era digital encontrou sua perfeita combinação com a pós-modernidade. Com o crescimento populacional e o enfraquecimento das principais categorias definidoras da era moderna, o operariado e os capitalistas, estes últimos acabaram cedendo lugar a sistemas econômicos flexíveis e instáveis, enquanto os primeiros tornam-se sujeitos isolados na pós-modernidade, cada vez mais solitários em sua vida individualizada, de valores fluídos, informações abundantes e tempo veloz. A era pós-moderna, como a apresenta Baudrillard (1993, p.33), dissolve o vínculo social fazendo com que o coletivo se transforme em uma massa composta de átomos individuais, que segundo ele, são capazes de trocar facilmente uma manifestação política importante por um jogo de futebol na televisão. 4 No Brasil, somente 20% da população têm computador em casa e 13% têm acesso à Internet de casa, segundo dados da 2ª Pesquisa sobre uso da Tecnologia da Informação e da Comunicação no Brasil (TIC 2006).

6 3 Uma nova identidade? A globalização, como um todo, entendida em seus aspectos culturais e econômicos, coloca ao indivíduo inúmeras opções de consumo tanto de idéias quanto de produtos. Diante do paradoxo da expansão populacional, por um lado, e da fragmentação das famílias, por outro, o indivíduo percebe-se em um mundo cada vez mais imprevisível, e, portanto, inseguro. De acordo com Castells (2002, p. 25), a construção da identidade pelo sujeito tem sido uma das formas de resistência à fragmentação advinda dos efeitos globais. Essa identidade se define pelo reconhecimento desse sujeito enquanto ser com determinados atributos culturais construídos de modo a significar algo para si e para os outros. Tedesco (2002, p.74) considera a questão da construção da identidade um processo transformado de maneira substancial em nossos dias. Para ele, tradicionalmente a construção da identidade passava inicialmente pela família, na denominada socialização primária para ser complementada em seguida pela escola, a socialização secundária. Hoje a família não é mais capaz de realizar essa socialização primária. Com a entrada da mulher/mãe no mercado de trabalho e a remodelação das famílias, o cumprimento desta tarefa fica a cargo de outras instâncias, como a escola e a mídia.. É claro, que, em decorrência disto, a socialização primária não se cumpre, ao menos não como anteriormente. E o resultado disso, no campo social, são novas visões de mundo, novas relações com as instâncias coletivas e o enfraquecimento do sentido de pertencer a algo, seja à uma religião, à uma cidade ou à uma nação. A solidão do indivíduo incluído digitalmente é, muitas vezes, minimizada por sua relação com a Internet, que pode lhe propiciar uma segunda identidade, por vezes, muito mais interessante que a identidade real da pessoa. E se essa identidade cibernética lhes parece mais divertida, que dirá a imagem das celebridades na rede, ou como definiu Lopes, das personas midiáticas: As personas midiáticas são estes seres que povoam os corações e mentes contemporâneas. Misto de deuses e pessoas reais, elas vestem uma máscara para o consumo público. Os interesses que movem estes seres diáfanos não lhes pertencem. Apesar do dinheiro e da fama que portam, eles não são donos de suas vidas e precisam conviver com a estranheza da duplicidade de seus egos e histórias pessoais. Os investimentos na construção das personas é muito lucrativo, portando a razão instrumental do capital. Entretanto, não se pode construir estes seres impunemente. Eles acabam ganhando uma soturna autonomia relativa aos negócios envolvidos, sendo apropriados pelos

7 consumidores como deuses ou santos que desceram à Terra e que poderão os levar aos céus. (LOPES, 2005, p. 1) É este o caso de Daniela Cicarelli, desde seu casamento com o craque de futebol Ronaldo, como analisa o autor: Cicarelli, mineira de nascimento, antes de virar a madame fenômeno, já era conhecida do grande público como modelo e 'atriz' de várias peças publicitárias de sucesso. Portanto, não é fato que o casamento a tenha transformado em midiática. Certamente, o namoro e o matrimônio potencializaram e abriram ao mundo suas possibilidades de trabalho. Antes, ela já era do panteão das 'famosas', sendo já conhecida como objeto obscuro do desejo de milhões de adolescentes e marmanjos brasileiros. Antes de ser a senhora Ronaldo, a modelo circulava no jet set freqüentado por empresários ricos e modelos famosas. Sua imagem era recorrente nas mídias, pouco se sabendo de sua história pessoal. (LOPES, 2005, p. 1) Da condição de senhora Ronaldo, a modelo Daniela Cicarelli, após um conturbado período conjugal, passou a ser novamente apenas a celebridade Cicarelli, após a comentada separação do casal. O fato mais recente envolvendo a modelo foi a exibição de um vídeo, realizado por um fotógrafo paparazzi, no site do Youtube, em 2006, no qual a modelo e seu namorado, o empresário Tato Malzoni, namoravam, livres de qualquer inibição, em uma praia espanhola. A recente exposição de sua intimidade neste site e o bloqueio do mesmo pelo poder judiciário brasileiro tornaram-se substância combustível para a retomada do debate sobre a legitimidade ou não do estabelecimento de controles na rede. 4 Repercussões: o YouTube e Daniela Cicarelli O bloqueio do site YouTube foi determinado por liminar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, após uma ação movida por Daniela Cicarelli e Tato Malzoni, fato que ocasionou reclamações de um grande número de internautas. As reclamações fizeram com que, em alguns dias, o juiz responsável pela determinação, Ênio Santarelli Zulianio, solicitasse o restabelecimento do acesso ao YouTube, excluindo a exibição do conteúdo que suscitou a demanda judicial. 5 Os argumentos a favor da proibição, que partem na maioria das vezes de juristas, desembargadores e promotores, consideram que a esfera digital não deve estar à parte 5 De acordo com MONACHESI, Juliana, jornal Folha de São Paulo, 14/01/2007.

8 das ocorrências do ambiente físico e temem que a falta de controle na rede leve à impunidade para crimes de todos os gêneros. Alguns gestores da Rede, como é o caso de Susan Crawford 6, defendem que a rede seja um ambiente de livre manifestação, e quaisquer censuras ou bloqueios serão ineficazes, pois os internautas sempre conseguirão encontrar maneiras de contornar tais bloqueios. Além do que, está em discussão a liberdade de expressão, que há nos Estados Unidos, garantia da Primeira Emenda. Os cientistas e filósofos tendem a opinião semelhante à dos gestores da rede, ressalvando, no entanto, que os crimes devam ser punidos, especialmente aqueles relacionados à pornografia infantil. 5 Considerações Finais A questão dos controles irá demandar, nos próximos anos, discussões mais aprofundadas e abrangentes entre os gestores da rede, legisladores, políticos e sociedade civil organizada. O fato é que a sociedade, como um todo, não pode desconhecer estas ocorrências e precisa se debruçar sobre elas, pois a Internet, segundo Zuffo (2007), (...) irá se tornar um bem público como a iluminação, como acontece em cidades como Boston, onde a própria prefeitura provê acesso gratuito à internet. 7 Assim como as informações, os crimes na rede têm aumentado. Nos últimos dez anos, os bandidos virtuais, têm atuado em todo o mundo, e as violações mais importantes registradas pela imprensa, tiveram relação com crimes de assédio sexual, pornografia, pedofilia, torturas, protestos, racismo, ameaças, terrorismo, roubos a contas bancárias e cartões de crédito, venda e apologia de drogas, entre outros. Segundo informações do PROCON 8 (Fundação de Defesa e Proteção do Consumidor), no Brasil o Legislativo começa a traçar rumos para tipificar os crimes cometidos via internet, como a pedofilia, invasão de computadores para roubo de dados confidenciais e outras fraudes do gênero. A posse de conteúdo pornográfico infantil no computador tem sido combatida pela Justiça Federal, que monitora os sites suspeitos na internet. 6 Professora de direito cibernético e direito das comunicações na Cardozo Law School, em Nova York, e diretora da Icann, a entidade internacional que coordena a internet. 7 Entrevista à Folha de São Paulo, 14/01/2007, suplemento Mais. 8 Disponível em: <http://www.procon.sp.gov.br>.

9 Segundo explica Paulo Quintiliano, chefe do serviço de perícia em informática do Instituto Nacional de Criminalística da PF, (...) diferente dos Estados Unidos, no Brasil só é possível efetuar prisão por pedofilia na internet se as imagens forem enviadas por ou se a pessoa for responsável pela publicação de site criminoso. A polícia federal coordenou uma operação em 11 estados do país, para efetuar a prisão de suspeitos com envolvimento em uma rede internacional de pedofilia. As fraudes em contas bancárias ocorrem com freqüência maior do que se veicula na imprensa. A operação Scam prendeu uma quadrilha, em fins de fevereiro deste ano, acusada de aplicar um golpe de mais de R$ 10 milhões em sete estados. As diligências e prisões vêm sendo feitas, mas a Polícia Federal se queixa de que o país não dispõe ainda de legislação especial que ampare de maneira efetiva suas ações no combate aos crimes na internet. A adoção de um sistema de controle mais rigoroso na rede mundial de computadores é tema de mais de 20 projetos de lei que tramitam no Congresso brasileiro. A Espanha comandou a Operação Azahar em mais de 30 países, no primeiro trimestre deste ano, no entanto, não ocorreram prisões significativas. A Convenção Européia, convênio entre países que definem procedimentos contra crimes na internet, tem como países signatários os países europeus, os Estados Unidos e o Canadá, o Japão e a África. No entanto, o Brasil ainda não participa deste acordo internacional, muito embora a Polícia Federal esteja envidando esforços junto aos ministérios da Justiça e das Relações Internacionais para que o país assine a Convenção. O acesso indevido a documentos confidenciais de órgãos públicos via computador é facilmente realizado pelos bandidos virtuais e não é passível de punição, pois a legislação prevê penas para destruição ou furto de documentos. Alguns deputados também têm se mobilizado para definir normas de acesso à internet, com assessoria da Polícia Federal. Propostas em trânsito na Câmara de Deputados em Brasília prevêem a responsabilização dos provedores que hospedam sites contraventores e de conteúdo duvidoso. Os senadores também têm se mobilizado com relação à estas questões, como o senador Eduardo Azeredo (PSDB/MG), já citado neste artigo. Um dos projetos que transita no Senado Federal desde 1990, trata de crimes cometidos na área de informática, com as punições cabíveis. A quebra de senhas confidenciais dá direito à interpelação judicial dos proprietários de provedores e de redes de computadores.

10 Outro projeto trata de ocorrências discriminatórias e de divulgação de preconceitos de qualquer tipo via internet. Quanto maior se torna a inclusão digital, maior se torna a complexidade das relações comerciais e sociais via Internet. Neste sentido, a sociedade precisaria se mobilizar para participar das políticas públicas de comunicação, como deseja Rebouças (2002, p.1-16). Para ele, entre os quatro atores sociais que podem pressionar o setor de comunicações para o estabelecimento de novas políticas, quais sejam: o Estado, a classe econômica, a sociedade civil organizada e os intelectuais, estes dois últimos, têm tido participação mínima na definição das políticas para o setor. Neste sentido, é necessário que estas forças se correlacionem em uma nova dinâmica, para que a sociedade civil organizada e os intelectuais possam manifestar-se e influir de fato nos rumos da política virtual e comunicacional no país. 6 Referências bibliográficas BAUDRILLARD, J. A sombra da maioria silenciosa: S. Paulo, Brasiliense, CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, O poder da identidade. A era da informação: economia, sociedade e cultura. 3ª ed., S. Paulo: Paz e Terra, 2002, vol. 2. CEBRIAN, J. L. A rede: como nossas vidas são transformadas pelos novos meios de comunicação. São Paulo: Summus, CHAMA, Débora C. Comunicação e suas relações na Sociedade e Política Contemporâneas. Trabalho apresentado no Intercom Sudeste 2006, Grupo de Trabalho: Políticas e Estratégias de Comunicação, Ribeirão Preto, 22 a 24/05/2006. Internet: compartilhamento de informações e de riscos. Trabalho apresentado no CELACOM 2006, Grupo de Trabalho: Pensamento Cibermidiático São Bernardo do Campo, 09 a 11/10/2006. KERCKHOVE, D. de. A pele da cultura: uma investigação sobre a nova realidade eletrônica. Lisboa: Relógio d Água, LOPES, Luís Carlos. Um casamento fenomenal: personas no mundo globalizado, La insígnia. Revista eletrônica, 28/02/2005. Disponível em: Acesso: dezembro de 2006.

11 LOPES, Roberta. Pesquisa mostra que cerca de 20% da população brasileira tem computador em casa, Observatório de Políticas Públicas de infoinclusão, 14/11/2006. Disponível em: Acesso: janeiro de LYOTARD, J. F. A condição pós-moderna, 6ª ed., Rio de Janeiro: José Olympio, MARTINS, Francisco M. e SILVA, Juremir Machado (Orgs). A genealogia do virtual: comunicação, cultura e tecnologias do imaginário. Porto Alegre, Sulina, REBOUÇAS, Edgard. Lobby nas políticas e estratégias de comunicações: a movimentação dos atores sociais no Brasil e no Canadá, in Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 27, Porto Alegre. Anais. São Paulo: Intercom, CD-ROM. TEDESCO, Juan Carlos. O novo pacto educativo: Educação, competitividade e cidadania na sociedade moderna. S. Paulo: editora Ática, 1998.

Participação política na internet: o caso do website Vote na web

Participação política na internet: o caso do website Vote na web Participação política na internet: o caso do website Vote na web Lívia Cadete da Silva 1 Lucas Arantes Zanetti 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP RESUMO

Leia mais

SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL

SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL FABRICIO DOS SANTOS RESUMO A sociedade virtual, com suas relações próprias vem se tornando uma nova realidade para a responsabilidade

Leia mais

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Vitor Cleton Viegas de Lima 1 Cristiane Camargo Aita 2 Daniele Pinto Andres 3 Resumo: este artigo tem por objetivo levantar

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com atuação nacional, sem fins lucrativos ou econômicos,

Leia mais

ABRANET Associação Brasileira de Provedores Internet

ABRANET Associação Brasileira de Provedores Internet ABRANET Associação Brasileira de Provedores Internet APRESENTAÇÃO PARA O SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO e INFORMÁTICA Audiência Pública sobre Conteúdo Audiovisual

Leia mais

Direito Digital Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Direito Digital Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

CRIMES PRATICADOS PELA INTERNET

CRIMES PRATICADOS PELA INTERNET ESTUDO CRIMES PRATICADOS PELA INTERNET Ribamar Soares Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Documento Eletrônico e Assinatura Digital: Inovação Tecnológica no Direito Brasileiro e os Benefícios à Qualidade de Vida

Documento Eletrônico e Assinatura Digital: Inovação Tecnológica no Direito Brasileiro e os Benefícios à Qualidade de Vida Práticas e Intervenção em Qualidade de Vida Capítulo 8 Documento Eletrônico e Assinatura Digital: Inovação Tecnológica no Direito Brasileiro e os Benefícios à Qualidade de Vida MARCO ANTONIO BETTINE DE

Leia mais

VOTO EM SEPARADO I RELATÓRIO

VOTO EM SEPARADO I RELATÓRIO VOTO EM SEPARADO Perante a COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 121, de 2008, do Senador Magno Malta, que proíbe as empresas de cartões

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec: Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Área de conhecimento: Ciências Humanas e Suas Tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA

4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA 4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA 4.1 Legislação aplicável a crimes cibernéticos Classifica-se como Crime Cibernético: Crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação), furtos, extorsão,

Leia mais

Trilha IV Internet e Direitos Humanos

Trilha IV Internet e Direitos Humanos Trilha IV Internet e Direitos Humanos Temas e Posicionamentos Exposições das(os) Painelistas Posicionamentos Cláudio Machado (APAI-CRVS Programa Africano p/ Fortalecimento Registro Civil, terceiro setor)

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

CIDADES EDUCADORAS DICIONÁRIO

CIDADES EDUCADORAS DICIONÁRIO CIDADES EDUCADORAS A expressão Cidade Educativa, referindo-se a um processo de compenetração íntima entre educação e vida cívica, aparece pela primeira vez no Relatório Edgar Faure, publicado em 1972,

Leia mais

Utilização das redes sociais e suas repercussões

Utilização das redes sociais e suas repercussões Utilização das redes sociais e suas repercussões O papel da escola : @ Orientação aos professores, alunos e pais @ Acompanhamento de situações que repercutem na escola @ Atendimento e orientação a pais

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

Trabalho sobre Marco Civil

Trabalho sobre Marco Civil CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM TECNOLOGIA, INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CEEP/TIC MUNICÍPIO: LAURO DE FREITAS DIREC: 1B Inclusão digital Professora Milena Matos Trabalho sobre Marco Civil O Marco

Leia mais

Organizações de defesa do cidadão

Organizações de defesa do cidadão Organizações de defesa do cidadão Denise Catarina Silva Mangue Ser cidadão na sociedade da informação Em 1976, o inglês T. H. Marshall um dos principais pensadores contemporâneos envolvidos na discussão

Leia mais

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Resenha Desenvolvimento Raíssa Daher 02 de Junho de 2010 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

Artigo: Um olhar feminino na Internet

Artigo: Um olhar feminino na Internet Artigo: Um olhar feminino na Internet Por Tatiane Pocai Dellapiazza - aluna do primeiro ano do Curso de Comunicação Social - Centro UNISAL - Americana. Introdução: O Brasil chega perto de comemorar seu

Leia mais

Perícia Computacional Forense. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Perícia Computacional Forense. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Perícia Computacional Forense gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Perícia Computacional Forense gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br 3 Agenda» A nova Economia» Segurança da

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

FACULDADE PROJEÇÃO FAPRO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PROJEÇÃO FAPRO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PROJEÇÃO FAPRO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ALLAN ARDISSON COSSET DIEGO ALVES DE PAIVA ERICK SOUSA DAMASCENO HUGO NASCIMENTO SERRA RICARDO FRANÇA RODRIGUES Legislação Aplicada à Computação Crimes de

Leia mais

PGM 3: MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO NA ESCOLA JOVEM

PGM 3: MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO NA ESCOLA JOVEM PGM 3: MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO NA ESCOLA JOVEM Falar em mobilização e participação de jovens na escola de ensino médio implica em discutir algumas questões iniciais, como o papel e a função da escola

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Quanto mais informações você disponibiliza na Internet, mais difícil se torna preservar a sua privacidade Nada impede que você abra mão de sua privacidade e, de livre e espontânea

Leia mais

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA 4 de outubro de 2009 O brasileiro Carlos Kirjner, nomeado pelo presidente Barack Obama para o cargo de conselheiro do diretor-geral da Comissão Federal de Comunicações

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1

A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1 A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1 Isabela LOURENÇO 2 Caio Cardoso de QUEIROZ 3 Francisco José Paoliello PIMENTA 4 Universidade Federal de Juiz de Fora,

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS

REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS DA ESCOLA SOKA INTRODUÇÃO Dispositivos móveis de comunicação definidos legalmente são a Internet do computador, notebook, o

Leia mais

O futuro digital das cidades

O futuro digital das cidades O futuro digital das cidades Visão & Tecnologia: a fórmula para tornar nossas Cidades mais Inteligentes Hora de Agir: As cidades mais que estados ou países estarão cada mais se tornando o centro determinante

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Tecnologia da Informação UNIDADE 3

Tecnologia da Informação UNIDADE 3 Tecnologia da Informação UNIDADE 3 *Definição * A segurança da informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para a organização. *Definição

Leia mais

Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI

Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI * A segurança da informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para a organização.

Leia mais

O que são normas internacionais?

O que são normas internacionais? APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS Fortaleza/CE, 2015 Senhores Delegados, As simulações de organizações internacionais são, em sua essência, exercícios

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais

Por que as universidades privadas brasileiras são, na média, de qualidade questionável?

Por que as universidades privadas brasileiras são, na média, de qualidade questionável? Por que as universidades privadas brasileiras são, na média, de qualidade questionável? Dezembro de 2009 Por Vítor Wilher Essa é uma pergunta que parece atordoar todos aqueles minimamente preocupados com

Leia mais

Segurança a da Informação Aula 02. Aula 02

Segurança a da Informação Aula 02. Aula 02 Segurança a da Informação 26/9/2004 Prof. Rossoni, Farias 1 Segurança a da Informação é: Cultura, Cidadania, Desenvolvimento pessoal e social, Competitividade, Influência e poder, Imprescindível para a

Leia mais

Uso e Posse de Computador e Internet, Barreiras de Acesso, Uso do Celular, Intenção de Aquisição

Uso e Posse de Computador e Internet, Barreiras de Acesso, Uso do Celular, Intenção de Aquisição TIC DOMICÍLIOS 2007 Uso e Posse de Computador e Internet, Barreiras de Acesso, Uso do Celular, Intenção de Aquisição PESQUISA SOBRE O USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL 2008 NIC.BR

Leia mais

Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP

Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP Movimentos sociais e internet: uma análise sobre as manifestações de 2013 no Brasil Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista,

Leia mais

A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS. Carlos Jerônimo da Silva Gueiros

A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS. Carlos Jerônimo da Silva Gueiros A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Um mundo em transformação 1998 / 1999 Mutirão Digital apoiar as escolas públicas no acesso à Internet 2010-12 anos depois...

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA Zuleide Demetrio Minatti 1 Nilson Thomé 2 UNIPLAC. Resumo: Na atualidade observa-se o crescimento da demanda por cursos

Leia mais

MENSAGEM N.º 164, DE 2015 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 164, DE 2015 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 164, DE 2015 (Do Poder Executivo) Aviso nº 209/2015 - C. Civil Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos

Leia mais

Chamada Pública para Inovação e Criatividade na Educação Básica REGULAMENTO

Chamada Pública para Inovação e Criatividade na Educação Básica REGULAMENTO Chamada Pública para Inovação e Criatividade na Educação Básica REGULAMENTO O Ministério da Educação (MEC) anuncia a realização da Chamada Pública para Inovação e Criatividade na Educação Básica, mediante

Leia mais

A GLOBALIZAÇÃO UM MUNDO EM MUDANÇA

A GLOBALIZAÇÃO UM MUNDO EM MUDANÇA A GLOBALIZAÇÃO UM MUNDO EM MUDANÇA Que dimensões sociológicas existem numa passeio ao supermercado? A variedade de produtos importados que costumamos ver nos supermercados depende de laços econômicos

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

O SR. ÁTILA LIRA (PSDB-PI) pronuncia o seguinte discurso: A profissão de Administrador no Brasil completou 40 anos no

O SR. ÁTILA LIRA (PSDB-PI) pronuncia o seguinte discurso: A profissão de Administrador no Brasil completou 40 anos no O SR. ÁTILA LIRA (PSDB-PI) pronuncia o seguinte discurso: A profissão de Administrador no Brasil completou 40 anos no último dia 9. Ao todo, o País tem hoje cerca de 1,5 milhão de bacharéis em Administração.

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

Medição das TIC no contexto nacional: o caso do Brasil Maputo, Moçambique 7 de Julho de 2015

Medição das TIC no contexto nacional: o caso do Brasil Maputo, Moçambique 7 de Julho de 2015 Medição das TIC no contexto nacional: o caso do Brasil Maputo, Moçambique 7 de Julho de 2015 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO Dimensões das TIC e Políticas Públicas Apresentação de indicadores sobre os seguintes

Leia mais

CLAUDIO NAZARENO. Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações, Sistema Postal, Ciência e Tecnologia

CLAUDIO NAZARENO. Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações, Sistema Postal, Ciência e Tecnologia Comentários acerca do Projeto de Lei nº 2.126/11, que [e]stabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, o chamado Marco Civil da Internet CLAUDIO NAZARENO Consultor

Leia mais

ABRANET Associação Brasileira de Provedores Internet

ABRANET Associação Brasileira de Provedores Internet ABRANET Associação Brasileira de Provedores Internet APRESENTAÇÃO PARA O SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA Audiência Pública

Leia mais

Marketing Político: planejamento estratégico e gerenciamento de campanha

Marketing Político: planejamento estratégico e gerenciamento de campanha Marketing Político: planejamento estratégico e gerenciamento de campanha objetivos Apresentar uma contextualização histórica sobre política e marketing, relações entre povo e poder, bem como a compreensão

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 416, DE 2008

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 416, DE 2008 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 416, DE 2008 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2008 Nota Descritiva 2 2008 Câmara dos Deputados. Todos os direitos reservados. Este trabalho poderá ser reproduzido ou transmitido na íntegra,

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA O projeto deve, OBRIGATORIAMENTE, ser elaborado pelo Coordenador do Projeto (titulação mínima Mestre PBIC/UniEVANGÉLICA; titulação mínima Doutor

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 Através da vasta experiência, adquirida ao longo dos últimos anos, atuando em Certificações de Sistemas de Gestão, a Fundação Vanzolini vem catalogando

Leia mais

ESFERA DA FAMÍLIA INTERNET NA ROTINA FAMILIAR Proteja sua Família dos Perigos da Internet. Marcio e Edione Vieira Curitiba/PR

ESFERA DA FAMÍLIA INTERNET NA ROTINA FAMILIAR Proteja sua Família dos Perigos da Internet. Marcio e Edione Vieira Curitiba/PR ESFERA DA FAMÍLIA INTERNET NA ROTINA FAMILIAR Proteja sua Família dos Perigos da Internet Marcio e Edione Vieira Curitiba/PR Introdução: Engajamento Voluntário: Envolvimento Profissional: OBJETIVOS: Formar

Leia mais

São Paulo, 24 de novembro de 2005

São Paulo, 24 de novembro de 2005 São Paulo, 24 de novembro de 2005 CGI.br divulga indicadores inéditos sobre a internet no país Além de apresentar as pesquisas sobre penetração e uso da rede em domicílios e empresas, a entidade anuncia

Leia mais

Termo de Uso A AGENDA SUSTENTABILIDADE única e exclusiva proprietária do domínio www.agenda SUSTENTABILIDADE.com.br, doravante denominado AGENDA SUSTENTABILIDADE, estabelece o presente TERMO DE USO para

Leia mais

NOVA LEI DE CRIMES CIBERNÉTICOS ENTRA EM VIGOR

NOVA LEI DE CRIMES CIBERNÉTICOS ENTRA EM VIGOR NOVA LEI DE CRIMES CIBERNÉTICOS ENTRA EM VIGOR Apelidada de Lei Carolina Dieckmann, a Lei nº 12.737, de 30 de novembro de 2012, entrou em pleno vigor no último dia 3 de abril de 2013, alterando o Código

Leia mais

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional Nas Ruas de BH Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS Responsável pela Experiência: Rodrigo César Magalhães Silva

Leia mais

central de atendimento -> 55(11) 3807-0188 ou atendimento@grupotreinar.com.br

central de atendimento -> 55(11) 3807-0188 ou atendimento@grupotreinar.com.br Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português, espanhol ou inglês, atendendo

Leia mais

Curso Forense Computacional

Curso Forense Computacional Curso Forense Computacional Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português,

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Mostrando que a proteção de nossas crianças e adolescentes também está em fase de crescimento Subsecretaria de Promoção

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público

UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público UNESCO Ministério da Educação Brasília 2006 Artigo publicado, em 06 de dezembro de 2006, no Observatório da Sociedade

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

PARECER CREMEB N 12/09 (Aprovado em Sessão da 1ª Câmara de 05/03/2009)

PARECER CREMEB N 12/09 (Aprovado em Sessão da 1ª Câmara de 05/03/2009) PARECER CREMEB N 12/09 (Aprovado em Sessão da 1ª Câmara de 05/03/2009) Consulta nº 159.756/08 Assuntos: - Filmagem em interior de UTI. - Legalidade de contratação de médicos plantonistas como pessoa jurídica.

Leia mais

Fluxos de capitais, informações e turistas

Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxo de capitais especulativos e produtivos ESPECULATIVO Capital alocado nos mercados de títulos financeiros, ações, moedas ou mesmo de mercadorias, com o objetivo

Leia mais

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Bruno Sanchez Lombardero Faculdade Impacta de Tecnologia São Paulo Brasil bruno.lombardero@gmail.com Resumo: Computação em nuvem é um assunto que vem surgindo

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

Propriedade intelectual e políticas de comunicação

Propriedade intelectual e políticas de comunicação 1 Fórum Para entender os eixos focais Propriedade intelectual e políticas de comunicação Graça Caldas O texto do prof. Rebouças oferece uma importante revisão histórica sobre os conceitos que permeiam

Leia mais

Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos

Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos Shirley Pacelli Eu tô te explicando pra te confundir. Eu tô te confundindo pra te esclarecer. Como define o cantor e compositor

Leia mais

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2 ABRIL 2010 Redes Sociais: revolução cultural na Internet Ano 2 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO As redes sociais: revolução cultural na Internet Apresentação Definindo as redes sociais As redes sociais formam

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2008

PROJETO DE LEI N o, DE 2008 PROJETO DE LEI N o, DE 2008 (Da Sra. Elcione Barbalho) Altera a Lei n.º 9.998, de 17 de agosto de 2000, estendendo o uso dos recursos do Fundo de Universalização das Telecomunicações (Fust) à prestação

Leia mais

OFICINA DE REESTRUTURACÃO DA REABRI Data: 14 de Maio de 2010 UNIDAVI - Rio do Sul

OFICINA DE REESTRUTURACÃO DA REABRI Data: 14 de Maio de 2010 UNIDAVI - Rio do Sul OFICINA DE REESTRUTURACÃO DA REABRI Data: 14 de Maio de 2010 UNIDAVI - Rio do Sul Moderação: Graciane Regina Pereira e Katiuscia Wilhelm Kankerski 13h Apresentação dos objetivos e da metodologia de trabalho.

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Segurança de Dados. Relatório de Segurança de Dados, Inteligência de Mercado

Segurança de Dados. Relatório de Segurança de Dados, Inteligência de Mercado Segurança de Dados Segurança de dados e sigilo de informações ainda é um tema longe de ser solucionado no Brasil e no Mundo. A cada novo dispositivo lançado, cada nova transação bancária ou a cada novo

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil Samira NOGUEIRA 2 Márcio Carneiro dos SANTOS 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO:

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: Hábitos de Navegação na Internet: será que nossos alunos e educadores navegam com segurança na Internet no Estado do Rio de Janeiro? REALIZAÇÃO:

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA NORMAS DE USO I - DA NATUREZA (da finalidade) art 1 - O Laboratório caracteriza-se por sua natureza didático-pedagógica, servindo de complemento aos

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

Engenharia e Consultoria CÓDIGO DE ÉTICA

Engenharia e Consultoria CÓDIGO DE ÉTICA CÓDIGO DE ÉTICA SUMÁRIO APRESENTAÇÃO COLABORADORES Princípios éticos funcionais Emprego e Ambiente de trabalho Conflito de interesses Segredos e informações comerciais SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE

Leia mais