As provas da existência de Deus: Tomás de Aquino e o estabelecimento racional da fé. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira 1º Ano do Ensino Médio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As provas da existência de Deus: Tomás de Aquino e o estabelecimento racional da fé. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira 1º Ano do Ensino Médio"

Transcrição

1 As provas da existência de Deus: Tomás de Aquino e o estabelecimento racional da fé. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira 1º Ano do Ensino Médio

2 Tomás de Aquino ( ) Tomás de Aquino - Tommaso d Aquino - foi um frade dominicano e sacerdote italiano cujas obras tiveram enorme influência na teologia e na filosofia. Aquino" é uma referência ao condado de Aquino, uma região da Itália que foi propriedade de sua família até 1137.

3 São Tomás de Aquino - É a figura mais destacada do pensamento cristão medieval. Elaborou os princípios da doutrina cristã baseado no pensamento aristotélico. - Parte da argumentação e estruturação lógica de Aristóteles comprovar a existência de Deus. - Não conhecemos a essência do criador, mas podemos conhecê-lo pela sua criação. - Baseando-se nesses princípios São Tomás reativa o mundo natural, pois o mundo natural é criação de Deus.

4 Tomás de Aquino O tomismo, como ficou conhecido o sistema filosófico de Tomas, têm como princípio a abstração aristotélica. Simplificando podemos interpretar o pensamento de Tomás como uma apropriação da filosofia de Aristóteles.

5 Um problema aristotélico Para Aristóteles todos os homens tendem ao conhecimento, e a prova disto é o amor pelas sensações. Tomás, aprofundando seus estudos em torno da lógica e da física, da metafísica, busca nestes termos novos sentidos para as teses aristotélicas.

6 Essência Existência Este conhecimento racional advém por meio dos sentidos Nosso intelecto trabalha por meio de abstrações Partimos do Particular para o Universal. Neste sentido para Aristóteles, a essência é diferente da existência. Tomás vai revigorar este problema a partir da questão do Ente e da Essência é quidade, é natureza, forma e matéria de determinada coisa.

7 Essência Existência Tomás vai revigorar este problema a partir da questão do Ente e da Essência é quidade, é natureza, forma e matéria de determinada coisa, elemento sem o qual não há a possibilidade de se pensar na definição, no conceito. Por exemplo, a esencia do homem, como animal racional, compreende não só a racionalidade ( forma) mas a animalidade ( matéria). Podemos saber o que é a essência (quid) sem saber de sua existência...

8 Sensações Diferentes Percepções e Sentimentos Diferentes Objetos Abstração Conceito (Universal Geral e não Ideal) Matéria ( Causa Material das sensações) DIFERENÇA LÓGICA ESSÊNCIA ( aporte conceitual) EXISTÊNCIA (aporte material)

9 Como o homem conhece... Para Tomás de Aquino, nossos sentidos externos ou corpóreos são passivos; Os sentidos estão potencialmente, aptos a receberem as informações, advindas do mundo exterior e registrá-las nos nossos sentidos internos; Estes por sua vez, vão ser a base ou substrato do qual o intelecto ativo irá extrair os dados, em potência e transformá-los em ato cognicível.

10 O intelecto passivo Sensibilidade que recebe os dados sensíveis de maneira mecânica e os transporta para que seja trabalhado pelo intelecto ativo. Percebemos apenas as coisas em ato, sua relação com as causas primeiras (potência) e mesmo com seus aspectos eficiente, causal e final nos são desconhecidos, sendo necessário o trabalho do intelecto ativo para que de fato tenhamos o conhecimento das formas das coisas.

11 O intelecto agente (ativo) Responsável pela passagem da potência ao ato, ou seja, responsável pelo trabalho de abstração necessário ao conhecimento real das causas e suas relações entre potência e ato, matéria e forma, substância e acidente.

12 Deus Ser necessário Ato puro Imutável e infinito Causa de sua existência Essência = Existência Criaturas Ser contingente Ato e potência ( transformação) Mutável e Finito Existência dependente Existência concreta e essência abstrata Essência Existência Intelecto Puro Agente Intelecto Passivo (predominante) e Ativo

13 Tomás de Aquino esquematizou o direito com base na seguinte classificação das leis: Lei Divina: revelada por Deus aos homens, que consiste nos Dez Mandamentos. Lei Eterna: o plano racional de Deus que ordena todo o universo. Lei Natural: conceituada como a participação da Lei Eterna na criatura racional, ou seja, aquilo que o homem é levado a fazer pela sua natureza racional; Lei Positiva: feita pelo homem, de modo a possibilitar uma vida em sociedade. Esta subordinase à Lei Natural, não podendo contrariá-la sob pena de se tornar uma lei injusta.

14 As provas empíricas e ontológicas da existência de Deus, demonstradas logicamente... As cinco vias (quinque viis) podem ser interpretadas como uma adequação das teses de Aristóteles ao cristianismo. Diferentemente do empreendimento filosófico de Agostinho, Tomás, parte do zero, ou seja não define de saída a existência da alma como devedora da criação divina.

15 VIAS 1ª NATUREZA SE OBSERVA 2º PRINCÍPIO DE CAUSALIDADE 3º PRINCÍPIO IMPOSSIBILIDADE DE UMA INFINITA DE CAUSAS ( AD INFINITUM) 4º DEMONSTRAÇÃO Atributos de um Ser - 1ª Movimento Todo movimento é efeito de um motor Motriz Princípio do Movente que não pode ser movimentado Primeiro Motor 2ª Causalidade Todo efeito procede de uma causa prévia Eficiente Todo efeito tem sua causa exterior a si mesmo Causa Primeira D 3ª Contingencia Todo ser contingente procede de outro prévio Seres contingentes Todo ser contingente deriva sua existência. Ser Necessário E 4ª Perfeição Tudo possui um nível de perfeição Seres perfeitos A ideia de perfeição necessita ter uma matriz. Ser Perfeito U 5ª Ordem Todo nível inferior na ordem dos seres depende de outro superior. Níveis de ordem Toda a ordem pressupõe a ação de uma finalidade perfeita que organiza e para qual estão dirigidas todas as coisas. Causa Final ( Fim último) S

As provas da existência de Deus: Tomás de Aquino e o estabelecimento racional da fé. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira

As provas da existência de Deus: Tomás de Aquino e o estabelecimento racional da fé. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira As provas da existência de Deus: Tomás de Aquino e o estabelecimento racional da fé. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Tomás de Aquino (1221-1274) Tomás de Aquino - Tommaso d Aquino - foi um frade dominicano

Leia mais

AGOSTINHO DE HIPONA E TOMÁS DE AQUINO (3ª SÉRIE, REVISÃO TESTÃO)

AGOSTINHO DE HIPONA E TOMÁS DE AQUINO (3ª SÉRIE, REVISÃO TESTÃO) AGOSTINHO DE HIPONA E TOMÁS DE AQUINO (3ª SÉRIE, REVISÃO TESTÃO) PERÍODOS DA FILOSOFIA MEDIEVAL 1º Patrística: século II (ou do V) ao VIII (Agostinho de Hipona). 2º Escolástica: século IX ao XV (Tomás

Leia mais

Caracterização Cronológica

Caracterização Cronológica Caracterização Cronológica Filosofia Medieval Século V ao XV Ano 0 (zero) Nascimento do Cristo Plotino (204-270) Neoplatônicos Patrística: Os grandes padres da igreja Santo Agostinho ( 354-430) Escolástica:

Leia mais

Estudos Doutrinários

Estudos Doutrinários Estudos Doutrinários FOLHETO N.º 1 1948 Preleções feitas no CENTRO ESPÍRITA 18 DE ABRIL (Sistema didático) GRAFICA MUNDO ESPÍRITA S.A. Rua dos Inválidos, 216 Rio de Janeiro EXPLICAÇÃO Sendo este o primeiro

Leia mais

FILOSOFIA. Platão. OpenRose

FILOSOFIA. Platão. OpenRose FILOSOFIA Platão OpenRose 1 PLATÃO Filósofo grego (427 a.c.?-347 a.c.?). Um dos mais importantes filósofos de todos os tempos. Suas teorias, chamadas de platonismo, concentram-se na distinção de dois mundos:

Leia mais

Antropologia Religiosa

Antropologia Religiosa Antropologia Religiosa Quem somos nós? De onde viemos? Para onde vamos? Qual é a nossa missão no universo? O que nos espera? Que sentido podemos dar a nossa vida? Qual o sentido da história e do mundo?

Leia mais

FILOSOFIA CLÁSSICA: SÓCRATES E PLATÃO (3ª SÉRIE)

FILOSOFIA CLÁSSICA: SÓCRATES E PLATÃO (3ª SÉRIE) FILOSOFIA CLÁSSICA: SÓCRATES E PLATÃO (3ª SÉRIE) SÓCRATES (469-399 a.c.) CONTRA OS SOFISTAS Sofistas não são filósofos: não têm amor pela sabedoria e nem respeito pela verdade. Ensinavam a defender o que

Leia mais

A) o dualismo ontológico é uma impossibilidade, enquanto o mundo sensível traz em si a causa da sua própria existência.

A) o dualismo ontológico é uma impossibilidade, enquanto o mundo sensível traz em si a causa da sua própria existência. QUESTÃO 01 Em Platão, as questões metafísicas mais importantes e a possibilidade de serem solucionadas estão vinculadas aos grandes problemas da geração, da corrupção e do ser das coisas. Para Platão,

Leia mais

Prof. Dr. Pe. Paulo Sergio Lopes Gonçalves. Ética, Epistemologia e Religião CCHSA Faculdade de Filosofia paselogo@puc-campinas.edu.

Prof. Dr. Pe. Paulo Sergio Lopes Gonçalves. Ética, Epistemologia e Religião CCHSA Faculdade de Filosofia paselogo@puc-campinas.edu. A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA NO COMENTÁRIO DE SANTO AGOSTINHO A PRIMEIRA EPÍSTOLA DE SÃO JOÃO João Ricardo de Moraes Faculdade de Teologia e Ciências Religisas CCHSA Joao.rdm@hotmail.com Prof. Dr. Pe. Paulo

Leia mais

Brasil. Alves de Melo, Antonio UM MESTRE NO OFÍCIO: TOMÁS DE AQUINO Interações: Cultura e Comunidade, vol. 8, núm. 13, enero-junio, 2013, pp.

Brasil. Alves de Melo, Antonio UM MESTRE NO OFÍCIO: TOMÁS DE AQUINO Interações: Cultura e Comunidade, vol. 8, núm. 13, enero-junio, 2013, pp. Interações: Cultura e Comunidade ISSN: 1809-8479 interacoes.pucminas@gmail.com Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Brasil Alves de Melo, Antonio UM MESTRE NO OFÍCIO: TOMÁS DE AQUINO Interações:

Leia mais

2 O tempo e o espaço na filosofia moderna e a origem do argumento kantiano

2 O tempo e o espaço na filosofia moderna e a origem do argumento kantiano 2 O tempo e o espaço na filosofia moderna e a origem do argumento kantiano Spinoza nos Pensamentos Metafísicos estabelece a distinção entre duração e tempo, isto é, do ente em ente cuja essência envolve

Leia mais

1ª Série do Ensino Médio/ 2 Trimestre SÓCRATES, PLATÃO E ARISTÓTELES

1ª Série do Ensino Médio/ 2 Trimestre SÓCRATES, PLATÃO E ARISTÓTELES Sem limite para crescer! Resumo das aulas de Filosofia 1ª Série do Ensino Médio/ 2 Trimestre SÓCRATES, PLATÃO E ARISTÓTELES Esses três filósofos foram os inauguradores da filosofia ocidental como a que

Leia mais

JESUS, DEUS FILHO, É A 2a PESSOA DA TRINDADE

JESUS, DEUS FILHO, É A 2a PESSOA DA TRINDADE JESUS, DEUS FILHO, É A 2a PESSOA DA TRINDADE JESUS CRISTO: DEUS EM FORMA DE HOMEM A DIVINDADE DE CRISTO O Filho de Deus: A Pessoa e a Obra de Jesus Cristo Jesus Cristo, que é eternamente a segunda pessoa

Leia mais

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA A prova de filosofia se mostrou abrangente em relação aos conteúdos propostos. Destacamos algumas pequenas observações nas questões envolvendo o livro X da República de

Leia mais

O FIM ÚLTIMO DA ÉTICA DE SANTO TOMÁS DE AQUINO (2011) 1

O FIM ÚLTIMO DA ÉTICA DE SANTO TOMÁS DE AQUINO (2011) 1 O FIM ÚLTIMO DA ÉTICA DE SANTO TOMÁS DE AQUINO (2011) 1 SIQUEIRA, Grégori Lopes 2 ; BRIXNER, Israel 2 ; SIMÕES, Mauro Cardoso 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Acadêmicos do Curso de Filosofia do Centro

Leia mais

O ÓDIO E A EDUCAÇÃO NA SUMA TEOLÓGICA DE TOMÁS DE AQUINO

O ÓDIO E A EDUCAÇÃO NA SUMA TEOLÓGICA DE TOMÁS DE AQUINO O ÓDIO E A EDUCAÇÃO NA SUMA TEOLÓGICA DE TOMÁS DE AQUINO SANTIN, Rafael Henrique 1 OLIVEIRA, Terezinha 2 INTRODUÇÃO Este texto apresenta algumas reflexões desenvolvidas durante nossa pesquisa de mestrado

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

desafia, não te transforma Semestre 2015.2

desafia, não te transforma Semestre 2015.2 O que não te 1 desafia, não te transforma Semestre 2015.2 1 Nossos encontros www.admvital.com 2 2 Nossos encontros www.admvital.com 3 AULÃO 3 4 Materiais da aula www.admvital.com/aulas 4 5 Critérios AV

Leia mais

O MÉTODO ESCOLÁSTICO EM TOMÁS DE AQUINO: UM ESTUDO NO CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

O MÉTODO ESCOLÁSTICO EM TOMÁS DE AQUINO: UM ESTUDO NO CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO O MÉTODO ESCOLÁSTICO EM TOMÁS DE AQUINO: UM ESTUDO NO CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO SANTIN, Rafael Henrique (PIBIC/UEM) OLIVEIRA, Terezinha (UEM) INTRODUÇÃO Neste texto pretendemos analisar o método escolástico

Leia mais

UM ESTUDO DA CONCEPÇÃO TOMASIANA DE AMOR NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: AS QUESTÕES 26, 27 E 28 DA SUMA TEOLÓGICA

UM ESTUDO DA CONCEPÇÃO TOMASIANA DE AMOR NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: AS QUESTÕES 26, 27 E 28 DA SUMA TEOLÓGICA UM ESTUDO DA CONCEPÇÃO TOMASIANA DE AMOR NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: AS QUESTÕES 26, 27 E 28 DA SUMA TEOLÓGICA Resumo SANTIN, Rafael H. UEM rafael.h.santin@gmail.com Área temática: História da Educação Agência

Leia mais

Revisão geral de conteúdo Avaliação do 1º trimestre Roteiro de Estudos. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Danilo Borges

Revisão geral de conteúdo Avaliação do 1º trimestre Roteiro de Estudos. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Danilo Borges Revisão geral de conteúdo Avaliação do 1º trimestre Roteiro de Estudos Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Danilo Borges Pensamento Medieval Roteiro de Estudos Na Idade Média, a Filosofia se

Leia mais

PLATÃO. Consta-se que antes de ter sido discípulo de Sócrates, seguiu as lições de Crátilo.

PLATÃO. Consta-se que antes de ter sido discípulo de Sócrates, seguiu as lições de Crátilo. PLATÃO Platão, jovem aristocrata de Atenas foi familiar de Alcibíades e de Crítias tinha como nome verdadeiro Arístocles. O cognome deverá ter-se ficado a dever à envergadura dos seus ombros ou então à

Leia mais

As três revelações divinas: Moisés, Jesus e Kardec

As três revelações divinas: Moisés, Jesus e Kardec FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro II Ensinos e Parábolas de Jesus Módulo I Metodologia para o estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espírita As três revelações

Leia mais

CONHECIMENTO DA LEI NATURAL. Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural

CONHECIMENTO DA LEI NATURAL. Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural CONHECIMENTO DA LEI NATURAL Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural O que é a Lei Natural? Conceito de Lei Natural A Lei Natural informa a doutrina espírita é a

Leia mais

SEF Sociedade Espírita Fraternidade Estudo Teórico-prático da Doutrina Espírita

SEF Sociedade Espírita Fraternidade Estudo Teórico-prático da Doutrina Espírita SEF Sociedade Espírita Fraternidade Estudo Teórico-prático da Doutrina Espírita Unidade 3 Tema: CRIAÇÃO DIVINA Elementos Gerais do Universo: Espírito e Matéria. Formação dos Mundos e dos Seres Vivos. Os

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE TEOLOGIA SISTEMATICA (PERGUNTAS E RESPOSTAS)

QUESTIONÁRIO DE TEOLOGIA SISTEMATICA (PERGUNTAS E RESPOSTAS) QUESTIONÁRIO DE TEOLOGIA SISTEMATICA (PERGUNTAS E RESPOSTAS) 1. O que é Revelação segundo a Bíblia? Revelação segundo a Bíblia é trazer a luz aquilo que estava oculto, no que se refere ao programa de Deus

Leia mais

A ÉTICA DAS VIRTUDES. A ética e a moral: origem da ética As ideias de Sócrates/Platão. Prof. Dr. Idalgo J. Sangalli (UCS) 2011

A ÉTICA DAS VIRTUDES. A ética e a moral: origem da ética As ideias de Sócrates/Platão. Prof. Dr. Idalgo J. Sangalli (UCS) 2011 A ÉTICA DAS VIRTUDES A ética e a moral: origem da ética As ideias de Sócrates/Platão Prof. Dr. Idalgo J. Sangalli (UCS) 2011 ETHOS Significado original do termo ETHOS na língua grega usual: morada ou abrigo

Leia mais

PARTE SEGUNDA - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos CAPÍTULO 4 Da pluralidade das existências 1. Reencarnação. Perguntas 166 a 170

PARTE SEGUNDA - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos CAPÍTULO 4 Da pluralidade das existências 1. Reencarnação. Perguntas 166 a 170 PARTE SEGUNDA - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos CAPÍTULO 4 Da pluralidade das existências 1. Reencarnação. Perguntas 166 a 170 166 Como a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corporal,

Leia mais

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica 0 O que é Filosofia? Essa pergunta permite muitas respostas... Alguns podem apontar que a Filosofia é o estudo de tudo ou o nada que pretende abarcar tudo.

Leia mais

QUESTIONÁRIO: PLANO DE AULA:

QUESTIONÁRIO: PLANO DE AULA: 1 PLANO DE AULA: 1. Iniciar a aula, comentando que iniciamos o estudo de um dos princípios básicos da Doutrina, a partir do qual repousa toda a sua filosofia (início do LE). Reforçar que o grupo não deve

Leia mais

CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ?

CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ? CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ? CURITIBA 2011 CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ? Projeto de pesquisa apresentado à Universidade Federal

Leia mais

SANTO AGOSTINHO: HISTÓRIA E ESCATOLOGIA*

SANTO AGOSTINHO: HISTÓRIA E ESCATOLOGIA* Síntese N? 30 - Pág. 5-9 Editorial SANTO AGOSTINHO: HISTÓRIA E ESCATOLOGIA* Ernani M. Fiori A exuberância do pensamento de S. Agostinho não permite um entendimento unidimensional: ele é suscetível de leituras

Leia mais

Metodologia da Catequese com Crianças. Ligia Aparecida de Oliveira

Metodologia da Catequese com Crianças. Ligia Aparecida de Oliveira Metodologia da Catequese com Crianças Ligia Aparecida de Oliveira O que é ser Criança? Watson, Piaget ou Freud? Eis a Questão. John B. Watson, psicólogo americano, é o principal responsável pela teoria

Leia mais

A IGREJA E O ESPIRITISMO DIANTE DA FÉ E DA RAZÃO

A IGREJA E O ESPIRITISMO DIANTE DA FÉ E DA RAZÃO A IGREJA E O ESPIRITISMO DIANTE DA FÉ E DA RAZÃO Eliseu Mota Júnior motajunior@uol.com.br A origem da palavra encíclica, etimologicamente falando, remonta às cartas circulares enviadas pelos bispos a colegas

Leia mais

Resenha de Fundamentação Existencial da Pedagogia

Resenha de Fundamentação Existencial da Pedagogia 1 Resenha de Fundamentação Existencial da Pedagogia Luís Washington Vita (1955) DELFIM SANTOS, Fundamentação Existencial da Pedagogia, Limeira, Letras da Província, 1951-115; Revista Brasileira de Filosofia

Leia mais

O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA. Resumo

O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA. Resumo 1 O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA Cassio Donizete Marques 1 Resumo Hegel é considerado um dos pensadores mais complexos de toda a história da filosofia. Seu pensamento estabelece, senão

Leia mais

material dado com autoridade. Com isso, coloca-se, sobretudo, a questão, como essas valorações podem ser fundamentadas racionalmente.

material dado com autoridade. Com isso, coloca-se, sobretudo, a questão, como essas valorações podem ser fundamentadas racionalmente. Laudatio Robert Alexy nasceu em Oldenburg em 1945. Nesta cidade também realizou os seus estudos até o ensino secundário. No semestre de verão de 1968 ele iniciou o estudo da ciência do direito e da filosofia.

Leia mais

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade. Allan Kardec

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade. Allan Kardec Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade. Allan Kardec CAIRBAR SCHUTEL O transformismo e a evolução anímica 7 a edição GÊNESE DA ALMA 7ª edição

Leia mais

AMOR E EVOLUÇÃO ROTEIRO 6

AMOR E EVOLUÇÃO ROTEIRO 6 ROTEIRO 6 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro IV Espiritismo, o Consolador Prometido por Jesus Módulo IV A humanidade regenerada OBJETIVOS Esclarecer por que a capacidade

Leia mais

Programa de Filosofia nos 6 e 7 anos

Programa de Filosofia nos 6 e 7 anos Escolas Europeias Bureau du Secrétaire général du Conseil Supérieur Unité pédagogique Referência: 1998-D-12-2 Orig.: FR Versão: PT Programa de Filosofia nos 6 e 7 anos Aprovado pelo Conselho Superior de

Leia mais

Aristóteles e o iluminismo na História das Ciências: relação possível?

Aristóteles e o iluminismo na História das Ciências: relação possível? Aristóteles e o iluminismo na História das Ciências: relação possível? Adílio Jorge Marques* * Doutor em História e Epistemologia das Ciências (UFRJ/HCTE). Professor Substituto do Departamento de História

Leia mais

Entre 18 e 20 de fevereiro será celebrado em Sassone (Itália) a XXIV Assembleia Nacional da Federação Italiana de Exercícios Espirituais (FIES).

Entre 18 e 20 de fevereiro será celebrado em Sassone (Itália) a XXIV Assembleia Nacional da Federação Italiana de Exercícios Espirituais (FIES). Entre 18 e 20 de fevereiro será celebrado em Sassone (Itália) a XXIV Assembleia Nacional da Federação Italiana de Exercícios Espirituais (FIES). O objetivo é a relação entre os Exercícios Espirituais e

Leia mais

As formas de vida grega que prepararam o nascimento da filosofia

As formas de vida grega que prepararam o nascimento da filosofia As formas de vida grega que prepararam o nascimento da filosofia A Arte: (faculdade da imaginação) De modo mítico e fantástico mediante a intuição e a imaginação, tende a alcançar objetivos que também

Leia mais

O SER DE DEUS E A TRINDADE

O SER DE DEUS E A TRINDADE O SER DE DEUS E A TRINDADE INTRODUÇÃO 1. O que é a disciplina? É o estudo sobre a Pessoa de Deus como é revelada na Bíblia e na Revelação Geral. 2. Importância: - Conhecer quem é Deus é fundamental para

Leia mais

OPÚSCULO SOBRE O MODO DE APRENDER E DE MEDITAR

OPÚSCULO SOBRE O MODO DE APRENDER E DE MEDITAR Hugo de S. Vitor OPÚSCULO SOBRE O MODO DE APRENDER E DE MEDITAR A humildade é necessária ao que deseja aprender. A humildade é o princípio do aprendizado, e sobre ela, muita coisa tendo sido escrita, as

Leia mais

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR EXERCÍCIOS 1. De acordo com alguns doutrinadores, a Contabilidade é: a) Uma ciência de aplicação a diversos ramos da atividade humana; b) Uma forma de atender às obrigações fiscais e trabalhistas impostas

Leia mais

A METAFÍSICA DE ISAAC NEWTON

A METAFÍSICA DE ISAAC NEWTON 28 A METAFÍSICA DE ISAAC NEWTON Bruno Camilo de Oliveira RESUMO: Analisamos o manuscrito Peso e Equilíbrio dos Fluidos, de Isaac Newton, datado da virada da década de 1660 para a de 1670. Num momento de

Leia mais

O P O N T O D O M E I O

O P O N T O D O M E I O PLENILÚNIO DE LIBRA (Lua Cheia 18/10/2013 às 20h38, hora local de Argentina e Brasil) O P O N T O D O M E I O A matéria é o veículo para a manifestação da alma neste plano de existência, e a alma é o veículo

Leia mais

Capítulo 5 Involução e Ignorância. Evolução de matéria vida mente: só seria possível se estes princípios já estivessem involuídos

Capítulo 5 Involução e Ignorância. Evolução de matéria vida mente: só seria possível se estes princípios já estivessem involuídos Uma Introdução à Filosofia de Sri Aurobindo Joan Price 1 Capítulo 5 Involução e Ignorância Evolução de matéria vida mente: só seria possível se estes princípios já estivessem involuídos Ponto de partida

Leia mais

por Paulo Faitanin UFF.

por Paulo Faitanin UFF. TOMÁS HOJE: UM COMPANHEIRO DA VERDADE! por Paulo Faitanin UFF. Juan Fernando Sellés é professor da Faculdade de Filosofia da Universidad de Navarra. Doutor desde 1994, publicou mais de 100 títulos entre

Leia mais

HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo!

HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo! HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo! A vida e o ministério do padre é um serviço. Configurado a Jesus, que

Leia mais

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 15 Creio em Deus Pai - 2.

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 15 Creio em Deus Pai - 2. ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 15 Creio em Deus Pai - 2. Frei Hipólito Martendal, OFM. São Paulo-SP, 20 de setembro de 2012. revisão da aula anterior. 2.1- Deus Todo Poderoso. Dei uma

Leia mais

1.1. O que é a Filosofia? Uma resposta inicial. (Objetivos: Conceptualizar, Argumentar, Problematizar)

1.1. O que é a Filosofia? Uma resposta inicial. (Objetivos: Conceptualizar, Argumentar, Problematizar) INICIAÇÃO À ATIVIDADE FILOSÓFICA 1.1. O que é a Filosofia? Uma resposta inicial (Objetivos: Conceptualizar, Argumentar, Problematizar) As primeiras perguntas de qualquer estudante, ao iniciar o seu estudo

Leia mais

Antropologia, História e Filosofia

Antropologia, História e Filosofia Antropologia, História e Filosofia Breve história do pensamento acerca do homem Um voo panorâmico na história ocidental Cosmológicos 1. Embora o objeto não seja propriamente o homem já encontramos indícios

Leia mais

Juniores aluno 7. Querido aluno,

Juniores aluno 7. Querido aluno, Querido aluno, Por acaso você já se perguntou algumas destas questões: Por que lemos a Bíblia? Suas histórias são mesmo verdadeiras? Quem criou o mundo? E o homem? Quem é o Espírito Santo? Por que precisamos

Leia mais

ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN. Prof. Helder Salvador

ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN. Prof. Helder Salvador ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN Prof. Helder Salvador 5.2 - Alma e Psique Já em sua tese de doutoramento, Stein oferece uma primeira noção do que ela considera sob os termos alma e psique, e essa

Leia mais

TEOLOGIA PRÓPRIA FAM. Faculdade Manancial

TEOLOGIA PRÓPRIA FAM. Faculdade Manancial CURSO MÉDIO EM TEOLOGIA - FAM TEOLOGIA PRÓPRIA FAM Faculdade Manancial (Academia Teológica e Profissional) Site: www.fam1.net www.jdso.com.br I. TEOLOGIA PRÓPRIA O CRIADOR DO UNIVERSO Como um Deus tão

Leia mais

Cadernos Doutrinários

Cadernos Doutrinários A LIGA ESPÍRITA DO BRASIL tem 6 escolas gratuitas para crianças, sem distinção de crenças religiosa, cor ou nacionalidade. Ajudai a obra escolar da Liga Espírita do Brasil, inscrevendo-se como sócio daquela

Leia mais

Palavras chave: Direito Constitucional. Princípio da dignidade da pessoa humana.

Palavras chave: Direito Constitucional. Princípio da dignidade da pessoa humana. 99 Princípio da Dignidade da Pessoa Humana Idália de Oliveira Ricardo de Assis Oliveira Talúbia Maiara Carvalho Oliveira Graduandos pela Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti. Palavras

Leia mais

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt Dez Mandamentos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. (Redirecionado de Os dez mandamentos) Ir para: navegação, pesquisa Nota: Para outros significados, veja Dez Mandamentos (desambiguação). Moisés

Leia mais

A HUMANITAS COMO ESSENTIA HOMINIS: UM ENFOQUE SOBRE OS DIREITOS HUMANOS NA ATUALIDADE

A HUMANITAS COMO ESSENTIA HOMINIS: UM ENFOQUE SOBRE OS DIREITOS HUMANOS NA ATUALIDADE A HUMANITAS COMO ESSENTIA HOMINIS: UM ENFOQUE SOBRE OS DIREITOS HUMANOS NA ATUALIDADE DIAS, José Francisco de Assis SANTOS, André Luís de Sena dos humanitas est essentia hominis Tomás de Aquino (1225-1274)

Leia mais

Os Pensadores http://groups.google.com/group/digitalsource

Os Pensadores http://groups.google.com/group/digitalsource Os Pensadores http://groups.google.com/group/digitalsource CONTRACAPA NESTE VOLUME SANTO TOMAS DE AQUINO O ENTE E A ESSÊNCIA (1242/43) QUESTÕES DISCUTIDAS SOBRE A VERDADE (1256/59) SÚMULA CONTRA OS GENTIOS

Leia mais

A JUSTIÇA PELA PERSPECTIVA FILOSÓFICA

A JUSTIÇA PELA PERSPECTIVA FILOSÓFICA A JUSTIÇA PELA PERSPECTIVA FILOSÓFICA LEOPOLDO, Herick Berger 1. Resumo: Quando Aristóteles escreveu seu pensamento sobre a Justiça, ele partiu de premissas analíticas entre indivíduo e outro individuo,

Leia mais

SÃO JOSÉ: A ENVERGADURA MORAL DO ESPOSO DA VIRGEM MARIA

SÃO JOSÉ: A ENVERGADURA MORAL DO ESPOSO DA VIRGEM MARIA SÃO JOSÉ: A ENVERGADURA MORAL DO ESPOSO DA VIRGEM MARIA Amados irmãos e irmãs em CRISTO, Neste pequeno artigo vou falar um pouco sobre São José, o esposo da Virgem Maria e o pai terreno de Nosso Senhor

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

Perguntas e Concepções presentes sobre a natureza do Psicológico e da Psicologia. I Natureza Humana

Perguntas e Concepções presentes sobre a natureza do Psicológico e da Psicologia. I Natureza Humana Perguntas e Concepções presentes sobre a natureza do Psicológico e da Psicologia I Natureza Humana * Qual a natureza humana? Ou seja, qual é a ontologia humana? - Uma teoria da natureza humana busca especificar

Leia mais

O FUTURO DE UMA ILUSÃO

O FUTURO DE UMA ILUSÃO Ano V nº 7/8 (J an./ Dez. 2007) Revista da Faculdade de Educação O FUTURO DE UMA ILUSÃO M aria da Penha Fornanciari Antunes 1 FREUD, Sigmund. O futuro de uma ilusão. O mal-estar na civilização e outros

Leia mais

ALTERIDADE - IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DO ALUNO

ALTERIDADE - IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DO ALUNO ALTERIDADE - IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DO ALUNO Hélio de Moraes e Marques 1 Resumo: O ensino da filosofia possui características muito peculiares quanto ao seu método. Refiro-me à exposição pelo professor

Leia mais

Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE

Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE TEATRO ESPÍRITA... 2 A VISÃO GERAL... 2 EXERCÍCIOS TEATRAIS DRAMATICIDADE COM ESPIRITUALIDADE... 2 DIREÇÃO TEATRAL... 3 O

Leia mais

A Administração e Suas Perspectivas. Unidade I

A Administração e Suas Perspectivas. Unidade I A Administração e Suas Perspectivas Unidade I ANTECEDENTES HISTÓRICOS DA ADMINISTRAÇÃO Filósofos Revolução Industrial Política Recursos? Quais são os antecedentes históricos da Administração? Exército

Leia mais

CONSIDERAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE POSSE NA DOUTRINA DO DIREITO DE KANT

CONSIDERAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE POSSE NA DOUTRINA DO DIREITO DE KANT CONSIDERAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE POSSE NA DOUTRINA DO DIREITO DE KANT Jéssica de Farias Mesquita 1 RESUMO: O seguinte trabalho trata de fazer uma abordagem sobre o que se pode considerar uma filosofia

Leia mais

O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros.

O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros. O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros. A Torá é o texto mais importante para o Judaísmo. Nele se encontram os Mandamentos, dados diretamente

Leia mais

A Filosofia A origem da Filosofia 1

A Filosofia A origem da Filosofia 1 A Filosofia A origem da Filosofia 1 A PALAVRA FILOSOFIA A palavra filosofia é grega. É composta por duas outras: philo e sophia. Philo deriva-se de philia, que significa amizade, amor fraterno, respeito

Leia mais

AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA

AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA Fábio de Araújo Aluno do Curso de Filosofia Universidade Mackenzie Introdução No decorrer da história da filosofia, muitos pensadores falaram e escreveram há cerca do tempo,

Leia mais

Sócrates - Platão - Aristóteles - Questões de Vestibulares - Gabarito

Sócrates - Platão - Aristóteles - Questões de Vestibulares - Gabarito Sócrates - Platão - Aristóteles - Questões de Vestibulares - Gabarito 1. (Uel 2012) Leia o texto a seguir. No ethos (ética), está presente a razão profunda da physis (natureza) que se manifesta no finalismo

Leia mais

ARTE E LINGUAGEM UNIVERSAL

ARTE E LINGUAGEM UNIVERSAL ARTE E LINGUAGEM UNIVERSAL ANGELO JOSÉ SANGIOVANNI - Professor da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR)/CAMPUS II FAP) Email: ajsangiovanni@yahoo.com.br Resumo: A partir da análise da tragédia antiga,

Leia mais

ZALMINO ZIMMERMANN ESPIRITISMO, SÉCULO XXI

ZALMINO ZIMMERMANN ESPIRITISMO, SÉCULO XXI ZALMINO ZIMMERMANN ESPIRITISMO, SÉCULO XXI CAMPINAS SP 2011 SUMÁRIO Horizontes... 9 Primeiras Palavras... 11 Capítulo I. Conceito de Espiritismo... 13 Capítulo II. Espiritismo e Ciência... 31 Capítulo

Leia mais

HISTÓRIA DA FILOSOFIA

HISTÓRIA DA FILOSOFIA HISTÓRIA DA FILOSOFIA Períodos da história da filosofia Antiga Patrística Escolástica Renascimento Moderna Iluminismo Contemporânea Filosofia grega Períodos da filosofia grega Cosmológico Antropológico

Leia mais

IN 5601 SCIENTIFIC INVESTIGATION: THEORY

IN 5601 SCIENTIFIC INVESTIGATION: THEORY FLORIDA CHRISTIAN UNIVERSITY MASTER OF ARTS IN EDUCATION WITH FOCUS IN PRINCIPLED EDUCATION JULIANA POMPEO HELPA IN 5601 SCIENTIFIC INVESTIGATION: THEORY 06 de janeiro de 2015 Orlando, Florida FLORIDA

Leia mais

Filosofia e Teologia como expressões propriamente humanas

Filosofia e Teologia como expressões propriamente humanas Filosofia e Teologia como expressões propriamente humanas A pergunta que serve de mote a esta reflexão, proposta pelos Alunos de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, campus de Lisboa, é: «Qual

Leia mais

Leone Alves. O fim da cegueira intelectual. 1ª Edição. São Paulo - Brasil

Leone Alves. O fim da cegueira intelectual. 1ª Edição. São Paulo - Brasil Leone Alves O fim da cegueira intelectual 1ª Edição São Paulo - Brasil 2015 1 Apresentação O fim da cegueira intelectual é um livro filosófico que tem como objetivo despertar na sociedade a capacidade

Leia mais

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Habitados Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Jesus referiu-se em algum momento de suas pregações à existência de outros mundos habitados? Qualquer pessoa que pensa, ao

Leia mais

Espírito, Perispírito e Corpo 1 / 9

Espírito, Perispírito e Corpo 1 / 9 CURSO: NOÇÕES BÁSICAS DOUTRINA ESPÍRITA e Corpo EDITORA 1 / 9 Elementos Gerais do Universo Perg. 27 - Há então dois elementos gerais do Universo: a matéria e o Espírito? Sim e acima de tudo Deus, o criador,

Leia mais

Adoração no Islã (parte 1 de 3): O Significado da Adoração

Adoração no Islã (parte 1 de 3): O Significado da Adoração Adoração no Islã (parte 1 de 3): O Significado da Adoração O conceito e propósito da adoração no Islã não têm paralelo com qualquer outra religião existente. Ele combina o mundano com o espiritual, o indivíduo

Leia mais

Filosofia, Arte e Ciência : modos de pensar o acontecimento e o virtual segundo Gilles Deleuze

Filosofia, Arte e Ciência : modos de pensar o acontecimento e o virtual segundo Gilles Deleuze Filosofia, Arte e Ciência : modos de pensar o acontecimento e o virtual segundo Gilles Deleuze Catarina Pombo Nabais No seu último livro, intitulado O que é a Filosofia?, Deleuze e Guattari desenham uma

Leia mais

Conhecimento - Kant e Númeno Teresa Simões FBAUL, 2006

Conhecimento - Kant e Númeno Teresa Simões FBAUL, 2006 Conhecimento - Kant e Númeno Teresa Simões FBAUL, 2006 Sumário Introdução 1 Desenvolvimento. 1 1. O Conhecimento.. 2 2. A sensação e percepção... 3 3. Kant e o conhecimento como actividade construtiva

Leia mais

PRINCÍPIO DE CAUSALIDADE, EXISTÊNCIA DE DEUS E EXISTÊNCIA DE COISAS EXTERNAS

PRINCÍPIO DE CAUSALIDADE, EXISTÊNCIA DE DEUS E EXISTÊNCIA DE COISAS EXTERNAS CDD: 122 PRINCÍPIO DE CAUSALIDADE, EXISTÊNCIA DE DEUS E EXISTÊNCIA DE COISAS EXTERNAS ETHEL MENEZES ROCHA Departamento de Filosofia Universidade Federal do Rio de Janeiro Largo São Francisco de Paula,

Leia mais

Centralidade da obra de Jesus Cristo

Centralidade da obra de Jesus Cristo Centralidade da obra de Jesus Cristo MÓDULO 3 3ª AULA AULA 3 MÓDULO 3 SALVAÇÃO EM CRISTO Jesus no Centro Por que deve ficar claro isso? Dá para evangelizar sem falar de Jesus? É possível partir de outro

Leia mais

Estrutura Pedagógica da Escola de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil

Estrutura Pedagógica da Escola de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil Plano Curricular Federação Espírita Brasileira Estrutura Pedagógica da Escola de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil Maternal 3 e 4 anos Jardim 5 e 6 anos Infância 1º ciclo 7 e 8 anos Infância 2º ciclo

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann

A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann 1 DELIMITAÇÃO Ao abordarmos sobre as razões para ser um professor numa escola e falar sobre o amor de Deus, encontramos algumas respostas

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave fenomenologia; método; mística

RESUMO. Palavras-chave fenomenologia; método; mística RESUMO FENOMENOLOGIA E MÍSTICA Uma abordagem metodológica Elton Moreira Quadros Professor substituto na Univ. Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Faculdade Juvência Terra (FJT) Instituto de Filosofia

Leia mais

DONS INFUSOS DO ESPÍRITO SANTO

DONS INFUSOS DO ESPÍRITO SANTO DONS INFUSOS DO ESPÍRITO SANTO O Espírito Santo nos foi dado para que nos tornemos santos, e para que assim se cumpram perfeitamente em cada um de nós os desígnios amorosos que o Pai tem preparado para

Leia mais

CULPABILIDADE RESUMO

CULPABILIDADE RESUMO CULPABILIDADE Maira Jacqueline de Souza 1 RESUMO Para uma melhor compreensão de sanção penal é necessário a análise levando em consideração o modo sócio-econômico e a forma de Estado em que se presencie

Leia mais

O CONFRONTO DAS TEORIAS DE HANS KELSEN E ROBERT ALEXY: ENTRE O NORMATIVISMO E A DIMENSÃO PÓS-POSITIVISTA

O CONFRONTO DAS TEORIAS DE HANS KELSEN E ROBERT ALEXY: ENTRE O NORMATIVISMO E A DIMENSÃO PÓS-POSITIVISTA 95 O CONFRONTO DAS TEORIAS DE HANS KELSEN E ROBERT ALEXY: ENTRE O NORMATIVISMO E A DIMENSÃO PÓS-POSITIVISTA Ana Augusta Rodrigues Westin Ebaid Docente do Núcleo de Pesquisa e Extensão do curso de Direito

Leia mais

O Filme Matrix, Segundo a Teoria Marxista

O Filme Matrix, Segundo a Teoria Marxista O Filme Matrix, Segundo a Teoria Marxista Fabíola dos Santos Cerqueira O homem tem de viver em dois mundos que se contradizem (...) O espirito afirma o seu direito e a sua dignidade perante a anarquia

Leia mais

O BREVILÓQUIO, DE BOAVENTURA, CUR DEUS HOMO, DE. Antonio Carlos Lucio * UMA APRESENTAÇÃO DAS VIRTUDES NAS OBRAS

O BREVILÓQUIO, DE BOAVENTURA, CUR DEUS HOMO, DE. Antonio Carlos Lucio * UMA APRESENTAÇÃO DAS VIRTUDES NAS OBRAS UMA APRESENTAÇÃO DAS VIRTUDES NAS OBRAS O BREVILÓQUIO, DE BOAVENTURA, CUR DEUS HOMO, DE ANSELMO E SOBRE O DESPRENDIMENTO, DE ECKHART Antonio Carlos Lucio * Resumo: Este trabalho surgiu a partir de uma

Leia mais

LIDERANÇA, ÉTICA, RESPEITO, CONFIANÇA

LIDERANÇA, ÉTICA, RESPEITO, CONFIANÇA Dado nos últimos tempos ter constatado que determinado sector da Comunidade Surda vem falando muito DE LIDERANÇA, DE ÉTICA, DE RESPEITO E DE CONFIANÇA, deixo aqui uma opinião pessoal sobre o que são estes

Leia mais

Os dez mandamentos da ética

Os dez mandamentos da ética Os dez mandamentos da ética Gabriel Chalita Resumo do livro Os Dez Mandamentos da Ética de Gabriel Chalita, Ed. Nova Fronteira, 6ª impressão. A esperança é o sonho do homem acordado Aristóteles, citado

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL ESTÁCIO-CERS DIREITO CONSTITUCIONAL Professora Ana Paula Teixeira Delgado Tema: Poder Constituinte Poder Constituinte Definição: Poder de elaborar (originário)ou de atualizar uma

Leia mais

ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN. Prof. Helder Salvador

ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN. Prof. Helder Salvador ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN Prof. Helder Salvador 3 - A ANTROPOLOGIA COMO FUNDAMENTO DA PEDAGOGIA. Para Edith Stein existe uma profunda relação entre os termos metafísica, antropologia e pedagogia

Leia mais